ACIDENTES. Ferrovia é o transporte mais seguro. Presidente da AENFER é homenageado. Morro da Providência ganha teleférico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACIDENTES. Ferrovia é o transporte mais seguro. Presidente da AENFER é homenageado. Morro da Providência ganha teleférico"

Transcrição

1 1 JORNAL ÓRGÃO DE DIVULGAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE ENGENHEIROS FERROVIÁRIOS ANO XVII - Nº março/abril de 2013 Sede: Av. Presidente Vargas, º andar - CEP Rio de Janeiro/RJ - IMPRESSO ACIDENTES Ferrovia é o transporte mais seguro Presidente da AENFER é homenageado Nossa sociedade precisa a cada dia maior mobilidade, seja para vencer pequenas distâncias ou grandes deslocamentos. Nossa produção de veículos só cresce, nosso tráfego rodoviário só aumenta, mesmo nossas poucas malhas ferroviárias demonstram a cada ano um maior volume de cargas transportadas. No entanto também aumentam o número de acidentes nos transportes. Serão eles inevitáveis? Neste número apresentamos uma breve discussão deste tema. Páginas 6 e 7 Em comemoração aos 130 anos de sua fundação, a Sociedade Brasileira de Geografia reuniu em um só espaço, diplomatas, geólogos, professores e engenheiros. Página 10 Morro da Providência ganha teleférico Museu do Trem reabriu suas portas para o público Página 5 Café com o presidente Página 11 O objetivo do teleférico é melhorar a acessibilidade dos moradores daquele morro. Página 4 Comemoração aos aniversariantes dos meses de janeiro, fevereiro e março. Página 12

2 2 editorial A PRESENTE FERROVIA DO FUTURO Sede: Av. Presidente Vargas, º andar - CEP Telefax.: (21) / / nosso site Apesar da história da ferrovia ter se iniciado em nosso Estado ficamos sem um bom museu ferroviário durante muito tempo. Bem que a RFFSA incentivou e implantou alguns museus ferroviários Os trens regionais, os cargueiros, as malhas ferroviárias que se espalham pelo mapa do Brasil, até o projeto do trem bala estão ressurgindo. A consciência da necessidade de transporte sustentável, logístico, econômico, capaz de tornar os produtos competitivos, trazendo progresso, desenvolvimento etc faz da ferrovia sinônimo de solução. É muito bom apreciar a importância, ainda que tardia, que está sendo dada ao modo sobre trilhos. Algumas empresas estão voltando os olhos para o mercado ferroviário. A UCT Universidade Corporativa de Transporte, da FETRANSPOR, trata do transporte rodoviário urbano de passageiros. Talvez devêssemos pensar em uma dessas para a ferrovia. Tanto no segmento de carga, como no de passageiros o mercado demanda profissionais com conhecimento específico nessa área. É o momento ótimo para uma faculdade técnica de transportes. Sabemos que a ideia reinante é generalizar o curso de engenharia. A proposta estaria, portanto, na contramão. Mas, vendo por outro ângulo, a especialização traria soluções no curto prazo que a generalização talvez não trouxesse. O pessoal especializado comporia a mão de obra qualificada que o mercado precisa com urgência, elevando a qualidade do serviço nos setores de projeto, construção, manutenção e operação. Paralelamente, um instituto ferroviário parecido com as American Societies seria muito bem-vindo. Um órgão (efetivamente) responsável pelas normas, regulamentos, que centralizasse o que há de mais moderno. Mantendo a comunidade ferroviária situada em tempo real com o resto do mundo. A AENFER vem apontando para o caminho da excelência, estreitando o contato com a academia e com a indústria, realizando seminários e palestras técnicas. P.S. A safra recorde de grãos deste ano já está sofrendo as consequências do problema de LOGÍSTICA. A China está cancelando contratos por atraso. Valores irrisórios, uma bobagem, qualquer coisa entre SEISCENTAS MIL e DOIS MI- LHÕES de TONELADAS. pelo Brasil. Damos a você a oportunidade de viajar pelo mundo conhecendo alguns dos principais museus ferroviários. Boa viagem e divirta-se: DIRETORIA: Presidente Luiz Lourenço de Oliveira Vice-Presidente Isabel Cristina Junqueira de Andréa Diretor Administrativo Luiz Euler Carvalho de Mello Diretor Financeiro João Carnevale Diretor de Patrimônio Claudio Luiz Lopes do Nascimento Diretor Técnico Carlos Roberto Monteiro Rommes Diretor Cultural e de Preservação da Memória Ferroviária Rubem Eduardo Ladeira Diretor de Divulgação e Mercado Fernando José Alvarenga de Albuquerque Diretor de Produtos e Serviços Carlo Luciano De Luca Diretor de Acompanhamento Judicial Celso Paulo Diretora de Assistência aos Aposentados Rosana Pio de Abreu Diretora Social Telma Regina Jorge da Silva Conselho Editorial Fernando José Alvarenga de Albuquerque (presidente), Luiz Fernando Aguiar, Maria da Penha Arlotta, Rubem Eduardo Ladeira e Elcio Moraes de Melo JORNAL Jornal de Circulação Bimensal: Editado pela AENFER Jornalista Responsável: Silmara Reis - Reg. Prof. 604 DRT/SE Diagramação: João Luiz Dias Fotografia: AENFER Impressão: Editora Livrobel Tiragem: exemplares ASSOCIADO EUA: Railtown 1897 State Historic Park; B&O Railroad Museum França: Cité du Train Espanha: Museo del Ferrocarril Ponferrada Reino Unido: National Railway Museum Alemanha: Eisenbahnmuseum Neustadt Visite o nosso site Toda vez que prestar serviço nas áreas de engenharia, arquitetura ou agronomia e, portanto, preencher a ART Anotação de Responsabilidade Técnica, não deixe de indicar a AENFER, cujo NÚMERO é 11. Desta forma você contribuirá com nossa Associação.

3 3 Mulheres: 156 anos de conquistas Desde 08 de março de 1857 que as mul h e r e s americanas iniciaram um movim e n t o classista com vistas a conseguirem, não só uma série de direitos antes exclusivos do sexo masculino, mas também obter uma posição de respeito na sociedade. Nesta data, operárias fizeram uma grande greve numa fábrica reivindicando melhores condições de trabalho, tais como redução de carga horária, equiparação de salários com os homens e tratamento digno no ambiente de trabalho. A manifestação foi reprimida com tamanha violência que causou a morte de mais de cem tecelãs carbonizadas, por terem sido trancadas na fábrica, que por sua vez foi incendiada. Apesar deste ato totalmente desumano, somente 50 anos depois, numa conferência na Dinamarca, ficou decidido que o dia 08 de março passaria a ser o Dia Internacional da Mulher, em homenagem às mulheres que morreram. No entanto, esta data foi oficializada pela Organização das Nações Unidas-ONU, somente em 1975, ou seja, após 65 anos. Ao se criar esta data, não se preten- Palavra da Diretora dia apenas comemorar. Na maioria dos países realizam-se eventos com o objetivo de discutir o papel da mulher, num esforço para tentar diminuir e, quem sabe um dia, terminar com o preconceito, a violência e a desvalorização da mulher na sociedade. No Brasil podemos considerar que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. No entanto, a primeira mulher presidente do país, Dilma Roussef, tomou posse quase 80 anos depois. A participação feminina na engenharia, área tida como terreno dos homens, tem aumentado nos últimos anos. Dados do Instituto Nacional de Estudos de Pesquisas (Inep), de 1991, apontavam que elas representavam 17% do número de matrículas na graduação em engenharias; em 2000 passaram a 19% e em 2008, 21%. Hoje são quase 30% do total. No mercado de trabalho há uma evolução, sobretudo dos anos 2000 para cá. Mesmo assim no exercício de profissão, a presença masculina é majoritária. Na ferrovia tivemos algumas mulheres pioneiras que ingressaram na Estrada de Ferro Central do Brasil, na década de 40. Em suas trajetórias profissionais, deixaram sua marca e abriram o caminho para a participação feminina. Podemos citar a engenheira JOANA DÊ DEUS FRAGA CARVALHO. A engenheira Joana formou-se em Engenharia Civil, em 1944, quando passou a integrar o quadro de Engenheiros da EFCB, tendo sido a 1ª Engenheira mulher a trabalhar efetivamente na ferrovia. Na década de 60, chefiou a Oficina de Vagões de Engenho de Dentro, antiga Locomoção. Na década de 70 assumiu a chefia do Setor de Inquérito e Pesquisas da 8ª Divisão (RJ), sendo responsável, principalmente, pelas apurações dos acidentes ferroviários, aposentando-se após 50 anos de serviços prestados à ferrovia. Destacamos, também, que duas mulheres se engajaram no movimento da classe de engenheiros, ao ingressarem na Associação de Engenheiros da Estrada de Ferro Central do Brasil: em 12/03/45 a engenheira Joana dê Deus e, em 09/07/48, a engenheira Clara Mac Cord Simões de Faria. Seguindo seus passos, muitas outras engenheiras vieram a se destacar em cargos de gerência, superintendência e até da alta direção da Rede Ferroviária Federal S.A., cuja primeira ocupante foi a engª Carmem Friedman Sirotsky. Na AENFER, sucessora da AEEFCB, AEAG e AECBTU, as mulheres se destacaram nos Conselhos Deliberativo e Fiscal, na Diretoria e na Presidência. Entretanto, sua primeira presidente mulher veio a galgar esta posição, num universo predominantemente masculino, após 76 anos. Trata-se da engenheira Clarice Maria de Aquino Soraggi. Todas essas notáveis mulheres são motivo de orgulho para as ferroviárias. Até agora muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história. Vice-presidente da AENFER Isabel Cristina Junqueira de Andréa opinião A Ferrovia é uma cachaça Estamos nos aproximando dos quarenta e cinco minutos do segundo tempo, nesta gestão. Missão cumprida? Acho que não. Há muito, há muito a ser feito (será que Machado me autorizaria?). Quero dizer que há muito tempo que há muita coisa a ser feita. Trabalhamos para preservar a nossa identidade. Gostaria de partilhar com os colegas alguns pensamentos que me ocorrem quando falo de ferrovias. O férreo modelismo, por exemplo, tem encantado gerações mundo afora. Conheço aficionados com os quais tenho muito cuidado ao conversar. Falam de ramais, locomotivas, vagões, carros de passageiros, composições, com uma facilidade, um conhecimento que às vezes supera o meu e isso me encanta. Tenho cuidado não pela vaidade de não revelar falta de conhecimento, mas para não decepcionar alguém que espera muito de mim. A ferrovia é realmente apaixonante. Entre nós, que trabalhamos mais de trinta anos, ela frequentemente compõe o tema central das conversas. Às vezes brincamos que fazemos hora extra ao falar de ferrovia nos momentos de lazer. Nos aposentados, aqueles bem antigos mesmo, notamos a paixão nas discussões acaloradas. Não bebo e não recomendo a ninguém, mas há o termo que se refere à cachaça quando se deseja exprimir um gosto, um prazer em se fazer alguma coisa. Nos meus primeiros passos sobre os dormentes, chutando pedra, ouvia isso dos mais velhos e achava exagero. Agora, aos quarenta e cinco do segundo tempo, na minha carreira, vejo que eles têm razão. Gosto do barulho das rodas nas juntas, aquela batida compassada, o apito. Moro perto da linha do trem e posso ouvi-lo já no final da madrugada, antes do Sol nascer. É gostoso acordar ouvindo o barulho do trem. Como dizem: A ferrovia é uma cachaça! Diretor Administrativo Luiz Euler Carvalho de Mello

4 4 Teleférico do Morro da Providência está quase pronto Falta pouco para a população do Rio de Janeiro ganhar mais um teleférico, desta vez no Morro da Providência, a mais antiga favela da cidade. O primeiro teste com funcionamento da primeira gôndola do teleférico aconteceu em dezembro do ano passado. O objetivo do teleférico, construído pelo Programa Morar Carioca da Secretaria Municipal de Habitação do Rio é melhorar a acessibilidade dos moradores daquele morro. O equipamento contará com três estações interligando a Providência (Praça Américo Brum) com a Central do Brasil e a Cidade do Samba, 16 gôndolas e capacidade para transportar mil pessoas por hora. O tempo do percurso da Providência até a Cidade do Samba será de seis minutos, incluído o tempo de parada. Para a implantação do teleférico a Prefeitura destinou R$ 75 milhões em ações que abrangem a construção das estações, montagem das torres, remanejamento da rede de energia e construção de vias de serviços que dão acesso ao equipamento. As gôndolas do teleférico são feitas de acrílico e alumínio e possuem assentos de madeira. As cabines têm capacidade para oito passageiros sentados e dois em pé e percorrerão uma extensão de 721 metros. Toda a tecnologia é da empresa alemã Doppelmayr, responsável pela manutenção dos bondinhos do Pão de Açúcar. O secretário de Habitação Pierre Batista deu mais informações à AENFER sobre o teleférico do Morro da Providência. dezembro, considerado o período onde houve pico de atividade. 2- Qual vai ser o preço da passagem? A definição da tarifa e da empresa que vai assumir a operação do teleférico é de responsabilidade da Cdurp (Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do porto do Rio de Janeiro). Mas o prefeito Eduardo Paes já garantiu que os moradores do Morro da Providência terão direito a viagens de ida e volta gratuitas diariamente. Aurelino Gonçalves Teste do teleférico descendo à Estação Central do Brasil Janeiro e o teleférico foi pensado para melhorar a vida das pessoas que vivem lá. Mas é inegável que o meio de transporte se transformará numa atração para toda a cidade, já que fará a ligação da Central do Brasil com uma área histórica importantíssima e com a Cidade do Samba. O fluxo de visitantes de outras partes da cidade e de turistas vai movimentar a economia local e certamente trará benefícios para o comércio e para a comunidade do morro. Aurelino Gonçalves 1- Quantos trabalhadores estão Foto: Fábio Costa envolvidos com o projeto? A obra do teleférico, hoje, conta com 400 trabalhadores, mas esse número já chegou a 750 no mês de 3-Quando que o teleférico será entregue à população? O teleférico fica pronto até o final de abril e a data de inauguração será anunciada em breve. 4- O senhor acredita que será mais um ponto turístico que o Rio de Janeiro vai ganhar? O Morro da Providência é uma das comunidades mais íngremes do Rio de Teleférico em teste rumo Cidade do Samba

5 Museu do Trem é reaberto no Rio de Janeiro Entidades ferroviárias compareceram à reabertura 5 Depois de sete anos de espera, finalmente o Museu do Trem reabriu suas portas para o público, que esperava ansioso por esse momento. Localizado no bairro Engenho de Dentro, zona norte do Rio de Janeiro o museu, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2011, foi reaberto dia dois de abril. O historiador e responsável pelo museu Bartolomeu d'el-rei Pinto ressaltou que embora o museu não tenha passado por uma reforma, alguns ajustes foram necessários e realizados como a troca de todas as luminárias, limpeza do local e revisão da parte elétrica. Segundo ele, toda a área contava com uma equipe de limpeza, jardinagem e vigilância, o que facilitou o trabalho de reabertura. Bartolomeu acredita que o museu ficou muito tempo fechado A Baroneza, primeira locomotiva a vapor Carro Imperial Fotos do interior dos carros nobres por conta da localização que não oferece um grande atrativo. - É uma região que perdeu 90% de sua área física, porém, inadmissível que o museu se mantivesse fechado por mais tempo disse Bartolomeu. A proposta do historiador que está à frente do museu desde o dia 9 de julho de 2012 é reverter a imagem negativa do museu durante esse tempo em que ficou fechado e atrair muitos visitantes e turistas que visitam a nossa cidade. Inicialmente o local ficará aberto para visitação de terça à sexta-feira das 10 horas às 15 horas, mas a ideia é que até agosto possa ser também visitado aos finais de semana e feriados. Para isso será necessário um respaldo jurídico. O Museu do Trem tem um vasto acervo, conta todo o início da indústria ferroviária brasileira e sua grande atração é a Baroneza, primeira locomotiva a vapor no Brasil e que circulou pela primeira vez, em 30 de abril de 1854, com a presença da Comitiva Imperial, quando foi inaugurada a Estrada de Ferro de Petrópolis. A locomotiva leva esse nome em homenagem à esposa do Barão de Mauá. Além da Baroneza, o visitante poderá conhecer o carro que era utilizado pelo imperador do Brasil, outro usado pelo que serviu ao rei Alberto da Bélgica na década de 20 e o carro do Estado, mais conhecido como carro do presidente Getúlio Vargas, usado em viagens oficiais, bem como utensílios, mobiliário no interior dos trens, equipamentos, maquetes de locomotivas e réplicas feitas pelos alunos da primeira escola de ensino profissionalizante da República a Escola Silva Freire, conhecendo também a história da ferrovia brasileira. A reabertura do museu contou com diversos visitantes e pessoas ligadas à ferrovia. O diretor do Trem do Corcovado Sávio Neves estava presente ao evento e disse que reformará a primeira locomotiva elétrica do Brasil e a doará para o Museu do Trem. - Creio que seja uma boa medida para colaborar com o Museu do Trem avaliou Sávio Neves. Estiveram presentes os diretores da AENFER Carlo De Luca (Produtos e Serviços) e Rubem Ladeira (Cultural e de Preservação Ferroviária), o inventariante da extinta RFFSA coronel Carlos Alberto Borges Teixeira, o responsável da área de Bens Históricos da extinta RFFSA Luiz Carlos Fares Auar, representantes de entidades ferroviárias e diversos estudantes. Vale lembrar que a visitação pública será de terça a sexta-feira, das 10h às 15h, com entrada franca. As escolas poderão agendar visitas guiadas pelo telefone (21) , também disponível para informações em geral. O Museu do Trem fica na Rua Arquias Cordeiro, 1.046, no Engenho de Dentro, zona norte do Rio. Fotos: De Lucca Júnior Locomotiva Dragona

6 6 ACIDENTES NOS TRANSPORTES: s Vemos na imprensa com frequência a sequência de acidentes nas vias urbanas e nas estradas. Tais notícias acabam virando rotina e já não mais nos sensibilizam, apesar de elevar o número de mortos, feridos e os prejuízos materiais tanto para os cidadãos como para as empresas. Podemos nos perguntar: serão inevitáveis? Este é o preço do progresso? Não nos conforma responder afirmativamente a tais questões. Se fizermos comparação do nosso país com países desenvolvidos veremos que lá o número de acidentes é bem menor. Fruto principalmente da preocupação e do empenho com a segurança de veículos e tráfego. Nossos veículos rodoviários hoje são mais seguros porém os motoristas não seguem a mesma linha. Nossas estradas, por seu lado, só deixam a desejar. Mesmo as estradas pedagiadas, em que se investem maiores recursos para a segurança, rotineiramente são cenário de graves acidentes. Nossa legislação de trânsito até que é adequada porém pouco colocada em prática. Acidentes com caminhões repetidamente são causados por motoristas cansados, dopados e estressados. Até mesmo os de ônibus interestaduais. Já na ferrovia as causas dos acidentes como regra geral são resultados de variáveis ligadas a equipamentos dos trens, à via permanente e à operação do tráfego. Neste ramo, contudo, os acidentes ocorrem em menor escala. Só para comparar, no transporte urbano de passageiros do Rio de Janeiro, quando um trem do metrô ou da SuperVia para ao longo do trecho, quando uma viagem é simplesmente interrompida, os ecos das reclamações são imediatos e logo vão parar na TV e jornais. Enquanto isso acidentes com ônibus já nem causam escândalo, mesmo havendo mortos e feridos. ACIDENTES DE TRÂNSITO NAS RODOVIAS FEDERAIS BRASIL ( ) Ano Acidentes Ano Acidentes Ano Acidentes comparação entre os dados provenientes do DPVAT e DATASUS. Custos Recentemente a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN) divulgou em um levantamento que os custos dos acidentes nas 3 principais rodovias que servem ao nosso Estado custarão R$ 2,6 bilhões nos próximos anos a Isto decorre da falta de investimentos nas estradas que precisariam subir 76% no mesmo período. Pior ainda; o número de mortes vai praticamente dobrar. Temos um quadro de perdas humanas e econômicas para o nosso Estado difícil de ser aceito. Estes números se referem apenas à Via Dutra, à serra de Petrópolis e à Ponte Rio-Niterói. Segundo o estudo ocorreram em 2012 uma média de 6 acidentes por dia nesses trechos e 2182 no ano. Daqui a oito anos serão 3850 acidentes ou 10,5 por dia se não houver melhorias profundas. Apesar de obras prioritárias nestas estradas tanto o governo federal como as concessionárias ainda não mostram disposição e atitudes para enfrentar o problema (O Globo, 15/1/2013). Transporte rodoviário No Brasil temos centenas de rodovias, sob a gestão de diversos entes: governos federal, estadual e municipal. Sem falar das vias urbanas. Nestas vias se movimentam veículos automotores, pedestres, motos, bicicletas e outros veículos. De modo geral a preocupação com os acidentes se concentram nas vias de maior capacidade bem como seus registros. Muitos acidentes acabam ficando inteiramente fora de todas as estatísticas e notificações. Em 2011, num total de km de estradas federais ocorreram acidentes, com mortos e feridos. A tabela seguinte mostra a evolução de acidentes nestas rodovias no período de 1952 a O número de acidentes com gravidade resultando em mortes vem evoluindo gradativamente. O gráfico mostra a Fonte: Associação Brasileira de Prevenção de Acidentes de Trânsito Nos dias de hoje temos no Brasil muitas concessões rodoviárias, sendo a maioria resultante de leilões de redes anteriormente vinculadas ao Governo Federal. Por ocasião dos leilões muitas delas demandavam investimentos em manutenção, segurança, sinalização e mesmo em duplicação das vias. Nem sempre as concessionárias atuam a contento nestes quesitos previstos nos respectivos contratos. Rodovias com pedágios Em números brutos tivemos o seguinte quadro no período : Concessionária ACIDENTES RODOVIÁRIOS 2009/2010 Extensão (km) Total Sem vítimas Acidentes/ Variação Extensão 2010/ Fernão Dias, SP 562, % 16,271 AutoPista Fluminense, RJ 320, % 12,331 AutoPista Litoral Sul, PR,SC 382, % 25,946 AutoPista Planalto Sul, PR,SC 412, % 5,549 AutoPista Regis Bittencourt, SP,PR 401, % 16,626 CONCEPA, RS % 15,851 CONCER, RJ, MG 180, % 20,610 CRT, RJ, MG 142, % 33,130 ECOSUL, RS 623, % 1,512 NOVA DUTRA % 27,313 PONTE S.A. 23, % 43,691 Rodovia do Aço, MG, RJ 200, % 5,090 Transbrasiliana, MG, SP 321, % 3,184 Via Bahia, BA 680, % 4,414 Total Sem vítimas

7 7 erão inevitáveis? Impactos Econômicos Não é fácil apurar os custos com os acidentes nos transportes. As estatísticas são escassas, falhas e de difícil acessibilidade. Já em 2005 o Instituto de Pesquisas Rodoviárias (IPR) de São Paulo apontava um alto custo econômico dos acidentes a nível nacional, com os seguintes resultados relativos ao ano anterior. Neste trabalho foram considerados vários tipos de custos, a saber: Congestionamentos, Danos a Veículos, Custo Operacional de Elementos do Sistema de Atendimento, Seguros, Danos ao Ano 2004 Número Custo médio Custo total (R$) (milhões R$) Acidente com morto(s) Acidente com ferido(s) Acidente sem vítima Total Patrimônio, Funerais, Custos Médico-Hospitalares, Custos Subjetivos de Pesar, Dor e Sofrimento e Custos Administrativos de Processos Judiciais. Com base em estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - Ipea, o Ministério da Saúde informava que, em 2006, o impacto econômico dos acidentes de trânsito foi de R$ 24,6 bilhões. Os custos oneram toda a sociedade, que sustenta, com o pagamento de impostos e contribuições, o sistema de saúde pública, responsável por grande parte do socorro às vítimas de acidentes e da poluição atmosférica provocada pelos carros. Transporte ferroviário Também sob o ponto-de-vista de redução de acidentes a ferrovia, sem dúvida, demonstra sua vocação para o aumento da mobilidade garantindo segurança. Tanto acidentes com a carga transportada como com passageiros são em número bem menor que no modal rodoviário. Além disso a ferrovia, desde os tempos imemoriais, atuou com bastante segurança. Basta lembrar os inúmeros trechos de linha singela nos quais os acidentes resultantes de choques entre trens sempre foram quase zero. Hoje, na tecnologia metroferroviária, os trens podem inclusive ser movimentados sem a presença do condutor, sem que isto implique em falta de segurança. Se atualmente nosso transporte ferroviário de cargas apresenta uma velocidade média baixa é devido, entre outros fatores, à preocupação com a segurança que impede de optar por velocidades maiores. Acidentes com carga na malha concedida Conforme anuário da ANTT tivemos em 2010 um total de acidentes, envolvendo nesse número tanto os de maior como o de menor gravidade. A tabela a seguir dá uma relação dos acidentes por concessionária e também comparando-os à extensão de cada ferrovia e à produção da carga transportada. Nela podemos tirar algumas conclusões: a) O número de acidentes ferroviários é menor que no modo rodoviário. b) Os acidentes ocorrem em maior número nas malhas em pior estado de conservação. A FNS, por ser mais nova, é a que apresenta um número quase insignificante. c) Havendo investimentos em segurança a redução de acidentes é praticamente assegurada. Em relação aos custos destes acidentes no entanto não temos referenciais, infelizmente. Nem as concessionárias nem os órgãos competentes no nível federal os disponibilizam. Vemos aqui mais uma deficiência em nosso país em relação à preocu Concessionária ACIDENTES FERROVIÁRIOS 2010 Total acidentes Carga Transportada TKU 10 3 Extensão (Km) Relações Acidentes/ Extensão Acidentes TKU ALLMS ,033 0,014 FERRONORTE ,004 0,005 FTC ,012 0,011 ALLMN ,058 0,003 ALLMP ,069 0,016 ALLMO ,037 0,036 FCA ,029 0,021 TNL* ,054 0,312 EFVM ,050 0,003 MRS ,051 0,001 FNS ,006 0,003 EFC ,038 0,011 pação com os acidentes, de modo geral. Se não os conhecemos em sua integridade fica ainda mais difícil atuar com eficiência no sentido de sua substancial redução. As concessões ajudaram na redução de 76,7% do índice de acidentes a cada milhão de quilômetros percorridos, caindo de uma média de 75,5 casos, em 1997, para 16,1, em 2010, segundo a Confederação Nacional dos Transportes. Transporte ferroviário urbano e metroferroviário Embora ocorram acidentes neste tipo de transporte as ocorrências são em número bem menor e, de modo geral, os prejuízos são de ordem material, às vezes com alguns passageiros levemente feridos. Confrontando com o modal rodoviário, aqui o transporte urbano de passageiros provoca com frequência um número de acidentes muito elevado, assim como um grande número de vítimas graves. E tais acidentes acabam nem figurando nos principais jornais de nossas cidades. Comparando os dois modais Os números de acidentes aqui apresentados são relevantes e preocupantes principalmente no que se refere ao modo rodoviário. É certo que neste caso um número maior de veículos, de cargas e de pessoas estão envolvidos, o que aumenta a possibilidade de sinistros. Neste segmento também é maior a dificuldade de gestão da segurança em vista do maior número de agentes envolvidos (motoristas, passageiros, controladores de trânsito, pedestres), veículos (grandes e pequenos) e vias. A ferrovia desde o começo de sua história sempre se pautou pelo investimento maior em segurança. Isto também contribui significativamente para o alto custo de sua implantação e manutenção. Mas se no Brasil de hoje pudéssemos quantificar com precisão o custo dos acidentes certamente haveria maior inclinação pela opção sobre trilhos. Serão os acidentes inevitáveis? Em nossa opinião acidentes nos transportes não ocorrem casualmente. Eles são o resultado de um bom número de variáveis, algumas físicas, algumas humanas, algumas de ordem administrativa. De modo geral ninguém aprova tais acidentes ou, muito menos, quer se tornar mais uma vítima deles. Por que, no entanto, tão pouca atenção tem recebido? Por que não se prioriza o modo ferroviário que sabidamente é o mais seguro? Sonhamos com uma mudança neste quadro nos próximos anos.

8 8 diretoria em foco AENFER completa 21 anos Conheça a história No dia 26 de março de 1992 reuniram-se em Assembleia, no Clube de Engenharia RJ, 145 membros das Associações de Engenheiros da Estrada de Ferro Central do Brasil (AECB), da Administração Geral da Rede Ferroviária Federal S.A. (AEAG) e da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (AECBTU), com a finalidade de criar uma única associação de engenheiros ferroviários, no Rio de Janeiro, nascendo assim a AENFER. Esta nova entidade ficou fortalecida pela absorção dos quadros sociais oriundos das associações que a formaram e, desde o início, teve como objetivos, dentre outros, a defesa da ferrovia, promovendo a preservação da memória ferroviária e reivindicando do governo um melhor planejamento do sistema ferroviário, o incentivo ao desenvolvimento técnico e cultural de seus associados, bem como pugnar pelos seus interesses. Naquela Assembleia foram eleitos para um mandato tampão de 26/03/92 a 22/09/92 a diretoria presidida pelo engenheiro Paulo Cesar Nayfield Granja. Esta diretoria teve como atribuição fundamental a elaboração do primeiro estatuto da entidade e a preparação da eleição da primeira diretoria, cujo presidente foi o engenheiro Luiz Carlos Martins Lino da Silva (1992/1994). Consecutivamente foram presidentes os engenheiros Rubem Eduardo Ladeira (1994/1996), Clarice Maria de Aquino Soraggi (1996/1998), José Ferreira David (1998/2000), Agostinho Coelho Silva (2000/2002), Isabel Cristina Junqueira de Andréa (2002/2004), Clarice Maria de Aquino Soraggi (2004/2007) e (2007/2010) e, por último, Luiz Lourenço de Oliveira (2010/2013), ainda em exercício do mandato. Durante alguns anos a AENFER possuiu alguns núcleos administrativos, a saber: CBTU-AC, Deodoro e Triagem, na cidade do Rio de Janeiro e Belo Horizonte e Juiz de Fora, em Minas Gerais, os quais, em consequência dos processos de estadualização e desestatização da RFFSA e suas subsidiárias, tornaram inviável sua sobrevivência. Dentre as principais realizações no período podemos citar: Acompanhamento de processos referentes à ações propostas em nome de associados, bem como gestões políticas e administrativas referentes a pleitos dos ferroviários; Participação decisiva na criação da Lei de 28 de junho de 2002, que trata da complementação da aposentadoria dos ferroviários; Alteração estatutária que abriu espaço para a participação de associados especiais em algumas diretorias e nos Conselhos Deliberativo e Fiscal; Manutenção de convênio com diversas empresas que oferecem benefícios aos associados e seus dependentes Realização e participação em atividades culturais, tais como exposições, lançamento de livros e selos, comemorações alusivas a datas históricas para a ferrovia, realização de eventos sociais e excursões; Desenvolvimento de acervo com depoimentos históricos de ferroviários, visando a preservação da memória ferroviária; Criação do Espaço Cultural e da Biblioteca no 7º andar do edifício sede da Associação; Realização de seminários, encontros e palestras técnicas e formação de grupos de estudos sobre as questões de interesse dos ferroviários; Regularização do patrimônio da Aenfer; Muito se deve agradecer aos associados, razão de ser da AENFER, diretores e conselheiros que durante todos esses anos prestaram um trabalho voluntário em prol da classe, aos seus dedicados funcionários e desejar que a Associação se fortaleça cada dia mais, para continuar a ser um dos pilares da defesa da ferrovia e dos ferroviários, num ambiente de confraternização entre todos aqueles que amam a ferrovia. Viva a maioridade da AENFER! Aos sinuqueiros de plantão A AENFER tem uma boa notícia, contratou os serviços de uma empresa renomada, experiente no mercado para a realização da reforma completa da mesa de sinuca do salão José Bittencourt Percini. Os profissionais José Eduardo da Costa e José Roberto Nogueira deram um tratamento especial nivelando a pedra e adequando a caçapa ao gabarito oficial. Segundo o responsável pela reforma, Cláudio Elias, a nova forração da pedra da mesa é do mesmo tecido usado nas mesas dos campeonatos oficiais da Inglaterra. Com ele o associado terá maior precisão nas suas tacadas, com um rolar de bola muito mais suave. Os primeiros a testar a reforma foram os associados Aldo Paschoal e Carlos Van, responsáveis pela solicitação da reforma. Amantes dessa modalidade de jogo, eles gostaram e aprovaram o resultado. Foi um trabalho minucioso com finalização perfeita. A ideia agora é promover um campeonato de sinuca entre os associados. O objetivo da AENFER é proporcionar um melhor atendimento com excelente qualidade e espaço adequado.

9 9 AFL apresenta nova Diretoria Membros da Academia Ferroviária de Letras AFL estiveram reunidos no dia 11 de março no auditório da AENFER em sua primeira reunião deste ano. O presidente da AFL Sávio Neves esteve presente e presidiu a reunião com o secretário Antônio Pastori. Na ocasião Sávio Neves fez uma breve retrospectiva dos fatos mais recentes, destacando que as atividades da AFL ficaram interrompidas em virtude do falecimento precoce de dois grandes nomes, o diretor Cultural, professor Victor José Ferreira, em 25/10/2012 e o conselheiro Fiscal Américo Maia de Vasconcellos Neto, em 29/01/2013. Ele apresentou os novos eleitos pela totalidade dos presentes para compor a nova diretoria da AFL: presidente Sávio Neves Filho; vice-presidente Renê Fernandes Schoppa; Secretária Sandra Regina Lopes; diretor Financeiro Helio Suêvo Rodriguez e diretor Cultural João Bosco Setti. Para o novo Conselho Fiscal foram eleitos como membros titulares da AFL: Antonio Carlos Dias Pastori, Waldo Sette Albuquerque e Aluizio Rezende; Membros Suplentes: Jorge Moura e Genésio Pereira dos Santos. Sávio Neves manifestou a necessidade de a AFL retomar as atividades sempre na segunda segunda-feira de cada mês. O presidente propôs uma homenagem ao dia do ferroviário pelos Acadêmicos Helio Suêvo e Antonio Pastori, para que apresentem uma palestra sobre a primeira ferrovia do Brasil, a E. F. Mauá, falando do seu passado, presente e futuro. Lançamento de livros O dia foi também marcado pelo lançamento de dois livros: Volta Grande Estação Primeira, de autoria do professor Victor José Ferreira. O lançamento Foto: Marlene Fonseca Membros da AFL e convidados que participaram do evento contou com a presença de sua esposa, a viúva Celi que participou muito emocionada com a manifestação de carinho de todos. O livro resgata histórias da infância do autor quando morava em Volta Grande-MG cuja estação de trem leva o mesmo nome. O segundo lançamento foi do acadêmico Aluizio Rezende com o livro Espasmos e Espumas. Este é o seu sétimo livro de crônicas e pensamentos que conta com o prefácio do saudoso professor Victor.

10 10 Presidente da AENFER é homenageado Engenheiro Luiz Lourenço recebe Medalha do Mérito Geográfico A Sociedade Brasileira de Geografia comemorou no dia 26 de março 130 de sua fundação. Em celebração à data a entidade prestou homenagem com a Medalha de Mérito Geográfico. O presidente da AENFER engenheiro Luiz Lourenço de Oliveira foi homenageado e agradeceu ao presidente da Sociedade de Geografia William Paulo Maciel pela oportunidade de estar ao lado de pessoas importantes que compõem aquela casa. William Maciel disse que se Paulo de Frontin estivesse vivo ficaria muito feliz em ver reunidos diplomatas, geólogos, professores e engenheiros em um único espaço. Durante a programação na sessão magna foram empossados o vicepresidente Benedicto Humberto R. Francisco, renovação do terço do Conselho Diretor e presidentes de Comissão da Sociedade Brasileira de Geografia. Além do engenheiro Luiz Lourenço, também foram homenageados com a Da dir. p/ esquerda: pres. do CREA-RJ Agostinho Guerreiro, pres. da Soc. de Geog. William Paulo Maciel, vice-pres.da Soc. de Geog. Cybelle M. de Ipanema e pres. da Aenfer Luiz Lourenço Medalha o embaixador Alberto da Costa e Silva, a professora e geógrafa Ana Lúcia Azevedo, o presidente do Clube de Engenharia Francis Bogossian e o presidente do CREA-RJ Agostinho Guerreiro. pela imprensa Acidente Rodoviário De um lado, motoristas estressados e, frequentemente, sem treinamento adequado. Do outro lado, uma legião de passageiros submetida a viagens desconfortáveis, muitas vezes perigosas, e a horas de engarrafamento. Acrescente-se a isso a ineficiência da fiscalização no transporte público. O resultado dessa equação faz com que circular de ônibus no Rio seja um sofrimento diário, que, não raro, como aconteceu dia 2 de abril, termina em tragédia. Sete pessoas morreram e 11 ficaram feridas na queda de um coletivo da linha 328 (Bananal-Castelo) do alto do Viaduto Brigadeiro Trompowski, na pista lateral da Avenida Brasil, no acesso da Ilha do Governador para a via expressa. Segundo testemunhas ouvidas pela polícia, o motorista, discutia com um passageiro pouco antes da queda. O ônibus que despencou do viaduto estava com o licenciamento de vistoria do Detran vencido o último aconteceu em Não bastasse, o veículo (placa KYI 0973) acumula uma longa lista de infrações: recebeu, desde 2008, 46 multas, que somam R$ 4.443,59. Doze dessas penalidades foram relativas a avanço de sinal. E outras 14 por excesso de velocidade. Fonte: O Globo, 03/04/2013 Trem pode voltar a Itaguaí De olho no crescimento da Baixada Fluminense nos próximos 15 anos, o vicegovernador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão, anunciou sobre a extensão do ramal ferroviário de Santa Cruz até Itaguaí. O projeto de reativação da linha férrea do ramal Itaguaí, desativada desde a década de 1980, tem prazo até 2015 para ser concluído pela SuperVia. No entanto, a concessionária aguarda a atuação do Estado, para desapropriar centenas de imóveis que tomam a via férrea irregularmente. A partir de 2016, Itaguaí deve abrigar uma enorme base offshore da Petrobras. Fonte: O Dia, 23/03/2013 CBTU, a melhor A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) é a vencedora do Prêmio Revista Ferroviária de Melhor Operadora De Passageiros. A companhia foi escolhida após análise dos indicadores de produtividade de todos os seus sistemas, com base nos dados de 2011 e A CBTU foi criada a partir da junção de uma empresa de projetos ferroviários, a Empresa de Engenharia Ferroviária S.A. (Engefer), e da Diretoria de Transportes Metropolitanos DTM, da Rede Ferroviária Federal S.A. (RFFSA), responsável pela operação e manutenção do transporte de passageiros em todo o Brasil. A sede da companhia é no Rio de Janeiro e ela está ligada ao Ministério das Cidades. Fonte: Revista Ferroviária, 20/03/2013 Ferrovias reduzem número de acidentes O índice de acidentes nas ferrovias brasileiras a cada ano é menor, desde a desestatização da malha iniciada em Com o resultado de 2012, o índice de acidentes das ferrovias de cargas concessionadas chegou aos patamares dos níveis de referência internacional, que variam de 8 a 13 ocorrências por milhão de trens/km. De 2011 para 2012, a redução no número de acidentes envolvendo trens de carga foi de 14,2 para 12,96 acidentes por milhão de trens. km. O dado foi apresentado dia 3 de abril pelo presidente-executivo da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF), Rodrigo Vilaça, durante a divulgação do Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas ANTF de Fonte: ANTF, 04/04/2013

11 11 presidente da AENFER Luiz Lourenço de Oliveira se reuniu no dia 26 de março no Espaço Cultural Carlos Lange de Lima com representantes de diversas entidades que participaram do evento Café com o Presidente. Eles foram recebidos também pela vice-presidente Isa- Obel Cristina Junqueira de Andréa e pelos diretores Celso Paulo O "Café" contou com representantes de diversas entidades Convidados do Café com o Presidente e a conselheira da AENFER e presidente da FAEF Clarice Soraggi (Acompanhamento Judicial); Fernando Albuquerque (Divulgação) e João Carnevale (Financeiro). Estavam presentes o inventariante da extinta RFFSA coronel Carlos Alberto Borges Teixeira, o chefe de Gabinete da inventariança Flavio Rabello, assessor do inventariante João Gazineu, vice-presidente da Abifer Luiz Cesário, capitão Aurélio representando o general Rodrigo Balloussier Ratton do Instituto Militar de Engenharia, diretor de Operações da Supervia João Gouveia representando o presidente Carlos José Cunha, professor e historiador Milton Teixeira e o vice-presidente e o diretor da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Leopoldina AEEFL Jair José da Silva e Manoel Geraldo, respectivamente, e a conselheira da AENFER Clarice Soraggi. Numa feliz coincidência o Café foi marcado na mesma data em que a AENFER completou 21 anos de existência. Alguns convidados como o inventariante da RFFSA coronel Carlos Alberto, o capitão Aurélio e o historiador Milton Teixeira vieram pela primeira vez na Associação e agradeceram muito pelo convite numa data tão especial para a entidade que durante todos esses anos vem se preocupando com a ferrovia e com os ferroviários. O vice-presidente da Abifer Luiz Cesário achou importante o momento de confraternização e relembrou o tempo em que era estudante de engenharia. O diretor de Operações da Supervia João Gouveia aproveitou a oportunidade para convidar a todos a conhecerem o centro de controle da concessionária que, segundo ele, está totalmente modernizado. O presidente da AENFER Luiz Lourenço de Oliveira agradeceu a presença de todos e disse que as portas da entidade sempre estarão abertas para recebê-los. Abril Mês dos Ferroviários em Macaé Na mira, o Centro de Memória / Museu Ferroviário A Associação dos Ferroviários de Macaé completa neste mês de abril 34 anos de fundação e preparou várias atividades para celebrar a data e o mês do ferroviário, numa programação em conjunto com o Movimento Ferrovia, dentre elas a continuidade de ações para a conquista de espaço, a fim de ser implantado o Centro de Memória/ Museu Ferroviário de Macaé. Em levantamentos realizados foi identificado um imóvel pertencente à União, classificado como não operacional, ou seja, não fez parte da desestatização do patrimônio ferroviário, administrado pela Secretaria de Patrimônio - SPU e sob a guarda do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - Iphan, que serviu de residência à Via Permanente Ferroviária da antiga Leopoldina, localizado ao lado da Estação Ferroviária de Macaé. Pesquisas cartoriais, contatos com a administração municipal, reuniões no escritório regional do Iphan e captação de itens para acervo, são ações desenvolvidas já há algum tempo. No momento, está sendo elaborado um Plano de Ação que será apresentado à Fundação Macaé de Cultura para que a Administração Municipal, que já concordou com o pleito dos ferroviários, oficialize ao Iphan o interesse pelo imóvel, para utilização como espaço cultural. O Instituto, através do escritório regional sediado em São Pedro da Aldeia, vem dando total apoio ao pretendido pela Associação dos Ferroviários e pelo Movimento Ferrovia Viva. Em paralelo, continuam as atividades de garimpagem de itens que digam respeito à história ferroviária de Macaé e região. Quem tiver e puder colaborar, pode entrar em contato com a entidade pelo Alex Medeiros Coordenação Movimento Ferrovia Viva

12 12 AENFER promove festa dos aniversariantes A AENFER realizou nesta quinta-feira, 14 de março sua primeira festa do ano em comemoração aos aniversariantes dos meses de janeiro, fevereiro e março. A festa aconteceu no Espaço Cultural Carlos Lange de Lima, 7º andar e reuniu um grande número de associados que prestigiaram os aniversariantes. O tema da festa foi relacionado ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 08 de março e também à Páscoa, dia 31 de março. Na ocasião, o presidente Luiz Lourenço de Oliveira fez questão de homenagear as mulheres e leu um poema dedicado a todas elas. A diretora social Telma Regina agradeceu a presença de todos os associados que prestigiaram o evento, homenageou também todas as mulheres e destacou como mulher ferroviária, guerreira e perseverante a engenheira Clarice Soraggi, mulher que não foge à luta e a associada Maria de Oliveira pelos 10 anos de encontro do grupo de mulheres, uma iniciativa com o objetivo de mantê-las unidas. Telma lembrou ainda do aniversário da AENFER, a entidade completará 21 anos no dia 26 de março, após fusão da AECB com as duas entidades, Associações de Engenheiros da Administração Geral da Rede Ferroviária Federal - AEAG e da Companhia Brasileira de Trens Urbanos - AECBTU. A diretora disse que espera contar com todos os associados para dar continuidade a esta entidade que vem buscando através de suas atividades técnicas, fortalecer os rumos do modo ferroviário. Após o tradicional sorteio de brindes onde muitos associados foram contemplados com Momentos do Evento presentes oferecidos pela AENFER, os aniversariantes Cátia Cavalcanti, Luci Leite, Maria de Oliveira, Regina Gueylard, Fátima Magalhães, Maria José, Lídia Eugênio, Lisete Charret, João Carnevale, Fernando Albuquerque, Glória Albuquerque, Sandra Guio, Agostinho Coelho Silva e Delfina Castro sopraram as velinhas. Diretora Telma Regina e pres. Luiz Lourenço entregam brinde à Delfina Therezinha Guio recebendo brinde ao lado da diretora Telma Regina e do pres. Luiz Lourenço Conselheira Lisete Charret com a diretora Telma Vice-pres. Isabel com Armando Meton e Renê Schoppa Isabel, Heloísa, Clarice, Cátia, Lídia, Telma e Lisete Telma entrega brinde à Cátia Cavalcanti Os amigos Almir Gaspar, Luiz Lourenço, Celso Paulo, João Carnevale e Manoel Geraldo Pedro Paulo, Antônio Carlos e amigos Jair José, Carlos Van, Percini e Aldyr

MRS - MRS Logística S. A.

MRS - MRS Logística S. A. MRS - MRS Logística S. A. A MRS Logística S. A., vencedora do leilão de desestatização da Malha Sudeste da RFFSA em 20 de setembro de 1996, iniciou suas atividades no dia 1 de dezembro de 1996, constituída

Leia mais

Superintendência de Serviços de Transporte de Cargas SUCAR Gerência de Transporte Ferroviário de Cargas - GEFER EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

Superintendência de Serviços de Transporte de Cargas SUCAR Gerência de Transporte Ferroviário de Cargas - GEFER EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Superintendência de Serviços de Transporte de Cargas SUCAR Gerência de Transporte Ferroviário de Cargas - GEFER EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Brasília, agosto de 2012 Apresentação A Agência Nacional

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas SUFER Gerência de Regulação e Outorga de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Carga - GEROF EVOLUÇÃO

Leia mais

Histórico MISSÃO VALORES VISÃO INVESTIMENTOS

Histórico MISSÃO VALORES VISÃO INVESTIMENTOS Histórico A concessão do transporte ferroviário urbano de passageiros na Região Metropolitana do Rio de Janeiro foi levada a leilão pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro em de julho de 1998, e arrematada

Leia mais

Programa de Integração e Mobilidade Urbana da Região Metropolitana do Rio de Janeiro

Programa de Integração e Mobilidade Urbana da Região Metropolitana do Rio de Janeiro Programa de Integração e Mobilidade Urbana da Região Metropolitana do Rio de Janeiro Waldir Peres Superintendente Agência Metropolitana de Transportes Urbanos São Paulo Setembro de 2011 Plano Geral Rio

Leia mais

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013

BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013 BALANÇO DO SETOR METROFERROVIÁRIO 2012/2013 O setor se reúne para divulgar seus números, que refletem a importância dos trilhos para a mobilidade dos brasileiros Aumento de 8% no número de passageiros

Leia mais

Prefeitura anuncia plano de escavação dos túneis da Via Binário do Porto

Prefeitura anuncia plano de escavação dos túneis da Via Binário do Porto Prefeitura anuncia plano de escavação dos túneis da Via Binário do Porto A Prefeitura, por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), da CET-Rio e da Concessionária

Leia mais

DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN

DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN DISCURSO DE FRANCIS BOGOSSIAN na solenidade de posse do Conselho Consultivo e do presidente executivo da AEERJ Dia 28 de julho de 2014 Centro de Convenções da Firjan Minhas Senhoras e Meus Senhores, Gostaria

Leia mais

RIO DE JANEIRO INFRA-ESTRUTURA METRO-FERROVIÁRIA EM 2016

RIO DE JANEIRO INFRA-ESTRUTURA METRO-FERROVIÁRIA EM 2016 RIO DE JANEIRO INFRA-ESTRUTURA METRO-FERROVIÁRIA EM 2016 SÃO PAULO, 06/05/13 20 municípios SECRETARIA A REGIÃO METROPOLITANA DO RJ 11,28 milhões de habitantes (11,90 milhões em 2008) 75% do Estado 19 milhões

Leia mais

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Mais de 100 mil km percorridos Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Estudo da CNT mostra que 57,3% têm alguma deficiência no estado geral; 86,5% dos trechos são de pista simples e

Leia mais

Caio Luiz de Carvalho Presidente

Caio Luiz de Carvalho Presidente Caio Luiz de Carvalho Presidente Os desafios do Brasil Deixar de ser espectador e se tornar ator do processo. Todos os brasileiros. Profissionais ou espectadores, envolvidos diretamente ou não. Muitas

Leia mais

Transporte público no Rio de Janeiro: encontrando soluções para uma mobilidade sustentável.

Transporte público no Rio de Janeiro: encontrando soluções para uma mobilidade sustentável. Transporte público no Rio de Janeiro: encontrando soluções para uma mobilidade sustentável. Richele Cabral 1 ; Eunice Horácio S. B. Teixeira 1 ; Milena S. Borges 1 ; Miguel Ângelo A. F. de Paula 1 ; Pedro

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE FERROVIÁRIO OUTUBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS O transporte ferroviário responde por 20,7% do transporte de cargas no Brasil e por 0,5% do transporte

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS ESPELHO DE 001 - Construção do Contorno Ferroviário de Curitiba AUTOR DA Luciano Ducci 37050001 539 0141 - Promover a expansão da malha ferroviária federal

Leia mais

1. Acidentes de trânsito: estatísticas

1. Acidentes de trânsito: estatísticas 1. Acidentes de trânsito: estatísticas Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental Mais de 50.000 mortos por ano e de 500.000 feridos. Este é o resultado da violência do trânsito

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES CAPA

RELATÓRIO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES CAPA RELATÓRIO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES CAPA Objeto da avaliação: Acidente com bonde de Santa Teresa Interessado: Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de

Leia mais

Prefeitura interdita Av. Rodrigues Alves para remoção de trecho da Perimetral a partir do dia 26 de julho

Prefeitura interdita Av. Rodrigues Alves para remoção de trecho da Perimetral a partir do dia 26 de julho Prefeitura interdita Av. Rodrigues Alves para remoção de trecho da Perimetral a partir do dia 26 de julho A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), da Companhia de Engenharia

Leia mais

Yes, Zaqueu Proença. Sonho de

Yes, Zaqueu Proença. Sonho de Yes, Zaqueu Proença Sonho de consumo 92 nós temos ciclovias nelson toledo Aos poucos, as bikes começam a ganhar um espaço nas políticas de trânsito de diversas cidades brasileiras. Saiba onde você pode

Leia mais

RJ 15/04/2014 Nº 1063 Ônibus elétrico começa a circular no Rio de Janeiro

RJ 15/04/2014 Nº 1063 Ônibus elétrico começa a circular no Rio de Janeiro RJ 15/04/2014 Nº 1063 Ônibus elétrico começa a circular no Rio de Janeiro Veículo da Rodoviária A. Matias está em teste na linha 249 operacionais Ônibus elétrico começa a circular no Rio de Janeiro A Fetranspor

Leia mais

EDIÇÃO Nº 11 / NOVEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 12 / DEZEMBRO DE 2012

EDIÇÃO Nº 11 / NOVEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 12 / DEZEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 11 / NOVEMBRO DE 2012 EDIÇÃO Nº 12 / DEZEMBRO DE 2012 SIPAT 2014 Rio Lopes realizou a 7ª SIPAT De 21 à 25 de julho de 2014 A Rio Lopes Transportes realizou a 7ª edição SIPAT - Semana Interna

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL Rodrigo Vilaça Presidente-Executivo da ANTF Rio de Janeiro, 23 de Agosto de 2013. Malhas Sul, Oeste, Norte e Paulista www.all-logistica.com Ferrovia Norte Sul

Leia mais

experiência OS PRODUTOS E SOLUÇÕES DESENVOLVIDOS PELA FUTURA SEGUEM 4 ETAPAS: Inventário de dados e informações Diagnóstico e cenários prospectivos a Análise e avaliação participativa Diagnosticar 4

Leia mais

RS - Uma viagem de trem ao passado de Cachoeira

RS - Uma viagem de trem ao passado de Cachoeira RS - Uma viagem de trem ao passado de Cachoeira Exposição de Renate Aguiar e Claiton Nazar relembra os tempos em que o trem passava no centro da cidade. Claiton Nazar e Renate Aguiar com os painéis fotográficos

Leia mais

Prefeitura interdita Av. Rodrigues Alves para remoção de trecho da Perimetral a partir do dia 26 de julho

Prefeitura interdita Av. Rodrigues Alves para remoção de trecho da Perimetral a partir do dia 26 de julho Prefeitura interdita Av. Rodrigues Alves para remoção de trecho da Perimetral a partir do dia 26 de julho A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), da Companhia de Engenharia

Leia mais

TRANSCARIOCA: Trecho da Avenida Brasil está totalmente interditado até às 10h de quarta-feira (23/04)

TRANSCARIOCA: Trecho da Avenida Brasil está totalmente interditado até às 10h de quarta-feira (23/04) TRANSCARIOCA: Trecho da Avenida Brasil está totalmente interditado até às 10h de quarta-feira (23/04) Intervenção, em Ramos, foi necessária para a continuidade das obras do arco estaiado do Viaduto Pedro

Leia mais

Transporte. Passageiros. Fretamento. Concurso. Motorista.

Transporte. Passageiros. Fretamento. Concurso. Motorista. Concurso Motorista Padrão. Autora: Rosa Maria Júlio Landin SINFRECAR Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Por Fretamento de Campinas e Região Rua Dr. Silva Mendes, nº. 266 Vila Industrial

Leia mais

Pesquisa CNT de Ferrovias 2011

Pesquisa CNT de Ferrovias 2011 Cresce o transporte de cargas nas ferrovias brasileiras As ferrovias brasileiras se consolidaram como uma alternativa eficiente e segura para o transporte de cargas. A, que traçou um panorama do transporte

Leia mais

Departamento de Eng. Produção. Operação Ferroviária Circulação

Departamento de Eng. Produção. Operação Ferroviária Circulação Departamento de Eng. Produção Operação Ferroviária Circulação Prof. Dr. Rodrigo de Alvarenga Rosa rodrigoalvarengarosa@gmail.com (27) 9941-3300 1 Introdução A operação ferroviária diz respeito à circulação

Leia mais

Relatório da assessoria de imprensa do CORECON/RS Eleição e posse dos dirigentes presidente e vice-presidente do CORECON/RS

Relatório da assessoria de imprensa do CORECON/RS Eleição e posse dos dirigentes presidente e vice-presidente do CORECON/RS Relatório da assessoria de imprensa do CORECON/RS Eleição e posse dos dirigentes presidente e vice-presidente do CORECON/RS Data: 15 de janeiro Hora: 12 horas Local: Sede do Conselho Regional de Economia

Leia mais

Nesta oportunidade, confirmo que estes projetos estão fundamentados em Estudos, Estatísticas e Opiniões de Cidadãos domiciliados no bairro.

Nesta oportunidade, confirmo que estes projetos estão fundamentados em Estudos, Estatísticas e Opiniões de Cidadãos domiciliados no bairro. Barueri, 21 de Setembro de 2009. Ilustríssimo Senhor Rubens Furlan PREFEITO DE BARUERI Ref: Projetos do 1 Conselho Gestor de Segurança da Aldeia de Barueri Venho à presença de Vossa Excelência apresentar

Leia mais

Guria Informação & Sistemas

Guria Informação & Sistemas Zero Hora (RS) Projeto tenta prevenir acidentes com caminhões Será lançado em setembro o projeto DM - Vida Urgente na Estrada, uma parceria da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga e da DM Internacional, líder

Leia mais

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras nº 342 outubro 2014 Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras Odebrecht 70 anos: projetos que contribuem para melhorar as opções de mobilidade urbana das comunidades Odebrecht Infraestrutura Brasil

Leia mais

Ata da terceira sessão extraordinária. Aos doze dias do mês de abril do ano de dois mil e treze, às dez horas, no Plenário Rui Afonso de Almeida da

Ata da terceira sessão extraordinária. Aos doze dias do mês de abril do ano de dois mil e treze, às dez horas, no Plenário Rui Afonso de Almeida da Ata da terceira sessão extraordinária. Aos doze dias do mês de abril do ano de dois mil e treze, às dez horas, no Plenário Rui Afonso de Almeida da Câmara Municipal de Perdizes, Estado de Minas Gerais

Leia mais

VEÍCULO: PORTAL NO MINUTO.COM DATA: 04.02.15

VEÍCULO: PORTAL NO MINUTO.COM DATA: 04.02.15 FECOMÉRCIO VEÍCULO: PORTAL NO MINUTO.COM DATA: 04.02.15 Natal tem as diárias mais baratas entre as capitais do NE, diz Secretário de Turismo - Notícias - Turismo - Nominuto.com Arquivo FD/Turismo Em nossa

Leia mais

ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES

ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES Rodrigo Barretto Vila 1 RESUMO Glaidson de Souza Pezavento Tatiani Nascimento Santos Miriam Nascimento Santos Ashley da Silva Costa 2 Com a finalidade

Leia mais

Seminário TAV Brasil Trem de Alta Velocidade

Seminário TAV Brasil Trem de Alta Velocidade Seminário TAV Brasil Trem de Alta Velocidade A PARTICIPAÇÃO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA E A NECESSIDADE DE MÃO DE OBRA ESPECIALIZADA Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 18 de abril de 2011 APRESENTAÇÃO

Leia mais

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS OBJETIVO DOS PROGRAMAS PREVENIR ATITUDES INSEGURAS NO TRANSPORTE POR MEIO DA CONSCIENTIZAÇÃO DOS MOTORISTAS. META ATINGIR O NÍVEL ZERO EM ACIDENTES SÉRIOS. PRINCIPAL

Leia mais

Por causa da greve, prefeitura de Florianópolis monta força-tarefa para o transporte coletivo

Por causa da greve, prefeitura de Florianópolis monta força-tarefa para o transporte coletivo Por causa da greve, prefeitura de Florianópolis monta força-tarefa para o transporte coletivo Município definiu rotas e preços de transporte alternativo, já que haverá paralisação por tempo indeterminado

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha

Operação Urbana Porto Maravilha Operação Urbana Porto Maravilha AGENDA 1. VISÃO GERAL DO PROJETO PORTO MARAVILHA 2. MODELAGEM FINANCEIRA 1. ARCABOUÇO JURÍDICO 2. ESTUDOS TÉCNICOS 3. MODELAGEM DA PPP 4. RECEITAS X DESPESAS 5. LEILÃO DOS

Leia mais

PREFEITO E PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF ANUNCIAM NOVOS INVESTIMENTOS EM MOBILIDADE URBANA NO RIO

PREFEITO E PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF ANUNCIAM NOVOS INVESTIMENTOS EM MOBILIDADE URBANA NO RIO PREFEITO E PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF ANUNCIAM NOVOS INVESTIMENTOS EM MOBILIDADE URBANA NO RIO Governo Federal libera R$ 1,63 bilhão para implantação do BRT Transbrasil e do VLT do Centro A presidenta Dilma

Leia mais

SECRETARIA DE TRANSPORTES

SECRETARIA DE TRANSPORTES COMITÊS TÉCNICOS DA ALAMYS 18ª Reunião Intermediária PROJETOS DE MOBILIDADE PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO Julio Lopes SECRETÁRIO GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO MAIO 2013 Nossas Metas Copa das Confederações

Leia mais

Planejamento das Linhas de ônibus no Rio com a derrubada da perimetral.

Planejamento das Linhas de ônibus no Rio com a derrubada da perimetral. Planejamento das Linhas de ônibus no Rio com a derrubada da perimetral. Aline Leite 1 ; Daniel Lopes 1 ; Eduardo Tavares da Silva 2 ; Eunice Horário Teixeira 2 ; Jorge Tiago Bastos 2 ; Luciana Brizon 2

Leia mais

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado.

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. Job 44/4 Setembro/04 Metodologia TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA: Município de São Paulo. UNIVERSO: Moradores de 6 anos ou mais de

Leia mais

Nas Ruas de BH. BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional. Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS

Nas Ruas de BH. BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional. Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional Nas Ruas de BH Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS Responsável pela Experiência: Rodrigo César Magalhães Silva

Leia mais

RELATÓRIO MUDANÇA FAMÍLIA MORGAN PARA SALVADOR/BA

RELATÓRIO MUDANÇA FAMÍLIA MORGAN PARA SALVADOR/BA RELATÓRIO MUDANÇA FAMÍLIA MORGAN PARA SALVADOR/BA Dia 07/12/2011 Em reunião (vídeo conferência) nesta data realizada no gabinete apostólico, sito a Rua Joaquim de Figueiredo, 332 Barreiro, com a participação

Leia mais

I Fórum Políticas Públicas do Idoso"

I Fórum Políticas Públicas do Idoso I Fórum Políticas Públicas do Idoso" O idoso no mundo Em 2050, a Organização das Nações Unidas (ONU) estima que 30% da população mundial será de idosos; 2 bilhões dos habitantes do planeta terão mais de

Leia mais

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Câmara de Comércio Brasil-Argentina Julho de 2015 Guilherme Alvisi Gerente Geral de Negócios Carga Geral GUILHERME ALVISI Gerente Geral

Leia mais

Meio: Site Blog da Floresta Editoria:-- Caderno:-- Data:4/8/2015

Meio: Site Blog da Floresta Editoria:-- Caderno:-- Data:4/8/2015 Meio: Site Blog da Floresta Editoria:-- Caderno:-- Data:4/8/2015 Fecomércio AM e PMM debatem obras e mobilidade urbana para os jogos olímpicos de 2016 Meio: Site G1 Amazonas Editoria:-- Hora: 20h18 Data:4/8/2015

Leia mais

BLOCO DO BAFÔMETRO NAS RODOVIAS

BLOCO DO BAFÔMETRO NAS RODOVIAS BLOCO DO BAFÔMETRO NAS RODOVIAS Brasília, 07 de fevereiro - A Polícia Rodoviária Federal vai intensificar ainda mais a fiscalização de embriaguez ao volante durante a operação Carnaval, que começa à zero

Leia mais

Relatório de Gestão 2008

Relatório de Gestão 2008 Milton Corlatti Presidente Nelson Sbabo Vice-presidente de Comércio Carlos Heinen Vice-presidente de Indústria Fulvia Stedile Angeli Gazola Vice-presidente de Serviços - Articulação entre direção da RGE

Leia mais

MG 050 com pare/siga na região de Azurita

MG 050 com pare/siga na região de Azurita MG 050 com pare/siga na região de Azurita A AB Nascentes das Gerais avança com as obras de duplicação da MG-050 em Mateus Leme, na região metropolitana de Belo Horizonte. Por conta do prosseguimento dos

Leia mais

MURAL- JULHO 2015. Compromisso. 10 coisas que todo motorista de caminhão tem que lembrar sobre carros antes de pegar a estrada

MURAL- JULHO 2015. Compromisso. 10 coisas que todo motorista de caminhão tem que lembrar sobre carros antes de pegar a estrada Compromisso 10 coisas que todo motorista de caminhão tem que lembrar sobre carros antes de pegar a estrada É comum ouvirmos motoristas de carro reclamando de caminhões e motoristas de caminhão reclamando

Leia mais

Mobilidade Urbana na área urbana de Tefé- AM: um estudo sobre o mototaxi como meio de deslocamento

Mobilidade Urbana na área urbana de Tefé- AM: um estudo sobre o mototaxi como meio de deslocamento Mobilidade Urbana na área urbana de Tefé- AM: um estudo sobre o mototaxi como meio de deslocamento Jouber da Costa e Silva¹ Universidade Federal do Amazonas-Ufam Joubercs@gmail.com ¹ Mestrando em Geografia

Leia mais

ARSAM Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas

ARSAM Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas ATA DA DÉCIMA PRIMEIRA REUNIÃO ORDINÁRIA ADMINISTRATIVA REGULATÓRIA DO CONSELHO ESTADUAL DE REGULAÇÃO E CONTROLE DOS SERVIÇOS PÚBLICOS CONCEDIDOS DO ESTADO DO AMAZONAS. Aos onze dias do mês de setembro

Leia mais

Mobilidade Carioca. BRTs e a rede integrada de transportes de alta capacidade da cidade

Mobilidade Carioca. BRTs e a rede integrada de transportes de alta capacidade da cidade Mobilidade Carioca Mobilidade Carioca BRTs e a rede integrada de transportes de alta capacidade da cidade Rede de Transporte em 2010 trem metrô Rede de Transporte em 2012 trem metrô BRT Rede de Transporte

Leia mais

Bons resultados para comemorar

Bons resultados para comemorar Amapá PUBLICAÇÃO DESTINADA ÀS COMUNIDADES DE RELACIONAMENTO DA ANGLO AMERICAN. ANO 1. N 7. MAI/JUN. 2010 Bons resultados para comemorar Anglo American chega à marca de cem navios embarcados no Amapá e

Leia mais

Governo Estadual RS 509

Governo Estadual RS 509 1 - RODOVIAS / TRAVESSIA URBANA Governo Federal BR 158, BR 287 e BR 392 Governo Estadual RS 509 Governo Municipal Av. Helvio Basso 2 - MOBILIDADE URBANA Plano Diretor de Mobilidade Urbana TR está pronto.

Leia mais

FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS 1. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa

FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS 1. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa FÍSICA I LISTA 5 DIVERSOS EXERCÍCIOS GABARITO Orientação para V2 e VS. Um ônibus passa pelo km 30 de uma rodovia às 6 h, e às 9 h 30 min passa pelo km 240. Determine: a) a velocidade escalar média desenvolvida

Leia mais

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV. Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO. Superestrutura de Ferrovias

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV. Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO. Superestrutura de Ferrovias Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV CIV 259 Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO Malha Ferroviária Brasileira Transporte Ferroviário O sistema ferroviário brasileiro totaliza 29.706

Leia mais

No ritmo da criação OPORTUNIDADE

No ritmo da criação OPORTUNIDADE Shutterstock POR BRUNO MORESCHI No ritmo da criação Nosso país ainda caminha a passos lentos quando o assunto é economia criativa. Mas as incubadoras podem ajudar a recuperar o tempo perdido Da música

Leia mais

[ ARQUITETURA ] [ TEXTO VERENA PARANHOS ] 1 5 2 L E T S G O B A H I A DIVULGAÇÃO

[ ARQUITETURA ] [ TEXTO VERENA PARANHOS ] 1 5 2 L E T S G O B A H I A DIVULGAÇÃO [ ARQUITETURA ] [ TEXTO VERENA PARANHOS ] DIVULGAÇÃO COMPLEXO DE VIADUTOS DO IMBUÍ Projeção apresenta como será o complexo de viadutos que vai desafogar o trânsito na Avenida Paralela. As obras foram autorizadas

Leia mais

Manual do Associado 2013/2014

Manual do Associado 2013/2014 Manual do Associado 2013/2014 Praça Conde de Barcelos 1 2 A SAAP E SUA ORIGEM Somos uma associação da sociedade civil sem fins lucrativos, fundada e legalmente constituída em dezembro de 1977, com o objetivo

Leia mais

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos

Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Índice de mortes no Carnaval é o menor em dez anos Brasília, 14 de fevereiro 2013 A Polícia Rodoviária Federal registrou queda nas estatísticas do Carnaval nos 70 mil quilômetros de rodovias federais brasileiras.

Leia mais

www.supervia.com.br 1

www.supervia.com.br 1 www.supervia.com.br 1 Trens Urbanos no Rio de Janeiro Histórico Antes da privatização, sob condições de transporte inadequadas, o número de passageiros caiu consistentemente Média de passageiros dias úteis

Leia mais

Job 150904 Setembro / 2015

Job 150904 Setembro / 2015 Job 50904 Setembro / Metodologia TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA: Município de São Paulo. UNIVERSO: Moradores de 6 anos ou mais de

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014 TM GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014 SOLUÇÕES ENCAMINHADAS Constituição do COMITÊ PAULISTA (Grupo Executivo

Leia mais

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015 V.4 - N.4 - Setembro de 2015 Vilma Lúcia da Silva 05 Assessora de Comunicação do Parque da Cidade Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal Só no mês de setembro o Parque da Cidade recebeu

Leia mais

Dia Mundial sem Carro Faça sua parte, o planeta agradece!!

Dia Mundial sem Carro Faça sua parte, o planeta agradece!! Dia Mundial sem Carro Faça sua parte, o planeta agradece!! Prefira o transporte público. Além de ser menos poluente, você evitará parte do estresse do dia-a-dia; Use bicicleta ou caminhe sempre que possível.

Leia mais

Proposta de revisão dos. Calçadões do Centro

Proposta de revisão dos. Calçadões do Centro Proposta de revisão dos Calçadões do Centro Apresentação Durante a campanha eleitoral para a Prefeitura, em 2004, a Associação Viva o Centro apresentou aos candidatos dez propostas para impulsionar o desenvolvimento

Leia mais

SÃO PAULO GANHA PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE PARA REDUZIR ATROPELAMENTOS

SÃO PAULO GANHA PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE PARA REDUZIR ATROPELAMENTOS SÃO PAULO GANHA PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE PARA REDUZIR ATROPELAMENTOS Em 2010, a cidade de São Paulo registrou 7.007 atropelamentos resultando na morte de 630 pedestres. Apesar de representar uma

Leia mais

O EVENTO. 11 a 13 de Novembro de 2014 Expo Center Norte 1º andar São Paulo - SP - Brasil

O EVENTO. 11 a 13 de Novembro de 2014 Expo Center Norte 1º andar São Paulo - SP - Brasil O EVENTO Com o crescimento da demanda de infraestrutura metroferroviária, soluções tecnológicas e operacionais são fundamentais na busca por alternativas que gerem maior eficiência e redução do custo das

Leia mais

MURAL- MARÇO 2015. Compromisso. Declaração Imposto de Renda

MURAL- MARÇO 2015. Compromisso. Declaração Imposto de Renda Compromisso Declaração Imposto de Renda O prazo para declaração de Imposto de Renda em 2015 (referente aos rendimentos de 2014) vai começar em 2 de março e terminar em 30 de abril, segundo publicação da

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos 7º Encontro de Logística e Transporte FIESP maio/2012 Conrado Grava de Souza Conselheiro ANPTrilhos Apoio: ANPTrilhos Objetivo

Leia mais

1) Posse dos Conselheiros eleitos na AGO de 04/dez/08

1) Posse dos Conselheiros eleitos na AGO de 04/dez/08 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO IBRI - INSTITUTO BRASILEIRO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES, REALIZADA NO DIA 17 DE FEVEREIRO DE 2009, ÀS 12h, NA SEDE DA BM&FBOVESPA, À RUA XV DE NOVEMBRO,

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES JULHO 2015 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS URBANO Fonte: Pesquisa de mobilidade 2012 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL: Avanços e investimentos pós-concessões

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL: Avanços e investimentos pós-concessões Miguel Andrade Comitê de Planejamento da ANTF São Paulo, 12 de maio de 2011 TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL: Avanços e investimentos pós-concessões www.antf.org.br Associadas ANTF Malhas Sul,

Leia mais

Esquema operacional de trânsito para a construção do BRT TransBrasil

Esquema operacional de trânsito para a construção do BRT TransBrasil Esquema operacional de trânsito para a construção do BRT TransBrasil Desde sábado, dia 10 de janeiro, a Avenida Brasil tem 2,5 faixas interditadas no trecho Caju e Manguinhos A Prefeitura do Rio, por meio

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

DISCIPLINA: DOWNSTREAM TRANSPORTE Prof. Mauro Ferreira

DISCIPLINA: DOWNSTREAM TRANSPORTE Prof. Mauro Ferreira DISCIPLINA: DOWNSTREAM TRANSPORTE Prof. Mauro Ferreira CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Iniciaremos aqui mais um desenvolvimento de segmento da Indústria de Petróleo e Gás, DOWNSTREAM TRANSPORTE, no que se refere

Leia mais

Hotel das Paineiras - Varanda. Hotel das Paineiras

Hotel das Paineiras - Varanda. Hotel das Paineiras Hotel das Paineiras - Varanda Hotel das Paineiras Em janeiro de 1882, o Imperador D. Pedro II Unidos. Nesse dia, o imperador Pedro II e da Estrada de Ferro do Corcovado. O prédio concedeu aos engenheiros

Leia mais

ATA DA SESSÃO Nº 2.506/2006

ATA DA SESSÃO Nº 2.506/2006 ATA DA SESSÃO Nº 2.506/2006 Aos dezoito dias do mês de Julho de 2006, às 20:00 horas no Plenário da Câmara de Vereadores de Joaçaba, com a presença de todos vereadores, deu-se por aberta a sessão. Com

Leia mais

diversão 44 calendário 46 cinema 49 exposição 51 infantil 52 parceria 54 teatro 57 música 57 dança

diversão 44 calendário 46 cinema 49 exposição 51 infantil 52 parceria 54 teatro 57 música 57 dança nestaedição abril 2013 destaques 06 Capa De frente com o mercado de trabalho 14 MetrôRio Investindo no futuro, MetrôRio comemora 15 anos de concessão zoom 22 boa pedida 24 perto daqui 28 do bem 32 recicla

Leia mais

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte LOGÍSTICA O Sistema de Transporte O TRANSPORTE 1. Representa o elemento mais importante do custo logístico; MODALIDADE (UM MEIO DE TRANSPORTE) MULTIMODALIDADE (UTILIZAÇÃO INTEGRADA DE MODAIS) Tipos de

Leia mais

DECRETO Nº 7.929, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013

DECRETO Nº 7.929, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação DECRETO Nº 7.929, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013 Regulamenta a Lei nº 11.483, de 31 de maio de 2007, no que se refere à avaliação da vocação logística

Leia mais

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014 Mobilidade Urbana VASCONCELOS, Eduardo Alcântara de. Mobilidade urbana e cidadania. Rio de Janeiro: SENAC NACIONAL, 2012. PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL LUCIANE TASCA COMO SE FORMAM AS CIDADES? Como um

Leia mais

Enquete. Dia dos Professores

Enquete. Dia dos Professores Enquete Dia dos Professores No dia 15 de outubro será comemorado o dia do professor. Muito se fala que a profissão, apesar de muito importante, perdeu seu glamour e prestígio, sendo incapaz de atrair a

Leia mais

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM Matriz de Transporte Brasil Estado de São Paulo Modal Participação Modal Participação Rodoviário 61,20% Ferroviário 20,70% Hidroviário 13,60% Dutoviário 4,20% Aéreo 0,40% Rodoviário 93,10% Ferroviário

Leia mais

F) 13.392.0168.2650.0001 - Funcionamento de Bibliotecas da União

F) 13.392.0168.2650.0001 - Funcionamento de Bibliotecas da União Brasileira I Vol. de vários autores; Brasileira II Vol. de vários autores; Brasileira III Vol. de vários autores; Brasileira IV Vol. de vários autores; Brasileira V Vol. de vários autores; Editions du

Leia mais

Mobilidade Urbana Urbana

Mobilidade Urbana Urbana Mobilidade Urbana Urbana A Home Agent realizou uma pesquisa durante os meses de outubro e novembro, com moradores da Grande São Paulo sobre suas percepções e opiniões em relação à mobilidade na cidade

Leia mais

ADEMI - Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário. Engarrafamentos na Barra podem triplicar

ADEMI - Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário. Engarrafamentos na Barra podem triplicar Page 1 of 5 Página Principal Sala de Imprensa ADEMI na Imprensa mapa do site fale conosco ADEMI na Imprensa Conheça nossos Sócios ADEMI ADEMI em foco Seja Sócio Sala de Imprensa Pesquisa ADEMI do Mercado

Leia mais

Sete dos dez maiores museus do Rio não têm alvará dos Bombeiros

Sete dos dez maiores museus do Rio não têm alvará dos Bombeiros Sete dos dez maiores museus do Rio não têm alvará dos Bombeiros No dia 21 de dezembro do ano passado, um incêndio no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, matava um funcionário e destruía o prédio

Leia mais

SÃO PAULO INDY 300 PESQUISA DE PERFIL DO PÚBLICO E IMPACTO DO EVENTO PARA A CIDADE DE SÃO PAULO

SÃO PAULO INDY 300 PESQUISA DE PERFIL DO PÚBLICO E IMPACTO DO EVENTO PARA A CIDADE DE SÃO PAULO SÃO PAULO INDY 300 PESQUISA DE PERFIL DO PÚBLICO E IMPACTO DO EVENTO PARA A CIDADE DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO Com a parceria firmada entre a Prefeitura do Município de São Paulo, Grupo Bandeirantes de Comunicação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL PORTÃO 25/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Propostas do dia 25

Leia mais

Motivos e insatisfações dos usuários dos modos de transporte.

Motivos e insatisfações dos usuários dos modos de transporte. Motivos e insatisfações dos usuários dos modos de transporte. Anna Carolina Côrrea Pereira 1 ; Ana Gabriela Furbino Ferreira 2 ; Igor Jackson Arthur Costa e Souza 3 ; José Irley Ferreira Júnior 4 ; Antônio

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 16/05/2005 (*) Portaria/MEC nº 1.625, publicada no Diário Oficial da União de 16/05/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO SOCIAL

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO SOCIAL ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE ASSUNÇÃO CNPJ 01.612.635/0001-02 Rua Tereza Balduíno da Nóbrega - Centro Fone: (83) 3466-1079 - Fax: (83) 34661079 E-mail: prefeitura.assuncao@bol.com.br CEP:

Leia mais

BRT Transoeste: transformando o conceito de transporte público no Rio de Janeiro

BRT Transoeste: transformando o conceito de transporte público no Rio de Janeiro BRT Transoeste: transformando o conceito de transporte público no Rio de Janeiro Richele Cabral 1 ; Eunice Horácio S. B. Teixeira 1 ; Milena S. Borges 1 ; Miguel Ângelo A. F. de Paula 1 ; Pedro Paulo S.

Leia mais

Fetranspor vence UITP Awards com projeto sobre BRTs e Diálogo Jovem ganha menção honrosa

Fetranspor vence UITP Awards com projeto sobre BRTs e Diálogo Jovem ganha menção honrosa RJ 10/06/2015 Nº 1084 Fetranspor vence UITP Awards com projeto sobre BRTs e Diálogo Jovem ganha menção honrosa Alain Flausch, Richele Cabral, Lélis Teixeira e Thierry Wagenknecht A Fetranspor acaba de

Leia mais

Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa

Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa Fernanda Borges Monteiro, Vânia Barcellos Gouvêa Campos arqnandy@gmail.com; vania@ime.eb.br Instituto Militar de Engenharia

Leia mais

Nos trilhos do progresso

Nos trilhos do progresso Nos trilhos do progresso brasil: polo internacional de investimentos e negócios. Um gigante. O quinto maior país do mundo em extensão e população e o maior da América Latina, onde se destaca como a economia

Leia mais