CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS"

Transcrição

1 CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS REGIMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS TÉCNICOS E DE GRADUAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regimento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos para as sessões solenes e públicas de Outorga de Grau dos Cursos Técnicos (concomitantes, integrados e subsequentes) e Cursos de Graduação (bacharelados, licenciaturas e tecnólogos) do IFMG Campus Bambuí. CAPÍTULO II DA COLAÇÃO DE GRAU Art. 2º. A colação de grau dos Cursos Técnicos e Superiores far-se-á em sessão pública e solene, de forma coletiva, como cerimônia periódica e ordinária, presidida pelo Diretor-Geral, à qual têm direito de participar todos os formandos que concluíram todos os componentes curriculares, bem como estágio e TCC obrigatórios, dependendo de cada curso. 1º O Diretor-Geral do IFMG - Campus Bambuí poderá delegar a presidência da sessão ao Diretor- Geral Substituto, a um dos Diretores Sistêmicos, ao Coordenador de Área ou a outro docente no impedimento deste e por ato administrativo. 2º O ato de colação de grau deverá ser tornado público, pela Diretoria de Ensino do IFMG Campus Bambuí, por ato administrativo, por meio de edital interno, com prazo mínimo de 10 (dez) dias úteis anteriores à realização do evento, sendo anexada a lista oficial de formandos, fornecida pela Gerência de Registros Escolares de Cursos Técnicos e Cursos Superiores e dos Cursos de Pós- Graduação. 3º A solenidade de colação de grau é obrigatória e em nenhuma hipótese a outorga de grau poderá ser dispensada.

2 4º A solenidade de colação de grau será registrada em ata e lavrada em livro próprio pela chefia da Gerência de Registros Escolares dos Cursos Técnicos e dos Cursos Superiores e dos Cursos de Pós-Graduação devendo ser assinada por todos os formandos, sendo condição sine qua non para receber o diploma de conclusão de curso. Art. 3º. Cada curso é responsável pela escolha da comissão de formatura que os representará perante a Instituição. 1º Compete à comissão de formatura: I - Eleger entre seus membros um presidente, um vice-presidente, um secretário, um tesoureiro e um suplente, constituindo, assim, a diretoria da Comissão de Formatura. II - Contratar a empresa para o auxílio na confecção e/ou realização dos itens necessários que não sejam fornecidos pela instituição, tais como convites, decoração, luz, som, placa com nomes dos formandos, placas de homenagens, vestes talares com faixas de acordo com as cores do curso, homenagens, fotos e filmagens. III Entrar em contato com a Chefia de Cerimonial e Eventos para receber orientações referentes aos procedimentos e regras para a colação de grau; IV Recorrer à Chefia de Cerimonial e Eventos no caso de fechamento de contratos. V A entrada, na instituição, de representantes das empresas que comercializam produtos ou serviços relacionados às formaturas dependerá da autorização e supervisão da Chefia de Cerimonial e Eventos, conforme as normas deste setor, publicadas no site oficial do IFMG Campus Bambuí. VI Todos os cursos que se formam na mesma data devem estar em consenso com relação à escolha das empresas fornecedoras de produtos ou serviços da Colação de Grau. VII Realizar encontros com os demais formandos para orientação quanto às informações contidas neste regulamento; VIII Eleger, em reunião ordinária, juntamente com os formandos de cada curso, os homenageados correspondentes. IX Cada curso poderá escolher 1 (um) patrono, 1 (um) professor homenageado e 1 (um) funcionário homenageado. Este último, poderá ser substituído por 1 (um) nome da turma; X Manter a Chefia de Cerimonial e Eventos informada quanto às decisões referentes à formatura como: patrono, paraninfo e nome da turma, nomes completos dos formandos e professores, juramentista, orador e homenagens (professores, funcionários, etc); XI Oficializar o convite a todos os homenageados; XII Confeccionar os convites de formatura e submetê-los a revisão da Chefia de Cerimonial e Eventos. O modelo deve seguir obrigatoriamente, a estrutura mínima a seguir:

3 a) Nome e logotipo do IFMG Campus Bambuí b) Nome do Curso c) Nome do Reitor do IFMG d) Nome do Diretor-Geral do IFMG Campus Bambuí e) Nomes dos Diretores Sistêmicos Campus Bambuí f) Nome do Coordenador do Curso g) Nome dos homenageados (patrono, paraninfo, professores e servidores) h) Membros da comissão de formatura i) Datas, horários e locais das solenidades. XIII Os nomes do orador e dos juramentistas, constando no convite, são opcionais. XIV Os nomes completos dos formandos, constando no convite, são opcionais. XV Submeter à revisão dos convites de formatura à Chefia de Cerimonial e Eventos do IFMG Campus Bambuí, com antecedência mínima de 30 (trinta) dias úteis, da data autorizada para a realização da formatura. XVI Caso haja interesse dos formandos, confeccionar a placa com nome dos formandos e submetê-los a revisão da Chefia de Cerimonial e Eventos. O modelo, em tamanho A2, deve seguir obrigatoriamente, a estrutura mínima a seguir: a) Nome e logotipo do IFMG Campus Bambuí b) Nome do Curso c) Nome do Reitor do IFMG d) Nome do Diretor-Geral do IFMG Campus Bambuí e) Nomes dos Diretores Sistêmicos Campus Bambuí f) Nome dos Coordenadores de Curso g) Nome dos homenageados (patrono, paraninfo, professores e servidores) h) Nome do orador i) Nome dos juramentistas j) Nomes dos formandos k) Data e local da Colação de Grau. 2º A Ordem de Precedência utilizada no convite e na placa deverão obedecer ao Decreto nº , de 09 de março de º A Chefia de Cerimonial e Eventos exercerá o papel de supervisora das Comissões de Formatura incumbindo-se de transmitir à Diretoria-Geral o andamento dos trabalhos da Comissão. Art. 4º. A Direção Geral do IFMG Campus Bambuí e a Chefia de Cerimonial e Eventos não serão responsáveis, em hipótese alguma, pela arrecadação, movimentação, pagamentos e recebimentos de valores relacionados à Colação de Grau de nenhum curso.

4 Art. 5º. Participará da solenidade e receberá a outorga do grau apenas o aluno que fez o requerimento de Colação de Grau junto à Chefia de Cerimonial e Eventos, com antecedência mínima de 15 (quinze) dias da data da colação de grau, e que esteja habilitado para esse fim, ou seja, que tenha concluído toda a matriz curricular do seu curso, de acordo com parecer da Gerência de Registros Escolares dos Cursos Técnicos e de Cursos Superiores e de Pós-Graduação, no âmbito de suas atribuições. Parágrafo Único: A sessão será iniciada com qualquer número de dirigentes, autoridades componentes da mesa diretiva e formandos, havendo tolerância de, no máximo, 15 (quinze) minutos da hora publicada para seu início. Art. 6º. Compete à Diretoria Geral do IFMG Campus Bambuí autorizar as sessões de colação de grau, sendo vetada a realização de solenidades separadas para turmas de turnos diferentes, ênfases ou modalidades do mesmo curso. 1º A colação de grau dos Cursos Técnicos será feita de forma conjunta, no mesmo dia, horário e local. 2º A colação de grau dos Cursos Superiores será feita de forma conjunta, no mesmo dia, horário e local. 3º É de competência da Diretoria Geral do IFMG Campus Bambuí convocar os dirigentes docentes, bem como reiterar o convite aos demais servidores e homenageados, que estejam envolvidos nas solenidades de outorga de grau. 4º As solenidades de formatura poderão contemplar diferentes cursos do mesmo ou de outro Departamento de Ensino. Art. 7º. A sessão solene terá data, horário e local agendados pelo Setor de Relações Institucionais e pela Gerência de Registros Escolares dos Cursos Técnicos e de Cursos Superiores e de Pós- Graduação, em comum acordo com a Diretoria de Ensino e Eventos e com a Chefia de Cerimonial. 1º Na sessão solene de colação de grau coletiva é vetada a outorga de grau por procuração. Art. 8º. Ao formando que não estiver em seu prazo devido de integralização (fora da sua turma) será concedido o direito da colação de grau de forma extemporânea; 1º A colação de grau de forma extemporânea poderá acontecer em solenidade oficial ou em gabinete. 2º O formando, para ter direito à colação de grau extemporânea, deverá solicitar e justificar à Chefia de Cerimonial e Eventos com antecedência mínima de 15 dias da data da solenidade. A

5 análise, parecer e decisão sobre a solicitação ficarão a cargo da Gerência de Registros Escolares dos Cursos Técnicos e de Cursos Superiores e dos Cursos de Pós-Graduação. 3º Os alunos extemporâneos que estiverem em processo de desligamento e não fizerem a solicitação dentro prazo, poderão requerer Colação Especial, mediante autorização da Diretoria de Ensino do Campus Bambuí. Esta colação acontecerá na semana posterior à Colação Oficial e o agendamento ficará a cargo do Setor de Cerimonial e Eventos e do Gabinete do Diretor-Geral. 4º A relação de formandos será encaminhada à Chefia de Cerimonial e Eventos pela Gerência de Registros Escolares de Cursos Técnicos e Cursos Superiores e dos Cursos de Pós-Graduação, após a conferência e deferimento desse setor, uma vez que o aluno tenha concluído toda a matriz curricular do seu curso. 5º Na Colação Oficial, alunos extemporâneos não prestam homenagens e, no caso dos cursos de graduação, prestam o Juramento Universal. Art. 9º. É vetada a realização de cerimônia de colação de grau aos domingos e feriados. CAPÍTULO III DA COLAÇÃO DE GRAU ESPECIAL EM GABINETE Art. 10. A Colação de Grau Especial em Gabinete só será permitida nos seguintes casos: I Aprovação em Vestibular; II Aprovação em Concurso Público; III Aprovação em Pós-graduação Lato Sensu ou Strictu Sensu (vinculado à instituição de ensino). Não será deferida aprovação nessas modalidades para matérias isoladas; IV Em caso de Processo de Desligamento; V Falecimento de Parentes de primeiro grau. 1º Em todos os casos, deve-se anexar ao requerimento a documentação comprobatória. 2º Os casos omissos serão analisados pela Chefia deste setor e encaminhados à Diretoria Geral do Campus Bambuí para o parecer final. Art. 11. Nas sessões especiais de colação de grau, em gabinete, a execução do Hino Nacional e o uso de vestes talares pela mesa diretiva e a outorga de grau individual serão facultativos, ficando dispensados os discursos e suprimidas as homenagens. CAPÍTULO IV DO CERIMONIAL

6 Art. 12. A sessão solene de Outorga de Grau, em seu ato obrigatório, compreenderá: a) abertura da sessão solene, proferida pelo Presidente da mesa de honra; b) execução do Hino Nacional; c) prestação do juramento; d) outorga do grau; e) entrega do Certificado de Conclusão de Curso; f) discurso do Orador; g) discurso do Paraninfo; h) encerramento da solenidade, pelo Presidente da mesa de honra. 1º Serão permitidos os discursos do paraninfo e de, no máximo, 2 (dois) homenageados, decididos em sorteio realizado pela Chefia de Cerimonial e Eventos, junto com as Comissões de Formatura; 2º O discurso do Diretor-geral do IFMG Campus Bambuí ou seu representante será feito de forma generalizada, de modo a abranger todos os cursos. 3º O juramento, definido pelo IFMG Campus Bambuí, será prestado pelo formando previamente indicado pela comissão de formatura, seja por sorteio ou eleição junto aos outros formandos. 4º O Presidente da sessão outorgará o grau, formalmente, a todos os formandos da lista oficial fornecida pela Gerência de Registros Escolares dos Cursos Técnicos e dos Cursos Superiores e dos Cursos de Pós-Graduação, separadamente por curso; 5º Após a outorga de grau, todos os formandos devem colocar o capelo; 6º A entrega do Certificado de Conclusão de Curso, após a outorga de grau, acontecerá da seguinte forma: a) cada um dos formandos, ao ser chamado, irá se dirigir à mesa diretiva onde receberá o diploma simbólico do Diretor-Geral, representante, paraninfo, ou patrono, assinará a ata, voltando a sentarse; 7º Fica vetada a projeção de vídeos, filmes, jogos de luzes, ou qualquer outro recurso de natureza cênica que prejudique a sessão solene, sob pena de cancelamento da mesma, ficando determinado que tais dispositivos e recursos só poderão ser utilizados antes do início ou após o término da solenidade e com consentimento da Chefia de Cerimonial e Eventos; 8º O uso da beca na colação de grau é obrigatório aos formandos. Caso haja descumprimento da norma, o formando só poderá colar grau após a sua utilização. Art. 13. Fica proibido durante a solenidade de colação de grau: a) Utilizar instrumentos de poluição visual ou sonora; b) Fazer gestos de exibicionismo ou não-condizentes com a cerimônia;

7 c) Fazer uso de bebidas alcoólicas ou estar em estado de embriaguez; d) O acompanhamento de pessoas não autorizadas quando o formando for receber o diploma simbólico; e) Utilizar músicas que não sejam apropriadas para a solenidade de Colação de Grau; f) Vestir-se de forma inapropriada (os formandos devem permanecer todo o tempo da solenidade vestidos com a beca e calçados devidamente); g) Utilização, pelos formandos, de qualquer acessório que descaracterize a formalidade da solenidade. Parágrafo único: O Presidente da sessão poderá suspender a solenidade se constatar comportamento atentatório ao decoro acadêmico. Art. 14. O roteiro para a sessão de colação de grau é de responsabilidade do IFMG Campus Bambuí, devendo seguir a seguinte ordem: I - Composição da mesa diretiva, que virá assim nominada: a) Reitor do IFMG; b) Diretor-geral do IFMG - Campus Bambuí; c) Diretor de Ensino; d) Coordenador do Curso; e) Paraninfo. II - apresentação dos homenageados; III - entrada dos formandos; IV - abertura da sessão solene, proferida pelo Presidente da mesa de honra; V - execução do Hino Nacional; VI - prestação do juramento; VII - outorga de grau; VIII - entrega dos Certificados de Conclusão de Curso; IX - discurso do Paraninfo; X - encerramento da solenidade, proferida pelo Presidente da mesa diretiva. 1º Observada a ordem estabelecida pelo inciso I, desde artigo, na ausência de alguma autoridade, o Presidente da mesa determinará a composição da mesa diretiva. 2º Os discursos e homenagens prestadas deverão observar, no máximo, o tempo de 3 (três) minutos de duração. 3º Os discursos dos oradores e textos de homenagens devem ser encaminhados à Chefia de Cerimonial e Eventos, com antecedência mínima de 15 (quinze) dias úteis da data autorizada para a realização da formatura;

8 4º Quando algum homenageado for uma autoridade municipal, estadual ou federal, deverá compor a mesa diretiva. Art. 15. Em cada Colação de Grau haverá: I - um Paraninfo, para todos os cursos; II - um orador, que discursará em nome de todos os formandos; III - um formando de cada curso para entregar todos os brindes aos seus respectivos homenageados. 1º Os cursos que formam juntos poderão escolher, em comum acordo, o Paraninfo e orador. 2º Quando não houver um consenso entre os alunos, será feito um sorteio, no Setor de Cerimonial e Eventos, entre os cursos participantes da solenidade, para decidir quem escolherá um Paraninfo e um orador. 3º Havendo mais de dois cursos, será incluso no sorteio discursos de homenageados e entrega da homenagem ao Paraninfo. Art. 16. Nas Colações de Grau dos Cursos Técnicos e dos Cursos Extemporâneos haverá apenas um juramentista, que fará o Juramento Universal. Para os Cursos de Graduação que formam no período regular, será permitido a escolha de um juramentista para cada curso, que farão os Juramentos próprios. Art. 17. Compete à comissão de formatura convidar os homenageados e, após a confirmação de suas presenças, informar à Chefia de Cerimonial e Eventos, para que essa possa programar a confecção dos respectivos convites formais. Parágrafo único: É de responsabilidade da comissão de formatura o envio dos convites aos servidores homenageados, e disponibilizar a quantidade necessária de convites à Chefia de Cerimonial e Eventos, para que sejam repassados às autoridades administrativas. Art. 18. Compete, ainda, à Chefia de Cerimonial e Eventos: a) elaborar os protocolos das sessões solenes de colação de grau; b) supervisionar a decoração dos ambientes das cerimônias coletivas de colação de grau; c) cuidar da guarda, conservação, zelo e transporte das vestes talares dos membros da mesa diretiva; d) garantir a colocação adequada das bandeiras, das faixas e flâmulas, e de outros detalhes pertinentes à solenidade; e) tomar providências quanto à ornamentação, vestimentas dos formandos, cores, faixas e outros detalhes pertinentes a cada solenidade;

9 f) fazer a divulgação da solenidade, principalmente para os componentes da mesa diretiva e os homenageados; g) supervisionar o trabalho das empresas contratadas pela Comissão de Formatura. CAPÍTULO V DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 19. As placas confeccionadas pelas empresas de foto/filmagens, com os nomes dos formandos, alusivas às formaturas dos Cursos Técnicos e Superiores do IFMG Campus Bambuí, deverão ser em aço escovado ou similar, sendo que as dimensões não devem ultrapassar 594 x 420mm; 1º Fica autorizada a confecção de 01 (uma) placa por formatura. 2º Caberá à Chefia de Cerimonial e Eventos, verificar a Ordem de Precedência das autoridades e definir os locais onde as placas serão fixadas. 3º Caberá à Assessoria de Comunicação do Campus Bambuí, fornecer o texto padrão para impressão. 4º O logotipo assim como qualquer outra forma divulgação de empresas deverá ser colocada na face posterior da placa. Art. 20. O descumprimento de qualquer parte deste Regulamento deixará o infrator sujeito às sanções disciplinares definidas pelo Regulamento disciplinar e pelo Regimento Interno do IFMG Campus Bambuí. Art. 21. Os casos omissos neste Regulamento serão resolvidos pela Chefia de Cerimonial e Eventos, ouvido o Diretor-Geral, juntamente com uma comissão designada para esse fim. Art. 22. Este Regulamento entrará em vigor na data de sua aprovação, revogando as disposições em contrário.

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

CAPÍTULO I DO OBJETIVO

CAPÍTULO I DO OBJETIVO REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E INTEGRADO CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º. O presente regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as

Leia mais

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT MANTIDA PELA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONTES CLAROS - FEMC TÍTULO I - DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS Este regulamento serve como instrumento informativo e orientador

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS

REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E LETRAS FACEL Este regulamento pretende servir

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMATURA DA ESCOLA SUPERIOR BATISTA DO AMAZONAS

REGULAMENTO DE FORMATURA DA ESCOLA SUPERIOR BATISTA DO AMAZONAS RESOLUÇÃO Nº 14/2005 DG/ESBAM REGULAMENTO DE FORMATURA DA ESCOLA SUPERIOR BATISTA DO AMAZONAS CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º - O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014 RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014 Estabelece o Manual de Formatura dos cursos de graduação das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão das Faculdades

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 130, de 18 de junho de 2014.

RESOLUÇÃO nº 130, de 18 de junho de 2014. RESOLUÇÃO nº 130, de 18 de junho de 2014. Estabelece normas para as Colações de Grau dos alunos que concluírem Cursos de Graduação na UNIPLAC e dá outras providências. O Reitor da Universidade do Planalto

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR.

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR. REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR. Este regulamento pretende servir de instrumento informativo e orientador das cerimônias

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO

FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO FAEC Regulamento da Colação de Grau 2007 TÍTULO I Disposições Gerais Art. 1º Colação de grau é um ato acadêmico-administrativo de reconhecimento institucional da conclusão

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Instituto de Ensino Superior de Londrina, 17 de outubro de 2006.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Instituto de Ensino Superior de Londrina, 17 de outubro de 2006. RESOLUÇÃO CAS 02 / 2006 De 17 de outubro de 2006 Aprova o Regulamento da Colação de Grau no INESUL. CONSIDERANDO o disposto no artigo 133º do Regimento do Instituto de Ensino Superior de Londrina (INESUL);

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012.

RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012. Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Ibirubá RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012.

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS E FINS MUNICÍPIO DE GURUPI ESTADO DO TOCANTINS FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSIÁRIO UNIRG REITORIA REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º Este

Leia mais

RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008.

RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008. RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008. Institui Normas e Procedimentos para as Solenidades de Colação de Grau dos Cursos de Graduação e Graduação Tecnológica do Unilasalle. O Reitor

Leia mais

I. DA COLAÇÃO DE GRAU E COMISSÃO DE FORMATURA 1) O

I. DA COLAÇÃO DE GRAU E COMISSÃO DE FORMATURA 1) O COLAÇÃO DE GRAU O presente documento tem por objetivo orientar os acadêmicos quanto as normas e procedimentos relativos a Colação de Grau dos Cursos de Graduação do Instituto de Ensino Superior de Londrina

Leia mais

- Local, data e horário da Sessão Solene da Colação de Grau;

- Local, data e horário da Sessão Solene da Colação de Grau; MANUAL DO FORMANDO A Colação de Grau é um ato oficial e obrigatório para Conclusão de Curso e obtenção de diploma realizado em Sessão Solene ou Colação Especial, em data, horário e local previamente autorizado

Leia mais

NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA. CAPÍTULO I Da Solenidade

NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA. CAPÍTULO I Da Solenidade NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA CAPÍTULO I Da Solenidade Art. 1º A colação de grau da UFCSPA é o ato oficial, de caráter obrigatório, público e solene

Leia mais

Manual de Formaturas. Faculdades Opet. Normas e procedimentos

Manual de Formaturas. Faculdades Opet. Normas e procedimentos Manual de Formaturas Faculdades Opet Normas e procedimentos 2014 0 Prof. José Antonio Karam Presidente do Grupo Educacional Opet Profª Adriana Veríssimo Karam Koleski Superintendente Educacional do Grupo

Leia mais

FORMATURAS Manual de procedimentos

FORMATURAS Manual de procedimentos FORMATURAS Manual de procedimentos Sumário 1. RESPONSABILIDADE DOS FORMANDOS... 3 1.1 Comissão de formatura... 3 1.2 Agendamento de data... 3 1.3 Contratação de empresa para cerimonial... 3 1.4 Convite...

Leia mais

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA Coronel Fabriciano, Abril de 2010 1 SUMÁRIO TITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 TÍTULO II DA COMISSÃO PERMANENTE DE FORMATURA 3 TÍTULO III DA SOLENIDADE 5 CAPÍTULO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

Leia mais

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA Coronel Fabriciano, Abril de 2010 SUMÁRIO TITULO I TÍTULO II TÍTULO III DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DA COMISSÃO PERMANENTE DE FORMATURA DA SOLENIDADE 3 3 4 CAPÍTULO

Leia mais

Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU]

Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU] Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU] Regulamento de Colação de Grau Documento revisado em MARÇO/2012 APRESENTAÇÃO A conclusão de um curso superior é a celebração de uma grande conquista, portanto,

Leia mais

REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU. Art. 2º Em hipótese alguma haverá dispensa de Colação de Grau.

REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU. Art. 2º Em hipótese alguma haverá dispensa de Colação de Grau. REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU Art. 1º A Colação de Grau é ato oficial, público e obrigatório para os acadêmicos que tenham concluído integralmente um Curso de Graduação da Faculdade de Filosofia, Ciências

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG CATÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA Art.1º A colação de grau ou formatura é ato

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA

INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA Caros formandos A solenidade de outorga de grau, denominada Colação de Grau, é o ato oficial, público e obrigatório, por meio do qual o aluno, concluinte

Leia mais

Do Ato. Da Competência. Art.2º - A outorga de grau compete ao Diretor Acadêmico das Faculdades Integradas de Itararé. Da Dispensa

Do Ato. Da Competência. Art.2º - A outorga de grau compete ao Diretor Acadêmico das Faculdades Integradas de Itararé. Da Dispensa Portaria 03/2008 Regulamento para a cerimônia de colação de Grau conferida aos concluintes dos cursos de graduação das Faculdades Integradas de Itararé. Do Ato Art.1º - A colação de grau nas Faculdades

Leia mais

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 RESOLUÇÃO Nº.01/2010 Dispõe sobre Procedimentos para as Solenidades de Colação de Grau O Conselho

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO legal. Art. 1º. NORMAS PARA COLAÇÕES DE GRAU Capítulo I DO ATO As cerimônias de colação de grau serão presididas pelo Reitor

Leia mais

PORTARIA Nº. 215/2008-DG/CEFET-RN Natal/RN, 10 de abril de 2008.

PORTARIA Nº. 215/2008-DG/CEFET-RN Natal/RN, 10 de abril de 2008. PORTARIA Nº. 215/2008-DG/CEFET-RN Natal/RN, 10 de abril de 2008. O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE, usando de suas atribuições legais e CONSIDERANDO o que

Leia mais

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ. Regulamento da Colação de Grau

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ. Regulamento da Colação de Grau FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ Regulamento da Colação de Grau 2009 TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Colação de grau é um ato acadêmico-administrativo de reconhecimento institucional

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Av. Engenheiro Diniz, 1178 - Bairro Martins - CP 593 38400-462 - Uberlândia-MG

Universidade Federal de Uberlândia Av. Engenheiro Diniz, 1178 - Bairro Martins - CP 593 38400-462 - Uberlândia-MG RESOLUÇÃO N o 04/2004, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO, AD REFERENDUM Estabelece normas para a Colação de Grau dos alunos dos cursos de graduação da Universidade Federal de Uberlândia. O VICE-PRESIDENTE NO EXERCÍCIO

Leia mais

Manual de Colação de Grau

Manual de Colação de Grau Manual de Colação de Grau Sumário INTRODUÇÃO...3 1 REGULAMENTO DAS SOLENIDADES DE COLAÇÃO DE GRAU...3 2 SETOR DE FORMATURAS...3 3 ATRIBUIÇÕES DA SECRETARIA E COORDENAÇÃO ACADÊMICA...4 4 TIPOS DE SOLENIDADES

Leia mais

ESCOLA DO DIREITO COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA

ESCOLA DO DIREITO COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA Inicia-se a contagem regressiva para o momento de importância peculiar na vida de todos vocês: a Colação de Grau no Curso de Direito da Universidade

Leia mais

FACULDADE LA SALLE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU. Cursos de Graduação. Lucas do Rio Verde-MT

FACULDADE LA SALLE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU. Cursos de Graduação. Lucas do Rio Verde-MT FACULDADE LA SALLE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU Cursos de Graduação Lucas do Rio Verde-MT Caro Graduando! 2015 Ao cumprir a integralização curricular estabelecida para seu curso, está na hora

Leia mais

RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012

RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012 RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012 Aprova o Regulamento de Colação de Grau da Faculdade Norte Paranaense. O Conselho Acadêmico Superior, em reunião ordinária realizada em 18 de maio de 2012, no uso de suas atribuições

Leia mais

MANUAL DE SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU Profa. Dra. Fátima Ahmad Rabah Abido Diretora Silvia Regina Tedesco Rodella Diretora Acadêmica Luci Mieko Hirota Simas Assistente Técnico Administrativo I Profa.

Leia mais

MANUAL DE FORMATURAS FACULDADE DE TECNOLOGIA DA SERRA GAÚCHA

MANUAL DE FORMATURAS FACULDADE DE TECNOLOGIA DA SERRA GAÚCHA MANUAL DE FORMATURAS FACULDADE DE TECNOLOGIA DA SERRA GAÚCHA A conclusão de um curso superior é a celebração de uma grande conquista, portanto a cerimônia de formatura se transforma num momento especial

Leia mais

VI COMISSÃO DE FORMATURA

VI COMISSÃO DE FORMATURA MODALIDADE DE FORMATURA INTEGRADA UNISC I FORMATURA INTEGRADA É a modalidade de formatura que integra um ou mais cursos na realização do cerimonial e protocolo da colação de grau organizada pela UNISC,

Leia mais

MANUAL DO FORMANDO E DAS COMISSÕES DE FORMATURA

MANUAL DO FORMANDO E DAS COMISSÕES DE FORMATURA MANUAL DO FORMANDO E DAS COMISSÕES DE FORMATURA SETOR DE FORMATURAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO Agosto de 2012 1 ÍNDICE Página 1. Regulamento das solenidades de Colação de

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1280

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1280 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1280 Regulamenta os procedimentos para as cerimônias de Colação de Grau da Universidade Federal de Goiás e revoga a Resolução

Leia mais

- FACULDADES PROMOVE E INFÓRIUM - MANUAL DE INSTRUÇÕES COLAÇÃO DE GRAU

- FACULDADES PROMOVE E INFÓRIUM - MANUAL DE INSTRUÇÕES COLAÇÃO DE GRAU - FACULDADES PROMOVE E INFÓRIUM - MANUAL DE INSTRUÇÕES COLAÇÃO DE GRAU APRESENTAÇÃO A conclusão de um curso superior é a celebração de uma grande conquista na vida do acadêmico. Tem grande importância;

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO COSUEN Nº 009/2014, DE 09 DE JULHO DE 2014. Aprova normas e procedimentos para emissão de histórico acadêmico, declaração de conclusão de curso, certificados e diplomas, bem como para a colação

Leia mais

MANUAL de FORMATURA UCPEL MANUAL DE FORMATURA

MANUAL de FORMATURA UCPEL MANUAL DE FORMATURA MANUAL DE FORMATURA INTRODUÇÃO Este manual tem por objetivo publicar normas e procedimentos para o planejamento, a organização e a execução das cerimônias de formatura da Universidade Católica de Pelotas

Leia mais

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS - UNITINS Do Colegiado de Curso Art. 1º. O Colegiado de Curso é a instância básica dos cursos de graduação, responsável

Leia mais

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES INICIAIS DAS COMPETÊNCIAS Art. 1º O Setor de Registros Acadêmicos - SRA é o órgão que operacionaliza todas as atividades ligadas à vida

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 022/2014 DE 09 DE JULHO DE 2014 Regulamenta os procedimentos de realização das solenidades de Colação de Grau da Universidade Federal da Integração Latino- Americana (UNILA). O Conselho Universitário

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL RESOLUÇÃO Nº. 073/12-COGEP de 07/12/12 Curitiba

Leia mais

Manual de Formatura. Manual de Formatura NOVA Faculdade

Manual de Formatura. Manual de Formatura NOVA Faculdade Manual de Formatura Direção Diretora Executiva Renata Carla Castro Diretor Geral Pablo Bittencourt Diretor Acadêmico Ricardo Medeiros Ferreira Este manual tem a finalidade de orientar os procedimentos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05

Leia mais

Perguntas Frequentes Colação de Grau FURB

Perguntas Frequentes Colação de Grau FURB COLAÇÃO DE GRAU 1) Quem está apto a colar grau? O acadêmico que concluir, com assiduidade e aproveitamento, todos os componentes curriculares do curso em que se encontra matriculado, inclusive as atividades

Leia mais

IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA

IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA ÍNDICE PALAVRA DA DIRETORA...03 APRESENTAÇÃO...03 PROVIDÊNCIAS LEGAIS...03 COMISSÃO DE FORMATURA...04

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA

MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA 1 ÍNDICE PALAVRA DO DIRETOR... 3 APRESENTAÇÃO... 3 PROVIDÊNCIAS LEGAIS... 3 COMISSÃO DE FORMATURA... 3 ESCOLHA DO PATRONO... 4 ESCOLHA DO PARANINFO...

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene 1 APRESENTAÇÃO A Solenidade de Colação de Grau ou Formatura é um dos momentos mais importantes para a comunidade acadêmica, pois concretiza o trabalho desenvolvido durante o período de estudos na faculdade

Leia mais

FORMATURA INTRODUÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 01 MANUAL DE

FORMATURA INTRODUÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 01 MANUAL DE 01 MANUAL DE FORMATURA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS INTRODUÇÃO Este manual tem por objetivo publicar normas e procedimentos para o planejamento, a organização e a execução das cerimônias de formatura

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMATURAS

REGULAMENTO DE FORMATURAS Texto Aprovado CONSU 2008-24 de 24/11/2008 Texto Revisado CONSU 2011-19 de 09/06/2011 Texto Revisado CONSU 2014-01 de 31/03/2014 REGULAMENTO DE FORMATURAS 2014 Sumário Seção I Das Disposições Gerais...

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO CONSELHO, ATRIBUIÇÕES E SUA COMPOSIÇÃO Art. 1.º- O Conselho Municipal de Educação de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº1.176 de

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO MANUAL DOS FORMANDOS ORIENTAÇÕES, PROCEDIMENTOS E NORMAS.

COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO MANUAL DOS FORMANDOS ORIENTAÇÕES, PROCEDIMENTOS E NORMAS. COORDENAÇÃO DO MANUAL DOS FORMANDOS ORIENTAÇÕES, PROCEDIMENTOS E NORMAS.. Pires do Rio Goiás, 2012. Flávia de Oliveira Fornari Coordenadora do Curso de Direito CORPO ADMINISTRATIVO FACULDADE DO SUDESTE

Leia mais

Solenidade de Colação de Grau

Solenidade de Colação de Grau FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA FARESC CERIMONIAL UNIVERSITÁRIO Solenidade de Colação de Grau Orientações Gerais para Sessões Solenes de Colação de Grau A colação de grau é obrigatória e faz

Leia mais

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU ROD. 010, KM 32, Setor Abaitará Pimenta Bueno Ro/ institutoabaitara@seduc.ro.gov.br PORTARIA Nº: 010 /2015. SÚMULA: Aprovar Regulamento da Colação de Grau do Instituto Estadual

Leia mais

SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU

SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU Por meio deste documento, a Faculdade Campo Limpo Paulista FACCAMP define critérios e regulamenta as seguintes diretrizes para o Cerimonial de Colação de Grau. A Cerimônia

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação:

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação: DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004 Dispõe sobre a Colação de Grau e dá outras providências. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação:

Leia mais

MANUAL DE FORMATURA 2013

MANUAL DE FORMATURA 2013 MANUAL DE FORMATURA 2013 Manual de Formatura da FACIG 1 MANUAL DE FORMATURA DA FACIG FACULDADE DE CIÊNCIAS GERENCIAIS DE MANHUAÇU válido para turmas que Colarão Grau a partir de dezembro de 2012 1. FORMATURA

Leia mais

Manual de Formatura da Faculdade Horizontina 1ª edição, Aprovada pelo Colegiado Administrativo, Vigente desde Março - 2012

Manual de Formatura da Faculdade Horizontina 1ª edição, Aprovada pelo Colegiado Administrativo, Vigente desde Março - 2012 Manual de Formatura da Faculdade Horizontina 1ª edição, Aprovada pelo Colegiado Administrativo, Vigente desde Março - 2012 Comissão Institucional de Formatura FAHOR Aline de Mattos, Perceval Lautenschlager,

Leia mais

COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO FACULDADE SALESIANA

COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO FACULDADE SALESIANA RESOLUÇÃO No. 01/2010 COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO Formaliza, regulamenta e disciplina os procedimentos para a solenidade de colação de grau dos Cursos Superiores da Faculdade Salesiana. O Diretor

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS TÍTULO I: DO REGIME

Leia mais

MANUAL DE FORMATURAS 2007

MANUAL DE FORMATURAS 2007 MANUAL DE FORMATURAS 2007 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DEFINIÇÃO DAS DATAS... 3 3. DEFINIÇÃO DO LOCAL... 3 4. DOCUMENTAÇÃO DE CONCLUSÃO DE CURSO... 4 5. COMISSÃO DE FORMATURA... 4 6. FORMANDOS... 5 7.

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS

RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS O Conselho Acadêmico Superior (CAS), no uso de suas atribuições conferidas pelo Estatuto da Universidade Positivo (UP), dispõe sobre as normas acadêmicas dos cursos

Leia mais

Manual de Formatura/ Colação de Grau. ULBRA Manaus

Manual de Formatura/ Colação de Grau. ULBRA Manaus Manual de Formatura/ Colação de Grau ULBRA Manaus Prezado Formando, A Colação de Grau é um ato oficial, público e obrigatório da Universidade e, como tal, integra as atividades do curso e do calendário

Leia mais

Manual para Solenidades de Formatura do IFMS

Manual para Solenidades de Formatura do IFMS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Manual para Solenidades de Formatura do IFMS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Instituto

Leia mais

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU FACNOPAR 1 MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU Administração da Faculdade do Norte Novo de Apucarana MANTENEDOR: Umberto Bastos Sacchelli DIRETOR GERAL: Danilo Lemos Freire VICE- DIRETORA

Leia mais

Anexo I da Organização Didática Resolução nº 031/2010 33

Anexo I da Organização Didática Resolução nº 031/2010 33 ANEXO I ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 NORMAS ACADÊMICAS DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA,

Leia mais

Colação de Grau. Perguntas frequentes

Colação de Grau. Perguntas frequentes Colação de Grau Perguntas frequentes 1. O que preciso fazer para participar da cerimônia de colação de grau pública? Para participar da Colação de Grau pública, é preciso que o aluno tenha concluído 100%

Leia mais

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU O presente manual tem por objetivo orientar os acadêmicos e as empresas do segmento de formatura, quanto às normas e procedimentos relativos à colação de grau dos cursos de graduação

Leia mais

AGUARDANDO APROVAÇÃO DO COUNI

AGUARDANDO APROVAÇÃO DO COUNI Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DA UTFPR RESOLUÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 05 - CONSU 13 DE JUNHO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº. 05 - CONSU 13 DE JUNHO DE 2007 Rua Governador Luiz Cavalcante, S/N, TELEFAX (82) 3530-3382 CEP: 57312-270 Arapiraca-Alagoas RESOLUÇÃO Nº. 05 - CONSU 13 DE JUNHO DE 2007 Dispõe sobre normas e procedimentos para os Cursos de Especialização

Leia mais

RESOLUÇÃO CNRM/004/2001

RESOLUÇÃO CNRM/004/2001 RESOLUÇÃO CNRM/004/2001 A PRESIDENTE DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA (CNRM), no uso de sua atribuições previstas no art. 5.º do Decreto n.º 80.281, de 05 de setembro de 1977, e considerando o

Leia mais

MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA

MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA ÍNDICE PALAVRA DO DIRETOR... 2 APRESENTAÇÃO... 2 PROVIDÊNCIAS LEGAIS... 2 COMISSÃO DE FORMATURA... 3 A ESCOLHA DO PATRONO... 3 A ESCOLHA DO PARANINFO...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010.

RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010. (Credenciada pelo Decreto Presidencial de 14 de agosto de 1996, publicado no DOU em 15 de agosto de 1996). RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010. Normatiza os procedimentos para a solenidade de Outorga de Grau

Leia mais

Norma nº 04/2001. Páginas: 09

Norma nº 04/2001. Páginas: 09 Norma nº 04/2001 Páginas: 09 Preparado por: Núcleo de Eventos Autorizado por: Portaria do Reitor nº 42/2001, de 20.12.2001 Objeto: Norma de Colação de Grau e Diplomação Abrangência: Universidade Vila Velha

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA FACULDADE DE MATEMÁTICA, CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES, UFPA.

Leia mais

DECISÃO Nº 085/2015 D E C I D E. aprovar o Regimento Interno da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como segue:

DECISÃO Nº 085/2015 D E C I D E. aprovar o Regimento Interno da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, como segue: CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 085/2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 27/02/2015, tendo em vista o constante no processo nº 23078.034121/2014-61, de acordo com o Parecer nº 006/2015

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE ANGLO-AMERICANO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º Este Regulamento disciplina as atividades do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

Norma de Eventos Institucionais e Oficiais - Universidade Federal de Itajubá

Norma de Eventos Institucionais e Oficiais - Universidade Federal de Itajubá Norma de Eventos Institucionais e Oficiais - Universidade Federal de Itajubá 1 Esta norma regulamenta a realização dos eventos institucionais e oficiais da Universidade Federal de Itajubá, padronizando

Leia mais

MANUAL DOS FORMANDOS

MANUAL DOS FORMANDOS MANUAL DOS FORMANDOS 2013 1 PARABÉNS! Você é um vencedor. Você está prestes a concluir a integralização curricular estabelecida para seu curso, está na hora de organizar a comemoração. Para tentar facilitar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 45ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de setembro de 2013, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

Resolução CONSAD nº 01/2001 R E S O L V E

Resolução CONSAD nº 01/2001 R E S O L V E CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA CONSAD Resolução CONSAD nº 01/2001 O Presidente do Conselho Superior de Administração Universitária CONSAD e Reitor da Universidade de Cuiabá, Professor

Leia mais

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso 1 Centro Universitário de Araraquara UNIARA Departamento de Ciências da Administração e Tecnologia Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso Capítulo I Das disposições

Leia mais

Mais do que faculdade, uma escola de empreendedores. Regulamento do Colegiado de curso da Faculdade Montes Belos

Mais do que faculdade, uma escola de empreendedores. Regulamento do Colegiado de curso da Faculdade Montes Belos Mais do que faculdade, uma escola de empreendedores Regulamento do Colegiado de curso da Faculdade Montes Belos São Luís de Montes Belos, novembro de 2011 REGULAMENTO COLEGIADO DE CURSOS REGULAMENTO INTERNO

Leia mais

FORMATURA MANUAL PARA COLAÇÃO DE GRAU

FORMATURA MANUAL PARA COLAÇÃO DE GRAU 1 FORMATURA MANUAL PARA COLAÇÃO DE GRAU ORIENTAÇÕES E NORMAS CATALÃO, 2011 2 ESTRUTURA ADMINISTRATIVA Diretora Geral Profa. Maria Eleonora de Oliveira Scalia Diretor Acadêmico Prof. Paulo Antônio de Lima

Leia mais

Série FACTO - Manuais. 2ª Edição

Série FACTO - Manuais. 2ª Edição Série FACTO - Manuais 2ª Edição Série FACTO - Manuais 'Manual de Colação de Grau'' Católica do Tocantins Abril de 2015 2ª Edição Diretor Geral Pe. José Romualdo Degasperi Vice Diretor Acadêmico Galileu

Leia mais

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU O presente manual tem por objetivo orientar os acadêmicos e as empresas do segmento de formatura quanto às normas e procedimento relativos à colação de grau dos cursos de graduações

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO Art. 1º Este Regulamento Interno disciplina as normas relativas ao funcionamento da Comissão Própria

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP

REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP 205 ANEXO B Regulamento Interno do Colegiado do Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP 206 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES

REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES Art. 1º O Colegiado de Curso é órgão consultivo, normativo, de planejamento acadêmico e executivo, para os assuntos de política de

Leia mais