CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA"

Transcrição

1 CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA PE. GREGÓRIO LUTZ Certamente o título deste artigo não causa estranheza à grande maioria dos leitores da Revista de Liturgia. Mas mesmo assim me parece conveniente esclarecer os termos que nele encontramos para qualificar a catequese sobre a qual queremos refletir. Por isso apresento primeiro uma breve explicação do termo iniciação e a seguir também do conceito de eucaristia, para deixar bem claro que a eucaristia é basicamente aquilo que Jesus fez na última ceia e nos mandou fazer em sua memória. Esclarecer o que é catequese pertence evidentemente ao corpo mesmo deste artigo. 1. Iniciação No âmbito das religiões chama-se iniciação o processo de preparação de adolescentes e jovens para se tornarem plenos adultos na cultura e sobretudo na religião de sua tribo, por meio de doutrinação, experiências vividas e celebrações rituais. Na Igreja falamos em iniciação sobretudo no caso de adultos, também de jovens e crianças em idade de catequese, que se preparam para serem incorporados como membros do corpo de Cristo na Igreja, pela celebração dos sacramentos chamados de iniciação: o batismo, a confirmação e a eucaristia. Este processo de introdução na vida cristã e católica tem três dimensões: doutrina, celebração e vivência; ele culmina na celebração dos sacramentos da iniciação. No caso de adultos que não são batizados, os três sacramentos se realizam numa única celebração, e a preparação para esta celebração e a vida do cristão é um único processo de catequese, que se costuma chamar de catecumenato. No entanto, o costume mais comum em nossas comunidades é que se batizam as crianças ainda pequenas. Na idade de cerca de dez anos elas são admitidas à eucaristia. A iniciação delas na vida da Igreja se completa pela confirmação na adolescência e juventude. O batismo das crianças pequenas não é precedido por um processo de preparação, a não ser que seus pais e padrinhos façam um esforço especial de reavivar a sua fé. Antes da admissão plena à eucaristia com a assim chamada primeira comunhão, e ao sacramento da confirmação, faz-se uma preparação em vista destes sacramentos. Sobretudo a preparação para a primeira comunhão chama-se catequese; mas cresce o costume de falar igualmente em catequese de crisma. Também os assim chamados cursos de noivos e as escolas de fé podem ser considerados como catequese. Ora, iniciação é precisamente tal preparação para os sacramentos. Embora falemos em iniciação sobretudo no caso de adultos, é significativo que o novo Diretório Nacional de Catequese, aprovado pela Assembléia Geral dos Bispos do Brasil em abril de 2005, mas ainda não oficialmente publicado, nos convida a considerar e a realizar também outros tipos de catequese como iniciação, quer dizer, como processo educativo que tem as dimensões de doutrina, celebração e vivência. A proposta mais bem organizada de tal iniciação temos no Rito de Iniciação Cristã de Adultos, que apresenta na sua parte principal os ritos litúrgicos que acompanham o processo de preparação para os sacramentos da iniciação no seu contexto de ensino e da vivência da fé. Apresenta igualmente os ritos mesmos da celebração do batismo e da confirmação, remetendo para a eucaristia ao missal. Para depois da celebração dos sacramentos da iniciação, o ritual propõe ainda o tempo da mistagogia, a fim de que os primeiros passos dos iniciados na vida cristã possam ser seguros, e orienta para uma ajuda a eles com atenção e amizade, que visa a integração completa e feliz dos novos membros da Igreja em suas comunidades. 2. Eucaristia Infelizmente não é raro que por eucaristia se entende ainda hoje sobretudo a hóstia consagrada e a sua adoração. Embora o Concílio Vaticano II, que foi preparado pelo movimento litúrgico, tenha deixado bem claro que também na compreensão da eucaristia devemos voltar às fontes, muitos católicos não têm consciência de que a eucaristia é em primeiro lugar aquilo que Jesus fez na última ceia e que nos mandou fazer em sua memória, quando ele tomou o pão, deu graças, partiu o pão e o deu, dizendo: Tomai e comei..., e quando tomou o cálice e fez o mesmo, acrescentando: Fazei isto em memória de mim! Nem se leva em consideração o que a assembléia diz ou canta em resposta a: Eis o mistério da fé: Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

2 Poderia e deveria ser evidente que a eucaristia é em primeiro lugar a Ceia do Senhor, quer dizer, uma refeição, embora ritualizada, estilizada e nos elementos que caracterizam uma refeição, reduzida; uma refeição, no entanto, muito especial. Refeição é a dimensão da eucaristia que salta mais aos nossos sentidos, mas a eucaristia é também, como diz seu próprio nome, ação de graças e louvor; ela é igualmente sacrifício, mais exatamente, memória do sacrifício de Jesus, que ele completou na cruz; ela é celebração da páscoa de Cristo e do seu povo; celebração da aliança de Deus com a humanidade; ela é presença, de várias maneiras, do Senhor ressuscitado, de modo especial no pão e no vinho consagrados. O culto eucarístico é um prolongamento legítimo da celebração eucarística, mas não deveria ser, como de fato é para muitos católicos, simplesmente a eucaristia. 3. Catequese 3.1. A situação São inúmeros os grupos de catequese em nossas comunidades pelo Brasil a fora, embora se atinjam nem de longe todas as crianças batizadas na Igreja católica. São também bastante diferentes os grupos em que de fato se inicia à eucaristia. Já nos grupos de pré-catequese acontece uma familiarização das crianças pequenas com a comunidade eclesial e suas celebrações, particularmente da eucaristia. Os mais numerosos destes grupos são os de preparação para a eucaristia. Os grupos de perseverança, isto é, das crianças que fizeram a primeira comunhão, mais ainda não têm idade necessária para entrar nos grupos de preparação ao sacramento da confirmação, são importantes para uma introdução cada vez mais profunda e consciente na Igreja e na eucaristia. Já que o sacramento da crisma pode ser considerado como confirmação não só do batismo, mas também da eucaristia, e a catequese de preparação para este sacramento é, como a catequese que prepara para a eucaristia, uma iniciação geral à fé, liturgia e vida da Igreja, a catequese de crisma ajuda consideravelmente no amadurecimento da vida eucarística dos adolescentes e jovens. Nos cursos de noivos e na preparação dos pais e padrinhos para o batismo de filhos e afilhados um aprofundamento da fé na eucaristia raramente falta. Em muitas paróquias e comunidades existem também grupos de adultos que se preparam para um ou dois ou todos os sacramentos da iniciação cristã, portanto também para a eucaristia. Menção especial merece a assim chamada catequese familiar. Nela os pais são catequistas de seus filhos. Os pais recebem em grupos de casais a instrução necessária para que eles mesmos possam preparar seus filhos para a eucaristia. Evidentemente, quando assim os pais são os primeiros catequizandos, cria-se nas famílias um clima de fé e vivência cristãs, e toda a família é mais facilmente levada a participar também das celebrações eucarísticas da comunidade. Desta maneira, a catequese das crianças é muito mais eficaz do que quando um catequista prepara um grupo de crianças para a eucaristia. Neste artigo nos preocupam especialmente aqueles grupos que se preparam especificamente para a eucaristia, portanto aqueles nos quais crianças a partir dos 8 anos de idade são iniciados à eucaristia. Quanta alegria nos dão estes grupos, quanta preocupação eles também nos causam. Embora isso possa ser bem diferente de lugar para lugar e de grupo para grupo, em geral o entusiasmo das crianças não vai muito além da primeira comunhão. As causas deste fato são múltiplas. Freqüentemente as crianças não tiveram em suas famílias um clima e vivência de amor e fraternidade como base para uma catequese frutuosa. Durante a catequese muitos pais não acompanham os seus filhos, e muitos dos nossos catequistas que têm muita boa vontade e não possuem a formação necessária para a sua missão. Os subsídios que existem para esta catequese, em sua maioria não visam a eucaristia como aquela celebração que Jesus instituiu na última ceia, e como ponto culminante de toda vida de dedicação e amor, a exemplo de Jesus. Mesmo muitos documentos do magistério da igreja não vêem na eucaristia claramente ou em primeiro lugar a Ceia ou refeição que Jesus celebrou e mandou celebrar na sua última ceia. Por causa destas e muitas outras falhas na catequese não devemos ficar admirados se para a maioria das crianças que fazem a primeira comunhão, a catequese em preparação à eucaristia não tem a força de iniciar real e eficazmente na eucaristia, que deve ser sempre de novo o centro e a coroação de uma vida profundamente cristã A natureza da catequese

3 Não se pode duvidar de que na catequese a dimensão de doutrina, o ensino da fé, é fundamental. Mas como iniciação à eucaristia, que é cume e fonte de toda a vida cristã, o ensino da fé não é suficiente. A fé deve ser vivida e também celebrada. Vida e ação litúrgica, no entanto, não se aprendem apenas por doutrinação. Viver e celebrar se aprende sobretudo vivendo e celebrando. No aprendizado de qualquer profissão a teoria é muito importante, ela é uma ajuda que não deve ser desprezada, mas é apenas uma ajuda. Parece difícil dar uma definição precisa e sucinta de catequese. Mas podemos indicar elementos essenciais para descreve-la. Para isso se oferece como inspiração o novo Diretório Nacional de Catequese. Embora a edição definitiva não esteja ainda a disposição, podemos nos referir ao instrumento de trabalho na versão que foi apresentada aos bispos do Brasil em sua assembléia geral de Nela lemos: - A catequese é uma ação eclesial pela qual a Igreja transmite a fé que ela mesma vive. - Ao transmitir a fé, a Igreja gera filhos pela ação do Espírito Santo e os educa maternalmente. - A catequese é um aprendizado dinâmico da vida cristã. Uma iniciação integral que favorece o seguimento de Jesus Cristo na comunidade eclesial, à qual ela introduz. - Ela fornece uma formação de base essencial, centrada naquilo que constitui o núcleo da experiência cristã: a fé, a celebração e a vivência da páscoa de Jesus. - Ela suscita o compromisso missionário para o estabelecimento do Reino de Deus no coração das pessoas, em suas relações interpessoais e na organização da sociedade. - Ela é um processo de educação gradual e progressivo, respeitando os ritmos de crescimento de cada um. A finalidade da catequese o mesmo documento descreve assim: Aprofundar o primeiro anúncio do evangelho: Levar o catequizando ao conhecimento, à acolhida, à celebração e vivência do mistério de Deus, manifestado em Jesus Cristo que nos revela o Pai e o Espírito Santo. Conduz à entrega do coração a Deus, à comunhão com a Igreja, corpo de Cristo, e à participação em sua missão. Penso que na base destes esclarecimentos sobre iniciação, eucaristia e catequese possamos agora entrar de cheio no tema central da presente reflexão que é a catequese como iniciação de crianças à eucaristia. No entanto, como o levantamento que acabamos de fazer vale quase em tudo também para a catequese em outras idades, as reflexões que seguem poderão facilmente ser aplicadas igualmente à iniciação à eucaristia de adolescentes, jovens e adultos. 3. A catequese como iniciação à eucaristia 4.1. Desvios Estamos fazendo a presente reflexão na Revista de Liturgia, que tem como leitores sobretudo pessoas engajadas na pastoral litúrgica, que estão preocupadas com a catequese particularmente em relação aos sacramentos, em nosso caso preciso, a eucaristia. É importante para nós liturgos e liturgistas, não cair em panliturgismo, do qual os catequetas e catequistas às vezes nos acusam. Panliturgismo seria ver a catequese somente em função das celebrações litúrgicas, em nosso caso, da eucaristia. Isto seria, sem dúvida alguma, uma visão unilateral. Devemos ver a relação entre catequese e liturgia com realismo e objetividade. Já as expressões primeira comunhão e primeira eucaristia mostram falta de objetividade. Quem as usa parece ver a catequese exclusivamente como preparação para a primeira comunhão ou eucaristia; nem repara que a missa na qual as crianças comungam pela primeira vez, em geral também não é a primeira celebração eucarística de que participam, embora não o tenham feito ainda plenamente. Quem fala em primeira comunhão, facilmente dá a impressão que eucaristia seja apenas a comunhão eucarística. Falha grave é também que na catequese em preparação à eucaristia se dá pouco ou nenhum valor à aprendizagem do celebrar. Raramente se observa um esforço que os catequizandos sejam incentivados a participar da eucaristia ativamente, prestando pequenos serviços nas ou para as celebrações de suas comunidades. Momento de tal iniciação poderia ser também o ensaio de canto. Importante seriam

4 pequenas celebrações durante ou no fim dos encontros de catequese, como por exemplo ato penitencial, uma ação de graças ou somente o sinal da cruz ou um acender de uma vela. Espero que estes desvios e unilateralidades na compreensão e realização da catequese em vista da eucaristia se tornem sempre mais raras e fracas; mas infelizmente não se pode negar que existem e que há o perigo que em certas comunidades e situações ainda crescem O ideal Agora impõe-se a necessidade de mostrar qual é a relação verdadeira, objetiva e ideal entre catequese e eucaristia no processo de iniciação cristã. É fácil dar uma resposta a esta pergunta a partir daquilo que acabamos de lembrar sobre a natureza e a finalidade da catequese, aplicando as constatações gerais feitas à catequese de iniciação à eucaristia. Podemos portanto dizer que: - A catequese de iniciação à eucaristia é uma ação de Igreja, realizada por suas porta-vozes, os catequistas, em que se transmite a fé na eucaristia que a Igreja vive e celebra. É claro que os catequistas não devem apenas conhecer esta fé com profundidade, mas também viver e celebra-la. - Os catequistas não são profissionais, embora alguns gostem de ser chamados assim, mas testemunhas, pais e mães de fé para os catequizandos. - A catequese deve ser um aprendizado dinâmico da fé e da vida cristãs e da celebração da eucaristia. Os catequizandos dificilmente aprenderão isso, se não forem durante o processo de iniciação incentivados a um verdadeiro treinamento de crer, celebrar e viver o que se quer transmitir a eles. - A catequese, por ser um processo dinâmico de educação integral, deve levar a uma experiência viva da presença e ação de Cristo na vida das pessoas e na comunidade eclesial, para poder levar a um seguimento firme do Senhor e um compromisso missionário. Ninguém vai dizer que a tarefa dos catequistas, de ajudar os catequizandos a um verdadeiro aprofundamento do evangelho, a conhecer, acolher, celebrar e viver o mistério de Deus em comunhão com a Igreja e a assumir a missão que Jesus deixou para todos os batizados, também já para crianças, seja fácil. Nem haverá quem pense ou diga que é fácil para as paróquias e dioceses formar os catequistas para a sua missão. O próprio Jesus não prometeu que seja fácil segui-lo e assumir a sua missão para tornar sempre mais presente o reino em nós, ao nosso redor e no mundo. Mas ele nos deu o seu Espírito que repousa também sobre todos nós, para assumirmos e realizarmos a nossa missão, que é fazer discípulos e reuni-los na Igreja, que por sua vez é sinal de salvação para o mundo Formação dos catequistas As sugestões que serão dadas a seguir, não são fórmulas mágicas, mas pretendem mostrar passos num caminho que se faz caminhando, sobretudo em vista daqueles catequistas que não estão bem a altura de sua missão. Nenhum catequista cai pronto do céu. Também os apóstolos precisavam de formação, que receberam de fato nos anos de convivência com Jesus. Jesus os convidou: Venham ver! E eles ficaram com ele. Só depois o mestre os enviou. A formação dos catequistas deve visar em primeiro lugar a sua maturidade na fé, que devem viver e celebrar na comunidade eclesial. Eles devem ser verdadeiros discípulos de Cristo que se comprometem a viver e trabalhar pela vinda do Reino de Deus. Tal espiritualidade de identificação com Jesus Cristo deve ser sustentada pela Palavra de Deus e a eucaristia, sobretudo no caso de quem tem a missão de iniciar outros nesta vida com Cristo. Mesmo sendo nossos catequistas pessoas que buscam Deus e que têm consciência de sua missão, os responsáveis pela sua formação não devem se contentar em recomendar que eles se formem e atualizem por si mesmos, mas deve oferecer a eles a formação adequada para o desenvolvimento de sua personalidade cristã. Outra dimensão da formação dos catequistas é aquela que visa sua atividade catequética, com respeito aos conteúdos que devem transmitir, e a metodologia que devem saber usar, para que seus catequizandos possam crescer na fé e que cheguem a viver e celebra-la. A boa vontade dos catequistas não garante a eficácia do seu relacionamento com os catequizandos, a comunicação com eles e uma

5 pedagogia adequada. Devido à situação própria de cada comunidade e grupo de catequizando não é suficiente usar como subsídio para os encontros de catequese um livro ou caderno que não considera as condições locais. Geralmente deveria se fazer, sem desprezar a utilização de subsídios, uma programação da catequese em cada paróquia ou comunidade. Evidentemente, tal programação deve ser feita com a colaboração dos próprios catequistas. No caso da preparação à eucaristia isso é especialmente importante, porque não existem ou são pelo menos raríssimos subsídios que orientam satisfatoriamente para uma verdadeira iniciação à eucaristia. As sugestões que aqui foram dadas valem em primeiro lugar, mas não somente, para a formação inicial dos catequistas. Não menos importante é a formação permanente, que deve ter as mesmas dimensões. O catequista que adquiriu experiências no exercício do seu ministério aproveitará certamente ainda mais da formação que se oferece. Importante é também que o catequista novo inicie seu ministério como ajudante de um catequista que já tem prática e é comprovado nesta missão. Assim o novato tem uma iniciação também prática no seu novo ministério A responsabilidade dos pais e da comunidade Por mais importante e prometedor que seja o trabalho dos catequistas, ele será tanto mais eficaz, quanto mais e melhor a família das crianças fez uma iniciação básica do seu filho ou filha na vida de fé e acompanha depois a catequese na comunidade. Importância semelhante tem a comunidade eclesial. A criança vive (ou deveria viver) sua primeira experiência de fé e vida cristã no ambiente familiar. Na família o processo de crescimento na fé brota da convivência, do clima familiar e do testemunho dos pais. Na família a criança aprende que tem um pai também no céu, já quando se reza regularmente e em comum. Ela aprende que Deus pode ser encontrado de modo especial na Igreja, se os pais participam da vida e das celebrações da comunidade e levam seus filhos consigo. Na comunidade, se ela é acolhedora e oferece espaço adequado também para os pequenos, particularmente nas suas celebrações, as crianças terão experiências vivas da presença de Deus nos irmãos e especialmente na liturgia. Para as crianças que não tiveram tal ambiente familiar, os catequistas devem ser especialmente sensíveis. Onde isso for possível, recomenda-se a formação de grupos de catequese especiais para estas crianças. Não parece ser necessário salientar que os catequistas devem conhecer e levar em consideração aquilo que se acaba de dizer a respeito do papel da família e da comunidade em relação à iniciação à eucaristia. Importante é também o acompanhamento da catequese pelos próprios pais e, para cada grupo de catequizandos, de um casal competente que, além de garantir a relação dos pais dos catequizandos com o grupo de catequese e o catequista, dá segurança ao catequista, sobretudo quando ainda é jovem, e contribui para que a catequese atinja melhor os seus objetivos. Ainda mais evidente é a importância do acompanhamento da catequese pelos padres e diáconos da paróquia, eventualmente também de religiosos. Eles programam e orientam a catequese, incentivam e garantem a formação inicial e permanente dos catequistas. Dos padres em primeiro lugar depende também se as celebrações eucarísticas de sua paróquia e comunidades são aquilo que Jesus fez na última ceia e nos mandou fazer, ou se eventualmente vigora uma compreensão e celebração da eucaristia que deveria ter sido corrigida com a reforma da missa pelo Concílio Vaticano II. Pois, como será possível e teria sentido iniciar a uma eucaristia que existe somente na bíblia, nos documentos do magistério e no missal, mas não se celebra na comunidade e na paróquia onde se realiza esta catequese? Concluindo podemos dizer: se pais e comunidades, catequistas e clero, todos eles abertos para a luz e as moções do Espírito Santo, refletem e trabalham juntos para e na iniciação das crianças à eucaristia, os seus esforços, particularmente os dos catequistas, não ficarão sem resultado. Texto publicado na Revista de Liturgia, n. 194, março/abrio 2006, p. 4

A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária

A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária A evangelização nos dá a alegria do encontro com a Boa Nova da Ressurreição de Cristo. A maioria das pessoas procura angustiada a razão de sua vida

Leia mais

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética 2 0 1 2-2 0 1 5 DIOCESE DE FREDERICO WESTPHALEN - RS Queridos irmãos e irmãs, Com imensa alegria, apresento-lhes o PLANO DIOCESANO DE ANIMAÇÃO BÍBLICO -

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 1. Finalidade do Ano da Fé; 2. O que é a Fé; 3. A transmissão da Fé enquanto professada, celebrada, vivida e rezada; 4. O conteúdo

Leia mais

DIRECTÓRIO GERAL DA CATEQUESE - SDCIA/ISCRA -2 Oração inicial Cântico - O Espírito do Senhor está sobre mim; Ele me enviou para anunciar aos pobres o Evangelho do Reino! Textos - Mc.16,15; Mt.28,19-20;

Leia mais

Entrada da Palavra: Comentário da Palavra: Permaneçamos em pé para acolher o Livro Santo de Nossa Fé, a Palavra de Deus, cantando.

Entrada da Palavra: Comentário da Palavra: Permaneçamos em pé para acolher o Livro Santo de Nossa Fé, a Palavra de Deus, cantando. Celebração de Encerramento PREPARAR 1. Bíblia e velas para a Procissão de Entrada da Palavra 2. Sementes de girassóis para cada catequista depositar num prato com terra diante do altar durante a homilia

Leia mais

O que é Catequese? Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação

O que é Catequese? Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação contato@paroquiasantocristodosmilagres.org O que é Catequese? Segundo a exortação apostólica Catechesi Tradendae do Papa João

Leia mais

Explicação da Missa MISSA

Explicação da Missa MISSA Explicação da Missa Reunidos todos os catequizandos na Igreja, num primeiro momento mostram-se os objetos da missa, ensinam-se os gestos e explicam-se os ritos. Em seguida celebra-se a missa sem interrupção.

Leia mais

Catecumenato Uma Experiência de Fé

Catecumenato Uma Experiência de Fé Catecumenato Uma Experiência de Fé APRESENTAÇÃO PARA A 45ª ASSEMBLÉIA DA CNBB (Regional Nordeste 2) www.catecumenato.com O que é Catecumenato? Catecumenato foi um método catequético da igreja dos primeiros

Leia mais

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 NO CAMINHO DO DISCIPULADO MISSIONÁRIO, A EXPERIÊNCIA DO ENCONCONTRO: TU ÉS O MESSIAS, O FILHO DO DEUS VIVO INTRODUÇÃO Queridos/as Catequistas! Com nossos cumprimentos

Leia mais

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA Nestes últimos anos tem-se falado em Catequese Renovada e muitos pontos positivos contribuíram para que ela assim fosse chamada. Percebemos que algumas propostas

Leia mais

O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ

O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ Pe. Thiago Henrique Monteiro Muito adultos convertem-se a Cristo e à Igreja Católica. Por exemplo, neste ano, nas dioceses

Leia mais

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC 1. ESPAC O QUE É? A ESPAC é uma Instituição da Arquidiocese de Fortaleza, criada em 1970, que oferece uma formação sistemática aos Agentes de Pastoral Catequética e

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

Apresentação. (Solicitação do saudoso Santo Padre o Beato João Paulo II)

Apresentação. (Solicitação do saudoso Santo Padre o Beato João Paulo II) Apresentação A Renovação Carismática Católica do Estado do Piauí, movimento eclesial da Igreja Católica, tem por objetivo proporcionar às pessoas uma experiência concreta com Jesus Cristo, através do Batismo

Leia mais

Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015

Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015 Celebração do Dia Nacional do Catequista 30 de agosto de 2015 Introdução: Educar na fé, para a paz, a justiça e a caridade Este ano a Igreja no Brasil está envolvida em dois projetos interligados: a lembrança

Leia mais

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Deus nos alerta pela profecia de Oséias de que o Povo dele se perde por falta de conhecimento. Cf. Os 4,6 1ª Tm 4,14 Porque meu povo se perde

Leia mais

20ª Hora Santa Missionária

20ª Hora Santa Missionária 20ª Hora Santa Missionária Tema: Missão é Servir Lema: Quem quiser ser o primeiro seja servo de todos Preparação do ambiente: cartaz do Mês missionário, Bíblia e fitas nas cores dos continentes, cruz e

Leia mais

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO SOBRE NÓS FAZEI BRILHAR O ESPLENDOR DE VOSSA FACE! 3 º DOMINGO DA PÁSCOA- ANO B 22 DE ABRIL DE 2012 ANIM: (Saudações espontâneas)

Leia mais

Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo A INTEGRAÇÃO DA PASTORAL VOCACIONAL COM A CATEQUESE

Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo A INTEGRAÇÃO DA PASTORAL VOCACIONAL COM A CATEQUESE Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo 1 o Curso por Correspondência às Equipes Vocacionais Paroquiais SEXTO TEMA: A INTEGRAÇÃO DA PASTORAL VOCACIONAL COM A CATEQUESE E A PASTORAL

Leia mais

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção?

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção? MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Espiritualidade e profecia são duas palavras inseparáveis. Só os que se deixam possuir pelo espírito de Deus são capazes de plantar sementes do amanhã e renovar a face da terra. Todo

Leia mais

O ITINERÁRIO DO CATECUMENATO segundo o Ritual da iniciação cristã dos adultos Pe. Domingos Ormonde, julho de 2007-2009

O ITINERÁRIO DO CATECUMENATO segundo o Ritual da iniciação cristã dos adultos Pe. Domingos Ormonde, julho de 2007-2009 O ITINERÁRIO DO CATECUMENATO segundo o Ritual da iniciação cristã dos adultos Pe. Domingos Ormonde, julho de 2007-2009 (A) Introdução ao estudo do Ritual da iniciação cristã dos adultos (RICA) 1. O enfoque

Leia mais

Celebração Comunitária do SACRAMENTO DO BAPTISMO

Celebração Comunitária do SACRAMENTO DO BAPTISMO Celebração Comunitária do SACRAMENTO DO BAPTISMO O Baptismo, porta da vida e do reino, é o primeiro sacramento da nova lei, que Cristo propôs a todos para terem a vida eterna, e, em seguida, confiou à

Leia mais

ANIMAÇÃO BÍBLICO-CATEQUÉTICA DIOCESANA Pré-Catequese, Eucaristia, Perseverança, Crisma, Adultos, Diversidade

ANIMAÇÃO BÍBLICO-CATEQUÉTICA DIOCESANA Pré-Catequese, Eucaristia, Perseverança, Crisma, Adultos, Diversidade ANIMAÇÃO BÍBLICO-CATEQUÉTICA DIOCESANA Pré-Catequese, Eucaristia, Perseverança, Crisma, Adultos, Diversidade GUIA PARA A INSCRIÇÃO NA CATEQUESE E CRISMA Equipe do Projeto Alicerce [2011] Justificativa:

Leia mais

A Apostolicidade da Fé

A Apostolicidade da Fé EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 10 DE MARÇO DE 2013 A Apostolicidade da Fé Catequese do 4º Domingo da Quaresma Sé Patriarcal, 10 de Março de 2013 1. A fé da Igreja recebemo-la dos Apóstolos de Jesus. A eles

Leia mais

Por isso, redescobrir a Eucaristia na plenitude é redescobrir o CRISTO. Hoje queremos agradecer este grande dom, que Cristo nos deu.

Por isso, redescobrir a Eucaristia na plenitude é redescobrir o CRISTO. Hoje queremos agradecer este grande dom, que Cristo nos deu. O Pão da Vida Na solenidade de Corpus Christi, queremos recordar que os atos redentores de Cristo, que culminam na sua morte e ressurreição, atualizam-se na Eucaristia, celebrada pelo Povo de Deus e presidida

Leia mais

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros DEUS SE REVELA ATRAVÉS DOS OUTROS Ser Marista com os outros: Experimentar caminhos de vida marista comunitariamente INTRODUÇÃO

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

SETEMBRO Visita do governador do Estado - Ceará

SETEMBRO Visita do governador do Estado - Ceará SETEMBRO Visita do governador do Estado - Ceará No dia 04, ocorreu na Casa Cardeal Guarino, em Madalena um evento do governo do Estado do Ceará, o qual consistiu na entrega de uma cisterna de nº 500 mil,

Leia mais

18.02 e 05.10 (Fechamento da Agenda 2011)

18.02 e 05.10 (Fechamento da Agenda 2011) 28.10 147 18.02 e 05.10 (Fechamento da Agenda 2011) 148 17.04, 19.06 149 150 151 152 153 e 11.12 (F). 29.05 (A), 06.11 (B), 13.11 (C), 14.11 (D), 21.11 (E) 17.04 (A), 19.09 (B), 23.10 (C) e 20.11 (D).

Leia mais

NORMATIVAS PASTORAIS PARA A CELEBRAÇÃO DO BATISMO

NORMATIVAS PASTORAIS PARA A CELEBRAÇÃO DO BATISMO DIOCESE DE BRAGANÇA MIRANDA NORMATIVAS PASTORAIS PARA A CELEBRAÇÃO DO BATISMO Para os Párocos e respetivas comunidades Cristãs, especialmente para os Pais e para os Padrinhos 2012 1 A ESCLARECIMENTO PRÉVIO

Leia mais

A transmissão da fé na Família. Reunião de Pais. Família

A transmissão da fé na Família. Reunião de Pais. Família A transmissão da fé na Família Reunião de Pais Família Plano Pastoral Arquidiocesano Um triénio dedicado à Família Passar de uma pastoral sobre a Família para uma pastoral para a Família e com a Família

Leia mais

Módulo II Quem é o Catequista?

Módulo II Quem é o Catequista? Módulo II Quem é o Catequista? Diocese de Aveiro Objectivos Descobrir a imagem de catequista que existe na nossa comunidade. Aprofundar a vocação e o ministério do catequista a partir da Bíblia. Com base

Leia mais

Sugestões Pastorais para a implementação da Iniciação à Vida Cristã

Sugestões Pastorais para a implementação da Iniciação à Vida Cristã Apresentação Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado (Mt 28,19-20) Jesus enviou

Leia mais

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM Página 1 TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM 01. Canto de Entrada 02. Saudação inicial do celebrante presidente 03. Leitura

Leia mais

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA REUNIÃO DE PAIS E CATEQUISTAS 09 DE FEVEREIRO DE 2010

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA REUNIÃO DE PAIS E CATEQUISTAS 09 DE FEVEREIRO DE 2010 COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA REUNIÃO DE PAIS E CATEQUISTAS 09 DE FEVEREIRO DE 2010 ORAÇÃO DE ABERTURA CANTO (REPOUSAR EM TI) Música de Tânia Pelegrino baseada na obra Confissões, de

Leia mais

Índice Introdução... 13 Abreviaturas... 17 1. Natureza da liturgia cristã... 21 1.1. O termo liturgia... 21 1.1.1. No helenismo... 22 1.1.2. No Antigo Testamento... 22 1.1.3. No Novo Testamento... 23 1.1.4.

Leia mais

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO TOCANTINS MINISTÉRIO DE MÚSICA E ARTES INSTRUÇÃO PARA MÚSICA LITÚRGICA NOS EVENTOS DA RCC 1

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO TOCANTINS MINISTÉRIO DE MÚSICA E ARTES INSTRUÇÃO PARA MÚSICA LITÚRGICA NOS EVENTOS DA RCC 1 RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO TOCANTINS MINISTÉRIO DE MÚSICA E ARTES INSTRUÇÃO PARA MÚSICA LITÚRGICA NOS EVENTOS DA RCC 1 1) O lugar do Ministério de Música Para começar, vamos falar dos cantores do

Leia mais

Lembrança da Primeira Comunhão

Lembrança da Primeira Comunhão Lembrança da Primeira Comunhão Jesus, dai-nos sempre deste pão Meu nome:... Catequista:... Recebi a Primeira Comunhão em:... de... de... Local:... Pelas mãos do padre... 1 Lembrança da Primeira Comunhão

Leia mais

É o próprio sacrifício do Corpo e do Sangue do Senhor Jesus, que Ele instituiu para perpetuar o

É o próprio sacrifício do Corpo e do Sangue do Senhor Jesus, que Ele instituiu para perpetuar o 3 - Eucaristia O que é a Eucaristia? É o próprio sacrifício do Corpo e do Sangue do Senhor Jesus, que Ele instituiu para perpetuar o sacrifício da cruz no decorrer dos séculos até ao seu regresso, confiando

Leia mais

LEITURA ORANTE DA PALAVRA DE DEUS NA CATEQUESE 1. O ENCONTRO DE CATEQUESE COM LEITURA ORANTE DA PALAVRA

LEITURA ORANTE DA PALAVRA DE DEUS NA CATEQUESE 1. O ENCONTRO DE CATEQUESE COM LEITURA ORANTE DA PALAVRA LEITURA ORANTE DA PALAVRA DE DEUS NA CATEQUESE 1. O ENCONTRO DE CATEQUESE COM LEITURA ORANTE DA PALAVRA A Bíblia é o livro da fé. Por isso, dever ser o texto principal da catequese (DNC 13e). Segundo o

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM 1 Páscoa Jovem 1.1. Descrição A Páscoa Jovem é um encontro vivencial realizado para proporcionar uma experiência reflexiva e celebrativa da Paixão, Morte e Ressurreição

Leia mais

SEMANA DE FORMAÇÃO TEOLÓGICA PARÓQUIA SANTO ANTONIO Itapira SP

SEMANA DE FORMAÇÃO TEOLÓGICA PARÓQUIA SANTO ANTONIO Itapira SP SEMANA DE FORMAÇÃO TEOLÓGICA PARÓQUIA SANTO ANTONIO Itapira SP CREIO (N)A SANTA IGREJA CATÓLICA I CRER DE MODO ECLESIAL NO CONTEÚDO DA FÉ CRISTÃ. A PROFISSÃO DE FÉ DA IGREJA A FÉ BATISMAL A PROFISSÃO DE

Leia mais

CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS

CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS Apresentação A JUVENTUDE MERECE ATENÇÃO ESPECIAL A Igreja Católica no Brasil diz que é preciso: Evangelizar, a partir de Jesus Cristo,

Leia mais

O mais importante na prática da devolução do dízimo não é com o quanto se participa. Mas como se participa.

O mais importante na prática da devolução do dízimo não é com o quanto se participa. Mas como se participa. Dízimo e a catequese Abril 2011 Silma Pontes silmapontes8@hotmail.com Paróquia da Glória - Acolhida O contingente de catequistas voluntários de nossa paróquia é expressivo. Vinte e quatro (24) fieis formadores,

Leia mais

Encuentro sobre Mision Continental y Conversão Pastoral Buenos Aires Argentina 26 a 30 de outubro de 2009

Encuentro sobre Mision Continental y Conversão Pastoral Buenos Aires Argentina 26 a 30 de outubro de 2009 Encuentro sobre Mision Continental y Conversão Pastoral Buenos Aires Argentina 26 a 30 de outubro de 2009 Conversão Pastoral e Missão continental O Departamento Mission e espiritualidade do Celam na busca

Leia mais

Instituição e Renovação de Ministérios Extraordinários na Diocese

Instituição e Renovação de Ministérios Extraordinários na Diocese Instituição e Renovação de Ministérios Extraordinários na Diocese 1. RITO DE INSTITUIÇÃO DOS MINISTROS(AS) DA COMUNHÃO Diácono: Queiram levantar-se os que receberão o mandato de Ministros Extraordinários

Leia mais

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica OBLATOS ORIONITAS linhas de vida espiritual e apostólica Motivos inspiradores da oblação orionita laical O "carisma" que o Senhor concede a um fundador, é um dom para o bem de toda a Igreja. O carisma

Leia mais

Os Sacramentos estão presentes em cada fase da vida do Cristão

Os Sacramentos estão presentes em cada fase da vida do Cristão Os Sacramentos estão presentes em cada fase da vida do Cristão A vida litúrgica começa muito cedo. Os Sacramentos são conhecidos como encontros pessoais com Cristo. Também são vistos como sinais da salvação.

Leia mais

Apresentamos as partilhas que enriqueceram o nosso Seminário Nacional de Iniciação Cristã.

Apresentamos as partilhas que enriqueceram o nosso Seminário Nacional de Iniciação Cristã. Apresentamos as partilhas que enriqueceram o nosso Seminário Nacional de Iniciação Cristã. Na sexta-feira, pela manhã, foi a vez do Nordeste 3 - Aracaju - com sua experiência de iniciação à vida cristã

Leia mais

NOVENA DE NATAL 2015. O Natal e a nossa realidade. A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel.

NOVENA DE NATAL 2015. O Natal e a nossa realidade. A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel. NOVENA DE NATAL 2015 O Natal e a nossa realidade A jovem concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de Emanuel. (Is 7,14) APRESENTAÇÃO O Natal se aproxima. Enquanto renovamos a esperança de

Leia mais

Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015]

Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015] 1 Manual de Respostas do Álbum Líturgico- catequético No Caminho de Jesus [Ano B 2015] Página 9 Na ilustração, Jesus está sob a árvore. Página 10 Rezar/orar. Página 11 Amizade, humildade, fé, solidariedade,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Ser Igreja de Comunhão e Participação!

APRESENTAÇÃO. Ser Igreja de Comunhão e Participação! APRESENTAÇÃO Os Bispos aprovaram, recentemente, as Diretrizes da Ação Evangelizadoras da Igreja do Brasil 2011 2015 e a Arquidiocese de Florianópolis em comunhão com estas quer impulsionar todas as paróquias

Leia mais

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida.

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida. LITURGIA DA PALAVRA A Palavra de Deus proclamada e celebrada - na Missa - nas Celebrações dos Sacramentos (Batismo, Crisma, Matrimônio...) A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A escola católica será uma instituiçao com mística evangelizadora UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS UMA ESCOLA COM

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA. Estudo 104 CNBB

COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA. Estudo 104 CNBB COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA Estudo 104 CNBB ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA

Leia mais

Elementos da Vida da Pequena Comunidade

Elementos da Vida da Pequena Comunidade Raquel Oliveira Matos - Brasil A Igreja, em sua natureza mais profunda, é comunhão. Nosso Deus, que é Comunidade de amor, nos pede entrarmos nessa sintonia com Ele e com os irmãos. É essa a identidade

Leia mais

PARA O BAPTISMO DAS CRIANÇAS

PARA O BAPTISMO DAS CRIANÇAS BAPTISMO DAS CRIANÇAS 301 PARA O BAPTISMO DAS CRIANÇAS Pode utilizar-se uma das fórmulas, de entre as que se propõem no Rito do Baptismo ou aqui. Também é lícito escolher vários elementos da mesma fórmula,

Leia mais

REQUERIMENTO. Ao Excelentíssimo e Reverendíssimo Senhor Dom OSVINO JOSÉ BOTH Arcebispo Militar do Brasil

REQUERIMENTO. Ao Excelentíssimo e Reverendíssimo Senhor Dom OSVINO JOSÉ BOTH Arcebispo Militar do Brasil REQUERIMENTO Ao Excelentíssimo e Reverendíssimo Senhor Dom OSVINO JOSÉ BOTH Arcebispo Militar do Brasil Documento elaborado de próprio punho. Eu, inscrito no CPF sob o nº e no RG nº aluno da Escola Diaconal

Leia mais

PARÓQUIA SÃO JOSÉ - MATRIZ DE RIBEIRÃO PIRES CALENDÁRIO PAROQUIAL DE PASTORAL ANO 2014

PARÓQUIA SÃO JOSÉ - MATRIZ DE RIBEIRÃO PIRES CALENDÁRIO PAROQUIAL DE PASTORAL ANO 2014 PARÓQUIA SÃO JOSÉ - MATRIZ DE RIBEIRÃO PIRES CALENDÁRIO PAROQUIAL DE PASTORAL ANO 2014 Objetivo A partir das Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil e do 7º Plano Diocesano de Pastoral (2013-20150,

Leia mais

VISITA PASTORAL NA ARQUIDIOCESE DE MARIANA

VISITA PASTORAL NA ARQUIDIOCESE DE MARIANA VISITA PASTORAL NA ARQUIDIOCESE DE MARIANA A Vista Pastoral constitui-se em momento privilegiado de contato do Arcebispo com o povo santo de Deus, confiado aos seus cuidados de pastor, com a preciosa colaboração

Leia mais

PLANO DIOCESANO DE PASTORAL 2015 2018 IGREJA DE AVEIRO, VIVE A ALEGRIA DA MISERICÓRDIA

PLANO DIOCESANO DE PASTORAL 2015 2018 IGREJA DE AVEIRO, VIVE A ALEGRIA DA MISERICÓRDIA IGREJA DE AVEIRO, VIVE A ALEGRIA DA MISERICÓRDIA O nosso Plano alicerça-se no símbolo do lava-pés (Jo 13, 11-17) O LAVA-PÉS Nele se inspira a espiritualidade de serviço que dá sen do a toda a ação pastoral

Leia mais

Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica

Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica Igreja Nova Apostólica Internacional Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica Depois de, na última edição, termos abordado os aspetos inclusivos e exclusivos no Antigo e no Novo Testamento,

Leia mais

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005 FESTA DO Pai-Nosso Igreja de S. José de S. Lázaro 1º ano 1 7 de Maio de 2005 I PARTE O acolhimento será feito na Igreja. Cada criança ficará com os seus pais nos bancos destinados ao seu catequista. Durante

Leia mais

PSICOLOGIA DAS IDADES

PSICOLOGIA DAS IDADES PSICOLOGIA DAS IDADES Pe. Fausto dos Santos Oliveira Mestre, em obediência à vossa Palavra, lançarei as redes Oração Vocacional Senhor da Messe e Pastor do rebanho, faze ressoar em nossos ouvidos teu forte

Leia mais

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo Tens uma tarefa importante para realizar: 1- Dirige-te a alguém da tua confiança. 2- Faz a pergunta: O que admiras mais em Jesus? 3- Regista a resposta nas linhas.

Leia mais

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil

Documento do MEJ Internacional. O coração do Movimento Eucarístico Juvenil Documento do MEJ Internacional Para que a minha alegria esteja em vós Por ocasião dos 100 anos do MEJ O coração do Movimento Eucarístico Juvenil A O coração do MEJ é a amizade com Jesus (Evangelho) B O

Leia mais

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO PROFISSÃO DE FÉ AMBIENTAÇÃO Irmãos, celebramos hoje o Domingo de Pentecostes, dia por excelência da manifestação do Espírito Santo a toda a Igreja. O Espírito manifesta-se onde quer, como quer e a quem

Leia mais

Bispo Sr. Dr. Gebhard Fürst. O ESPÍRITO É VIVIFICADOR Desenvolver a Igreja em muitos lugares

Bispo Sr. Dr. Gebhard Fürst. O ESPÍRITO É VIVIFICADOR Desenvolver a Igreja em muitos lugares Bispo Sr. Dr. Gebhard Fürst O ESPÍRITO É VIVIFICADOR Desenvolver a Igreja em muitos lugares Carta Pastoral dirigida às igrejas da diocese de Rotemburgo-Estugarda na Quaresma Pascal de 2015 Bispo Sr. Dr.

Leia mais

José Eduardo Borges de Pinho. Ecumenismo: Situação e perspectivas

José Eduardo Borges de Pinho. Ecumenismo: Situação e perspectivas José Eduardo Borges de Pinho Ecumenismo: Situação e perspectivas U n i v e r s i d a d e C a t ó l i c a E d i t o r a L I S B O A 2 0 1 1 Índice Introdução 11 Capítulo Um O que é o ecumenismo? 15 Sentido

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim

Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim 5º DOMINGO DA PÁSCOA 18 de maio de 2014 Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim Leituras: Atos 6, 1-7; Salmo 32 (33), 1-2,4-5.18-19; Primeira Carta de Pedro 2, 4-9; João

Leia mais

ESCOLA CATEQUÉTICA EIXOS TEMÁTICOS

ESCOLA CATEQUÉTICA EIXOS TEMÁTICOS ESCOLA CATEQUÉTICA EIXOS TEMÁTICOS Quando falamos de eixos temáticos temos que levar em consideração mais do que a divisão dos conteúdos teóricos a serem oferecidos aos catequistas, mas a vocação catequética

Leia mais

ANIMAÇÃO LITÚRGICA INFORMATIVO DIOCESANO

ANIMAÇÃO LITÚRGICA INFORMATIVO DIOCESANO N O M E D A E M P R E S A INFORMATIVO DIOCESANO S E T E M B R O D E 2 0 1 3 B O L E T I M D O C L E R O - 2 3 1 ª E D I Ç Ã O ANIMAÇÃO LITÚRGICA Cuidar da beleza da liturgia significa ficar atento aos

Leia mais

CELEBRAÇÃO DA FESTA DA PALAVRA

CELEBRAÇÃO DA FESTA DA PALAVRA PARÓQUIA DE SANTA MARIA DE BORBA CELEBRAÇÃO DA FESTA DA PALAVRA Feliz o homem que ama a Palavra do Senhor e Nela medita dia e noite (Sl 1, 1-2) 4º ANO da CATEQUESE 17 de Janeiro de 09 ENTRADA PROCESSIONAL

Leia mais

MENSAGEM DO SANTO PADRE para o 48º Dia Mundial de Oração pelas Vocações (15 de Maio de 2011) «Propor as vocações na Igreja local»

MENSAGEM DO SANTO PADRE para o 48º Dia Mundial de Oração pelas Vocações (15 de Maio de 2011) «Propor as vocações na Igreja local» MENSAGEM DO SANTO PADRE para o 48º Dia Mundial de Oração pelas Vocações (15 de Maio de 2011) «Propor as vocações na Igreja local» Queridos irmãos e irmãs! O 48.º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, que

Leia mais

DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA

DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA DEUS SE REVELA Revelação é o diálogo entre Deus e seus filhos, cuja iniciativa vem de Deus (8). A Palavra de Deus não se revela somente para

Leia mais

Diretrizes e Orientações Diocesana da. Pastoral Bíblico Catequético. Diocese de Miracema do Tocantins

Diretrizes e Orientações Diocesana da. Pastoral Bíblico Catequético. Diocese de Miracema do Tocantins Diretrizes e Orientações Diocesana da Pastoral Bíblico Catequético Diocese de Miracema do Tocantins 1 Apresentação Caro irmão, cara irmã, Apresento o segundo diretório da catequese. Ele também foi uma

Leia mais

CARTA INTERNACIONAL. Indice:

CARTA INTERNACIONAL. Indice: CARTA INTERNACIONAL Indice: Introdução. I. Equipas de Jovens de Nossa Senhora II. A equipa III. As funções na equipa IV. A vida em equipa V. Abertura ao mundo, compromisso VI. O Movimento das E.J.N.S.

Leia mais

Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação. Projeto Paroquial da Pastoral da Comunicação

Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação. Projeto Paroquial da Pastoral da Comunicação Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação Projeto Paroquial da Pastoral da Comunicação 2 Barra do Choça, 11 de abril de 2015. 1. Contextualização O Projeto Nacional da Pastoral da Comunicação Pascom,

Leia mais

DIRETRIZES PARA A CATEQUESE

DIRETRIZES PARA A CATEQUESE DIRETRIZES PARA A CATEQUESE DIOCESE DE AMPARO SP CONTEÚDO: I A CATEQUESE Considerações Gerais II A CATEQUESE NA DIOCESE III A CATEQUESE NA PARÓQUIA IV CATEQUESE INFANTIL V CATEQUESE DE ADOLESCENTES E JOVENS

Leia mais

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2.

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. TRADIÇÃO JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. A TRANSMISSÃO DO TESTEMUNHO APOSTÓLICO 3. TRADIÇÃO, A ESCRITURA NA IGREJA Revelação TRADIÇÃO Fé Teologia

Leia mais

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA Antes da Solene celebração, entregar a lembrança do centenário No Final terá um momento de envio onde cada pessoa reassumirá a missão. O sinal deste momento será a colocação

Leia mais

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 Mantendo-vos, portanto, firmes, tendo cingido os vossos rins com a verdade, vestindo a couraça da justiça e calçando os pés

Leia mais

CONGRESSO EUCARÍSTICO. 1º ponto: O padre e a Eucaristia 2º ponto: Congresso Eucarístico

CONGRESSO EUCARÍSTICO. 1º ponto: O padre e a Eucaristia 2º ponto: Congresso Eucarístico CONGRESSO EUCARÍSTICO 1º ponto: O padre e a Eucaristia 2º ponto: Congresso Eucarístico O PADRE E A EUCARISTIA Eucaristia e Missão Consequência significativa da tensão escatológica presente na Eucaristia

Leia mais

Ministério da. Catequese. Programas. livreto_catequese.indd 1 19/12/13 17:18

Ministério da. Catequese. Programas. livreto_catequese.indd 1 19/12/13 17:18 Ministério da Catequese Programas Pastorais 1 livreto_catequese.indd 1 19/12/13 17:18 2 livreto_catequese.indd 2 19/12/13 17:18 Apresentação Um dos valores institucionais da Rede Marista é a audácia, que

Leia mais

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL 1 Ivocação ao Espirito Santo (oração ou canto) 2- Súplica inicial. (Em 2 coros: H- homens; M- mulheres) H - Procuramos para a Igreja/ cristãos

Leia mais

PROGRAMA PAROQUIAL DE PASTORAL 2009/2010

PROGRAMA PAROQUIAL DE PASTORAL 2009/2010 PROGRAMA PAROQUIAL DE PASTORAL 2009/2010 Ao iniciar o novo ano de pastoral paroquial, aceitamos o desafio que nos é feito de continuarmos a nossa caminhada de cristãos atentos aos desafios de Deus e do

Leia mais

Prof. Ms. Pe. Antônio Almir Magalhães de Oliveira*

Prof. Ms. Pe. Antônio Almir Magalhães de Oliveira* FACULDADE CATÓLICA DE FORATLEZA (SEMINÁRIO DA PRAINHA) X SEMANA TEOLÓGICA 15 a 18 setembro 2009 LEITURA TEOLÓGICO-PASTORAL DO PAINEL APRESENTADO A situação atual da catequese no Brasil e no Ceará Prof.

Leia mais

NORMATIVAS PARA A CELEBRAÇÃO DE CERIMÔNIAS DO RITUAL E OUTRAS

NORMATIVAS PARA A CELEBRAÇÃO DE CERIMÔNIAS DO RITUAL E OUTRAS NORMATIVAS PARA A CELEBRAÇÃO DE INTRODUÇÃO O Colégio Episcopal da Igreja Metodista, no exercício de sua competência, estabelecida no art. 66, incisos 1, 2 e 32, da Lei Ordinária, normatizando o Capítulo

Leia mais

NORMATIVAS PARA A CELEBRAÇÃO DE CERIMÔNIAS DO RITUAL E OUTRAS

NORMATIVAS PARA A CELEBRAÇÃO DE CERIMÔNIAS DO RITUAL E OUTRAS NORMATIVAS PARA A CELEBRAÇÃO DE CERIMÔNIAS DO RITUAL E OUTRAS INTRODUÇÃO O Colégio Episcopal da Igreja Metodista, no exercício de sua competência estabelecida no art. 66, incisos 1, 2 e 32, da Lei Ordinária,

Leia mais

Após as festas do Natal, em que celebramos o mistério da infância de Jesus, a liturgia nos introduz no mistério da sua vida pública.

Após as festas do Natal, em que celebramos o mistério da infância de Jesus, a liturgia nos introduz no mistério da sua vida pública. Após as festas do Natal, em que celebramos o mistério da infância de Jesus, a liturgia nos introduz no mistério da sua vida pública. No BATISMO DE JESUS, no Rio Jordão, revela-se o Filho amado de Deus,

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

Concepção e Fundamentos Gilberto Antonio da Silva

Concepção e Fundamentos Gilberto Antonio da Silva Pastoral Juvenil Salesiana Concepção e Fundamentos Gilberto Antonio da Silva Fundamentos Dom Bosco Madre Mazzarello Movidos pelo ES tiveram clara consciência de ser chamados por Deus a uma missão singular

Leia mais

AGENDA PASTORAL PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

AGENDA PASTORAL PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS AGENDA PASTORAL PARÓQUIA SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS JANEIRO 01 Terça Santa Mãe de Deus Dia Mundial da Paz 02 Quarta Reunião dos Meces 03 Quinta Terço e Adoração / Encontro geral de liturgia e preparação

Leia mais

Processo de Iniciação na RCC. Renovação Carismática Católica do Brasil RCC BRASIL

Processo de Iniciação na RCC. Renovação Carismática Católica do Brasil RCC BRASIL MINISTÉRIO DE FORMAÇÃO Processo de Iniciação na RCC Renovação Carismática Católica do Brasil RCC BRASIL Conceito Por Iniciação Cristã se entende o processo pelo qual alguém é incorporado ao mistério de

Leia mais

ARQUIDIOCESE DE MANAUS PROJETO DE INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ

ARQUIDIOCESE DE MANAUS PROJETO DE INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ 1 ARQUIDIOCESE DE MANAUS PROJETO DE INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ 1.TITULO : Um Caminho para à Iniciação à Vida Cristã 2. FUNDAMENTAÇÃO ( Vat. II, DA, DNC, 97, DGAE, Ano da Fé, DV, CABP, SÍNODOS, PEAM) Este

Leia mais