VERSÃO 2013 (*) Para facilitar o entendimento do contido neste Regulamento Interno, fica definido que:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VERSÃO 2013 (*) Para facilitar o entendimento do contido neste Regulamento Interno, fica definido que:"

Transcrição

1 REGULAMENTO INTERNO DO PLANO DE SAÚDE DA PATROCINADORA SERCOMTEL S.A. - TELECOMUNICAÇÕES, ADMINISTRADO PELA SUPRE (autorização pelo OFÍCIO Nº. 3141/SPC/COJ, DE 31/10/2000) 1. Da Finalidade VERSÃO 2013 (*) Este Regulamento Interno tem por objetivo estabelecer critérios básicos e orientar as partes em relação aos benefícios do Plano de Saúde da Patrocinadora SERCOMTEL S.A. - Telecomunicações plano coletivo empresarial, sem fins lucrativos, administrado pela SUPRE - Fundação de Suplementação Previdenciária através de contratação de Operadoras de Saúde devidamente inscritas na ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar. 2. Conceituação Para facilitar o entendimento do contido neste Regulamento Interno, fica definido que: 2.1. Patrocinadora: é a pessoa jurídica que, Patrocinadora de Plano Previdenciário da SUPRE, adere ao Plano de Saúde Participante Ativo: é o empregado da Patrocinadora, inscrito no Plano Previdenciário da SUPRE e no Plano de Saúde, que esteja em pleno exercício de suas atividades laborais ou em gozo de afastamentos legais, computados como tempo de serviço pela legislação previdenciária e demais disposições legais, e que recolha as contribuições determinadas no custeio Participante Autopatrocinado: é aquele que, deixando de ser Participante Ativo pelo rompimento do vínculo empregatício com a Patrocinadora, faz a opção pelo Instituto do Autopatrocínio, na forma prevista no Regulamento do Plano Previdenciário da SUPRE Participante Vinculado: é aquele que, deixando de ser Participante Ativo pelo rompimento do vínculo empregatício com a Patrocinadora, faz a opção pelo Instituto do Benefício Proporcional Diferido, na forma prevista no Regulamento do Plano Previdenciário da SUPRE Participante Assistido: é aquele que, deixando de ser Participante Ativo ou Autopatrocinado ou Vinculado, entra em gozo de benefício previdenciário de prestação continuada assegurado pela SUPRE Participante Pensionista Vitalício: é o Dependente que tenha a qualidade de Cônjuge ou Companheiro(a) de Participante falecido que entra em gozo de Renda Mensal de Pensão por Morte Dependente: é aquele que integra o grupo familiar do Participante, inscrito no Plano de Saúde, observada a classificação e comprovação de dependência constante no item 3 Dos Membros do Plano de Saúde, subitem Membro do Plano de Saúde: é aquele devidamente qualificado em Convênio específico firmado entre a SUPRE e a Patrocinadora e devidamente inscrito neste Plano de Saúde Operadora de Saúde: é a pessoa jurídica de direito privado, devidamente inscrita e sujeita às regulamentações da ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar, que oferece cobertura de serviços de saúde Comitê de Ética: grupo formalmente nomeado pelas Patrocinadoras, para análise de casos extraordinários. da SUPRE em 26/07/2013, em comum acordo com as Patrocinadoras - Redir de 24/07/2013. Página 1 de 8

2 3. Dos Membros do Plano de Saúde São membros do Plano de Saúde, desde que formalmente inscritos: 3.1. A Patrocinadora SERCOMTEL S.A. TELECOMUNICAÇÕES e a própria SUPRE, além de outras que possam vir a se filiar como tal Os Participantes classificados em Ativos, Autopatrocinados, Vinculados e Assistidos, incluídos os Pensionistas Vitalícios A condição de membro do Plano de Saúde estará vinculada aos critérios estabelecidos em Convênio específico, firmado entre a SUPRE e a Patrocinadora, que poderá ser revisado e alterado sempre que necessário Os Dependentes, comprovada esta condição, e observado o subitem 10.8, classificados em: a. Cônjuge; b. Companheiro(a), na forma da lei; c. Filho(a) solteiro menor de 21 (vinte e um) anos, e o inválido de qualquer idade; d. Enteado, menor sob guarda por força judicial e menor tutelado, que ficam equiparados ao filho, enquanto solteiro e menor de 21 (vinte e um) anos; Será considerado inválido o filho incapaz de exercer atividade que lhe garanta a subsistência, enquanto perdurar esta condição O enteado, menor sob guarda e menor tutelado será equiparado ao filho, desde que viva exclusivamente sob a dependência econômica do Participante, enquanto durar esta condição A condição de dependência econômica poderá ser definida por Ato Normativo do Conselho Deliberativo da SUPRE, em conjunto com as Patrocinadoras A inclusão de dependente poderá ser precedida de análise e aprovação pelo Comitê de Ética do Plano de Saúde A manutenção da condição de Dependente estará vinculada à comprovação de dependência por meio da apresentação de documentos, podendo ser verificada periodicamente pelas Patrocinadoras e/ou pela SUPRE: a. Cônjuge: certidão de casamento. b. Companheiro(a): Escritura Pública de Vida em Comum. c. Filhos: certidão de nascimento. c.1. Filhos inválidos maiores de 21 (vinte e um) anos: certidão de nascimento e atestado de invalidez expedido pelo Regime Geral de Previdência Social, podendo ser verificado por corpo clínico indicado pela SUPRE, em conjunto com as Patrocinadoras, mediante convocação do inválido para a realização de exame médico. d. Enteado, menor sob guarda e menor tutelado: documento judicial em nome do Participante Titular. da SUPRE em 26/07/2013, em comum acordo com as Patrocinadoras - Redir de 24/07/2013. Página 2 de 8

3 4. Da Inscrição A inscrição dos membros no Plano de Saúde dar-se-á da seguinte forma: 4.1. Patrocinadora: através da assinatura de Convênio de Adesão Participante e seus Dependentes: através do deferimento de requerimento escrito, em modelo impresso fornecido pela SUPRE, ao qual devem ser anexados os documentos comprobatórios A forma de inscrição do Participante e de seus Dependentes poderá ficar condicionada a exame médico, e, se for o caso, sujeito ao cumprimento de carências previstas pelas operadoras contratadas O empregado que se filiar ao Plano de Saúde após 30 (trinta) dias da data de admissão na Patrocinadora, estará sujeito ao cumprimento de carências previstas pelas operadoras contratadas A inscrição do Participante e de seus Dependentes no Plano de Saúde é requisito indispensável à obtenção de qualquer serviço contratado O Participante é obrigado a comunicar a SUPRE, no prazo de até 30 (trinta) dias de sua ocorrência, qualquer alteração nas declarações prestadas por ocasião da sua inscrição e a dos seus Dependentes, sob pena de suspensão da utilização dos serviços enquanto perdurar a irregularidade. 5. Do Cancelamento O cancelamento da inscrição dos membros do Plano de Saúde dar-se-á nas seguintes condições: 5.1. Patrocinadora: mediante requerimento do seu desligamento, na forma da legislação vigente, observado o item 10 Das Disposições Gerais e Transitórias Participante: a. Quando vier a falecer; b. Quando requerer; c. Quando perder o vínculo empregatício com a Patrocinadora e com o Plano Previdenciário da SUPRE; d. Quando deixar de pagar as contribuições a que estiver obrigado, observado o item 8 Do Custeio Dependente: deixar de cumprir as condições de dependência prevista neste Regulamento Interno O Dependente que tenha a qualidade de Cônjuge ou Companheiro(a) do Participante falecido, que já estiver inscrito no Plano de Saúde, não terá sua respectiva inscrição cancelada caso tenha o direito de receber o Benefício de Renda Mensal de Pensão por Morte, previsto pelo Regulamento do Plano Previdenciário O cancelamento da inscrição do Participante importará na imediata perda dos direitos inerentes a essa qualidade e no cancelamento automático da inscrição dos respectivos Dependentes, independentemente de qualquer aviso ou notificação. da SUPRE em 26/07/2013, em comum acordo com as Patrocinadoras - Redir de 24/07/2013. Página 3 de 8

4 Estando o Participante ou um de seus Dependentes internado em ambiente hospitalar ou similar por ocasião do cancelamento da inscrição, o referido cancelamento ficará automaticamente postergado até a data da alta hospitalar, período em que a Patrocinadora e o Participante ficam obrigados a manterem as suas contribuições, mensais e de coparticipação, previstas no custeio. 6. Das Coberturas Contratadas A SUPRE administrará os contratos firmados junto às operadoras de saúde, devidamente inscritas na ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar, abrangendo as coberturas de atendimento abaixo: a. Ambulatorial; b. Hospitalar com Obstetrícia; c. Odontologia A SUPRE, em conjunto com a Patrocinadora, intermediará a inclusão e a exclusão dos usuários do Plano de Saúde Os procedimentos cobertos e não cobertos, em cada segmentação, estão delimitados nos planos registrados junto à ANS pela operadora de saúde e contemplados em contrato firmado com a SUPRE É necessária a apresentação do cartão de identificação do Participante e/ou do Dependente, fornecido pelas operadoras, além de um documento oficial de identidade ou outros que venham a ser instituídos, para a utilização dos serviços cobertos: a. Consultas: serão realizadas no local de atendimento dos profissionais relacionados nos Guias fornecidos pelas operadoras, ou nos serviços de emergências credenciados ou conveniados; b. Atendimentos clínicos, cirúrgicos e ambulatoriais: serão prestados em consultórios, clínicas, serviços ou hospitais credenciados ou conveniados; c. Exames complementares e serviços auxiliares: serão prestados através da rede credenciada ou conveniada, mediante solicitação do médico assistente A área geográfica de atendimento abrange o Município de Londrina, além daqueles que fazem parte da rede credenciada, disponibilizada pelas operadoras. Procedimentos de urgência e emergência realizados em outras localidades serão tratados via sistema de reembolso pela própria operadora de saúde Os casos de internação hospitalar serão atendidos em acomodação enfermaria, de no máximo 2 (dois) leitos Ao Participante será dada a opção para a contratação de Plano Nacional, desde que os custos adicionais sejam suportados pelo requerente da mudança do grupo familiar para esta modalidade Nos casos de transferência do Participante Ativo para outras localidades, a diferença de custo do Plano Nacional será arcada pela Patrocinadora. da SUPRE em 26/07/2013, em comum acordo com as Patrocinadoras - Redir de 24/07/2013. Página 4 de 8

5 7. Das Condições de Reembolso Nos casos exclusivos de atendimento de urgência ou emergência dentro do Território Nacional, quando comprovadamente não for possível a utilização de serviços credenciados, contratados ou conveniados, será assegurado pelas operadoras de saúde o reembolso das despesas efetuadas pelo Participante ou Dependente regularmente inscrito, cobertas pelo Plano contratado O reembolso, no que se refere a honorário, diária e taxa hospitalar, será efetuado de acordo com o limite previsto nas tabelas utilizadas para remuneração dos serviços executados pela rede credenciada, contratada ou conveniada. No que se refere aos materiais e medicamentos, será utilizado o preço médio de mercado O prazo máximo para quitação do reembolso é de 30 (trinta) dias após a solicitação, e estará condicionada a apresentação dos seguintes documentos originais, que posteriormente serão devolvidos: a. Requerimento preenchido e assinado pelo Participante; b. Relatório do profissional que realizou o atendimento, declarando nome do paciente, código de identificação, tratamento efetuado, data, tempo de permanência no hospital e data da alta hospitalar, quando aplicável; c. Conta hospitalar discriminando materiais e medicamentos consumidos, com preço por unidade, juntamente com notas fiscais, faturas ou recibos do hospital; d. Recibos individualizados de honorários dos profissionais que realizaram o atendimento (médicos assistentes, dentistas, auxiliares e/ou outros), discriminando funções e o evento a que se referem e, se for o caso, a duração do ato anestésico; e. Comprovantes relativos aos serviços de exames laboratoriais, de radiodiagnósticos e serviços auxiliares, acompanhados do pedido do profissional assistente; f. Dados completos dos profissionais, clínicas e hospitais com nome ou razão social, endereço, telefone, CNPJ ou CPF, bem como o número de registro no Conselho Regional de sua especialidade. 8. Do Custeio O Custeio do Plano de Saúde será revisado periodicamente e ajustado sempre que necessário, por recomendação da Diretoria Executiva da SUPRE, em conjunto com representantes indicados pelas Patrocinadoras, passando a vigorar a partir da aprovação pelo Conselho Deliberativo da Fundação. O Plano de Saúde será custeado pelas seguintes fontes de receita: I. Contribuições mensais dos Participantes, relativas a mensalidades, coparticipação e/ou fator moderador; II. Contribuições mensais das Patrocinadoras, relativas a mensalidades e/ou coparticipação; III. Dotações extraordinárias dos Participantes, realizadas nas condições permitidas pela legislação vigente; IV. Dotações extraordinárias das Patrocinadoras, realizadas nas condições permitidas pela legislação vigente; da SUPRE em 26/07/2013, em comum acordo com as Patrocinadoras - Redir de 24/07/2013. Página 5 de 8

6 V. Rendimentos das aplicações das contribuições relacionadas nos incisos antecedentes O Plano de Custeio será definido em Convênio específico, firmado entre a SUPRE e a Patrocinadora, que contemplará a distribuição da responsabilidade pelo pagamento dos valores das mensalidades e os originados pela utilização do Plano de Saúde, podendo o critério de subsídio pelas Patrocinadoras e o percentual de coparticipação do usuário ser distinto entre as classes de Participantes O referido Convênio entre a SUPRE e a Patrocinadora deverá especificar as classes de Participantes e dependentes contemplados, os critérios de cálculo das mensalidades e coparticipação na utilização, bem como a forma do repasse dos valores destinados ao custeio do Plano de Saúde, tanto os de responsabilidade dos Participantes quanto os de responsabilidade das Patrocinadoras Os valores de responsabilidade dos Participantes Ativos deverão ser descontados em folha de pagamento da Patrocinadora; Os valores de responsabilidade dos Participantes Assistidos e Pensionistas Vitalícios deverão ser descontados em folha de benefícios da SUPRE; Valores que por qualquer motivo não puderem ser descontados em folha de pagamento ou de benefícios, deverão ser recolhidos, dentro do prazo Regulamentar, diretamente à SUPRE Sobre as contribuições mensais recebidas dos Participantes e Patrocinadoras, por sugestão da Diretoria Executiva, o Conselho Deliberativo poderá fixar taxa administrativa para a constituição de um Fundo Administrativo, com a finalidade de fazer frente às despesas necessárias à administração do Plano As contribuições mensais de responsabilidade direta do Participante deverão ser pagas até o 5º (quinto) dia útil do mês seguinte àquele a que se referirem. Ocorrendo impontualidade no pagamento, serão cobrados juros de mora de 1% (um por cento) ao mês, até a data de sua quitação, além de multa de 2% (dois por cento) incidente sobre o valor do débito atualizado O atraso no pagamento das contribuições devidas diretamente pelo Participante para o Plano de Saúde por período superior a 60 (sessenta) dias, consecutivos ou não, nos últimos 12 (doze) meses, poderá implicar na suspensão total dos atendimentos, independente de notificação, até a efetiva liquidação do débito, acrescido dos juros, correção, multa e demais custas, se for o caso As contribuições mensais de responsabilidade da Patrocinadora deverão ser pagas até o 10º (décimo) dia do mês a que se referir a prestação do serviço. O atraso no pagamento sujeitará a Patrocinadora ao pagamento de juros de mora de 1% (um por cento) ao mês, até a data de sua quitação, além de multa de 2% (dois por cento) incidente sobre o valor do débito atualizado As contribuições dos Participantes e das Patrocinadoras para o Plano de Saúde serão repassadas a SUPRE, que efetuará os investimentos e contabilizará, em contas próprias, todos os valores e rendimentos obtidos, o que será utilizado para garantir o pagamento dos serviços contratados e demais despesas administrativas do plano Fica assegurado que, sob nenhuma hipótese, o custeio do Plano de Saúde será combinado com outros Planos administrados pela SUPRE e que a sua contabilização e o seu patrimônio serão mantidos em separado em relação a Planos Previdenciários. da SUPRE em 26/07/2013, em comum acordo com as Patrocinadoras - Redir de 24/07/2013. Página 6 de 8

7 8.9. Eventuais insuficiências que venham a ser verificadas no Plano de Saúde será objeto de análise pela SUPRE, podendo ser embasada em parecer atuarial e decisão do Conselho Deliberativo, quando for o caso, e serem assumidas pelos Participantes e/ou pelas Patrocinadoras. 9. Das Alterações do Regulamento Interno do Plano de Saúde Este Regulamento poderá ser revisado e alterado sempre que houver alterações de cenário ou legislação que afetem o seu conteúdo ou a sua aplicabilidade, por deliberação do Conselho Deliberativo da SUPRE, em comum acordo com as Patrocinadoras, observadas as normas e a legislação aplicáveis à matéria. 10. Das Disposições Gerais e Transitórias Caso a Patrocinadora seja objeto de fusão, cisão, transformação, incorporação ou retirada de patrocínio, as obrigações por ela assumidas para com a SUPRE, decorrentes do Estatuto, de Convênios, deste Regulamento Interno e das disposições legais aplicáveis, serão assumidas pela empresa sucessora, que ficará responsável por todos os encargos e direitos derivados da condição de Patrocinadora, sem solução de continuidade Na hipótese de liquidação do Plano de Saúde deverão ser observadas as disposições legais vigentes O Conselho Deliberativo da SUPRE, com base em parecer atuarial, poderá fixar contribuições especiais por conta das Patrocinadoras ou dos Participantes, ou de ambos, destinadas a coberturas de contas correntes e/ou Fundos com insuficiência de recursos Excetuando-se casos de cobranças indevidas, as contribuições vertidas pelas Patrocinadoras e pelos Participantes, devido à forma de custeio e regime financeiro adotado, não serão devolvidas sob nenhuma hipótese O Patrimônio, formado pelas receitas e despesas destinadas ao Plano de Saúde, deverá ser mantido separadamente em relação ao Patrimônio de Planos Previdenciários da SUPRE Para fins de aplicações financeiras, os recursos do Plano de Saúde poderão ser combinados com os de outros Planos da SUPRE, desde que as receitas e despesas financeiras oriundas dos investimentos realizados sejam contabilizadas, separadamente, na proporção dos recursos aplicados Uma vez cumpridas as condições de inscrição como Participante ou Dependente previstas nesse Regulamento, não serão exigidas carências adicionais àquelas previstas nos contratos firmados com as operadoras de saúde Os pais de colaboradores solteiros, incluídos no Plano de Saúde em data anterior a 28/08/2008, data de aprovação da Versão 2008 deste Regulamento Interno, permanecerão no Plano enquanto persistirem nesta condição, sendo vedadas novas inclusões Na data de aprovação deste Regulamento Interno, estão enquadrados como membros do Plano de Saúde, conforme cláusulas deste Regulamento e do Convênio assinado entre as partes, enquanto vigente: O Participante Ativo, seu Cônjuge e seus Filhos e equiparados, menores de 21 anos ou inválidos de qualquer idade. da SUPRE em 26/07/2013, em comum acordo com as Patrocinadoras - Redir de 24/07/2013. Página 7 de 8

8 No Plano Médico cabe ao Participante Ativo o custeio de parte da mensalidade, em valor equivalente a 0,80% da remuneração para o titular, até o limite do custo da mensalidade por vida, mais 0,30% da remuneração por dependente, até o limite do custo da mensalidade por vida, e pelo custeio de 100% da coparticipação na utilização No Plano Odontológico cabe ao Participante Ativo o custeio de 25% do custo da mensalidade por vida O Participante quando em uma das seguintes situações: O Participante Assistido e seu Cônjuge, e o Cônjuge Pensionista Convênio apenas para o Plano Médico cabe ao Participante Assistido e ao Cônjuge Pensionista o custeio de parte da mensalidade em valor equivalente a 7,5% (sete vírgula cinco por cento) da Renda Mensal Vitalícia pela SUPRE, por vida, até o limite do custo da mensalidade por vida O Participante Autopatrocinado e o seu Cônjuge, e o Participante Vinculado e o seu Cônjuge, desde que o Participante esteja aposentado pelo INSS dentro do prazo de 30 (trinta) dias a contar do desligamento da Patrocinadora Convênio apenas para o Plano Médico cabe ao Participante Autopatrocinado e ao Participante Vinculado o custeio de parte da mensalidade em valor equivalente a 7,5% (sete vírgula cinco por cento) da Renda Mensal Vitalícia Estimada a que teria direito pela SUPRE, por vida, até o limite do custo da mensalidade por vida Os Agregados inscritos no Plano Indiretos da operadora do plano médico, conforme critérios estabelecidos no plano registrado junto à ANS, mantidos em contratos individuais entre o Participante e a operadora Para os demais dependentes, caberá a contratação de plano diretamente com as operadoras Periodicamente a SUPRE poderá solicitar documentos e/ou informações aos Participantes e Dependentes, visando manter o Cadastro do Plano atualizado. A Diretoria Executiva poderá deliberar a suspensão do uso dos serviços, caso haja sonegação das informações solicitadas e/ou a constatação de irregularidades O presente Regulamento Interno será disponibilizado aos Participantes por meio eletrônico, na página da SUPRE, ou impresso, mediante solicitação Os casos omissos e controversos serão submetidos à apreciação do Conselho Deliberativo Este Regulamento Interno entrará em vigor após sua aprovação pelo Conselho Deliberativo da SUPRE, em comum acordo com as Patrocinadoras. da SUPRE em 26/07/2013, em comum acordo com as Patrocinadoras - Redir de 24/07/2013. Página 8 de 8

PORTARIA Nº 4.896, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2005. (Republicação) (Texto compilado com as alterações da Portaria nº 2.592/2015)

PORTARIA Nº 4.896, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2005. (Republicação) (Texto compilado com as alterações da Portaria nº 2.592/2015) PORTARIA Nº 4.896, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2005. (Republicação) (Texto compilado com as alterações da Portaria nº 2.592/2015) Institui, no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, o Programa

Leia mais

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS Este aditivo é parte integrante do Seguro Saúde contratado pelo Estipulante abaixo indicado, bem como de suas Condições Gerais. Número

Leia mais

SULAMÉRICA TRT 2ª REGIÃO / SP

SULAMÉRICA TRT 2ª REGIÃO / SP SULAMÉRICA TRT 2ª REGIÃO / SP 1. OBJETO: 1.1. A presente proposta tem por objeto disponibilizar seguros saúde da Sul América Seguros Saúde S.A., operadora registrada na Agência Nacional de Saúde Suplementar

Leia mais

R E S O L V E: Art. 2º Os beneficiários do Plano de Saúde classificam-se em titulares e dependentes.

R E S O L V E: Art. 2º Os beneficiários do Plano de Saúde classificam-se em titulares e dependentes. PORTARIA TRT Nº. 4.896, de 17 de novembro de 2005. Institui, no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, o Programa de Assistência Médica Hospitalar e Ambulatorial. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV.

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. Sumário Capítulo I Da finalidade...1 Capítulo II - Dos contratantes...1 Capítulo III - Dos limites individuais...2 Capítulo IV -

Leia mais

Apresentação. Prezado beneficiário,

Apresentação. Prezado beneficiário, LANOIII Apresentação Prezado beneficiário, Visando dar continuidade à prestação dos melhores serviços em saúde e promover uma melhor qualidade de vida ao beneficiário, a CompesaPrev apresenta o CompesaSaúde

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da Boticário Prev, dos Participantes e Assistidos, para a concessão

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA Secretaria Geral de Governo

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA Secretaria Geral de Governo Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA Secretaria Geral de Governo DECRETO EXECUTIVO Nº 593/02, DE 31.12.2002. NORMATIZA A ADESÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS AOS PLANOS DE

Leia mais

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001/2009 DIREH, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001/2009 DIREH, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001/2009 DIREH, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 Dispõe sobre os procedimentos a serem adotados para o ressarcimento, mediante auxílio

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES... 2 2. FINALIDADE... 3 3. DESTINATÁRIOS... 3 4. DOCUMENTAÇÃO... 4 5. VALOR MÁXIMO E MÍNIMO... 5 6. PRAZOS... 5 7. ENCARGOS E ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA... 6 8. GARANTIAS... 7 9. CONDIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO Rev. 01 Data: 21/05/2014 Página 1 de 8 CAPÍTULO I DEFINIÇÕES Art. 1º - Para fins de aplicação deste Regulamento, o masculino incluirá o feminino e o singular incluirá o plural, a menos que o contexto indique

Leia mais

CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Ministério da Saúde ANS Resolução Normativa RN Nº. 279, de 24.11.2011: Dispõe sobre a regulamentação dos artigos 30 e 31 da Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, e revoga as Resoluções do CONSU Nº. 20 e

Leia mais

www.santahelenasuade.com.brmecanismos de

www.santahelenasuade.com.brmecanismos de 1 www.santahelenasuade.com.brmecanismos de Regulação 2 A CONTRATADA colocará à disposição dos beneficiários do Plano Privado de Assistência à Saúde, a que alude o Contrato, para a cobertura assistencial

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL 1. FINALIDADE 1.1. Este Regulamento tem por finalidade disciplinar as concessões de empréstimos aos Participantes do Plano de Benefícios JMalucelli, administrado pelo

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA INSTITUTO GEIPREV DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do GEIPREV na 123ª reunião realizada em 27/11/2009. 1 SUMÁRIO

Leia mais

PLANO DE SAÚDE DO SERVIDOR CASU/UFMG INFORMAÇÕES PARA OS DOCENTES SOBRE O PROCESSO DE ADESÃO AO PLANO IFES III

PLANO DE SAÚDE DO SERVIDOR CASU/UFMG INFORMAÇÕES PARA OS DOCENTES SOBRE O PROCESSO DE ADESÃO AO PLANO IFES III PLANO DE SAÚDE DO SERVIDOR CASU/UFMG INFORMAÇÕES PARA OS DOCENTES SOBRE O PROCESSO DE ADESÃO AO PLANO IFES III Com esta mensagem, a Pró-Reitoria de Recursos Humanos da Universidade Federal de Minas Gerais

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA Aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC, por meio da Portaria Nº 509, de 27

Leia mais

Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social

Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social PÁGINA 1 SUMÁRIO PÁGINA TÍTULO I Dos Planos de Previdência Complementar...04

Leia mais

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico.

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico. Apresentação Este é o MANUAL DO PARTICIPANTE da PRECE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, material explicativo que descreve, em linguagem simples e precisa, as características gerais do Plano CD, com o objetivo

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 279 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a regulamentação dos artigos 30 e 31 da Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, e revoga as Resoluções do CONSU nºs 20 e 21, de 7 de

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES - CV

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES - CV SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES... 2 2. FINALIDADE... 3 3. DESTINATÁRIOS... 3 4. DOCUMENTAÇÃO... 4 5. VALOR MÁXIMO... 4 6. PRAZOS... 4 7. ENCARGOS E ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA... 5 8. GARANTIAS... 5 9. CONDIÇÕES GERAIS...

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS Resolução nº 201/1989 Consolida a legislação que criou o Plano de Assistência Médica Suplementar. O Presidente do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

PLANO DE SAÚDE CMBH INFORMAÇÕES AOS SERVIDORES

PLANO DE SAÚDE CMBH INFORMAÇÕES AOS SERVIDORES PLANO DE SAÚDE CMBH INFORMAÇÕES AOS SERVIDORES Até 2004 - assistência aos servidores por profissionais de saúde da CMBH Após 2004 - assistência aos servidores através do convênio com a BEPREM Lei 10107/2011

Leia mais

O BENEFICIÁRIO opta por aderir, juntamente com seus respectivos dependentes, ao Plano de Saúde:

O BENEFICIÁRIO opta por aderir, juntamente com seus respectivos dependentes, ao Plano de Saúde: ESTIPULANTE: VIVA ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS, inscrita no CNPJ nº 12.149.094/0001-44, com sede à Rua Dom Jaime Câmara, 66, salas 603 e 604, Centro, Florianópolis (SC), SUB-ESTIPULANTE: SINDICATO DOS

Leia mais

Regulamento do Plano de Empréstimo. Aprovado em 01 de Janeiro de 2015

Regulamento do Plano de Empréstimo. Aprovado em 01 de Janeiro de 2015 Regulamento do Plano de Empréstimo 2015 Aprovado em 01 de Janeiro de 2015 1. Dos Objetivos a) Estabelecer os direitos e obrigações da Previplan - Sociedade de Previdência Privada (aqui designada como Sociedade

Leia mais

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e,

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e, Introdução O Plano Prodemge Saldado está sendo criado a partir da cisão do Plano Prodemge RP5-II e faz parte da Estratégia Previdencial. Ele é uma das opções de migração para participantes e assistidos.

Leia mais

PORTO SEGURO SEGURO SAÚDE

PORTO SEGURO SEGURO SAÚDE Prezados Senhores, Em 25/11/2011, a Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS publicou a Resolução Normativa nº 279, a qual regulamenta os artigos 30 e 31 da Lei 9656/98, tendo revogado as Resoluções

Leia mais

Regulamento de Empréstimo

Regulamento de Empréstimo Regulamento $ de Empréstimo Para participantes do Plano Complementar de Benefícios Previdenciais - Plano BD $ Fundação de Previdência dos Empregados da CEB Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO PORTARIA Nº 4.247, DE 04 DE AGOSTO DE 2015. Dispõe sobre o Programa de Assistência Médica, Ambulatorial e Hospitalar no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS PLANOS DE ASSISTÊNCIA MÉDICO-HOSPITALAR E DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA CONTRATADOS PELA ASTCERJ A utilização dos Planos de Assistência Médico-Hospitalar e de Assistência Odontológica

Leia mais

CAIXA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA AOS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ S/A.

CAIXA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA AOS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ S/A. ÍNDICE GERAL GLOSSÁRIO...4 CAPÍTULO I OBJETIVO...6 CAPÍTULO II MEMBROS DO PREV-RENDA...6 SEÇÃO I PATROCINADORES...6 SEÇÃO II PARTICIPANTES...7 SEÇÃO III BENEFICIÁRIOS...7 SEÇÃO IV ASSISTIDOS...8 CAPÍTULO

Leia mais

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 Viçosa Minas Gerais Fevereiro/2008 Índice Página Glossário - Capítulo II Das Definições... 3 Nome do Plano de Benefícios

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLUÇÃO Nº 01/99 NORMAS DE ARRECADAÇÃO DIRETA MEDIANTE CONVÊNIO, alterações, aprova A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS Contrato que entre si fazem, na melhor forma de direito, de um lado( nome da operadora), com sede na rua..., n o...,bairro..., em(nome da cidade), (Estado), inscrita

Leia mais

REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA. Regulamento de Empréstimos Plano CV- 03

REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA. Regulamento de Empréstimos Plano CV- 03 1/6 TÍTULO: CLASSIFICAÇÃO: REFERENCIAL NORMATIVO: ASSUNTO: GESTOR: ELABORADOR: APROVAÇÃO: Documento Executivo Resolução CMN nº 3456/2007 PO-GEREL-002_Solicitação de Empréstimo Estabelece as regras para

Leia mais

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000.

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. Institui o Plano de Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Municipais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS decreto e eu sanciono

Leia mais

Cartilha de Extensão de Benefício do Plano Empresarial aos Beneficiários.

Cartilha de Extensão de Benefício do Plano Empresarial aos Beneficiários. Cartilha de Extensão de Benefício do Plano Empresarial aos Beneficiários. Contributários demitidos ou exonerados sem justa causa e/ou aposentados. www.saolucassaude.com.br 01_ DIREITOS E DEVERES DO BENEFICIÁRIO

Leia mais

TERMO DE ADESÃO AO GEAP-REFERÊNCIA

TERMO DE ADESÃO AO GEAP-REFERÊNCIA (uso da GEAP) 1. DADOS PESSOAIS DO TITULAR Nome Data de Nasc. / / Nome da mãe RG nº Órgão expedidor Data de Emissão / / CPF Sexo: Masc. Fem. PIS/PASEP CNS Estado Civil Declaração de nascido vivo nº Endereço

Leia mais

Manual de Reembolso. Para ter acesso a este benefício, fique atento às dicas a seguir. 2ª edição

Manual de Reembolso. Para ter acesso a este benefício, fique atento às dicas a seguir. 2ª edição Manual de Reembolso 2ª edição Você sabia que quando não utiliza os serviços da rede credenciada do Agros, seja por estar fora da área de cobertura do plano de saúde ou por opção, pode solicitar o reembolso

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO GEAPFamília PARTICIPANTE

CONTRATO DE ADESÃO GEAPFamília PARTICIPANTE CONTRATO DE ADESÃO GEAPFamília PARTICIPANTE Contrato de adesão nº A GEAP Autogestão em Saúde, Fundação com personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, qualificada juridicamente como

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

DENOMINAÇÃO NATUREZA SEDE OBJETO DURAÇÃO

DENOMINAÇÃO NATUREZA SEDE OBJETO DURAÇÃO DENOMINAÇÃO NATUREZA SEDE OBJETO DURAÇÃO A Caixa de Assistência dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Estado do Espírito Santo é pessoa jurídica de direito privado, constituída em Assembleia Geral

Leia mais

TERMO DE ADESÃO AO CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE UNIMED CASCAVEL Nº 155/13

TERMO DE ADESÃO AO CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE UNIMED CASCAVEL Nº 155/13 TERMO DE ADESÃO AO CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE UNIMED CASCAVEL Nº 155/1 ADERENTE: CNPJ: Endereço: CEP: Cidade: UF: Representante legal: CPF: RG: Endereço: CEP: Cidade: CLÁUSULA PRIMEIRA: A ADERENTE, doravante

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante Benefício definido (Eletra 01) BENEFICIO DEFINIDO Cartilha do Participante Introdução A ELETRA Fundação Celg de Seguros e Previdência é uma entidade fechada de previdência privada, de fins previdenciários

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA Capítulo I Da Finalidade Artigo 1 - O presente Regulamento de Empréstimo Pessoal, doravante denominado Regulamento, tem por finalidade definir normas

Leia mais

CONVÊNIO DE RECIPROCIDADE E COOPERAÇÃO TÉCNICA OFERTA DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLÓGICA

CONVÊNIO DE RECIPROCIDADE E COOPERAÇÃO TÉCNICA OFERTA DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLÓGICA CONVÊNIO DE RECIPROCIDADE E COOPERAÇÃO TÉCNICA OFERTA DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLÓGICA BELO DENTE FAMILIAR E INDIVIDUAL Registro Produto nº. 455.668/06-2. SINCOR-MG, Sindicato dos Corretores

Leia mais

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada.

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. Adesão Característica do contrato de previdência privada, relativa ao ato do proponente aderir ao plano de previdência. Administradores

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Mês de Vigência Taxa de Juros 1º 0,65% a.m. 2º ao 12º 0,45% a.m.

CONDIÇÕES GERAIS. Mês de Vigência Taxa de Juros 1º 0,65% a.m. 2º ao 12º 0,45% a.m. PLIN FIDELIDADE MODALIDADE TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.003764/2008-28 CONDIÇÕES GERAIS GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso

Leia mais

Revisado em 15/08/2011

Revisado em 15/08/2011 CARTILHA DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 Revisado em 15/08/2011 Esta cartilha foi estruturada com perguntas e respostas para apresentar e esclarecer aos Participantes as informações

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA

TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA 1- Objeto da Licitação: Prestação de serviço para contratação de seguro de vida em grupo para os empregados da Empresa Municipal de Informática S.A - IplanRio, visando

Leia mais

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF ELETRA - FUNDAÇÃO CELG DE SEGUROS E PREVIDÊNCIA www.eletra.org.br - versão: 05/2015 12.08.2015 - pág.: 1 PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) ( ) ATIVO ( ) APOSENTADO

Leia mais

TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS JAN/10 TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS O presente aditamento é parte integrante do Contrato de Assistência Médica

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS SIMPLES. 1.1 Estabelecer as diretrizes para a concessão de empréstimo simples.

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS SIMPLES. 1.1 Estabelecer as diretrizes para a concessão de empréstimo simples. REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS SIMPLES 1 OBJETIVO 1.1 Estabelecer as diretrizes para a concessão de empréstimo simples. 2 CONCESSÃO 2.1 O empréstimo simples poderá ser concedido exclusivamente

Leia mais

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC)

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) O texto deste Contrato foi submetido à aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, estando sujeito a

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX. FGTS Débitos Dos Empregadores Regularização Procedimentos

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX. FGTS Débitos Dos Empregadores Regularização Procedimentos VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX Orientador Empresarial FGTS Débitos Dos Empregadores Regularização Procedimentos CIRCULAR CAIXA Nº 351, DE 04 DE ABRIL DE 2005 - DOU

Leia mais

INFORMATIVO DA SUBGERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL SOBRE MUDANÇAS NO PLANSERV

INFORMATIVO DA SUBGERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL SOBRE MUDANÇAS NO PLANSERV Universidade Estadual de Feira de Santana Autorizada pelo Decreto Federal n.º 77.496 de 27/04/76 Reconhecida pela Portaria Ministerial n.º 874/86 de 19/12/86 INFORMATIVO DA SUBGERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS Contrato que entre si fazem, na melhor forma de direito, de um lado( nome da operadora), com sede na rua..., n o...,bairro..., em(nome da cidade), (Estado), inscrita

Leia mais

TABELA DE CUSTOS ODONTOLÓGICO 93,75 16,29

TABELA DE CUSTOS ODONTOLÓGICO 93,75 16,29 TABELA DE CUSTOS ODONTOLÓGICO ODONTOLÓGICO PME + SAÚDE PME (NOVOS CLIENTES) ODONTOLÓGICO PME - CONTRATANDO SOMENTE O PLANO ODONTOLÓGICO 14,81 23,05 43,92 93,75 16,29 25,35 48,31 103,13 Saúde PME: O Valor

Leia mais

CONVÊNIO DE ADESÃO QUE CELEBRAM

CONVÊNIO DE ADESÃO QUE CELEBRAM Aprovado pela Portaria DITEC/PREVIC/MPS nº 44, de 31 de janeiro de 2013. (publicada no DOU nº 24, de 04 de fevereiro de 2013, Seção 1, Página 50) CONVÊNIO DE ADESÃO QUE CELEBRAM A UNIÃO E A FUNDAÇÃO DE

Leia mais

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA!

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! Prezado participante, 2 Brasil Foods Sociedade de Previdência Privada Cartilha Plano III Um dos grandes objetivos da política de recursos humanos de

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE - PAS/SERPRO PERGUNTAS E RESPOSTAS Para que todos os empregados possam ter suas dúvidas esclarecidas, os questionamentos recebidos pela Comissão Saúde serão respondidos

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP MEGA SONHOS. (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009)

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP MEGA SONHOS. (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP MEGA SONHOS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 636 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A.

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 636 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 636 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.901295/2014-52 II - GLOSSÁRIO Subscritor

Leia mais

Art. 2º - Aprovar o Regulamento Geral do Programa de Assistência à Saúde dos Servidores do Detran/DF, que acompanha esta Instrução de Serviço.

Art. 2º - Aprovar o Regulamento Geral do Programa de Assistência à Saúde dos Servidores do Detran/DF, que acompanha esta Instrução de Serviço. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ INSTRUÇÃO Nº 12, DE 21 DE JANEIRO 2008 Cria o Programa de Assistência à Saúde dos Servidores do Departamento de Trânsito do Distrito Federal

Leia mais

TERMO DE ADESÃO A CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. Associado: Endereço: CNPJ: Inscrição Estadual: Representante legal:

TERMO DE ADESÃO A CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. Associado: Endereço: CNPJ: Inscrição Estadual: Representante legal: TERMO DE ADESÃO A CONTRATO DE OPERAÇÃO DE PLANO PRIVADO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Associado: Endereço: CNPJ: Inscrição Estadual: CEP: Telefone: Representante legal: RG: CPF: 1. Por este termo, o associado

Leia mais

Cartilha de Extensão de Benefício do. Beneficiários Contributários Demitidos. ou Exonerados Sem Justa Causa e/ou. Aposentados

Cartilha de Extensão de Benefício do. Beneficiários Contributários Demitidos. ou Exonerados Sem Justa Causa e/ou. Aposentados Cartilha de Extensão de Benefício do Seguro-saúde Empresarial aos Beneficiários Contributários Demitidos ou Exonerados Sem Justa Causa e/ou Aposentados Dezembro / 2013 Índice Introdução... 02 1. Definições...

Leia mais

UNIPART COPARTICIPATIVO TRANSPORTE AÉREO E ONDONTOLÓGICO - MODALIDADE ESTADUAL

UNIPART COPARTICIPATIVO TRANSPORTE AÉREO E ONDONTOLÓGICO - MODALIDADE ESTADUAL TERMO DE ADESÃO AO PLANO DE SAÚDE ATRAVÉS DO CONVÊNIO ASSOCIAÇÃO DOS SERVENTUÁRIOS DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS SERJUS/MG E UNIMED-BH COOPERATIVA DE TRABALHOS MÉDICOS Contratos: UNIPART COPARTICIPATIVO

Leia mais

Segundo o disposto na lei dos planos de saúde, o direito de permanência no contrato coletivo requer a presença de três requisitos:

Segundo o disposto na lei dos planos de saúde, o direito de permanência no contrato coletivo requer a presença de três requisitos: Blumenau, 01 de Junho de 2.012 Às Empresas Contratantes Ref.: Novas Regras para demitidos e aposentados Prezados Senhores A Lei dos Planos de Saúde (Lei n 9.656/98) confere direito de permanência nos contratos

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CARDIF CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ Nº. : 11.467.788/0001-67 PRODUTO: PR_PU_POPULAR1_S100_1S_CS0834 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

O mútuo, objeto deste contrato, será concedido conforme condições que se seguem:

O mútuo, objeto deste contrato, será concedido conforme condições que se seguem: SÃO PARTES DESTE CONTRATO: CONTRATO DE EMPRÉSTIMO FUNCEF NA MODALIDADE DE CREDINÂMICO FUNCEF 13º SALÁRIO QUE ENTRE SI FAZEM AS PARTES ABAIXO IDENTIFICADAS, NAS CONDIÇÕES QUE SE SEGUEM: A FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS

Leia mais

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Regulamenta o oferecimento e a aceitação do seguro garantia judicial para execução fiscal e seguro garantia parcelamento administrativo fiscal para

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº XXXXX, DE XX DE XXXXXX DE 2008.

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº XXXXX, DE XX DE XXXXXX DE 2008. RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº XXXXX, DE XX DE XXXXXX DE 2008. Dispõe sobre a classificação e características dos planos privados de assistência à saúde, regulamenta a sua contratação, institui a orientação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC)

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC) 1 A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR 2 CONCEITOS 3 SAÚDE SUPLEMENTAR: atividade que envolve a operação de planos privados de assistência à saúde sob regulação do Poder

Leia mais

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 2 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 Brasília - DF Março/2015 3 Sumário GLOSSÁRIO... 5 CAPÍTULO

Leia mais

CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.

CG DA MODALIDADE POPULAR PM CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076. CONDIÇÕES GERAIS DO APLUBCAP POPULAR 2262 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 226 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL

REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL 1. Condição Geral: A Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, daqui por diante designada FUNDAÇÃO, poderá conceder Bolsas de Estudos a alunos regularmente matriculados

Leia mais

REGULAMENTO PLANO ANAPARprev - Editado em Dezembro de 2009 Versão aprovada pela SPC em 09/12/2009 (Portaria 3.220/SPC) Capítulo I: DO PLANO E SEUS FINS 02 Capítulo II: DOS MEMBROS 02 Capítulo III: DA INSCRIÇÃO

Leia mais

O QUE É O POD III? QUEM PODE SER INSCRITO NO POD III?

O QUE É O POD III? QUEM PODE SER INSCRITO NO POD III? APRESENTAÇÃO Esta CARTILHA é destinada aos beneficiários responsáveis (titulares de grupos familiares) do Plano de Assistência Odontológica III (POD III), da Caixa de Assistência dos Empregados do Banco

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA Mensagem ao Associado Caro Associado, A maior preocupação do profissional que compõe o Sistema Confea / Crea / Mútua talvez

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO PREVIDENCIAL DOS PARTICIPANTES VINCULADOS AO INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - IMA REGULAMENTO ESPECÍFICO - RP6 CAPÍTULO I

REGULAMENTO DO PLANO PREVIDENCIAL DOS PARTICIPANTES VINCULADOS AO INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - IMA REGULAMENTO ESPECÍFICO - RP6 CAPÍTULO I DOS PARTICIPANTES VINCULADOS AO INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - REGULAMENTO ESPECÍFICO - RP6 CAPÍTULO I DAS PRESTAÇÕES PREVIDENCIAIS Art. 1º - O Regulamento Específico - RP6 disciplina a concessão

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 510 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A.

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 510 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 510 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.902145/2013-85 II - GLOSSÁRIO Subscritor

Leia mais

CONHEÇA OS PLANOS DE SAÚDE DA GEAP

CONHEÇA OS PLANOS DE SAÚDE DA GEAP CONHEÇA OS PLANOS DE SAÚDE DA GEAP A GEAP oferece uma assistência de qualidade, com profissionais qualificados e prontos para cuidar de você e da sua família. SAIBA POR QUE A GEAP ACOLHE E CUIDA DE MILHARES

Leia mais

ASSISTÊNCIA À SAÚDE SUPLEMENTAR

ASSISTÊNCIA À SAÚDE SUPLEMENTAR ASSISTÊNCIA À SAÚDE SUPLEMENTAR DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO É um benefício concedido ao servidor, ativo ou inativo,

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 88.076.302/0001-94

Leia mais

REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE EMPRÉSTIMO PESSOAL PERMANENTE PLANO DE BENEFÍCIOS 03

REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE EMPRÉSTIMO PESSOAL PERMANENTE PLANO DE BENEFÍCIOS 03 1/6 TÍTULO: CLASSIFICAÇÃO: REFERENCIAL NORMATIVO: ASSUNTO: GESTOR: ELABORADOR: APROVAÇÃO: Regulamento do Programa de Empréstimo Pessoal Permanente Documento Executivo Resolução CMN nº 3456/2007 PO-GEREL-002_Solicitação

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV...

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... 7 CONHEÇA O PLANO DENTALUNIPREV... 8 PARTICIPANTES... 9 Participante

Leia mais

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV 1 CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da CASANPREV, dos Participantes, Assistidos

Leia mais

I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO

I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: INVEST CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 93.202.448/0001-79 (NOME FANTASIA DO PRODUTO): INVESTCAP TRAD-PU 03 (12M) MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900283/2013-20

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE. (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE. (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02 CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02

Leia mais

Guia PCD. Conheça melhor o Plano

Guia PCD. Conheça melhor o Plano Guia PCD Conheça melhor o Plano Índice De olho no Futuro...3 Quem é a Fundação Centrus?...5 Conhecendo o Plano de Contribuição Definida - PCD...6 Contribuições do Participante...7 Saldo de Conta...8 Benefícios

Leia mais

REGULAMENTO DE ACÚMULO DE MILHAS COM O CARTÃO DE CRÉDITO BRADESCO E TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA SMILES

REGULAMENTO DE ACÚMULO DE MILHAS COM O CARTÃO DE CRÉDITO BRADESCO E TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA SMILES REGULAMENTO DE ACÚMULO DE MILHAS COM O CARTÃO DE CRÉDITO BRADESCO E TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA SMILES 1. DO OBJETO 1.1. O objeto do presente regulamento consiste em estabelecer normas gerais para o

Leia mais

ASSISTÊNCIA À SUPLEMENTAR DO SERVIDOR

ASSISTÊNCIA À SUPLEMENTAR DO SERVIDOR ASSISTÊNCIA À SAÚDE SUPLEMENTAR DO SERVIDOR AMPARO LEGAL Lei 8.112/90 (RJU) Art. 230 A assistência à saúde do servidor, ativo ou inativo, e de sua família compreende assistência médica, m hospitalar, odontológica,

Leia mais

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV 1/9 CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da CASANPREV, dos Participantes,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH

CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH CONDIÇÕES GERAIS DO PREMIUM CASH I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PREMIUM CASH PLANO PM 60/60 N - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI Manual Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI O melhor da vida é feito em parceria O Plano de Benefícios Previdenciários da SICOOB PREVI é uma importante ferramenta de planejamento financeiro

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO 2.1 MODALIDADE DADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO 2.1 MODALIDADE DADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO.1 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.30/0001-94 APLUBCAP ECO.1 MODALIDADE: INCENTIVO PROCESSO SUSEP Nº: 15414.0055/011-47

Leia mais

Plano e Regulamento de Benefícios e Serviços

Plano e Regulamento de Benefícios e Serviços TITULO I DEFINIÇÕES GERAIS DOS BENEFICIOS E SERVIÇOS CAPITULO I DA FINALIDADE Art.1. Este plano tem por finalidade estabelecer os benefícios e serviços da ABEPOM, bem como regulamentar os critérios, limites

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PIC

CONDIÇÕES GERAIS DO PIC CONDIÇÕES GERAIS DO PIC I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CIA ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO CNPJ: 23.025.711/0001-16 PIC - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.005217/2012-63 WEB-SITE:

Leia mais