Análise da alocação de slots aeroportuários no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise da alocação de slots aeroportuários no Brasil"

Transcrição

1 PET - Economia UnB 3 de junho de 2014

2 Motivação O artigo tem como objetivo analisar a alocação de slots aeroportuários no Brasil

3 Estrutura 1 Introdução 2 3 Atual regulação Proposta de resolução 4 5 6

4 Importância do setor aéreo Econômica Integração do território Elevada elasticidade renda da demanda PIB teve crescimento de 3,85% entre 2003 e 2012, enquanto a demanda por transporte aéreo teve crescimento médio de 14,85% no mesmo período (ANAC, 2013)

5 Ganho de eciência: aumento do número de voos por aeronave e aumento da taxa de ocupação Avanço institucional com a criação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em 2005 com a função de regular as atividades de aviação civil e infraestrutura aeronáutica

6 Dominância de duas empresas. Gol e TAM, juntas em 2012, foram responsáveis por 69,8% do transporte de passageiros, enquanto a Azul teve participação de 11,4% (ANAC, 2013) Concentração é mais forte no aeroporto de Congonhas

7 Problemas de infraestrutura Inadequada gestão dos aeroportos do país, feita na maioria dos casos pela Infraero A expansão das instalções dos aeroportos não acompanha o crescimento da demanda Prazo médio de execução de uma obra de infraestrutura no Brasil pelo governo é de cerca de 92 meses (IPEA, 2011)

8 Três elementos principais na análise do problema de falta de infraestrutura aeroportuária: terminal de passageiros, pátio de aeronaves e pista de pouso O problema mais latente ao redor do mundo geralmente é a incapacidade de aumentar o sistema de pistas. No Brasil, temos o exemplo do aeroporto de Congonhas No Brasil, em muitos casos, o principal fator limitante é o tamanho dos terminais de embarque e desembarque, onde normalmente as obras são mais rápidas e mais baratas

9 Para tentar solucionar o problema de escassez de infraestrutura aeroportuária, foi criado, no m da década de 60 nos Estados Unidos e na Europa, o conceito de slot Consiste em uma autorização de pouso e decolagem necessária para que uma empresa possa utilizar o espaço de um aeroporto Para que uma empresa opere um voo entre dois aeroportos coordenados, é necessário que ela possua um slot no aeroporto de partida e outro no de chegada

10 A forma mais utilizada para a alocação de slots, ou seja, distribuição dos slots entre as empresas, é por meio de mecanismos administrativos Existem outras formas, como o leilão e o mercado secundário, mas que não são tão disseminadas

11 Proposta de resolução O Brasil passou por reformas liberalizantes na década de 1990 em vários setores, inclusive no transporte aéreo por meio da Política de Flexibilização da Aviação Comercial, após um longo período caracterizado pela intervenção do Estado e pela competição controlada Após a desregulamentação do setor e a criação da ANAC, o mercado brasileiro consagrou os princípios de liberdade de operação e liberdade tarifária Há liberdade para operação de novas empresas desde que sejam respeitadas certas restições, especialmente da capacidade aeroportuária

12 Resolução 2/2006 Introdução Proposta de resolução Estabeleceu os parâmetros da alocação de slots no Brasil Porém, trata apenas da distribuição de slots disponíveis, ou seja, aqueles que não estão sendo utilizados pelas empresas Até hoje houve apenas uma experiência de aplicação da regra de alocação dessa resolução, que ocorreu no aeroporto de Congonhas em 2010

13 Proposta de resolução Adota tacitamente o princípio de grandfather rights, em que as empresas incumbentes têm direito a manter um slot desde que se respeitem certas regras de uso: 80% de uso trimestral de slot Não pode haver interrupção do uso por mais de trinta dias contínuos As empresas são distribuídas em duas grades de distribuição: Empresas incumbentes - 80% dos slots disponíveis Empresas entrantes - 20% restantes Permite-se a troca de slots, um a um, porém não é permitida a venda

14 Proposta de resolução Atual regulação não vem promovendo concorrência

15 Proposta de resolução A Resolução 2/2006 trata apenas de slots disponíveis. Porém, isso tem um efeito limitado nos principais aeroportos do país. Congonhas, por exemplo, tem poucos slots disponíveis A proposta adiciona a pontualidade como regra de uso A proposta divide o ano em dois períodos de distribuição de slots. Ao nal de cada período. Caso a empresa respeite as regras de uso, ela garantiria o histórico de slots para o período seguinte. Caso contrário, os slots que não estavam sendo bem utilizados são direcionados a um banco de slots

16 Proposta de resolução Os slots disponíveis seriam alocados primeiro às empresas entrantes, o que já seria um avanço. Porém é bem possível que TAM e Gol consigam manter seu domínio sobre o principal e mais lucrativo aeroporto do país, o aeroporto de Congonhas

17 A teoria dos leilões arma que a disposição a pagar de um participante reete o bem-estar obtido por este ao utilizar o bem A empresa que zer o maior lance, obterá o maior benefício Porém, pode ser que a empresa vencedora de um leilão não seja a que obtém a maior utilidade do bem. A sua disposição a pagar pode ser resultante da maior quantidade de dinheiro em caixa

18 Prática do leilão já é utiizada em vários setores da economia Assemelha-se bastante com o já presente leilão das faixas de frquência para oferta de telefonia móvel no Brasil. Complexidade dos leilões: Leilão de conjuntos de slots Leilão simultâneos Leilão com lances condicionados

19 A alocação secundária, diferentemente da alocação primária, trata da redistribuição dos direitos de pouso e decolagem entre as próprias empresas Isso pode se dar por meio de troca de slots, venda ou até mesmo aluguel

20 Essa prática é permitida em alguns aeroportos da Inglaterra e dos Estados Unidos Após a permissão da venda e do aluguel nos Estados Unidos, houve grande quantidade de negócios entre as empresas. Onde não se utiliza mecanismos de mercado para alocação inicial, o mercado secundário poderia ajudar a promover uma alocação mais eciente dos slots Segundo Ronald Coase, no seu renomado artigo The Problem of Social Cost, na ausência de custos de transação, independemente de como foi feita a alocação inicial, a negociação entre os agentes de um mercado leva à alocação eciente dos recursos

21 Essa prática não aumentou a concentração nos aeroportos em que está presente Há indícios de aumento de eciência. Entre 2001 e 2006, houve um aumento de 90% no número médio de assentos oferecidos por aeronave no Reino Unido

22 A legislação atual vem sendo incapaz de aumentar a concorrência no mercado brasileiro, consagrando a dominância histórica de poucas empresas A proposta de resolução da ANAC é um avanço no sentido de priorizar a entrada de novas empresas nos principais aeroportos do país. Porém, considera-se que os critérios de regularidade e pontualidade sejam insucientes para reduzir a concentração nos aeroportos

23 O leilão de slots e o mercado secundário seriam interessantes soluções para melhorar a distribuição de slots no Brasil Há diversos grupos interessados em aumentar o investimento em transporte aéreo, porém enfrentam a barreira do slots à entrada O mercado secundário poderia ser aplicado juntamente com os mecanismos administrativos atuais, como já é feito nos Estados Unidos Seria uma forma de empresas brasileiras, que passam por uma situação nanceira ruim, negociarem slots que não estão sendo bem utilizados e, em contrapartida, receberem compensações nanceiras por isso

2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro

2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro 18 2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro O Sistema Aeroportuário Brasileiro é disciplinado pela Lei nº 7.565/86, que dispõe sobre o Código Brasileiro de Aeronáutica (CBDA) e traz a seguinte definição: Aeroportos:

Leia mais

@aviacaocivil

@aviacaocivil www.aviacaocivil.gov.br faleconosco@aviacaocivil.gov.br /AviacaoGovBr @aviacaogovbr @AviacaoGovBr @aviacaocivil Arranjo Institucional Março PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Formular, coordenar e supervisionar

Leia mais

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella A associação foi criada em 2012 2 Princípios ABEAR Padrões Internacionais Estado Eficiente Liberdade Tarifária 3 + 2002 2015 4 Fontes: OACI, ANAC,

Leia mais

Transporte Aéreo, Movimentação de PAX, Tarifas Aéreas, Rotas e Direitos do Consumidor

Transporte Aéreo, Movimentação de PAX, Tarifas Aéreas, Rotas e Direitos do Consumidor Transporte Aéreo, Movimentação de PAX, Tarifas Aéreas, Rotas e Direitos do Consumidor Ricardo Bisinotto Catanant (SRE/ANAC) Roteiro Evolução do Setor Movimentação de PAX Market Share Rotas Aéreas Tarifas

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Aviação Civil Secretaria de Política Regulatória de Aviação Civil

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Aviação Civil Secretaria de Política Regulatória de Aviação Civil PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Aviação Civil Secretaria de Política Regulatória de Aviação Civil CRESCIMENTO DO MERCADO BRASILEIRO DE AVIAÇÃO Gustavo Pacheco Fortes Fleury Gerente de Projeto do

Leia mais

RESOLUÇÃO ANAC Nº, DE DE DE 2014.

RESOLUÇÃO ANAC Nº, DE DE DE 2014. RESOLUÇÃO ANAC Nº, DE DE DE 2014. Regulamenta a apresentação de Informações, relativas à Movimentação Aeroportuária, pelas Concessionárias de Serviço Público de Infraestrutura Aeroportuária e pelos administradores

Leia mais

AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: A ANAC mais perto de você. Belo Horizonte 17 e 18 de dezembro de 2012

AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: A ANAC mais perto de você. Belo Horizonte 17 e 18 de dezembro de 2012 : A ANAC mais perto de você Belo Horizonte 17 e 18 de dezembro de 2012 Panorama da regulação da infraestrutura aeroportuária no Brasil Belo Horizonte 17 e 18 de dezembro de 2012 OBJETIVO Apresentar as

Leia mais

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou, nesta quarta-feira (29/05), a minuta do Edital de Leilão e do Contrato

Leia mais

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações

Leia mais

Reconhecendo a importância e a significativa contribuição da aviação civil para o desenvolvimento sócio econômico de seus países e

Reconhecendo a importância e a significativa contribuição da aviação civil para o desenvolvimento sócio econômico de seus países e Memorando de Entendimento sobre a Parceria em Aviação entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo dos Estados Unidos da América O Governo da República Federativa do Brasil e O Governo

Leia mais

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS MAIO DE 2016 1 PRODUTOS 2 O objetivo do transporte aéreo é fornecer o serviço de transporte de cargas e passageiros.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 014, DE 14 DE JANEIRO DE 2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 014, DE 14 DE JANEIRO DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 014, DE 14 DE JANEIRO DE 2008 Recomenda a observação da norma constante no Anexo I. O Sistema de Controle Interno do Município de Lucas do Rio Verde, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO

AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES NO DESENVOLVIMENTO DO CORREDOR DO LOBITO 01 MULTIMODALIDADE 02 HUB DE TRANSPORTES 03 EIXO ANTLÂNTICO - ÍNDICO AFRICA AUSTRAL 04 AEROPORTO CATUMBELA INFRA-ESTRUTURA INTERNACIONAL

Leia mais

Transporte e Economia Transporte Aéreo de Passageiros Principais dados

Transporte e Economia Transporte Aéreo de Passageiros Principais dados Transporte e Economia Principais dados Transporte e Economia Estudo da CNT mostra desafios do setor que transporta mais de 100 milhões por ano O estudo Transporte e Economia é o primeiro trabalho da CNT

Leia mais

Relação entre investimentos e modelagem financeira. Cyriel Kronenburg, November 27, 2008

Relação entre investimentos e modelagem financeira. Cyriel Kronenburg, November 27, 2008 Relação entre investimentos e modelagem financeira Cyriel Kronenburg, November 27, 2008 O transporte aéreo é crítico para a economia global Somos uma indústria de US$ 450 bilhões anuais Sustentamos US$

Leia mais

Transporte aéreo no Brasil: preço e qualidade. Comissão de Direito do Consumidor da Câmara dos Deputados Reunião Extraodinária

Transporte aéreo no Brasil: preço e qualidade. Comissão de Direito do Consumidor da Câmara dos Deputados Reunião Extraodinária Transporte aéreo no Brasil: preço e qualidade Comissão de Direito do Consumidor da Câmara dos Deputados Reunião Extraodinária Brasília, 28 de agosto de 2013 Sumário Contexto Transporte aéreo Regulação

Leia mais

Abertura de capital estrangeiro das empresas aéreas brasileiras: Uma análise antitruste

Abertura de capital estrangeiro das empresas aéreas brasileiras: Uma análise antitruste Abertura de capital estrangeiro das empresas aéreas brasileiras: Uma análise antitruste Luiz A. Esteves (Economista-Chefe do CADE) Brasília, 21 de Setembro de 2015 Sumário da Apresentação Objetivo e Motivação

Leia mais

Code-P0 AEROPORTOS SÃO PAULO. Jaime Parreira e-mail: jparreira@infraero.gov.br

Code-P0 AEROPORTOS SÃO PAULO. Jaime Parreira e-mail: jparreira@infraero.gov.br Code-P0 AEROPORTOS SÃO PAULO Jaime Parreira e-mail: jparreira@infraero.gov.br 0 Code-P1 AEROPORTOS DA REGIONAL DE SÃO PAULO Movimento Operacional Infraero Regional de São Paulo 2010 Passageiros 48.224.873

Leia mais

Comissão do Controle do Perigo Aviário no Brasil CCPAB CNPAA

Comissão do Controle do Perigo Aviário no Brasil CCPAB CNPAA Comissão do Controle do Perigo Aviário no Brasil CCPAB CNPAA Quarto Seminário Internacional de Perigo Aviário e Fauna Brasília 24 / 28 NOV 08 Histórico da Evolução do Controle do Perigo Aviário no Brasil

Leia mais

Mercado de Aviação Brasileiro Momento Atual

Mercado de Aviação Brasileiro Momento Atual Mercado de Aviação Brasileiro Momento Atual Momento Atual da Indústria Nacional 1 2 3 4 O setor de aviação nacional que hoje transporta mais passageiros do que ônibus atravessa um momento desfavorável

Leia mais

COMO A ECONOMIA FUNCIONA? Por Sérgio Birchal

COMO A ECONOMIA FUNCIONA? Por Sérgio Birchal Caderno de Economia 6 COMO A ECONOMIA FUNCIONA? Por Sérgio Birchal O entendimento de como a economia funciona pode vir da experiência cotidiana. Nós nos deparamos com o mercado quando estamos à busca de

Leia mais

Regulação Econômica de Aeroportos

Regulação Econômica de Aeroportos Regulação Econômica de Aeroportos Atuação da ANAC no âmbito da regulação econômica de tarifas aeroportuárias e preços específicos. Outubro, 2015 Sumário Aeroportos regulados Objeto de regulação Evolução

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA ANÁLISE DO SISTEMA AEROPORTUÁRIO PARANAENSE

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA ANÁLISE DO SISTEMA AEROPORTUÁRIO PARANAENSE ANÁLISE DO SISTEMA AEROPORTUÁRIO PARANAENSE HISTÓRICO Último plano aeroviário data de 1989; Seu horizonte de planejamento se esgotou em 2008; Em junho de 2012 foi tomada a iniciativa de elaboração interna

Leia mais

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA W 16 30/10/16 a 25/03/2017

DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA W 16 30/10/16 a 25/03/2017 DECLARAÇÃO DA CAPACIDADE OPERACIONAL SBGR TEMPORADA W 16 30/10/16 a 25/03/2017 18 de abril de 2016 1. CAPACIDADE DA PISTA DE POUSO E DECOLAGEM Horário UTC * Capacidade máxima de movimentos hora. 2. TERMINAIS

Leia mais

Manual de Facilitação BH Airport

Manual de Facilitação BH Airport Manual de Facilitação BH Airport Maio/2016 Sumário Capítulo 1 Introdução... 4 Capítulo 2 Nível de atividade e declaração de capacidade aeroportuária... 4 2.1 Nível de atividade aeroportuária... 4 2.2 Declaração

Leia mais

Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n /13 Victor Oliveira Fernandes

Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n /13 Victor Oliveira Fernandes Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n. 12.815/13 Victor Oliveira Fernandes Regulação e Concorrência: o planejamento de mercados Aproximações e distanciamentos Importância

Leia mais

ANEXO I À PORTARIA Nº 3.723, DE 15 DE DEZEMBRO DE AGENDA REGULATÓRIA DA ANAC PARA O BIÊNIO TEMAS EM PROCESSO DE REGULAMENTAÇÃO

ANEXO I À PORTARIA Nº 3.723, DE 15 DE DEZEMBRO DE AGENDA REGULATÓRIA DA ANAC PARA O BIÊNIO TEMAS EM PROCESSO DE REGULAMENTAÇÃO ANEXO I À PORTARIA Nº 3.723, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. AGENDA REGULATÓRIA DA ANAC PARA O BIÊNIO 2017-2018 TEMAS EM PROCESSO DE REGULAMENTAÇÃO Tema (Índice) Proposta de Tema O que é o Tema? Estudos Elaboração

Leia mais

FAZENDO CIDADES FUNCIONAREM PARA AS PESSOAS.

FAZENDO CIDADES FUNCIONAREM PARA AS PESSOAS. FAZENDO CIDADES FUNCIONAREM PARA AS PESSOAS simule a vida real Legion Spaceworks Reconhecido mundialmente como o software líder de mercado em sua categoria, SpaceWorks simula o movimento de pedestres com

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado Victor Mendes

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado Victor Mendes REQUERIMENTO (Do Sr. Victor Mendes) Requer o envio de Indicação ao Ministro Chefe da Secretaria da Aviação Civil da Presidência da República SAC-PR, solicitando que determine à Agência Nacional de Aviação

Leia mais

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Enaex Agosto, 2013 Luciano Coutinho Presidente 1 Brasil apresenta fundamentos compatíveis com o crescimento sustentável de Longo Prazo País possui

Leia mais

Concessões. Galeão e Confins

Concessões. Galeão e Confins Concessões Galeão e Confins Galeão: 17,5 milhões de passageiros 13,7 milhões m² 958 empregados Confins: 10,4 milhões de passageiros 15,1 milhões m² 344 empregados Objetivos das Concessões EXPANDIR A INFRAESTRUTURA

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS DO AEROPORTO CAMPO DE MARTE - SBMT

INFORMAÇÕES GERAIS DO AEROPORTO CAMPO DE MARTE - SBMT INFORMAÇÕES GERAIS DO AEROPORTO CAMPO DE MARTE - SBMT GERÊNCIA DE NEGÓCIOS COMERCIAS - MTNC 2016 INFORMAÇÕES GERAIS DO AEROPORTO CAMPO DE MARTE - SBMT AEROPORTO CAMPO DE MARTE O Aeroporto Campo de Marte

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE REGISTRO DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE AÉREO PÚBLICO DOMÉSTICO E INTERNACIONAL NO BRASIL

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE REGISTRO DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE AÉREO PÚBLICO DOMÉSTICO E INTERNACIONAL NO BRASIL PROPOSTA DE RESOLUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE REGISTRO DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE AÉREO PÚBLICO DOMÉSTICO E INTERNACIONAL NO BRASIL JUSTIFICATIVA 1. APRESENTAÇÃO A justificativa aqui apresentada

Leia mais

Copa do Mundo 2014 Agosto de 2014

Copa do Mundo 2014 Agosto de 2014 Copa do Mundo 2014 Agosto de 2014 Aviação Comercial e GA/BA - 16 aeroportos de cidade sede + 8 de até 200Km terrestre; Exclusivo GA/BA 13 Bases Militares e 5 Aeroportos; Monitorados 53 Aeroportos; Coordenação

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL NOTA TÉCNICA

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL NOTA TÉCNICA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL NOTA TÉCNICA ASSUNTO: Coordenação de aeroportos, alocação inicial de slots e aplicação ao Aeroporto Santos Dumont (SBRJ). 1. OBJETIVO A presente nota técnica tem como

Leia mais

Qual a consequência do ativismo judicial na fixação dos preços das passagens aéreas?

Qual a consequência do ativismo judicial na fixação dos preços das passagens aéreas? Qual a consequência do ativismo judicial na fixação dos preços das passagens aéreas? Fernando B. Meneguin 1 O transporte aéreo é uma atividade econômica regulada pelo Governo Federal, que mediante concessão

Leia mais

Desindustrialização no Brasil Diagnósticos, Causas e Consequências

Desindustrialização no Brasil Diagnósticos, Causas e Consequências Março/2015 Desindustrialização no Brasil Diagnósticos, Causas e Consequências Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos 1 Estrutura da Apresentação Diagnósticos do Processo de Desindustrialização

Leia mais

Reforma da Lei de Defesa da Concorrência Gesner Oliveira

Reforma da Lei de Defesa da Concorrência Gesner Oliveira Reforma da Lei de Defesa da Concorrência Gesner Oliveira Brasília, 14 de abril de 2009 CAE, Senado Federal Três pontos Defesa da concorrência ganhou importância crescente nas últimas duas décadas Defesa

Leia mais

Economia Brasileira em Perspectiva

Economia Brasileira em Perspectiva Brasileira em O BRASIL NO CONTEXTO GLOBAL O Brasil mal colocado em alguns rankings mundiais Fonte: Cia World Factbook Desde 2002, o crescimento brasileiro supera apenas os números das economias ricas.

Leia mais

Dinâmica Recente da Produtividade no Brasil

Dinâmica Recente da Produtividade no Brasil Dinâmica Recente da Produtividade no Brasil Fernando A. Veloso IBRE/FGV Conferência do Desenvolvimento 2013 21 de Março de 2013 Estrutura da Apresentação Evolução da produtividade no Brasil nas últimas

Leia mais

6 Aplicação do modelo: Galeão

6 Aplicação do modelo: Galeão 6 Aplicação do modelo: Galeão Os resultados do capítulo 5.2 mostraram que o comportamento de chegadas e partidas de aeronaves em um determinado dia poderia ser extrapolado para os demais sem que isso afetasse

Leia mais

Junto se envia, à atenção das delegações, o documento da Comissão DEC 32/2016.

Junto se envia, à atenção das delegações, o documento da Comissão DEC 32/2016. Conselho da União Europeia Bruxelas, 9 de novembro de 2016 (OR. en) 14126/16 FIN 773 NOTA DE ENVIO de: Kristalina GEORGIEVA, Vice-Presidente da Comissão Europeia data de receção: 9 de novembro de 2016

Leia mais

Abordagem em Jogos Satisficing para tomada de decisão colaborativa em aeroportos

Abordagem em Jogos Satisficing para tomada de decisão colaborativa em aeroportos Universidade de Brasília Translab Abordagem em Jogos Satisficing para tomada de decisão colaborativa em aeroportos Cicero Roberto Ferreira de Almeida Sumário Problema Objetivo Fundamentação Teórica Trabalhos

Leia mais

Guia de recomendações e práticas para coleta de dados da Aviação Civil

Guia de recomendações e práticas para coleta de dados da Aviação Civil Guia de recomendações e práticas para coleta de dados da Aviação Civil Gerência de Análise Estatística e Acompanhamento de Mercado GEAC 1 Sumário Importância dos Dados Estatísticos Fontes de Dados (Onde

Leia mais

2.1 - SISTEMA ECONÔMICO

2.1 - SISTEMA ECONÔMICO Sistemas Econômicos 2.1 - SISTEMA ECONÔMICO Um sistema econômico pode ser definido como a forma na qual uma sociedade está organizada em termos políticos, econômicos e sociais para desenvolver as atividades

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL Edital de Chamamento Público de Estudos n. 003/2015 Processo: 00055.000799/2015-93 A SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA (SAC-PR),

Leia mais

Integração da PRE no MIBEL

Integração da PRE no MIBEL Integração da PRE no MIBEL Resultados da Consulta Pública e Propostas de Harmonização Regulatória Eduardo Teixeira Motivações Efeitos da presença da PRE no contexto do MIBEL Motivações Peso relativo e

Leia mais

Plano de Aviação Regional. Janeiro I 2013

Plano de Aviação Regional. Janeiro I 2013 Plano de Aviação Regional 1 Janeiro I 2013 A Azul A maior malha aérea do Brasil servindo 98 destinos, 218 rotas e 798 decolagens por dia #1 em 76% das rotas servidas e 32% de participação no mercado brasileiro

Leia mais

Título: Origem: SSO/GPNO

Título: Origem: SSO/GPNO Título: REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL RBAC nº 105 EMENDA nº 00 SALTOS DE PARAQUEDAS Aprovação: Resolução Nº 188, de 24 de maio de 2011, publicada no Diário Oficial da União Nº 99, Seção 1, página

Leia mais

09/04/2014 GECE - UFF

09/04/2014 GECE - UFF 09/04/2014 GECE -UFF 1 Análise Macroeconômica www.vitorwilher.com 2 Sumário Algumas provocações Por que capitalismo de Estado? Um pouco de economia Um pouco de conjuntura brasileira Algumas correlações

Leia mais

do Manual Técnico de Edificações - versão 2

do Manual Técnico de Edificações - versão 2 Atualização do Manual Técnico de Edificações - versão 2 Aplicação da restrição altimétrica do Ministério da Defesa 1. Pág. 319 - O presente documento substitui o item 5.3, à página 319 do Manual Técnico

Leia mais

Tarifas Aeroportuárias e ATAERO. Uma proposta de destinação de parte destes recursos financeiros ao fomento do potencial turístico nacional

Tarifas Aeroportuárias e ATAERO. Uma proposta de destinação de parte destes recursos financeiros ao fomento do potencial turístico nacional Tarifas Aeroportuárias e ATAERO Uma proposta de destinação de parte destes recursos financeiros ao fomento do potencial turístico nacional Tarifas Aeroportuárias - legislação Criação de Tarifas Aeroportuárias

Leia mais

Tabela 1 Aviões chegados a Aletrop a que é necessário fazer manutenção. Tipo de licença necessária para manutenção

Tabela 1 Aviões chegados a Aletrop a que é necessário fazer manutenção. Tipo de licença necessária para manutenção SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO MESTRADO EM GESTÃO DE INFORMAÇÃO (1999/2000) José Fernando Oliveira FEUP O aeroporto de Aletrop é a base dos aviões da companhia aérea PAT. Trata-se de um aeroporto moderno,

Leia mais

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO SANTOS DUMONT - RIO DE JANEIRO (SBRJ)

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO SANTOS DUMONT - RIO DE JANEIRO (SBRJ) 2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO SANTOS DUMONT - RIO DE JANEIRO (SBRJ) COORDENAÇÃO DA PESQUISA EXECUÇÃO DAS COLETAS COLABORAÇÃO INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL AGÊNCIA NACIONAL

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICAP COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO

AUDIÊNCIA PÚBLICAP COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO AUDIÊNCIA PÚBLICAP COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO Brasília, 19 de maio de 2010 1 3 SEGURANÇA OPERACIONAL SAFETY Continua sendo a prioridade na aviação comercial Brasil 0.00 0.00 Hull losses

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO. Globalização e a Crise Econômica Mundial

GLOBALIZAÇÃO. Globalização e a Crise Econômica Mundial GLOBALIZAÇÃO Globalização e a Crise Econômica Mundial TRÊS FLUXOS DA GLOBALIZAÇÃO FLUXOS DE INFORMAÇÃO FLUXOS COMERCIAIS FLUXOS FINANCEIROS FLUXOS DE INVESTIMENTOS NEOLIBERALISMO (DÉC. 1980) - Privatizações;

Leia mais

Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário

Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 ApresentAção A sondagem Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário 2012 apresenta a visão do empresário do transporte rodoviário

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA OTIMIZAÇÃO DE EMISSÕES CMTE. LAERT S. GOUVÊA

A IMPORTÂNCIA DA OTIMIZAÇÃO DE EMISSÕES CMTE. LAERT S. GOUVÊA A IMPORTÂNCIA DA OTIMIZAÇÃO DE OPERAÇÕES PARA REDUÇÃO DE EMISSÕES CMTE. LAERT S. GOUVÊA 1 PALESTRANTE: Laert S. Gouvêa Piloto de Linha Aérea: Piloto e instrutor de A 319, A 320 e A 321 na TAM Linhas Aéreas

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO PAESP 2007-2027

CLASSIFICAÇÃO PAESP 2007-2027 1 AEROPORTO REGIONAL CLASSIFICAÇÃO PAESP 27-227 São os aeroportos destinados a atender as áreas de interesse regional e/ou estadual que apresentam demanda por transporte aéreo regular, em ligações com

Leia mais

AEROPORTO INTERNACIONAL SALGADO FILHO

AEROPORTO INTERNACIONAL SALGADO FILHO AEROPORTO INTERNACIONAL SALGADO FILHO Localizado a aproximadamente 7Km do centro de Porto Alegre, o Aeroporto Internacional Salgado Filho possui 37,6 mil metros quadrados de área construída e distribuídas

Leia mais

NOVO AEROPORTO DE QUITO UMA SOLUÇÃO INTERESSANTE

NOVO AEROPORTO DE QUITO UMA SOLUÇÃO INTERESSANTE NOVO AEROPORTO DE QUITO UMA SOLUÇÃO INTERESSANTE Roberto Portella Bertazzo, Bacharel em História pela UFJF, Membro da Sociedade Latino Americana de Historiadores Aeronáuticos (LAAHS), Membro do Centro

Leia mais

Internacionalização da Economia Brasileira

Internacionalização da Economia Brasileira ASPECTOS TÉCNICOS DO ACORDO BRASIL ARGENTINA DE PAGAMENTOS EM MOEDA LOCAL Internacionalização da Economia Brasileira Paulo Vieira da Cunha São Paulo, Agosto/2007 1 Agenda 1. Internacionalização da Economia

Leia mais

SUMÁRIO. introdução Onde se encaixar? Quais são as melhores oportunidades na área? O que é preciso para mudar de carreira Sobre o CEAB

SUMÁRIO. introdução Onde se encaixar? Quais são as melhores oportunidades na área? O que é preciso para mudar de carreira Sobre o CEAB SUMÁRIO introdução Onde se encaixar? Quais são as melhores oportunidades na área? O que é preciso para mudar de carreira Sobre o CEAB 3 4 9 11 12 Introdução Atualmente, o Brasil é o terceiro maior mercado

Leia mais

Capítulo 7 Movimentos internacionais de fatores

Capítulo 7 Movimentos internacionais de fatores Capítulo 7 Movimentos internacionais de fatores Preparado por Iordanis Petsas Material de apoio para Economia internacional: teoria e política, 6ª edição de Paul R. Krugman e Maurice Obstfeld Organização

Leia mais

OVERVIEW. eventos simultâneos ao IBAS

OVERVIEW. eventos simultâneos ao IBAS OVERVIEW» Primeiro Air show do Brasil» Cerimônia de abertura com a presença de autoridades» Exposição estática de aeronaves e equipamentos» Pavilhão de exposição indoor» Espaço formação, tecnologia e inovação»

Leia mais

Novos Investimentos no Setor Elétrico. Contribuição dos Comercializadores na Expansão da Oferta. Paulo Pedrosa

Novos Investimentos no Setor Elétrico. Contribuição dos Comercializadores na Expansão da Oferta. Paulo Pedrosa Novos Investimentos no Setor Elétrico Contribuição dos Comercializadores na Expansão da Oferta Paulo Pedrosa Abraceel Abraceel Empr esa Comer ci al i zador a E C E de En er gi a El ét r i ca Lt da Abraceel

Leia mais

Aviação Geral. Óbices ao Desenvolvimento

Aviação Geral. Óbices ao Desenvolvimento Aviação Geral Óbices ao Desenvolvimento A Aviação Civil tem muitos segmentos... ... divididos percentualmente em... 280 aeronaves (1,93%) 96 aeronaves (0,67%) 13.965 aeronaves (97,4%) Evolução Aviação

Leia mais

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS - CAMPINAS (SBKP)

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS - CAMPINAS (SBKP) º TRIMESTRE de 16 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS - CAMPINAS (SBKP) COORDENAÇÃO DA PESQUISA EXECUÇÃO DAS COLETAS COLABORAÇÃO INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL AGÊNCIA NACIONAL

Leia mais

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL LUIZ EDUARDO MAGALHÃES - SALVADOR (SBSV)

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL LUIZ EDUARDO MAGALHÃES - SALVADOR (SBSV) 2º TRIMESTRE de 216 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL LUIZ EDUARDO MAGALHÃES - SALVADOR (SBSV) COORDENAÇÃO DA PESQUISA EXECUÇÃO DAS COLETAS COLABORAÇÃO INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

19/10/2016. Liderança em custo. Processo de administração estratégica. Estratégias corporativas. Duas estratégias corporativas genéricas

19/10/2016. Liderança em custo. Processo de administração estratégica. Estratégias corporativas. Duas estratégias corporativas genéricas Liderança em custo Prof. Francisco César Vendrame Processo de administração estratégica Análise externa Missão Objetivos Escolha da estratégia Implementação da estratégia Vantagem competitiva Análise interna

Leia mais

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - NATAL (SBSG)

2º TRIMESTRE de 2016 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - NATAL (SBSG) 2º TRIMESTRE de 21 abril a junho AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - NATAL (SBSG) COORDENAÇÃO DA PESQUISA EXECUÇÃO DAS COLETAS COLABORAÇÃO INTEGRANTES DO COMITÊ DE DESEMPENHO OPERACIONAL

Leia mais

MOBILIDADE URBANA E AEROPORTO: TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014

MOBILIDADE URBANA E AEROPORTO: TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 MOBILIDADE URBANA E AEROPORTO: TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 TPS pav. térreo TPS Vista do saguão TPS pav. superior PERSPECTIVA Lado TERRA PERSPECTIVA Lado AR Item 2011 2012 Revisão

Leia mais

Avaliação do impacto dos programas do Instituto Ayrton Senna

Avaliação do impacto dos programas do Instituto Ayrton Senna Avaliação do impacto dos programas do Instituto Ayrton Senna Ricardo Barros IPEA Mirela de Carvalho IETS Ao longo da última década, cada vez mais redes públicas de ensino municipais e estaduais passaram

Leia mais

VANTAGEM COMPETITIVA

VANTAGEM COMPETITIVA Universidade Federal de Santa Maria Centro de Tecnologia Programa de Pós-GraduaP Graduação em Engenharia de Produção VANTAGEM COMPETITIVA Disciplina: Inovação e estratégia empresarial para competitividade

Leia mais

SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL. RESOLUÇÃO No- 316, DE 9 DE MAIO DE 2014

SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL. RESOLUÇÃO No- 316, DE 9 DE MAIO DE 2014 SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL RESOLUÇÃO No- 316, DE 9 DE MAIO DE 2014 Dispõe sobre o Regime Especial da Copa do Mundo FIFA 2014 e dá outras providências. A DIRETORIA DA

Leia mais

INVESTIMENTOS EM AEROPORTOS

INVESTIMENTOS EM AEROPORTOS AEROPORTOS INVESTIMENTOS EM AEROPORTOS 6 concessões de aeroportos Investimentos de R$ 26 Bilhões São Gonçalo do Amarante RN Brasília DF Guarulhos SP Confins MG Viracopos SP Galeão RJ 5 operadores aeroportuários

Leia mais

Economia para Engenharia

Economia para Engenharia Economia para Engenharia Eng. Telecomunicações Aula 03 rev. 01 abrul/16 Roteiro» Introdução» Estrutura de mercado» Sistemas econômicos Capitalismo; Socialismo; Economia Mista;» Divisão do estudo econômico»

Leia mais

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo

Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo DESDE 1990 O ISCET Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo é um estabelecimento de ensino superior politécnico, criado em 25 de

Leia mais

Sistema Aeroportoviário no Brasil

Sistema Aeroportoviário no Brasil Sistema Aeroportoviário no Brasil FERNANDA MINUZZI LUCIANO DOMINGUES RÉGIS GOMES FLORES VINÍCIOS Transportes Introdução O transporte aéreo no Brasil vem acompanhando o desenvolvimento do País.Hoje, o transporte

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 374, DE 28 DE JANEIRO DE 2016.

RESOLUÇÃO Nº 374, DE 28 DE JANEIRO DE 2016. RESOLUÇÃO Nº 374, DE 28 DE JANEIRO DE 2016. Estabelece, para os anos de 2016, 2017, 2018, 2019 e 2020, o valor do fator X a ser aplicado no reajuste das tarifas aeroportuárias aplicáveis aos aeroportos

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Objetivo Geral

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Objetivo Geral Curso: Ciências Aeronáuticas Habilitação: Asas Rotatórias SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO O Curso de Ciências Aeronáuticas habilitação em asas rotativas tem como missão formar profissionais qualificados e ajustados

Leia mais

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS MAPUTO, 11 DE MARÇO DE 2013 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

Recomendação de políticas Sustentabilidade ambiental

Recomendação de políticas Sustentabilidade ambiental Recomendação de políticas A oportunidade Considerando que os datacenters estarão entre os principais consumidores mundiais de energia elétrica até meados da próxima década, o desenvolvimento contínuo de

Leia mais

Aeroportos Copa do Mundo 2014. 14 Dezembro 2009

Aeroportos Copa do Mundo 2014. 14 Dezembro 2009 Aeroportos Copa do Mundo 2014 14 Dezembro 2009 Belo Horizonte e Confins - MG 1. Aeroporto Internacional Tancredo Neves Confins 2. Aeroporto de Belo Horizonte/ Pampulha Carlos Drummond de Andrade Brasília

Leia mais

Aula 4A - Introdução a Política Macroeconômica

Aula 4A - Introdução a Política Macroeconômica From the SelectedWorks of Jorge Amaro Bastos Alves August, 2010 Aula 4A - Introdução a Política Macroeconômica Jorge Amaro Bastos Alves, Faculdade de Campina Grande do Sul Available at: http://works.bepress.com/jorgeab_alves/16/

Leia mais

A GESTÃO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA EM ÁREAS PERI-URBANAS GRANDES CIDADES DE MOÇAMBIQUE

A GESTÃO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA EM ÁREAS PERI-URBANAS GRANDES CIDADES DE MOÇAMBIQUE A GESTÃO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA EM ÁREAS PERI-URBANAS GRANDES CIDADES DE MOÇAMBIQUE Marseilles, Março de 2012 Orador: Pedro Paulino Contexto Peri-urbano Água urbana em Moçambique População: Total: 23,700,715

Leia mais

Agenda Emergencial para o Setor Aéreo

Agenda Emergencial para o Setor Aéreo Agenda Emergencial para o Setor Aéreo Propostas ABEAR para estimular o transporte aéreo, a economia, a conectividade e o desenvolvimento regional no Brasil www.abear.com.br Propostas 1. Fixação de preço

Leia mais

Paradiplomacia regional de empresas na América do Sul

Paradiplomacia regional de empresas na América do Sul Federal University of Roraima, Brazil From the SelectedWorks of Elói Martins Senhoras Winter January 1, 2011 Paradiplomacia regional de empresas na América do Sul Prof. Dr. Eloi Martins Senhoras Available

Leia mais

Gestão Estratégica A BATALHA DE KURSK. Aula 6 Estratégia Competitiva. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira

Gestão Estratégica A BATALHA DE KURSK. Aula 6 Estratégia Competitiva. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Gestão Estratégica Aula 6 Estratégia Competitiva Prof. Dr. Marco Antonio Pereira marcopereira@usp.br A BATALHA DE KURSK 1 Modelo de Porter As 5 forças Competitivas Estratégias Genéricas Propósito da Empresa

Leia mais

DECISÃO Nº 144, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015.

DECISÃO Nº 144, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015. DECISÃO Nº 144, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015. Altera os tetos das tarifas aeroportuárias aplicáveis ao Contrato de Concessão do Aeroporto Internacional de Viracopos, localizado em Campinas (SP). O DIRETOR-PRESIDENTE

Leia mais

Estratégias para Reduzir Custos em Tempos de Crise

Estratégias para Reduzir Custos em Tempos de Crise Palestra Estratégias para Reduzir Custos em Tempos de Crise Por Neverton Timm Highter Consultoria O que é mais importante? Aumentar Vendas x Reduzir Custos Afinal Os dois são fundamentais LUCRO = VENDA

Leia mais

Gol Linhas Aéreas S/A e Webjet Linhas Aéreas S/A Ato de Concentração: nº 08012.008378/2011-95. Ricardo Machado Ruiz Conselheiro do CADE

Gol Linhas Aéreas S/A e Webjet Linhas Aéreas S/A Ato de Concentração: nº 08012.008378/2011-95. Ricardo Machado Ruiz Conselheiro do CADE Gol Linhas Aéreas S/A e Webjet Linhas Aéreas S/A Ato de Concentração: nº 08012.008378/2011-95 Ricardo Machado Ruiz Conselheiro do CADE Brasília, 11 de dezembro de 2012 1. A Operação e as Primeiras Medidas

Leia mais

Oferta, Demanda, e Políticas Econômicas do Governo

Oferta, Demanda, e Políticas Econômicas do Governo Oferta, Demanda, e Políticas Econômicas do Governo à Economia Mankiw, N.G. Capítulo 6 Copyright 2001 by Harcourt, Inc. All rights reserved. Requests for permission to make copies of any part of the work

Leia mais

Sistema de Contabilidade Nacional: CEIs e TRUs. Daiana I. da Silva Doutoranda em Economia Aplicada

Sistema de Contabilidade Nacional: CEIs e TRUs. Daiana I. da Silva Doutoranda em Economia Aplicada Sistema de Contabilidade Nacional: CEIs e TRUs Daiana I. da Silva Doutoranda em Economia Aplicada Sistema de Contabilidade Nacional Contas Econômicas Integradas Conjunto de contas de operações e de ativos/passivos

Leia mais

DIVULGAÇÃO OPERACIONAL

DIVULGAÇÃO OPERACIONAL DIVULGAÇÃO OPERACIONAL O único objetivo das investigações realizadas pelo Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAER) é a prevenção de futuros acidentes aeronáuticos. De acordo

Leia mais

Cidadãos Inteligentes

Cidadãos Inteligentes Cidadãos Inteligentes Senador Walter Pinheiro Março/2015 Agenda O panorama brasileiro Oportunidades Smart People 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Panorama 8.00 6.00 4.00

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO N.º 3 DO ARTIGO 9.º DO DESPACHO RELATIVA À DETERMINAÇÃO DO PREÇO REGULADO DE GNL (PRGNL) DOCUMENTO JUSTIFICATIVO

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO N.º 3 DO ARTIGO 9.º DO DESPACHO RELATIVA À DETERMINAÇÃO DO PREÇO REGULADO DE GNL (PRGNL) DOCUMENTO JUSTIFICATIVO PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO N.º 3 DO ARTIGO 9.º DO DESPACHO N.º 10422/2010 RELATIVA À DETERMINAÇÃO DO PREÇO REGULADO DE GNL (PRGNL) ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º

Leia mais

Criação de serviços municipais

Criação de serviços municipais Desafios do Saneamento: Criação de serviços municipais 1.1 Titularidade municipal Constituição Federal estabelece titularidade dos municípios para serviço de saneamento básico CF/88: Art. 30. Compete aos

Leia mais

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO uma Nova Realidade de Crescimento São Paulo, 13 de agosto A GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A., GLAI, (BM&FBovespa: GOLL4 e NYSE: GOL), (S&P: B+, Fitch: B+, Moody s: B3), a maior Companhia Aérea de baixo

Leia mais

DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE OPERACIONAL

DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE OPERACIONAL DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE OPERACIONAL Temporada de Inverno W16 (30/10/2016 à 25/03/2017) 18 de Abril de 2016 Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante Gov. Aluísio Alves Siglas: ICAO SBSG IATA

Leia mais