Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social"

Transcrição

1 Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social PÁGINA 1

2 SUMÁRIO PÁGINA TÍTULO I Dos Planos de Previdência Complementar...04 CAPÍTULO I Da Finalidade...04 CAPÍTULO II Do Glossário...04 CAPÍTULO III Do Plano de Pecúlio Facultativo PPF...05 SEÇÃO I Do Participante...05 SEÇÃO II Da Inscrição...05 SEÇÃO III Do Cancelamento...06 SEÇÃO IV Dos Institutos Facultados ao Participante em Caso de Cessação do Vínculo de Emprego ou Cargo Efetivos com a Patrocinadora...06 SUBSEÇÃO I Do Autopatrocínio...07 SUBSEÇÃO II Do Resgate de Contribuições Pessoais Vertidas ao Plano...07 SUBSEÇÃO III Da Portabilidade...08 SUBSEÇÃO IV Do Benefício Proporcional Diferido...08 SEÇÃO V Dos Benefícios...08 SEÇÃO VI Das Carências...09 SEÇÃO VII Dos Beneficiários...09 SEÇÃO VIII Da Contribuição...10 SEÇÃO IX Do Custeio do PPF...10 PÁGINA 2

3 SUMÁRIO PÁGINA TITULO II Do Plano de Saúde e do Plano de Assistência Social (VERIFICAR NO LINK GEAP SAÚDE) TÍTULO III Dos Fundos...10 TÍTULO IV Das Disposições Gerais...11 ANEXO I Tabelas de Taxas do Plano de Pecúlio Facultativo...12 ANEXO II Percentual do Benefício de Pecúlio Proporcional em Vida em relação ao benefício Pecúlio por Morte PÁGINA 3

4 REGULAMENTO BÁSICO DOS PLANOS E PROGRAMAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, SAÚDE E ASSISTÊNCIA SOCIAL DA GEAP Fundação de Seguridade Social Aprovado pela Secretaria de Previdência Complementar, através dos Ofícios: Ofício nº 258/2005/GAB/SPC de 16 de fevereiro de 2005 e Ofício nº 2744/SPC/DETEC/CGAT de 30 de dezembro de Publicado no Diário Oficial da União de 16 de maio de 2006, seção 3, páginas 108 a 110. TÍTULO I DOS PLANOS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1º Os Planos de Previdência Complementar visam proporcionar aos Participantes da Fundação e a seus Dependentes, Benefícios Complementares ou Suplementares à Previdência Oficial. Art. 2º Os Planos de Previdência Complementar serão custeados pelas fontes de recursos indicados em cada tipo de Plano ou Programa oferecido pela Fundação. CAPÍTULO II DO GLOSSÁRIO Art. 3º Os termos, expressões ou siglas utilizados neste Título do Regulamento têm o significado conforme abaixo especificado em ordem alfabética: I - BENEFICIÁRIOS: o Participante e as pessoas por ele designadas que, nas condições definidas neste Regulamento, venham a usufruir de benefício; II - BENEFÍCIO(S): valor pecuniário pago pela GEAP ao Participante ou ao(s) seu(s) designado(s); III - CARÊNCIA: tempo mínimo de contribuição ou de vinculação ao Plano de Pecúlio Facultativo; IV - CONTRIBUIÇÃO(ÕES): valor pecuniário vertido mensalmente pelo(s) PARTICIPANTE(s) para custeio do Plano de Pecúlio Facultativo; V - GEAP: Entidade Fechada de Previdência Complementar administradora do Plano de Pecúlio Facultativo; VI - PARTICIPANTE: pessoa física, que em razão do seu vínculo empregatício efetivo com a Patrocinadora, aderiu ao Plano de Pecúlio Facultativo ou que, PÁGINA 4

5 atendendo às previsões regulamentares do Plano, mantém inscrição ativa após o rompimento do seu contrato de trabalho com a Patrocinadora; VII - PATROCINADORA: pessoa jurídica que mediante termo ou convênio de adesão à GEAP, torna-se Patrocinadora; VIII - REGULAMENTO: conjunto de normas reguladoras de direitos e obrigações que regem as relações entre a GEAP, a(s) PATROCINADORA(s) e o(s) PARTICIPANTE(s) do Plano. CAPÍTULO III DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF Art 4º O Plano de Pecúlio Facultativo PPF é um benefício integrante dos Planos de Previdência Complementar e objetiva proporcionar ao Participante, no momento de sua aposentadoria ou nas situações especiais previstas neste Regulamento, um benefício direto, e aos Beneficiários designados, em conseqüência do falecimento do Participante, um benefício indireto, caso o Participante não tenha recebido o Pecúlio Proporcional em Vida ou o Pecúlio para Portadores de AIDS. Parágrafo único. A participação no Plano de Pecúlio Facultativo é voluntária, dependendo, tão-somente, de manifestação expressa do empregado/servidor das patrocinadoras, ou suas sucessoras, na forma da lei. SEÇÃO I Do Participante Art. 5º Poderá ser Participante do Plano de Pecúlio Facultativo PPF, o servidor ou empregado em atividade na Patrocinadora. Art. 6º O participante inscrito poderá custear para si benefício de pecúlio por morte de seu cônjuge ou companheiro(a), desde que o cônjuge ou companheiro(a), quando servidor ou empregado de patrocinadora, não esteja inscrito como participante do Plano. SEÇÃO II Da Inscrição Art. 7º Para se inscrever no PPF o servidor/empregado deverá comprovar o atendimento às condições de adesão previstas neste Regulamento e em normas próprias. Parágrafo único. A adesão no Plano após período superior a noventa dias da data de início do vínculo empregatício do servidor/empregado com a Patrocinadora ou a partir dos quarenta e cinco anos de idade, ou ainda, o reingresso na forma permitida, terá como condição adicional a apresentação de atestado de saúde. SEÇÃO III Do Cancelamento PÁGINA 5

6 Art. 8º São situações para cancelamento do Plano de Pecúlio Facultativo - PPF: I - cancelamento voluntário da inscrição, através de pedido formal do participante; II - ausência de pagamento de contribuições durante três meses consecutivos; III - ausência de pagamento de contribuições durante quatro meses não-consecutivos; IV - cessação do contrato de trabalho ou exoneração, ressalvadas as hipóteses de opção por um dos institutos previstos nos incisos I e IV do artigo 9º deste Regulamento; V - habilitação aos benefícios P/AIDS ou PPV; e, VI - falecimento do participante. 1º As situações previstas nos incisos I, II e III deste artigo, implicam na perda do benefício, inclusive do Pecúlio por Morte do cônjuge ou companheiro(a), fazendo o participante jus à restituição das contribuições já pagas, descontados os custos de benefício de risco já decorridos, da solidariedade e da administração do Plano, quando da cessação do vínculo empregatício. 2º Nas situações previstas nos incisos II e III deste artigo, em que o participante requerer revisão administrativa, caberá a reativação da inscrição, se for comprovado erro ou omissão administrativa da Fundação, e desde que o interessado recolha todas as contribuições em atraso. SEÇÃO IV Dos Institutos Facultados ao Participante em Caso de Cessação do Vínculo de Emprego ou Cargo Efetivos com a Patrocinadora Art.9º Ao participante que tiver seu contrato de trabalho, cargo ou emprego efetivos rompido com a Patrocinadora serão asseguradas as seguintes opções: I - o Autopatrocínio; II - o Resgate de Contribuições pessoais vertidas ao Plano; III - a Portabilidade; IV - o Benefício Proporcional Diferido. 1º É de responsabilidade do participante a comunicação formal à GEAP sobre a ocorrência do rompimento da relação de emprego ou cargo efetivo do participante com a Patrocinadora, até trinta dias após o evento. 2º No prazo de trinta dias após ser formalizada junto à GEAP a comunicação sobre a PÁGINA 6

7 cessação do vínculo do participante com a sua Patrocinadora, a GEAP fornecerá ao participante, um extrato contendo as informações sobre o direito relativo a cada um dos institutos, nos moldes da regulamentação vigente. 3º A opção do participante por qualquer dos institutos acima deverá ocorrer no prazo máximo de noventa dias após a data de rompimento da relação de emprego ou cargo efetivo com a Patrocinadora. 4º A ausência de manifestação expressa do participante por qualquer dos institutos previstos no prazo mencionado, será automaticamente entendida como opção pelo Benefício Proporcional Diferido. 5º A opção do participante pelo Autopatrocínio ou pelo Benefício Proporcional Diferido não impede posterior opção pela Portabilidade ou pelo Resgate das Contribuições Pessoais Vertidas. SUBSEÇÃO I Do Autopatrocínio Art. 10. Define-se como Autopatrocínio o instituto que faculta ao participante permanecer inscrito no Plano de Pecúlio Facultativo, mediante a manutenção do pagamento das contribuições. SUBSEÇÃO II Do Resgate de Contribuições Pessoais Vertidas ao Plano Art. 11. Define-se como Resgate o instituto que faculta ao participante cancelar sua inscrição e optar pelo recebimento das contribuições pessoais vertidas ao Plano de Pecúlio Facultativo. 1º O valor do resgate, descontado os custos de cobertura de risco já decorridos, da solidariedade e da administração do plano, corresponderá a 50%, das contribuições pessoais vertidas, corrigidas monetariamente e deduzido, quando for o caso todos os débitos do Participante para com o Fundo de Pecúlio Facultativo FPF. 2º Todo resgate está condicionado à cessação do vínculo de emprego ou cargo efetivo com o Patrocinador, podendo ser pago em uma só parcela, ou até em 12 (doze) vezes, se for opção do ex-participante. 3º A opção pelo instituto definido no caput terá caráter irretratável e irrevogável e implica na cessação dos compromissos do Plano de Pecúlio Facultativo PPF, para com o Participante, seus beneficiários designados. SUBSEÇÃO III Da Portabilidade Art. 12. Define-se por Portabilidade o instituto que faculta ao participante cancelar sua PÁGINA 7

8 inscrição e optar pela transferência dos recursos financeiros, correspondentes às contribuições pessoais vertidas ao Plano, corrigidas monetariamente, descontados os custos de cobertura de risco já decorridos, da solidariedade e da administração do Plano. Parágrafo único. A opção pelo instituto definido no caput terá caráter irretratável e irrevogável e implica na cessação dos compromissos do Plano de Pecúlio Facultativo em relação ao participante e seus beneficiários. SUBSEÇÃO IV Do Benefício Proporcional Diferido Art. 13. Entende-se por Benefício Proporcional Diferido o instituto que faculta ao participante optar por permanecer vinculado ao Plano de Pecúlio Facultativo, com suspensão das contribuições mensais, mantendo o saldo que lhe seria devido no caso de resgate para percepção futura e proporcional dos benefícios previstos no plano ou para destinação aos beneficiários indicados no caso de seu falecimento. SEÇÃO V Dos Benefícios Art. 14. Consideram-se benefícios do Plano de Pecúlio Facultativo - PPF a concessão do Adiantamento Financeiro por Aposentadoria - AFA, o Pecúlio por Morte do Participante- PPM ou o Pecúlio Proporcional em Vida - PPV ou Pecúlio para portadores de AIDS manifestada - P/AIDS, conforme definidos nos artigos desta Seção V. Art. 15. O Adiantamento Financeiro por Aposentadoria - AFA é devido ao participante que se aposentar e corresponde a 20% (vinte por cento) do Pecúlio por Morte - PPM, calculado com base no salário de participação do mês da aposentadoria, sujeito a desconto de eventuais débitos existentes para com o Fundo de Pecúlio Facultativo - FPF. Art. 16. O Pecúlio por Morte - PPM é devido aos beneficiários designados, por ocasião do falecimento do Participante, quando ao participante não coube pagamento do Pecúlio Proporcional em Vida ou do Pecúlio para Portadores de AIDS, e será calculado com base no último salário de participação, deduzido o valor atualizado correspondente ao AFA, caso tenha sido concedido, e eventuais débitos existentes com o FPF. Parágrafo único. O valor do pecúlio segurado pelo participante por morte de seu cônjuge ou companheiro(a), o PPM-co, corresponderá a 50% (cinqüenta por cento) do valor integral do benefício principal segurado pelo participante. Art. 17. O Pecúlio Proporcional em Vida - PPV é devido ao participante que contar, no mínimo, oitenta anos de idade e vinte anos de contribuição para o Plano, calculado proporcionalmente em relação ao pecúlio que lhe seria devido na data do requerimento, considerando o salário de participação da última contribuição aportada e atendendo à situação e proporcionalidade atuarialmente estabelecida na tabela constante do Anexo II deste regulamento. Parágrafo único. Serão deduzidos do Pecúlio Proporcional em Vida - PPV eventuais PÁGINA 8

9 débitos existentes com o PPF. Art. 18. O Pecúlio para portadores de AIDS P/AIDS é devido ao Participante que já apresente manifestação da doença e será calculado com base no salário de participação da última contribuição aportada, deduzido o valor atualizado correspondente ao AFA, caso tenha sido concedido, e eventuais débitos existentes com o FPF. Art. 19. Na concessão e pagamento dos benefícios previstos no PPF não serão considerados, para fins de cálculo, quaisquer reajustamentos posteriores à data do fato gerador, mesmo que com efeitos retroativos. Art. 20. Os benefícios previstos neste Regulamento serão pagos em parcela única. SEÇÃO VI Das Carências Art. 21. O período de carência para habilitação ao Pecúlio por Morte - PPM do participante e do cônjuge ou companheiro(a), o PPM-co, é de doze meses, a contar do mês da primeira contribuição. Art. 22. O período de carência para habilitação ao Adiantamento Financeiro por Aposentadoria - AFA e ao Pecúlio para portadores de AIDS - P/AIDS é de sessenta meses, a contar do mês da primeira contribuição. Art. 23. O período de carência para habilitação ao Pecúlio Proporcional em Vida - PPV é de duzentos e quarenta meses, a contar do mês da primeira contribuição. SEÇÃO VII Dos Beneficiários Art. 24. Os beneficiários do Plano de Pecúlio Facultativo - PPF serão o próprio participante, no caso do Adiantamento Financeiro por Aposentadoria - AFA, do Pecúlio por morte do cônjuge ou companheiro(a), o PPM-co, e do Pecúlio para portadores de AIDS já manifestada P/AIDS, e a(s) pessoa(s) livremente designada(s) pelo participante, no caso do seu Pecúlio por Morte -PPM. 1º Será permitido ao participante, a qualquer época, alterar o(s) beneficiário(s) do Pecúlio por Morte - PPM, prevalecendo sempre a última alteração. 2º O participante será o único beneficiário do Pecúlio por Morte do cônjuge ou companheiro(a). Art. 25. Ocorrendo o óbito do participante, e se um dos beneficiários designados já houver falecido, o Pecúlio por Morte - PPM, ou a parcela correspondente, será paga aos herdeiros do participante, nomeados mediante autorização judicial. Parágrafo único. No caso de falecimento concomitante do participante e de seu cônjuge ou companheiro(a) segurado, a soma dos valores do Pecúlio por Morte - PPM e do PPM- PÁGINA 9

10 co será paga aos beneficiários vivos designados pelo participante, rateados na mesma proporção indicada na designação, prevalecendo sempre a última alteração. Quando inexistirem beneficiários vivos, prevalece o previsto no caput deste artigo. Art. 26. Ocorrendo o óbito do participante, e se algum beneficiário designado vier a falecer após o óbito do participante, o PPM ou a cota correspondente será paga ao(s) herdeiro(s) do beneficiário falecido, nomeado(s) mediante autorização judicial. SEÇÃO VIII Da Contribuição Art. 27. A contribuição relativa ao Pecúlio do Participante e ao Pecúlio por morte do cônjuge ou companheiro(a) para o Plano de Pecúlio Facultativo - PPF é mensal e terá por base o salário de participação, o multiplicador escolhido e a taxa de contribuição aplicada em função da idade, conforme Tabela de Taxas atuarialmente definida. 1º Os participantes do PPF, no ato da inscrição, deverão optar por um multiplicador, que corresponderá a 10, 20, 30, 40 ou 50. 2º É facultada a alteração de multiplicador ao participante com até sessenta anos completados na data da alteração, sendo obrigatório o interstício de vinte e quatro meses para alteração de uma faixa para outra imediatamente superior. Caso ocorra a morte ou aposentadoria antes de completada a carência, o benefício será pago com base no multiplicador anterior. O mesmo princípio se aplica para o Pecúlio por morte do cônjuge ou companheiro(a) e às situações especiais descritas no Manual de Normas. 3º No momento da solicitação de elevação do multiplicador, será considerada a idade do participante para efeito de enquadramento de taxa de contribuição, aplicando-se o mesmo princípio ao cônjuge ou companheiro(a) segurado. 4º A redução para faixa inferior terá vigência imediata, a contar da data do pedido, sem limite de idade. SEÇÃO IX Do Custeio do PPF Art. 28. O Plano de Pecúlio Facultativo - PPF será custeado pelas contribuições do participante, pelas receitas de aplicação do patrimônio e por eventuais doações, subvenções, legados e rendas extraordinárias não-previstas. O TÍTULO II FOI RETIRADO, POIS TRATA-SE DO PLANO DE SAÚDE. TÍTULO III DOS FUNDOS Art. 53. A Fundação terá três Fundos Financeiros: I - Fundo de Assistência Patronal - FAP, que será constituído das receitas de PÁGINA 10

11 contribuição do percentual da remuneração dos servidores ou empregados, Participantes Titulares da Fundação, e de igual parte das Patrocinadoras, destinadas a viabilizar o Plano de Saúde e o Plano de Assistência Social. Comporão, também, as receitas do FAP os percentuais de participação nas despesas, previstas nos artigos 48 a 52 deste Regulamento; suas receitas de aplicação e outras fontes específicas; II - Fundo de Pecúlio Facultativo - FPF, que será constituído das receitas de contribuição previstas no artigo 28 deste Regulamento. Comporão, também as receitas do FPF todos os demais recursos que lhe forem creditados, inclusive suas receitas de aplicação; III - Fundo de Administração - FAD, que será constituído pelas contribuições das Patrocinadoras, a título de cobertura das despesas operacionais e de administração do Plano de Saúde e de Assistência Social, em percentual fixado pelo Conselho de Administração e expresso nos Convênios e Termos Aditivos específicos. Comporão, também, as receitas do FAD, o percentual fixado pelo Conselho de Administração para cobrir as despesas operacionais e administrativas do Plano de Pecúlio Facultativo, suas receitas de aplicação e outras fontes específicas. TÍTULO IV DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 54. O Plano de Pecúlio Facultativo - PPF foi instituído pelo Decreto nº , de , inciso II do Artigo 216, combinado com o Artigo 219 Regulamento do Regime de Previdência Social. Art. 55. É facultada ao Participante do Plano de Pecúlio Facultativo a transferência de sua reserva matemática individual coberta para outro plano de benefício previdenciário da GEAP Fundação de Seguridade Social, mediante autorização individual expressa. Art. 56. As normas procedimentais dos Planos de Pecúlio Facultativo, Saúde e Assistência Social constarão nos Manuais de Normas Técnicas e Procedimentos de cada Plano, atendidos os princípios expressos neste Regulamento. Parágrafo único. Caberá à Diretoria Executiva da Fundação expedir os Manuais de Normas Técnicas e Procedimentos referentes a cada Plano. Art. 57. Outras disposições referentes aos Planos, e eventualmente omissas neste Regulamento e nos Manuais, serão dirimidas pela Direção Executiva, ou ainda pelo Conselho de Administração e, no que couber, pelo órgão de fiscalização competente. Art. 58. Este Regulamento Básico entrará em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União, após a aprovação pelo órgão fiscalizador, revogando-se as disposições em contrário. PÁGINA 11

12 ANEXO I TABELAS DE TAXAS DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO 1. Para novas inscrições será considerada a tabela de taxas a seguir: ATÉ 31 ANOS INCOMPLETOS DE 31 ANOS COMPLETOS A 41 ANOS INCOMPLETOS DE 41 ANOS COMPLETOS, NA DATA DA INSCRIÇÃO, EM DIANTE 2,61 4,23 5,94 2. Para a alteração de multiplicadores será considerada a tabela de taxas a seguir: ATÉ 31 ANOS INCOMPLETOS DE 31 ANOS COMPLETOS A 41 ANOS INCOMPLETOS DE 41 ANOS COMPLETOS ATÉ 60 ANOS COMPLETADOS NA DATA DA ALTERAÇÃO 2,61 4,23 5,94 PÁGINA 12

13 ANEXO II Percentual do Benefício de Pecúlio Proporcional em Vida em relação ao benefício Pecúlio Por Morte. Idade Proporção benefício sem desconto AFA (100% do Pecúlio) Proporção benefício já descontado o AFA (80% do pecúlio) 80 62,46% 59,56% 81 64,63% 61,88% 82 66,74% 64,12% 83 68,77% 66,29% 84 70,74% 68,38% 85 72,63% 70,39% 86 74,45% 72,33% 87 76,19% 74,19% 88 77,86% 75,96% 89 79,45% 78,35% 90 80,96% 79,26% 91 82,39% 80,78% 92 83,75% 82,23% 93 85,03% 83,59% 94 86,24% 84,88% 95 87,38% 86,09% 96 88,45% 87,23% 97 89,45% 88,30% 98 90,39% 89,29% 99 91,26% 90,22% ,08% 91,09% ,84% 91,90% ,55% 92,66% ,21% 93,37% ,87% 94,06% ,63% 94,87% ,03% 96,37% PÁGINA 13

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA Aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC, por meio da Portaria Nº 509, de 27

Leia mais

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico.

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico. Apresentação Este é o MANUAL DO PARTICIPANTE da PRECE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, material explicativo que descreve, em linguagem simples e precisa, as características gerais do Plano CD, com o objetivo

Leia mais

Seu futuro está em nossos planos!

Seu futuro está em nossos planos! 1/8 CONHEÇA O PLANO DE BENEFÍCIOS CD-METRÔ DF Seu futuro está em nossos planos! 2014 2/8 1 Quem é a REGIUS? A REGIUS Sociedade Civil de Previdência Privada é uma entidade fechada de previdência privada,

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO PREVIDENCIAL DOS PARTICIPANTES VINCULADOS AO INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - IMA REGULAMENTO ESPECÍFICO - RP6 CAPÍTULO I

REGULAMENTO DO PLANO PREVIDENCIAL DOS PARTICIPANTES VINCULADOS AO INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - IMA REGULAMENTO ESPECÍFICO - RP6 CAPÍTULO I DOS PARTICIPANTES VINCULADOS AO INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - REGULAMENTO ESPECÍFICO - RP6 CAPÍTULO I DAS PRESTAÇÕES PREVIDENCIAIS Art. 1º - O Regulamento Específico - RP6 disciplina a concessão

Leia mais

Alterações de Regulamento

Alterações de Regulamento Alterações de Regulamento Síntese das alterações propostas 1. DEFINIÇÕES GERAIS Beneficiários: será excluído o tempo mínimo de união estável com parceiro ou cônjuge para que seja reconhecido como beneficiário

Leia mais

REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004

REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004 REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004 Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Previdência

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da Boticário Prev, dos Participantes e Assistidos, para a concessão

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante FACEAL Fundação Ceal de Assistência Social e Previdência Cartilha do Participante Manual de Perguntas e Respostas Plano Faceal CD Prezado leitor, A FACEAL apresenta esta cartilha de perguntas e respostas

Leia mais

Regulamento de Empréstimo

Regulamento de Empréstimo Regulamento $ de Empréstimo Para participantes do Plano Complementar de Benefícios Previdenciais - Plano BD $ Fundação de Previdência dos Empregados da CEB Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo

Leia mais

Í n d i c e. Apresentação. Sobre a ELETROS. Sobre o Plano CD CERON. Características do Plano CD CERON

Í n d i c e. Apresentação. Sobre a ELETROS. Sobre o Plano CD CERON. Características do Plano CD CERON Í n d i c e Apresentação Sobre a ELETROS Sobre o Plano CD CERON Características do Plano CD CERON 3 4 5 6 A p r e s e n t a ç ã o Bem-vindo! Você agora é um participante do Plano CD CERON, o plano de benefícios

Leia mais

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 Viçosa Minas Gerais Fevereiro/2008 Índice Página Glossário - Capítulo II Das Definições... 3 Nome do Plano de Benefícios

Leia mais

Índice BEM-VINDO AO PLANO UNIMED-BH 02 GLOSSÁRIO 03 CONHECENDO O PLANO 06 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 10 FORMAS DE CONTATO 13

Índice BEM-VINDO AO PLANO UNIMED-BH 02 GLOSSÁRIO 03 CONHECENDO O PLANO 06 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 10 FORMAS DE CONTATO 13 Índice BEM-VINDO AO PLANO UNIMED-BH 02 GLOSSÁRIO 03 CONHECENDO O PLANO 06 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 10 FORMAS DE CONTATO 13 UD004110B-MioloGuiaPlanoUnimedBH15x21.indd 1 2 Bem-vindo ao Plano de Previdência

Leia mais

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários dos Cooperados do SICOOB

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários dos Cooperados do SICOOB Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários dos Cooperados do SICOOB SICOOB MULTI INSTITUÍDO Aprovado pela Portaria nº 1.563, de 13/9/2007, publicada no Diário Oficial de 14/9/2007. Índice Capítulo

Leia mais

Cartilha de Extensão de Benefício do Plano Empresarial aos Beneficiários.

Cartilha de Extensão de Benefício do Plano Empresarial aos Beneficiários. Cartilha de Extensão de Benefício do Plano Empresarial aos Beneficiários. Contributários demitidos ou exonerados sem justa causa e/ou aposentados. www.saolucassaude.com.br 01_ DIREITOS E DEVERES DO BENEFICIÁRIO

Leia mais

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI Manual Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI O melhor da vida é feito em parceria O Plano de Benefícios Previdenciários da SICOOB PREVI é uma importante ferramenta de planejamento financeiro

Leia mais

MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar

MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS II 1 de julho de 2010 MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar 2 CAPÍTULO I - DO OBJETIVO Art. 1º - O presente Regulamento

Leia mais

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da ACIPREV FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Instituidora : ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE AMERICANA ACIA 1 ÍNDICE Pág CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA Capítulo I Da Finalidade Artigo 1 - O presente Regulamento de Empréstimo Pessoal, doravante denominado Regulamento, tem por finalidade definir normas

Leia mais

Apresentação. Lembrando que esta cartilha não substitui o regulamento do Plano BD Eletrobrás, recomendamos a leitura atenta do referido regulamento.

Apresentação. Lembrando que esta cartilha não substitui o regulamento do Plano BD Eletrobrás, recomendamos a leitura atenta do referido regulamento. Apresentação A Lei Nº 11.053, de 29.12.2004, faculta aos participantes de Planos de Previdência Complementar, estruturados na modalidade de Contribuição Definida (CD), como é o caso do novo Plano CD Eletrobrás,

Leia mais

REGULAMENTO PLANO ANAPARprev - Editado em Dezembro de 2009 Versão aprovada pela SPC em 09/12/2009 (Portaria 3.220/SPC) Capítulo I: DO PLANO E SEUS FINS 02 Capítulo II: DOS MEMBROS 02 Capítulo III: DA INSCRIÇÃO

Leia mais

Regulamento do Plano de Empréstimo. Aprovado em 01 de Janeiro de 2015

Regulamento do Plano de Empréstimo. Aprovado em 01 de Janeiro de 2015 Regulamento do Plano de Empréstimo 2015 Aprovado em 01 de Janeiro de 2015 1. Dos Objetivos a) Estabelecer os direitos e obrigações da Previplan - Sociedade de Previdência Privada (aqui designada como Sociedade

Leia mais

SABESPREV. Plano de Benefícios Básico TÍTULO I DO OBJETO

SABESPREV. Plano de Benefícios Básico TÍTULO I DO OBJETO SABESPREV Plano de Benefícios Básico TÍTULO I DO OBJETO Artigo 1º - O presente Regulamento estabelece os direitos e as obrigações da FUNDAÇÃO, das Patrocinadoras, dos Participantes e dos seus Beneficiários

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico

Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico CNPB 2004.0020-18 Prev Pepsico Sociedade Previdenciária CNPJ 00.098.693/0001-05 Atendimento à NOTA Nº 036/2013/CGAT/DITEC/PREVIC Comando 357744092 Juntada

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV.

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. Sumário Capítulo I Da finalidade...1 Capítulo II - Dos contratantes...1 Capítulo III - Dos limites individuais...2 Capítulo IV -

Leia mais

AASP Associação dos Advogados de São Paulo MATERIAL EXPLICATIVO AASP PREVIDÊNCIA. Plano administrado pelo HSBC Instituidor Fundo Múltiplo.

AASP Associação dos Advogados de São Paulo MATERIAL EXPLICATIVO AASP PREVIDÊNCIA. Plano administrado pelo HSBC Instituidor Fundo Múltiplo. AASP Associação dos Advogados de São Paulo MATERIAL EXPLICATIVO AASP PREVIDÊNCIA Plano administrado pelo HSBC Instituidor Fundo Múltiplo. Introdução Através deste Material Explicativo você toma conhecimento

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Nº 001 DA FUNDAÇAO CEAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E PREVIDÊNCIA FACEAL - PLANO FACEAL CD - Í N D I C E

REGULAMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Nº 001 DA FUNDAÇAO CEAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E PREVIDÊNCIA FACEAL - PLANO FACEAL CD - Í N D I C E REFERÊNCIA Í N D I C E PÁG. GLOSSÁRIO 02 CAPÍTULO I Das Finalidades e da Denominação do Plano 04 II Dos membros do PLANO 04 III Da inscrição como participante 06 IV Do cancelamento da inscrição do participante

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante Benefício definido (Eletra 01) BENEFICIO DEFINIDO Cartilha do Participante Introdução A ELETRA Fundação Celg de Seguros e Previdência é uma entidade fechada de previdência privada, de fins previdenciários

Leia mais

PORTO SEGURO SEGURO SAÚDE

PORTO SEGURO SEGURO SAÚDE Prezados Senhores, Em 25/11/2011, a Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS publicou a Resolução Normativa nº 279, a qual regulamenta os artigos 30 e 31 da Lei 9656/98, tendo revogado as Resoluções

Leia mais

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com.

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com. MATERIAL EXPLICATIVO DO PLANO DE BENEFÍCIOS SISTEMA FIEMG Outubro / 2013 A CASFAM A CASFAM é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC), sociedade civil patrocinada pelo Sistema FIEMG, com

Leia mais

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 2 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 Brasília - DF Março/2015 3 Sumário GLOSSÁRIO... 5 CAPÍTULO

Leia mais

EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR INSTRUÇÃO CONJUNTA Nº 1, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2014 Dispõe sobre as regras de portabilidade

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS Resolução nº 201/1989 Consolida a legislação que criou o Plano de Assistência Médica Suplementar. O Presidente do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO CAPÍTULO I - DO OBJETO Art. 1º - Este Regulamento estabelece os direitos e as

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO CAPÍTULO I - DO OBJETO Art. 1º - Este Regulamento estabelece os direitos e as REGULAMENTO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP/CE ÍNDICE Capítulo I - DO OBJETIVO

Leia mais

Segurança para quem você ama. Regulamento

Segurança para quem você ama. Regulamento Segurança para quem você ama. Regulamento Bem-vindo, novo participante! É com satisfação que recebemos sua adesão ao Família Previdência, plano desenhado para oferecer uma complementação de aposentadoria

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV

CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV Florianópolis, janeiro de 2010. Caríssimo Participante, Esta cartilha vai ajudar você a entender melhor a DATUSPREV e o Plano CIASCPREV. O CIASC, pensando em você,

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP REGULAMENTO ÍNDICE CAPÍTULO I DO OBJETO

Leia mais

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS Este aditivo é parte integrante do Seguro Saúde contratado pelo Estipulante abaixo indicado, bem como de suas Condições Gerais. Número

Leia mais

Licenciamento Automático - REGULAMENTO SENGE PREVIDÊNCIA - CNPB 2005.0003-29 Anexo 1 ao JM/0916/2015 de 29/04/2015

Licenciamento Automático - REGULAMENTO SENGE PREVIDÊNCIA - CNPB 2005.0003-29 Anexo 1 ao JM/0916/2015 de 29/04/2015 Aprovado pela Portaria nº 836 de 27/10/2010 Alterações DOU 29/10/2010 Justificativa CAPÍTULO I - DO PLANO E SEUS FINS Artigo 1º O presente Regulamento tem por objeto estabelecer as disposições específicas

Leia mais

Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev

Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev Quadro Comparativo das Alterações Propostas Regulamento do Plano de Aposentadoria MSD Prev MSD Prev Sociedade de Previdência Privada Anexo I Ata de Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo de 17/05/07

Leia mais

CAIXA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA AOS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ S/A.

CAIXA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA AOS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ S/A. ÍNDICE GERAL GLOSSÁRIO...4 CAPÍTULO I OBJETIVO...6 CAPÍTULO II MEMBROS DO PREV-RENDA...6 SEÇÃO I PATROCINADORES...6 SEÇÃO II PARTICIPANTES...7 SEÇÃO III BENEFICIÁRIOS...7 SEÇÃO IV ASSISTIDOS...8 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO BÁSICO DE BENEFÍCIOS ÍNDICE

REGULAMENTO DO PLANO BÁSICO DE BENEFÍCIOS ÍNDICE REGULAMENTO DO PLANO BÁSICO DE BENEFÍCIOS ÍNDICE CAPÍTULO I...3 DA FINALIDADE... 3 CAPÍTULO II...3 DOS PARTICIPANTES, DOS ASSISTIDOS E DOS DEPENDENTES... 3 Seção I...3 Dos Participantes...3 Seção II...3

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL 1. FINALIDADE 1.1. Este Regulamento tem por finalidade disciplinar as concessões de empréstimos aos Participantes do Plano de Benefícios JMalucelli, administrado pelo

Leia mais

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV 1 CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da CASANPREV, dos Participantes, Assistidos

Leia mais

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS PLANOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICO-HOSPITALAR E DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA CONTRATADOS PELA ASTCERJ A utilização dos Planos de Assistência Médico-Hospitalar e de Assistência Odontológica

Leia mais

SESI-PIPrev ÍNDICE. Capítulo I Do Objeto. Capítulo II Das Definições. Capítulo III Dos Participantes. Capítulo IV Do Serviço Creditado

SESI-PIPrev ÍNDICE. Capítulo I Do Objeto. Capítulo II Das Definições. Capítulo III Dos Participantes. Capítulo IV Do Serviço Creditado 2 SESI-PIPrev ÍNDICE Capítulo I Do Objeto Capítulo II Das Definições Capítulo III Dos Participantes Capítulo IV Do Serviço Creditado Capítulo V Do Plano de Custeio e das Disposições Financeiras Capítulo

Leia mais

que: (...) IX optar pela transferência a outro plano de benefícios administrado pela Entidade. Seção I Das Regras de Migração

que: (...) IX optar pela transferência a outro plano de benefícios administrado pela Entidade. Seção I Das Regras de Migração Art. 10 Perderá a qualidade de Participante aquele que: (...) CAPÍTULO XIV DAS DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS Art. 10 Perderá a qualidade de Participante aquele que: (...) IX optar pela transferência a outro

Leia mais

CAIXA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA AOS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ S/A.

CAIXA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA AOS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ S/A. ÍNDICE GERAL GLOSSÁRIO... 4 CAPÍTULO I... 7 OBJETIVO... 7 CAPÍTULO II... 7 MEMBROS DO PREV-RENDA... 7 IV - os Assistidos... 7 Seção I... 7 Patrocinadores... 7 Seção II... 8 Participantes... 8 Seção III...

Leia mais

Art. 32... Art. 39... IV -...

Art. 32... Art. 39... IV -... DECRETO Nº 8.145, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2013 Art. 1 o O Regulamento da Previdência Social - RPS, aprovado pelo Decreto n o 3.048, de 6 de maio de 1999, passa a vigorar com as seguintes alterações: Art. 19.

Leia mais

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO Rev. 01 Data: 21/05/2014 Página 1 de 8 CAPÍTULO I DEFINIÇÕES Art. 1º - Para fins de aplicação deste Regulamento, o masculino incluirá o feminino e o singular incluirá o plural, a menos que o contexto indique

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO PRECE II ÍNDICE

REGULAMENTO DO PLANO PRECE II ÍNDICE REGULAMENTO DO PLANO PRECE II ÍNDICE I) DO PLANO PRECE II E SEUS FINS... 2 II) DOS MEMBROS DO PLANO PRECE II... 2 III) DA INSCRIÇÃO DOS MEMBROS NO PLANO PRECE II... 2 IV) DO CANCELAMENTO DA INSCRIÇÃO DOS

Leia mais

Informamos a reabertura do Plano de Apoio à Aposentadoria PAA 2012, no âmbito do Programa de Preparação à Aposentadoria.

Informamos a reabertura do Plano de Apoio à Aposentadoria PAA 2012, no âmbito do Programa de Preparação à Aposentadoria. Segunda-feira, 03 de dezembro de 2012. REABERTURA PAA de 03 a 21.12.2012 Informamos a reabertura do Plano de Apoio à Aposentadoria PAA 2012, no âmbito do Programa de Preparação à Aposentadoria. O período

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA Mensagem ao Associado Caro Associado, A maior preocupação do profissional que compõe o Sistema Confea / Crea / Mútua talvez

Leia mais

Revisado em 15/08/2011

Revisado em 15/08/2011 CARTILHA DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 Revisado em 15/08/2011 Esta cartilha foi estruturada com perguntas e respostas para apresentar e esclarecer aos Participantes as informações

Leia mais

REGULAMENTO. Plano de Previdência Complementar para os associados e seus dependentes do Sindicato dos Engenheiros do Rio Grande do Sul

REGULAMENTO. Plano de Previdência Complementar para os associados e seus dependentes do Sindicato dos Engenheiros do Rio Grande do Sul REGULAMENTO Plano de Previdência Complementar para os associados e seus dependentes do Sindicato dos Engenheiros do Rio Grande do Sul Regulamento do Plano de Benefícios SENGE Previdência Aprovação Plano

Leia mais

Versão atual Versão proposta Justificativas. Regulamento do Plano de Contribuição Definida - PCD

Versão atual Versão proposta Justificativas. Regulamento do Plano de Contribuição Definida - PCD Regulamento do Plano de Contribuição Definida - PCD Regulamento do Plano de Contribuição Definida - PCD Capítulo I Capítulo I Do Plano e da sua Finalidade Do Plano e da sua Finalidade Art. 1º Este Regulamento

Leia mais

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada.

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. Adesão Característica do contrato de previdência privada, relativa ao ato do proponente aderir ao plano de previdência. Administradores

Leia mais

NORMA PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTES (Aprovada pela Deliberação n 005/2012, de 29 de março de 2012)

NORMA PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTES (Aprovada pela Deliberação n 005/2012, de 29 de março de 2012) NORMA PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTES (Aprovada pela Deliberação n 005/2012, de 29 de março de 2012) 1. DA FINALIDADE A presente Norma tem por finalidade regulamentar e definir condições para

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES - CV

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES - CV SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES... 2 2. FINALIDADE... 3 3. DESTINATÁRIOS... 3 4. DOCUMENTAÇÃO... 4 5. VALOR MÁXIMO... 4 6. PRAZOS... 4 7. ENCARGOS E ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA... 5 8. GARANTIAS... 5 9. CONDIÇÕES GERAIS...

Leia mais

PRHOSPER PREVIDÊNCIA RHODIA Planos de Aposentadoria (Incorporação Solvay do Brasil)

PRHOSPER PREVIDÊNCIA RHODIA Planos de Aposentadoria (Incorporação Solvay do Brasil) PRHOSPER PREVIDÊNCIA RHODIA Planos de Aposentadoria (Incorporação Solvay do Brasil) 08 de outubro 2015 Quem somos? Entidade Fechada de Previdência Complementar que administra os Planos de Previdência dos

Leia mais

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o seu Plano de Benefícios ACPrev.

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o seu Plano de Benefícios ACPrev. ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO ACPREV... 8 PARTICIPANTES... 8 Participante Ativo... 8 Participante Assistido...

Leia mais

SERGUS - INSTITUTO BANESE DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO GLOSSÁRIO

SERGUS - INSTITUTO BANESE DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO GLOSSÁRIO SERGUS - INSTITUTO BANESE DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO GLOSSÁRIO Neste Regulamento, as expressões, palavras, abreviações ou siglas abaixo terão o seguinte significado, a menos que o contexto indique

Leia mais

Plano de Benefícios da Associação dos Advogados de São Paulo - AASP

Plano de Benefícios da Associação dos Advogados de São Paulo - AASP Plano de Benefícios da Associação dos Advogados de São Paulo - AASP Aprovado pela Portaria 2.261 de 27.05.2008 e Ofício 1.941 SPC/DETEC/CGAT de 27.05.2008 ÍNDICE Capítulo I Do Objetivo... 03 Capítulo II

Leia mais

Guia do Participante - Desligamento Como proceder no desligamento da Rhodia O plano não termina aqui: confira as opções

Guia do Participante - Desligamento Como proceder no desligamento da Rhodia O plano não termina aqui: confira as opções Planos de Aposentadoria Básico e Suplementar Contribuição Definida Guia do Participante - Desligamento Como proceder no desligamento da Rhodia O plano não termina aqui: confira as opções (documento completo

Leia mais

Lei nº 11.053. Dispõe sobre a tributação dos planos de benefícios de caráter previdenciário e dá outras providências.

Lei nº 11.053. Dispõe sobre a tributação dos planos de benefícios de caráter previdenciário e dá outras providências. Lei nº 11.053 Dispõe sobre a tributação dos planos de benefícios de caráter previdenciário e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 ATO DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS TRANSITÓRIAS Art. 90. O prazo previsto no caput do art. 84 deste Ato das Disposições Constitucionais Transitórias

Leia mais

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE 1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS REGULAMENTO 1.1 - O presente regulamento objetiva a concessão de Crédito Educativo para estudantes devidamente Matriculados nos cursos

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA Secretaria Geral de Governo

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA Secretaria Geral de Governo Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA Secretaria Geral de Governo DECRETO EXECUTIVO Nº 593/02, DE 31.12.2002. NORMATIZA A ADESÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS AOS PLANOS DE

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Mês de Vigência Taxa de Juros 1º 0,65% a.m. 2º ao 12º 0,45% a.m.

CONDIÇÕES GERAIS. Mês de Vigência Taxa de Juros 1º 0,65% a.m. 2º ao 12º 0,45% a.m. PLIN FIDELIDADE MODALIDADE TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.003764/2008-28 CONDIÇÕES GERAIS GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso

Leia mais

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Índice Quem Somos Estrutura do plano Importância da Previdência Privada. Quanto antes melhor! As regras do plano Canais Visão Prev 2 Visão Prev Entidade fechada

Leia mais

CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Ministério da Saúde ANS Resolução Normativa RN Nº. 279, de 24.11.2011: Dispõe sobre a regulamentação dos artigos 30 e 31 da Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, e revoga as Resoluções do CONSU Nº. 20 e

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA SRH Nº 2, DE 14 DE OUTUBRO DE 1998 Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005) INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005) Dispõe sobre plano de benefício de caráter previdenciário, Fapi e seguro de vida com cláusula de cobertura por sobrevivência e dá outras

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE DAS CARACTERÍSTICAS

REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE DAS CARACTERÍSTICAS REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE DAS CARACTERÍSTICAS Art. 1º. A Bradesco Vida e Previdência S.A., doravante denominada EAPC, institui o Plano de Pecúlio por Morte, estruturado no Regime

Leia mais

REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA. Regulamento do Plano de Benefícios 03 CNPB Nº. 20.000.025-11

REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA. Regulamento do Plano de Benefícios 03 CNPB Nº. 20.000.025-11 1/28 ÍNDICE CAPÍTULO I... 3 DO OBJETO... 3 CAPÍTULO II... 3 DOS MEMBROS... 3 SEÇÃO I... 3 DAS PATROCINADORAS... 3 SEÇÃO II... 3 DOS PARTICIPANTES... 3 SUBSEÇÃO I... 3 DA CARACTERIZAÇÃO... 3 SUBSEÇÃO II...

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS NOVAS REGRAS PARA ESCOLHA DE BENEFICIÁRIOS

PERGUNTAS E RESPOSTAS NOVAS REGRAS PARA ESCOLHA DE BENEFICIÁRIOS PERGUNTAS E RESPOSTAS NOVAS REGRAS PARA ESCOLHA DE BENEFICIÁRIOS 1 - O que é Beneficiário Indicado? Qualquer pessoa física indicada pelo Participante conforme definido no regulamento do Plano. 2 - O que

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a regulamentação dos artigos 30 e 31 da Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, e revoga as Resoluções do CONSU nºs 20 e 21, de 7 de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 13.183, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2015. Mensagem de veto Convertida da Medida Provisória nº 676, de 2015 Vigência Altera as Leis nº

Leia mais

art. 5º - Para efeito desde Regulamento, considera-se: II - indenização: valor devido aos beneficiários, em caso de sinistro;

art. 5º - Para efeito desde Regulamento, considera-se: II - indenização: valor devido aos beneficiários, em caso de sinistro; Assessoria Jurídica da Asscontas informa sobre as indenizações do pecúlio, seguro coletivo e seguro do cônjuge do Programa Estadual de Assistência ao Pecúlio dos Servidores do Estado de Minas Gerais: Muitos

Leia mais

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e,

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e, Introdução O Plano Prodemge Saldado está sendo criado a partir da cisão do Plano Prodemge RP5-II e faz parte da Estratégia Previdencial. Ele é uma das opções de migração para participantes e assistidos.

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO ÚNICO DA RGE CNPB 1979.0046-92 Aprovado pela Portaria nº 110 - DOU 03/03/2015 Capítulo I FINALIDADE

REGULAMENTO DO PLANO ÚNICO DA RGE CNPB 1979.0046-92 Aprovado pela Portaria nº 110 - DOU 03/03/2015 Capítulo I FINALIDADE Capítulo I FINALIDADE Artigo 1º Este Regulamento fixa as condições gerais e estabelece os princípios básicos dos direitos, deveres e benefícios da Patrocinadora, dos Participantes e seus Dependentes- Beneficiários

Leia mais

Plano CEBPREV Proposta de alteração regulamentar versão: novembro/2014

Plano CEBPREV Proposta de alteração regulamentar versão: novembro/2014 Plano CEBPREV Proposta de alteração regulamentar versão: novembro/2014 Texto atual Modificações Justificativa de alteração Glossário Contrato de Seguro : contrato a ser firmado formalmente entre a FACEB,

Leia mais

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DOU 23-09-2005 Altera dispositivos do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

Norma do Programa de Empréstimo Pessoal TECHNOS

Norma do Programa de Empréstimo Pessoal TECHNOS Norma do Programa de Empréstimo Pessoal TECHNOS SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA FINALIDADE...3 CAPÍTULO II - DOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS...3 CAPÍTULO III - DOS CRITÉRIOS PARA CONCESSÕES...4 CAPÍTULO IV - DOS

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV...

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... 7 CONHEÇA O PLANO DENTALUNIPREV... 8 PARTICIPANTES... 9 Participante

Leia mais

CAPEMISA SEGURADORA DE VIDA E PREVIDÊNCIA S/A Manual do Cliente VIP Resgatável Versão Mai./12

CAPEMISA SEGURADORA DE VIDA E PREVIDÊNCIA S/A Manual do Cliente VIP Resgatável Versão Mai./12 2 VIP RESGATÁVEL MANUAL DO CLIENTE Bem-vindo à CAPEMISA. Parabéns, você acaba de adquirir um produto garantido pela CAPEMISA Seguradora de Vida e Previdência S/A que protege a sua família, caso algum imprevisto

Leia mais

VERSÃO 2013 (*) Para facilitar o entendimento do contido neste Regulamento Interno, fica definido que:

VERSÃO 2013 (*) Para facilitar o entendimento do contido neste Regulamento Interno, fica definido que: REGULAMENTO INTERNO DO PLANO DE SAÚDE DA PATROCINADORA SERCOMTEL S.A. - TELECOMUNICAÇÕES, ADMINISTRADO PELA SUPRE (autorização pelo OFÍCIO Nº. 3141/SPC/COJ, DE 31/10/2000) 1. Da Finalidade VERSÃO 2013

Leia mais

HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO. Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev

HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO. Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev,

Leia mais

FAQ. Participante Ativo Alternativo

FAQ. Participante Ativo Alternativo FAQ Participante Ativo Alternativo O que mudou na Previdência do Servidor Público Federal? A previdência do servidor público passou por mudanças nos últimos anos a partir da emenda 41, da Constituição

Leia mais

NOVO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF

NOVO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF NOVO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SEÇÃO I DA FINALIDADE Art. 1º - O presente REGULAMENTO tem por finalidade estabelecer

Leia mais

MATERIAL EXPLICATIVO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO OABPREV-SP

MATERIAL EXPLICATIVO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO OABPREV-SP MATERIAL EXPLICATIVO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO OABPREV-SP OABPrev-SP O OABPrev-SP surgiu do anseio da categoria em oferecer um plano de previdência desenvolvido exclusivamente para

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA INSTITUTO GEIPREV DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do GEIPREV na 123ª reunião realizada em 27/11/2009. 1 SUMÁRIO

Leia mais

c Publicada no DOU de 16-12-2004.

c Publicada no DOU de 16-12-2004. LEI N o 10.999, de 15 DE DEZEMBRO DE 2004 Autoriza a revisão dos benefícios previdenciários concedidos com data de início posterior a fevereiro de 1994 e o pagamento dos valores atrasados nas condições

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO REGULAMENTOS DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO REGULAMENTOS DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS PROPOSTA DE ALTERAÇÃO REGULAMENTOS DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS DEZEMBRO/2014 1 PLANOS PREVIDENCIAIS - MONAF - PLANO I APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO E POR INVALIDEZ COM SUBSÍDIO POR MORTE PLANO I_I

Leia mais

Material Explicativo

Material Explicativo Material Explicativo Material Explicativo Índice Introdução 4 Sobre o Plano Previplan 5 Adesão 5 Benefícios do Plano 6 Entenda o Plano 7 Rentabilidade 8 Veja como funciona a Tributação 9 O que acontece

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO ÍNDICE

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO ÍNDICE REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO ÍNDICE CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º CAPÍTULO II Das Definições Art. 2º CAPÍTULO Art. 6º III Dos Participantes e Beneficiários Seção I Do Ingresso

Leia mais

NORMA DE FÉRIAS. RES. nº 1628/09. Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba

NORMA DE FÉRIAS. RES. nº 1628/09. Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba Vinculada ao Ministério da Integração Nacional - M I. nº 1628/09 FOR-101 1/5 S U M Á R I O 1 Objetivo, 2/5 2 Definição, 2/5 3 Competências,

Leia mais

CARTILHA PLANO CELPOS CD

CARTILHA PLANO CELPOS CD CARTILHA PLANO CELPOS CD ORIGINAL PLUS O QUE É O PLANO CELPOS CD? O Plano Misto I de Benefícios CELPOS CD é um plano de previdência complementar cujo benefício de aposentadoria programada é calculado de

Leia mais

ÍNDICE. BEM-VINDO AO PLANO CROprev 02 FALANDO A NOSSA LÍNGUA 03 CONHECENDO O PLANO 05 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 09 FORMAS DE CONTATO 11

ÍNDICE. BEM-VINDO AO PLANO CROprev 02 FALANDO A NOSSA LÍNGUA 03 CONHECENDO O PLANO 05 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 09 FORMAS DE CONTATO 11 ÍNDICE BEM-VINDO AO PLANO CROprev 02 FALANDO A NOSSA LÍNGUA 03 CONHECENDO O PLANO 05 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 09 FORMAS DE CONTATO 11 Versão: agosto 2008 BEM-VINDO AO PLANO CROprev O Plano de Previdência

Leia mais

Anexo I PRCD 003/2013 PROPOSTA DE ALTERAÇÕES NO REGULAMENTO DO PLANO B

Anexo I PRCD 003/2013 PROPOSTA DE ALTERAÇÕES NO REGULAMENTO DO PLANO B Anexo I PRCD 003/2013 PROPOSTA DE ALTERAÇÕES NO REGULAMENTO DO PLANO B DE PARA JUSTIFICATIVA Art. 11. Poderão ser habilitados como Beneficiários, mediante inscrição formal, a exclusivo critério do Participante

Leia mais