ECA ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO Fernando de Moraes Mihalik

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ECA ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO Fernando de Moraes Mihalik"

Transcrição

1 - 1 - UNIP - Universidade Paulista SISTEMAS ESTRUTURAIS CONCRETO SEC NOTAS DE AULA - 04 LAJES CONCEITOS, DIMENSIONAMENTO E CÁLCULO DE REAÇÕES NAS VIGAS

2 - 2 - NA_04/2011 SISTEMAS ESTRUTURAIS NOTAS DE AULA - PARTE 4 LAJES CONCEITOS, DIMENSIONAMENTO E CÁLCULO DE REAÇÕES NAS VIGAS 1. INTRODUÇÃO São peças de pequena espessura quando comparadas às demais dimensões (estruturas laminares planas), sujeitas basicamente a esforços de flexão, onde as cargas atuam normalmente ao seu plano médio. Comumente apoiam-se em vigas em seu contorno. Analisaremos basicamente as lajes retangulares, e chamaremos os lados de lx e ly, sendo ly lx, e a espessura de h. PRINCIPAIS TIPOS DE LAJES a) Lajes Maciças: São placas maciças de concreto armado, executadas sobre formas planas. São as comumente utilizadas, sendo portanto as analisadas no curso. Podem ser moldadas in loco ou pré-moldadas. b) Lajes Nervuradas: São aquelas que apresentam na zona tracionada nervuras de concreto armado, podendo ser colocado entre elas material inerte ou não.

3 - 3 - Uma forma de se obter as nervuras na laje é a instalação de formas plásticas, também conhecidas como cubetas. Muitas vezes as lajes são feitas com vigotas pré-moldadas, intercaladas com cerâmica ou EPS (isopor), formando as lajes conhecidas como lajes tipo pré ou prél, ou mesmo volterrana. Nos casos de lajes nervuradas, elas passam a ser armadas em 1 direção ou em 2 direções, em função das direções de funcionamento das nervuras. c) Lajes Caixão: São lajes nervuradas que apresentam uma mesa na face inferior, e um espaço interno preenchido com material inerte ou forma perdida. Atualmente vem sendo pouco utilizadas.

4 - 4 - Um exemplo desse tipo de laje é a laje alveolar, pré-fabricada placas de concreto protendido, apresentada na figura abaixo, que possui vazios no centro e faces superior e inferior lisas. Essa laje é armada em 1 direção (na mesma direção das nervuras protendidas). d) Lajes Mistas: São executadas com dois tipos de estruturas, ou seja, conjuntamente em concreto armado e blocos cerâmicos capazes de resistir aos esforços de compressão oriundos da flexão quando solidários com nervuras de concreto; ou então com perfis metálicos capazes de resistir aos esforços de tração, substituindo assim as armaduras no concreto. Um exemplo desse tipo de laje é a laje steel-deck, que possui nervuras preenchidas com concreto, e a armadura principal faz parte da forma, que é perdida, em aço corrugado. Essa laje também é armada em 1 direção.

5 - 5 - e) Lajes Cogumelo: (Ou lajes sem vigas) São lajes que se apoiam diretamente em pilares, sem a existência de vigas. Muitas vezes são denominadas lajes planas, por mais estranho que possa parecer, isso pelo fato de não possuírem vigas em seu contorno. Como há uma concentração de cargas nas proximidades do pilar, pode haver necessidade de aumento da espessura da laje na região que envolve o pilar, denominada capitel. CAPITEL - DETALHE EM CORTE

6 VÃOS TEÓRICOS (l t ): No caso geral o vão teórico da laje na direção considerada (x ou y) é a distância entre os eixos dos apoios. De uma forma geral e daqui em diante, os vãos teóricos nas direções x e y serão denominados lx e ly. (sendo ly o maior dos dois, ou seja: ly lx ) 3. DISPOSIÇÕES CONSTRUTIVAS 3.1. Espessuras Mínimas - Lajes Maciças: (NBR 6118 item ) As espessuras das lajes maciças (h) não devem ser inferiores a: 7 cm, nas lajes destinadas a pisos. 5 cm, nas lajes de cobertura não destinadas a piso, e que não estejam em balanço. 10 cm, nas lajes destinadas a passagem de veículos de peso total menor ou igual a 30kN (3 tf). 12 cm, nas lajes destinadas a passagem de veículos de peso total maior que 30kN Espessuras Lajes Nervuradas (NBR 6118 item ) As espessuras das lajes nervuradas bem como as distâncias entre nervuras e espessuras das nervuras estão apresentada no item da NBR apresentado acima. As lajes nervuradas que utilizam formas plásticas tipo cubetas devem ter espessura mínimas da ordem de 15cm. Consultar o catálogo de fornecedores Espessuras Lajes pré-moldadas e lajes mistas As espessuras de lajes pré-moldadas e lajes mistas são definidas em função das limitações dos fabricantes. Os valores devem ser verificados com o fornecedor (consultar o site de cada fornecedor). Os valores usuais das espessuras mínimas dessas lajes são: Lajes pré-moldadas destinadas a pisos: 12 cm. Lajes protendidas alveolares: 9 cm (sem considerar a capa adicional de 5cm) Lajes Steel-deck: 10cm.

7 Cargas Atuantes: (ref.: NBR-6120 Cargas para o Cálculo de Edificações) a) Cargas Permanentes: Peso Específico tf / m 3 kn / m 3 Concreto Armado 2,5 25 Concreto Simples 2,4 24 Alvenaria de tijolos maciços 1,8 18 Alvenaria de tijolos furados 1,3 13 Alvenaria de blocos de concreto 1,4 14 Entulho de obra 1,3 13 Tijolos sílico-calcáreos 2,0 20 Valores usuais: revestimento de piso espessura 5 cm: carga distribuída = 0,08 tf/m² (0,8 kn/m²) No caso de lajes mistas, pré-moldadas (com uso de blocos cerâmicos, de concreto ou de EPS), lajes steel deck e lajes alveolares, o peso próprio é informado pelo fornecedor. b) Cargas Acidentais: Carga Distribuída tf / m 2 kn / m 2 Dormitório, sala, copa, cozinha e banheiro 0,15 1,5 Despensa, área de serviços e lavanderia 0,20 2,0 Escada sem acesso ao público 0,25 2,5 Escada com acesso ao público 0,30 3,0 Casa de máquinas 0,75 7,5 Forro sem acesso as pessoas 0,05 0,5

8 CLASSIFICAÇÃO DAS LAJES QUANTO À SUAS DIMENSÕES 4.1. Lajes Maciças: (sendo ly lx) Armada em cruz Armada em uma direção 4.1. Demais Lajes: ly 2 lx ly > 2 lx Obs: Nas lajes nervuradas a direção da armadura é dada pela direção da nervura, e não pela geometria da laje. As lajes cujo processo envolve a colocação de nervuras são armadas em 1 direção independente da relação entre os vãos. 5. CLASSIFICAÇÃO DAS LAJES QUANTO AO TIPO DE APOIO: OBSERVAÇÃO: Casos onde há continuidade entre lajes e não se considera engastamento: Exceções: 1. Laje adjacente a balanço sempre apoiado. 2. Lajes com espessuras muito diferentes (por exemplo, mais de 2 cm de diferença em edifícios residenciais)

9 CÁLCULO DE ESFORÇOS E REAÇÕES DE APOIO NAS VIGAS - LAJES MACIÇAS 6.1. Consideração das Cargas Aplicadas As cargas que estão aplicadas nas lajes são, na maioria dos casos, cargas uniformemente distribuídas em toda a sua área. São elas: - peso próprio da laje - peso do revestimento de piso - carga acidental - peso das paredes de alvenaria sobre a laje (não diretamente sobre as vigas) Na prática, e de uma forma simplificada, na maioria dos casos, quando existem paredes de alvenaria diretamente sobre a laje, distribui-se a sua carga total sobre a toda a área da laje, recaindo no cálculo de cargas distribuídas. Em alguns casos, principalmente em lajes armadas em uma direção ou em casos de cargas elevadas, considera-se a carga como concentrada. Às vezes, outras cargas estão aplicadas nas lajes. São elas: - peso do forro do teto, pendurado na laje - peso das camadas de impermeabilização inclusive proteção mecânica e argamassa para caimento de drenagem - peso de material de enchimento sobre a laje - peso de camada de terra sobre a laje (no caso de jardins), ou de água (no caso de piscinas) Importante: No caso geral, em edificações residenciais e comerciais, se tomarmos um valor médio, a carga total em cada pavimento pode ser considerada de 1 tf/m². Esse valor parte da observação prática, onde a espessura média da estrutura é da ordem de 20cm, resultando em uma carga distribuída de 500 kgf/m², acrescida do peso do revestimento do piso, de 100 kgf/m², carga acidental da ordem de 200 kgf/m² e peso próprio das paredes de 200 kgf/m². Evidentemente que esses valores variam de caso para caso, mas servem de referência para o caso geral.

10 Lajes Armadas em uma Direção Os esforços fletores, as reações de apoio e a flecha máxima nas lajes armadas em uma direção são calculados de modo análogo ao de uma viga de largura bw = 1m, segundo a direção paralela ao menor lado (lx). a) Lajes Isoladas: b) Lajes Contínuas:

11 c) Lajes em Balanços: 6.3. Lajes Armadas em Cruz: Momentos Fletores Os Momentos Fletores e as reações de apoio são calculados considerando as relações entre os vãos lx e ly, muitas vezes utilizando-se de tableas ou softwares específicos Reações de Apoio As cargas nas vigas de apoio das lajes retangulares sujeitas a cargas uniformemente distribuídas podem ser calculadas pelas áreas de contribuição decorrentes das cargas dos trapézios ou triângulos obtidos pelo traçado de ângulos de 45º, 60º ou 90º a partir dos vértices, da seguinte forma:

12 MÉTODO PRÁTICO SIMPLIFICADO De uma forma simplificada, pode-se calcular as cargas nas vigas de apoio das utilizando ângulos de 45º. Aí a fórmula da reação de apoio (ra) em cada lado lx e ly resultará em: p.lx ralx = 4 lx raly = ralx. 2 ly

13 PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE LAJES 7.1. Lajes Maciças Espessura da laje (h) h = 2% a 2,5% do menor vão da laje. 2,5 % - para laje com continuidade em nenhum ou 1 lado 2,2 % - para laje com continuidade em 2 ou 3 lados 2,0 % - para laje com continuidade em 4 lados 7.2. Lajes Nervuradas Moldadas no Local As lajes nervuradas devem ser dimensionadas como se fossem lajes maciças armadas em 1 direção, ou seja sua espessura (h) deve ser cerca de 2,5% do vão da laje Lajes Pré-moldadas, Alveolares e Steel-Deck No caso de lajes mistas, pré-moldadas (com uso de blocos cerâmicos, de concreto ou de EPS), lajes steel-deck e lajes alveolares, o pré-dimensionamento depende do fornecedor.

UNIP - Universidade Paulista SISTEMAS ESTRUTURAIS CONCRETO SEC

UNIP - Universidade Paulista SISTEMAS ESTRUTURAIS CONCRETO SEC - 1 - UNIP - Universidade Paulista CONCRETO SEC NOTAS DE AULA - 01 PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS CONCRETO (SEC) NOTAS DE AULA - PARTE 1 PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS - 2 - NA_01/2014 1. CARGAS

Leia mais

Aula VI Introdução ao Dimensionamento de Lajes Maciças Prof. Douglas Couri Jr.

Aula VI Introdução ao Dimensionamento de Lajes Maciças Prof. Douglas Couri Jr. Estruturas de concreto Armado I Aula VI Introdução ao Dimensionamento de Lajes Maciças Prof. Douglas Couri Jr. Fonte / Material de Apoio: Apostila Fundamentos do Concreto e Projeto de Edifícios Prof. Libânio

Leia mais

Introdução vigas mesas. comportamento laje maciça grelha.

Introdução vigas mesas. comportamento laje maciça grelha. Introdução - Uma laje nervurada é constituida de por um conjunto de vigas que se cruzam, solidarizadas pelas mesas. - Esse elemento estrutural terá comportamento intermediário entre o de laje maciça e

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Cálculo de Lajes Prof. Ederaldo Azevedo Aula 3 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br 3.1. Conceitos preliminares: Estrutura é a parte ou o conjunto das partes de uma construção que se destina a

Leia mais

Universidade Católica de Goiás - Departamento de Engenharia Estruturas de Concreto Armado I - Notas de Aula

Universidade Católica de Goiás - Departamento de Engenharia Estruturas de Concreto Armado I - Notas de Aula conteúdo 2 lajes 2.1 Classificação das lajes Como o cálculo das lajes tem por base a Teoria das Grelhas, para melhor entender sua classificação, vamos analisar primeiro como se realiza a transferência

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE LAJES MACIÇAS RETANGULARES A FLEXÃO SIMPLES DIMENSIONAMENTO ATRAVÉS DA TABELA DE CZERNY APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

DIMENSIONAMENTO DE LAJES MACIÇAS RETANGULARES A FLEXÃO SIMPLES DIMENSIONAMENTO ATRAVÉS DA TABELA DE CZERNY APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO 1 DIMENSIONAMENTO DE LAJES MACIÇAS RETANGULARES A FLEXÃO SIMPLES DIMENSIONAMENTO ATRAVÉS DA TABELA DE CZERNY APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO Professor: Cleverson Arenhart 2 1) Tipos de lajes.

Leia mais

Pré-dimensionamento das fôrmas dos elementos de concreto

Pré-dimensionamento das fôrmas dos elementos de concreto Pré-dimensionamento das fôrmas dos elementos de concreto China International Trust&Investment Plaza CITIC - Sky Central Plaza - 1997 Guangzhou/China (391m/322m) Referência: Introdução à concepção estrutural

Leia mais

Introdução às Estruturas de Edificações de Concreto Armado

Introdução às Estruturas de Edificações de Concreto Armado Introdução às Estruturas de Edificações de Concreto Armado Prof. Henrique Innecco Longo longohenrique@gmail.com Departamento de Estruturas Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro 2017

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - FATEC SP - LAJES DE CONCRETO. Autor: Tecg Demetrius Salomé de Mendonça

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - FATEC SP - LAJES DE CONCRETO. Autor: Tecg Demetrius Salomé de Mendonça FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - FATEC SP - LAJES DE CONCRETO 2016 Autor: Tecg Demetrius Salomé de Mendonça ÍNDICE Evolução Histórica das Lajes pág. 3 Definição pág. 4 Tipos de Lajes pág. 5 Funcionamento

Leia mais

08/06/2011. IF SUL Técnicas Construtivas Profa. Carol Barros. Origem das estruturas... Homem. Sobrevivência. Agua, alimentos, proteção

08/06/2011. IF SUL Técnicas Construtivas Profa. Carol Barros. Origem das estruturas... Homem. Sobrevivência. Agua, alimentos, proteção IF SUL Técnicas Construtivas Profa. Carol Barros Origem das estruturas... Homem Sobrevivência Agua, alimentos, proteção 1 Abrigo e Proteção Blocos (tijolos) 2 Alvenaria No Egito, primerio sistema de alvenaria.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. SNP38D44 Estruturas de Concreto Armado I. Lajes. Flavio A. Crispim (FACET/SNP-UNEMAT)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. SNP38D44 Estruturas de Concreto Armado I. Lajes. Flavio A. Crispim (FACET/SNP-UNEMAT) UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL SNP38D44 Estruturas de Concreto Armado I Lajes Prof.: Flavio A. Crispim (FACET/SNP-UNEMAT) SINOP - MT 2016 Tipos https://cddcarqfeevale.wordpress.com/2012/04/03/lajes-macicas-de-concreto-armado/

Leia mais

21/10/2010. Origem das estruturas... Homem. Sobrevivência. Agua, alimentos, proteção. IF SUL Técnicas Construtivas Profa.

21/10/2010. Origem das estruturas... Homem. Sobrevivência. Agua, alimentos, proteção. IF SUL Técnicas Construtivas Profa. Origem das estruturas... Homem Sobrevivência Agua, alimentos, proteção IF SUL Técnicas Construtivas Profa. Carol Barros Abrigo e Proteção Blocos (tijolos) 1 Alvenaria Pórticos(viga/pilar) No Egito, primerio

Leia mais

Estruturas de concreto Armado II. Aula IV Flexão Simples Seção T

Estruturas de concreto Armado II. Aula IV Flexão Simples Seção T Estruturas de concreto Armado II Aula IV Flexão Simples Seção T Fonte / Material de Apoio: Apostila Fundamentos do Concreto e Projeto de Edifícios Prof. Libânio M. Pinheiro UFSCAR Apostila Projeto de Estruturas

Leia mais

06/10/2009. Alvenaria. Origem das estruturas... Pórticos(viga/pilar) No Egito, primerio sistema de alvenaria.

06/10/2009. Alvenaria. Origem das estruturas... Pórticos(viga/pilar) No Egito, primerio sistema de alvenaria. Origem das estruturas... Homem Sobrevivência Agua, alimentos, proteção IF SUL Técnicas Construtivas Profa. Carol Barros Abrigo e Proteção Blocos (tijolos) Alvenaria Pórticos(viga/pilar) No Egito, primerio

Leia mais

ESCADAS USUAIS DOS EDIFÍCIOS

ESCADAS USUAIS DOS EDIFÍCIOS Volume 4 Capítulo 3 ESCDS USUIS DOS EDIFÍCIOS Prof. José Milton de raújo - FURG 1 3.1- INTRODUÇÃO patamar lance a b c d e Formas usuais das escadas dos edifícios Prof. José Milton de raújo - FURG armada

Leia mais

DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS

DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Departamento de Estruturas e Construção Civil ECC 1008 Estruturas de Concreto DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS Aulas 13-16 Gerson Moacyr

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia. Especialização em Estruturas TRABALHO FINAL CÁLCULO DE LAJES NERVURADAS

Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia. Especialização em Estruturas TRABALHO FINAL CÁLCULO DE LAJES NERVURADAS Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia Especialização em Estruturas TRABALHO FINAL CÁLCULO DE LAJES NERVURADAS Professor: Ney Amorim Silva Aluno: Cristiane Eiko Kamada ÍNDICE ITEM DESCRIÇÃO

Leia mais

CAPÍTULO 4 4. ELEMENTOS ESTRUTURAIS. 4.1 Classificação Geométrica dos Elementos Estruturais

CAPÍTULO 4 4. ELEMENTOS ESTRUTURAIS. 4.1 Classificação Geométrica dos Elementos Estruturais Elementos Estruturais 64 CAPÍTULO 4 4. ELEMENTOS ESTRUTURAIS 4.1 Classificação Geométrica dos Elementos Estruturais Neste item apresenta-se uma classificação dos elementos estruturais com base na geometria

Leia mais

DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS

DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Departamento de Estruturas e Construção Civil ECC 1008 Estruturas de Concreto DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS Aulas 13-16 Gerson Moacyr

Leia mais

LAJES MACIÇAS DE CONCRETO ARMADO

LAJES MACIÇAS DE CONCRETO ARMADO CAPÍTULOS 1 A 4 Volume LAJES MACIÇAS DE CONCRETO ARMADO Prof. José Milton de Araújo - FURG 1 1- Tipos usuais de lajes dos edifícios Laje h Laje maciça apoiada em vigas Vigas h Lajes nervuradas nervuras

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia. Especialização em Estruturas TRABALHO FINAL

Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia. Especialização em Estruturas TRABALHO FINAL Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia Especialização em Estruturas TRABALHO FINAL ESTUDO COMPARATIVO ENTRE SISTEMAS ESTRUTURAIS COM LAJES LISAS E LAJES NERVURADAS Professor: Ney Amorim

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Pontifícia Universidade Católica de Goiás Escola de Engenharia Curso: Engenharia Civil Disciplina: ENG2004 - Estruturas de Concreto Armado I Semestre: 2015.2 Painel de Lajes Maciças apoiadas em vigas apoiadas

Leia mais

Tecnologia da Construção Civil - I Estruturas de concreto. Roberto dos Santos Monteiro

Tecnologia da Construção Civil - I Estruturas de concreto. Roberto dos Santos Monteiro Tecnologia da Construção Civil - I Estruturas de concreto Estruturas de concreto As estruturas das edificações, sejam eles de um ou vários pavimentos, são constituídas por diversos elementos cuja finalidade

Leia mais

LAJES COGUMELO e LAJES LISAS

LAJES COGUMELO e LAJES LISAS LAJES COGUMELO e LAJES LISAS Segundo Montoja são consideradas lajes cogumelo as lajes contínuas apoiadas em pilares ou suportes de concreto, ou seja, sem vigas. Podem ser apoiadas diretamente nos pilares

Leia mais

Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço Ligações em Aço EAD - CBCA. Módulo

Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço Ligações em Aço EAD - CBCA. Módulo Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço Ligações em Aço EAD - CBCA Módulo 3 Sumário Módulo 3 Dimensionamento das vigas a flexão 3.1 Dimensionamento de vigas de Perfil I isolado página 3 3.2 Dimensionamento

Leia mais

SISTEMAS ESTRUTURAIS (CONCRETO)

SISTEMAS ESTRUTURAIS (CONCRETO) SISTEMAS ESTRUTURAIS (CONCRETO) 2 ESTUDO DAS LAJES 2.3 LAJES NERVURADAS A NBR6118/03 (item 14.7.7) define laje nervurada como as lajes moldadas no local ou com nervuras pré-moldadas, cuja zona de tração

Leia mais

CONSTRUÇÕES EM CONCRETO ARMADO

CONSTRUÇÕES EM CONCRETO ARMADO TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS CONSTRUÇÕES EM CONCRETO ARMADO LAJES Parte 2 Laje Maciça Viga Pilar Cinta Bloco de Coroamento Fundação Apostila desenvolvida pelo professor: Edilberto Vitorino de

Leia mais

elementos estruturais

elementos estruturais conteúdo 1 elementos estruturais 1.1 Definição As estruturas podem ser idealizadas como a composição de elementos estruturais básicos, classificados e definidos de acordo com a sua forma geométrica e a

Leia mais

Dimensionamento comparativo de vigas e lajes entre software e método convencional

Dimensionamento comparativo de vigas e lajes entre software e método convencional 1 Dimensionamento comparativo de vigas e lajes entre software e método convencional Murilo Kostetzer murilo.k@hotmail.com Projeto, Execução e Controle de Estruturas & Fundações Instituto de Pós-Graduação

Leia mais

Prof. Dr. Claudius Barbosa

Prof. Dr. Claudius Barbosa Prof. Dr. Claudius Barbosa 1 2 3 LAJE NERVURADA COGUMELO VIGA CURVA (VIGA BALCÃO) LAJE EM BALANÇO LAJE MACIÇA 4 COBERTURA PAVIMENTO TIPO 5 COBERTURA PAVIMENTO TIPO 6 7 ESCADAS RESERVATÓRIO 8 FUNDAÇÕES

Leia mais

CONSTRUÇÕES EM CONCRETO ARMADO

CONSTRUÇÕES EM CONCRETO ARMADO TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS CONSTRUÇÕES EM CONCRETO ARMADO LAJES parte 01 Laje Maciça Viga Pilar Cinta Bloco de Coroamento Fundação Apostila desenvolvida pelo professor: Edilberto Vitorino de

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais. Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO. Profa.

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais. Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO. Profa. Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO Profa. Nívea Pons Objetivo: Projeto e dimensionamento de estruturas estáticas ou dinâmicas

Leia mais

CÁLCULOS DE VIGAS COM SEÇÃO T

CÁLCULOS DE VIGAS COM SEÇÃO T CÁLCULOS DE VIGAS COM SEÇÃO T Introdução Nas estruturas de concreto armado, com o concreto moldado no local, na maioria dos casos as lajes e as vigas que as suportam estão fisicamente interligadas, isto

Leia mais

Aços Longos. Soluções Lajes

Aços Longos. Soluções Lajes Aços Longos Soluções Lajes Soluções Lajes Entre os desafios da engenharia civil, o sistema construtivo de lajes deve atender à eficiência estrutural, visando a soluções seguras, economicamente viáveis

Leia mais

SECC SISTEMAS ESTRUTURAIS CONCEITO PARA CÁLCULO Fernando de Moraes Mihalik

SECC SISTEMAS ESTRUTURAIS CONCEITO PARA CÁLCULO Fernando de Moraes Mihalik - 1 - UNIP - Universidade Paulista ICET SISTEMAS ESTRUTURAIS CONCEITO PARA CÁLCULO SECC NOTAS DE AULA 01 E S T R U T U R A S ESTRUTURAS NOTAS DE AULA - PARTE 1-2 - NA_01SECC/2013 INTRODUÇÃO 1. NOÇÕES BÁSICAS

Leia mais

PROJETO ESTRUTURAL. Marcio A. Ramalho ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIMENTO PORTLAND

PROJETO ESTRUTURAL. Marcio A. Ramalho ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIMENTO PORTLAND PROJETO ESTRUTURAL Marcio A. Ramalho Concepção Estrutural e Ações PAE / 2 Conceitos Básicos e Definições Concepção Estrutural Determinar paredes estruturais ou não-estruturais para resistir a ações verticais

Leia mais

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 07: Modelagem de Lajes

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 07: Modelagem de Lajes Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Estruturas MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 07: Modelagem de Lajes Profa. Dra. Maria Betânia de Oliveira

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL. Adriano Maboni Alex Pimentel Arléia Teixeira Fabrício Machado Liliane Trombini Pereira

ALVENARIA ESTRUTURAL. Adriano Maboni Alex Pimentel Arléia Teixeira Fabrício Machado Liliane Trombini Pereira ALVENARIA ESTRUTURAL Adriano Maboni Alex Pimentel Arléia Teixeira Fabrício Machado Liliane Trombini Pereira DADOS DO TRABALHO Edifício de 9 pavimentos tipo e 1 térreo Térreo apoiado diretamente sobre a

Leia mais

CARREGAMENTOS VERTICAIS Determinação dos Carregamentos dos Pisos

CARREGAMENTOS VERTICAIS Determinação dos Carregamentos dos Pisos CARREGAMENTOS VERTICAIS Determinação dos Carregamentos dos Pisos Slide: 04_01 - Carregamentos Verticais - Pisos - 2017_1 Prof.º Luciano Caetano do Carmo, M.Sc. Versão 2017.1 Bibliografia ABNT Associação

Leia mais

Faculdades Integradas Einstein de Limeira Fiel Engenharia Civil

Faculdades Integradas Einstein de Limeira Fiel Engenharia Civil Faculdades Integradas Einstein de Limeira Fiel Engenharia Civil ANÁLISE ESTRUTURAL DE LAJES DE CONCRETO ARMADO Marcio Vinicius Marini Luiz Gustavo Deotti Orientador Prof. Dr. Gilson Battiston Fernandes

Leia mais

4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO

4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO 4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO 4.1 Escada com vãos paralelos O tipo mais usual de escada em concreto armado tem como elemento resistente uma laje armada em uma só direção (longitudinalmente),

Leia mais

Estruturas de concreto Armado I. Aula II Pré-Dimensionamento

Estruturas de concreto Armado I. Aula II Pré-Dimensionamento Estruturas de concreto Armado I Aula II Pré-Dimensionamento Fonte / Material de Apoio: Apostila Fundamentos do Concreto e Projeto de Edifícios Prof. Libânio M. Pinheiro UFSCAR Apostila Projeto de Estruturas

Leia mais

LAJES PRÉ-MOLDADAS. GRADUAÇÃO Florestal AULA. Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni. Construções Rurais

LAJES PRÉ-MOLDADAS. GRADUAÇÃO Florestal AULA. Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni. Construções Rurais LAJES PRÉ-MOLDADAS Prof. Adriano Wagner Ballarin Prof. Marco Antonio Martin Biaggioni GRADUAÇÃO Florestal AULA 10 Aula 10b Lajes pré-moldadas 1 1. Definições São estruturas de concreto armado ou mistas,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA Departamento de Estruturas e Construção Civil Disciplina: ECC 1008 Estruturas de Concreto TRABALHO: 1 SEMESTRE DE 2015 Suponha que você esteja envolvido(a)

Leia mais

1) Considerem as cargas residenciais usuais e de ventos quando corresponde de acordo com a norma vigente;

1) Considerem as cargas residenciais usuais e de ventos quando corresponde de acordo com a norma vigente; Prezados alunos, 1) Considerem as cargas residenciais usuais e de ventos quando corresponde de acordo com a norma vigente; 2) Adote, quando necessário e com critério as informações faltantes; 3) O trabalho

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DAS ARMADURAS LONGITUDINAIS DE VIGAS T

DIMENSIONAMENTO DAS ARMADURAS LONGITUDINAIS DE VIGAS T DIMENSIONAMENTO DAS ARMADURAS LONGITUDINAIS DE VIGAS T Prof. Henrique Innecco Longo e-mail longohenrique@gmail.com b f h f h d d Departamento de Estruturas Escola Politécnica da Universidade Federal do

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: CONCRETO ARMADO I Código da Disciplina: ECV018 Curso: ENGENHARIA CIVIL Semestre de oferta da disciplina: 7 Faculdade responsável: Engenharia Civil Programa em vigência

Leia mais

ESTUDO DE CASO 1 MASP

ESTUDO DE CASO 1 MASP ESTUDO DE CASO 1 MASP MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO Janeiro/2007 Seqüência da Apresentação 1. Características Geométricas e Arquitetônicas 2. Características/Cargas Estruturais 3. Modelo Estrutural 4. Análise

Leia mais

Concepção estrutural Estabilidade das construções. Professores: João Carlos Rocha Braz Nádia Forti

Concepção estrutural Estabilidade das construções. Professores: João Carlos Rocha Braz Nádia Forti Concepção estrutural Estabilidade das construções Professores: João Carlos Rocha Braz Nádia Forti CONCEITO DE ESTRUTURA De maneira geral uma construção é concebida para atender a determinadas finalidades.

Leia mais

METAL FÁCIL FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA LANÇAMENTO DE ESTRUTURAS E PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE SEUS ELEMENTOS ESTRUTURAIS EM AÇO

METAL FÁCIL FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA LANÇAMENTO DE ESTRUTURAS E PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE SEUS ELEMENTOS ESTRUTURAIS EM AÇO METAL FÁCIL FERRAMENTA COMPUTACIONAL PARA LANÇAMENTO DE ESTRUTURAS E PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE SEUS ELEMENTOS ESTRUTURAIS EM AÇO Priscilla Izabel dos Santos Ribeiro Profª Drª Adenilcia Fernanda Grobério Calenzani

Leia mais

A AÇÃO DO VENTO NOS EDIFÍCIOS

A AÇÃO DO VENTO NOS EDIFÍCIOS 160x210 A AÇÃO DO VENTO NOS EDIFÍCIOS ARAÚJO, J. M. Projeto Estrutural de Edifícios de Concreto Armado. 3. ed., Rio Grande: Dunas, 2014. Prof. José Milton de Araújo FURG 1 1 O PROJETO ESTRUTURAL E A DEFINIÇÃO

Leia mais

Pré-Dimensionamento de Estruturas de Aço

Pré-Dimensionamento de Estruturas de Aço Pré-Dimensionamento de Estruturas de Aço Vigas e Pilares para Edificações Estruturas de Aço e Madeira Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loft A2 1 Pré-dimensionamento Vigas de alma cheia - Duas mesas

Leia mais

Faculdade Integrada Metropolitana de Campinas METROCAMP

Faculdade Integrada Metropolitana de Campinas METROCAMP Faculdade Integrada Metropolitana de Campinas METROCAMP PUNÇÃO EM LAJES LISAS PROTENDIDAS: ESTUDO DE ABERTURAS ADJACENTES A PILARES Alexandre Souza Silva 1, Fábio Albino de Souza 2 1 Eng. Civil, Mestre

Leia mais

TC 071 PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS II

TC 071 PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS II TC 071 PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS II 16ª AULA (19/10/2.010) MEZOESTRUTURA DE PONTES A mezoestrutura de ponte é a parte da estrutura (pilares) responsável por transmitir as cargas da superestrutura à

Leia mais

PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL

PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL PRÁTICAS DE PEQUENAS OBRAS NO MEIO RURAL Construção & Desenvolvimento Sustentável Modelo de produção linear Recursos naturais não renováveis Entulho Ciclo fechado de produção Reciclagem Reutilização Garantia

Leia mais

PROVA COMENTADA. Carga acidental (Q) = 0,5 kn/m² Carga permanente (G) = (0,12 cm X 25 kn/m³) + 1,0 kn/m² + 1,0 kn/m² = 4,0 kn/m²

PROVA COMENTADA. Carga acidental (Q) = 0,5 kn/m² Carga permanente (G) = (0,12 cm X 25 kn/m³) + 1,0 kn/m² + 1,0 kn/m² = 4,0 kn/m² ? Graute Um primeiro objetivo seria proporcionar a integração da armadura com a alvenaria, no caso de alvenaria estrutural armada ou em armaduras apenas de caráter construtivo. O segundo objetivo seria

Leia mais

II ENCONTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA ANALISE COMPARATIVA DE AREA DE AÇO EM LAJE MACIÇA ATRAVÉS DO MÉTODO DE ANALOGIA DAS GRELHAS E TEORIA DAS PLACAS

II ENCONTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA ANALISE COMPARATIVA DE AREA DE AÇO EM LAJE MACIÇA ATRAVÉS DO MÉTODO DE ANALOGIA DAS GRELHAS E TEORIA DAS PLACAS II ENCONTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA ANALISE COMPARATIVA DE AREA DE AÇO EM LAJE MACIÇA ATRAVÉS DO MÉTODO DE ANALOGIA DAS GRELHAS E TEORIA DAS PLACAS Francisco Gonçalves da Silva Neto 1 Helvio de Oliveira

Leia mais

São Paulo Corporate Towers

São Paulo Corporate Towers São Paulo Corporate Towers São Paulo Corporate Towers Área de 278.000 m² 6 escadas 20 elevadores Arquitetura Sistema estrutural Solução Estrutural A Estabilidade da Estrutura para carregamentos horizontais

Leia mais

CANALETA MULTIFUNCIONAL Para laje nervurada e bidirecional

CANALETA MULTIFUNCIONAL Para laje nervurada e bidirecional CANALETA MULTIFUNCIONAL Para laje nervurada e bidirecional Pesquisa + Tecnologia = Economia O PRODUTO A CANALETA MULTIFUNCIONAL foi desenvolvida pela FAULIM para dar mais agilidade na montagem das nervuras

Leia mais

ANÁLISE EXPERIMENTAL COMPARATIVA DE LAJES UNIDIRECIONAIS NERVURADAS PARA DIFERENTES PROCESSOS CONSTRUTIVOS.

ANÁLISE EXPERIMENTAL COMPARATIVA DE LAJES UNIDIRECIONAIS NERVURADAS PARA DIFERENTES PROCESSOS CONSTRUTIVOS. ANÁLISE EXPERIMENTAL COMPARATIVA DE LAJES UNIDIRECIONAIS NERVURADAS PARA DIFERENTES PROCESSOS CONSTRUTIVOS. RESUMO Ricardo frazzetto Guetner (1), Alexandre Vargas (2). UNESC Universidade do Extremo Sul

Leia mais

3. METODOLOGIA Introdução

3. METODOLOGIA Introdução 3. METODOLOGIA 3.1. Introdução Este capítulo apresenta a metodologia empregada para a realização deste trabalho, iniciando com a análise e classificação de resultados experimentais, demonstrando a aplicação

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE VÃOS ÓTIMOS DE LAJES MACIÇAS POR MEIO DO MÉTODO DE SÉRIES E UTILIZANDO O SOFTWARE EBERICK V10

DETERMINAÇÃO DE VÃOS ÓTIMOS DE LAJES MACIÇAS POR MEIO DO MÉTODO DE SÉRIES E UTILIZANDO O SOFTWARE EBERICK V10 DETERMINAÇÃO DE VÃOS ÓTIMOS DE LAJES MACIÇAS POR MEIO DO MÉTODO DE SÉRIES E UTILIZANDO O SOFTWARE EBERICK V10 Ana Luiza Rocha de Souza (1) ; Matheus Galvão Cardoso (2), Renata de Oliveira Melo (3). (1)

Leia mais

Visualização na forma Laje Nervurada Nesse tipo de laje, a armadura estará distribuída nas in loco), cujo espaçamento será definido em função do do Eb

Visualização na forma Laje Nervurada Nesse tipo de laje, a armadura estará distribuída nas in loco), cujo espaçamento será definido em função do do Eb Aplica-se às versões: EBv5, EBv5Gold, EBv6, EBv6 PMv8G Assunto Quais os tipos de laje disponíveis no Eberick? Artigo Devido ao Eberick apresentar diferentes tipos de la programa, esse artigo tem por objetivo

Leia mais

Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço EAD - CBCA. Módulo2. Parte 1

Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço EAD - CBCA. Módulo2. Parte 1 Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço EAD - CBCA Módulo2 Parte 1 Sumário 1ª Parte Mezaninos estruturados em Aço 2.1 Definição página 3 2.2 Estrutura de Piso dos Mezaninos página 3 2.3. Os vigamentos

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DESLOCAMENTOS EM DIFERENTES TIPOLOGIAS DE LAJES PRÉ-FABRICADAS

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DESLOCAMENTOS EM DIFERENTES TIPOLOGIAS DE LAJES PRÉ-FABRICADAS ANÁLISE COMPARATIVA DOS DESLOCAMENTOS EM DIFERENTES TIPOLOGIAS DE LAJES PRÉ-FABRICADAS Joel Warnier Kruger (1), Alexandre Vargas (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense (1)joel-kruger@hotmail.com,

Leia mais

ESTRUTURA METÁLICA FLEXÃO. Prof. Cleverson Gomes Cardoso

ESTRUTURA METÁLICA FLEXÃO. Prof. Cleverson Gomes Cardoso ESTRUTURA METÁLICA FLEXÃO Prof. Cleverson Gomes Cardoso VIGAS (FLEXÃO) NBR 8800/08 Estados Limites Últimos Flambagem local da Mesa FLM Flambagem local da Mesa FLA Flambagem lateral (FLT) Resistência ao

Leia mais

1.8 Desenvolvimento da estrutura de edifícios 48

1.8 Desenvolvimento da estrutura de edifícios 48 Sumário Capítulo 1 Desenvolvimento histórico de materiais, elementos e sistemas estruturais em alvenaria 23 1.1 História dos materiais da alvenaria 24 1.2 Pedra 24 1.3 Tijolos cerâmicos 26 1.4 Blocos sílico-calcários

Leia mais

Anexo I - Tabela de Tolerâncias Dimensionais e de Montagem de Elementos Pré-Fabricados

Anexo I - Tabela de Tolerâncias Dimensionais e de Montagem de Elementos Pré-Fabricados Identificação: A1.N2 Revisão: 04 Folha: 1 / 5 Função do Elemento Painéis Arquitetônicos (item b1 do requisito Pilares, Vigas, Pórticos, Terças e Escadas (itens b2, b3 e b4 do requisito Lajes Armadas ou

Leia mais

CÁLCULO E ANÁLISE DOS MOMENTOS FLETORES EM LAJES DE CONCRETO ARMADO

CÁLCULO E ANÁLISE DOS MOMENTOS FLETORES EM LAJES DE CONCRETO ARMADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ESTRUTURAS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTRUTURAS CÁLCULO E ANÁLISE DOS MOMENTOS FLETORES EM LAJES DE CONCRETO ARMADO

Leia mais

CÁLCULO DE VIGAS. - alvenaria de tijolos cerâmicos furados: γ a = 13 kn/m 3 ; - alvenaria de tijolos cerâmicos maciços: γ a = 18 kn/m 3.

CÁLCULO DE VIGAS. - alvenaria de tijolos cerâmicos furados: γ a = 13 kn/m 3 ; - alvenaria de tijolos cerâmicos maciços: γ a = 18 kn/m 3. CAPÍTULO 5 Volume 2 CÁLCULO DE VIGAS Prof. José Milton de Araújo - FURG 1 1- Cargas nas vigas dos edifícios peso próprio : p p = 25A c, kn/m ( c A = área da seção transversal da viga em m 2 ) Exemplo:

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE TABELAS DE DIMENSIONAMENTO

UTILIZAÇÃO DE TABELAS DE DIMENSIONAMENTO AJES PRÉ-FABRICADAS PROTENDIDAS UTIIZAÇÃO DE TABEAS DE DIMENSIONAMENTO www.tatu.com.br engenharia@tatu.com.br Via Anhanguera, Km15 CEP 1480-70 Caixa Postal 41 imeira/sp Tel. (1) 446-000 AJE PRÉ-FABRICADA

Leia mais

As escadas são elementos estruturais que servem para unir, através degraus sucessivos, os diferentes níveis de uma construção.

As escadas são elementos estruturais que servem para unir, através degraus sucessivos, os diferentes níveis de uma construção. 6 Escadas 6.1 Introdução As escadas são elementos estruturais que servem para unir, através degraus sucessivos, os diferentes níveis de uma construção. 6. Terminologia dos Elementos Constituintes A linha

Leia mais

UNIP - Universidade Paulista. ICET - Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - Arquitetura e Urbanismo -

UNIP - Universidade Paulista. ICET - Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - Arquitetura e Urbanismo - UNIP - Universidade Paulista ICET - Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas - Arquitetura e Urbanismo - Resistência dos Materiais Estabilidade Lista 1 de Exercícios Resolvidos - Tensões Lista1 de Exercícios

Leia mais

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 02: Definições Básicas

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 02: Definições Básicas Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Estruturas MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 02: Definições Básicas Profa. Dra. Maria Betânia de Oliveira

Leia mais

ANEXO GERAL V CATÁLOGO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE PAREDES, COBERTURAS E VIDROS a) Paredes:

ANEXO GERAL V CATÁLOGO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE PAREDES, COBERTURAS E VIDROS a) Paredes: ANEXO GERAL V CATÁLOGO DE PROPRIEDADES TÉRMICAS DE PAREDES, COBERTRAS E VIDROS a) Paredes: 1 de 9cm bloco de concreto 9cm Argamassa interna () Bloco de concreto (9,0 x 19,0 x Argamassa externa () 2,78

Leia mais

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 09: Modelagem de Lajes

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 09: Modelagem de Lajes Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Estruturas MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 09: Modelagem de Lajes Profa. Dra. Maria Betânia de Oliveira

Leia mais

LAJES. Prof.(a) Renata Ferreira

LAJES. Prof.(a) Renata Ferreira LAJES Prof.(a) Renata Ferreira Lajes Uma construção tem como exigência primordial suportar todos os esforços produzidos pelo peso próprio, peso de seus ocupantes, vento e sobrecargas. Esses esforços são

Leia mais

Curso de Dimensionamento de Pilares Mistos EAD - CBCA. Módulo

Curso de Dimensionamento de Pilares Mistos EAD - CBCA. Módulo Curso de Dimensionamento de Pilares Mistos EAD - CBCA Módulo 4 Sumário Módulo 4 Dimensionamento de Pilares Mistos 4.1. Considerações Gerais página 3 4.2. Critérios de dimensionamento página 3 4.3. Dimensionamento

Leia mais

Figura 1: Corte e planta da estrutura, seção transversal da viga e da laje da marquise

Figura 1: Corte e planta da estrutura, seção transversal da viga e da laje da marquise Exemplo 4: Viga de apoio de marquise 1. Geometria e resistências ELU: Torção Combinada, Dimensionamento 1,50 m h=0,50 m 0,10 m 0,20 m Espessura mínima da laje em balanço cf. item 13.2.4.1 e = 1, cf. Tabela

Leia mais

Escolha da estrutura do pavimento-tipo do projeto- piloto

Escolha da estrutura do pavimento-tipo do projeto- piloto Escolha da estrutura do pavimento-tipo do projeto- piloto Para se escolher a estrutura do pavimento-tipo, começa-se por decalcar a planta de alvenaria deste pavimento, desenhando-se no CAD a posição das

Leia mais

CÁLCULO E DETALHAMENTO DE LAJES E VIGAS EM CONCRETO ARMADO DO ANDAR TIPO DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL

CÁLCULO E DETALHAMENTO DE LAJES E VIGAS EM CONCRETO ARMADO DO ANDAR TIPO DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERIAIS ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ESTRUTURAS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTRUTURAS CÁLCULO E DETALHAMENTO DE LAJES E VIGAS EM CONCRETO ARMADO DO ANDAR

Leia mais

As lajes e seus valores agregados

As lajes e seus valores agregados As lajes e seus valores agregados Por Heloisa Amorim de Medeiros Junto com as mudanças na maneira de construir, influenciada principalmente pela industrialização e racionalização do processo construtivo,

Leia mais

UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS. Construção Civil

UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS. Construção Civil UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES CAMPUS VILLA LOBOS Construção Civil 7 semestre Prof. Me. Jorge S. Lyra 2017 Fundações Introdução Fundações NBR 6122/2010 Esta Norma fixa o procedimento, projeto e execução

Leia mais

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 02: Definições Básicas

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 02: Definições Básicas Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Estruturas MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 02: Definições Básicas Profa. Dra. Maria Betânia de Oliveira

Leia mais

FUNDAÇÕES RASAS DIMENSIONAMENTO GEOTÉCNICO

FUNDAÇÕES RASAS DIMENSIONAMENTO GEOTÉCNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI INSTITUTO DE CIÊNCIA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA ENGENHARIA CIVIL ECV 114 FUNDAÇÕES E OBRAS DE TERRA FUNDAÇÕES RASAS DIMENSIONAMENTO GEOTÉCNICO ana.paula.moura@live.com

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE LAJES NERVURADAS SIMPLES E DUPLAS POR ANALOGIA DE GRELHA

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE LAJES NERVURADAS SIMPLES E DUPLAS POR ANALOGIA DE GRELHA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Paula Barth Campani ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE LAJES NERVURADAS SIMPLES E DUPLAS POR ANALOGIA DE GRELHA Porto

Leia mais

LAJES MACIÇAS CONVENCIONAIS, NERVURADAS COM CUBAS PLÁSTICAS E NERVURADAS TRELIÇADAS: ANÁLISE COMPARATIVA 1

LAJES MACIÇAS CONVENCIONAIS, NERVURADAS COM CUBAS PLÁSTICAS E NERVURADAS TRELIÇADAS: ANÁLISE COMPARATIVA 1 LAJES MACIÇAS CONVENCIONAIS, NERVURADAS COM CUBAS PLÁSTICAS E NERVURADAS TRELIÇADAS: ANÁLISE COMPARATIVA 1 Djiovani Dalben 2, Marcelle Engler Bridi 3. 1 Projeto de pesquisa realizado no curso de bacharel

Leia mais

Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loja A1 1

Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loja A1 1 Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Aplicações para mezaninos Estruturas de Aço e Madeira Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loja A1 1 Definição do sistema estrutural do pavimento Vigas principais

Leia mais

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 09: Modelagem de Lajes

MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 09: Modelagem de Lajes Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Estruturas MODELAGEM DOS SISTEMAS ESTRUTURAIS Aula 09: Modelagem de Lajes Profa. Dra. Maria Betânia de Oliveira

Leia mais

ESTRUTURAS NOÇÕES BÁSICAS

ESTRUTURAS NOÇÕES BÁSICAS ESTRUTURAS NOÇÕES BÁSICAS Profa. Ana Maria Gontijo Figueiredo 1) TERMINOLOGIA Estrutura: Parte resistente de uma construção ou de uma máquina, objeto ou peça isolada, cuja função básica é o transporte

Leia mais

Introdução. lx: menor vão ly: maior vão. h: espessura (altura)

Introdução. lx: menor vão ly: maior vão. h: espessura (altura) Universidade Federal de Ouro Preto - Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV620-Construções de Concreto Armado Curso: Arquitetura e Urbanismo CAPÍTULO 5: LAJES Profa. Rovadávia Aline Jesus

Leia mais

LAJES MACIÇAS DE CONCRETO ARMADO

LAJES MACIÇAS DE CONCRETO ARMADO CAPÍTULOS 1 A 4 Volume LAJES MACIÇAS DE CONCRETO ARMADO 1 1- Tipos usuais de lajes dos edifícios Laje h Laje maciça apoiada em vigas Vigas h Lajes nervuradas nervuras aparentes material inerte Laje Laje

Leia mais

Pré-dimensionamento e formas

Pré-dimensionamento e formas SEGUNDA AVALIAÇÃO 2ª Parte Carregamentos Verticais e Pré-dimensionamento Turmas A01, A02 e A03: 09/05/2017 Entrega dos trabalhos e avaliação dos trabalhos. 12/05/2017 Avaliação dos trabalhos. Tuma A04:

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: laje pré-moldada; laje pré-moldada treliçada; concreto armado; analogia de grelha; comportamento não-linear.

Resumo. Palavras-chave: laje pré-moldada; laje pré-moldada treliçada; concreto armado; analogia de grelha; comportamento não-linear. ANÁLISE NÃO-LINEAR DE LAJES PRÉ-MOLDADAS COM ARMAÇÃO TRELIÇADA: COMPARAÇÃO DE VALORES TEÓRICOS COM EXPERIMENTAIS E SIMULAÇÕES NUMÉRICAS EM PAINÉIS ISOLADOS Alonso Droppa Júnior & Mounir Khalil El Debs

Leia mais

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Estruturas Concreto 1. OBJETIVO CONDIÇÕES GERAIS CONDIÇÕES ESPECÍFICAS...

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Estruturas Concreto 1. OBJETIVO CONDIÇÕES GERAIS CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... http://www.bancodobrasil.com.br 1 DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.11 Estruturas Concreto Sumário 1. OBJETIVO... 2 2. CONDIÇÕES GERAIS... 2 3. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... 4 3.1 LAJES... 4 3.2

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS DE AÇO E CONCRETO. Prof. Marcos Alberto Ferreira da Silva

ESTRUTURAS MISTAS DE AÇO E CONCRETO. Prof. Marcos Alberto Ferreira da Silva ESTRUTURAS MISTAS DE AÇO E CONCRETO Prof. Marcos Alberto Ferreira da Silva PALESTRA TÉCNICA ESTRUTURAS MISTAS DE AÇO E CONCRETO Prof. Marcos Alberto Ferreira da Silva Rio de Janeiro, 2016 Qual o sistema

Leia mais

Distribuição de Cargas Verticais

Distribuição de Cargas Verticais Distribuição de Cargas Verticais Disponível em http://www.chasqueweb.ufrgs.br/~jeanmarie/eng01208/eng01208.html jean.marie@ufrgs.br Funções das paredes de alvenaria Compressão axial Transmite as cargas

Leia mais

TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES. Estruturas Mistas - Profas Maria Regina Leggerini / Sílvia Baptista Kalil

TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES. Estruturas Mistas - Profas Maria Regina Leggerini / Sílvia Baptista Kalil 1 TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES CONCEITO: São elementos estruturais laminares (uma das dimensões muito menor do que as outras duas), apoiadas de modo contínuo em sua base. 2 TIPOLOGIA:

Leia mais

Dimensionamento de Estruturas em Aço. Parte 1. Módulo. 2ª parte

Dimensionamento de Estruturas em Aço. Parte 1. Módulo. 2ª parte Dimensionamento de Estruturas em Aço Parte 1 Módulo 2 2ª parte Sumário Módulo 2 : 2ª Parte Dimensionamento de um Mezanino Estruturado em Aço 1º Estudo de Caso Mezanino página 3 1. Cálculo da Viga V2 =

Leia mais

PONTES DE CONCRETO ARMADO

PONTES DE CONCRETO ARMADO PONTES DE CONCRETO ARMADO CLASSIFICAÇÃO DAS PONTES Aula 3 CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO Material da Superestrutura; Comprimento; Natureza do Tráfego; Desenvolvimento Planimétrico; Desenvolvimento Altimétrico;

Leia mais