COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA. Estudo 104 CNBB

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA. Estudo 104 CNBB"

Transcrição

1 COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA Estudo 104 CNBB

2 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA BÍBLICA

3 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA BÍBLICA

4 1 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO Comunidade de comunidades: uma nova paróquia Fruto da 51ª Assembleia da CNBB, realizada em Aparecida no ano de 2013.

5 1 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO Proposta central Ser instrumento de reflexão para buscar uma nova configuração da estrutura paroquial.

6 1 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO Estrutura do Documento: 105 páginas, 242 parágrafos e quatro capítulos. Capítulo I: Perspectiva bíblica Capítulo II: Perspectiva teológica Capítulo III: Novos contextos: desafios à paróquia Capítulo IV: Perspectivas pastorais

7 1 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO Atualidade da discussão Não se trata de uma novidade. A paróquia tal qual a conhecemos possui uma estruturação medieval.

8 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA BÍBLICA

9 2 TEXTOS BASES Sagrada Escritura Concílio Vaticano II Documento de Aparecida Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil 2011/2015

10 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA BÍBLICA

11 3 FUNÇÕES DA PARÓQUIA Comunhão koinonia Pregação didaskalia Testemunho martyria Serviço diaconia Culto leitourgia

12 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA BÍBLICA

13 4 MÍSTICA DO DOCUMENTO DE ESTUDO Ponto de partida Jesus Cristo, o qual foi além das estruturas da sinagoga e do Templo.

14 4 MÍSTICA DO DOCUMENTO DE ESTUDO Intenção primeira do texto Levantar questionamentos e busca de propostas.

15 4 MÍSTICA DO DOCUMENTO DE ESTUDO Chave de leitura Documento de Aparecida (2007), que solicita uma profunda conversão pastoral da Igreja e apresenta a paróquia com um papel fundamental no anúncio de Jesus, mas que deve ser uma rede de comunidades.

16 4 MÍSTICA DO DOCUMENTO DE ESTUDO Medidas para a renovação das paróquias Renovação interior Mudanças de estruturas

17 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA BÍBLICA

18 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Toda comunidade cristã encontra sua inspiração naquelas comunidades que o próprio Jesus fundou por meio dos apóstolos, na força do Espírito. (n. 06)

19 5 PERSPECTIVA BÍBLICA No Antigo Israel a vida comunitária era a base da convivência social e, por isso, era sinal explícito de vida. A ternura de Deus, então, se expressava nas relações comunitárias. Deus nos salvou porque nos fez povo.

20 5 PERSPECTIVA BÍBLICA No exílio da Babilônia ( a.c.) surgem as sinagogas, estrutura que salva as relações comunitárias.

21 5 PERSPECTIVA BÍBLICA No tempo de Jesus, as sinagogas existem, mas não respondem mais à situação vigente. (Cf. n. 08)

22 5 PERSPECTIVA BÍBLICA A proposta de Jesus é abrir-se a uma relação comunitária baseada no amor e na ternura de seu Abbá.

23 5 PERSPECTIVA BÍBLICA A nova comunidade nasce de uma experiência: de Jesus com seu Abbá e de Jesus com seus amigos, uma experiência que se tece além da estrutura sanguínea. (Cf. Mc 3,34-35).

24 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Jesus não apenas anunciava o seu Abbá, mas testemunhava uma grande intimidade com Ele. (Cf. n. 12)

25 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Ao propor o Reinado de Deus (núcleo da pregação de Jesus), ele o faz como uma proposta de vida comunitária, comunidade que deve possuir as seguintes características:

26 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Comunidade fraterna Comunidade de iguais Comunidade da partilha Comunidade sem hierarquia Comunidade serviçal Comunidade reconciliadora Comunidade orante Comunidade alegre

27 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Comunidade fraterna Ninguém deve aceitar títulos, pois um é vosso Mestre e todos vós sois irmãos (Mt 23,8).

28 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Comunidade de iguais Essa relação de igualdade se tece a partir de mudanças de perspectiva entre masculino e feminino: não mais dominação, mas igualdade. (Cf. Mt 19,7-12; Mc 15,41; Jo 4,26).

29 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Comunidade da partilha Ninguém tinha nada de próprio. (Cf. Mc 10,28) Havia um caixa comum. (Cf. Jo 13,29)

30 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Comunidade sem hierarquia A comunidade de Jesus se relaciona como amigos e não como empregados. (Cf. Jo 15,15)

31 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Comunidade serviçal O poder se estrutura como serviço. (Cf. Jo 13,15) A perspectiva é a de baixo. (Cf. Igreja do Avental)

32 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Comunidade reconciliadora A essa comunidade é dado o poder de perdoar. (Cf. Mt 18,18)

33 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Comunidade orante Essa comunidade reza em vários momentos: peregrinações, antes da refeições, nas sinagogas, no Templo e, com grupos pequenos, Jesus se retira para a oração. (Cf. Lc 9,28)

34 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Comunidade alegre Uma comunidade que convive com a dor e a incompreensão, mas que possui uma alegria que ninguém será capaz de roubar. (Cf. Jo 16,20-22)

35 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Percebe-se que Jesus recupera e prima pela dimensão caseira da fé (Cf. n. 22), sem desprezar a estrutura religiosa de seu tempo.

36 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Sua forma de ensinar é muito ligada ao cotidiano das pessoas e de forma interativa. (Cf. nn ).

37 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Os apóstolos criam novas comunidades a partir da experiência que estabeleceram com Jesus.

38 5 PERSPECTIVA BÍBLICA É a partir das comunidades neotestamentárias que podemos haurir perspectivas para repensar nossa comunidade eclesial.

39 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Como eram as comunidades neotestamentárias? Eles eram perseverantes em ouvir o ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações. (At 2,42)

40 5 PERSPECTIVA BÍBLICA Colunas básicas das comunidades Ensinamento Comunhão Partilha Oração

41 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA BÍBLICA

42 6 PERSPECTIVA TEOLÓGICA Na base da experiência comunitária proposta por Jesus está a experiência da comunhão. (Cf. n. 42)

43 6 PERSPECTIVA TEOLÓGICA Sem comunidade não há como viver autenticamente a experiência cristã. (Cf. n. 42)

44 6 PERSPECTIVA TEOLÓGICA Não se pode separar Cristo e a Igreja. A graça do Batismo dá-nos a alegria de seguir Cristo na Igreja e com a Igreja. (Papa Francisco. 11/04/2013)

45 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA BÍBLICA

46 7 DESAFIOS A dimensão comunitária da fé cristã conheceu diferentes formas de se concretizar historicamente, desde a Igreja Doméstica até chegar à paróquia na acepção atual. (n. 43)

47 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Comunidades neotestamentárias Domus Ecclesiae Paroikia A paróquia do Vaticano II Documento de Aparecida Tipos de paróquias

48 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Comunidades neotestamentárias

49 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Domus Ecclesiae A Igreja se reunia na casa dos cristãos. (cristianismo rural )

50 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Paroikia Após o Edito de Tessalônica (381), quando Teodósio é imperador, as Domus Ecclesiae ficaram abaladas. As assembleias cristãs tornaram-se cada vez mais massivas e anônimas. (Cf. n. 48)

51 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Paroikia A relação igreja-casa enfraquece-se e se faz a introdução das paróquias territoriais.

52 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Paroikia Paróquia: do termo paroikia, designa migrante, estrangeiro, peregrino, habitante de passagem.

53 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Paroikia A partir do século IV, surgem, também, as dioceses: expansão das comunidades eclesiais urbanas.

54 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Paroikia O Concílio de Trento, no século XVI, mesmo considerando a mudança epocal, não modifica o perfil estrutural da paróquia.

55 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Paroikia As determinações do Concílio de Trento delinearam o modelo moderno de paróquia. Substancialmente, esse modelo chegou até os nossos dias. (n. 52)

56 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária A paróquia do Vaticano II Não há um documento conciliar que fale explicitamente de paróquia, pois a chave de leitura eclesial do Vaticano II é a Igreja Particular.

57 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária A paróquia do Vaticano II Para o Vaticano II, a paróquia só pode ser compreendida a partir da Diocese. (Cf. n. 57)

58 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária A paróquia do Vaticano II A paróquia encontra no conceito de comunidade a autocompreensão de sua realidade histórica. (Cf. n. 58)

59 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária A paróquia do Vaticano II A paróquia deve ser sacramento e instrumento de comunhão. (Cf. n. 62)

60 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária A paróquia do Vaticano II A paróquia, a partir do Vaticano II, apresenta três dimensões: Passagem do territorial para o comunitário. Passagem do pároco para os ministérios. Passagem do cultual para a comunhão.

61 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Documento de Aparecida Não há como fazer comunidade com multidões anônimas. (Cf. n. 68)

62 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Documento de Aparecida Enfatize-se a formação de pequenas comunidades que se façam comunidade na paróquia. (Cf. n. 68)

63 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Documento de Aparecida As paróquias devem buscar uma renovação das estruturas para que sejam o que deveriam ser: expressão de comunhão. (Cf. n. 69)

64 7 DESAFIOS Tipos de vida comunitária Documento de Aparecida Tipos de paróquias Territorial Não territorial - pessoal De acordo com a escolha da pessoa

65 ASPECTOS GERAIS DO DOCUMENTO PERSPECTIVAS PASTORAIS TEXTOS BASES DESAFIOS FUNÇÕES DA PARÓQUIA PERSPECTIVA TEOLÓGICA MÍSTICA DO DOCUMENTO PERSPECTIVA BÍBLICA

66 PARA PENSAR: 1. O que temos de bom em nossa paróquia que a faz ser uma comunidade de comunidades? 2. Que pontos seriam interessantes serem discutidos com mais aprofundamento no tocante à vida comunitária? 3. Quais estratégias poderíamos utilizar para fortalecer os laços comunitários?

SEMANA DE FORMAÇÃO TEOLÓGICA PARÓQUIA SANTO ANTONIO Itapira SP

SEMANA DE FORMAÇÃO TEOLÓGICA PARÓQUIA SANTO ANTONIO Itapira SP SEMANA DE FORMAÇÃO TEOLÓGICA PARÓQUIA SANTO ANTONIO Itapira SP CREIO (N)A SANTA IGREJA CATÓLICA I CRER DE MODO ECLESIAL NO CONTEÚDO DA FÉ CRISTÃ. A PROFISSÃO DE FÉ DA IGREJA A FÉ BATISMAL A PROFISSÃO DE

Leia mais

ESCOPO GERAL. - Resultado da 52ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) -Aparecida/SP30deabrila9de maio de 2014.

ESCOPO GERAL. - Resultado da 52ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) -Aparecida/SP30deabrila9de maio de 2014. ESCOPO GERAL - Resultado da 52ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) -Aparecida/SP30deabrila9de maio de 2014. - Composição: 1) Apresentação de Dom Leonardo Steiner. 2) Introdução.

Leia mais

Pe. Leomar Brustolin Maio de 2013

Pe. Leomar Brustolin Maio de 2013 Pe. Leomar Brustolin Maio de 2013 Aparecida e Santo Domingo : clara opção pela paróquia e pela sua revitalização. DGAE: papel fundamental das paróquias na evangelização. transformar a estrutura da paróquia

Leia mais

REUNIÃO DE LIDERANÇAS

REUNIÃO DE LIDERANÇAS REUNIÃO DE LIDERANÇAS 08/02/2015 PAUTA: 1) Oração Inicial 2) Abertura 3) Apresentação de 03 dimensões de Ação Pastoral para o ano de 2015 4) Plenária / Definições 5) Oração Final 6) Retirada de Materiais

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção?

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção? MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Espiritualidade e profecia são duas palavras inseparáveis. Só os que se deixam possuir pelo espírito de Deus são capazes de plantar sementes do amanhã e renovar a face da terra. Todo

Leia mais

Instituição e Renovação de Ministérios Extraordinários na Diocese

Instituição e Renovação de Ministérios Extraordinários na Diocese Instituição e Renovação de Ministérios Extraordinários na Diocese 1. RITO DE INSTITUIÇÃO DOS MINISTROS(AS) DA COMUNHÃO Diácono: Queiram levantar-se os que receberão o mandato de Ministros Extraordinários

Leia mais

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética

Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética Plano Diocesano da Animação Bíblico-Catequética 2 0 1 2-2 0 1 5 DIOCESE DE FREDERICO WESTPHALEN - RS Queridos irmãos e irmãs, Com imensa alegria, apresento-lhes o PLANO DIOCESANO DE ANIMAÇÃO BÍBLICO -

Leia mais

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Deus nos alerta pela profecia de Oséias de que o Povo dele se perde por falta de conhecimento. Cf. Os 4,6 1ª Tm 4,14 Porque meu povo se perde

Leia mais

MENSAGEM AO POVO DE DEUS SOBRE AS COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE

MENSAGEM AO POVO DE DEUS SOBRE AS COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL 48ª Assembleia Geral da CNBB Brasília, 4 a 13 de maio de 2010 48ª AG(Doc) MENSAGEM AO POVO DE DEUS SOBRE AS COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE Introdução As Comunidades

Leia mais

Apresentação. (Solicitação do saudoso Santo Padre o Beato João Paulo II)

Apresentação. (Solicitação do saudoso Santo Padre o Beato João Paulo II) Apresentação A Renovação Carismática Católica do Estado do Piauí, movimento eclesial da Igreja Católica, tem por objetivo proporcionar às pessoas uma experiência concreta com Jesus Cristo, através do Batismo

Leia mais

VISITA PASTORAL NA ARQUIDIOCESE DE MARIANA

VISITA PASTORAL NA ARQUIDIOCESE DE MARIANA VISITA PASTORAL NA ARQUIDIOCESE DE MARIANA A Vista Pastoral constitui-se em momento privilegiado de contato do Arcebispo com o povo santo de Deus, confiado aos seus cuidados de pastor, com a preciosa colaboração

Leia mais

A transmissão da fé na Família. Reunião de Pais. Família

A transmissão da fé na Família. Reunião de Pais. Família A transmissão da fé na Família Reunião de Pais Família Plano Pastoral Arquidiocesano Um triénio dedicado à Família Passar de uma pastoral sobre a Família para uma pastoral para a Família e com a Família

Leia mais

DIRECTÓRIO GERAL DA CATEQUESE - SDCIA/ISCRA -2 Oração inicial Cântico - O Espírito do Senhor está sobre mim; Ele me enviou para anunciar aos pobres o Evangelho do Reino! Textos - Mc.16,15; Mt.28,19-20;

Leia mais

Síntese de Pe. Leomar A. Brustolin

Síntese de Pe. Leomar A. Brustolin Síntese de Pe. Leomar A. Brustolin INTRODUÇÃO 1. SINAIS DOS TEMPOS E CONVERSÃO PASTORAL 2. PALAVRA DE DEUS, VIDA E MISSÃO NAS COMUNIDADES 3. SURGIMENTO DA PARÓQUIA E SUA EVOLUÇÃO. 4. COMUNIDADE PAROQUIAL

Leia mais

A Apostolicidade da Fé

A Apostolicidade da Fé EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 10 DE MARÇO DE 2013 A Apostolicidade da Fé Catequese do 4º Domingo da Quaresma Sé Patriarcal, 10 de Março de 2013 1. A fé da Igreja recebemo-la dos Apóstolos de Jesus. A eles

Leia mais

O texto nomeia os 11, mais algumas mulheres, das quais só menciona Maria, com os irmãos de Jesus. Aqui aparece um fato curioso e edificante.

O texto nomeia os 11, mais algumas mulheres, das quais só menciona Maria, com os irmãos de Jesus. Aqui aparece um fato curioso e edificante. Aula 25 Creio na Igreja Católica.1 Frei Hipólito Martendal, OFM. 1. Leitura de At 2, 1-15. Ler e explicar... Dia de Pentecostes (=Quinquagésima) é o 50º dia depois da Páscoa. Os judeus celebravam a Aliança

Leia mais

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL 1 Ivocação ao Espirito Santo (oração ou canto) 2- Súplica inicial. (Em 2 coros: H- homens; M- mulheres) H - Procuramos para a Igreja/ cristãos

Leia mais

O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ

O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ Pe. Thiago Henrique Monteiro Muito adultos convertem-se a Cristo e à Igreja Católica. Por exemplo, neste ano, nas dioceses

Leia mais

Caderno de Estudo: Avaliação 2013) Equipe Dinamizadora do 7º PPO Arquidiocese de Campinas - SP

Caderno de Estudo: Avaliação 2013) Equipe Dinamizadora do 7º PPO Arquidiocese de Campinas - SP Caderno de Estudo: Avaliação 7º Plano de Pastoral Orgânica (20102010-2013) 2013) Equipe Dinamizadora do 7º PPO Arquidiocese de Campinas - SP A p r e s e n t a ç ã o Eu vim, ó Deus, para fazer a Vossa

Leia mais

Diocese de Aveiro IGREJA DIOCESANA RENOVADA NA CARIDADE É ESPERANÇA NO MUNDO

Diocese de Aveiro IGREJA DIOCESANA RENOVADA NA CARIDADE É ESPERANÇA NO MUNDO Diocese de Aveiro IGREJA DIOCESANA RENOVADA NA CARIDADE É ESPERANÇA NO MUNDO Plano Diocesano de Pastoral para o quinquénio 2008-2013 A PALAVRA DO SR. BISPO PONTO DE PARTIDA 1. INICIAMOS UMA NOVA PERSPECTIVA

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra);

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra); Uma nova paróquia Introdução DA: Conversão Pastoral Escolha de outro caminho; Transformar a estrutura paroquial retorno a raiz evangélica; Jesus: modelo (vida e prática); Metodologia: Nele, com Ele e a

Leia mais

OS DESAFIOS DACOMUNICAÇÃO

OS DESAFIOS DACOMUNICAÇÃO OS DESAFIOS DACOMUNICAÇÃO A contribuição das mídias. Como parte constitutiva da atual ambiência comunicacional, elas tornam-se recursos e ambientes para o crescimento pessoal e social. Constituem-se no

Leia mais

DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA

DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA DISCÍPULOS E SERVIDORES DA PALAVRA DE DEUS NA MISSÃO DA IGREJA DEUS SE REVELA Revelação é o diálogo entre Deus e seus filhos, cuja iniciativa vem de Deus (8). A Palavra de Deus não se revela somente para

Leia mais

Celebrar e viver o Concílio Vaticano II

Celebrar e viver o Concílio Vaticano II Celebrar e viver o Concílio Vaticano II Nota Pastoral da Conferência Episcopal Portuguesa Celebrar os 50 anos da abertura do Concílio no Ano da Fé 1. Na Carta apostólica A Porta da Fé, assim se exprime

Leia mais

MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO. Estudo Bíblico

MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO. Estudo Bíblico MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO Estudo Bíblico Bispo Luiz Vergílio / Caxias do Sul/RS Abril de 2009 Ministerial de Pastores e Pastoras 1 MISSÃO DA IGREJA E CRESCIMENTO I. IGREJA

Leia mais

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2.

TRADIÇÃO. Patriarcado de Lisboa JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. TRADIÇÃO JUAN AMBROSIO / PAULO PAIVA 2º SEMESTRE ANO LETIVO 2013 2014 1. TRADIÇÃO E TRADIÇÕES 2. A TRANSMISSÃO DO TESTEMUNHO APOSTÓLICO 3. TRADIÇÃO, A ESCRITURA NA IGREJA Revelação TRADIÇÃO Fé Teologia

Leia mais

Estudos da CNBB - 104

Estudos da CNBB - 104 Estudos da CNBB - 104 comunidade de comunidades - uma paróquia_final.indd 1 09/05/2013 14:18:08 Coleção Estudos da CNBB 96 - Deixai- vos Reconciliar 97 - Iniciação à Vida Cristã: Um Processo de Inspiração

Leia mais

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida.

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida. LITURGIA DA PALAVRA A Palavra de Deus proclamada e celebrada - na Missa - nas Celebrações dos Sacramentos (Batismo, Crisma, Matrimônio...) A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa

Leia mais

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 1. Finalidade do Ano da Fé; 2. O que é a Fé; 3. A transmissão da Fé enquanto professada, celebrada, vivida e rezada; 4. O conteúdo

Leia mais

Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII

Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja Fundamentos bíblicos na Lumen Gentium VIII Quando, porém, chegou a plenitude do tempo, enviou Deus o seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a Lei,

Leia mais

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 NO CAMINHO DO DISCIPULADO MISSIONÁRIO, A EXPERIÊNCIA DO ENCONCONTRO: TU ÉS O MESSIAS, O FILHO DO DEUS VIVO INTRODUÇÃO Queridos/as Catequistas! Com nossos cumprimentos

Leia mais

A GEMINAÇÃO 20/10/2013

A GEMINAÇÃO 20/10/2013 A GEMINAÇÃO 20/10/2013 CENTRO DE SANTA BAKHITA BAIRRO KALOSSOMBEKWA BENGUELA ANGOLA REVERENDO E ESTIMADO PE. RÚBENS! Diante dos povos, manifestou Deus a salvação Sl 97 A Providência de Deus, que concorre

Leia mais

A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária

A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária A evangelização nos dá a alegria do encontro com a Boa Nova da Ressurreição de Cristo. A maioria das pessoas procura angustiada a razão de sua vida

Leia mais

DIRETÓRIO DO DIACONADO PERMANENTE NA ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA

DIRETÓRIO DO DIACONADO PERMANENTE NA ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA DIRETÓRIO DO DIACONADO PERMANENTE NA ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA 1 1. NATUREZA DO DIACONADO PERMANENTE 1.1. No contexto da ministerialidade da Igreja, e mais especificamente, no âmbito do ministério ordenado,

Leia mais

Encuentro sobre Mision Continental y Conversão Pastoral Buenos Aires Argentina 26 a 30 de outubro de 2009

Encuentro sobre Mision Continental y Conversão Pastoral Buenos Aires Argentina 26 a 30 de outubro de 2009 Encuentro sobre Mision Continental y Conversão Pastoral Buenos Aires Argentina 26 a 30 de outubro de 2009 Conversão Pastoral e Missão continental O Departamento Mission e espiritualidade do Celam na busca

Leia mais

Ministério da. Catequese. Programas. livreto_catequese.indd 1 19/12/13 17:18

Ministério da. Catequese. Programas. livreto_catequese.indd 1 19/12/13 17:18 Ministério da Catequese Programas Pastorais 1 livreto_catequese.indd 1 19/12/13 17:18 2 livreto_catequese.indd 2 19/12/13 17:18 Apresentação Um dos valores institucionais da Rede Marista é a audácia, que

Leia mais

n.1 Linhas fundamentais para

n.1 Linhas fundamentais para n.1 Linhas fundamentais para uma redescoberta, na vida da Igreja, da Palavra Divina, Fonte de constante renovação, Com a esperança de que a mesma se torne cada vez mais O coração de toda a atividade eclesial.

Leia mais

assim ela poderá estar a serviço de uma ação solidária e libertadora do povo latino-americano.

assim ela poderá estar a serviço de uma ação solidária e libertadora do povo latino-americano. Conclusão Geral Para que a Igreja possa cumprir sua missão solidária e libertadora na AL, terá que estar em contínuo processo de conversão e sintonizada com os sinais dos tempos. Somente assim poderá se

Leia mais

Diocese de Amparo - SP

Diocese de Amparo - SP Formação sobre o documento da V Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe Diocese de Amparo - SP INTRODUÇÃO De 13 a 31 de maio de 2007, celebrou-se em Aparecida, Brasil, a V Conferência Geral

Leia mais

Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação. Projeto Paroquial da Pastoral da Comunicação

Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação. Projeto Paroquial da Pastoral da Comunicação Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação Projeto Paroquial da Pastoral da Comunicação 2 Barra do Choça, 11 de abril de 2015. 1. Contextualização O Projeto Nacional da Pastoral da Comunicação Pascom,

Leia mais

Elementos da Vida da Pequena Comunidade

Elementos da Vida da Pequena Comunidade Raquel Oliveira Matos - Brasil A Igreja, em sua natureza mais profunda, é comunhão. Nosso Deus, que é Comunidade de amor, nos pede entrarmos nessa sintonia com Ele e com os irmãos. É essa a identidade

Leia mais

Síntese. Coragem, filha! A tua fé te salvou. (Mt 9, 22).

Síntese. Coragem, filha! A tua fé te salvou. (Mt 9, 22). Síntese Coragem, filha! A tua fé te salvou (Mt 9, 22). Novembro de 2013 2 Editorial Caros Polens, Entramos no penúltimo mês do ano. Nossos novos irmãos se encontram cada vez mais perto de nós em suas e

Leia mais

Paróquia, torna-te o que tu és!

Paróquia, torna-te o que tu és! Paróquia, torna-te o que tu és! Dom Milton Kenan Júnior Bispo Aux. de S. Paulo. Vigário Episcopal para Reg. Brasilândia Numa leitura rápida da Carta Pastoral de Dom Odilo, nosso Cardeal Arcebispo, à Arquidiocese

Leia mais

José Eduardo Borges de Pinho. Ecumenismo: Situação e perspectivas

José Eduardo Borges de Pinho. Ecumenismo: Situação e perspectivas José Eduardo Borges de Pinho Ecumenismo: Situação e perspectivas U n i v e r s i d a d e C a t ó l i c a E d i t o r a L I S B O A 2 0 1 1 Índice Introdução 11 Capítulo Um O que é o ecumenismo? 15 Sentido

Leia mais

COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA

COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL 51ª Assembleia Geral da CNBB Aparecida-SP, 10 a 19 de abril de 2013 02B/51ª AG(Sub) 2ª Versão COMUNIDADE DE COMUNIDADES: UMA NOVA PARÓQUIA 1 SUMÁRIO SIGLAS...

Leia mais

Nasce uma nova Igreja

Nasce uma nova Igreja Nasce uma nova Igreja O Livro dos Atos dos Apóstolos é a segunda parte do Evangelho de São Lucas. No Evangelho, Lucas apresenta a vida e a atividade terrena de Jesus como a grande viagem que vai da Galiléia

Leia mais

ÍNDICE. Introdução. Introdução... 05. PARTE I - Orientações... 08. PARTE II - Orações... 13. PARTE III - Cronograma... 20

ÍNDICE. Introdução. Introdução... 05. PARTE I - Orientações... 08. PARTE II - Orações... 13. PARTE III - Cronograma... 20 ÍNDICE Introdução Introdução... 05 PARTE I - Orientações... 08 PARTE II - Orações... 13 PARTE III - Cronograma... 20 5 INTRODUÇÃO ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA: IGREJA EM MISSÃO Ide pelo mundo inteiro e anunciai

Leia mais

Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida. Permanece conosco

Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida. Permanece conosco Notícias de Família Informativo da Congregação Pobres Servos da Divina Providência Delegação Nossa Senhora Aparecida 06 JUNHO 2014 Permanece conosco Vivemos dias de graça, verdadeiro Kairós com a Celebração

Leia mais

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS 1 TEXTO BÍBLICO - Lucas 6,12-19 (Fazer uma Oração ao Espírito Santo, ler o texto bíblico, fazer um momento de meditação, refletindo sobre os três verbos do texto

Leia mais

PAPEL DA LIDERANÇA NA IGREJA

PAPEL DA LIDERANÇA NA IGREJA PAPEL DA LIDERANÇA NA IGREJA Em qualquer organização social existe a necessidade de um líder ou de uma equipe de liderança. A Igreja, não diferente das demais organizações, surgiu a partir de um líder.

Leia mais

CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS

CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS Apresentação A JUVENTUDE MERECE ATENÇÃO ESPECIAL A Igreja Católica no Brasil diz que é preciso: Evangelizar, a partir de Jesus Cristo,

Leia mais

"Maria!"! !!!!!!!! Carta!de!Pentecostes!2015! Abade!Geral!OCist!

Maria!! !!!!!!!! Carta!de!Pentecostes!2015! Abade!Geral!OCist! CartadePentecostes2015 AbadeGeralOCist "Maria" Carissimos, vos escrevo repensando na Semana Santa que passei em Jerusalém, na Basílica do Santo Sepulcro, hóspede dos Franciscanos. Colhi esta ocasião para

Leia mais

O que é Catequese? Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação

O que é Catequese? Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação contato@paroquiasantocristodosmilagres.org O que é Catequese? Segundo a exortação apostólica Catechesi Tradendae do Papa João

Leia mais

OS SACRAMENTOS. O que é um Sacramento?

OS SACRAMENTOS. O que é um Sacramento? OS SACRAMENTOS Os sacramentos da nova lei foram instituídos por Cristo e são sete, a saber: o Batismo, a Crisma ou Confirmação, a Eucaristia, a Penitência, a Unção dos Enfermos, a Ordem e o Matrimônio.

Leia mais

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo.

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. 1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. Ao contribuir com o dízimo, saímos de nós mesmos e reconhecemos que pertencemos tanto à comunidade divina quanto à humana. Um deles, vendo-se

Leia mais

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO Disponível em: www.seminariomaiordebrasilia.com.br Acesso em 13/03/2014 A palavra Quaresma surge no século IV e tem um significado profundo e simbólico para os cristãos

Leia mais

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica A unidade na fé a caminho da missão Nossa Visão Manifestar a unidade da igreja por meio do testemunho visível

Leia mais

A PALAVRA DE DEUS É VIVA E EFICAZ

A PALAVRA DE DEUS É VIVA E EFICAZ A PALAVRA DE DEUS É VIVA E EFICAZ Dom Juventino Kestering Pois a Palavra de Deus é viva, eficaz e mais penetrante que qualquer espada de dois gumes. Penetra até dividir alma e espírito, articulações e

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

ASSEMBLEIA DIOCESANA 2014. Sede solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz (Ef 4,3)

ASSEMBLEIA DIOCESANA 2014. Sede solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz (Ef 4,3) ASSEMBLEIA DIOCESANA 2014 Sede solícitos em conservar a unidade do Espírito no vínculo da paz (Ef 4,3) TERESÓPOLIS, 15-16 DE NOVEMBRO DE 2014 3 Introdução Perspectiva Bíblica Recuperar a comunidade A nova

Leia mais

A Exortação Apostólica Verbum Domini

A Exortação Apostólica Verbum Domini A Exortação Apostólica Verbum Domini Texto escrito por Cássio Murilo Dias da Silva 1, em janeiro de 2011. Informação de copyright: Este texto pode ser utilizado para fins educacionais e não comerciais.

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM

DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM DESCRIÇÃO DOS CURSOS E ENCONTROS DA PJM 1 Páscoa Jovem 1.1. Descrição A Páscoa Jovem é um encontro vivencial realizado para proporcionar uma experiência reflexiva e celebrativa da Paixão, Morte e Ressurreição

Leia mais

CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA

CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA CATEQUESE COMO INICIAÇÃO À EUCARISTIA PE. GREGÓRIO LUTZ Certamente o título deste artigo não causa estranheza à grande maioria dos leitores da Revista de Liturgia. Mas mesmo assim me parece conveniente

Leia mais

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC 1. ESPAC O QUE É? A ESPAC é uma Instituição da Arquidiocese de Fortaleza, criada em 1970, que oferece uma formação sistemática aos Agentes de Pastoral Catequética e

Leia mais

VII ASSEMBLÉIA DIOCESANA DE PASTORAL ( 2012 2014 ) Diocese de São João Del Rei

VII ASSEMBLÉIA DIOCESANA DE PASTORAL ( 2012 2014 ) Diocese de São João Del Rei VII ASSEMBLÉIA DIOCESANA DE PASTORAL ( 2012 2014 ) Diocese de São João Del Rei TEMA: Igreja: Casa de acolhida e crescimento na fé. Lema:... mas, em atenção à tua Palavra, lançarei a rede (Lc 5,5) TEMA

Leia mais

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013 ROTEIRO PARA O DIA DE ORAÇÃO PELA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE RIO2013 Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude - CNBB CANTO DE ENTRADA (Canto a escolha) (Este momento de oração pode ser associado

Leia mais

Linhas de Ação 1ª. LINHA DE AÇÃO: FORMAÇÃO INTEGRAL DO(A) DISCÍPULO(A)

Linhas de Ação 1ª. LINHA DE AÇÃO: FORMAÇÃO INTEGRAL DO(A) DISCÍPULO(A) A Igreja no Brasil está empenhada, sobretudo em, 2013 através da Campanha da Fraternidade e da Jornada Mundial da Juventude, em alavancar a Evangelização da Juventude. De partida queremos dizer que por

Leia mais

Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO?

Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO? Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO? A palavra Concílio significa assembleia reunida por convocação e, na Igreja, um concílio sempre teve como objetivo discutir, definir e deliberar sobre questões de

Leia mais

Igreja "em saída" missionária

Igreja em saída missionária Mês das Missões O mês de outubro é, para a Igreja, o período no qual são intensificadas as iniciativas de animação e cooperação em prol das Missões em todo o mundo. O objetivo é sensibilizar, despertar

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL 2015-2019

DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL 2015-2019 DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL 2015-2019 O QUE SÃO? São indicações São pistas São sendas Para toda a Igreja no Brasil; para as Igrejas Particulares, na elaboração dos seus

Leia mais

O QUE É O PROJETO NATAL MISSIONÁRIO?

O QUE É O PROJETO NATAL MISSIONÁRIO? INTRODUÇÃO Como continuidade ao Projeto das Semanas Missionárias, Deus suscitou este novo projeto que envolverá não apenas ao movimento da Renovação Carismática Católica, mas a toda a Igreja Católica Apostólica

Leia mais

NORMATIVAS PASTORAIS PARA A CELEBRAÇÃO DO BATISMO

NORMATIVAS PASTORAIS PARA A CELEBRAÇÃO DO BATISMO DIOCESE DE BRAGANÇA MIRANDA NORMATIVAS PASTORAIS PARA A CELEBRAÇÃO DO BATISMO Para os Párocos e respetivas comunidades Cristãs, especialmente para os Pais e para os Padrinhos 2012 1 A ESCLARECIMENTO PRÉVIO

Leia mais

Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim

Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim 5º DOMINGO DA PÁSCOA 18 de maio de 2014 Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim Leituras: Atos 6, 1-7; Salmo 32 (33), 1-2,4-5.18-19; Primeira Carta de Pedro 2, 4-9; João

Leia mais

PROJETO DIOCESANO DE RENOVAÇÃO PAROQUIAL

PROJETO DIOCESANO DE RENOVAÇÃO PAROQUIAL PROJETO DIOCESANO DE RENOVAÇÃO PAROQUIAL Texto aprovado na Reunião do Conselho de Presbíteros de 22/05/2014 e ratificado no Conselho Diocesano de Pastoral de 26/05/2014. APRESENTAÇÃO A Assembleia de Revisão

Leia mais

Índice Introdução... 13 Abreviaturas... 17 1. Natureza da liturgia cristã... 21 1.1. O termo liturgia... 21 1.1.1. No helenismo... 22 1.1.2. No Antigo Testamento... 22 1.1.3. No Novo Testamento... 23 1.1.4.

Leia mais

ANIMAÇÃO BÍBLICA DA VIDA E DA PASTORAL 1

ANIMAÇÃO BÍBLICA DA VIDA E DA PASTORAL 1 ANIMAÇÃO BÍBLICA DA VIDA E DA PASTORAL 1 APRESENTAÇÃO GERAL Com o presente texto, em forma de síntese (resumo), desejamos introduzir o tema pastoral que envolverá nossa diocese durante o ano de 2015. As

Leia mais

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM Página 1 TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM 01. Canto de Entrada 02. Saudação inicial do celebrante presidente 03. Leitura

Leia mais

Jörg Garbers, Mestre de Teologia

Jörg Garbers, Mestre de Teologia Jörg Garbers, Mestre de Teologia Introdução Pregação e prática Durante essa pregação uns vão pensar: Eu fiz e faço muitas coisas de maneira errada. Isso é normal. Cada um de nos falha e ficamos tristes.

Leia mais

GRUPOS DE ORAÇÃO EM DEFESA DA FAMÍLIA PLANO DE AÇÃO MINISTÉRIO PARA AS FAMÍLIAS RCC SÃO PAULO 2015-2016

GRUPOS DE ORAÇÃO EM DEFESA DA FAMÍLIA PLANO DE AÇÃO MINISTÉRIO PARA AS FAMÍLIAS RCC SÃO PAULO 2015-2016 GRUPOS DE ORAÇÃO EM DEFESA DA FAMÍLIA PLANO DE AÇÃO MINISTÉRIO PARA AS FAMÍLIAS RCC SÃO PAULO 2015-2016 Plano de Ação do Ministério Para as Famílias RCC São Paulo (2015-2016) Grupos de Oração em Defesa

Leia mais

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica OBLATOS ORIONITAS linhas de vida espiritual e apostólica Motivos inspiradores da oblação orionita laical O "carisma" que o Senhor concede a um fundador, é um dom para o bem de toda a Igreja. O carisma

Leia mais

Sugestões Pastorais para a implementação da Iniciação à Vida Cristã

Sugestões Pastorais para a implementação da Iniciação à Vida Cristã Apresentação Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado (Mt 28,19-20) Jesus enviou

Leia mais

MENSAGEM DO SANTO PADRE para o 48º Dia Mundial de Oração pelas Vocações (15 de Maio de 2011) «Propor as vocações na Igreja local»

MENSAGEM DO SANTO PADRE para o 48º Dia Mundial de Oração pelas Vocações (15 de Maio de 2011) «Propor as vocações na Igreja local» MENSAGEM DO SANTO PADRE para o 48º Dia Mundial de Oração pelas Vocações (15 de Maio de 2011) «Propor as vocações na Igreja local» Queridos irmãos e irmãs! O 48.º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, que

Leia mais

Plano Para a vida e a Missão da Igreja

Plano Para a vida e a Missão da Igreja Plano Para a vida e a Missão da Igreja O "Plano para a Vida e a Missão da Igreja" é continuação dos Planos Quadrienais de 1973 e 1978 e conseqüência direta da consulta nacional de 1981 sobre a Vida e a

Leia mais

3.1.1. Primeira Proposta: Fortalecimento da Pastoral Familiar (cf. CNBB - Doc. 79/2004 capo 8)

3.1.1. Primeira Proposta: Fortalecimento da Pastoral Familiar (cf. CNBB - Doc. 79/2004 capo 8) 3.1.1. Primeira Proposta: Fortalecimento da Pastoral Familiar (cf. CNBB - Doc. 79/2004 capo 8) 44. Neste sentido, a nossa 3 a Assembleia Diocesana, realizada no dia 28 de outubro de 2012 na Paróquia de

Leia mais

A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver.

A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver. A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver. Richard Baxter Contexto: Os puritanos surgiram para apoiar e desejar a reforma

Leia mais

Juventude e Relações Humanas

Juventude e Relações Humanas SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: / / 03 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA.º ANO/EM PROFESSOR(A): VALOR: 0,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO:

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS 5. CURSO DE TEOLOGIA Área de atuação O egresso do Curso de Teologia

Leia mais

3º Congresso Vocacional do Brasil Contagem regressiva

3º Congresso Vocacional do Brasil Contagem regressiva III CONGRESSO VOCACIONAL DO BRASIL Tema: Discípulos missionários a serviço das vocações Lema: Indaiatuba, Itaici, 03 a 07 de setembro de 2010 3º Congresso Vocacional do Brasil Contagem regressiva Ângelo

Leia mais

Fé e vida comunitária: introdução

Fé e vida comunitária: introdução 28ª Semana de Liturgia A Liturgia supõe e alimenta a fé (SC 59) Exposição: Contextualização [16:30] Conversão pastoral à luz das experiências das comunidades eclesiais de base (rede de comunidades: família,

Leia mais

Sal da TERRA e luz do MUNDO

Sal da TERRA e luz do MUNDO Sal da TERRA e luz do MUNDO Sal da terra e luz do mundo - jovens - 1 Apresentação pessoal e CMV Centro Missionário Providência Canto: vós sois o sal da terra e luz do mundo... MOTIVAÇÃO: Há pouco tempo

Leia mais

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros DEUS SE REVELA ATRAVÉS DOS OUTROS Ser Marista com os outros: Experimentar caminhos de vida marista comunitariamente INTRODUÇÃO

Leia mais

PARA A INSTITUIÇÃO DE LEITORES E ACÓLITOS PARA A INSTITUIÇÃO DOS LEITORES

PARA A INSTITUIÇÃO DE LEITORES E ACÓLITOS PARA A INSTITUIÇÃO DOS LEITORES 348 MA RTUA PARA A NTTUÇÃO DE LETORE E ACÓLTO Quando a Oração Universal é própria da Missa do dia, inserem-se nela algumas súplicas especiais pelos Leitores e Acólitos acabados de instituir, escolhidas

Leia mais

Jesus viu e se encheu de compaixão, porque eram como ovelhas sem pastor!

Jesus viu e se encheu de compaixão, porque eram como ovelhas sem pastor! 16º DOMINGO DO TEMPO COMUM - 19 de julho de 2015 Jesus viu e se encheu de compaixão, porque eram como ovelhas sem pastor! Leituras: Jeremias 23, 1-6; Salmo 22 (23), 1-3a.3b-4.5.6 (R/1.6a); Efésios 2, 13-18;

Leia mais

DIMENSÃO COMUNITÁRIA DA FORMAÇÃO PRESBITERAL PARA UMA MISSÃO SEM FRONTEIRAS

DIMENSÃO COMUNITÁRIA DA FORMAÇÃO PRESBITERAL PARA UMA MISSÃO SEM FRONTEIRAS DIMENSÃO COMUNITÁRIA DA FORMAÇÃO PRESBITERAL PARA UMA MISSÃO SEM FRONTEIRAS 1º Congresso missionário nacional de seminaristas Pe. Guy Labonté Introdução. Quando falamos em formação presbiteral, nós reparamos

Leia mais

Introdução à Bíblia e ao Novo Testamento

Introdução à Bíblia e ao Novo Testamento Introdução à Bíblia e ao Novo Testamento A palavra Bíblia deriva do grego: ta biblía; plural de: ton biblíon. E significa "livros" Logo descobrimos que a Bíblia é uma coleção de livros! Nós, cristãos,

Leia mais

MONTEIRO, Eduardo...[et al.]. Ensino Religioso Ensino Médio. A Vida é Mais educação e valores. Belo Horizonte: PAX Editora, 2010. p. 158.

MONTEIRO, Eduardo...[et al.]. Ensino Religioso Ensino Médio. A Vida é Mais educação e valores. Belo Horizonte: PAX Editora, 2010. p. 158. SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: / / 03 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA.º ANO/EM PROFESSOR(A): VALOR: MÉDIA: RESULTADO: %

Leia mais

O NOVO NASCIMENTO. Texto base: Jo 3: 1 a 21

O NOVO NASCIMENTO. Texto base: Jo 3: 1 a 21 O NOVO NASCIMENTO Texto base: Jo 3: 1 a 21 I. INTRODUÇÃO II. QUEM ERA NICODEMOS? Povo de Deus JUDEU MEMBRO DO SINÉDRIO FARISEU COM POSSES Instruído na Lei de Deus e Tradição Oral. Conhecido por ser puro,

Leia mais

3º Congresso Vocacional do Brasil

3º Congresso Vocacional do Brasil III CONGRESSO VOCACIONAL DO BRASIL Tema: Discípulos missionários a serviço das vocações Lema: Indaiatuba, Itaici, 03 a 07 de setembro de 2010 3º Congresso Vocacional do Brasil Dom Leonardo Ulrich Steiner

Leia mais