Curso de Especialização Lato Sensu em Marketing e Comunicação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso de Especialização Lato Sensu em Marketing e Comunicação"

Transcrição

1 Centro Universitário de Belo Horizonte - UNI-BH Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão Curso de Especialização Lato Sensu em Marketing e Comunicação A UTILIZAÇÃO DO MARKETING CULTURAL NA FIXAÇÃO DA IMAGEM DAS EMPRESAS DE TELEFONIA MÓVEL EM BELO HORIZONTE. Carolina Moreira Magalhães 1 Carlos Calic 2 Belo Horizonte, 26 de Maio de RESUMO Nos mercados competitivos, as verbas de comunicação têm se concentrado cada vez menos em publicidade. O consumidor está cercado de opções e também saturado de apelos convencionais. Isso obriga cada vez mais as empresas a adotarem estratégias inovadoras. E é nesse contexto que o marketing cultural ganha espaço como ferramenta de comunicação, usado para transferir o valor da arte e da cultura às marcas de empresas e produtos. As empresas estão aderindo cada vez mais a essa estratégia que algumas vezes pode até ter um custo menor, mas proporciona maior visibilidade e credibilidade junto aos seus públicos de interesse, tornando sua imagem mais sólida e consistente. Para verificar o impacto dos investimentos culturais por parte das empresas de telefonia móvel em Belo Horizonte foi realizada uma pesquisa quantitativa com uma amostra de cem pessoas pós-graduandas ou pós-graduadas. Palavras-chave: Imagem empresarial, Marketing cultural, Patrocínio cultural. 1 Relações Públicas e aluna do Curso de Especialização em Marketing e Comunicação do UNI-BH 2 Professor Orientador, Administrador e Contabilista, Especialista em Marketing e Mestre em Engenharia da Produção

2 2 1. INTRODUÇÃO Com o fenômeno da globalização e com o aumento significativo da competitividade na economia mundial, empresas de todo o mundo têm trabalhado cada vez mais para se manterem no mercado. Para as empresas permanecerem nesse mercado tão competitivo, elas têm que inovar e se reinventar todos os dias, buscando sempre acompanhar as mudanças tecnológicas e as tendências de mercado investindo em capital intelectual e estruturas gerenciais eficientes para se diferenciarem da concorrência. Com essa alta competitividade entre as empresas, é cada vez maior a sua preocupação com a sua imagem e como elas são vistas pelos seus públicos-alvos e pela sociedade em geral nos mercados em que atuam. É nesse contexto juntamente com os incentivos tributários como a lei de incentivo a cultura que as empresas têm realizado cada vez mais ações de marketing cultural. Essas ações estão se tornando cada vez mais profissionais e demandando a participação de vários profissionais de dentro e de fora da empresa na realização de projetos diversos. A análise das estratégias que as empresas de telefonia móvel que atuam no mercado da cidade de Belo Horizonte vêm realizando para se tornarem competitivas e fixarem a sua imagem através de ações de fomento cultural é a pauta deste artigo. Para evidenciar estas ações foi realizada uma pesquisa com cem pós-graduandos ou pósgraduados de diversas áreas do conhecimento, buscando averiguar se as realizações dessas empresas têm fixado a sua imagem nos seus públicos de interesse. 2. MARKETING CULTURAL A saturação da publicidade convencional levou as empresas a buscarem formas de comunicação empresarial que consigam, de forma ágil e eficiente, atrair um público consumidor exigente e diferenciado, conferindo às mesmas um maior valor de mercado e obrigando-as a investir em ações de comunicação dirigida como o marketing

3 3 cultural que associa cultura e responsabilidade social. A partir do momento em que uma empresa empreende uma ação de marketing usando como ferramenta a cultura, ela está fazendo marketing cultural. O marketing cultural para Almeida (1992) seria a extensão do marketing empresarial, mas que utiliza as atividades artísticas como ferramenta de comunicação buscando a promoção das marcas e produtos das empresas. Já para Fischer (1998) o marketing cultural é o conjunto de ações promocionais baseadas em eventos, atividades culturais ou produtos artísticos com o intuito de criar, desenvolver ou reforçar uma imagem favorável à organização que as patrocinam, sendo para Muylaert (2000) o marketing cultural o conjunto de recursos que permite projetar a imagem de uma empresa ou entidade através de ações culturais. Em uma primeira visão o marketing cultural seria a integração funcional entre as necessidades e as estratégias de comunicação empresarial e atividades artísticoculturais em razão da percepção de que a promoção de tais atividades revela ao público alguma diferenciação positiva da marca de uma empresa. Muitas empresas hoje já reconhecem a importância e os benefícios do marketing cultural. Através da utilização de ações culturais as empresas perceberam a geração de dividendos para a imagem institucional da empresa, o estreitamento do relacionamento da empresa com a sociedade e seu público consumidor e, conseqüentemente, a médio e longo prazos, retorno financeiro. 2.1 Patrocínio Cultural A característica primordial do moderno patrocínio corporativo consiste em não ser o empresário ou sua família o agente da ação, mas a empresa. Ou seja, ainda que uma diretoria, um presidente ou o proprietário seja sensível às artes, as doações ou patrocínios são decididos em função de uma estratégia corporativa e não em função do caráter pessoal. O patrocínio se constitui, na medida em que a empresa busca atingir seus públicos, sejam eles consumidores ou formadores de opinião, através da divulgação clara e direta de suas ações institucionais.

4 4 No Brasil, renunciando a parcela dos impostos a serem recebidos, o Estado tem permitido que as empresas incentivem as atividades culturais, utilizando-se do marketing cultural como prática de divulgação e promoção destas e de seus produtos. Esta foi a forma encontrada pelo governo para viabilizar o investimento em cultura, visto ser uma forma condizente com a economia de mercado por propiciar uma alocação privada de recursos por intermédio de uma contrapartida, conforme prática das leis de incentivo em várias instâncias e por estimular a formalização das relações no mercado. O patrocínio cultural no Brasil tem se tornado atrativo às empresas porque: 1) gera eventos; 2) gera produtos culturais que podem ser distribuídos a clientes como brindes e cortesias como livros, catálogos, fitas de vídeo, cd s etc); 3) proporciona visibilidade; 4) estreita o relacionamento entre o patrocinador e a causa social; 5) reforça a percepção da marca da empresa comprometida com a comunidade e com os consumidores. (BRANT, 2001, p.24). Côrrea (2004) acredita que já foi o tempo em que o retorno buscado pelas empresas ao patrocinar eventos restringia-se a veiculação da marca em anúncios e materiais gráficos voltados para divulgá-los e criar uma empatia junto aos formadores de opinião. Para o autor não será mais aceita a possibilidade das empresas manterem todos os seus parâmetros de qualidade, eficácia e resultados quando o assunto é a produção e comercialização de seus produtos, e deixar que seus esforços institucionais e culturais sigam critérios abstratos e totalmente descomprometidos com a modificação dos cenários com os quais a empresa interage. 2.2 Retorno Institucional Normalmente o retorno da participação de uma empresa em uma ação cultural é institucional. Segundo Muylaert (2000, p.32 e 33):... múltiplas ações devem ser criadas para a fixação da imagem de um produto. De tal forma que as várias formas de comunicação construam o todo da imagem. E o marketing cultural é uma das ferramentas de comunicação mais seguras para que o produto associado a determinado evento tenha reforçada a imagem desejada. Já para Vaz (1995, p.81):

5 5 as organizações utilizam-se do marketing cultural como parte de sua estratégia de divulgação para públicos de interesse da empresa, capaz de proporcionar retorno institucional competitivo em relação a outros canais de divulgação. Para Muylaert (2000) para conseguir o retorno institucional a partir da realização de eventos é preciso investir duas vezes o que foi gasto num evento, na sua divulgação por outras mídias. Esse reforço por parte dos patrocinadores e apoiadores dará ao público a dimensão real do acontecimento e a certeza da impossibilidade de sua realização sem a participação dessas empresas, valorizando assim suas presenças. 3. IMAGEM EMPRESARIAL Para melhor entender o que é imagem, torna-se importante diferenciá-la da identidade. Torquato (2002) diz que a identidade é formada por valores, princípios, conceitos e sistemas. É a personalidade da empresa, ou seja, aquilo que ela realmente é, enquanto que a imagem é aquilo que a empresa deseja projetar, é a sombra da identidade. Nesse contexto também é importante conceituar o que é percepção. Para Neves (2003, p.64) Percepção é a captação de atributos, existentes ou não, reais ou imaginários, obtidos na entidade. Ela é tão forte para o observador que acaba virando realidade para ele. Segundo ele a imagem de uma empresa é o resultado do balanço entre as percepções positivas e negativas que esta organização passa para um determinado público. Ele acredita que a imagem é boa quando o saldo é positivo. Mas segundo ele não basta ter uma boa imagem, a imagem tem que ser competitiva. Para ele a imagem competitiva tem que gerar negócios, atrair, manter e motivar os melhores profissionais, abrir portas, obter credibilidade, enfim, mostrar serviço e obter esse retorno. Côrrea (2004) entende o relacionamento entre empresa e cultura como uma evolução das estratégias empresariais de construção de imagem e de aproximação de públicos de interesse. Segundo Côrrea (2004, p.89): A imagem da empresa, construída junto a seu mercado, é formada pelos valores disseminados na organização, que se refletem na conduta das pessoas

6 6 que a representam, e pelo conjunto de ações escolhidas por essas pessoas para demonstrarem à sociedade seu posicionamento. Torquato (2002) acredita que é fundamental investir na imagem das empresas, mesmo em época de crise. Segundo ele as empresas que saem da crise com identidade forte se tornam mais competitivas e lucrativas. 4. METODOLOGIA O método de pesquisa abordado foi o exploratório. Segundo Yin (2005), este é um caminho para a realização de uma pesquisa social empírica que investiga um determinado fenômeno dentro de seu contexto real. O autor afirma ainda que este método é uma forma de pesquisa que tem como objetivo problematizar questões do tipo como e por que. Foram realizadas entrevistas de natureza focada no qual o entrevistado foi questionado por um curto período de tempo, dentro de um roteiro pré-determinado. A finalidade específica da pesquisa foi identificar a importância que as pessoas atribuem as ações culturais realizadas ou patrocinadas pelas operadoras de telefonia móvel que atuam em Belo Horizonte e se isso as influencia ou influenciou na compra de aparelhos e serviços dessas empresas. A pesquisa foi realizada em uma amostra não-probabilística intencional de 100 estudantes de cursos de pós-graduação ou pessoas que já concluíram os seus cursos, de diversas áreas. A escolha desse público se deu em função do julgamento da pesquisadora acerca de seu bom nível de informação e de sua qualificação e da maior facilidade na coleta de dados. As pesquisas foram realizadas de forma aleatória sem restrição de sexo ou idade com estudantes de pós-graduação, a maioria alunos da pós-graduação do Centro Universitário de Belo Horizonte - UNI-BH, localizado no bairro de Lourdes, e pessoas que já concluíram seus cursos de pós-graduação.

7 7 5. A EFETIVIDADE DAS AÇÕES CULTURAIS DAS EMPRESAS DE TELEFONIA MÓVEL QUE ATUAM EM BELO HORIZONTE JUNTO A UM PÚBLICO ESPECÍFICO 5.1 Considerações gerais A amostra da pesquisa foi de cem pessoas que cursam ou já cursaram pósgraduação. A pesquisa foi realizada junto a um público predominantemente feminino, que contou com 76% dos respondentes, sendo os restantes 29% do sexo masculino. Dentre os entrevistados 76% tinham idade entre 22 a 30 anos, 13% tinham de 31 a 35 anos, 2% tinham de 36 a 40 anos e 9% tinham mais de 40 anos. Tal resultado justifica-se em função da alta concentração do público jovem, sobretudo na faixa de 22 a 35 anos que cursa programas de pós-graduação lato sensu. A maior parte dos entrevistados fazia parte de cursos da área de comunicação. Quanto a sua origem nos cursos de graduação, 25% cursaram relações públicas, 16% publicitários, 15% profissionais da área da saúde, 11% profissionais da área de marketing, 8% jornalistas e 8% também profissionais da área comercial. A amostra coletada contou também com 6% de administradores, 4% de contadores e de 2% de engenheiros. Com menor representatividade teve-se a participação de profissionais como designer de moda, pedagogo, geógrafo, secretária bilíngüe e turismóloga com a representação de 1% cada. Os estudantes de pós-graduação e os pós-graduados cursam ou cursaram seus cursos em instituições diversas. A maior parte dos entrevistados é oriunda do Centro Universitário de Belo Horizonte - UNIBH com 83% dos entrevistados. Em seguida a amostra contou com 10% de entrevistados do Instituto de Educação Continuada da PUC Minas e em seguida com 5% da Universidade Federal de Minas Gerais e finalmente 2% Fundação Dom Cabral. Da amostra 66% cursam ou já cursaram o programa de Pós-Graduação lato sensu em Marketing e Comunicação da UNI-BH, 9% o Curso de Pós-Graduação em Comunicação Estratégica Empresarial, 6% na área de gestão de negócios, 15% programas na área de saúde, 2% na área de direito e 2% em engenharias.

8 8 Dentre os entrevistados 100% tinham celular, fator preponderante para a validade do formulário de pesquisa, sendo que alguns ainda detinham mais de um celular de operadoras diferentes. A maior parte dos entrevistados, 40%, foi composta por clientes da operadora Tim. Em seguida apareceu a Telemig Celular com 25% dos respondentes. A Claro apareceu na seqüência com 5%, sendo que nenhum dos participantes da amostra era cliente Nextel. Dentre os entrevistados 68% identificavam ações culturais realizadas por suas respectivas operadoras. E o restante, 32% dos entrevistados, não identificavam nenhuma ação. Segundo os entrevistados a operadora de telefonia móvel que mais investe em ações culturais é a Telemig Celular. São 68% dos entrevistados que apontaram a Telemig Celular como sendo a operadora que mais investe em ações culturais, um resultado muito acima da amostra de entrevistados cliente da operadora, o que evidencia o fato de que os clientes de outras empresas reconhecem a Telemig Celular como a maior patrocinadora e investidora da área cultural. Em seguida apareceu a Tim com 29% e depois a Oi com 6%. Nenhum dos entrevistados identificou a Claro e a Nextel como empresas que investem em ações culturais. Os entrevistados atribuíram graus de importância diferentes em relação às realizações das operadoras que mais investem em ações culturais. 45% dos entrevistados acham importantes as ações realizadas pelas operadoras que identificaram como as maiores investidoras em ações culturais. 36% apontaram as ações como muito importantes, 18% pouco importantes e um percentual quase insignificante de 1% que classificou essas realizações como nada importantes. Quando questionados sobre a influência da realização de ações culturais na compra de produtos e serviços das operadoras 59% dos entrevistados afirmaram que esse tipo de realização da operadora não influencia no processo de decisão e compra de produtos e serviços, ao contrário de 41% dos entrevistados que afirmaram que essas ações influenciam e contribuem na decisão e aquisição de produtos e serviços das operadoras.

9 9 Verificou-se, então um número muito expressivo de respondentes que afirmaram que sofrem influência das ações culturais das empresas nos seus processos de decisão de compra, já que na maioria das vezes eles não ocorrem de maneira consciente. Muitas vezes os consumidores escolhem ou não uma operadora porque têm uma certa simpatia pela empresa, mas não sabem dizer ao certo o porquê. Através da pesquisa foi possível verificar que as pessoas valorizam muito os investimentos das operadoras em ações culturais quando afirmam que esse tipo de ação realizada é importante. Sendo a realização dessas ações importante, segundo os consumidores de telefonia móvel, a imagem da empresa é reforçada, sendo assim mais lembrada e fixada na mente das pessoas. Isso é exemplificado pelo fato da Telemig Celular ser lembrada e apontada como a operadora que mais investe nessa área até mesmo por consumidores que não são seus clientes. Essas ações influenciam na fixação da imagem das operadoras na mente dos consumidores, portanto influenciam também no processo de compra, pois muitas pessoas apontaram esses investimentos como sendo critério na escolha pela operadora. 5.2 As operadoras de telefonia móvel atuantes no mercado de Belo Horizonte As operadoras presentes no mercado de Belo Horizonte atualmente são a Claro, Nextel, Oi, Telemig Celular e Tim. A Claro é resultado da unificação de seis operadoras: Americel (Centro-Oeste e parte da região Norte), que iniciou suas operações em 1997, quando foi lançada a sua rede TDMA, ATL (RJ e ES), BCP Nordeste, BCP SP, Claro Digital (RS) e Tess (interior e litoral do Estado de SP), que iniciaram suas operações em 1998 também com a tecnologiatdma. A Claro atua nacionalmente em 21 Estados, dentre eles Minas Gerais, e está presente em mais de cidades e atende mais de 22,2 milhões de clientes. Foi a última operadora de telefonia móvel a entrar no mercado de Belo Horizonte no ano de A Nextel Brasil iniciou suas operações com o sistema de trunking digital em 1998, nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

10 10 Hoje, a Nextel é uma empresa totalmente dedicada ao público corporativo e oferece a mais completa solução de comunicação móvel integrada. A cobertura da Nextel hoje abrange os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Em 2007 a Oi incorporou a Telemar. Hoje ela tem controle 100% nacional e é a empresa pioneira no Brasil na prestação de serviços convergentes e integrados de telecomunicações. A Oi oferece transmissão de voz local e em longa distância, telefonia móvel, comunicação de dados, internet e entretenimento. A companhia detém a concessão para operar em telefonia fixa local e autorização para prestar serviços de mobilidade na Região I, que abrange 16 estados do Norte, Nordeste e Sudeste, inclusive Minas Gerais. A Telemig Celular foi a empresa pioneira no oferecimento de serviços de telefonia móvel em Minas Gerais e é a operadora líder do mercado de telefonia móvel no estado atendendo mais de 3,4 milhões de clientes. A empresa deu um salto importante ao adotar a tecnologia mais avançada do país: GSM EDGE. Para a Telemig Celular, toda essa tecnologia precisa estar a serviço das necessidades de seus clientes. Sendo assim, a operadora oferece a maior cobertura GSM EDGE do Estado. O Grupo TIM (Telecom Itália Mobile) está presente na Itália e em outros países da Europa e América Latina. A Tim é a única operadora móvel presente em todos os estados brasileiros e foi a segunda operadora a atuar no mercado de Belo Horizonte. Ela é a segunda do mercado brasileiro em número de clientes.

11 11 6. CONCLUSÃO Como já foi dito, as empresas estão buscando cada vez mais se tornarem competitivas para poderem sobreviver às atuais pressões do mercado globalizado atual. Uma forma que elas têm buscado para se firmarem no mercado e conquistar e manter seus clientes é tornando a imagem de suas empresas fortes e fixas na mente dos seus públicos-alvo. Para isso as empresas lançam mão de várias estratégias e uma delas é o que eu demonstrei nesse artigo: o investimento das empresas na área cultural. Cada vez mais as empresas se especializam e usam o marketing cultural como uma ferramenta para oferecer cultura para seus públicos de interesse, melhorarem as comunidades no qual eles atuam e fortalecerem e fixarem sua imagem. Um dos segmentos que tem mais investido em ações de marketing cultural é o de telefonia móvel. Os players do setor têm realizado projetos próprios e patrocinados muitas ações e eventos culturais. Com a realização desses investimentos as empresas do setor tentam se aproximar e favorecer seus públicos-alvo e fortalecer sua imagem com seus clientes e a sociedade em geral, o que tem propiciado visibilidade e credibilidade, conforme o que pôde ser verificado na pesquisa realizada neste estudo. Para isso as empresas estão se especializando cada vez mais, usando os incentivos fiscais, que são as leis de incentivo a cultura, e envolvendo um número cada vez maior e diversificado de profissionais para a criação e realização desses investimentos. Através da pesquisa realizada percebe-se que a maioria dos entrevistados acha importante a realização de ações culturais realizadas pelas operadoras, o que confirma, pelo menos pontualmente junto ao público pesquisado, que as empresas que têm investido nessa área estão indo pelo caminho certo e satisfazendo os seus públicos. Essa satisfação e simpatia que os consumidores têm por essas empresas faz com que elas tenham uma imagem fortalecida e fixa na mente dos seus públicos. Com isso muitas pessoas passam a dotar o critério de investimentos em ações culturais na escolha da operadora, de seus aparelhos e serviços, como demonstraram os resultados do estudo.

12 12 Isso exemplifica o que o artigo se propõe que é verificar se a utilização do marketing cultural fixa a imagem das operadoras no público de Belo Horizonte onde a pesquisa abrange e foi realizada. 7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALMEIDA, Cândido José Mendes; DA-RIM, Sílvio. Marketing cultural ao vivo. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

13 13 BRANT, Leonardo. Mercado Cultural. São Paulo: Escrituras Editora, CORRÊA, Marcos Barreto. Do marketing ao desenvolvimento cultural: relacionamento entre empresa e cultura; reflexões e experiência. Belo Horizonte: Rona Editora, FISCHER, F. Marketing cultural: uso e prática em empresas brasileiras. Rio de Janeiro: COPPEAD, UFRJ, Rio de Janeiro,1998. (dissertação de mestrado) KOTLER, Phhilip. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, MUYLAERT, Roberto. Marketing cultural e comunicação dirigida. São Paulo: Globo, PENTEADO, J.R. WHITAKER. Marketing de idéias: a promoção da produtividade no terceiro mundo. São Paulo. Pioneira, SILVA, Eduardo Augusto. O palco! Comunicação por Ação Cultural e Marketing Cultural, São Paulo, Disponível em: <http://www.aberje.com.br/novo/monografias/palco_eduardo.pdf. Acesso em: 02 mar.2007 TORQUATO, Gaudêncio. Cultura, poder, comunicação e imagem: fundamentos da nova empresa.são Paulo: Pioneira, VAZ, Gil Nuno. Marketing institucional: o mercado de idéias e imagens. São Paulo: Pioneira, YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Bookman, Porto Alegre, 2005 Conheça a Claro/Institucional. Disponível em: <http://www.claro.com.br. Acesso em 15 mai Institucional/Nossa Empresa. Disponível em : <http://www.nextel.com.br. Acesso em 15 mai Sobre a Oi/A Empresa/Perfil Oi. Disponível em: em 15 de mai A Empresa. Disponível em: <http://www.telemigcelular.com.br. Acesso em 15 mai A Empresa/Apresentação/Quem Somos/Tim no Brasil. Disponível em: <http://www.timmaxitel.com.br. Acesso em 15 mai.2007.

14 14 8. BIBLIOGRAFIA O que é marketing cultural. Disponível em: <http://www.marketingcultural.com.br. Acesso em: 19 out AMARO, Vagner R. Marketing Cultural em Bibliotecas: "Ferramentas para a promoção da cultura", Rio de Janeiro, Disponível em: <http://biblioteca.estacio.br/artigos/010.htm. Acesso em: 29 out Parceiros/Marketing Cultural. Disponível em: <http://www.palaciodasartes.com.br/parceiros_marketing.asp?sub_sec=2. Acesso em: 30 out Marketing Cultural. Disponível em: <http://www.novasociedade.com.br/marktcult.htm. Acesso em: 30 out Áreas do Marketing/Cultural. Disponível em : <http://www.marketing.com.br. Acesso em: 07 nov.2006.

PINTON GERALDINO DAOLIO 3

PINTON GERALDINO DAOLIO 3 MARKETING CULTURAL COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO LUIZ FABIANO FERREIRA¹, PAULO ALEXANDRE PINHEIRO SOARES 2, RAQUEL PINTON GERALDINO DAOLIO 3 1 Aluno do 3º semestre do curso Superior de Tecnologia de Gestão

Leia mais

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação Pesquisa Semesp 2009 Índice de Imagem e Reputação Uma ferramenta estratégica para a qualidade de mercado Desvendar qual é a real percepção de seus públicos estratégicos com relação à atuação das instituições

Leia mais

Projeto Cultura Empreendedora

Projeto Cultura Empreendedora Estimular o empreendedorismo em todos os níveis de ensino Projeto Apresentação A geração de empregos no Brasil, principalmente nas regiões mais carentes, depende do Setor Público, sendo as prefeituras

Leia mais

4 A Telefonia Móvel no Brasil

4 A Telefonia Móvel no Brasil 4 A Telefonia Móvel no Brasil 4.1 Breve Histórico da Telefonia Móvel O uso da telefonia móvel teve início no Brasil no final de 1990. Em 30 de dezembro deste ano o Sistema Móvel Celular (SMC) começou a

Leia mais

REVISTA ACADÊMICA DA FACULDADE FERNÃO DIAS

REVISTA ACADÊMICA DA FACULDADE FERNÃO DIAS A INFLUÊNCIA DA SEGMENTAÇÃO DE MERCADO NO POSICIONAMENTO E NO BRAND EQUITY DE MARCAS E PRODUTOS Rubens Gomes Gonçalves (FAFE/USCS) * Resumo Muitos autores têm se dedicado a escrever artigos sobre uma das

Leia mais

Programa de Comunicação Interna e Externa

Programa de Comunicação Interna e Externa Programa de Comunicação Interna e Externa Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Comunicação Interna e Externa das Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP pretende orientar a execução

Leia mais

Política de. [ comunicação] Forluz

Política de. [ comunicação] Forluz Política de [ comunicação] Forluz Índice Apresentação...4 Missão da Forluz...5 Condições para aplicação deste documento...6 Objetivos da Política de Comunicação...7 Diretrizes da Política de Comunicação...8

Leia mais

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira.

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 1 PROJETO SETORIAL INTEGRADO BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 2 Introdução O Ministério da Cultura, sugeriu a Fundação

Leia mais

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho Pesquisa Semesp A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho 2008 Ensino superior é um forte alavancador da carreira profissional A terceira Pesquisa Semesp sobre a formação acadêmica dos profissionais

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

Metodologia de Comunicação Integrada de Marketing o caso Orium

Metodologia de Comunicação Integrada de Marketing o caso Orium Metodologia de Comunicação Integrada de Marketing o caso Orium Luciano Mattana (UNIFRA) lucianomattana@unifra.br Greice de Bem Noro (UNIFRA) greice@unifra.br Milena Marinho Mottini (UNIFRA) milleninhamm@hotmail.com

Leia mais

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00 FICHA DE ADESÃO Por esta Ficha de adesão, solicito meu ingresso como associado da ABRIMPE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCENTIVO E MELHORIA EM PROJETOS EMPRESARIAIS, EMPREENDEDORISMO E EDUCACIONAL, comprometendo-me

Leia mais

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE GEduc 2012 - Novos Rumos para a Gestão Educacional Pág 1 Temas Pressupostos teórico-metodológicos As necessidades

Leia mais

4. Mercado de Telefonia Móvel

4. Mercado de Telefonia Móvel 70 4. Mercado de Telefonia Móvel Tendo em vista que este estudo de caso é de uma empresa de telefonia móvel, torna-se relevante que seja abordada a evolução histórica da telefonia móvel no Brasil, suas

Leia mais

Projetos culturais: desenvolvimento, captação e gestão

Projetos culturais: desenvolvimento, captação e gestão Projetos culturais: desenvolvimento, captação e gestão Módulo 4: Captação de recursos (parte 1) André Fonseca Santo André / maio 2009 Captação de recursos Fases anteriores à captação Preparação do projeto

Leia mais

Especialização em Marketing Digital - NOVO

Especialização em Marketing Digital - NOVO Especialização em Marketing Digital - NOVO Apresentação Previsão de Início Agosto/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O ambiente de negócios tem sido modificado pelas Novas Tecnologias da

Leia mais

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes Capítulo 16 e administração de comunicações integradas de marketing Objetivos Aprender quais são as principais etapas no desenvolvimento de um programa eficaz de comunicações integradas de marketing. Entender

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE SATISFAÇÃO E FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE: O CASO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

REFLEXÕES SOBRE SATISFAÇÃO E FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE: O CASO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR 1300 REFLEXÕES SOBRE SATISFAÇÃO E FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE: O CASO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR José Eduardo Fernandes 1, Silmara Pereira Brites de Moura 2, Caroline Kraus Luvizotto 3 1 Discente do

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ

LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ Alexandra Cardoso da Rosa Bittencourt 1 ; Rogério

Leia mais

3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil. realização:

3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil. realização: www.significa.com.br 3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil 2006 realização: Método e amostra Pesquisa quantitativa Entrevistas telefônicas Questionário estruturado Período

Leia mais

Pesquisa de Gestão e Capacitação Organizacional no 3º Setor principais conclusões. novembro 2012. apoio

Pesquisa de Gestão e Capacitação Organizacional no 3º Setor principais conclusões. novembro 2012. apoio Pesquisa de Gestão e Capacitação Organizacional no 3º Setor principais conclusões novembro 2012 apoio 2 do CEO Carta do CEO A pesquisa levanta questões interessantes relativas à sustentabilidade e à boa

Leia mais

Título: Gestão dos custos em Micro e Pequenas empresas

Título: Gestão dos custos em Micro e Pequenas empresas Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão de Projetos - Turma nº150 31/08/2015 Título: Gestão dos custos em Micro e Pequenas empresas Geanderson Geraldo Silva Oliveira geandersongg@yahoo.com.br

Leia mais

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso.

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. 1 Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. Daiane Maria ALONGE 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 Resumo Com a atual concorrência, entender os desejos

Leia mais

Mercado projeta crescimento sólido

Mercado projeta crescimento sólido Indicadores Mercado projeta crescimento sólido Receitas de serviços de Marketing Direto em 2009 atingem R$ 21,7 bilhões e crescem 11,3% com relação ao ano anterior. Projeção do mercado é de evolução de

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

2 Referencial prático

2 Referencial prático 2 Referencial prático Este capítulo é composto de quatro seções, com o objetivo de apresentar o histórico e situar o atual ambiente competitivo de telecomunicações no Brasil, com destaque para ações voltadas

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Você quer falar. MídiaKit 2015. de duas rodas? É fácil! andando na frente

Você quer falar. MídiaKit 2015. de duas rodas? É fácil! andando na frente Você quer falar com o segmento de duas rodas? É fácil! MídiaKit 2015 Use a REVISTA DUAS RODAS Muito mais que uma revista 40 Anos andando na frente Liderança Absoluta de ponta a ponta A história de Duas

Leia mais

EVENTO COM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DIRECIONADAS PARA EMPREENDEDORES

EVENTO COM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DIRECIONADAS PARA EMPREENDEDORES EVENTO COM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS DIRECIONADAS PARA EMPREENDEDORES A Feira do Empreendedor é promovida pelo Sebrae desde 1992 em todos os estados do país. É considerado o maior evento presencial de

Leia mais

Pós Graduação em Gestão do Entretenimento

Pós Graduação em Gestão do Entretenimento Pós Graduação em Gestão do Entertainment Business Management Público - alvo Indicado para profissionais e empreendedores que necessitam de habilidades e ferramentas para a atuação no setor de gestão, nas

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

5 Conclusão e discussões

5 Conclusão e discussões 5 Conclusão e discussões O presente estudo procurou entender melhor o universo dos projetos de patrocínio de eventos, principalmente com o objetivo de responder a seguinte questão: quais são as principais

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

Pós-Graduação em Comunicação Organizacional Integrada

Pós-Graduação em Comunicação Organizacional Integrada Pós-Graduação em Comunicação Organizacional Integrada Público-alvo Indicado para profissionais de comunicação organizacional, relações públicas, assessores de comunicação, gestores de comunicação, bem

Leia mais

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Apresentação Previsão de Início Julho/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O curso de Comunicação Organizacional

Leia mais

A pesquisa acadêmica stricto sensu no Brasil sobre a inteligência competitiva

A pesquisa acadêmica stricto sensu no Brasil sobre a inteligência competitiva A pesquisa acadêmica stricto sensu no Brasil sobre a inteligência competitiva Sandely Fernandes de Araújo (UFRN) sandely.araujo@pep.ufrn.br Anatália Saraiva Martins Ramos (UFRN) anatalia@pep.ufrn.br Resumo

Leia mais

Espaços Culturais como estratégia de comunicação de marca

Espaços Culturais como estratégia de comunicação de marca Espaços Culturais como estratégia de comunicação de marca Casos: Oi, Vivo, Citibank e HSBC Objetivos a. Analisar as estratégias de comunicação das empresas que utilizam os espaços culturais do Rio de Janeiro

Leia mais

CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014

CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014 CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014 O Rio ao Vivo é a primeira plataforma de transmissão online, em tempo real,com imagens de alta qualidade dos locais mais movimentados do Rio de Janeiro para o mundo.

Leia mais

Nem tanto ao céu, nem tanto a terra: limites e possibilidades da lei de incentivo fiscal à cultura

Nem tanto ao céu, nem tanto a terra: limites e possibilidades da lei de incentivo fiscal à cultura Nem tanto ao céu, nem tanto a terra: limites e possibilidades da lei de incentivo fiscal à cultura Marcelo Gruman * Resumo: O artigo reflete sobre o papel das leis de incentivo fiscal como instrumento

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DE LANÇAMENTO DO NOVO PRODUTO CONEXÃO À INTERNET EM BANDA LARGA 3G COM IP PROFISSIONAL

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DE LANÇAMENTO DO NOVO PRODUTO CONEXÃO À INTERNET EM BANDA LARGA 3G COM IP PROFISSIONAL REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DE LANÇAMENTO DO NOVO PRODUTO CONEXÃO À INTERNET EM BANDA LARGA 3G COM IP PROFISSIONAL 1. Das Partes, das Definições da Promoção: 1.1. 14 BRASIL TELECOM CELULAR S.A., autorizatária

Leia mais

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação Manual Como elaborar uma estratégia de comunicação Índice Introdução Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação. Passo 2 - Defina os alvos da comunicação Passo 3 - Estabeleça os objetivos da comunicação

Leia mais

MBA em Gestão do Entretenimento

MBA em Gestão do Entretenimento MBA em Gestão do Entretenimento Entertainment Business Management Início em 25 de setembro de 2015 Aulas as quarta e sexta, das 7h às 9h Valor do curso: R$ 21.600,00 À vista com desconto: R$ 20.520,00

Leia mais

O patrocínio como estratégia de investimento no esporte

O patrocínio como estratégia de investimento no esporte O patrocínio como estratégia de investimento no esporte Prof. Helcio M. Rodrigues Projeto apresentado ao Centro de Pós-Graduação e Pesquisa das Faculdades Metropolitanas Unidas RESUMO Este trabalho tem

Leia mais

As Categorias Comparadas

As Categorias Comparadas Capítulo 2 As Categorias Comparadas Ao aplicar e analisar as respostas aos instrumentos do Diagnóstico da Extensão Universitária Brasileira 2005, a CPAE concluiu pela viabilidade de realizar um estudo

Leia mais

4/2/2008. 2) Tomar grandes decisões = 1)Analisar a situação externa e interna. Leitura do mercado e das condições internas da organização

4/2/2008. 2) Tomar grandes decisões = 1)Analisar a situação externa e interna. Leitura do mercado e das condições internas da organização PLANO DE MARKETING Ferramenta importante do plano estratégico de uma empresa. Deve estar em perfeita sintonia com os objetivos estabelecidos pela empresa. É um passo para a elaboração do PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL índice APRESENTAÇÃO...3 POLíTICA DE PATROCíNIOS DA VOLVO DO BRASIL...3 1. Objetivos dos Patrocínios...3 2. A Volvo como Patrocinadora...3 3. Foco de Atuação...4

Leia mais

MIDIA KIT 2015 www.naporteiracast.com.br

MIDIA KIT 2015 www.naporteiracast.com.br MIDIA KIT 15 www.naporteiracast.com.br O QUE É PODCAST? O termo podcast é a junção das palavras ipod (dispositivo de reprodução de arquivos digitais fabricado pela Apple) e broadcast (transmissão, em inglês).

Leia mais

Por que ouvir é fundamental.

Por que ouvir é fundamental. Por que ouvir é fundamental. Apresentação GRUPO ATTITUDE SA Líder na América Latina em comunicação de negócios e construção de relacionamentos para incremento da reputação Atuação no âmbito estratégico

Leia mais

O / 4 FAIXA ETÁRIA SEXO 1.5% 0.2% 6.1% 0.2% 13.5% 25.8% 52.6% 407 entrevistas foram realizadas nos dias 27 e 28 de janeiro de 2010. Feminino.

O / 4 FAIXA ETÁRIA SEXO 1.5% 0.2% 6.1% 0.2% 13.5% 25.8% 52.6% 407 entrevistas foram realizadas nos dias 27 e 28 de janeiro de 2010. Feminino. A TERCEIRA EDIÇÃO DA CAMPUS PARTY BRASIL, REALIZADA EM SÃO PAULO ENTRE OS DIAS 25 E 31 DE JANEIRO DE 2010, REUNIU QUASE 100 MIL PARTICIPANTES PARA DISCUTIR AS TENDÊNCIAS DA INTERNET E DAS MÍDIAS DIGITAIS.

Leia mais

Este briefing contém atividades que deverão ser desenvolvidas durante o convênio supracitado.

Este briefing contém atividades que deverão ser desenvolvidas durante o convênio supracitado. Briefing Prestação de Serviços de Comunicação e Marketing para o Instituto Nacional do Plástico Programa de Incentivo à Exportação Think Plastic Brazil Introdução Este briefing propõe e organiza as ações

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 03/08/2010 Pág.01 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Política de Comunicação da CEMIG com a Comunidade explicita as diretrizes que

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Brasil Telecom. Gigantes dos Mercados Emergentes UBS Warburg. Dezembro de 2002

Brasil Telecom. Gigantes dos Mercados Emergentes UBS Warburg. Dezembro de 2002 Brasil Telecom Gigantes dos Mercados Emergentes UBS Warburg Dezembro de 2002 1 OSetor de Telecomunicações no Brasil 2 Empresas de Telefonia Fixa Região IV (Somente Longa Distância) Preço Mínimo: US$1.548

Leia mais

3 Apresentação do caso

3 Apresentação do caso 3 Apresentação do caso Neste capítulo será contextualizado o mercado de telefonia móvel no Brasil, com a descrição dos principais concorrentes e a participação de mercado de cada um deles, a apresentação

Leia mais

Indústria do Esporte. Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual

Indústria do Esporte. Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual Indústria do Esporte Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual Abril 2011 Futebol, a maior paixão dos brasileiros Potencial mercadológico atual A BDO RCS, por meio de sua área

Leia mais

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA João Antonio Jardim Silveira 1 Amilto Muller ¹ Luciano Fagundes da Silva ¹ Luis Rodrigo Freitas ¹ Marines Costa ¹ RESUMO O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

Relações com Investidores. Thiago Almeida Ribeiro da Rocha

Relações com Investidores. Thiago Almeida Ribeiro da Rocha Relações com Investidores Thiago Almeida Ribeiro da Rocha I IBRI - Instituto Brasileiro de Relações com Investidores "...é uma associação sem fins econômicos,... criada em junho de 1997 com o objetivo

Leia mais

Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial

Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu e MBA Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias Março e Abril de 2014 Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias Planejamento Estratégico

Leia mais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais SDL Campaign Management & Analytics Introdução Prezado profissional de marketing, A ideia de

Leia mais

03 e 04 de agosto Passo Fundo. O poder da. Liderança. na superação de. resultados

03 e 04 de agosto Passo Fundo. O poder da. Liderança. na superação de. resultados 03 e 04 de agosto Passo Fundo O poder da Liderança na superação de resultados O poder da Liderança na superação de resultados O CONGREGARH Conexão 2016 terá como pauta dois temas fundamentais no ambiente

Leia mais

Pós-Graduação em Comunicação Organizacional Integrada

Pós-Graduação em Comunicação Organizacional Integrada Pós-Graduação em Comunicação Organizacional Início em 28 de Abril de 2016 Aulas as terças e quintas, das 7h às 9h30 Valor do curso: R$ 18.130,00 À vista com desconto: R$ 16.679,00 Consultar planos de parcelamento.

Leia mais

PROPOSTA DE ESTRUTURAÇÃO

PROPOSTA DE ESTRUTURAÇÃO U N I R I O UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REITORA MALVINA TUTTMAN PROPOSTA DE ESTRUTURAÇÃO COORDENAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (COMSO) Fernanda Soares Coordenadora Gabriel Melo Assistente

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL E VOLUNTARIADO EMPRESARIAL. A contribuição do trabalho voluntário na Responsabilidade Social

RESPONSABILIDADE SOCIAL E VOLUNTARIADO EMPRESARIAL. A contribuição do trabalho voluntário na Responsabilidade Social RESPONSABILIDADE SOCIAL E VOLUNTARIADO EMPRESARIAL A contribuição do trabalho voluntário na Responsabilidade Social Ana Paula P. Mohr Universidade do Vale do Rio dos Sinos ana.mohr@gerdau.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas. Copyright 2006 by Pearson Education

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas. Copyright 2006 by Pearson Education Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Propaganda Qualquer forma paga de apresentação não pessoal e promocional

Leia mais

REGIME: Sociedade por ações de capital fechado, economia mista e com personalidade jurídica de direito privado

REGIME: Sociedade por ações de capital fechado, economia mista e com personalidade jurídica de direito privado Autorização Legislativa - Lei nº 12.439 de 18 de outubro de 2007 Assembleia de Fundação em 14/12/2007 REGIME: Sociedade por ações de capital fechado, economia mista e com personalidade jurídica de direito

Leia mais

REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO

REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO REGIMENTO DO CENTRO DE PESQUISA - CEPESq CAPÍTULO I DA SEDE E FORO Artigo 1º - O CENTRO DE ENSINO E PESQUISA CEPESq PROF. PASQUALE CASCINO com sede e foro na cidade de São Paulo, à Avenida João Dias, 2046

Leia mais

FAQ (Frequently Asked Questions) PERGUNTAS FREQUENTES

FAQ (Frequently Asked Questions) PERGUNTAS FREQUENTES 1. Onde faço a inscrição dos meus projetos? No site www.oifuturo.org.br. 2. Há alguma forma de fazer inscrição dos projetos por outro meio? Não, somente online. Os anexos não serão aceitos por correio.

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS PLANEJAMENTO PARA ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA 1º SEMESTRE DE 2016 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em 1944 com o objetivo de preparar profissionais bem

Leia mais

5. Estudo de Caso: SomLivre.Com

5. Estudo de Caso: SomLivre.Com 5. Estudo de Caso: SomLivre.Com 5.1. Metodologia Os dados que serão descritos neste estudo referem-se à empresa SomLivre.Com, compreendido no período de Setembro de 1999 à Novembro de 2004. Com intuito

Leia mais

Plano de Marketing: um diferencial competitivo

Plano de Marketing: um diferencial competitivo Plano de Marketing: um diferencial competitivo O Marketing é responsabilidade de TODA a Instituição. Processo criterioso para elaboração de um Plano de Marketing Missão, Objetivos e Metas Identidade e

Leia mais

PORTFÓLIO INSTITUCIONAL

PORTFÓLIO INSTITUCIONAL PORTFÓLIO INSTITUCIONAL Fundada em 01/08/2006 a PILLAR ASSESSORIA EMPRESARIAL LTDA - ME é uma empresa formada por profissionais capacitados, com o objetivo de prestar assessoria em serviços técnicos e

Leia mais

CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY

CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY Instrumental e modular, o Ferramentas de Gestão é uma oportunidade de aperfeiçoamento para quem busca conteúdo de qualidade ao gerenciar ações sociais de empresas

Leia mais

Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento

Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento Sumário XXI EDIÇÃO DO CONGRESSO FENABRAVE TERMINA COM PREVISÃO OTIMISTA PARA

Leia mais

Forma de coleta e período. Apresentação dos dados. Realização FSB Pesquisa.

Forma de coleta e período. Apresentação dos dados. Realização FSB Pesquisa. Forma de coleta e período Nesta pesquisa exploratória, as entrevistas foram pessoais e telefônicas, tendo sido realizadas entre 25 de novembro de 2014 e 10 de abril de 2015. As entrevistas com os líderes

Leia mais

MEETING DO MARKETING

MEETING DO MARKETING MEETING DO MARKETING Reputação Corporativa Ativo com Resultados Tangíveis Cristina Panella Cristina Panella Setembro Pág1 2007 Toda empresa funciona num meio ambiente de públicos Philip Kotler Pág2 Tipos

Leia mais

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale 1.1 Histórico da Prática Eficaz Por meio do Departamento

Leia mais

MODA SUSTENTÁVEL E CONSUMIDORES OSKLEN 1. Lílian Gonring CASOTTI 2 Vanessa Melo TORRES 3 Faculdades Integradas de São Pedro, Vitória, ES

MODA SUSTENTÁVEL E CONSUMIDORES OSKLEN 1. Lílian Gonring CASOTTI 2 Vanessa Melo TORRES 3 Faculdades Integradas de São Pedro, Vitória, ES MODA SUSTENTÁVEL E CONSUMIDORES OSKLEN 1 Lílian Gonring CASOTTI 2 Vanessa Melo TORRES 3 Faculdades Integradas de São Pedro, Vitória, ES RESUMO Falar de sustentabilidade se tornou comum em tempos que o

Leia mais

A importância da identidade visual e do uso da marca na comunicação empresarial *

A importância da identidade visual e do uso da marca na comunicação empresarial * A importância da identidade visual e do uso da marca na comunicação empresarial * 1 Taís Moscarelli Corrêa Resumo: Este artigo busca relacionar questões sobre marca e identidade visual como fatores de

Leia mais

Comunicação Institucional Visão de Futuro

Comunicação Institucional Visão de Futuro Comunicação Institucional Visão de Futuro Organograma Presidente Comunicação Institucional Assistente Imagem Corporativa e Marcas Comitê Estratégico Imprensa Planejamento e Gestão Atendimento e Articulação

Leia mais

Mostra de Projetos 2011

Mostra de Projetos 2011 Mostra de Projetos 2011 ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE UM PROJETO DE RECICLAGEM NA ÁREA DA INFORMÁTICA UMA DISCUSSÃO SOBRE O LIXO ELETRÔNICO NO MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON, PR. Mostra

Leia mais

perfil São utilizadas modernas ferramentas, atuantes nas seguintes áreas: Formatação de ações culturais, ambientais e sociais;

perfil São utilizadas modernas ferramentas, atuantes nas seguintes áreas: Formatação de ações culturais, ambientais e sociais; perfil A D'color Produções Culturais é uma empresa que tem como objetivo assessorar, planejar e executar projetos ambientais, sociais e culturais, em parceria com instituições, produtoras e artistas dos

Leia mais

Curso EDUCANDO PARA A TRANSPARÊNCIA

Curso EDUCANDO PARA A TRANSPARÊNCIA Curso EDUCANDO PARA A TRANSPARÊNCIA Iniciando a caminhada... AFINAL DE CONTAS O QUE É O TERCEIRO SETOR? 1. O conceito de Terceiro Setor 2. Breve retrato do Terceiro Setor 3. Inserção das Organizações da

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES Brasília, janeiro/2011 Objetivos específicos da pesquisa 2 Avaliar a quantidade e a qualidade da rede credenciada. Avaliar os serviços oferecidos: o Plano CASSI Família

Leia mais

CRT Celular - Telecomunicações CRTC

CRT Celular - Telecomunicações CRTC Crt Celular 20/Jun/2006 Obs: No dia 31 de maio de 2006, a Bovespa cancelou o registro para negociação dos valores mobiliários de emissão da empresa CRT Celular, em razão da mesma ter sido incorporada pela

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

Inovação nas Médias Empresas Brasileiras

Inovação nas Médias Empresas Brasileiras Inovação nas Médias Empresas Brasileiras Prof. Fabian Salum 2012 Com o intuito de auxiliar no desenvolvimento estratégico e na compreensão da importância da inovação como um dos possíveis diferenciais

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Capítulo 18 Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Questões abordadas no capítulo Quais são as etapas envolvidas

Leia mais

Proposta Comercial. Guia Colaborativo de Informações Educacionais Proposta Comercial Rede de Cursos. www.rededecursos.com.br

Proposta Comercial. Guia Colaborativo de Informações Educacionais Proposta Comercial Rede de Cursos. www.rededecursos.com.br Proposta Comercial Guia Colaborativo de Informações Educacionais Proposta Comercial Rede de Cursos SOBRE O PORTAL O Portal Rede de Cursos é um guia que visa reunir os mais importantes Cursos, Eventos e

Leia mais

Imaginar que ações de marketing estratégico, MARKETING ESTRATÉGICO É BOM E FAZ CRESCER JOSÉ LUPOLI JR. Entrevista

Imaginar que ações de marketing estratégico, MARKETING ESTRATÉGICO É BOM E FAZ CRESCER JOSÉ LUPOLI JR. Entrevista Entrevista JOSÉ LUPOLI JR. MARKETING ESTRATÉGICO É BOM E FAZ CRESCER As entidades gestoras de fundos de pensão deveriam divulgar seus produtos, suas vantagens competitivas e, principalmente, as vantagens

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES EDITAL 2015/2016 SELEÇÃO NACIONAL DE PROJETOS CULTURAIS

PERGUNTAS FREQUENTES EDITAL 2015/2016 SELEÇÃO NACIONAL DE PROJETOS CULTURAIS 1. Onde faço a inscrição dos meus projetos? No site www.oifuturo.org.br 2. Há alguma forma de fazer inscrição dos projetos por outro meio? Não, somente online. 3. Não consigo abrir o formulário de inscrição.

Leia mais

Carga horária e duração. O curso tem carga horária de 360 horas/aula. Duração: aproximadamente 24 meses Horário: terças e quintas 7h às 9h30

Carga horária e duração. O curso tem carga horária de 360 horas/aula. Duração: aproximadamente 24 meses Horário: terças e quintas 7h às 9h30 Pós-Graduação em Gestão do Entretenimento Público-alvo Indicado para profissionais que atuam com entretenimento e cultura tanto em produtoras de cinema, de eventos e de conteúdo, centros culturais, consultorias

Leia mais

Palavras-chave Ação social, Comunicação, Investimento social privado, Responsabilidade Social

Palavras-chave Ação social, Comunicação, Investimento social privado, Responsabilidade Social Título Desafios na Comunicação da Ação Social Privada 1 Autores Prof. Dr. Paulo Nassar, professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e presidente da ABERJE Associação Brasileira

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada 4 1 Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas com os seus públicos de relacionamento,

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada 5 1. Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas

Leia mais