PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Aviação Civil Secretaria de Política Regulatória de Aviação Civil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Aviação Civil Secretaria de Política Regulatória de Aviação Civil"

Transcrição

1 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Aviação Civil Secretaria de Política Regulatória de Aviação Civil CRESCIMENTO DO MERCADO BRASILEIRO DE AVIAÇÃO Gustavo Pacheco Fortes Fleury Gerente de Projeto do Departamento de Política de Serviços Aéreos Rio de Janeiro, 16 de abril de 2012

2 SUMÁRIO 1. Panorama histórico-institucional 2. SAC/PR Organização institucional 3. Estatísticas do transporte aéreo regular 4. Aviação geral 5. Desafios para a aviação civil

3 1. PANORAMA HISTÓRICO-INSTITUCIONALINSTITUCIONAL 1927 Dornier Wal Atlântico, do Condor Syndikat Primeiro aeronave a operar uma rota regular no Brasil (Porto Alegre- Pelotas-Rio Grande), com 3 passageiros. Fonte: R.E.G. Davies ( Airlines of Latin America since 1919 ) 2012 Embraer 195 Aeronave brasileira com capacidade para até 122 passageiros, exportada para diversos países

4 1. PANORAMA HISTÓRICO-INSTITUCIONALINSTITUCIONAL : Primeiras linhas regulares 1931: Criação do Departamento de Aviação Civil 1938: Publicação do Código Brasileiro do Ar : Criação do Ministério da Aeronáutica : Primeiras linhas operadas com aeronaves movidas por motores a jato 1961: 1ª Conferência Nacional de Aviação Comercial (I CONAC) 1966: Novo Código Brasileiro do Ar 1972: Criação da INFRAERO 1976: Criação dos Sistemas Integrados de Transporte Aéreo Regional (SITAR) : Publicação do Código Brasileiro de Aeronáutica 1991: V CONAC (extinção dos SITAR) 1999: Criação do Ministério da Defesa

5 1. PANORAMA HISTÓRICO-INSTITUCIONALINSTITUCIONAL DÉCADA DE : Criação do Conselho de Aviação Civil (CONAC) 2001: Liberalização tarifária, flexibilização para abertura de novas empresas; 2006: Implantação da ANAC em substituição ao DAC; 2007: Criação da Secretaria de Aviação Civil do Min. da Defesa (SAC/MD); 2009: Publicação da Política Nacional de Aviação Civil (PNAC, Decreto nº 6.780) 2011: Criação da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC/PR); concessão do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante (ASGA). 2012: Concessão dos aeroportos de Guarulhos, Brasília e Campinas.

6 2. SAC/PR ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL SAC/PR - ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL MP 527/2011 CONVERTIDA NA LEI Nº /2011 PRESIDÊNCIA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL Políticas públicas e planejamento da aviação civil Coordenação e articulação governamental Plano de outorgas e execução de convênios MIN. DA DEFESA Aviação militar e navegação aérea COMAER DECEA Controle do espaço aéreo INFRAERO Administração e operação aeroportuária ANAC Regulação técnica e econômica Fiscalização

7 2. SAC/PR ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL SAC/PR: PRINCIPAIS DESAFIOS PRINCIPAIS DESAFIOS PARA A SAC: 1) Expansão da capacidade de infraestrutura aeroportuária : Investimentos em obras de infraestrutura (reformas e expansão dos aeroportos); Melhoria da gestão (investimentos em tecnologia, qualificação de mão de obra, e em novos processos, com melhorias operacionais para o processamento e despacho de passageiros e cargas); PROFAA (Programa Federal de Auxílio a Aeroportos); Concessão de aeroportos. 2) Planejamento do setor de aviação civil de maneira integrada com outros modais, levando em conta características regionais e a importância do modal aéreo para a integração e desenvolvimento de certas localidades; 3) Revisão do marco regulatório do setor, instituído em 1986, dentre outras normas que impactam diretamente o setor.

8 Quantidade de passageiros-quilômetros transportados por empresas brasileiras nos mercados doméstico e internacional Fonte: ANAC Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

9 Quantidade de passageiros embarcados por empresas brasileiras nos mercados doméstico e internacional Fonte: ANAC; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

10 Passageiros nos Aeroportos Infraero Movimento de passageiros nos aeroportos da INFRAERO Crescimento Médio Anual: 12,5% ( ) Passageiros (m milhões) Fonte: Infraero

11 Movimento de passageiros nos aeroportos INFRAERO Fonte: INFRAERO; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

12 Tarifa aérea média e yield tarifa aérea em valores atualizados Fonte: ANAC Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

13 60,0% PARTICIPAÇÃO POR EMPRESA NO MERCADO DE TRANSPORTE AÉREO DOMÉSTICO 2000 A 2011 Participação no mercado doméstico, por empresa (médio e grande porte) ,0% empresa Participação por 40,0% 30,0% 20,0% 10,0% Avianca Azul BRA GOL/VRG¹ Grupo Varig² TAM Transbrasil Trip VASP Webjet Outras empresas³ 0,0% Fonte: ANAC Elaboração: SPR/SAC-PR

14 3,50% PARTICIPAÇÃO POR EMPRESA NO MERCADO DE TRANSPORTE AÉREO DOMÉSTICO (REGIONAL) 2000 A 2011 Participação no mercado doméstico, por empresa (pequeno porte) Participação por empresa 3,00% 2,50% 2,00% 1,50% 1,00% 0,50% ABAETÉ AIR MINAS ATA BRASIL CRUISER MEGA META NHT NOAR PANTANAL PASSAREDO PUMA AIR RICO SETE SOL TAF TEAM TOTAL TRIP 0,00% Fonte: ANAC; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

15 0,50 Índice de concentração do mercado (Herfindhal-Hirschman Index) 0,45 0,4351 Índice de Herfindah hl-hirschman 0,40 0,35 0,30 0,25 0,20 0,15 0,3179 0,2901 0,3068 0,2753 0, : término das operações regulares da Vasp; crise da Varig. 0,4104 0,4281 0,4250 0, : ampliação da frota da Webjet de 3 para 11 aeronaves após aquisição da empresa pela CVC; entrada em operação da Azul (dezembro); expansão das operações da Trip e venda de 20% de suas ações para a SkyWest Airlines. 0,3477 0,3349 Nos EUA é de 0,0942 conforme cálculos próprios a partir de dados do site Transtat.gov 0,10 0,05 0, Fonte: ANAC; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

16 Mapa de distribuição dos 714 aeródromos públicos (pistas de pouso e decolagem) MG BA SP RS MT AM PA PR GO MS SC MA CE PE RJ TO PB PI RO RR ES RN AC AP AL SE DF Fonte: ANAC; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

17 Aeroportos com voos regulares (126) Fonte: ANAC; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

18 Malha aérea doméstica regular Fonte: ANAC; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

19 Malha aérea doméstica regular por quantidade de assentos ofertados/semana Fonte: ANAC e IBGE; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

20 Malha aérea doméstica regular por quantidade de empresas por rota Fonte: ANAC e IBGE; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

21 Quantidade de rotas e aeroportos atendidos pelo transporte aéreo regular de passageiros e carga jan/1999 a jun/2011. Fonte: ANAC; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

22 VISÃO GERAL DO TRANSPORTE AÉREO REGULAR Comparativo de aeroportos e rotas com voos regulares em janeiro de 1999 e junho de 2011 Aeroportos Rotas Aeroportos com voos regulares Operados em janeiro/1999 e junho /2011 (109) Operados em janeiro/1999, mas não em junho/2011 (73) Operados em junho/2011, mas não em janeiro/1999 (21) Rotas aéreas regulares Operadas em janeiro/1999 e junho /2011 (414) Operadas em janeiro/1999, mas não em junho/2011 (423) Operadas em junho/2011, mas não em janeiro/1999 (426) Fonte: ANAC; Elaboração: DEPSA/SPR/SAC-PR

23 4. AVIAÇÃO GERAL Fonte: Associação Brasileira de Aviação Geral - ABAG ( Anuário Brasileiro de Aviação Geral 2011 )

24 4. AVIAÇÃO GERAL Fonte: Associação Brasileira de Aviação Geral - ABAG ( Anuário Brasileiro de Aviação Geral 2011 )

25 4. AVIAÇÃO GERAL Fonte: Associação Brasileira de Aviação Geral - ABAG ( Anuário Brasileiro de Aviação Geral 2011 )

26 5. DESAFIOS PARA A AVIAÇÃO CIVIL Melhoria da segurança operacional e contra atos ilícitos na aviação civil; Ampliação e melhoria da infraestrutura aeroportuária; Redução de barreiras à entrada de novas empresas no setor; Aumento da quantidade de cidades atendidas pelo transporte aéreo regular de passageiros e carga; Formação de profissionais para a aviação civil; Redução da carga tributária sobre insumos como combustíveis; Redução dos impactos ambientais da aviação civil; Aumento da competitividade e diversidade da cadeia produtiva da indústria aeronáutica; Revisão do Código Brasileiro de Aeronáutica; Aperfeiçoamento da estrutura institucional dos órgãos e entidades ligados à aviação civil.

27 OBRIGADO! Gustavo Pacheco Fortes Fleury Gerente de Projeto do Departamento de Política de Serviços Aéreos (61)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

Agenda Emergencial para o Setor Aéreo

Agenda Emergencial para o Setor Aéreo Agenda Emergencial para o Setor Aéreo Propostas ABEAR para estimular o transporte aéreo, a economia, a conectividade e o desenvolvimento regional no Brasil www.abear.com.br Propostas 1. Fixação de preço

Leia mais

@aviacaocivil

@aviacaocivil www.aviacaocivil.gov.br faleconosco@aviacaocivil.gov.br /AviacaoGovBr @aviacaogovbr @AviacaoGovBr @aviacaocivil Arranjo Institucional Março PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Formular, coordenar e supervisionar

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

Aviação Geral. Óbices ao Desenvolvimento

Aviação Geral. Óbices ao Desenvolvimento Aviação Geral Óbices ao Desenvolvimento A Aviação Civil tem muitos segmentos... ... divididos percentualmente em... 280 aeronaves (1,93%) 96 aeronaves (0,67%) 13.965 aeronaves (97,4%) Evolução Aviação

Leia mais

Ass-Km e Pax-Km - Tráfego Doméstico. jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez

Ass-Km e Pax-Km - Tráfego Doméstico. jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez INTRODUÇÃO Como um meio de transporte sensível, a Aviação Civil responde rapidamente ao dinamismo com que vem sendo administrada, propiciando, assim, resultados que confirmam o correto direcionamento das

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella A associação foi criada em 2012 2 Princípios ABEAR Padrões Internacionais Estado Eficiente Liberdade Tarifária 3 + 2002 2015 4 Fontes: OACI, ANAC,

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

Objetivo Geral: Objetivos Específicos:

Objetivo Geral: Objetivos Específicos: Objetivo Geral: Superação da pobreza e geração de trabalho e renda no meio rural por meio de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável. Objetivos Específicos: Inclusão produtiva das populações

Leia mais

Transporte Aéreo, Movimentação de PAX, Tarifas Aéreas, Rotas e Direitos do Consumidor

Transporte Aéreo, Movimentação de PAX, Tarifas Aéreas, Rotas e Direitos do Consumidor Transporte Aéreo, Movimentação de PAX, Tarifas Aéreas, Rotas e Direitos do Consumidor Ricardo Bisinotto Catanant (SRE/ANAC) Roteiro Evolução do Setor Movimentação de PAX Market Share Rotas Aéreas Tarifas

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella A associação foi criada em 2012 Princípios ABEAR Padrões Internacionais Estado Eficiente Liberdade Tarifária 2002 2015 + Efeitos da liberdade

Leia mais

Cargas Aéreas e Rodoviárias Ltda.

Cargas Aéreas e Rodoviárias Ltda. Cargas Aéreas e Rodoviárias Ltda. EMPRESA A Trans Ápia é uma empresa especializada em cargas urgentes, porta a porta para todo território nacional, que atua no mercado de transportes aéreo e rodoviário

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DESESTATIZAÇÃO - SUCESSOS E DESAFIOS

PLANO NACIONAL DE DESESTATIZAÇÃO - SUCESSOS E DESAFIOS CÂMARA DE COMÉRCIO AMERICANA DO RIO DE JANEIRO SEMINÁRIO INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA DOS AEROPORTOS PLANO NACIONAL DE DESESTATIZAÇÃO - SUCESSOS E DESAFIOS Índice 1. Desafios da aviação Civil Brasileira 2.

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO TURISMO DIVISÃO DE INFORMAÇÕES E ESTUDOS ESTRATÉGICOS DO TURISMO RELATÓRIO DA OFERTA DE VOOS PARA O RIO GRANDE DO SUL

SECRETARIA DE ESTADO DO TURISMO DIVISÃO DE INFORMAÇÕES E ESTUDOS ESTRATÉGICOS DO TURISMO RELATÓRIO DA OFERTA DE VOOS PARA O RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DO TURISMO DIVISÃO DE INFORMAÇÕES E ESTUDOS ESTRATÉGICOS DO TURISMO RELATÓRIO DA OFERTA DE VOOS PARA O RIO GRANDE DO SUL Porto Alegre Março de 2013 RESUMO: O Boletim de Horário Previsto

Leia mais

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO UF / Ação de Governo Valor a ser Fiscalizado AC R$ 99.891.435,79 Apoio à Alimentação Escolar na Educação Básica (PNAE) R$

Leia mais

Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas

Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas 8 de dezembro de 2011 SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL INFRAERO ANAC Ministério da Defesa DECEA AVIAÇÃO CIVIL PANORAMA INVESTIMENTOS CONCESSÕES INFRAERO

Leia mais

Secretaria de Aviação Civil PR. Audiência Pública Comissão de Assuntos Econômicos

Secretaria de Aviação Civil PR. Audiência Pública Comissão de Assuntos Econômicos Secretaria de Aviação Civil PR Audiência Pública Comissão de Assuntos Econômicos Panorama do setor aéreo brasileiro Desenvolvimento expressivo do transporte aéreo brasileiro Larga redução das tarifas 46%

Leia mais

Evolução dos Corpos de Bombeiros Apresentação do Serviço Aéreo Organograma As viaturas que operamos Estatísticas Características do Serviço Aéreo

Evolução dos Corpos de Bombeiros Apresentação do Serviço Aéreo Organograma As viaturas que operamos Estatísticas Características do Serviço Aéreo Evolução dos Corpos de Bombeiros Apresentação do Serviço Aéreo Organograma As viaturas que operamos Estatísticas Características do Serviço Aéreo Aviação de Segurança Pública no Cenário Nacional Publicação

Leia mais

Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções

Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções Infraero: Reestruturação Societária Workshop de Logística e Transportes da Fiesp 24 de Maio de 2016 Agenda 1. Institucional 2. Efeitos das concessões

Leia mais

Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. Trimestre de 2012

Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. Trimestre de 2012 Ministério do Trabalho e Emprego Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. de 2012 1. Resultados do Programa de Microcrédito no 2 de 2012.

Leia mais

Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas

Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República Sr. WAGNER BITTENCOURT 10 de outubro de 2011 AVIAÇÃO CIVIL SAC

Leia mais

RELATÓRIO GERAL SOBRE SAC

RELATÓRIO GERAL SOBRE SAC MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR COORDENAÇÃO GERAL DO SINDEC RELATÓRIO GERAL SOBRE SAC Brasília, 26 de julho de 2010 PREÂMBULO Trata-se

Leia mais

e-sus Atenção Básica Prontuário Eletrônico do Cidadão

e-sus Atenção Básica Prontuário Eletrônico do Cidadão e-sus Atenção Básica Prontuário Eletrônico do Cidadão Apresentação CIT 24/11/2016 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Panorama Geral Prontuário Eletrônico do

Leia mais

Indenizações Pagas. Evolução das Indenizações Pagas por Natureza

Indenizações Pagas. Evolução das Indenizações Pagas por Natureza Ano 05 - Volume 02 Janeiro a Junho de 2015 Indenizações Pagas Natureza da Indenização Jan a Jun 2014 % % Jan a Jun 2014 x Morte 25.181 7% 22.395 7% -11% Invalidez Permanente 259.845 77% 269.410 78% 4%

Leia mais

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP UBS Elpidio Moreira Souza AC Quadra da Escola Municipal Érico de Souza, Águas Lindas GO UPA município de Ribeirão Pires SP UBS Clínica da Família,

Leia mais

Corretores de Imóveis e Imobiliárias - Brasil. Quantos são e onde estão

Corretores de Imóveis e Imobiliárias - Brasil. Quantos são e onde estão Corretores de Imóveis e Imobiliárias - Brasil Quantos são e onde estão Corretores de Imóveis e Imobiliárias A Kuser Participações S/A traz mais uma vez ao mercado, um levantamento da quantidade de corretores

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA CANCELAMENTOS E ATRASOS DE VOOS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA CANCELAMENTOS E ATRASOS DE VOOS CANCELAMENTOS E ATRASOS DE VOOS A ANAC - Agência Nacional de Regulação Civil publicou em 06 de março de 2012 a Resolução nº 218 que estabelece procedimentos para a divulgação de percentuais de atrasos

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento C o m p an h i a N ac io n a l d e Abastecimento D i r e t o r i a d e Opercações e A b a stecimento S u p erintedência de O p erações Comerciais G e r ên c i a d e Formação e Controle de Estoques P o

Leia mais

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007.

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. VA PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DE 4/10/2007, SEÇÃO 3, PÁG.. EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. Divulgar a distribuição de vagas do Concurso Público para provimento de cargos e formação

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Sigla CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Ind Nº 9/215 Técnicos Resp Equipe CGPM

Leia mais

Acompanhamento pelo TCU dos processos de concessões de infraestrutura aeroportuária

Acompanhamento pelo TCU dos processos de concessões de infraestrutura aeroportuária Acompanhamento pelo TCU dos processos de concessões de infraestrutura aeroportuária Audiência Pública da Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados Brasília, 10 de julho de 2013 Secretaria

Leia mais

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS MAIO DE 2016 1 PRODUTOS 2 O objetivo do transporte aéreo é fornecer o serviço de transporte de cargas e passageiros.

Leia mais

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS LIÇÕES: BONS E MAUS EXEMPLOS 1 O PROJETO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2013 % Jan a Dez 2013 x Jan a Dez 2012 Morte 60.752 1 54.767 9% - Invalidez Permanente 352.495 69% 444.206 70% 2 Despesas Médicas (DAMS) 94.668 19% 134.872

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDUSTRIAS DE SUPLEMENTOS MINERAIS RUA AUGUSTA, 2676 13 ANDAR SALA 132 CEP 01412-100 SÃO PAULO SP Telefone: (011) 3061-9077 e-mail:

Leia mais

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações

Leia mais

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Secretaria de Vigilância

Leia mais

DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E PESQUISA COORDENAÇÃO GERAL DE PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO DE INVESTIMENTOS. DNIT www.dnit.gov.br

DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E PESQUISA COORDENAÇÃO GERAL DE PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO DE INVESTIMENTOS. DNIT www.dnit.gov.br DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E PESQUISA COORDENAÇÃO GERAL DE PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO DE INVESTIMENTOS BREVE HISTÓRICO SISTEMA DE GERÊNCIA DE PAVIMENTOS O SISTEMA DE GERÊNCIA DE PAVIMENTOS (SGP) É UM CONJUNTO

Leia mais

Gestão da Qualidade da Banda Larga

Gestão da Qualidade da Banda Larga Gestão da Qualidade da Banda Larga Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17 de maio de 2013 METODOLOGIA DE MEDIÇÃO INDICADORES DE BANDA LARGA FIXA Avaliações realizadas através de medidores instalados

Leia mais

Aeroportos Copa do Mundo 2014. 14 Dezembro 2009

Aeroportos Copa do Mundo 2014. 14 Dezembro 2009 Aeroportos Copa do Mundo 2014 14 Dezembro 2009 Belo Horizonte e Confins - MG 1. Aeroporto Internacional Tancredo Neves Confins 2. Aeroporto de Belo Horizonte/ Pampulha Carlos Drummond de Andrade Brasília

Leia mais

Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária

Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Paulo Sérgio Passos Ministro de Estado dos Transportes Brasília, 16.07.2014 Brasil e China: Economias Complementares China

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral - SGM Cooperação Internacional no Setor Mineral Temas prioritários CARLOS NOGUEIRA DA COSTA JUNIOR Secretário Sumário

Leia mais

Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade

Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade Zilmar José de Souza XIV CONGRESSO BRASILEIRO DE ENERGIA Rio de Janeiro 23 de outubro de 2012 A UNICA A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA)

Leia mais

Aviação Brasileira Agenda 2020

Aviação Brasileira Agenda 2020 Aviação Brasileira Agenda 2020 Aviação Brasileira Agenda 2020 Sumário 03. A ABEAR 07. Perpectivas 09. Comprometimento 17. O setor aéreo brasileiro 28. Obstáculos ao desenvolvimento A ABEAR A associação

Leia mais

SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011

SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011 SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011 ANÁLISE DOS RESULTADOS De acordo com os dados do Ministério do Trabalho e Emprego, de janeiro a dezembro de 2012 foram

Leia mais

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Objetivo Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Fim das barreiras à entrada Estímulo à expansão dos investimentos do setor privado Modernização da infraestrutura e da gestão

Leia mais

EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias

EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias Descrição geral - Trabalho técnico de Economia, Engenharia, Ciências do Meio Ambiente, Estatística, Geografia, Ciências Sociais

Leia mais

MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO JANEIRO / ABRIL -2011

MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO JANEIRO / ABRIL -2011 MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO JANEIRO / ABRIL -2011 1 MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO: O Mercado de títulos de capitalização vem mantendo crescimentos fortes e retornos robustos. Nesse período o volume de vendas atingiu

Leia mais

BAHIA. Previdenciária. ria PNAD BRASÍLIA, MAIO DE 2011

BAHIA. Previdenciária. ria PNAD BRASÍLIA, MAIO DE 2011 BAHIA Proteção Previdenciária ria - Perfil dos socialmente desprotegidos segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2009 - BRASÍLIA, MAIO DE 2011 1 1. Indicadores de Cobertura Social Cobertura

Leia mais

Balanço da Atividade da Fiscalização da ANP no Mercado de GLP. Encontro Técnico do GLP de de dezembro de 2015 São Paulo - SP

Balanço da Atividade da Fiscalização da ANP no Mercado de GLP. Encontro Técnico do GLP de de dezembro de 2015 São Paulo - SP Balanço da Atividade da Fiscalização da ANP no Mercado de GLP Encontro Técnico do GLP de 2015 09 de dezembro de 2015 São Paulo - SP Fiscalização do Abastecimento 2 Agentes Econômicos Sujeitos à Fiscalização

Leia mais

Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional. Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br

Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional. Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br Sumário 1. Dados da SAC sobre o Setor Aeroportuário 2. Plano Geral de Outorgas

Leia mais

Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes. Alexandre Medeiros de Figueiredo Diretor do Departamento de Gestão da Educação na Saúde

Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes. Alexandre Medeiros de Figueiredo Diretor do Departamento de Gestão da Educação na Saúde Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes Alexandre Medeiros de Figueiredo Diretor do Departamento de Gestão da Educação na Saúde TELESSAÚDE É o uso de tecnologias da informação e comunicação para atividades

Leia mais

e-sus Atenção Básica Prontuário Eletrônico do Cidadão

e-sus Atenção Básica Prontuário Eletrônico do Cidadão e-sus Atenção Básica Prontuário Eletrônico do Cidadão Webconferência Pauta: Resolução 07/2016 da CIT. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica A webconferência tem

Leia mais

ebook O Tecnólogo em Transporte Aéreo

ebook O Tecnólogo em Transporte Aéreo ebook O Tecnólogo em Transporte Aéreo 1ª Edição 2016 SUMÁRIO CAPITULO I A DIFERENÇA ENTRE AERONAUTA E AEROVIÁRIO Aeroviário Aeronauta Projeção da aviação nos próximos anos CAPITULO II - O CURSO SUPERIOR

Leia mais

Fundação Nacional de Saúde Funasa Departamento de Engenharia de Saúde pública - Densp. 2º Congresso de Saneamento do Nordeste

Fundação Nacional de Saúde Funasa Departamento de Engenharia de Saúde pública - Densp. 2º Congresso de Saneamento do Nordeste Fundação Nacional de Saúde Funasa Departamento de Engenharia de Saúde pública - Densp 2º Congresso de Saneamento do Nordeste O protagonismo dos municípios na gestão do saneamento. Eng. Leonardo Rodrigues

Leia mais

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág.

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág. RELATÓRIO SIOR 2012 ÍNDICE NOTÍCIAS 2011/2012 ANÁLISE DAS DEMANDAS GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO TEMPO DE ATENDIMENTO DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES MAPA DAS PRINCIPAIS DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES

Leia mais

2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro

2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro 18 2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro O Sistema Aeroportuário Brasileiro é disciplinado pela Lei nº 7.565/86, que dispõe sobre o Código Brasileiro de Aeronáutica (CBDA) e traz a seguinte definição: Aeroportos:

Leia mais

Evolução das Ocorrências de Sinistros de Morte no Feriado de Corpus Christi por Tipo de Veículo

Evolução das Ocorrências de Sinistros de Morte no Feriado de Corpus Christi por Tipo de Veículo Estatísticas Corpus Christi Nos últimos anos, as ocorrências de acidentes envolvendo veículos automotores, no período do feriado de Corpus Christi, cujas indenizações foram solicitadas à Seguradora Líder

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

SiSUTEC. 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

SiSUTEC. 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica SiSUTEC 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Brasília, julho de 2014 Pronatec Mais de 7,59 milhões de matrículas realizadas até julho de 2014: 2,16

Leia mais

24º Fórum de Debates Brasilianas.org

24º Fórum de Debates Brasilianas.org Transportes 24º Fórum de Debates Brasilianas.org Os desafios da logística e infraestrutura Marcos regulatórios e entraves burocráticos Reginaldo Cardoso São Paulo, 30 de Maio de 2012 Deutsche Post - DHL

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS JOÃO PESSOA-PB, JUNHO 2004 TABELA Nº01 GASTO MÉDIO INDIVIDUAL DIÁRIO em R$ 1.00,

Leia mais

Programa Saúde na Escola

Programa Saúde na Escola Encontro com Referencias Estaduais de Alimentação e Nutrição Programa Saúde na Escola Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição / Departamento de Atenção Básica/ Secretaria de Atenção à Saúde Ministério

Leia mais

Mercado de Aviação Brasileiro Momento Atual

Mercado de Aviação Brasileiro Momento Atual Mercado de Aviação Brasileiro Momento Atual Momento Atual da Indústria Nacional 1 2 3 4 O setor de aviação nacional que hoje transporta mais passageiros do que ônibus atravessa um momento desfavorável

Leia mais

Quantidade de pedidos registrados por mês

Quantidade de pedidos registrados por mês Relatório de Pedidos de Acesso à Informação e Solicitantes (*) Informações adicionais para o correto entendimento do relatório podem ser encontradas na última seção. Órgão(s) de referência: MinC - Ministério

Leia mais

CAU - RN. Comparativo da Receita. Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: /

CAU - RN. Comparativo da Receita. Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: / Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Rio Grande do Norte CNPJ: 14.829.126/0001-88 Comparativo da RECEITA REALIZADA 1.868.185,06 688.293,65 RECEITA CORRENTE 1.131.994,00-47.897,41 RECEITAS DE

Leia mais

Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA.

Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA. Departamento de Engenharia de Saúde Pública/CGEAR LICENCIAMENTO AMBIENTAL NAS OBRAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA FUNASA Brasília 2005 O Licenciamento Ambiental nasceu de uma exigência social, fruto de uma

Leia mais

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA NO BRASIL

PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA NO BRASIL PLANO DE SEGURANÇA DA ÁGUA NO BRASIL Reunião do Comitê das Bacias do Alto Iguaçu e Afluentes do Alto Ribeira Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência)

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição. Brasília, junho de 2015

Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição. Brasília, junho de 2015 Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição Brasília, junho de 2015 Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Mapa da cobertura de suplementação de vitamina A para crianças de 6 a 11 meses, em

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas d CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indica Nº 1/215 Técnicos Respon Equipe

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas do Pa CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indicador Nº 2/215 Técnicos Responsáv

Leia mais

MEC. Censo da Educação Superior 2014

MEC. Censo da Educação Superior 2014 MEC Censo da Educação Superior 2014 BRASÍLIA DF 04 DE DEZEMBRO DE 2015 Tabela Resumo Estatísticas Gerais da Educação Superior Brasil 2014 Categoria Administrativa Estatísticas Básicas Total Geral Pública

Leia mais

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS: Repartição das responsabilidades entre União, Estados e Municípios; Vinculação de impostos; Definição de Manutenção e Desenvolvimento do

Leia mais

Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir?

Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir? EXPOSIBRAM 2011 14º Congresso Brasileiro de Mineração Painel 5 Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir? Márcio Pereira Meio Ambiente e Sustentabilidade Belo Horizonte, 28.9.2011

Leia mais

Crédito Suplementar. 2049 Moradia Digna 2.000.000.000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 28 845 2049 00AF Integralização de Cotas ao Fundo de Arrendamento

Crédito Suplementar. 2049 Moradia Digna 2.000.000.000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 28 845 2049 00AF Integralização de Cotas ao Fundo de Arrendamento ÓRGÃO: 56000 - Ministério das Cidades UNIDADE: 56101 - Ministério das Cidades ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTAÇÃO) Crédito Suplementar Recurso de Todas as Fontes R$ 1,00 FUNCIONAL PROGRAMÁTICA

Leia mais

Análise da alocação de slots aeroportuários no Brasil

Análise da alocação de slots aeroportuários no Brasil PET - Economia UnB 3 de junho de 2014 Motivação O artigo tem como objetivo analisar a alocação de slots aeroportuários no Brasil Estrutura 1 Introdução 2 3 Atual regulação Proposta de resolução 4 5 6 Importância

Leia mais

Cancelamentos e Atrasos de Voos

Cancelamentos e Atrasos de Voos Cancelamentos e Atrasos de Voos A ANAC - Agência Nacional de Regulação Civil publicou em 06 de março de 2012 a Resolução nº 218 que estabelece procedimentos para a divulgação de percentuais de atrasos

Leia mais

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Seminário de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos Mesa Redonda I Exposição humana a agrotóxicos: ações em desenvolvimento Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Coordenação

Leia mais

Setor de Bens de Capital 1

Setor de Bens de Capital 1 Setor de Bens de Capital 1 A indústria de Bens de Capital (BC) que produz máquinas e equipamentos é tradicionalmente reconhecida como um componente estratégico de um padrão de desenvolvimento rápido e

Leia mais

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília Apresentação do IDConselho Municipal Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília 5.366 Conselhos Municipais que preencheram o Censo SUAS 2014 Dinâmica de

Leia mais

Cenário atual e perspectiva para a formação continuada de professores do Ensino Médio no âmbito do PNEM. Programas Integrados

Cenário atual e perspectiva para a formação continuada de professores do Ensino Médio no âmbito do PNEM. Programas Integrados MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DIRETORIA DE FORMULAÇÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS Cenário atual e perspectiva para a formação continuada de professores do Ensino Médio no âmbito do

Leia mais

Vagas autorizadas. 4.146 vagas* autorizadas em 1.294 municípios e 12 DSEIs *35 vagas nos Distritos Indígenas e 361 vagas de reposição

Vagas autorizadas. 4.146 vagas* autorizadas em 1.294 municípios e 12 DSEIs *35 vagas nos Distritos Indígenas e 361 vagas de reposição Vagas autorizadas 4.146 vagas* autorizadas em 1.294 municípios e 12 DSEIs *35 vagas nos Distritos Indígenas e 361 vagas de reposição Fonte: IBGE e MS. Datum: SIRGAS2000 Elaboração: MS/SGTES/DEPREPS Data:

Leia mais

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS APRESENTAÇÃO POPULAÇÃO CARCERÁRIA BRASILEIRA O objetivo deste trabalho, elaborado pela Comissão de Monitoramento e Avaliação do DEPEN, é realizar um levantamento, de forma sucinta, sobre o quadro evolutivo

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3o Bimestre 5o ano Geografia Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia os dados e o gráfico do censo do

Leia mais

profissional: desafios e integração

profissional: desafios e integração O papel das IES na formação profissional: desafios e integração da equipe de saúde Clarice A. Ferraz Coordenadora d Geral das Ações Técnicas em Educação na Saúde e Formação de Profissionais de Nível Médio

Leia mais

Curso Nacional Qualificação de Auditorias e Ouvidorias do SUS: Detalhamento da Estrutura de Governança e Orientações de Funcionamento do Curso

Curso Nacional Qualificação de Auditorias e Ouvidorias do SUS: Detalhamento da Estrutura de Governança e Orientações de Funcionamento do Curso Curso Nacional Qualificação de Auditorias e Ouvidorias do SUS: Detalhamento da Estrutura de Governança e Orientações de Funcionamento do Curso O Curso Nacional de Qualificação de Auditorias e Ouvidorias

Leia mais