TECIDO EPITELIAL. Funções:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TECIDO EPITELIAL. Funções:"

Transcrição

1 TECIDO EPITELIAL Constituídoas por células poliédricas justapostas, entre as quais elas existe tem pouca substância extracelular. As células se aderem umas às outras por junções intercelulares. Funções: Reveste a superfície (pele) Absorção (no intestino) Secreção (nas glândulas) Percepção de estímulo (neuroepitélio olfatório e gustativo) Contração (células mioepiteliais) Observações importantes: Avascular Tem inervação Apresenta um citoesqueleto 1. Filamento intermediário de queratina (dá resistência mecânica e estrutural) 2. Actina (sustenta a membrana plasmática e faz locomoção celular) 3. Microtúbulos (origina cílios e flagelos) Lembre-se: logo em abaixo do epitélio temos a lâmina basal, que forma uma barreira que limita e controla a troca de macromoléculas entre essas células e o tecido conjuntivo Funções da lâmina basal: Papel estrutural Filtração de moléculas Regula a proliferação e diferenciação celular Fonte: Lembra que falamos que para uma célula ficar unida com as demais, elas têm junções intercelulares? Vamos falar delas agora! As junções intercelulares servem para coesão, oclusão e comunicação entre as células. Temos as junções: Junções de adesão, que pode ser:

2 1. zônula de adesão (aderência de uma célula a outra) 2. hemidesmossomos (prende a célula epitelial a lâmina basal) 3. desmossomos (prende uma célula a outra) Junções impermeáveis 1. zônula de oclusão (veda o espaço intercelular) Junções de comunicação 1. 1.junções comunicantes ou junções gap (permitem passagem de íons e moléculas) TIPOS DE EPITÉLIO: de revestimento Epitélio glandular EPITÉLIO DE REVESTIMENTO: Camadas: epitélio de revestimento simples Epitélio de revestimento estratificado As formas das células podem ser: Pavimentoso (também chamada de plana ou escamosa), cúbicoa e prismáticoa (também chamado de colunar ou cilíndrico) OBS: Nos estratificados podemos ter a classificação de transição (as células não tem formato definido, depende do estado do órgão, exemplo é o epitélio da bexiga quando está cheia e vazia) OBS: Temos também o tecido epitelial de revestimento pseudoestratificado (parece ter mais de uma camada de célula, mas é apenas uma camada com tamanhos diferentes de células, o que faz com que os núcleos apareçam em diferentes alturas) Fonte: Fonte:

3 ObservaçãoOBS: o epitélio de revestimento estratificado escamoso é mais conhecido como epitélio de revestimento estratificado pavimentoso, nesse caso, pois quando temos um epitélio de revestimento estratificado (com várias camadas) classificamos a forma conforme a última camada mais superficial, no caso da foto seria pavimentosa. EPITÉLIO GLANDULAR: Apresentam células especializadas para secreção Se a glândula é unicelular respiratório) célula caliciforme (está no revestimento intestinal e Fonte: Fonte: Se a glândula é multicelular pode ser glândula exócrina ou endócrina Sabe como se formam as glândulas? Por proliferação de células epiteliais de revestimento, com esse aumento de número de células, elas começam a se invaginar para dentro do tecido conjuntivo, se ela apresentar a porção secretora e o ducto, é exócrina e liberam a secreção para fora do corpo ou dentro de um órgão; caso ao se invaginar, as células que se diferenciaram em glandulares, se desconectem das células de revestimento, ela vira uma glândula endócrina e libera sua secreção no sangue!

4 Fonte: ENDÓCRINA pode ser cordonal Folicular, também denominada vesicular Cordonal: No tipo cordonal, as células da glândula estão organizadas em fileiras que se bifurcam e fundem-se aleatoriamente. (onde está o C) Fonte: Fonte: Folicular: as células formam vesículas preenchidas por secreção.

5 Fonte: EXÓCRINA simples (um ducto não ramificado): tubulares, tubular enovelada, tubular ramificada ou acinosa) Composta (ducto ramificado): podendo ser tubular, acinosa ou túbuloacinosa Fonte:

6 As mais importantes: Glândula exócrina tubular simples: intestino grosso Fonte: Glândula exócrina tubulosa simples enovelada: glândula sudorípara Fonte:

7 Glândula exócrina acinosa simples (glândula sebácea) Fonte: Glândula exócrina acinosa composta (parótida e no pâncreas) Fonte:

8 Glândula exócrina túbulo-acinosa composta (salivar) Fonte: CLASSIFICAÇÃO GLANDULAR: de como a secreção deixa a célula (modo de extrusão) Merócrina (libera por exocitose, ocorre no pâncreas por exemplo) Holócrina (secreta com a destruição da célula, ocorre na sebácea) Apócrina (secreção liberada com parte do citoplasma, ocorre na glândula mamária) CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO TIPO DE SECREÇÃO: Mucosa: essa secreção é carboidrato, polissacarídeo. Só conseguimos ver bem corada quando é a coloração PAS Serosa: essa secreção é proteína. Nas lâminas estão bem rosas. Por isso que na imagem anterior (glândula exócrina túbulo-acinosa composta temos uma parte bem rosa, a parte serosa e uma parte rosa bem claro, quase transparente, que seria a parte mucosa) Mista: uma combinação dos dois tipos de secreção.