Implementações de Data Warehouse na Área da Saúde

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Implementações de Data Warehouse na Área da Saúde"

Transcrição

1 Implementações de Data Warehouse na Área da Saúde Ricardo S. Santos 1, Marco Antônio Gutierrez 2 1 Departamento de Informática em Saúde (DIS), Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Brasil 2 Serviço de Informática, Instituto do Coração (INCOR), Universidade de São Paulo (USP), Brasil Resumo As técnicas de data warehousing para produção de informações gerenciais são utilizadas desde o início dos anos 90 em diversos setores da economia. Na área da saúde, também existem iniciativas para a adoção desta tecnologia. O sucesso ou fracasso no processo de implementação de uma nova tecnologia depende de uma série de fatores, mas, o conhecimento prévio de casos similares, pode evitar vários problemas ou situações desastrosas. O objetivo deste trabalho é apresentar uma revisão dos esforços na implementação de um data warehouse na área da saúde. A contribuição deste estudo é a experiência transmitida através da demonstração dos problemas encontrados, metodologias adotadas, procedimentos e ferramentas utilizadas. A conclusão do artigo mostra os fatores que constituem os principais desafios e apresenta alguns procedimentos que podem contribuir para o êxito na implementação de um data warehouse no segmento da saúde. Palavras-chave: Data Warehouse, Gestão da Saúde, OLAP, Banco de Dados, Informática Médica. Abstract The date warehousing techniques for delivery management information have been applied since 1990 s in many economy s areas. In the healthcare organizations, also there are initiatives for the adoption of this technology. The success or failure in the process of implementation of a new technology depends on many things, and the previous knowledge of similar cases can help to avoid disasters in this process. The objective of this work is to present the efforts in to implement a Data Warehouse in the health organizations. The contribution of this survey is the experience transmitted through the demonstration of the problems, methodologies, procedures and tools used in development. The conclusion of this paper shows the peculiar challenges of the health s area and also it presents some procedures that can contribute for the success of a data warehouse project for the health world. Key-words: Data Warehouse, Health Management, OLAP, Databases, Medical Informatics. 1. Introdução O sucesso ou fracasso no processo de implementação de uma nova tecnologia depende de uma série de fatores, porém, o conhecimento prévio de casos similares, pode evitar vários problemas ou situações desastrosas no processo de introdução da tecnologia. Diversos setores da economia utilizam desde os anos 90 as técnicas de data warehouse (DW) para a produção de informação gerencial e estratégica. Na área da saúde, também existem várias iniciativas para a adoção desta tecnologia. O objetivo deste trabalho é apresentar uma revisão de artigos publicados em periódicos indexados, mostrando casos de implementação de data warehouse na área da saúde. Isto fornece um panorama geral das iniciativas existentes, evidenciando os problemas encontrados, metodologias adotadas, os procedimentos e as ferramentas utilizadas. O trabalho não pretende efetuar uma revisão sistemática sobre o assunto, mas, apenas apresentar alguns exemplos de aplicação das técnicas de DW na área da saúde. Não serão efetuadas comparações ou correlações entre os casos. Avaliações ou mensurações de resultados para os casos apresentados também estão fora do escopo do estudo. 2. Metodologia Os critérios para seleção dos artigos foram simples. Apenas estar catalogado em um periódico indexado, apresentar um conceito ou técnica de DW aplicado ao setor da saúde, e demonstrar uma implementação. Para o levantamento dos artigos foram utilizadas as bases de dados: WebofScience ; Pubmed ; MedLine ; Lilacs e o portal da Capes nos itens Periódicos e Banco de Teses. 1

2 Os trabalhos encontrados foram divididos em dois grupos de acordo com o nível de abrangência gerencial atendido pelo DW. Os níveis são: Nível Comunitário, quando os dados abrangem a gestão da saúde comunitária, e Nível Institucional, quando os dados abrangem apenas uma instituição e são utilizados por executivos de um centro de saúde, como um hospital, um posto ambulatorial, etc. Sempre que possível, a apresentação de cada artigo, neste texto, tentará evidenciar os principais desafios encontrados, os procedimentos e as ferramentas utilizadas no processo de implementação. 3. DW para Gestão da Saúde Comunitária Catch [1] [3] Um dos projetos para a saúde pública de maior destaque é o DW para o CATCH (Comprehensive Assessment for Tracking Community Health) desenvolvido pela USF (University of South Florida s). O DW fornece informação para análise sobre mais de 250 indicadores. O artigo [1] cita alguns desafios peculiares para a implementação de um DW na saúde pública. São eles: dados provenientes de diferentes fontes em diferentes formatos; pouca padronização para os dados da saúde; relatórios disseminados para diversas localidades geograficamente separadas, e um modelo de dados que suporte a elaboração de políticas públicas para a saúde; Um ponto que merece destaque no projeto é a introdução de duas técnicas inovadoras para o processo carga do DW (ETL - Extracting, Transformation and Loading). São elas: Estrelas Gêmeas e Filtros de Qualidade dos Dados O processo de Estrelas Gêmeas consiste, basicamente, em utilizar um modelo de dados temporário, idêntico ao modelo de dados do DW, o qual será carregado num primeiro estágio onde serão aplicadas todas a regras de validações e testes, e a partir dele será carregado o modelo permanente. Os Filtros de Qualidade dos Dados são rotinas inseridas no processo de carga (ETL), para efetuar validações no conteúdo dos dados. Estas verificações analisam: fatos ; agregados e dimensões. As ferramentas utilizadas no projeto foram: Oracle Enterprise Server como SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados), e as ferramentas de desenvolvimento Oracle para a implementação da interface do usuário [3] República da Eslovênia [2] Outra iniciativa de implementação de um DW para proporcionar informação analítica na gestão da saúde pública é o projeto do Instituto de Saúde Pública da República da Eslovênia (PHIRS Public Health Institute of the Republic of Slovenia). O escopo do DW, na época do artigo (2000), contemplava apenas os atendimentos ambulatoriais. O projeto foi relativamente simples e seguiu as seguintes etapas: - Os dados de origem, recebidos dos centros regionais, são consistidos e devolvidos, com um relatório, em caso de erros; - Sem erros, o arquivo de origem é processado através de rotinas desenvolvidas em AWK, para adquirir um formato mais adequado para a carga; - O modelo dimensional é definido e posteriormente carregado; - Finalmente as interfaces do usuário são desenvolvidas implantadas. As ferramentas de desenvolvimento utilizadas no projeto foram o Oracle Express 6.2 como servidor OLAP e o Oracle Express Analyzer Tool para desenvolvimento das interfaces do usuário DW em Gerenciamento de Doenças [4] Programas de gerenciamento de doenças têm proliferado com o advento do managed care e as tecnologias para gerenciamento de dados. O objetivo destes programas é a identificação de indivíduos doentes ou com potencial de contrair doenças, e assim aplicar programas preventivos. Neste contexto, sistemas DW encaixam-se perfeitamente. O trabalho de Ramick [4], cita alguns casos de aplicação de DW em programas de gerenciamento de doenças. Dentre os casos apresentados, destaca-se o projeto da companhia de seguros Empire Blue Cross Blue Shield denominado SARA (Systematic Analysis Review and Assistance system), que utiliza um software desenvolvido pela empresa Active Health Management para sinalizar pacientes com valores que indicam uma situação médica indesejada. Outro caso citado foi o da companhia Aetna US HealthCare, que utiliza um programa próprio (US Quality Algorithms) que atua sobre um DW contendo dados administrativos e clínicos. O programa identifica membros com determinadas doenças e estes são incluídos automaticamente em um programa de gerenciamento. Mais um exemplo de aplicação de DW em programas de gerenciamento de doenças é o do Horizon Mercy Health Plan que descobriu através de seu DW que o diagnóstico mais comum entre os pacientes da pediatria era asma. Foi desenvolvido 2

3 um programa de gerenciamento para asma que permitiu intervenções eficazes e campanhas educacionais preventivas, objetivando redução dos casos Protótipo para o SUS [5] Foi desenvolvido um protótipo de um DW para atender o sistema de informação ambulatorial do SUS como parte integrante de uma dissertação de mestrado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O protótipo foi desenvolvido com o objetivo de apresentar ao usuário final, num curto espaço de tempo, as vantagens obtidas no processo decisório com a implementação de um DW. Para desenvolvimento do protótipo foram utilizadas as seguintes ferramentas: MS-SQL Server 6.5 como Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD); Warehouse Architect da Sybase como Ferramenta Case ; WizRule 3.0 da Wizsoft para auxiliar na limpeza dos dados; Star Trecker (exemplar do livro de Kimball) e db Probe 2.0 da InterNetivity para implementação da interface do usuário e, finalmente, o Microsoft Access 97 como o repositório e gerenciador de Metadados. 4. Aplicações para Gestão Institucional Inglis Innovative Services [6] Esta organização, destinada ao atendimento de deficientes físicos, percebeu a necessidade de implementação de um DW devido à proliferação de aplicações MS-Access na organização. Os dados de origem para o DW eram provenientes de duas aplicações: Um sistema de recursos humanos, denominado VISTA, com dados em MS-SQL Server, e um sistema clínico e financeiro denominado SOS, com dados em Progress. O IIS escolheu o MS-SQL Server para implementação do DW, e, como interface do usuário, foram desenvolvidas algumas aplicações Web. Breen et. al., citou em seu artigo [6] uma lista de pontos que devem ser observados na implementação de um DW, entre eles: a preparação prévia da infra-estrutura; a identificação de um profissional com disponibilidade integral para o projeto; a identificação dos dados, dos respectivos proprietários e dos problemas que o DW pode resolver; e finalmente, implementar algo rapidamente para que os usuários possam visualizar os benefícios; CDR - Universidade de Virgínia [7] O CDR (Clinical Data Repository), é um DW cujo propósito é fornecer dados para as atividades educacionais e de pesquisa ao centro médico da Universidade de Virgínia, além de suprir dados gerentes e administradores. O CDR foi implementado no SGDB Sybase, tendo o processo de carga realizado através de rotinas desenvolvidas em Pearl. A interface do usuário consiste em um conjunto de programas CGI (Common gateway interface) implementados em linguagem C, e JavaScript. O volume do banco de dados em Outubro de 2000 era de 23 GB, e o custo de desenvolvimento foi de aproximadamente ,00 U$ por ano William Beaumont Hospital [8] O artigo mostra a experiência obtida no desenvolvimento de um Data Mart (DM) para o hospital Willian Beaumont. O DM, desenvolvido em meados de 90, foi implementado em MS-ACCES. Dois fatores contribuíram para a escolha do MS- Access: o custo e o baixo volume de dados. O objetivo era que o DM ganhasse visibilidade na organização e proporcionasse a sua substituição por um sistema maior e com tecnologia de banco de dados mais sofisticada. As rotinas para carga e a interface do usuário foram desenvolvidas em VBA (Visual Basic Aplication), linguagem de programação nativa do MS-Acess CHC - [9] [13] O Commonwealth Health Corporation, em 1997, decidiu implementar um DW. Optou por adotar uma solução pronta, disponível no mercado: TSG s Galaxy. A solução compreende além do repositório de dados, a aquisição, transformação e visualização, todos inseridos em um produto único. A solução utiliza como SGBD o MS-SQL Server. [13]. O artigo cita que nos dois primeiros anos de utilização, o CHC economizou mais de 1,5 milhões de dólares devido ao melhor gerenciamento de recursos. [9] Horizon Mercy [10] Horizon Mercy of Trenton, uma empresa de seguros de saúde responsável pela assistência à saúde de associados, em 1997, através de 3

4 seu médico chefe Robert N. Robinson, decidiu procurar no mercado uma solução DW. A principal preocupação de Robinson não era a árdua tarefa de integração e limpeza dos dados, mas, o desenho do modelo clínico. As soluções apresentadas possuíam, basicamente, três aspectos negativos: extremamente caras; tecnologia ultrapassada, e os fornecedores não compreendiam os desafios específicos da área. Após uma extensa busca, optou pela solução de uma pequena empresa, na época, denominada Infominers. A solução combina uma interface simples (desenvolvida com Cognos), utiliza o SGBD Oracle, e apresenta o seu próprio modelo clínico baseado em sua vasta experiência. Isto permitiu iniciar o processo de implementação e quase que imediatamente, apresentar alguns resultados COSTAR [11] Esse trabalho apresenta, basicamente, uma metodologia para modelagem de um DW, baseando-se no histórico das consultas efetuadas a uma base de dados de um sistema clínico: o COSTAR (Computer Stored Ambulatory Record); sistema desenvolvido há quase trinta anos pelo Laboratório de Ciência da Computação do Massachusetts General Hospital Foram extraídas 5995 consultas, no período de 13/07/82 a 26/08/98. Inicialmente foram eliminadas as consultas destinadas à tarefas de manutenção de sistema, restando 2158 consultas. Eliminando as consultas duplicadas, sobraram 642 consultas para analisar. O resultado da análise permitiu a elaboração de um modelo estrela que foi implementado em duas fases. A primeira estrela abrangeu 79% dos requisitos do usuário e implementando o segundo conjunto de tabelas, foi possível atingir 90% Fundação Baiana de Cardiologia [12] Protótipo implementado em ambiente experimental, como parte integrante de uma dissertação de mestrado da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). O DW contemplou dados provenientes de 8 aplicativos, cada um com base de dados própria, sendo que os SGBD utilizados por estas aplicações eram o MS-Access, Sybase e Unify. A escolha das ferramentas foi efetuada por conveniência, aproveitando o que havia disponível na instituição. Como SGBD para implementar o DW foi utilizado o MS-SQL Server. O processo de extração e carga foi implementado através de rotinas desenvolvidas em Power Builder. A ferramenta OLAP de visualização, denominada FBCDataWare, também foi desenvolvida utilizando Java, ASP e HTML. 5. Discussão Embora o objetivo do trabalho não seja uma análise comparativa, alguns aspectos sobre os estudos de casos apresentados, podem ser discutidos. Os dois níveis de aplicação na área da saúde Inicialmente, pode-se notar a existência de dois níveis bem distintos de gerência no segmento saúde. O primeiro refere-se à gestão da saúde de uma comunidade, enquanto o segundo dedica-se ao gerenciamento de uma organização que presta serviços em saúde. Os dois tipos de gestores possuem universos de atuação totalmente diferentes, e isto significa que a visão de cada dirigente sobre os seus dados muda drasticamente. Desafios da área Os casos apresentados também mostraram uma série de desafios próprios da área da saúde. Berndt et al.[1], comenta sobre a diversidade de fontes e formatos dos dados origem, DeJesus [10] transcreve a visão do Dr. Robinson, que considera como maior problema a falta de compreensão dos fornecedores de solução DW dos desafios específicos da área, e Isken et al. [8] comenta a limitação de recursos financeiros. Outro fato marcante é a existência de um grande volume de dados que não estão representados em forma de texto. Por exemplo: as imagens. Wong et al. [15] e Oyama et. al. [14], apresentam iniciativas para o desenvolvimento de DW contemplando imagens. A tabela 1 reúne os principais desafios. Desafios na implementação de um DW na área da saúde. - Dados provenientes de muitas fontes - Diversidade de formatos de dados, principalmente devido às diversas aplicações específicas da área - Grande volume de informação armazenado em imagens - Pouca padronização - Relatórios (saídas) devem ser disseminados para diversas localidades separadas geograficamente - Fornecedores de soluções não compreendem os desafios específicos da área - Limitação de recursos financeiros Tabela 1 Desafios de um DW na área da saúde 4

5 Ferramentas De forma simplificada, poderíamos classificar as ferramentas necessárias em um projeto DW em três tipos: um SGBD para armazenamento; uma ferramenta ETL para limpeza e carga dos dados; e uma ferramenta OLAP para visualização. Uma característica curiosa observada nos casos apresentados é a utilização de ferramentas mais simples e, principalmente, desenvolvidas internamente. Apesar de não estar explicitamente citado, pode-se deduzir que isto acontece em função dos desafios anteriormente mencionados. A tabela 2 apresenta uma relação das ferramentas utilizadas nos casos estudados. Caso SGBD Ferramenta Ferramenta OLAP Estudado ETL CATCH Oracle Interna (AWK e Pearl) Ferramentas Oracle Eslovênia Oracle Internas (AWK) Oracle Express Analyzer Tool Protótipo SQL Server Internas + DB Probe + Access SUS WizRule IIS SQL Server Internas Interna Aplicação Web CDR - Virgínia Sybase Interna (Pearl) Interna ( C / JavaScript) William Access Interna (VBA) Interna (VBA) CHC SQL Server TSG s Galaxy TSG s Galaxy Horizon Oracle Infominers Infominers-Cognos FBC SQL Server Interna (PB) Interna (Java/ASP) Tabela 2 Ferramentas utilizadas. A tabela mostra que predominam, como SGBD, o Oracle e SQL Server. Não foi observada a utilização de SGBD s como o Teradata da NCR e o DB2 da IBM, amplamente utilizados em outros segmentos. Em nenhum artigo estudado o volume de dados foi citado como um desafio. O gráfico 1 mostra a relação entre os SGBD s utilizados. Distribuição dos SGBD's utilizados Analisando as ferramentas ETL e OLAP, é marcante a predominância de soluções desenvolvidas internamente, em detrimento da utilização de soluções consagradas no mercado. O gráfico 2 mostra a relação entre as interfaces baseadas em soluções OLAP comerciais e as desenvolvidas internamente. Relação entre as ferramentas OLAP adotadas Soluções Comerciais Soluções Internas Gráfico 3.2 Relação entre a solução OLAP Procedimentos na Implementação Alguns casos estudados mostraram, além das dificuldades específicas da área, alguns procedimentos importantes que contribuíram para o sucesso do projeto. A tabela 3 apresenta uma lista desses procedimentos. Procedimentos que contribuem para o sucesso do projeto - Uma boa estratégia para o processo de carga é a utilização de Estrelas Gêmeas - Para garantir a consistência dos dados, uma boa técnica é a aplicação de Filtros para Qualidade Dados. Os filtros analisam fatos, agregados e dimensões. Disponibilizar toda a infra-estrutura antes de implementar um DW - Identificar um profissional, da instituição, competente e com disponibilidade integral para o projeto - Identificar os dados importantes da corporação e os proprietários destes dados - Identificar os problemas que o DW pode resolver - Elaborar cuidadosamente o desenho do modelo clínico - Se possível, elaborar os requisitos do usuário, através de um histórico de consultas efetuadas nos sistemas existentes - Implementar alguma coisa rapidamente para que os usuários possam visualizar os benefícios Gráfico 1 Relação entre os SGBD s. Oracle MS-SQL Server Sybase MS-Access Tabela 3 Procedimentos na implantação do DW 6. Conclusões O objetivo desta revisão foi mostrar o estado da arte em projetos DW na área da saúde através da apresentação de casos reais publicados em periódicos indexados. A contribuição do trabalho é a experiência transmitida através da explicitação dos 5

6 desafios encontrados, metodologias, procedimentos e ferramentas utilizadas. O estudo mostrou que existem alguns desafios peculiares, que constituem os principais problemas para implementação de um DW na área da saúde. Entre eles destaca-se a diversidade de fontes e formatos de dados; a complexidade do desenho de um modelo clínico e a falta de compreensão dos fornecedores sobre a área. Também foi observada a preferência pelo desenvolvimento interno de rotinas para carga e análise dos dados. Em 78% dos casos, não foi utilizada nenhuma ferramenta ETL para auxílio no processo de carga, e apenas 67% optaram por ferramentas OLAP existentes. O SGBD mais utilizado, nos casos estudados, é o SQL Server com 45%, seguido do Oracle com 34%. Pelos números apresentados, pode-se concluir que as implementações de DW na área da saúde, geralmente, não utilizam as ferramentas sofisticadas existentes no mercado. Isto induz à hipótese que o universo da saúde é razoavelmente diferente dos demais setores da economia e a metodologia para implementação de um DW com sucesso em outras áreas, pode não garantir o êxito na área da saúde. Naturalmente, existem muitos outros casos de implementação de DW na saúde, que não foram publicados em nenhuma base bibliográfica. Em um trabalho futuro, pretende-se catalogá-los, analisalos e apresenta-los. Ainda, como estudo posterior deve-se pesquisar a situação atual dos casos apresentados, e efetuar uma análise comparativa entre um projeto DW para a área da saúde e para outros setores da economia. 7. Referências [1] Berndt D.J., Hevner A.R., Studnicki J. (2003), The Catch Data Warehouse: Support for Community Health Care Decision-Making, Decision Support Systems, v. 35, n. 3, p [2] Hristovski D., Rogac M., Markota M. (2000), Using Data Warehousing and OLAP in Public Health Care, Journal Of The American Medical Informatics Association, Suppl. p [3] Berndt D.J., Hevner A.R. (1998), CATCH/IT: A Data Warehouse to Support Comprehensive Assessment for Tracking Community Health, Journal Of The American Medical Informatics Association, Suppl. p [4] Ramick D.C. (2001), Data Warehousing in Disease Management Programs., Journal of Healthcare Information Management, Summer, v. 15, n. 2, p [5] Rodrigo Leal de Moraes (1998), Sistemas de Data Warehouses: Estudo e Aplicação na Área da Saúde, Dissertação de Mestrado, UFRGS. [6] Breen C., Rodrigues L.M. (2001), Implementing a Data Warehouse at Inglis Innovative Services, Journal of Healthcare Information Management, v. 15, n. 2, p [7] Einbinder J.S., Scully K.W., Pates R.D., Schubart J.R., Reynolds R.E. (2001), Case study: A Data Warehouse for an Academic Medical Center, Journal of Healthcare Information Management, v. 15, n. 2, p [8] Isken M.W., Littig S.J., West M. (2001), A Data Mart for Operations Analysis, Journal of Healthcare Information Management, 2001 v.15, n.2, p [9] Shams K., Farishta M. (2001), Data warehousing: Toward knowledge Management, Topics in Health Information Management, v.21, n.3, p [10] DeJesus E.X. (1999), Disease Management in a Warehouse: Data Warehouse Technology Makes a Good Fit for Disease Management Programs, Healthcare Information, v.16, n.9, p.33-6, [11] Murphy S.N., Morgan M.M., Barnett G.O., Chueh H.C. (1999), Optimizing Healthcare Research Data Warehouse Design Through Past COSTAR Query Analysis., Proceedings AMIA Symposium, p [12] Ana Claudia Oliveira Garcia Dos Santos (2001), Organização de um Data Warehouse Clinico, Dissertação de Mestrado, UFRJ. [13] The Shams Group (TSG). Disponível em: Acesso em 18 mai [14] Oyama H., Wakao F., Mishina T., Lu Y., Honjo A. (1997), Virtual Cancer Image Data Warehouse, Stud Health Technologies Informormation. v. 39, p [15] Wong S.T., Hoo K.S Jr., Knowlton R.C., Laxer K.D., Cao X., Hawkins R.A., Dillon W.P., Arenson R.L. (2002), Design and Applications of a Multimodality Image Data Warehouse Framework, JAMIA, v. 9, n.3, p Contato 6

Projeto de um Data Warehouse para a Saúde Pública

Projeto de um Data Warehouse para a Saúde Pública Projeto de um Data Warehouse para a Saúde Pública Ricardo S Santos 1, Marco Antônio Gutierrez 2, Sergio Furuie 2, Umberto Tachinardi 3 1 Departamento de Informática em Saúde (DIS) Universidade Federal

Leia mais

Data Warehouse para a Saúde Pública: Estudo de Caso SES-SP

Data Warehouse para a Saúde Pública: Estudo de Caso SES-SP Data Warehouse para a Saúde Pública: Estudo de Caso SES-SP Ricardo S. Santos 1,4, André Luiz de Almeida 2, Umberto Tachinardi 2, Marco Antônio Gutierrez 3 1 Departamento de Informática em Saúde (DIS) Universidade

Leia mais

Data Warehousing Visão Geral do Processo

Data Warehousing Visão Geral do Processo Data Warehousing Visão Geral do Processo Organizações continuamente coletam dados, informações e conhecimento em níveis cada vez maiores,, e os armazenam em sistemas informatizados O número de usuários

Leia mais

Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence

Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence Juntamente com o desenvolvimento desses aplicativos surgiram os problemas: & Data Warehouse July Any Rizzo Oswaldo Filho Década de 70: alguns produtos de BI Intensa e exaustiva programação Informação em

Leia mais

Administração do Servidor da Aplicação e-sus Hospitalar

Administração do Servidor da Aplicação e-sus Hospitalar Administração do Servidor da Aplicação e-sus Hospitalar Guia do Usuário - Versão 1.0 01/06/2015 Sumário 1 Introdução... 2 2 Objetivo... 3 3 Documentos Relacionados... 4 4 Administração do Servidor da Aplicação

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence

Curso Data warehouse e Business Intelligence Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

PORTARIA N Nº 184 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012.

PORTARIA N Nº 184 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012. PORTARIA N Nº 184 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de. ACRESCENTA A ARQUITETURA DE PADRÕES TECNOLÓGICOS DE INTEROPERABILIDADE -, NO SEGMENTO RECURSOS TECNOLÓGICOS, O PADRÃO TECNOLÓGICO SISTEMAS DE GERENCIAMENTO

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

Data Warehouse Processos e Arquitetura

Data Warehouse Processos e Arquitetura Data Warehouse - definições: Coleção de dados orientada a assunto, integrada, não volátil e variável em relação ao tempo, que tem por objetivo dar apoio aos processos de tomada de decisão (Inmon, 1997)

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES Rigoleta Dutra Mediano Dias 1, Lívia Aparecida de Oliveira Souza 2 1, 2 CASNAV, MARINHA DO BRASIL, MINISTÉRIO DA DEFESA, BRASIL Resumo: Este

Leia mais

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados.

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Histórico Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Sistemas Integrados: racionalização de processos, manutenção dos

Leia mais

Utilização do SGBD PostgreSQL no Metrô São Paulo

Utilização do SGBD PostgreSQL no Metrô São Paulo Utilização do SGBD PostgreSQL no Metrô São Paulo Versão 2 Novembro /2006 1 Elaborado por: Gerência de Informática e Tecnologia da Informação Gustavo Celso de Queiroz Mazzariol - gqueiroz@metrosp.com.br

Leia mais

Business Intelligence: Desafios e Melhores Práticas

Business Intelligence: Desafios e Melhores Práticas Sucesu RJ - IV Congresso de Inteligência Competitiva Business Intelligence: Desafios e Melhores Práticas Eugenio Pedrosa Petrobras Roteiro Arquitetura de BI Evolução da BI nas Empresas Corporate Performance

Leia mais

Capítulo 5. 5.1 Laudon, Cap. 5

Capítulo 5. 5.1 Laudon, Cap. 5 Capítulo 5 Fundamentos da Inteligência de Negócios: Gerenciamento da Informação e de Bancos de Dados 5.1 Laudon, Cap. 5 OBJETIVOS DE ESTUDO Descrever como um banco de dados relacional organiza os dados

Leia mais

BDG - BANCO DE DADOS DE GRADES UMA FERRAMENTA PARA DISPONIBILIZAR DADOS DE PREVISÃO DE MODELOS NUMÉRICOS DE TEMPO E CLIMA

BDG - BANCO DE DADOS DE GRADES UMA FERRAMENTA PARA DISPONIBILIZAR DADOS DE PREVISÃO DE MODELOS NUMÉRICOS DE TEMPO E CLIMA BDG - BANCO DE DADOS DE GRADES UMA FERRAMENTA PARA DISPONIBILIZAR DADOS DE PREVISÃO DE MODELOS NUMÉRICOS DE TEMPO E CLIMA Antonio Carlos Fernandes da Silva 1, Luciana Santos Machado Carvalho 2, Denise

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 SISTEMA DE APOIO À DECISÃO Grupo: Denilson Neves Diego Antônio Nelson Santiago Sabrina Dantas CONCEITO É UM SISTEMA QUE AUXILIA O PROCESSO DE DECISÃO

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE OPERACIONALIZANDO O PROGRAMA DE ANTICOAGULAÇÃO DO HU

BUSINESS INTELLIGENCE OPERACIONALIZANDO O PROGRAMA DE ANTICOAGULAÇÃO DO HU BUSINESS INTELLIGENCE OPERACIONALIZANDO O PROGRAMA DE ANTICOAGULAÇÃO DO HU Stanley Galvão 1, Cláudia Miranda 2, Cristiano Souza 3 e Liz Yoshihara 4 1 Departamento de Informática do HU, São Paulo, Brasil

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Introdução

DATA WAREHOUSE. Introdução DATA WAREHOUSE Introdução O grande crescimento do ambiente de negócios, médias e grandes empresas armazenam também um alto volume de informações, onde que juntamente com a tecnologia da informação, a correta

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Mara Lúcia Menezes Membro do Time Versão 3 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 15/11/2010

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE

CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE CONSIDERAÇÕES SOBRE ATIVIDADES DE IDENTIFICAÇÃO, LOCALIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS NA CONSTRUÇÃO DE UM DATA WAREHOUSE Fabio Favaretto Professor adjunto - Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES.

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 88 BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Andrios Robert Silva Pereira, Renato Zanutto

Leia mais

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br Data Warehousing Leonardo da Silva Leandro Agenda Conceito Elementos básicos de um DW Arquitetura do DW Top-Down Bottom-Up Distribuído Modelo de Dados Estrela Snowflake Aplicação Conceito Em português:

Leia mais

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo CBSI Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação BI Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais em Sistemas de Informação Faculdade de Computação Instituto

Leia mais

Proposta de uma métrica para avaliação da gestão de serviços médicos baseada no modelo ITIL

Proposta de uma métrica para avaliação da gestão de serviços médicos baseada no modelo ITIL Proposta de uma métrica para avaliação da gestão de serviços médicos baseada no modelo ITIL Vidal Olavo Plessmann Gonçalves Márcia Ito Núcleo de Pesquisa em Ciências de Serviços (CiSe) - Centro Estadual

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial baseado em Data Warehouse aplicado a uma software house

Sistema de Informação Gerencial baseado em Data Warehouse aplicado a uma software house Universidade Regional de Blumenau Centro de Ciências Exatas e Naturais Curso de Sistemas de Informação (Bacharelado) Sistema de Informação Gerencial baseado em Data Warehouse aplicado a uma software house

Leia mais

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Engenharia de Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto OLPT x OLAP Roteiro OLTP Datawarehouse OLAP Operações OLAP Exemplo com Mondrian e Jpivot

Leia mais

Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados

Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados slide 1 1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Como um banco de dados

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE GERENCIANDO OS NÍVEIS DE SERVIÇO DE LOGÍSTICA HOSPITALAR NO HU

BUSINESS INTELLIGENCE GERENCIANDO OS NÍVEIS DE SERVIÇO DE LOGÍSTICA HOSPITALAR NO HU BUSINESS INTELLIGENCE GERENCIANDO OS NÍVEIS DE SERVIÇO DE LOGÍSTICA HOSPITALAR NO HU Stanley Galvão 1, Cláudia Miranda 2, Alexandre Miguel 3 e Malu Habib 4 1 Departamento de Informática do HU, São Paulo,

Leia mais

Checklist de Projeto de Data Warehouse

Checklist de Projeto de Data Warehouse Checklist de Projeto de Data Warehouse Prof. Dr. Jorge Rady de Almeida Jr. Escola Politécnica da USP F/1 Revisão de Projeto Design Review Após uma área de interesse tenha sido projetada e posta em operação

Leia mais

PRIMAVERA RISK ANALYSIS

PRIMAVERA RISK ANALYSIS PRIMAVERA RISK ANALYSIS PRINCIPAIS RECURSOS Guia de análise de risco Verificação de programação Risco rápido em modelo Assistente de registro de riscos Registro de riscos Análise de riscos PRINCIPAIS BENEFÍCIOS

Leia mais

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise CUSTOMER SUCCESS STORY Dezembro 2013 Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise PERFIL DO CLIENTE Indústria: Setor público Companhia: Dataprev Empregados: 3.000+

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA VISUALIZAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS DADOS CLIMATOLÓGICOS DO CPTEC/INPE

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA VISUALIZAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS DADOS CLIMATOLÓGICOS DO CPTEC/INPE DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA VISUALIZAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS DADOS CLIMATOLÓGICOS DO CPTEC/INPE Luciana Maria de Castro Mira¹, Bianca Antunes de S. R. Alves 2, Ana Paula Tavares 3, Luíz Henrique

Leia mais

A Maturidade Organizacional em Gerenciamento de Projetos (OPM3 ) de Informática em Saúde

A Maturidade Organizacional em Gerenciamento de Projetos (OPM3 ) de Informática em Saúde A Maturidade Organizacional em Gerenciamento de Projetos (OPM3 ) de Informática em Saúde Luis Augusto dos Santos 1, Heimar de Fátima Marin 2 1 Engenheiro Eletricista, membro do NIEn e pós-graduando pela

Leia mais

Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai

Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai Plug & Play Options Integrating Systems Flávio De Nadai Desenvolvimento de Negócios Utilities & Telecom

Leia mais

ATENÇÃO: ESTE ARTIGO NÃO PODERÁ SER UTILIZADO PARA FINS COMERCIAIS. DEVERÁ OBRIGATORIAMENTE SER REFERENCIADO COMO:

ATENÇÃO: ESTE ARTIGO NÃO PODERÁ SER UTILIZADO PARA FINS COMERCIAIS. DEVERÁ OBRIGATORIAMENTE SER REFERENCIADO COMO: ATENÇÃO: ESTE ARTIGO NÃO PODERÁ SER UTILIZADO PARA FINS COMERCIAIS. DEVERÁ OBRIGATORIAMENTE SER REFERENCIADO COMO: Fabre, Jorge Leandro; Carvalho, José Oscar Fontanini de. (2004). Uma Taxonomia para Informações

Leia mais

Padronização de Processos: BI e KDD

Padronização de Processos: BI e KDD 47 Padronização de Processos: BI e KDD Nara Martini Bigolin Departamento da Tecnologia da Informação -Universidade Federal de Santa Maria 98400-000 Frederico Westphalen RS Brazil nara.bigolin@ufsm.br Abstract:

Leia mais

5 Estudo de Caso. 5.1. Material selecionado para o estudo de caso

5 Estudo de Caso. 5.1. Material selecionado para o estudo de caso 5 Estudo de Caso De modo a ilustrar a estruturação e representação de conteúdos educacionais segundo a proposta apresentada nesta tese, neste capítulo apresentamos um estudo de caso que apresenta, para

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPO MOURÃO EFMP PROF: Edson Marcos da Silva CURSO: Técnico em Administração Subsequente TURMAS: 1º Ano APOSTILA: nº 1 SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL Sistemas de Informação Campo

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular

Ficha da Unidade Curricular ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS CURSO Licenciatura em Engenharia Informática U.C. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Ficha da Unidade Curricular Horas presenciais / Ano 56 Ano Lectivo 2010 / 2011

Leia mais

Como melhorar a tomada de decisão. slide 1

Como melhorar a tomada de decisão. slide 1 Como melhorar a tomada de decisão slide 1 P&G vai do papel ao pixel em busca da gestão do conhecimento Problema: grande volume de documentos em papel atrasavam a pesquisa e o desenvolvimento. Solução:

Leia mais

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence É um conjunto de conceitos e metodologias que, fazem uso de acontecimentos e sistemas e apoiam a tomada de decisões. Utilização de várias fontes de informação para se definir estratégias de competividade

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS Capítulo 7 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS 7.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Por que as empresas sentem dificuldades para descobrir que tipo de informação precisam ter em seus sistemas de informação?

Leia mais

Sistemas de Informação Aplicados a AgroIndústria Utilizando DataWarehouse/DataWebhouse

Sistemas de Informação Aplicados a AgroIndústria Utilizando DataWarehouse/DataWebhouse Sistemas de Informação Aplicados a AgroIndústria Utilizando DataWarehouse/DataWebhouse Prof. Dr. Oscar Dalfovo Universidade Regional de Blumenau - FURB, Blumenau, Brasil dalfovo@furb.br Prof. Dr. Juarez

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE IV: Fundamentos da Inteligência de Negócios: Gestão da Informação e de Banco de Dados Um banco de dados é um conjunto de arquivos relacionados

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

CLOUD COMPUTING: COMPARANDO COMO O MUNDO ONLINE PODE SUBSTITUIR OS SERVIÇOS TRADICIONAIS

CLOUD COMPUTING: COMPARANDO COMO O MUNDO ONLINE PODE SUBSTITUIR OS SERVIÇOS TRADICIONAIS CLOUD COMPUTING: COMPARANDO COMO O MUNDO ONLINE PODE SUBSTITUIR OS SERVIÇOS TRADICIONAIS João Antônio Bezerra Rodrigues¹, Claudete Werner¹, Gabriel Costa Silva² ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí

Leia mais

Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications)

Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications) Sistema Online de Gerenciamento de Dados Clínicos Utilizando RIA (Rich Internet Applications) ANTUNES, M. S.¹, SILVA, R. E. S. 2 (orientadora) ¹ Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas RS (FATEC-PEL) Rua

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

ADAPTANDO UMA APLICAÇÃO PARA CLOUD: UMA ANÁLISE ENTRE OS ESFORÇOS UTILIZADOS

ADAPTANDO UMA APLICAÇÃO PARA CLOUD: UMA ANÁLISE ENTRE OS ESFORÇOS UTILIZADOS ADAPTANDO UMA APLICAÇÃO PARA CLOUD: UMA ANÁLISE ENTRE OS ESFORÇOS UTILIZADOS Cleverson Nascimento de Mello¹, Claudete Werner¹, Gabriel Costa Silva² ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

Symantec NetBackup 7 O que há de novo e tabela de comparação de versões

Symantec NetBackup 7 O que há de novo e tabela de comparação de versões Symantec 7 O que há de novo e tabela de comparação de versões O 7 permite a padronização das operações de backup e recuperação em ambientes físicos e virtuais com menos recursos e menos riscos, pois oferece

Leia mais

Uma Arquitetura de Gestão de Dados em Ambiente Data Warehouse

Uma Arquitetura de Gestão de Dados em Ambiente Data Warehouse Uma Arquitetura de Gestão de Dados em Ambiente Data Warehouse Alcione Benacchio (UFPR) E mail: alcione@inf.ufpr.br Maria Salete Marcon Gomes Vaz (UEPG, UFPR) E mail: salete@uepg.br Resumo: O ambiente de

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

Projeto de Data Warehousing sobre Informações em Saúde para dar Suporte a Análise de Faturamento Hospitalar

Projeto de Data Warehousing sobre Informações em Saúde para dar Suporte a Análise de Faturamento Hospitalar Projeto de Data Warehousing sobre Informações em Saúde para dar Suporte a Análise de Faturamento Hospitalar Newton Shydeo Brandão Miyoshi Joaquim Cezar Felipe Grupo de Informática Biomédica Departamento

Leia mais

O Valor do Licenciamento do SQL Server 2012 Versus Oracle Database

O Valor do Licenciamento do SQL Server 2012 Versus Oracle Database White Paper Publicado em: Janeiro de 2012 Aplica-se ao: SQL Server 2012 O Valor do Licenciamento do SQL Server 2012 Versus Oracle Database Resumo: As mudanças no produto e no licenciamento da Microsoft

Leia mais

Plano de Projeto G Stock. G Stock. Plano de Projeto. Versão 1.0

Plano de Projeto G Stock. G Stock. Plano de Projeto. Versão 1.0 Plano de Projeto G Stock Plano de Projeto G Stock Versão 1.0 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autores 10/09/2010 1.0 Descrição inicial do plano de projeto Denyson José Ellís Carvalho Isadora

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT Juliano Flores Prof. Lucas Plautz Prestes Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de Tecnologia da Informação (GTI034)

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS PARA A TOMADA DE DECISÃO

INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS PARA A TOMADA DE DECISÃO INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS PARA A TOMADA DE DECISÃO Pauta Visão do Negócio Oportunidades de Melhoria Resultados Alcançados Como nos estruturamos para alcançar os resultados? Organograma Institucional Controladoria

Leia mais

EMC Consulting. Estratégia visionária, resultados práticos. Quando a informação se reúne, seu mundo avança.

EMC Consulting. Estratégia visionária, resultados práticos. Quando a informação se reúne, seu mundo avança. EMC Consulting Estratégia visionária, resultados práticos Quando a informação se reúne, seu mundo avança. Alinhando TI aos objetivos de negócios. As decisões de TI de hoje devem basear-se em critérios

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Lembrando... Aula 4 1 Lembrando... Aula 4 Sistemas de apoio

Leia mais

Cordis-FBC: um Ambiente Configurado TABA com Gerência do Conhecimento

Cordis-FBC: um Ambiente Configurado TABA com Gerência do Conhecimento Cordis-FBC: um Ambiente Configurado TABA com Gerência do Conhecimento Karina Villela, Ana Regina Rocha, Alvaro Rabelo Jr, Guilherme Travassos COPPE/UFRJ e Fundação Bahiana de Cardiologia Objetivos e Justificativas

Leia mais

A importância da. nas Organizações de Saúde

A importância da. nas Organizações de Saúde A importância da Gestão por Informações nas Organizações de Saúde Jorge Antônio Pinheiro Machado Filho Consultor de Negócios www.bmpro.com.br jorge@bmpro.com.br 1. Situação nas Empresas 2. A Importância

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

SISTEMAS E GESTÃO DE RECURSOS ERP E CRM. Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br/2015/unitec

SISTEMAS E GESTÃO DE RECURSOS ERP E CRM. Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br/2015/unitec SISTEMAS E GESTÃO DE RECURSOS ERP E CRM Prof. André Aparecido da Silva Disponível em: http://www.oxnar.com.br/2015/unitec Teoria geral do Sistemas O Sistema é um conjunto de partes interagentes e interdependentes

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO

PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Gestão da Tecnologia da Informação DCSoft Sistema de Depreciação/Contábil PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO Equipe: Eduardo Rocha da Silva ERDS Bruno Cattany Martins

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais

O PROJETO DE PESQUISA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

O PROJETO DE PESQUISA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza O PROJETO DE PESQUISA Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Escolher um tema de pesquisa Por onde começar? Ler para aprender Estrutura do Projeto de Pesquisa A Definição

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.1 Armazenamento... 5 4.2 Modelagem... 6 4.3 Metadado... 6 4.4

Leia mais

FRAMEWORK DE DESENVOLVIMENTO LOTUS NOTES

FRAMEWORK DE DESENVOLVIMENTO LOTUS NOTES LEADWORK TECNOLOGIA E TREINAMENTO FRAMEWORK DE DESENVOLVIMENTO LOTUS NOTES Flexibilidade Acesso via Client Notes, Web e Mobile. Com o framework de desenvolvimento as soluções podem ser oferecidas com acesso

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI Noções de sistemas de informação Turma: 01º semestre Prof. Esp. Marcos Morais

Leia mais

Daniel Paulo de Assis

Daniel Paulo de Assis Daniel Paulo de Assis Brasileiro, solteiro, 32 anos Rua Dr. Seng, 100 Bela Vista - São Paulo SP Telefone: (11) 9-4991-5770 / (18) 9-9119-2006 E-mail: daniel@dpassis.com.br WebSite: dpassis.com.br Linkedin:

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA Parecer.DIN 67/07 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA PROCESSO: ECO 07/00374850 UNIDADE GESTORA: RESPONSÁVEL: ASSUNTO: CENTRO DE INFORMÁTICA E AUTOMAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA - CIASC HUGO

Leia mais

Percio Alexandre de Oliveira Prof. Maurício Capobianco Lopes - Orientador

Percio Alexandre de Oliveira Prof. Maurício Capobianco Lopes - Orientador Percio Alexandre de Oliveira Prof. Maurício Capobianco Lopes - Orientador Índice Introdução Objetivos Data Warehouse Estrutura Interna Características Principais elementos: ETC, Metadados e Modelagem Dimensional

Leia mais

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios?

RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling. Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? RESUMO DA SOLUÇÃO CA ERwin Modeling Como eu posso gerenciar a complexidade dos dados e aumentar a agilidade dos negócios? O CA ERwin Modeling fornece uma visão centralizada das principais definições de

Leia mais

Desenvolvimento de Software Livre para a área

Desenvolvimento de Software Livre para a área Desenvolvimento de Software Livre para a área de Saúde Daniel Weingaertner Departamento de Informática UFPR Centro de Computação Científica e Software Livre C3SL Programa de Extensão Conhecendo Padrões

Leia mais

CURSO DE DATAWAREHOUSE TRABALHO FINAL

CURSO DE DATAWAREHOUSE TRABALHO FINAL CURSO DE DATAWAREHOUSE TRABALHO FINAL GRUPO I &- COMMERCE 1 REVISÃO 2 1/6/2000 Foram revistos os itens : Introdução Problemas e soluções propostas REVISÃO 3/4 19/6/2000 E 27/04/2000 versão final Foram

Leia mais

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS Élysson Mendes Rezende Bacharelando em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Professor: Adriel Ziesemer Disciplina: Engenharia de Software TRABALHO ACADÊMICO Cristian Santos - nº 45671 Guilherme

Leia mais

Ferramenta Colaborativa para Groupware

Ferramenta Colaborativa para Groupware Ferramenta Colaborativa para Groupware Rodolpho Brock UFSC Universidade Federal de Santa Catarina INE Deparrtamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Sistema de Informação rbrock@inf.ufsc.br

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO DW NA ANVISA

IMPLANTAÇÃO DO DW NA ANVISA IMPLANTAÇÃO DO DW NA ANVISA Bruno Nascimento de Ávila 1 Rodrigo Vitorino Moravia 2 Maria Renata Furtado 3 Viviane Rodrigues Silva 4 RESUMO A tecnologia de Business Intelligenge (BI) ou Inteligência de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

Proposta de um método para auditoria de projetos de desenvolvimento de software iterativo e incremental

Proposta de um método para auditoria de projetos de desenvolvimento de software iterativo e incremental Proposta de um método para auditoria de projetos de desenvolvimento de software iterativo e incremental Francisco Xavier Freire Neto 1 ; Aristides Novelli Filho 2 Centro Estadual de Educação Tecnológica

Leia mais

Sistema de Informações de Crédito do Banco Central SCR

Sistema de Informações de Crédito do Banco Central SCR Departamento de Supervisão Indireta e Gestão da Informação Desig Diretoria de Fiscalização Sistema de Informações de Crédito do Banco Central SCR Visão Geral O que é o SCR Experiência em outros países

Leia mais

Capítulo 13: Tecnologia da Informação. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 13: Tecnologia da Informação. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 13: Tecnologia da Informação Prof.: Roberto Franciscatto Introdução Uma informação é um arranjo de dados (nomes, palavras, números, sons, imagens) capazes de dar forma ou sentido a algo do interesse

Leia mais

O sistema operacional onde a solução será implementada não foi definido.

O sistema operacional onde a solução será implementada não foi definido. Respostas aos Questionamentos Nº Itens Pergunta Resposta 1 R T-1. 2. 4. 4; R T-1.3.2. 2; R T-1.3.3. 3; RT-2. 2.8; RT-5.7; RT-1.2.4. 3; RT-1. 3.2.1; RT-1. 3. 3. 2; R T- 2. 1. 2; R T-2. 2. 11; O sistema

Leia mais

Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado

Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado Louis Albert Araujo Springer Luis Augusto de Freitas Macedo Oliveira Atualmente vem crescendo

Leia mais

Padrões para o ambiente DW-PBH

Padrões para o ambiente DW-PBH Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Diretoria de Sistema - DS Superintendência de Arquitetura de Sistemas - SAS Gerência de Arquitetura de Informação - GAAS

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

Extensão do Sistema de Metadados para Recursos Naturais

Extensão do Sistema de Metadados para Recursos Naturais Extensão do Sistema de Metadados para Recursos Naturais Andreia Fernandes da Silva (IBGE/DI/COBAD) Celso José Monteiro Filho (IBGE/DGC/CREN) Hesley da Silva Py (IBGE/DI/COBAD) Resumo Tendo em vista a grande

Leia mais

Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006

Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006 Arquitetura de Disseminação de Informações baseada em Datawarehouse 05/04/2006 Agenda A Informal Perspectiva Histórica Modelos de Arquitetura Benefícios para Gestão Caso de Referência Agenda A Informal

Leia mais

TI do Banese foca em negócios com as soluções EITM da CA

TI do Banese foca em negócios com as soluções EITM da CA Case de sucesso TI do Banese foca em negócios com as soluções EITM da CA Perfil do CLIENTE Indústria: Financeira Companhia: BANESE Banco do Quadro de pessoal: 1.200 funcionários NEGÓCIOS O Banese é uma

Leia mais

O sucesso da WWW. Atualização de Hiperdocumentos. Atualização de Hiperdocumentos. Cuidados. Exemplo. Passos. Motivos :

O sucesso da WWW. Atualização de Hiperdocumentos. Atualização de Hiperdocumentos. Cuidados. Exemplo. Passos. Motivos : Atualização de Hiperdocumentos Links Estrutura lógica Estruturas de apresentação Conteúdo (textual, imagens paradas, imagens em movimento e sons) Conclusões O sucesso da WWW Motivos : Facilidade de utilização

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Informação no contexto administrativo Graduação em Redes de Computadores Prof. Rodrigo W. Fonseca SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA PELOTAS >SistemasdeInformação SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA

Leia mais

VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM IMPLANTAÇÃO DA SUITE DE FERRAMENTAS

VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM IMPLANTAÇÃO DA SUITE DE FERRAMENTAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM IMPLANTAÇÃO DA SUITE DE FERRAMENTAS PARA APOIO AO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

Leia mais

01 Analista de TI sênior. Local de trabalho: Campinas (disponibilidade para viagens)

01 Analista de TI sênior. Local de trabalho: Campinas (disponibilidade para viagens) Oportunidades de trabalho na CCM7 01 Analista de TI sênior (disponibilidade para viagens) Responsável pela manutenção e controle dos hardwares e softwares da organização; Projetar e prestar manutenção

Leia mais