SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS"

Transcrição

1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS CURITIBA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos para as sessões solenes e públicas de colação de grau dos Cursos Superiores de Ensino de Tecnologia, de Engenharia e Bacharelados, do Campus Curitiba da UTFPR, contribuindo para o disposto no inciso X, do Art. 85, Capítulo IV, do Regimento Geral da Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR, aprovado pela Portaria nº 1.133/99 do MEC e publicado no DOU em 21/07/99. CAPÍTULO II DA COLAÇÃO DE GRAU Art. 2º. A colação de grau dos cursos de graduação far-se-á em sessão pública e solene, de forma coletiva, como cerimônia periódica e ordinária, presidida pelo Diretor do Campus, à qual têm direito de participar todos os formandos. 1º O Diretor do Campus poderá delegar a presidência da sessão ao Gerente de Ensino e Pesquisa, no impedimento deste e por ato administrativo, ao Chefe do Departamento de Ensino de Ciências e Engenharia ou Chefe do Departamento de Ensino de Tecnologia. 2º O ato de colação de grau deverá ser tornado público, pela Chefia de Gabinete da Diretoria do Campus, por ato administrativo, com convocação por meio de edital interno, com prazo mínimo de 07 (sete) dias úteis anteriores à realização do evento, sendo anexada a lista oficial de formandos, fornecida pela Divisão de Registros Acadêmicos DIRAC. 3º A solenidade de colação de grau será registrada em ata e lavrada em livro próprio pela Chefia da DIRAC, devendo ser assinada por todos os formandos, sendo condição sine qua non para receber o diploma de graduação. 4º Os formandos deverão constituir uma comissão de formatura que os representará perante a Instituição. 5º Participará da solenidade e receberá a outorga do grau apenas o aluno habilitado para esse fim, ou seja, que tenha concluído toda a grade curricular do seu curso no semestre anterior à solenidade, de acordo com parecer da DIRAC, no âmbito de suas atribuições. 6º A sessão será iniciada com qualquer número de dirigentes, autoridades componentes da mesa diretiva e formandos, havendo tolerância de, no máximo, 15 (quinze) minutos da hora publicada para seu início.

2 Art. 3º. A sessão solene coletiva será agendada mediante solicitação do representante da comissão de formatura e encaminhada à chefia da Central de Eventos, com antecedência máxima de 180 (cento e oitenta) dias e mínima de 60 (sessenta) dias da data da solenidade. 1º A solicitação deverá ser encaminhada à Diretoria do Campus por meio de ofício, nomeando os integrantes da comissão de formatura, e contendo a solicitação de data conforme agenda prévia da Central de Eventos e o número de prováveis formandos. 2º No agendamento das sessões, será observada a ordem de recebimento dos pedidos de convocação, vedada a coincidência de sessões, ainda que parcial. 3º Será de competência da Central de Eventos, proceder à conferência das informações, constantes do 1º do presente artigo, requeridas para a confecção do protocolo do cerimonial de formatura, a ser entregue à Diretoria do Campus. 4º As solenidades de formatura acontecerão no Auditório do Campus Curitiba da UTFPR, observado o número máximo de 30 (trinta) e mínimo de 10 (dez) formandos por solenidade. Art. 4º. Compete à Diretoria do Campus autorizar as sessões de colação de grau, sendo vetada a realização de solenidades separadas para turmas de turnos diferentes, ênfases ou modalidades do mesmo curso. 1º O prazo para que a Diretoria do Campus proceda à autorização e informe à Central de Eventos e à DIRAC é de 05 (cinco) dias úteis após o recebimento da solicitação a que se refere o caput do Art. 3º. 2º Além do disposto no caput deste artigo, será de competência da Diretoria do Campus convocar os dirigentes docentes, bem como reiterar o convite aos demais servidores e homenageados, que estejam envolvidos nas solenidades de outorga de grau. 3º Serão autorizadas solenidades únicas de formatura para diferentes cursos do mesmo Departamento de Ensino, obedecendo-se ao contido no 4º do Art. 3º. Art. 5º. Para cada curso haverá apenas uma sessão solene de colação de grau coletiva, por período letivo. 1º Na sessão solene de colação de grau coletiva é vetada a outorga de grau por procuração. 2º Por solicitação do próprio formando e devidamente justificada, poderá haver sessão extemporânea para formandos oriundos de diferentes cursos. Art. 6º. Para a concessão de grau de forma extemporânea, destinada ao conjunto dos cursos de graduação, a Diretoria do Campus convocará sessões ao longo do período letivo. 1º As sessões extemporâneas de colação de grau, deverão ter as datas publicadas em edital. 2º A solicitação de que trata o 2º. do Art. 5 o., deverá ser encaminhada por escrito à Central de Eventos, com antecedência mínima de 15 (quinze) dias úteis da data publicada pelo disposto no parágrafo anterior. 3º A relação de prováveis formandos será encaminhada pela Central de Eventos à DIRAC para conferência e deferimento uma vez que o aluno tenha concluído toda a grade curricular do seu curso. 4º No caso da solenidade de colação de grau ser feita conforme prevê o caput deste artigo, os discursos são dispensados e ficam suprimidas as homenagens. 5º Nas sessões extemporâneas de colação de grau será executado o Hino Nacional, sendo facultativo o uso de vestes talares pela mesa diretiva e a outorga de grau individual. DIRCT / Página 2 / 20/12/2006

3 6º Em eventual excepcionalidade, no caso da impossibilidade de participação da sessão de que trata o caput deste artigo, o formando deverá solicitar sua outorga de grau à Diretoria do Campus, via requerimento, protocolado e visado pela DIRAC, que o encaminhará, contendo a justificativa e documentação comprobatória, para análise do departamento de ensino competente. Art. 7º. Em consonância ao 3º do Art. 2º, deste Regulamento, a solenidade de colação de grau é obrigatória para a emissão e registro do diploma. Em nenhuma hipótese a outorga de grau é dispensada. Art. 8º. É vetada a realização de cerimônia de colação de grau aos domingos e feriados. CAPÍTULO III DO CERIMONIAL Art. 9º. A sessão solene de colação de grau, em seu ato obrigatório, compreenderá: a) execução do Hino Nacional; b) prestação do juramento; c) outorga do grau; d) discurso do Orador; e) discurso do Paraninfo. 1º Os dirigentes docentes que irão compor a mesa diretiva, bem como os formandos, envergarão vestes talares, nos padrões da UTFPR. 2º Observada a ordem estabelecida pelo inciso II, do Art. 10, deste Regulamento, na ausência de alguma autoridade, o Presidente determinará a composição da mesa diretiva. 3º O juramento, definido pela UTFPR, será prestado pelo formando previamente indicado pela comissão de formatura. 4º O Presidente da sessão outorgará o grau, formalmente, ao primeiro formando da lista oficial fornecida pela DIRAC, conforme alude o 2º, do Art. 2º, deste Regulamento; e, em seguida, conferirá o grau aos demais formandos, em ordem alfabética, da seguinte maneira: a) cada um dos formandos, ao ser chamado, irá se dirigir à mesa diretiva, receberá a outorga de grau, voltando a sentar-se, quando colocará a borla na cabeça; ou, b) cada formando, ao ser chamado, levantar-se-á e, sem sair de seu lugar receberá a outorga de grau e colocará a borla na cabeça, voltando a sentarse. 5º Fica vetada a projeção de vídeos, filmes, jogos de luzes, ou qualquer outro recurso de natureza cênica que prejudique a sessão solene a que se refere o caput deste artigo, sob pena de cancelamento da mesma, ficando determinado que tais dispositivos e recursos só poderão ser utilizados antes ou após o término desse ato solene. 6º O Presidente da sessão suspenderá a solenidade se constatar comportamento atentatório ao decoro acadêmico. Art. 10. O roteiro para a sessão de colação de grau, de que trata o caput do Art. 2º deste Regulamento, é de responsabilidade da UTFPR, devendo seguir a seguinte ordem: I - entrada dos formandos; II - composição da mesa diretiva, que virá assim nominada: Diretor do Campus; DIRCT / Página 3 / 20/12/2006

4 Gerente de Ensino e Pesquisa; Chefe do Departamento de Ensino de Tecnologia ou Ciências e Engenharia; Coordenador do Curso e/ou Chefe do Departamento; Paraninfo; Patrono. III - entrada dos homenageados; IV - abertura da sessão solene, proferida pelo Presidente da mesa de honra; V - execução do Hino Nacional; VI - prestação do juramento; VII - outorga de grau; VIII - discurso do Orador; IX - discurso do Paraninfo; X - homenagem prestada às autoridades descritas nos incisos do Art. 12; XI - homenagem a Deus; XII - homenagem a quem amamos; XIII - homenagem aos pais; XIV - encerramento da solenidade, proferida pelo Presidente da mesa diretiva. 1º- Os discursos e homenagens prestadas deverão observar, no máximo, o tempo de 5 (cinco) minutos de duração. 2º - Os discursos e textos de homenagens devem ser encaminhados à Central de Eventos, com antecedência mínima de 5 (cinco) dias úteis da data autorizada para a realização da formatura, como definido no Art. 4º, deste Regulamento. Art. 11. Para a colação de grau, a UTFPR poderá homenagear, com menção honrosa, o acadêmico que houver se destacado ao longo do curso, e o fará no início da segunda parte, como definido pelo Art. 10, deste Regulamento. Parágrafo Único. Caberá aos Departamentos de Ensino de Ciências e Engenharia e de Tecnologia estabelecer os critérios para a escolha do acadêmico merecedor da menção honrosa, por curso/ênfase, classificá-lo e encaminhá-lo à Central de Eventos, com prazo mínimo de 05 (cinco) dias úteis anteriores à data de formatura. Art. 12. Para a colação de grau, os formandos escolherão para as homenagens: I - um Paraninfo, por curso, que deve ser um professor; II - um Patrono, único para todos os cursos; III - um Nome de Turma, por curso; IV - 04 (quatro) servidores da Instituição (docentes e/ou técnico-administrativos) por solenidade. DIRCT / Página 4 / 20/12/2006

5 Parágrafo Único. As homenagens que porventura a turma deseje realizar, deverão ser feitas, exclusivamente, pelo(s) formando(s) designado(s) previamente pela comissão de formatura. Art. 13. O orador dos formandos será indicado previamente pela comissão de formatura. Art. 14. Compete à comissão de formatura convidar os homenageados e, após a confirmação de suas presenças, programar a confecção dos respectivos convites. 1º A confecção e o modelo do convite ficam a critério da comissão de formatura, sendo autorizada sua confecção após ser, obrigatoriamente, revisado pela Central de Eventos e seguir a estrutura mínima: a. Uma folha com homenagens administrativas: Presidente da República; Ministro da Educação; Secretário da Educação Superior SESU Secretário de Educação Média e Tecnológica - SETEC Reitor da UTFPR Vice-Reitor da UTFPR Diretor do Campus Gerente de Ensino e Pesquisa do Campus Chefe do Departamento de Ensino de Tecnologia ou Ciências e Engenharia Coordenador do Curso Chefe do Departamento Acadêmico do Curso b. Outras autoridades: Paraninfo Patrono Nome de Turma Servidores homenageados, definidos no inciso IV, do Art. 12 Nome do orador e juramentista Nome de todos os formandos. 2º Para o cumprimento da revisão a que alude o parágrafo anterior, a comissão de formatura deverá encaminhar o modelo do convite à Central de Eventos, com antecedência mínima de 30 (trinta) dias úteis, da data autorizada para a realização da formatura, como definido no Art. 4º, deste Regulamento. 3º É de responsabilidade da comissão de formatura o envio dos convites aos servidores e autoridades homenageadas, bem como obrigatório, o envio de, pelo menos, 02 (dois) convites à Central de Eventos, para que sejam repassados às autoridades administrativas. Art. 15. O protocolo cerimonial é um ato solene da UTFPR e deverá ser conduzido por um Mestre de Cerimônias próprio, ficando a cargo da chefia da Central de Eventos a sua indicação. Art. 16. Compete, ainda, à Central de Eventos: a. elaborar os protocolos das sessões solenes de colação de grau; b. supervisionar a decoração dos ambientes das cerimônias coletivas de colação de grau; c. responsabilizar-se pela guarda, conservação, zelo e transporte das vestes talares dos membros da mesa diretiva; DIRCT / Página 5 / 20/12/2006

6 d. responsabilizar-se pela colocação adequada das bandeiras, das faixas e flâmulas, e de outros detalhes pertinentes à solenidade; e. tomar providências quanto à ornamentação, vestimentas dos formandos, cores, faixas e outros detalhes pertinentes a cada solenidade; f. responsabilizar-se pela divulgação da solenidade para a mesa diretiva e professores homenageados. CAPÍTULO IV DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 17. As placas confeccionadas pelos formandos, alusivas às formaturas dos Cursos Superiores da UTFPR, deverão ser em aço escovado ou similar, sendo que as dimensões não devem ultrapassar 115cm x 65cm. 1º Está autorizada a confecção de 01 (uma) placa por Curso, no caso dos Cursos de Engenharia. 2º Está autorizada a confecção de 01 (uma) placa por Departamento de Curso, no caso dos Cursos Superiores de Tecnologia. 3º Caberá à Central de Eventos fornecer o texto padrão para impressão, bem como definir os locais onde serão fixadas as placas a que se refere o caput deste artigo. Art. 18. O descumprimento deste Regulamento estará sujeito às sanções disciplinares definidas pelo Regulamento disciplinar do corpo discente, aprovado pela Deliberação n.º 07/2003 do Conselho Diretor, em 11/04/03. Art. 19. Os casos omissos neste Regulamento serão resolvidos pelo Diretor do Campus. Art. 20. Sem prejuízo do direito assegurado a todos os formandos pelo caput do Art. 2º, o presente Regulamento entrará em vigor na data de sua homologação pelo Diretor do Campus. DIRCT / Página 6 / 20/12/2006

CAPÍTULO I DO OBJETIVO

CAPÍTULO I DO OBJETIVO REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E INTEGRADO CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º. O presente regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CEFET-BAMBUÍ CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS SUPERIORES DO CAMPUS BARBACENA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS

CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS CHEFIA DE CERIMONIAL E EVENTOS REGIMENTO PARA A SOLENIDADE DE OUTORGA DE GRAU DOS CURSOS TÉCNICOS E DE GRADUAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT

REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT REGULAMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MONTES CLAROS FACIT MANTIDA PELA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONTES CLAROS - FEMC TÍTULO I - DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMATURA DA ESCOLA SUPERIOR BATISTA DO AMAZONAS

REGULAMENTO DE FORMATURA DA ESCOLA SUPERIOR BATISTA DO AMAZONAS RESOLUÇÃO Nº 14/2005 DG/ESBAM REGULAMENTO DE FORMATURA DA ESCOLA SUPERIOR BATISTA DO AMAZONAS CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º - O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as normas e procedimentos

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO

FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO FAEC Regulamento da Colação de Grau 2007 TÍTULO I Disposições Gerais Art. 1º Colação de grau é um ato acadêmico-administrativo de reconhecimento institucional da conclusão

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014 RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 16, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014 Estabelece o Manual de Formatura dos cursos de graduação das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão das Faculdades

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE GUAIRACÁ CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINS Este regulamento serve como instrumento informativo e orientador

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Instituto de Ensino Superior de Londrina, 17 de outubro de 2006.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Instituto de Ensino Superior de Londrina, 17 de outubro de 2006. RESOLUÇÃO CAS 02 / 2006 De 17 de outubro de 2006 Aprova o Regulamento da Colação de Grau no INESUL. CONSIDERANDO o disposto no artigo 133º do Regimento do Instituto de Ensino Superior de Londrina (INESUL);

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR.

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR. REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO SALVADOR. Este regulamento pretende servir de instrumento informativo e orientador das cerimônias

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS

REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS REGULAMENTO DAS SESSÕES PÚBLICAS SOLENES OU SIMPLES DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO E TECNÓLOGOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E LETRAS FACEL Este regulamento pretende servir

Leia mais

I. DA COLAÇÃO DE GRAU E COMISSÃO DE FORMATURA 1) O

I. DA COLAÇÃO DE GRAU E COMISSÃO DE FORMATURA 1) O COLAÇÃO DE GRAU O presente documento tem por objetivo orientar os acadêmicos quanto as normas e procedimentos relativos a Colação de Grau dos Cursos de Graduação do Instituto de Ensino Superior de Londrina

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012.

RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012. Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Ibirubá RESOLUÇÃO Nº 010, de 19 de dezembro de 2012.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO RESOLUÇÃO Nº 011/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 130, de 18 de junho de 2014.

RESOLUÇÃO nº 130, de 18 de junho de 2014. RESOLUÇÃO nº 130, de 18 de junho de 2014. Estabelece normas para as Colações de Grau dos alunos que concluírem Cursos de Graduação na UNIPLAC e dá outras providências. O Reitor da Universidade do Planalto

Leia mais

NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA. CAPÍTULO I Da Solenidade

NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA. CAPÍTULO I Da Solenidade NORMAS DA COLAÇÃO DE GRAU E CERIMONIAL DE FORMATURA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFCSPA CAPÍTULO I Da Solenidade Art. 1º A colação de grau da UFCSPA é o ato oficial, de caráter obrigatório, público e solene

Leia mais

FORMATURAS Manual de procedimentos

FORMATURAS Manual de procedimentos FORMATURAS Manual de procedimentos Sumário 1. RESPONSABILIDADE DOS FORMANDOS... 3 1.1 Comissão de formatura... 3 1.2 Agendamento de data... 3 1.3 Contratação de empresa para cerimonial... 3 1.4 Convite...

Leia mais

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ. Regulamento da Colação de Grau

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ. Regulamento da Colação de Grau FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ Regulamento da Colação de Grau 2009 TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Colação de grau é um ato acadêmico-administrativo de reconhecimento institucional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA COMISSÃO SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO COSUEN Nº 009/2014, DE 09 DE JULHO DE 2014. Aprova normas e procedimentos para emissão de histórico acadêmico, declaração de conclusão de curso, certificados e diplomas, bem como para a colação

Leia mais

Do Ato. Da Competência. Art.2º - A outorga de grau compete ao Diretor Acadêmico das Faculdades Integradas de Itararé. Da Dispensa

Do Ato. Da Competência. Art.2º - A outorga de grau compete ao Diretor Acadêmico das Faculdades Integradas de Itararé. Da Dispensa Portaria 03/2008 Regulamento para a cerimônia de colação de Grau conferida aos concluintes dos cursos de graduação das Faculdades Integradas de Itararé. Do Ato Art.1º - A colação de grau nas Faculdades

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS E FINS

REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS E FINS MUNICÍPIO DE GURUPI ESTADO DO TOCANTINS FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSIÁRIO UNIRG REITORIA REGULAMENTO PARA AS COLAÇÕES DE GRAU DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UnirG CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º Este

Leia mais

- Local, data e horário da Sessão Solene da Colação de Grau;

- Local, data e horário da Sessão Solene da Colação de Grau; MANUAL DO FORMANDO A Colação de Grau é um ato oficial e obrigatório para Conclusão de Curso e obtenção de diploma realizado em Sessão Solene ou Colação Especial, em data, horário e local previamente autorizado

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Av. Engenheiro Diniz, 1178 - Bairro Martins - CP 593 38400-462 - Uberlândia-MG

Universidade Federal de Uberlândia Av. Engenheiro Diniz, 1178 - Bairro Martins - CP 593 38400-462 - Uberlândia-MG RESOLUÇÃO N o 04/2004, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO, AD REFERENDUM Estabelece normas para a Colação de Grau dos alunos dos cursos de graduação da Universidade Federal de Uberlândia. O VICE-PRESIDENTE NO EXERCÍCIO

Leia mais

PORTARIA Nº. 215/2008-DG/CEFET-RN Natal/RN, 10 de abril de 2008.

PORTARIA Nº. 215/2008-DG/CEFET-RN Natal/RN, 10 de abril de 2008. PORTARIA Nº. 215/2008-DG/CEFET-RN Natal/RN, 10 de abril de 2008. O DIRETOR-GERAL DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE, usando de suas atribuições legais e CONSIDERANDO o que

Leia mais

REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU. Art. 2º Em hipótese alguma haverá dispensa de Colação de Grau.

REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU. Art. 2º Em hipótese alguma haverá dispensa de Colação de Grau. REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU Art. 1º A Colação de Grau é ato oficial, público e obrigatório para os acadêmicos que tenham concluído integralmente um Curso de Graduação da Faculdade de Filosofia, Ciências

Leia mais

RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008.

RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008. RESOLUÇÃO DE REITORIA Nº 109/2008, DE 05 DE MAIO DE 2008. Institui Normas e Procedimentos para as Solenidades de Colação de Grau dos Cursos de Graduação e Graduação Tecnológica do Unilasalle. O Reitor

Leia mais

FACULDADE LA SALLE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU. Cursos de Graduação. Lucas do Rio Verde-MT

FACULDADE LA SALLE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU. Cursos de Graduação. Lucas do Rio Verde-MT FACULDADE LA SALLE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE COLAÇÃO DE GRAU Cursos de Graduação Lucas do Rio Verde-MT Caro Graduando! 2015 Ao cumprir a integralização curricular estabelecida para seu curso, está na hora

Leia mais

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA Coronel Fabriciano, Abril de 2010 1 SUMÁRIO TITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 TÍTULO II DA COMISSÃO PERMANENTE DE FORMATURA 3 TÍTULO III DA SOLENIDADE 5 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG

REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG REGULAMENTO DAS SESSÕES SOLENES E PÚBLICAS DAS COLAÇÕES DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CNEC GRAVATAÍ FCG CATÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA Art.1º A colação de grau ou formatura é ato

Leia mais

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA

REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA REGIMENTO DE SOLENIDADE DE FORMATURA Coronel Fabriciano, Abril de 2010 SUMÁRIO TITULO I TÍTULO II TÍTULO III DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DA COMISSÃO PERMANENTE DE FORMATURA DA SOLENIDADE 3 3 4 CAPÍTULO

Leia mais

- FACULDADES PROMOVE E INFÓRIUM - MANUAL DE INSTRUÇÕES COLAÇÃO DE GRAU

- FACULDADES PROMOVE E INFÓRIUM - MANUAL DE INSTRUÇÕES COLAÇÃO DE GRAU - FACULDADES PROMOVE E INFÓRIUM - MANUAL DE INSTRUÇÕES COLAÇÃO DE GRAU APRESENTAÇÃO A conclusão de um curso superior é a celebração de uma grande conquista na vida do acadêmico. Tem grande importância;

Leia mais

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001

FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 FACULDADE DE CAMPINA GRANDE DO SUL Credenciada pela Portaria MEC nº 381/2001, de 05/03/2001 D.O.U. 06/03/2001 RESOLUÇÃO Nº.01/2010 Dispõe sobre Procedimentos para as Solenidades de Colação de Grau O Conselho

Leia mais

ESCOLA DO DIREITO COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA

ESCOLA DO DIREITO COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA COMUNICADO AOS ALUNOS CONCLUINTES E COMISSÕES DE FORMATURA Inicia-se a contagem regressiva para o momento de importância peculiar na vida de todos vocês: a Colação de Grau no Curso de Direito da Universidade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO RESOLUÇÃO Nº 012/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

Leia mais

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES INICIAIS DAS COMPETÊNCIAS Art. 1º O Setor de Registros Acadêmicos - SRA é o órgão que operacionaliza todas as atividades ligadas à vida

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL

REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DO CONSELHO DEPARTAMENTAL RESOLUÇÃO Nº. 073/12-COGEP de 07/12/12 Curitiba

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMATURAS

REGULAMENTO DE FORMATURAS Texto Aprovado CONSU 2008-24 de 24/11/2008 Texto Revisado CONSU 2011-19 de 09/06/2011 Texto Revisado CONSU 2014-01 de 31/03/2014 REGULAMENTO DE FORMATURAS 2014 Sumário Seção I Das Disposições Gerais...

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ GABINETE DA REITORIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ GABINETE DA REITORIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ GABINETE DA REITORIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º. O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 022/2014 DE 09 DE JULHO DE 2014 Regulamenta os procedimentos de realização das solenidades de Colação de Grau da Universidade Federal da Integração Latino- Americana (UNILA). O Conselho Universitário

Leia mais

MANUAL de FORMATURA UCPEL MANUAL DE FORMATURA

MANUAL de FORMATURA UCPEL MANUAL DE FORMATURA MANUAL DE FORMATURA INTRODUÇÃO Este manual tem por objetivo publicar normas e procedimentos para o planejamento, a organização e a execução das cerimônias de formatura da Universidade Católica de Pelotas

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação:

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação: DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 041/2004 Dispõe sobre a Colação de Grau e dá outras providências. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, na conformidade do Processo nº R- 045/2004, aprovou e eu promulgo a seguinte Deliberação:

Leia mais

MANUAL DE FORMATURAS FACULDADE DE TECNOLOGIA DA SERRA GAÚCHA

MANUAL DE FORMATURAS FACULDADE DE TECNOLOGIA DA SERRA GAÚCHA MANUAL DE FORMATURAS FACULDADE DE TECNOLOGIA DA SERRA GAÚCHA A conclusão de um curso superior é a celebração de uma grande conquista, portanto a cerimônia de formatura se transforma num momento especial

Leia mais

Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU]

Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU] Faculdade SENAC [REGULAMENTO DE COLAÇÃO DE GRAU] Regulamento de Colação de Grau Documento revisado em MARÇO/2012 APRESENTAÇÃO A conclusão de um curso superior é a celebração de uma grande conquista, portanto,

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA

INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA INSTRUÇÕES PARA COLAÇÃO DE GRAU COMISSÕES DE FORMATURA Caros formandos A solenidade de outorga de grau, denominada Colação de Grau, é o ato oficial, público e obrigatório, por meio do qual o aluno, concluinte

Leia mais

AGUARDANDO APROVAÇÃO DO COUNI

AGUARDANDO APROVAÇÃO DO COUNI Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DA UTFPR RESOLUÇÃO

Leia mais

Manual de Colação de Grau

Manual de Colação de Grau Manual de Colação de Grau Sumário INTRODUÇÃO...3 1 REGULAMENTO DAS SOLENIDADES DE COLAÇÃO DE GRAU...3 2 SETOR DE FORMATURAS...3 3 ATRIBUIÇÕES DA SECRETARIA E COORDENAÇÃO ACADÊMICA...4 4 TIPOS DE SOLENIDADES

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012

RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012 RESOLUÇÃO CAS Nº 02/2012 Aprova o Regulamento de Colação de Grau da Faculdade Norte Paranaense. O Conselho Acadêmico Superior, em reunião ordinária realizada em 18 de maio de 2012, no uso de suas atribuições

Leia mais

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS - UNITINS Do Colegiado de Curso Art. 1º. O Colegiado de Curso é a instância básica dos cursos de graduação, responsável

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010.

RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010. (Credenciada pelo Decreto Presidencial de 14 de agosto de 1996, publicado no DOU em 15 de agosto de 1996). RESOLUÇÃO Nº 161/CONSUN/2010. Normatiza os procedimentos para a solenidade de Outorga de Grau

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERALDE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO legal. Art. 1º. NORMAS PARA COLAÇÕES DE GRAU Capítulo I DO ATO As cerimônias de colação de grau serão presididas pelo Reitor

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05 DE MARÇO DE 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 016/2015 DE 05

Leia mais

PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC)

PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC) PORTARIA-DG-025/2008 REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA COLAÇÃO DE GRAU NO ÂMBITO DAS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA (FARESC) O Diretor Geral, no uso das atribuições que lhe confere os incisos

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene

APRESENTAÇÃO. Colação de Grau Solene 1 APRESENTAÇÃO A Solenidade de Colação de Grau ou Formatura é um dos momentos mais importantes para a comunidade acadêmica, pois concretiza o trabalho desenvolvido durante o período de estudos na faculdade

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA Art. 1º - O Núcleo Docente Estruturante do Curso de Graduação em Odontologia, instituído pela Portaria IMMES nº 010, de 15 de

Leia mais

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU FACNOPAR 1 MANUAL DE COLAÇÃO DE GRAU Administração da Faculdade do Norte Novo de Apucarana MANTENEDOR: Umberto Bastos Sacchelli DIRETOR GERAL: Danilo Lemos Freire VICE- DIRETORA

Leia mais

CAPÍTULO II DA CARGA HORÁRIA

CAPÍTULO II DA CARGA HORÁRIA Regulamentação do Trabalho de Conclusão de Curso do Bacharelado em Ciências Econômicas com Ênfase em Controladoria CAPÍTULO I DA MONOGRAFIA 1. Este documento regulamenta, no âmbito do Bacharelado em Ciências

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES CURRICULARES COMPLEMENTARES DO CURSO DE AGRONOMIA

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES CURRICULARES COMPLEMENTARES DO CURSO DE AGRONOMIA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Diretoria de Ensino Curso de Agronomia - Câmpus Sertão

Leia mais

NORMAS PARA AS CERIMÔNIAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO AUGUSTO MOTTA 2012/1

NORMAS PARA AS CERIMÔNIAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO AUGUSTO MOTTA 2012/1 NORMAS PARA AS CERIMÔNIAS DE COLAÇÃO DE GRAU DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO AUGUSTO MOTTA 2012/1 Abaixo, seguem as normas referentes à organização das cerimônias de colação de grau dos

Leia mais

REGULAMENTO DA CENTRAL DE EVENTOS

REGULAMENTO DA CENTRAL DE EVENTOS Ministério da Educação Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná Diretoria da Unidade Curitiba REGULAMENTO DA CENTRAL DE EVENTOS CAPÍTULO I DO PROGRAMA CENTRAL DE EVENTOS, SUAS ATRIBUIÇÕES E ABRANGÊNCIA

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 03 DE 28 DE JANEIRO DE 2016

RESOLUÇÃO nº 03 DE 28 DE JANEIRO DE 2016 Resolução nº 03/2016 Pág. 1 de 06 RESOLUÇÃO nº 03 DE 28 DE JANEIRO DE 2016 Aprova Regulamento do Colegiado do Curso de Engenharia de Controle e Automação/CEng. A Presidente do Conselho do Ensino, da Pesquisa

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIPAR - CPAIUP -

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIPAR - CPAIUP - REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIPAR - CPAIUP - REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIPAR - CPAIUP - CAPÍTULO I DA FINALIDADE

Leia mais

MANUAL DO FORMANDO E DAS COMISSÕES DE FORMATURA

MANUAL DO FORMANDO E DAS COMISSÕES DE FORMATURA MANUAL DO FORMANDO E DAS COMISSÕES DE FORMATURA SETOR DE FORMATURAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO Agosto de 2012 1 ÍNDICE Página 1. Regulamento das solenidades de Colação de

Leia mais

Anexo I da Organização Didática Resolução nº 031/2010 33

Anexo I da Organização Didática Resolução nº 031/2010 33 ANEXO I ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 NORMAS ACADÊMICAS DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA,

Leia mais

Resolução CONSAD nº 01/2001 R E S O L V E

Resolução CONSAD nº 01/2001 R E S O L V E CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA CONSAD Resolução CONSAD nº 01/2001 O Presidente do Conselho Superior de Administração Universitária CONSAD e Reitor da Universidade de Cuiabá, Professor

Leia mais

Professor Rodrigo Marques de Oliveira Presidente do Conselho Acadêmico do IFMG - Campus Governador Valadares

Professor Rodrigo Marques de Oliveira Presidente do Conselho Acadêmico do IFMG - Campus Governador Valadares SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS GOVERNADOR VALADARES - CONSELHO ACADÊMICO Av. Minas Gerais, 5.189 - Bairro Ouro

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Educação Superior Norte - RS/UFSM Departamento de Enfermagem REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS TÍTULO I: DO REGIME

Leia mais

VI COMISSÃO DE FORMATURA

VI COMISSÃO DE FORMATURA MODALIDADE DE FORMATURA INTEGRADA UNISC I FORMATURA INTEGRADA É a modalidade de formatura que integra um ou mais cursos na realização do cerimonial e protocolo da colação de grau organizada pela UNISC,

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 2-CADCAM/C/UNICENTRO, DE 04 DE MAIO DE 2015. Aprova o Regulamento da Farmácia Escola do Campus Cedeteg, UNICENTRO-PR. O PRESIDENTE DO CONSELHO ADMINISTRATIVO DO CAMPUS CEDETEG, UNIDADE UNIVERSITÁRIA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 45ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de setembro de 2013, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO FACULDADE SALESIANA

COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO FACULDADE SALESIANA RESOLUÇÃO No. 01/2010 COLÉGIO SALESIANO SAGRADO CORAÇÃO Formaliza, regulamenta e disciplina os procedimentos para a solenidade de colação de grau dos Cursos Superiores da Faculdade Salesiana. O Diretor

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL DA FUNDAÇÃO SALVADOR ARENA FACULDADE DE TECNOLOGIA TERMOMECANICA

CENTRO EDUCACIONAL DA FUNDAÇÃO SALVADOR ARENA FACULDADE DE TECNOLOGIA TERMOMECANICA CENTRO EDUCACIONAL DA FUNDAÇÃO SALVADOR ARENA FACULDADE DE TECNOLOGIA TERMOMECANICA REGULAMENTO DE EXTRAORDINÁRIO APROVEITAMENTO DE ESTUDOS PARA O CORPO DISCENTE SÃO BERNARDO DO CAMPO 2010 0 REGULAMENTO

Leia mais

4º É obrigatório o uso da beca durante a solenidade de Colação de Grau, exceto para o ato de colação de grau em gabinete.

4º É obrigatório o uso da beca durante a solenidade de Colação de Grau, exceto para o ato de colação de grau em gabinete. O Diretor Presidente do Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras (IAESB) e o Diretor Acadêmico da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB), no uso de suas respectivas atribuições estatutárias

Leia mais

REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES

REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES Art. 1º O Colegiado de Curso é órgão consultivo, normativo, de planejamento acadêmico e executivo, para os assuntos de política de

Leia mais

Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo e dá outras providências.

Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo e dá outras providências. RESOLUÇÃO CoCEx nº 6667, de 19 de dezembro de 2013. (D.O.E. 21.12.13) (Protocolado 11.5.2443.1.5). Regulamenta e estabelece normas sobre os Cursos de Extensão Universitária da Universidade de São Paulo

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) DO CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAFS

REGIMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) DO CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAFS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS AMILCAR FERREIRA SOBRAL CAFS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO BR 343 KM 3,5 Bairro Meladão CEP 64.800-000 Floriano PI. Fone (89) 3522-0138 REGIMENTO DO

Leia mais

FORMATURA INTRODUÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 01 MANUAL DE

FORMATURA INTRODUÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 01 MANUAL DE 01 MANUAL DE FORMATURA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS INTRODUÇÃO Este manual tem por objetivo publicar normas e procedimentos para o planejamento, a organização e a execução das cerimônias de formatura

Leia mais

Mais do que faculdade, uma escola de empreendedores. Regulamento do Colegiado de curso da Faculdade Montes Belos

Mais do que faculdade, uma escola de empreendedores. Regulamento do Colegiado de curso da Faculdade Montes Belos Mais do que faculdade, uma escola de empreendedores Regulamento do Colegiado de curso da Faculdade Montes Belos São Luís de Montes Belos, novembro de 2011 REGULAMENTO COLEGIADO DE CURSOS REGULAMENTO INTERNO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 156/2011-CEPE, DE 4 DE AGOSTO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº 156/2011-CEPE, DE 4 DE AGOSTO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº 156/2011-CEPE, DE 4 DE AGOSTO DE 2011. Normas para revalidação de diplomas de graduação e de pós-graduação stricto sensu expedidos por instituições de ensino superior estrangeiras. O CONSELHO

Leia mais

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FACULDADE BIRIGUI (TCC FACULDADE BIRIGUI)

CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FACULDADE BIRIGUI (TCC FACULDADE BIRIGUI) CURSO DE DIREITO REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DA FACULDADE BIRIGUI (TCC FACULDADE BIRIGUI) FUNDAMENTO: O Trabalho de Conclusão de Curso é componente obrigatório da grade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 22/2005, de 30 de junho de 2005. RESOLVE:

RESOLUÇÃO Nº 22/2005, de 30 de junho de 2005. RESOLVE: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO MARANHÃO CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO Nº 22/2005, de 30 de junho de 2005. Aprova as Normas Regulamentadoras da operacionalização da Monografia

Leia mais

Manual de Formatura. Manual de Formatura NOVA Faculdade

Manual de Formatura. Manual de Formatura NOVA Faculdade Manual de Formatura Direção Diretora Executiva Renata Carla Castro Diretor Geral Pablo Bittencourt Diretor Acadêmico Ricardo Medeiros Ferreira Este manual tem a finalidade de orientar os procedimentos

Leia mais

Manual de Formaturas. Faculdades Opet. Normas e procedimentos

Manual de Formaturas. Faculdades Opet. Normas e procedimentos Manual de Formaturas Faculdades Opet Normas e procedimentos 2014 0 Prof. José Antonio Karam Presidente do Grupo Educacional Opet Profª Adriana Veríssimo Karam Koleski Superintendente Educacional do Grupo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2013 Regulamenta o processo de implementação e avaliação da flexibilização para ajuste de jornada de trabalho

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1280

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1280 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 1280 Regulamenta os procedimentos para as cerimônias de Colação de Grau da Universidade Federal de Goiás e revoga a Resolução

Leia mais

PROFIAP Regulamento do Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional

PROFIAP Regulamento do Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional 1 PROFIAP Regulamento do Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional Capítulo I Objetivos Artigo 1º - O Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Nacional (PROFIAP) tem

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO Art. 1º Este Regulamento Interno disciplina as normas relativas ao funcionamento da Comissão Própria

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 07

INSTRUÇÃO NORMATIVA 07 INSTRUÇÃO NORMATIVA 07 O Diretor Geral no uso de suas atribuições regimentais, ouvido o Conselho Acadêmico, RESOLVE: Regulamentar as Cerimônias de Colação de Grau dos Cursos de Graduação das Faculdades

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE Av. Jorge Amado, 1551 Loteamento Garcia, Bairro Jardins - CEP 49025-330

Leia mais

SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU

SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU Por meio deste documento, a Faculdade Campo Limpo Paulista FACCAMP define critérios e regulamenta as seguintes diretrizes para o Cerimonial de Colação de Grau. A Cerimônia

Leia mais

MANUAL DE SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU

MANUAL DE SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU MANUAL DE SOLENIDADE DE COLAÇÃO DE GRAU Profa. Dra. Fátima Ahmad Rabah Abido Diretora Silvia Regina Tedesco Rodella Diretora Acadêmica Luci Mieko Hirota Simas Assistente Técnico Administrativo I Profa.

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM COMISSÃO DE CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Norma para realização dos Cursos de Extensão Universitária (Especialização, Aperfeiçoamento, Atualização e Difusão) no âmbito da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo - EEUSP (Aprovada na 348ª

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES R E S O L U Ç Ã O N.º 85/2005 CONSUN APROVA O REGULAMENTO PARA A ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA NO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DO CCTP CAMPUS TOLEDO. (*) O Presidente do Conselho

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO MANUAL DOS FORMANDOS ORIENTAÇÕES, PROCEDIMENTOS E NORMAS.

COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO MANUAL DOS FORMANDOS ORIENTAÇÕES, PROCEDIMENTOS E NORMAS. COORDENAÇÃO DO MANUAL DOS FORMANDOS ORIENTAÇÕES, PROCEDIMENTOS E NORMAS.. Pires do Rio Goiás, 2012. Flávia de Oliveira Fornari Coordenadora do Curso de Direito CORPO ADMINISTRATIVO FACULDADE DO SUDESTE

Leia mais

IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA

IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA IMEC INSTITUTO MACEIÓ DE ENSINO E CULTURA MANUAL DO FORMANDO PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DE FORMATURA ÍNDICE PALAVRA DA DIRETORA...03 APRESENTAÇÃO...03 PROVIDÊNCIAS LEGAIS...03 COMISSÃO DE FORMATURA...04

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre as normas para a pós-graduação na modalidade lato sensu ofertada pela Universidade Federal do Pampa. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO - ANEXOS - ANEXO I - PROCEDIMENTOS PARA CAPACITAÇÃO INTERNA DO REQUERIMENTO Art. 1º - A capacitação interna poderá ser proposta pela Reitoria, Pró-Reitorias ou Diretorias

Leia mais

RESOLUÇÃO SETORIAL Nº27/97

RESOLUÇÃO SETORIAL Nº27/97 RESOLUÇÃO SETORIAL Nº27/97 (Na sessão do dia 07 de julho de 2000, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CEPE aprovou, por unanimidade, o parecer do Conselheiro relator do processo nº 29073/98-19,

Leia mais

Regimento do Mestrado Profissional em Matemeatica em Rede Nacional

Regimento do Mestrado Profissional em Matemeatica em Rede Nacional Regimento do Mestrado Profissional em Matemeatica em Rede Nacional Capítulo I Objetivos Artigo 1º - O Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT) tem como objetivo proporcionar formação

Leia mais