PERSPECTIVAS EM GD E SMART GRID Cenário Brasileiro. Mapeamento da Cadeia Fornecedora de TIC para Redes Elétricas Inteligentes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERSPECTIVAS EM GD E SMART GRID Cenário Brasileiro. Mapeamento da Cadeia Fornecedora de TIC para Redes Elétricas Inteligentes"

Transcrição

1 PERSPECTIVAS EM GD E SMART GRID Cenário Brasileiro Mapeamento da Cadeia Fornecedora de TIC para Redes Elétricas Inteligentes CARLOS VENICIUS FREES Especialista TIC Líder Projetos Smart Grid/Smart City Complexo Eletroeletrônico

2 Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial 2 Missão de promover a implementação da política industrial no Brasil, alinhada com a política para ciência, tecnologia, inovação e comércio exterior Ligada ao Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior (Sistema MDIC) Atua como o elo entre o setor público e privado, contribuindo para o desenvolvimento sustentável do país através de ações para melhorar a competitividade industrial. Atua na promoção, monitoramento e avaliação do Plano Brasil Maior - PBM

3 Segmentação de TIC e Eletroeletrônicos 3 Cidades Inteligentes TIC Sistemas e Equipamentos Eletrônicos Componentes estratégicos Software e Serviços de TI Vetores de expansão do mercado: 5 Aplicações Setoriais Rede Elétrica Inteligente Saúde Rastreabilidade Serviços Públicos Serviços de Utilidades Mobilidade Urbana Edificações Energia Cidades Inteligentes Negócios Saneamento Informação e Comunicação Transporte Governança Pública Cidadão Prevenção de Desastres Saúde Segurança Educação Internet das Coisas Gas Agua Telecomu nicações ELETROELETRÔNICOS 4 Linhas Branca e Marrom / Portáteis Defesa Automobilístico Segurança Educação Energias Renováveis

4 Grupo de Trabalho Governamental Promoção e desenvolvimento Industrial e tecnológico para o Smart Grid/City no Brasil. Ministry of Mines and Energy Ministry of Develpment, Industry and Foreign Trade Ministry of Science, Technology and Innovation Ministry of Communications Ministry of Planning Ministry of Defense

5 Inclusão ao Grupo de Trabalho (Cidades Inteligentes - TIC) 5 Avaliação, discussão e definição de uma política industrial para Redes Elétricas Inteligentes / Cidades Inteligentes. Analise da regulamentação, projetos, empresas e interessados, avaliando impactos para o desenvolvimento Industrial, Econômico e Social do Brasil Instituições do Governo; do Setor Elétrico; do Setor Industrial; Academia, Institutos de Ciência e Tecnologia; Institutos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação; representantes da Industria, de Empresas de Energia, dos Trabalhadores e dos Consumidores Iniciativa Privada:

6 GT Governamental para Cidades Inteligentes 6 Promover o desenvolvimento de Projetos de Cidades Inteligentes no Brasil, com foco nas temáticas: Redes Elétricas Inteligentes (no contexto de Cidades Inteligentes) serviços de utilidades (energia, água, gás e saneamento); iluminação pública; edificações inteligentes; comunicações; serviços públicos; mobilidade urbana (para pessoas e veículos); prevenção de desastres; segurança; saúde; e educação. Temáticas Correlatas: MC Cidades Digitais MCTI Cidades Sustentáveis MinCid PAC GT Governo - Smart Grid

7 Onde estamos 7 Internet of Things Machine to Machine Smart City Smart Community Smart Grid

8 IoT x M2M 8 Fonte:Beecham Research

9 Cadeia Industrial para M2M em Serviços conectados - IoT 9 Edificações Aplicações: Comercial / Institucional Escritório Educação Varejo Hospitalidade Saúde Aeroportos Estádios Industrial Processos Sala Limpa Campus Dispositivos: Aquecimento Ventilação Ar condicionado Transportes Incêndios Segurança Iluminação Acesso Energia Aplicações: Oferta / Demanda: geração, transporte e distribuição de energia, baixa tensão, Qualidade de Energia Gestão de Energia. Alternativa: Solar Eólica Co-geração Eletroquímica Petróleo / Gás: Equipamentos Torres Boca de Carga Bombas Tubulações Dispositivos: Turbinas, Eólicas, UPS, Baterias, Geradores, Medidores, Brocas Células de combustível Consumo/ Domestico Aplicações: Infraestrutura: Ligação da rede Acesso Gestão de Energia Consciência e Segurança: Segurança / Alertas Segurança contra Incêndios Segurança Ambiental Idosos Crianças Proteção de energia Conveniência/ Entretenimento: HVAC Clima Iluminação Eletrodoméstic os Entreteniment o Dispositivos: Câmeras Digitais Sistemas de Energia MID Máquinas de lavar louça E-readers Computadores Desktop, Lavadoras / secadoras, Medidores, Luzes TVs / MP3 Consoles de jogos, Iluminação Alarmes Ciências da Vida/Saúde Aplicações: Cuidados Hospital ER Mobile POC Clínica Laboratórios Consultórios Médicos Em vida / Domestico: Implantes Sistemas de Monitorament o Domestico Pesquisa: Descoberta de medicamentos Diagnósticos Laboratórios Dispositivos: Ressonância magnética, PDAs, implantes Equipamentos Cirúrgicos Bombas, Monitores, Telemedicina Industrial Transporte Comercio / Varejo Aplicações: Distribuição: Canalização Material para Manuseio Transporte Conversão / Discreta Metais Papel Borracha Plástico Metalurgia Eletrônico Montagem Teste Fluidos / Processos: Petroquímicos Hidro carbonos Alimentos / Bebidas Recursos de Automação: Mineração Irrigação agrícola Exploração de Madeiras Dispositivos: Bombas, Válvulas Cubas Transportador es Canalização Motores Unidades Conversão Fabricação Montagem / embalagem Navios / Tanques Aplicações: Não veicular via aérea Ferroviária Marinha Veículos: Consumidor Comercial Construção Fora de estradas Sistemas de Transporte: Ferramentas Gestão de Tráfego Navegação Dispositivos: Veículos Luzes Navios Aviões Sinalização Ferramentas Aplicações: Especialidade: Postos de combustível Jogos Boliche Cinemas Boates eventos especiais Hospitalidade: Hotéis Restaurante Bares Cafés Clubes Lojas: Supermercado s Shopping Centers Sites Único Centros de distribuição Dispositivos: Veículos Luzes Navios Aviões Sinalização Ferramentas Computação nas Nuvens, Big Dada, Aplicações analíticas, Aplicações de Predição, Aplicativos Moveis Seguridade / Segurança Publica Aplicações: Vigilância: Radar / satélite Meio Ambiente Segurança Militar Não tripulado Fixo Equipamento: Arma Veículos Navios, Aeronaves Engrenagens Rastreamento: Humana Animal Postal Alimentos / Saúde Embalagens Bagagem Infraestrutura Pública: Tratamento de Água Construção Ambiente Meio Ambiente Geral Vigilância) Serviços de Emergência: Equipament os e Pessoal Polícia Bombeiros Regulatório TI / Redes Dispositivos: Aplicações: Público Serviços E- commerce Data Centers Transportador es móveis transportador es fixos ISPs Empresa : TI / Data Center Escritório Redes Privadas Dispositivos: Servidores Armazenamen to PCs roteadores, Switches, PBXs Tanques, Aviões de combate Comunicações do campo de batalha Jipes, Carros, Ambulâncias Avarias, Trabalho Isolado Segurança Interna Monitor Ambiental

10 Cidades Inteligentes 10

11 Cidades Inteligentes 11 Informação e Comunicação Serviços de Utilidades Saúde Transporte Edificações Agua Serviços Públicos Energia Negócios Governança Pública Cidades Inteligentes Telecomu nicações Educação Cidadão Mobilidade Urbana Saneamento Gas Segurança Prevenção de Desastres

12 Cadeia Industrial para Cidades Inteligentes 12 * Hardware, Sensores e Dispositivos ** Software e Serviços Monitoramento Computação Móvel/Fixa Gestão Pública Gestão de Transporte e Sensores em ruas, edifícios, estacionamento, veículos, praças, estações de ônibus, trens, metros e fluviais, postes e semáforos, M2M Novos Dispositivos Inteligentes Câmeras em pontos estratégicos Design e fabricação de CHIPs Interconexão a Rede Automação Predial Comunicação WiFi Celulares, SmartPhones, Tablets Notebooks e NetBooks, Ultrabooks Concentradores, Modens, Roteadores e Comutadores Computadores e estações de trabalho Estações WiFi Gestão do Cidadão Internet convencional, Banda Larga, Internet das Coisas Equipamentos de Rede Provedores de Serviços Medição de Energia, Agua, Gás e Saneamento Integradores de Sistemas Gerenciamento de Dados de Medidores Medidores Eletrônicos Criptografia e Segurança Redes Sociais e de Negócio Aplicações ao cidadão Interconexão a Rede Dispositivos Públicos Informações Telecomunicação Servidores de grande Porte Aplicações Analíticas Aplicações de Predição Integração de Sistemas Sistemas de controle e monitoramento Interconexão a Rede Big Data e Computação na Nuvem Gestão de Negócios Aplicações para empresas Rede em Área Doméstica Novos Algoritmos Computação Ubíqua e de alto desempenho e Internet das Coisas Aplicações para governo Sistemas Distribuídos Dispositivos Públicos Rede em Área Comercial Sensores de Localização Comunicação M2M Interconexão a Rede Sistemas de Energia Mobilidade Dispositivos de transf.de dados Monitoramento e controle do Tráfego / Cidadão Aplicações veiculares Aplicações de Mobilidade Sistemas Públicos Centro captação e distribuição de Dados Sistemas de Saúde Sistemas de Utilidades Sistemas de Segurança Sistemas de Alerta e Prevenção de Desastres Sistemas de Educação Sistemas de Serviços Públicos Instituições Chaves: Governo; Agencias Governamentais; Empresas de Utilidades ( Energia, Água, Gás, Saneamento); Comissões Públicas; Financiadoras; Investidores; Grupos Industriais; Instituições de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação; Organizações para definição de Padrões; Serviços de Certificação, Qualificação e Teste.

13 Cadeia Industrial para Cidades Inteligentes 13 Monitoramento: Sensores em ruas, edifícios, estacionamento, veículos, praças, estações de ônibus, trens, metrôs e fluviais, postes e semáforos, M2M (comunicação Máquina à Máquina); Novos Dispositivos Inteligentes; Câmeras em pontos estratégicos; Design e fabricação de Chips; Interconexão a Rede; Automação Predial; Comunicação WiFi. Computação Móvel e Fixa: Celulares, Smartphones, Tablets, Notebooks e Netbooks e Ultrabooks; Concentradores, Modens, Roteadores e Comutadores; Computadores e estações de trabalho; Estações WiFi; Internet convencional, Banda Larga, Internet das Coisas; Equipamentos de Rede; Criptografia e Segurança; Interconexão a Rede; Provedores de Serviços; Redes sociais e de negócios Gestão Pública: Servidores de Grande Porte; Aplicações Analíticas; Aplicações de Predição; Integração de Sistemas; Sistemas de controle e monitoramento; Interconexão a Rede; Novos Algoritmos; Big Data e Computação na Nuvem; Computação Ubíqua e de Alto Desempenho; Internet das Coisas; Aplicações para governo; Sistemas Distribuídos.

14 Cadeia Industrial para Cidades Inteligentes 14 Gestão de Negócios: Aplicações para empresas; Dispositivos públicos. Gestão do Cidadão: Aplicações ao cidadão; Dispositivos públicos. Gestão e Medição de Energia, Água, Gás e Saneamento: Integradores de Sistemas; Comunicação M2M; Sensores de Iluminação publica Gerenciamento de Dados de Medidores; Medidores Eletrônicos; Geração de dados e Informações; Telecomunicação; Integração com os dispositivos e aplicações em: o o Rede em Área Doméstica; Rede em Área Comercial. Gestão de transporte e Mobilidade: Sistemas Públicos: Sensores de localização; Comunicação M2M; Interconexão à rede; Sistemas de energia; Dispositivos de transferência de dados; Monitoramento e controle do tráfego; Monitoramento e controle do cidadão; Aplicações veiculares (monitoramento e controle ex. SINIAV no Brasil); Aplicações de mobilidade. Centro captação e distribuição de Dados; Sistemas de Saúde; Sistemas de Utilidades; Sistemas de Segurança; Sistemas de Alerta e Prevenção de Desastres; Sistemas de Educação; Sistemas de Serviços Públicos;

15 Redes Elétricas Inteligentes 15

16 Cadeia Industrial para REI 16 Geração Transmissão e Distribuição Consumo Integração de renovais *Interconexão a Rede *Armazenamen to de Energia * Hardware e Dispositivos ** Software e Serviços Automação e Controle *Controles Digitais * Roteadores e Comutadores ** Gestão e Controle *Sincrofazores *Plataformas em Subestações Inteligentes *Equipamentos de Rede ***Dispositivos de T&D Geração Distribuída *Interconexão a Rede Resposta a Demanda **Provedores de Serviços de Contingencia Veículos Elétricos *Baterias Avançadas para Veículos *Integração *Habilitação de Hardware ***Interconexão a Rede **Instalação Gestão Domestica da Energia *Aparelhos Inteligentes *Termostatos Inteligentes *Displays Internos **Gestão Remota da Energia Gestão Comercial e Industrial da Energia Predial Automação Predial Sistemas Corporativos ** Centro de Dados **Integradores de Sistemas Infraestrutura Avançada de Medição (AMI) *Telecomunicação ** Gerenciamento de Dados de Medidores *Comunicações *Medidores Eletrônicos Rede em Área Doméstica (HAN) *** Instituições Chaves: Governo; Agencias Governamentais; Empresas de Energia; Comissões Públicas de Energia e Telecomunicação; Financiadoras; Investidores; Grupos Industriais; Instituições de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação; Organizações para definição de Padrões; Serviços de Certificação, Qualificação e Teste. Fonte: Adaptado de Center on Globalization - Governance & Competitiviness

17 Cadeia Industrial para REI Hardware e Dispositivos 17 Hardware e Dispositivos: 1. medidores eletrônicos inteligentes padronizados (com funcionalidades básicas para a: medição de energia e de demanda ativas e reativas, fator de potência, frequência, controle de perdas comerciais, comunicação bidirecional com fio ou não, corte e religamento remotos, apuração instantânea de indicadores individuais de qualidade, controle de micro geração e mini geração distribuídas, pré-pagamento, protocolo aberto, medição líquida e quatro postos tarifários); 2. microeletrônica e semicondutores aplicados a equipamentos; 3. display para uso doméstico, comercial e industrial; 4. computadores e servidores de rede (data centers); 5. sensores (de medição, de transformadores, de fios e cabos); 6. relés; 7. dispositivos de automação; 8. portas de entrada (gateways); 9. baterias; 10. inversores; 11. roteadores; 12. acumuladores termais; 13. termostatos inteligentes; 14. religadores automáticos; 15. dispositivos para concentração de dados; 16. dispositivos de comutação de dados (switch); 17. dispositivos para comunicação (power line Carrier, WIMAX, LTE, RF mesh network, celular); 18. unidades de medição fasorial; 19. capacitores e controladores; 20. dispositivos para controle de tecnologias de geração e habilitação de armazenamento; 21. transformadores avançados Inteligentes; 22. hardware para controle de acesso de Veículos Elétricos; 23. aparelhos domésticos inteligentes (geladeiras, ar condicionados, congeladores, fogões, aparelhos multimídia, eletrodomésticos, televisores,...); e 24. painéis de energia Fotovoltaicos, eólicos, entre outros.

18 Cadeia Industrial para REI Sistemas, Aplicativos e Softwares sistema de comunicação; 2. sistemas com capacidade de processamento de alto volume informacional centralizado; 3. sistema de análise de informações; 4. sistema para atuação remota; 5. sistemas para correção de não conformidades e corte e religa; 6. sistema georeferênciado de rede elétrica; 7. sistemas de ciber-segurança; 8. sistema de monitoramento para grandes áreas; 9. sistemas de transmissão de corrente alternada (AC) flexíveis; 10. sistemas de supervisão, controle e aquisição de dados; 11. software de planejamento de recursos empresariais (ERP); 12. sistemas de automação predial; 13. sistema para controle do armazenamento e distribuição remoto; 14. sistema para controle de supervisão e aquisição de dados (SCADA); 15. sistemas de proteção, controle e automação em grandes áreas; 16. sistemas de avaliação situacional para grandes áreas; 17. sistema de informação ao cliente; 18. sistemas de gestão de energia; 19. sistema de gestão da distribuição; 20. sistema de informação geográfica (GIS); 21. sistemas de análise de estabilidade de rede; 22. sistemas automáticos de recuperação; 23. sistemas de gestão da interrupção; 24. sistema de gestão da força de trabalho (WMS); 25. sistema de gerenciamento de dados do medidor; 26. sistemas de faturamento de energia; 27. sistemas de gestão de energia; 28. aplicativos para controle de energia para computadores, celulares inteligentes e tablets; e 29. software para controle de acesso de veículos elétricos.

19 19 Programa Brasileiro para Desenvolvimento da Industria Fornecedora de TIC para Redes Elétricas Inteligentes Cidades Inteligentes

20 World Investment x Brazil 20 USA: $ Canada: +/-$ Brazil UK: $290 Spain: $807 $ $ =~$6.2 Bi Demand Germany: $397 France: $265 Japan: $849 Illuminate the Brazil with Intelligent Power Grid China: $ South Corea: $824 Australy: $360 Fontes: International Energy Agency IEA - Technology Roadmap - Smart Grids Innovation Observatory - Smart Grid Technology Investment Inova. Energia CanmetEnergy

21 Brazilian Smart Grid/Smart City Jan March June October November February March June B U$ Brazilian Smart Grid Program (PBRI) Brazilian Smart Grid Industrial Supply Chain Maping UK Conference Mapping and Collaboration: UK Italy Spain France Korea USA Canada Japan Portugal Nederland Germany Key Smart Grid, Smart City, Projects & Collaborations Propose: Brazilian Program for ICT Smart Grid Industrial Development Ministry of Mines and Energy Ministry of Develpment, Industry and Foreign Trade Ministry of Science, Technology and Innovation Ministry of Communications Ministry of Planning Ministry of Defense Ministry of Science, Technology and Innovation...Other

22 Main Smart Grid Pilot Projects in Brazil 22 Cidades do Futuro (CEMIG) City of Sete Lagoas/MG Cidade Inteligente Búzios (Ampla/Endesa Brasil)- City of Búzios/RJ Smart Grid Light (Light)- City of Rio de Janeiro/RJ Parintins (Eletrobrás Amazonas Energia)- City of Parintins/AM Eletropaulo Digital (AES Eletropaulo) Programa Smart Grid - City of São Paulo/SP InovCity (EDP Bandeirante)- Cidade de Aparecida/SP Cidade Inteligente Aquiraz (Coelce/Endesa) City of Fortaleza/CE Smart Grid Paraná- Curitiba (Copel) City of Curitiba/PR Arquipélago de Fernando de Noronha (CELPE) Island of Noronha/PE Sectors Projects Total Investment (est.) Smart grid (U$ ) Solar and wind power (U$ 825,160) Hybrid and electric vehicles (U$ ) + Direct support (U$ ) Total (U$ ) 42 Utilities 178 projects R$ 411 Million 157 institutions involved 58 Business Leaders 37 Smart Grid 17 Renewable 10 Electric and hybrid vehicles R$ 7 Billion + Inova Energia (>300 institutions involved)

23 Objetivo 24 Desenvolver a indústria nacional de Tecnologias de Informação e Comunicação para Cidades Inteligentes, alavancada pelo mercado interno e com competitividade internacional.

24 Objetivos Específicos ampliar e desenvolver a cadeia produtiva nacional de semicondutores, displays, equipamentos, dispositivos e produtos eletroeletrônicos e softwares e serviços de TI para produtos de REI; 2. capturar e ampliar a participação da indústria nacional no mercado de REI, de modo a manter no país parte significativa do ganho resultante da implantação dos Bilhões de equipamentos e sistemas no Brasil; 3. garantir que seja reinvestida no país boa parte do ganho resultante do desenvolvimento de software, sistemas e equipamentos de distribuição de energia, de telecomunicações e de aparelhos inteligentes, entre outros produtos; 4. elevar a competitividade da indústria nacional em produtos com maior valor agregado. 5. transformar o Brasil em player importante no setor e principal fornecedor de soluções para América Latina e África; e 6. reduzir o déficit comercial do setor eletroeletrônico > 32 bilhões Qualificação Social, Empregos e Inclusão Digital

25 Ações de Política Industrial no âmbito de Smart Grid/City Definição de critérios de compartilhamento de Rede Elétrica e Rede de Telecomunicação Integração das ações com PNBL e Cidades Digitais Mapeamento/Articulação da cadeira produtiva Desenvolvimento do Observatório Avaliação de novos modelos de negócio Criação de linha de financiamento (Inova Energia) Regime Especial de Tributação Gestão Ampliação da oferta de capital nacional para Smart Grid/City Desenvolvimento de cursos técnico-profissionalizantes Desenvolvimento de cursos de pós-graduação Capacitação de mão-deobra no exterior Capacitação dos professores Programa de divulgação dos conceitos Patrocínio para criação de Cidades Demonstração com tecnologias inovadoras (compartilhamento de conhecimento) Conhecimento do Consumidor Realização de missões de inserção e capacitação internacional Criação de certificação para produtos brasileiros Divulgação e Capacitação Infraestrutura Outros Cidadão Internacionaliz ação P,D &I Desenvolver e fortalecer centros de P,D & I Estimular a invenção de produtos de TIC ICT Governo Sociedade Sistema S Indústria Indústria / Serviços Poder de Compra Financiamento e Tributação Associações Distribuidoras / Integradoras Novas Oportunidades Normas, Legislação e Regulação Definição de critérios de poder de compra do Estado e das concessionárias Fomento às startups Incentivos a projetos de Design de Chips Incentivos a produção e tecnologias com conteúdo nacional Desenvolvimento de integradoras nacionais de software Definição de PPB para medidores inteligentes Fortalecer empresas e soluções já existentes Adequação de legislação e Regulação Definição do modelo brasileiro para normas, padrões de interoperabilidade e certificação Criação de critérios para Cyber Segurança

26 27 Mapeamento da Cadeia Fornecedora de TIC e de seus produtos e Serviços para Redes Elétricas Inteligentes (REI)

27 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 28 Mapeamento da Cadeia Nacional de Fornecedores de TIC para REI, seus produtos e serviços; Mapeamento de fornecedores internacionais de TIC para REI, seus produtos e serviços, por estudos de caso selecionados; Identificação das normas técnicas, padrões e regulamentos aplicados aos produtos e serviços segundo as categorias funcionais; Tendências de modelos de negócios e tendências tecnológicas avaliando o 1º workshop rebatimento no Brasil e análise comparativa dos projetos, produtos e serviços nacional e internacional com análise crítica das importações Realização de Workshops 11/06/2014 para apresentação dos resultados do estudo e captura de contribuições para sua consolidação, bem como para estruturação de proposições para política industrial ; Documento propositivo de políticas voltadas para o desenvolvimento da indústria fornecedora de TIC para REI; Seminário Nacional para apresentação do documento propositivo de políticas voltadas para o desenvolvimento da indústria fornecedora de TIC para Redes Elétricas Inteligentes.

28 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 29 Objetivo: Obter informações relevantes para subsidiar a formulação de políticas públicas que garantam o desenvolvimento de uma indústria nacional fornecedora de tecnologias para REI, com capacidade de competir internacionalmente e que produza efeitos positivos sobre a Balança Comercial.

29 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 30 Mapear as empresas fornecedoras e ICTs de TIC para REI, seus produtos e serviços, a partir dos projetos apoiados pelo P&D da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e pelo inova energia e analisar suas inserções no mercado interno e externo (escala, grupo econômico, vinculação em projetos de REI de outros países, modelos de negócios, entre outros aspectos relevantes);

30 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 31 Mapear o conhecimento relativo à cadeia fornecedora de TIC para REI, nas dimensões estratégicas e técnicas, abrangendo, entre outros: (i) as oportunidades de investimento para a produção nacional; (ii) as fragilidades e ameaças que a industrial no Brasil será exposta; (iii) a identificação de empresas âncoras que possam carregar uma agenda de investimentos produtivos e de inovação; (vi) os impactos sobre a balança comercial; (v) as oportunidades de inovação em PD&I globalizado visando à entrada de novas tecnologias no mercado; (vi) a visão da cadeia global de valor e comando de ativos; (vii) a localização competitiva da indústria e dos serviços especializados necessários; e (viii) as competências dos recursos humanos.

31 Medição Inteligente Automação da Distribuição Geração Distribuída, Microgeração e Microredes Telecomunicações Tecnologias de Informação Edificios Inteligentes (Industrial, Comercial e residencial) Sistemas de Armazenamento Distribuído e Baterias Veículos Elétricos, Híbridos e Sistemas de Carga Serviços ao Consumidor Projeto Demonstração Outros Correlatos Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 32 NOME. Sitio Endereço Fone: Contato: a) Sobre: b) Produtos e Serviços: d) Mapa das Aplicações Tecnológicas: INOVA ENERGIA P&D ANEEL Classificação Empresa Grupo/ Origem Cidade Demonstração Estado c) Projeto Demonstração: d) Projetos de P&D correlatos ()Participante ()Contemplada () Sim () Não ( ) Nacional ( )Multinacional ()Líder ( ) Industrial ()Parceira ()Não ( ) Comercial ( ) Consultoria MI AD GD TELCOM TI EI ARM VEH CSM DEMO OUTRO () () () () () () () () () () ()

32 Classificação de Subsistemas de REI 33 Classificação dos subsistemas de REI para mapeamento da cadeia fornecedora.

33 Classificação de Subsistemas de REI Detalhamento para o subsistema Medição Avançada 34 MDM : Meter Data Management Gestão de Dados de Medidor. MDC: Meter Data Collector Coletor de dados do Medidor.

34 Classificação de Subsistemas de REI Detalhamento para o subsistema AD/AS 35 AD: Automação da Distribuição AS: Automação da Subestação

35 Classificação de Subsistemas de REI Detalhamento para o subsistema RED 36

36 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 37 Visão/Missão Modelo de Atuação Origem do Capital da Empresa Classificação Empresarial Produtos e Serviços Desenvolvimento e Fabricação Recursos e Insumos Mercado de Atuação P&D da Empresa Participação em Projetos de P&D ANEEL, Inova Energia, FINEP Classificação dos Produtos e Serviços Gaps/Entraves e Recomendações de Políticas Públicas

37 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 38 Engenharia/design e fabricação/montagem por produtos/software/serviços de TIC-REI DESIGN/ENGENHARIA Execução no Brasil (%) DESIGN/ENGENHARIA Principal Região no Exterior FABRICA/MONTADORA Número de Fábricas/Montadoras no Brasil FABRICA/MONTADOR A Principal Região no Exterior Número de Registro de Patentes (IP) Nacionais Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) Medidor Inteligente - Grupo A Medidor Inteligente - Grupo B Medidor Inteligente de Fronteira e Clientes Livres Medidor Net Metering Remotas de Comunicação para Medição Inteligente/ Automação Roteador/Concentrador de Medição Inteligente/Automação (wireless, wireline, óptico, etc) Réle/Controlador do Religador Sensores Inteligentes (Rede e Subestação) Inversores Grid-Tie para Micro-Geração Distribuída (0-100kW) Inversores Grid-Tie para Mini-Geração Distribuída (100kW-1MW) Dispositivos de Interconexão de Recursos Energéticos Distribuídos (RED) à Rede Dispositivos para Veículos Elétricos (controladores de carga, inversores, etc) Controlador Digital Analisador de Qualidade de Energia Baterias Inteligentes Dispositivos de PMU/PDC (sincrofasores) Software de Gestão Operacional (EMS, SCADA, OMS, DMS, etc) Software de Gestão de Energia Comercial/Predial Equipamentos de Automação Predial Equipamentos de Comunicação (Medição/ Automação Distribuição/ Subestação) Equipamentos para FACTS (Sistemas de Transmissão de AC Flexíveis) Equipamentos de Sistemas de Corrente Direta de Alta Voltagem (HVDC) Display Inteligente Termostato Inteligente Eletrodomésticos Inteligentes

38 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 39 Engenharia/design e fabricação/montagem de componentes e partes para TIC-REI DESIGN/ENGENHARIA Execução no Brasil (%) DESIGN/ENGENHARIA Principal Região de Execução no Exterior FABRICA Número Instaladas no Brasil FABRICA Principal Região no Exterior Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) Circuito Integrado (CPU) Mémoria Semicondutora Display Capacitor Outros Componentes Passivos (resistor, indutor, etc)

39 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 40 Gaps/Entraves e Recomendações de Políticas Públicas: Quais os maiores problemas da sua empresa para desenvolver e produzir produtos e soluções de TIC-REI no Brasil? Quais os maiores problemas e gargalos para exportar seus produtos/serviços de TIC-REI? Informe os principais incentivos atualmente utilizadas pela sua empresa (linhas de financiamento, redução de alíquotas, desoneração tributária, (lei do bem, lei da informática), etc)? Quais os problemas enfrentados na contratação de mão-de-obra qualificada para seu negócio de TIC-REI e quais as políticas internas de retenção? Quais as principais políticas públicas industriais a sua empresa sugere ao governo para resolver gargalos de desenvolvimento, produção e exportação dos seus produtos e serviços de TIC-REI e como implementar ações de melhoria no processo produtivo nacional?

40 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 41 Classificação dos Produtos e Serviços: 1. Infraestrutura de Medição Avançada (IMA) 2. Automação da Distribuição (AD) e Automação da Subestação (SA) 3. Recursos Energéticos Distribuídos (RED): Geração Distribuída (GD) Sistemas de Armazenamento de Energia (SES), Infraestrutura de Veículos Elétricos (IVE), Controle de Cargas Inteligentes/Resposta à Demanda (RD) 4. Rede de Acesso de Prossumidor (RAP): Residencial (RPR), Comercial & Institucional(RPC&I), Industrial (RPI) 5. Despacho de Serviço Móvel (DSM) 6. Gestão da Operação/Comercial (Software) 7. Automação da Geração e Transmissão (AG&T)

41 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 42 Infraestrutura de Medição Avançada (IMA): Origem do Produto/Serviço Grau de Nacionalização (%) Faturamento Anual da Empresa (R$) por Produto/Serviço Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) Medidor Inteligente do Grupo A Medidor Inteligente do Grupo B Medidor Inteligente de Fronteira e Clientes Livres Dispositivo de Comunicação do Medidor Roteador/Concentrador de Dados (rede) Gateway de Comunicação dos Medidores (MDC) Equipamento de Comunicação (GPRS, Mesh, PLC, Satélite, Rádio, Fibra, WiMax, etc)

42 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 43 Automação da Distribuição (AD) e Automação da Subestação (SA): Conexão do Dispositivo com a Rede Origem do Produto/Serviço Grau de Nacionalização (%) Valor de Mercado (R$) por Produto/Serviço Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) Religador de Campo/Alimentador Disjuntor Banco de Capacitor Regulador de Tensão Sensores de Tensão-Corrente Transformador de Campo Transformador de Força (subestação) Controle Volt/Var Chave Seccionadora Chave Automática Dispositivo PMU (Sincrofasor) Equipamento de Comunicação de Campo (GPRS, Mesh, PLC, Satélite, Rádio, Fibra, WiMax, 3G, LTE, etc) Equipamento de Comunicação de Subestação (roteadores, switches, conversores de mídia, etc) Dispositivos/Elementos de Subestação (IED, sensores, câmeras IR, etc)

43 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 44 Recursos Energéticos Distribuídos (RED): Origem do Produto/Serviço Grau de Nacionalização (%) Valor de Mercado (R$) por Produto/Serviço Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) Geração Distribuída (GD) Sistemas de Armazenamento de Energia (SES), Infraestrutura de Veículos Elétricos (IVE), Controle de Cargas Inteligentes/Resposta à Demanda (RD) Inversor Grid-Tie Residencial (GD) - 250W-10kW Inversor Grid-Tie Comercial (GD) - acima de 10kW (até 1MW) Inversor Grid-Tie Industrial (GD) - acima de kW (até 1MW) Inversor Inteligente para Veículo Elétrico (VE) Bateria Inteligente Caixa de Combinação DC (GD) Medidor Inteligente Net Metering Controlador Inteligente de Carga (GD, SES, IVE) Dispositivos de Comunicação (GD, SES, IVE) Controlador de RED (GD, SES, IVE) Dispositivos de Comunicação (GD, SES, IVE) Dispositivos de Controle de Cargas Inteligentes/Resposta à Demanda (RD)

44 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 45 Rede de Acesso de Prossumidor (RAP): Origem do Produto/Serviço Grau de Nacionalização (%) Valor de Mercado (R$) por Produto/Serviço Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) Gestão de Energia Residencial (HEMS) Gestão de Energia Comercial/Predial (CEMS) Gestão de Energia Industrial (IEMS) Roteador/Gateway Inteligente Display Inteligente Termostato Inteligente Dispositivo de Serviços de Energia (ESI) (interface, roteador, gateway) Aplicativos de Gestão de Energia por Smartphone, Tablets, etc Sub-Medidor Cargas Inteligentes Eletrodomésticos Inteligentes Dispositivos de Controle de Resposta à Demanda (interface, comunicação, etc) Dispositivos Comerciais Conectados (elevadores, motores, etc) Dispositvos Industrials Conectados (motores, etc) Equipamento de Comunicação de Prossumidor (Mesh, PLC, WiFi, etc) Residencial (RPR), Comercial & Institucional(RPC&I), Industrial (RPI)

45 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 46 Despacho de Serviço Móvel (DSM) Origem do Produto/Serviço Grau de Nacionalização (%) Valor de Mercado (R$) por Produto/Serviço Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) Dispositivo de Comunicação Móvel Tablet/Notebook Software de Gestão DSM instalado no Dispositivo Móvel Automação da Geração e Transmissão (AG&T) Origem do Produto/Serviço Grau de Nacionalização (%) Valor de Mercado (R$) por Produto/Serviço Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) Monitoração e Controle de Área Ampla (MCAA) PMU (dispositivo)/pdc (coletor)/sincrofasor Sensores Sistemas de Corrente Direta de Alta Voltagem (HVDC) Sistemas de Transmissão de AC Flexíveis (FACTS)

46 Mapeamento da Cadeia de fornecedores de TIC para o Smart Grid (Em Progresso) 47 Gestão da Operação/Comercial (Software) Origem do Produto/Serviço Grau de Nacionalização (%) Valor de Mercado (R$) por Produto/Serviço Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) Sistema de Gestão de Energia (EMS) SCADA Sistema de Gestão da Distribuição (DMS) Sistema de Gestão de Interrupção de Energia (OMS) Sistema de Informação Geográfica (GIS) Sistema de Despacho de Serviço Móvel (DSM) Sistema de Gestão de Ativos de Rede (GAR) Sistema de Gestão de Recursos Energéticos Distribuídos (GRED) Sistema de Gestão de Monitoração e Controle de Areas Amplas (MCAA)/Sincrofasores Sistema de Gestão de Dados dos Medidores (MDM) Aplicações (perdas comerciais, perdas técnicas, etc) Analítico de Dados (mineração, processamento, display/dashboard) Sistema de Gestão de Informação de Prossumidor (CIS) Billing

47 Sistema Complexo do SMART GRID no Brasil

48 Mapping of companies that are participating and/or stakeholders: 49 Empresas Até 2013 com Inova Energia em 2014 (Interessadas) Total Empresas de Energia Fornecedores Industriais Instituições de Ciência e Tecnologia Consultorias Especializadas Total de Empresas

49 Mapeamento Nacional Atuação das Distribuidoras (Preliminar) 50 Área de Atuação em TIC-REI A. Sistemas de medição inteligente de energia elétrica, incluindo novos modelos e testes de novas funcionalidades de medidores eletrônicos de energia elétrica. 26 B. Automação da distribuição, incluindo sistemas de supervisão das redes de distribuição de energia elétrica. 56 C. Geração distrib uída, micro-geração e micro-redes. 74 D. Sistemas de armazenamento distribuídos e baterias. 14 Total E. Veículos elétricos e híbridos plugáveis e sistemas de carregamento e supervisão associados. 11 F. Telecomunicações para Rede Inteligente. 20 G. Tecnologias da Informação para Rede Inteligente, incluindo sistemas de BackOffice. H. Prédios e residências inteligentes e interação do consumidor com a Rede Inteligente I. Novos serviços para o consumidor final sobre uma Rede Inteligente, como medição de serviços de água e gás, serviços de segurança, serviços de comunicação e serviços de eficiência energética. 11 J. Outros 19 INOVA ENERGIA. 8

50 Obs.: * preenchimento incompleto de questionário Mapeamento Nacional Atuação das Distribuidoras (Preliminar) 51 Concessionária Sub-total A B C D E F G H I J INOV CEMIG-D Não CELESC-DIS Sim ELETROPAULO Não AMPLA Não LIGHT Não COELCE Não COELBA Não ELEKTRO Não BANDEIRANTE Sim CPFL-Paulista Sim CEEE-D Sim FURNAS Não PETROBRÁS Não AES-SUL Não CHESF Não CEB-DIS Não ELETROSUL Não CEEE-GT Não CELPA Não CELPE Não EMG Não ESCELSA Sim BAESA Não CEAL Não CEMAR Não CEMIG-GT Não CGTF Não COPEL-DIS Sim MANAUS-ENERGIA Não AES TIETÊ Não CELG-D Não CERON Não CTEEP Não EATE Não Energest Não UHENPAL Não ATE Não ATE VI Não CANDEIAS ENERGIA Não CEPISA Não CERTAJA ENERGIA Sim CESP Não COPEL-GT Não COSERN Não DEMEI Sim DMEPC Não ELEJOR Não ELETROACRE Não ELETROCAR Não ENERSUL Não ESPORA Não Guascor Não IENERGIA Não Juruena Energia Não MONEL Não NTE Não Rio Amazonas Energia Não RIO VERDE ENERGIA Não SULGIPE Não TANGARÁ Não TRACTEBEL Não UTNF Não Totais

51 Estados Medição Inteligente Automação da Distribuição GD Eolica/Fotovoltaixca/Biomas sa/heliotermica/outros Telecomunicações Tecnologias de Informação Edificios Inteligentes Sistemas de Armazenamento Distribuído e baterias Veículos Elétricos, Híbridos e Sistemas de Carga Serviços ao Consumidor Projeto Piloto/ Demonstração Outros Correlatos Mapeamento Nacional Fornecedores por Estado (Preliminar) 52 Total Geral AL 1 AM 1 BA CE DF GO MG MS PB 1 PE PR RJ RN 1 RS SC SP

52 Estados Medição Inteligente Automação da Distribuição GD Eolica/Fotovoltaixca/ Biomassa/Heliotermi ca/outros Telecomunicações Tecnologias de Informação Edificios Inteligentes Sistemas de Armazenamento Distribuído e baterias Veículos Elétricos, Híbridos e Sistemas de Carga Serviços ao Consumidor Projeto Piloto/ Demonstração Outros Correlatos Mapeamento Nacional ICTs por Estado (Preliminar) 53 Total Geral AL 1 AM BA CE DF ES GO MA 1 MG MS 1 1 PA PB PE PR RJ RN 2 RS SC SE 1 SP TO 1

53 Catalogo Nacional da Industria Fornecedora para Redes Elétricas Inteligentes Opera onal Intelligence/So ware Power Systems & Automa on Distribu on Automa on/ Substa on Automa on Telecom/M2M/Comm Smart Metering/AMI-Meters Government Agencies and Ministries Universi es Power U li es No-Governamental Associa ons Research Centers, Ins tutes and Founda ons All rights reserved 2014 * under development

54 Arquitetura de Referencia Brasileira Smart Grid Physical Security Cyber Security All rights reserved 2014 Brazilian Smart Grid: Reference Architecture Corporate/IT+Control+&+Mgmt+ ERP+ Billing+ CIS+ Market+Management+ IT/Enterprise+Integra5on+BUS+ IT+Communica5on+GWAY+ REI-BR-2030 Opera5on+Control+&+Mgmt+ EMS+ DMS+ SCADA+ PDC Asset++ Management+ ++Mobile+Workforce+ Management+(MWM)+ Opera5onal+Integra5on+BUS+ +++SCADA+Communica5on+GWAY+ GIS+ OMS+ MDMS+ MDM+ Applica5ons+ Commercial+Integra5on+BUS/Metering+ MDC+ ++++Data+ Analy5cs+ ''''''Energy' Management' Service'Provider' 'Demand' 'Response' Aggregator' 'Distributed' ''''Energy'' 'Aggregator' Communica5ons+Infrastructure+ Backbone+Network+WAN+ Substa5on+Network+ SDH+ ++Radio+Link+ SDH+ +Radio+Link+ DWDM+ Satellite+ IP/MPLS+ ++WiMax+ IP/MPLS+ ++Metro+Ethernet+ Network+Management+System+(NMS)/+Element+Management+System+(EMS)+ Backhaul+Network+ GPRS+ ++Radio+Link+ Satellite+ SDH+ DWDM+ IP/MPLS+ ++Metro+Ethernet+ ++WiMax+ LTE/4G+ PLC+ 3G+ 3G+ Distribu5on+Network+ GPRS+ RF+Mesh+ PLC+ Satélite+ ++WiMax+ LTE/4G+ Backbone+and+Internet+Access+(public)+and+Intranet+(private)+ FTTB/+FTTH Prosumer+Access+Network+(PAN)+ GPRS+ RF+Mesh+ PLC+ WiFi+ LTE/4G+ Cable+Modem+!!Mobile!Workforce! Management!(MWM)!! Communica*on! Tablet/PDA,!!!!!!!!Devices! Notebook!! Residen' al*prosumer*network*(rpn)* ** *Intelligent* Grid=Tie* *****ESI* ****sensors* HEMS* thermostat* Inverter* Gateway* *** **** Intelligent* ***Intelligent* Intelligent* ****Connected** **Display* Sub=Metering* ***Loads* ****Appliances* Substa' on*automa' on*(sa)* **Recloser* Transformador* *****Breakers* Caapacitor** *****Bank* Volt/Var* *Control* ***** Sec' onalizer* ***Switches* **PMU* **EMS* *** Intelligent* **Display* Commercial*and*Ins' tu' onal*prosumer*networks* (C&IPN)* *Intelligent* thermostat* ***Intelligent* Sub=Metering* Grid=Tie* Inverter* **** Intelligent* ***Loads* *****ESI* Gateway* ****sensors* ****Connected** ****Appliances* Genera on & Transmission (G&T) *******Voltage/ Current*Sensors* Router/RTU/ Gtway*Com* **PMU* *Distributed* Genera6on* *****(DG)* Distributed*Energy*Resources*(DER)* *Electric*Vehicle* *Infrastructure******* *********(EVI)* *******Energy* Storage*System* ********(ESS)* *Load*Management,***** Demand*Response*** ***************(DR)* Industrial*Prosumer*Network*(IPN)* Intelligent* ***Intelligent* Intelligent* ****Connected** Transmission & **Display* Sub=Metering* ***Loads* ****Appliances* Distribu on Substa on Distribu on Producer/Consumer 2014 *** **EMS* Grid=Tie* Inverter* *****ESI* Gateway* **** **** sensores*

55 Arcabouço Regulatório 56

56 Regulação de TIC 57 Referência lei do bem (Lei de 21/11/2005) Descrição Institui o Regime Especial de Tributação para a Plataforma de Exportação de Serviços de Tecnologia da Informação - REPES, o Regime Especial de Aquisição de Bens de Capital para Empresas Exportadoras - RECAP e o Programa de Inclusão Digital; dispõe sobre incentivos fiscais para a inovação tecnológica lei de informática (Leis 8.248/91, A Lei da Informática (Leis 8.248/91, /01 e /04) é uma lei que concede incentivos fiscais para empresas do setor de tecnologia (setores de hardware e automação), que invistam /01 e /04 ) em Pesquisa e Desenvolvimento. Esses incentivos fiscais referem-se à redução do IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) dos produtos incentivados. O governo federal utiliza esse mecanismo para incentivar investimentos em inovação no setor de hardware e automação por parte da indústria nacional. lei de incentivo as indústrias de equipamentos para TV digital e componentes eletrônicos semicondutores PADIS/PADTV (Lei de 31 de maio de 2007); Processo Produtivo Básico - PPB para equipamentos de TIC aplicados a REI; Dispõe sobre os incentivos às indústrias de equipamentos para TV Digital e de componentes eletrônicos semicondutores e sobre a proteção à propriedade intelectual das topografias de circuitos integrados, instituindo o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores PADIS e o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Equipamentos para a TV Digital PATVD; altera a Lei no 8.666, de 21 de junho de 1993; e revoga o art. 26 da Lei no , de 21 de novembro de Consulta Pública nº 01, publicada no Diário Oficial da União em 29 de janeiro de Proposta nº 054/12: Fixação de Processo Produtivo Básico para Bens de Automação e Informática, utilizados, ou não, em Redes Elétricas Inteligentes (Smart Grid). Programa TI maior Portaria MCT nº 950,de Decreto 8234/2014 de 05/05/2014 Programa Estratégico de Software e Serviços em TI STARTUPS e CERTICS (certificação do software nacional) Caracteriza bens ou produtos com tecnologia desenvolvida no País, para efeito do disposto na Lei nº 8.248, de e no Decreto nº 5.906,de Regulamenta desoneração e beneficia M2M e Internet das Coisas. Regulamenta o art. 38 da Lei nº , de 17 de setembro de 2012.

57 Regulação Aprovada Energia Elétrica 1 58 Referência Descrição PNE Plano Nacional de Energia Prevê uma expansão média do consumo de energia elétrica em torno de 4% ao ano. Para 2030 isso é necessário o aumento, nas próximas duas décadas, dos atuais 69 mil MW de capacidade instalada para algo em torno de 225 mil MW, a ser suprido pela expansão da oferta hidráulica e termelétrica, tendo como estratégias complementares, dentre outros, o gerenciamento da demanda, a geração distribuída e a micro geração, assim como o incremento da eficiência energética. PNEf Plano Nacional de Define que o governo federal irá implantar plano de eficiência energética mais amplo, com Eficiência Energética 2030 possibilidade de que residências instalem geração distribuída e possam vender a energia excedente para a rede elétrica no longo prazo, o que irá demandar uma tarifa para essa energia vendida pelo consumidor, criando-se o prosumidor, o consumidor produtor de energia elétrica. Projeto Estratégico ANEEL Nº Realização de estudos e pesquisas para elaboração de uma proposta para um Plano 011/2010: "Programa Brasileiro de Nacional de migração tecnológica do setor elétrico brasileiro, Rede Elétrica Inteligente Audiência pública Nº 043/2010 ANEEL Objetivo é discutir características e funcionalidades mínimas que deverão conter os de 26/01/2011; medidores eletrônicos que passarão a ser instalados nas residências e estabelecimentos comerciais e industriais atendidas em baixa tensão. Portaria MME n.º 440, de 15 de abril de Criar Grupo de Trabalho com o objetivo de analisar e identificar ações necessárias para 2010 subsidiar o estabelecimento de políticas públicas para a implantação de um Programa Brasileiro de Rede Elétrica Inteligente - Smart Grid

58 Regulação Aprovada Energia Elétrica 2 59 Referência Descrição Resolução normativa Aneel nº 375, de Regulamenta a utilização das instalações de distribuição de energia elétrica como meio de 25 de agosto de 2009 transporte para a comunicação digital ou analógica de sinais. Lei geral das telecomunicações, nº Dispõem sobre a organização dos serviços de telecomunicações, a criação e funcionamento 9.472, de 16 de julho de 1997 de um órgão regulador e outros aspectos institucionais, nos termos da emenda constitucional nº 8, de Resolução conjunta Aneel, Anatel e Aprova o regulamento conjunto para compartilhamento de infraestrutura entre os setores de Anp nº 001, de 24 de novembro de 1999 energia elétrica, telecomunicações e petróleo. Resolução conjunta Aneel, Anatel e Aprova o regulamento conjunto de resolução de conflitos das agências reguladoras dos Anp n.º 002, de 27 de março de 2001 setores de energia elétrica, telecomunicações e petróleo. Resolução Aneel n.º 581 de 29/10/2002 Estabelece os requisitos mínimos aplicáveis ao cumprimento do disposto no "caput" do art. 5º do regulamento conjunto para Compartilhamento de infraestrutura entre os setores de energia elétrica, telecomunicações e petróleo, aprovado pela resolução conjunta ANEEL/ANATEL/ANP nº 001, de 24 de novembro de Resolução normativa Aneel nº 395, de Aprova os procedimentos de distribuição de energia elétrica no sistema elétrico nacional - 15 de dezembro de 2009 PRODIST, e dá outras providências.

59 Regulação Aprovada Energia Elétrica 3 60 Referência Descrição Resolução normativa Aneel nº 464, de Aprova o módulo 7 dos procedimentos de regulação tarifária PRORET, que trata da 22 de novembro de 2011 estrutura tarifária das concessionárias de distribuição. Em linhas gerais, prevê a aplicação de tarifas diferenciadas por horário de consumo, oferecendo tarifas mais baixas no período que o sistema é menos utilizado pelo consumidor de energia elétrica. Para aperfeiçoamento deste ato, foi realizada audiência pública n.º 120/2010. Resolução normativa Aneel nº 482, de Estabelece as condições gerais para o acesso de micro geração e mini geração distribuída 17 de abril de 2012 aos sistemas de distribuição de energia elétrica, o sistema de compensação de energia elétrica, e dá outras providências. Para aperfeiçoamento deste ato, foi realizada consulta pública nº 15/2010 no período de 10 de setembro a 9 de novembro de 2010 e audiência pública nº 42/2011, realizada no período de 11 de agosto a 14 de outubro de Resolução normativa Aneel nº 502, de 7 Regulamenta sistemas de medição de energia elétrica de unidades consumidoras do grupo de agosto de 2012 b. Para seu aperfeiçoamento, antes de sua publicação foi realizada a consulta pública nº 15/2009, entre 30 de janeiro e 30 de abril de 2009 e a audiência pública nº 43/2010, no período de 1º de outubro de 2010 a 26 de janeiro de Portaria MC nº 55, de 12 de março de Regulamenta os procedimentos para submissão, análise, aprovação, acompanhamento e 2013 fiscalização dos projetos apresentados ao Ministério das Comunicações referentes ao Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga para Implantação de Redes de Telecomunicações - REPNBL-Redes, de que trata a Lei nº , de 17 de setembro de 2012 e o Decreto nº 7.921, de 15 de fevereiro de 2013.

Smart City, Smart Grid e Geração Distribuída (GD) nas Cidades

Smart City, Smart Grid e Geração Distribuída (GD) nas Cidades Smart City, Smart Grid e Geração Distribuída (GD) nas Cidades Claudio Lima Curitiba, Maio 2015 Copyright 2015 AGX Energia Agenda Conceitos e Definições Smart Grid (Redes Elétricas Inteligentes- REI) Smart

Leia mais

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil IEEE Workshop SMART GRID Trends & Best Practices Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil Marco Aurélio Lenzi Castro Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Salvador,

Leia mais

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Tadeu Batista Coordenador Projeto Cidades do Futuro tbatista@cemig.com.br cidadesdofuturo@cemig.com.br www.cemig.com.br/smartgrid facebook.com/cemig.energia

Leia mais

Experiências em Redes Inteligentes Institutos Lactec e UFPR. Por Rodrigo Jardim Riella riella@lactec.org.br

Experiências em Redes Inteligentes Institutos Lactec e UFPR. Por Rodrigo Jardim Riella riella@lactec.org.br Experiências em Redes Inteligentes Institutos Lactec e UFPR Por Rodrigo Jardim Riella riella@lactec.org.br Agenda Os Institutos Lactec Projetos nas áreas de Smart Grids Piloto Programa Smart Grid Light

Leia mais

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE Agenda FINEP Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE Programas Setoriais Inova Energia A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada

Leia mais

Gestão de Ativos de Distribuição

Gestão de Ativos de Distribuição Gestão de Ativos de Distribuição Smart Grid na Cemig Denys Cláudio Cruz de Souza Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição O que é Smart Grid? Sistema elétrico inteligente, que integra

Leia mais

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação Objetivo 0 Conceitos 0 Funcionalidades 0 Desafios 0 Experiências de Implantação Smart Grid Conceitos 0 NÃO é só Medição Eletrônica e Telecom!! 0 Envolve conhecimentos sobre: 0 Tecnologia, Padrões, Normas

Leia mais

Smart Grid e Net Metering no Brasil

Smart Grid e Net Metering no Brasil Smart Grid e Net Metering no Brasil Daniel Vieira Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Cidade do México 30/01/2013 Sistema de Distribuição 63 concessionárias de distribuição

Leia mais

O Programa de Eficiência Energética Regulado pela ANEEL e a Geração Distribuída

O Programa de Eficiência Energética Regulado pela ANEEL e a Geração Distribuída Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída O Programa de Eficiência Energética Regulado pela ANEEL e a Geração Distribuída Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Superintendência de Pesquisa

Leia mais

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. CRIANDO SOLUÇÕES COMPLETAS PARA EMPRESAS E PESSOAS A Furukawa tem como foco ampliar os relacionamentos,

Leia mais

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral Bruno Erik Cabral Smart Grid Agenda Introdução Definição Características Confiabilidade Flexibilidade Eficiência Sustentabilidade Medidores Inteligentes Controle avançado Cenário Internacional Cenária

Leia mais

Smart Energy Energias Inteligentes A Visão da Indústria, Instituições de P&D e Especialistas Álvaro Dias Júnior

Smart Energy Energias Inteligentes A Visão da Indústria, Instituições de P&D e Especialistas Álvaro Dias Júnior Smart Energy Energias Inteligentes Álvaro Dias Júnior 8 de maio de 2014, Curitiba Cenário Econômico Brasileiro A importância do Brasil tanto na área econômica quanto política, tem aumentado nos últimos

Leia mais

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina A 1ª Cidade Inteligente da América Latina Imagine... gerar somente a energia que precisamos em nossas casas através de fontes renováveis... saber o consumo de energia de cada aparelho elétrico conectado

Leia mais

Geração Distribuída e Smart Grid Cenários Nacional/Internacional

Geração Distribuída e Smart Grid Cenários Nacional/Internacional Geração Distribuída e Smart Grid Cenários Nacional/Internacional Curitiba 7 Maio 2014 Claudio Lima Copyright 2014 C Lima Evolução e Enquadramento de Conceitos Multi-Agentes Descentralizados, Inteligência

Leia mais

Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação

Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação Lei de Informática - Incentivos Fiscais para Investimentos em Tecnologia e Inovação Prof. Dr. Elvis Fusco 2014 Prefeitura Municipal de Garça Apresentação Prof. Dr. Elvis Fusco Centro Universitário Eurípides

Leia mais

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 AES ELETROPAULO Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São

Leia mais

ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES

ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES FONTES DE ENERGIA Hídrica Eólica Biomassa Solar POTENCIAL HÍDRICO Fonte: Eletrobras, 2011. APROVEITAMENTO DO POTENCIAL HIDRELÉTRICO

Leia mais

Redes Elétricas Inteligentes no Brasil

Redes Elétricas Inteligentes no Brasil Redes Elétricas Inteligentes no Brasil Estratégia do Brasil para acelerar a implantação nas cidades Estratégias de Governo para desenvolver a Smart Grid no Brasil. 2 Plano de Desenvolvimento Industrial

Leia mais

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010 Redes Inteligentes Como passo inicial do Conceito Smart Grid Belo Horizonte - 11/08/2010 A Rede Elétrica ONS Mercado De Energia NOSSO FOCO Geração Geração renovável Armazenamento Rede de Distribuição Negócio

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI:

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria de Política de Informática - SEPIN outubro/2010 Agenda

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL GE Distributed Power Jose Renato Bruzadin Sales Manager Brazil T +55 11 2504-8829 M+55 11 99196-4809 Jose.bruzadini@ge.com São Paulo, 11 de Julho de 2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: GE Distributed Power AGÊNCIA

Leia mais

Energia Solar Regulação & Oportunidades de Negócios

Energia Solar Regulação & Oportunidades de Negócios Energia Solar Regulação & Oportunidades de Negócios SOL Maior fonte de energia da Terra... um novo e sustentável ciclo de produção descentralizada de energia 16/07/2015 COGEN Associação da Indústria de

Leia mais

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA Estado da arte Aplicações atuais Perspectivas Landulfo Mosqueira Alvarenga Consultor Técnico Diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação CEPEL 1 Seminário Internacional

Leia mais

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento A solução para relacionamento de Smart Grid com os consumidores Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento asmart Grid + Relacionamento ferramenta

Leia mais

Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes. Djalma M. Falcão

Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes. Djalma M. Falcão Smart Grid Trends & Best Practices 17 e 18 de Outubro de 2013 Salvador-BA Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes Djalma M. Falcão Redes Elétricas Inteligentes

Leia mais

VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio. Claudio T Correa Leite

VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio. Claudio T Correa Leite VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio 27nov2013 Claudio T Correa Leite CPqD na Dinâmica de Transformação do Setor Elétrico A Dinâmica dos Mercados

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

INOVA ENERGIA. Plano Conjunto de Apoio à Inovação Propostas para atuação ANEEL BNDES FINEP

INOVA ENERGIA. Plano Conjunto de Apoio à Inovação Propostas para atuação ANEEL BNDES FINEP INOVA ENERGIA Plano Conjunto de Apoio à Inovação Propostas para atuação ANEEL BNDES FINEP Elementos de Articulação INOVA ENERGIA: Elementos da Proposta Fontes de Recursos Linhas Temáticas Subvenção, Crédito

Leia mais

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. CRIANDO SOLUÇÕES COMPLETAS PARA EMPRESAS E PESSOAS DATA CENTER SOLUÇÃO ITMAX ENTERPRISE REDES

Leia mais

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA Fundamentos e Aplicações Parte 2

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA Fundamentos e Aplicações Parte 2 ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA Fundamentos e Aplicações Parte 2 Prof. Dr. Trajano Viana trajanoviana@gmail.com CEFET/RJ Março - 2014 5 - SISTEMAS FOTOVOLTAICOS Conjunto de elementos necessários para realizar

Leia mais

Geração Distribuída Baseada em Normas e Padrões Técnicos

Geração Distribuída Baseada em Normas e Padrões Técnicos Geração Distribuída: Contexto Nacional e Internacional! da Normatização! ANEEL- Brasília 10 Abril, 2014 Geração Distribuída Baseada em Normas e Padrões Técnicos Standard- Based Distributed Genera1on Claudio

Leia mais

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 Programa Smart Grid da AES Eletropaulo - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 1 Agenda Institucional Projeto Smart Grid Eletropaulo Digital Motivadores Objetivos

Leia mais

Palavras-chave: Smart Grid. Eficiência energética. Projetos pilotos. Eletricidade.

Palavras-chave: Smart Grid. Eficiência energética. Projetos pilotos. Eletricidade. IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETOS SMART GRID NO BRASIL Marcos Vinicius Nunes Arruda Aluno do IFMT, Campus Cuiabá, voluntário Ruy de Oliveira Prof. Doutor. do IFMT, Campus Cuiabá, orientador Resumo As redes de

Leia mais

2011/2014. Medidas. Agendas Estratégicas Setoriais. medidas em destaque. Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior

2011/2014. Medidas. Agendas Estratégicas Setoriais. medidas em destaque. Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Medidas Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Plano Competitividade Brasil Exportadora Maior Financiamento à Exportação 2011/2014 Defesa Comercial Defesa da Indústria e do Mercado Interno

Leia mais

Potencialidades da Cogeração nos Segmentos Industrial e Comercial. Leonardo Caio Filho COGEN leonardo@cogen.com.br (11) 3815-4887

Potencialidades da Cogeração nos Segmentos Industrial e Comercial. Leonardo Caio Filho COGEN leonardo@cogen.com.br (11) 3815-4887 Potencialidades da Cogeração nos Segmentos Industrial e Comercial Leonardo Caio Filho COGEN leonardo@cogen.com.br (11) 3815-4887 COGEN Associação da Indústria de Cogeração de Energia A COGEN Associação

Leia mais

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Contexto As pressões do mercado por excelência em qualidade e baixo custo obrigam as empresas a adotarem sistemas de produção automatizados

Leia mais

Painel: Implicações técnicas da regulação do fornecimento de energia elétrica para edificações residenciais e comerciais.

Painel: Implicações técnicas da regulação do fornecimento de energia elétrica para edificações residenciais e comerciais. Painel: Implicações técnicas da regulação do fornecimento de energia elétrica para edificações residenciais e comerciais. Daniel José Justi Bego Especialista em Regulação Superintendência de Regulação

Leia mais

REPNBL: implantação e modernização da Infraestrutura de telecomunicações no Brasil

REPNBL: implantação e modernização da Infraestrutura de telecomunicações no Brasil Ministério das Comunicações REPNBL: implantação e modernização da Infraestrutura de telecomunicações no Brasil SMART GRID FÓRUM/2013 São Paulo SP 28/11/2013 Ministério das Comunicações Objetivos do PNBL

Leia mais

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Projetos InovCityEDP Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Agenda Soluções Smart Grid implantadas na EDP Projeto InovCity Aparecida Projeto InovCity ES Desafios para o Setor Elétrico Barreiras à serem vencidas

Leia mais

Seminário sobre Inovação e Tecnologia APIMEC INOVA EMPRESA. Helena Tenório Veiga de Almeida. Chefe do Departamento de Inovação

Seminário sobre Inovação e Tecnologia APIMEC INOVA EMPRESA. Helena Tenório Veiga de Almeida. Chefe do Departamento de Inovação Seminário sobre Inovação e Tecnologia APIMEC INOVA EMPRESA Helena Tenório Veiga de Almeida Chefe do Departamento de Inovação Plano Inova Empresa Inovação e desenvolvimento econômico Investimento em inovação

Leia mais

Soluções urbanas inovadoras e financiamento de Smart Cities. São Paulo, 23 setembro 2014

Soluções urbanas inovadoras e financiamento de Smart Cities. São Paulo, 23 setembro 2014 Soluções urbanas inovadoras e financiamento de Smart Cities São Paulo, 23 setembro 2014 1 Índice 1. Fatores habilitantes da Cidade Inteligente 2. Modelos de financiamento da Cidade Inteligente 2 1. Fatores

Leia mais

Desafios para a Indústria Eletroeletrônica

Desafios para a Indústria Eletroeletrônica Desafios para a Indústria Eletroeletrônica 95 O texto aponta as características das áreas da indústria eletroeletrônica no país e os desafios que este setor tem enfrentado ao longo das últimas décadas.

Leia mais

WORKSHOP FIESP - Energia/Smart Grids. Welson R. Jacometti CAS Tecnologia S/A

WORKSHOP FIESP - Energia/Smart Grids. Welson R. Jacometti CAS Tecnologia S/A WORKSHOP FIESP - Energia/Smart Grids Welson R. Jacometti CAS Tecnologia S/A V4.3-27022015 A CAS presente no seu dia a dia e da sua empresa A CAS Tecnologia é uma empresa que aplica tecnologia, engenharia

Leia mais

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira:

Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Plano Inova Empresa Inovação e desenvolvimento econômico Investimento em inovação para elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira: Ampliação do patamar de investimentos Maior apoio

Leia mais

- Projeto & Concepção - Solicitação de Acesso - Venda de Equipamentos - Instalação - Conexão com Distribuidora. Campinas

- Projeto & Concepção - Solicitação de Acesso - Venda de Equipamentos - Instalação - Conexão com Distribuidora. Campinas A Blue Sol Energia Solar visa disseminar a tecnologia fotovoltaica e o conhecimento sobre os temas no Brasil promovendo, portanto, uma fonte limpa, renovável e inesgotável de energia, alinhada com a crescente

Leia mais

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 EQPS Belo Horizonte Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria

Leia mais

A Visão das Indústrias do Setor Eletroeletrônico de Base Tecnológica no Brasil

A Visão das Indústrias do Setor Eletroeletrônico de Base Tecnológica no Brasil A Visão das Indústrias do Setor Eletroeletrônico de Base Tecnológica no Brasil Por que Tecnologia Nacional? Ficou demonstrado no estudo do BNDES: a agregação de valor das empresas com TN é superior à das

Leia mais

ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA 01: ANÁLISE DA MEDIÇÃO INTELIGENTE DE ENERGIA VIA PLC

ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA 01: ANÁLISE DA MEDIÇÃO INTELIGENTE DE ENERGIA VIA PLC PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, AMBIENTAIS E DE TECNOLOGIAS CEATEC PUC-CAMPINAS ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA

Leia mais

O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP

O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios Prof. José Carlos Vaz EACH-USP 1 1. A importância da democratização do acesso à TI A desigualdade no acesso à tecnologia é um fator adicional

Leia mais

Bioeletricidade >> Energia Positiva para o Desenvolvimento Sustentável. Tecnologia => disponível com eficiência crescente

Bioeletricidade >> Energia Positiva para o Desenvolvimento Sustentável. Tecnologia => disponível com eficiência crescente Cana de Açúcar => oferta crescente matéria prima energética Bagaço + Palha => disponibilidade existente e assegurada Bioeletricidade >> Energia Positiva para o Desenvolvimento Sustentável Tecnologia =>

Leia mais

POLOS DE INOVAÇÃO Institutos Federais Brasília, junho de 2013

POLOS DE INOVAÇÃO Institutos Federais Brasília, junho de 2013 Ministério da Educação POLOS DE INOVAÇÃO Institutos Federais Brasília, junho de 2013 ATIVIDADE ECONÔMICA (organizações empresariais e comunitárias) IMPACTOS: PD&I Aumento da competitividade industrial

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Departamento de Tecnologias da Informação e Serviços DTIS Área de

Leia mais

Fazer mais utilizando cada vez menos do nosso planeta. Schneider Electric Buildings/Eco Business fev/14

Fazer mais utilizando cada vez menos do nosso planeta. Schneider Electric Buildings/Eco Business fev/14 Fazer mais utilizando cada vez menos do nosso planeta 1 Schneider Brasil 2 Schneider Electric Brasil em números Líder global na gestão de energia 66 anos de presença local Mais de 5000 colaboradores 13

Leia mais

Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC

Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC Rogério Botteon Romano Pesquisador Maio/2007 www.cpqd.com.br PLC no CPqD Projeto P&D ANEEL - ciclo 2001/2002 - CPFL - ELETROPAULO - BANDEIRANTE - ELEKTRO (São

Leia mais

GERAÇÃO DISTRIBUÍDA E COGERAÇÃO COM GÁS NATURAL: BARREIRAS TECNOLÓGICAS E INSTITUCIONAIS

GERAÇÃO DISTRIBUÍDA E COGERAÇÃO COM GÁS NATURAL: BARREIRAS TECNOLÓGICAS E INSTITUCIONAIS GERAÇÃO DISTRIBUÍDA E COGERAÇÃO COM GÁS NATURAL: BARREIRAS TECNOLÓGICAS E INSTITUCIONAIS AGENDA O Projeto P124 Geração Distribuída (GD) Estudo de caso: Porto de Santos AGENDA O Projeto P124 Geração Distribuída

Leia mais

Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil

Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil 19 a 21 de outubre de 2009 Hotel Transamérica São Paulo BRASIL PADRÕES PARA PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO. Agenda Histórico Objetivos Aplicações Nova proposta

Leia mais

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída. Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída. Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN Brasília, 28 de maio de 2015 Quarto Painel Experiências de Sucesso e Perspectivas: a Percepção da Academia Experiências

Leia mais

Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás

Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás Tendências do Setor Energético Mundial Aumento da demanda global Elevação no preço da energia Pressão para o uso de fontes renováveis Aumento da complexidade

Leia mais

Ferramentas de apoio à geração distribuída

Ferramentas de apoio à geração distribuída Ferramentas de apoio à geração distribuída Paula Scheidt Manoel Seminário Micro e Minigeração Distribuída ANEEL 09 de abril de 2014 Sobre o Ideal Criado em fevereiro de 2007, com sede em Florianópolis

Leia mais

Aspectos da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Redes Elétricas Inteligentes no Brasil

Aspectos da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Redes Elétricas Inteligentes no Brasil Aspectos da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Redes Elétricas Inteligentes no Brasil Dante Hollanda Tecnologista em Ciência e Tecnologia Curitiba, 08 de maio de 2014 1 Estrutura do MCTI 2 Secretaria

Leia mais

Ações ABESCO e ANEEL para Fortalecimento do Mercado de Eficiência Energética. Reive Barros dos Santos Diretor

Ações ABESCO e ANEEL para Fortalecimento do Mercado de Eficiência Energética. Reive Barros dos Santos Diretor Ações ABESCO e ANEEL para Fortalecimento do Mercado de Eficiência Energética Reive Barros dos Santos Diretor São Paulo - SP 26 de agosto de 2015 Missão Proporcionar condições favoráveis para que o mercado

Leia mais

Política de Software e Serviços: Ações MCT 2007-2010

Política de Software e Serviços: Ações MCT 2007-2010 Política de Software e Serviços: Ações MCT 2007-2010 Encontro da Qualidade e Produtividade em Software - EQPS Manaus, novembro/2007 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da

Leia mais

A Telefonica Vivo no mercado de M2M. Gerente Sr. Marketing e Desenvolvimento de Negócios 06.05.2014

A Telefonica Vivo no mercado de M2M. Gerente Sr. Marketing e Desenvolvimento de Negócios 06.05.2014 A Telefonica Vivo no mercado de M2M Gerente Sr. Marketing e Desenvolvimento de Negócios 06.05.2014 Índice 1. M2M & a junção das indústrias conectadas_ 2. Posicionamento da Telefonica Vivo_ 3. Principais

Leia mais

Avaliação dos resultados da Resolução Normativa nº 482/2012 na visão do Regulador

Avaliação dos resultados da Resolução Normativa nº 482/2012 na visão do Regulador Avaliação dos resultados da Resolução Normativa nº 482/2012 na visão do Regulador Marco Aurélio Lenzi Castro Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Florianópolis SC 13/05/2014

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

A Regulação para o Estabelecimento do Mercado de Energia Fotovoltaica no Brasil - O Papel da ANEEL -

A Regulação para o Estabelecimento do Mercado de Energia Fotovoltaica no Brasil - O Papel da ANEEL - Inova FV Workshop Inovação para o Estabelecimento do Setor de Energia Solar Fotovoltaica no Brasil A Regulação para o Estabelecimento do Mercado de Energia Fotovoltaica no Brasil - O Papel da ANEEL - Armando

Leia mais

Gestão da Inovação - CEMIG. Arlindo Porto Neto Diretor Vice-Presidente (DVP) Data:03/06/2011

Gestão da Inovação - CEMIG. Arlindo Porto Neto Diretor Vice-Presidente (DVP) Data:03/06/2011 Gestão da Inovação - CEMIG Arlindo Porto Neto Diretor Vice-Presidente (DVP) Data:03/06/2011 Sustentabilidade Mineirão Solar Cemig classificada no Índice Dow Jones de Sustentabilidade DJSI World nos últimos

Leia mais

Pesquisa e Desenvolvimento que geram avanços

Pesquisa e Desenvolvimento que geram avanços P&D O compromisso das empresas com o desenvolvimento sustentável por meio da energia limpa e renovável será demonstrado nesta seção do relatório. Nela são disponibilizados dados sobre a Pesquisa, Desenvolvimento

Leia mais

Agenda Regulatória ANEEL 2014/2015 - Destaques

Agenda Regulatória ANEEL 2014/2015 - Destaques Agenda Regulatória ANEEL 2014/2015 - Destaques Carlos Alberto Mattar Superintendente - SRD 13 de março de 2014 Rio de Janeiro - RJ Sumário I. Balanço 2013 II. Pautas para GTDC - 2014 III. Principais audiências

Leia mais

Área de concessão. 24 municípios incluindo a Capital. Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país. 6,7 milhões de unidades consumidoras

Área de concessão. 24 municípios incluindo a Capital. Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país. 6,7 milhões de unidades consumidoras Redes Inteligentes Área de concessão 24 municípios incluindo a Capital Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país 6,7 milhões de unidades consumidoras 8% da população do Brasil (aprox.

Leia mais

7º Fórum Latino Americano de Smart Grid - 10/09/2014 Newton Duarte newton.duarte@cogen.com.br

7º Fórum Latino Americano de Smart Grid - 10/09/2014 Newton Duarte newton.duarte@cogen.com.br 7º Fórum Latino Americano de Smart Grid - 10/09/2014 Newton Duarte newton.duarte@cogen.com.br... um novo e Sustentável ciclo de Produção Descentralizada de Energia Elétrica Blackout New York 14, August

Leia mais

Investimentos brasileiros para melhoria da qualidade da banda larga e para a proteção de dados no País

Investimentos brasileiros para melhoria da qualidade da banda larga e para a proteção de dados no País Ministério das Comunicações Investimentos brasileiros para melhoria da qualidade da banda larga e para a proteção de dados no País Artur Coimbra Diretor do Departamento de Banda Larga Ministério das Comunicações

Leia mais

Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida

Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida Secretário de Infraestrutura Energia Renovável em Pernambuco Desenvolvimento Técnico,

Leia mais

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Políticas de Inovação para o Crescimento Inclusivo: Tendências, Políticas e Avaliação PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria Rio

Leia mais

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

A Importância da Geração Distribuída para a Segurança Energética Brasileira

A Importância da Geração Distribuída para a Segurança Energética Brasileira A Importância da Geração Distribuída para a Segurança Energética Brasileira 07/04/2015... um novo e sustentável ciclo de produção descentralizada de energia Blackout New York 14, August 2003 COGEN Associação

Leia mais

Projeto Smart Grid. Visão Geral

Projeto Smart Grid. Visão Geral Projeto Smart Grid Visão Geral Contextualização Sobre o Smart Grid Smart Grid Light Estratégia da Light para os próximos anos 2 3-8 usinas - 98 SE - 111 SE - 7.500 2500 circuitos 19.685 km 1045 Dispositivos

Leia mais

Energias Alternativas e as atividades do Ideal. Mauro Passos Sustentabilidade Palmas Solar

Energias Alternativas e as atividades do Ideal. Mauro Passos Sustentabilidade Palmas Solar Energias Alternativas e as atividades do Ideal Mauro Passos Sustentabilidade Palmas Solar Contexto Internacional Crescimento de investimento em renovável no mundo (Frankfurt School- UNEP Centre/BNEF) 17%

Leia mais

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA OBJETIVOS Desenvolvimento de metodologia e sistema de automação do monitoramento de riscos e controles organizacionais para: Minimização dos riscos regulatórios

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação

Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional Brasília, 18 de Setembro

Leia mais

Monitoramento da Qualidade do Serviço no Brasil Visão do Órgão Regulador

Monitoramento da Qualidade do Serviço no Brasil Visão do Órgão Regulador Monitoramento da Qualidade do Serviço no Brasil Visão do Órgão Regulador 4º Congreso Internacional de Supervisión del Servicio Eléctrico Romeu Donizete Rufino Diretor-Geral da ANEEL 27 de novembro de 2014

Leia mais

Geração Distribuída Solar Fotovoltaica

Geração Distribuída Solar Fotovoltaica Geração Distribuída Solar Fotovoltaica Dr. Rodrigo Lopes Sauaia Diretor Executivo 8º Smart Grid Fórum São Paulo (SP) 17/11/2015 Energia Solar Fotovoltaica 2 Focos Principais Representar e promover o setor

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Projeto InovCity Status de execução e principais aprendizados para o desenvolvimento futuro das smart grids no Brasil

Projeto InovCity Status de execução e principais aprendizados para o desenvolvimento futuro das smart grids no Brasil Projeto InovCity Status de execução e principais aprendizados para o desenvolvimento futuro das smart grids no Brasil São Paulo, 27 de Novembro de 2013 Agenda Grupo EDP Apresentação do projeto Status de

Leia mais

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil.

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil. AES ELETROPAULO 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São Paulo Estado 2 PROJETO AES ELETROPAULO

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás Dezembro 2013 Tópicos Cenário P&G Rede de Núcleos de P&G - CNI e Federações Desenvolvimento de APLs

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010 CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO: CIAPORTE SOLUÇÕES E SOFTWARE LTDA ME AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Resolução /Normativa, 2010

Leia mais

A INDÚSTRIA BRASILEIRA E AS CADEIAS GLOBAIS DE VALOR

A INDÚSTRIA BRASILEIRA E AS CADEIAS GLOBAIS DE VALOR A INDÚSTRIA BRASILEIRA E AS CADEIAS GLOBAIS DE VALOR A INDÚSTRIA BRASILEIRA E AS CADEIAS GLOBAIS DE VALOR A INDÚSTRIA BRASILEIRA E AS CADEIAS GLOBAIS DE VALOR Prefácio As indústrias estão deixando de

Leia mais

Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014

Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014 1 Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014 Brasil: Fundamentos Macroeconômicos (1) Reservas International

Leia mais

A Conversão de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Aérea para Subterrânea: Uma Visão do Regulador

A Conversão de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Aérea para Subterrânea: Uma Visão do Regulador A Conversão de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Aérea para Subterrânea: Uma Visão do Regulador Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição - SRD Carlos Alberto Calixto Mattar Superintendente

Leia mais

Parintins. Agenda. ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos. Interação com consumidor

Parintins. Agenda. ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos. Interação com consumidor Agenda Parintins ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos Interação com consumidor Comunicação e Interação de Sistemas PARINTINS Agenda Parintins

Leia mais

Energia solar Fotovoltaica e as iniciativas para uma nova indústria nacional

Energia solar Fotovoltaica e as iniciativas para uma nova indústria nacional Workshop Embaixada Verde - Uma contribuição original ao debate sobre energias renováveis no Brasil Brasília 09/02/2011 Energia solar Fotovoltaica e as iniciativas para uma nova indústria nacional Prof.

Leia mais

Seminário Ambientronic

Seminário Ambientronic Seminário Ambientronic 27/04/2011 11.06.2010 Perfil da Empresa PERFIL Empresa de Tecnologia 100% nacional, controlada pelo Grupo Itaúsa Mais de 30 anos de presença no mercado brasileiro Possui 5.891 funcionários

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira

Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Programa SENAI de apoio à competitividade da indústria brasileira Ações MEI Políticas de caráter horizontal (incentivos fiscais, crédito, melhoria de marcos regulatórios); Políticas para setores estratégicos;

Leia mais

O Polo de Informática de Ilhéus e a atuação da Associação das Indústrias de Eletroeletrônicos, Telecomunicações e Informática do Polo de Ilhéus

O Polo de Informática de Ilhéus e a atuação da Associação das Indústrias de Eletroeletrônicos, Telecomunicações e Informática do Polo de Ilhéus O Polo de Informática de Ilhéus e a atuação da Associação das Indústrias de Eletroeletrônicos, Telecomunicações e Informática do Polo de Ilhéus Christian Villela Dunce Presidente da Assipi Salvador, 23

Leia mais