Comunicado Técnico 09

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comunicado Técnico 09"

Transcrição

1 Comunicado Técnico 09 ISSN X Maio Uberaba - MG Regulagem de Pulverizadores Agrícolas de Barras Responsável: Paulo Roberto Pala Martinelli Engenheiro Agrônomo; Doutorando FCAV/UNESP; Professor FAZU

2 INTRODUÇÃO Com o desenvolvimento da agricultura, aumento de áreas cultivadas foram se tornando cada vez maiores as necessidades de uso de produtos químicos (defensivos agrícolas), no controle de pragas e doenças das plantas cultivadas. Atrelado a isso a tecnologia de aplicação de defensivos tem papel importante no desenvolvimento dos métodos de aplicação dos diferentes produtos e na regulagem e calibração dos equipamentos (BALASTREIRE, 2005). A aplicação de defensivos quando feita de maneira errada sempre é sinônimo de prejuízos, com perder de até 70% do produto aplicado devido a má aplicação, escorrimento e deriva. Além de gerar desperdícios, pode causar resistência e aumentar os riscos de contaminação de pessoas e meio ambiente. O sucesso de uma boa pulverização está embasada em seis pontos importantes: 1º: Bom pulverizador; 2º: Bom produto químico; 3º: Operador treinado; 4º: Boa qualidade da água, ph ideal, 5º: Condições de tempo favoráveis, velocidade dos ventos, umidade relativa do ar e temperatura e 6º: Calibração e regulagem do equipamento. CONCEITOS Regulagem: é preparar o pulverizador para atender o desejado, ou seja, produzir gotas de uma determinada classe de tamanho, e aplicar um determinado volume da calda (L/ha) do defensivo. Calibração: é verificar se o desempenho do pulverizador está como o previsto pela regulagem e fazer os ajustes finos para deixá-lo pronto para o trabalho. PROCEDIMENTOS Antes da regulagem do pulverizador, observar: Antes da regulagem do pulverizador observar: Verificação da limpeza do(s) filtro(s) de sucção do pulverizador se estiver sujo realizar a limpeza (Figura 1); Verificação das mangueiras condutoras de calda se não estão furadas ou dobradas, para evitar vazamentos e redução no volume aplicado (Figura 2); Verificação do regulador de pressão, principalmente os componentes: sede de válvulas, válvulas e molas, se não estão gastas ou presas por impurezas; Verificar a manutenção da bomba se não há vazamentos e se está lubrificada (nível de óleo ou graxa); Aferições dos bicos da barra de pulverização se são todos do mesmo tipo, se não estão gastos, se não diferem em mais de 10% de vazão e se os filtros estão limpos (Figura 3). Figura 1 - Filtro de Sucção

3 Figura 2 - Mangueira furada e dobrada Figura 3 - Bico irregular e com filtro sujo UMA VEZ VERIFICADO TODOS ESTES ITENS, INICIA-SE A CALIBRAÇÃO DO PULVERIZADOR Método de Calibração: 1. Marque 50 metros no terreno a ser tratado; 2. Abasteça o pulverizador; 3. Escolha a marcha de trabalho do trator; 4. Ligue a tomada de potência do trator (TDP); 5. Acelere o motor trator até a rotação correspondente a 540 rpm na tomada de potência (TDP);

4 6. Inicie o movimento do trator no mínimo 5 metros antes do ponto marcado; 7. Anote o tempo gasto para percorrer os 50 metros; 8. Em terrenos com topografia irregular repita a operação várias vezes e tire a média; 9. Com o trator parado, na aceleração utilizada para percorrer os 50 metros, abra os bicos e regule a pressão de acordo com a recomendada para os diferentes tipos de bicos: 9.1 Bicos cone - de 75 a 200 lbf/pol2; 9.2 Bicos leque - de 30 a 60 lbf/pol2; 10. Colete o volume dos bicos no tempo igual ao gasto para percorrer os 50 metros; 11. Repita essa operação em diversos bicos para obter uma média do volume; CÁLCULOS Exemplo: Pulverizador de barras de 18m de largura com espaçamento entre bicos de 0,5m e volume do tanque de 500L. Tempo gasto para percorrer os 50m, 25 segundos e volume médio coletado nos bicos de 0,3L. Indicação do volume de calda por hectare, segundo dados da bula do produto que será aplicado 110L/ha com dosagem do produto de 2L//ha. Área (A): Comprimento Área Teste x Largura da Barra A: 50m x 18m = 900m² Número de Bicos (NB): Largura da Barra / Espaçamento entre Bicos NB: 18m / 0,5 = 36 bicos Volume Calda da Área Teste (VCT): Volume Médio Coletado nos Bicos x Número de Bicos VC: 0,3L x 36 bicos = 10,8L Volume de Calda Gasto em 1 ha (VC): m² x VCT A VC: m² x 10,8L = 120L/ha 900 M² Dosagem do Produto no Tanque (DPT): Volume do Tanque x Dose Produto/ha VC DPT: 500L x 2 L/ha = 8,33L de Produto/ Tanque 120L/ha

5 OBSERVAÇÕES: 1º - Se o volume obtido for abaixo do desejado, aumentar a pressão, diminuir a velocidade (mantenha 540rpm na tomada de potência - TDP) ou troque os bicos por outros de maior vazão; 2º - Se o volume obtido for superior ao desejado, diminuir a pressão, aumentar a velocidade (mantenha 540rpm na tomada de potência - TDP) ou troque os bicos por outros de menor vazão. ATENÇÃO PARA AUMENTAR OU DIMINUIR A VELOCIDADE, TROQUE A MARCHA NÃO ALTERANDO A ACELERAÇÃO. INFORMAÇÕES ADICIONAIS Tabela 1: Volume de calda mais utilizados nas aplicações de diferentes defensivos agrícolas. Tabela 2: Variação do número de gotas/cm² ideal para cada grupo de defensivos agrícolas. Fonte: Pesticide Application Methods, G. A. Mattheus, 1992.

6 agrícolas. A figura abaixo mostra as principais fontes de erros cometidos nas aplicações de defensivos Figura 4: Gráfico das percentagens de erros cometidos na aplicação de defensivos agrícolas no Brasil, adaptado de MATUO, ATENÇÃO! UTILIZAR EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) EM APLICAÇÕES COM DEFENSIVOS AGRÍCOLAS.

7 REFERÊNCIAS BALASTREIRE, L. A. Máquinas agrícolas. São Paulo: Manole, p. MATTHEWS, G. A. Pesticide applications methods. Singapore: Longman, p. MATUO, T. Técnicas de aplicação de defensivos agrícolas. Jaboticabal: FUNEP, p. O sucesso do seu negócio depende de uma boa orientação técnica. CONSULTE UM AGRÔNOMO. Laboratório de Análise de Solo Laboratório de Análise de Nutrição Animal Laboratório de Análise Microbiológica de água e alimentos Laboratório de Análise Físico-Química de alimentos Av. do Tutuna. nº 720. Bairro Tutunas CEP: Uberaba-MG (34)

APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS. Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas

APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS. Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas INTRODUÇÃO É a aplicação uniforme de um defensivo agrícola na forma líquida, utilizando a energia

Leia mais

Mecanização da Pulverização. Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A

Mecanização da Pulverização. Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A Mercado de defensivos Agrícolas 2014 - Brasil - O mercado brasileiro comercializou o valor total de US$12,25 bilhões em defensivos agrícolas. Fonte:

Leia mais

GLADIADOR Melhor relação peso/potência da categoria

GLADIADOR Melhor relação peso/potência da categoria GLADIADOR 2300 Melhor relação peso/potência da categoria Catálogo virtual Português Ago/2016 GLADIADOR 2300 O pulverizador autopropelido Gladiador 2300 apresenta grande autonomia de trabalho, possibilitando

Leia mais

Nebulizadores aplicam gotas menores que 50 mm.

Nebulizadores aplicam gotas menores que 50 mm. Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias Curso : Agronomia Disciplina: Tratamento Fitossanitário Aula: Aplicação de Líquidos e Pulverizadores Os produtos fitossanitários

Leia mais

LINHA ADVANCE. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA ADVANCE. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650 17580000 Pompeia SP Tel. (14) 3405 2100 Fax. (14) 3452 1916 Email: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. www.jacto.com.br

Leia mais

Tecnologia de Aplicação

Tecnologia de Aplicação Tecnologia de Aplicação Rodolfo G. Chechetto Engenheiro Agrônomo O que é Tecnologia de Aplicação? Conjunto de conhecimentos que integram informações sobre os produtos fitossanitários, suas formulações

Leia mais

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS NA CITRICULTURA

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS NA CITRICULTURA TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS NA CITRICULTURA HAMILTON HUMBERTO RAMOS Diretor Geral do Instituto Agronômico TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS Emprego de todos os conhecimentos

Leia mais

Treinamento. Arbus 400 Golden

Treinamento. Arbus 400 Golden Arbus 400 Golden Treinamento Arbus 400 Golden Prof. Brandão - Operação - Manutenção - Regulagem da pulverização Arbus 400 Golden Arbus 400 Maçã 33 Apresentação da máquina Tanque de Defensivos Aplicação

Leia mais

Seleção de Pontas de Pulverização

Seleção de Pontas de Pulverização JORNADAS DE ACTUALIZACIÓN EN TECNOLOGÍAS DE APLICACIÓN EN CULTIVOS EXTENSIVOS Seleção de Pontas de Pulverização Otavio J. G. Abi Saab Prof. Mecanização Agrícola Universidade Estadual de Londrina Estado

Leia mais

NEW HOLLAND TT TT384O

NEW HOLLAND TT TT384O NEW HOLLAND TT TT384O 2 3 PERFEITO PARA A SUA LAVOURA, DO TAMANHO DA SUA NECESSIDADE. O TT384O foi projetado para atender às suas necessidades mais específicas no campo. Com 55 cavalos, ele é robusto,

Leia mais

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas. Aldemir Chaim, pesquisador da Embrapa Meio Ambiente

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas. Aldemir Chaim, pesquisador da Embrapa Meio Ambiente Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas Aldemir Chaim, pesquisador da Embrapa Meio Ambiente A aplicação de produtos químicos ou biológicos para controle de pragas pode ser feita com tratores

Leia mais

Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq

Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq ABIMAQ Associação Brasileira da Indústria de Máquinas CSMIA Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas 360 empresas 48.000 empregos R$ 11

Leia mais

New Holland TL exitus

New Holland TL exitus New Holland TL exitus TL60E TL75E TL85E TL95E MaIoR PRodUTIVIdade e MaIoR economia: o MelHoR CUSTo/BeNeFÍCIo da CaTeGoRIa. A New Holland desenvolveu o trator perfeito para as multitarefas da sua fazenda.

Leia mais

Comunicado Técnico 08

Comunicado Técnico 08 Comunicado Técnico 08 ISSN 2177-854X Setembro. 2010 Uberaba - MG Automação em Sistemas de Irrigação Responsáveis: Ana Paula P.M.Guirra E-mail: anappmg_irrig@yahoo.com.br Tecnóloga em Irrigação e Drenagem;

Leia mais

Indicações Registradas

Indicações Registradas Marca Comercial Titular do Registro Nº Registro MAPA Topik 240 EC SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS LTDA. - 1506.744.463/0001-90 Classe Herbicida Ingrediente Ativo (I.A.) Clodinafope-Propargil Nome Químico

Leia mais

ADITIVO 03 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2014

ADITIVO 03 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2014 ADITIVO 03 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2014 O Prefeito Municipal de Piranga MG, faz saber que fica alterado o Edital de Concurso Público da seguinte forma: Fica acrescentado ao Edital 01/2014 a

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Introdução Capacidades Características Técnicas Partes do Equipamento... 3

SUMÁRIO. 1. Introdução Capacidades Características Técnicas Partes do Equipamento... 3 SUMÁRIO 1. Introdução... 2 1.1. Capacidades... 2 1.2. Características Técnicas... 2 1.3. Partes do Equipamento... 3 2. Instalação... 3 3. Operação... 4 4. Segurança... 5 5. Manutenção... 6 6. Solução de

Leia mais

11ª. REUNIÃO TÉCNICA PROTEF

11ª. REUNIÃO TÉCNICA PROTEF 11ª. REUNIÃO TÉCNICA PROTEF Avaliação de pontas de pulverização utilizadas em diferentes empresas florestais na aplicação do herbicida pré-emergente Fordor 750 WG. Eng. Agro.MS.João Alexandre Galon R T

Leia mais

Sumário 1. Introdução Manual Técnico Armazenagem Limpeza Lubrificação Manutenção Preventiva...

Sumário 1. Introdução Manual Técnico Armazenagem Limpeza Lubrificação Manutenção Preventiva... Sumário 1. Introdução... 3 2. Manual Técnico... 3 3. Armazenagem... 3 4. Limpeza... 3 5. Lubrificação... 4 6. Manutenção Preventiva... 4 7. Fontes de Alimentação... 4 8. Conclusão... 4 2 1. Introdução

Leia mais

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga 4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira Fazenda Quizenga Sistematização da área Conservam a cobertura vegetal do solo É essencial para correcções de áreas íngremes Conservar

Leia mais

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico Apresentação Características da hidráulica Evolução dos sistemas hidráulicos Sistema hidráulico Circuito hidráulico básico Unidade hidráulica Apresentação Com a constante evolução tecnológica há no mercado

Leia mais

Gafisa Construtora - Rio de Janeiro

Gafisa Construtora - Rio de Janeiro Injeções de Consolidação Obra Executada Impermeabilização abaixo da parede Diafragma Gafisa Construtora - Rio de Janeiro Sumário da obra: Na área acima havia um prédio que foi demolido, cujo local está

Leia mais

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS Emprego de todos os conhecimentos científicos que proporcionem a correta colocação do produto biologicamente ativo no alvo, em quantidade necessária, de forma econômica,

Leia mais

Consultoria em Irrigação e Fertirrigação. 3ª Reunião do GIC. Ribeirão Preto-SP, 18 de Setembro de 2012

Consultoria em Irrigação e Fertirrigação. 3ª Reunião do GIC. Ribeirão Preto-SP, 18 de Setembro de 2012 3ª Reunião do GIC Ribeirão Preto-SP, 18 de Setembro de 2012 Acionamento de motores elétricos em sistemas de irrigação via Inversor de Frequência e Qualidade na Aplicação e Operação de Sistema Carretel

Leia mais

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas A aplicação de produtos químicos ou biológicos para controle de pragas pode ser feita com tratores equipados com pulverizadores de barra com bicos

Leia mais

A agricultura está cada vez mais profissional.

A agricultura está cada vez mais profissional. New Holland TL TL6OE TL75E TL85E TL95E 2 3 4 A agricultura está cada vez mais profissional. E a nova linha TL acompanha essa tendência. AS Máquinas new holland estão prontas para trabalhar com biodiesel.

Leia mais

PROGRAMA CAS CERTIFICAÇÃO AEROAGRÍCOLA SUSTENTÁVEL

PROGRAMA CAS CERTIFICAÇÃO AEROAGRÍCOLA SUSTENTÁVEL PROGRAMA CAS CERTIFICAÇÃO AEROAGRÍCOLA SUSTENTÁVEL Prof. Dr. João Paulo Rodrigues da Cunha jpcunha@iciag.ufu.br Universidade Federal de Uberlândia Instituto de Ciências Agrárias Sumário A aviação agrícola

Leia mais

Manual Filtros SFMC 150/400/1000

Manual Filtros SFMC 150/400/1000 Manual Filtros SFMC 150/400/1000 Filtro Micrônico e Coalescente, com capacidade de retenção de sólidos de 5 micra e separação de água com eficiência de 99,5% e vazão de 150 ou 400 litros por minuto. Composto

Leia mais

Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau. Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP. Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto

Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau. Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP. Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto Informações Foi fundada em 1948; Todas as unidades produtivas

Leia mais

MELHORIAS NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS NA EMBRAPA SOJA

MELHORIAS NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS NA EMBRAPA SOJA M in isté rio d a A g ric u ltu ra P e cu á ria e A b a st e cim e n to MELHORIAS NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS NA EMBRAPA SOJA ALEXANDRE BRIGHENTI Embrapa Soja Londrina PR brighent@cnpso.embrapa.br

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO DE PRODUTO

CATÁLOGO TÉCNICO DE PRODUTO Equipamento de teste de pressão da bomba de combustível de veículos com injeção eletrônica O TVP s são equipamento para teste de pressão da bomba elétrica de combustível dos veículos com injeção eletrônica,

Leia mais

A ÁGUA É UM RECURSO ESCASSO E FUNDAMENTAL PARA A AGRICULTURA NUMA AGRICULTURA SUSTENTÁVEL É FUNDAMENTAL REDUZIR O RISCO DE POLUIÇÃO DA ÁGUA

A ÁGUA É UM RECURSO ESCASSO E FUNDAMENTAL PARA A AGRICULTURA NUMA AGRICULTURA SUSTENTÁVEL É FUNDAMENTAL REDUZIR O RISCO DE POLUIÇÃO DA ÁGUA 1 A ÁGUA É UM RECURSO ESCASSO E FUNDAMENTAL PARA A AGRICULTURA NUMA AGRICULTURA SUSTENTÁVEL É FUNDAMENTAL REDUZIR O RISCO DE POLUIÇÃO DA ÁGUA OS PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS SÃO FUNDAMENTAIS PARA A PRODUÇÃO

Leia mais

Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos no Cafeeiro. Autor: Luís César Pio

Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos no Cafeeiro. Autor: Luís César Pio Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos no Cafeeiro Autor: Luís César Pio Prezado colega, Catanduva, 9 de novembro de 2012. Para VOCÊ, que participou do encontro de capacitação técnica e que é integrante

Leia mais

Sistema Resistivo Diagrama de funcionamento Legendas

Sistema Resistivo Diagrama de funcionamento Legendas Sistema Resistivo Os sistemas tipo Resistivo podem ser empregados em máquinas de pequeno e médio porte que necessitem de uma lubrificação a óleo dosada e freqüente. Uma bomba de acionamento manual ou elétrico

Leia mais

Aplicação em escala laboratorial

Aplicação em escala laboratorial Aplicação em escala laboratorial Índice Velcorin Aplicação em escala laboratorial Página 3 5 Introdução Página 3 Medidas de Segurança Página 3 Metodologia (preparo) Página 4 Metodologia Microbiológica

Leia mais

SIMPLES E FACIL DE ENTENDER ESSE PROCESSO DE ARREFECIMENTO

SIMPLES E FACIL DE ENTENDER ESSE PROCESSO DE ARREFECIMENTO Acompanhe neste tópico as dicas de manutenção e revisão do sistema de arrefecimento. Manter o motor na temperatura ideal de funcionamento é tarefa que, se não cumprida rigorosamente, pode trazer sérios

Leia mais

Preservação da madeira

Preservação da madeira CONTROLE DA POLUIÇÃO NA INDÚSTRIA DE PRESERVAÇÃO DE MADEIRA FABRICIO GOMES GONÇALVES Preservação da madeira Instalações responsáveis pelo armazenamento da madeira e pela sua impregnação de preservativos,

Leia mais

ANÁLISE DE APLICATIVOS PARA REGULAGEM E CALIBRAÇÃO DE PULVERIZADORES NA CULTURA DA VIDEIRA

ANÁLISE DE APLICATIVOS PARA REGULAGEM E CALIBRAÇÃO DE PULVERIZADORES NA CULTURA DA VIDEIRA ANÁLISE DE APLICATIVOS PARA REGULAGEM E CALIBRAÇÃO DE PULVERIZADORES NA CULTURA DA VIDEIRA PILETTI, P.L.²; FEIL, G.²; ZIMMERMANN, L.C.³; LUCCA FILHO, Z²; MACHADO, O. D. da C.¹ RESUMO Os agricultores encontram

Leia mais

MEDIDA DA CARGA DO ELÉTRON MILLIKAN

MEDIDA DA CARGA DO ELÉTRON MILLIKAN MEDIDA DA CARGA DO ELÉTRON MILLIKAN OBJETIVO Estudar o movimento de um corpo em queda em um fluido, considerando a força de arraste. Determinar a carga do elétron. MATERIAL NECESSÁRIO Plataforma com o

Leia mais

LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE PREENCHER A RECEITA AGRONÔMICA

LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE PREENCHER A RECEITA AGRONÔMICA LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE PREENCHER A RECEITA AGRONÔMICA 1. A distribuição do Receituário Agronômico 1 ART, conforme modelo determinado pela Câmara de Agronomia, é efetuada pelo CREA-BA, através de sua

Leia mais

Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos

Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos Os Microorganismos Benéficos podem fazer muito mais do que bons vinhos e queijos, eles também podem ajudar no manejo dos resíduos sólidos. O EM 1 tem uma ampla

Leia mais

SP3500. E mais uma vez a New Holland presenteia o produtor, levando para o campo o mais moderno pulverizador do Brasil.

SP3500. E mais uma vez a New Holland presenteia o produtor, levando para o campo o mais moderno pulverizador do Brasil. NEW HOLLAND SP3500 SP3500. O pulverizador da New Holland A New Holland sempre esteve ao lado do produtor. Desde que se instalou no Brasil, seus técnicos têm ido a campo ouvir suas necessidades, conhecer

Leia mais

Comunicado Técnico 13

Comunicado Técnico 13 Comunicado Técnico 13 ISSN 2177-854X Junho. 2011 Uberaba - MG Planejamento e Implantação de um apiário Instruções Técnicas Responsáveis: Gisele Cristina Favero E-mail: giselefav82@yahoo.com.br Mestre em

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO HIDROLAVADORA DE ALTA PRESSÃO

MANUAL DO USUÁRIO HIDROLAVADORA DE ALTA PRESSÃO MANUAL DO USUÁRIO HIDROLAVADORA DE ALTA PRESSÃO Você acaba de adquirir a HIDROLAVADORA ZM MAXXI, um equipamento fabricado com materiais nobres, proporcionando durabilidade e resistência com ótimo custo

Leia mais

Chave de Impacto ½ DR1-266

Chave de Impacto ½ DR1-266 Chave de Impacto ½ DR1-266 Manual de Operações www.ldr2.com.br 1. DADOS TÉCNICOS Modelo DR1-266 Encaixe quadrado 1/2 Sistema de martelo Twin Hammer Torque máximo 68 kgfm Velocidade livre 8300 rpm Pressão

Leia mais

Ensaio de Bombas Centrífugas

Ensaio de Bombas Centrífugas Ensaio de Bombas Centrífugas 1. NORMAS DE ENSAIO Os ensaios de desempenho e de cavitação para bombas hidráulicas de fluxo (centrífugas, axiais e mistas), de classe C (bombas de utilização corrente) são

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções (Máquinas de gelo em cubo) Obrigado por escolher as máquinas de gelo Thermomatic. Para garantir o uso correto das operações, por favor, leia atentamente o manual de instruções e depois

Leia mais

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM:

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: 8413.50.10 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1. Montadora (repetir informação da Planilha de pleitos em excel): Komatsu 2. n Item (repetir

Leia mais

VEDACIT RÁPIDO CL. Produto pronto para o uso. Misturar o produto antes da aplicação, utilizando ferramenta limpa a fim de evitar a sua contaminação.

VEDACIT RÁPIDO CL. Produto pronto para o uso. Misturar o produto antes da aplicação, utilizando ferramenta limpa a fim de evitar a sua contaminação. Produto VEDACIT RÁPIDO CL proporciona rápido endurecimento e resistências iniciais ao cimento. Não deve ser usado em concretos estruturais armados e nem em argamassas armadas. Características Densidade:

Leia mais

CHAVE DE IMPACTO EM L

CHAVE DE IMPACTO EM L *Imagens meramente ilustrativas CHAVE DE IMPACTO EM L Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS CHAVE DE IMPACTO EM L Modelo V8 Chave de impacto em L Rotação a vazio 160 RPM Consumo médio

Leia mais

AGITADOR 3D Modelos TW3/TW3T. FinePCR. Manual de Operação

AGITADOR 3D Modelos TW3/TW3T. FinePCR. Manual de Operação AGITADOR 3D Modelos TW3/TW3T FinePCR Manual de Operação ÍNDICE 1. Informações Gerais 2 1.1. Aviso Importante 2 1.2. Informações e Contatos do Distribuidor 2 1.3. Informações e Contatos do Fabricante 2

Leia mais

Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura

Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura MANEJO DA VEGETAÇÃO E DE RESTOS CULTURAIS INTRODUÇÃO - Preparos Conservacionistas Objetivos: Superfície coberta máximo de tempo possível Uniformidade

Leia mais

TVP. Manual de Instruções. MEDIDOR DE VAZÃO Tipo Deslocamento Positivo TECNOFLUID

TVP. Manual de Instruções. MEDIDOR DE VAZÃO Tipo Deslocamento Positivo TECNOFLUID Português TVP MEDIDOR DE VAZÃO Tipo Deslocamento Positivo Manual de Instruções Leia este manual atentamente antes de iniciar a operação do seu aparelho. Guarde-o para futuras consultas. Anote o modelo

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE POLÍMEROS NATURAIS E MELHORIA DO DESEMPENHO DA ETA DE MANHUAÇU*

UTILIZAÇÃO DE POLÍMEROS NATURAIS E MELHORIA DO DESEMPENHO DA ETA DE MANHUAÇU* UTILIZAÇÃO DE POLÍMEROS NATURAIS E MELHORIA DO DESEMPENHO DA ETA DE MANHUAÇU* Autores: Felix de Carvalho Augusto (apresentador) Técnico em Química (Colégio São José RJ), Químico Industrial (Faculdade da

Leia mais

Pulverização Aérea CARTILHA EXPLICATIVA

Pulverização Aérea CARTILHA EXPLICATIVA Pulverização Aérea CARTILHA EXPLICATIVA 1 A modernização da agricultura mundial O crescimento na demanda mundial de alimentos trouxe um novo desafio para a agricultura. A necessidade de evoluir na produtividade

Leia mais

KIT CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA

KIT CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA *Imagens meramente ilustrativas KIT CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMÁTICA Manual de Instrução www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS KIT CHAVE DE IMPACTO PARAFUSADEIRA PNEUMATICA Modelo V8 Chave de

Leia mais

Sumário. Apresentação 04. O que é um dessalinizador 04. Como funciona o sistema de dessalinização 05. Descrição dos componentes 06

Sumário. Apresentação 04. O que é um dessalinizador 04. Como funciona o sistema de dessalinização 05. Descrição dos componentes 06 Sumário Apresentação 04 O que é um dessalinizador 04 Como funciona o sistema de dessalinização 05 Descrição dos componentes 06 Processo de osmose reversa 07 Instrumentação 07 Verificações importantes antes

Leia mais

CUIDADOS BÁSICOS COM CENTRÍFUGAS

CUIDADOS BÁSICOS COM CENTRÍFUGAS RECOMENDAÇÃO TÉCNICA ISSN 1413-9553 agosto, 1998 Número 10/98 CUIDADOS BÁSICOS COM CENTRÍFUGAS Vicente Real Junior André Luiz Bugnolli Ladislau Marcelino Rabello Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1. Um agricultor relata que não está tendo controle satisfatório na aplicação de um herbicida. Afirma estar aplicando conforme recomendação do fabricante do produto (x litros p.c./ha

Leia mais

Bancada para medição de fenômeno hidráulico durante a operação de um grupo gerador como síncrono

Bancada para medição de fenômeno hidráulico durante a operação de um grupo gerador como síncrono Bancada para medição de fenômeno hidráulico durante a operação de um grupo gerador como síncrono Carlos Barreira MARTINEZ Leonardo A. B. TORRES Luís A. AGUIRRE Viviane P. F. MAGALHÃES Introdução Operação

Leia mais

Water Cooled Motor refrigerado à água

Water Cooled Motor refrigerado à água Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas Water Cooled Motor refrigerado à água Baixo nível de ruído Fácil manutenção Baixo custo operacional Motores Water Cooled Os motores refrigerados

Leia mais

Lashing & Lifiting. Ferramentas tensionadoras

Lashing & Lifiting. Ferramentas tensionadoras Lashing & Lifiting Ferramentas tensionadoras FN-114T (Peça No. 008810) A FN tem uma faca de corte embutida. Como as fitas estão separadas durante o tensionamento, é possível usar tal ferramenta em fitas

Leia mais

27/11/2015. Boas práticas: os desafios da tecnologia de aplicação. Tecnologia de aplicação x ambiente. Ulisses Rocha Antuniassi

27/11/2015. Boas práticas: os desafios da tecnologia de aplicação. Tecnologia de aplicação x ambiente. Ulisses Rocha Antuniassi Boas práticas: os desafios da tecnologia de aplicação Ulisses Rocha Antuniassi FCA/UNESP - Botucatu/SP ulisses@fca.unesp.br Apresentação UNESP: FCA: DEnR: NTA: NEMPA: Universidade Estadual Paulista Faculdade

Leia mais

Motobombas. Diesel. BFD 6" - Ferro Fundido BFD 8" - Ferro Fundido

Motobombas. Diesel. BFD 6 - Ferro Fundido BFD 8 - Ferro Fundido Motobombas Diesel BFD 6" - Ferro Fundido BFD 8" - Ferro Fundido 1 - Motobomba BFDE 6", BFDE 8" Sua aplicação básica está na captação de água de rio e lagos. Utilizado quando é necessário uma transferência

Leia mais

TESTE ON-LINE. Apresentação do funcionamento e novo equipamento

TESTE ON-LINE. Apresentação do funcionamento e novo equipamento TESTE ON-LINE Apresentação do funcionamento e novo equipamento Breve Definição O teste on-line permite verificar a pressão de abertura atual da válvula de segurança em condições normais de operação, ou

Leia mais

SAC 0800-VEDACIT DEMAIS DEPARTAMENTOS (11) DE SEGUNDA A SEXTA DAS 8H ÀS 17H45

SAC 0800-VEDACIT DEMAIS DEPARTAMENTOS (11) DE SEGUNDA A SEXTA DAS 8H ÀS 17H45 Produto VEDACIL ACQUA é um verniz à base de resina acrílica dispersa em água. É indicado para proteção de estruturas e, após a cura, forma um filme transparente, impermeável, de fácil limpeza, de boa resistência

Leia mais

Amarração de alvenaria em pilar

Amarração de alvenaria em pilar Página 1 de 10 Amarração de alvenaria em pilar Confira as etapas para fazer a ligação de alvenaria e pilar Reportagem: Juliana Nakamura Fissuras e outros problemas nas alvenarias de paredes costumam gerar

Leia mais

Chave de Impacto 1 DR1-565 Manual de Operações

Chave de Impacto 1 DR1-565 Manual de Operações Chave de Impacto 1 DR1-565 Manual de Operações www.ldr2.com.br 1. DADOS TÉCNICOS Modelo DR1-565 Encaixe quadrado 1 Sistema de martelo Pin Less Hammer Torque máximo 244 kgfm Velocidade livre 3800 rpm Pressão

Leia mais

MSK FILTRO COALESCENTE

MSK FILTRO COALESCENTE FILTRO COALESCENTE MSK 1 - INTRODUÇÃO 1.1. - FINALIDADE DESTE MANUAL Este manual proporciona informações de funcionamento, instalação, operação e manutenção dos filtros MS-série K. Leia este manual atentamente

Leia mais

DIRETOR INDUSTRIAL NOSSO DISTRIBUIDOR GOIAS ENGEMAC

DIRETOR INDUSTRIAL NOSSO DISTRIBUIDOR GOIAS ENGEMAC DIRETOR INDUSTRIAL NOSSO DISTRIBUIDOR GOIAS ENGEMAC 50 ANOS FABRICANDO EQUIPAMENTOS ROBERTO PROFESSOR SENAI EM 1954 INICIO DE FABRICAÇÃO CARPIDEIRAS GERALDÃO 1958 ROBERTO COMPRA SEU PRIMEIRO TORNO 1957

Leia mais

JARDIM. PULVERIZADORES 0,5 Litros WT ,9 Litros C-9. PULVERIZADORES PRESSÃO 1,5 Litros G1500 PULVERIZADORES

JARDIM. PULVERIZADORES 0,5 Litros WT ,9 Litros C-9. PULVERIZADORES PRESSÃO 1,5 Litros G1500 PULVERIZADORES 0,5 Litros WT-2056-2 Peso: 56g Ø bocal: 22mm Cx.: 50 un. Cod.: 180 050 001 050 0,9 Litros C-9 Peso: 83g Ø bocal: 22mm Cx.: 50 un. Cod.: 180 050 001 090 - Pulverizadores de cores sortidas com bomba de pistão

Leia mais

DESEMPENHO OPERACIONAL DE PULVERIZADOR AUTOPROPELIDO DE BARRAS NO MUNICÍPIO DE SINOP- MT

DESEMPENHO OPERACIONAL DE PULVERIZADOR AUTOPROPELIDO DE BARRAS NO MUNICÍPIO DE SINOP- MT DESEMPENHO OPERACIONAL DE PULVERIZADOR AUTOPROPELIDO DE BARRAS NO MUNICÍPIO DE SINOP- MT Thiago Martins Machado 1, Danilo Gonçalves Batista Queiroz 2, Étore Francisco Reynaldo 3 1 Professor Doutor do Instituto

Leia mais

Transpalete. Leia o manual com atenção antes de operar seu Transpalete Tander.

Transpalete. Leia o manual com atenção antes de operar seu Transpalete Tander. Transpalete Leia o manual com atenção antes de operar seu Transpalete Tander. Obrigado por escolher o Transpalete Tander. Para sua segurança e operação correta do equipamento, por favor, leia atentamente

Leia mais

BD 60/95 RS. Modo economico. Dimensões compactas. Extremamente compacto. Carro de bateria opcional

BD 60/95 RS. Modo economico. Dimensões compactas. Extremamente compacto. Carro de bateria opcional Lavadora e secadora de pisos com operador em pé. Combina a manobrabilidade das máquinas de operador pedestre com a velocidade de trabalho das máquinas com operador à bordo. 1 2 3 4 1 2 Modo economico Economiza

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO INSTRUÇÃO E OPERAÇÃO DO CORTADOR ALUMINIUM

MANUAL DO USUÁRIO INSTRUÇÃO E OPERAÇÃO DO CORTADOR ALUMINIUM ATENÇÃO Antes de retirar o cortador da embalagem, leia atentamente este manual. MANUAL DO USUÁRIO INSTRUÇÃO E OPERAÇÃO DO CORTADOR ALUMINIUM ÍNDICE 1. PRECAUÇÕES 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 3. INSTRUÇÕES

Leia mais

NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela. Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION

NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela. Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION Mercado de Máquinas Pesadas - Brasil (Estimativa) Retroescavadeiras Pás carregadeiras Escavadeiras

Leia mais

Bomba hidráulica manual Modelos CPP700-H e CPP1000-H

Bomba hidráulica manual Modelos CPP700-H e CPP1000-H Tecnologia de calibração Bomba hidráulica manual Modelos CPP700-H e CPP1000-H Folha de dados WIKA CT 91.07 outras aprovações veja página 2 Aplicações Geração de pressão em campo ou em laboratório Para

Leia mais

FUNCIONAL E DE FÁCIL UTILIZAÇÃO. Seja o fluxo de ar como o fluxo de óleo, podem ser individualmente ajustados em cada módulo.

FUNCIONAL E DE FÁCIL UTILIZAÇÃO. Seja o fluxo de ar como o fluxo de óleo, podem ser individualmente ajustados em cada módulo. CARACTERÍSTICAS VAZÃO CONSTANTE MESMO COM A VARIAÇÃO DA PRESSÃO NA ENTRADA E NA SAÍDA. CONTROLE INDEPENDENTE EM CADA MÓDULO A VÁLVULA DE EQUALIZAÇÃO DE PRESSÃO É CAPAZ DE MANTER UM FLUXO CONSTANTE DE ÓLEO,

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controle de Processos

Fundamentos de Automação. Controle de Processos Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controle

Leia mais

Manual de Instalação do Conjunto de Pressão

Manual de Instalação do Conjunto de Pressão Pág. 0-900 / www.polibol.com.br DIAGRAMA PRINCIPAL MONOFÁSICO - BIFÁSICO 7/V 0HZ - 0/0V 0HZ DIAGRAMA DE COMANDO DIAGRAMA PRINCIPAL TRIFÁSICO 0/0 0HZ DIAGRAMA DE COMANDO N R S A C 0V - 0HZ B N R S T A C

Leia mais

A nova linha T6 da New Holland chegou para ajudar você a ir mais longe. Reunindo força, rendimento e desempenho com tecnologia e um design moderno e

A nova linha T6 da New Holland chegou para ajudar você a ir mais longe. Reunindo força, rendimento e desempenho com tecnologia e um design moderno e New Holland T6 T6 2 3 NOVA LINHA T6. FORÇA E ROBUSTEZ PARA SUA LAVOURA. DESIGN E PRODUTIVIDADE PARA VOCÊ. A nova linha T6 da New Holland chegou para ajudar você a ir mais longe. Reunindo força, rendimento

Leia mais

BFD 5.0 BFD 7.0 BFD 10.0 BFD 12.0

BFD 5.0 BFD 7.0 BFD 10.0 BFD 12.0 BFD 5.0 BFD 7.0 BFD 10.0 BFD 12.0 Indicador de Componentes Tampa do Tanque Escapamento Tanque de Combustível Torneira de Combustível Bomba de Combustível Filtro de Ar Carenagem Acelerador Partida retrátil

Leia mais

Aplicação do EcoDrive. Descubra os benefícios e desafios de uma transformação ecológica na sua empresa.

Aplicação do EcoDrive. Descubra os benefícios e desafios de uma transformação ecológica na sua empresa. Aplicação do EcoDrive. Descubra os benefícios e desafios de uma transformação ecológica na sua empresa. O EcoDrive pode reduzir o consumo de energia, ajudando a melhorar sua eficiência energética. O consumo

Leia mais

Módulo 5. Tecnologia de aplicação

Módulo 5. Tecnologia de aplicação Módulo 5 Tecnologia de aplicação Tecnologia de Aplicação Aldemir Chaim Embrapa Meio Ambiente Fernando Adegas Embrapa Soja Luiz Guilherme Rebello Wadt Embrapa Meio Ambiente Roberto Teixeira Alves Embrapa

Leia mais

EQUIPAMENTOS E TÉCNICAS DE APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS NA CULTURA DA CANA-DE-AÇÚCAR

EQUIPAMENTOS E TÉCNICAS DE APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS NA CULTURA DA CANA-DE-AÇÚCAR EQUIPAMENTOS E TÉCNICAS DE APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS NA CULTURA DA CANA-DE-AÇÚCAR HAMILTON HUMBERTO RAMOS Pesquisador Científico VI Centro APTA de Engenharia e Automação Instituto Agronômico

Leia mais

Calibração Pulverizador de Barras

Calibração Pulverizador de Barras Calibração Pulverizador de Barras INÍCIO ANALISAR pulverizador e corrigir Medir a VELOCIDADE do tractor Medir DÉBITO dos BICOS Usar apenas água na calibragem do pulverizador PULVERIZAR Preparar a CALDA

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas

LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas 1- Água escoa em uma tubulação de 50 mm de diâmetro a uma vazão de 5 L/s. Determine o número de Reynolds nestas condições, informe se o escoamento é laminar ou

Leia mais

REF.: HOSHIZAKI SÉRIE KM - CICLO DE OPERAÇÃO

REF.: HOSHIZAKI SÉRIE KM - CICLO DE OPERAÇÃO REF.: HOSHIZAKI SÉRIE KM - CICLO DE OPERAÇÃO TODAS AS HOSHIZAKI MODELOS KM... TÊM O SEGUINTE CICLO DE OPERAÇÃO: 1. Enchimento Inicial do Tanque (Ciclo de 1 Minuto) - de 1 em 1 minuto Ao ser ligada, a máquina

Leia mais

CAPÍTULO 16. A unidade central opera no modo emergência quando um sensor falha, assim o motorista conseguirá levar o carro até a oficina.

CAPÍTULO 16. A unidade central opera no modo emergência quando um sensor falha, assim o motorista conseguirá levar o carro até a oficina. 1 of 32 21/07/2014 19:28 CAPÍTULO 16 AUDI A4 1.6 ADP 1995 em diante COMO FUNCIONA ESTE SISTEMA Este sistema é Mutliponto sequencial, com 4 válvulas injetoras que possui autodiagnose ou seja que caso tenha

Leia mais

CHAVE DE IMPACTO SERRA TICO-TICO

CHAVE DE IMPACTO SERRA TICO-TICO *Imagens meramente ilustrativas CHAVE DE IMPACTO SERRA TICO-TICO Manual de Instrução www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS SERRA TICO-TICO Modelo V8 Serra tico-tico Rotação a vazio 9.000 RPM Consumo médio

Leia mais

Levantamento qualitativo de tratores e suas principais manutenções na região do município de Bambuí - MG

Levantamento qualitativo de tratores e suas principais manutenções na região do município de Bambuí - MG Levantamento qualitativo de tratores e suas principais manutenções na região do município de Bambuí - MG Diogo Santos CAMPOS 1 ; Rodrigo Herman da SILVA 2 ; Ronaldo Goulart MAGNO 3 ; Gilberto Augusto SOARES

Leia mais

Sumário. 1 - Avaliação de defeitos em peças injetadas de termoplásticos.

Sumário. 1 - Avaliação de defeitos em peças injetadas de termoplásticos. Sumário Estudo defeito em peças plásticas 1 - Avaliação de defeitos em peças injetadas de termoplásticos. 2 - Origem e Resolução dos Problemas de Moldagem A) Condições do equipamento B) Molde C) Material

Leia mais

Observação: Telhados verdes ou com vedados com Betumem podem causar a coloração da água.

Observação: Telhados verdes ou com vedados com Betumem podem causar a coloração da água. A melhor qualidade de água O filtro de água de chuva PURAIN cuida da qualidade da água da sua cisterna. Os filtros PURAIN são destinados à filtração da água da chuva, coletada de telhados cerâmicos, metálicos,

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO N o

RELATÓRIO TÉCNICO N o RELATÓRIO TÉCNICO N o 117 180-205 VERIFICAÇÃO EVENTUAL DE MEDIDORES DE VOLUME DE ÁGUA DO TIPO HIDRÔMETRO Centro de Metrologia de Fluidos - CMF Laboratório de Vazão Cliente: AGERSA Agência Municipal de

Leia mais

Manual de Instalação e Operação para Cilindros Hidráulicos Telescópicos e Baixa Pressão

Manual de Instalação e Operação para Cilindros Hidráulicos Telescópicos e Baixa Pressão Manual de Instalação e Operação para Cilindros Hidráulicos Telescópicos e Baixa Pressão 1 Recomendações de Instalação Proceda a fixação do cilindro de acordo com as instruções de montagem do fabricante

Leia mais

NEW HOLLAND DEfENsOr sp2500

NEW HOLLAND DEfENsOr sp2500 NEW HOLLAND Defensor SP2500 2 3 Defensor SP2500. O mais novo pulverizador da família New Holland A New Holland sempre esteve ao lado do produtor. Desde que se instalou no Brasil, seus técnicos vão a campo

Leia mais

PAD SÉRIE DIAMANTE 1500, 1750 e 2000 PAD SÉRIE PRATA 450, 500, 500E, 750 e As plainas agrícolas dianteiras mais vendidas do Brasil

PAD SÉRIE DIAMANTE 1500, 1750 e 2000 PAD SÉRIE PRATA 450, 500, 500E, 750 e As plainas agrícolas dianteiras mais vendidas do Brasil PAD SÉRIE DIAMANTE 1500, 1750 e 2000 PAD SÉRIE PRATA 450, 500, 500E, 750 e 1000 As plainas agrícolas dianteiras mais vendidas do Brasil Catálogo virtual Português Mai/2016 PAD SÉRIE DIAMANTE A linha PAD

Leia mais

PRODUTOS.

PRODUTOS. PRODUTOS www.psienergiatermica.com.br CENTRAL TERMOELÉTRICA Motor a Vapor com 3 potências disponíveis: 100, 200 e 300 CV, com alta capacidade de transformação do vapor, que garante geração de energia térmica

Leia mais

Colheita e armazenamento

Colheita e armazenamento 1 de 5 10/16/aaaa 11:19 Culturas A Cultura do Arroz Irrigado Nome Cultura do arroz irrigado Produto Informação Tecnológica Data Maio -2000 Preço - Linha Culturas Informações resumidas Resenha sobre a cultura

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ESGOTO DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ESGOTO DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ESGOTO DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS PRESTADOR: SOCIEDADE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO S/A - SANASA Relatório R4 Continuação do Diagnóstico e Não Conformidades

Leia mais