Criação de Novilhas Leiteiras

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Criação de Novilhas Leiteiras"

Transcrição

1 Criação de Novilhas Leiteiras Introdução Tópicos Objetivos da criação de novilhas Estimativa do número de novilhas no rebanho Manejo da Novilha Considerações Econômicas (Criar ou Terceirizar?) Salvador, 5 de outubro de 27 André Luiz Dala Paula Ramos Méd. Veterinário rio Considerações Finais Introdução Objetivos da Criação de Novilhas Investimento sem retorno imediato Minimizar os custos X desenvolvimento do animal Novilhas = investimento na atividade de leite Compatibilidade entre as fases Reposição Aumento do rebanho Melhoramento genético Comercialização Estimativa do Número N de Novilhas no Rebanho (I) Estimativa do Número N de Novilhas no Rebanho (II) Descarte de matrizes Idade à primeira cria (IPC) % NOVILHAS [(% descarte x x 2) x (IPC/22) x (1 + % de morte e descarte de novilhas)] 1

2 Estimativa do Número N de Novilhas no Rebanho (III) Estimativa do Número N de Novilhas no Rebanho (IV) => Ex: Taxa de descarte = 25% IPC = meses Taxa de descarte + mortalidade = 1% => Ex: % novilhas = 59 Então, em um rebanho de matrizes teremos 59 novilhas. TABELA 1- Efeitos da idade ao primeiro parto e taxa de rebanho estabilizado em tamanho por vacas. TABELA 1- Efeitos da idade ao primeiro parto e taxa de rebanho estabilizado em tamanho por vacas. % % % % % % % % Fonte: Escola Agrotécnica de Castanhal Manejo da vaca leiteira (26) TABELA 1- Efeitos da idade ao primeiro parto e taxa de rebanho estabilizado em tamanho por vacas. TABELA 1- Efeitos da idade ao primeiro parto e taxa de rebanho estabilizado em tamanho por vacas. % % % % % % % %

3 TABELA 1- Efeitos da idade ao primeiro parto e taxa de rebanho estabilizado em tamanho por vacas. Manejo da Novilha Período pré-puberdade % % % % AUMENTO DE 5% Período de puberdade Período reprodutivo Período de gestação Período pré-parto Período pré-puberdade puberdade (I) Figura 1: Taxas de crescimento da glândula mamária em comparação com a taxa de crescimento do corpo de bezerras dos dois aos 12 meses de idade. 8 9 kg até 2 31 kg; Aumento acelerado da matriz adiposa e proliferação dos ductos = gl. mamária; Crescimento alométrico. Fonte: Embrapa Gado de Leite Estratégias para obtenção de fêmeas para a reprodução em bovinos leiteiros Período pré-puberdade puberdade (II) Ganho de peso (período crítico): - taxas elevadas => prejudicial - controle sistemático; - sub-alimentação x super-alimentação Período de puberdade (I) Idade fisiológica X Idade cronológica; controle sistemático do peso; sub-alimentação x super-alimentação 3

4 Tabela 2. Pesos vivos à puberdade e aqueles mais indicados para a cobrição ão,, de acordo com a raça Figura 2: Estratégia de crescimento de novilhas de raças grandes para parição aos meses de idade. Raças Peso Vivo (kg) Puberdade Cobrição Holandesa 2- Ayrshire -5 2 Guernsey Jersey Mestiças Holandês-Zebu Fonte: Embrapa Gado de Leite Estratégias para obtenção de fêmeas para a reprodução em bovinos leiteiros Fonte: Embrapa Gado de Leite Estratégias para obtenção de fêmeas para a reprodução em bovinos leiteiros Figura 3: Estratégia de crescimento de novilhas mestiças Holandês-Zebu para parição aos 33 meses de idade. Exigência Nutricional (I) Pode ser realizada a pasto; Suplementos volumosos (silagem de milho, feno, cana). Fonte: Embrapa Gado de Leite Estratégias para obtenção de fêmeas para a reprodução em bovinos leiteiros Evitar obesidade das novilhas - parto distócicos; - infecção uterina (metrite); - mamite; - diminuição da vida produtiva. - diminuição das lactações produtivas. TABELA 3. Influência do ganho de peso na época Experimento da puberdade sobre a produção de leite Fonte: FARIA & CHIFI FILHO (1978) Ganho de Peso Diário na Época da Puberdade (g) Kg de Leite em 5 dias Redução % 2,1 2,4 19,3 4,8 Exigência Nutricional (II) Raças grandes (concepção aos 15 meses = kg): - ganhos diários = g - volumoso - concentrado (1 2 kg) - crescimento uniforme - período de restrição = perda de produção 4

5 Tabela 4. Exigências nutricionais das novilhas (1) de raça holandesa, em Proteína Bruta e NDT. Exigência Nutricional (III) Raças pequenas (concepção aos meses = 3 kg): 12 1 kg aos 6 meses: - ganho diário = 5 g Fonte: NRC (1989) artificial - sistema tradicional X aleitamento - volumoso + concentrado (1 2 kg) Exigência Nutricional (IV) Exigência Nutricional (V) Raças pequenas (concepção aos meses = 3 kg): 3 kg aos meses: - ganho diário = 4 g - época das águas (pasto) Raças pequenas (concepção aos meses = 3 kg): 3 kg aos meses: - época da seca - supl. volumosa + concentrado - peso de cobrição no final dessa estação volumosa) - época da seca (suplementação Manejo da Novilha apta para a reprodução Colocadas junto às vacas em lactação (detecção do cio) Ganho de peso: 4 a 6 g/dia Dominância: cocho X disponibilidade de alimentos Manejo da novilha gestante (I) Diagnóstico => a vacas seca e/ou novilhas Ganho de peso diário: - grandes: 8 g (parto: 5 55 kg) - mestiças: 45 6 g (parto: 45 5 kg) 5

6 Manejo da novilha gestante (II) Ganho de peso da cobrição ao parto: - grandes: +/- 2 kg. - mestiças/pequenas: +/- 15 kg. Manejo da novilha gestante (III) Fornecimento de Concentrado Dependente da qualidade do volumoso - excelente qualidade: - acima de 6% NDT, na MS =,9 a 1,8 kg - baixa qualidade: - inferior a 6% NDT, na MS = 1,8 a 2,7 kg Manejo da novilha antes do parto (I) Manejo da novilha antes do parto (II) 3 4 semanas antes parto - manejo - alimentação - instalação Treinar as semoventes Paciência Escore corporal Tabela 5. Escore da condição corporal (ECC) das novilhas em diferentes idades Realidade dos Criadores Idade (meses) ECC 3 2,2 6 2,3 9 2,4 12 2,8 15 2,9 18 3,2 21 3,4 3,5 Crescimento normal X Problemas para criadores Cobrição precoce X Primeira Lactação x Perda de peso Fonte: HOFFMAN (15) IP prolongados Desenvolvimento corporal prejudicado 6

7 Considerações Econômicas (I) Tabela 5: Custo diário de novilhas (até 3 kg; 3 kg até o parto) em equivalente leite 15 a dos custos Descarte ideal = 2 a Categoria Até os 3 kg 3 kg até parto Dias * 2 Equivalente leite ** 3,18 1, Valor do leite (litro)***,, Custos (R$) 1.7,42 1,6 Idade ao primeiro parto X Número de novilhas Nascimento até primeiro parto * Idade à primeira cria = 33 meses ** Fonte: Adaptado de Martins et al (23) *** Fonte: CEPEA/Esalq - USP 2,, 1.159,49 Tabela 6. Influência da idade ao primeiro parto sobre o número n de primíparas paras disponíveis anualmente e sobre a receita das venda das novilhas Idade ao primeiro parto (meses) Número de primíparas disponíveis anualmente Receita anual da venda de novilhas (R$) 1.159, , ,96 6.9, 9.2, 12.4, , *Considerando um rebanho estável de matrizes com intervalos de parto de 13 meses, mortalidade de bezerras no 1º ano 1%, no 2º ano 5% e no 3º ano 3%, dos animais nascidos, 5% são fêmeas, taxa de descarte de matrizes ao ano de 25% e preço de uma novilha de R$ 1.159,49. Fonte: Adaptado de SANTOS et al. (21). TABELA 7. Comparações entre três sistemas de Características do sistema Cobertura (meses) Situação aos 3 anos Leite produzido no período (litros) Receita com leite* (R$,35/litro) Consumo de ração** concentrada (kg) Custo da ração*** (R$,29) Balanço (em reais) criação de novilhas Partos aos meses 27 Início da primeira lactação Partos aos meses 21 6 meses de lactação , 1.2, 3, 9, Partos aos meses 15 Primeira lactação encerrada 6. 2., 2., 54, 1., *Preço médio do leite, no Paraná, em julho de 22. **Foi tomado como base, uma relação para produção de leite da ordem de 3 kg de leite para 1 kg de concentrado fornecido. ***Preço médio da ração concentrada, utilizada para produção de leite, no Paraná, em julho de 22. Fonte: Adaptado de Santos & Damasceno (19). Criar ou terceirizar? (I) Vantagens em criar: - obtenção de animais melhores - evitar entrada de doenças no rebanho - maximizar a utilização da empresa - oportunidade de venda do excedente Criar ou terceirizar? (II) Vantagem em comprar: - especialização na produção de leite - atenção e recursos desviados - melhor o rebanho mais rapidamente 7

8 Criar ou terceirizar? (III) Vai depender: - Preço; - Oferta de animais; - Eficiência de criação. Considerações Finais (I) Alimentação pré-puberal Idade ao início da puberdade Considerações Finais (II) OBRIGADO O Sucesso da criação de novilhas e exploração da atividade leiteira está na eficiência produtiva da empresa rural André Luiz Dala Paula Ramos Médico Veterinário 8

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Prof. Me.: Whelerson Luiz Vitro vitro@fea.br Disciplina de Bovinocultura FEA Andradina 2015 Introdução O desempenho adequado de qualquer sistema de produção

Leia mais

Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em 2008

Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em 2008 MANEJO E EVOLUÇÃO DE REBANHO DE BOVINOS DE CORTE Prof. Dr. Cássio C. Brauner Prof. Dr. Marcelo A. Pimentel Departamento de Zootecnia FAEM -UFPel Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em

Leia mais

Custos de produção e Planejamento do rebanho

Custos de produção e Planejamento do rebanho Custos de produção e Planejamento do rebanho A estimativa dos custos de produção permite avaliar a viabilidade do negócio. Custo Operacional (CO) Despesas de custeio / produção de leite. Custo Operacional

Leia mais

CRIAÇÃO DE NOVILHAS DESMAMA AO PRIMEIRO PARTO 34) TAXA DE CRESCIMENTO Michel A. Wattiaux Babcock Institute

CRIAÇÃO DE NOVILHAS DESMAMA AO PRIMEIRO PARTO 34) TAXA DE CRESCIMENTO Michel A. Wattiaux Babcock Institute Instituto Babcock para Pesquisa e Desenvolvimento da Pecuária Leiteira Internacional University of Wisconsin-Madison Essenciais em Gado de Leite CRIAÇÃO DE NOVILHAS DESMAMA AO PRIMEIRO PARTO 34) TAXA DE

Leia mais

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Prof. Me.: Whelerson Luiz Vitro vitro@fea.br Disciplina de Bovinocultura FEA Andradina 2015 Introdução O desempenho adequado de qualquer sistema de produção

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina AGF473 Produção de Ruminantes

Programa Analítico de Disciplina AGF473 Produção de Ruminantes Catálogo de Graduação 016 da UFV 0 Programa Analítico de Disciplina AGF7 Produção de Ruminantes Campus de Florestal - Campus de Florestal Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas:

Leia mais

Inovações nutricionais para incremento da produtividade na cria: A Suplementação Tecnológica

Inovações nutricionais para incremento da produtividade na cria: A Suplementação Tecnológica Beef Expo 15 de junho de 2016 São Paulo, SP Inovações nutricionais para incremento da produtividade na cria: A Suplementação Tecnológica João Marcos Beltrame Benatti Supervisor de Treinamento Técnico Trouw

Leia mais

Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras.

Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras. Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras. Apresentadores: Guilherme Nunes Bolzan Igor Santa Bárbara Araújo Orientação:

Leia mais

REPETIBILIDADE. O termo repetibilidade refere-se a expressão de um mesmo caráter em épocas distintas na vida do animal.

REPETIBILIDADE. O termo repetibilidade refere-se a expressão de um mesmo caráter em épocas distintas na vida do animal. REPETIBILIDADE O termo repetibilidade refere-se a expressão de um mesmo caráter em épocas distintas na vida do animal. Produção de leite e gordura, produção de lã, comprimento da lã, peso e forma do ovo,

Leia mais

CALCULEITE - GUIA DO USUÁRIO

CALCULEITE - GUIA DO USUÁRIO CALCULEITE - GUIA DO USUÁRIO Embrapa Gado de Leite, 2015. Sumário Conteúdo 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3. ACESSO AO SISTEMA... 3 4. ESCOLHA DOS ALIMENTOS... 4 4.1.CADASTRO DE NOVOS

Leia mais

ESTAÇÃO DE MONTA: UMA FERRAMENTA PARA MAXIMIZAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA E O MELHORAMENTO GENÉTICO DOS REBANHOS

ESTAÇÃO DE MONTA: UMA FERRAMENTA PARA MAXIMIZAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA E O MELHORAMENTO GENÉTICO DOS REBANHOS ESTAÇÃO DE MONTA: UMA FERRAMENTA PARA MAXIMIZAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA E O MELHORAMENTO GENÉTICO DOS REBANHOS ANTONIO DE LISBOA RIBEIRO FILHO Prof. Adjunto Departamento de Patologia e Clínicas EMV UFBA

Leia mais

Manejo nutricional de vacas em lactação

Manejo nutricional de vacas em lactação Manejo nutricional de vacas em lactação O que se espera das vacas leiteiras? Desafio Pico da produção Concepção de uma nova cria nos primeiros 85 dias de lactação Adequado manejo nutricional durante o

Leia mais

ALGUNS ASPECTOS ECONÔMICOS E DE MANEJO NA CRIAÇÃO DE NOVILHAS LEITEIRAS

ALGUNS ASPECTOS ECONÔMICOS E DE MANEJO NA CRIAÇÃO DE NOVILHAS LEITEIRAS Artigo publicada na Revista Balde Branco em Maio de 2001, p.56-60. ALGUNS ASPECTOS ECONÔMICOS E DE MANEJO NA CRIAÇÃO DE NOVILHAS LEITEIRAS Geraldo Tadeu dos Santos 1, Fábio Luiz Bim Cavalieri 2, Ely Mitie

Leia mais

Manejo reprodutivo em bovinos

Manejo reprodutivo em bovinos Manejo reprodutivo em bovinos Índices Zootécnicos Bovinos de corte Atual Preconizado Natalidade 60% 75-80% Desmame 55% 76% Idade ao primeiro parto Intervalo entre partos 21 meses Bovinos de leite 48 meses

Leia mais

ALTERNATIVAS DE MANEJO ALIMENTAR, DE ORDENHA E DE CRIA PARA VACAS F1 HZ EM REGIME DE PASTAGENS

ALTERNATIVAS DE MANEJO ALIMENTAR, DE ORDENHA E DE CRIA PARA VACAS F1 HZ EM REGIME DE PASTAGENS ALTERNATIVAS DE MANEJO ALIMENTAR, DE ORDENHA E DE CRIA PARA VACAS F1 HZ EM REGIME DE PASTAGENS Clarice Bechara Meurer (1), José Reinaldo Mendes Ruas (2) (1) Bolsista PIBIC FAPEMIG/EPAMIG, claricebechara@yahoo.com.br;

Leia mais

PRODUÇÃO DE F1 COM MONTA NATURAL

PRODUÇÃO DE F1 COM MONTA NATURAL Cad. Téc. Esc. Vet. UFMG, n.18, p.53-60, 1996. 53 PRODUÇÃO DE F1 COM MONTA NATURAL Sérgio Rates Reis Roberto Junqueira Para produção de novilhas meio-sangue Holandês-Guzerá, foi implementado um esquema

Leia mais

CONTROLE ZOOTÉCNICO - TÉCNICA EFICIENTE E NECESSÁRIA

CONTROLE ZOOTÉCNICO - TÉCNICA EFICIENTE E NECESSÁRIA 1 CONTROLE ZOOTÉCNICO - TÉCNICA EFICIENTE E NECESSÁRIA O mercado de leite no Brasil é historicamente conhecido por apresentar tendências instáveis e impondo, principalmente, estreitas margens ao produtor.

Leia mais

MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO

MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO Anualpec, 2010 1 O - UNIÃO EUROPÉIA (27) 2 O - ÍNDIA 3 O - EUA 4 O - RÚSSIA 5 O - CHINA 6 O - BRASIL PRODUÇÃO MUNDIAL DE LEITE PERSPECTIVA MAIORES PRODUTORES DE LEITE

Leia mais

CONTROLE ZOOTÉCNICO EM PROPRIEDADES LEITEIRAS DIEGO CRUZ. Uso de ferramentas gerencias na produção eficiente de leite

CONTROLE ZOOTÉCNICO EM PROPRIEDADES LEITEIRAS DIEGO CRUZ. Uso de ferramentas gerencias na produção eficiente de leite CONTROLE ZOOTÉCNICO EM PROPRIEDADES LEITEIRAS DIEGO CRUZ Uso de ferramentas gerencias na produção eficiente de leite CONTROLE ZOOTÉCNICO EM PROPRIEDADES LEITEIRAS 1 O mercado de leite no Brasil é historicamente

Leia mais

Impacto do pré e pós parto no resultado produtivo e reprodutivo em fazendas leiteiras

Impacto do pré e pós parto no resultado produtivo e reprodutivo em fazendas leiteiras Impacto do pré e pós parto no resultado produtivo e reprodutivo em fazendas leiteiras Rafael Augusto Águido Técnico da Equipe Leite Rehagro Consultor SEBRAE-CE Período de Transição O que é o período de

Leia mais

Avaliação da produção de leite e da porcentagem de gordura em um rebanho Gir leiteiro

Avaliação da produção de leite e da porcentagem de gordura em um rebanho Gir leiteiro Avaliação da produção de leite e da porcentagem de gordura em um rebanho Gir leiteiro Gabriel Borges Pacheco¹; Laís Cristine Costa¹; Gian Carlos Nascimento¹; Camila Alves Romualdo¹; Marco Antônio Faria¹;

Leia mais

Fatores de risco específicos da vaca para retenção de placenta, metrite e mastite clínica da raça Holandês

Fatores de risco específicos da vaca para retenção de placenta, metrite e mastite clínica da raça Holandês UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE CLÍNICAS VETERINÁRIA www.ufpel.edu.br/nupeec Fatores de risco específicos da vaca para retenção de placenta, metrite e mastite clínica

Leia mais

Cruzamentos. Noções de melhoramento parte 3. Cruzamentos. Cruzamento X Seleção. Como decidir o cruzamento? EXEMPLOS

Cruzamentos. Noções de melhoramento parte 3. Cruzamentos. Cruzamento X Seleção. Como decidir o cruzamento? EXEMPLOS Noções de melhoramento parte 3 Cruzamentos Profa. Renata de Freitas F. Mohallem Cruzamentos Acasalamento: Troca de Gametas que resulta em concepção, gestação e nascimento de filhos. Explora as diferenças

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Bovinocultura de Corte e Leite Código da Disciplina: AGR 361 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: 7 p Faculdade responsável: Agronomia Programa em vigência

Leia mais

Características da vaca O que esperar de uma vaca. que afetam a economia. de produção de leite. leiteira. Vidal Pedroso de Faria.

Características da vaca O que esperar de uma vaca. que afetam a economia. de produção de leite. leiteira. Vidal Pedroso de Faria. Características da vaca O que esperar de uma vaca que afetam a economia leiteira de produção de leite Vidal Pedroso de Faria vpdfaria@gmail.com A responsabilidade das vacas em lactação na fazenda leiteira

Leia mais

Cruzamento em gado de corte. Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes Zootecnista, DSc Pesquisador Embrapa Gado de Corte

Cruzamento em gado de corte. Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes Zootecnista, DSc Pesquisador Embrapa Gado de Corte Cruzamento em gado de corte Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes Zootecnista, DSc Pesquisador Embrapa Gado de Corte Resumo Introdução: Cruzamento o que é? Por que? Aspectos/conceitos importantes Sistemas

Leia mais

MANEJO DA NOVILHA EM GADO DE CRIA

MANEJO DA NOVILHA EM GADO DE CRIA MANEJO DA NOVILHA EM GADO DE CRIA Prof. Júlio O. J. Barcellos, Med.Vet., Dep. Zootecnia Fac. Agronomia e- mail: julio.barcellos@ufrgs.br http://www.ufrgs.br 1 ESTRUTURA DO TEMA A novilha e o sistema de

Leia mais

Curso Online: Índices Zootécnicos: como calcular, interpretar, agir

Curso Online: Índices Zootécnicos: como calcular, interpretar, agir Texto Complementar 1a Raça Holandesa: Pontos fortes e limitações de hoje, oportunidades no futuro Prof. Dr. Rodrigo de Almeida UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Observação: Artigo publicado no site MilkPoint

Leia mais

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Recria - Gestação Lactação. Cachaço 08/06/2014. Levar em consideração: Exigências nutricionais de fêmeas suínas

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Recria - Gestação Lactação. Cachaço 08/06/2014. Levar em consideração: Exigências nutricionais de fêmeas suínas NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO Recria - Gestação Lactação Cachaço Msc. Daniela Junqueira Rodrigues Exigências nutricionais de fêmeas suínas 1. Linhagem 2. Estágio de desenvolvimento do animal 3. Consumo de ração

Leia mais

Vantagens e Benefícios: Vantagens e Benefícios:

Vantagens e Benefícios: Vantagens e Benefícios: Proteinados Independente da época do ano, a suplementação proteica tem se mostrado uma excelente ferramenta para aumentar o ganho de peso dos animais. O fornecimento do Proteinado agpastto melhora o padrão

Leia mais

TECNOLOGIAS APLICADAS PARA INTENSIFICAR O SISTEMA DE PRODUÇÃO

TECNOLOGIAS APLICADAS PARA INTENSIFICAR O SISTEMA DE PRODUÇÃO Interiorização da VI Jornada NESPRO TECNOLOGIAS APLICADAS PARA INTENSIFICAR O SISTEMA DE PRODUÇÃO Leonardo Canali Canellas Médico Veterinário, MSc em Zootecnia Doutorando em Zootecnia - UFRGS Itaqui, 03

Leia mais

OBJETIVOS PASTAGENS NA RECRIA DE TERNEIROS REDUÇÃO NA IDADE DE ABATE. Luís Fernando G. de Menezes

OBJETIVOS PASTAGENS NA RECRIA DE TERNEIROS REDUÇÃO NA IDADE DE ABATE. Luís Fernando G. de Menezes OBJETIVOS PASTAGENS NA RECRIA DE TERNEIROS IDADE DE ABATE IDADE DE ENTOURE Luís Fernando G. de Menezes Zootecnista, Dr. UTFPR luismenezes@utfpr.edu.br REDUÇÃO NA IDADE DE ABATE OBJETIVOS: Aumentar a taxa

Leia mais

O papel da suplementação na Pecuária Leiteira

O papel da suplementação na Pecuária Leiteira O papel da suplementação na Pecuária Leiteira Nutrição e Suplementação... São a mesma coisa? Nutrição / Desnutrição Nutrição / Desnutrição Nutrição / Desnutrição Nutrição É o processo biológico pelo qual

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Bovinocultura de Corte e Leite Código: VET244 Curso: Medicina Veterinária Semestre de oferta: 7 p Faculdade responsável: Medicina Veterinária Programa em vigência a partir

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA DA UTILIZAÇÃO DE ALFAFA EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE LEITE

ANÁLISE ECONÔMICA DA UTILIZAÇÃO DE ALFAFA EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE LEITE ANÁLISE ECONÔMICA DA UTILIZAÇÃO DE ALFAFA EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE LEITE Marcela de Mello Brandão Vinholis Embrapa Pecuária Sudeste São Carlos junho - 2008 Introdução Mudanças econômicas década de 90

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA PARA A RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRAS EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO SUDOESTE DO PARANÁ - PROJETO UDPL

A INFLUÊNCIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA PARA A RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRAS EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO SUDOESTE DO PARANÁ - PROJETO UDPL A INFLUÊNCIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA PARA A RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRAS EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO SUDOESTE DO PARANÁ - PROJETO UDPL Jacson Rodrigo Cullmann 1, Fernando Kuss 2, Almir Antônio Gnoatto

Leia mais

Sistema Intensivo de Produção de leite da Embrapa Pecuária Sudeste

Sistema Intensivo de Produção de leite da Embrapa Pecuária Sudeste Pecuária Sudeste Minitério da Agricultura, Pecuária e Abasteciment

Leia mais

RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO

RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO RESULTADOS TÉCNICOS E ECONÔMICOS URT DE COMBINADO FAZENDA PARAISO Equipe Técnica Responsável técnico RURALTINS Carlos Rodrigo Xavier Oliveira Técnico/Tecnólogo em Agropecuária Responsável técnico EMBRAPA

Leia mais

Estratégias para melhorar a eficiência reprodutiva em rebanhos de corte

Estratégias para melhorar a eficiência reprodutiva em rebanhos de corte Estratégias para melhorar a eficiência reprodutiva em rebanhos de corte Pietro S. Baruselli Departamento de Reprodução Animal Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Universidade de São Paulo 20%

Leia mais

Manejo reprodutivo I. Fernando Miranda de Vargas Junior Zootecnista, DSc.

Manejo reprodutivo I. Fernando Miranda de Vargas Junior Zootecnista, DSc. Manejo reprodutivo I Fernando Miranda de Vargas Junior Zootecnista, DSc. MNEJO REPRODUTIVO Escolha do macho Escolha da fêmea Flushing Efeito macho Seleção Melhoramento MNEJO REPRODUTIVO Exame andrológicos

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Melhoramento Animal Código: VET224 Curso: Medicina Veterinária Semestre de oferta: 4 Faculdade responsável: Medicina Veterinária Programa em vigência a partir de: Créditos:

Leia mais

Aspectos econômicos da aplicação de técnicas reprodutivas: MN, IA e IATF. Thaís Basso Amaral Fernando Paim Costa

Aspectos econômicos da aplicação de técnicas reprodutivas: MN, IA e IATF. Thaís Basso Amaral Fernando Paim Costa Aspectos econômicos da aplicação de técnicas reprodutivas: MN, IA e IATF Thaís Basso Amaral Fernando Paim Costa INTRODUÇÃO Questionamentos ligados à reprodução: O que é O que é mais economicamente viável,

Leia mais

Nestlé GUIA TÉCNICO. Controles zootécnicos. Registros de produção e reprodução contribuem para o sucesso na atividade

Nestlé GUIA TÉCNICO. Controles zootécnicos. Registros de produção e reprodução contribuem para o sucesso na atividade Nestlé Controles zootécnicos Registros de produção e reprodução contribuem para o sucesso na atividade Ano 1 Número 6 Out./Nov. 2014 GUIA TÉCNICO Eficiência e qualidade na produção leiteira Nesta Edição

Leia mais

ESTAÇÃO DE MONTA: POR QUE INVESTIR? EDSON RAMOS DE SIQUEIRA FMVZ / UNESP Botucatu- SP

ESTAÇÃO DE MONTA: POR QUE INVESTIR? EDSON RAMOS DE SIQUEIRA FMVZ / UNESP Botucatu- SP ESTAÇÃO DE MONTA: POR QUE INVESTIR? EDSON RAMOS DE SIQUEIRA FMVZ / UNESP Botucatu- SP OBTENÇÃO DE ALTOS ÍNDICES REPRODUTIVOS (OWEN, 1988) PRECOCIDADE LONGEVIDADE REPRODUTIVA INTERVALO ENTRE PARTOS PROLIFICIDADE

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONSUMO E PESO DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ALIMENTADOS COM CONCENTRADO FARELADO OU PELETIZADO DURANTE A FASE DE ALEITAMENTO

AVALIAÇÃO DO CONSUMO E PESO DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ALIMENTADOS COM CONCENTRADO FARELADO OU PELETIZADO DURANTE A FASE DE ALEITAMENTO AVALIAÇÃO DO CONSUMO E PESO DE BEZERROS DA RAÇA GIROLANDO ALIMENTADOS COM CONCENTRADO FARELADO OU PELETIZADO DURANTE A FASE DE ALEITAMENTO FERREIRA, F.O.B. 1 ; BARBOSA, K.A. 1 ; SENE, G.A. 1 ; JAYME, D.G.

Leia mais

Acélio Fontoura Júnior

Acélio Fontoura Júnior Produção Animal I Noções básicas sobre produção de bovinos de corte Acélio Fontoura Júnior acelio@unipampa.edu.br Entoure de uma maneira geral Puberdade 1 e 2 entoure Demanda dos ventres e terneiros Disponibilidade

Leia mais

Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras. Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia

Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras. Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia Por que devemos nos preocupar com Eficiência Reprodutiva? Eficiência Reprodutiva

Leia mais

Treinamento: Bovinocultura de corte (manejo e sanidade) Cód. 403

Treinamento: Bovinocultura de corte (manejo e sanidade) Cód. 403 SISTEMAS DE PRODUÇÃO 1. SISTEMA EXTENSIVO: Quando os animais são criados extensivamente, no pasto, só são trazidos para o centro de manejo para a práticas zootécnicas (vacinações, castrações, brincagem).

Leia mais

A PARCEIRA DO CRIADOR

A PARCEIRA DO CRIADOR A PARCEIRA DO CRIADOR Especialista na fabricação de produtos para nutrição animal com diferenciada atenção para a sua qualidade, a Rações Dugrão é uma empresa com conhecimentos sofisticados em rações

Leia mais

ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL EM BUBALINOS

ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL EM BUBALINOS Disciplina de Bubalinocultura ESCORE DE CONDIÇÃO CORPORAL EM BUBALINOS Prof. Dr. André M. Jorge UNESP-FMVZ-Botucatu Depto. Produção e Exploração Animal A quantidade de reservas corporais que uma búfala

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Estação de monta de um rebanho nelore no Estado de Goiás

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Estação de monta de um rebanho nelore no Estado de Goiás PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Estação de monta de um rebanho nelore no Estado de Goiás Gabriela Lucia Bonato¹ e Ricarda Maria dos Santos 2 ¹ Graduada e mestranda pela Universidade

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Serviços em Pecuária de Leite Avaliação Ginecológica e Diagnóstico de Gestação com Aparelho de Ultrassonografia Exames Laboratoriais IATF Inseminação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO INFLUÊNCIA DA IDADE AO PRIMEIRO PARTO SOBRE O CUSTO DA RECRIA DE FÊMEAS DE REPOSIÇÃO

Leia mais

TERMINAÇÃO. Sistemas de produção de carne no Brasil Sistema de 2010 (x 1000) 2010 (%) Sistemas de Produção 11/03/2015

TERMINAÇÃO. Sistemas de produção de carne no Brasil Sistema de 2010 (x 1000) 2010 (%) Sistemas de Produção 11/03/2015 TERMINAÇÃO Sistemas de produção de carne no Brasil Sistema de 2010 (x 1000) 2010 (%) produção Confinamento 3.047 7,39 Semiconfinamento Pastagens inverno 2.583 6,27 822 1,99 Pastagem sem 34.748 84,35 definição

Leia mais

Avaliação de Indicadores Técnicos de Eficiência e Renda da Propriedade Leiteira

Avaliação de Indicadores Técnicos de Eficiência e Renda da Propriedade Leiteira Avaliação de Indicadores Técnicos de Eficiência e Renda da Propriedade Leiteira José Ladeira da Costa 1 Embrapa Gado de Leite A. Introdução Pretende-se com este artigo sensibilizar e estimular produtores

Leia mais

Uso de touros provados na IATF. André Dal Maso Gerente Técnico de Serviços

Uso de touros provados na IATF. André Dal Maso Gerente Técnico de Serviços Uso de touros provados na IATF André Dal Maso Gerente Técnico de Serviços BeefExpo Foz do Iguaçu outubro 2015 Mercado brasileiro % IATF/IA Número de IA (ASBIA) Detecção de Cio + IA Número de IATF 16.000.000

Leia mais

Manejo de pastagens Consumo de forragem

Manejo de pastagens Consumo de forragem Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Manejo de pastagens Consumo de forragem Magno José Duarte Cândido magno@ufc.br Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura-

Leia mais

TORTUGA. A MARCA PARA RUMINANTES DA DSM. Só a DSM tem proteinados com Minerais Tortuga. Por isso ela é única.

TORTUGA. A MARCA PARA RUMINANTES DA DSM. Só a DSM tem proteinados com Minerais Tortuga. Por isso ela é única. TORTUGA. A MARCA PARA RUMINANTES DA DSM. Só a DSM tem proteinados com Minerais Tortuga. Por isso ela é única. A marca Tortuga tem a linha completa de proteinados, que atende todas as necessidades do gado,

Leia mais

Prof. João Darós Malaquias Júnior CRIAÇÃO DE BEZERRAS

Prof. João Darós Malaquias Júnior CRIAÇÃO DE BEZERRAS Prof. João Darós Malaquias Júnior CRIAÇÃO DE BEZERRAS CRIAÇÃO DE BEZERRAS ALEITAMENTO ARTIFICIAL ALEITAMENTO NATURAL CRIAÇÃO DE BEZERRAS Cuidados com a VACA GESTANTE: no terço final da gestação é que há

Leia mais

PALMA NA ALIMENTAÇÃO DE VACAS LEITEIRAS Airon Aparecido Silva de Melo. Zootecnista, D.Sc. Professor UFRPE - UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS

PALMA NA ALIMENTAÇÃO DE VACAS LEITEIRAS Airon Aparecido Silva de Melo. Zootecnista, D.Sc. Professor UFRPE - UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS PALMA NA ALIMENTAÇÃO DE VACAS LEITEIRAS Airon Aparecido Silva de Melo Zootecnista, D.Sc. Professor UFRPE - UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS PALMA NA ALIMENTAÇÃO ANIMAL.? Característica da palma Cactácea

Leia mais

JÁ IMAGINOU UMA SOLUÇÃO COM 100% DE MELHORAMENTO GENÉTICO PRONTA PARA ACELERAR O FUTURO DO SEU REBANHO?

JÁ IMAGINOU UMA SOLUÇÃO COM 100% DE MELHORAMENTO GENÉTICO PRONTA PARA ACELERAR O FUTURO DO SEU REBANHO? JÁ IMAGINOU UMA SOLUÇÃO COM 100% DE MELHORAMENTO GENÉTICO PRONTA PARA ACELERAR O FUTURO DO SEU REBANHO? DESEMPENHO PRODU TIVI DADE A ABS está lançando um novo conceito no mercado de genética bovina: o

Leia mais

MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO

MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO Este relatório tem por finalidade apresentar mensalmente os índices do rebanhos para o controle atual, medias dos últimos 12 meses e de 12 a 24

Leia mais

NOÇÕES DE ALIMENTAÇÃO DE NOVILHAS. Esta deve ser considerada a regra mais importante na alimentação destes animais.

NOÇÕES DE ALIMENTAÇÃO DE NOVILHAS. Esta deve ser considerada a regra mais importante na alimentação destes animais. N 66 NOÇÕES DE ALIMENTAÇÃO DE NOVILHAS Uma novilha não é um animal de engorda. Esta deve ser considerada a regra mais importante na alimentação destes animais. Uma novilha criada demasiado gorda desenvolve

Leia mais

Aditivo Nutracêutico

Aditivo Nutracêutico Bem Vindos Dia de Campo Fazenda True Type Aditivo Nutracêutico Rico em Ácidos Graxos Essenciais Linolêico Ômega 6 Linolênico Ômega 3 Ação Reprodução Saúde Animal Fontes de Ômega-3 e 6 400g de ingestão

Leia mais

Gerenciamento da Ovinocultura

Gerenciamento da Ovinocultura Gerenciamento da Ovinocultura Base da apresentação... 6 anos de coleta de dados a campo sobre sistemas de produção no LAPOC; Produção de uma dissert. Mestrado sobre análise do resultado econômico dos sistemas;

Leia mais

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo 4º Workshop Precocidade Sexual. Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo José Luiz Moraes Vasconcelos DPA FMVZ UNESP Botucatu, SP vasconcelos@fca.unesp.br Precocidade em novilhas Nelore

Leia mais

Flushing. Flushing 07/04/2014. Aspectos reprodutivos dos suínos. Aspectos reprodutivos dos suínos

Flushing. Flushing 07/04/2014. Aspectos reprodutivos dos suínos. Aspectos reprodutivos dos suínos DIESTRO 14 dias Corposlúteosmaduros prod.progesterona Útero recebe óvulos fertilizados embriões Fêmeanão-prenhe luteóliseerecomeçodo ciclo Flushing > aportede energiaparaa fêmea10 diasantes dadata prevista

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2017/1 Mestrado Nutrição e Produção Animal Campus Rio Pomba ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA. Leia, com atenção, antes de começar!

PROCESSO SELETIVO 2017/1 Mestrado Nutrição e Produção Animal Campus Rio Pomba ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA. Leia, com atenção, antes de começar! ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA Leia, com atenção, antes de começar! 1. Este Caderno de Prova contém 10 (dez) questões: 5 (cinco) questões: Linha de Pesquisa 1. Nutrição e Produção de Bovinos; 5 (cinco) questões:

Leia mais

PREMIX MARCA AM com. Vit. e Monensina sódica (Proibido para equideos) MARCA AM DESDE JAN 1991 FAZENDO O MELHOR PARA PECUARIA

PREMIX MARCA AM com. Vit. e Monensina sódica (Proibido para equideos) MARCA AM DESDE JAN 1991 FAZENDO O MELHOR PARA PECUARIA PREMIX MARCA AM com Vit. e Monensina sódica (Proibido para equideos) MARCA AM DESDE JAN 1991 FAZENDO O MELHOR PARA PECUARIA ECONOMIZE ATÉ 40% FAZENDO VOCE MESMO AS FORMULAÇÕES COM PREMIX MARCA AM, e obterá

Leia mais

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras. Lucas Teixeira Costa Doutor em Zootecnia

Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras. Lucas Teixeira Costa Doutor em Zootecnia Cana-de-açúcar na alimentação de vacas leiteiras Lucas Teixeira Costa Doutor em Zootecnia ltcosta80@yahoo.com.br Capacidade agrícola Balança comercial Brasileira Qual o objetivo com sua empresa rural?

Leia mais

Produção de Leite Bubalino. Prof. Raul Franzolin Neto FZEA/USP

Produção de Leite Bubalino. Prof. Raul Franzolin Neto FZEA/USP Produção de Leite Bubalino Prof. Raul Franzolin Neto FZEA/USP Produção de Leite Bubalino Introdução produção de leite mundial e no Brasil Fatores que influem na produção e na composição do leite Característas

Leia mais

Classificação de Suplementos. Bruno Marson Zootecnista MSc.

Classificação de Suplementos. Bruno Marson Zootecnista MSc. Classificação de Suplementos Bruno Marson Zootecnista MSc. CLASSIFICAÇÕES DOS PRODUTOS DESTINADOS A NUTRIÇÃO ANIMAL (IN Nº 12 2004 / IN Nº 15 2009) Suplementos Suplemento Mineral Suplemento Mineral Com

Leia mais

Comparação do ganho de peso de bezerras alimentadas com leite de descarte e de leite normal durante a fase de aleitamento

Comparação do ganho de peso de bezerras alimentadas com leite de descarte e de leite normal durante a fase de aleitamento Comparação do ganho de peso de bezerras alimentadas com leite de descarte e de leite normal durante a fase de aleitamento Vinicius Emanoel Carvalho 1, Thiago Paim Silva 1, Marco Antônio Faria Silva 2,

Leia mais

Comportamento ingestivo de bovinos em confinamento

Comportamento ingestivo de bovinos em confinamento Comportamento ingestivo de bovinos em confinamento Nível de concentrado e Frequência do fornecimento da dieta Gustavo L. Sartorello o consumo de matéria seca é uma das variáveis mais importantes que influencia

Leia mais

MELHORAMENTO DE BOVINOS DE LEITE. Profa. Dra. Sandra Aidar de Queiroz Departamento de Zootecnia FCAV - UNESP

MELHORAMENTO DE BOVINOS DE LEITE. Profa. Dra. Sandra Aidar de Queiroz Departamento de Zootecnia FCAV - UNESP MELHORAMENTO DE BOVINOS DE LEITE Profa. Dra. Sandra Aidar de Queiroz Departamento de Zootecnia FCAV - UNESP O BOM MOMENTO DO LEITE MERCADO INTERNACIONAL US$ 3.000/ton Leite Pó ~ R$ 0,70/litro PRODUÇÃO

Leia mais

VACAS DE ALTA PRODUÇÃO: DESAFIOS E POTENCIALIDADES

VACAS DE ALTA PRODUÇÃO: DESAFIOS E POTENCIALIDADES VACAS DE ALTA PRODUÇÃO: DESAFIOS E POTENCIALIDADES Marcos Neves Pereira Universidade Federal de Lavras Departamento de Zootecnia Maior potencial Eficiência Utilização energética Energia bruta Energia fecal

Leia mais

III SEMINÁRIO CRUZAMENTO ANGUS

III SEMINÁRIO CRUZAMENTO ANGUS III SEMINÁRIO CRUZAMENTO ANGUS Fazenda Ponte Queimada Proprietário: Eduardo Musa de Freitas Guimarães 08 DE AGOSTO DE 2014 Dados da Propriedade: Localização: Barra do Garças MT; Área total: 2379 hectares;

Leia mais

Influência da qualidade do leite no desempenho de bezerras durante a fase de aleitamento

Influência da qualidade do leite no desempenho de bezerras durante a fase de aleitamento Influência da qualidade do leite no desempenho de bezerras durante a fase de aleitamento Vinícius Emanoel Carvalho 1, Thiago Paim Silva 1, Marco Antônio Faria Silva 2, Renison Teles Vargas 3, Cássia Maria

Leia mais

BENEFÍCIOS E recomendações nutricionais

BENEFÍCIOS E recomendações nutricionais BENEFÍCIOS E recomendações nutricionais Alimentando Vacas Leiteiras com hidropônico verde de forragem (FVH). Deve fornecer de 12 a 18 kg de forragem hidropônica Verde (FVH), divididos em duas partes, geralmente

Leia mais

Manipulação da Curva de Crescimento para Otimizar a Eficiência de Bovinos de Corte

Manipulação da Curva de Crescimento para Otimizar a Eficiência de Bovinos de Corte NESPRO, Porto Alegre, Setembro 2013 Manipulação da Curva de Crescimento para Otimizar a Eficiência de Bovinos de Corte Prof. Dante Pazzanese Lanna, Laboratório de Nutrição e Crescimento Animal Departamento

Leia mais

Fatores que afetam a quantidade e a composição do leite

Fatores que afetam a quantidade e a composição do leite 6PIV026 - Inspeção de Leite e Derivados Fatores que afetam a quantidade e a composição do leite Profa. Dra. Vanerli Beloti LIPOA UEL vbeloti@uel.br lipoa.uel@gmail.com 13 de Dezembro de 2016 Leite Produto

Leia mais

PRODUÇÃO ANIMAL TENDO COMO BASE ALIMENTAR A PALMA FORRAGEIRA

PRODUÇÃO ANIMAL TENDO COMO BASE ALIMENTAR A PALMA FORRAGEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS Avenida Bom Pastor, s/nº - Boa Vista - Garanhuns/PE 55.296-901 - Telefone: (87) 3764.5555 PRODUÇÃO ANIMAL

Leia mais

DESAFIOS DA PECUÁRIA LEITEIRA

DESAFIOS DA PECUÁRIA LEITEIRA DESAFIOS DA PECUÁRIA LEITEIRA Walter Miguel Ribeiro Engenheiro Agrônomo GERAR RENDA??? Como gerar renda Renda Resultado = Quantidade de leite + Quantidade de animais x preço do leite x preço dos animais

Leia mais

TNBEEF BELLMAIS FERTILIDADE DESMAMA PRECOCE UMA PUBLICAÇÃO DA TROUW NUTRITION BRASIL EDIÇÃO 1 - JULHO 2015

TNBEEF BELLMAIS FERTILIDADE DESMAMA PRECOCE UMA PUBLICAÇÃO DA TROUW NUTRITION BRASIL EDIÇÃO 1 - JULHO 2015 UMA PUBLICAÇÃO DA TROUW NUTRITION BRASIL EDIÇÃO 1 - JULHO 2015 DESMAMA PRECOCE Págs. 3 e 4 BELLMAIS FERTILIDADE Pág. 9 EDITORIAL EDITORIAL O TN BEEF NEWS é um canal de comunicação entre o Departamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO: ZOOTECNIA IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: CÓDIGO NOME ( T - P ) ZOT 1050 BOVINOCULTURA DE LEITE (2-1) OBJETIVOS - ao término da disciplina

Leia mais

Introdução. Seleção de Reprodutores. Importância das Fêmeas. Importância dos Machos. O que selecionar. Como selecionar

Introdução. Seleção de Reprodutores. Importância das Fêmeas. Importância dos Machos. O que selecionar. Como selecionar Disciplina AZ044 - Suinocultura Seleção de Reprodutores Prof. Marson Bruck Warpechowski Introdução Reposição de plantel Substituição de descartes Melhoramento dos produtos Produção: reprodutores x leitões

Leia mais

PLANOS ALIMENTARES NA CRIAÇÃO DE BEZERRAS. Sandra Gesteira Coelho Escola de Veterinária Universidade Federal de Minas Gerais

PLANOS ALIMENTARES NA CRIAÇÃO DE BEZERRAS. Sandra Gesteira Coelho Escola de Veterinária Universidade Federal de Minas Gerais PLANOS ALIMENTARES NA CRIAÇÃO DE BEZERRAS Sandra Gesteira Coelho Escola de Veterinária Universidade Federal de Minas Gerais Agradecimentos Aos alunos de Mestrado e Doutorado Ana Paula Saldanha Franzoni

Leia mais

Gestão Econômica Racional na Atividade Leiteira. Christiano Nascif Coordenador Técnico PDPL-RV e Projeto Educampo/Sebrae MG

Gestão Econômica Racional na Atividade Leiteira. Christiano Nascif Coordenador Técnico PDPL-RV e Projeto Educampo/Sebrae MG Gestão Econômica Racional na Atividade Leiteira Christiano Nascif Coordenador Técnico PDPL-RV e Projeto Educampo/Sebrae MG Racionalidade na administração da atividade??? Sintomas de produtores que não

Leia mais

Alto grão,dieta que vai bem,

Alto grão,dieta que vai bem, Alto grão,dieta que vai bem, sendo uma alternativa para o confinamento. Engorda de bovinos sem o uso de volumoso, uma dieta de oportunidade e democrática, podendo ser utilizada desde pequenos a grandes

Leia mais

Comprimento de cocho para novilhas leiteiras

Comprimento de cocho para novilhas leiteiras Comprimento de cocho para novilhas leiteiras Por Carla Maris Bittar 1 e Vanessa Pillon dos Santos 2 A manutenção do adequado desempenho de lotes de novilhas, assim como o desempenho individual de cada

Leia mais

Guia de Utilização Bovinfor

Guia de Utilização Bovinfor Guia de Utilização Bovinfor ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA ESTAÇÃO DE APOIO À BOVINIVULTURA LEITEIRA BOVINFOR O BOVINFOR é a Base de Dados Nacional para o armazenamento da informação produtiva, reprodutiva

Leia mais

Webinar O Nutricionista. Marcelo Hentz Ramos Webinar O Nutricionista. Publicado originalmente na revista Balde Branco

Webinar O Nutricionista. Marcelo Hentz Ramos Webinar O Nutricionista. Publicado originalmente na revista Balde Branco Webinar O Nutricionista Marcelo Hentz Ramos Webinar O Nutricionista Publicado originalmente na revista Balde Branco No dia 8 de abril as 19:00 horas foi realizado mais um webinar com a palestra do Dr.

Leia mais

Criação Eficiente de Bezerros. Antonio Carlos Silveira

Criação Eficiente de Bezerros. Antonio Carlos Silveira Criação Eficiente de Bezerros Antonio Carlos Silveira A criação dos bezerros. Escore da condição corporal relacionado com o aspecto do animal. ECC Condição corporal Aspecto 1 Emaciada Espátula, costelas

Leia mais

Melhoramento Genético de Bovinos Leiteiros na Fazenda

Melhoramento Genético de Bovinos Leiteiros na Fazenda Melhoramento Genético de Bovinos Leiteiros na Fazenda Fazenda FINI, Castro, Paraná. Hans Jan Groenwold, Produtor, Presidente da Associação Paranaense de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa. Agenda:

Leia mais

Análise dos Resultados Reprodutivos e Produtivos de dois Núcleos de Porcas Alentejanas e Bísaras

Análise dos Resultados Reprodutivos e Produtivos de dois Núcleos de Porcas Alentejanas e Bísaras Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior Agrária Análise dos Resultados Reprodutivos e Produtivos de dois Núcleos de Porcas Alentejanas e Bísaras Engenharia Zootécnica Lúcia Costa 2008 Agenda

Leia mais

Quais os benefícios ao patrocinar um curso online?

Quais os benefícios ao patrocinar um curso online? Quais os benefícios ao patrocinar um curso online? Reforço da marca no mercado; Relacionamento estreito com o público alvo; Destaque da expertise da organização ao contribuir com conhecimentos e tecnologias

Leia mais

MELHORANDO A PRODUTIVIDADE DAS MATRIZES SUÍNAS PARTE I

MELHORANDO A PRODUTIVIDADE DAS MATRIZES SUÍNAS PARTE I Data: Julho/2001 MELHORANDO A PRODUTIVIDADE DAS MATRIZES SUÍNAS PARTE I Introdução Na base da lucratividade de uma empresa de produção de suínos, entre outros fatores, está a equação : Lucro / Prejuízo

Leia mais

Entendendo os Resultados

Entendendo os Resultados Entendendo os Resultados Clarifide são marcadores de DNA que predizem o potencial genético de cada animal. Clarifide Dairy é um painel de 6.000 marcadores (6K) para 30 características de produção, saúde

Leia mais