B o l e t i m I n f o r m a t i v o

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "B o l e t i m I n f o r m a t i v o"

Transcrição

1 B o l e t i m I n f o r m a t i v o Organização King Contabilidade Ltda. King Imóveis Ltda. King Contabilidade Ltda. Junho/ Ed. 248 Orientações do Mentor (119) Hatiro Shimomoto Uso e Bons Costumes Destaques Comércio Eletrônico Regras específicas. pág. 2 TFA / TFE Orientações. pág. 4 ECD / FCONT Saiba mais. pág. 5 FCI - Ficha de Conteúdo de Importação Nova prorrogação. pág. 6 Vale-Transporte / Aviso Prévio Principais dúvidas. pág. 7 Índice Notícias Jurídicas 02 Assessoria 04 Legalização 04 Contábil 05 Financeiro 05 Fiscal 06 Logística e Serviços 07 Pessoal 07 Agenda Fiscal 08 Para ter sucesso na sua atividade ou na vida, é preciso ter bons costumes, que sejam do agrado das pessoas que estão ao seu redor. Se algo que o agrade é prejudicial ou não é aceito por outras pessoas, não podem ser considerados como sendo bons costumes. Não basta estar de acordo com o seu pensamento, é preciso ser humilde e ser aceito por todos e, principalmente que seja bom para a Sociedade e para o País. Qualquer pessoa para viver em harmonia no meio ambiente ao seu redor é preciso ser bem quisto por todos e para ser querido e respeitado, é preciso estar de acordo com a vontade da maioria. Para isso é necessário que os atos praticados sejam bons para cada cidadão e que seja bom para a sociedade e que também seja benéfico para o País. Ora vejam como exemplo, por que a Inglaterra adotou como sua constituição os usos e bons costumes? Foram feitos muitas leis, normas, princípios, alguns escritos e outros não escritos e desde os idos tempos de 1215 até os dias atuais estão em uso, sendo respeitados e cumpridos por todos os cidadãos. É um povo que respeita as Leis, seus princípios e administra vários territórios: Inglaterra, suas Colônias e Ilhas. E ele tem como sua constituição não escrita, o princípio dos usos e bons costumes, que sejam bons para a sociedade. O seu hino God save the Queen é uma reverência à Sua Rainha. Assim não é necessário escrever muito, para punir e fazer respeitar o seu semelhante. O Japão possui também seus usos e bons costumes. Uma pessoa inicia o diálogo com outra pessoa pedindo desculpas: Desculpe-me, por favor, o senhor poderia me informar?, ou Desculpe-me pela intromissão, seria possível me confirmar as horas?, ou Desculpe-me, por favor, o senhor poderia me pegar tal coisa?. Em casos de acidente: Desculpe-me o transtorno, mas podemos conversar?, evitando com isso causar um impacto inicial de começar uma discussão, atribuindo culpa uns aos outros. Assisti a um programa de TV, no qual teve uma pergunta interessante em que foi indagado por que o japonês tem o costume de pedir desculpas sempre. É um costume que harmoniza qualquer situação, evitando muito as brigas corriqueiras. Da mesma forma nos Estados Unidos, para se dirigir a outra pessoa, começa assim: Excuse me Please, ou seja, Desculpe-me, por favor. Desse modo, o povo brasileiro pode transformar a sociedade fazendo uso de bons costumes e os senhores empresários, podem melhorar a imagem da vossa empresa, treinando os seus colaboradores na utilização de bons costumes. (DDR-c/ 30 troncos) Fone: (11) Fax: (11)

2 Notícias Jurídicas Regras para Comércio Eletrônico Decreto Federal nº 7.962/2013 A partir de , consumidores de sites de compras coletiva ganharam regras específicas para comprar produtos e contratar serviços. Essas lojas on-line ficam obrigadas a detalhar a oferta com informações sobre a quantidade mínima de vendas para efetivação do contrato, o prazo para utilização da oferta e a identificação do fornecedor do produto à venda, entre outras questões. O Decreto vem para aperfeiçoar os direitos dos consumidores e reduzir os conflitos de consumo, ampliando o acesso à informação, especificando regras para as compras coletiva e obrigando os sites a dar informações sobre quem vende e as condições de compra. A identificação do nome empresarial e localização física do fornecedor, agora, são obrigatórias. O mesmo acontece com a especificação detalhada das características do produto em relação a riscos à saúde e à segurança ou a despesa adicionais e acessórias, como o frete. Em caso de descumprimento das regras estabelecidas pelo Decreto, o fornecedor estará sujeito às penalidades previstas no art. 56, do Código de Defesa do Consumidor, que vai de multa até a interdição total ou parcial de estabelecimento. Os sites de compras coletiva estão obrigados a oferecer, serviço de atendimento on-line para o cliente tirar dúvidas sobre a compra durante a operação, fazer reclamações ou solicitar o cancelamento do contrato dentro do prazo para arrependimento de compra estabelecido pelo CDC para o comércio realizado fora de estabelecimento comercial - que é de até sete dias após o recebimento do produto - sem ônus. As regras para sites de compras coletiva são um grande ganho, principalmente porque os consumidores, antes de finalizar a compra, terão acesso a um contrato resumido do negócio, que poderão imprimir e analisar item a item. O fornecedor de qualquer site de compra que teve uma compra cancelada pelo consumidor terá de comunicar imediatamente a instituição financeira responsável pela cobrança ou administradora do cartão de crédito para que a transação não seja lançada na fatura do consumidor ou seja efetivando o estorno do valor, caso o lançamento já tenha sido feito. Fonte: AASP Ameaças das Redes Sociais Cuidado! É um desafio distinguir o perfil verdadeiro das imitações em sites como o Facebook e o Twitter. A novidade é que, com a relevância crescente das redes sociais, essas práticas passaram a atingir empresas e suas marcas. Além de perfis falsos, o movimento inclui a invasão das páginas de verdade de muitas empresas nos sites de relacionamento, como, por exemplo, a invasão praticada por hackers no jornal britânico Financial Times no Twitter. O grupo - autodenominado Exército Eletrônico Sírio - declarou-se ligado a Bashar AL-Assad, Presidente da Síria. Entre outras mensagens, os hackers publicaram um link para um vídeo no Youtube, que mostrava pessoas vendadas sendo, aparentemente, executadas. Há pouco menos de um mês, a conta da agência Associated Press (AP) no Twitter também foi invadida. Os responsáveis pela ação publicaram uma mensagem sobre duas EXPEDIENTE Boletim Informativo King é uma publicação mensal da Organização King de Contabilidade, com distribuição interna dirigida aos seus clientes. DDR: (011) Fax: (011) Rua Cel. Meireles, 170/186 - CEP Diretor Presidente Hatiro Shimomoto Diretor Vice-presidente e Diretor Administrativo Márcio Massao Shimomoto Diretor Técnico Ricardo Terumi Umeda Administração, Projeto Gráfico, Diagramação, Editoração e Ilustração: Inventy Editora Ltda. Tel.: (011) Tiragem: exemplares Impressão: Grafica Mil Folhas Os artigos são de responsabilidade de seus autores e não representam,necessariamente, a opinião da King. Reproduções são permitidas desde que citada a fonte. 2 Junho/2013 Filiada

3 explosões na Casa Branca, que teriam deixado o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ferido. Como consequência, as bolsas de valores chegaram a ter uma queda expressiva em reação à falsa notícia. Por sua extensão, os dois incidentes tiveram ampla repercussão, mas casos menos ruidosos tem ocorrido em vários países, inclusive no Brasil. Recentemente, um hospital brasileiro teve seu perfil no Facebook invadido. A página foi usada para divulgar uma suposta epidemia na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da instituição. Em poucas horas, a mensagem teve 127 compartilhamentos no Facebook e no Twitter. Uma investigação conduzida pelo perito mostrou que a pessoa responsável pela invasão havia sido contratada por um hospital concorrente. Constata-se que mais da metade dos casos envolve um ex-funcionário, que age por conta própria ou a mando de uma companhia rival. Uma parcela menor está ligada a consumidores, que investem na criação de perfis falsos para arranhar a imagem de empresas pelas quais se sentiram lesados. Outro caso recente envolveu uma rede de supermercados. O perfil da companhia no Facebook foi invadido e usado para publicar fotos de produtos estragados e expostos a ratos (montagens feitas por meio de softwares de edição de imagens). Denegrir a imagem não é o único intuito dos criminosos digitais. Muitas vezes, o objetivo é fazer uma espécie de pirataria digital. O conteúdo do site oficial de uma empresa é usado em um perfil falso para desviar a clientela da marca. É preciso monitoramento por meio de softwares analíticos de tudo o que é publicado sobre seus clientes na internet, em especial, nas redes sociais. Alguns cuidados são fundamentais para prevenir-se de invasões, dizem os especialistas. Segundo Fernando Junho/2013 Mercês, da empresa de segurança digital Trend Micro, quem administra o perfil da empresa nas redes sociais deve ter especial cautela sobre o uso de redes sem fio. Em um evento, por exemplo, não dá para confiar em redes abertas. Essa pode ser uma porta para que um criminoso roube os dados de acesso, afirmou Mercês. Os softwares que disparam o mesmo conteúdo para diversas redes sociais simultaneamente, são outros aspectos que merecem atenção, recomenda o especialista. Fonte: AASP Julgamento no Supremo Tribunal Federal - Receita de Exportação é Imune a Pis e Cofins O Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu que as receitas de exportação decorrentes da variação cambial não devem ser tributadas pelo Programa de Integração Social (PIS) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS). A decisão, tomada por unanimidade, negou provimento ao Recurso Extraordinário (RE) , no qual a União questionava acórdão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) favorável a uma indústria paranaense do ramo ceramista. A União alegava que as referidas receitas obtidas por meio da variação cambial são de natureza financeira, portanto tributáveis, não se confundindo com aquelas decorrentes da exportação. Para o contribuinte, a imunidade tributária assegurada pela Constituição Federal alcançaria as receitas decorrentes direta e indiretamente das exportações, sendo este último o caso das receitas oriundas da variação cambial. A relatora, Ministra Rosa Weber, entendeu que as receitas de variação cambial em questão são decorrentes da exportação e estão sujeitas à regra de imunidade tributária estabelecida no artigo 149, parágrafo 2º, inciso I, da Constituição Federal. Em seu voto, observou que a variação cambial decorre da diferença do valor da moeda estrangeira entre o momento do fechamento de um contrato de câmbio com a empresa exportadora e uma instituição financeira e o momento da liquidação desse contrato, em que a moeda estrangeira é entregue à instituição. Nesse meio tempo, pode haver uma variação cambial positiva, gerando ganho ao exportador ou negativa, gerando perda. Uma eventual variação entre fechamento e a liquidação do contrato constituiria ainda receita de exportação. A meu juízo, são receitas decorrentes de exportação. O contrato de câmbio é inerente, é etapa inafastável do processo de exportação de bens e serviços, pois todas as transações com residentes no exterior consistem na troca de moedas, afirmou Rosa Weber. Ela observa ainda que essa operação deve obrigatoriamente passar por uma instituição financeira, uma vez que o exportador não está autorizado a receber em moeda estrangeira. Ao assumir esse entendimento, estendendo a desoneração a todas as receitas que tem sua causa na exportação inclusive as suas consequências financeiras seria assegurada a desoneração completa dessas operações, garantindo que as empresas exportem produtos, e não tributos, finalizou a Ministra. 3

4 Assessoria Elvira Deonila de Carvalho DDR: Prazo para Obtenção de Licença Condicionada é Prorrogado para 2014 A Prefeitura de São Paulo, através da Lei /2013, prorrogou para o prazo para a solicitação do Auto de Licença de Funcionamento Condicionado, documento que permite às empresas instaladas em imóveis sem o alvará continuarem com as portas abertas enquanto buscam a regularização. Tem validade de dois anos, que podem ser prorrogados por mais dois. Criado pela Lei /2011, a Licença Condicionada permite a regularização provisória de empresas com atividades comerciais, industriais, institucionais e de prestação de serviços da cidade de São Paulo, o que para o empreendedorismo é uma boa oportunidade para trazer segurança e estabilidade aos negócios. Legalização Emerson de Nardi DDR: TFA Taxa de Fiscalização de Anúncio 2013 Comunicamos aos clientes estabelecidos no Município de São Paulo, que o vencimento da TFA será dia Portanto no transcorrer do mês de junho, estaremos encaminhando pelo Net Contábil ou por , a guia para efetivo recolhimento, a qual também é enviada pela Prefeitura. Para fins de programação de caixa, esclarecemos que a taxa é calculada por anúncio localizado no estabelecimento do contribuinte, cujo valor depende da metragem de cada anúncio, ou seja: 1. Anúncios até 5m 2 de área = R$ 166,86 por anúncio. 2. Acima 5m 2 até 20m 2 de área = R$ 250,30 por anúncio 3. Acima de 20m 2 de área = R$ 500,60 por anúncio. Note-se que a TFA é devida por anúncio. Esclarecemos ainda, que as placas fixas, além do pagamento da TFA anual, também devem ter a Licença do Anúncio (CADAN). No caso de anúncios em veículos próprios o valor da taxa é R$ 100,12 por número de veículo. TFE Taxa de Fiscalização de Estabelecimento Comunicamos aos clientes estabelecidos no Município de São Paulo que o vencimento da TFE será no dia Estaremos encaminhando a respectiva guia no mês de junho através do Net Contábil ou por . Esclarecemos que a base de cálculo será definida pelo código de atividade ou pela quantidade de funcionários existentes no mês de janeiro. O recolhimento será feito pelo menor valor apurado entre as duas formas de cálculo. Boas Vindas aos Novos Clientes CONTALGESSO DECORAÇÕES E CONSTRUÇÕES EIRELI - EPP ELIAS COSTA DE OLIVEIRA ARTEFATOS DE GESSO - ME OFICINA PAULISTA ARTESANATO LTDA - ME 4 Junho/2013

5 Junho/2013 Contábil Neusa Soares de Souza DDR: Escrituração Contábil Digital ECD A Escrituração Contábil Digital (ECD) tem por objetivo, a substituição da escrituração em papel pela escrituração transmitida via arquivo digital. A partir de , estão obrigadas a adotar a ECD, as sociedades empresárias sujeitas à tributação do Imposto de Renda com base no Lucro Real. A ECD será transmitida anualmente até o último dia útil do mês de junho do ano seguinte ao ano-calendário a que se refira a escrituração. O contribuinte que deixar de apresentar, nos prazos fixados, declaração, demonstrativo ou escrituração digital exigidos ou que os apresentarem com incorreções ou omissões, será intimado para apresentá-los ou para prestar esclarecimentos na Secretaria da Receita Federal do Brasil e sujeitar-se-á às seguintes multas: I - por apresentação extemporânea: a - R$ 500,00 (quinhentos reais) por mês-calendário ou fração, relativamente às pessoas jurídicas que, na última declaração apresentada, tenham apurado lucro presumido; b - R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) por mês-calendário ou fração, relativamente às pessoas jurídicas que, na última declaração apresentada, tenham apurado lucro real ou tenham optado pelo auto arbitramento; II - por não atendimento à intimação da Secretaria da Receita Federal do Brasil, para apresentar declaração, demonstrativo ou escrituração digital ou para prestar esclarecimentos, nos prazos estipulados pela autoridade fiscal, que nunca serão inferiores a 45 (quarenta e cinco) dias: R$ 1.000,00 (mil reais) por mês-calendário; III - por apresentar declaração, demonstrativo ou escrituração digital com informações inexatas, incompletas ou omitidas: 0,2% (dois décimos por cento), não inferior a R$ 100,00 (cem reais), sobre o faturamento do mês anterior ao da entrega da declaração, demonstrativo ou escrituração equivocada, assim entendido como a receita decorrente das vendas de mercadorias e serviços. O livro digital deve ser assinado com certificado digital de segurança mínima tipo A3, emitido por entidade credenciada pela Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICPBrasil). Devem ser utilizados somente certificados digitais e-pf ou e-cpf, com segurança mínima tipo A3. Os certificados de pessoa jurídica (e-cnpj ou e-pj) não podem ser utilizados. Controle Fiscal Contábil de Transição FCONT O FCONT (Controle Fiscal Contábil de Transição) é uma escrituração das contas patrimoniais e de resultado, em partidas dobradas, que considera os métodos e critérios contábeis aplicados pela legislação tributária em Portanto, a partir do ano-calendário 2010, estão obrigadas à apresentação do Fcont, as pessoas jurídicas que apurem a base de cálculo do IRPJ pelo lucro real, mesmo no caso de não existir lançamento com base em métodos e critérios diferentes daqueles prescritos pela legislação tributária. O FCONT será transmitido anualmente até o último dia útil do mês de junho. No caso da omissão, as multas sujeitar-se-á às mesmas regras da ECD. IN RFB nº 949/09 Lei nº Financeiro Fátima Cristina Tanaka DDR: Honorários do Mês 06/2013 (Aos Clientes da King) Evite a multa de 10% sobre os honorários em atraso, programando o pagamento ref. mês 06/2013 para o dia , cujos valores poderão ser pagos até o dia Salientamos que, com um mês de atraso, a empresa ficará suspensa da nossa assistência e a inadimplência ficará constando nos dados do S.C.P.C.E. (SERVIÇO CENTRAL DE PROTEÇÃO AO CRÉDITO EMPRESARIAL). Dúvidas, ligar para os tels.: ou

6 Fiscal Patrícia Nobre DDR: Mercadorias Importadas Operações Interestaduais Alíquota do ICMS de 4% Modificações na Legislação e Prorrogação do Prazo de Obrigatoriedade da FCI O Ajuste SINIEF nº 09/2013, publicado no DOU de , revoga o Ajuste SINIEF nº 19/2012, que regulamentou as regras atinentes à aplicação da alíquota de 4% nas operações com mercadorias importadas ou com Conteúdo de Importação superior a 40%, bem como, disciplinou as obrigações acessórias relacionadas. As regras passam a ser regulamentadas segundo as disposições do Convênio ICMS 38/2013, publicado nesta mesma data. A obrigatoriedade de entrega da FCI - Ficha de Conteúdo de Importação - que inicialmente havia sido prorrogada para a partir de , pelo Ajuste SINIEF nº 27/ foi novamente prorrogada, desta vez para Além destas alterações, o referido Convênio ICMS 38/2013 implementa alterações importantes no que tange ao cálculo do Conteúdo de Importação e nas obrigações acessórias relacionadas - em especial no que se refere à necessidade de informação, na NF-e, dos valores praticados quando da informação, deixando de existir tal obrigatoriedade. (será obrigatória a informação somente do percentual do Conteúdo de Importação). Tanto a revogação do Ajuste SINIEF nº 19/2012 quanto às disposições do Convênio ICMS 38/2013 serão válidos a partir da data da ratificação nacional do Convênio ICMS 38/2013. Fonte: Econet Editora Empresarial Lâmpadas Elétricas e Papel Base de Cálculo da ST O Coordenador da Administração Tributária do Estado de São Paulo, através das Portarias n CAT 046/2013 e 047/2013 (DOE ), divulga valores atualizados, a serem utilizados a partir de , para fins da base de cálculo da substituição tributária, respectivamente, para as operações com papel e com lâmpadas. Maiores detalhes consulte nosso departamento Fiscal. Fonte: Econet Editora Empresarial Medicamentos IVA-ST O Coordenador da Administração Tributária do Estado de São Paulo, através da Portaria CAT n 041/2013 (DOE de ), altera o artigo 2º-A da Portaria CAT 137/2011, para prorrogar até os percentuais (IVA-ST) a serem usados na composição da base de cálculo do ICMS devido por substituição tributária. Maiores detalhes consulte nosso departamento Fiscal. Fonte: Econet Editora Empresarial Nota Fiscal Eletrônica Representantes do comércio, agentes do comércio de jornais, revistas O Coordenador da Administração Tributária, através da Portaria CAT nº 051/2013 (DOE de ), alterou a Portaria CAT nº 162/2008, de modo a promover mero ajuste técnico para atualizar a legislação de acordo com os Protocolos ICMS 84/2012 e 173/2012, os quais estabelecem a obrigatoriedade de utilização da Nota Fiscal Eletrônica (NFe), modelo 55, a partir de , para os contribuintes que operam com as seguintes atividades: - Representantes comerciais e agentes do comércio de jornais, revistas e outras publicações - CNAE /03. - Outros representantes comerciais e agentes do comércio especializado em produtos não especificados anteriormente - CNAE /99. - Comércio atacadista de livros, jornais e outras publicações - CNAE /02. Fonte: Econet Editora Empresarial 6 Junho/2013

7 Junho/2013 Logística e Serviços Roberto Kazuhiro Hasegawa DDR: Conceito de DAY TRADE Compra e venda de ações realizadas no mesmo dia Considera-se day trade, a operação ou a conjugação de operações iniciadas e encerradas em um mesmo dia, com o mesmo ativo, em uma mesma instituição intermediadora, em que a quantidade negociada tenha sido liquidada, total ou parcialmente. Na apuração do resultado da operação day trade são considerados, pela ordem, o primeiro negócio de compra com o primeiro de venda ou o primeiro negócio de venda com o primeiro de compra, sucessivamente. Existem algumas diferenças de day trade e operações comuns de vendas de ações: Para as operações comuns de venda de ações, o imposto devido é calculado em 15% e para as day trade essa mesma alíquota é de 20%; É isento do imposto de renda o ganho líquido auferido no mês, na quantia de até R$ ,00, para a day trade não há previsão semelhante; Para as operações comuns, o imposto retido na fonte é determinado pela alíquota de 0,005% sobre o valor da venda, para o esta mesma alíquota é de 1%; O saldo não utilizado do imposto retido na fonte em operações comuns, acumulado ao final de dezembro de um ano, não pode ser deduzido sobre ganhos auferidos em meses do ano calendário seguintes, mas pode ser compensado com o imposto devido na Declaração de Ajuste Anual, já em day trade não existe essa possibilidade. As perdas incorridas em operações de day trade não podem ser compensadas com ganhos líquidos auferidos em operações comuns, as perdas em operações comuns não podem ser compensadas com rendimentos auferidos em operações de day trade. (Lei nº 9.959, de , art. 8º; Lei nº , de , art. 45; Instrução Normativa RFB nº 1.022, de , art. 54) - Fonte: RFB Pessoal Eduardo Marciano dos Santos DDR: Vale Transporte Quem tem direito ao vale-transporte? R.: São beneficiários do vale-transporte, os empregados regidos pela CLT; os empregados domésticos; empregados de subempreiteiro; trabalhadores temporários e atletas profissionais. Existe a obrigatoriedade de atualização anual das informações para manutenção do vale-transporte? R.: Sim, entre as obrigações que o empregado deve cumprir para receber o vale-transporte encontra-se a de informar ao empregador, por escrito, seu endereço residencial e os serviços e meios de transporte mais adequados ao seu deslocamento residência-trabalho e vice-versa, sob pena de suspensão do beneficio até o cumprimento dessa exigência. Existe uma distância mínima entre a residência do empregado e o seu local de trabalho para que tenha direito ao vale-transporte? R.: Entende-se como deslocamento a soma dos segmentos componentes da viagem do beneficiário, por um ou mais meios de transporte, entre sua residência e o local de trabalho. Não há na legislação a fixação de uma distância mínima a ser considerada nesse deslocamento para que se faça jus ao beneficio. Assim, independentemente do fato de o empregado residir nas proximidades da empresa, se ele optar pelo uso do benefício do vale-transporte, o empregador é obrigado a fornecê-lo. É importante ressaltar que o vale- -transporte só poderá ser utilizado para a finalidade a que se destina, ou seja, cobrir despesas resultantes de deslocamento residência-trabalho e vice-versa. Caso o empregado dê ao beneficio outra destinação, estará cometendo falta grave, o que possibilitará ao empregador, desde que devidamente comprovada a falta, dispensá-lo por justa causa. Base Legal: Lei 7.418/1985, regulamentada pelo Decreto /1987 Aviso Prévio O empregado que pede demissão fará jus à redução de 2 horas diárias ou 7 dias corridos, durante o cumprimento do aviso prévio? R.: Não, o artigo 488 da CLT garante a redução da jornada no curso do aviso prévio trabalhado somente no caso de rescisão promovida pelo empregador, sem justa causa. Consolidação das Leis do Trabalho, artigo 488, caput. 7

8 Tabela Progressiva do Imposto sobre a Renda - Mensal Base de Cálculo Alíquota Parcela a deduzir Dedução Até 1.710,78 Isento De 1.710,79 até 2.563,91 7.5% R$ 128,31 De 2.563,92 até 3.418,59 15% R$ 320,60 De 3.418,60 até 4.271,59 22,5% R$ 577,00 Acima de 4.271,59 27,5% R$ 790,58 Deduções por dependente R$ 171,97 para o ano-calendário de 2013 / Mínimo retenção IR = R$ 10,00 Indicadores Fiscais R$ UFESP = R$ 19,37 Salário Mínimo Federal = R$ 678,00 Salário Mínimo Regional SP = R$ 755,00 JUNHO DE 2013 D S T Q Q S S / Dia dos Namorados AGENDA FISCAL JULHO DE 2013 D S T Q Q S S Revolução Constitucionalista 05 QUARTA: ICMS Antecipado - Indústrias e Atacadistas Salário - mai/13 - Metalúrgicos, Químicos, Plásticos, Gráficos, Advocacia, Clínica de Estética, Instituto de Beleza, Indústria de Produtos de Limpeza 05 SEXTA: Salário - jun/13 - Metalúrgicos, Químicos, Plásticos, Gráficos, Advocacia, Clínica de Estética, Instituto de Beleza, Indústria de Produtos de Limpeza ICMS Antecipado - Indústrias e Atacadistas 06 QUINTA: Salário - mai/13 - Demais Atividades Salário - jun/13 - Demais Atividades 07 SEXTA: NFTS - Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Tomados - mai/13 FGTS - mai/13 Entrega do CAGED - mai/13 08 SEGUNDA: FGTS - jun13 Entrega do CAGED - jun/13 NFTS - Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Tomados - jun/13 10 SEGUNDA: ISS - São Paulo - mai/13 10 QUARTA: ISS - São Paulo - jun/13 14 SEXTA: PIS/COFINS/CSLL - Todos retidos de 16/05/13 a 31/05/13 15 SEGUNDA: PIS/COFINS/CSLL - Todos retidos de 16/06/13 a 30/06/13 17 SEGUNDA: INSS - mai/13 - Domésticos e Contribuintes Individuais INSS - jun/13 - Domésticos e Contribuintes Individuais 20 QUINTA: IRRF - Todos retidos de 01/05/2013 a 31/05/2013 INSS - mai/13 - Empresa Envio da cópia da GPS/INSS para sindicato da categoria DARF - Desoneração da Folha de Pagamento 19 SEXTA: Simples Nacional - jun/13 IRRF - Todos retidos de 01/06/13 a 30/06/13 INSS - jun/13 - Empresa Envio da cópia da GPS/INSS para sindicato da categoria 22 SEGUNDA: Simples Nacional - mai/13 DARF - Desoneração da Folha de Pagamento 25 SEGUNDA: PIS sobre a Folha - mai/13 PIS sobre o Faturamento - mai/13 COFINS sobre o Faturamento - mai/13 IPI - mai/13 25 QUINTA: PIS sobre a Folha - jun/13 PIS sobre o Faturamento - jun/13 COFINS sobre o Faturamento - jun/13 IPI - jun/13 28 SEXTA: PIS/COFINS/CSLL - Todos retidos de 01/06/13 a 15/06/13 IRPJ/CSLL - Lucro Real Estimado - mai/2013 IRPJ/CSLL - Lucro Presumido/Real Trimestral 3ª quota - 1º trim/13 IRPF - Carnê Leão/Ganhos de Capital mai/2013 Salários - jun/13 - Papel e Papelão Contribuição Sindical - Empregados 3ª quota do IRPF QUARTA: PIS/COFINS/CSLL - Todos retidos de 01/07/13 a 15/07/13 IRPJ/CSLL - Lucro Real Estimado jun/13 IRPJ/CSLL - Lucro Presumido/Real Trimestral 1ª quota - 2º trim/13 IRPF - Carnê Leão/Ganhos de Capital jun/13 Salários - ago/13 - Papel e Papelão 4ª quota do IRPF 2013 ICMS: Fora o ICMS antecipado, os demais têm vencimentos de acordo com a atividade da empresa. ICMS: Fora o ICMS antecipado, os demais têm vencimentos de acordo com a atividade da empresa. 8 Junho/2013

B o l e t i m I n f o r m a t i v o

B o l e t i m I n f o r m a t i v o B o l e t i m I n f o r m a t i v o Organização King Contabilidade Ltda. King Imóveis Ltda. King Contabilidade Ltda. Março/2015 - Ed. 269 Orientações do Mentor (140) Hatiro Shimomoto hatiro@hatiro.com.br

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos.

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos. Até dia Obrigação AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.07.2014, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra "b", da Lei nº 11.196/2005 ): 5

Leia mais

Instrução Normativa RFB n 1.353/13 MAIO DE 2.013

Instrução Normativa RFB n 1.353/13 MAIO DE 2.013 Instrução Normativa RFB n 1.353/13 MAIO DE 2.013 PRINCIPAIS CONSIDERAÇÕES O Art. 1 da IN RFB n 1353/13 instituiu a Escrituração Fiscal Digital do Imposto sobre a Renda e da Contribuição Social sobre o

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

Area : Fiscal Data: 11/08/2015 Autor : Sueli Sousa Revisor : Sueli Sousa

Area : Fiscal Data: 11/08/2015 Autor : Sueli Sousa Revisor : Sueli Sousa 2015-08/02 - Boletim Informativo SISCOSERV Area : Fiscal Data: 11/08/2015 Autor : Sueli Sousa Revisor : Sueli Sousa IRKO Organização Contábil Ltda. Rua Dom Jose de Barros, 177 2º andar São Paulo - Fone:

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

B o l e t i m I n f o r m a t i v o

B o l e t i m I n f o r m a t i v o B o l e t i m I n f o r m a t i v o Organização King de Contabilidade Ltda. King Imóveis Ltda. King Contabilidade Ltda. Janeiro/2012 - Ed. 231 Orientações do Mentor (102) Ondas Hertzianas Hatiro Shimomoto

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Comparativo leiaute DIPJ 2014 x ECF

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Comparativo leiaute DIPJ 2014 x ECF Comparativo leiaute DIPJ 2014 x ECF 05/05/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Time da Eficiência Comercial... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Comparativo

Leia mais

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 Sistema Tributário Nacional Conjunto de regras jurídicas

Leia mais

QSM NEWS B O L E T I M I N F O R M A T I V O. São Paulo, 02 de janeiro de 2012 - Ano 8 - nº 01 ANO NOVO, NOVAS MUDANÇAS!

QSM NEWS B O L E T I M I N F O R M A T I V O. São Paulo, 02 de janeiro de 2012 - Ano 8 - nº 01 ANO NOVO, NOVAS MUDANÇAS! QSM NEWS B O L E T I M I N F O R M A T I V O São Paulo, 02 de janeiro de 2012 - Ano 8 - nº 01 www.qsm.com.br ANO NOVO, NOVAS MUDANÇAS! O fato de mudarmos de ano nos faz revigorados e prontos para novos

Leia mais

SPED Contábil e SPED ECF

SPED Contábil e SPED ECF SPED Contábil e SPED ECF Impactos nas Rotinas Empresárias Prof. Marcos Lima Marcos Lima Contador (graduado pela UECE) Especialista em Auditoria (UNIFOR) Diretor de Relacionamentos da Fortes Contabilidade

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF)

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) Grant Thornton - Brasil Junho de 2015 Agenda Considerações Iniciais; Obrigatoriedade de Transmissão; Penalidades (Multas); Informações a serem Transmitidas; Recuperação

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA DEZEMBRO DE 2014

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA DEZEMBRO DE 2014 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA DEZEMBRO DE 2014 Até dia Obrigação 3 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.11.2014,

Leia mais

EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS

EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS EFD-Contribuições Informações PIS/COFINS 1. Introdução 2. Obrigatoriedade e dispensa 3. Periodicidade e prazo de entrega (Alterações IN nº 1.305/2012 e ADE Cofis nº 65/2012) 4. Dispensa do Dacon 5. Forma

Leia mais

Boletim Mensal - Novembro/2015

Boletim Mensal - Novembro/2015 Boletim Mensal - Novembro/2015 Fiscal Contábil RH Notícias Calendário Obrigações Fiscal Fisco irá cruzar informações de bancos com o Imposto de Renda e apertar contribuinte. A partir de janeiro de 2016,

Leia mais

Professor José Sérgio Fernandes de Mattos

Professor José Sérgio Fernandes de Mattos Professor Apresentação: 1. Instituído pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal

Leia mais

IRPJ. Lucro Presumido

IRPJ. Lucro Presumido IRPJ Lucro Presumido 1 Características Forma simplificada; Antecipação de Receita; PJ não está obrigada ao lucro real; Opção: pagamento da primeira cota ou cota única trimestral; Trimestral; Nada impede

Leia mais

SPED CONTÁBIL. Escrituração Contábil Digital. Professor Filemon Augusto de Oliveira 23/05/2014 Congresso de Contabilidade do Agreste Alagoano

SPED CONTÁBIL. Escrituração Contábil Digital. Professor Filemon Augusto de Oliveira 23/05/2014 Congresso de Contabilidade do Agreste Alagoano SPED CONTÁBIL Escrituração Contábil Digital Professor Filemon Augusto de Oliveira 23/05/2014 Congresso de Contabilidade do Agreste Alagoano É HORA DE AGRADECER!!! O modelo mudou... Quem escrevia cartinha,

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011 Recolhimento Espontâneo 001 Quais os acréscimos legais que incidirão no caso de pagamento espontâneo de imposto ou contribuição administrado pela Secretaria da Receita

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 INFORMAÇÕES GERAIS Pessoa Jurídica Lucro Real Tributação com base no lucro efetivo demonstrado através do livro diário de contabilidade (obrigatório) 1. Empresas obrigadas à apuração

Leia mais

B o l e t i m I n f o r m a t i v o

B o l e t i m I n f o r m a t i v o B o l e t i m I n f o r m a t i v o Organização King Contabilidade Ltda. King Imóveis Ltda. King Contabilidade Ltda. Julho/2015 - Ed. 273 Orientações do Mentor (144) Hatiro Shimomoto hatiro@hatiro.com.br

Leia mais

REALIZAÇÃO: APOIO: 1

REALIZAÇÃO: APOIO: 1 1 REALIZAÇÃO: APOIO: Agenda 2 Bloco K Parte I Legislação Aplicável Conceitos e estrutura do EFD ICMS-IPI Diferença entre o Bloco H e o Bloco K Entrega por estabelecimento Origem do Bloco K Obrigatoriedade

Leia mais

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DO PIS/PASEP E DA COFINS - EFD-PIS/COFINS - NORMAS GERAIS Introdução - Pessoas Jurídicas

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI Dulcineia L. D. Santos Sistema Público de Escrituração Digital SPED Decreto n. 6.022, de 22/01/2007. Objetivos do SPED: unificar as atividades de recepção, validação,

Leia mais

SERVIÇO DE APOIO AO INVESTIDOR

SERVIÇO DE APOIO AO INVESTIDOR SERVIÇO DE APOIO AO INVESTIDOR GUIA PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS DO ESTADO DO PARANÁ Brazil4Business GUIA PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS 2 PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PARANÁ 1 SERVIÇO DE APOIO AO INVESTIDOR

Leia mais

1. O que é ECF? 2. Obrigatoriedade; 3. Prazo de Entrega; 4. Informações e Estrutura; 5. Penalidades; 6. Considerações Finais.

1. O que é ECF? 2. Obrigatoriedade; 3. Prazo de Entrega; 4. Informações e Estrutura; 5. Penalidades; 6. Considerações Finais. ECF Escrituração Contábil Fiscal Aspectos gerais. Por: Luana Romaniuk. Em junho de 2015. SUMÁRIO 1. O que é ECF? 2. Obrigatoriedade; 3. Prazo de Entrega; 4. Informações e Estrutura; 5. Penalidades; 6.

Leia mais

Bloco K + ECF. Bloco K no SPED Fiscal. Apresentação: 21/05/2015

Bloco K + ECF. Bloco K no SPED Fiscal. Apresentação: 21/05/2015 Bloco K + ECF Apresentação: Danilo Lollio Graduado em Análise de Sistemas pela Universidade Mackenzie. Formado em Pedagogia pela Universidade de São Paulo -USP. Gerente de Legislação da Wolters Kluwer

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

PROJETO IN$TRUIR - 2014

PROJETO IN$TRUIR - 2014 PROJETO IN$TRUIR - 2014 DÚVIDAS ESCLARECIMENTOS Impostos incidentes sobre a emissão da NF para os convênios Pagamentos dos médicos associados à clínica. Alteração no relatório DMED. (Declaração de Serviços

Leia mais

54 anos. B o l e t i m I n f o r m a t i v o. Orientações do Mentor (131) Destaques. Índice

54 anos. B o l e t i m I n f o r m a t i v o. Orientações do Mentor (131) Destaques. Índice B o l e t i m I n f o r m a t i v o Organização King Contabilidade Ltda. King Imóveis Ltda. King Contabilidade Ltda. 54 anos Junho/2014 - Ed. 260 Orientações do Mentor (131) Hatiro Shimomoto Ser Prestativo

Leia mais

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED?

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? SPED PIS/COFINS Teoria e Prática O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? E v e l i n e B a r r o s o Maracanaú - CE Março/2 0 1 2 1 2 Conceito O SPED é instrumento que unifica as atividades

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES FISCAIS. Período de 01.01 a 31.01.2016

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES FISCAIS. Período de 01.01 a 31.01.2016 033 18/12/2015 1 de 14 DIA 04 1.ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Recolhimento do ICMS/ Substituição Tributária correspondente a fatos geradores ocorridos no mês de outubro/2015 pelas empresas cujas autopeças,

Leia mais

O arquivo da EFD-Contribuições deverá ser validado, assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped.

O arquivo da EFD-Contribuições deverá ser validado, assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped. 001 O que é a EFD-Contribuições? A EFD-Contribuições é a Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da Contribuição

Leia mais

Gestão da Carga Tributária. Clube de Empresários CIESP Leste 14/10/2015

Gestão da Carga Tributária. Clube de Empresários CIESP Leste 14/10/2015 Gestão da Carga Tributária Clube de Empresários CIESP Leste 14/10/2015 Âmbitos: Federal Estadual Municipal Previdenciário e Trabalhista A Carga Tributária Brasileira Produção Normativa Nos últimos 25 anos,

Leia mais

EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL

EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL EFD PIS COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Este artigo tem por objetivo trazer considerações relevantes quanto a dados inerentes à Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep

Leia mais

Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT. Claudio Yano 20 de maio de 2014

Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT. Claudio Yano 20 de maio de 2014 Mesa de Debates CRC/RJ Lei 12.973/2014 e o novo regime tributário pós RTT Claudio Yano 20 de maio de 2014 DIPJ 2014 Prazo de entrega Programa Gerador aprovado pela IN RFB 1.463/14; Prazo para entrega:

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA Nº 206, DE 6 DE AGOSTO 2004. Altera a tributação do mercado financeiro e de capitais, institui o Regime Tributário

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 DOU de 17.9.2013 Dispõe sobre o Regime Tributário de Transição (RTT) instituído pelo art. 15 da Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009. O SECRETÁRIO

Leia mais

Decretos Federais nº 8.426/2015 e 8.451/2015

Decretos Federais nº 8.426/2015 e 8.451/2015 www.pwc.com Decretos Federais nº 8.426/2015 e 8.451/2015 PIS e COFINS sobre receitas financeiras Maio, 2015 Avaliação de Investimento & Incorporação, fusão, cisão Breve histórico da tributação pelo PIS

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES - 30/03 A 05/04/2014

AGENDA DE OBRIGAÇÕES - 30/03 A 05/04/2014 AGENDA DE OBRIGAÇÕES - 30/03 A 05/04/2014 Dia: 01 SP - Transmissão Eletrônica de Dados - Operações Interestaduais com Combustíveis - Transportador Revendedor Retalhista - TRR O Transportador Revendedor

Leia mais

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice I. Acesso ao Cadastro... 2 II. Seleção de Filtros... 3 III. Cadastro...

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA NOVEMBRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA NOVEMBRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA NOVEMBRO DE 2015 Até dia Obrigação 5 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.10.2015,

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA SETEMBRO DE 2015 Até dia Obrigação 3 IRRF Salário de Agosto de 2015 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.08.2015, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra

Leia mais

46 KPMG Business Magazine. Siscoserv inspira cuidados

46 KPMG Business Magazine. Siscoserv inspira cuidados 46 KPMG Business Magazine Siscoserv inspira cuidados Novo sistema eletrônico demanda dados até então não sistematizados pelas empresas, elevando os riscos ao compliance da norma Em meio a um emaranhado

Leia mais

Clipping Legis. Publicação de legislação e jurisprudência fiscal. Nº 182 Conteúdo - Atos publicados em Maio de 2015 Divulgação em Junho/2015

Clipping Legis. Publicação de legislação e jurisprudência fiscal. Nº 182 Conteúdo - Atos publicados em Maio de 2015 Divulgação em Junho/2015 www.pwc.com.br Clipping Legis CSLL - Instituições financeiras - Majoração de alíquota - MP nº 675/2015 Receitas financeiras - Alíquota zero de PIS/ COFINS para as variações monetárias e hedge - Alteração

Leia mais

Comércio Varejista Obrigado a emitir NFeem substituição a Nota Fiscal modelo-1 ou 01-A.

Comércio Varejista Obrigado a emitir NFeem substituição a Nota Fiscal modelo-1 ou 01-A. Informativo Junho/2015 edição 22 Comércio Varejista Obrigado a emitir NFeem substituição a Nota Fiscal modelo-1 ou 01-A. O DECRETO Nº 52.094, de 27 de novembro de 2014, estabelece prazo final para a dispensa

Leia mais

FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS

FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS ESCRITA FISCAL A nota eletrônica é melhor do que a nota em papel? Sim a nota eletrônica não possui custo para emissão, necessitando apenas de um computador, um certificado digital

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2015 Até dia Obrigação 4 IRRF Histórico Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2015,

Leia mais

EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012

EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012 PIS/COFINS EFD Contribuições (PIS/COFINS) Atualizado com a Instrução Normativa RFB nº 1.280/2012 CONTEÚDO 1. INTRODUÇÃO 2. CERTIFICADO DIGITAL 3. OBRIGATORIEDADE 3.a Dispensa de Apresentação da EFD-Contribuições

Leia mais

CURSO ESCRITÓRIO CONTÁBIL MODELO. Próxima turma com inicio em Março de 2012

CURSO ESCRITÓRIO CONTÁBIL MODELO. Próxima turma com inicio em Março de 2012 CURSO ESCRITÓRIO CONTÁBIL MODELO Próxima turma com inicio em Março de 2012 Conteúdo Programático: Abertura e Encerramento de Empresas: Decisão quanto a forma jurídica; Empresa Individual; Sociedade Empresária

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES NOVEMBRO/2015

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES NOVEMBRO/2015 CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES NOVEMBRO/2015 05.11 (5ª feira) - IRRF Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte, correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.10.2015, incidente sobre

Leia mais

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI?

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI? FAQ -MEI 1. Qual o significado da sigla MEI? R: MEI é a sigla utilizada para Micro Empreendedor Individual 2. Qual é a definição de MEI? R: O MEI é o empresário individual a que se refere o art. 966 do

Leia mais

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais;

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais; Ref.: nº 26/2015 esocial 1. Conceito O esocial é um projeto do Governo Federal que vai coletar as informações descritas em seu objeto, armazenando-as em Ambiente Nacional, possibilitando aos órgãos participantes,

Leia mais

Elaborado e apresentado por:

Elaborado e apresentado por: A CONSTRUÇÃO CIVIL E AS REGRAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE - ALTERAÇÕES CONTÁBEIS E TRIBUTÁRIAS: LEIS 11.638/2007, 11.941/2009 e 12.973/2014 UMA VISÃO CONTÁBIL E TRIBUTÁRIA Elaborado e apresentado

Leia mais

empresas constantes de seus anexos, de acordo com o Estado da Federação em que estava localizado o contribuinte.

empresas constantes de seus anexos, de acordo com o Estado da Federação em que estava localizado o contribuinte. SPED O Sistema Público de Escrituração Digital, mais conhecido como Sped, trata de um projeto/obrigação acessória instituído no ano de 2007, através do Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007. É um

Leia mais

Tributos em orçamentos

Tributos em orçamentos Tributos em orçamentos Autores: Camila de Carvalho Roldão Natália Garcia Figueiredo Resumo O orçamento é um dos serviços mais importantes a serem realizados antes de se iniciar um projeto. É através dele

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

NONO NONONO NO NONO NONO NONONO NONO CIESP Centro das Indústrias do Estado de São Paulo DR de Sorocaba

NONO NONONO NO NONO NONO NONONO NONO CIESP Centro das Indústrias do Estado de São Paulo DR de Sorocaba SPED Sistema Público de Escrituração Digital esocial NONO NONONO NO NONO NONO NONONO NONO CIESP Centro das Indústrias do Estado de São Paulo DR de Sorocaba 7 de outubro de 2014 O SPED Sistema Público de

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DE RECEITAS FINANCEIRAS PELO PIS/COFINS DECRETO 8.426/20015

TRIBUTAÇÃO DE RECEITAS FINANCEIRAS PELO PIS/COFINS DECRETO 8.426/20015 TRIBUTAÇÃO DE RECEITAS FINANCEIRAS PELO PIS/COFINS DECRETO 8.426/20015 Pela importância da matéria, tomamos a liberdade de lhe enviar o presente boletim extraordinário (maio de 2015). 1. INTRODUÇÃO O STJ

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011.

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. INFORMATIVO MENSAL Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. I FEDERAL IPI - NOVAS DISPOSIÇÕES SOBRE A SUSPENSÃO DO IMPOSTO NA EXPORTAÇÃO

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES SETEMBRO/2015

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES SETEMBRO/2015 CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES SETEMBRO/2015 03.09 (5ª feira) - IRRF Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte, correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.08.2015, incidente sobre

Leia mais

B o l e t i m I n f o r m a t i v o

B o l e t i m I n f o r m a t i v o B o l e t i m I n f o r m a t i v o Organização King Contabilidade Ltda. King Imóveis Ltda. King Contabilidade Ltda. Janeiro/2014 - Ed. 255 Orientações do Mentor (126) Hatiro Shimomoto Viver a Vida Destaques

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PINHEIRO PRETO DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014.

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PINHEIRO PRETO DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014. DECRETO Nº 4.042, DE 22 DE JULHO DE 2014. Regulamenta a Lei nº 1.775, de 10 de junho de 2014, dispondo sobre o modelo, requisitos, emissão e cancelamento da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e, institui

Leia mais

EFD. Contribuições Atualização. Abril 2013. Elaborado por: Antônio Sérgio de Oliveira

EFD. Contribuições Atualização. Abril 2013. Elaborado por: Antônio Sérgio de Oliveira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Lucro Presumido. SECAT/DRF Florianópolis Contadoria Judicial da JFSC Florianópolis, 15.10.2013.

Lucro Presumido. SECAT/DRF Florianópolis Contadoria Judicial da JFSC Florianópolis, 15.10.2013. Lucro Presumido SECAT/DRF Florianópolis Contadoria Judicial da JFSC Florianópolis, 15.10.2013. IRPJ CF/88, artigo 153 Compete à União instituir impostos sobre: III - renda e proventos de qualquer natureza

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 PERGUNTAS E RESPOSTAS Este documento é de caráter meramente

Leia mais

TRIBUTÁRIO EM FOCO # Edição 12

TRIBUTÁRIO EM FOCO # Edição 12 TRIBUTÁRIO EM FOCO # Edição 12 Dezembro de 2012 / Janeiro 2013 NOVIDADES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA IOF - OPERAÇÕES DE CÂMBIO - EMPRÉSTIMO EXTERNO - ALÍQUOTA - ALTERAÇÃO DO PRAZO MÉDIO MÍNIMO - DECRETO Nº

Leia mais

B o l e t i m I n f o r m a t i v o

B o l e t i m I n f o r m a t i v o B o l e t i m I n f o r m a t i v o Organização King Contabilidade Ltda. King Imóveis Ltda. King Contabilidade Ltda. Dezembro/2013 - Ed. 254 Orientações do Mentor (125) Hatiro Shimomoto Vida Destaques

Leia mais

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015 DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA/2015 Regulamento para a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda, PESSOA FÍSICA, exercício de 2015, ano-calendário de 2014. DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas Tributação Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas 1 Índice Imposto de Renda para Mercado de Opções 03 Exemplos de Apuração dos Ganhos Líquidos - Antes do Exercício

Leia mais

SOARES & FALCE ADVOGADOS

SOARES & FALCE ADVOGADOS SOARES & FALCE ADVOGADOS ASPECTOS LEGAIS DA CAPTAÇÃO DE RECURSOS VIA BAZARES E VENDA DE PRODUTOS NAS ORGANIZAÇÕES Michael Soares 03/2014 BAZAR BENEFICENTE E VENDA DE PRODUTOS NAS ORGANIZAÇÕES Quais os

Leia mais

LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS

LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS LEI 12.973/2014 E SPED: ADAPTAÇÃO ÀS NOVAS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS Visão geral dos impactos das novas evidenciações e diferenças de práticas contábeis advindas da IN 1.515. Subcontas. ECF e suas implicações.

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Retenções na fonte IRRF e CSRF geradas na DIRF 27/11/2014 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da

Leia mais

Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015

Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015 Agenda de Obrigações Federal - Maio/2015 Até: Quarta-feira, dia 6 IOF Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de abril/2015: - Operações de crédito - Pessoa Jurídica - Cód. Darf 1150 - Operações de crédito

Leia mais

EFD PIS COFINS Teoria e Prática

EFD PIS COFINS Teoria e Prática EFD PIS COFINS Teoria e Prática É uma solução tecnológica que oficializa os arquivos digitais das escriturações fiscal e contábil dos sistemas empresariais dentro de um formato digital específico e padronizado.

Leia mais

OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008

OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008 OBRIGAÇÕES FEDERAIS OUTUBRO/2008 DIA 2 (Quinta) CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS RECLAMATÓRIA TRABALHISTA PESSOAS OBRIGADAS: Empregadores, inclusive domésticos, que participaram de ação judicial na Justiça

Leia mais

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 RELATÓRIO DE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA QUE ATUA NO RAMO DE SITUADA NO MUNICÍPIO DE

Leia mais

PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012.

PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012. PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012. DECRETO N 1426/2012 Regulamenta a entrega da Declaração Mensal de Serviços Eletrônica por prestadores e tomadores de serviços e dá outras

Leia mais

AGENDA DE CONTRIBUIÇÕES, TRIBUTOS E OBRIGAÇÕES

AGENDA DE CONTRIBUIÇÕES, TRIBUTOS E OBRIGAÇÕES Sinduscon Ceará - Agosto / 2014 DIAS OBRIGAÇÕES DESCRIÇÃO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL 05 (terça-feira) IRRF RETIDO NA FONTE Recolher até o 3º dia útil após o último decêndio do mês anterior, os fatos gerados a

Leia mais

BALANÇO DE ABERTURA www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos Técnicos e Jurídicos Goiânia - Goiás - 21/08/2013

BALANÇO DE ABERTURA www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos Técnicos e Jurídicos Goiânia - Goiás - 21/08/2013 SINDICATO DOS CONTABILISTAS ESTADO GOIÁS CONSELHO REGIONAL CONTABILIDADE DE GOIÁS CONVÊNIO CRC-GO / SCESGO BALANÇO DE ABERTURA www.scesgo.com.br Otávio Martins de Oliveira Júnior Diretor Assuntos Técnicos

Leia mais

MULTAS pelo descumprimento de obrigações acessórias Como evitar? 27 de novembro de 2012

MULTAS pelo descumprimento de obrigações acessórias Como evitar? 27 de novembro de 2012 MULTAS pelo descumprimento de obrigações acessórias Como evitar? 27 de novembro de 2012 MULTAS pelo descumprimento de obrigações acessórias ao ICMS - RJ Art. 59 da Lei 2.657/96 Deixar de entregar, no prazo

Leia mais

Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015

Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015 Agenda de Obrigações Federal - Abril/2015 Até: Segunda-feira, dia 6 IOF Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio de março/2015: - Operações de crédito - Pessoa Jurídica - Cód. Darf 1150 - Operações de crédito

Leia mais

Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED

Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Principais Aspectos do Sistema Público de Escrituração Digital SPED Como trabalhamos? no passado a pouco tempo Daqui para frente ECD Escrituração Contábil Digital IN RFB 787/07 O que é? : É a substituição

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS PERGUNTAS E RESPOSTAS Palestra Imposto de Renda: "entenda as novas regras para os profissionais da Odontologia" Abril/2015 Palestra Imposto de Renda 2015 A Receita Federal do Brasil RFB para o exercício

Leia mais

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL COMERCIO DE VEÍCULOS USADOS

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL COMERCIO DE VEÍCULOS USADOS LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL COMERCIO DE VEÍCULOS USADOS LUCRO PRESUMIDO (COM RESTRIÇÕES) LUCRO REAL SIMPLES NACIONAL (COM RESTRIÇÕES) LEI nº 9.716/98 Artigo 5º As pessoas jurídicas que tenham como objeto

Leia mais

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO PREVIDÊNCIA SOCIAL Décimo Terceiro Salário Nesta orientação, vamos apresentar como deve ser preenchida a declaração do SEFIP Sistema

Leia mais

ANO XXV - 2014-2ª SEMANA DE MARÇO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 11/2014

ANO XXV - 2014-2ª SEMANA DE MARÇO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 11/2014 ANO XXV - 2014-2ª SEMANA DE MARÇO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 11/2014 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA DECLARAÇÃO DE BENEFÍCIOS FISCAIS (DBF) - 2014 OBSERVAÇÕES... Pág. 200 DECLARAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.

b) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40. Vitória/ES, 23 de fevereiro de 2013. ORIENTAÇÕES PARA DECLARAÇÃO DO IRPF 2013 A partir do dia 1º março a Receita Federal começa a receber a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física.

Leia mais

B o l e t i m I n f o r m a t i v o

B o l e t i m I n f o r m a t i v o B o l e t i m I n f o r m a t i v o Organização King Contabilidade Ltda. King Imóveis Ltda. King Contabilidade Ltda. Março/2014 - Ed. 257 Orientações do Mentor (128) Destaques CBE - Capitais Brasileiros

Leia mais

INFORMATIVO TRIBUTÁRIO

INFORMATIVO TRIBUTÁRIO INFORMATIVO TRIBUTÁRIO RECENTES DESTAQUES LEGISLAÇÃO FEDERAL 1. REPORTO regulamentação A Instrução Normativa nº 1.370 de 28.06.2013, publicada no DOU de 01.07.2013 regulamentou as regras para habilitação/aplicação

Leia mais

SPED. EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR

SPED. EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR SPED EFD CONTRIBUIÇÕES (Palestra) ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA WWW.PORTALDOSPED.COM.BR ANTONIO SÉRGIO DE OLIVEIRA Contador, Administrador de Empresas, Pós Graduado em Gestão Pública, Técnico em Contabilidade,

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA FEVEREIRO DE 2011 Até dia Obrigação Histórico 3 IRRF Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2011,

Leia mais

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 46/2014 2ª SEMANA NOVEMBRO DE 2014

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 46/2014 2ª SEMANA NOVEMBRO DE 2014 News Consultoria, treinamento para gestão administrativa e atuação em processos e negócios. CCA BERNARDON CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 46/2014 2ª SEMANA NOVEMBRO DE 2014 DESTAQUES DA SEMANA: TRIBUTOS

Leia mais

EXTINÇÃO DA PESSOA JURÍDICA Aspectos Tributários

EXTINÇÃO DA PESSOA JURÍDICA Aspectos Tributários EXTINÇÃO DA PESSOA JURÍDICA Aspectos Tributários Sumário 1. Conceito 2. Procedimentos Fiscais na Extinção 2.1 - Pessoa Jurídica Tributada Com Base no Lucro Real 2.2 - Pessoa Jurídica Tributada Com Base

Leia mais

Aquisição ou venda feita em 2014 deve ser informada à Receita. Dica é conhecer

Aquisição ou venda feita em 2014 deve ser informada à Receita. Dica é conhecer Informativo Abril/2015 edição 20 Aquisição ou venda feita em 2014 deve ser informada à Receita. Dica é conhecer detalhes para evitar a malha fina. A declaração de imóveis no Imposto de Renda requer uma

Leia mais

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Legislação Conforme instituído pela Instrução Normativa RFB nº 1.052, de 5 de julho de 2010, sujeitam à obrigatoriedade de geração de arquivo da Escrituração Fiscal

Leia mais