RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012."

Transcrição

1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Ibirubá RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de A Diretora-Geral do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Ibirubá, considerando o que foi deliberado em reunião extraordinária do Conselho de Câmpus realizada em 19/12/2012, no uso de suas atribuições, RESOLVE: Regulamentar as solenidades de diplomação dos Cursos Técnicos de Nível Médio do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Ibirubá / RS. DA DIPLOMAÇÃO Art. 1º a diplomação é ato oficial: I a ser realizado para todos os Cursos Técnicos de Nível Médio; II de caráter solene, público e acadêmico; III no qual se garante a participação, em igualdade de condições, a todos os formandos, sem distinção. DOS REQUISITOS Art. 2º O diploma é conferido ao aluno que tenha integralizado todas as disciplinas e atividades do currículo do respectivo curso.

2 Art. 3º Somente poderá diplomar-se o aluno que constar na relação de formandos, liberada, em última instância, pelo Setor de Registros Acadêmicos do Câmpus. Parágrafo Único Não será admitida, em nenhuma hipótese, a participação, na solenidade, de alunos que não estejam aptos a participar do ato. DA ORGANIZAÇÃO DA SOLENIDADE DE DIPLOMAÇÃO Art. 4º As solenidades e diplomação serão organizadas pela Comissão Permanente de Formatura, nomeada pela Direção Geral do Câmpus. Parágrafo Único A Comissão Permanente de Formatura será composta exclusivamente por servidores efetivos do Câmpus, sendo chefe de Gabinete seu membro nato. Art. 5º A solenidade de diplomação será realizada em sessão solene e pública, a qual deverá ser redigida em ata de confirmação do evento, cuja responsabilidade é do setor de Registros Acadêmicos. Art. 6º As solenidades de diplomação serão presididas pelo(a) Reitor(a) ou seu representante legal no ato, salvo os casos previstos no decreto nº , de 09 de março de 1972, que estabelece as normas do cerimonial público e a ordem geral de procedência. Art. 7º A diplomação dos formando é competência o Reitor(a), podendo esta ser delegada ao Diretor (a) Geral do Câmpus. Art. 8º A solenidade de diplomação transcorrerá com restrita observação dos padrões de decoro acadêmico e seguirá o cerimonial elaborado pela Comissão Permanente de Formatura, aprovado pelo Diretor(a) do Câmpus. 1º - A participação dos alunos concluintes nos ensaios que precedem a cerimônia será obrigatória para o desempenho da solenidade, exceto justificativas pertinentes.

3 2º - Os ensaios deverão ser agendados e coordenados pela Comissão Permanente de Formatura. 3º - É terminantemente proibido o uso, para quaisquer fins e/ou ingestão, de bebidas alcoólicas durante a solenidade de diplomação. Art. 9º. O(a) Paraninfo(a) da turma deverá ser uma pessoa do quadro pessoal da Instituição. Art. 10º. As datas programadas para a realização das solenidades de diplomação deverão constar, em dia e horário previamente fixados, no Calendário Acadêmico. (sempre na 3ª sexta-feira dos meses de março e agosto, às 19 horas e 30min). Art. 11º. A solenidade de diplomação durar no máximo duas horas. 1º - Quando houver agrupamento de cursos, estes deverão ter o aval dos coordenados dos respectivos cursos agrupados. 2º - No caso de agrupamento de cursos, a duração da solenidade será definida e/ou ajustada em função das peculiaridades do momento. Art. 12º. As falas inerentes à formalidade da cerimônia serão limitadas a: I 05 minutos, destinados ao Reitor (a) do Instituto; II 05 minutos, destinados ao Diretor Geral do Câmpus; III 05 minutos, aos demais oradores; IV 03 minutos, para leitura de mensagens, quando houver. Art. 13º. Nas solenidades de diplomação, poderão prestar serviços de fotografia, filmagens e decoração, empresas e/ou profissionais contratados, indicados à Comissão Permanente de Formatura em data anterior ao ensaio de formatura. 1º - A indicação a que se refere o caput não implicará exclusivamente na prestação dos referidos serviços, em detrimento de familiares e convidados dos formandos, interessados em registrar pessoalmente o momento. 2º - A atuação dos profissionais a que se refere este artigo estará condicionada o seu cadastramento prévio junto à Comissão Permanente de

4 Formatura, em data anterior à solenidade, com a indicação dos profissionais que atuarão no evento. DAS RESONSABILIDADES Art. 14º. Compete aos Formandos: I participar dos ensaios, mediante convocação da Comissão Permanente de Formatura; II chegar, com pelo menos uma hora de antecedência, ao local da cerimonia de diplomação, para confirmar sua presença na solenidade. Art. 15º. Compete à Comissão Permanente de Formatura: I agendar as datas das solenidades de diplomação no período determinado pelo Calendário Acadêmico; II coordenar a realização das solenidades, prestando a orientação técnica necessária; III supervisionar os serviços prestados por profissionais e/ou empresas terceirizadas, indicados pelos formandos; IV prestar orientação direta à comunidade discente, sobre as normas que regem os cerimoniais; V elaborar os cerimoniais de diplomação, bem como orientar os discursos do dia; VI responsabilizar-se pelo cerimonial e demais atividades afins no dia da solenidade de diplomação; VII assessorar o Reitor(a)/Diretor(a) Geral na condução da cerimônia; VIII realizar os ensaios com os formandos; IX receber as músicas escolhidas pelos formandos e disponibilizá-las ao operador de som; X divulgar, com a necessária antecipação, as datas e demais informações pertinentes às solenidades; XI supervisionar o correto funcionamento de toda a infraestrutura e serviços necessários aos eventos; XII exercer outras atividades determinadas pela Direção Geral do Câmpus.

5 Art. 16º. Os recursos audiovisuais e o(s) discurso (s) de oradores de turma deverão ser entregues à Comissão Permanente de Formatura no prazo de dez dias úteis antes da solenidade, para que a mesma avalie o material e determine o momento e o tempo ideais de exibição. Art. 17º. Compete ao setor de Registros Acadêmicos: I informar a Comissão Permanente de Formatura o número e a relação nominal de formandos por habilitação, com a antecedência mínima de (10) dez dias úteis; II abrir e encerrar as atas de diplomação. Art. 18º. Cada turma de formandos deverá nomear uma Comissão Temporária de Formatura, no máximo até o início do último semestre curricular, composta por representantes discentes de cada curso. Art. 19º. Compete às Comissões Temporárias de Formatura; I representar os formandos perante a instituição; II respeitar os prazos definidos pela instituição; III informar a Comissão Permanente de Formatura, após votação com os colegas formandos, os escolhidos para paraninfo, servidores homenageados, orador(res) da(s) turma(s); IV acompanhar e auxiliar na organização da cerimônia de diplomação; V realizar os incrementos que julgarem necessários relativos à decoração e sonorização do ambiente, com a anuência da Comissão Permanente de Formatura. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS Art. 20º. Aplicam-se às solenidades de diplomação, nas quais os formandos já tenham firmado contrato com empresas prestadoras de serviços terceirizados, as normas aqui registradas.

6 Art. 21º. Casos omissos no presente regulamento e fatos eventuais serão sempre resolvidos, em consenso, entre formandos e Comissão Permanente de Formatura. Art. 22º. Este Regulamento entra em vigor a partir da data de sua aprovação pelo Conselho de Câmpus, podendo ser alterado sempre que se fizer necessário. Profa. Migacir Trindade Duarte Flôres Presidente do Conselho de Câmpus IFRS - Câmpus Ibirubá

7 ANEXO I Nas cerimônias de diplomação recomenda-se atenção ao cerimonial proposto neste regulamento, o qual compreende as seguintes formalidades: Instalações da Sessão Solene 1. Entrada Geral, que se processará na seguinte ordem: Reitor(a), Diretor(a) do Câmpus, Diretor(a) de Ensino, Coordenador(es) de Curso(s) e homenageados. 2. Abertura da sessão, a qual será efetivada pelo Reitor(a) ou seu representante legal no ato. 3. Presidência da Sessão é atribuiçãos da maior autoridade institucional presente na solenidade. 4. Introdução dos Formandos, pelo Paraninfo das turmas, a convite do Mestre de Cerimônia. 5. Execução do Hino Nacional. Desenvolvimento da Solenidade 1. Juramento: o Mestre de Cerimônia procederá à chamada de um formando previamente designado -, o qual prestará o juramento solene perante o público. Os demais formandos deverão estar em pé ao final do juramento e repetirão prometo. 2. Diplomação: poderá ser delegada pelo Reitor(a) ou Diretor(a) do Câmpus, conforme estabelecido no Art. 8º deste regulamento. O Mestre de Cerimônia procederá a chamada nominal, em ordem alfabética, dos formandos por curso. O capelo será colocado na cabeça do formando na hora da diplomação, cujo símbolo anexado deverá ser posicionado no lado esquerdo. 3. Outorga do Diploma: será feita pelo Paraninfo da turma; a possibilidade de concessão de deferência será analisada pela comissão Permanente de Formatura e Direção do Câmpus. 4. Encerramento: O Presidente da Sessão fará o encerramento da solenidade.

8 Vestes Talares As vestes talares deverão ser providenciadas pela empresa contratada pelos formandos e fiscalizadas pela Comissão Permanente de Formatura do Câmpus. Formandos Nas cerimônias de diplomação, os formandos poderão optar pelo uso de vestes talares (beca preta, capelo da mesma cor com detalhes em branco e faixa na cintura na cor respectiva a sua área de conhecimento) Cores das Vestes Talates Cursos Técnicos e Cursos Superiores de Tecnologia Ambiente Saúde Verde Apoio Escolar Verde Controle e Processos Industriais Azul Gestão e Negócios Azul Hospitalidade e Lazer Azul Informação e Comunicação Amarelo Infraestrutura Azul Produção Alimentícia - Azul Militar Verde Produção cultural e Design Azul Produção Industrial Azul Recursos Naturais Verde Segurança Verde Bacharelados Engenharias Azul Licenciaturas Códigos e Linguagens Vermelho

9 Ciências da Natureza Azul Ciências Humanas Vermelho Professores Beca preta longa, faixa na cor respectiva a sua área de conhecimento, capelo preto com detalhes em branco. Reitor(a) Beca preta longa, murça/pelerine e capelo na cor branca e colar reitoral. A cor branca é exclusiva do reitor(a), porque representa todas as áreas do conhecimento. Hinos Em uma solenidade, ao se executar qualquer hino, o público deve estar em pé e manter postura formal em sinal de respeito. É vedada qualquer outra forma de saudação que não seja atitude de respeito, em pé. Os componentes da mesa honrosa retiram o capelo na hora do hino. O Hino Riograndense deverá ser executado, antes do encerramento da solenidade, desde que respeitada a ordem de procedência: 1. Hino Nacional; 2. Hino Riograndense. bandeiras: Bandeiras Na solenidade de colação de grau haverá sempre as seguintes Brasil;

10 Rio Grande do Sul; Município Sede; Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Ibirubá. As bandeiras deverão ser dispostas à direita. Considera-se direita de um dispositivo de bandeiras a direita de uma pessoa colocada junto a ele e voltada para o público. MUNICÍPIO BRASIL RIO GRANDE DO SUL IFRS - IBIRUBÁ PÚBLICO Discursos Os discursos deverão obedecer a seguinte ordem de precedência: 1. Orador(a); 2. Paraninfo; 3. Diretor(a) do Câmpus; 4. Reitor (a).

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS Este regulamento serve como instrumento informativo e orientador

Leia mais

CAPÍTULO I DO OBJETIVO

CAPÍTULO I DO OBJETIVO REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E INTEGRADO CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º. O presente regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS

REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E LETRAS FACEL Este regulamento pretende servir

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as

Leia mais

NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA. CAPÍTULO I Da Solenidade

NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA. CAPÍTULO I Da Solenidade NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA CAPÍTULO I Da Solenidade Art. 1º A colação de grau da UFCSPA é o ato oficial, de caráter obrigatório, público e solene

Leia mais

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Instituto de Ensino Superior de Londrina, 17 de outubro de 2006.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Instituto de Ensino Superior de Londrina, 17 de outubro de 2006. RESOLUÇÃO CAS 02 / 2006 De 17 de outubro de 2006 Aprova o Regulamento da Colação de Grau no INESUL. CONSIDERANDO o disposto no artigo 133º do Regimento do Instituto de Ensino Superior de Londrina (INESUL);

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO

FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO FAEC Regulamento da Colação de Grau 2007 TÍTULO I Disposições Gerais Art. 1º Colação de grau é um ato acadêmico-administrativo de reconhecimento institucional da conclusão

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR.

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR. REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR. Este regulamento pretende servir de instrumento informativo e orientador das cerimônias

Leia mais

PORTARIA Nº. 215/2008-DG/CEFET-RN Natal/RN, 10 de abril de 2008.

PORTARIA Nº. 215/2008-DG/CEFET-RN Natal/RN, 10 de abril de 2008. PORTARIA Nº. 215/2008-DG/CEFET-RN Natal/RN, 10 de abril de 2008. O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE, usando de suas atribuições legais e CONSIDERANDO o que

Leia mais

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT MANTIDA PELA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONTES CLAROS - FEMC TÍTULO I - DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente

Leia mais

Do Ato. Da Competência. Art.2º - A outorga de grau compete ao Diretor Acadêmico das Faculdades Integradas de Itararé. Da Dispensa

Do Ato. Da Competência. Art.2º - A outorga de grau compete ao Diretor Acadêmico das Faculdades Integradas de Itararé. Da Dispensa Portaria 03/2008 Regulamento para a cerimônia de colação de Grau conferida aos concluintes dos cursos de graduação das Faculdades Integradas de Itararé. Do Ato Art.1º - A colação de grau nas Faculdades

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014 RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014 Estabelece o Manual de Formatura dos cursos de graduação das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão das Faculdades

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS E FINS MUNICÍPIO DE GURUPI ESTADO DO TOCANTINS FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSIÁRIO UNIRG REITORIA REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º Este

Leia mais

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA Coronel Fabriciano, Abril de 2010 1 SUMÁRIO TITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 TÍTULO II DA COMISSÃO PERMANENTE DE FORMATURA 3 TÍTULO III DA SOLENIDADE 5 CAPÍTULO

Leia mais

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA Coronel Fabriciano, Abril de 2010 SUMÁRIO TITULO I TÍTULO II TÍTULO III DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DA COMISSÃO PERMANENTE DE FORMATURA DA SOLENIDADE 3 3 4 CAPÍTULO

Leia mais

FACULDADE LA SALLE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU. Cursos de Graduação. Lucas do Rio Verde-MT

FACULDADE LA SALLE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU. Cursos de Graduação. Lucas do Rio Verde-MT FACULDADE LA SALLE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU Cursos de Graduação Lucas do Rio Verde-MT Caro Graduando! 2015 Ao cumprir a integralização curricular estabelecida para seu curso, está na hora

Leia mais

CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS

CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS REGIMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS TÉCNICOS E DE GRADUAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ CAPÍTULO

Leia mais

ESCOLA DO DIREITO COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA

ESCOLA DO DIREITO COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA Inicia-se a contagem regressiva para o momento de importância peculiar na vida de todos vocês: a Colação de Grau no Curso de Direito da Universidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO legal. Art. 1º. NORMAS PARA COLAÇÕES DE GRAU Capítulo I DO ATO As cerimônias de colação de grau serão presididas pelo Reitor

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 022/2014 DE 09 DE JULHO DE 2014 Regulamenta os procedimentos de realização das solenidades de Colação de Grau da Universidade Federal da Integração Latino- Americana (UNILA). O Conselho Universitário

Leia mais

- Local, data e horário da Sessão Solene da Colação de Grau;

- Local, data e horário da Sessão Solene da Colação de Grau; MANUAL DO FORMANDO A Colação de Grau é um ato oficial e obrigatório para Conclusão de Curso e obtenção de diploma realizado em Sessão Solene ou Colação Especial, em data, horário e local previamente autorizado

Leia mais

Manual de Colação de Grau

Manual de Colação de Grau Manual de Colação de Grau Sumário INTRODUÇÃO...3 1 REGULAMENTO DAS SOLENIDADES DE COLAÇÃO DE GRAU...3 2 SETOR DE FORMATURAS...3 3 ATRIBUIÇÕES DA SECRETARIA E COORDENAÇÃO ACADÊMICA...4 4 TIPOS DE SOLENIDADES

Leia mais

Manual de Formatura da Faculdade Horizontina 1ª edição, Aprovada pelo Colegiado Administrativo, Vigente desde Março - 2012

Manual de Formatura da Faculdade Horizontina 1ª edição, Aprovada pelo Colegiado Administrativo, Vigente desde Março - 2012 Manual de Formatura da Faculdade Horizontina 1ª edição, Aprovada pelo Colegiado Administrativo, Vigente desde Março - 2012 Comissão Institucional de Formatura FAHOR Aline de Mattos, Perceval Lautenschlager,

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 130, de 18 de junho de 2014.

RESOLUÇÃO nº 130, de 18 de junho de 2014. RESOLUÇÃO nº 130, de 18 de junho de 2014. Estabelece normas para as Colações de Grau dos alunos que concluírem Cursos de Graduação na UNIPLAC e dá outras providências. O Reitor da Universidade do Planalto

Leia mais

RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008.

RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008. RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008. Institui Normas e Procedimentos para as Solenidades de Colação de Grau dos Cursos de Graduação e Graduação Tecnológica do Unilasalle. O Reitor

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação:

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação: DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004 Dispõe sobre a Colação de Grau e dá outras providências. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMATURAS

REGULAMENTO DE FORMATURAS Texto Aprovado CONSU 2008-24 de 24/11/2008 Texto Revisado CONSU 2011-19 de 09/06/2011 Texto Revisado CONSU 2014-01 de 31/03/2014 REGULAMENTO DE FORMATURAS 2014 Sumário Seção I Das Disposições Gerais...

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO MANUAL DOS FORMANDOS ORIENTAÇÕES, PROCEDIMENTOS E NORMAS.

COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO MANUAL DOS FORMANDOS ORIENTAÇÕES, PROCEDIMENTOS E NORMAS. COORDENAÇÃO DO MANUAL DOS FORMANDOS ORIENTAÇÕES, PROCEDIMENTOS E NORMAS.. Pires do Rio Goiás, 2012. Flávia de Oliveira Fornari Coordenadora do Curso de Direito CORPO ADMINISTRATIVO FACULDADE DO SUDESTE

Leia mais

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ. Regulamento da Colação de Grau

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ. Regulamento da Colação de Grau FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ Regulamento da Colação de Grau 2009 TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Colação de grau é um ato acadêmico-administrativo de reconhecimento institucional

Leia mais

- FACULDADES PROMOVE E INFÓRIUM - MANUAL DE INSTRUÇÕES COLAÇÃO DE GRAU

- FACULDADES PROMOVE E INFÓRIUM - MANUAL DE INSTRUÇÕES COLAÇÃO DE GRAU - FACULDADES PROMOVE E INFÓRIUM - MANUAL DE INSTRUÇÕES COLAÇÃO DE GRAU APRESENTAÇÃO A conclusão de um curso superior é a celebração de uma grande conquista na vida do acadêmico. Tem grande importância;

Leia mais

MANUAL DO FORMANDO E DAS COMISSÕES DE FORMATURA

MANUAL DO FORMANDO E DAS COMISSÕES DE FORMATURA MANUAL DO FORMANDO E DAS COMISSÕES DE FORMATURA SETOR DE FORMATURAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO Agosto de 2012 1 ÍNDICE Página 1. Regulamento das solenidades de Colação de

Leia mais

MANUAL DE SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU Profa. Dra. Fátima Ahmad Rabah Abido Diretora Silvia Regina Tedesco Rodella Diretora Acadêmica Luci Mieko Hirota Simas Assistente Técnico Administrativo I Profa.

Leia mais

RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012

RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012 RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012 Aprova o Regulamento de Colação de Grau da Faculdade Norte Paranaense. O Conselho Acadêmico Superior, em reunião ordinária realizada em 18 de maio de 2012, no uso de suas atribuições

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA

INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA Caros formandos A solenidade de outorga de grau, denominada Colação de Grau, é o ato oficial, público e obrigatório, por meio do qual o aluno, concluinte

Leia mais

4º É obrigatório o uso da beca durante a solenidade de Colação de Grau, exceto para o ato de colação de grau em gabinete.

4º É obrigatório o uso da beca durante a solenidade de Colação de Grau, exceto para o ato de colação de grau em gabinete. O Diretor Presidente do Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras (IAESB) e o Diretor Acadêmico da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB), no uso de suas respectivas atribuições estatutárias

Leia mais

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU ROD. 010, KM 32, Setor Abaitará Pimenta Bueno Ro/ institutoabaitara@seduc.ro.gov.br PORTARIA Nº: 010 /2015. SÚMULA: Aprovar Regulamento da Colação de Grau do Instituto Estadual

Leia mais

Manual de Formaturas. Faculdades Opet. Normas e procedimentos

Manual de Formaturas. Faculdades Opet. Normas e procedimentos Manual de Formaturas Faculdades Opet Normas e procedimentos 2014 0 Prof. José Antonio Karam Presidente do Grupo Educacional Opet Profª Adriana Veríssimo Karam Koleski Superintendente Educacional do Grupo

Leia mais

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 RESOLUÇÃO Nº.01/2010 Dispõe sobre Procedimentos para as Solenidades de Colação de Grau O Conselho

Leia mais

FORMATURAS Manual de procedimentos

FORMATURAS Manual de procedimentos FORMATURAS Manual de procedimentos Sumário 1. RESPONSABILIDADE DOS FORMANDOS... 3 1.1 Comissão de formatura... 3 1.2 Agendamento de data... 3 1.3 Contratação de empresa para cerimonial... 3 1.4 Convite...

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1280

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1280 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1280 Regulamenta os procedimentos para as cerimônias de Colação de Grau da Universidade Federal de Goiás e revoga a Resolução

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05

Leia mais

Manual de Formatura. Manual de Formatura NOVA Faculdade

Manual de Formatura. Manual de Formatura NOVA Faculdade Manual de Formatura Direção Diretora Executiva Renata Carla Castro Diretor Geral Pablo Bittencourt Diretor Acadêmico Ricardo Medeiros Ferreira Este manual tem a finalidade de orientar os procedimentos

Leia mais

VI COMISSÃO DE FORMATURA

VI COMISSÃO DE FORMATURA MODALIDADE DE FORMATURA INTEGRADA UNISC I FORMATURA INTEGRADA É a modalidade de formatura que integra um ou mais cursos na realização do cerimonial e protocolo da colação de grau organizada pela UNISC,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene 1 APRESENTAÇÃO A Solenidade de Colação de Grau ou Formatura é um dos momentos mais importantes para a comunidade acadêmica, pois concretiza o trabalho desenvolvido durante o período de estudos na faculdade

Leia mais

I. DA COLAÇÃO DE GRAU E COMISSÃO DE FORMATURA 1) O

I. DA COLAÇÃO DE GRAU E COMISSÃO DE FORMATURA 1) O COLAÇÃO DE GRAU O presente documento tem por objetivo orientar os acadêmicos quanto as normas e procedimentos relativos a Colação de Grau dos Cursos de Graduação do Instituto de Ensino Superior de Londrina

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMATURA DA ESCOLA SUPERIOR BATISTA DO AMAZONAS

REGULAMENTO DE FORMATURA DA ESCOLA SUPERIOR BATISTA DO AMAZONAS RESOLUÇÃO Nº 14/2005 DG/ESBAM REGULAMENTO DE FORMATURA DA ESCOLA SUPERIOR BATISTA DO AMAZONAS CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º - O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

NORMAS PARA AS CERIMÔNIAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO AUGUSTO MOTTA 2012/1

NORMAS PARA AS CERIMÔNIAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO AUGUSTO MOTTA 2012/1 NORMAS PARA AS CERIMÔNIAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO AUGUSTO MOTTA 2012/1 Abaixo, seguem as normas referentes à organização das cerimônias de colação de grau dos

Leia mais

MANUAL de FORMATURA UCPEL MANUAL DE FORMATURA

MANUAL de FORMATURA UCPEL MANUAL DE FORMATURA MANUAL DE FORMATURA INTRODUÇÃO Este manual tem por objetivo publicar normas e procedimentos para o planejamento, a organização e a execução das cerimônias de formatura da Universidade Católica de Pelotas

Leia mais

Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU]

Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU] Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU] Regulamento de Colação de Grau Documento revisado em MARÇO/2012 APRESENTAÇÃO A conclusão de um curso superior é a celebração de uma grande conquista, portanto,

Leia mais

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU OFICIAL

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU OFICIAL INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU OFICIAL -*2015. REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU OFICIAL DEFINIÇÕES DA COLAÇÃO DE GRAU A Solenidade de Colação de Grau é ato oficial

Leia mais

REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU. Art. 2º Em hipótese alguma haverá dispensa de Colação de Grau.

REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU. Art. 2º Em hipótese alguma haverá dispensa de Colação de Grau. REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU Art. 1º A Colação de Grau é ato oficial, público e obrigatório para os acadêmicos que tenham concluído integralmente um Curso de Graduação da Faculdade de Filosofia, Ciências

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG CATÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA Art.1º A colação de grau ou formatura é ato

Leia mais

FORMATURA INTRODUÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 01 MANUAL DE

FORMATURA INTRODUÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 01 MANUAL DE 01 MANUAL DE FORMATURA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS INTRODUÇÃO Este manual tem por objetivo publicar normas e procedimentos para o planejamento, a organização e a execução das cerimônias de formatura

Leia mais

Série FACTO - Manuais. 2ª Edição

Série FACTO - Manuais. 2ª Edição Série FACTO - Manuais 2ª Edição Série FACTO - Manuais 'Manual de Colação de Grau'' Católica do Tocantins Abril de 2015 2ª Edição Diretor Geral Pe. José Romualdo Degasperi Vice Diretor Acadêmico Galileu

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO COSUEN Nº 009/2014, DE 09 DE JULHO DE 2014. Aprova normas e procedimentos para emissão de histórico acadêmico, declaração de conclusão de curso, certificados e diplomas, bem como para a colação

Leia mais

MANUAL DE FORMATURAS 2007

MANUAL DE FORMATURAS 2007 MANUAL DE FORMATURAS 2007 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DEFINIÇÃO DAS DATAS... 3 3. DEFINIÇÃO DO LOCAL... 3 4. DOCUMENTAÇÃO DE CONCLUSÃO DE CURSO... 4 5. COMISSÃO DE FORMATURA... 4 6. FORMANDOS... 5 7.

Leia mais

Manual de Formatura Regulamento e Normas

Manual de Formatura Regulamento e Normas FACULDADE POLITÉCNICA DE UBERLÂNDIA Manual de Formatura Regulamento e Normas UBERLÂNDIA MG 1 Solenidade de Colação de Grau A conclusão do curso certamente é a celebração do estudante de uma grande conquista.

Leia mais

MANUAL DE FORMATURA 2013

MANUAL DE FORMATURA 2013 MANUAL DE FORMATURA 2013 Manual de Formatura da FACIG 1 MANUAL DE FORMATURA DA FACIG FACULDADE DE CIÊNCIAS GERENCIAIS DE MANHUAÇU válido para turmas que Colarão Grau a partir de dezembro de 2012 1. FORMATURA

Leia mais

Manual para Solenidades de Formatura do IFMS

Manual para Solenidades de Formatura do IFMS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Manual para Solenidades de Formatura do IFMS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Instituto

Leia mais

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS - UNITINS Do Colegiado de Curso Art. 1º. O Colegiado de Curso é a instância básica dos cursos de graduação, responsável

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 Altera o Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação (CPA) das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração das Faculdades

Leia mais

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU FACNOPAR 1 MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU Administração da Faculdade do Norte Novo de Apucarana MANTENEDOR: Umberto Bastos Sacchelli DIRETOR GERAL: Danilo Lemos Freire VICE- DIRETORA

Leia mais

MANUAL DE FORMATURA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL CLAUDINO FRANCIO FACULDADE CENTRO MATO-GROSSENSE SORRISO/MT

MANUAL DE FORMATURA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL CLAUDINO FRANCIO FACULDADE CENTRO MATO-GROSSENSE SORRISO/MT 2014 MANUAL DE FORMATURA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL CLAUDINO FRANCIO FACULDADE CENTRO MATO-GROSSENSE SORRISO/MT M A N U A L D E F O R M A T U R A 2 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OUTORGA DE GRAU... 4 2 ORIENTAÇÕES

Leia mais

Professor Rodrigo Marques de Oliveira Presidente do Conselho Acadêmico do IFMG - Campus Governador Valadares

Professor Rodrigo Marques de Oliveira Presidente do Conselho Acadêmico do IFMG - Campus Governador Valadares SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS GOVERNADOR VALADARES - CONSELHO ACADÊMICO Av. Minas Gerais, 5.189 - Bairro Ouro

Leia mais

Solenidade de Colação de Grau

Solenidade de Colação de Grau FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA FARESC CERIMONIAL UNIVERSITÁRIO Solenidade de Colação de Grau Orientações Gerais para Sessões Solenes de Colação de Grau A colação de grau é obrigatória e faz

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Av. Engenheiro Diniz, 1178 - Bairro Martins - CP 593 38400-462 - Uberlândia-MG

Universidade Federal de Uberlândia Av. Engenheiro Diniz, 1178 - Bairro Martins - CP 593 38400-462 - Uberlândia-MG RESOLUÇÃO N o 04/2004, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO, AD REFERENDUM Estabelece normas para a Colação de Grau dos alunos dos cursos de graduação da Universidade Federal de Uberlândia. O VICE-PRESIDENTE NO EXERCÍCIO

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO Art. 1º Este Regulamento Interno disciplina as normas relativas ao funcionamento da Comissão Própria

Leia mais

MANUAL DE FORMATURAS FACULDADE DE TECNOLOGIA DA SERRA GAÚCHA

MANUAL DE FORMATURAS FACULDADE DE TECNOLOGIA DA SERRA GAÚCHA MANUAL DE FORMATURAS FACULDADE DE TECNOLOGIA DA SERRA GAÚCHA A conclusão de um curso superior é a celebração de uma grande conquista, portanto a cerimônia de formatura se transforma num momento especial

Leia mais

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU O presente manual tem por objetivo orientar os acadêmicos e as empresas do segmento de formatura quanto às normas e procedimento relativos à colação de grau dos cursos de graduações

Leia mais

Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo normatizar o conjunto de atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão Curso (TCC);

Art. 1. O presente Regulamento tem por objetivo normatizar o conjunto de atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão Curso (TCC); Regulamenta o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), fixados no Projeto Pedagógico dos cursos de graduação da Faculdade Sequencial, e dá outras providências: O COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO, no uso

Leia mais

Perguntas Frequentes Colação de Grau FURB

Perguntas Frequentes Colação de Grau FURB COLAÇÃO DE GRAU 1) Quem está apto a colar grau? O acadêmico que concluir, com assiduidade e aproveitamento, todos os componentes curriculares do curso em que se encontra matriculado, inclusive as atividades

Leia mais

REGULAMENTO DO COLEGIADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET

REGULAMENTO DO COLEGIADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET REGULAMENTO DO COLEGIADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET BARBACENA 2010 CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES O presente regulamento disciplina as atribuições e o funcionamento

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º Este Regulamento estabelece as políticas da disciplina de Trabalho

Leia mais

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU O presente manual tem por objetivo orientar os acadêmicos e as empresas do segmento de formatura, quanto às normas e procedimentos relativos à colação de grau dos cursos de graduação

Leia mais

SOBRE A COLAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA OS FORMANDOS

SOBRE A COLAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA OS FORMANDOS Conteúdo SOBRE A COLAÇÃO... 1 ORIENTAÇÕES PARA OS FORMANDOS... 1 Solicitação de Colação de Grau... 1 Documentação... 1 ENADE (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes)... 2 ORIENTAÇÕES PARA AS COMISSÕES...

Leia mais

COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO FACULDADE SALESIANA

COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO FACULDADE SALESIANA RESOLUÇÃO No. 01/2010 COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO Formaliza, regulamenta e disciplina os procedimentos para a solenidade de colação de grau dos Cursos Superiores da Faculdade Salesiana. O Diretor

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL RESOLUÇÃO Nº. 073/12-COGEP de 07/12/12 Curitiba

Leia mais

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso 1 Centro Universitário de Araraquara UNIARA Departamento de Ciências da Administração e Tecnologia Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso Capítulo I Das disposições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

Norma nº 04/2001. Páginas: 09

Norma nº 04/2001. Páginas: 09 Norma nº 04/2001 Páginas: 09 Preparado por: Núcleo de Eventos Autorizado por: Portaria do Reitor nº 42/2001, de 20.12.2001 Objeto: Norma de Colação de Grau e Diplomação Abrangência: Universidade Vila Velha

Leia mais

PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC)

PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC) PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC) O Diretor Geral, no uso das atribuições que lhe confere os incisos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010.

RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010. (Credenciada pelo Decreto Presidencial de 14 de agosto de 1996, publicado no DOU em 15 de agosto de 1996). RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010. Normatiza os procedimentos para a solenidade de Outorga de Grau

Leia mais

MANUAL DE FORMATURA 2015

MANUAL DE FORMATURA 2015 MANUAL DE FORMATURA 2015 MANUAL DE FORMATURA DA FACIG válido para turmas que Colarão Grau a partir de dezembro de 2015 1. FORMATURA A Formatura ou Colação de Grau é um ato oficial que marca o fim do curso

Leia mais

GUIA DO FORMANDO. Cerimônia de Colação de Grau UNINORTE / EVENTOS 1. GUIA DO FORMANDO Cerimônia de Colação de Grau

GUIA DO FORMANDO. Cerimônia de Colação de Grau UNINORTE / EVENTOS 1. GUIA DO FORMANDO Cerimônia de Colação de Grau UninorteOficial @uniorte @uniorte_manaus UNINORTE / EVENTOS 1 2 UNINORTE / EVENTOS Prezado Formando (a), Chegou tão esperada hora na vida de um (a) acadêmico (a). Iremos passar os procedimentos mais importantes

Leia mais

Prezado(a) Acadêmico(a),

Prezado(a) Acadêmico(a), MANUAL DE FORMATURA 2 Prezado(a) Acadêmico(a), Ao cumprir a integralização curricular estabelecida para seu curso, está na hora de organizar a comemoração. Para tentar facilitar esta tarefa, a FACIMP elaborou

Leia mais

IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA

IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA ÍNDICE PALAVRA DA DIRETORA...03 APRESENTAÇÃO...03 PROVIDÊNCIAS LEGAIS...03 COMISSÃO DE FORMATURA...04

Leia mais

REGIMENTO INTERNO COMISSÃO DE RESÍDUOS EMBRAPA SEMI-ÁRIDO DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS

REGIMENTO INTERNO COMISSÃO DE RESÍDUOS EMBRAPA SEMI-ÁRIDO DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS REGIMENTO INTERNO COMISSÃO DE RESÍDUOS EMBRAPA SEMI-ÁRIDO DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS Art. 1º - A Comissão de Resíduos da EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, instituída pela Portaria n o 558 de 12 de agosto de 2003,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE TÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS CAPÍTULO I - DA COMPOSIÇÃO Art. 1º O CONSEPE é o órgão colegiado superior que supervisiona e

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ GESTOR INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE

Leia mais

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES INICIAIS DAS COMPETÊNCIAS Art. 1º O Setor de Registros Acadêmicos - SRA é o órgão que operacionaliza todas as atividades ligadas à vida

Leia mais

CERIMONIAL UNIVERSITÁRIO. Solenidade de Colação de Grau

CERIMONIAL UNIVERSITÁRIO. Solenidade de Colação de Grau CERIMONIAL UNIVERSITÁRIO Solenidade de Colação de Grau A cerimônia de colação de grau é o último ato institucional da Faculdade, quando, perante a comunidade acadêmica e representantes externos, é outorgado

Leia mais

PORTARIA N 015/2011/FEST REGULA OS ATOS SOLENES DE COLAÇÃO DE GRAU DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SANTA TEREZINHA (FEST).

PORTARIA N 015/2011/FEST REGULA OS ATOS SOLENES DE COLAÇÃO DE GRAU DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SANTA TEREZINHA (FEST). PORTARIA N 015/2011/FEST REGULA OS ATOS SOLENES DE COLAÇÃO DE GRAU DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SANTA TEREZINHA (FEST). A DIRETORA GERAL da Faculdade de Educação Santa Terezinha (FEST) no uso de suas prerrogativas,

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU 1. Da Compreensão da Solenidade de Colação de Grau A Solenidade de Colação de Grau, informalmente denominada de formatura, constitui um ato oficial e solene da Universidade destinado

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 2-CADCAM/C/UNICENTRO, DE 04 DE MAIO DE 2015. Aprova o Regulamento da Farmácia Escola do Campus Cedeteg, UNICENTRO-PR. O PRESIDENTE DO CONSELHO ADMINISTRATIVO DO CAMPUS CEDETEG, UNIDADE UNIVERSITÁRIA

Leia mais

Adendos do Curso de Zootecnia aos Regulamentos de Estágios da UFPel

Adendos do Curso de Zootecnia aos Regulamentos de Estágios da UFPel Adendos do Curso de Zootecnia aos Regulamentos de Estágios da UFPel MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ZOOTECNIA ADENDOS DO CURSO DE ZOOTECNIA AS

Leia mais