Tomada de Posse da Diretora Geral. do Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tomada de Posse da Diretora Geral. do Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI)"

Transcrição

1 Tomada de Posse da Diretora Geral do Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI) Intervenção do Ministro de Estado e das Finanças Fernando Teixeira dos Santos 10 de dezembro de 2009 Senhores Secretários de Estado, Senhores Diretores-Gerais, Minhas Senhoras e meus Senhores, É com enorme gosto que hoje aqui me encontro para dar posse à Senhora Profª Doutora Maria Inês Ferreira Drumond de Sousa no cargo de Diretora- Geral do Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI) do Ministério das Finanças e da Administração Pública, assinalando assim o início do seu mandato e também de um novo ciclo para este Gabinete

2 Quero dirigir as minhas primeiras palavras à Senhora Profª Doutora Inês Drumond não só para lhe agradecer a prontidão com que aceitou o desafio que lhe enderecei para assumir a liderança do GPEARI mas também para lhe expressar publicamente o meu reconhecimento pela sua elevada competência e mérito, já demonstrados na atividade recente ao serviço do GPEARI, e que bem sei colocará de futuro ao serviço da liderança deste Gabinete. E neste momento solene, não quero também deixar de endereçar uma especial palavra de agradecimento ao Senhor Dr Hélder Reis, pela forma disponível, empenhada e competente com que, logo depois da cessação de funções pelo Senhor Prof. Doutor Nuno Sousa Pereira, aceitou assumir interinamente a função de Diretor-Geral do GPEARI. Agradeço-lhe, pois, as condições de estabilidade com que, desse modo, permitiu operar a transição de direção neste Gabinete e desejo-lhe os maiores sucessos na função de Subdiretor-Geral do GPEARI, que agora retoma. E agradeço igualmente do Senhor Prof. Doutor Nuno Sousa Pereira pelo exemplo de mérito que sempre foi e pela herança que nos lega ao deixar toda uma estrutura e uma equipa com elevado potencial técnico e científico, que adota as melhores práticas na prestação de serviço público. A ambos, o meu muito obrigado

3 Hoje, ao dar posse à Senhora Profª Doutora Inês Drumond como Diretora- Geral do GPEARI faço-o na consciência de que este Gabinete tem pela frente, nos próximos tempos, novos e exigentes desafios. Todos sabemos que a situação atual é complexa sob o ponto de vista económico e financeiro e que essa é uma realidade que torna particularmente difíceis os atuais processos de decisão. Por isso mesmo, os tempos são hoje de uma acrescida exigência no que se refere à análise técnica e científica dos problemas e à formulação das políticas económicas a prosseguir quer no âmbito interno quer no âmbito das políticas a adotar na zona euro e na União Europeia. A isso, o GPEARI não tem sido alheio e não o será de futuro, sabendo-se que lhe cabe, entre outras, a missão de acompanhar e apoiar a formulação das políticas económicas e financeiras e que muitos dos principais documentos de política económica são hoje coordenados ou efetuados neste Gabinete. Mas o balanço que faço sobre a excelência do desempenho a que o GPEARI nos habituou neste seu ainda curto período de vida (e que formalmente reconheci ao atribuir-lhe a distinção de mérito pelo seu desempenho no ano de 2008) é para mim e, estou certo, para todos nós aqui presentes - fator inspirador de confiança na capacidade deste Gabinete responder, com elevação, a esses desafios próximos

4 Sem ter ainda completado 3 anos de existência, o GPEARI tem dado sucessivas mostras de saber assumir-se como estrutura horizontal de apoio estratégico a todo o Ministério das Finanças e da Administração Pública, coordenador de várias das suas atividades e interlocutor ímpar do Ministério nas relações financeiras com os nossos parceiros internacionais. Essas eram, todos sabemos, ideias à luz das quais o GPEARI foi concebido aquando do PRACE e da configuração da nova Orgânica do MFAP. Apraz-me hoje reconhecer que o GPEARI é uma prova viva de que foi possível concretizar um dos principais eixos da reforma do Estado, sendo um exemplo das melhores práticas a adotar no que se refere à excelência do serviço público e tendo dado um contributo essencial na implementação do sistema de avaliação do desempenho dos funcionários, serviços e dirigentes da Administração Pública enquanto sistema assente na meritrocracia e na gestão por objetivos, ao serviço do reforço da qualidade do nosso serviço público, do rigor na afetação de recursos e, em última instância, da competitividade da nossa economia. Também ao nível das relações financeiras e da cooperação internacional do Ministério, o GPEARI pautou a sua atividade ao longo dos últimos quase 3 anos pelo seu elevado nível de proatividade e eficiência, tendo vindo a contribuir de forma muito significativa para uma imagem de credibilidade do País. A qualidade e o rigor do trabalho a que toda a equipa do GPEARI sempre nos habituou, são hoje os fatores inspiradores da confiança com que encaramos os anos que se avizinham

5 Sei que o GPEARI de futuro sob a liderança da Profª Doutora Inês Drumond manterá a proatividade, o espírito de colaboração, a disponibilidade e o dinamismo que já lhe são característicos. O que espera o GPEARI nos próximos anos é o desafio de consolidar o nível de excelência que foi capaz de apresentar neste passado mais recente, de prosseguir o papel de disseminador de informação e de continuar sendo exemplar na promoção do mais elevado nível técnico para o acompanhamento dos problemas que se venham a colocar. Sei também que a ambição de ser melhor não deixará de acompanhar o GPEARI. Minhas Senhoras e meus Senhores: O GPEARI foi uma das bandeiras do processo de modernização dos serviços da Administração Pública que este Ministério fundou e em que acreditei há 3 anos. Ao dar posse à Profª Doutora Inês Drumond como nova Diretora-Geral do GPEARI sei que essa linha de modernidade, de competência e de excelência do desempenho é para prosseguir porque sei também que o GPEARI conta com uma estrutura de recursos humanos capaz de garantir, ao mais alto nível, o cumprimento da sua missão

6 Dirijo, por isso, à Profª Doutora Inês Drumond firmes votos de sucesso nesta sua nova missão, sabendo de antemão que, no que depender de si e de da equipa do GPEARI, o empenho será total. Muito obrigado

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABINETE DO MINISTRO DE ESTADO E DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABINETE DO MINISTRO DE ESTADO E DAS FINANÇAS 20º Encontro de Lisboa com as Delegações dos Bancos Centrais dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e de Timor Leste à Assembleia Anual do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial 04

Leia mais

Senhora Presidente da Assembleia da República. Senhor Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas. Senhor Ministro dos Assuntos Parlamentares

Senhora Presidente da Assembleia da República. Senhor Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas. Senhor Ministro dos Assuntos Parlamentares Senhora Presidente da Assembleia da República Senhor Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas Senhor Ministro dos Assuntos Parlamentares Senhores Vice-Presidentes da Assembleia da República e Senhores

Leia mais

Tomada de posse do Director-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo

Tomada de posse do Director-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo Tomada de posse do Director-Geral das Alfândegas e dos Impostos Especiais sobre o Consumo Intervenção do Ministro de Estado e das Finanças Fernando Teixeira dos Santos - 16 de Janeiro de 2008 - Senhores

Leia mais

REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA. Desafio da Mudança. António Monteiro Presidente

REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA. Desafio da Mudança. António Monteiro Presidente REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA Desafio da Mudança António Monteiro Presidente XII Congresso da OROC - Lisboa 15 de Setembro de 2016 1 Senhor Bastonário Senhor Presidente da Comissão Organizadora do XII

Leia mais

REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA. Desafio da Mudança. António Monteiro Presidente

REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA. Desafio da Mudança. António Monteiro Presidente REFORMA DA CONTABILIDADE PÚBLICA Desafio da Mudança António Monteiro Presidente XII Congresso da OROC - Lisboa 15 de Setembro de 2016 1 Síntese 1. Introdução 2. Contas Públicas Credíveis 3. As principais

Leia mais

9.º Congresso Nacional da Contratação Pública Eletrónica. Lisboa, 9 de dezembro de 2015

9.º Congresso Nacional da Contratação Pública Eletrónica. Lisboa, 9 de dezembro de 2015 9.º Congresso Nacional da Contratação Pública Eletrónica Lisboa, 9 de dezembro de 2015 Intervenção do Senhor Ministro do Planeamento e Infraestruturas Pedro Marques Exmo. Senhor Presidente em exercício

Leia mais

Tomada de Posse do. Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI) Intervenção do Ministro de Estado e das Finanças

Tomada de Posse do. Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI) Intervenção do Ministro de Estado e das Finanças Tomada de Posse do Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI) Intervenção do Ministro de Estado e das Finanças Fernando Teixeira dos Santos 2 de Abril de 2007 Senhores

Leia mais

Esta cerimónia, que hoje aqui nos reúne, assume um significado. único no calendário anual de actos académicos da Universidade de

Esta cerimónia, que hoje aqui nos reúne, assume um significado. único no calendário anual de actos académicos da Universidade de Esta cerimónia, que hoje aqui nos reúne, assume um significado único no calendário anual de actos académicos da Universidade de Aveiro. Teve sempre uma atmosfera especial, talvez porque represente o mais

Leia mais

(ii) Doze focus group temáticos de diagnóstico e propostas, nos quais participaram mais de 160 entidades;

(ii) Doze focus group temáticos de diagnóstico e propostas, nos quais participaram mais de 160 entidades; Exmos Senhores, Queria, antes de mais, começar por agradecer a Vossa presença deste dia histórico que marca a apresentação da Estratégia e Plano de Ação Alto Minho 2020 e, também, a celebração do respetivo

Leia mais

Senhor Secretário de Estado do Orçamento. Senhores Convidados. Colegas da CNC

Senhor Secretário de Estado do Orçamento. Senhores Convidados. Colegas da CNC Senhor Secretário de Estado do Orçamento Senhores Convidados Colegas da CNC Quero começar por agradecer a presença do Senhor Secretário de Estado do Orçamento nesta sessão de apresentação do Portal do

Leia mais

Visita do Ministro Francês da Economia e das Finanças, Michel Sapin

Visita do Ministro Francês da Economia e das Finanças, Michel Sapin INTERVENÇÃO DO MINISTRO DAS FINANÇAS, MÁRIO CENTENO Visita do Ministro Francês da Economia e das Finanças, Michel Sapin MINISTÉRIO DAS FINANÇAS, LISBOA 07 DE MARÇO DE 2017 É para mim um prazer receber

Leia mais

SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA DEFESA NACIONAL

SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA DEFESA NACIONAL INTERVENÇÃO DA SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA DEFESA NACIONAL BERTA DE MELO CABRAL Conferência Estratégia Nacional Lisboa, ISCSP, 20 de junho de 2013 Só serão válidas as palavras proferidas pelo orador

Leia mais

Programa Operacional da Administração Pública (POAP),

Programa Operacional da Administração Pública (POAP), Programa Operacional da Administração Pública (POAP), 2004-2006 Ministério das Finanças e da Administração Pública CONTEÚDO DO DOCUMENTO da Eixo 3 Qualificar para modernizar a do Programa Operacional Emprego,

Leia mais

O POTENCIAL HUMANO PARA de NOVEMBRO 2012

O POTENCIAL HUMANO PARA de NOVEMBRO 2012 O POTENCIAL HUMANO PARA 2013 28 de NOVEMBRO 2012 O POTENCIAL HUMANO PARA 2013 ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS PARA O FUTURO - CAPITAL HUMANO PARA O CRESCIMENTO E O EMPREGO CONTRIBUTO DO POPH (ANOS 2013 E 2014)

Leia mais

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO DA REPUBLICA PORTUGUESA

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO DA REPUBLICA PORTUGUESA MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO DA REPUBLICA PORTUGUESA E O MINISTÉRIO FEDERAL DE TRABALHO E DE ASSUNTOS SOCIAIS DA REPÚBLICA FEDERAL DA ALEMANHA Considerando a necessidade

Leia mais

Luanda, 14 de Junho de 2016 EXCELÊNCIAS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO, SENHOR SECRETÁRIO-GERAL, SENHORES MINISTROS, DISTINTOS DELEGADOS,

Luanda, 14 de Junho de 2016 EXCELÊNCIAS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO, SENHOR SECRETÁRIO-GERAL, SENHORES MINISTROS, DISTINTOS DELEGADOS, DISCURSO PRONUNCIADO POR SUA EXCELÊNCIA JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS, PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA, POR OCASIÃO DA 6ª CIMEIRA ORDINÁRIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE

Leia mais

Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos

Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos Discurso de Abertura de Sua Excelência o

Leia mais

E NORMAS DE CONDUTA GABINETE DE AUDITORIA INTERNA (GAI)

E NORMAS DE CONDUTA GABINETE DE AUDITORIA INTERNA (GAI) CÓDIGO de ÉTICA E NORMAS DE CONDUTA GABINETE DE AUDITORIA INTERNA (GAI) «Para um serviço de excelência» 2015 INTRODUÇÃO O presente Código de Ética do Gabinete de Auditoria Interna (GAI) da Direção-Geral

Leia mais

PORTUGAL Faça clique para editar o estilo apresentação. Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo!

PORTUGAL Faça clique para editar o estilo apresentação. Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo! apresentação PORTUGAL 2020 www.in-formacao.com.pt Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo! 03-02-2015 FAMALICÃO PORTO IN.03.03.00 1 INTRODUÇÃO O PORTUGAL 2020 é o Acordo de Parceria adotado

Leia mais

Exmo. Sr. Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Uma primeira palavra de boas-vindas à Universidade de Aveiro, e de

Exmo. Sr. Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Uma primeira palavra de boas-vindas à Universidade de Aveiro, e de Exmo. Sr. Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Exmo. Sr. Secretário de Estado da Energia e da Inovação, Exmo. Sr. Director Geral da Agência para a Energia, Caros membros da Comunidade

Leia mais

Fórum da OIT Trabalho Digno para uma Globalização Justa

Fórum da OIT Trabalho Digno para uma Globalização Justa Fórum da OIT Trabalho Digno para uma Globalização Justa Abertura pelo Senhor Primeiro Ministro Lisboa, FIL (Junqueira), 31 de Outubro de 2007, 17H00 Senhor Director-Geral do BIT, Senhoras e Senhores, Saúdo

Leia mais

Senhores Membros do Congresso Nacional,

Senhores Membros do Congresso Nacional, Mensagem n o 691 Senhores Membros do Congresso Nacional, Nos termos do disposto no art. 49, inciso I, combinado com o art. 84, inciso VIII, da Constituição, submeto à elevada consideração de Vossas Excelências,

Leia mais

Ao iniciar funções como presidente da UGT, e ao saudar nesta circunstância,

Ao iniciar funções como presidente da UGT, e ao saudar nesta circunstância, Caras e Caros Convidados Caras e Caros Delegados Amigas e Amigos, Ao iniciar funções como presidente da UGT, e ao saudar nesta circunstância, calorosa e fraternalmente, o IX Congresso da UGT, cumpre-me

Leia mais

José Alberto Azeredo Lopes

José Alberto Azeredo Lopes José Alberto Azeredo Lopes Ministro da Defesa Nacional Intervenção do Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, na XII Conferência de Ministros de Defesa das Américas Trinidade e Tobago,

Leia mais

XI CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA CPLP

XI CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA CPLP SECRETARIADO EXECUTIVO COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA XI CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA CPLP (Brasília, 01 de novembro de 2016) DISCURSO DA SECRETÁRIA EXECUTIVA DA CPLP MARIA

Leia mais

O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos

O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos Porto, 18 de junho de 2013 Susana Monteiro Núcleo de Estudos e Avaliação Estrutura 1. Diagnóstico 2. Planeamento 3. Monitorização

Leia mais

É com emoção e humildade que saúdo todos os presentes. Obrigado pela Vossa presença que muito honra o nosso Agrupamento de Escolas.

É com emoção e humildade que saúdo todos os presentes. Obrigado pela Vossa presença que muito honra o nosso Agrupamento de Escolas. Discurso proferido pelo Diretor do Agrupamento Cerimónia de Tomada de Posse 10 de dezembro de 2015 Excelentíssima Senhora Vice-Presidente do Município de Vila Real de Santo António Excelentíssima Senhora

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO SECRETARIA Serviço ou Organismo NIF FICHA DE AVALIAÇÃO PARA OS DIRIGENTES DE NÍVEL INTERMÉDIO A preencher pelo avaliador Avaliador Cargo NIF Avaliado Cargo Unidade orgânica NIF Período em avaliação a 1.

Leia mais

Dirijo uma palavra de reconhecimento ao professor Emídio Gomes, pelo seu. envolvimento, pessoal e enquanto Presidente da Comissão de Coordenação de

Dirijo uma palavra de reconhecimento ao professor Emídio Gomes, pelo seu. envolvimento, pessoal e enquanto Presidente da Comissão de Coordenação de As minhas primeiras palavras são de reconhecimento, ao senhor Primeiro Ministro, estimado Dr. Pedro Passos Coelho, e restantes membros do Governo, por se terem associado a esta cerimónia, um marco de grande

Leia mais

Ministério da Defesa Nacional. Secretaria-Geral do Ministério da Defesa Nacional. Cargo e Titular: Secretário-geral do Ministério da Defesa Nacional

Ministério da Defesa Nacional. Secretaria-Geral do Ministério da Defesa Nacional. Cargo e Titular: Secretário-geral do Ministério da Defesa Nacional CARTA DE MISSÃO Ministério da Defesa Nacional Secretaria-Geral do Ministério da Defesa Nacional Cargo e Titular: Secretário-geral do Ministério da Defesa Nacional 1. Missão do organismo As atribuições

Leia mais

Seminário Apoios Comunitários para o Ambiente e Energia

Seminário Apoios Comunitários para o Ambiente e Energia Seminário Apoios Comunitários para o Ambiente e Energia 4 de fevereiro de 2015 Enquadramento: Os Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI) para o período de 2014-2020 serão determinantes no

Leia mais

REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO

REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO CARTA DE COMPROMISSO DA REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Considerando: Que o 5.º

Leia mais

ÍNDICE. Prefácio à presente edição 7. Prefácio à 3. 8 edição 9. Prefácio à 2.- edição 13. Prefácio à 1.* edição 15

ÍNDICE. Prefácio à presente edição 7. Prefácio à 3. 8 edição 9. Prefácio à 2.- edição 13. Prefácio à 1.* edição 15 ÍNDICE Prefácio à presente edição 7 Prefácio à 3. 8 edição 9 Prefácio à 2.- edição 13 Prefácio à 1.* edição 15 1. Introdução e fases do crescimento português 19 Resumo 19 1.1. As fases do crescimento económico

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização

Quadro de Avaliação e Responsabilização ANO: Ministério da Educação e Ciência Fundação para a Ciência e Tecnologia, I.P. MISSÃO: A FCT tem por missão apoiar, financiar e avaliar o Sistema Nacional de Investigação e Inovação, desenvolver a cooperação

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

Plataforma Supraconcelhia do Tâmega

Plataforma Supraconcelhia do Tâmega Regulamento da Plataforma Supraconcelhia do Tâmega Artigo 1º Objecto O presente regulamento define o processo de organização e funcionamento da Plataforma supraconcelhia do Tâmega, abreviadamente designada

Leia mais

Intervenção do Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, na chegada

Intervenção do Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, na chegada José Alberto Azeredo Lopes Ministro da Defesa Nacional Intervenção do Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, na chegada da Fragata D. Francisco de Almeida, após seis meses de comando

Leia mais

Discurso do Director Geral Exmo. Sr. Baltazar Miguel na Cerimónia de Outorga de Diplomas

Discurso do Director Geral Exmo. Sr. Baltazar Miguel na Cerimónia de Outorga de Diplomas Discurso do Director Geral Exmo. Sr. Baltazar Miguel na Cerimónia de Outorga de Diplomas Sua Excelência Senhora Secretária de Estado do Ministério do Ensino Superior, Sra. Augusta Martins; Sua Excelência

Leia mais

NORMAS DE APLICAÇÃO DO SIADAP 2 E 3 NA AET

NORMAS DE APLICAÇÃO DO SIADAP 2 E 3 NA AET NORMAS DE APLICAÇÃO DO SIADAP 2 E 3 NA AET a) Fixação do nº mínimo de objetivos por carreira: Dirigentes Intermédios (coordenadora Técnica) 4 Objetivos (um funcional, um de relacionamento e um de grau

Leia mais

Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro

Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro Sessão de Esclarecimento e Debate sobre a Reforma da Administração Pública O SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO SIADAP * Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro 1 O SIADAP Portaria nº1633/2007

Leia mais

Sua Excelência Presidente da República de Angola, Engenheiro José Eduardo dos Santos,

Sua Excelência Presidente da República de Angola, Engenheiro José Eduardo dos Santos, Sua Excelência Presidente da República de Angola, Engenheiro José Eduardo dos Santos, Excelentíssima Primeira-Dama da República de Angola, Drª Ana Paula dos Santos, Excelentíssimo Senhor Vice-Presidente

Leia mais

Plano de Atividades 2013

Plano de Atividades 2013 Plano de Atividades Ano de 2013 Plano de Atividades 2013 Introdução No prosseguimento da sua missão consultiva, instituída no quadro da Lei de Bases do Sistema Educativo de 1986, e tendo por referência

Leia mais

A QUALIDADE COMO FACTOR DE COMPETITIVIDADE DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Isabel Catarina Rodrigues 02 de Março de 2007 Auditório da Casa da Luz

A QUALIDADE COMO FACTOR DE COMPETITIVIDADE DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Isabel Catarina Rodrigues 02 de Março de 2007 Auditório da Casa da Luz A QUALIDADE COMO FACTOR DE COMPETITIVIDADE DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Isabel Catarina Rodrigues 02 de Março de 2007 Auditório da Casa da Luz OS DESAFIOS DO SÉCULO XXI Acompanhar a revolução tecnológica

Leia mais

Seminário Protecção do Ambiente e Segurança o caso paradigmático das Forças Armadas e Forças de Segurança. Conclusões

Seminário Protecção do Ambiente e Segurança o caso paradigmático das Forças Armadas e Forças de Segurança. Conclusões Seminário Protecção do Ambiente e Segurança o caso paradigmático das Forças Armadas e Forças de Segurança Conclusões Senhor Secretário de Estado da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar, Demais autoridades

Leia mais

O Senhor Desembargador JOSÉ MARIA SOUSA PINTO cessa hoje as suas funções de Vice-Presidente deste Tribunal da Relação de Lisboa ao fim de um mandato

O Senhor Desembargador JOSÉ MARIA SOUSA PINTO cessa hoje as suas funções de Vice-Presidente deste Tribunal da Relação de Lisboa ao fim de um mandato Exmo. Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça Exma. Senhora Procuradora-Geral da República Exmo. Senhor Vice-Presidente do Supremo Tribunal de Justiça Exma. Senhora Bastonária da Ordem dos Advogados

Leia mais

Santa Casa da Misericórdia de Aldeia Galega da Merceana

Santa Casa da Misericórdia de Aldeia Galega da Merceana Santa Casa da Misericórdia de Aldeia Galega da Merceana Relatório de Gestão 05 Introdução Nos dias de hoje, qualquer Instituição ou Entidade tem como dever a apresentação de contas, sendo esta apresentação

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REUNIÃO FINAL DO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DO QUADRO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PARA 2012 Intervenção de Sua Excelência, Aiuba Cuereneia

Leia mais

SIADAP LEI N.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro

SIADAP LEI N.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro Âmbito de aplicação (art.º 2.º) SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO E DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SIADAP Âmbito genérico de aplicação: - Administração directa do Estado; - Administração

Leia mais

Diploma. Aprova a orgânica da Secretaria-Geral do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia

Diploma. Aprova a orgânica da Secretaria-Geral do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia Diploma Aprova a orgânica da Secretaria-Geral do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia Decreto-Lei n.º 54/2014 de 9 de abril O Decreto-Lei n.º 119/2013, de 21 de agosto, alterou a

Leia mais

NA FEUC A FORMAÇÃO É ASSUNTO SÉRIO

NA FEUC A FORMAÇÃO É ASSUNTO SÉRIO NA FEUC A FORMAÇÃO É ASSUNTO SÉRIO MBA PARA EXECUTIVOS 12ªEDIÇÃO 2014/2016 12ª Edição 2014/2016 A Faculdade de Economia concilia a tradição e o prestígio centenários da sua Universidade, com um espírito

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA PLANO DE MELHORIA 2014 / 2016 ÍNDICE Introdução 3 Resultados da Avaliação Externa 4 Ações a contemplar no Plano de Melhoria 5 Conclusão 7 2 Introdução

Leia mais

Cerimónia de Tomada de Posse da Direcção do Colégio de Ortodontia da OMD. 19 de Setembro h30 Lisboa

Cerimónia de Tomada de Posse da Direcção do Colégio de Ortodontia da OMD. 19 de Setembro h30 Lisboa Cerimónia de Tomada de Posse da Direcção do Colégio de Ortodontia da OMD 19 de Setembro 2016 20h30 Lisboa Saudações Excelentíssimo Senhor Bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, Doutor Orlando Monteiro

Leia mais

Relatório Global da Avaliação de Satisfação realizada em 2011

Relatório Global da Avaliação de Satisfação realizada em 2011 No período compreendido entre 05-12-2011 e 30-01-2012 foi realizada a Avaliação de Satisfação referente ao ano de 2011, tendo sido inquiridas todas as partes interessadas. No total foram enviados / entregues

Leia mais

Código de Ética e Conduta Profissional da CCDR LVT

Código de Ética e Conduta Profissional da CCDR LVT Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo Código de Ética e Conduta Profissional Elaborado em agosto 2009. Revisão agosto 2015. Código de Ética e Conduta Profissional

Leia mais

Gestão dos Projectos Bartolomeu Soto

Gestão dos Projectos Bartolomeu Soto Banco Mundial Governo de Moçambique Gestão dos Projectos Bartolomeu Soto Revisão do Desempenho da Carteira de Projectos (CPPR) 18 de Setembro de 2009 Assuntos Críticos a Considerar Desafios e Recomendações

Leia mais

Código de Ética Empresarial da Metro do Porto

Código de Ética Empresarial da Metro do Porto Código de Ética Empresarial da Metro do Porto MP-848057/09 V1.0 Índice A. A EMPRESA Enquadramento Missão Visão Valores B. CÓDIGO Âmbito de Aplicação Acompanhamento C. PRINCÍPIOS ORIENTADORES DO RELACIONAMENTO

Leia mais

Políticas e Práticas de Acolhimento e Integração. Portimão, 24 de junho de 2015

Políticas e Práticas de Acolhimento e Integração. Portimão, 24 de junho de 2015 Políticas e Práticas de Acolhimento e Integração Portimão, 24 de junho de 2015 Plano Estratégico para as Migrações Plano Estratégico para as Migrações 2015-2020 Novos desafios» Governação integrada para

Leia mais

A Farmácia em Portugal

A Farmácia em Portugal A Farmácia em Portugal Degradação do Preço do Medicamento: Ameaça à Saúde Pública? Humberto Martins VI Reunião Anual da Revista Portuguesa de Farmacoterapia Controvérsias com Medicamentos 31 de Maio de

Leia mais

Gostaria de manifestar todo o nosso reconhecimento aos Senhores Ministro da Economia e do Emprego e Secretário

Gostaria de manifestar todo o nosso reconhecimento aos Senhores Ministro da Economia e do Emprego e Secretário SESSÃO DE LANÇAMENTO DO MOVIMENTO PARA O EMPREGO FCG (SALA DIRECÇÕES) - 23.05.2013, 15H30 Senhor Ministro da Economia e do Emprego Senhor Secretário de Estado do Emprego Senhores Deputados Senhor Presidente

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO MUNICIPIO DE MANTEIGAS E NERGA NÚCLEO EMPRESARIAL DA REGIÃO DA GUARDA ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL Considerando: Que o NERGA é uma Pessoa Coletiva de Utilidade Pública que, tem como objetivo

Leia mais

Quadro Estratégico Comum

Quadro Estratégico Comum Quadro Estratégico Comum 2014-2020 Objetivos Prioridades Estrutura Orgânica Sociedade de Geografia de Lisboa, 8 de Julho de 2013 Piedade Valente Vogal da Comissão Diretiva do COMPETE Quadro Estratégico

Leia mais

ENCONTRO DE PARCEIROS

ENCONTRO DE PARCEIROS ENCONTRO DE PARCEIROS UDIPSSSetúbal e BANCO ALIMENTAR Setúbal, 18 de Maio de 2016 Ao dirigir-me, em nome da de Solidariedade Social do Distrito de Setúbal, quero em primeiro lugar felicitar todos os presentes

Leia mais

A. PROJETOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS

A. PROJETOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO EIXO 1 COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT) PARTE II - CRITÉRIOS DE

Leia mais

Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM

Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM Comunidade Intermunicipal do Oeste OesteCIM É uma pessoa coletiva de direito público de natureza associativa e âmbito territorial e visa a realização de interesses comuns aos Municípios que a integram,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA TRANSIÇÃO [Revisado, setembro de 2008]

PLANO DE AÇÃO PARA TRANSIÇÃO [Revisado, setembro de 2008] PLANO DE AÇÃO PARA TRANSIÇÃO [Revisado, setembro de 2008] PT Qual é a nossa situação atual e como chegamos até aqui? Dez anos após sua fundação, a ICANN obteve reconhecimento por cumprir sua visão original

Leia mais

Excelência Senhor Pier Paolo Balladelli, Coordenador Residente do Sistema das Nações Unidas e Representante do PNUD em Angola;

Excelência Senhor Pier Paolo Balladelli, Coordenador Residente do Sistema das Nações Unidas e Representante do PNUD em Angola; REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Gabinete do Ministro Excelência Senhor Pier Paolo Balladelli, Coordenador Residente do Sistema das Nações Unidas e Representante do PNUD em Angola;

Leia mais

POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. 2ª Versão

POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. 2ª Versão POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS 2ª Versão Sumário 1 Objetivo... 3 2 Conceitos... 3 3 Princípios... 4 4 Diretrizes... 5 5 Responsabilidades... 5

Leia mais

DIREÇÃO GERAL DE REFORMAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

DIREÇÃO GERAL DE REFORMAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DIREÇÃO GERAL DE REFORMAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ESTRUTURA Direção de Serviço de Reformas Cargo Função Técnico Diretor de Serviço Dirigir e enquadrar os projetos de modernização e reforma no âmbito do

Leia mais

Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015

Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015 Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015 Agenda Preparação do trabalho a realizar no ano letivo 2015/2016 Regulamento Interno disponível no portal do agrupamento www.esvalongo.org

Leia mais

REGULAMENTO DO GABINETE DE ESTUDOS E PLANEAMENTO. Artigo 1.º. Definição e Finalidade

REGULAMENTO DO GABINETE DE ESTUDOS E PLANEAMENTO. Artigo 1.º. Definição e Finalidade REGULAMENTO DO GABINETE DE ESTUDOS E PLANEAMENTO O presente regulamento explicita as competências, responsabilidades e funcionamento do Gabinete de Estudos e Planeamento. Artigo 1.º Definição e Finalidade

Leia mais

Senhora Presidente da Assembleia Legislativa da Região. Senhor Presidente do Governo Regional dos Açores. Senhoras Deputadas e Senhores Deputados

Senhora Presidente da Assembleia Legislativa da Região. Senhor Presidente do Governo Regional dos Açores. Senhoras Deputadas e Senhores Deputados Senhora Presidente da Assembleia Legislativa da Região Senhor Presidente do Governo Regional dos Açores Senhoras Deputadas e Senhores Deputados Senhoras e Senhores Membros do Governo No passado dia 31

Leia mais

Gestão por competências e aprendizagem na Autoridade Tributária e Aduaneira Damasceno Dias

Gestão por competências e aprendizagem na Autoridade Tributária e Aduaneira Damasceno Dias Gestão por competências e aprendizagem na Autoridade Tributária e Aduaneira Damasceno Dias Subdiretor-Geral dos Recursos Humanos e Formação da AT Agenda Como surge o (CFW Competency Framework for the Customs

Leia mais

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de

Núcleo Executivo do CLAS de Mafra, 28 Maio de Plano de Ação Rede Social Mafra Eixo I - DEMOGRAFIA E EQUIPAMENTOS (INFRA-ESTRUTURAS DE APOIO) Objectivo geral 1. Reforçar as estruturas de apoio ao idoso Objectivo Específico 1. Aumentar a capacidade

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005

PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005 PLANO DE ACÇÃO, DO ANO DE 2005 O ano de 2005 é o último ano de vigência do I Plano Estratégico para o Desenvolvimento da. Assim sendo, este Plano de Acção constitui, de certa forma, o encerrar de um ciclo

Leia mais

Unidade-Disciplina-Trabalho MINISTÉRIO DO EMPREGO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS Gabinete do Ministro. 104ª Conferencia Internacional do Trabalho

Unidade-Disciplina-Trabalho MINISTÉRIO DO EMPREGO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS Gabinete do Ministro. 104ª Conferencia Internacional do Trabalho 104ª Conferencia Internacional do Trabalho Discurso do Ministro do Emprego e dos Assuntos Sociais de São Tomé e Príncipe (08 de Junho 2015) Senhora Presidente da centésima quarta Conferencia Internacional

Leia mais

V Bienal de Culturas Lusófonas Câmara Municipal de Odivelas

V Bienal de Culturas Lusófonas Câmara Municipal de Odivelas V Bienal de Culturas Lusófonas Câmara Municipal de Odivelas Cerimónia de Abertura 4 de maio, 17h00 Centro de Exposições de Odivelas Intervenção de Sua Excelência, Secretário Executivo da CPLP, Senhor Embaixador

Leia mais

A P R E S E N T A Ç Ã O MARÇO 09

A P R E S E N T A Ç Ã O MARÇO 09 A P R E S E N T A Ç Ã O MARÇO 09 Sumário : 1 Entidade Reguladora do Sector Eléctrico em Angola 2 Missão do IRSE 3 Reflexos da Entidade Reguladora no Sector 4 Desafios do Regulador 5 Indicadores 6 Legislação

Leia mais

2014 a Plano estratégico MERGULHAR NO SUCESSO, NUMA ESCOLA COM IDENTIDADE

2014 a Plano estratégico MERGULHAR NO SUCESSO, NUMA ESCOLA COM IDENTIDADE 2014 a 2018 Plano estratégico MERGULHAR NO SUCESSO, NUMA ESCOLA COM IDENTIDADE Teresa Mendes 2014 a 2018 I - Preâmbulo Em conformidade com o disposto no nº 3 do artigo 22º do Decreto-Lei nº 75/2008, de

Leia mais

Resolução do Conselho de Ministros n.º 77/2015, de 10 de Setembro

Resolução do Conselho de Ministros n.º 77/2015, de 10 de Setembro Comissão Executiva da Especialização em Engenharia de Segurança ORDEM DO 16 de Dezembro, 2015 ESTRATÉGIA NACIONAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO 2015-2020 - Por um trabalho seguro, saudável e produtivo

Leia mais

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto)

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) (Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) dezembro, 2013 CARTA DE MISSÃO (Portaria n.º 266/2012, de 30 de agosto) Nome do Diretor Carlos Alberto Martins Carvalho Escalão 9º Unidade Orgânica : Agrupamento

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 20 de outubro de Série. Número 161

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 20 de outubro de Série. Número 161 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 20 de outubro de 2015 Série Sumário SECRETARIAS REGIONAIS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DA ECONOMIA, TURISMO E CULTURA Portaria n.º 195/2015

Leia mais

A Nova Visão Financeira do Estado. Conferência Serviços Partilhados e Compras Públicas

A Nova Visão Financeira do Estado. Conferência Serviços Partilhados e Compras Públicas A Nova Visão Financeira do Estado Conferência Serviços Partilhados e Compras Públicas A Nova Visão Financeira do Estado AGENDA 1. Enquadramento 2. Perspetiva sobre a situação atual 3. Elementos da nova

Leia mais

Innovation Hub: Instrumento de revitalização e criatividade urbanas para a competitividade e a sustentabilidade

Innovation Hub: Instrumento de revitalização e criatividade urbanas para a competitividade e a sustentabilidade Innovation Hub: Instrumento de revitalização e criatividade urbanas para a competitividade e a sustentabilidade Natalino Martins Departamento de Prospectiva e Planeamento MAOTDR Oeiras, 26/03/07 1 Innovation

Leia mais

Workshop sobre Inclusão e Formação Financeira com Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa

Workshop sobre Inclusão e Formação Financeira com Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa Workshop sobre Inclusão e Formação Financeira com Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa Estratégia para a formação financeira Susana Narciso Departamento de Supervisão Comportamental 11 de julho

Leia mais

SOLENE DIA MUNDIAL SAÚDE ORAL]

SOLENE DIA MUNDIAL SAÚDE ORAL] 2017 SEAS Secretário de Estado Adjunto e da Saúde Prof. Doutor Fernando Araújo [DISCURSO SESSÃO SOLENE DIA MUNDIAL SAÚDE ORAL] Secretário de Estado Adjunto e da Saúde (20 março, Lisboa) (vocativos) Minhas

Leia mais

SENHOR MINISTRO DA DEFESA NACIONAL, EXCELÊNCIA SENHOR ALMIRANTE CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA SENHOR GENERAL CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA FORÇA AÉREA

SENHOR MINISTRO DA DEFESA NACIONAL, EXCELÊNCIA SENHOR ALMIRANTE CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA SENHOR GENERAL CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA FORÇA AÉREA SENHOR MINISTRO DA DEFESA NACIONAL, EXCELÊNCIA SENHOR ALMIRANTE CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA SENHOR GENERAL CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA FORÇA AÉREA SENHOR GENERAL CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO SENHOR

Leia mais

DISCURSO DO PRESIDENTE DA CNI, ROBSON BRAGA DE ANDRADE, NA SOLENIDADE DE APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA SENAI DE APOIO À

DISCURSO DO PRESIDENTE DA CNI, ROBSON BRAGA DE ANDRADE, NA SOLENIDADE DE APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA SENAI DE APOIO À 1 DISCURSO DO PRESIDENTE DA CNI, ROBSON BRAGA DE ANDRADE, NA SOLENIDADE DE APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA SENAI DE APOIO À COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA, EM 13.04.2012. Excelentíssima senhora presidenta

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR E DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR E DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO ENSINO SUPERIOR E DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Discurso de abertura de sua excelência, ministra do ensino superior e da ciência e tecnologia, profª doutora maria cândida pereira

Leia mais

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 03 março 2011

G PE AR I. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 03 março 2011 Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 3 março 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_

Leia mais

Senhor Presidente do Supremo Tribunal. Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da. Senhora Procuradora-Geral da República,

Senhor Presidente do Supremo Tribunal. Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da. Senhora Procuradora-Geral da República, Senhor Presidente do Supremo Tribunal Administrativo, Senhores Ministros, Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da Assembleia da República, Senhora Procuradora-Geral da República, Senhoras e Senhores Deputados,

Leia mais

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 Deliberação n.º 83 /2015 Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 A CIC Portugal 2020, na reunião ordinária de 21 de dezembro de 2015, deliberou, nos temos da alínea q) do n.º 2 do artigo 10.º do Decreto-Lei

Leia mais

A Importância da Liderança na Cultura da Excelência

A Importância da Liderança na Cultura da Excelência XIX Seminário de Boas Práticas CIC Caxias do Sul A Importância da Liderança na Cultura da Excelência Msc. Eng. Irene Szyszka 04/ABR/2013 O negócio, o mercado e a sociedade Pressão dos clientes e mercado;

Leia mais

História das juniores empresas

História das juniores empresas História das juniores empresas A primeira Júnior Empresa surgiu na ESSEC (L'Ecole Empresarial Supérieure des Sciences Economiques et Commerciales de Paris) no ano de 1967, na FRANÇA em PARIS. Os alunos

Leia mais

RELATÓRIO DA CERIMÓNIA DA ASSINATURA DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE A PROVEDORIA DE JUSTIÇA E EMBAIXADA DO REINO UNIDO EM ANGOLA

RELATÓRIO DA CERIMÓNIA DA ASSINATURA DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE A PROVEDORIA DE JUSTIÇA E EMBAIXADA DO REINO UNIDO EM ANGOLA REPÚBLICA DE ANGOLA ----*---- PROVEDORIA DE JUSTIÇA RELATÓRIO DA CERIMÓNIA DA ASSINATURA DO ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE A PROVEDORIA DE JUSTIÇA E EMBAIXADA DO REINO UNIDO EM ANGOLA LUANDA, AGOSTO DE 2013

Leia mais

Qualidade e Sustentabilidade

Qualidade e Sustentabilidade Qualidade e Sustentabilidade Início de atividade em 1988 Localizada em Espinheiro, Penela Certificação do Sistema de Gestão da Qualidade em 2002 e Segurança Alimentar em 2006 Possui cerca de 120 colaboradores;

Leia mais

Auto-Regulação e Melhoria das Escolas. Auto-avaliação - uma PRIORIDADE. Auto-avaliação do Agrupamento de Escolas de Gil Vicente

Auto-Regulação e Melhoria das Escolas. Auto-avaliação - uma PRIORIDADE. Auto-avaliação do Agrupamento de Escolas de Gil Vicente Agrupamento de Escolas de Auto-Regulação e Melhoria das Escolas Auto-avaliação - uma PRIORIDADE Equipa de Avaliação Interna 2009/2010 1 Agrupamento de Escolas de Enquadramento legal Justificação Novo Paradigma

Leia mais

Senhor Presidente da Associação Nacional de Diretores das Escolas Públicas. Senhoras e Senhores diretores das escolas e agrupamentos de escolas

Senhor Presidente da Associação Nacional de Diretores das Escolas Públicas. Senhoras e Senhores diretores das escolas e agrupamentos de escolas 1 Senhor Vice-Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim Senhora Presidente do Conselho Geral Senhoras e senhores conselheiros Senhora Coordenadora Nacional do Projeto Fénix Senhor Presidente da

Leia mais

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP )

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP ) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CONFERENCIA DE INVESTIDORES DO CORREDOR DE NACALA Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em

Leia mais

9.º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES

9.º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES 9.º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES 9º CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS CONCLUSÕES O 9º Congresso Nacional de Bibliotecários,

Leia mais

INTERNACIONALIZAR AS PME DO ALGARVE DESAFIOS E OPORTUNIDADES O DESAFIO DA INTERNACIONALIZAÇÃO: NOVOS CAMINHOS

INTERNACIONALIZAR AS PME DO ALGARVE DESAFIOS E OPORTUNIDADES O DESAFIO DA INTERNACIONALIZAÇÃO: NOVOS CAMINHOS INTERNACIONALIZAR AS PME DO ALGARVE DESAFIOS E OPORTUNIDADES O DESAFIO DA INTERNACIONALIZAÇÃO: NOVOS CAMINHOS NERA, 25 de novembro de 2016 Internacionalização Enquadramento Desafios da Internacionalização

Leia mais