1ª edição Projeto Timóteo Como Preparar e Realizar Cultos Apostila do Orientador

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1ª edição Projeto Timóteo Como Preparar e Realizar Cultos Apostila do Orientador"

Transcrição

1 Como Preparar e Realizar Cultos 1ª edição Projeto Timóteo Apostila do Orientador

2 Como Preparar e Realizar Cultos 1ª edição Projeto Timóteo Coordenador do Projeto Dr. John Barry Dyer, PhD Equipe Pedagógica Marivete Zanoni Kunz Tereza Jesus Medeiros Claudeci Costa Nobre Leonardo Araújo Apostila preparada por Claudeci Costa Nobre

3 Data: / / Aula No 01: Duração da aula: 01 hora: Nº de : 08 UNIDADE DIDÁTICA: TEOLOGIA E DESENVOLVIMENTO DO CULTO 1. Levar o aluno a compreender que o objetivo principal do Culto Cristão é atribuir glória a Deus. 2. Fazer com que o aluno seja capaz de identificar elementos de um culto cristão. 3. O aluno também deverá aprender que o nosso culto se constitui na entrega integral do nosso ser. 1. Como desenvolver o culto? 2. Algumas definições de culto. 3. O resultado das nossas ofertas externas são resultados diretos de nossa dedicação interna Conversar com os alunos a importância do reconhecimento, não só da existência de Deus, mas também que Ele é digno. 2. Apresentar aos alunos o culto como o encontro amistoso do homem com Deus; da criatura com o Criador; do finito com infinito; do pecador com o Salvador. 3. Mostrar aos alunos que o culto é uma doação físico-mental ao nosso Deus. 4. Pedir aos alunos que respondam exercício da apostila Seminário. 1. Deus escolheu o nosso cantar como um canal primordial da adoração. É inseparável da existência humana. Justifique essa afirmativa. 2. Quais as quatro profissões mencionadas na bíblia na época do homem primitivo? 3. Como era o cantar nos tempos primórdios? 4. Quais as três características do canto encontradas no livro dos Salmos? 5. Defina com suas palavras as categorias dos cânticos: 6. Fale sobre o desenvolvimento do culto desde os tempos primórdios até a vinda de Jesus.

4 Data: / / Aula N 02: Duração da aula: 01 hora: Nº de : 08 UNIDADE DIDÁTICA: CULTO, UMA EXPRESSÃO CRISTÃ Objetivos Específicos Conteúdos Nº de 1. Mostrar aos alunos que a adoração deve ser baseada nas verdades bíblicas. 2. Levar os alunos a compreensão de que a igreja cultua a Deus porque foi para esse fim concebida pelo seu Criador: Jesus Cristo 3. Mostrar aos alunos que Deus só permite adoração do modo que ele mesmo sugeriu. 1. Cada um pode dar o seu melhor para Deus. 2. Alguns exemplos práticos no cotidiano bíblico 3. Prestar um culto a Deus, não assistir o culto Conversar com os alunos sobre a importância do ser humano como um adorador em potencial. Deus o formou para esse fim. 2. Compartilhar com os alunos que cada igreja é uma agência difusora do Evangelho. 3. Levar os alunos a compreender que sua mais importante missão é evangelizar, ensinando a todos os povos o significado e objetivo do reino de Deus instalado na terra. 4. Mostrar aos alunos que o livre arbítrio concedido ao homem por Deus é um dos fatores mais relevantes no aspecto adorativo. Testemunho (opcional) 1. Por que chamamos de igreja, a reunião de adoradores? 2. Para Karl Barth o Opus Dei é definido como? 3. Qual a melhor palavra para combinar com culto? 4. Deus nos chamou com uma finalidade bem clara. Qual foi ela?

5 Data: / / Aula N 03: Duração da aula: 01 hora: Nº de : 08 UNIDADE DIDÁTICA: DEUS, O CENTRO DO CULTO 1. Mostrar aos alunos que o propósito do culto com relação ao crente é testemunhar a sua fé e entrar em comunhão com os mistérios de Deus. 2. Expor aos alunos, que a centralidade do culto deve está no nosso Deus. 3. Refletir com os alunos que os humildes têm aptidão de serem verdadeiros adoradores. 1. Deus quer um culto vivo. 2. Prestamos cultos porque sentimos a desejo de render adoração a Deus. 3. Compreender a importância de um culto racional Levar os alunos a compreender que precisamos estar inspirado naquele que é o centro e razão do nosso culto: Deus. 2. Levar o aluno a compreender Deus é um ser presencial, mesmo sendo Espírito. 3. Levar o aluno a entender que o culto é a comunhão pessoal entre o indivíduo e Deus. Vídeos. 1. Qual o significado da palavra Proskunéo? 2. Ao longo do tempo firmou-se a idéia que o culto não se refere simplesmente aos participantes. Justifique essa afirmativa. 3. Associe à centralidade do culto a alguns fatores temáticos.

6 Data: / / Aula N 04: Duração da aula: 01 hora: Nº de : 08 UNIDADE DIDÁTICA: ADORAÇÃO NO CONTEXTO BÍBLICO 1. Transmitir aos alunos que culto é adoração! Adoração é culto! 2. Mostrar aos alunos que o louvor, oração e adoração estão intimamente ligados entre si. Onde está um adorador, lá estão estes três elementos. 3. Identificar com os alunos elementos teológicos e práticos no contexto da adoração. 1. A importância de ser encontrado como verdadeiro adorador. 2. Como identificar a comunhão íntima com Deus. 3. Alguns exemplos de atos e atitudes Conversar com os alunos sobre o uso dos lábios na prática da adoração. 2. Conscientizar os alunos que Deus se materializou transformando o verbo (palavra) em carne (Jesus). 3. Pedir aos alunos para fazerem um resumo baseado na aula número 04 da sua Voz e violão. 1. Com suas palavras defina culto, louvor e adoração. 2. Quais são as origens do culto cristão? 3. Cite as atividades de um verdadeiro adorador.

7 Data: / / Aula N 05: Duração da aula: 01 hora: Nº de : 08 UNIDADE DIDÁTICA: ASPECTOS BASILARES DA ADORAÇÃO 1. Mostrar ao aluno o que é ter a vida transformada por Jesus. 2. Levar o aluno a compreender que na verdade, o final de cada culto é o início de um próximo. 1. Como adorador, oferecer sacrifícios ao Senhor. 2. Qual a importância dos padrões espirituais na adoração Conversar com os alunos que Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, e o criou para a adoração permanente. 2. Questionar aos alunos, por que o homem adora? 3. Indagar aos alunos as diversas maneiras de adorar a Deus. Transparência. 3. Mostrar como cada pessoa que chega ao culto pode ser um adorador. 1. Pelo menos quatro áreas distintas do conhecimento humano-científico têm fornecido elementos para tentar responder por que o homem adora. Cite cada uma delas, explicando o que você entendeu com base no que você estudou. 2. Tal constatação nos arremessa à quebra de alguns mitos criados na trajetória cronoespacial do homem sobre a face da terra. Fale sobre cada mito.

8 Data: / / Aula N 06: Duração da aula: 01 hora: Nº de : 08 UNIDADE DIDÁTICA: CULTO E LOUVOR NO CONTEXTO CRISTÃO 1. Mostrar aos alunos como a adoração é a razão de ser da igreja de Cristo. 1. A igreja é chamada para render uma liturgia (Adoração) Explicar aos alunos que a adoração começa a partir da sua própria dedicação. 2. Levar aos alunos a compreensão de que não é possível uma direção genuína do Espírito Santo sem inspiração e ação sobre a Palavra revelada de Deus. 2. Que lugar é dado à Bíblia na adoração atual? 2. Explicar aos alunos que isso só acontece, quando temos um dialogo sincero com Deus. 1. Em sua opinião, adoração cristã: forma litúrgica ou experiência? 2. Jesus preparou o caminho para mudanças significativas que precisam ocorrer na adoração. Explique essa afirmação.

9 Data: / / Aula N 07: Duração da aula: 01 hora: Nº de : 08 UNIDADE DIDÁTICA: CULTO E DINÂMICA DO LOUVOR 1. Mostrar aos alunos algumas dicas na preparação de uma ordem litúrgica. 2. Levar os alunos a compreender que o culto a Deus é simples. 1. Agir com simplicidade e postura. 2. Preparar o seu corpo como instrumento para ser usado por Deus. 3. Mostra-se apto para toda boa obra Através do dialogo, mostrar aos alunos que o louvor deverá permear todos os atos de culto. 2. Ensinar aos alunos que o nosso Deus é o mesmo ontem, hoje e será para todo o sempre. 3. Explicar aos alunos que a fé genuína contém características vitais do louvor. 1. Fale um pouco sobre a simplicidade no culto oferecido a Deus. 2. Cite exemplos de sinergismo no louvor. 3. Explique o que você entendeu por perfil do louvador.

10 Data: / / Aula N 08: Duração da aula: 01 hora: Nº de : 08 UNIDADE DIDÁTICA: CULTO E A MÚSICA SACRA 1. Mostrar ao aluno como pode ser o louvor prestado ao nosso Deus. 2. Despertar no aluno acerca de que Jesus Cristo era ascendido, adorado e louvado através de lindos e magníficos cânticos. 1. A oportunidade que Deus nos concede, para que o cântico seja restaurado. 2. Os levitas foram unanimes acerca da fidelidade para com Deus Levar o aluno a refletir hinos cantados através da Bíblia. 2. Mostrar aos alunos por que o ministério de música tem sofrido tanto ao longo dos anos. 3. Peça aos alunos para fazer uma linha do tempo, traçando assim, as várias fases estudadas ao longo da Vídeos. Coreografia. 1. A quem era oferecida a liderança musical? 2. Mencione que os três cantores-mores de Davi eram os cabeças das três famílias levíticas. 3. Quais foram os primeiros sons musicais? 4. Fale um pouco sobre a organização do louvor no AT. Depois faça um paralelo entre o AT e os dias atuais. 5. Descreva o currículo de Lúcifer.

Evangelizadora, antes de mais, em razão do seu nome. A Universidade Católica não é

Evangelizadora, antes de mais, em razão do seu nome. A Universidade Católica não é A UNIVERSIDADE CATÓLICA E A SUA PROJECÇÃO EVANGELIZADORA A Universidade Católica, pela sua identidade e missão, tem um indeclinável projecto de evangelização. A Universidade Católica é, por definição,

Leia mais

ESCOLA DE MISSÕES FORMAÇAO MINISTERIAL TENDA (FMT)

ESCOLA DE MISSÕES FORMAÇAO MINISTERIAL TENDA (FMT) ESCOLA DE MISSÕES FORMAÇAO MINISTERIAL TENDA (FMT) A FMT-Escola oferece este Curso para aqueles que tem um chamado para a obra de missões, mas que também queiram servir na igreja local. O CURSO A) CURSO

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS 4. a EDIÇÃO 1 O CICLO ENSINO BASICO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E PROGRAMAS EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA EVANGÉLICA PROGRAMA DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO À DESCOBERTA DE UM MUNDO DIFERENTE OBJECTIVOS GERAIS:

Leia mais

FORMAÇÃO LITÚRGICA: LITURGIA: O QUE É?

FORMAÇÃO LITÚRGICA: LITURGIA: O QUE É? Escola de Maria: Escola da Fé FORMAÇÃO LITÚRGICA: LITURGIA: O QUE É? Formação Litúrgica: Liturgia: conceito O que é Liturgia? Termo de origem grega. ERGON (OBRA, AÇÃO, EMPREENDIMEN TO) (PÚBLICO) LEITON

Leia mais

APRENDENDO COM AS TRADIÇÕES RELIGIOSAS

APRENDENDO COM AS TRADIÇÕES RELIGIOSAS SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: / / 0 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 6.º ANO/EF PROFESSOR(A): VALOR: 0,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO:

Leia mais

Treinamento de Instrutores Bíblicos. DONS ESPIRITUAIS: Chaves Para o Ministério

Treinamento de Instrutores Bíblicos. DONS ESPIRITUAIS: Chaves Para o Ministério North American Division Portuguese Ministry Treinamento de Instrutores Bíblicos DONS ESPIRITUAIS: Chaves Para o Ministério Dons Espirituais: Chaves Para o Ministério I. Por que devemos aprender sobre os

Leia mais

PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA

PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA EJA Ensino Fundamental 2º Segmento GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA Fase/Ano: 4ª Fase 6º e 7º Ano Ano Letivo: 2014 Componente Curricular: Geografia Professores do Estúdio: Jefferson

Leia mais

Primeiro Momento 08:00h às 10 :00h Segunda -feira Tempo Atividade Providências

Primeiro Momento 08:00h às 10 :00h Segunda -feira Tempo Atividade Providências 59ª CONCAFRAS PSE Tema Específico: Compreendendo a dor humana - recepção-triagem fraterna e tratamento na Casa Espírita Objetivos: Reconhecer a importãncia do trabalho de Triagem Fraterna no atendimento

Leia mais

www.projeto-timoteo.org 2ª edição Como Viver a Plenitude de Deus Projeto Timóteo Apostila do Aluno

www.projeto-timoteo.org 2ª edição Como Viver a Plenitude de Deus Projeto Timóteo Apostila do Aluno Como Viver a Plenitude de Deus Projeto Timóteo 1 Apostila do Aluno Como Viver a Plenitude de Deus Projeto Timóteo Coordenador do Projeto Dr. John Barry Dyer Equipe Pedagógica Marivete Zanoni Kunz Tereza

Leia mais

Pág. 1. Caracterização. Pré-requisitos. Ementa. Objetivo da disciplina. Descrição do conteúdo Objetivos Conteúdo Data Aulas Estratégias de Ensino

Pág. 1. Caracterização. Pré-requisitos. Ementa. Objetivo da disciplina. Descrição do conteúdo Objetivos Conteúdo Data Aulas Estratégias de Ensino Pág. 1 Caracterização Curso: Curso Superior de Tecnologia em Planejamento Turístico Período/Série: 6 Turno: Ano/Semestre letivo: 2010/2 ( X ) Matutino ( ) Vespertino ( ) Noturno Carga horária semanal:

Leia mais

COPYRIGHT 2016 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT 2016 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta disciplina é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

Os 7 Melhores Modelos de COACHING em GRUPO

Os 7 Melhores Modelos de COACHING em GRUPO Os 7 Melhores Modelos de COACHING em GRUPO Olá, aqui é o Wilton Neto tudo bem?! E... Coaching em Grupo é muito divertido! Parabéns e obrigado por baixar do Manual com os 7 Melhores Modelos de Coaching

Leia mais

www.projeto-timoteo.org 1ª edição Projeto Timóteo Como Crescer na Vida Espiritual Apostila do Aluno Apostila do Aluno

www.projeto-timoteo.org 1ª edição Projeto Timóteo Como Crescer na Vida Espiritual Apostila do Aluno Apostila do Aluno Como Crescer na Vida Espiritual Projeto Timóteo Apostila do Aluno Apostila do Aluno 1 Como Crescer na Vida Espiritual Projeto Timóteo Coordenador do Projeto Equipe Pedagógica Dr. John Barry Dyer Marivete

Leia mais

Plano de Aula Integrado com Hipermídia

Plano de Aula Integrado com Hipermídia Plano de Aula Integrado com Hipermídia Sumário Estrutura Curricular Dados da Aula Duração das atividades Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno Estratégias e recursos da aula Recursos

Leia mais

SER FORTALECIDO PELA ADORAÇÃO

SER FORTALECIDO PELA ADORAÇÃO Texto Base: João 4:19 a 24 Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta. Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me

Leia mais

MANUAL DO AVALIADOR O que é uma Feira de Ciência? Por que avaliar os trabalhos? Como os avaliadores devem proceder?

MANUAL DO AVALIADOR O que é uma Feira de Ciência? Por que avaliar os trabalhos? Como os avaliadores devem proceder? MANUAL DO AVALIADOR O que é uma Feira de Ciência? É uma exposição que divulga os resultados de experimentos ou de levantamentos realizados, com rigor científico, por alunos, sob a orientação de um professor.

Leia mais

Deus nos dá amigos. Um lugar especial. 5anos. Edição do aluno. Estudos bíblicos Pré-escolar. Ano CIV Nº 389

Deus nos dá amigos. Um lugar especial. 5anos. Edição do aluno. Estudos bíblicos Pré-escolar. Ano CIV Nº 389 Deus nos dá amigos Estudos bíblicos Pré-escolar 5anos e6 Ano CIV Nº 389 5107 Um lugar especial Edição do aluno Estamos de volta para mais um trimestre de alegria, aprendizado e muitas descobertas. Você

Leia mais

PRESENTES DO CÉU O ESPÍRITO SANTO E OS DONS ESPIRITUAIS

PRESENTES DO CÉU O ESPÍRITO SANTO E OS DONS ESPIRITUAIS PRESENTES DO CÉU O ESPÍRITO SANTO E OS DONS ESPIRITUAIS ATROFIA SINTOMAS DE ATROFIA CAUSAS DE ATROFIA 1. ATROFIA POR IGNORÂNCIA Irmãos, quanto aos dons espirituais, não quero que vocês sejam ignorantes.

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CRECHE MUNICIPAL JOSÉ LUIZ BORGES GARCIA PROJETO DO 2 SEMESTRE EDUCAÇÃO INFANTIL: CONSTRUINDO O CONHECIMENTO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CRECHE MUNICIPAL JOSÉ LUIZ BORGES GARCIA PROJETO DO 2 SEMESTRE EDUCAÇÃO INFANTIL: CONSTRUINDO O CONHECIMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CRECHE MUNICIPAL JOSÉ LUIZ BORGES GARCIA PROJETO DO 2 SEMESTRE EDUCAÇÃO INFANTIL: CONSTRUINDO O CONHECIMENTO CUIABÁ 2015 Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar

Leia mais

Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade Estadual da Paraíba UEPB / leonidas.duarte@hotmail.com 1. INTRODUÇÃO

Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade Estadual da Paraíba UEPB / leonidas.duarte@hotmail.com 1. INTRODUÇÃO REFLEXÕES SOBRE ASPECTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO ENSINO DE GEOGRAFIA PRATICADO POR PROFESSORES CURSISTAS DA ESPECIALIZAÇÃO EM FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO UEPB 2013/2014 Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade

Leia mais

Treinamento sobre Progress Report.

Treinamento sobre Progress Report. Treinamento sobre Progress Report. Objetivo O foco aqui é trabalhar o desenvolvimento pessoal de cada aluno. O instrutor irá analisar cada um e pensar em suas dificuldades e barreiras de aprendizado e,

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES VERA LUCIA DOS SANTOS GIVANILZA ALVES DOS SANTOS MARIA APARECIDA CRIVELI SIRLEI R. C. DO P.

ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES VERA LUCIA DOS SANTOS GIVANILZA ALVES DOS SANTOS MARIA APARECIDA CRIVELI SIRLEI R. C. DO P. ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES VERA LUCIA DOS SANTOS GIVANILZA ALVES DOS SANTOS MARIA APARECIDA CRIVELI SIRLEI R. C. DO P. VITORINO SÓLIDOS GEOMÉTRICOS E OS POLIEDROS DE PLATÃO TAQUARUSSU = MS AGOSTO

Leia mais

Visita à Odebrecht 16 de Abril de 2015

Visita à Odebrecht 16 de Abril de 2015 Visita à Odebrecht 16 de Abril de 2015 Introdução Poucas empresas se consolidam no mercado por tanto tempo e com tamanha qualidade, tradição e compromisso na prestação de seus serviços. A 80 anos a Odebrecht

Leia mais

Avaliação de Interfaces Humano- Computador

Avaliação de Interfaces Humano- Computador Avaliação de Interfaces Humano- Computador Avaliação de Interfaces A avaliação deve ocorrer durante o ciclo de vida do design e seus resultados utilizados para melhorias gradativas da interface. Se faz

Leia mais

Treinamento Salva Vidas atendimento@salvavidas.com www.facebook.com/salvavidas.biz Tel.: (11) 4473 4373

Treinamento Salva Vidas atendimento@salvavidas.com www.facebook.com/salvavidas.biz Tel.: (11) 4473 4373 Com treinamento, os fracos se tornam fortes, os medrosos se enchem de coragem, a igreja se torna dinâmica, eficiente e cheia de resultados; ao invés de problemas, soluções e frutos que permanecem para

Leia mais

GESTÃO DO AGRONEGÓCIO

GESTÃO DO AGRONEGÓCIO Pós-Graduação em GESTÃO DO AGRONEGÓCIO Ingresso agosto de 2016 Informações: (51) 3218-1355 ernani.neto@espm.br O Curso tem por objetivo capacitar os participantes na utilização de práticas contemporâneas

Leia mais

15. ESTÁGIOS CURRICULARES DO BACHARELADO EM TEOLOGIA

15. ESTÁGIOS CURRICULARES DO BACHARELADO EM TEOLOGIA 15. ESTÁGIOS CURRICULARES DO BACHARELADO EM TEOLOGIA O Estágio Supervisionado profissionalizante é uma atividade do Curso Regular de Bacharel em Teologia, visando ir além do aspecto meramente teórico.

Leia mais

Secretaria de Espiritualidade. Colaborar com a Presidente no planejamento da atividade de toda parte devocional da Sociedade.

Secretaria de Espiritualidade. Colaborar com a Presidente no planejamento da atividade de toda parte devocional da Sociedade. Secretaria de Espiritualidade Colaborar com a Presidente no planejamento da atividade de toda parte devocional da Sociedade. O que é liturgia? Roteiro do Culto; Ordem do Culto; Levar as pessoas a disposição

Leia mais

Manual Geral de Aplicação Universal Entrada 2008

Manual Geral de Aplicação Universal Entrada 2008 Universal Entrada 2008 Programa Programa - Manual do Aplicador Teste Universal - 2008 Teste Cognitivo Leitura/Escrita e Matemática Caro alfabetizador(a): Se você está recebendo este material, é porque

Leia mais

IPERON - ABRIL VERDE/2016 5 PASSOS PARA UMA LIDERANÇA DE RESULTADOS

IPERON - ABRIL VERDE/2016 5 PASSOS PARA UMA LIDERANÇA DE RESULTADOS IPERON - ABRIL VERDE/2016 5 PASSOS PARA UMA LIDERANÇA DE RESULTADOS Adm. Ramiro Vieira, Msc Coach Abril/2016 O Líder Nasce ou se Torna Líder? Nem todos os que se esforçam para ser líderes têm condições

Leia mais

Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro

Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro Justificativas O Estado contemporâneo busca superar uma parte substantiva dos obstáculos que permeiam as políticas públicas e as ações privadas através

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO JULIANA LEME MOURÃO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO JULIANA LEME MOURÃO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO JULIANA LEME MOURÃO ORIENTADOR: PAULO GUILHERMETI SIMULADORES VIRTUAIS ALIADOS AO ENSINO DE FÍSICA GOIOERÊ

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec: PROFª NAIR LUCCAS RIBEIRO Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências da Natureza Componente Curricular: Biologia

Leia mais

O Ensino religioso nas escolas Públicas

O Ensino religioso nas escolas Públicas O Ensino religioso nas escolas Públicas Scates Dias¹ Humberto Resumo O presente artigo tem como finalidade abordar a questão do ensino religioso nas escolas. Através de uma pesquisa bibliográfica procuraremos

Leia mais

Como Praticar o Discipulado. Projeto Timóteo. Apostila do Aluno 1

Como Praticar o Discipulado. Projeto Timóteo. Apostila do Aluno 1 Como Praticar o Discipulado Projeto Timóteo Apostila do Aluno 1 Como Praticar o Discipulado Projeto Timóteo Coordenador do Projeto Dr. John Barry Dyer Equipe Pedagógica Marivete Zanoni Kunz Tereza Jesus

Leia mais

Projeto Timóteo. Como Implantar um Programa de. Ação Social na Sua Igreja. Apostila do Orientador

Projeto Timóteo. Como Implantar um Programa de. Ação Social na Sua Igreja. Apostila do Orientador Como Implantar um Programa de Ação Social na Sua Igreja www.projeto-timoteo.org Projeto Timóteo Apostila do Orientador 1 Como Implantar um Programa de Ação Social na Sua Igreja www.projeto-timoteo.org

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE PADRÕES MATEMÁTICOS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE POTENCIAÇÃO

RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE PADRÕES MATEMÁTICOS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE POTENCIAÇÃO RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE PADRÕES MATEMÁTICOS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE POTENCIAÇÃO Educação Matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio GT: 10 RESUMO Este estudo consiste em um

Leia mais

Curso de Desenvolvimento de Negócios Sociais e Inclusivos

Curso de Desenvolvimento de Negócios Sociais e Inclusivos Curso de Desenvolvimento de Negócios Sociais e Inclusivos O curso de Desenvolvimento de Negócios Sociais e Inclusivos visa a despertar o interesse de pessoas que queiram empreender na área social. Trata-se

Leia mais

O Dom do Espírito Santo

O Dom do Espírito Santo Apostila Fundamentos O Dom do Espírito Santo... e recebereis o dom do Espírito Santo. At 2:38 D o n s d o E s p í r i t o S a n t o P á g i n a 2 O Dom do Espírito Santo Este é outro ensino fundamental

Leia mais

Preparo de aula - Professor. Andrew Graham

Preparo de aula - Professor. Andrew Graham Preparo de aula - Professor Andrew Graham Sumário Cap. 03 Como ensinar com estudos de caso Cap. 04 Preparo para ensino através de casos Cap. 05 Escrever ou pesquisar um caso 03 Como ensinar com estudos

Leia mais

Inteligência de negócios do laboratório DESCUBRA INFORMAÇÕES ÚTEIS DE DADOS OPERACIONAIS DO LABORATÓRIO

Inteligência de negócios do laboratório DESCUBRA INFORMAÇÕES ÚTEIS DE DADOS OPERACIONAIS DO LABORATÓRIO Inteligência de negócios do laboratório DESCUBRA INFORMAÇÕES ÚTEIS DE DADOS OPERACIONAIS DO LABORATÓRIO INTELIGÊNCIA DE NEGÓCIOS DO LABORATÓRIO AS DECISÕES SOBRE O LABORATÓRIO COMEÇAM COM A INTELIGÊNCIA

Leia mais

A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver.

A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver. A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver. Richard Baxter Contexto: Os puritanos surgiram para apoiar e desejar a reforma

Leia mais

www.projeto-timoteo.org 2ª edição Como Administrar a Igreja de Deus Projeto Timóteo Apostila do Aluno

www.projeto-timoteo.org 2ª edição Como Administrar a Igreja de Deus Projeto Timóteo Apostila do Aluno Como Administrar a Igreja de Deus Projeto Timóteo 1 Apostila do Aluno Como Administrar a Igreja de Deus Projeto Timóteo Coordenador do Projeto Equipe Pedagógica Dr. John Barry Dyer Marivete Zanoni Kunz

Leia mais

www.projeto-timoteo.org 1ª edição Como Cuidar da Criação

www.projeto-timoteo.org 1ª edição Como Cuidar da Criação Projeto Timóteo Como Cuidar da Criação Apostila do Aluno 1 Projeto Timóteo Como Cuidar da Criação Coordenador do Projeto Dr. John Barry Dyer Equipe Pedagógica Marivete Zanoni Kunz Tereza Jesus Medeiros

Leia mais

USO DO AUDIO-IMAGEM COMO FERRAMENTA DIDÁTICO PEDAGÓGICA EM ATIVIDADES EM SALA DE AULA.

USO DO AUDIO-IMAGEM COMO FERRAMENTA DIDÁTICO PEDAGÓGICA EM ATIVIDADES EM SALA DE AULA. USO DO AUDIO-IMAGEM COMO FERRAMENTA DIDÁTICO PEDAGÓGICA EM ATIVIDADES EM SALA DE AULA. AREND, Michele Catherin 1 ; BASTOS, Maycon Fernando 2 1 Instituto Federal Catarinense IFC. Camboriú/SC. INTRODUÇÃO

Leia mais

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS Profa. Cleide de Freitas Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS O que vimos na aula anterior Ideias e Oportunidades Oportunidades x Experiência de mercado O que é um plano de negócios? Identificação e análise de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNICENTRO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CHRISTIANE MAIA DA SILVEIRA ORIENTADOR: PROFESSOR PAULO GUILHERMETI

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNICENTRO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CHRISTIANE MAIA DA SILVEIRA ORIENTADOR: PROFESSOR PAULO GUILHERMETI UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNICENTRO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CHRISTIANE MAIA DA SILVEIRA ORIENTADOR: PROFESSOR PAULO GUILHERMETI O USO DAS MÍDIAS COMO FERRAMENTA DE ENSINO NO COTIDIANO ESCOLAR POLO

Leia mais

PROGRAMA DE CONSCIENTIZACAO DA SOCIEDADE CIVIL

PROGRAMA DE CONSCIENTIZACAO DA SOCIEDADE CIVIL PROGRAMA DE CONSCIENTIZACAO DA SOCIEDADE CIVIL Programa de Conscientização da Sociedade Civil sobre uso e preservação das águas do Rio Paraíba do Sul em Campos dos Goytacazes - RJ. 1-) Introdução A Política

Leia mais

BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO

BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO Taynná BECKER 1 Priscila GUIDINI 2 RESUMO: O artigo apresenta a importância da fidelização de clientes para as empresas, e como a qualidade

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Laboratório de Sustentabilidade Sessão 6: A planificação estratégica. Maio de 2015

Laboratório de Sustentabilidade Sessão 6: A planificação estratégica. Maio de 2015 Laboratório de Sustentabilidade Sessão 6: A planificação estratégica Maio de 2015 Do que estamos falando? SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2- FUNDAMENTOS DO PE 2.1. Conceito 2.2. Origem, Função e Características 3

Leia mais

O BANCO DE DADOS. QUADRO I- Formas de acesso às informações disponíveis no Banco de Dados

O BANCO DE DADOS. QUADRO I- Formas de acesso às informações disponíveis no Banco de Dados Esta publicação é um produto do Banco de Dados que o Programa Gestão Pública e Cidadania vem construindo desde 1996 a fim de reunir informações sobre os programas inscritos em todos os ciclos de premiação.

Leia mais

Consolidação para o Discipulado - 1

Consolidação para o Discipulado - 1 Consolidação para o Discipulado - 1 Fortalecendo o novo convertido na Palavra de Deus Rev. Edson Cortasio Sardinha Consolidador/a: Vida consolidada: 1ª Lição: O Amor de Deus O amor de Deus está presente

Leia mais

Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos

Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos Categoria: Projetos Externos Temática: Segundo Setor Resumo: O presente case expõe a aplicabilidade de um projeto externo que desafia as acomodações

Leia mais

CÉU, A BELA CASA DE DEUS

CÉU, A BELA CASA DE DEUS Bíblia para crianças apresenta CÉU, A BELA CASA DE DEUS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Sarah S. Traduzido por: Judith Menga Produzido por: Bible for Children www.m1914.org

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO TUBARÃO PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO OBJETIVOS

PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO TUBARÃO PROJETO DE EXTENSÃO COORDENAÇÃO OBJETIVOS PROGRAMAS E PROJETOS DE EXTENSÃO GERÊNCIA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CAMPUS UNIVERSITÁRIO TUBARÃO PROJETO DE EXTENSÃO Horta Escolar Uma maneira gostosa de crescer COORDENAÇÃO Prof. Celso Lopes de Albuquerque

Leia mais

Unidade II Sociedade, natureza e espaço II. Aula 4.1 Conteúdo:

Unidade II Sociedade, natureza e espaço II. Aula 4.1 Conteúdo: Unidade II Sociedade, natureza e espaço II. Aula 4.1 Conteúdo: A produção teórica dos clássicos da Sociologia. 2 Habilidade: Conhecer as teorias sociológicas clássicas e seus principais objetos de estudos.

Leia mais

MINISTÉRIO DA ASSEMBLEIA DE DEUS UNIDA

MINISTÉRIO DA ASSEMBLEIA DE DEUS UNIDA MINISTÉRIO DA ASSEMBLEIA DE DEUS UNIDA Pastor Miquéas Matos 2013 Pastor Vladimir Sales Presbítero Adilson dos Reis PESCAR ADU Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

Métodos de Estudo & Investigação Científica. Elaborando um projeto de pesquisa

Métodos de Estudo & Investigação Científica. Elaborando um projeto de pesquisa Elaborando um projeto de pesquisa A pesquisa é a realização concreta de uma investigação planeada, desenvolvido e redigida de acordo com as normas das metodologias consagradas pela ciência; Requerida quando

Leia mais

MBA em Gerenciamento de Projetos. Teoria Geral do Planejamento. Professora: Maria Erileuza do Nascimento de Paula

MBA em Gerenciamento de Projetos. Teoria Geral do Planejamento. Professora: Maria Erileuza do Nascimento de Paula MBA em Gerenciamento de Projetos Teoria Geral do Planejamento Professora: Maria Erileuza do Nascimento de Paula SOBRAL - CE 2014 O que é Planejamento É um processo contínuo e dinâmico que consiste em um

Leia mais

paulinhaven@hotmail.com Introdução

paulinhaven@hotmail.com Introdução DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NO ENSINO DE BIOLOGIA: REFLEXÃO A PARTIR DE SUBSTRATOS TEÓRICOS E PESQUISAS EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE PARNAÍBA/PI 1 Ana Paula Costa do Nascimento 1 Nailton de Souza

Leia mais

O texto de hoje da UNESCO é simples mas deveria ser pensado por todos nós. Vamos a ele:

O texto de hoje da UNESCO é simples mas deveria ser pensado por todos nós. Vamos a ele: COMUICAÇÃO ( 2.communication) Extraído de páginas 76 e 77 do guia para professores da U ESCO: (Understanding and responding to children s needs in Inclusive Classrooms) www.unesco.org.com; traduzido do

Leia mais

Magistério profético na construção da Igreja do Porto

Magistério profético na construção da Igreja do Porto Magistério profético na construção da Igreja do Porto Excertos do pensamento de D. António Ferreira Gomes entre 1969-1982 A liberdade é sem dúvida um bem e um direito, inerente à pessoa humana, mas é antes

Leia mais

Gestão da Qualidade. Aula 5. Prof. Pablo

Gestão da Qualidade. Aula 5. Prof. Pablo Gestão da Qualidade Aula 5 Prof. Pablo Proposito da Aula 1. Gestão da Qualidade Total; 2. Planejamento; Gestão da Qualidade Total Gestão da Qualidade Total Como vimos na última aula a Gestão da Qualidade

Leia mais

ABORDAGEM METODOLÓGICA EM GEOGRAFIA: A PESQUISA DE CAMPO*

ABORDAGEM METODOLÓGICA EM GEOGRAFIA: A PESQUISA DE CAMPO* ABORDAGEM METODOLÓGICA EM GEOGRAFIA: A PESQUISA DE CAMPO* Agostinho Paula Brito CAVALCANTI Pós-Doutor, Departamento de Geografia (UFPI) agos@ufpi.br RESUMO O presente trabalho tem por objetivo uma abordagem

Leia mais

Os Registros na Pesquisa. Christiane Zubler

Os Registros na Pesquisa. Christiane Zubler Os Registros na Pesquisa Christiane Zubler RELEMBRANDO... A importância de se trabalhar com projetos de pesquisa na educação Básica: O Experiências exitosas; O Como organizar e avaliar feiras de ciências;

Leia mais

RELAÇÕES RACIAIS NA PERSPECITIVA CURRICULAR E EDUCACIONAL

RELAÇÕES RACIAIS NA PERSPECITIVA CURRICULAR E EDUCACIONAL RELAÇÕES RACIAIS NA PERSPECITIVA CURRICULAR E EDUCACIONAL "Que a água seja refrescante. Que o caminho seja suave. Que a casa seja hospitaleira. Que o Mensageiro conduza em paz nossa Palavra." Benção Yoruba

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados:

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: PLANO DE ESTUDOS O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: 1.º PERÍODO DOMÍNIO SUBDOMÍNIO / CONTEÚDOS 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o

Leia mais

Koinonia, descobrindo a alegria de pertencer.

Koinonia, descobrindo a alegria de pertencer. ESTUDO 07 TENHAM IGUAL CUIDADO UNS PELOS OUTROS Sinônimos: Cooperem, com igual cuidado, em favor uns dos outros. Sejam solícitos uns para com os outros. Todas as partes tenham o mesmo interesse umas pelas

Leia mais

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR)

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) O MOODLE (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment) é um Ambiente Virtual de Ensino-Aprendizagem (AVEA) de código aberto, livre e gratuito que se mantém em desenvolvimento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Abril 2016 2016 367 Prova 11º Ano de escolaridade (Decreto-Lei nº 139/2012, de 05 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova

Leia mais

Lição 01 O propósito eterno de Deus

Lição 01 O propósito eterno de Deus Lição 01 O propósito eterno de Deus LEITURA BÍBLICA Romanos 8:28,29 Gênesis 1:27,28 Efésios 1:4,5 e 11 VERDADE CENTRAL Deus tem um propósito original e eterno para minha vida! OBJETIVO DA LIÇÃO Que eu

Leia mais

Programa de Desenvolvimento de Futuros Líderes Públicos ProLíder 2016 EDITAL

Programa de Desenvolvimento de Futuros Líderes Públicos ProLíder 2016 EDITAL Programa de Desenvolvimento de Futuros Líderes Públicos ProLíder 2016 EDITAL Art. 1º. Este documento tem por objetivo regulamentar o processo seletivo para participação no Programa de Desenvolvimento de

Leia mais

A Orientação Educacional no novo milênio

A Orientação Educacional no novo milênio 15 1 A Orientação Educacional no novo milênio O presente estudo consiste na descrição e análise da experiência do Curso de Especialização em Orientação Educacional e Supervisão Escolar, realizado na Faculdade

Leia mais

O OBREIRO E O RELACIONAMENTO FAMILIAR Ef 5:22-23 Ef 6:1-4 I Pe 3:1-7 I Cor 7:3-5 I Cor 7:33-34

O OBREIRO E O RELACIONAMENTO FAMILIAR Ef 5:22-23 Ef 6:1-4 I Pe 3:1-7 I Cor 7:3-5 I Cor 7:33-34 O OBREIRO E O RELACIONAMENTO FAMILIAR Ef 5:22-23 Ef 6:1-4 I Pe 3:1-7 I Cor 7:3-5 I Cor 7:33-34 INTRODUÇÃO: De conformidade com a palavra de Deus, o obreiro deve ter um bom, correto e eficaz relacionamento

Leia mais

Orçamento Participativo de Vila Nova de Cerveira

Orçamento Participativo de Vila Nova de Cerveira Orçamento Participativo de Vila Nova de Cerveira PREÂMBULO Os Orçamentos Participativos são símbolos de importância da participação dos cidadãos na sociedade democrática, neste sentido a Câmara Municipal

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS 1º PERÍODO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Planificação Anual da Disciplina de EMRC 10º ano Ano Letivo de 2014/2015 Manual adotado: Alicerces Domínios e Objetivos Sequências/Conteúdos I. UM

Leia mais

COMUNIDADE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

COMUNIDADE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM COMUNIDADE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM ATIVIDADES Atividade Extra - Fórum SIEPE (Compensação da carga horária do dia 08/09/2012) A atividade foi postada no módulo X Atividade Módulo X - Fórum Agenda O cursista

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome Nº Ano Data: Professor: Gabriela/ Fernanda Nota: (valor 1,0) 3 o.bimestre Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou os conteúdos mínimos

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Recomendação Técnica n.º 5

Manual do Revisor Oficial de Contas. Recomendação Técnica n.º 5 Recomendação Técnica n.º 5 Revisão de Demonstrações Financeiras Intercalares Janeiro de 1988 Índice Julho de 1993 (1ª Revisão) Parágrafos Introdução 1-3 Justificação 4-5 Objectivos 6-8 Recomendações 9-17

Leia mais

TÓPICOS ESPECIAIS EM RECURSOS HUMANOS UNIDADE 01 O PROCESSO DE APRESENTAÇÃO

TÓPICOS ESPECIAIS EM RECURSOS HUMANOS UNIDADE 01 O PROCESSO DE APRESENTAÇÃO TÓPICOS ESPECIAIS EM RECURSOS HUMANOS UNIDADE 01 O PROCESSO DE APRESENTAÇÃO OBJETIVOS Identificar princípios básicos das apresentações. Preparar os Alunos para a exposição dos seus trabalhos de conclusão

Leia mais

I TORNEIO DE INTEGRAÇÃO CIENTÍFICA TIC

I TORNEIO DE INTEGRAÇÃO CIENTÍFICA TIC I TORNEIO DE INTEGRAÇÃO CIENTÍFICA TIC Edital do Desafio Área: Petróleo, Gás e Biocombustíveis Tema: Produção de Biocombustíveis Maceió 2012 1. INTRODUÇÃO As razões para o interesse pelos biocombustíveis

Leia mais

O programa da disciplina em causa preconiza atividades linguísticas, estratégias e tarefas reportadas a usos comunicativos da língua.

O programa da disciplina em causa preconiza atividades linguísticas, estratégias e tarefas reportadas a usos comunicativos da língua. INFORMAÇÃO Prova de Equivalência à Frequência INGLÊS 2016 11º Ano de Escolaridade O presente documento divulga informação relativa à Prova de Equivalência à Frequência da disciplina de Inglês, a realizar

Leia mais

(31) 3225.7678. Ligue e faça ainda hoje sua inscrição: Palestrantes: 20 e 21 de outubro de 2012 Centro de Convenções Sul América Rio de Janeiro / RJ

(31) 3225.7678. Ligue e faça ainda hoje sua inscrição: Palestrantes: 20 e 21 de outubro de 2012 Centro de Convenções Sul América Rio de Janeiro / RJ Alexandre Ventura Portugal Bernard Charlot França Abram Topczewski SP Alexandre Gobbo MG Célia Godoy SP Celso Vasconcellos SP Eugênio Cunha RJ Geraldo de Almeida PR Gustavo Moretto MG Palestrantes: Gustavo

Leia mais

ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO

ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO ATRAINDO E MANTENDO A MULTIDÃO ANOTAÇÕES Como Planejar Um Culto Sensível Aos Não-crentes INTRODUÇÃO Uma das características do ministério de Jesus é que ele atraía muitas pessoas A Bíblia diz que "Numerosas

Leia mais

TEMA: O MANUAL DO MISSIONÁRIO. Formadora: Helena Gaia

TEMA: O MANUAL DO MISSIONÁRIO. Formadora: Helena Gaia TEMA: O MANUAL DO MISSIONÁRIO Formadora: Helena Gaia A VISITA MISSIONÁRIA O QUE É VISITAR? É sair de si e ir ao encontro do outro, reconhecendo que ele existe; É ser mensageiro de Deus, portadores da Boa

Leia mais

PIC. Componentes da PIC 1. o bimestre. Produção Integrada ao Conteúdo

PIC. Componentes da PIC 1. o bimestre. Produção Integrada ao Conteúdo PIC Produção Integrada ao Conteúdo 6. o ano Ensino Fundamental Componentes da PIC 1. o bimestre Arte Ciências Geografia História A nota de PIC é a média entre a nota de tarefa (avaliação do conjunto de

Leia mais

A METODOLOGIA DA PROBLEMATIZAÇÃO EM UMA EMPRESA DE MÓVEIS PLANEJADOS 1

A METODOLOGIA DA PROBLEMATIZAÇÃO EM UMA EMPRESA DE MÓVEIS PLANEJADOS 1 A METODOLOGIA DA PROBLEMATIZAÇÃO EM UMA EMPRESA DE MÓVEIS PLANEJADOS 1 Aline Guarda 2, Ana Paula De Moura Da Silva 3, Giana Luiza Parnoff 4, Blener Vitório De Oliveira Rígoli 5, Marisandra Da Silva Casali

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 14, Toledo PR Fone: 77-810 PLANEJAMENTO ANUAL DE LINGUAGEM SÉRIE: PRÉ I PROFESSOR: Carla Iappe

Leia mais

Período ATIVIDADE OBJETIVO Responsabilidade Local

Período ATIVIDADE OBJETIVO Responsabilidade Local Período ATIVIDADE OBJETIVO Responsabilidade Local Durante todo Estágio (Teórica e prática) Março a junho 2013 Mês de março e abril de 2013 25 a 31 março Preparação para o ingresso no Estágio Leitura obrigatória

Leia mais

3. FALAR SOBRE A VOCAÇÃO

3. FALAR SOBRE A VOCAÇÃO 1 CATEQUESE VOCACIONAL 1. ACOLHIMENTO 2. ORAÇÃO INICIAL: A catequese deve iniciar sempre com uma oração conjunta: Todos de pé rezamos pedindo ao Senhor que continue a chamar jovens para a vida sacerdotal

Leia mais

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática A UTILIZAÇÃO DE BLOGs COMO RECURSO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Maria Angela Oliveira Oliveira Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho matematicangela2007@yahoo.com.br Resumo: O Mini-Curso

Leia mais

CIBERESPAÇO E O ENSINO: ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL II NA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR VIANA

CIBERESPAÇO E O ENSINO: ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL II NA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR VIANA 203 CIBERESPAÇO E O ENSINO: ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL II NA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR VIANA INTRODUÇÃO ¹ Elias Barbosa de Lima filho ² Dr. Flamarion Dutra Alves ¹ eliasbarbosalima141@gmail.com

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CONTEÚDO DIGITAL PARA O USO NA EDUCAÇÃO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS

IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CONTEÚDO DIGITAL PARA O USO NA EDUCAÇÃO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CONTEÚDO DIGITAL PARA O USO NA EDUCAÇÃO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS Júlio César Neis 1 ; Rosangela Aguiar Adam 2 ; Tiago Lopes Gonçalves 3 ; Vera Regina Mazureck

Leia mais

Teresa Cristina Enns Curitiba/PR tinadellaennsr@yahoo.com.br

Teresa Cristina Enns Curitiba/PR tinadellaennsr@yahoo.com.br 1. INSPIRAÇÃO História da queda das Muralhas. Josué 6 PRÁTICA DO PLANO DE AULA 2. PESQUISAR 1 Planejamento a) Definição: Planejamento é o ato ou efeito de planejar, criar um plano para aperfeiçoar o alcance

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA MESTRADO 2016 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (UNIFEI)

EDITAL DE SELEÇÃO PARA MESTRADO 2016 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (UNIFEI) 1 EDITAL DE SELEÇÃO PARA MESTRADO 2016 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (UNIFEI) O Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP) da Universidade Federal

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO, SE HOUVER

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO, SE HOUVER FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ANDRADINA NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO, SE HOUVER ANDRADINA/SP 2016 NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO:

Leia mais

Atividade profissional da área de comunicação que visa coletar, investigar, analisar e transmitir periodicamente ao grande público, ou a segmentos

Atividade profissional da área de comunicação que visa coletar, investigar, analisar e transmitir periodicamente ao grande público, ou a segmentos Atividade profissional da área de comunicação que visa coletar, investigar, analisar e transmitir periodicamente ao grande público, ou a segmentos dele, informações da atualidade, utilizando veículos de

Leia mais

Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos.

Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos. Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos. O processo da produção musical tem sete pontos bem distintos. Antes de entender melhor os sete

Leia mais