APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS. Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS. Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas"

Transcrição

1 APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS Professor : Nailton Rodrigues de Castro Disciplina : Máquinas Agrícolas

2 INTRODUÇÃO É a aplicação uniforme de um defensivo agrícola na forma líquida, utilizando a energia hidráulica para fracionar o líquido em gotas, ao passar pelo orifício do bico de pulverização.

3 OBJETIVOS Controle econômico de insetos, doenças e plantas daninhas, através da distribuição exata de quantidade de defensivos.

4 Os equipamentos de aplicação de defensivos podem ser classificados em pulverizadores, atomizadores e nebulizadores. Pulverizadores: São equipamentos que produzem gotas com diâmetro (Ø) superior a 150 µ; Atomizadores: São equipamentos que produzem gotas com diâmetro (Ø) variando entre 50 a 150 µ; Nebulizadores: São equipamentos que produzem gotas com diâmetro (Ø) inferior a 50 µ.

5 EQUIPAMENTOS DE PULVERIZAÇÃO

6 BICOS DE PULVERIZAÇÃO São dispositivos utilizados para fazer a subdivisão do líquido em gotas, e promover a distribuição uniforme do defensivo sobre a superfície de aplicação. Tem a função ainda de dosar a quantidade de líquido a ser aplicado, formando um jorro ou jato característico.

7 TIPOS DE PONTAS HIDRÁULICAS

8 BICOS JATO PLANO (TIPO LEQUE): As gotas são distribuídas num único plano; Usado em superfícies planas; Aplicação de herbicidas em área total; Pressão de trabalho: 2 a 4 bar; Ângulo de pulverização: 80 a 110.

9

10 DEFLETOR (OU DE IMPACTO): Maior ângulo de abertura do jato, mesmo a pequenas distancias, consegue-se uma boa cobertura; Aplicação de herbicidas sistêmicos; Pressão de trabalho: 0,7 a 1,8 bar; Ângulo de pulverização: 110 a 140.

11

12 ESPUMA (OU BORBULHANTE COM INJEÇÃO DE AR): Aplicação de herbicidas sistêmicos; Produz gotas grandes com ar em seu interior; Pressão de trabalho: > 2,5 bar.

13

14 CONE VAZIO (OCO): Alvos tridimensionais, atingindo a lateral e a parte superior da planta; Aplicação de inseticidas, fungicidas; Pressão: 3 a 7 bar.

15

16 CONE CHEIO: Gotas distribuídas espacialmente; Aplicação de herbicidas sobre solo e sistêmicos; Pressão: 1 a 3 bar.

17

18

19 CALIBRAÇÃO DOS APLICADORES TRATORIZADOS Antes da calibração de qualquer pulverizador, deverão ser verificados os seguintes itens: A limpeza dos filtros; As mangueiras não podem estar furadas ou dobradas; Não ocorrência de vazamentos na bomba; Os bicos devem ser do mesmo tipo, não podem estar gastos e os filtros devem ser limpos.

20 CALIBRAÇÃO DO PULVERIZADOR DE BARRA: 1 - Marque um percurso de 30 a 50 metros no terreno a ser tratado; 2 - Escolha a marcha de trabalho, a velocidade deverá ser de 4 a 6 km h -1 ; 3 - Ligue a tomada de força; 4 - Acelere o motor até a rotação correspondente a 540 rpm na tomada de força; 5 - Inicie o movimento do trator no mínimo 5 metros antes do ponto marcado;

21 6 - Anote o tempo que o trator gasta para percorrer o percurso; 7 - Em terrenos de topografia irregular, repita a operação várias vezes e tire a média; 8 - Com o trator parado na aceleração utilizada para percorrer o percurso, abros bicos e regule a pressão de acordo com a recomendada para os diferentes tipos de bicos; 9 - Colete o volume do bico no tempo igual ao gasto para percorrer o percurso; 10 - Repita essa operação em diversos bicos para obter uma média do volume;

22

23

24 11 Calcule o volume aplicado, utilizando a fórmula; onde: Q = volume de aplicação (L ha-1); q = vazão (L min-1); v = velocidade de trabalho (km h-1); f = faixa de aplicação (m).

25 CALIBRAÇÃO DO ATOMIZADOR TIPO CORTINA DE AR: 1 - Marque 100 plantas; 2 - Abasteça completamente o pulverizador. 3 - Escolha a marcha de trabalho, a velocidade deverá ser de 4 a 6 km h -1 ; 4 - Ligue a tomada de força. 5 - Acelere o motor até a rotação correspondente a 540 rpm na tomada de força. 6 - Inicie o movimento do trator no mínimo 5 plantas antes do ponto marcado;

26

27 7 - Pulverize as 100 plantas marcadas; 8 - Complete o tanque e meça o volume gasto em litros. Para medidas precisas, o pulverizador deve estar na mesma posição antes e depois da operação. 9 - Calcule o volume de pulverização em litros 100 covas -1, através da seguinte fórmula: onde Q = volume de pulverização (L plantas -1 ); vol = volume gasto em (L).

28 CALIBRAÇÃO DO ATOMIZADOR TIPO CANHÃO DE AR: 1 - Marque 50 metros na área que vai ser pulverizada; 2 - Encha o tanque completamente; 3 - Escolha a marcha de trabalho, a velocidade deverá ser de 4 a 6 km h Ligue a tomada de força; 5 - Acelere o motor até a rotação correspondente a 540 rpm na tomada de força; 6 - Inicie o movimento do trator no mínimo 5 metros antes do ponto marcado. 7 - Pulverize os 50 metros marcados; 8 - Meça ao mesmo tempo a faixa de aplicação (f);

29

30 9 - Complete o tanque e meça o volume gasto em litros. Para medidas precisas, o pulverizador deve estar na mesma posição antes e depois da operação; 10 - Em terrenos de topografia irregular, repita essa operação várias vezes e tire a média; 11 - Calcule o volume de pulverização em L ha -1, através da fórmula:

31 onde Q = volume de pulverização (L ha -1 ); vol = volume gasto na área pulverizada (L); A = área pulverizada (m²).

32 CORREÇÕES NECESSÁRIAS PARA OS APLICADORES TRATORIZADOS Para aumentar o volume de aplicação: Aumentar a pressão de saída nos bicos; Diminuir a velocidade de trabalho; Trocar os bicos por maior vazão. Para diminuir o volume de aplicação: Diminuir a pressão de saída nos bicos; Aumentar a velocidade de trabalho; Trocar bicos por menor vazão.

33 CALIBRAÇÃO DO PULVERIZADOR COSTA MANUAL: 1 - Marque uma área de 100 m² (quadrado de 10 x 10 m); 2 - Encha o tanque e pulverize a área; 3- O operador deverá manter um ritmo constante de bombeamento e de cadência; 4 - Complete o tanque e meça o volume gasto em litros. Para medidas precisas o pulverizador deve estar na mesma posição antes e depois de operação;

34

35 5 - Calcule o volume de pulverização em L ha -1 ; onde Q = volume (L ha -1 ); vol = volume gasto (L). Caso o volume encontrado não seja o desejado, substitua o bico por um de maior ou menor vazão, ou altere o ritmo de bombeamento e marcha.

36

37 LITERATURA CONSULTADA VILIOTTI, C. A.; FERNANDES, H.C.; RINALDI, P.C.N.; BERNERDES, A. B.; Mecânica e Mecanização Agrícola-Apostila Práticas; UFV. SEDUC; Apostila de Mecanização Agrícola do Cursos Técnico em Agropecuária.

Mecanização da Pulverização. Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A

Mecanização da Pulverização. Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A Eng. Agr.Jairo da Costa Moro Máquinas Agrícolas Jacto S.A Mercado de defensivos Agrícolas 2014 - Brasil - O mercado brasileiro comercializou o valor total de US$12,25 bilhões em defensivos agrícolas. Fonte:

Leia mais

Nebulizadores aplicam gotas menores que 50 mm.

Nebulizadores aplicam gotas menores que 50 mm. Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias Curso : Agronomia Disciplina: Tratamento Fitossanitário Aula: Aplicação de Líquidos e Pulverizadores Os produtos fitossanitários

Leia mais

Seleção de Pontas de Pulverização

Seleção de Pontas de Pulverização JORNADAS DE ACTUALIZACIÓN EN TECNOLOGÍAS DE APLICACIÓN EN CULTIVOS EXTENSIVOS Seleção de Pontas de Pulverização Otavio J. G. Abi Saab Prof. Mecanização Agrícola Universidade Estadual de Londrina Estado

Leia mais

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE HERBICIDAS Emprego de todos os conhecimentos científicos que proporcionem a correta colocação do produto biologicamente ativo no alvo, em quantidade necessária, de forma econômica,

Leia mais

Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau. Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP. Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto

Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau. Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP. Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto Pulverizadores: Mecanização da cultura do Cacau Máquinas Agrícolas Jacto S/A Pompéia -SP Eng. Agr. Walter W Mosquini Planejamento de Produto Informações Foi fundada em 1948; Todas as unidades produtivas

Leia mais

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas. Aldemir Chaim, pesquisador da Embrapa Meio Ambiente

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas. Aldemir Chaim, pesquisador da Embrapa Meio Ambiente Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas Aldemir Chaim, pesquisador da Embrapa Meio Ambiente A aplicação de produtos químicos ou biológicos para controle de pragas pode ser feita com tratores

Leia mais

Seção E Bicos de Pulverização Fina

Seção E Bicos de Pulverização Fina Seção E s de Visão Geral Nossos bicos atomizadores de pulverização hidráulica fina estão disponíveis em duas versões. s Padrão: bicos roscados tradicionais de metal. s de Rápida: consistindo de um corpo

Leia mais

Treinamento. Arbus 400 Golden

Treinamento. Arbus 400 Golden Arbus 400 Golden Treinamento Arbus 400 Golden Prof. Brandão - Operação - Manutenção - Regulagem da pulverização Arbus 400 Golden Arbus 400 Maçã 33 Apresentação da máquina Tanque de Defensivos Aplicação

Leia mais

LINHA ADVANCE. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA ADVANCE. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650 17580000 Pompeia SP Tel. (14) 3405 2100 Fax. (14) 3452 1916 Email: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. www.jacto.com.br

Leia mais

INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA - DETALHES

INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA - DETALHES INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA - DETALHES 1. ALTURA DE SUCÇÃO (AS) - Desnível geométrico (altura em metros), entre o nível dinâmico da captação e o bocal de sucção da bomba. 2. ALTURA DE RECALQUE (AR)

Leia mais

Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq

Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq Telemetria em Pulverização Pedro Estevão Bastos Abimaq ABIMAQ Associação Brasileira da Indústria de Máquinas CSMIA Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas 360 empresas 48.000 empregos R$ 11

Leia mais

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS NA CITRICULTURA

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS NA CITRICULTURA TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS NA CITRICULTURA HAMILTON HUMBERTO RAMOS Diretor Geral do Instituto Agronômico TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS Emprego de todos os conhecimentos

Leia mais

JARDIM. PULVERIZADORES 0,5 Litros WT ,9 Litros C-9. PULVERIZADORES PRESSÃO 1,5 Litros G1500 PULVERIZADORES

JARDIM. PULVERIZADORES 0,5 Litros WT ,9 Litros C-9. PULVERIZADORES PRESSÃO 1,5 Litros G1500 PULVERIZADORES 0,5 Litros WT-2056-2 Peso: 56g Ø bocal: 22mm Cx.: 50 un. Cod.: 180 050 001 050 0,9 Litros C-9 Peso: 83g Ø bocal: 22mm Cx.: 50 un. Cod.: 180 050 001 090 - Pulverizadores de cores sortidas com bomba de pistão

Leia mais

Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos no Cafeeiro. Autor: Luís César Pio

Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos no Cafeeiro. Autor: Luís César Pio Tecnologia de Aplicação de Agroquímicos no Cafeeiro Autor: Luís César Pio Prezado colega, Catanduva, 9 de novembro de 2012. Para VOCÊ, que participou do encontro de capacitação técnica e que é integrante

Leia mais

MELHORIAS NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS NA EMBRAPA SOJA

MELHORIAS NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS NA EMBRAPA SOJA M in isté rio d a A g ric u ltu ra P e cu á ria e A b a st e cim e n to MELHORIAS NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOSSANITÁRIOS NA EMBRAPA SOJA ALEXANDRE BRIGHENTI Embrapa Soja Londrina PR brighent@cnpso.embrapa.br

Leia mais

Hidráulica e Pneumática. Prof. Fagner Ferraz

Hidráulica e Pneumática. Prof. Fagner Ferraz Hidráulica e Pneumática Prof. Fagner Ferraz O que você entende por hidráulica? Pra que serve? Onde se aplica? 2 O termo Hidráulica derivou-se da raiz grega Hidro (água). Entendem-se por Hidráulica todas

Leia mais

Indicações Registradas

Indicações Registradas Marca Comercial Titular do Registro Nº Registro MAPA Topik 240 EC SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS LTDA. - 1506.744.463/0001-90 Classe Herbicida Ingrediente Ativo (I.A.) Clodinafope-Propargil Nome Químico

Leia mais

Consultoria em Irrigação e Fertirrigação. 3ª Reunião do GIC. Ribeirão Preto-SP, 18 de Setembro de 2012

Consultoria em Irrigação e Fertirrigação. 3ª Reunião do GIC. Ribeirão Preto-SP, 18 de Setembro de 2012 3ª Reunião do GIC Ribeirão Preto-SP, 18 de Setembro de 2012 Acionamento de motores elétricos em sistemas de irrigação via Inversor de Frequência e Qualidade na Aplicação e Operação de Sistema Carretel

Leia mais

ATOMIZADOR AU5000LD. Kit de Conversão para Atomizadores AU5000 (LD = "BAIXA DERIVA")

ATOMIZADOR AU5000LD. Kit de Conversão para Atomizadores AU5000 (LD = BAIXA DERIVA) ATOMIZADOR AU5000LD Kit de Conversão para Atomizadores AU5000 (LD = "BAIXA DERIVA") 1. Introdução O atomizador Micronair AU5000LD é projetado especificamente para a aplicação aérea de proteção à lavoura,

Leia mais

NEW HOLLAND TT TT384O

NEW HOLLAND TT TT384O NEW HOLLAND TT TT384O 2 3 PERFEITO PARA A SUA LAVOURA, DO TAMANHO DA SUA NECESSIDADE. O TT384O foi projetado para atender às suas necessidades mais específicas no campo. Com 55 cavalos, ele é robusto,

Leia mais

Atuadores em Robótica

Atuadores em Robótica Atuadores em Robótica Profa. Michelle Mendes Santos michelle@cpdee.ufmg.br Atuadores Indicadores Em robótica muitas vezes é necessário sinalizar um acontecimento ou situação importante. Essa sinalização

Leia mais

Transmissão hidráulica de força e energia

Transmissão hidráulica de força e energia Líquidos Transmissão de força Intensificador de pressão Pressão em uma coluna de fluido Velocidade e vazão Tipos de fluxo Geração de calor Diferencial de pressão Transmissão Hidráulica de Força e Energia

Leia mais

Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura

Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura MANEJO DA VEGETAÇÃO E DE RESTOS CULTURAIS INTRODUÇÃO - Preparos Conservacionistas Objetivos: Superfície coberta máximo de tempo possível Uniformidade

Leia mais

Experiência 6 - Perda de Carga Distribuída ao Longo de

Experiência 6 - Perda de Carga Distribuída ao Longo de Experiência 6 - Perda de Carga Distribuída ao Longo de Tubulações Prof. Vicente Luiz Scalon 1181 - Lab. Mecânica dos Fluidos Objetivo: Medida de perdas de carga linear ao longo de tubos lisos e rugosos.

Leia mais

Adesivo de Contato Fastbond 30-NF

Adesivo de Contato Fastbond 30-NF Dados Técnicos Outubro/2001 Em substituição a versão de Agosto de 1999 Descrição do Produto é um adesivo de contato, à base d água, de alto desempenho. Possui um alto teor de sólidos, longo tempo em aberto

Leia mais

GLADIADOR Melhor relação peso/potência da categoria

GLADIADOR Melhor relação peso/potência da categoria GLADIADOR 2300 Melhor relação peso/potência da categoria Catálogo virtual Português Ago/2016 GLADIADOR 2300 O pulverizador autopropelido Gladiador 2300 apresenta grande autonomia de trabalho, possibilitando

Leia mais

Motores Térmicos. 8º Semestre 4º ano

Motores Térmicos. 8º Semestre 4º ano Motores Térmicos 8º Semestre 4º ano Aula 17 - Formação da Mistura nos Motores Diesel Introdução Estágios da combustão em motores Diesel Requisitos do Sistema de Injecção Elementos do Sistema de Alimentação

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO DE PRODUTO

CATÁLOGO TÉCNICO DE PRODUTO Equipamento de teste de pressão da bomba de combustível de veículos com injeção eletrônica O TVP s são equipamento para teste de pressão da bomba elétrica de combustível dos veículos com injeção eletrônica,

Leia mais

Técnicas de determinação das características de infiltração

Técnicas de determinação das características de infiltração UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA CURSO DE MESTRADO EM IRRIGAÇÃO E DRENAGEM Disciplina: AD 732 - Irrigação por superfície Professor: Raimundo

Leia mais

Laboratório de Física

Laboratório de Física Laboratório de Física Experimento 03 - Trilho de Ar Movimento a Força Constante Disciplina: Laboratório de Física Experimental I Professor: Turma: Data: / /20 Alunos: 1: 2: 3: 4: 5: 1/11 03 - Trilho de

Leia mais

Para sua frota, desempenho e economia

Para sua frota, desempenho e economia DESENPENHO E ECONOMIA PARA SEUS VEÍCULOS Tecnologia em sistemas inovadores Para sua frota, desempenho e economia Para você, tranquilidade NOSSOS SERVIÇOS Tecnologia em sistemas inovadores Softwares Suporte

Leia mais

FUNCIONAL E DE FÁCIL UTILIZAÇÃO. Seja o fluxo de ar como o fluxo de óleo, podem ser individualmente ajustados em cada módulo.

FUNCIONAL E DE FÁCIL UTILIZAÇÃO. Seja o fluxo de ar como o fluxo de óleo, podem ser individualmente ajustados em cada módulo. CARACTERÍSTICAS VAZÃO CONSTANTE MESMO COM A VARIAÇÃO DA PRESSÃO NA ENTRADA E NA SAÍDA. CONTROLE INDEPENDENTE EM CADA MÓDULO A VÁLVULA DE EQUALIZAÇÃO DE PRESSÃO É CAPAZ DE MANTER UM FLUXO CONSTANTE DE ÓLEO,

Leia mais

Tecnologia de aplicação

Tecnologia de aplicação O que é tecnologia afinal?? O que é tecnologia afinal? 1. Chip numa vaca para armazenar dados de rastreabilidade 2. Automação das operações de ordenha 3. Uso de adjuvantes siliconados na formulação de

Leia mais

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico Apresentação Características da hidráulica Evolução dos sistemas hidráulicos Sistema hidráulico Circuito hidráulico básico Unidade hidráulica Apresentação Com a constante evolução tecnológica há no mercado

Leia mais

Lei de Pascal. Elevador Hidráulico

Lei de Pascal. Elevador Hidráulico Lei de Pascal Princípio físico que rege o funcionamento de dispositivos hidráulicos, tais como, a direção hidráulica, freio hidráulico, elevador hidráulico, macaco hidráulico, etc... A variação de pressão

Leia mais

IRRIGAÇÃO. Importância e Aspectos Técnicos

IRRIGAÇÃO. Importância e Aspectos Técnicos IRRIGAÇÃO Importância e Aspectos Técnicos IRRIGAÇÃO Breve histórico Povos antigos Egito (Rio Nilo) Mesopotâmia (Rios Tigre e Eufrates) Índia (Rio Indo) Século XX Estados Unidos Israel IRRIGAÇÃO Situação

Leia mais

TVP. Manual de Instruções. MEDIDOR DE VAZÃO Tipo Deslocamento Positivo TECNOFLUID

TVP. Manual de Instruções. MEDIDOR DE VAZÃO Tipo Deslocamento Positivo TECNOFLUID Português TVP MEDIDOR DE VAZÃO Tipo Deslocamento Positivo Manual de Instruções Leia este manual atentamente antes de iniciar a operação do seu aparelho. Guarde-o para futuras consultas. Anote o modelo

Leia mais

KA-042 EQUIPAMENTO DE LIMPEZA E TESTE DE INJETORES COM CUBA DE 1 LITRO EMBUTIDA

KA-042 EQUIPAMENTO DE LIMPEZA E TESTE DE INJETORES COM CUBA DE 1 LITRO EMBUTIDA 1 KA-042 EQUIPAMENTO DE LIMPEZA E TESTE DE INJETORES COM CUBA DE 1 LITRO EMBUTIDA 1 Máquina de Limpeza e Teste de Injetores Introdução: O KA-042 Máquina de limpeza e teste de injetores com cuba embutida

Leia mais

Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber.

Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. Mecânica é uma ciência física aplicada que trata dos estudos das forças e dos movimentos. A Mecânica descreve e prediz as condições de repouso ou movimento de

Leia mais

E-book Curso de Airless

E-book Curso de Airless E-book Curso de Airless www.azevedotintas.com (19) 3802-1723 Desenvolvido por Izabel Bordotti Pintura Airless Assim a pintura Airless é um método de pintura, em que a tinta é pulverizada através de um

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Introdução Capacidades Características Técnicas Partes do Equipamento... 3

SUMÁRIO. 1. Introdução Capacidades Características Técnicas Partes do Equipamento... 3 SUMÁRIO 1. Introdução... 2 1.1. Capacidades... 2 1.2. Características Técnicas... 2 1.3. Partes do Equipamento... 3 2. Instalação... 3 3. Operação... 4 4. Segurança... 5 5. Manutenção... 6 6. Solução de

Leia mais

Aproveitamento da energia eólica. Fontes alternativas de energia - aproveitamento da energia eólica 1

Aproveitamento da energia eólica. Fontes alternativas de energia - aproveitamento da energia eólica 1 Aproveitamento da energia eólica Fontes alternativas de energia - aproveitamento da energia eólica 1 Formas de aproveitamento Denomina-se energia eólica a energia cinética contida nas massas de ar em movimento

Leia mais

Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos

Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos Tecnologia de aplicação de Agrotóxicos Engº. Agrº. M. Sc. Aldemir Chaim Laboratório de Tecnologia de Aplicação de Agrotóxicos Embrapa Meio Ambiente História da aplicação de defensivos Equipamento de aplicação

Leia mais

New Holland TL exitus

New Holland TL exitus New Holland TL exitus TL60E TL75E TL85E TL95E MaIoR PRodUTIVIdade e MaIoR economia: o MelHoR CUSTo/BeNeFÍCIo da CaTeGoRIa. A New Holland desenvolveu o trator perfeito para as multitarefas da sua fazenda.

Leia mais

Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO

Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO APRESENTAÇÃO EMPRESA A UBM Usinagem mantém o firme propósito de proporcionar aos seus clientes

Leia mais

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1. Um agricultor relata que não está tendo controle satisfatório na aplicação de um herbicida. Afirma estar aplicando conforme recomendação do fabricante do produto (x litros p.c./ha

Leia mais

PLANTADOR DE BATATAS SEMI-MONTADO 4 CARREIRAS SK-4

PLANTADOR DE BATATAS SEMI-MONTADO 4 CARREIRAS SK-4 PLANTADOR DE BATATAS SEMIMONTADO 4 CARREIRAS SK4 Plantador de batatas semimontado, destinado à plantação de tubérculos e sementes de batata em corredores de 70,75, 90 cm, e em simultâneo faz a desinfeção

Leia mais

Manual Filtros SFMC 150/400/1000

Manual Filtros SFMC 150/400/1000 Manual Filtros SFMC 150/400/1000 Filtro Micrônico e Coalescente, com capacidade de retenção de sólidos de 5 micra e separação de água com eficiência de 99,5% e vazão de 150 ou 400 litros por minuto. Composto

Leia mais

ESTAÇÕES DE ESPUMA COM CARRETÉIS

ESTAÇÕES DE ESPUMA COM CARRETÉIS ESTAÇÕES DE ESPUMA COM CARRETÉIS DESCRIÇÃO: A Estação de Combate a Incêndios de Espuma Chemguard é uma unidade autônoma que depende somente de vazão e pressão de água para o sistema entrar em operação.

Leia mais

Motobombas. Diesel. BFD 6" - Ferro Fundido BFD 8" - Ferro Fundido

Motobombas. Diesel. BFD 6 - Ferro Fundido BFD 8 - Ferro Fundido Motobombas Diesel BFD 6" - Ferro Fundido BFD 8" - Ferro Fundido 1 - Motobomba BFDE 6", BFDE 8" Sua aplicação básica está na captação de água de rio e lagos. Utilizado quando é necessário uma transferência

Leia mais

Cálculo do dano do amassamento, na cultura do trigo, pelo rodado do equipamento na primeira aplicação de defensivos

Cálculo do dano do amassamento, na cultura do trigo, pelo rodado do equipamento na primeira aplicação de defensivos Cálculo do dano do amassamento, na cultura do trigo, pelo rodado do equipamento na primeira aplicação de defensivos Erlei Melo Reis e Mateus Zanatta Agrosservice Pesquisa e consultoria agrícola, Passo

Leia mais

Irrigação de Fruteiras

Irrigação de Fruteiras Fruticultura Geral Irrigação de Fruteiras Alessandra Alves Rodrigues DCR / FAPESQ / CNPq Prof a Railene Hérica Carlos Rocha UAGRA / CCTA / UFCG Introdução Definição de irrigação: é a aplicação artificial

Leia mais

CHEVROLET S10 CABINE SIMPLES 2.4 FLEXPOWER 2014

CHEVROLET S10 CABINE SIMPLES 2.4 FLEXPOWER 2014 CHEVROLET S10 CABINE SIMPLES 2.4 FLEXPOWER 2014 FICHA TÉCNICA Carroceria / motorização: Construção: Fabricação: Chevrolet S10 Cabine Simples Flexpower Picape, 2 ou 3 ocupantes (dependendo da versão), 2

Leia mais

FILTROS DE AR 08/01/2004 HDA ACESSÓRIOS E EQUIPAMENTOS LTDA SP

FILTROS DE AR 08/01/2004 HDA ACESSÓRIOS E EQUIPAMENTOS LTDA SP FILTROS DE AR HDA ACESSÓRIOS E EQUIPAMENTOS LTDA - Rua ento Vieira, 2 - São Paulo - SP Fone: 11-69142522 Fax: 11-69147723 - e-mail: hda@hdanet.com.br - www.hdanet.com.br 08/01/2004 Aplicação Uma das maiores

Leia mais

Ensaio 6: Característica de Tensão-Carga de Geradores CC: Excitação Independente, Shunt Auto- Excitado e Série

Ensaio 6: Característica de Tensão-Carga de Geradores CC: Excitação Independente, Shunt Auto- Excitado e Série Ensaio 6: Característica de Tensão-Carga de Geradores CC: Excitação Independente, Shunt uto- Excitado e Série 1. Objetivos Os objetivos desse ensaio são: a) Construir a curva característica de tensão-carga

Leia mais

EK250 APLICAÇÃO EK250 EK250 EK250

EK250 APLICAÇÃO EK250 EK250 EK250 APLICAÇÃO Peso total Peso de Operação EK 250 - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS O equipamento CZM foi projetado para oferecer alto desempenho aliado à confiabilidade e mecanismo de simples operação e manutenção.

Leia mais

PROGRAMA CAS CERTIFICAÇÃO AEROAGRÍCOLA SUSTENTÁVEL

PROGRAMA CAS CERTIFICAÇÃO AEROAGRÍCOLA SUSTENTÁVEL PROGRAMA CAS CERTIFICAÇÃO AEROAGRÍCOLA SUSTENTÁVEL Prof. Dr. João Paulo Rodrigues da Cunha jpcunha@iciag.ufu.br Universidade Federal de Uberlândia Instituto de Ciências Agrárias Sumário A aviação agrícola

Leia mais

Recuperação do abrasivo: O abrasivo durante o jateamento, deposita-se no

Recuperação do abrasivo: O abrasivo durante o jateamento, deposita-se no GABINETE DE JATEAMENTO Princípios de funcionamento: A máquina de jato é pressurizada através da vávula pedal (comando), forçando o abrasivo a misturar-se com o ar comprimido, expelindo-o pelo bico de jato

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO Os equipamentos do Kit Chuva atendem as exigências da norma NBR 15527: Água de chuva - Aproveitamento de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis Requisitos. KIT CHUVA Filtro

Leia mais

MEDIDA DA CARGA DO ELÉTRON MILLIKAN

MEDIDA DA CARGA DO ELÉTRON MILLIKAN MEDIDA DA CARGA DO ELÉTRON MILLIKAN OBJETIVO Estudar o movimento de um corpo em queda em um fluido, considerando a força de arraste. Determinar a carga do elétron. MATERIAL NECESSÁRIO Plataforma com o

Leia mais

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga

4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira. Fazenda Quizenga 4º DIA DE CAMPO SODEPAC Tratos Culturais para Qualidade da Sementeira Fazenda Quizenga Sistematização da área Conservam a cobertura vegetal do solo É essencial para correcções de áreas íngremes Conservar

Leia mais

New Holland TT. TT4o3o

New Holland TT. TT4o3o New Holland TT TT4o3o VERSATILIDADE PARA TRABALHAR EM TODOS OS CAMPOS. Ágil, potente e robusto. O TT4030 chegou para atuar em diversas frentes na sua lavoura. Ideal para as atividades que requerem força,

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CHEVROLET PRISMA 1.0 VHCE FLEXPOWER RESUMO Carroceria / motorização: Construção: Fabricação: Prisma 1.0 VHCE Flexpower Sedã 5 passageiros, 4 portas, motorização dianteira, tração

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas

LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas 1- Água escoa em uma tubulação de 50 mm de diâmetro a uma vazão de 5 L/s. Determine o número de Reynolds nestas condições, informe se o escoamento é laminar ou

Leia mais

MÉTODOS DE DETERMINAÇÃO DA VAZÃO MÁXIMA COM BASE NA PRECIPITAÇÃO Material elaborado por Gracely, monitora da disciplina.

MÉTODOS DE DETERMINAÇÃO DA VAZÃO MÁXIMA COM BASE NA PRECIPITAÇÃO Material elaborado por Gracely, monitora da disciplina. MÉTODOS DE DETERMINAÇÃO DA VAZÃO MÁXIMA COM BASE NA PRECIPITAÇÃO Material elaborado por Gracely, monitora da disciplina. 1. Método Racional A vazão máxima pode ser estimada com base na precipitação, por

Leia mais

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas

Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas Calibração de deposição de agrotóxicos e bioinseticidas A aplicação de produtos químicos ou biológicos para controle de pragas pode ser feita com tratores equipados com pulverizadores de barra com bicos

Leia mais

CISTERNA DE 1 EIXO RODA SIMPLES

CISTERNA DE 1 EIXO RODA SIMPLES CISTERNA DE 1 EIXO RODA SIMPLES CARACTERISTICAS DE SÈRIE 1- Molas parabolicas 2- Grampos e molas em aço 3- Cavilhas e parafusos em aço zincado 4- Copo com esfera de segurança desmontável e galvanizado

Leia mais

NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela. Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION

NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela. Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION NR-12 aplicada à máquinas da linha amarela Marcus C. Lacerda Engenheiro Mecânico e Sócio-diretor OPERACTION Mercado de Máquinas Pesadas - Brasil (Estimativa) Retroescavadeiras Pás carregadeiras Escavadeiras

Leia mais

OPTI B 40 GSP/OPTI B 40 GSM

OPTI B 40 GSP/OPTI B 40 GSM OPTI B 40 GSP/OPTI B 40 GSM Robustos engenhos de furar de engrenagens com sistema de refrigeração e dispositivos de roscagem. OPTI B 40 GSM com um adicional avanço electromagnético da árvore Argumentos

Leia mais

EVACON. Resfriadores de Óleo a Ar Séries MG, HPA e HPA/2. Catálogo Técnico. Desde Distribuidor exclusivo no Brasil K CDR MANUFATURA

EVACON. Resfriadores de Óleo a Ar Séries MG, HPA e HPA/2. Catálogo Técnico. Desde Distribuidor exclusivo no Brasil K CDR MANUFATURA Resfriadores de Óleo a Ar Séries MG, HPA e HPA/2 Catálogo Técnico Distribuidor exclusivo no Brasil EVACON Desde 1982 K0937002.CDR - 221 PF:1980686-3 1011 CAPA via(s) 99999999 Introdução Os trocadores de

Leia mais

Cabeçotes Misturadores Krauss Maffei A arte de misturar Poliuretano! FEIPUR, Novembro, 2012

Cabeçotes Misturadores Krauss Maffei A arte de misturar Poliuretano! FEIPUR, Novembro, 2012 Cabeçotes Misturadores Krauss Maffei A arte de misturar Poliuretano! FEIPUR, Novembro, 2012 Cabeçotes para distintas Aplicações Cabeçotes Lineares Cabeçotes de Spray Cabeçotes 3B Cabeçotes Desviadores

Leia mais

Pulverizadores costais manuais. Prof.: Brandão

Pulverizadores costais manuais. Prof.: Brandão Pulverizadores costais manuais Prof.: Brandão PULVERIZADORES COSTAIS Operação Manutenção Regulagem da pulverização PJH O QUE É UM PULVERIZADOR COSTAL MANUAL? - Os pulverizadores Costais Manuais são equipamentos

Leia mais

Manual Injector-Test. Rev. 4

Manual Injector-Test. Rev. 4 Manual Injector-Test Rev. 4 Fevereiro de 2015 Manual Injector-Test 2 ÍNDICE Introdução:... 3 Aplicação:... 4 Funções do painel superior:... 5 Instruções de como montar o equipamento:... 6 Testes dos injetores:...

Leia mais

Seção J Bicos de controle de ar

Seção J Bicos de controle de ar Seção J Visão Geral Nossa extensa linha de bicos de controle de ar, usada em aplicações de secagem e blow-off, inclui produtos que usam sopradores regenerativos e outros que requerem ar comprimido. Conjuntos

Leia mais

Módulo 5. Tecnologia de aplicação

Módulo 5. Tecnologia de aplicação Módulo 5 Tecnologia de aplicação Tecnologia de Aplicação Aldemir Chaim Embrapa Meio Ambiente Fernando Adegas Embrapa Soja Luiz Guilherme Rebello Wadt Embrapa Meio Ambiente Roberto Teixeira Alves Embrapa

Leia mais

A nova linha T6 da New Holland chegou para ajudar você a ir mais longe. Reunindo força, rendimento e desempenho com tecnologia e um design moderno e

A nova linha T6 da New Holland chegou para ajudar você a ir mais longe. Reunindo força, rendimento e desempenho com tecnologia e um design moderno e New Holland T6 T6 2 3 NOVA LINHA T6. FORÇA E ROBUSTEZ PARA SUA LAVOURA. DESIGN E PRODUTIVIDADE PARA VOCÊ. A nova linha T6 da New Holland chegou para ajudar você a ir mais longe. Reunindo força, rendimento

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DOS OBJETOS LICITAÇÃO Nº PP03060001/2013. Item Especificação Unid Vr. Unit Vr. Total

ESPECIFICAÇÕES DOS OBJETOS LICITAÇÃO Nº PP03060001/2013. Item Especificação Unid Vr. Unit Vr. Total ANEXO III 1 ESPECIFICAÇÕES DOS OBJETOS LICITAÇÃO Nº PP03060001/2013 Item Especificação Unid Vr. Unit Vr. Total 1 CAMINHÃO TOCO COM CAPACIDADE DE CARGA ÚTIL VARIANDO DE 10.000 A 12.000KG. DEVERÁ COMPOR

Leia mais

CURVA DE CONSUMO DE COMBUSTÍVEL DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS

CURVA DE CONSUMO DE COMBUSTÍVEL DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS CURVA DE CONSUMO DE COMBUSTÍVEL DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS Bachmann, Vitória¹; Possamai, Jaine¹; Veiga, Ricardo Kozoroski² Masiero, Fabrício Campos² Instituto Federal Catarinense, Rio do Sul/SC INTRODUÇÃO O

Leia mais

de instruções Manual d-5.0 d-5.0 G2 d-7.0 d-7.0 G2 d-10.0 d-10.0 g2 d-10.0 r d-13.0 d-13.0 R Motores

de instruções Manual d-5.0 d-5.0 G2 d-7.0 d-7.0 G2 d-10.0 d-10.0 g2 d-10.0 r d-13.0 d-13.0 R Motores Motores Manual de instruções d-5.0 d-5.0 G2 d-7.0 d-7.0 G2 d-10.0 d-10.0 g2 d-10.0 r d-13.0 d-13.0 R Todas as informações e especificações contidas nesse manual vão ajudá-lo a ter os melhores resultados

Leia mais

Evidence 700WG Proteção eficáz para seu eucalipto.

Evidence 700WG Proteção eficáz para seu eucalipto. Evidence 700WG Proteção eficáz para seu eucalipto. TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO APLICADA A SILVICULTURA Eng. Agr. Paulo Coutinho INTRODUÇÃO APLICAÇOES NA SILVICULTURA: DESSECAÇAO DE PREPARO DE ÁREA E DE MANUTENÇÃO

Leia mais

MÁQUINAS AGRÍCOLAS PROF. ELISEU FIGUEIREDO NETO

MÁQUINAS AGRÍCOLAS PROF. ELISEU FIGUEIREDO NETO MÁQUINAS AGRÍCOLAS PROF. ELISEU FIGUEIREDO NETO COLHEITA NA AUSTRALIA Hoje nós temos que preocupar não só em aprimorar as MÁQUINAS, mas também os OPERADORES que com elas trabalham. PARTES CONSTITUINTES

Leia mais

TRITURADORES. Manual de Instrução M

TRITURADORES. Manual de Instrução M TRITURADORES R M - 10000 www.vencedoramaqtron.com.br Manual de Instrução Apresentação Manual de Instrução - Trituradores M -10000 - O TRITURADOR MAQTRON 10.000 permite que o suinocultor ganhe tempo, economize

Leia mais

CHEVROLET S10 CABINE SIMPLES 2.4 FLEXPOWER 2015

CHEVROLET S10 CABINE SIMPLES 2.4 FLEXPOWER 2015 CHEVROLET S10 CABINE SIMPLES 2.4 FLEXPOWER 2015 FICHA TÉCNICA Carroceria / motorização: Construção: Fabricação: Chevrolet S10 Cabine Simples Flexpower Picape, 2 portas, 2 ou 3 ocupantes (dependendo da

Leia mais

Eng.º Agr.º José Maria Fernandes dos Santos

Eng.º Agr.º José Maria Fernandes dos Santos PONTOS CRÍTICOS NA APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS Eng.º Agr.º José Maria Fernandes dos Santos Pesquisador Científico Laboratório de Proteção e Clínica Vegetal E-mail: santosjmf@biologico.sp.gov.br Fone/Fax: (11)

Leia mais

Hidráulica Geral (ESA024A)

Hidráulica Geral (ESA024A) Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental Hidráulica Geral (ESA04A) º semestre 01 Terças de 10 às 1 h Quntas de 08 às 10h Golpe de Aríete Conceito -Denomina-se golpe de aríete ou transiente hidráulico

Leia mais

IRRIGAÇÃO LOCALIZADA. Valmir Netto Wegner EMATER/RS 06/2007

IRRIGAÇÃO LOCALIZADA. Valmir Netto Wegner EMATER/RS 06/2007 IRRIGAÇÃO LOCALIZADA Valmir Netto Wegner EMATER/RS 06/2007 IRRIGAÇÃO LOCALIZADA Métodos de irrigação onde a água é aplicada ao solo diretamente sobre a região radicular, em pequena intensidade, porém com

Leia mais

Apostila 2. Capítulo 11. Esses humanos e suas máquinas maravilhosas. Página 233

Apostila 2. Capítulo 11. Esses humanos e suas máquinas maravilhosas. Página 233 Apostila 2 Capítulo 11 Página 233 Esses humanos e suas máquinas maravilhosas Gnomo Máquinas O que seria do mundo moderno sem as máquinas? Por mais complexas que sejam as máquinas modernas todas utilizam

Leia mais

Hidráulica Geral (ESA024A)

Hidráulica Geral (ESA024A) Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental Hidráulica Geral (ESA024A) 2º semestre 2011 Terças de 10 às 12 h Quintas de 08 às 10h Problema IV.1 Conhecendo-se as características da bomba descrita a

Leia mais

Calibração Pulverizador Pomares

Calibração Pulverizador Pomares INÍCIO ANALISAR pulverizador e corrigir Medir a VELOCIDADE do tractor Medir DÉBITO dos BICOS Usar apenas água na calibração do pulverizador PULVERIZAR Preparar a CALDA Ajustar pulverizador à CULTURA Calcular

Leia mais

Ensaio de Bombas Centrífugas

Ensaio de Bombas Centrífugas Ensaio de Bombas Centrífugas 1. NORMAS DE ENSAIO Os ensaios de desempenho e de cavitação para bombas hidráulicas de fluxo (centrífugas, axiais e mistas), de classe C (bombas de utilização corrente) são

Leia mais

Lavadora e Secadora de pisos B 150 R B 150 R

Lavadora e Secadora de pisos B 150 R B 150 R Lavadora e Secadora de pisos B 150 R B 150 R Capacidade do tanque água limpa/suja (l) Yellow File Lavadora B 150 R 1. Posicionamento 250 l 150 l BD 100/250 R 90 l B 150 R B 90 R 3.900 4.500-5.400 6.000

Leia mais

SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO

SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO AESBE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS ESTADUAIS DE SANEAMENTO SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO Tipologias de projeto Rio de Janeiro Março / 2013 Airton S. Gomes - Consultor

Leia mais

Plano de curso Tecnologia em Manipulador Telescópico

Plano de curso Tecnologia em Manipulador Telescópico PLANO DE CURSO MSOBRFDMTE08 PAG1 Plano de curso Tecnologia em Manipulador Telescópico Justificativa do Curso Em vários segmentos da indústria o manipulador telescópico desempenha um papel muito importante,

Leia mais

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM:

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: 8413.50.10 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1. Montadora (repetir informação da Planilha de pleitos em excel): Komatsu 2. n Item (repetir

Leia mais

IMPERADOR 3100 IMPERADOR CA 3100 O primeiro e único pulverizador do mundo com barras centrais

IMPERADOR 3100 IMPERADOR CA 3100 O primeiro e único pulverizador do mundo com barras centrais IMPERADOR 3100 IMPERADOR CA 3100 O primeiro e único pulverizador do mundo com barras centrais IMPERADOR 3100 Características O Imperador 3100 é o primeiro e único pulverizador autopropelido do mundo com

Leia mais

TESTE ON-LINE. Apresentação do funcionamento e novo equipamento

TESTE ON-LINE. Apresentação do funcionamento e novo equipamento TESTE ON-LINE Apresentação do funcionamento e novo equipamento Breve Definição O teste on-line permite verificar a pressão de abertura atual da válvula de segurança em condições normais de operação, ou

Leia mais

1) Em cada Prisma representado a seguir, calcule a área da base (A b ), a área lateral (A L ), a área total (A T ) e o volume (V):

1) Em cada Prisma representado a seguir, calcule a área da base (A b ), a área lateral (A L ), a área total (A T ) e o volume (V): EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO GEOMETRIA SÓLIDA ÁREAS E VOLUMES DE PRISMAS, CILINDROS E CONES 2 a SÉRIE ENSINO MÉDIO 2011 ==========================================================================================

Leia mais

LIVRO DE REGISTRO DE SERVIÇO

LIVRO DE REGISTRO DE SERVIÇO LIVRO DE REGISTRO DE SERVIÇO Número da Chave Passo da Hélice Número de Série do Motor Registro de serviço do cliente Todo o serviço deve ser completado por um revendedor autorizado pelo Distribuidor ou

Leia mais

CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA Cinemática II

CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA Cinemática II CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA 2015.1 Cinemática II Iva Emanuelly Pereira Lima - Engenharia Civil João Victor Tenório Engenharia Civil Na aula de hoje... - Lançamento Oblíquo; - Algumas

Leia mais

Mecânica dos Fluidos I

Mecânica dos Fluidos I Mecânica dos Fluidos I Aula prática 1 EXERCÍCIO 1 Em Mecânica dos Fluidos é muito frequente que interesse medir a diferença entre duas pressões. Os manómetros de tubos em U, que são um dos modelos mais

Leia mais