Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino"

Transcrição

1 Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino

2 TELE AULA 1 Cientificidade do conhecimento

3 Resumo Unidade de Ensino: 1 Competência da Unidade de Ensino: Resumo: Palavras-chave: Conhecer e compreender as características do conhecimento científico, a fim de formar o espírito científico e adotar os seus procedimentos na busca de respostas para os problemas da profissão. Estudo dos critérios da cientificidade na construção do conhecimento e os tipos de conhecimento. Os objetivos são os seguintes: Conhecer como historicamente os seres humanos construíram formas para explicar os fenômenos; Caracterizar os principais tipos de conhecimento: senso comum, filosófico, religioso e científico; Compreender o diferencial do conhecimento científico e sua importância na busca de soluções racionais para os desafios das práticas profissionais. Construção do conhecimento e tipos de conhecimento. Título da teleaula: Cientificidade do Conhecimento Teleaula nº: 1

4 Convite ao estudo Porque estudar os diferentes tipos de conhecimento? Aplicar os procedimentos científicos em sua prática profissional. Caracterizar os principais tipos de conhecimento. Compreender o diferencial do conhecimento científico e sua importância.

5 VA Caminho de Aprendizagem

6 Conhecimentos prévios Conceito Aprendizagem Conhecimento Sabedoria Método Definição Ação, processo, efeito ou consequência de aprender; aprendizado. Ação de entender por meio da inteligência, da razão ou da experiência. Conhecimento adquirido a partir da experiência sobre algo ou alguém. Técnica; modo usado para realizar alguma coisa. Fonte: Dicionário Online de Português

7 Ana (Consultora do SEBRAE): Deve ter facilidade em estruturar projetos. Trabalhar com autonomia e disciplina. Elaborar planejamentos de novos negócios. Facilitar a execução de novos projetos. SP s Pensando a aula: situação geradora de aprendizagem 1) Planejamento de um negócio em Food Trucks. 2) Rotatividade de voluntários da ONG Esperança. 3) Dificuldade de relacionamento entre funcionários com os clientes de uma empresa de eletroeletrônicos. 4) Processo de investigação para uma loja de grife.

8 Cápsula 1 Iniciando o estudo

9 Situação Problema 1 Marina e Rita, proprietárias do Food Truck, não têm conhecimento sobre culinária e consideram que somente com a experiência irão adquirir conhecimentos para administrar o negócio. Como as empreendedoras poderão resolver a situação e garantir a manutenção do negócio?

10 Planejamento: Com menor margem de erro; Para garantir a manutenção do negócio. Compreender como o conhecimento é construído, apropriado e transformado num contexto prático.

11 Problematizando a Situação-Problema 1 Pensamento Científico: Permite as escolhas mais racionais. Um conhecimento que permite conhecer os fenômenos em suas causas e efeitos por meio de um procedimento denominado experimental (BASTOS, 2015).

12 Metodologia: Em sua origem, tem o significado de caminho, forma, meio utilizado para se realizar determinada tarefa. É a forma pela qual se constrói o conhecimento ou se realiza alguma coisa, é preciso reconhecer que segue um determinado percurso, com uma determinada organização, um determinado processo (BASTOS, 2015).

13 Resolvendo a Situação-Problema 1 Garantia para manutenção do negócio: Levantar os problemas da empresa Analisar as estratégias propostas Definir a estratégia Mapear os problemas Observar as estratégias propostas Identificar os recursos para resolver a estratégia Estabelecer prioridades De que forma solucionar o problema? Concluir com base em provas e evidências

14 Cápsula 2 Participando da aula

15 Situação-Problema 2 A ONG Esperança não sabe porque a rotatividade entre seus voluntários é muito grande, sendo que não tem condições de contratar muitos colaboradores.

16 De que forma Ana ajudará a identificar se a ONG adotou práticas baseadas no senso comum? E de que forma, a partir do senso comum, elas poderão orientar-se para um processo mais científico?

17 Problematizando a Situação-Problema 2 Senso Comum: Também é denominado como vulgar ou empírico. Conhecer as coisas de maneira superficial, por informação ou experiência casual. Permite a construção de respostas para os problemas e explicações para os fenômenos; contudo, contenta-se com explicações superficiais e imediatas.

18 Resolvendo a situação problema 2 As empresas não podem contar com profissionais orientados pelo senso comum em qualquer de suas áreas. Analisar o problema em relação ao fluxo de informações dentro da empresa. Aplicar um método que busque identificar o problema, seguindo diretrizes de gestão empresarial. Redefinir o tipo de conhecimento para científico, com base nas estratégias da ONG.

19 Cápsula 3 Participando da aula

20 Situação Problema 3 De que forma o conhecimento filosófico, proposto pelas orientações e análises de Ana, pode representar a possibilidade de Luiz, o gerente de RH que enfrenta problemas com seu funcionário, Paulo, agir racionalmente?

21 Problematizando a Situação-Problema 3 Conhecimento Filosófico: Defende um determinado ponto de vista ou maneira de interpretar a realidade. Pretende explicar que defende uma concepção, valores e princípios e que os utiliza como diretriz ou em determinados aspectos de sua vida.

22 Atitude Filosófica: Marilena Chauí (2014), afirma que a atitude filosófica possui características positiva e negativa: O aspecto negativo se refere a dizer não ao senso comum, ao estabelecido, ao que já está posto como verdadeiro na experiência cotidiana. O aspecto positivo está em indagar sobre a razão das coisas, buscar compreender e indagar o que são as coisas que cercam a vida de cada um.

23 Resolvendo a Situação-Problema 3 Equacionar a situação entre funcionários e clientes Identificar e analisar os motivos do comportamento do funcionário Respeitar o diferencial, mas não abrir mão do plano de ação

24 Cápsula 4 Participando da aula

25 Situação Problema 4 Como Nara deve agir, em um processo de investigação científica, para descobrir o que de fato ocorreu com as roupas de sua loja, sem comprometer ainda mais o negócio? Há um problema sério em relação ao fluxo de informações dentro da loja de roupas da Nara.

26 O que se deseja para Nara, bem como para os demais empreendedores atendidos por Ana, é que abandone práticas baseadas no senso comum e procure adotar procedimentos racionais, éticos e científicos.

27 Problematizando a Situação-Problema 4 Conhecimento Científico: Luckesi (1998) afirma que o conhecimento científico pretende esclarecer as ocorrências do universo, produzindo um entendimento de parcelas do mundo, identificando as conexões lógicas entre os componentes desses fenômenos.

28 Conhecimento Científico: Tem como objeto não somente os fenômenos naturais, mas também os fenômenos sociais, podendo-se dividir em campos do conhecimento científico. Cada objeto de estudo requer uma forma de abordagem ou tratamento, disso decorrendo também formas diferentes de interpretação.

29 Método Científico: O método científico é baseado na razão, na lógica e na experimentação, o que lhe dá características diferentes do pensamento filosófico, que não parte da experimentação. O objetivo é adotar práticas que levem a maximizar os acertos e eliminar, se possível, os erros, para com isso, aperfeiçoar o trabalho e construir o conhecimento.

30 Resolvendo a Situação-Problema 4 Identificação dos problemas com as roupas que apresentam sinais comprometedores para sua venda, como marca de uso. Causas, devido: ao uso indevido e não autorizado; à falta de cuidado no manejo das roupas pelas clientes ou pelas colaboradores; a problemas no transporte dos produtos.

31 Recorrer ao conhecimento científico, pautando-se em provas: 1º: identificar o problema; 2º: apresentar algumas hipóteses ou respostas provisórias para esse problema, ou seja, precisa saber o que está acontecendo para avaliar as roupas e acessórios.

32 Hipóteses: o estrago está acontecendo na hora em que a mercadoria chega. as atendentes não estão acompanhando as clientes no momento da prova. alguém que fica na loja até mais tarde. alguém que tem acesso à loja está emprestando as roupas e devolvendo as depois.

33 Testadas todas as possibilidades, Nara, auxiliada por Ana, terá condições de compreender o que está levando a tal situação e resolvê-la. Esse cenário precisa ser baseado nas evidências e não no que ela acha que pode ser, por isso a necessidade das provas e demonstrações. Isso é científico!

34 Cápsula 5 Participando da aula

35 Provocando novas situações Qualquer obra de engenharia exige conhecimento científico? De que forma o conhecimento empírico pode contribuir com uma obra de engenharia? De que forma o conhecimento filosófico pode contribuir com uma obra de engenharia?

36 Diálogo do professor com alunos

37 VE Caminho de aprendizagem

10 Dicas para ter uma mão de obra eficiente. Karyna Muniz

10 Dicas para ter uma mão de obra eficiente. Karyna Muniz 10 Dicas para ter uma mão de obra eficiente Karyna Muniz Conflitos DICA Nº1 Estimule a busca pelo conhecimento o Preveja um período durante a semana para tal fim. o Pode ser durante um treinamento ou uma

Leia mais

Inteligência Lingüística:

Inteligência Lingüística: Inteligência Lingüística: Capacidade de lidar bem com a linguagem, tanto na expressão verbal quanto escrita. A linguagem é considerada um exemplo preeminente da inteligência humana. Seja pra escrever ou

Leia mais

Metodologia Científica

Metodologia Científica Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências Exatas e da Natureza Departamento de Química Conteúdo Programático 1. Conhecimento, Ciência e Pesquisa: Definições e Características Metodologia Científica

Leia mais

Metodologia Científica. Construindo Saberes

Metodologia Científica. Construindo Saberes Metodologia Científica Construindo Saberes Trabalho com Projetos A pesquisa promove saberes Estímulo ao desenvolvimento da ciência Construção e busca por novos conhecimentos Buscar novos horizontes Desenvolvimento

Leia mais

METODOLOGIA CIENTÍFICA Parte 1

METODOLOGIA CIENTÍFICA Parte 1 UFPR DETF Curso de Engenharia Industrial Madeireira METODOLOGIA CIENTÍFICA Parte 1 AT073 Introdução a Engenharia Industrial Madeireira Prof. Dr. Umberto Klock METODOLOGIA CIENTÍFICA disciplina que "estuda

Leia mais

IDEIAS X OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO. Elizabeth Tschá

IDEIAS X OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO. Elizabeth Tschá IDEIAS X OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO Elizabeth Tschá Oportunidades INTRODUÇÃO Nos dias de hoje, existem três tipos de organizações: As que fazem acontecer, as que apenas observam acontecer e as que surpreendentemente

Leia mais

2.1 Competências ao término do 1o ano de Residência Médica em Infectologia R1

2.1 Competências ao término do 1o ano de Residência Médica em Infectologia R1 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS PRM INFECTOLOGIA 1. OBJETIVO GERAL Formar e habilitar o médico especialista em uso de habilidade técnica, emocional, capacidade reflexiva e princípios éticos para o diagnóstico clínico

Leia mais

2º Ciclo. (5º e 6º anos) PERFIL DO ALUNO NA ÁREA CURRICULAR DE História e Geografia de Portugal AGRUPAMENTO ESCOLAS DE SANTO ANDRÉ

2º Ciclo. (5º e 6º anos) PERFIL DO ALUNO NA ÁREA CURRICULAR DE História e Geografia de Portugal AGRUPAMENTO ESCOLAS DE SANTO ANDRÉ AGRUPAMENTO ESCOLAS DE SANTO ANDRÉ ESCOLA BÁSICA 2/3 DE QUINTA DA LOMBA PERFIL DO ALUNO NA ÁREA CURRICULAR DE História e Geografia de Portugal 2º Ciclo (5º e 6º anos) Ano letivo 2016-2017 PERFIL DO ALUNO

Leia mais

Educação / Expressão Expressões Artística s Plástica. Físicomotoras. Artísticas Musical

Educação / Expressão Expressões Artística s Plástica. Físicomotoras. Artísticas Musical Fevereiro Janeiro Dezembro Novembro Setembro Outubro Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Estudo do Meio Língua Portuguesa Matemática Físicomotoras Educação / Expressão Expressões Artística

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA. HOMEM, CULTURA E SOCIEDADE 1º semestre. Prof. Ms. Anísio Calciolari Jr.

EDUCAÇÃO FÍSICA. HOMEM, CULTURA E SOCIEDADE 1º semestre. Prof. Ms. Anísio Calciolari Jr. EDUCAÇÃO FÍSICA HOMEM, CULTURA E SOCIEDADE 1º semestre Prof. Ms. Anísio Calciolari Jr. TA 1 O capitalismo: o surgimento de um novo mundo Resumo Unidade de Ensino : 1 Competência da Unidade de Ensino: Resumo

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO Escritório Júnior da Faculdade Cesusc

PROJETO DE EXTENSÃO Escritório Júnior da Faculdade Cesusc PROJETO DE EXTENSÃO Escritório Júnior da Faculdade Cesusc INTRODUÇÃO Em sinergia com os alunos dos Cursos de Graduação da Faculdade CESUSC, o Escritório Júnior, nomeado de EDGE Jr. - Escritório Júnior

Leia mais

Perfil de Fabiana Krauss 2 / 9

Perfil de Fabiana Krauss 2 / 9 Este relatório foi elaborado com base nas respostas que Fabiana Krauss deu ao questionário de raciocínio AssessFirst em 16/11/2016 @ 08:40:41 (America/Mendoza). Ele nos permite compreender o nível de raciocínio

Leia mais

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância Colégio Valsassina Modelo pedagógico do jardim de infância Educação emocional Aprendizagem pela experimentação Educação para a ciência Fatores múltiplos da inteligência Plano anual de expressão plástica

Leia mais

TEMA: tipos de conhecimento. Professor: Elson Junior

TEMA: tipos de conhecimento. Professor: Elson Junior Ciências Humanas e suas Tecnologias. TEMA: tipos de conhecimento. Professor: Elson Junior Plano de Aula Conhecimento O que é? Como adquirir Características Tipos Recordar é Viver... Processo de pesquisa

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS DO 1.º CICLO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS DO 1.º CICLO CRITÉRIOS GERAIS DE DE PORTUGUÊS DO 1.º CICLO ORALIDADE Respeitar regras da interação discursiva; Escutar discursos para aprender e construir conhecimentos; Utilizar técnicas para registar e reter a informação.

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 5ª Série Banco de Dados I Ciência da Computação A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio

Leia mais

4º Ano Ensino Fundamental

4º Ano Ensino Fundamental 4º Ano Ensino Fundamental Eixo 1 Avalição Introdução 01 aula -Ler o texto; -Valorizar os sentidos -Texto: Dentro de casa ; Dentro de casa -Explorar as palavras novas do texto; -Pesquisa sobre a vida do

Leia mais

Entrevista Carreira Correio Braziliense

Entrevista Carreira Correio Braziliense Entrevista Carreira Correio Braziliense 1. Por que as habilidades pessoais (ou socioemocionais) são cada vez valorizadas? As pessoas são contratadas por seu currículo, ou seja, pela formação acadêmica

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE. O que é Ciência?

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE. O que é Ciência? CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE O que é Ciência? O QUE É CIÊNCIA? 1 Conhecimento sistematizado como campo de estudo. 2 Observação e classificação dos fatos inerentes a um determinado grupo de fenômenos

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. para Parceiros do ISAE

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. para Parceiros do ISAE CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA para Parceiros do ISAE 01/2017 - Versão 2-22/12/2017 ABRANGÊNCIA Este Código de Ética e Conduta para Parceiros do ISAE aplica-se a todos os parceiros de negócios do Instituto

Leia mais

Habilidades Cognitivas. Prof (a) Responsável: Maria Francisca Vilas Boas Leffer

Habilidades Cognitivas. Prof (a) Responsável: Maria Francisca Vilas Boas Leffer Habilidades Cognitivas Prof (a) Responsável: Maria Francisca Vilas Boas Leffer As competências nas Problematizações das unidades de aprendizagem UNID 2.1 Construindo as competências sob os pilares da educação

Leia mais

1ª Semestre - Primeiro Ano. Projeto de Futuro. Apresentação do caderno PROFESSOR ÍTALO SILVA

1ª Semestre - Primeiro Ano. Projeto de Futuro. Apresentação do caderno PROFESSOR ÍTALO SILVA 1ª Semestre - Primeiro Ano Projeto de Futuro Apresentação do caderno PROFESSOR ÍTALO SILVA CADERNO: Construindo o meu itinerário formativo - Projeto Futuro Caderno brochura pequeno de 48 folhas - Só será

Leia mais

F U N D A M E N T O S D A G E S T Ã O D E T A L E N T O S

F U N D A M E N T O S D A G E S T Ã O D E T A L E N T O S F U N D A M E N T O S D A G E S T Ã O D E T A L E N T O S A gestão de talentos é um componente fundamental para o RH. Com o foco cada vez maior em pessoas, todos os profissionais de RH precisam entender

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL ANO LETIVO PRÁTICAS ESSENCIAIS DE APRENDIZAGEM

PLANIFICAÇÃO ANUAL ANO LETIVO PRÁTICAS ESSENCIAIS DE APRENDIZAGEM PLANIFICAÇÃO ANUAL ANO LETIVO 2018-19 APRENDIZAGENS ESSENCIAIS 1ºPERÍODO MATEMÁTICA - 7º ANO DOMÍNIOS, SUBDOMÍNIOS E CONTEÚDOS Domínio: Números e operações Números racionais números inteiros números racionais

Leia mais

Bachelard. A Ciência é contínua?

Bachelard. A Ciência é contínua? Texto B Visão Dialética do conhecimento científico Inclui razão e experiência As observações são influenciadas por teorias prévias Visão descontinuísta das Ciências: presença de rupturas com o senso comum

Leia mais

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES/CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES/CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES/CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 9º Ano Disciplina: Educação Visual Metas Curriculares: Domínios/Objetivos Programáticos Critérios de Avaliação Instrumentos de Avaliação Técnica

Leia mais

Aprendizagem em Comércio de Bens e Serviços. Senac Jundiaí

Aprendizagem em Comércio de Bens e Serviços. Senac Jundiaí Aprendizagem em Comércio de Bens e Serviços Senac Jundiaí Aprendizagem em Comércio de Bens e Serviços Senac Jundiaí 1997 Início do Programa de Aprendizagem em Jundiaí (1 turma) 2000 Parceria com Secretaria

Leia mais

Sobre Metodologia Científica

Sobre Metodologia Científica 2013 Sobre Metodologia Científica Sergio Scheer TC022 Introdução a Engenharia UFPR Motivação Para que serve Metodologia Científica? Ciência e Conhecimento A produção de Conhecimento: Pesquisa O Processo

Leia mais

DE OLHO NA BNCC. Volume 1

DE OLHO NA BNCC. Volume 1 DE OLHO NA BNCC Volume 1 Afinal, o que é a BNCC? Linha do tempo A importância de ter uma Base Comum Orientação por competências Base Comum Parte diversificada MATERIAL DE ACORDO Base Nacional Comum Curricular

Leia mais

COMPETÊNCIA 1. Explicar fenômenos cientificamente: reconhecer, oferecer e avaliar explicações para fenômenos naturais e tecnológicos.

COMPETÊNCIA 1. Explicar fenômenos cientificamente: reconhecer, oferecer e avaliar explicações para fenômenos naturais e tecnológicos. 3 Ciências 3º Ano COMPETÊNCIA 1 Competência Explicar fenômenos cientificamente: reconhecer, oferecer e avaliar explicações para fenômenos naturais e tecnológicos. Habilidade H1. Adotar uma postura investigativa

Leia mais

METODOLOGIA CIENTÍFICA

METODOLOGIA CIENTÍFICA EQE040 METODOLOGIA CIENTÍFICA www.liviajatoba.com/eqe040 Professora Livia Jatobá liviajatoba@eq.ufrj.br 1 /22 SOBRE A DISCIPLINA FUNDAMENTOS DA METODOLOGIA CIENTÍFICA ÉTICA NA PESQUISA E NOS TRABALHOS

Leia mais

PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO NA ÁREA DA QUÍMICA NO IFMA CAMPUS PINHEIRO: BENEFÍCIOS E DIFICULDADES

PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO NA ÁREA DA QUÍMICA NO IFMA CAMPUS PINHEIRO: BENEFÍCIOS E DIFICULDADES PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO NA ÁREA DA QUÍMICA NO IFMA CAMPUS PINHEIRO: BENEFÍCIOS E DIFICULDADES Pollyana Gabrielle Lima (1); Taís Lima Sousa (1); Magna Macêdo Fernandes (2); Malena Correia Costa

Leia mais

Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento e Desenvolvimento Treinamento e Desenvolvimento Agenda 1 2 T&D e Estratégia de RH Treinamento & Desenvolvimento 3 4 Coaching & Mentoring Desenvolvimento de Lideranças 1 T&D e Estratégia de RH Relembrando... Os processos

Leia mais

METODOLOGIA DE PESQUISA CIENTÍFICA. Prof. Renato Fernandes Universidade Regional do Cariri URCA Curso de Tecnologia da Construção Civil

METODOLOGIA DE PESQUISA CIENTÍFICA. Prof. Renato Fernandes Universidade Regional do Cariri URCA Curso de Tecnologia da Construção Civil METODOLOGIA DE PESQUISA CIENTÍFICA Prof. Renato Fernandes Universidade Regional do Cariri URCA Curso de Tecnologia da Construção Civil Planejamento da disciplina Ferramentas: apostilas, livros, vídeos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 238 aprovado pela portaria Cetec nº 172 de 13/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Industria

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Administração 6ª Série Administração de Recursos Humanos A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DA PREFEITA LEI Nº 6.569, DE 13 DE ABRIL DE 2018.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DA PREFEITA LEI Nº 6.569, DE 13 DE ABRIL DE 2018. PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DA PREFEITA LEI Nº 6.569, DE 13 DE ABRIL DE 2018. Autoriza o Poder Executivo a contratar para as funções com atuação em unidades vinculadas à Secretaria Municipal

Leia mais

CURSO DE FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO SISMÉDIO COLÉGIO ESTADUAL EMÍLIO DE MENEZES

CURSO DE FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO SISMÉDIO COLÉGIO ESTADUAL EMÍLIO DE MENEZES CURSO DE FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO SISMÉDIO COLÉGIO ESTADUAL EMÍLIO DE MENEZES A proposta desta reflexão é a de conhecer o jovem estudante trabalhador, sua relação com projetos presentes e futuros,

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO 1 FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: (curso/habilitação) Ciências Contábeis Disciplina: Carga Horária: (horas/semestre) 50 aulas Semestre Letivo / Turno: 7º Semestre Professor: Período: Ementa da

Leia mais

Metodologia Científica. Aula 2

Metodologia Científica. Aula 2 Metodologia Científica Aula 2 Proposito da aula Conhecer a definição de Metodologia Científica; A importância da Metodologia Científica; Objetivos da Metodologia Científica enquanto disciplina; Divisão

Leia mais

Critérios de Avaliação de Matemática 7.ºano de escolaridade 2018/2019. Domínio cognitivo/ procedimental 80% Descritores de Desempenho

Critérios de Avaliação de Matemática 7.ºano de escolaridade 2018/2019. Domínio cognitivo/ procedimental 80% Descritores de Desempenho Áreas de competências Linguagens e textos Conhecimentos, Capacidades e Atitudes Números e Operações O aluno deve ficar capaz de: Domínio cognitivo/ procedimental 80% Descritores de Desempenho Identificar

Leia mais

APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL

APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL Prof.ª ANICLEIDE P. DA SILVA 2007 Frente aos desafios organizacionais é fundamental que os profissionais compreendam a necessidade de gerar novas conexões de ações, ampliando

Leia mais

Ricardo Carvalho de Almeida

Ricardo Carvalho de Almeida Ricardo Carvalho de Almeida Currículo resumido Mestre em Comunicação pela USCS Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Linha de Pesquisa - Processos comunicacionais: inovação e comunidades; integra

Leia mais

O que é a Ciência? Fernando Casal. Metodologia nas Ciências Sociais Marketing, Publicidade e Relações Públicas ISPAB

O que é a Ciência? Fernando Casal. Metodologia nas Ciências Sociais Marketing, Publicidade e Relações Públicas ISPAB O que é a Ciência? Marketing, Publicidade e Relações Públicas Ciência Objecto Método Linguagem Objecto da Ciência Objecto é o assunto de que uma ciência se ocupa; É o campo da realidade abragida por cada

Leia mais

CURRÍCULO DISCIPLINAR

CURRÍCULO DISCIPLINAR CURRÍCULO DISCIPLINAR 1º CEB 4º ANO 1º CEB 4º Ano de escolaridade Número de aulas previstas no ano letivo 2017/18: 1º Período 64 2º Período 55 170 dias letivos 3º Período 51 PORTUGUÊS DOMÍNIO: ORALIDADE

Leia mais

1ª Semestre - Primeiro Ano. Projeto de Futuro. Apresentação do caderno PROFESSOR ÍTALO SILVA

1ª Semestre - Primeiro Ano. Projeto de Futuro. Apresentação do caderno PROFESSOR ÍTALO SILVA 1ª Semestre - Primeiro Ano Projeto de Futuro Apresentação do caderno PROFESSOR ÍTALO SILVA CADERNO: Construindo o meu itinerário formativo - Projeto Futuro Caderno brochura pequeno de 48 folhas - Só será

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico. Componente Curricular: LOGÍSTICA EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico. Componente Curricular: LOGÍSTICA EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional:

Leia mais

5S é um programa da Qualidade Total que trata dos sensos de utilização, organização, limpeza, higiene e ordem mantida, com o intuito de gerar uma

5S é um programa da Qualidade Total que trata dos sensos de utilização, organização, limpeza, higiene e ordem mantida, com o intuito de gerar uma APOSTILA Comitê 5S Apostila criada para o desenvolvimento do projeto 5S, da Universidade Federal do Pampa, tendo como objetivo auxiliar na aplicação da ferramenta nos laboratórios e demais locais pertinentes

Leia mais

METODOLOGIA CIENTÍFICA

METODOLOGIA CIENTÍFICA UFPR DETF Curso de Engenharia Industrial Madeireira METODOLOGIA CIENTÍFICA AT073 Introdução a Engenharia Industrial Madeireira Prof. Dr. Umberto Klock METODOLOGIA CIENTÍFICA disciplina que "estuda os caminhos

Leia mais

Uma investigação sistemática destinada a produzir conhecimentos generalizáveis

Uma investigação sistemática destinada a produzir conhecimentos generalizáveis Processo de Pesquisa Uma investigação sistemática destinada a produzir conhecimentos generalizáveis Os resultados das Pesquisas geralmente são: Aplicáveis a outras populações Publicados e divulgados 2009

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ESPECÍFICA DE MATEMÁTICA ANO LETIVO 2018/2019 7º ANO

PLANIFICAÇÃO ESPECÍFICA DE MATEMÁTICA ANO LETIVO 2018/2019 7º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VAGOS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANIFICAÇÃO ESPECÍFICA DE MATEMÁTICA ANO LETIVO 2018/2019 7º ANO ÁREAS DE COMPETÊNCIAS (PERFIL ALUNO): A LINGUAGENS

Leia mais

Seminário acadêmico. Introdução. O que é um seminário

Seminário acadêmico. Introdução. O que é um seminário Seminário acadêmico Introdução É muito comum ouvirmos falar em seminário como um trabalho escolar, que ocorre tanto no Ensino Básico como no Ensino Superior. Mas, você saberia definir seminário? Nessa

Leia mais

COMPETÊNCIA 1. Explicar fenômenos cientificamente: reconhecer, oferecer e avaliar explicações para fenômenos naturais e tecnológicos.

COMPETÊNCIA 1. Explicar fenômenos cientificamente: reconhecer, oferecer e avaliar explicações para fenômenos naturais e tecnológicos. 3ª Ciências 2º Ano E.F. COMPETÊNCIA 1 Competência Explicar fenômenos cientificamente: reconhecer, oferecer e avaliar explicações para fenômenos naturais e tecnológicos. Habilidade H1. Adotar uma postura

Leia mais

CURSO DECISÕES INTELIGENTES

CURSO DECISÕES INTELIGENTES www.decisoesinteligentes.com.br CURSO DECISÕES INTELIGENTES Módulo 1 - O tomador de decisão sou eu! e agora? Objetivo: Identificar o seu estilo de tomador de decisão A estrela e o caminho Definição de

Leia mais

Programa Nacional de Educação Empreendedora Sebrae Curso Despertar

Programa Nacional de Educação Empreendedora Sebrae Curso Despertar Programa Nacional de Educação Empreendedora Sebrae Curso Despertar Guia de Acesso ao Ambiente de Aprendizagem para Formação dos Professores na Modalidade a Distância Professor, durante o período do curso

Leia mais

AE Aurélia de Sousa Ano letivo 2018/2019. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º Ciclo. (3.º Ano) Atitudes e Valores (saber ser/saber estar) 20%

AE Aurélia de Sousa Ano letivo 2018/2019. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º Ciclo. (3.º Ano) Atitudes e Valores (saber ser/saber estar) 20% CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º Ciclo (3.º Ano) A deve atender aos domínios do: Saber Ser / Saber Estar ( 20% ) Saber / Saber fazer ( 80% ) À dinâmica educativa, estará sempre subjacente o respeito pelo

Leia mais

Escola de Artes, Ciências e Humanidades Universidade de São Paulo

Escola de Artes, Ciências e Humanidades Universidade de São Paulo 1 Escola de Artes, Ciências e Humanidades Universidade de São Paulo Luciana Regina Basilio PROJETO DE PESQUISA Aborto: o que é, e o que sabemos Trabalho de conclusão do curso de extensão Escolas, Comunidades

Leia mais

Ciência e Sociedade. Aula Especialização em Gestão Escolar

Ciência e Sociedade. Aula Especialização em Gestão Escolar Ciência e Sociedade Aula Especialização em Gestão Escolar O desconhecido é um estado (situação) no qual prepondera o não dominado, o não possuído, a Relação homem e conhecimento O ser humano se situa em

Leia mais

PLANO DE ENSINO ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR OS RESULTADOS EM ENSINO E APRENDIZAGEM

PLANO DE ENSINO ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR OS RESULTADOS EM ENSINO E APRENDIZAGEM PLANO DE ENSINO ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR OS RESULTADOS EM ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Tema: O Plano de Ensino estratégias para melhorar o ensino e a aprendizagem. 2. Os Objetivos são: - Debater o Plano de

Leia mais

Metodologia Científica - Aula 2 - Critérios de cientificidade para desenvolver o conhecimento Unidade 1 Seção 1

Metodologia Científica - Aula 2 - Critérios de cientificidade para desenvolver o conhecimento Unidade 1 Seção 1 Metodologia Científica - Aula 2 - Profa. Ms. Ana Cabanas Critérios de cientificidade para desenvolver o conhecimento Unidade 1 Seção 1 Comprometimento é tudo! Faça a diferença você também! AQUISIÇÃO CONSTRUÇÃO

Leia mais

DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR

DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Nome: Matemática Curso: Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio Série: 1 Ano Carga Horária: 100 h (120 aulas) Docente Responsável: Carlos Danísio Macedo Silva

Leia mais

Índice Remissivo. Sobre o e-book. Direitos Autorais. Prefácio. 1. Qual o perfil certo de empreendedor? 2. Planejamento Empresarial

Índice Remissivo. Sobre o e-book. Direitos Autorais. Prefácio. 1. Qual o perfil certo de empreendedor? 2. Planejamento Empresarial Índice Remissivo Sobre o e-book Direitos Autorais Prefácio 1. Qual o perfil certo de empreendedor? 2. Planejamento Empresarial 3. Pesquisar sobre a empresa 4. Ramo de atividade e tipo de empresa 5. Contrato

Leia mais

Classificação das Ciências. Tipos de conhecimento. Conhecimento Popular. Conhecimento Religioso. Conhecimento Filosófico. Metodologia Científica

Classificação das Ciências. Tipos de conhecimento. Conhecimento Popular. Conhecimento Religioso. Conhecimento Filosófico. Metodologia Científica UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE JI-PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL Classificação das Ciências FORMAIS Lógica Matemática Metodologia Científica Prof. a Renata Gonçalves Aguiar CIÊNCIAS

Leia mais

TESTE AO PERFIL EMPREENDEDOR

TESTE AO PERFIL EMPREENDEDOR TESTE AO PERFIL EMPREENDEDOR TESTE AO PERFIL EMPREENDEDOR Este questionário, originalmente publicado na página web do IAPMEI e da autoria da SPA Consultoria, poderá servir de parâmetro para a sua auto-avaliação

Leia mais

Aprendizagem em Física

Aprendizagem em Física Aprendizagem em Física 06 de maio de 2008 A discussão de um currículo para a física no ensino médio Referências básicas Reorientação Curricular para o Ensino Médio SEE 2006 Materiais didáticos SEE 2006

Leia mais

Plano de Trabalho Docente

Plano de Trabalho Docente Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Plano de Trabalho Docente - 2017 Plano de Curso no. 206 aprovado pela Portaria Cetec 733, de 10-9-2015, publicada no Diário Oficial de 11-9-2015 Poder Executivo

Leia mais

Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes.

Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes. Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de 1998 Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. O Presidente

Leia mais

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO G R A D E C U R R I C U L A R HÍBRIDO + CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 OBJETIVOS DO CURSO Ciência da Computação Você aprende junto a pesquisadores e próximo do mercado de trabalho. As empresas participam

Leia mais

Regulamento Maratona Universitária SEBRAE. Edição 2018 SERGIPE. O que é a Maratona?

Regulamento Maratona Universitária SEBRAE. Edição 2018 SERGIPE. O que é a Maratona? Regulamento Maratona Universitária SEBRAE Edição 2018 SERGIPE O que é a Maratona? A Maratona Universitária SEBRAE é uma competição de ideias inovadoras, que tem como objetivo desenvolver o potencial dos

Leia mais

Manual do Aluno Engenharia Insper i

Manual do Aluno Engenharia Insper i Manual do Aluno Engenharia Insper i Capítulo 1 A visão do Insper para a Engenharia A missão dos cursos de engenharia do Insper é: Desenvolver jovens engenheiros que estarão preparados para reconhecer as

Leia mais

Uma história sobre o amado primeiro dia de aula

Uma história sobre o amado primeiro dia de aula O dia do futuro Uma história sobre o amado primeiro dia de aula é só o primeiro dia MEU TIME ESTÁ FAZENDO UMA PESQUISA! QUEREMOS CONHECER O QUE A COMUNIDADE ESCOLAR CURTE. os professores acompanham

Leia mais

1ª Daniella / Marcelo

1ª Daniella / Marcelo Química 1ª Daniella / Marcelo 1ª Série E.M. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade conhecimento químico, incluindo Reagentes, produtos e suas propriedades H1. Identificar uma substância, mistura,

Leia mais

QUAL É O SEU TALENTO? Claudia Carraro-CARREIRA&CIA- Treinamento, Orientação Profissional e Coaching

QUAL É O SEU TALENTO? Claudia Carraro-CARREIRA&CIA- Treinamento, Orientação Profissional e Coaching QUAL É O SEU TALENTO? TALENTOS x FORÇAS PESSOAIS SABER E CONHECIMENTO CURIOSIDADE/INTERESSE PELO MUNDO Curiosidade específica e global; Flexibilidade; Receptividade à novas experiências GOSTO PELA APRENDIZAGEM

Leia mais

Unidade Prática de Ensino Módulo III. Processos de Manutenção da Vida REOFERTA

Unidade Prática de Ensino Módulo III. Processos de Manutenção da Vida REOFERTA Profa. Alexandra Marselha Siqueira Pitolli UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ UESC Unidade Prática de Ensino Módulo III. Processos de Manutenção da Vida REOFERTA O QUE É? Roteiro organizado das unidades

Leia mais

Minicurso: Jogos e Dinâmicas de Grupo. Fabiana Sanches e Rosa Maria

Minicurso: Jogos e Dinâmicas de Grupo. Fabiana Sanches e Rosa Maria Minicurso: Jogos e Dinâmicas de Grupo Fabiana Sanches e Rosa Maria As dinâmicas são instrumentos, ferramentas que estão dentro de um processo de formação e organização, que possibilitam a criação e recriação

Leia mais

Projeto Sei - Sebrae para Microempreendedor Individual (Gratuito)

Projeto Sei - Sebrae para Microempreendedor Individual (Gratuito) Projeto Sei - Sebrae para Microempreendedor Individual (Gratuito) Sei Comprar Identificar os elementos que envolvem o processo de compras planejadas para assegurar os melhores resultados no negócio, selecionando,

Leia mais

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º ciclo EDUCAÇÃO VISUAL 6º ano Objetivos Conteúdos Programáticos Critérios de Avaliação Instrumentos de Avaliação Compreender características e qualidades da cor Reconhecer a simbologia e o significado

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC de Mairiporã Código: 271 Município: MAIRIPORÃ Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio em ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

COMO TRAÇAR METAS DE ESTUDO E CUMPRI-LAS

COMO TRAÇAR METAS DE ESTUDO E CUMPRI-LAS COMO TRAÇAR METAS DE ESTUDO E CUMPRI-LAS Sua meta para 2018 é passar no vestibular? Saiba que um bom planejamento pode ser o grande diferencial para sua aprovação no curso dos sonhos, seja ele Medicina,

Leia mais

CAP - Curso de Aperfeiçoamento Profissional. Cronometragem e Cronoanálise - Nível Básico

CAP - Curso de Aperfeiçoamento Profissional. Cronometragem e Cronoanálise - Nível Básico Cronometragem e Cronoanálise - Nível Básico Toda empresa deve conhecer sua REAL capacidade de produção para que seja eficiente e produtiva, isso em qualquer tipo de segmento. Não conhecer os limites da

Leia mais

O ENSINO NA CONSTRUÇÃO DE COMPETÊNCIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

O ENSINO NA CONSTRUÇÃO DE COMPETÊNCIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA O ENSINO NA CONSTRUÇÃO DE COMPETÊNCIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA Autor: EDILSON JOSÉ DE CARVALHO E ANA ALICE Introdução Este trabalho é uma síntese das aulas da professora Ana Alice, que administrou a disciplina:

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LETRAS

ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LETRAS ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LETRAS INTRODUÇÃO O Estágio Supervisionado constitui disciplina obrigatória do Currículo Pleno para conclusão dos Cursos de Licenciatura do Centro Universitário do Cerrado-

Leia mais

C O M U N I C A D O. 1 O Núcleo de Registro e Controle Acadêmico (NRCA) fará a matrícula dos alunos do 8 e do 9 semestres na disciplina indicada.

C O M U N I C A D O. 1 O Núcleo de Registro e Controle Acadêmico (NRCA) fará a matrícula dos alunos do 8 e do 9 semestres na disciplina indicada. COMUNICADO CEM/IT 2/2017 DIVULGA A RELAÇÃO DE DISCIPLINAS RECOMENDADAS COMO OPTATIVAS PARA O 1º SEMESTRE LETIVO DE 2018 DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DO CAMPUS ITATIBA DA UNIVERSIDADE SÃO

Leia mais

O verbo estudar implica em usar a inteligência para aprender, guardar na memória, decorar, memorizar, pensar sobre (algo), meditar e refletir.

O verbo estudar implica em usar a inteligência para aprender, guardar na memória, decorar, memorizar, pensar sobre (algo), meditar e refletir. ORIENTAÇÕES DE ESTUDO DE MATEMÁTICA AVALIAÇÃO PARCIAL 1º TRIMESTRE 2016 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Iniciamos o ano letivo aprendendo que é necessário adquirir o hábito de estudar e praticar o que já

Leia mais

Profa. Dra. Irene Miura

Profa. Dra. Irene Miura MAPAS CONCEITUAIS Profa. Dra. Irene Miura APRESENTAÇÃO Definição Objetivo Fundamentação Teórica Elaboração de Mapas Conceituais Avaliação de Mapas Conceituais Softwares (Inspiration, mind map, free mind)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DOCENTE: ALESSANDRA ASSIS DISCENTE: SILVIA ELAINE ALMEIDA LIMA DISCIPLINA: ESTÁGIO 2 QUARTO SEMESTRE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DOCENTE: ALESSANDRA ASSIS DISCENTE: SILVIA ELAINE ALMEIDA LIMA DISCIPLINA: ESTÁGIO 2 QUARTO SEMESTRE PEDAGOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DOCENTE: ALESSANDRA ASSIS DISCENTE: SILVIA ELAINE ALMEIDA LIMA DISCIPLINA: ESTÁGIO 2 QUARTO SEMESTRE PEDAGOGIA A leitura de mundo precede a leitura da palavra Paulo Freire

Leia mais

...l.. = 1 x 50 = 50 = 50DA 2 2 x

...l.. = 1 x 50 = 50 = 50DA 2 2 x Numa banca de jornal, observa-se que 30 pessoas compram o jornal A, 48 compram o jornal B, e 72 compram outros jornais. Você sabe dizer: a porcentagem de pessoas que compram o jornal A? a porcentagem de

Leia mais

Cursos Profissionais Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (3º ano de formação)

Cursos Profissionais Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (3º ano de formação) GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Profissionais Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (3º ano de formação) Página 1 de 6 Competências Gerais Utilizar a perspectiva da Sociologia na

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS - 2º CICLO - 2018/2019 Os critérios de avaliação têm como documentos de referência o Programa de Português

Leia mais

10 Ferramentas de Gestão em Excel Essenciais para Negócios

10 Ferramentas de Gestão em Excel Essenciais para Negócios Uma empresa que está começando, ou até algumas mais maduras, sempre possuem dúvidas sobre quais ferramentas de gestão implementar para garantir eficiência no controle e execução de processos. Algumas tentam

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Curso de Graduação

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Curso de Graduação FASIPE CENTRO EDUCACIONAL LTDA. Mantenedora FACULDADE FASIPE Mantida ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Curso de Graduação MANUAL DE APLICAÇÃO DE ATIVIDADE PRÁTICA SUPERVISIONADA Sinop - MT O QUE É

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Engenharia Mecânica 8ª Série Engenharia Integrada por Computador A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido

Leia mais

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO 1 CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO 2 BIOINFORMÁTICA É a junção da ciência computacional e da biologia molecular. Para tal associação utiliza conhecimentos: Da física; Biologia; Química;

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP DIRETORIA DE AVALIAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP DIRETORIA DE AVALIAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP DIRETORIA DE AVALIAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e

Leia mais

SARESP - 9º ANO CIÊNCIAS HUMANAS / HISTÓRIA E GEOGRAFIA. DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE SÃO VICENTE Equipe de Ciências Humanas

SARESP - 9º ANO CIÊNCIAS HUMANAS / HISTÓRIA E GEOGRAFIA. DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE SÃO VICENTE Equipe de Ciências Humanas SARESP - 9º ANO CIÊNCIAS HUMANAS / HISTÓRIA E GEOGRAFIA DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE SÃO VICENTE Equipe de Ciências Humanas SARESP - 9º ANO GEOGRAFIA Grupos de competências avaliadas nas provas do

Leia mais

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO. Recomendação 193. Genebra, 20 de junho de 2002. Tradução do Texto Oficial

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO. Recomendação 193. Genebra, 20 de junho de 2002. Tradução do Texto Oficial CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO TRABALHO Recomendação 193 Recomendação sobre a Promoção de Cooperativas adotada pela Conferência em sua 90 ª Reunião Genebra, 20 de junho de 2002 Tradução do Texto Oficial

Leia mais

Como montar uma equipe eficiente de Inteligência Competitiva

Como montar uma equipe eficiente de Inteligência Competitiva Como montar uma equipe eficiente de Inteligência Competitiva Apresentação Para praticar Inteligência Competitiva (IC), uma organização deve contar com o apoio de profissionais que priorizam uma administração

Leia mais

E-book: 5 Dicas. para ser um bom vendedor no Agronegócio. com Marco Antonio Leite Lopes CURSOS ONLINE AGRIPOINT. agripoint.com.

E-book: 5 Dicas. para ser um bom vendedor no Agronegócio. com Marco Antonio Leite Lopes CURSOS ONLINE AGRIPOINT. agripoint.com. E-book: 5 Dicas para ser um bom vendedor no Agronegócio com Marco Antonio Leite Lopes agripoint.com.br/cursos Para auxiliar aqueles que atuam ou desejam atuar no setor de vendas de empresas relacionadas

Leia mais

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO CURSO: FABRICAÇÃO DE PÃES DOCE E SEMIDOCE - 60 horas ÁREA: ALIMENTOS E BEBIDAS MODALIDADE: APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL Plano de Curso Simplificado FP.EP.04.08 Revisão 1 20/08/2014

Leia mais