DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Departamento de Estruturas e Construção Civil ECC 1008 Estruturas de Concreto DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS Aulas Gerson Moacyr Sisniegas Alva

2 RECOMENDAÇÕES: DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS

3 PRÉ-FORMAS E FORMAS FINAIS Informações nas pranchas do projeto 1. Escala: Escala adequada em plantas e cortes boa visualização Escala usual Exemplos: Escala 1:50 Escala 1: Cortes: Especialmente em seção de encontro de vigas com lajes Cortes rebatidos nas plantas de formas 3. Numeração dos elementos estruturais: Todos os elementos numerados (vigas, pilares, lajes, sapatas, etc) Em geral da esquerda para a direita, de cima para baixo (escrita)

4 4. Níveis: Adotar nível de referência único para todos os projetos (levantamento plani-altimétrico, arquitetônico, estrutural, etc) evitar erros construtivos 5. Eixos e cotas: Estabelecer dois eixos ortogonais em planta de comum acordo entre projetista estrutural e arquiteto (locação dos gabaritos, fundações, estrutura e alvenaria) Cotagem feita de forma a facilitar a interpretação e a construção

5 V5 (15/40) 15 V6 (15/40) P1 P4 V7 (15/40) 15 P7 V1 (15/50) L1 (h=10) V2 (25-15/50) V3 (25-15/50) L5 (h=10) V8 (15/40) P2 P5 (15/50) L3 (h=10) P8 (15/50) V9 (15/40) L2 (h=10) L6 (h=10) L4 (h=10) P3 V10 (15/40) P6 P Exemplo de planta de forma estrutural (pavimento tipo) V4 (15/50) P10 P11 15 P

6 P7 VE1 (15/40) P4 Sobe 310 VE2 (15/30) Sobe V2 (15/50) P8 (15/50) P5 (15/50) L5 VE3 (15/40) 485 L1 Exemplo de Escada (Planta de formas e corte) V3 V2 280 VE2 P P x17,5cm L5 L1 V3 7x25cm V2

7 Geração das pré-formas estruturais Compatibilização de projetos (Início da Análise Estrutural) Levantamento das cargas verticais Modelagem da estrutura

8 OUTRAS INFORMAÇÕES RELEVANTES NAS PRANCHAS (especialmente nas FORMAS FINAIS) Especificação das cargas permanentes e variáveis (sobrecargas) Auxilia construtor na escolha dos materiais de construção Possibilidade de carregamentos especiais: enchimentos, jardins, etc Características do concreto e aspectos de durabilidade Resistência do concreto: fck Módulo de elasticidade Ec utilizado nos cálculos Relação a/c máxima Cobrimento c Informações sobre a retirada do escoramento: Data da retirada do escoramento Resistência do concreto mínima (na data da retirada) Módulo de elasticidade mínimo (na data da retirada)

9 Sugestão de Leitura Diretrizes do Projeto de Estrutura para Garantia do Desempenho e Custo Capítulo 7 do livro: Concreto: Ensino, Pesquisa e Realizações (2005) Capítulo 4 do livro: Concreto: Concreto: Ciência e Tecnologia (2011) IBRACON / Editor: Geraldo Isaia

10 LEVANTAMENTO DAS AÇÕES ATUANTES NA ESTRUTURA Ações verticais Ações horizontais Demais ações

11 LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS Ações verticais Ações gravitacionais Permanentes Peso específico dos materiais de construção Elementos estruturais: vigas, lajes, pilares, muros, etc. Elementos não estruturais: revestimentos, pisos, vedação, etc. Variáveis Sobrecarga de utilização Valores mínimos de sobrecarga Vide NBR 6120

12 Peso específico dos materiais de construção - NBR 6120:1980 Blocos Artificiais Revestimentos e concretos Materiais Blocos de argamassa Cimento amianto Lajotas cerâmicas Tijolos furados Tijolos maciços Tijolos sílico-calcários Argamassa de cal, cimento/areia Argamassa de cimento e areia Argamassa de gesso Concreto simples Concreto armado Peso específico Aparente kn/m ,

13 Ações permanentes por unidade de área Valores usuais MATERIAL Paredes: Tijolos maciços com 25cm de espessura Tijolos maciços com 15cm de espessura Tijolos furados com 23cm de espessura Tijolos furados com 13cm de espessura Tijolos de concreto com 23cm de espessura Tijolos de concreto com 13cm de espessura Tijolos de concreto celular, com 23cm Tijolos de concreto celular, com 13cm Coberturas: Com telhas cerâmicas, c/madeiramento Com telhas de fibrocimento, c/madeira. Com telhas de alumínio e estrutura de aço Com telhas de alumínio e estrutura de alumínio AÇÃO kn/m2 4,0 2,5 3,2 2,2 3,5 2,2 0,8 0,5 1,2 0,4 0,3 0,2

14 Valores mínimos das ações variáveis normais: NBR 6120:1980 AMBIENTE ARQUITETÔNICO Ação kn/m2 Arquibancadas 4,0 Bibliotecas Sala de leitura 2,5 Casas de Máquinas Corredores Edifícios Residenciais Escadas Sala para depósitos de livros 4,0 Sala com estantes de livros a ser determinada em cada caso ou 2,5 kn/m2 de altura, porém c/ mínimo de (incluindo a massa das máquinas) a ser determinada em cada caso, porém com o valor mínimo de Com acesso ao público Sem acesso ao público Dormitórios, sala, copa, cozinha e banheiro. Dispensa, área de serviço e Lavanderia Com acesso ao público Sem acesso ao público 6,0 7,5 3,0 2,5 1,5 2,0 3,0 2,5

15 Valores mínimos das ações variáveis normais: NBR 6120:1980 Escolas Corredor e sala de aula Outras salas 3,0 2,0 Escritórios Salas de uso geral e banheiro 2,0 Forros Sem acesso a pessoas 0,5 Galerias de Arte Galerias de Lojas Garagens e estacionamentos A ser determinada em cada caso, porém com o mínimo A ser determinada em cada caso, porém com o mínimo Para veículos de passageiros ou semelhantes com carga máxima de 25kN por veículo 3,0 3,0 3,0 Ginásio de Esportes Terraços Sem acesso ao público Com acesso ao público Inacessível a pessoas 5,0 2,0 3,0 0,5

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 02: Definições Básicas

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 02: Definições Básicas Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Estruturas MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 02: Definições Básicas Profa. Dra. Maria Betânia de Oliveira

Leia mais

Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loja A1 1

Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loja A1 1 Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Aplicações para mezaninos Estruturas de Aço e Madeira Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loja A1 1 Definição do sistema estrutural do pavimento Vigas principais

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE LAJES MACIÇAS

DIMENSIONAMENTO DE LAJES MACIÇAS DIMENSIONAMENTO DE LAJES MACIÇAS Vão Vão livre (l0): Distância entre as faces dos apoios ou da etremidade livre até a face do apoio. Vão teórico (l): Distância entre os centros dos apoio. Em laje isolada:

Leia mais

ECA ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO Fernando de Moraes Mihalik

ECA ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO Fernando de Moraes Mihalik - 1 - UNIP - Universidade Paulista SISTEMAS ESTRUTURAIS CONCRETO SEC NOTAS DE AULA - 04 LAJES CONCEITOS, DIMENSIONAMENTO E CÁLCULO DE REAÇÕES NAS VIGAS - 2 - NA_04/2011 SISTEMAS ESTRUTURAIS NOTAS DE AULA

Leia mais

Distribuição de Cargas Verticais

Distribuição de Cargas Verticais Distribuição de Cargas Verticais Disponível em http://www.chasqueweb.ufrgs.br/~jeanmarie/eng01208/eng01208.html jean.marie@ufrgs.br Funções das paredes de alvenaria Compressão axial Transmite as cargas

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Cálculo de Lajes Prof. Ederaldo Azevedo Aula 3 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br 3.1. Conceitos preliminares: Estrutura é a parte ou o conjunto das partes de uma construção que se destina a

Leia mais

DESENHOS DE FORMAS ESTRUTURAIS EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO

DESENHOS DE FORMAS ESTRUTURAIS EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO ARMADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Estruturas e Construção Civil Disciplina: ECC 1008 Estruturas de Concreto DESENHOS DE FORMAS ESTRUTURAIS EM EDIFÍCIOS DE CONCRETO

Leia mais

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3.

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3. Código da Disciplina CCE0047 AULA 3 http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Representação de projetos de arquitetura NBR- 6492: INFORMAÇÕES NA PRANCHA: Nome dos ambientes: Em todo e qualquer projeto arquitetônico,

Leia mais

PROVA COMENTADA. Carga acidental (Q) = 0,5 kn/m² Carga permanente (G) = (0,12 cm X 25 kn/m³) + 1,0 kn/m² + 1,0 kn/m² = 4,0 kn/m²

PROVA COMENTADA. Carga acidental (Q) = 0,5 kn/m² Carga permanente (G) = (0,12 cm X 25 kn/m³) + 1,0 kn/m² + 1,0 kn/m² = 4,0 kn/m² ? Graute Um primeiro objetivo seria proporcionar a integração da armadura com a alvenaria, no caso de alvenaria estrutural armada ou em armaduras apenas de caráter construtivo. O segundo objetivo seria

Leia mais

PONTES DE CONCRETO ARMADO

PONTES DE CONCRETO ARMADO PONTES DE CONCRETO ARMADO CLASSIFICAÇÃO DAS PONTES Aula 3 CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO Material da Superestrutura; Comprimento; Natureza do Tráfego; Desenvolvimento Planimétrico; Desenvolvimento Altimétrico;

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL (BLOCOS DE CONCRETO, BLOCOS CERÂMICOS, GRAUTEAMENTO E ARMAÇÃO)

ALVENARIA ESTRUTURAL (BLOCOS DE CONCRETO, BLOCOS CERÂMICOS, GRAUTEAMENTO E ARMAÇÃO) SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA ALVENARIA ESTRUTURAL (BLOCOS DE CONCRETO, BLOCOS CERÂMICOS, GRAUTEAMENTO E ARMAÇÃO) LOTE

Leia mais

08/06/2011. IF SUL Técnicas Construtivas Profa. Carol Barros. Origem das estruturas... Homem. Sobrevivência. Agua, alimentos, proteção

08/06/2011. IF SUL Técnicas Construtivas Profa. Carol Barros. Origem das estruturas... Homem. Sobrevivência. Agua, alimentos, proteção IF SUL Técnicas Construtivas Profa. Carol Barros Origem das estruturas... Homem Sobrevivência Agua, alimentos, proteção 1 Abrigo e Proteção Blocos (tijolos) 2 Alvenaria No Egito, primerio sistema de alvenaria.

Leia mais

Escolha da estrutura do pavimento-tipo do projeto- piloto

Escolha da estrutura do pavimento-tipo do projeto- piloto Escolha da estrutura do pavimento-tipo do projeto- piloto Para se escolher a estrutura do pavimento-tipo, começa-se por decalcar a planta de alvenaria deste pavimento, desenhando-se no CAD a posição das

Leia mais

Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia Civil Departamento de Estruturas. Elementos estruturais. Prof. MSc. Luiz Carlos de Almeida

Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia Civil Departamento de Estruturas. Elementos estruturais. Prof. MSc. Luiz Carlos de Almeida Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Engenharia Civil Departamento de Estruturas Elementos estruturais Notas de aula da disciplina AU405 Concreto Prof. MSc. Luiz Carlos de Almeida Agosto/2006

Leia mais

Memorial Descritivo. Rua Onze de Junho, São Vicente - SP

Memorial Descritivo. Rua Onze de Junho, São Vicente - SP Memorial Descritivo Rua Onze de Junho, 316 - São Vicente - SP GENERALIDADES Edifício Residencial de 11 pavimentos, sendo: Subsolo, Térreo, Mezanino 1, Mezanino 2, Mezanino 3, 1 Tipo, Tipo x 9, Inferior

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO Obra: Construção de um Prédio Residencial Multifamiliar Local: Avenida Maria José Pinheiro Machado x Jorge Calixto nº 570 Planta aprovada nº 174/16 expedida

Leia mais

ANEXO V DESCRIÇÃO DO PADRÃO DAS EDIFICAÇÕES Padrão Baixo

ANEXO V DESCRIÇÃO DO PADRÃO DAS EDIFICAÇÕES Padrão Baixo ANEXO V DESCRIÇÃO DO PADRÃO DAS EDIFICAÇÕES Padrão Baixo Edificações térreas ou assobradadas, podendo ser geminadas, inclusive em ambos os lados, satisfazendo a projeto arquitetônico simples, geralmente

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇO Nº 2/2016

EDITAL DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇO Nº 2/2016 Page 1 of 10 Sub. Qtde. Unid. Descrição Marca/Modelo Valor Valor Total 1 1,00 UN INSTALAÇÃO DA OBRA Valor de Referência: 612,55000 1 2,50 M2 PLACA DE OBRA 2,00 m x 1,25 m Valor de Referência: 245,02000

Leia mais

Faculdades Integradas Einstein de Limeira Fiel Engenharia Civil

Faculdades Integradas Einstein de Limeira Fiel Engenharia Civil Faculdades Integradas Einstein de Limeira Fiel Engenharia Civil ANÁLISE ESTRUTURAL DE LAJES DE CONCRETO ARMADO Marcio Vinicius Marini Luiz Gustavo Deotti Orientador Prof. Dr. Gilson Battiston Fernandes

Leia mais

Universidade Católica de Goiás - Departamento de Engenharia Estruturas de Concreto Armado I - Notas de Aula

Universidade Católica de Goiás - Departamento de Engenharia Estruturas de Concreto Armado I - Notas de Aula conteúdo 2 lajes 2.1 Classificação das lajes Como o cálculo das lajes tem por base a Teoria das Grelhas, para melhor entender sua classificação, vamos analisar primeiro como se realiza a transferência

Leia mais

Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço

Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Aplicações para edificações Estruturas de Aço e Madeira Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loft A1 1 Definição do sistema estrutural do pavimento Lajes armadas

Leia mais

1.8 Desenvolvimento da estrutura de edifícios 48

1.8 Desenvolvimento da estrutura de edifícios 48 Sumário Capítulo 1 Desenvolvimento histórico de materiais, elementos e sistemas estruturais em alvenaria 23 1.1 História dos materiais da alvenaria 24 1.2 Pedra 24 1.3 Tijolos cerâmicos 26 1.4 Blocos sílico-calcários

Leia mais

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia Representação Desenho Arquitetônico Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia OS ELEMENTOS DO DESENHO ARQUITETÔNICO Os desenhos básicos que compõem um projeto de arquitetura, a partir de projeções ortogonais,

Leia mais

Planilha Orçamentária

Planilha Orçamentária 1 SERVIÇOS PRELIMINARES,DEMOLIÇÕES,LIMPEZA 2.742,56 1.1 PLACA DE OBRA 6,00 m² 205,83 25,62 231,45 1.234,98 153,72 1.388,70 1.2 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA 66,00 h 0,37 7,37 7,74 24,32 486,42 510,74 1.3

Leia mais

8 8/14. Nível 1 9 9/14 1 : 100 1/14

8 8/14. Nível 1 9 9/14 1 : 100 1/14 1 2 3 4 A B 8 8/14 C 9 9/14 D 1 1/14 1 2 3 4 A B 8 8/14 C 9 9/14 D 2 2/14 1 2 3 4 A B 8 8/14 C 9 9/14 D 3 Cobertura 3/14 1 2 3 4 A B C D 4 Fundação 4/14 1 2 3 4 Cobertura 8.00 4.00 5 Elevação Frontal 0.00

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: CONCRETO ARMADO I Código da Disciplina: ECV018 Curso: ENGENHARIA CIVIL Semestre de oferta da disciplina: 7 Faculdade responsável: Engenharia Civil Programa em vigência

Leia mais

Telefones: (48) / Apoio:

Telefones: (48) / Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Campus Universitário Trindade Florianópolis SC CEP 88040-900 Caixa Postal 476 Laboratório de Eficiência Energética

Leia mais

1.4. Sistemas estruturais em madeira

1.4. Sistemas estruturais em madeira 1.4. Sistemas estruturais em madeira 1.4.1. Análise estrutural Estuda as estruturas se preocupando basicamente com a determinação dos esforços e das deformações a que elas estão submetidas quando solicitadas

Leia mais

Laboratório de Eficiência Energética em Edificações

Laboratório de Eficiência Energética em Edificações UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Campus Universitário Trindade Florianópolis SC CEP 88040-970 Caixa Postal 476 Laboratório de Eficiência Energética

Leia mais

4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO

4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO 4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO 4.1 Escada com vãos paralelos O tipo mais usual de escada em concreto armado tem como elemento resistente uma laje armada em uma só direção (longitudinalmente),

Leia mais

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA ECC 1008 ESTRUTURAS DE CONCRETO PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA (Aulas 9-12) Prof. Gerson Moacyr Sisniegas Alva Algumas perguntas para reflexão... É possível obter esforços (dimensionamento) sem conhecer

Leia mais

Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz

Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET0043 - Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz Aula 4 : Planta Baixa Planta Baixa: A planta baixa é a

Leia mais

O que são os revestimentos verticais??? REVESTIMENTO: Cartão de visitas da empresa!!! que cobre uma superfície

O que são os revestimentos verticais??? REVESTIMENTO: Cartão de visitas da empresa!!! que cobre uma superfície Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC-2436 Tecnologia da Construção de Edifícios II Aula 05: Revestimentos Verticais Conceituação e Classificação

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO OBRA: CONSTRUÇÃO-BLOCO DIREITO PROPRIETÁRIO: FUNDAÇAO INTEGRADA MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE MINEIROS (FIMES) ENDEREÇO OBRA:RUA 22 ESQ.

Leia mais

ANEXO XIII MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO XIII MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO XIII MEMORIAL DESCRITIVO 1. APRESENTAÇÃO O presente MEMORIAL DESCRITIVO tem por finalidade determinar os detalhes de acabamento, tipo e a qualidade dos materiais a serem utilizados na reforma do

Leia mais

Pré-dimensionamento de Lajes

Pré-dimensionamento de Lajes FAU/UFRJ - CONCEPÇÃO ESTRUTURAL - Prof. Reia Veasco e Prof. Vivian Bathar ROTEIRO PRÁTICO Pré-dimensionamentos de Eementos Estruturais de Concreto Armado Pré-dimensionamento de Lajes a) Lajes Maciças:

Leia mais

Tecnologia de construção para uma habitação unifamiliar

Tecnologia de construção para uma habitação unifamiliar Tecnologia de construção para uma habitação unifamiliar Módulo Processos de construção LABORATÓRIO DE CONSTRUÇÃO A68262 Sara Cardoso A68222 Ana Catarina Silva Guimarães, 07 de fevereiro de 2014 Índice

Leia mais

Quantificação de Materiais e Mão-de-obra

Quantificação de Materiais e Mão-de-obra Quantificação de Materiais e Mão-de-obra INFRA-ESTRUTURA 20501 LOCAÇÃO DA OBRA Madeiras e pregos (locação) 144,71 1 144,71 m2 2,5 361,775 Execução da locação da obra Mão-de-obra 144,71 1 144,71 m2 2 289,42

Leia mais

CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto

CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto outubro/2001 AULA 11 CANTEIRO DE OBRAS: elementos de projeto PCC-2302: Gestão da Produção na Construção Civil II Profs. Silvio Melhado e Mercia Barros Assistentes de Ensino: Rita Medeiros; Janayna Aquino;

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Pavimentos tipo: a edificação possui 4 pavimentos tipo, composto por 4 (quatro) unidades habitacionais cada, escada e circulação;

MEMORIAL DESCRITIVO. Pavimentos tipo: a edificação possui 4 pavimentos tipo, composto por 4 (quatro) unidades habitacionais cada, escada e circulação; MEMORIAL DESCRITIVO O presente memorial trata de um edifício de apartamentos de uso exclusivamente residencial, denominado Residencial Jardim Esperança, localizado na Quadra 2960, lote 29, do Loteamento

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA DO MODO DE EXECUÇÃO DA OBRA

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA DO MODO DE EXECUÇÃO DA OBRA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA DO MODO DE EXECUÇÃO DA OBRA 1 Obra Refere-se o presente trabalho à reabilitação de um aglomerado de habitações antigas e uma adega no centro da Vila, com destino a uma

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO DE PAINÉIS DE CONCRETO MOLDADOS IN LOCO: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO TÉRMICO

SISTEMA CONSTRUTIVO DE PAINÉIS DE CONCRETO MOLDADOS IN LOCO: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO TÉRMICO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Escola de Engenharia de São Carlos Departamento de Arquitetura e Urbanismo Café com Pesquisa SISTEMA CONSTRUTIVO DE PAINÉIS DE CONCRETO MOLDADOS IN LOCO: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág.

Rua Rui Frazao Soares, 81 - Ala Belize, Sala 204/205 - Barra da Tijuca - RJ Tel.: Pág. Rio de Janeiro, 04 de Abril de 2016 Segunda Feira Tempo estável Continuidade no trabalho de escavação Sendo executado estruturas de canteiro tais como: banheiro, vestiário e depósito de cimento Arrumação

Leia mais

TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES. Estruturas Mistas - Profas Maria Regina Leggerini / Sílvia Baptista Kalil

TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES. Estruturas Mistas - Profas Maria Regina Leggerini / Sílvia Baptista Kalil 1 TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES CONCEITO: São elementos estruturais laminares (uma das dimensões muito menor do que as outras duas), apoiadas de modo contínuo em sua base. 2 TIPOLOGIA:

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO II CÓDIGO: IT837 CRÉDITOS: T2-P2 INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO OBJETIVO DA DISCIPLINA: Fornecer ao aluno as informações necessárias sobre a constituição,

Leia mais

Novas Moradias V3 com Altos Padrões de Qualidade, a 5 Minutos de Faro e da Ilha de Faro VILLA EM FARO

Novas Moradias V3 com Altos Padrões de Qualidade, a 5 Minutos de Faro e da Ilha de Faro VILLA EM FARO Novas Moradias V3 com Altos Padrões de Qualidade, a 5 Minutos de Faro e da Ilha de Faro VILLA EM FARO ref. S5180 348.000 4 4 126 m2 250 m2 Localização + Cidade Freguesia Concelho Região Detalhes + Faro

Leia mais

G O V E R N O F E D E R A L P A Í S R I C O É P A Í S S E M P O B R E Z A QUADRA ESCOLAR 02 CGEST - C Geral de Infraestrutura Educacional PLANTA BAIXA, CORTE A-B e DETALHES EST FORMATO A1 (841 X 594) R.01

Leia mais

REVESTIMENTOS. Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto

REVESTIMENTOS. Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto REVESTIMENTOS Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto REVESTIMENTOS O que é revestimento? Revestimentos mais comuns Argamassas Cerâmicos Pedra

Leia mais

TUTORIAL MINHA CASA MINHA VIDA. Fone: FEVEREIRO

TUTORIAL MINHA CASA MINHA VIDA. Fone: FEVEREIRO TUTORIAL MINHA CASA MINHA VIDA O Template MCMV O Template MCMV Minha Casa Minha Vida tem como objetivo fornecer um arquivo BIM (Building Information Modeling) com Famílias e Famílias de Sistemas adaptados

Leia mais

Rua Colombia nº 50 Boqueirão Santos / S.P. MEMORIAL DESCRITIVO

Rua Colombia nº 50 Boqueirão Santos / S.P. MEMORIAL DESCRITIVO Rua Colombia nº 50 Boqueirão Santos / S.P. MEMORIAL DESCRITIVO 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1.1 Projeto Será um edifício residencial contendo subsolo, térreo, mezanino, 13 pavimentos tipo com 04 (quatro) apartamentos

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO TABELAS DE CUSTOS SIN-RN X SINAPI-RN (JAN-2013)

ESTUDO COMPARATIVO TABELAS DE CUSTOS SIN-RN X SINAPI-RN (JAN-2013) CÓDIGO DESCRIÇ CLA UNIDA SS DE QUANT. 01.0 SEVIÇOS PRELIMINARES PREÇO UNIT. S/ BDI (R$) SINAPI 2013 PREÇO TOTAL S/ BDI (R$) SINAP 2013 REFERÊNC IA SINAPI 2013 PREÇO UNIT. S/ BDI (R$) SIN-RN 2013 PREÇO

Leia mais

CAPÍTULO 02: Ações em Estruturas de Madeira

CAPÍTULO 02: Ações em Estruturas de Madeira CAPÍTULO 02: Ações em Estruturas de Madeira 2.1 Introdução Neste capítulo serão abordadas as principais ações atuantes em estruturas de madeira para coberturas. 2.2 Aspectos gerais das ações em estruturas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO Obra: Residencial Ana Beatriz Local: Rua Adolfo Cattani, 775 - São Carlos-SP 1 CONSTITUÍDO: - O terreno com 1.746,58 m² tem acesso ao pavimento térreo pela Rua Adolfo

Leia mais

CAPÍTULO 4 4. ELEMENTOS ESTRUTURAIS. 4.1 Classificação Geométrica dos Elementos Estruturais

CAPÍTULO 4 4. ELEMENTOS ESTRUTURAIS. 4.1 Classificação Geométrica dos Elementos Estruturais Elementos Estruturais 64 CAPÍTULO 4 4. ELEMENTOS ESTRUTURAIS 4.1 Classificação Geométrica dos Elementos Estruturais Neste item apresenta-se uma classificação dos elementos estruturais com base na geometria

Leia mais

ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES RASAS

ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES RASAS Universidade Federal de Ouro Preto - Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV620-Construções de Concreto Armado ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES RASAS Profa. Rovadávia Aline Jesus Ribas Ouro Preto,

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA. Marco Antônio Vecci

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA. Marco Antônio Vecci GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA Marco Antônio Vecci Local: EXPOMINAS BH Data: 08/08/2016 FASE A CONCEPÇÃO DO PRODUTO ESTUDO PRELIMINAR Consultoria e Ensaios Consultoria: Análise preliminar entre

Leia mais

COMPOSIÇÕES REPRESENTATIVAS DO SERVIÇO DE EMBOÇO/MASSA ÚNICA INTERNA

COMPOSIÇÕES REPRESENTATIVAS DO SERVIÇO DE EMBOÇO/MASSA ÚNICA INTERNA SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES REPRESENTATIVAS DO SERVIÇO DE EMBOÇO/MASSA ÚNICA INTERNA LOTE 1 Versão: 003 Vigência: 11/2014

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVO SÃO JOAQUIM

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVO SÃO JOAQUIM - TIPO 02 - ÁREA = 2,73 m² BDI 19,69% 1,1969 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES. SUB TOTAL 112,67 1.1 74077/001 LOCACAO CONVENCIONAL DE OBRA, ATRAVÉS DE GABARITO DE TABUAS CORRIDAS PONTALETADAS, SEM REAPROVEITAMENTO

Leia mais

Estribos verticais: 2 Largura X: 45.0 cm Ø10 CA-50-A P9, P10, P11, Largura Y: 45.0 cm

Estribos verticais: 2 Largura X: 45.0 cm Ø10 CA-50-A P9, P10, P11, Largura Y: 45.0 cm 1 MEMÓRIA DE CÁLCULO - ESTRUTURAL 4.1 MEMÓRIA DE CÁLCULO FUNDAÇÕES 4.1.1 DESCRIÇÃO Referências Estacas Material Geometria Armadura P1, P2, P3, P4, Tipo: 18x18 Concreto: C25, Bloco de 1 estaca Estribos

Leia mais

PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL

PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL Construção & Desenvolvimento Sustentável Modelo de produção linear Recursos naturais não renováveis Entulho Ciclo fechado de produção Reciclagem Reutilização Garantia

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: TÉCNICAS RETROSPECTIVAS CÓDIGO: TAU079 CLASSIFICAÇÃO: Obrigatória PRÉ-REQUISITO: CARGA HORÁRIA: TEÓRICA: 45 horas PROFESSOR: Marco Antônio

Leia mais

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I Aula 1 Apresentação da disciplina Cristóvão C. C. Cordeiro Tópicos principais 1. Apresentação da área de Construção Civil 2. Apresentação da disciplina 3. Apresentação

Leia mais

Pesos próprios e sobrecargas em edifícios segundo o EC1

Pesos próprios e sobrecargas em edifícios segundo o EC1 Pesos próprios e sobrecargas em edifícios segundo o EC1 Luciano Jacinto Área Departamental de Engenharia Civil Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Dezembro 2013 Índice 1 Introdução... 1 2 Pesos

Leia mais

Memorial Descritivo Escola Municipal Professor Ismael Silva

Memorial Descritivo Escola Municipal Professor Ismael Silva PREFEITURA MUNICIPAL DE ILICÍNEA Estado de Minas Gerais CNPJ: 18.239.608/0001-39 Praça. Padre João Lourenço Leite, 53 Centro Ilicínea Tel (fax).: (35) 3854 1319 CEP: 37175-000 Memorial Descritivo Escola

Leia mais

PAREDES. Prof. Amison de Santana Silva

PAREDES. Prof. Amison de Santana Silva PAREDES Prof. Amison de Santana Silva Tijolo maciço ou burro - Conforme a carga a que resistem, são classificados em 1 a e 2 a categoria: As tolerâncias são de 5 mm para as medidas de comprimento e de

Leia mais

Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS

Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS Orçamento: RESIDENCIA - ANDRE CONGONHAS Orçamento parcial nº 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 m2 Corte de capoeira fina a foice 900,000 0,19 171,00 1.2 m2 Raspagem e limpeza manual de terreno 900,000 0,63 567,00

Leia mais

VERGA, CONTRAVERGA, FIXAÇÃO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO E CINTA DE AMARRAÇÃO DE ALVENARIA

VERGA, CONTRAVERGA, FIXAÇÃO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO E CINTA DE AMARRAÇÃO DE ALVENARIA SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA VERGA, CONTRAVERGA, FIXAÇÃO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO E CINTA DE AMARRAÇÃO DE ALVENARIA LOTE

Leia mais

ANÁLISE DA MAJORAÇÃO DE PILARES SEGUNDO A NBR 6118 E SUAS CONSEQUÊNCIAS

ANÁLISE DA MAJORAÇÃO DE PILARES SEGUNDO A NBR 6118 E SUAS CONSEQUÊNCIAS ANÁLISE DA MAJORAÇÃO DE PILARES SEGUNDO A NBR 6118 E SUAS CONSEQUÊNCIAS Luciana Nardi Marascalchi Acadêmico do Curso Engenharia de Estruturas do Centro Universitário de Lins Unilins, Lins-SP, Brasil. Luciana

Leia mais

FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo. ESTACAS DE CONCRETO PARA FUNDAÇÕES - carga de trabalho e comprimento

FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo. ESTACAS DE CONCRETO PARA FUNDAÇÕES - carga de trabalho e comprimento FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo ESTACAS DE CONCRETO PARA FUNDAÇÕES - carga de trabalho e comprimento Prof. Manuel Vitor Curso - Edifícios ESTACAS PRÉ-MOLDADAS DE CONCRETO NBR 6122/1996

Leia mais

Prefeitura Municipal de São Miguel das Missões Construção de Lavanderia na UBS/Bairro Alegria PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

Prefeitura Municipal de São Miguel das Missões Construção de Lavanderia na UBS/Bairro Alegria PLANILHA ORÇAMENTÁRIA 3.3 73942/002 Prefeitura Municipal de São Miguel das Missões 1. SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 355,38 1.1 73801/001 DEMOLICAO DE PISO DE ALTA RESISTENCIA M² 8,25 R$ 17,84 R$ 22,30 R$ 183,98 1.2 LOCACAO CONVENCIONAL

Leia mais

CIE CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE (R-QUADRAS REVERSÍVEIS) MINISTÉRIO DO ESPORTE

CIE CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE (R-QUADRAS REVERSÍVEIS) MINISTÉRIO DO ESPORTE PROJETO EXECUTIVO DE ARQUITETURA CIE CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE (R-QUADRAS REVERSÍVEIS) MINISTÉRIO DO ESPORTE MEMORIAL DESCRITIVO ACABAMENTOS - CIE-R40-45 - 0.0 - IMPLANTAÇÕES 0.1 - CIRCULAÇÃO / ÁREA

Leia mais

Book Comercial. Construindo e transformando sonhos em realidade

Book Comercial. Construindo e transformando sonhos em realidade Book Comercial Construindo e transformando sonhos em realidade Aquisição de Terreno e Construção Produto Conceito A HOME INCORP, visando atender às necessidades e à satisfação do cliente no quesito habitação,

Leia mais

Notas de aulas - Concreto Armado. Lançamento da Estrutura. Icléa Reys de Ortiz

Notas de aulas - Concreto Armado. Lançamento da Estrutura. Icléa Reys de Ortiz Notas de aulas - Concreto Armado 2 a Parte Lançamento da Estrutura Icléa Reys de Ortiz 1 1. Lançamento da Estrutura Antigamente costumava-se lançar vigas sob todas as paredes e assim as lajes ficavam menores

Leia mais

Posição solar Posição solar Posição solar DESCRIÇÃO AMBIENTE ESPECIFICAÇÃO Alvenaria Geral Alvenarias com dimensões conforme projeto Cobertura Lajes de forro Laje impermeabilizada ou telhado

Leia mais

Técnicas de construção. Vedações Verticais. Profa. Keila Bento

Técnicas de construção. Vedações Verticais. Profa. Keila Bento Técnicas de construção Vedações Verticais Profa. Keila Bento Vedações verticais Definição UM SUBSISTEMA DOS EDIFÍCIOS CONSTITUÍDO PELOS ELEMENTOS QUE: DEFINEM E LIMITAM VERTICALMENTE O EDIFÍCIO E SEUS

Leia mais

Estrutura de uma Edificação

Estrutura de uma Edificação Sumário 1 - Apresentação...2 2 As Partes da Estrutura e Suas Funções...3 (a). Fundação...3 (d). Pilar...3 (b). Viga...3 (c). Laje...3 3- Estrutura em Concreto...4 (a). Fundação...4 a.1 Fundação Superficial

Leia mais

LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA

LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA 1. DEFINIÇÃO A Laje Alveolar é constituída de painéis de concreto protendido que possuem seção transversal com altura constante e alvéolos longitudinais, responsáveis pela redução

Leia mais

"Riscos de Reforma em Prédios de Alvenaria Estrutural" Brasília 26 /11/ 2013 Eng. Civil Iberê Pinheiro de Oliveira

Riscos de Reforma em Prédios de Alvenaria Estrutural Brasília 26 /11/ 2013 Eng. Civil Iberê Pinheiro de Oliveira "Riscos de Reforma em Prédios de Alvenaria Estrutural" Brasília 26 /11/ 2013 Eng. Civil Iberê Pinheiro de Oliveira O que é? Alvenaria Estrutural DEFINIÇÃO: A alvenaria estrutural é o processo de construção

Leia mais

Aula 9. Prof. Regis de Castro Ferreira. Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira

Aula 9. Prof. Regis de Castro Ferreira. Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira rcastro@agro.ufg.br NOÇÕES DE DESENHO ARQUITETÔNICO 1. CONCEITO: (...) a representação de um projeto. Desenho arquitetônico consiste na representação geométrica das diferentes

Leia mais

ANEXO GERAL V CATÁLOGO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE PAREDES, COBERTURAS E VIDROS a) Paredes:

ANEXO GERAL V CATÁLOGO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE PAREDES, COBERTURAS E VIDROS a) Paredes: ANEXO GERAL V CATÁLOGO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE PAREDES, COBERTRAS E VIDROS a) Paredes: 1 de 9cm bloco de concreto 9cm Argamassa interna () Bloco de concreto (9,0 x 19,0 x Argamassa externa () 2,78

Leia mais

APOLÔNIO SALLES FADURPE/UFRPE

APOLÔNIO SALLES FADURPE/UFRPE FUNDAÇÃO 2/8/2012 APOLÔNIO SALLES FADURPE/UFRPE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CONSTRUÇÃO DO NÚCLEO DE ENSINO E PESQUISAS ARQUEOLÓGICAS NEPARQ - UFPRE AGOSTO/2012 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Os serviços deverão ser

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: JUNHO / 2013 OBRA:

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: JUNHO / 2013 OBRA: RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: JUNHO / 2013 OBRA: Informações da Obra: Att. Aos clientes do Recanto dos Pássaros Conforme acordado seguimos comunicando o andamento dos serviços em execução no Empreendimento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Índice Serviços Gerais...Pag Preparação do terreno...pag Fundações...Pag Estrutura...Pag.

MEMORIAL DESCRITIVO. Índice Serviços Gerais...Pag Preparação do terreno...pag Fundações...Pag Estrutura...Pag. AVEZZANO Rua Ver. José Feltrin Centro - Siderópolis/SC. MEMORIAL DESCRITIVO Índice 01 - Serviços Gerais...Pag. 02 02 - Preparação do terreno...pag. 02 03 - Fundações...Pag. 02 04 - Estrutura...Pag. 02

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE GINÁSIO POLIESPORTIVO LOCAL: SEDE DO MUNICÍPIO MEMORIAL DESCRITIVO SANTA MARIA DAS BARREIRAS 2015 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1- APRESENTAÇÃO

Leia mais

CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE. AlphaVille Teresina

CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE. AlphaVille Teresina CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE AlphaVille Teresina Como será a casa? ESTILO ARQUITETÔNICO Como será a casa? Sala de Estar Sala de Jantar Home theater Lareira Lavabo Sala de Almoço / Copa Cozinha Despensa

Leia mais

ES015 - Projeto de Estruturas Assistido por Computador: Cálculo e Detalhamento

ES015 - Projeto de Estruturas Assistido por Computador: Cálculo e Detalhamento Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas e Fundações ES015 - Projeto de Estruturas Assistido por Computador: Cálculo e Detalhamento Prof. Túlio Nogueira

Leia mais

BIM BUILDING INFORMATION MODELING. Eng. Paulo Sanchez

BIM BUILDING INFORMATION MODELING. Eng. Paulo Sanchez BIM BUILDING INFORMATION MODELING Eng. Paulo Sanchez CBIC - Responsável Desenvolvimento BIM V.P. Tecnologia e Qualidade SINDUSCON SP Diretor de Engenharia Sinco Engenharia 30 Anos no mercado da construção

Leia mais

NORMAS PERTINENTES (hierarquia):

NORMAS PERTINENTES (hierarquia): SOLUÇÃO CONSTRUTIVA EM LAJES PRÉ- FABRICADAS PARTE 1 PROJETO COM PRÉ-LAJES TRELIÇADAS PROJETO NORMAS PERTINENTES (hierarquia): NBR 6118:2003 Projeto de estruturas de concreto Procedimento (em vigor a partir

Leia mais

Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva

Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva Departamento de Engenharia Civil Bibliografia referência para esta aula ISAIA, G. C. (editor) Materiais de Construção Civil e Princípios de ciência

Leia mais

PROJETO ARQUITETÔNICO

PROJETO ARQUITETÔNICO PROJETO ARQUITETÔNICO CEG218 Desenho arquitetônico I Prof. Márcio Carboni UFPR - DEGRAF - CEG218 DESENHO ARQUITETÔNICO I - Prof. Márcio Carboni 1 ORGANIZAÇÃO DA AULA Etapas de projeto arquitetônico Elementos

Leia mais

Normas ABNT em Consulta Pública, Publicadas, Confirmadas ou Canceladas 18 de Outubro à 04 de Novembro de2016

Normas ABNT em Consulta Pública, Publicadas, Confirmadas ou Canceladas 18 de Outubro à 04 de Novembro de2016 em, Publicadas, Confirmadas ou Canceladas ABNT/CEE-185 ABNT NBR 16569 _ Parede e laje de concreto celular estrutural moldada no local para a construção de edificações Projeto, execução e controle Requisitos

Leia mais

HISTÓRIA. 2.2 Características Térmicas do Bloco CCA: Transmitância e capacidade térmica conceitos e valores

HISTÓRIA. 2.2 Características Térmicas do Bloco CCA: Transmitância e capacidade térmica conceitos e valores 1. HISTÓRIA O Concreto Celular Autoclavado foi desenvolvido na Suécia em 1924 por Joahan Axel Erickon, que buscava por um produto com características semelhantes à da madeira, com estrutura sólida, bom

Leia mais

MEMÓRIA DE CÁLCULO DO COMPLEXO TURÍSTICO CULTURAL BEIRA RIO - URBANISMO

MEMÓRIA DE CÁLCULO DO COMPLEXO TURÍSTICO CULTURAL BEIRA RIO - URBANISMO 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 13458 SINAPILocação de obras e demarcação para abertura de valas para fundações. Total= 7590,00m² 1.2 01.200 EMLURServiço topográfico de pequeno porte (preço mínimo), diária

Leia mais

Código da Disciplina CCE0047 AULA 2.

Código da Disciplina CCE0047 AULA 2. Código da Disciplina CCE0047 AULA 2 http://cleliamonasterio.blogspot.com/ CURIOSIDADES DA GEOMETRIA: Subdivisão do retângulo ÁUREO em quadrados e em outros retângulos áureos: Subdivisão do retângulo HARMÔNICO

Leia mais

sinapi BDI BONIFICAÇÕES E DESPESAS INDIRETAS SINAPI 20,00%

sinapi BDI BONIFICAÇÕES E DESPESAS INDIRETAS SINAPI 20,00% ORÇAMENTO ESTIMATIVO OBRA: PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CANOAS RS LOCALIDADE: Rua Dr. Barcelos nº 1135 - salas nº 201 a 206, - Edifício San Rafael Canoas - RS Data base de preços SINAPI :

Leia mais

NBR 15.575 - UMA NOVA FERRAMENTA PARA A QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES.

NBR 15.575 - UMA NOVA FERRAMENTA PARA A QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES. NBR 15.575 - UMA NOVA FERRAMENTA PARA A QUALIDADE ACÚSTICA NAS EDIFICAÇÕES. Arq. Cândida Maciel Síntese Arquitetura 61-34685613 candida@sintesearquitetura.com.br NBR 15575- EDIFÍCIOS HABITACIONAIS DE ATÉ

Leia mais

29/04/2014. Professor

29/04/2014. Professor UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Introdução a Engenharia Civil Elementos de Vedações Área de Construção Civil Prof. Dr. André Luís Gamino

Leia mais

REFERENCIA DESENHO CP 92

REFERENCIA DESENHO CP 92 REFERENCIA DESENHO CP 92 DESENHO NUMERO NÚM. FOLHA TÍTULO REVISÃO DATA CP 92 01 3 BASE DE CONCRETO ARMADO PARA QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO DE PEDESTAL (QDP) CP 92 02 2 BASE PARA (QDP) TIPO 00 EM CONCRETO PRÉ

Leia mais

Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil

Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil ANALISE DA ESTRUTURA DE UMA ESIDÊNCIA EXECUTADA SEM PROJETO ESTRUTURAL EM COMPARAÇÃO COM OS RESULTADOS DO DIMENSIONAMENTO DA MESMA DE ACORDO COM A NBR 6118:2003 ESTUDO DE CASO RESUMO Dagoberto Pagnussatti;

Leia mais

REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento

REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento 200888 Técnicas das Construções I REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 13 EXERCÍCIO 1 ESCOLHA DO SISTEMA DE

Leia mais