EUROBARÓMETRO 65 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA PRIMAVERA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EUROBARÓMETRO 65 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA PRIMAVERA"

Transcrição

1 Standard Eurobarometer European Commission EUROBARÓMETRO 65 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA PRIMAVERA 2006 RELATÓRIO NACIONAL Standard Eurobarometer 65 / Spring 2006 TNS Opinion & Social SUMÁRIO EXECUTIVO PORTUGAL A sondagem foi encomendada e coordenada pela Direcção-Geral da Comunicação. Este relatório foi produzido para a Representação da Comissão Europeia em Portugal. Este documento não reflecte as opiniões da Comissão Europeia. Quaisquer interpretações ou opiniões expressas neste relatório são apenas dos seus autores. 1

2 1. Portugal: o actual clima da opinião pública Os Eurobarómetros anteriores revelaram que os portugueses tendem a ter uma atitude negativa face à sua vida. Este é ainda o padrão que encontramos actualmente: depois dos húngaros, os portugueses são os cidadãos da UE menos satisfeitos com a sua vida em geral. No entanto, 51 por cento acredita que esta vai melhorar nos próximos cinco anos. Este valor que se distancia em cerca de dez pontos percentuais da média da UE marca um aumento em relação aos 44 por cento registados no Eurobarómetro anterior, efectuado no Outono de Tendo em conta o clima de crise económica prolongada que se vive em Portugal, o aumento desde 2001 das expectativas mais pessimistas face ao desenrolar da situação económica e do emprego no país revelam algum realismo. Neste momento, cerca de 60 por cento dos cidadãos prevê que os aspectos mencionados piorem nos próximos 12 meses. Apesar de indiscutivelmente alto, este valor representa uma ligeira diminuição das taxas de pessimismo em relação a Eurobarómetros anteriores. A preocupação dos cidadãos face à conjuntura económica portuguesa é novamente visível nos temas que assinalam como prioritários. Desemprego, situação económica e inflação são os três tópicos mais citados, concentrando-se no primeiro a maior percentagem de respostas (64 por cento). Para além dos temas de cariz económico, destacam-se também o crime e o sistema de saúde, referidos por 14 por cento dos portugueses. A saliência das preocupações económicas é visível na generalidade dos países da UE, embora Portugal apresente invariavelmente valores mais acentuados de concentração nesses temas do que a média europeia. As prioridades nacionais aproximam-se mais das dos cidadãos dos dez novos Estados-membros do que das da UE-15, partilhando com os primeiros uma maior preocupação com o desemprego e uma relativa despreocupação com a imigração e o terrorismo. Os cidadãos da UE tendem a confiar mais nas instituições europeias do que nas nacionais. De facto, denota-se um cepticismo generalizado face às instituições nacionais por toda a Europa. Relativamente ao caso português, a diferença entre o nível de confiança nas instituições europeias e nacionais é mais saliente do que na média da UE. Isto parece ser explicável pelos níveis mais altos de confiança nas instituições europeias dos portugueses, e não devido a níveis mais baixos de 2

3 confiança nas instituições nacionais. Com efeito, tal como Eurobarómetros anteriores tinham demonstrado, os portugueses confiam mais nas instituições europeias do que a média da UE. 2. O significado da União Europeia em Portugal, vinte anos após a adesão A imagem da UE em Portugal permanece positiva (45 por cento) apesar de estar abaixo da média europeia (50 por cento). Contudo, pela primeira vez em dez anos, o número de portugueses que acreditam que pertencer à UE é positivo desceu para abaixo dos 50 por cento (47 por cento), comparado com a média europeia de 55 por cento. Tal constitui uma queda de onze pontos percentuais desde o semestre anterior. Dito isto, a maioria das pessoas em Portugal ainda considera que pertencer à UE traz mais vantagens do que desvantagens. Para os portugueses, a principal dimensão política da UE é a possibilidade de viajar, estudar e trabalhar em qualquer país da União, com 40 por cento dos inquiridos a referir isto como sendo o referencial político da UE. Parece haver uma baixa identificação da UE com a paz e democracia em Portugal. Na mesma linha, a estabilidade política não é identificada pelos portugueses como sendo um resultado da UE. A percepção de uma maior segurança enquanto uma consequência da integração também parece ser diminuta em Portugal. Ao mesmo tempo, os portugueses tendem a não associar a UE com burocracia, ao contrário da média europeia. A UE é relacionada em Portugal com o desemprego por 29 por cento dos inquiridos. Isto coloca Portugal entre os países que mais identificam a União com o aumento do desemprego, sendo apenas superado pela Áustria (43 por cento), Grécia (35 por cento) e Alemanha (34 por cento). A estabilidade económica também não é associada com a UE. Em termos da sua situação económica e financeira, os portugueses consideram que a UE teve um papel negativo por valores muito elevados (entre 80 e 90 por cento nas várias categorias). Quando lhes é pedido que comparem a sua situação geral com a da economia europeia, os portugueses sentem que a sua situação é consideravelmente pior do que a dos seus congéneres europeus. 3. Que Europa? O futuro da União Europeia para os portugueses Em Portugal, a maioria dos cidadãos deseja que o futuro traga um aumento da importância do papel da União Europeia na sua vida quotidiana. No entanto, a 3

4 percentagem de portugueses que expressa este desejo (60 por cento) é superior à daqueles que consideram que este incremento irá de facto ocorrer (42 por cento), o que significa que as perspectivas sobre o aprofundamento da acção da União ficam, no caso português, bastante longe do que seria ideal na óptica dos cidadãos. A acção futura da União Europeia deverá, na opinião dos portugueses, centrar-se na luta contra o desemprego, a pobreza e a exclusão social. Estas duas áreas são claramente prioritárias, sendo mencionadas por mais de metade dos inquiridos, enquanto que a terceira prioridade referida (a manutenção da paz e da segurança nos países europeus) foi mencionada por menos de um quarto dos portugueses. As questões económicas são consideradas como as mais problemáticas no país, bem como aquelas onde a acção da União Europeia é avaliada de forma menos positiva. Este fenómeno não pode ser dissociado da prioridade que o combate à pobreza e ao desemprego assumem na agenda futura da União Europeia para os portugueses. É ainda de salientar que a luta contra o desemprego, a pobreza e a exclusão social são principalmente prioritárias para os cidadãos residentes em áreas urbanas. Ao nível da evolução interna da União Europeia no futuro, em termos das suas instituições e procedimentos, destaca-se o facto de que os portugueses apoiam mais abertamente acções conducentes ao aprofundamento generalizado da União (como sejam a Constituição, a criação do cargo de Ministro dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, e a criação de uma política comum de imigração), do que um aprofundamento a duas velocidades e um alargamento a novos países. Por fim, os principais receios gerados pela perspectiva de evolução futura da União Europeia são de natureza económica em específico, a transferência de empregos para outros países, o aumento das dificuldades dos agricultores e a crise económica. A preocupação com potenciais efeitos nefastos da evolução da União Europeia na economia é sobretudo evidente nos portugueses que têm atitudes pouco positivas face à União Europeia, bem como dos mais velhos, dos menos escolarizados, dos desempregados e das domésticas. 4. Os portugueses conhecem a União Europeia? Níveis de informação e conhecimento Em relação ao conhecimento dos portugueses sobre as instituições europeias e o seu funcionamento, encontramos neste inquérito que Portugal continua a permanecer 4

5 entre os países cujos cidadãos acreditam saber menos sobre a UE (3.8 numa escala 1-10), juntamente com a Espanha (3.7) e a Hungria (3.8), enquanto a média europeia é de 4.5. Analisando questões específicas, os portugueses estão entre os cidadãos da UE que esmagadoramente mais afirmam ter ouvido falar das principais instituições europeias (sempre entre 80 e 90 por cento de respostas positivas) ultrapassando largamente a média da UE em todos os casos. Contudo, quando directamente questionados sobre a sua compreensão do funcionamento das instituições da UE, 51 por cento dos portugueses afirmam não compreender como a UE funciona. Embora seja uma melhoria de 12 pontos percentuais face ao inquérito anterior (onde este valor era de 63 por cento), ainda coloca Portugal entre os Estados-membros cujos cidadãos menos sentem saber sobre o funcionamento da UE. Quando nos viramos para o conhecimento concreto da UE, testado através de um questionário sobre certos aspectos do processo de integração, concluímos que os portugueses têm na realidade um conhecimento mediano da UE, algo superior à média europeia, mas ainda atrás de dez outros Estados-membros. Em relação aos media, a televisão permanece o meio dominante de comunicação social para os portugueses, com as rádios e os jornais a serem consideravelmente menos utilizados do que noutros países europeus. Em relação à informação dos media sobre a UE, os portugueses acreditam que uma maior cobertura noticiosa devia ser dada ao processo europeu, com apenas 39 por cento a defender que os media falam o suficiente sobre a União. Ao mesmo tempo, 50 por cento dos inquiridos também acreditam que os media falam objectivamente sobre a UE, com a televisão a ser percepcionada como mais objectiva, por comparação com os jornais e as rádios. 5

ELEIÇÕES EUROPEIAS Eurobarómetro Parlamento Europeu (EB Standard 70) Outono de 2008 Análises

ELEIÇÕES EUROPEIAS Eurobarómetro Parlamento Europeu (EB Standard 70) Outono de 2008 Análises Direcção-Geral da Comunicação Direcção C Relações com os cidadãos Unidade Sondagens de Opinião ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009 Estrasburgo, 12 de Dezembro de 2008 Eurobarómetro Parlamento Europeu (EB Standard

Leia mais

Colóquio de 2 de Março de "Horizonte 2014: Que ligações existem entre as mulheres e a União Europeia? "

Colóquio de 2 de Março de Horizonte 2014: Que ligações existem entre as mulheres e a União Europeia? Direcção-Geral da Comunicação Direcção C Relações com os Cidadãos UNIDADE DE ACOMPANHAMENTO DA OPINIÃO PÚBLICA Bruxelas, 5 de Março de 2010 Colóquio de 2 de Março de 2010 "Horizonte 2014: Que ligações

Leia mais

Eurobarómetro do Parlamento Europeu (EB79.5) «A UM ANO DAS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2014» Parte Parlómetro ANEXO SOCIODEMOGRÁFICO

Eurobarómetro do Parlamento Europeu (EB79.5) «A UM ANO DAS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2014» Parte Parlómetro ANEXO SOCIODEMOGRÁFICO Direção-Geral da Comunicação UNIDADE DO ACOMPANHAMENTO DA OPINIÃO PÚBLICA Eurobarómetro do Parlamento Europeu (EB79.5) «A UM ANO DAS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2014» Parte Parlómetro ANEXO SOCIODEMOGRÁFICO

Leia mais

ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009

ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009 Direcção-Geral da Comunicação UNIDADE DE ACOMPANHAMENTO DA OPINIÃO PÚBLICA 15/09/2008 ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009 Eurobarómetro do Parlamento Europeu (EB Standard 69) Primavera 2008 Primeiros resultados globais:

Leia mais

Eurobarómetro Standard 84. Opinião pública na União europeia

Eurobarómetro Standard 84. Opinião pública na União europeia Opinião pública na União europeia Esta sondagem foi encomendada e coordenada pela Comissão Europeia, Direcção-Geral da Comunicação. Este relatório foi produzido para a Representação da Comissão Europeia

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Comércio e Restauração

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Comércio e Restauração Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Comércio e Restauração Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Comércio e Restauração Índice

Leia mais

Síntese do Provedor de Justiça O Provedor de Justiça Europeu e os direitos dos cidadãos

Síntese do Provedor de Justiça O Provedor de Justiça Europeu e os direitos dos cidadãos Provedor de Justiça Europeu Síntese do Provedor de Justiça O Provedor de Justiça Europeu e os direitos dos cidadãos Eurobarómetro especial Conduzido por TNS Opinion & Social, a pedido do Parlamento Europeu

Leia mais

8 de março de 2013: Dia Internacional da Mulher. Mulheres e desigualdades de género no contexto da crise

8 de março de 2013: Dia Internacional da Mulher. Mulheres e desigualdades de género no contexto da crise Direção-Geral da Comunicação UNIDADE DO ACOMPANHAMENTO DA OPINIÃO PÚBLICA Bruxelas, 26 de fevereiro de 2013 8 de março de 2013: Dia Internacional da Mulher Mulheres e desigualdades de género no contexto

Leia mais

Eurobarómetro do Parlamento Europeu (EB79.5) «A UM ANO DAS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2014» Parte institucional RESUMO ANALÍTICO

Eurobarómetro do Parlamento Europeu (EB79.5) «A UM ANO DAS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2014» Parte institucional RESUMO ANALÍTICO Direção-Geral da Comunicação Unidade de Acompanhamento da Opinião Pública Bruxelas, 21 de agosto de 2013 Eurobarómetro do Parlamento Europeu (EB79.5) «A UM ANO DAS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2014» Parte institucional

Leia mais

Eurobarómetro Standard 82. OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA Outono 2014 RELATÓRIO NACIONAL PORTUGAL

Eurobarómetro Standard 82. OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA Outono 2014 RELATÓRIO NACIONAL PORTUGAL Eurobarómetro Standard 82 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA Outono 14 RELATÓRIO NACIONAL PORTUGAL Esta sondagem foi encomendada e coordenada pela Comissão Europeia, Direcção-Geral da Comunicação Este relatório

Leia mais

Perspectivas Económicas para Portugal em 2004

Perspectivas Económicas para Portugal em 2004 Nota Informativa: Perspectivas Económicas para Portugal em 2004 I. PREVISÕES DA COMISSÃO EUROPEIA PRIMAVERA 2004 1. INTRODUÇÃO As projecções efectuadas pela generalidade dos organismos internacionais para

Leia mais

EUROBARÓMETRO 68 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA OUTONO

EUROBARÓMETRO 68 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA OUTONO Standard Eurobarometer European Commission EUROBARÓMETRO 68 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA OUTONO 2007 RELATÓRIO NACIONAL Standard Eurobarometer 68 / Autumn 2007 TNS Opinion & Social SUMÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

A Qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde

A Qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde WWW.AFROBAROMETER.ORG A F R O S O N D A G E M Estudos de Mercado, Inquéritos de Opinião e Consultoria Económica A Qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde Resultados da AFROBAROMETRO Round

Leia mais

Breve retrato social de uma geração nascida em 2005, em Portugal

Breve retrato social de uma geração nascida em 2005, em Portugal Breve retrato social de uma geração nascida em 2005, em Portugal Anália Torres (Coord.) Fernando Serra Lara Tavares Diana Maciel Fundação Calouste Gulbenkain 1 de Junho de 2012 Geração XXI - Breve retrato

Leia mais

RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL

RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL 1. Uma Situação Preocupante O nosso País tem tido um crescimento económico inferior à média da União Europeia desde 2002. Seis anos continuados de crise económica fizeram

Leia mais

Avaliação da Satisfação dos Clientes 2014

Avaliação da Satisfação dos Clientes 2014 Avaliação da Satisfação dos Clientes 2014 Sumário Avaliação da Satisfação dos Clientes 2014 Este relatório enquadra-se dentro dos objectivos previstos pelo normativo de certificação da qualidade ISO 9001:2008,

Leia mais

Avaliação da Satisfação dos Clientes 2015

Avaliação da Satisfação dos Clientes 2015 Avaliação da Satisfação dos Clientes 2015 Sumário Avaliação da Satisfação dos Clientes 2015 Este relatório enquadra-se dentro dos objectivos previstos pelo normativo de certificação da qualidade ISO 9001:2008,

Leia mais

Estudo pós-eleitoral 2014 ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2014

Estudo pós-eleitoral 2014 ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2014 Directorate-General for Communication PUBLIC OPINION MONITORING UNIT Brussels, October 2014 Estudo pós-eleitoral 2014 ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 2014 SÍNTESE ANALÍTICA Cobertura: UE 28 População: 27 331 europeus

Leia mais

A UNIÃO EUROPEIA E O DIÁLOGO INTERCULTURAL MNE DGAE

A UNIÃO EUROPEIA E O DIÁLOGO INTERCULTURAL MNE DGAE A UNIÃO EUROPEIA E O DIÁLOGO INTERCULTURAL O CAMINHO PARA A UNIÃO EUROPEIA O QUE SE COMEMORA NO ANO EUROPEU 2008 QUIZ O CAMINHO PARA A UNIÃO EUROPEIA No século XX, depois das Guerras Mundiais (a 2ª foi

Leia mais

Coordenado pela Direção-Geral da Comunicação

Coordenado pela Direção-Geral da Comunicação Eurobarómetro 76.3 Parlametro Inquérito efetuado pela TNS Opinion & Social a pedido do Parlamento Europeu Coordenado pela Direção-Geral da Comunicação «Parlametro» ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 SÍNTESE...5 I.

Leia mais

RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL UMA SITUAÇÃO ECONÓMICA QUE URGE MUDAR

RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL UMA SITUAÇÃO ECONÓMICA QUE URGE MUDAR RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL UMA SITUAÇÃO ECONÓMICA QUE URGE MUDAR 1. Enquadramento Após um fraco crescimento da economia portuguesa em 2005 (0.3%), o Governo prevê para 2006, um crescimento de 1.4%;

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Comunicação Organizacional sobre

Leia mais

BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes dos portugueses perante Leitura e o Plano Nacional de Leitura

BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes dos portugueses perante Leitura e o Plano Nacional de Leitura BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes dos portugueses perante Leitura e o Plano Nacional de Leitura António Firmino da Costa Elsa Pegado Patrícia Ávila CIES-ISCTE 2008 BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes

Leia mais

MICHAEL PAGE LANÇA BARÓMETRO GLOBAL DE CFOS (DIRECTORES FINANCEIROS) 2012

MICHAEL PAGE LANÇA BARÓMETRO GLOBAL DE CFOS (DIRECTORES FINANCEIROS) 2012 MICHAEL PAGE LANÇA BARÓMETRO GLOBAL DE CFOS (DIRECTORES FINANCEIROS) 2012 CFOs portugueses pessimistas face à economia do seu país mas optimistas face à sua empresa CFOs portugueses irão trabalhar prioritariamente

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 09 setembro 2011 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

www.2010againstpoverty.eu 2010againstpoverty@ec.europa.eu

www.2010againstpoverty.eu 2010againstpoverty@ec.europa.eu KE-80-09-930-PT-C www.2010againstpoverty.eu 2010againstpoverty@ec.europa.eu As publicações da Direcção-Geral do Emprego, Assuntos Sociais e Igualdade de Oportunidades interessam-lhe? Pode descarregá-las

Leia mais

A Integração no Espaço Europeu

A Integração no Espaço Europeu Ano Lectivo 2010/2011 ÁREA DE INTEGRAÇÃO Agrupamento de Escolas de Fronteira Escola Básica Integrada Frei Manuel Cardoso 12º Ano Apresentação nº 3 A Integração no Espaço Europeu Pedro Bandeira Simões Professor

Leia mais

O COMBATE À POBREZA E ÀS DESIGUALDADES É UM DESAFIO IMEDIATO PARA PORTUGAL

O COMBATE À POBREZA E ÀS DESIGUALDADES É UM DESAFIO IMEDIATO PARA PORTUGAL O COMBATE À POBREZA E ÀS DESIGUALDADES É UM DESAFIO IMEDIATO PARA PORTUGAL I. ENQUADRAMENTO A pobreza e a desigualdade na distribuição de rendimentos são problemas que persistem na sociedade portuguesa,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA Setembro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Língua Gestual Portuguesa sobre

Leia mais

Aprendizagem ao Longo da Vida Inquérito à Educação e Formação de Adultos 2007

Aprendizagem ao Longo da Vida Inquérito à Educação e Formação de Adultos 2007 Aprendizagem ao Longo da Vida Inquérito à Educação e Formação de Adultos 2007 25 de Novembro de 2009 A publicação Aprendizagem ao Longo da Vida Inquérito à Educação e Formação de Adultos 2007, apresenta,

Leia mais

http://www.anacom.pt/template15.jsp?categoryid=57929 ÍNDICE 1. SUMÁRIO... 1 2. OBJECTIVO...2 3. ENQUADRAMENTO REGULAMENTAR... 3 4. EVOLUÇÃO DOS PREÇOS DO CORREIO AZUL E CORREIO NORMAL... 5 4.1 METODOLOGIA...

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS EMPRESÁRIOS DE VAREJO E SERVIÇOS SOBRE O MOMENTO DA ECONOMIA BRASILEIRA

PERCEPÇÃO DOS EMPRESÁRIOS DE VAREJO E SERVIÇOS SOBRE O MOMENTO DA ECONOMIA BRASILEIRA PERCEPÇÃO DOS EMPRESÁRIOS DE VAREJO E SERVIÇOS SOBRE O MOMENTO DA ECONOMIA BRASILEIRA Setembro 2016 INTRODUÇÃO A economia brasileira enfrenta uma crise que já se arrasta por quase dois anos. Nesse intervalo,

Leia mais

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 4º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 4º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 4º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS Índice Introdução 03 Ficha Técnica 05 Sumário Executivo 06 Relatório de Resultados 07 Entidades Inquiridas

Leia mais

ndicadores sobre a pobreza Dados Europeus e Nacionais

ndicadores sobre a pobreza Dados Europeus e Nacionais ndicadores sobre a pobreza Dados Europeus e Nacionais 2010 Rede Europeia Anti-Pobreza/ Portugal Rua de Costa Cabral, 2368 4200-218 Porto Telefone: 225 420 800 Fax: 225 403 250 E-mail: geral@reapn.org Site:

Leia mais

Desenvolvimento Local

Desenvolvimento Local Desenvolvimento Local Aula 3 Globalização e desenvolvimento local. Regiões ganhadoras e regiões perdedoras. Comparação entre regiões usando como indicador o Índice de dispersão do PIB per capita. Dinâmicas

Leia mais

Os transportes são o tema mais recente da Pordata Europa.

Os transportes são o tema mais recente da Pordata Europa. Novidade: TEMA TRANSPORTES NA PORDATA EUROPA Os transportes são o tema mais recente da Pordata Europa. A Pordata Europa passa, assim, a contar com 12 temas e mais de 650 quadros estatísticos, sempre baseados

Leia mais

EUROPEAN PAYMENT REPORT 2017

EUROPEAN PAYMENT REPORT 2017 EUROPEAN PAYMENT REPORT 17 Portugal O Relatório Europeu de Pagamentos baseia-se num inquérito realizado simultaneamente em 29 países europeus, entre Fevereiro e Março de 17. Neste relatório, a Intrum Justitia

Leia mais

OBSERVAÇÕES DA UGT SOBRE A ACTUALIZAÇÃO DA RETRIBUIÇÃO MÍNIMA MENSAL GARANTIDA

OBSERVAÇÕES DA UGT SOBRE A ACTUALIZAÇÃO DA RETRIBUIÇÃO MÍNIMA MENSAL GARANTIDA OBSERVAÇÕES DA UGT SOBRE A ACTUALIZAÇÃO DA RETRIBUIÇÃO MÍNIMA MENSAL GARANTIDA I. ELEMENTOS PARA A ACTUALIZAÇÃO DA RETRIBUIÇÃO MÍNIMA MENSAL GARANTIDA Documento distribuído pelo Governo em CPCS Regista-se

Leia mais

Declaração de Bratislava

Declaração de Bratislava Bratislava, 16 de setembro de 2016 Declaração de Bratislava Reunimo-nos hoje em Bratislava num momento crítico para o nosso projeto europeu. A Cimeira de Bratislava de 27 Estados-Membros foi dedicada a

Leia mais

Tratados de Roma. Comunidade Económica: União Aduaneira - Politica Comercial Externa 6 Estados Membros

Tratados de Roma. Comunidade Económica: União Aduaneira - Politica Comercial Externa 6 Estados Membros Tratados de Roma Comunidade Económica: União Aduaneira - Politica Comercial Externa 6 Estados Membros Aprofundamento e Alargamentos sucessivos: Quatro liberdades: bens, serviços, capitais e pessoas (reconhecimento

Leia mais

nº 4 Dezembro 2009 A VINHA E O VINHO CONJUNTURA MUNDIAL

nº 4 Dezembro 2009 A VINHA E O VINHO CONJUNTURA MUNDIAL nº 4 Dezembro 2009 A VINHA E O VINHO CONJUNTURA MUNDIAL 2005 A 2008 A VINHA E O VINHO CONJUNTURA MUNDIAL Índice 1. INTRODUÇÃO 2 2. ÁREA DE VINHA 3 3. PRODUÇÃO 5 4. CONSUMO GLOBAL 8 5. CONSUMO PER CAPITA

Leia mais

Disciplina Economia A Módulo 4,5,6

Disciplina Economia A Módulo 4,5,6 Escola Secundária Cacilhas-Tejo MATRIZ DE EXAME (AVALIAÇÃO DO REGIME NÃO PRESENCIAL E AVALIAÇÃO DE RECURSO) Disciplina Economia A Módulo 4,5,6 ENSINO RECORRENTE MÓDULOS CAPITALIZÁVEIS Duração da Prova:

Leia mais

Celebrar com confiança Estudo de Natal Retail & Consumer Products

Celebrar com confiança Estudo de Natal Retail & Consumer Products Celebrar com confiança Estudo de Natal 2017 Retail & Consumer Products Estado atual da economia Como classifica o atual estado da economia? Os europeus sentem-se globalmente mais confiantes relativamente

Leia mais

Envelhecimento em Lisboa, Portugal e Europa. Uma Perspectiva Comparada, de M. V. Cabral, P. A. da Silva e M. T. Batista (eds.), por Paula Albuquerque

Envelhecimento em Lisboa, Portugal e Europa. Uma Perspectiva Comparada, de M. V. Cabral, P. A. da Silva e M. T. Batista (eds.), por Paula Albuquerque RECENSÃO Envelhecimento em Lisboa, Portugal e Europa. Uma Perspectiva Comparada, de M. V. Cabral, P. A. da Silva e M. T. Batista (eds.), por Paula Albuquerque Análise Social, 223, lii (2.º), 2017 issn

Leia mais

Lisboa, 19 de Setembro de A Fundação Francisco Manuel dos Santos apresenta hoje o projecto digital Portugal Desigual.

Lisboa, 19 de Setembro de A Fundação Francisco Manuel dos Santos apresenta hoje o projecto digital Portugal Desigual. Portugal Desigual O impacto do programa de ajustamento na distribuição do rendimento e nas condições de vida dos portugueses www.portugaldesigual.ffms.pt Lisboa, 19 de Setembro de 2016 - A Fundação Francisco

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 2º Trimestre 2015

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 2º Trimestre 2015 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida 2º Trimestre 2015 Julho 2015 Ficha Técnica Presidente Antonio Duarte Editor Instituto Nacional

Leia mais

ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR (*) E ÍNDICE HARMONIZADO DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Janeiro de 2003

ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR (*) E ÍNDICE HARMONIZADO DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Janeiro de 2003 Informação à Comunicação Social 21 de Fevereiro de 2003 ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR (*) E ÍNDICE HARMONIZADO DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Janeiro de 2003 Tema: Economia e Finanças Preços no consumidor aumentam

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TEATRO E EDUCAÇÃO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TEATRO E EDUCAÇÃO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TEATRO E EDUCAÇÃO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Teatro e Educação sobre a ESEC 4 3.2. Opinião

Leia mais

Estudante brasileiro é o mais otimista em relação ao futuro, revela pesquisa internacional

Estudante brasileiro é o mais otimista em relação ao futuro, revela pesquisa internacional Estudante brasileiro é o mais otimista em relação ao futuro, revela pesquisa internacional Enviado por DA REDAÇÃO 28-Mai-2014 PQN - O Portal da Comunicação Otimista, cada vez mais preparado e em busca

Leia mais

A Indústria Portuguesa de Moldes

A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a consolidar a sua notoriedade no mercado internacional, impulsionada, quer pela procura externa, quer por uma competitiva

Leia mais

11-12 DE FEVEREIRO DE 2010 SEVILHA DECLARAÇÃO DO FÓRUM CONSULTIVO SOBRE INQUÉRITO PAN-EUROPEU SOBRE CONSUMO DE GÉNEROS ALIMENTÍCIOS

11-12 DE FEVEREIRO DE 2010 SEVILHA DECLARAÇÃO DO FÓRUM CONSULTIVO SOBRE INQUÉRITO PAN-EUROPEU SOBRE CONSUMO DE GÉNEROS ALIMENTÍCIOS 11-12 DE FEVEREIRO DE 2010 SEVILHA DECLARAÇÃO DO FÓRUM CONSULTIVO SOBRE INQUÉRITO PAN-EUROPEU SOBRE CONSUMO DE GÉNEROS ALIMENTÍCIOS O QUE ESTÁ NO MENU EUROPEU? INQUÉRITO PAN-EUROPEU SOBRE CONSUMO DE GÉNEROS

Leia mais

20 ANOS DE OPINIÃO PÚBLICA. em Portugal e na Europa POP. portal de opinião pública

20 ANOS DE OPINIÃO PÚBLICA. em Portugal e na Europa POP. portal de opinião pública 20 ANOS DE OPINIÃO PÚBLICA em Portugal e na Europa Comentários Alice Ramos Cícero Roberto Pereira José Barreto José Tavares Maria José Chambel Sofia Aboim Prefácio António Barreto Apresentação POP portal

Leia mais

Em Julho, empresários da Construção Revelam-se mais pessimistas

Em Julho, empresários da Construção Revelam-se mais pessimistas Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas ANEOP Associação Nacional dos Empreiteiros

Leia mais

CONVERGÊNCIA DOS PREÇOS MAS NÃO DOS SALÁRIOS E DE RENDIMENTOS ENTRE PORTUGAL E A UNIÃO EUROPEIA

CONVERGÊNCIA DOS PREÇOS MAS NÃO DOS SALÁRIOS E DE RENDIMENTOS ENTRE PORTUGAL E A UNIÃO EUROPEIA Convergência de preços mas não dos salários e dos rendimentos entre Portugal e a U.E. Pág. 1 CONVERGÊNCIA DOS PREÇOS MAS NÃO DOS SALÁRIOS E DE RENDIMENTOS ENTRE E A UNIÃO EUROPEIA RESUMO DESTE ESTUDO Em

Leia mais

Estilos de vida em Portugal, segundo o Inquérito Nacional de Saúde 1995/96, a nível regional

Estilos de vida em Portugal, segundo o Inquérito Nacional de Saúde 1995/96, a nível regional Maria do Rosário Giraldes* Análise Social, vol. xxxii (146-147), 1998 (2. -3. ), 611-615 Estilos de vida em Portugal, segundo o Inquérito Nacional de Saúde 1995/96, a nível regional A análise do indicador

Leia mais

União Europeia Docente: Pedro Moreira Ano Lectivo: 2012/2013

União Europeia Docente: Pedro Moreira Ano Lectivo: 2012/2013 União Europeia Docente: Pedro Moreira Ano Lectivo: 2012/2013 Como Nasceu a União Europeia? Depois da guerra...a paz, a solidariedade na Europa Em 1951, nasceu a primeira Comunidade - a Comunidade Europeia

Leia mais

8 de março de 2012: Dia Internacional da Mulher Desigualdade de género na União Europeia

8 de março de 2012: Dia Internacional da Mulher Desigualdade de género na União Europeia Direção Geral da Comunicação Direção das Relações com os Cidadãos Unidade de Acompanhamento da Opinião Pública Bruxelas, 7 de março de 2012 8 de março de 2012: Dia Internacional da Mulher Desigualdade

Leia mais

Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho Módulo ad hoc do Inquérito ao Emprego de 2008

Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho Módulo ad hoc do Inquérito ao Emprego de 2008 6. TEMA EM ANÁLISE Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho Módulo ad hoc do Inquérito ao Emprego de 2008 Graça Magalhães* Instituto Nacional de Estatística 1. Introdução

Leia mais

A segurança da Europa e o futuro da relação transatlântica

A segurança da Europa e o futuro da relação transatlântica A segurança da Europa e o futuro da relação transatlântica GEOPOLÍTICA: AS GRANDES QUESTÕES DO MUNDO CONTEMPORÂNEO Instituto Cultural D. António Ferreira Gomes José Pedro Teixeira Fernandes 6/1/2016 PARTE

Leia mais

Piora no clima econômico mundial leva a região latina para a fase de declínio do ciclo econômico.

Piora no clima econômico mundial leva a região latina para a fase de declínio do ciclo econômico. 16 de novembro de 2011 Índice de Clima Econômico Piora no clima econômico mundial leva a região latina para a fase de declínio do ciclo econômico. O Índice de Clima Econômico (ICE) da América Latina recuou

Leia mais

Como funciona a UE. Como funciona a UE

Como funciona a UE. Como funciona a UE Como funciona a UE Como funciona a UE Três instituições principais O Parlamento Europeu, a voz dos cidadãos Jerzy Buzek, Presidente do Parlamento Europeu O Conselho de Ministros, a voz dos Estados-Membros

Leia mais

Indicador de Confiança do Micro e Pequeno Empresário

Indicador de Confiança do Micro e Pequeno Empresário Indicador de Confiança do Micro e Pequeno Empresário Novembro - 2016 MPE MANTÉM CONFIANÇA, MAS SITUAÇÃO ATUAL AINDA É TIDA COMO DESFAVORÁVEL Em novembro de 2016, o Indicador de Confiança do Micro e Pequeno

Leia mais

Energia e Opinião Pública: potencial e desajustes

Energia e Opinião Pública: potencial e desajustes Energia e Opinião Pública: potencial e desajustes Energia e Opinião Pública: potencial e desajustes Luísa Schmidt Investigadora principal do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa Energia

Leia mais

Indicador de Confiança do Micro e Pequeno Empresário

Indicador de Confiança do Micro e Pequeno Empresário Indicador de Confiança do Micro e Pequeno Empresário Junho - 2016 INDICADOR DE CONFIANÇA DO MICRO E PEQUENO EMPRESÁRIO DE VAREJO E SERVIÇOS Em junho de 2016, o Indicador de Confiança do Micro e Pequeno

Leia mais

CONSUMER PAYMENT REPORT 2015

CONSUMER PAYMENT REPORT 2015 PORTUGAL CONSUMER PAYMENT REPORT A Intrum Justitia recolheu dados de. consumidores em 1 países europeus para adquirir o conhecimento da vida quotidiana dos consumidores europeus; dos seus gastos e da sua

Leia mais

Percentual (%) de respostas

Percentual (%) de respostas mar/11 jul/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 Avaliação do Governo 56 48 51 57 56 59 62 27 36 34 32 34 32 29 5 12 11 9 8 8 7 11 4 4 3 2 1 1 Perspectivas com relação ao restante do governo 68 55 56 59

Leia mais

Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT

Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT - 2010 Grau de Satisfação para Colaboradores sobre a Satisfação Global Nº de inquéritos recebidos 90 P1. Imagem global da organização. 0 2

Leia mais

RECURSOS FINANCEIROS UTILIZADOS PARA AS COMPRAS DE NATAL 2016

RECURSOS FINANCEIROS UTILIZADOS PARA AS COMPRAS DE NATAL 2016 RECURSOS FINANCEIROS UTILIZADOS PARA AS COMPRAS DE NATAL 2016 Novembro 2016 81% possuem expectativas de que 2017 será um ano financeiramente melhor O ano de 2016 não tem sido fácil para boa parte dos brasileiros.

Leia mais

O Funcionamento do Triângulo Institucional

O Funcionamento do Triângulo Institucional Construção da União Europeia O Funcionamento do Triângulo Institucional 25 de Junho de 2009 Centro de Informação Europeia 1 1 Como funciona a União Europeia? O sistema político da União Europeia tem vindo

Leia mais

Medir a Literacia Estatística

Medir a Literacia Estatística Medir a Literacia Estatística Conteúdo 1. A propósito da Literacia Estatística 2. O Índice: metodologia questionário 3. O caso português 1 A propósito da Literacia Estatística A propósito da Literacia

Leia mais

3. EXECUÇÃO FINANCEIRA DO PIC URBAN II LISBOA

3. EXECUÇÃO FINANCEIRA DO PIC URBAN II LISBOA 3. EXECUÇÃO FINANCEIRA DO PIC URBAN II LISBOA 3.1. PROGRAMAÇÃO DAS MEDIDAS DO PROGRAMA Considerando o peso de cada Medida no total da programação do PIC URBAN II Lisboa (Vale de Alcântara), verifica-se

Leia mais

DIA INTERNACIONAL DA MULHER 30 ANOS ( ) QUARTA CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE AS MULHERES 10 ANOS (1995, PEQUIM)

DIA INTERNACIONAL DA MULHER 30 ANOS ( ) QUARTA CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE AS MULHERES 10 ANOS (1995, PEQUIM) Dia Internacional da Mulher (8 de Março) 1995-2005 04 de Março de 2005 DIA INTERNACIONAL DA MULHER 30 ANOS (1975 2005) QUARTA CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE AS MULHERES 10 ANOS (1995, PEQUIM) No momento em

Leia mais

CEO Briefing Portugal 2015 The Economist. Perspetivas económicas e estratégicas dos executivos portugueses

CEO Briefing Portugal 2015 The Economist. Perspetivas económicas e estratégicas dos executivos portugueses CEO Briefing Portugal 2015 The Economist Perspetivas económicas e estratégicas dos executivos portugueses 2 CEO Briefing Portugal 2015 Perspetivas económicas e estratégias dos executivos portugueses Índice

Leia mais

IIIª Sondagem Instituto BBVA de Pensões. Principais conclusões sobre as pensões e os hábitos de poupança em Portugal

IIIª Sondagem Instituto BBVA de Pensões. Principais conclusões sobre as pensões e os hábitos de poupança em Portugal IIIª Sondagem Instituto BBVA de Pensões Principais conclusões sobre as pensões e os hábitos de poupança em Portugal O Instituto BBVA de Pensões realizou em Outubro de 2015 a IIIª Sondagem sobre as pensões

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES Câmara Municipal de Vimioso 2016 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 1 2. A IMPORTANCIA DE MEDIR A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES 2 3. OBJECTIVOS 2 4. METODOLOGIA 2 5. ANÁLISE

Leia mais

Resultados sob embargo até divulgação pelo JN, DN, RTP e Antena 1 no dia 5 de Março à 01h00

Resultados sob embargo até divulgação pelo JN, DN, RTP e Antena 1 no dia 5 de Março à 01h00 SONDAGEM SOBRE CRISE ECONÓMICA E REFORMA DO ESTADO CESOP/UCP PARA ANTENA 1, RTP, JN E DN Resultados sob embargo até divulgação pelo JN, DN, RTP e Antena 1 no dia 5 de Março à 01h00 0. Ficha técnica Ficha

Leia mais

Portugal : Retrato Económico e Social em gráficos

Portugal : Retrato Económico e Social em gráficos Portugal 198-1: Retrato Económico e Social em gráficos E.E.F. Mercados Financeiros Setembro 15 Perante o processo de ajustamento efectuado nos últimos quatro anos, é nosso propósito mostrar e realçar que

Leia mais

Conjuntura da Construção n.º 76 junho / 2014 CONSTRUÇÃO CAI 6% NO 1.º TRIMESTRE COM PERSPETIVAS MAIS FAVORÁVEIS PARA O 2.

Conjuntura da Construção n.º 76 junho / 2014 CONSTRUÇÃO CAI 6% NO 1.º TRIMESTRE COM PERSPETIVAS MAIS FAVORÁVEIS PARA O 2. Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Conjuntura da Construção n.º 76 junho

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO. Painel de Indicadores Sociais. que acompanha o documento

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO. Painel de Indicadores Sociais. que acompanha o documento COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 26.4.2017 SWD(2017) 200 final DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO Painel de Indicadores Sociais que acompanha o documento COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU,

Leia mais

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa.

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Boletim Mensal de Economia Portuguesa Nº 5 Maio 2009 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e da Inovação GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ANÁLISE DA QUALIDADE GERAL E ESPECÍFICA DOS SERVIÇOS E INFRAESTRUTURAS EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA Novembro de 2007 1 PB RESULTADO DO INQUÉRITO AOS FUNCIONÁRIOS

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL O PROJECTO Projecto de promoção do desenvolvimento local utilizando o turismo como instrumento catalisador de integração e sustentabilidade. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL ALENTEJO ARAD LAPÓNIA LOMZA TRENTINO

Leia mais

FLASH EB 266 AS MULHERES E AS ELEIÇÕES EUROPEIAS. Síntese analítica

FLASH EB 266 AS MULHERES E AS ELEIÇÕES EUROPEIAS. Síntese analítica Bruxelas, 2 de Março de 2009 FLASH EB 266 AS MULHERES E AS ELEIÇÕES EUROPEIAS Síntese analítica Por ocasião da celebração do Dia Internacional da Mulher e com a aproximação das eleições europeias, a realizar

Leia mais

Indicador de Confiança do Micro e Pequeno Empresário

Indicador de Confiança do Micro e Pequeno Empresário Indicador de Confiança do Micro e Pequeno Empresário Maio 2017 Indicador de Confiança do MPE mostra empresários ainda pessimistas com os rumos da economia Em maio de 2017, o Indicador de Confiança do Micro

Leia mais

O CENÁRIO ECONÔMICO ATUAL NA VISÃO DOS CONSUMIDORES

O CENÁRIO ECONÔMICO ATUAL NA VISÃO DOS CONSUMIDORES O CENÁRIO ECONÔMICO ATUAL NA VISÃO DOS CONSUMIDORES Maio 2015 1. INTRODUÇÃO Consumidor espera ano pior para a economia em comparação a 2014: a maioria acredita em restrição ao consumo de supérfluos, sensação

Leia mais

O texto integral do Relatório Anual sobre o Desempenho do Emprego consta do doc.: 12563/17 ADD 1.

O texto integral do Relatório Anual sobre o Desempenho do Emprego consta do doc.: 12563/17 ADD 1. Conselho da União Europeia Bruxelas, 6 de outubro de 2017 (OR. en) 12563/17 SOC 597 EMPL 458 ECOFIN 750 EDUC 346 NOTA de: para: Assunto: Comité do Emprego (COEM) Comité de Representantes Permanentes/Conselho

Leia mais

Indicador de Confiança do Consumidor

Indicador de Confiança do Consumidor Indicador de Confiança do Consumidor Julho 2017 Mesmo com incertezas no cenário político e econômico, confiança do consumidor volta a crescer e atinge 41,4 pontos em julho Indicador de Confiança do Consumidor

Leia mais

COUNTRY PAYMENT REPORT. Portugal

COUNTRY PAYMENT REPORT. Portugal COUNTRY PAYMENT REPORT 16 Portugal Country Payment Report 16: PORTUGAL O Relatório de Pagamentos por país é desenvolvido pela Intrum Justitia. A Intrum Justitia reúne dados de milhares de empresas na Europa

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 3º Trimestre 2016

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 3º Trimestre 2016 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida 3º Trimestre 2016 Outubro 2016 Ficha Técnica Presidente Osvaldo Borges Vice-Presidente Celso

Leia mais

A crise econômica sob a ótica do jovem empreendedor

A crise econômica sob a ótica do jovem empreendedor A crise econômica sob a ótica do jovem empreendedor Otimismo e autoconfiança são marcas do jovem empreendedor no Brasil. Percepção da crise é menor quando empresários olham para o próprio negócio A pesquisa

Leia mais

Direito Internacional da Segurança Social

Direito Internacional da Segurança Social Direito Internacional da Segurança Social 16 de Abril de 2008 Pierre Guibentif ISCTE / Mestrado em Ciências do Trabalho e Relações Laborais ISCTE 16-4-2008 Introdução histórica Parte 1: até a II Guerra

Leia mais

A assiduidade dos nossos utentes tem sido a maior prova de que este serviço é importante na vida da população residente do concelho de Sernancelhe.

A assiduidade dos nossos utentes tem sido a maior prova de que este serviço é importante na vida da população residente do concelho de Sernancelhe. INQUÉRITO SOBRE A UNIDADE MÓVEL DE SAÚDE A assiduidade dos nossos utentes tem sido a maior prova de que este serviço é importante na vida da população residente do concelho de Sernancelhe. Ao longo dos

Leia mais

MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007, DE 29 DE OUTUBRO (Duração: 90 minutos + 30 minutos de tolerância)

MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007, DE 29 DE OUTUBRO (Duração: 90 minutos + 30 minutos de tolerância) MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007, DE 29 DE OUTUBRO (Duração: 90 minutos + 30 minutos de tolerância) ECONOMIA A 11º ANO (Cursos Científico-Humanísticos Decreto-Lei

Leia mais

Política Europeia de Imigração: Evolução e Perspectivas. Constança Urbano de Sousa

Política Europeia de Imigração: Evolução e Perspectivas. Constança Urbano de Sousa Política Europeia de Imigração: Evolução e Perspectivas Constança Urbano de Sousa Notas preliminares Imigração e Asilo Conceito comunitário de estrangeiro Cidadão comunitário Estrangeiro: nacional de Estado

Leia mais

Consideras a possibilidade de trabalhar no estrangeiro?

Consideras a possibilidade de trabalhar no estrangeiro? Inquérito Universia e Trabalhando 94% dos jovens portugueses considera a possibilidade de trabalhar no estrangeiro Lisboa, 29 de Novembro de 2012. O Universia Portugal (http://), a rede de universidades

Leia mais

Construção com menos 74 mil empregos num ano

Construção com menos 74 mil empregos num ano Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Conjuntura da Construção n.º 69 Maio

Leia mais

Portugal e Espanha: Realidade ibérica e comparações no contexto europeu

Portugal e Espanha: Realidade ibérica e comparações no contexto europeu A Península Ibérica em Números 2012 13 de março de 2013 Portugal e Espanha: Realidade ibérica e comparações no contexto europeu A Península Ibérica tinha cerca de 57,4 milhões de habitantes, existindo

Leia mais

1.Percepção e atitudes

1.Percepção e atitudes 1.Percepção e atitudes > Um conceito complexo A questão da responsabilidade social das empresas é de grande complexidade e riqueza. Envolve múltiplas variáveis e o consumidor expressa-as ao ver as empresas:

Leia mais

A importância dos afectos. Igualdade de género e políticas de emprego. Vida familiar na Europa. Emprego e flexibilidades. Qualidade de vida na Europa

A importância dos afectos. Igualdade de género e políticas de emprego. Vida familiar na Europa. Emprego e flexibilidades. Qualidade de vida na Europa 1. A importância dos afectos Vida familiar na Europa 2. 5. 6. Igualdade de género e políticas de emprego Qualidade de vida na Europa Emprego e flexibilidades 3. Políticas de cuidados com as crianças e

Leia mais

Taxa de Inflação homóloga diminuiu para 2,1%

Taxa de Inflação homóloga diminuiu para 2,1% ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Agosto de 2007 14 de Setembro de 2007 Taxa de Inflação homóloga diminuiu para 2,1% Em Agosto, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) situou-se

Leia mais