Junções celulares, adesão celular e matriz extracelular

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Junções celulares, adesão celular e matriz extracelular"

Transcrição

1 Maio 2016 Junções celulares, adesão celular e matriz extracelular Prof. Dr. Luis Lamberti P. da Silva

2 Tecido Epitelial Células fortemente unidas Células suportam o estresse mecânico Matriz escassa: lâmina basal Tecido Conjuntivo Células esparsamente distribuídas Matriz suporta o estresse mecânico Matriz abundante Figure 19-1 Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008)

3 Classificação Funcional das Junções Celulares Junções Ocludentes Selam o espaço entre células em um epitélio evitando a difusão indiscriminada de moléculas Junções de Ancoramento Conectam mecanicamente as células (e seu citoesqueleto) às células vizinhas ou à matriz extracelular Junções formadoras de canais Criam estruturas (canais) que permitem a passagem de material entre o citoplasma de células adjacentes (ex. Gap junctions) Junções transmissoras de sinal Permitem a transmissão de sinal em regiões de contato célula-célula (sinapses neurais, sinapses imunológicas)

4 Junções ocludentes Junções compactas (Tight Junctions) em vertebrados Junções Septadas em invertebrados

5 Epitélios são estruturas polarizadas Epitélio intestinal Jejuno

6 Junções ocludentes permitem a formação de uma barreira com permeabilidade sele9va através das camadas de células epiteliais Junção ocludente Transporte Transcelular - Espaços entre as células devem ser selados para evitar que moléculas transportadas não retornem ao lúmen do intestino. - Selagem não é absoluta - Barreira contra a difusão (migração) de proteínas de membrana entre domínios apical e basolateral da MP - Manutenção da polaridade da célula - Transporte Paracelular (passagem de nutrientes entre as células)

7 Junções compactas: barreiras à difusão de soluto Molécula traçadora aplicada na região apical Molécula traçadora aplicada na região basolateral Figure Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008)

8 Modelo de uma Junções compacta Microvilosidades Junção Compacta Espaço intercelular Os domínios extracelulares destas proteínas interagem para bloquear o espaço intercelular Interação entre proteínas de células adjacentes Fitas de proteínas da junção compacta - Claudinas principal componente da junção - Ocludinas - Proteínas ZO (zona ocludente) são intracelulares e ancoram as fita ao citoesqueleto de actina

9 Junções de Ancoramento Adesão célula-célula Mediada por filamentos de actina: junção aderente Mediada por filamentos intermediários: desmossomos Adesão célula-matriz extracelular Mediada por filamentos de actina: ex. adesão focal Mediada por filamentos intermediários: hemidesmossomos

10 Junções de ancoramento no epitélio A bicamada lipídica é tênue e imprópria para transmitir força mecânica entre células. acorrentam membrana plasmática ao citoesqueleto acorrentam o citoesqueleto de uma célula ao de outra célula acorrentam a célula à matriz extracelular Amplamente distribuídas nos tecidos animais suporta estresse mecânico Presentes em grande quantidade tecido cardíaco, músculo e epiderme

11 Proteínas transmembrana de adesão ligam o citoesqueleto a estruturas extracelulares Caderinas (Célula- célula) Junções aderentes filamentos de actina Desmossomos filamentos intermediários Integrinas (Célula-matriz extracelular): Junção célula-matriz ligada por actina ex. Adesões focais filamentos de actina Hemidesmossomos filamentos intermediários

12 Caderinas e adesão célula-célula Alguns membros da superfamilia das caderinas Mais de 180 proteínas em humanos NOME LOCALIZAÇÃO PRINCIPAL JUNÇÕES ASSOCIADAS Caderinas clássicas FENÓTIPO QUANDO INATIVADO EM CAMUNDONGOS Caderina-E epitélio junções aderentes morre no estágio de blastocito, o embrião não sofre compactação Caderina-N Caderina-P neurônios, músculo cardíaco e esqueléticos, cristalino e fibroblastos placenta, epiderme, epitélio da mama junções aderente e sinapses químicas junções aderentes embriões morrem por defeitos cardíacos desenvolvimento anormal de glândula mamária Caderina-VE células endoteliais junções aderentes desenvolvimento vascular anormal (apoptose das células endoteliais) Caderinas não-clássicas Desmocolina pele desmossomos desconhecido Desmogleína pele desmossomos doença bolhosa de pele por perda de adesão célula-célula dos queratinóc. Caderina-T neurônio e músculo nenhuma desconhecido Fat (em Drosophila) epitélio e SNC nenhuma aumento dos discos marginais e tumores Protocaderinas neurônios sinapses químicas desconhecido

13 Caderinas medeiam adesão homo>lica

14 Separação celular em grupos dependente de caderinas Células em cultura organizam-se de acordo com: - O tipo de caderina - O nível de expressão da mesma caderina Figure Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008)

15 Mudança no padrão de expressão de caderinas durante a construção do sistema nervoso Caderina E Caderina N ectoderma tubo neural Células da crista neural Figure Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008)

16 Estrutura e função das caderinas Domínio extracelular de uma caderina clássica interação entre duas caderinas de células vizinhas A ligação de Ca++ fornece rigidez a molécula de caderina

17 Estrutura e função das caderinas Em uma junção típica várias moléculas de caderina estão dispostas em paralelo Princípio de Velcro Fornece forca mas pode ser facilmente desmontada por separação seqüencial das moléculas (estrutura dinâmica!!!)

18 Proteínas transmembrana de adesão ligam o citoesqueleto a estruturas extracelulares Caderinas (Célula- célula) Junções aderentes filamentos de actina Desmossomos filamentos intermediários Integrinas (Célula-matriz extracelular): Adesões focais filamentos de actina Hemidesmossomos filamentos intermediários

19 Junções Aderentes Repetição de caderina Ligação de caderinas aos filamentos de actina A ligação é Indireta, pelas proteínas de ancoragem intracelulares: Catenina β Catenina α Vinculina entre outras...

20 Junções Aderentes Junções aderentes formam cinto de adesão contínuo, abaixo das junções compactas Unidas por caderinas ligadas a filamentos de actina por proteínas de ancoramento Proteínas de ancoramento: cateninas e vinculina Cinto de adesão ou zonula aderente Bloqueio de junções aderentes impedem formação de junções compactas.

21 Desmossomos conectam filamentos intermediários entre as células Sítios de ancoramento para filamentos intermediarios - Filamentos de queratina (c. epiteliais) - Filamentos de desmina (c. musculo cardíaco) Proteinas intracelulares de ancoramento (placoglobina e desmoplaquina) Caderinas (desmogleina e desmocolina) Pênfigo anticorpos contra caderinas desmossomicas bolhas na pele Figure 19-17a Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008)

22 Alguns dos componentes moleculares dos Desmossomos intracelulares transmembrana Figure 19-17b Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008)

23 Figure 19-17c, d Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008) Células da epiderme da pele de camunodongo

24 Filamentos de queratina (verde) em um folheto de celulas epiteliais em cultura

25 Complexo Juncional

26 Proteínas transmembrana de adesão ligam o citoesqueleto a estruturas extracelulares Caderinas (Célula- célula) Junções aderentes filamentos de actina Desmossomos filamentos intermediários Integrinas (Célula-matriz extracelular): Adesões focais filamentos de actina Hemidesmossomos filamentos intermediários

27 Junções de ancoramento formadas por Integrinas Junções célula-matriz extracelular São comumente mediadas por Integrinas Junção célula-matriz mediada por actina Ex. Adesão focal (tipo de adesão formada por células a uma placa de cultivo celular)

28 Integrinas - Heterodímeros transmembrana (alfa e beta) - Receptores para proteínas da matriz extracelular (colágenos, lamininas, fibronectina) - Liga-se a seus ligantes de forma reversível - Sinaliza para células as características da matriz (integradores) Ligação ao ligante (sinalização de fora para dentro) Ativação de talina (sinalização de dentro para fora)

29 Regulação da atividade de ligação extracelular de integrinas Sinal extracelular Cascata de sinalização intracelular Mudança conformacional na integrina Ligação à matriz extracelular Ativação de talina

30 Junções de ancoramento formadas por Integrinas Hemidesmossomos Figure Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008)

31 Junções de Ancoramento Sítio de ligação de filamentos de actina célula-célula: junção aderente célula-matriz: adesão focal Sítio de ligação de filamentos intermediários célula-célula: desmossomos célula-matriz: hemidesmossomos

32 Mecanismos de interação célula-célula - Selectinas

33 Estrutura e função das selectinas Estabelecem ligações heterotípicas Selectinas - lectinas transmembrana medeiam adesão celula-celula temporária na corrente sanguinea Interação dependente de Ca++

34 Migração de Leucócitos

35 Junções formadoras de canais - Junções 9po fenda (Gap Junc*ons) - Plasmodesmata (somente em plantas)

36 Junções 9po fenda (Gap Junc9ons) - Presente na maioria dos tecidos animais (exceções: células musculares esqueléfcas e células sanguíneas) - Conecta células eletricamente e metabolicamente através de passagens (Canais) Permite troca de moléculas pequenas - Açúcares, - Aminoácidos, - NucleoKdeos, - Vitaminas, - Mediadores intracelulares (AMPc, IP3) - etc... (Da) Poros (max. 1,5 nm) formados por proteínas

37 O hemi-canal ou Conexon: formado por seis unidades da proteína transmembrana Conexina Alinhamento de conexons de células vizinhas formam o canal aquoso

38 Junções Fpo fenda vistas ao microscópio eletrônico Membrana é manfda a uma distancia fixa (vista como fenda ao m.e.) Cada junção pode ser formada por grupamentos de pouco ou centenas de Conexons Figure Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008)

39 Funções de Junções do 9po fenda Tecidos contendo células excitáveis eletricamente - Difusão rápida de correntes elétricas (velocidade de resposta) - Sincronização de contração: músculo cardíaco e músculo liso (peristalfsmo) Células em tecidos não excitáveis eletricamente - ComparFlhando pequenos metabólitos e íons - Coordenação da afvidade de células em tecidos

40 Resumo dos mecanismos de adesão juncionais e não-juncionais Complexo Juncional

41 Matriz Extracelular

42 Matriz Extracelular - Matriz extracelular preenche espaço extracelular - Proteínas e polissacarídeos secretados localmente - ConsFtuição, rigidez variável - A matriz forma a lamina basal na interface entre o epitélio e o tecido conjunfvo Cinco classes de moléculas: - fibras de colágeno - fibras de elastina - GAG (hialuronana - Proteoglicanos - glicoproteínas adesivas } } insolúveis solúveis

43 O Tecido Conjun9vo subjacente à camada de células epiteliais Matriz secretada por Fibroblastos Figure Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008)

44 Colágenos - Colágeno: proteína mais abundante em mamíferos - Constituídas por 3 cadeias polipeptídicas - fita tripla helicoidal cadeias α enroladas - força tensora ~40 tipos de moléculas de colágeno Principais são: tipo I, II, III, V e IX 80 90% são dos tipos: I, II, III Estes são colágenos fibrilares formam fibrilas Cadeia α Os arranjo das fitas estruturas diferentes - córnea e ossos camadas ordenadas Molécula de - tendões feixes paralelos eixo principal de tensão colágeno

45 Fibroblastos do tecido conjuntivo (córnea de rato) Fibrilas de colágeno (glicoproteínas, GAGs e proteoglicanas eliminados por tratamento ácido e enzimático)

46 Síntese de Colágeno tipo I

47 Fibroblasto e fibrilas de colágeno (em tecido conjuntivo embrionário da pele de ave) Note a disposição dos feixes de colágeno

48 Elastina Segmento da aorta de um cachorro Fibras Elásticas (mesmo tecido) Abundante em tecidos que requerem força elástica (pele, vasos sg., pulmões) Elastina - Altamente hidrofóbica aminoácidos Também é rica em prolina e em glicina mas não é glicosilada Após secreção fazem ligações cruzadas entre lisinas As fibras eláticas são 5 vezes mais extensíveis que a borracha

49 Fibronectina: auxilia a adesão de células à matriz C-terminal Dímero Cada cadeia 2500 aa dobrada em 5 domínios Promove interação com diversas estruturas Seqüência RGD: responsável por interação com célula (integrinas)

50 Tensão aplicada por células regula a montagem de fibronectinas em fibrilas Vermelho: filamentos actina (citoplasma) Verde: fibronectina (superfície celular) Fibroblasto de camundongo em migração Figure Molecular Biology of the Cell ( Garland Science 2008)

51 Glucosaminoglicanos (GAGs) Cadeias de polissacarídeos nãoramificadas composta de unidades dissacarídicas repetidas Geralemente um ácido urônico Sempre um amino-açucar N-acetilglucosamina ou N-acetilgalactosamina Dermatana 70 a 200 moléculas de açúcar (carboxilas e sulfatos) 1) Hialuronana, 2) Sulfato de condroitina e Sulfato de dermatana, 3) Sulfato de heparana e 4) Sulfato de queratana

52 Glucosaminoglicanos (GAGs) hialuronana unidades de dissacarideo diferente das outras GAG não está ligado a uma proteína central Importante no preenchimento de espaço intercelular (cicatrização), fluido de articulações

53 Proteoglicanas compostos por cadeias de GAGs covalentemente ligadas a um núcleo protéico Açúcares são adicionados por transferases Glicosil-específicas no Ap. de Golgi

54 Proteoglicanas

55 Proteoglicanas Propriedades: Alta densidade de cargas negativas hidratação Ocupa grande volume em relação à massa Formam géis em concentrações muito baixas Diversas Funções: Resistência às forças de compressão dos tecidos e articulações Influencia a forma, a sobrevivência e a proliferação celular Facilita a migração celular Regulam a atividade de proteínas secretadas (ex. proteases) Potencializam a ação de certos mediadores (ex. quimiocinas)

56 Lâmina Basal - Camadas flexíveis de matriz extracelular (de 40 nm a 120 nm de espessura) - Forra camadas de células epitéliais, endoteliais, as fibras musculares esqueléticas - Separando-as do tecido conjuntivo adjacente - Suporte (ex. epitélio) - Filtração (ex. Rim) - Polaridade celular - Vias de migração celular - Guia para regeneração de tecidos

57 Lâmina Basal Composição varia - Laminina -Colágeno tipo IV -Nidogenio - Perlecana (proteoglicana) Eletromicrografia de varredura lâmina basal da córnea ave

58 Laminina organizador primário da Lâmina Basal Receptores de Laminina Glicoproteína grande (forma de cruz) 3 cadeias longas (α, β e γ) com 1500 aa Camundongos deficientes morte na embriogênese (não formam lamina basal) Ligam-se a proteoglicana, lipídios sulfatos, integrinas, entactinas

59 Modelo da Lâmina Basal (folha bidimensional)

Junções Celulares Adesão Celular Matriz Extracelular Iêda Guedes

Junções Celulares Adesão Celular Matriz Extracelular Iêda Guedes Junções Celulares Adesão Celular Matriz Extracelular Iêda Guedes Molecular Biology of the Cell Alberts et al., 2002 quarta edição JUNÇÕES CELULARES junções oclusivas junções de ancoramento junções comunicantes

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE CÉLULAS EM TECIDOS

INTEGRAÇÃO DE CÉLULAS EM TECIDOS INTEGRAÇÃO DE CÉLULAS EM TECIDOS Junções Celulares Matriz Extracelular Integração de células em tecidos Introdução A maioria das células animais organizam se em tecidos que se associam em unidades funcionais

Leia mais

Tecido: comunidade organizada de células. estabelecimento de interações

Tecido: comunidade organizada de células. estabelecimento de interações Tecido: comunidade organizada de células estabelecimento de interações moléculas de adesão permitem que as células mantenham o contato umas com as outras e com componentes da matriz extracelular Interações

Leia mais

Junções Celulares e Matriz extracelular

Junções Celulares e Matriz extracelular Junções Celulares e Matriz extracelular O intestino é constituído por epitélio, tecido conjuntivo e muscular, sendo a coesão de cada tecido mantida por locais de adesão célula-célula e matriz extracelular

Leia mais

14/03/2016. Universidade Federal do Amazonas ICB Dep. Morfologia Disciplina: Biologia Celular Aulas Teóricas

14/03/2016. Universidade Federal do Amazonas ICB Dep. Morfologia Disciplina: Biologia Celular Aulas Teóricas Universidade Federal do Amazonas ICB Dep. Morfologia Disciplina: Biologia Celular Aulas Teóricas 1 2 Matriz Extracelular Epitélios e sua relação com a Matriz Extracelular 3 Matriz Extracelular Lâmina basal

Leia mais

Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA

Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Histologia Ramo da Biologia que estuda os tecidos; Tecido - é um conjunto de células, separadas ou não por substâncias intercelulares e que realizam determinada

Leia mais

gástrula de um embrião humano Há 4 tipos de tecidos Epitelial Conjuntivo Nervoso Muscular

gástrula de um embrião humano Há 4 tipos de tecidos Epitelial Conjuntivo Nervoso Muscular gástrula de um embrião humano Há 4 tipos de tecidos Epitelial Conjuntivo Nervoso Muscular tecido epitelial tecido conjuntivo* * Sinônimos: tecido conectivo, estroma matriz extracelular células tipos de

Leia mais

Moléculas de Adesão, Junção Celular e Matrix Extracelular (Aula 3)

Moléculas de Adesão, Junção Celular e Matrix Extracelular (Aula 3) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE SETOR DE GENÉTICA E BIOLOGIA MOLECULAR Moléculas de Adesão, Junção Celular e Matrix Extracelular (Aula 3) Profa. Dra. Nívea Macedo

Leia mais

HISTOLOGIA. Tecido Epitelial Cap.4 PLT

HISTOLOGIA. Tecido Epitelial Cap.4 PLT HISTOLOGIA Tecido Epitelial Cap.4 PLT Células geralmente poliédricas (justapostas). Pouca substância extracelular Funções: - revestimento, - absorção, - excreção - secreção, - proteção, - sensorial. Avascular.

Leia mais

HISTOLOGIA. Tecido Epitelial

HISTOLOGIA. Tecido Epitelial HISTOLOGIA Tecido Epitelial Geralmente avascularizado Características Escassez de matriz extracelular Membrana basal: separa e prende o epitélio ao tecido conjuntivo Células justapostas com junções intercelulares

Leia mais

Parte II A diversidade celular dos animais TECIDOS

Parte II A diversidade celular dos animais TECIDOS Parte II A diversidade celular dos animais TECIDOS Organismos multicelulares Vantagens: Conjunto de células TECIDOS Divisão de tarefas e funções Interdependência estrutural e funcional Células especializadas

Leia mais

4 tipos: junção de oclusão junção aderente desmossomo junção comunicante. 2 tipos: 1- junção de adesão focal 2- hemidesmossomos.

4 tipos: junção de oclusão junção aderente desmossomo junção comunicante. 2 tipos: 1- junção de adesão focal 2- hemidesmossomos. Junções Intercelulares Célula 1234- Célula 4 tipos: junção de oclusão junção aderente desmossomo junção comunicante Junções Célula-Matriz Célula Matriz extracelular 2 tipos: 1- junção de adesão focal 2-

Leia mais

SEPARAR INTEGRAR A ilustração acima sugere que a membrana plasmática separa o ambiente intracelular do meio no qual a célula está inserida. Isso, no e

SEPARAR INTEGRAR A ilustração acima sugere que a membrana plasmática separa o ambiente intracelular do meio no qual a célula está inserida. Isso, no e Membrana Plasmática SEPARAR INTEGRAR A ilustração acima sugere que a membrana plasmática separa o ambiente intracelular do meio no qual a célula está inserida. Isso, no entanto, não quer dizer que a MP

Leia mais

Citoesqueleto e Matriz extracelular

Citoesqueleto e Matriz extracelular Citoesqueleto e Matriz extracelular OBJETIVOS da aula os estudantes deverão ser capazes de Descrever os componentes do citoesqueleto (microtúbulos, microfilamentos e filamentos intermediários), suas funções

Leia mais

Junções celulares 1: Junções ocludentes

Junções celulares 1: Junções ocludentes Junções celulares 1: Junções ocludentes A U L A 5 objetivos Ao final desta aula, você deverá ser capaz de: Reconhecer a importância e a necessidade da formação de junções entre as células. Entender o papel

Leia mais

Evoluíram sua organização multicelular de. Independente Construção de tecidos em diferentes princípios

Evoluíram sua organização multicelular de. Independente Construção de tecidos em diferentes princípios Matriz Extracelular Células do Intestino Matriz Extracelular Plantas e Animais Evoluíram sua organização multicelular de forma: Independente Construção de tecidos em diferentes princípios Matriz Extracelular

Leia mais

Tecidos estrutura geral

Tecidos estrutura geral Tecido Epitelial Tecidos estrutura geral Célula Meio extracelular Os tecidos em geral apresentam na sua organização básica: (1) células e (2) meio extracelular. Órgãos estrutura geral Componentes: Parênquima:

Leia mais

Matriz extracelular e Tecido epitelial

Matriz extracelular e Tecido epitelial Matriz extracelular e Tecido epitelial Capítulo 20 - Fundamentos da Biologia Celular Alberts - 3ª edição Capítulo 4 Histologia Básica Junqueira e Carneiro Células são organizadas em tecidos Plantas tem

Leia mais

Tecido conjuntivo e tecido osseo

Tecido conjuntivo e tecido osseo Tecido conjuntivo e tecido osseo Tipos de tecido conjuntivo Tecidos responsáveis por unir, ligar, nutrir, proteger e sustentar os outros tecidos Tecidos Conjuntivos Propriamente Ditos Frouxo Denso Modelado

Leia mais

HISTOLOGIA DO TECIDO EPITELIAL - 3

HISTOLOGIA DO TECIDO EPITELIAL - 3 Junções intercelulares HISTOLOGIA DO TECIDO EPITELIAL - 3 Vera Regina Andrade, 2015 São estruturas da membrana plasmática que contribuem para a adesão e comunicação entre as células Também podem ser vedantes,

Leia mais

Membrana Celular. Membrana Celular 08/03/13. Todas as membranas celulares apresentam a mesma constituição básica

Membrana Celular. Membrana Celular 08/03/13. Todas as membranas celulares apresentam a mesma constituição básica Membrana Celular Todas as membranas celulares apresentam a mesma constituição básica Membrana celular -Membrana plasmática -Endomembranas Membrana Celular Membrana plasmática: limite celular Sistema de

Leia mais

Citoesqueleto. Organização dos componentes celulares Interação mecânica com o ambiente Movimentos coordenados. Ações dependentes do citoesqueleto

Citoesqueleto. Organização dos componentes celulares Interação mecânica com o ambiente Movimentos coordenados. Ações dependentes do citoesqueleto Citoesqueleto Citoesqueleto Organização dos componentes celulares Interação mecânica com o ambiente Movimentos coordenados Ações dependentes do citoesqueleto ossos e músculos celulares Micrografia de fluorescência

Leia mais

FISIOLOGIA E TRANSPORTE ATRAVÉS DA MEMBRANA CELULAR

FISIOLOGIA E TRANSPORTE ATRAVÉS DA MEMBRANA CELULAR FISIOLOGIA E TRANSPORTE ATRAVÉS DA MEMBRANA CELULAR AULA 2 DISCIPLINA: FISIOLOGIA I PROFESSOR RESPONSÁVEL: FLÁVIA SANTOS Membrana Celular ou Membrana Plasmática Função 2 Membrana Celular ou Membrana Plasmática

Leia mais

TECIDO EPITELIAL. Professora Melissa Kayser

TECIDO EPITELIAL. Professora Melissa Kayser TECIDO EPITELIAL Professora Melissa Kayser Tecido Epitelial Introdução Tecido que reveste a superfície externa do corpo e as cavidades internas. Desempenha várias funções: Proteção do corpo (pele) Percepção

Leia mais

Membrana Plasmática ou Celular Biomedicina Semestre

Membrana Plasmática ou Celular Biomedicina Semestre Membrana Plasmática ou Celular Biomedicina Semestre 1-2012 Profa. Luciana F. Krause Funções: Membrana Plasmática Envoltório do citoplasma; Delimita e contém os meios intra e extracelular; dando individualidade

Leia mais

Terapia Ocupacional. Fisilogia

Terapia Ocupacional. Fisilogia Curso: Terapia Ocupacional Disciplina: Fisilogia Aula: Membrana Plasmática Profº. Ms. Rafael Palhano Fedato rafapalha@gmail.com Membrana Plasmática ou Membrana celular É uma dupla camada de lipídios com

Leia mais

4/10/2012 CITOESQUELETO. Citoesqueleto. Rede intrincada de filamentos protéicos que se estendem por todo o citoplasma

4/10/2012 CITOESQUELETO. Citoesqueleto. Rede intrincada de filamentos protéicos que se estendem por todo o citoplasma CITOESQUELETO Citoesqueleto Rede intrincada de filamentos protéicos que se estendem por todo o citoplasma 1 Citoesqueleto Garante a estrutura da célula e de suas organelas; Ajuda a organizar a atividade

Leia mais

BIOMEMBRANAS Disciplina: Citologia e embriologia

BIOMEMBRANAS Disciplina: Citologia e embriologia BIOMEMBRANAS Disciplina: Citologia e embriologia Profª Dra. Adriana Junqueira a.soeiro.j@gmail.com 1.Sinonímia Plasmalema Membrana Citoplasmática 2.Conceito Separa o meio intracelular do extracelular,

Leia mais

Tecido conjuntivo. Capítulos 5, 6, 7, 8 e 12 Histologia Básica Junqueira e Carneiro

Tecido conjuntivo. Capítulos 5, 6, 7, 8 e 12 Histologia Básica Junqueira e Carneiro Tecido conjuntivo Capítulos 5, 6, 7, 8 e 12 Histologia Básica Junqueira e Carneiro Tecido conjuntivo Tecido conjuntivo propriamente dito é composto de uma porção celular e de uma matriz extracelular que

Leia mais

BIOLOGIA. Moléculas, células e tecidos. Estrutura e fisiologia da Membrana Plasmática - Parte 3. Professor: Alex Santos

BIOLOGIA. Moléculas, células e tecidos. Estrutura e fisiologia da Membrana Plasmática - Parte 3. Professor: Alex Santos BIOLOGIA Moléculas, células e tecidos Professor: Alex Santos Tópicos em abordagem: Parte 2 Transporte e especializações de membrana V Transporte através de membrana VI Especializações de membrana II Especializações

Leia mais

MEMBRANAS PLASMÁTICAS

MEMBRANAS PLASMÁTICAS MEMBRANAS PLASMÁTICAS Essenciais para a vida da célula https://www.youtube.com/watch?v=qdo5il1ncy4 Funções: Forma da célula. Intercâmbio célula-meio. Delimita conteúdo celular. Reconhecimento celular.

Leia mais

TECIDO CARTILAGINOSO. - Células - Matriz Extracelular. Flexibilidade e Resistência

TECIDO CARTILAGINOSO. - Células - Matriz Extracelular. Flexibilidade e Resistência TECIDO CARTILAGINOSO - Células - Matriz Extracelular Flexibilidade e Resistência TECIDO CARTILAGINOSO Células: - Células Condrogências - Condroblastos - Condrócitos Síntese da Matriz Matriz: - fibrilas

Leia mais

Mecanismos bio-moleculares responsáveis pela captação e interpretação dos sinais do meio externo e interno comunicação celular

Mecanismos bio-moleculares responsáveis pela captação e interpretação dos sinais do meio externo e interno comunicação celular Mecanismos bio-moleculares responsáveis pela captação e interpretação dos sinais do meio externo e interno comunicação celular Transferência citoplasmática direta de sinais elétricos e químicos Como as

Leia mais

09/08/2017. Do que a membrana plasmática é composta? Qual sua estrutura morfológica? Biologia Celular e Molecular. Joana Da Mata. Membrana Plasmática

09/08/2017. Do que a membrana plasmática é composta? Qual sua estrutura morfológica? Biologia Celular e Molecular. Joana Da Mata. Membrana Plasmática Biologia Celular e Molecular Joana Da Mata Membrana Plasmática Do que a membrana plasmática é composta? Qual sua estrutura morfológica? Como o espermatozoide reconhece o oócito? Qual seu tipo sanguíneo?

Leia mais

Membranas Biológicas

Membranas Biológicas UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA DQMC BIOQUÍMICA BIO0001 Membranas Biológicas Prof Karine P. Naidek Outubro/2016 Membranas Biológicas Membranas

Leia mais

HISTOLOGIA DO TECIDO EPITELIAL

HISTOLOGIA DO TECIDO EPITELIAL Introdução HISTOLOGIA DO TECIDO EPITELIAL Vera Regina Andrade, 2015 Apesar de toda a complexidade, o organismo humano é constituído de 4 tipos básicos de tecidos Tecido epitelial Tecido conjuntivo Tecido

Leia mais

Biologia. Membranas Biológicas. Professor Enrico Blota.

Biologia. Membranas Biológicas. Professor Enrico Blota. Biologia Membranas Biológicas Professor Enrico Blota www.acasadoconcurseiro.com.br Biologia MEMBRANAS BIOLÓGICAS PARTE 1 Todas as células, sejam elas procariontes ou eucariontes apresentam um revestimento

Leia mais

Diversidade celular. Riqueza em material extracelular

Diversidade celular. Riqueza em material extracelular Diversidade celular Riqueza em material extracelular Sistema de fibras colágenas, reticulares e elásticas Substância fundamental amorfa, rica em glicosaminoglicanas, proteoglicanas, água e glicoproteínas

Leia mais

Conceitos fundamentais de Biologia Celular

Conceitos fundamentais de Biologia Celular Conceitos fundamentais de Biologia Celular Principais estruturas da célula eucariótica O NÚCLEO Contém nos cromossomos todo o genoma (DNA) das células; Responsável pela síntese e processamento dos RNAs

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Moléculas, células e tecidos - Membranas biológicas Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Moléculas, células e tecidos - Membranas biológicas Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Moléculas, células e tecidos - Membranas biológicas Prof. Enrico Blota Biologia Moléculas, células e tecidos - Membranas Biológicas Todas as células, sejam elas procariontes

Leia mais

TECIDO EPITELIAL. Tecido epitelial: Origem. Mamíferos: Tipos de tecidos. Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso 26/09/2017 ECTODERMA MESODERMA

TECIDO EPITELIAL. Tecido epitelial: Origem. Mamíferos: Tipos de tecidos. Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso 26/09/2017 ECTODERMA MESODERMA TECIDO EPITELIAL Mamíferos: Tipos de tecidos Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso Tecido epitelial: Origem ECTODERMA MESODERMA ENDODERMA 1 Tecido epitelial Ectoderma: Epitélios sensoriais dos olhos; Aparelho

Leia mais

Contração e Excitação do Músculo Liso

Contração e Excitação do Músculo Liso Contração e Excitação do Músculo Liso Qual a função do musculo liso? O músculo liso encontra-se nas paredes de vários órgãos e tubos do organismo, incluindo vasos sanguíneos, tracto gastrointestinal, bexiga,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA SISTEMA MUSCULAR Dra. Flávia Cristina Goulart CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Campus de Marília flaviagoulart@marilia.unesp.br Histologia do M.Esquelético É formado por células

Leia mais

Tecido Epitelial e Conjuntivo

Tecido Epitelial e Conjuntivo Tecido Epitelial e Conjuntivo Objetivos os estudantes deverão ser capazes de... - descrever as características (constituintes e sua organização) e funções gerais do epitélio de revestimento e do epitélio

Leia mais

Mecanismos bio-moleculares responsáveis pela captação e interpretação dos sinais do meio externo e interno comunicação celular

Mecanismos bio-moleculares responsáveis pela captação e interpretação dos sinais do meio externo e interno comunicação celular Mecanismos bio-moleculares responsáveis pela captação e interpretação dos sinais do meio externo e interno comunicação celular Transferência citoplasmática direta de sinais elétricos e químicos Como as

Leia mais

Permeabilidade da Bicamada Lipídica. Barreira hidrofóbica impermeável a solutos e íons. tamanho da molécula. solubilidade da molécula (em óleo)

Permeabilidade da Bicamada Lipídica. Barreira hidrofóbica impermeável a solutos e íons. tamanho da molécula. solubilidade da molécula (em óleo) Permeabilidade da Bicamada Lipídica Barreira hidrofóbica impermeável a solutos e íons tamanho da molécula solubilidade da molécula (em óleo) TRÂNSITO ATRAVÉS DA MEMBRANA MEMBRANA PLASMÁTICA TRÂNSITO ATRAVÉS

Leia mais

Conjunto de células semelhantes e interdependentes. Condição básica da multicelularidade. Vantagens: aumento do tamanho, divisão de trabalho

Conjunto de células semelhantes e interdependentes. Condição básica da multicelularidade. Vantagens: aumento do tamanho, divisão de trabalho Conjunto de células semelhantes e interdependentes Condição básica da multicelularidade Vantagens: aumento do tamanho, divisão de trabalho Origens embrionárias dos tecidos animais: Ectoderme Mesoderme

Leia mais

Membrana Plasmática. Dra. Maria Izabel Gallão

Membrana Plasmática. Dra. Maria Izabel Gallão Membrana Plasmática Composição química A composição química das membranas oscila em torno dos valores médios de 60% de proteínas e 40% de lipídios. Associados às proteínas e os lipídios encontram-se açúcares,

Leia mais

objetivos Matriz extracelular AULA Pré-requisitos

objetivos Matriz extracelular AULA Pré-requisitos Matriz extracelular AULA 7 objetivos Ao final desta aula, você deverá ser capaz de: Definir o que é a matriz extracelular. Enumerar os tecidos onde a matriz extracelular tem papel fundamental. Caracterizar

Leia mais

- A energia é armazenada em suas ligações químicas e liberadas na digestão

- A energia é armazenada em suas ligações químicas e liberadas na digestão 1 IV Bioquímica de biomoléculas 1 Carboidratos ou Glicídeos - São as biomoléculas mais abundantes - São uma classe de moléculas orgânicas que possuem em sua estrutura carbono (C), hidrogênio () e oxigênio

Leia mais

TECIDO EPITELIAL 13/10/2014. Mamíferos: Tipos de tecidos. Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso. Tecido epitelial: Origem ECTODERMA MESODERMA

TECIDO EPITELIAL 13/10/2014. Mamíferos: Tipos de tecidos. Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso. Tecido epitelial: Origem ECTODERMA MESODERMA TECIDO EPITELIAL Mamíferos: Tipos de tecidos Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso Origem ECTODERMA MESODERMA ENDODERMA 1 Tecido epitelial Ectoderma: epitélios sensoriais dos olhos; aparelho auditivo e

Leia mais

Membranas biológicas

Membranas biológicas Citologia e Histologia Membranas biológicas Composição e Estrutura Prof a Dr a. Iêda Guedes Membranas biológicas 1. Considerações gerais 2. Estrutura de membrana 3. Lipídeos de membrana 4. Proteínas de

Leia mais

8ª aula teórica Proteínas estruturais: colagénio, queratina e elastina. Bibliografia

8ª aula teórica Proteínas estruturais: colagénio, queratina e elastina. Bibliografia BIOQUÍMICA I 2010/2011 Ensino teórico - 1º ano Mestrado Integrado em Medicina 8ª aula teórica Proteínas estruturais: colagénio, queratina e elastina 12-10-2010 Bibliografia Biochemistry with clinical correlations,

Leia mais

Tecido Conjuntivo. - Células: armazenamento de metabólitos, resposta imunológica, reparo tecidual.

Tecido Conjuntivo. - Células: armazenamento de metabólitos, resposta imunológica, reparo tecidual. Tecido Conjuntivo - Células: armazenamento de metabólitos, resposta imunológica, reparo tecidual. - Matrix Extracelular: influencia na sobrevivência, desenvolvimento, migração, proliferação, forma e função

Leia mais

UNIPAMPA Disciplina de Histologia, citologia e embriologia Curso de Nutrição TECIDO EPITELIAL. Prof.: Cristiano Ricardo Jesse

UNIPAMPA Disciplina de Histologia, citologia e embriologia Curso de Nutrição TECIDO EPITELIAL. Prof.: Cristiano Ricardo Jesse UNIPAMPA Disciplina de Histologia, citologia e embriologia Curso de Nutrição TECIDO EPITELIAL Prof.: Cristiano Ricardo Jesse CONSIDERAÇÕES INICIAIS Organismos Sistemas Órgãos Tecidos Células CONSIDERAÇÕES

Leia mais

TECIDO EPITELIAL. Funções:

TECIDO EPITELIAL. Funções: TECIDO EPITELIAL Constituídoas por células poliédricas justapostas, entre as quais elas existe tem pouca substância extracelular. As células se aderem umas às outras por junções intercelulares. Funções:

Leia mais

Fisiologia celular I. Fisiologia Prof. Msc Brunno Macedo

Fisiologia celular I. Fisiologia Prof. Msc Brunno Macedo celular I celular I Objetivo Conhecer os aspectos relacionados a manutenção da homeostasia e sinalização celular Conteúdo Ambiente interno da célula Os meios de comunicação e sinalização As bases moleculares

Leia mais

HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS

HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS TIPOS DE TECIDOS DO CORPO HUMANO O organismo humano é formado por quatro tipos básicos de tecidos: o epitelial, o conjuntivo, o muscular e o nervoso. Estes tecidos são formados

Leia mais

Disciplina de Biologia Celular

Disciplina de Biologia Celular Universidade Salgado de Oliveira Disciplina de Biologia Celular Organização Geral e Evolução das Células, Biomembranas, Matriz Extracelular e Junções Intercelulares Profª Larissa dos Santos Evolução do

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO São responsáveis pelo estabelecimento e

TECIDO CONJUNTIVO São responsáveis pelo estabelecimento e Prof. Bruno Pires TECIDO CONJUNTIVO São responsáveis pelo estabelecimento e do corpo. Isso ocorre pela presença de um conjunto de moléculas que conectam esse tecido aos outros, por meio da sua. Estruturalmente

Leia mais

Variedades de Tecido Conjuntivo

Variedades de Tecido Conjuntivo Tecido Conjuntivo Variedades de Tecido Conjuntivo Propriamente dito (frouxo, denso modelado e não modelado) Com propriedades especiais (tecido elástico, reticular, adiposo, mielóide, linfóide, mucoso)

Leia mais

Reparação. Regeneração Tecidual 30/06/2010. Controlada por fatores bioquímicos Liberada em resposta a lesão celular, necrose ou trauma mecânico

Reparação. Regeneração Tecidual 30/06/2010. Controlada por fatores bioquímicos Liberada em resposta a lesão celular, necrose ou trauma mecânico UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA DE PATOLOGIA VETERINÁRIA Reparação Prof. Raimundo Tostes Reparação Regeneração: reposição de um grupo de células destruídas

Leia mais

Eletrofisiologia 13/03/2012. Canais Iônicos. Proteínas Integrais: abertas permitem a passagem de íons

Eletrofisiologia 13/03/2012. Canais Iônicos. Proteínas Integrais: abertas permitem a passagem de íons Eletrofisiologia Proteínas Integrais: abertas permitem a passagem de íons Seletividade Alguns íons podem passar outros não Tamanho do canal Distribuição de cargas Aberto ou fechado Proteínas Integrais:

Leia mais

25/08/2017 CÉLULAS. Células Procariontes. Raduan. Célula Eucarionte Vegetal. Raduan

25/08/2017 CÉLULAS. Células Procariontes. Raduan. Célula Eucarionte Vegetal. Raduan CÉLULAS Células Procariontes Célula Eucarionte Vegetal 1 Célula Eucarionte Animal Núcleo Citoplasma Célula Animal Estrutura geral Membrana citoplasmática Mitocôndrias Retículo endoplasmático Complexo de

Leia mais

TECIDO MUSCULAR CONTINUAÇÃO...

TECIDO MUSCULAR CONTINUAÇÃO... TECIDO MUSCULAR CONTINUAÇÃO... MÚSCULO CARDÍACO Células alongadas e ramificadas Se prendem por meio de junções intercelulares complexas Estriações transversais Um ou dois núcleos centralmente Circundadas

Leia mais

O corpo humano é formado por uma quantidade enorme de células

O corpo humano é formado por uma quantidade enorme de células A célula A célula O corpo humano é formado por uma quantidade enorme de células Estima-se que um humano adulto possua cerca de 60 trilhões de células, cada qual com funções específicas. A célula É bem

Leia mais

BIOLOGIA. Moléculas, células e tecidos. Estudo dos tecidos Parte 1. Professor: Alex Santos

BIOLOGIA. Moléculas, células e tecidos. Estudo dos tecidos Parte 1. Professor: Alex Santos BIOLOGIA Moléculas, células e tecidos Parte 1 Professor: Alex Santos Tópicos em abordagem Parte I Tecido epitelial I Conceitos fundamentais em histologia II Visão geral de classificação dos tecidos III

Leia mais

Histofisiologia Tecido epitelial. Prof. Leonardo M. Crema

Histofisiologia Tecido epitelial. Prof. Leonardo M. Crema Histofisiologia Tecido epitelial Prof. Leonardo M. Crema Origem ectoderma: epiderme, epitélios do nariz, boca e glândulas sebácea, mamária e salivar. mesoderma: endotélio (tecido que reveste os vasos sanguíneos

Leia mais

REVISÃO BIOCEL E MOL DO OR DO NOT, THERE IS NO TRY.

REVISÃO BIOCEL E MOL DO OR DO NOT, THERE IS NO TRY. REVISÃO BIOCEL E MOL DO OR DO NOT, THERE IS NO TRY. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO CITOESQUELETO MICROFILAMENTOS MICROTÚBULOS FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS Estrutura geral dos monômeros 8 nm CARACTERÍSTICAS GERAIS

Leia mais

Histologia. Professora Deborah

Histologia. Professora Deborah Histologia Professora Deborah Histologia Histologia (do grego hystos = tecido + logos = estudo) é o estudo dos tecidos biológicos, sua formação, estrutura e função. Tecidos É um conjunto de células que

Leia mais

Importância dos processos de sinalização. Moléculas sinalizadoras (proteínas, peptídeos, aminoácidos, hormônios, gases)

Importância dos processos de sinalização. Moléculas sinalizadoras (proteínas, peptídeos, aminoácidos, hormônios, gases) Sinalização celular Importância dos processos de sinalização Seres unicelulares Seres multicelulares Moléculas sinalizadoras (proteínas, peptídeos, aminoácidos, hormônios, gases) Receptores Proteínas -

Leia mais

Histologia 19/11/2018. Tecido epitelial. Histologia

Histologia 19/11/2018. Tecido epitelial. Histologia Histologia Histologia Tecido epitelial Tecido conjuntivo Definição de tecido : conjunto de células da mesma origem embrionária que desempenham uma atividade específica; Células; Substância intercelular

Leia mais

BIOLOGIA. Moléculas, células e tecidos. Estrutura e fisiologia da Membrana Plasmática - Parte 1. Professor: Alex Santos

BIOLOGIA. Moléculas, células e tecidos. Estrutura e fisiologia da Membrana Plasmática - Parte 1. Professor: Alex Santos BIOLOGIA Moléculas, células e tecidos Estrutura e fisiologia da Membrana Plasmática - Parte 1 Professor: Alex Santos Tópicos em abordagem: Estrutura e fisiologia da Membrana Plasmática - Parte 1 Parte

Leia mais

ESTRUTURA DAS PROTEÍNAS

ESTRUTURA DAS PROTEÍNAS ESTRUTURA DAS PROTEÍNAS Como é a estrutura tridimensional das proteínas??? 4 níveis estruturais Estrutura primária, secundária, terciária e quaternária Mantidas por: ligações covalentes (ligação peptídica

Leia mais

Compar'mentos celulares e membranas. Patricia Coltri

Compar'mentos celulares e membranas. Patricia Coltri Compar'mentos celulares e membranas Patricia Coltri coltri@usp.br Nesta aula: Compar'mentalização celular Papel das membranas na célula Composição Transporte Membranas: compar'mentos intracelulares Evolução

Leia mais

TECIDO EPITELIAL. Prof. Me. Leandro Parussolo

TECIDO EPITELIAL. Prof. Me. Leandro Parussolo TECIDO EPITELIAL Prof. Me. Leandro Parussolo Tecido Epitelial Introdução Tecido que reveste a superfície externa do corpo e as cavidades internas dos animais Desempenha várias funções: proteção do corpo

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Biologia. Membrana Plasmática. Prof. Msc. Macks Wendhell Gonçalves.

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Biologia. Membrana Plasmática. Prof. Msc. Macks Wendhell Gonçalves. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Biologia Membrana Plasmática Prof. Msc. Macks Wendhell Gonçalves mackswendhell@gmail.com Membrana Plasmática (MP) A MP mantem constante o meio

Leia mais

MEMBRANA PLASMÁTICA. Universidade Federal do Pampa Curso de Nutrição Biologia celular e molecular

MEMBRANA PLASMÁTICA. Universidade Federal do Pampa Curso de Nutrição Biologia celular e molecular Universidade Federal do Pampa Curso de Nutrição Biologia celular e molecular MEMBRANA PLASMÁTICA Profª Ms. Vanessa Retamoso Adaptado da Prof Drª Carla Sehn Membrana plasmática Modelo mosaico fluido Membranas

Leia mais

Tecido conjuntivo. Células. Matriz Extracelular (MEC) Abundante

Tecido conjuntivo. Células. Matriz Extracelular (MEC) Abundante Células Tecido conjuntivo Matriz Extracelular (MEC) Abundante Tecido conjuntivo I Matriz Extracelular (MEC) Tipos de tecido conjuntivo Tecido conjuntivo II Células residentes Células transitórias Tecido

Leia mais

Biologia Celular e Molecular:

Biologia Celular e Molecular: Disciplina: Biologia Celular e Molecular: Prof.Dr. Antonio Augusto L. Barboza Diferenciação Celular EUCARIONTES Célula Animal Célula Vegetal Células procariontes Pobreza de membranas (somente a membrana

Leia mais

Tecido Conjun,vo II: matriz e classificações. Patricia Coltri

Tecido Conjun,vo II: matriz e classificações. Patricia Coltri Tecido Conjun,vo II: matriz e classificações Patricia Coltri coltri@usp.br Nesta aula: Matriz extracelular do tecido conjun,vo sistema colágeno e sistema elas,na substância fundamental amorfa classificação

Leia mais

Resumo Teórico: Histologia O Estudo dos Tecidos Vivos

Resumo Teórico: Histologia O Estudo dos Tecidos Vivos Nesse texto, vamos falar um pouco sobre os diversos tecidos que formam nosso corpo. Vamos entender as características de cada tipo de tecido e sua relação com o funcionamento do nosso corpo. Resumo Teórico:

Leia mais

Introdução à Histologia e Técnicas Histológicas. Prof. Cristiane Oliveira

Introdução à Histologia e Técnicas Histológicas. Prof. Cristiane Oliveira Introdução à Histologia e Técnicas Histológicas Prof. Cristiane Oliveira Visão Geral Corpo humano organizado em 4 tecidos básicos: Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso Visão Geral - Tecidos consistem

Leia mais

Proteínas fibrosas e globulares ESTRUTURAS FUNÇÕES

Proteínas fibrosas e globulares ESTRUTURAS FUNÇÕES Proteínas fibrosas e globulares ESTRUTURAS FUNÇÕES 2 OBJETIVOS DA AULA PROTEÍNAS FIBROSAS Conhecer a classificação das proteínas quanto à forma Estudar a estrutura das queratinas, bem como suas funções

Leia mais

Cultura de Células. Culturas primárias x linhagens celulares. Diferentes tipos celulares podem crescer em cultura 15/03/2018

Cultura de Células. Culturas primárias x linhagens celulares. Diferentes tipos celulares podem crescer em cultura 15/03/2018 Cultura de Células Diferentes tipos celulares podem crescer em cultura Claudia Mermelstein fibroblastos mioblastos oligodendrócitos Culturas primárias x linhagens celulares Culturas primárias x linhagens

Leia mais

Tecido Epitelial de Revestimento

Tecido Epitelial de Revestimento Tecido Epitelial de Revestimento Prof. a Dr a. Sara Tatiana Moreira UTFPR Campus Santa Helena 1 Tecido Epitelial Revestimento Secreção/ Glandular 2 1 Revestimento das superfícies corporais externas 3 Revestimento

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO. Prof. Cristiane Oliveira

TECIDO CONJUNTIVO. Prof. Cristiane Oliveira TECIDO CONJUNTIVO Prof. Cristiane Oliveira Tecido Conjuntivo Introdução e Funções - Caracteriza-se pela grande variedade de células e abundância de matriz extracelular; - Termo CONJUNTIVO Algo que junta

Leia mais

Tecido muscular Capítulo 5

Tecido muscular Capítulo 5 Tecido muscular Capítulo 5 1 MÚSCULO ESTRIADO ESQUELÉTICO As células do músculo estriado esquelético são originadas da fusão dos mioblastos. Figura 5.1 - Fusão dos mioblastos para formar o músculo estriado

Leia mais

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DO SER HUMANO. CIÊNCIAS Prof. Simone Camelo

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DO SER HUMANO. CIÊNCIAS Prof. Simone Camelo NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DO SER HUMANO CIÊNCIAS Prof. Simone Camelo MOLÉCULAS CÉLULAS TECIDOS ÓRGÃOS SISTEMAS ORGANISMO TECIDOS Conjunto de células semelhantes, que desempenham a mesma função. Existem quatro

Leia mais

Cada célula é programada para responder a combinações específicas de moléculas sinalizadoras

Cada célula é programada para responder a combinações específicas de moléculas sinalizadoras Sinalização celular Cada célula é programada para responder a combinações específicas de moléculas sinalizadoras Etapas da Sinalização 1) Síntese e liberação da molécula sinalizadora pela célula sinalizadora

Leia mais

Tecido conjuntivo de preenchimento. Pele

Tecido conjuntivo de preenchimento. Pele Tecido conjuntivo de preenchimento Pele derme epiderme Pele papila dérmica crista epidérmica corte histológico da pele observado em microscopia de luz Camadas da Epiderme proliferação e diferenciação dos

Leia mais

Tecido Conjuntivo. Prof Leonardo M. Crema

Tecido Conjuntivo. Prof Leonardo M. Crema Tecido Conjuntivo Prof Leonardo M. Crema Características: células separadas por muito material extracelular menor densidade celular vários tipos de células vasos sanguíneos, linfáticos, nervoso FUNÇÕES

Leia mais

Membrana Celular (Membrana Plasmática)

Membrana Celular (Membrana Plasmática) Partes da Célula: Membrana Celular (Membrana Plasmática) Citoplasma - citosol - organelas (compartimentalização funcional) Núcleo A Membrana Plasmática: estrutura geral O Modelo do Mosaico Fluido A Membrana

Leia mais

Os tecidos. Tecidos biológicos. Aula 1 e 2. Tecido epitelial Tecido conjuntivo. 1º bimestre. Professora calina

Os tecidos. Tecidos biológicos. Aula 1 e 2. Tecido epitelial Tecido conjuntivo. 1º bimestre. Professora calina 1º bimestre Professora calina Aula 1 e 2 Tecidos biológicos Tecido epitelial Tecido conjuntivo Tecidos do corpo humano Tecido é um conjunto de células desempenham uma mesma função. semelhantes que Tecido

Leia mais

Formado por 2 camadas de lipídios envolvidas por 2 camadas de. Formado por 2 camadas de lipídios com proteínas mergulhadas entre eles.

Formado por 2 camadas de lipídios envolvidas por 2 camadas de. Formado por 2 camadas de lipídios com proteínas mergulhadas entre eles. A célula, em conceito muito amplo, pode ser considerada como: A unidade fundamental dos seres vivos. A menor estrutura biológica capaz de ter vida autônoma. As células existem como seres unicelulares,

Leia mais

HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS

HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS HISTOLOGIA ESTUDO DOS TECIDOS TIPOS DE TECIDOS DO CORPO HUMANO O organismo humano é formado por quatro tipos básicos de tecidos: o epitelial, o conjuntivo, o muscular e o nervoso. Estes tecidos são formados

Leia mais