BRINQUEDOS. O Desenvolvimento do Setor 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BRINQUEDOS. O Desenvolvimento do Setor 2011"

Transcrição

1 BRINQUEDOS O Desenvolvimento do Setor 2011

2 Presidente Synésio Batista da Costa Conselho de Administração e Fiscal Andrés Luiz Lavin Cebada Audir Queixa Giovani Carlos Antonio Tilkian Mauro Antônio Ré Charles Kapaz João Carlos Ebert José Eduardo Planas Pañella José Roberto Nicolau Marco Antonio Pucci Valdir Rovai Gulliver BBRA Estrela Sidepar Elka Xalingo Toyster Multibrink Bandeirante Grow E... Com mais de 60 anos de história, o setor de Brinquedos no Brasil, como qualquer ramo industrial, submete-se e sente os efeitos das políticas econômicas dos governantes, recria-se a cada dia para continuar crescendo e finalmente alcançar a solidez. Nossa parceria harmônica com a rede de varejo tem produzido resultados: os fabricantes se esforçam na busca por novidades que atendam ao generoso ato de brincar de nossos 50 milhões de crianças, para, como num movimento mágico, produzir o crescimento do mercado, e o varejo faz seu papel. As estatísticas a seguir objetivam mostrar uma fotografia da performance e do estado da arte e seu desempenho no setor de brinquedos. Geraldo Zinato Carlos Alberto Bazzo Gabriela G. M. Oliveira Cláudio Chen Líder Cotiplás Magic Toys Homeplay Synésio Batista da Costa Presidente da ABRINQ Elaboração Franklin de Mello Neto Nádia Caroline Barbosa Mesquita ABRINQ: 26 anos recriando o brinquedo no Brasil.

3 Sumário Faturamento (Sem IPI - Ex. Fábrica) Unid.: (R$ Milhões) Faturamento...5 Sazonalidade...6 Empregos...8 Nível de escolaridade...8 Fábricas...9 Lançamentos...10 Quantidade de brinquedos criados...11 Distribuição dos preços ao consumidor final...12 Comportamento dos preços ao consumidor...13 A variedade disponível no mercado...14 Vendas por segmento...15 Vendas por estado...16 Vendas por linhas e canais...17 Vendas mundiais...18 População, natalidade e mortalidade...19 Importações...20 Importações mensais...22 Exportações...24 Brinquedos (R$) Produção nacional 856,0 867,0 963, , , ,7 Importações 822, , , , , ,3 Total 1.678, , , , , , Produção Nacional Importações Total * Estimativa Fonte: Fabricantes nacionais/radar Comercial Notas: 1 - Na importação, estão excluídas as partes, peças e minibrinquedos (aplicado um redutor de 30%). 2 - Em 2005, o preço médio por kg dos importados foi de US$/kg 4,40. Como resultado do combate ao subfaturamento, o preço médio subiu para US$/kg 8,00 em 2010, com um crescimento de 81,8%. 3 - O subfaturamento nas importações ainda é elevado, o que contribui para distorções dos dados. 4 - O preço médio de importação de brinquedos no mercado internacional é de cerca de US$/kg 10,00. 5

4 Sazonalidade das vendas da indústria Unid.: (%) ANO JAN FEV MAR ABR MAI JUN ,4 3,3 5,3 4,6 5,3 9, ,3 3,1 3,1 3,8 4,3 4, ,3 2,2 3,7 3,5 4,4 4, ,4 2,1 2,1 3,0 3,6 3, ,9 4,2 6,9 6,9 6,6 5, ,0 6,0 2,8 2,5 3,5 3, ,3 2,2 4,2 3,1 6,0 6, ,6 4,4 6,4 5,6 5,8 5, ,9 4,8 6,2 5,5 5,9 6, ,8 3,7 4,1 3,6 3,9 5, ,1 2,5 3,9 3,7 4,5 4, ,2 2,3 3,7 4,0 6,1 6, ,0 5,7 6,6 6,0 6,7 6, ,2 3,8 5,4 7,1 5,9 8, ,0 4,2 4,3 4,8 5,3 6, ,8 4,0 4,5 4,6 5,2 6, ,5 3,8 4,3 4,9 5,6 6, ,1 2,4 3,9 4,1 5,0 6, ,6 3,7 4,2 4,0 5,8 7, ,4 2,6 4,4 5,0 6,3 7,7 JUL AGO SET OUT NOV DEZ TOTAL 9,8 9,5 18,7 7,5 16,4 8,4 100,0 5,6 10,4 16,5 11,5 25,6 10,0 100,0 5,2 10,4 18,9 11,8 23,2 10,9 100,0 5,5 12,3 18,8 14,9 21,8 10,6 100,0 7,2 13,5 17,2 6,9 12,2 10,1 100,0 3,2 6,6 12,1 17,7 26,5 13,3 100,0 6,7 10,9 18,7 10,2 19,1 10,4 100,0 7,2 10,0 15,6 8,0 16,5 10,2 100,0 7,7 10,3 14,9 8,9 15,6 9,1 100,0 7,4 12,4 18,9 8,1 19,7 8,8 100,0 7,7 12,2 17,2 10,9 21,3 8,9 100,0 6,5 11,3 16,7 10,4 17,4 11,9 100,0 7,7 9,7 13,1 8,8 14,2 8,9 100,0 9,2 10,1 15,0 7,1 16,5 7,2 100,0 7,5 13,3 16,3 7,3 16,2 10,1 100,0 7,4 13,1 16,5 8,1 17,1 9,1 100,0 7,6 13,4 16,9 8,0 17,3 8,6 100,0 7,6 14,0 18,1 7,4 16,9 11,5 100,0 7,8 14,4 17,4 9,0 16,1 7,0 100,0 6,8 15,8 16,5 7,5 17,3 7,7 100,0 6 7 Fonte: Empresas - Elaboração: ABRINQ

5 Empregos Fábricas Unid.: quantidade Brinquedos Próprios Terceirizados Total Brinquedos Unid.: quantidade Próprios Terceirizados Total Nível de escolaridade do setor Fonte: Fabricantes nacionais Escolaridade Analfabetos 0,5% 2,4% Ensino Fundamental 34,1% 33,4% Ensino Médio 50,5% 51,2% Ensino Superior 12,7% 11,7% Pós-Graduação 2,2% 1,3% Total 100% 100% *Estimativa Fonte: Fabricantes nacionais 8 9

6 Lançamentos Quantidade de brinquedos criados Unid.: quantidade Unid.: quantidade Brinquedos Brinquedos *Estimativa Fonte: Fabricantes nacionais e demais expositores *Estimativa Fonte: Designers independentes 10 11

7 Distribuição dos preços ao consumidor final Comportamento dos preços ao consumidor Unid.: (%) Brinquedos (R$) Até R$ 10,00 14,9% 16,0% 18,5% 16,3% 14,8% De R$ 11,00 a R$ 20,00 18,7% 27,4% 25,7% 19,1% 16,6% De R$ 21,00 a R$ 30,00 16,4% 16,7% 17,1% 20,3% 21,4% De R$ 31,00 a R$ 50,00 50,0% 16,3% 17,4% 19,8% 21,8% De R$ 51,00 a R$ 100,00 0,0% 13,0% 12,4% 14,9% 14,3% Acima de R$ 100,00 0,0% 10,6% 8,8% 9,6% 11,0% TOTAL 100% 100% 100% 100% 100% 60% 50% 40% % % 2010 Unid.: (%) Meses Janeiro 0,38 (0,80) (0,41) (0,86) 1,57 Fevereiro 0,42 (0,54) 0,74 0,86 0,04 Março 0,20 (0,22) (0,89) 0,16 0,28 Abril (0,26) 0,25 (0,44) 1,11 (0,37) Maio (0,43) (0,01) 0,97 (0,17) 0,57 Junho (1,21) (0,57) 0,72 0,43 0,16 Julho 0,24 0,36 (0,49) (0,13) 0,12 Agosto 0,04 (0,50) 0,42 0,87 (0,24) Setembro 0,14 0,22 (0,29) 0,28 0,39 Outubro 0,21 0,47 1,18 1,62 0,75 Novembro (0,08) (0,35) 0,14 0,11 0,27 Dezembro (0,02) 0,70 0,27 (0,17) 0,61 Fonte: FIPE/USP 10% 00% Até R$ 10,00 De R$ 11,00 a R$ 20,00 De R$ 21,00 a R$ 30,00 De R$ 31,00 a R$ 50,00 De R$ 51,00 a R$ 100,00 Acima de R$ 100,00 Fonte: Fabricantes nacionais Nota: Do total de brinquedos lançados a cada ano 12 13

8 A variedade disponível no mercado Vendas por segmento Brinquedos Unid.: quantidade Unid.: (%) Desenvolvimento afetivo 23,0% 26,1% 32,7% 27,1% 22,1% Primeira idade 16,0% 11,8% 4,4% 5,4% 4,9% Mundo técnico 5,0% 6,5% 11,7% 14,7% 16,3% Atividades físicas 17,0% 10,0% 16,2% 13,6% 21,4% Atividades intelectuais 14,0% 16,2% 10,8% 10,6% 9,4% Criatividade 11,0% 12,1% 12,1% 12,8% 13,1% Relações sociais 14,0% 17,2% 12,1% 15,8% 12,8% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 35% *Estimativa Fonte: Fabricantes nacionais e demais importadores 30% 25% 20% 15% 10% 05% % Desenvolvimento Primeira idade Mundo técnico Atividades físicas Atividades intelectuais Criatividade Relações sociais Fonte: Fabricantes nacionais e varejistas 14 15

9 Vendas por estado Venda por linhas e canais Estado Acre 0,3% 0,1% 0,3% 0,3% Alagoas 0,7% 0,3% 0,8% 0,9% Amapá 0,4% 0,7% 0,4% 0,4% Amazonas 1,4% 0,6% 1,3% 1,3% Bahia 2,5% 2,6% 3,9% 2,8% Ceará 2,4% 1,3% 2,5% 1,7% Distrito Federal 1,9% 1,9% 2,0% 2,4% Espírito Santo 1,3% 0,6% 1,6% 2,2% Goiás 1,8% 1,5% 2,2% 2,1% Maranhão 0,7% 0,4% 0,8% 0,8% Mato Grosso 0,9% 0,7% 1,1% 1,6% Mato Grosso do Sul 0,7% 0,4% 0,7% 1,5% Minas Gerais 6,3% 4,1% 7,0% 8,5% Unid.: (%) Estado Paraíba 1,0% 0,6% 0,9% 1,0% Paraná 4,5% 3,7% 4,0% 4,9% Piauí 1,2% 0,3% 3,9% 1,2% Pernambuco 3,2% 4,0% 1,5% 3,6% Rio de Janeiro 14,3% 17,5% 12,0% 12,8% Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul 0,6% 0,7% 1,2% 0,7% 4,7% 5,5% 4,5% 3,8% Rondônia 0,4% 0,2% 0,6% 0,5% Roraima 0,2% 0,3% 0,2% 0,2% Santa Catarina 3,1% 2,9% 3,8% 3,4% São Paulo 41,8% 46,7% 38,2% 38,4% Sergipe 0,9% 0,9% 2,3% 0,8% Tocantins 1,1% 0,3% 0,5% 0,7% Unid.: (%) Por Linha a) linha de bonecas e bonecos em geral 19,5% 20,8% 17,8% 14,1% b) linha de plásticos 32,1% 35,6% 31,4% 34,4% c) linha de vinil 5,6% 7,4% 5,1% 7,7% d) linha de pelúcia 5,1% 5,5% 4,2% 4,3% e) linha de automovimento 5,6% 4,9% 4,9% 6,4% f) linha de jogos 7,1% 7,8% 8,8% 14,0% g) linha de madeira 7,1% 8,5% 9,7% 6,6% h) linha de eletrônicos: 0,7% 0,2% 0,2% 0,3% 1. videogames e seus acessórios 0,7% 0,0% 0,8% 0,7% 2. outros brinquedos eletrônicos 3,8% 0,8% 0,8% 1,4% i) outros 12,6% 8,5% 16,3% 10,2% Total 100% 100% 100% 100% Canal de Venda a) magazines 18,0% 20,3% 19,6% 17,4% b) autoserviço (supermercados, etc.) 15,1% 15,9% 14,4% 14,0% c) especializados 41,0% 38,8% 41,3% 43,3% d) atacadistas 24,7% 24,5% 23,3% 25,3% e) outros 1,2% 0,5% 1,1% 0,0% Total 100% 100% 100% 100% Fonte: Fabricantes nacionais e varejistas Pará 1,6% 1,3% 1,8% 1,7% Total 100% 100% 100% 100% Fonte: Fabricantes nacionais e varejistas 16 17

10 Vendas: o mercado mundial Ano Bilhões de US$ % , ,0 7, ,4 5, ,1 2, ,5 (2,3) ,4 7, ,4 6, ,3 6, ,2 (27,4) ,7 4, ,0 5, ,4 5, ,1 2, ,0 2, ,2 3,0 Fonte: NPD Group Worldwide e ICTI Nota: Inclui videogames População projetada de 0 a 14 anos de idade Brasil / 2020 População projetada total de 0 a 14 anos de idade Grupos de idade a 6 anos Meninos Meninas Menos de 1 ano Meninos Meninas a 4 anos Meninos Meninas e 6 anos Meninos Meninas a 14 anos a 9 anos Meninos Meninas e 11 anos Meninos Meninas anos Meninos Meninas e 14 anos Meninos Meninas Total População (0 a 14 anos) Fonte: Projeto IBGE/Fundo de População das Nações Unidas - UNFPA/BRASIL (BRA/98/P08), Sistema Integrado de Projeções e Estimativas Populacionais e Indicadores Sociodemográficos Taxa de natalidade e mortalidade Fonte: IBGE - Projeção da População do Brasil por Sexo e Idade Revisão Ano Taxa média geométrica de Nascimentos crescimento anual (%) Taxa bruta de natalidade (por hab.) Óbitos Taxa bruta de mortalidade (por hab.) , , , , , , , , , , , , , , , , , ,27

11 Importações (Ref. NCMs a ) 2008 Descrição do País Peso (kg) % US$ FOB % CHINA ,2% ,8% HONG KONG ,4% ,7% INDONÉSIA ,4% ,3% MALÁSIA ,8% ,1% DINAMARCA ,3% ,7% ESTADOS UNIDOS ,3% ,3% ARGENTINA ,3% ,3% TAILÂNDIA ,9% ,9% TAIWAN (FORMOSA) ,1% ,7% ESPANHA ,1% ,1% TCHECA, REPÚBLICA ,1% ,3% ALEMANHA ,1% ,3% MÉXICO ,1% ,1% ITÁLIA ,2% ,2% PARAGUAI ,0% ,0% MALTA ,0% ,1% JAPÃO ,0% ,1% Subtotal 17 países ,3% ,1% Outros 33 países ,7% ,9% TOTAL GERAL % % Peso (kg) % US$ FOB % Peso (kg) % US$ FOB % ,8% ,0% ,4% ,5% ,7% ,2% ,0% ,2% ,9% ,6% ,0% ,8% ,9% ,9% ,4% ,4% ,5% ,0% ,5% ,3% ,0% ,9% ,6% ,5% ,4% ,4% ,2% ,2% ,2% ,3% ,5% ,7% ,3% ,3% ,8% ,5% ,2% ,2% ,1% ,1% ,1% ,2% ,2% ,4% ,1% ,2% ,1% ,2% ,2% ,2% ,5% ,4% ,3% ,2% ,1% ,1% ,1% ,1% ,1% ,1% ,0% ,1% ,0% ,1% ,0% ,1% ,0% ,1% ,7% ,7% ,6% ,7% ,3% ,3% ,4% ,3% % % % % Fonte: Secex - Sistema Aliceweb Elaboração: ABRINQ Fonte: Secex - Sistema Aliceweb Elaboração: ABRINQ 20 21

12 Importações mensais Todos os países (Ref. NCMs a ) 2008 MESES US$ FOB Peso (kg) US$/kg Janeiro ,56 Fevereiro ,57 Março ,03 Abril ,51 Maio ,45 Junho ,25 Julho ,65 Agosto ,34 Setembro ,64 Outubro ,13 Novembro ,69 Dezembro ,44 TOTAL , US$ FOB Peso (kg) US$/kg US$ FOB Peso (kg) US$/kg , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,04 China 2008 MESES US$ FOB Peso (kg) US$/kg Janeiro ,94 Fevereiro ,19 Março ,99 Abril ,31 Maio ,32 Junho ,33 Julho ,45 Agosto ,22 Setembro ,61 Outubro ,03 Novembro ,58 Dezembro ,39 TOTAL , US$ FOB Peso (kg) US$/kg US$ FOB Peso (kg) US$/kg , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,86 PART. CHINA 82,8% 84,2% 88,0% 88,8% 84,5% 86,4% Fonte: Secex - Sistema Aliceweb Elaboração: ABRINQ Fonte: Secex - Sistema Aliceweb Elaboração: ABRINQ 22 23

13 Exportações (Ref. NCMs a ) 2008 Descrição do País Peso (kg) % US$ FOB % PARAGUAI ,6% ,6% ARGENTINA ,2% ,8% MÉXICO ,3% ,5% BOLÍVIA ,2% ,5% CHILE ,7% ,9% ANGOLA ,7% ,6% URUGUAI ,5% ,2% ESPANHA ,1% ,3% VENEZUELA ,5% ,5% ESTADOS UNIDOS ,3% ,2% REINO UNIDO 16 0,0% 194 0,0% ITÁLIA ,8% ,8% EQUADOR ,9% ,6% ALEMANHA ,1% ,9% PAÍSES BAIXOS (HOLANDA) 365 0,0% ,9% FRANÇA 330 0,0% ,1% COLÔMBIA ,5% ,8% NOVA ZELÂNDIA 375 0,0% ,2% PANAMÁ 0 0,0% 0 0,0% PORTUGAL ,1% ,4% AUSTRÁLIA 242 0,0% ,1% JAPÃO ,1% ,3% TURQUIA 0 0,0% 0 0,0% ÁFRICA DO SUL 377 0,0% ,2% ROMÊNIA 0 0,0% 0 0,0% MOÇAMBIQUE ,2% ,2% SUÍÇA 461 0,0% ,1% GUATEMALA 1 0,0% 89 0,0% HONG KONG ,5% ,1% Subtotal 29 países ,4% ,7% Outros 56 países ,6% ,3% TOTAL GERAL % % Peso (kg) % US$ FOB % Peso (kg) % US$ FOB % ,4% ,4% ,6% ,5% ,3% ,4% ,2% ,4% ,8% ,9% ,7% ,5% ,9% ,5% ,0% ,5% ,6% ,1% ,3% ,5% ,7% ,2% ,6% ,4% ,4% ,5% ,0% ,7% ,3% ,0% ,1% ,2% ,8% ,0% ,8% ,7% ,7% ,7% ,3% ,7% ,1% ,9% 35 0,0% 559 0,0% ,1% ,8% ,6% ,8% ,0% ,8% ,8% ,5% 369 0,0% ,4% 715 0,0% ,5% 802 0,1% ,4% 139 0,0% ,4% ,1% ,3% 84 0,0% ,0% ,3% ,3% 0 0,0% 0 0,0% 490 0,0% ,3% 56 0,0% ,0% ,2% ,3% 138 0,0% ,0% ,1% ,2% ,1% ,4% 163 0,0% ,2% 54 0,0% ,1% 819 0,1% ,2% 396 0,0% ,2% ,2% ,2% 511 0,0% ,0% 289 0,0% ,2% ,2% ,3% ,2% ,2% 0 0,0% 0 0,0% ,2% ,1% 0 0,0% 0 0,0% 722 0,0% ,1% ,1% ,5% ,1% ,1% 0 0,0% 4 0,0% ,1% ,1% 11 0,0% ,0% ,8% ,7% ,5% ,8% ,2% ,3% ,5% ,2% % % % % Fonte: Secex - Sistema Aliceweb Elaboração: ABRINQ Fonte: Secex - Sistema Aliceweb Elaboração: ABRINQ 24 25

14 Os dados mostram o desenvolvimento do setor de brinquedos. Diante desse retrato do desempenho, a ABRINQ reforça que o ato de brincar e a sinergia entre indústria e varejo são as premissas para ótimos resultados. Todo brinquedo tem que ser certificado. 27

15 Declaração Universal dos Direitos da Criança Aprovada pelas Nações Unidas em 30 de novembro de Todas as crianças têm direito À igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade. A especial proteção para o seu desenvolvimento físico, mental e social. A um nome e a uma nacionalidade. À alimentação, moradia e assistência médica adequadas para a criança e a mãe. À educação e a cuidados especiais para a criança física ou mentalmente deficiente. Ao amor e à compreensão por parte dos pais e da sociedade. À educação gratuita e ao lazer infantil. A ser socorrida em primeiro lugar, em caso de catástrofes. A ser protegida contra o abandono e a exploração no trabalho. A crescer dentro de um espírito de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos. Texto adaptado e revisado por R. Z. Altman. Em 12 de outubro de 1990, entrou em vigor o ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE,marco histórico na garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente no Brasil. Trate criança como criança Treat a child as a child Av. Santo Amaro, º andar São Paulo - SP - Brasil Tel.: (55-11 ) Fax: (55-11) Site:

BRINQUEDOS. A Performance do Setor 2010

BRINQUEDOS. A Performance do Setor 2010 BRINQUEDOS A Performance do Setor 2010 Presidente Synésio Batista da Costa Conselho de Administração Andrés Luiz Lavin Cebada Audir Queixa Giovani Carlos Antonio Tilkian Carlos Alberto Bazzo Cláudio Chen

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos da Criança

Declaração Universal dos Direitos da Criança Declaração Universal dos Direitos da Criança Aprovada pelas Nações Unidas em 3 de Novembro de 1959 Todas as crianças têm direito À igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade. A especial

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos da Criança

Declaração Universal dos Direitos da Criança Declaração Universal dos Direitos da Criança Aprovada pelas Nações Unidas em 3 de Novembro de 1959 Todas as crianças têm direito À igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade. A especial

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos da Criança

Declaração Universal dos Direitos da Criança Declaração Universal dos Direitos da Criança Aprovada pelas Nações Unidas em 30 de Novembro de 1959 Todas as crianças têm direito À igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade. A especial

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JANEIRO 2019 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ SER REPRODUZIDA, DESDE QUE CITADO COMO

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES FEVEREIRO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MAIO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES ABRIL / 2016 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS ABRIL 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JUNHO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JANEIRO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINO

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO 2018 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS JULHO 2018 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES OUTUBRO / 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES SETEMBRO 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 CAPÍTULO 41 COMPLETO 3 2 ORIGENS 4 3 ORIGENS POR TIPO DE COURO 5 4 ESTADOS 6 5 POR CLASSIFICAÇÃO DAS NCMs 7 1 IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES SETEMBRO / 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES DEZEMBRO 2018 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ SER REPRODUZIDA, DESDE QUE CITADO COMO

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO / 2016 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS JULHO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS MARÇO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ABRIL Número de indústrias de calçados no Brasil por estado. 13 Faturamento na exportação de Calçados

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ABRIL Número de indústrias de calçados no Brasil por estado. 13 Faturamento na exportação de Calçados RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ABRIL 2017 FRANCA População e PIB do município de Franca Piso salarial do sapateiro Estimativa do número de funcionários na indústria de calçados de Franca Dados do

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2016 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES ABRIL 2019 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 6 3 DESTINOS.. 7 4 COURO BOVINO POR TIPO 8 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 9 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MAIO 2019 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 6 3 DESTINOS.. 7 4 COURO BOVINO POR TIPO 8 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 9 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA JUNHO Número de indústrias de calçados no Brasil por estado. 13 Faturamento na exportação de Calçados

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA JUNHO Número de indústrias de calçados no Brasil por estado. 13 Faturamento na exportação de Calçados RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA JUNHO 2017 FRANCA População e PIB do município de Franca Piso salarial do sapateiro Estimativa do número de funcionários na indústria de calçados de Franca Dados do

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

BRINQUEDOS 2019 Estatísticas

BRINQUEDOS 2019 Estatísticas BRINQUEDOS 219 Estatísticas CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL Audir Queixa Giovani NOVABRINQ Carlos Antonio Tilkian ESTRELA Andres Luiz Lavin Cebada GULLIVER Carlos Alberto Bazzo COTIPLAS José Eduardo

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES NOVEMBRO 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL Audir Queixa Giovani NOVABRINQ Carlos Antonio Tilkian ESTRELA Andres Luiz Lavin Cebada GULLIVER Carlos Alberto Bazzo COTIPLAS José Eduardo P. Pañella TOYSTER Gabriela

Leia mais

BRINQUEDOS ESTATÍSTICAS

BRINQUEDOS ESTATÍSTICAS BRINQUEDOS ESTATÍSTICAS 2018 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL Audir Queixa Giovani NOVABRINQ Carlos Antonio Tilkian ESTRELA Andres Luiz Lavin Cebada GULLIVER Carlos Alberto Bazzo COTIPLAS José Eduardo

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007.

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007. Brasil Brasília, novembro de 2007. Índice Páginas I Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas no Mundo por Regiões e Sub-regiões - 2002/2006 03 1.2 - Chegada de turistas:

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, setembro de 2008.

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, setembro de 2008. Brasil Brasília, setembro de 2008. I - Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional Índice Páginas 1.1 - Chegadas de turistas no Mundo por Regiões e Sub-regiões - 2003-2007 03 1.2 - Chegada de turistas:

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE JULHO 2015 Página População... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados de Franca... 2 Dados do emprego na indústria

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE FEVEREIRO 2015 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE MARÇO 2015 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do setor

Leia mais

Tabelas Anexas Capítulo 1

Tabelas Anexas Capítulo 1 Tabelas Anexas Capítulo 1 Tabela anexa 1.1 População, segundo grandes regiões Brasil e Estado de São Paulo 1980-2007 1-3 Tabela anexa 1.2 Analfabetos e total de pessoas na população de 15 anos ou mais,

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE OUTUBRO 2013 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

ABRIL 2016 RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA FRANCA SÃO PAULO BRASIL. Pág.

ABRIL 2016 RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA FRANCA SÃO PAULO BRASIL. Pág. RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ABRIL 2016 FRANCA População e PIB do município de Franca Piso salarial do sapateiro Estimativa do número de funcionários na indústria de calçados de Franca Dados do

Leia mais

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO Arroz em casca ABRIL 2018 ARROZ EM CASCA: Quadro de Suprimento Mil toneladas Posição: abril/2018 MUNDO

Leia mais

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO Arroz em casca JUNHO 2018 ARROZ EM CASCA: Quadro de Suprimento Mil toneladas Posição: junho/2018 MUNDO

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE OUTUBRO 2014 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO Arroz em casca AGOSTO 2018 ARROZ EM CASCA: Quadro de Suprimento Mil toneladas Posição: agosto/2018

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE AGOSTO 2012 FRANCA 01) População 02) Piso salarial do sapateiro 03) Número de funcionários na indústria de calçados 04) Admissões e demissões do setor calçadista

Leia mais

O Comércio de Serviços do Brasil

O Comércio de Serviços do Brasil Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços IV Seminário Estadual de Negócios Internacionais do Paraná O Comércio de Serviços do Brasil Curitiba, 17 de

Leia mais

INDÚSTRIA DE MÓVEIS JUNHO DE 2017

INDÚSTRIA DE MÓVEIS JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão

Contabilizando para o Cidadão Gasto Médio por Deputado Estadual - Assembleias Legistativas Estaduais - Ano 2017 R$17,5 R$16,9 R$15,9 Gasto Médio Anual por Deputado Estadual (em Milhões de R$) Média Nacional - Gasto Anual por Deputado

Leia mais

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias Bijuterias Principais Países 2010 2011 2012 2013 2014 US$ mil 2014/ 2013 Estados Unidos 5.667 3.828 2.668 3.491 5.006 43 Colômbia 407 800 748 1.112 993-11 França 1.085 931 910 998 969-3 Argentina 2.112

Leia mais

Balança Comercial Mineral da Amazônia. IBRAM AMAZÔNIA Belém, janeiro de 2009.

Balança Comercial Mineral da Amazônia. IBRAM AMAZÔNIA Belém, janeiro de 2009. Balança Comercial Mineral da Amazônia 2008 IBRAM AMAZÔNIA Belém, janeiro de 2009. Balança Comercial da Indústria Extrativa e de Transformação Mineral Em US$ FOB - 2008 Brasil Amazônia Legal Exportação

Leia mais

Panorama Conjuntural do Segmento de Cadernos

Panorama Conjuntural do Segmento de Cadernos Panorama Conjuntural do Segmento de Cadernos Variação no volume vendas no comércio varejista (%) Atividade Vendas de Livros, jornais, revistas e papelaria Estados Acumulado Jan 11 a Set 11 Últimos 12 meses

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 618.931,34 410.212,09 455.952,50 656.360,91 374.803,98 492.235,91 540.100,50

Leia mais

Coordenação geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Ano 5 no 44 outubro/2012 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7494 Fax: (32) 3311-7499 e-mail: sac@cnpgl.embrapa.br home page:

Leia mais

BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 618.931,34 410.212,09 455.952,50 656.360,91 374.803,98 492.235,91 540.100,50

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão

Contabilizando para o Cidadão 14,6% 14,5% 14,0% 14,0% 13,2% 13,1% 12,1% Contabilizando para o Cidadão Nº de Famílias Beneficiadas pelo Bolsa Família em Relação ao Total de Famílias do Estado - Ano 2017 50,00% 48,6% Nº de Famílias Beneficiadas

Leia mais

Ranking de salário dos Tribunais de Justiça nos Estados e DF - Junho 2018 SS JUSTIÇA MG

Ranking de salário dos Tribunais de Justiça nos Estados e DF - Junho 2018 SS JUSTIÇA MG Ranking de salário dos Tribunais de Justiça nos Estados e DF - Junho 2018 SS JUSTIÇA MG SS Justiça MG Junho 2018 Tabela 1 Tribunais de Justiça Estaduais posicionados conforme Vencimento Básico Vencimentos

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por

Leia mais

Solicitante: SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CERÂMICA DE LOUÇA DE PÓ DE PEDRA, DA PORCELANA E DA LOUÇA DE BARRO NO ESTADO DE SÃO PAULO - SINDILOUÇA

Solicitante: SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CERÂMICA DE LOUÇA DE PÓ DE PEDRA, DA PORCELANA E DA LOUÇA DE BARRO NO ESTADO DE SÃO PAULO - SINDILOUÇA C S E R Departamento Central de Serviços Grupo de Apoio Técnico aos Sindicatos - GAT Dados de Comércio de Importação & Exportação Setor de Louças Solicitante: SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CERÂMICA DE LOUÇA

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas - ano 2015 Pernambuco 5,20% Ceará 5,44% Maranhão 5,14% Pará 4,89% Paraná 4,43% Rio Grande do Sul 4,37% Santa Catarina 2,54% Rio Grande do Norte 2,48% Espírito Santo 2,14% Amazonas 2,06% Sergipe 1,87% Alagoas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 609, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 609, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 609, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014 Ementa: Aprova o Orçamento Programa do Exercício de 2015 dos Conselhos Federal e Regionais de Farmácia. O CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA, no uso das atribuições

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 31.148,98 30.567,04 30.668,99 27.234,05 26.012,97 21.396,66 26.979,63

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SHOPPING CENTER NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %)

PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %) PIB PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %) dez/92 jun/93 dez/93 jun/94 dez/94 jun/95 dez/95 jun/96 dez/96 jun/97 dez/97 jun/98 dez/98 jun/99 dez/99 jun/00 dez/00 jun/01 dez/01 jun/02 dez/02 jun/03

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2018 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 31.148,98 30.567,04 30.668,99 27.234,05 26.012,97 145.632,03 Valor

Leia mais

ISSN Versão Eletrônica Outubro, Documentos. ANUÁRIO ESTATÍSTICO - AVICULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves

ISSN Versão Eletrônica Outubro, Documentos. ANUÁRIO ESTATÍSTICO - AVICULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves ISSN 0101-6245 Versão Eletrônica Outubro, 2011 Documentos 147 ANUÁRIO ESTATÍSTICO - AVICULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves ISSN 0101-6245 Versão Eletrônica Outubro, 2011 Empresa Brasileira

Leia mais

PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL:

PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL: PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL: 2015-2050 Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Indicadores Sociais e Ambientais Porto Alegre, 08 de Novembro de 2012 - Evoluções Populacionais

Leia mais

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari Mercado de Trabalho Empregos formais Estado de São Paulo Município: Capivari SÍNTESE Estado de São Paulo População estimada em 2014 44.035.304 População 2010 41.262.199 Área (km²) 248.222,36 Densidade

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Agosto de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das vendas,

Leia mais

Criminalidade no Brasil

Criminalidade no Brasil Criminalidade no Brasil Instituto Avante Brasil Diretor- Presidente: Luiz Flávio Gomes Coordenação e elaboração de pesquisa: Flávia Mestriner Botelho CRIMINALIDADE NO BRASIL De acordo com um levantamento

Leia mais

EXPORTAÇÕES DE MEL MAIO. Elaboração: SEBRAE/UAGRO FONTE: MDIC/SECEX

EXPORTAÇÕES DE MEL MAIO. Elaboração: SEBRAE/UAGRO FONTE: MDIC/SECEX EXPORTAÇÕES DE MEL MAIO Elaboração: SEBRAE/UAGRO FONTE: MDIC/SECEX 2 fonte: MDIC / SECEX elaboração: UAGRO / SEBRAE NA 42,23 51,00 2,86 8.243.232,00 23.588.292,00 2,53 25.987.193,00 65.791.416,00 2,38

Leia mais

Cenários Conselho Temático de Economia e Finanç

Cenários Conselho Temático de Economia e Finanç Conselho Temático de Economia e Finanç Panorama Municipal 300 250 Desempenho Economia Caxias do Sul 21,8 ÍNDICE (100 = Jan 2005) VARIAÇÃO % 12 MESES 30,0 20,0 200 150 7,2 6,0 1,7 1,1 10,0 0,0-5,1-2,4-7,4

Leia mais

Economic Research São Paulo - SP - Brasil Apresentação Semanal. De 17 a 21 de Setembro de Lucas Nobrega Augusto (11)

Economic Research São Paulo - SP - Brasil Apresentação Semanal. De 17 a 21 de Setembro de Lucas Nobrega Augusto (11) Economic Research São Paulo - SP - Brasil 2018 Apresentação Semanal De 17 a 21 de Setembro de 2018 Lucas Nobrega Augusto (11) 3553-5263 jul-15 set-15 nov-15 jan-16 mar-16 mai-16 jul-16 set-16 nov-16 jan-17

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Dezembro de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Novembro de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

CIMENTO JUNHO DE 2017

CIMENTO JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CIMENTO JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Desenho e Implementação de um Sistema de Metas Educacionais para o Brasil. Reynaldo Fernandes Universidade de São Paulo

Desenho e Implementação de um Sistema de Metas Educacionais para o Brasil. Reynaldo Fernandes Universidade de São Paulo Desenho e Implementação de um Sistema de Metas Educacionais para o Brasil Reynaldo Fernandes Universidade de São Paulo Sumário 1. A criação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica - IDEB 2. Fixação

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Abril de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das vendas,

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Jan-Nov Brasil. 19/12/2014 Subseção DIEESE - Força Sindical

INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Jan-Nov Brasil. 19/12/2014 Subseção DIEESE - Força Sindical INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Jan-Nov 2014 - Brasil 19/12/2014 Subseção DIEESE - Força Sindical Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério

Leia mais

- Valor - Fob ( Us$/Mil ) - Preço Médio ( Us$/Ton ) OUTROS

- Valor - Fob ( Us$/Mil ) - Preço Médio ( Us$/Ton ) OUTROS BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2018 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ TOTAL ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 618.931,34 618.931,34 Valor Fob ( Us$/Mil ) 115.218,56 115.218,56 Preço

Leia mais

INFORMATIVO EXPORTAÇÕES

INFORMATIVO EXPORTAÇÕES INFORMATIVO EXPORTAÇÕES DEZEMBRO 2011 ÍNDICE: 1. Exportações Brasileiras de Rochas Dezembro 2010 X 2011 Pg.02 2. Exportações Capixabas Rochas Dezembro 2010 X 2011 Pg.02 3. Participação das Exportações

Leia mais

ICMS nas Operações Interestaduais com Bens e Mercadorias Importadas. Ministério da Fazenda Secretaria Executiva 26 de Abril de 2010

ICMS nas Operações Interestaduais com Bens e Mercadorias Importadas. Ministério da Fazenda Secretaria Executiva 26 de Abril de 2010 ICMS nas Operações Interestaduais com Bens e Mercadorias Importadas Ministério da Fazenda Secretaria Executiva 26 de Abril de 2010 ICMS e a Reforma Tributária Fatiada O Governo Federal encaminhará a reforma

Leia mais

5-8. março a Feira Internacional de Brinquedos. abrin.com.br #Abrin2018 EXPO CENTER NORTE. DIAS h às 20h DIA 8 10h às 18h

5-8. março a Feira Internacional de Brinquedos. abrin.com.br #Abrin2018 EXPO CENTER NORTE. DIAS h às 20h DIA 8 10h às 18h 5-8 EXPO CENTER SÃO PAULO - SP NORTE março 2018 DIAS 5-7 10h às 20h DIA 8 10h às 18h 35 a Feira Internacional de Brinquedos abrin.com.br #Abrin2018 O GRANDE ENCONTRO DO MERCADO DE BRINQUEDOS E A CERTEZA

Leia mais

TABELA - Destinos das exportações brasileiras de Laranja em NCM 8 dígitos: Sucos de laranjas, congelados, não fermentados

TABELA - Destinos das exportações brasileiras de Laranja em NCM 8 dígitos: Sucos de laranjas, congelados, não fermentados País Via de Volume Valor Preço Médio Transporte Bélgica Marítima 141.569.475 235.767.952 1.665,39 Estados Unidos Marítima 93.624.168 162.298.316 1.733,51 Países Baixos (Holanda) Marítima 78.144.511 139.108.254

Leia mais

Miniestudo Setorial Confecção

Miniestudo Setorial Confecção MINIESTUDO SETORIAL CONFECÇÃO AGOSTO 2015 MINIESTUDO SETORIAL CONFECÇÃO AGOSTO DE 2015 Dados coletados em 15/09/15 Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios -

Leia mais

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Fonte: IBGE/Pnad. Elaboração própria. Nota: a PNAD até o ano de 2003 não abrangia a área rural da região Norte (exceto o Tocantins). Nos anos de 1994, 2000

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Dezembro de 2015 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Março/2013 (dados até Fevereiro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Março/2013 (dados até Fevereiro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Março/2013 (dados até Fevereiro) Sumário Executivo (entrevistas realizadas em fev/13) Este relatório resulta das entrevistas realizadas no mês

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2019 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO FARINHA DE TRIGO 2019 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE FARINHA DE TRIGO 2019 (POR PAÍS) PAÍSES ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 33.213,94 22.249,32 25.225,46 26.146,24 27.869,85 134.704,81 Valor Fob ( Us$/Mil ) 11.177,97 7.645,91 8.634,27

Leia mais

CIMENTO NOVEMBRO DE 2016

CIMENTO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CIMENTO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas

Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas Panorama Conjuntural do Segmento de Etiquetas Adesivas São Paulo, janeiro de 2013 Índice Etiquetas adesivas impressas o Produção anual e mensal do segmento de etiquetas o Mercado Externo o Balança Comercial

Leia mais

ESTUDO SETORIAL COUROS - OUTUBRO/2009. Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN

ESTUDO SETORIAL COUROS - OUTUBRO/2009. Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN 1 2 ESTUDO SETORIAL COUROS - OUTUBRO/2009 Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC Centro Internacional de Negócios - CIN Superintendente do CIN: Eduardo de Castro Bezerra Neto Coordenação: Beatriz

Leia mais

Visão de Futuro para o Sistema Financeiro Nacional

Visão de Futuro para o Sistema Financeiro Nacional Visão de Futuro para o Sistema Financeiro Nacional Sumário Financeirização da Economia Financiamento de Longo Prazo Desafios e Reflexões USD Milhões Capitalização de Mercado 2005-2009 70000000 60000000

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Ago/13

Ranking Mundial de Juros Reais Ago/13 Ranking Mundial de Juros Reais Ago/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais