Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba"

Transcrição

1 Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar - Bairro: Ahu - CEP: Fone: (41) PEDIDO DE BUSCA E APREENSÃO CRIMINAL Nº /PR REQUERENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ACUSADO: ZWI SKORNICKI ACUSADO: SHINKO NAKANDAKARI ACUSADO: UPNAVY CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA - EPP ACUSADO: SLN ALIMENTOS LTDA - ME ACUSADO: ROPAS PARTICIPACOES LTDA - ME ACUSADO: RIOMARINE OIL E GAS ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS LTDA ACUSADO: PZM REPY EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA - ME ACUSADO: PZM INDY EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA - ME ACUSADO: PZM CAC EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA ACUSADO: PLANAUDI - PLANEJAMENTO E AUDITORIAS SOCIEDADE CIVIL LTDA - ME ACUSADO: OILDRIVE CONSULTORIA EM ENERGIA E PETROLEO LTDA ACUSADO: OILADVISE CONSULTORIA E ENGENHARIA LTDA. - ME ACUSADO: MILTON PASCOWITCH ACUSADO: MEDIATOR CONSULTORES ASSOCIADOS LTDA ACUSADO: MARIO FREDERICO DE MENDONCA GOES ACUSADO: MAGO PARTICIPACAO E EMPREENDIMENTOS LTDA ACUSADO: MAGO CONSULTORIA LTDA - ME ACUSADO: M2J CONSULTORES EMPRESARIAIS LTDA - EPP ACUSADO: LUIS EDUARDO CAMPOS BARBOSA DA SILVA ACUSADO: LFSN CONSULTORIA ENGENHARIA S/S LTDA. ACUSADO: LARUS CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA - ME ACUSADO: JOAO VACCARI NETO ACUSADO: JAMP ENGENHEIROS ASSOCIADOS LTDA ACUSADO: JAMP EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA

2 ACUSADO: INSTITUTO OTAVIANO ALMEIDA OLIVEIRA - IOAO - BA ACUSADO: GUILHERME ESTEVES DE JESUS ACUSADO: GREENFIELD SERVICOS E CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA ACUSADO: GDK SERGIPE ENGENHARIA LTDA ACUSADO: GDK S.A. EM RECUPERACAO JUDICIAL ACUSADO: ECAUNA SERVICOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA S.A. ACUSADO: ECAPIRA PARTICIPACOES S.A. ACUSADO: EAGLE DO BRASIL LTDA ACUSADO: EAGLE CONSULTORIA EM ENGENHARIA LTDA. ACUSADO: DIAGONAL INVESTIMENTOS AGENTE AUTONOMO DE INVESTIMENTOS LTDA ACUSADO: DFMC EVENTOS LTDA ACUSADO: DF PATRIMONIAL LTDA ACUSADO: CLAPAS EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA - ME ACUSADO: CESAR ROBERTO SANTOS OLIVEIRA ACUSADO: BERNARDO SCHILLER FREIBURGHAUS ACUSADO: AUGUSTO AMORIM COSTA ACUSADO: ATAN DE AZEVEDO BARBOSA ACUSADO: ARATU OLEO E GAS S.A. DESPACHO/DECISÃO Pleiteia o MPF a expedição de mandados de busca e apreensão e outras medidas. Oportuno breve histórico. Tramitam por este Juízo diversos inquéritos, ações penais e processos incidentes relacionados à assim denominada Operação Lavajato. Em uma primeira fase, foram propostas dez ações penais e ainda há investigações em andamento que podem resultar em outras. A dez já propostas tem os números , , , , , , , , e Duas delas já foram julgadas, outras aproximam-se da fase de julgamento.

3 Na Operação Lavajato, foram identificados quatro grupos criminosos dedicados principalmente à prática de lavagem de dinheiro e de crimes financeiros no âmbito do mercado negro de câmbio. Os quatro grupos seriam liderados pelos supostos doleiros Carlos Habib Chater, Alberto Youssef, Nelma Mitsue Penasso Kodama e Raul Henrique Srour. A investigação, com origem nos inquéritos e , tinha por objeto inicial supostas operações de lavagem de produto de crimes contra a Administração Pública e que teriam se consumado com a realização de investimentos industriais, com recursos criminosos, na cidade de Londrina/PR. Este crime de lavagem, consumado em Londrina/PR, se submete à competência da 13ª Vara Federal de Curitiba, tendo dado origem à ação penal acima já referida, na qual figuram como acusados Carlos Habib Chater, Alberto Youssef e subordinados. No aprofundamento das investigações sobre o grupo dirigido por Alberto Youssef, foram colhidas provas, em cognição sumária, de que ele dirigia verdadeiro escritório dedicado à lavagem de dinheiro e que a operação de lavagem acima referida, consumada em Londrina, inseria-se em contexto mais amplo. Alberto Youssef estaria envolvido na lavagem de recursos provenientes de obras da Petróleo Brasileiro S/A - Petrobras e esses valores, após lavados, seriam utilizados para pagamento de vantagem indevida a empregados da Petrobrás do alto escalão, como o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa. Na continuidade das investigações, colhidas provas, em cognição sumária, de que as maiores empreiteiras do Brasil estariam envolvidas no esquema criminoso. Segundo o MPF, a OAS, Odebrecht, UTC, Camargo Correa, Techint, Andrade Gutierrez, Mendes Júnior, Promon, MPE, Skanska, Queiroz Galvão, IESA, Engevix, SETAL, GDK e Galvão Engenharia teriam formado um cartel, através do qual, por ajuste prévio, teriam sistematicamente frustrado as licitações da Petróleo Brasileiro S/A - Petrobras para a contratação de grandes obras entre os anos de 2006 a 2014, entre elas a RNEST, COMPERJ e REPAR. As empreiteiras, reunidas em algo que denominavam de "Clube", ajustavam previamente entre si qual delas iria sagrar-se vencedora das licitações da Petrobrás, manipulando os preços apresentados no certame, com o que tinham condições de, sem concorrência real, serem contratadas pelo maior preço possível admitido pela Petrobrás. Para permitir o funcionamento do cartel, as empreiteiras corromperam diversos empregados do alto escalão da Petrobras, entre eles os ex-diretores Paulo Roberto Costa e Renato de Souza Duque.

4 Os agentes públicos, entre eles o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, tinham o papel relevante e não turbar o funcionamento do cartel e ainda de tomas as providências para que a empresa definida pelo Clube de empreiteiras para vencer a licitação fosse de fato escolhida para o contrato. Para viabilizar o esquema criminoso, valores obtidos com os crimes de cartel e licitatórios foram submetidos a lavagem de dinheiro por Alberto Youssef e por outros profissionais da lavagem, para posterior pagamento aos empregados de alto escalão da Petrobrás. Percentagem de cada contrato das empreiteiras com a Petrobrás era então destinada ao pagamento de propina aos empregados de alto escalão da Petrobrás. Entre os expedientes de ocultação e dissimulação, depósitos em contas de pessoas interpostas e simulação de contratos de consultoria e prestação de serviços, especialmente empresas controladas por Alberto Youssef, como MO Consultoria, Empreiteira Rigidez, RCI Software e GDF Investimentos. Na segunda fase da assim denominada Operação Lavajato, decretei, a pedido da autoridade policial e do MPF, a prisão cautelar e medidas de investigação em relação a dirigentes das empreiteiras envolvidas (decisão de 10/11/2014, evento 10, do processo ). Foram propostas a partir de então pelo MPF seis novas denúncias contra dirigentes das empreiteiras, Camargo Correa, UTC Engenharia, OAS, Engevix e Galvão Engenharia. No decorrer das investigações, Pedro José Barusco Filho, ex- Gerente Executivo da Petrobrás, resolveu celebrar acordo de colaboração premiada com o MPF (processo ). No âmbito do acordo, concordou em devolver cerca de 97 milhões de dólares que constituíriam produto de crimes contra a Petrobras e estariam sendo mantidos ocultos em contas secretas na Suíça. Revelou ademais a existência de diversos outros operadores ou intermediadores de propina entre as empreiteiras os agentes da Petrobras (evento 9 do processo ). Agregue-se que Erton Medeiros Fonseca, dirigente da Galvão Engenharia admitiu, no curso da investigação, posteriormente à prisão cautelar, que a empresa realizou pagamentos de R$ ,00 entre 08/11/2010 a 25/06/2014 a Diretoria de Serviços da Petrobrás, o que foi feito através de um desses emissários citados por Pedro Barusco, de nome Shinko Nakandakari. Releva destacar que Erton apresentou prova documental desses pagamentos. pelo MPF: Relativamente a esses emissários destaco a síntese efetuada

5 "1. MARIO FREDERICO MENDONÇA GOES atuou como operador financeiro em nome de várias empresas e/ou consórcios de empresas contratadas pela PETROBRAS, notadamente em favor da ANDRADE GUTIERREZ, da MENDES JÚNIOR, da CARIOCA, da BUENO ENGENHARIA, da MPE/EBE, da OAS, da SCHAIN, da SETAL e da UTC. MARIO GOES tratava diretamente com PEDRO JOSÉ BARUSCO FILHO o pagamento de propinas oriundas de contratos firmados entre a PETROBRAS e as referidas empresas. Ambos se encontravam periodicamente, não só para que MARIO GOES pudesse entregar a BARUSCO mochilas com grandes valores de propina em espécie, que variavam entre R$ ,00 e R$ ,00, como também para que pudesse ser realizado o que BARUSCO designou como encontro de contas, ou seja, a conferência, contrato a contrato, dos pagamentos de propinas feitos e pendentes. Conforme informado por BARUSCO, contudo, a maior parte dos valores operacionalizados por MARIO GOES se deu mediante transferências para contas bancárias no exterior, principalmente para as contas MARANELLE e PHAD, mantidas pelo operador no Banco Safra na Suíça, e DAYDREAM, BACKSPIN e DOLE TECH INC, de titularidade de BARUSCO, totalizando, em operações, mais de US$ ,00. Verifica-se que dentre os documentos entregues por BARUSCO encontram-se extratos da conta bancária nº do Banco J. Safra Sarasin, em nome da offshore Rhea Comercial INC., em que constam transferências provenientes da conta da offshore MARANELLE, utilizada por MARIO GOES. 2. ZWI ZCORNIKY, representante oficial da KEPELL FELS e da FLOATEC, bem como operador do pagamento de vantagens indevidas no âmbito do ESTALEIRO KEPELL FELS no interregno de 2003 a 2013, foi responsável pela transferência de valores a BARUSCO, em conta no Banco Delta, na Suíça, bem como ao PARTIDO DOS TRABALHADORES, mormente por meio de JOÃO VACCARI NETO. Segundo consta do depoimento de BARUSCO, o pagamento de propina nos contratos da KEPELL FELS com a PETROBRAS quando da saída de RENATO DUQUE da Diretoria de Serviços atingiu o montante total de US$ ,00, dos quais US$ ,00 foram transferidos por ZWI ZCORNIK para conta mantida pelo ex-diretor da PETROBRAS RENATO DUQUE no Banco Delta. BARUSCO, ao seu turno, recebera de ZWI ZCORNIK valores no montante de US$ ,00 e US$ ,00, em suas contas K e T, no Banco Lombard Odier, e em conta no Banco Delta, respectivamente. 3. GUILHERME ESTEVES DE JESUS funcionou como operador financeiro para o pagamento de propinas pelo ESTALEIRO JURONG a BARUSCO, RENATO DUQUE e outros, a partir de janeiro de 2013, por meio de contratos fictícios e depósitos em contas bancárias no exterior. Segundo informado por BARUSCO, GUILHERME ESTEVES DE JESUS, por meio da offshore OPDALE INDUSTRIES LTD., transferiu aproximadamente US$

6 para as offshores NATIRAS (BARUSCO), DRENOS (RENATO DUQUE) e FIRASA (JOÃO FERRAZ) e para EDUARDO MUSA. A par de tais depósitos GUILHERME ESTEVES DE JESUS viabilizava o pagamento de vantagens indevidas a JOÃO VACCARI, por meio de esquema próprio. Neste sentido, destaquem-se anotações entregues por PEDRO JOSÉ BARUSCO FILHO a respeito de depósitos a serem realizados pela offshore OPDALE, sendo um dos valores anotados correspondente àquele por ele indicado quando de seus depoimentos perante a autoridade policial. Extratos bancários também foram apreendidos e comprovam o depósito de valores na conta do ex-funcionário da PETROBRAS pela empresa controlada por GUILHERME ESTEVES DE JESUS. 4. MILTON PASCOVICH atuou como operador financeiro da empresa ENGEVIX e do ESTALEIRO RIO GRANDE, efetuando transferências da offshore MJP INTERNATIONAL GROUP, no Banco UBS AG, nos Estados Unidos, para a conta da offshore AQUARIUS PARTNERS INC, mantida por BARUSCO no Banco Pictet & Cie. Igualmente, efetuou depósitos por intermédio de contas da offshore FARALLON INVESTING LTD. para a offshore NATIRAS INVESTMENTS INC., de BARUSCO. Também evidencia a atuação de MILTON PASCOVICH como operador financeiro o documento manuscrito por BARUSCO que indica o pagamento de valores pela offshore FARALLON SHINKO NAKANDAKARI, ex-diretor da ODEBRECHT, atuou em favor das empresas GALVÃO ENGENHARIA, da EIT ENGENHARIA e da CONTREIRAS na operacionalização do pagamento de propinas decorrentes de contratos firmados com a PETROBRAS. Por diversas vezes, repassou à BARUSCO, assim, valores em espécie no território nacional. Além do mais, conforme o depoimento prestado por ERTON MEDEIROS FONSECA, diretor de negócios da GALVÃO ENGENHARIA, essa empreiteira pagou valores a título de propina a agentes públicos ligados à Petrobras. Dentre eles, encontra-se o investigado RENATO DE SOUZA DUQUE, cujos valores recebidos teriam sido cobrados por SHINKO NAKANDAKARI (autos nº , evento 36, p. 3/6). ERTON MEDEIROS FONSECA ainda juntou petição nos autos nº (evento 360, PET1), informando que os valores supostamente cobrados por SHINKO NAKANDAKARI foram pagos através de empresa de sua propriedade, a LSFN CONSULTORIA ENGENHARIA S/S LTDA. Corroboram suas afirmações as notas fiscais, cartas de cobrança enviadas à GALVÃO ENGENHARIA e tabelas de controle de pagamento as quais indicam o repasse de R$ ,00, anexas àquela manifestação.

7 6. LUIS EDUARDO CAMPOS BARBOSA DA SILVA, funcionário da ABB ASEA BROWN BOVERI e posteriormente sócio de JULIO FAERMAN (operador da SBM e proprietário de empresas no exterior) na FAERCON e na OIL DRIVE, era dono da CARTMEL WORLDWIDE S.A. e de empresas no exterior. Atuou como operador financeiro em favor das empresas ALUSA, ROLLS ROYCE e SBM, repassando propinas decorrentes de contratos por elas firmados com a PETROBRAS. Além disso, como operador da ALUSA, recebeu informação privilegiada para que tal empresa pudesse vencer processo licitatório em curso na PETROBRAS. 7. ATAN DE AZEVEDO BARBOSA, empregado de carreira aposentado da PETROBRAS, atuou no interesse da empresa IESA ÓLEO E GÁS como operador financeiro para o pagamento de propinas referentes aos contratos por ela firmados com a estatal. Segundo informado por BARUSCO, os pagamentos de propina operacionalizados por ATAN DE AZEVEDO BARBOSA ocorriam de forma diferente daqueles que envolviam RENATO DUQUE, o PARTIDO DOS TRABALHADORES e outros. Entre outubro de 2008 a 26 de abril de 2013, BARUSCO recebeu mensalmente de ATAN DE AZEVEDO BARBOSA o montante de US$ ,00 em decorrência dos contratos firmados pela IESA com a PETROBRAS. Tais pagamentos foram efetuados na conta da offshore RHEA COMERCIAL INC., no Banco Safra, na Suíça, a partir da conta da offshore HEATHERLEY BUSINESS LTD, mantida por ATAN DE AZEVEDO BARBOSA no Banco Clariden Leu AG., na Suíça, totalizando aproximadamente US$ ,00. Nesse liame, destaque-se que foram entregues por BARUSCO extratos da conta bancária nº do Banco J. Safra Sarasin, em nome da offshore Rhea Comercial INC., os quais demonstram diversos depósitos provenientes da conta da offshore HEATHERLEY BUSINESS LTD, utilizada por ATAN DE AZEVEDO BARBOSA, inclusive com a repetição mensal do valor referido por BARUSCO de US$ ,00 Ademais, ATAN DE AZEVEDO BARBOSA desempenhou o papel de operador de propinas no contrato firmado entre a COMPANHIA BRASILEIRA DE DRAGAGEM e a PETROBRAS para locação do ESTALEIRO INHAÚMA, em 2009, transferindo, na ocasião, valores a BARUSCO e a RENATO DUQUE. 8. BERNARDO SCHILLER FREIBURGHAUS, na condição de operador financeiro, auxiliou BARUSCO a remeter às suas contas na Suíça (dentre elas, da RAVENSCROFT, no Banco PBK) aproximadamente US$ ,00 após a deflagração da Operação Lava Jato e da prisão de PAULO ROBERTO COSTA. Segundo consta, BERNARDO SCHILLER FREIBURGHAUS representava os Bancos PBK, Royal Bank, Pictec e HSBC em um escritório no Brasil, tendo, inclusive, auxiliado PAULO ROBERTO COSTA a abrir contas no exterior. 9. AUGUSTO AMORIM COSTA, sob a orientação de IDELFONSO COLLARES, atuou como operador financeiro no interesse de repasse de propinas pela empresa QUEIROZ GALVÃO. AUGUSTO AMORIM COSTA contatava BARUSCO e realizava os pagamentos das vantagens indevidas em contas bancárias sediadas na Suíça, mormente por meio das offshores INNOVATION RESEARCH

8 ENGINEERING (Antígua), KLIENFELD SERVICES LTD. (Ilhas Virgens Britânicas), S&S FINANCE SERVICES LIMITED (Ilhas Virgens Britânicas) e INTERCORP LOGISTIC LTD (Antígua). Neste sentido, destaque-se que foram entregues por PEDRO JOSÉ BARUSCO FILHO extratos da conta bancária nº / do Banco Safra Sarasin, em nome da offshore Pexo Corporation, os quais demonstram diversos depósitos provenientes das contas das offshores KLIENFELD SERVICES LTD, S&S FINANCE SERVICES LIMITED, INTERCORP LOGISTIC LTD. e INNOVATION RESEARCH ENGINEERING, controladas, consoante referido, por AUGUSTO AMORIM COSTA. 10. CESAR ROBERTO SANTOS OLIVEIRA, dono da empresa GDK, também foi responsável por operacionalizar os pagamentos de propinas a BARUSCO,em decorrência de contratos firmados por esta empresa com a PETROBRAS. Conforme reconhecido por BARUSCO, CÉSAR OLIVEIRA efetuou o repasse de US$ ,00 nas contas K (de KORAT) e T, no BANCO LOMBARD ODIER." Além deles, cita o MPF João Vaccari Neto, que, segundo não só Pedro Barusco, mas também os criminosos colaboradores Alberty Youssef e Paulo Roberto Costa receberia percentual de todos os contratos da Petrobrás a título de propina. Em relação a ele cabe ainda reportar-se a episódio que foi descrito na referida decisão de 10/11/2014, evento 10, do processo , no qual foi identificada a entrega por Alberto Youssef de quantia vultosa de dinheiro em espécie a pedido da OAS para Marice Correa de Lima, que vem a ser cunhada de João Vaccari, sendo possível que este fosse o real destinatário. cuidado. A palavra de criminosos colaboradores deve ser vista com Entretanto, no presente caso, reuniu o MPF um número significativo de documentos que amparam as afirmações acima, a maior parte consistente em documentos e extratos fornecidos pelos criminosos colaboradores. O fato ainda de todos eles concordarem em pagar valores milionários nos acordos, a fim de devolver os valores desviados, só Pedro Barusco 97 milhões de dólares, confere certa credibilidade à palavra deles. Também não deve ser olvidado o contexto mais amplo no qual os fatos se inserem, havendo, em cognição sumária, prova documental do pagamento sistemático de valores às Diretorias da Petrobrás por contratos em oubras da estatal, sendo esses fatos objeto de seis ações penais em trâmite perante este Juízo. Para um resumo dessas provas remeto à descrição mais longa dos fatos e provas contido na referida referida decisão de 10/11/2014, evento 10, do processo

9 Entendo que tal quadro probatório é suficiente para caracterizar causa provável e autorizar a medida pretendida pelo MPF, a busca e apreensão, já que esta tem caráter meramente investigatório. Assim, defiro o requerido. Intime-se a autoridade policial desta decisão e para realize a verificação e o levantamento dos endereços utilizados pelas pessoas nominadas pelo MPF, certificando-se, o quanto possível de sua correção. O prazo para essas diligências deve ser acertado com MPF segundo as possibilidade fáticas disponíveis. Presentes os endereços corretos, expeçam-se, observando o artigo 243 do CPP, mandados de busca e apreensão, a serem cumpridos durante o dia nos endereços dos investigados. Os mandados terão por objeto a coleta de provas relativa à prática pelos investigados dos crimes de cartel ou de frustração à licitação, crimes de lavagem de dinheiro, de corrupção, tráfico de influência, peculato, financeiros, como evasão fraudulenta de divisas, e de falsidade, além dos crimes antecedentes à lavagem de dinheiro, especificamente: - registros e livros contábeis, formais ou informais, recibos, agendas, ordens de pagamento e documentos relacionamentos a manutenção e movimentação de contas no Brasil e no exterior, em nome próprio ou de terceiros; - HDs, laptops, pen drives, smartphones, arquivos eletrônicos, de qualquer espécie, agendas manuscritas ou eletrônicas, dos investigados ou de suas empresas, quando houver suspeita que contenham material probatório relevante, como o acima especificado; - arquivos eletrônicos com a contabilidade em meio digital das empreiteiras e documentos relacionados com a contratação das empresas de fachada investigadas (especialmente MO Consultoria, GDF Investimentos, RCI Software, e Empreiteira Rigidez, entre outras); - valores em espécie em moeda estrangeira ou em reais de valor igual ou superior a R$ ,00 ou USD ,00 e desde que não seja apresentada prova documental cabal de sua origem lícita. Consigne-se nos mandados, em seu início, o nome dos investigados e os respectivos endereços, cf. especificação feita pela autoridade policial na representação. No desempenho desta atividade, poderão as autoridades acessar dados armazenados em eventuais computadores, arquivos eletrônicos de qualquer natureza, inclusive smartphones, que forem encontrados, com a impressão do que for encontrado e, se for necessário, a apreensão, nos termos acima, de dispositivos de bancos de dados, disquetes,

10 CDs, DVDs ou discos rígidos. Autorizo desde logo o acesso pelas autoridades policiais do conteúdo dos computadores no local das buscas e de arquivos eletrônicos apreendidos, mesmo relativo a comunicações eventualmente registradas. Autorizo igualmente o arrombamento de cofres caso não sejam voluntariamente abertos. Consigne-se estas autorizações específica no mandado. As diligências deverão ser efetuadas simultaneamente e se necessário com o auxílio de autoridades policiais de outros Estados, peritos ou ainda de outros agentes públicos, incluindo agentes da Receita Federal. Considerando a dimensão das diligências, deve a autoridade policial responsável adotar postura parcimoniosa na sua execução, evitando a colheita de material desnecessário ou que as autoridades públicas não tenham condições, posteriormente, de analisar em tempo razoável. Deverá ser encaminhado a este Juízo, no prazo mais breve possível, relato e resultado das diligências. Desde logo, autorizo a autoridade policial a promover a devolução de documentos e de equipamentos de informática se, após seu exame, constatar que não interessam à investigação ou que não haja mais necessidade de manutenção da apreensão, em decorrência do término dos exames. Igualmente, fica autorizado a promover, havendo requerimento, cópias dos documentos ou dos arquivos eletrônicos e a entregá-las aos investigados, as custas deles. A competência se estabelece sobre crimes e não sobre pessoas ou estabelecimentos. Assim, em princípio, reputo desnecessária a obtenção de autorização para a busca e apreensão do Juízo do local da diligência. Esta só se faz necessária quando igualmente necessário o concurso de ação judicial (como quando se ouve uma testemunha ou se requer intimação por oficial de justiça). A solicitação de autorização no Juízo de cada localidade colocaria em risco a simultaneidade das diligências e o seu sigilo, considerando a multiplicidade de endereços e localidades que sofrerão buscas e apreensões. Pleiteou o MPF autorização para a condução coercitiva de alguns investigados para a tomada de seu depoimento. Medida da espécie não implica cerceamento real da liberdade de locomoção, visto que dirigida apenas a tomada de depoimento. Mesmo com a condução coercitiva, mantém-se o direito ao silêncio dos investigados. Após a obtenção dos endereços corretos, expeça-se quanto aos investigados acima nominados mandado de condução coercitiva, consignando o número deste feito, a qualificação do investigado e o respectivo endereço após a verificação pela Polícia Federal. Consigne-se no mandado que não deve ser utilizada algema, salvo se, na ocasião, evidenciado risco concreto e imediato à autoridade policial.

11 Os mandados de condução coercitiva deverão ser cumpridos junto com os de busca e apreensão. Quanto ao pedido de bloqueio dos ativos financeiros dos investigados, entendo que a medida ainda é prematura, demandando tal constrição, com efeitos mais graves, melhor prova. Expedidos os mandados, entreguem-se à autoridade policial para cumprimento. Ciência ao MPF e ciência à autoridade policial desta decisão. Deve a autoridade policial, como apontado, proceder à verificação e ao levantamento de endereços. Decreto o sigilo sobre estes autos em relação a terceiros e aos investigados para preservar a eficácia das diligências. Curitiba, 18 de dezembro de Documento eletrônico assinado por SÉRGIO FERNANDO MORO, Juiz Federal, na forma do artigo 1º, inciso III, da Lei , de 19 de dezembro de 2006 e Resolução TRF 4ª Região nº 17, de 26 de março de A conferência da autenticidade do documento está disponível no endereço eletrônico mediante o preenchimento do código verificador v15 e do código CRC a8ad7f2a. Informações adicionais da assinatura: Signatário (a): SÉRGIO FERNANDO MORO Data e Hora: 18/12/ :56: V15 SFM SFM

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar - Bairro: Ahu - CEP: 80540-180 - Fone: (41)3210-1681 - www.jfpr.jus.br - Email:

Leia mais

Ministério Público Federal

Ministério Público Federal Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ F ORÇ A TARE FA OPE RAÇ ÃO L AVA JATO EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DE CURITIBA/PR. Para distribuição por

Leia mais

PEDIDO DE BUSCA E APREENSÃO CRIMINAL Nº 5028308-36.2015.4.04.7000/PR

PEDIDO DE BUSCA E APREENSÃO CRIMINAL Nº 5028308-36.2015.4.04.7000/PR PEDIDO DE BUSCA E APREENSÃO CRIMINAL Nº 5028308-36.2015.4.04.7000/PR REQUERENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ACUSADO: RICARDO OURIQUE MARQUES ACUSADO: RENATO RIBEIRO ABREU ACUSADO: PETRONIO BRAZ JUNIOR

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA Porta Voz: Procurador da República Deltan Dallagnol

COLETIVA DE IMPRENSA Porta Voz: Procurador da República Deltan Dallagnol COLETIVA DE IMPRENSA Porta Voz: Procurador da República Deltan Dallagnol 16 de março de 2015 Denúncia 4 obras da Petrobras e subsidiárias 27 denunciados (16 pela primeira vez) 5 operadores e 4 ligados

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar - Bairro: Ahu - CEP: 80540-180 - Fone: (41)3210-1681 - www.jfpr.jus.br - Email:

Leia mais

AÇÃO PENAL Nº 5045241-84.2015.4.04.7000/PR DESPACHO/DECISÃO

AÇÃO PENAL Nº 5045241-84.2015.4.04.7000/PR DESPACHO/DECISÃO AÇÃO PENAL Nº 5045241-84.2015.4.04.7000/PR DESPACHO/DECISÃO 1. Demorei a despachar, pois houve longo feriado na última semana em Curitiba e estive ocupado, desde então, com audiências de ações penais com

Leia mais

REQUERIMENTO Nº, DE 2015

REQUERIMENTO Nº, DE 2015 REQUERIMENTO Nº, DE 2015 (Dos Srs. Onyx Lorenzoni e Efraim Filho) Solicita a convocação do Sr. WALDOMIRO DE OLIVEIRA, CPF 253.798.098-04, para prestar depoimento nesta CPI. Senhor Presidente, Requeremos

Leia mais

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição n. 5263 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominados : ANTÔNIO PALOCCI

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição n. 5263 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominados : ANTÔNIO PALOCCI Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição n. 5263 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominados : ANTÔNIO PALOCCI PROCESSO PENAL. COLABORAÇÃO PREMIADA. EX- PRESSA VEDAÇÃO CONSTITUCIONAL (ART. 86, 4º, CF/88) PARA

Leia mais

14/11/2014 Evento 10 - DESP1 https://eproc.jfpr.jus.br/eprocv2/controlador.php? acao=acessar_documento_publico&doc=701415622198137210010000000001

14/11/2014 Evento 10 - DESP1 https://eproc.jfpr.jus.br/eprocv2/controlador.php? acao=acessar_documento_publico&doc=701415622198137210010000000001 14/11/2014 Evento 10 - DESP1 https://eproc.jfpr.jus.br/eprocv2/controlador.php? acao=acessar_documento_publico&doc=701415622198137210010000000001 &evento=70141 1/52 P E D I D O D E B U S C A E A P R E

Leia mais

CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES

CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES - Evasão de divisas e lavagem de capitais as alterações da Lei 12.683/12 - Investigação de crimes financeiros - Cooperação jurídica internacional

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar Bairro: Ahu CEP: 80540 180 Fone: (41)3210 1681 www.jfpr.jus.br Email: prctb13dir@jfpr.jus.br

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar Bairro: Ahu CEP: 80540 400 Fone: (41)3210 1681 www.jfpr.jus.br Email: prctb13dir@jfpr.jus.br

Leia mais

COLENDA 8ª TURMA DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO RELATOR: DES. FED. JOÃO PEDRO GEBRAN NETO

COLENDA 8ª TURMA DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO RELATOR: DES. FED. JOÃO PEDRO GEBRAN NETO COLENDA 8ª TURMA DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO RELATOR: DES. FED. JOÃO PEDRO GEBRAN NETO HABEAS CORPUS Nº 5029101-57.2014.404.0000 IMPTES: RENATO DE MORAES e ALEXANDRE LOPES DE OLIVEIRA IMPTDO:

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar Bairro: Ahu CEP: 80540 400 Fone: (41)3210 1681 www.jfpr.jus.br Email: prctb13dir@jfpr.jus.br

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar Bairro: Ahu CEP: 80540 180 Fone: (41)3210 1681 www.jfpr.jus.br Email: prctb13dir@jfpr.jus.br

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar Bairro: Ahu CEP: 80540 400 Fone: (41)3210 1681 www.jfpr.jus.br Email: prctb13dir@jfpr.jus.br

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL N. 245/2015/VPGR-EWC SINDICÂNCIA N. 456/DF REQUERENTE : JUSTIÇA PÚBLICA REQUERIDO : EM APURAÇÃO RELATOR : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO - CORTE ESPECIAL PENAL. GOVERNADORES. CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

EXMO. SR. JUIZ DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DE CURITIBA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ DR. SERGIO FERNANDO MORO

EXMO. SR. JUIZ DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DE CURITIBA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ DR. SERGIO FERNANDO MORO EXMO. SR. JUIZ DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DE CURITIBA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ DR. SERGIO FERNANDO MORO Ref. Proc. nº 5028308-36.2015.4.04.7000 ANA CRISTINA DA SILVA TONIOLO vem, por sua advogada,

Leia mais

11/29/13 Folha de S.Paulo - Mercado - Credores do Banco Santos querem quadros de ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira - 24/11/2013

11/29/13 Folha de S.Paulo - Mercado - Credores do Banco Santos querem quadros de ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira - 24/11/2013 24/11/2013-01h55 Credores do Banco Santos querem quadros de ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira JULIO WIZIACK DE SÃO PAULO Os credores do Banco Santos pediram à Justiça brasileira que sequestre no exterior

Leia mais

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petições nº 5.261 e 5.288 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : EDUARDO HENRIQUE DA FONTE DE ALBUQUERQUE SILVA

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petições nº 5.261 e 5.288 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : EDUARDO HENRIQUE DA FONTE DE ALBUQUERQUE SILVA Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petições nº 5.261 e 5.288 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : EDUARDO HENRIQUE DA FONTE DE ALBUQUERQUE SILVA PROCESSO PENAL. PROCEDIMENTO SIGILOSO AUTU- ADO COMO PETIÇÃO.

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO N.º 13, DE 02 DE OUTUBRO DE 2006. (Alterada pela Res. 111/2014) Regulamenta o art. 8º da Lei Complementar 75/93 e o art. 26 da Lei n.º 8.625/93, disciplinando, no âmbito do Ministério Público,

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar Bairro: Ahu CEP: 80540 180 Fone: (41)3210 1681 www.jfpr.jus.br Email: prctb13dir@jfpr.jus.br

Leia mais

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5.257 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : GLEISI HELENA HOFFMAN

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5.257 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : GLEISI HELENA HOFFMAN Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5.257 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : GLEISI HELENA HOFFMAN PROCESSO PENAL. PROCEDIMENTO SIGILOSO AUTU- ADO COMO PETIÇÃO. TERMOS DE DECLARAÇÃO CO- LHIDOS

Leia mais

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5265 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : JOSÉ OTÁVIO GERMANO e LUIZ FERNANDO RAMOS FARIA

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5265 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : JOSÉ OTÁVIO GERMANO e LUIZ FERNANDO RAMOS FARIA Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5265 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : JOSÉ OTÁVIO GERMANO e LUIZ FERNANDO RAMOS FARIA PROCESSO PENAL. PROCEDIMENTO SIGILOSO AUTU- ADO COMO PETIÇÃO. TERMOS

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, PARANÁ

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, PARANÁ EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, PARANÁ RÉU PRESO PROCEDIMENTO nº 5073475-13.2014.4.04.7000/PR GERSON DE MELLO ALMADA, já qualificado

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar - Bairro: Ahu - CEP: 80540-180 - Fone: (41)3210-1681 - www.jfpr.jus.br - Email:

Leia mais

Ministério Público Federal

Ministério Público Federal Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ F ORÇ A-TARE FA L AVA JATO EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DE CURITIBA/PR Distribuição por dependência aos

Leia mais

PEDIDO DE BUSCA E APREENSÃO CRIMINAL Nº 5073475-13.2014.404.7000/PR DESPACHO/DECISÃO

PEDIDO DE BUSCA E APREENSÃO CRIMINAL Nº 5073475-13.2014.404.7000/PR DESPACHO/DECISÃO PEDIDO DE BUSCA E APREENSÃO CRIMINAL Nº 5073475-13.2014.404.7000/PR REQUERENTE : POLÍCIA FEDERAL/PR ACUSADO : A APURAR MPF : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL DESPACHO/DECISÃO Trata-se de representação da autoridade

Leia mais

INQUÉRITO 2280. (Senador EDUARDO BRANDÃO AZEREDO) O inquérito que instrui a denúncia resultou do

INQUÉRITO 2280. (Senador EDUARDO BRANDÃO AZEREDO) O inquérito que instrui a denúncia resultou do 1 INQUÉRITO 2280 (Senador EDUARDO BRANDÃO AZEREDO) O inquérito que instrui a denúncia resultou do desmembramento do inquérito n 2245, hoje Ação Penal 470, e trata de fatos delituosos praticados na campanha

Leia mais

Ministério Público Federal

Ministério Público Federal Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ F ORÇ A-TARE FA L AVA JATO EXCELENTÍSSIMO JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Distribuição por dependência aos

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 163, DE 2014 Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, com o auxílio do Tribunal de Contas da União, da Controladoria Geral da União, da Receita

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.419, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2006. Mensagem de veto Dispõe sobre a informatização do processo judicial; altera a Lei no 5.869,

Leia mais

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5.282 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado: JOSÉ MENTOR GUILHERME DE MELO NETTO

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5.282 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado: JOSÉ MENTOR GUILHERME DE MELO NETTO Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5.282 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado: JOSÉ MENTOR GUILHERME DE MELO NETTO PROCESSO PENAL. PROCEDIMENTO SIGILOSO AUTU- ADO COMO PETIÇÃO. TERMOS DE DECLARAÇÃO

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar - Bairro: Ahu - CEP: 80540-180 - Fone: (41)3210-1681 - www.jfpr.jus.br - Email:

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMAS/SMA Nº 019 DE 29 ABRIL DE 2005

RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMAS/SMA Nº 019 DE 29 ABRIL DE 2005 RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMAS/SMA Nº 019 DE 29 ABRIL DE 2005 Dispõe sobre os procedimentos para cadastramento de Fundações Privadas ou Associações pela Comissão de Cadastramento de ONGs e Associações, de

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO JOÃO DE MERITI

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO JOÃO DE MERITI PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO JOÃO DE MERITI PROCESSO: 0007733-93.2015.4.02.5110 (2015.51.10.007733-0) AUTOR: MINISTERIO PUBLICO FEDERAL REU: MUNICIPIO DE BELFORD ROXO Fls

Leia mais

COMISSÃO DE FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA E CONTROLE REQUERIMENTO Nº, DE 2014

COMISSÃO DE FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA E CONTROLE REQUERIMENTO Nº, DE 2014 CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA E CONTROLE REQUERIMENTO Nº, DE 2014 (Do Sr. Vanderlei Macris) Solicita seja convidada a Presidente da Petrobras S.A., Srª Maria das Graças Silva

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL BRASÍLIA-DF, QUARTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM DE SERVIÇO N o.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL BRASÍLIA-DF, QUARTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM DE SERVIÇO N o. MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL BRASÍLIA-DF, QUARTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM DE SERVIÇO N o. 222 1 a. PARTE ATOS DO DIRETOR-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA N o. 42/2010-DG/DPF,

Leia mais

Investigação Patrimonial

Investigação Patrimonial Investigação Patrimonial 1º Curso de Formação Continuada em Estratégias de Investigação Patrimonial em Execução Trabalhista ENAMAT 02.09.2015 Objetivo: Apresentar aspectos práticos sobre as técnicas de

Leia mais

Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ

Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ FORÇA TAREFA OPERAÇÃO LAVA JATO EXCELENTÍSSIMO JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Autos nº 5044849-81.2014.404.7000

Leia mais

Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ

Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ FORÇA-TAREFA LAVA JATO EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL DE CURITIBA/PR. Distribuição por dependência aos autos nº 5004047-07.2015.4.04.7000

Leia mais

Lei do Audiovisual IN 81 de 2008.

Lei do Audiovisual IN 81 de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 81, DE 28 DE OUTUBRO DE 2008. Estabelece procedimentos sobre a apresentação de relatórios de gestão e prestação de contas em Programas Especiais de Fomento. A DIRETORIA COLEGIADA

Leia mais

RELATÓRIO DA CORREIÇÃO EXTRORDINÁRIA PARCIAL REALIZADA NA SEGUNDA AUDITORIA DA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL

RELATÓRIO DA CORREIÇÃO EXTRORDINÁRIA PARCIAL REALIZADA NA SEGUNDA AUDITORIA DA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL RELATÓRIO DA CORREIÇÃO EXTRORDINÁRIA PARCIAL REALIZADA NA SEGUNDA AUDITORIA DA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL Período da realização da correição: de 23 de maio a 13 de junho de 2014. Juiz de Direito Titular:

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DIRETORIA DE VISTORIAS

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DIRETORIA DE VISTORIAS GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DIRETORIA DE VISTORIAS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/2015 - DIVIS/DESEG APLICAÇÃO DE PENALIDADES

Leia mais

MANDADO DE INTIMAÇAO E CONDUÇÃO COERCITIVA

MANDADO DE INTIMAÇAO E CONDUÇÃO COERCITIVA Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13a Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888,2o andar - Bairro: Ahu - CEP: 80540-180 - Fone: (41 )3210-1681 www.jfpr.jus.br-email: prctbl3dir@jfpr.jus.br

Leia mais

Número: 00190.012047/2013-59 Unidade Examinada: Instituto Benjamin Constant - RJ

Número: 00190.012047/2013-59 Unidade Examinada: Instituto Benjamin Constant - RJ Número: 00190.012047/2013-59 Unidade Examinada: Instituto Benjamin Constant - RJ Relatório de Demandas Externas n 00190.012047/2013-59 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Sem restrição.

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Sem restrição. Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 46800.003150/2013-83 Assunto: Restrição de acesso: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recorrente: Recurso contra decisão

Leia mais

DECISÃO HABEAS CORPUS Nº 5014287-40.2014.404.0000/PR

DECISÃO HABEAS CORPUS Nº 5014287-40.2014.404.0000/PR HABEAS CORPUS Nº 5014287-40.2014.404.0000/PR RELATORA : Juíza Federal SALISE MONTEIRO SANCHOTENE PACIENTE : SOLON SALES ALVES COUTO ADVOGADO : Átila Pimenta Coelho Machado IMPETRADO : Juízo Federal da

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES LOCADOR: Obra24horas Soluções Web para Engenharia Ltda., com sede na Rua Formosa, 75 1º andar

Leia mais

Esforço Estratégico de Fiscalização em Pessoas Físicas 2015

Esforço Estratégico de Fiscalização em Pessoas Físicas 2015 Esforço Estratégico de Fiscalização em Pessoas Físicas 2015 A Receita Federal do Brasil iniciou no mês de março o Esforço Estratégico de Fiscalização em Pessoas Físicas, com o objetivo de priorizar ações

Leia mais

PORTARIANº 032/2015-DF

PORTARIANº 032/2015-DF PORTARIANº 032/2015-DF O Doutor ARISTEU DIAS BATISTA VILELLA, Juiz de Direito e Diretor do Foro da, no uso de suas atribuições legais, com fundamento nos artigos 52, inciso XV, da Lei nº 4.964, de 26 de

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 14, DE 02 DE DEZEMBRO DE 2014.

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 14, DE 02 DE DEZEMBRO DE 2014. PROVIMENTO CONJUNTO Nº 14, DE 02 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta os critérios a serem observados no âmbito da Justiça do Trabalho da 4ª Região para operacionalização do Sistema de Investigação de Movimentações

Leia mais

PROVIMENTO N 001/2003 CGJ

PROVIMENTO N 001/2003 CGJ PROVIMENTO N 001/2003 CGJ Estabelece normas de serviço acerca dos Procedimentos de Registro de Nascimento, Casamento e Óbito de Brasileiros ocorridos em País Estrangeiro, bem como o traslado das certidões

Leia mais

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5258 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : LUIZ LINDBERGH FARIAS FILHO

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5258 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : LUIZ LINDBERGH FARIAS FILHO Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição nº 5258 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominado : LUIZ LINDBERGH FARIAS FILHO PROCESSO PENAL. PROCEDIMENTO SIGILOSO AUTU- ADO COMO PETIÇÃO. TERMOS DE DECLARAÇÃO CO-

Leia mais

A rede de dados mais confiável do país. Proposta de Parceria para. Certificado Digital

A rede de dados mais confiável do país. Proposta de Parceria para. Certificado Digital A rede de dados mais confiável do país. Proposta de Parceria para Certificado Digital 1. Objetivo Esta proposta tem por objetivo realizar a emissão e validação do Certificado Digital da Serasa Experian.

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar Bairro: Ahu CEP: 80540 400 Fone: (41)3210 1681 www.jfpr.jus.br Email: prctb13dir@jfpr.jus.br

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº T2-RSP-2012/00079 DE 24 DE SETEMBRO DE 2012 PUBLICADA NO E-DJF2R DE 27/09/2012, ÀS FLS. 01/03.

RESOLUÇÃO Nº T2-RSP-2012/00079 DE 24 DE SETEMBRO DE 2012 PUBLICADA NO E-DJF2R DE 27/09/2012, ÀS FLS. 01/03. RESOLUÇÃO Nº T2-RSP-2012/00079 DE 24 DE SETEMBRO DE 2012 PUBLICADA NO E-DJF2R DE 27/09/2012, ÀS FLS. 01/03. Disciplina, no âmbito do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, os procedimentos relativos à

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 193, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2008 Altera os arts. 1º e 11 e o inciso I do art. 2º da Resolução CNSP No 118, de 22 de dezembro de 2004.

RESOLUÇÃO Nº 193, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2008 Altera os arts. 1º e 11 e o inciso I do art. 2º da Resolução CNSP No 118, de 22 de dezembro de 2004. RESOLUÇÃO Nº 193, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2008 Altera os arts. 1º e 11 e o inciso I do art. 2º da Resolução CNSP No 118, de 22 de dezembro de 2004. A SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no uso da

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE Nº 1. Assunto: Operação ARARATH Referência: IPL nº 0182/2012 SR/DPF/MT (Processo nº 7660-27.2012.4.01.

RELATÓRIO DE ANÁLISE Nº 1. Assunto: Operação ARARATH Referência: IPL nº 0182/2012 SR/DPF/MT (Processo nº 7660-27.2012.4.01. RELATÓRIO DE ANÁLISE Nº 1 Assunto: Operação ARARATH Referência: IPL nº 0182/2012 SR/DPF/MT (Processo nº 7660-27.2012.4.01.3600 5ª VC/JF/MT) 1 INTRODUÇÃO O presente relatório parcial de análise de material

Leia mais

CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE SOFTEX RECIFE

CENTRO DE EXCELÊNCIA EM TECNOLOGIA DE SOFTWARE SOFTEX RECIFE AUDITORIA NO TERMO DE PARCERIA ENTRE A SOFTEX E A PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE NO PERÍODO DE JULHO A SETEMBRO DE 2007 Í N D I C E Páginas 1 PARECER DA AUDITORIA... 3 e 4 2 IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO...

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA 12ª VARA CÍVEL DA CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA DE BRASÍLIA/DF

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA 12ª VARA CÍVEL DA CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA DE BRASÍLIA/DF EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA 12ª VARA CÍVEL DA CIRCUNSCRIÇÃO JUDICIÁRIA DE BRASÍLIA/DF REF. AO PROCESSO NUMERAÇÃO ÚNICA: 0079759-29.2009.8.07.0001 NUMERAÇÃO ANTERIOR: 2009.01.1.172560-8

Leia mais

Ministério Público Federal Procuradoria da República em Pernambuco

Ministério Público Federal Procuradoria da República em Pernambuco Inquérito Civil Público n. º 1.26.000.002238/2010-98 Promoção de Arquivamento nº 599-2013/MPF/PRPE/AT PROMOÇÃO Cuida-se de inquérito civil público instaurado nesta Procuradoria da República, com o intuito

Leia mais

GAECO Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado

GAECO Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 3ª VARA CRIMINAL DA COMARCA DE LONDRINA. O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ, por seus agentes adiante firmados, no exercício de suas atribuições, vem

Leia mais

TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99)

TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99) TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99) TERMO DE PARCERIA QUE ENTRE SI CELEBRAM A (UNIÃO/ESTADO/MUNICÍPIO), ATRAVÉS DO (ÓRGÃO/ENTIDADE ESTATAL),

Leia mais

PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. Institui a emissão de Certidões Judiciais Cíveis e Criminais, inclusive por meio eletrônico, no âmbito da 1ª Instância do Poder Judiciário do Estado de Alagoas

Leia mais

Ministério Público Federal

Ministério Público Federal Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ F ORÇ A TARE FA OPE RAÇ ÃO L AVA JATO EXCELENTÍSSIMO JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA/PR Autos originários

Leia mais

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS 1 CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES O(a)Sr(a)., RG n.º, CPF, telefone(s),e-mail, endereço, Bairro,Cidade, Cep, de ora em diante denominado(a) simplesmente

Leia mais

4. O cadastramento a que se refere o item anterior deve ser efetuado concomitantemente à abertura da conta.

4. O cadastramento a que se refere o item anterior deve ser efetuado concomitantemente à abertura da conta. 1 SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. As pessoas físicas ou jurídicas, residentes, domiciliadas ou com sede no exterior, podem ser titulares de contas de depósito em moeda nacional no País, exclusivamente

Leia mais

COMISSÃO DA MARCA DE QUALIDADE LNEC SECÇÃO DE INSCRIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO

COMISSÃO DA MARCA DE QUALIDADE LNEC SECÇÃO DE INSCRIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO COMISSÃO DA MARCA DE QUALIDADE LNEC SECÇÃO DE INSCRIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO QUALIFICAÇÃO COMO GESTOR GERAL DA QUALIDADE DE EMPREENDIMENTOS DA CONSTRUÇÃO INSTRUÇÕES DE CANDIDATURA 1. DESTINATÁRIOS A Marca de

Leia mais

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores 2009 Cartilha de Câmbio Envio e recebimento de pequenos valores Apresentação O Banco Central do Brasil criou esta cartilha para orientar e esclarecer você, que precisa negociar moeda estrangeira, sobre

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 200 Registro: 2014.0000390320 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2044896-12.2014.8.26.0000, da Comarca de Franca, em que é agravante MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

Processo Eletrônico. Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores:

Processo Eletrônico. Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores: Processo Eletrônico Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores: Princípio da Universalidade; Princípio da Uniquidade; Princípio da Publicidade; Princípio

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012 (Do Sr. Augusto Coutinho)

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012 (Do Sr. Augusto Coutinho) REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012 (Do Sr. Augusto Coutinho) Solicita informações ao Excelentíssimo Ministro de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Sr. Marco Antônio Raupp, sobre a implantação

Leia mais

1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO ENTRE SEQUESTRO E ARRESTO:... 2. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS EM ESPÉCIE

1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO ENTRE SEQUESTRO E ARRESTO:... 2. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS EM ESPÉCIE 1 PROCESSO PENAL PONTO 1: Medidas Assecuratórias PONTO 2: Medidas Assecuratórias em Espécie PONTO 3: Sequestro PONTO 4: Arresto 1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO

Leia mais

KIT FGTS MODALIDADE - PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DAS PARCELAS

KIT FGTS MODALIDADE - PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DAS PARCELAS KIT FGTS CONSÓRCIO DE IMÓVEIS MODALIDADE - PAGAMENTO DE PARTE DO VALOR DAS PARCELAS INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO 1- Este KIT deve ser utilizado quando a opção de saque do FGTS for para Pagamento de Parte

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar - Bairro: Ahu - CEP: 80540-180 - Fone: (41)3210-1681 - www.jfpr.jus.br - Email:

Leia mais

Busca e apreensão de provas

Busca e apreensão de provas Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES Busca e apreensão de provas Computação Forense Site:

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE COMPLIANCE

QUESTIONÁRIO DE COMPLIANCE QUESTIONÁRIO DE COMPLIANCE O combate à corrupção é parte essencial na forma como a CPFL Energia conduz seus negócios. Este posicionamento é declarado no Código de Ética e de Conduta Empresarial da CPFL

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão de pedido de acesso à informação.

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão de pedido de acesso à informação. Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 46800.003844/2013-11 Assunto: Restrição de acesso: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recurso contra decisão de pedido de

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Ministério da Fazenda Comissão de Valores Mobiliários INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Estabelece normas e procedimentos para a organização e o funcionamento das corretoras de mercadorias. O

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre a aplicação da Resolução CFC n.º 1.445/13

Perguntas e Respostas sobre a aplicação da Resolução CFC n.º 1.445/13 Perguntas e Respostas sobre a aplicação da Resolução CFC n.º 1.445/13 O Conselho Federal de Contabilidade é uma autarquia especial de caráter corporativo, criado pelo Decreto-Lei n.º 9295/46, que tem por

Leia mais

Case study. A bailarina do Mensalão: notas sobre criminal compliance. Davi Tangerino. 2014 Trench, Rossi e Watanabe Advogados

Case study. A bailarina do Mensalão: notas sobre criminal compliance. Davi Tangerino. 2014 Trench, Rossi e Watanabe Advogados Case study A bailarina do Mensalão: notas sobre criminal compliance. Davi Tangerino 2014 Trench, Rossi e Watanabe Advogados Quebra de dever de compliance no Mensalão 1. Lavagem in a nutshell origem da

Leia mais

CARTA CIRCULAR Nº 1.845 Documento normativo revogado pela Circular 1.536/89.

CARTA CIRCULAR Nº 1.845 Documento normativo revogado pela Circular 1.536/89. CARTA CIRCULAR Nº 1.845 Documento normativo revogado pela Circular 1.536/89. De conformidade com o disposto nos itens II e III da Resolução nº 1.507, de 04.08.88, comunicamos que as operações amparadas

Leia mais

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Estado de São Paulo DIVISÃO DE SUPRIMENTOS Seção de Licitações e Contratos

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Estado de São Paulo DIVISÃO DE SUPRIMENTOS Seção de Licitações e Contratos INSTRUÇÕES GERAIS PARA OBTENÇÃO DO C.R.C. (CERTIFICADO DE REGISTRO CADASTRAL), CONFORME DISPOSTO NA LEI Nº 8.666/93 1. CADASTRAMENTO 1.1 PROCEDIMENTO 1.1.1 A empresa interessada em obter o Certificado

Leia mais

PROVIMENTO Nº 09/2012/CGJUS/TO. A CORREGEDORA-GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PROVIMENTO Nº 09/2012/CGJUS/TO. A CORREGEDORA-GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO Nº 09/2012/CGJUS/TO Dispõe sobre a recepção, pelos Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais, de indicações de supostos pais de pessoas registradas sem paternidade estabelecida, bem como

Leia mais

Janot promete criar nova procuradoria anticorrupção

Janot promete criar nova procuradoria anticorrupção DEBATE Janot promete criar nova procuradoria anticorrupção DE BRASÍLIA - No último debate em busca do aval dos procuradores para permanecer por mais dois anos na chefia do Ministério Público, o procurador-geral

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET Pelo presente Instrumento Particular o BANCO MÁXIMA S/A, com sede na cidade de Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, na Avenida Atlântica, 1130, 12º andar

Leia mais

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação.

Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER. Recurso contra decisão denegatória ao pedido de acesso à informação. Controladoria-Geral da União Ouvidoria-Geral da União PARECER Referência: 538500002320116 Assunto: Restrição de acesso: Ementa: Órgão ou entidade recorrido (a): Recurso contra decisão denegatória ao pedido

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar - Bairro: Ahu - CEP: 80540-180 - Fone: (41)3210-1681 - www.jfpr.jus.br - Email:

Leia mais

MATERIAL DE AULA DOS DOCUMENTOS. Art. 231. Salvo os casos expressos em lei, as partes poderão apresentar documentos em qualquer fase do processo.

MATERIAL DE AULA DOS DOCUMENTOS. Art. 231. Salvo os casos expressos em lei, as partes poderão apresentar documentos em qualquer fase do processo. MATERIAL DE AULA I) Ementa da aula Documentos, Indícios e Busca e Apreensão. II) Legislação correlata DOS DOCUMENTOS Art. 231. Salvo os casos expressos em lei, as partes poderão apresentar documentos em

Leia mais

MPF Ministério Público Federal Procuradoria da República no Paraná

MPF Ministério Público Federal Procuradoria da República no Paraná MPF Ministério Público Federal Procuradoria da República no Paraná www.prpr.mpf.gov.br FORÇA TAREFA LAVA JATO EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA PARANÁ VARA CÍVEL DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FAZENDA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor,

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FAZENDA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, RESOLUÇÃO SMF Nº 2.771, DE 29 DE ABRIL DE 2013. [Publicada no D. O. Rio de 30.04.2013] * Estabelece procedimentos a serem adotados para a entrega de prêmios aos tomadores de serviços pessoas naturais titulares

Leia mais

Regulamento do uso do Laboratório de Informática da Faculdade de Amambai-MS para o Curso de Ciências Contábeis

Regulamento do uso do Laboratório de Informática da Faculdade de Amambai-MS para o Curso de Ciências Contábeis Regulamento do uso do Laboratório de Informática da Faculdade de Amambai-MS para o Curso de Ciências Contábeis Amambai-MS 2010 Regulamento do uso do laboratório de informática da Faculdade de Amambai para

Leia mais

ATO CONJUNTO PGJ-CGMP N. 02/2014

ATO CONJUNTO PGJ-CGMP N. 02/2014 ATO CONJUNTO PGJ-CGMP N. 02/2014 Dispõe sobre a regulamentação e a metodologia da inteligência de sinais a ser utilizada no âmbito do Ministério Público do Estado de Goiás. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA

Leia mais

I) COQUE + ARM. COQUE (Unidade de Coqueamento Retardado e Pátio de Manuseio e Armazenamento de Coque)

I) COQUE + ARM. COQUE (Unidade de Coqueamento Retardado e Pátio de Manuseio e Armazenamento de Coque) R E L A T Ó R I O P A R C I A L INQUÉRITO POLICIAL Nº 0201/2015-4-SR/DPF/PR INSTAURADO EM: 28/01/2015 ENCERRADO EM: 19/07/2015 PROCESSO Nº: 50040428220154047000 INCIDÊNCIA PENAL: artigo 90 da Lei 8666/90,

Leia mais

Ministério Público Federal

Ministério Público Federal Ministério Público Federal PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARANÁ F ORÇ A-TARE FA O P ERAÇ ÃO L AVA JATO EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DE CURITIBA/PR. Distribuição por dependências

Leia mais

PRESTAÇÃO ANUAL DE CONTAS

PRESTAÇÃO ANUAL DE CONTAS PUBLICADO EM RESUMO NO DOE DE / / PRESTAÇÃO ANUAL DE CONTAS Processo TCM nº 04394-12 Exercício Financeiro de 2011 INSTITUTO DE PREVIDENCIA-IMUPRE Município de CORRENTINA Gestor: Regina de Castro Neves

Leia mais

Protocolo de Atuação Conjunta que celebram o PODER JUDICIÁRIO DO RS,

Protocolo de Atuação Conjunta que celebram o PODER JUDICIÁRIO DO RS, TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROTOCOLO DE ATUAÇÃO CONJUNTA NQ 002/2010-DEC PROCESSO NQ 0010-09/003163-3 DEPARTAMENTO COMPRAS - DEC NOME E QUALIFICAÇÃO DAS PARTES Protocolo de Atuação Conjunta que celebram o DO

Leia mais

MPF Ministério Público Federal Procuradoria da República no Paraná www.prpr.mpf.gov.br

MPF Ministério Público Federal Procuradoria da República no Paraná www.prpr.mpf.gov.br MPF Ministério Público Federal Procuradoria da República no Paraná www.prpr.mpf.gov.br FORÇA TAREFA LAVA JATO EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) FEDERAL DA 2ª VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ: DISTRIBUIÇÃO

Leia mais