Cálculo das quotas do seguro coletivo.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cálculo das quotas do seguro coletivo."

Transcrição

1 Cálculo das quotas do seguro coletivo. Para explicar o cálculo das quotas de seguro a liquidar por frações que participem do seguro coletivo vamos utilizar como exemplo um condomínio com 10 frações, com a seguinte distribuição de permilagens e participações no seguro coletivo: Fração Seguro coletivo A 110 Não B 130 Sim C 110 Sim D 130 Sim E 180 Sim F 180 Sim G 80 Não H 50 Não I 20 Sim J 10 Sim 1000 Existe um seguro coletivo do prédio, sendo o valor total de reconstrução de As frações A, G e H não participam pois tem seguros individuais. A fração C participa no seguro coletivo, mas é obrigada, devido ao empréstimo à habitação, a um valor mínimo de Deveremos indicar nas respetivas fichas que as frações A, G e H não participam do seguro coletivo pois têm seguros individuais e que a fração C é obrigada a um valor mínimo de (usando o campo Cap. Facultativo). Definição de seguro individual 1

2 Definição de capital facultativo A configuração do seguro coletivo implica 3 fases: 1 Definição do custo de reconstrução. Definimos aqui o custo de reconstrução (capital total do condomínio) e a data em que foi atualizado. 2 Dados da apólice. O campo relativo ao capital do seguro coletivo será preenchido automaticamente pela aplicação posteriormente, levando em consideração que frações participam no seguro coletivo e a existência de capitais facultativos. Veremos esse ponto mais adiante. 2

3 3 Periodicidade de cobrança e pagamento. A periodicidade de cobrança define os meses em que será feita a cobrança das quotas de seguro aos condóminos que participem do seguro coletivo. Ao ser efetuado o processamento periódico de cada um desses meses será lançada a respetiva quota. A periodicidade de pagamento regista os meses em que o prémio do seguro deve ser pago à Companhia; atualmente é meramente informativo. Após o preenchimento da informação seguindo esses três passos o utilizador deverá usar o botão Calcular. Essa operação calculará os prémios a atribuir a cada fração e atualizará o valor do capital do seguro coletivo. O resultado será apresentado numa grelha, conforme a seguinte: Distribuição dos prémios de seguro 3

4 Vejamos então como é feito esse cálculo. Em primeiro lugar é necessário verificar qual o capital a considerar para cada fração. As frações que têm seguro individual não serão consideradas. O capital de uma fração que participe do seguro coletivo é calculado em função da sua permilagem aplicada ao custo de reconstrução (capital total) do condomínio. e, portanto, Capital total do condomínio = Capital da fração = Capital total do condomínio X Permilagem da fracção Permilagem total do condomínio Permilagem da fracção Permilagem total do condomínio Por exemplo, no caso da fração B, Capital da fração B = X = Se a fração tiver um capital facultativo definido esse capital terá precedência sobre o capital calculado. Assim, por exemplo, o cálculo da fração C daria Capital da fração C = X = mas a definição, na ficha da fração C, de um capital facultativo de faz com que esse valor facultativo seja utilizado. O resumo do cálculo para todas as frações encontra-se no quadro seguinte: Fração Seguro coletivo Capital obrigatório Capital facultativo Valor a considerar (capital da fração) A 110 Não X 110 / 1000 = B 130 Sim X 130 / 1000= C 110 Sim X 110 / 1000= D 130 Sim X 130 / 1000 = E 180 Sim X 180 / 1000 = F 180 Sim X 180 / 1000 = G 80 Não X 80 / 1000 = H 50 Não X 50 / 1000 = I 20 Sim X 20 / 1000 = J 10 Sim X 10 / 1000 =

5 A soma dos valores dos capitais a considerar para as frações fornecerá o capital do seguro coletivo: O cálculo do prémio é efetuado por uma regra de três simples da seguinte maneira: ou seja, Prémio da fracção Prémio a pagar Prémio da fracção = Prémio a pagar x = Capital real do condomínio Capital real do condomínio Os prémios serão então calculados da seguinte maneira: Fração Seguro coletivo Capital Prémio A 110 Não - 0 B 130 Sim X ( / ) = 162,50 C 110 Sim X ( / ) = 187,50 D 130 Sim X ( / ) = 162,50 E 180 Sim X ( / ) = 225,00 F 180 Sim X ( / ) = 225,00 G 80 Não - 0 H 50 Não - 0 I 20 Sim X ( / ) = 25,00 J 10 Sim X ( / ) = 12,

A uma plataforma online de gestão de condomínios permite gerir de forma fácil e simples a atividade do seu condomínio.

A uma plataforma online de gestão de condomínios permite gerir de forma fácil e simples a atividade do seu condomínio. PLATAFORMA DE GESTÃO A uma plataforma online de gestão de condomínios permite gerir de forma fácil e simples a atividade do seu condomínio. Principais funcionalidades Possui uma série de funcionalidades

Leia mais

A uma plataforma online de gestão de condomínios permite gerir de forma fácil e simples a atividade do seu condomínio.

A uma plataforma online de gestão de condomínios permite gerir de forma fácil e simples a atividade do seu condomínio. PLATAFORMA DE GESTÃO A uma plataforma online de gestão de condomínios permite gerir de forma fácil e simples a atividade do seu condomínio. Principais funcionalidades Possui uma série de funcionalidades

Leia mais

Sage VERSÃO Sage Janeiro 2017

Sage VERSÃO Sage Janeiro 2017 Sage VERSÃO 2017 Sage Janeiro 2017 Índice Sage Contabilidade... 3 Taxonomias - Portaria n.º 302/2016, de 2 de dezembro... 3 Mensagem na entrada da aplicação... 3 Alterações às tabelas... 3 Ficha da empresa...

Leia mais

Título: Como deduzir o IR e CSLL pago em meses anteriores, apurados antes das deduções?

Título: Como deduzir o IR e CSLL pago em meses anteriores, apurados antes das deduções? Título: Como deduzir o IR e CSLL pago em meses anteriores, apurados antes das deduções? Através desta opção, o sistema irá considerar como Pago em meses anteriores, os valores de IR e CSLL calculados antes

Leia mais

A uma plataforma online de gestão de condomínios permite gerir de forma fácil e simples a atividade do seu condomínio.

A uma plataforma online de gestão de condomínios permite gerir de forma fácil e simples a atividade do seu condomínio. PLATAFORMA DE GESTÃO A uma plataforma online de gestão de condomínios permite gerir de forma fácil e simples a atividade do seu condomínio. Principais funcionalidades Possui uma série de funcionalidades

Leia mais

XD DISCO CARTÕES PRÉPAGOS (PARA O DIA)

XD DISCO CARTÕES PRÉPAGOS (PARA O DIA) XD DISCO CARTÕES PRÉPAGOS (PARA O DIA) As versões 2017 das aplicações XD Disco implementam uma nova funcionalidade nas Séries de Cartões que torna possível configurar determinada série em modo de Pré-

Leia mais

PONTOS/TALÕES DE DESCONTO

PONTOS/TALÕES DE DESCONTO /TALÕES DE DESCONTO 1. Configuração de pontos... 3 Tipo de Critério... 5... 5 Cabeçalho... 5 Detalhes Artigo... 7 Lista... 7 Individual... 8 Modo de Atribuição... 8 Detalhes Família... 10 Lista... 10 Modo

Leia mais

Emissão Doc Extra de Condomínio Sami ERP ++

Emissão Doc Extra de Condomínio Sami ERP ++ Emissão Doc Extra de Condomínio Sami ERP ++ 1. Baixa de Parcelas Acesse o Módulo CONDOMÍNIO CÁLCULOS DA EMISSÃO BAIXA DE PARCELAS. Este programa efetua a baixa das parcelas dos eventos lançados nas unidades,

Leia mais

Ministério das Finanças Instituto de Informática. Departamento de Sistemas de Informação. Descontos para a A.D.S.E.

Ministério das Finanças Instituto de Informática. Departamento de Sistemas de Informação. Descontos para a A.D.S.E. Ministério das Finanças Instituto de Informática Departamento de Sistemas de Informação Descontos para a A.D.S.E. Versão 6.0-2009 ÍNDICE 1 OBJECTIVO 3 2 TRATAMENTOS PRÉVIOS 3 2.1 Situação Remuneratória

Leia mais

Teoria da partilha equilibrada

Teoria da partilha equilibrada Teoria da partilha equilibrada Competências a desenvolver Aptidão para investigar situações recorrendo à modelação e para elaborar, analisar e descrever modelos; A sensibilidade e disponibilidade para

Leia mais

UTILIZAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE IMPOSTOS, TAXAS OU ENCARGOS PARAFISCAIS (ECOTAXAS)

UTILIZAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE IMPOSTOS, TAXAS OU ENCARGOS PARAFISCAIS (ECOTAXAS) UTILIZAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE IMPOSTOS, TAXAS OU ENCARGOS PARAFISCAIS (ECOTAXAS) Conteúdo 1. Listagem de Impostos, taxas ou encargos parafiscais... 3 2. Criação de Configuração... 4 3. Fórmula de Cálculo...

Leia mais

Como Efetuar o Relatório Único - entrega em 2015?

Como Efetuar o Relatório Único - entrega em 2015? Como Efetuar o Relatório Único - entrega em 2015? A regulamentação do Código do Trabalho criou uma obrigação única a cargo dos empregadores, de prestação anual de informação sobre a atividade social da

Leia mais

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO À INSTRUÇÃO N.º 45/2012 - (BO N.º 12, 17.12.2012) Temas SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO II Notas de preenchimento I. Notas gerais para o preenchimento do modelo de ficha de informação

Leia mais

VOLUMES E CAIXAS

VOLUMES E CAIXAS Índice 1. Configuração do Artigo... 3 2. Configurar casas decimais... 5 3. Usar o artigo num documento... 6 4. Configurar campos da grelha de artigos de um documento... 8 5. Exemplos... 9 6. Incluir campos

Leia mais

Ficha do Tomador. Importações Automático de recibos entre outros

Ficha do Tomador. Importações Automático de recibos entre outros A solução avançada de gestão para os mediadores e corretores, que pretendem usar a tecnologia para aumentar a sua produtividade e melhorar a competitividade através de ganhos de tempo e eficiência. Ficha

Leia mais

PAGAMENTOS A PROFISSIONAIS

PAGAMENTOS A PROFISSIONAIS PAGAMENTOS A PROFISSIONAIS Índice Introdução... 2 1º Passo: CADASTRO DOS LANÇAMENTOS DA FOLHA... 2 2º Passo: Itens que compõem o Pagamento do Profissional... 3 Instruções de Cadastros e Configurações...

Leia mais

Benner RH Processo do 13º Salário

Benner RH Processo do 13º Salário Processo do 13º Salário www.benner.com.br Atualizado em 29/10/2015 Processo do 13º Salário Copyright 2015 Benner Software de Gestão de Negócios Todos os direitos reservados. É proibido qualquer tipo de

Leia mais

GERANDO O ARQUIVO HOMOLOGNET DENTRO DO ATHENAS 1º Passo: Após a rescisão de contrato ter sido calculada e efetivada o usuário deverá verificar quais

GERANDO O ARQUIVO HOMOLOGNET DENTRO DO ATHENAS 1º Passo: Após a rescisão de contrato ter sido calculada e efetivada o usuário deverá verificar quais GERANDO O ARQUIVO HOMOLOGNET DENTRO DO ATHENAS 1º Passo: Após a rescisão de contrato ter sido calculada e efetivada o usuário deverá verificar quais as verbas que compõe o seu cálculo, lembrando que deve

Leia mais

Gestão Pessoal. Alteração do Salário Mínimo Nacional (SMN) Configurar o programa para o novo salário mínimo nacional.

Gestão Pessoal. Alteração do Salário Mínimo Nacional (SMN) Configurar o programa para o novo salário mínimo nacional. Gestão Pessoal Alteração do Salário Mínimo Nacional (SMN) Configurar o programa para o novo salário mínimo nacional. Wincode, 17 Outubro de 2014 Introdução Este manual tem como principal objectivo ajudar

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N o 89, de ANEXO.

RESOLUÇÃO CNSP N o 89, de ANEXO. Fls. 2 da RESOLUÇÃO CNSP N o 89, de 2002. RESOLUÇÃO CNSP N o 89, de 2002 - ANEXO. NORMAS PARA CONSTITUIÇÃO DAS PROVISÕES TÉCNICAS DAS SOCIEDADES SEGURADORAS, ENTIDADES ABERTAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

Leia mais

SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM

SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM REGISTO PARA O EXERCÍCIO DA ATIVIDADE Pessoa Singular matriculada como Comerciante em Nome Individual (Decreto-Lei n.º 177/99, de 21 de maio,

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.04 Considerações Gerais...2 Parâmetros...3 Cadastro de Funcionários...4 Tipo de Venda...6 Cadastro de Margem Mínima de Venda de Veículos...7 Proposta de Venda de Veículo...9

Leia mais

Bem-vindo ao tópico sobre os grupos de desconto.

Bem-vindo ao tópico sobre os grupos de desconto. Bem-vindo ao tópico sobre os grupos de desconto. Nesse tópico, você aprenderá a configurar grupos de desconto. Imagine que sua empresa quer introduzir alguns novos descontos. Algumas dessas propostas estarão

Leia mais

MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA

MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA MANUAL PARA DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA 2017 ESSE MANUAL FOI DESENVOLVIDO PELO PORTO SEGURO PREVIDÊNCIA PARA AJUDAR NO PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO DE AJUSTE ANUAL DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2017,

Leia mais

Conteúdo. Cheques oferta e carregamento de cartões de cliente (pré-pagos)

Conteúdo. Cheques oferta e carregamento de cartões de cliente (pré-pagos) Conteúdo Introdução...3 POS Tratamento dos cheques oferta...4 Perfil do documento para emissão dos cheques oferta...4 Perfil do documento para regularização dos cheques oferta...4 Configuração do Posto...5

Leia mais

Sage VERSÃO Sage Janeiro 2017

Sage VERSÃO Sage Janeiro 2017 Sage VERSÃO 2017.02.01 Sage Janeiro 2017 Índice Responsável de Sistema... 3 Criação de empresas mono-anuais com base de dados modelo... 3 Inclusão de filtros: Sigla/Nif e Ano:... 4 Abrir empresa... 4 Compactar

Leia mais

Cartilha do Cliente Financeiro / Controle de RPA. Cartilha do Cliente. Versão:

Cartilha do Cliente Financeiro / Controle de RPA. Cartilha do Cliente. Versão: Cartilha do Cliente Versão: 4.70 1 Apresentação... 3 A quem se destina... 3 Módulo Financeiro... 4 Global... 4 Tabelas Auxiliares IRRF... 4 Tabelas Auxiliares INSS... 5 Parâmetro Financeiro Agentes Especiais...

Leia mais

SPED ECF - Como importar as informações do registro U182 referente ao cálculo da CSLL para empresa Imune/ Isenta?

SPED ECF - Como importar as informações do registro U182 referente ao cálculo da CSLL para empresa Imune/ Isenta? SPED ECF - Como importar as informações do registro U182 referente ao cálculo da CSLL para empresa Imune/ Isenta? Esta opção estará disponível somente para empresas com forma de tributação de lucro: Imune/Isenta.

Leia mais

Manual de Autoavaliação

Manual de Autoavaliação Índice 1 Objetivo... 3 2 Pré-requisitos e acesso ao sistema... 3 2.1 Pré-requisitos... 3 2.2 Acesso ao sistema... 3 3 Primeiro Passo da Autoavaliação verificar se o avaliador já registou data de aceitação...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I I

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I I UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO DISCIPLINA: ECONOMIA DA ENGENHARIA I I AULA MODELO SOBRE DEPRECIAÇÃO, EXAUSTÃO E AMORTIZAÇÃO Conceito a) Legislação Societária

Leia mais

Importar de PDT 3. Configurações de importação 3. Importação 4. Importar de ficheiro de inventário 5. Aceder ao documento de stock pretendido 5

Importar de PDT 3. Configurações de importação 3. Importação 4. Importar de ficheiro de inventário 5. Aceder ao documento de stock pretendido 5 Importação de Dados Índice Importar de PDT 3 Configurações de importação 3 Importação 4 Importar de ficheiro de inventário 5 Aceder ao documento de stock pretendido 5 Importar o ficheiro 5 Importar dados

Leia mais

REGISTO NORMALIZADO (PS2/3) Versão 2.3

REGISTO NORMALIZADO (PS2/3) Versão 2.3 REGISTO NORMALIZADO (PS2/3) Versão 2.3 Para que uma Empresa possa proceder de forma simples e em segurança a Pagamentos de Ordenados e a Fornecedores, ou a Recebimentos, poderá utilizar a funcionalidade

Leia mais

TÓPICOS DE MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO MÉDIO - PROF. MARCELO CÓSER

TÓPICOS DE MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO MÉDIO - PROF. MARCELO CÓSER TÓPICOS DE MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO MÉDIO - PROF. MARCELO CÓSER 1 PAGAMENTO DE DÍVIDAS Existem mais de uma maneira de se efetuar o pagamento de uma dívida. Ela pode ser toda liquidada em um

Leia mais

Condomínios enquadramento e obrigações fiscais

Condomínios enquadramento e obrigações fiscais Condomínios enquadramento e obrigações fiscais O enquadramento fiscal dos condomínios e respetivas obrigações fiscais é um tema que levanta sempre dúvidas. No presente artigo vamos abordar os principais

Leia mais

Como configurar PIS e COFINS para cálculo de bebidas frias conforme art. 30, Decreto ?

Como configurar PIS e COFINS para cálculo de bebidas frias conforme art. 30, Decreto ? Como configurar PIS e COFINS para cálculo de bebidas frias conforme art. 30, Decreto 8.442-2015? Através desta solução, será possível configurar o cadastro de produtos para calcular os impostos PIS e COFINS,

Leia mais

MONTEPIO24 EMPRESAS CONVERSÃO DE FICHEIROS PARA PAGAMENTOS E COBRANÇAS. Manual de Apoio Utilizador Net24

MONTEPIO24 EMPRESAS CONVERSÃO DE FICHEIROS PARA PAGAMENTOS E COBRANÇAS. Manual de Apoio Utilizador Net24 MONTEPIO24 EMPRESAS CONVERSÃO DE FICHEIROS PARA PAGAMENTOS E COBRANÇAS 1 Manual de Apoio Utilizador Net24 Índice 1.INTRODUÇÃO 3 2.ATIVAÇÃO E MANUTENÇÃO 3 3.IMPORTAÇÃO DE FICHEIROS PARA CONVERSÃO 4 4.CRIAÇÃO

Leia mais

Curva ABC de Clientes

Curva ABC de Clientes Curva ABC de Clientes Introdução Para analisar as movimentações dos clientes efetuadas no sistema é possível configurar e utilizar o processo de Curva ABC de Clientes, criando análises e classificando

Leia mais

Administração de Pessoal 4W

Administração de Pessoal 4W Administração de Pessoal 4W Contribuição Sindical Instituída pela Constituição Federal de 1937 e preservada pela Constituição Federal de 1988, estando prevista também no Capítulo III (artigos 578 e seguintes)

Leia mais

SEPA 4 CORPORATE GUIA DE PAGAMENTOS

SEPA 4 CORPORATE GUIA DE PAGAMENTOS Quando impresso, este documento constitui cópia não controlada SEPA 4 CORPORATE GUIA DE PAGAMENTOS Ficheiro de Pagamentos Criar Ficheiro Criar Lote Criar Transação/Transferência Guardar e Upload no millenniumbcp.pt

Leia mais

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO À INSTRUÇÃO N.º 12/2013 - (BO N.º 6, 17.06.2013) Temas SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO I FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

Leia mais

Guia de Ajuda Simulador de Renda ao Abrigo do Regime do Arrendamento Apoiado

Guia de Ajuda Simulador de Renda ao Abrigo do Regime do Arrendamento Apoiado Simulador de Renda ao Abrigo do Regime do Arrendamento Apoiado Elaborado na sequência da publicação da Lei n.º 32/2016, de 24 de agosto, que procede à primeira alteração à Lei n.º 81/2014, de 19 de dezembro,

Leia mais

Processamento Subsídio de Natal em 2012

Processamento Subsídio de Natal em 2012 Processamento Subsídio de Natal em 2012 (Olisoft SIG GPE) De acordo com a Lei do Orçamento do Estado para 2012, o valor do limite diário isento do subsídio de alimentação foi reduzido passando a vigorar

Leia mais

COMUNICAÇÃO DO INVENTÁRIO E STOCK SIMPLIFICADO COM POS / REST / DISCO

COMUNICAÇÃO DO INVENTÁRIO E STOCK SIMPLIFICADO COM POS / REST / DISCO COMUNICAÇÃO DO INVENTÁRIO E STOCK SIMPLIFICADO COM POS / REST / DISCO A partir de Janeiro de 2015 todas as empresas com faturação superior a cem mil euros são obrigadas a comunicar o seu Inventário de

Leia mais

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental

SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO À INSTRUÇÃO N.º 12/2013 - (BO N.º 6, 17.06.2013) Temas SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ANEXO II FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO

Leia mais

POP Procedimentos Operacionais Sistema Rodopar. (Controle de Redespacho)

POP Procedimentos Operacionais Sistema Rodopar. (Controle de Redespacho) POP Procedimentos Operacionais Sistema Rodopar ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 FLUXO OPERACIONAL... 3 CADASTROS E CONFIGURAÇÕES... 3 CADASTRO DE TABELA DE FRETE (CLIENTE)... 4 CADASTRO DE MUNICIPIOS... 5 CADASTRO

Leia mais

A alteração à sobretaxa de IRS já nos vencimentos de janeiro!

A alteração à sobretaxa de IRS já nos vencimentos de janeiro! A alteração à sobretaxa de IRS já nos vencimentos de janeiro! Documento FAQs 1 No recibo de vencimento, não aparece a taxa da sobretaxa, só o valor calculado Efetivamente esse é o comportamento da aplicação,

Leia mais

Como emitir a nota? Emitir Nova NFS-e

Como emitir a nota? Emitir Nova NFS-e Aqui se dá o começo do processo de criação da nota fiscal de serviço eletrônica. Como a Prefeitura é que gera a NFS-e, o que será feito é um RPS, com todas as informações da nota, que serão enviadas à

Leia mais

SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS

SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS! Sistema Price! SAC Autores: Francisco Cavalcante(francisco@fcavalcante.com.br) Administrador de Empresas graduado pela EAESP/FGV. É Sócio-Diretor da Cavalcante Associados,

Leia mais

Aprovadas em sessão do Conselho de Administração de 7/05/2001e atualizadas em Fevereiro de 2003

Aprovadas em sessão do Conselho de Administração de 7/05/2001e atualizadas em Fevereiro de 2003 Empréstimos NORMAS INTERNAS Aprovadas em sessão do Conselho de Administração de 7/05/2001e atualizadas em Fevereiro de 2003 ARTº 1º - NATUREZA E VALOR 1. As condições específicas de cada operação constarão

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Matemática Financeira

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Matemática Financeira Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Matemática Financeira 2010 0 Nesta Unidade iremos apresentar alguns conceitos importantes de Matemática Financeira tais como porcentagem,

Leia mais

CÁLCULO DA FOLHA. 1- Fechamento Quinzenal/Mensal 2- Lançamentos individuais na Ficha Mensal 3- Gerar lançamentos na Ficha Mensal 4- Cálculo da Folha

CÁLCULO DA FOLHA. 1- Fechamento Quinzenal/Mensal 2- Lançamentos individuais na Ficha Mensal 3- Gerar lançamentos na Ficha Mensal 4- Cálculo da Folha CÁLCULO DA FOLHA Objetivo: Realizar o cálculo da folha de pagamento dos funcionários, podendo ser realizado individualmente por funcionário ou por departamento. 1- Fechamento Quinzenal/Mensal 2- Lançamentos

Leia mais

TABELA FIXA CÁLCULO DE FOLHA PARA PROFESSORES

TABELA FIXA CÁLCULO DE FOLHA PARA PROFESSORES TABELA FIXA CÁLCULO DE FOLHA PARA PROFESSORES Procedimento para Cálculo de Folha de Professores Através de Tabela Fixa 1º Passo: Em Cadastros\ Genéricos Eventos, devem ser criados todos os eventos de hora

Leia mais

UNIVERSIDADE CORPORATIVA RH BANCO DE HORAS

UNIVERSIDADE CORPORATIVA RH BANCO DE HORAS UNIVERSIDADE CORPORATIVA RH BANCO DE HORAS Sumário TÓPICO: CONCEITOS... 3 TÓPICO: CADASTROS... 4 Banco de horas simples... 4 Banco de horas completo... 4 Ocorrências do banco de horas... 7 TÓPICO: PROCESSOS...

Leia mais

Contrato de Arrendamento Urbano para fins habitacionais com prazo certo (e com fiança opcional)

Contrato de Arrendamento Urbano para fins habitacionais com prazo certo (e com fiança opcional) Contrato de Arrendamento Urbano para fins habitacionais com prazo certo (e com fiança opcional) Entre: I -... (nome completo, estado civil, contribuinte fiscal e morada) na qualidade de senhorio e adiante

Leia mais

Contabilidade Básica Prof. Procópio

Contabilidade Básica Prof. Procópio 29-02-2012 Recapitulando... Prof. Procópio Contabilidade e Finalidade Usuários Patrimônio Representação Gráfica do Patrimônio Aspectos Qualitativos e Quantitativos do Patrimônio Formação do Patrimônio

Leia mais

Solicitar Vagas. Recrutamento & Seleção

Solicitar Vagas. Recrutamento & Seleção Sumário 1. Tela Requisições de Vagas - Visão Gestor... 3 2. Solicitar Vaga / Requisição com Indicação Externa... 5 3. Solicitar Vaga / Requisição de Aprendiz... 9 4. Solicitar Vaga / Requisição de Estagiário...

Leia mais

Ambientes de Desenvolvimento Avançados (ADAV)

Ambientes de Desenvolvimento Avançados (ADAV) Ambientes de Desenvolvimento Avançados (ADAV) 2006/2007 Trabalho Prático O trabalho prático da disciplina de ADAV consistirá na concepção e desenvolvimento de uma aplicação que simule a gestão de uma operadora

Leia mais

Recursos Humanos Rescisão Complementar

Recursos Humanos Rescisão Complementar Recursos Humanos Rescisão Complementar 1/18 Índice 1. RESCISÃO COMPLEMENTAR... 3 2. RESCISÃO COMPLEMENTAR POR ACORDO/CONVENÇÃO/DISSIDIO... 4 1.1. 1.2. 1.3. 1.4. 1.5. 1.6. PARÂMETROS... 4 SALÁRIOS RETROATIVOS

Leia mais

Índice. Manual de Utilizador de 18

Índice. Manual de Utilizador de 18 Índice Acesso da Agenda Jurídica WEB... 3 Apresentação da página de entrada... 4 Aceder à minha Agenda Jurídica WEB... 5 Criar Evento... 6 Criar Evento com Prazo e alertas... 8 Criar Evento periódico...

Leia mais

MÓDULO DE CONTROLE DE COMISSÃO

MÓDULO DE CONTROLE DE COMISSÃO MANUAL DO SISTEMA Versão 6.08 Configurações Gerais...2 Configurações para Serviços...2 Configurações para Peças...5 Configurando o Módulo...7 Perfil de Comissões...7 Perfil de Comissão de Veículos...7

Leia mais

A diferença entre juros simples e compostos no Excel

A diferença entre juros simples e compostos no Excel Utilizado nas mais variadas aplicações financeiras, o juro é o valor requerido em virtude de determinado empréstimo. São duas as formas de cálculo dele: os juros simples e os juros compostos. A sua base

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo. Manual de utilização do Lançamento de Notas do Portal do Professor da UFES

Universidade Federal do Espírito Santo. Manual de utilização do Lançamento de Notas do Portal do Professor da UFES Universidade Federal do Espírito Santo Manual de utilização do Lançamento de Notas do Portal do Professor da UFES Núcleo de Processamento de Dados Julho/2012 Apresentação O presente tutorial visa explicar

Leia mais

Configuração de Vale Transporte no cadastro do empregado e estagiário

Configuração de Vale Transporte no cadastro do empregado e estagiário Configuração de Vale Transporte no cadastro do empregado e estagiário Os dados a seguir foram elaborados para a configuração sobre as informações de vale transporte no cadastro do empregado 1 CADASTRO

Leia mais

REVVASE Mapas de Análise Financeira

REVVASE Mapas de Análise Financeira Data do Manual: 22/05/2015 Atualizado em: 15/07/2016 Verifique a sua versão Manual da Aplicação REVVASE Mapas de Análise Financeira O Registo de Verbas e Valores da Ação Social Escolar (REVVASE) é uma

Leia mais

Circuitos Série e a Associação Série de Resistores

Circuitos Série e a Associação Série de Resistores 1 Painel para análise de circuitos resistivos CC (Revisão 00) Circuitos Série e a Associação Série de Resistores 1 2 Circuitos Série e a Associação Série de Resistores Utilizando as chaves disponíveis

Leia mais

GESTÃO DE TURMAS. Índice. I Como posso promover a aprendizagem autónoma dos meus alunos através da plataforma? 05

GESTÃO DE TURMAS. Índice. I Como posso promover a aprendizagem autónoma dos meus alunos através da plataforma? 05 GESTÃO DE TURMAS Índice I Como posso promover a aprendizagem autónoma dos meus alunos através da plataforma? 05 1 Atribuir trabalhos aos alunos 05 1.1 Atribuir um trabalho a uma turma 05 1.2 Visualizar

Leia mais

Índice Introdução... 3 Como configurar a sua loja online ?... 3 Como disponibilizar um artigo para venda online

Índice Introdução... 3 Como configurar a sua loja online ?... 3 Como disponibilizar um artigo para venda online Manual Loja Online Índice Introdução... 3 Como configurar a sua loja online?... 3 Como disponibilizar um artigo para venda online?... 4 Como publicar a sua loja no facebook?... 4 Como configurar os métodos

Leia mais

MANUAL DO PCP (VENECCIA)

MANUAL DO PCP (VENECCIA) MANUAL DO PCP (VENECCIA) Para cadastrar um produto devemos ter um grupo e um ou mais subgrupos cadastrados observar nas figuras 1 e 2. figura 1 Código: Campo Obrigatório a ser preenchido o número não é

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Funcionamento com cartões Sistema Pré-Pago. v2011

ZS Rest. Manual Avançado. Funcionamento com cartões Sistema Pré-Pago. v2011 Manual Avançado Funcionamento com cartões Sistema Pré-Pago v2011 1. Índice 2. INTRODUÇÃO... 2 3. INICIAR O ZSRest FrontOffice... 3 1 4. Iniciar cartões pré-pagos... 4 b) Adicionar Cartões Pré-Pagoc) Atribuir

Leia mais

EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 1

EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 1 AULA 5 EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 1 5.1 Operadores aritméticos Os operadores aritméticos definem as operações aritméticas que podem ser realizadas sobre os números inteiros e reais. Para os inteiros,

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA GERAÇÃO E TRANSMISSÃO DA DIRF 2014 A DIRF2014 DEVERÁ SER GERADA NO SISTEMA DA FOLHA2015.

INSTRUÇÕES PARA GERAÇÃO E TRANSMISSÃO DA DIRF 2014 A DIRF2014 DEVERÁ SER GERADA NO SISTEMA DA FOLHA2015. Porto Feliz- 19 de Janeiro de 2015. INSTRUÇÕES PARA GERAÇÃO E TRANSMISSÃO DA DIRF 2014 A DIRF2014 DEVERÁ SER GERADA NO SISTEMA DA FOLHA2015. PARA FAZER A GERAÇÃO DA DIRF 2014 O SISTEMA DA FOLHA2015 DEVERÁ

Leia mais

CATÁLOGO RECURSOS HUMANOS

CATÁLOGO RECURSOS HUMANOS CATÁLOGO RECURSOS HUMANOS MÓDULO DE RECURSOS HUMANOS A solução de Recursos Humanos permite a qualquer entidade, realizar facilmente a coordenação das atividades dos seus colaboradores e automatizar a ocupação

Leia mais

Prova de Aferição de Matemática 5.º Ano de Escolaridade

Prova de Aferição de Matemática 5.º Ano de Escolaridade Prova de Aferição de Matemática.º Ano de Escolaridade Prova 6 Decreto-Lei n.º 17/016, de 4 de abril Critérios de Classificação 14 Páginas 016 Prova 6 CC Página 1/ 14 CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO 1. Todas

Leia mais

Olá, pessoal. Desta vez trago uma pequena aula sobre Reserva Legal, bem como algumas questões ilustrativas cobradas em provas da ESAF.

Olá, pessoal. Desta vez trago uma pequena aula sobre Reserva Legal, bem como algumas questões ilustrativas cobradas em provas da ESAF. Olá, pessoal. Desta vez trago uma pequena aula sobre Reserva Legal, bem como algumas questões ilustrativas cobradas em provas da ESAF. Antes disso, porém, gostaria de efetuar uma pequena correção na aula

Leia mais

Observando o formato das células

Observando o formato das células Se você quer entender como trabalhar com datas no Excel, ampliar o conhecimento de como elas funcionam é um bom caminho para a realização de um trabalho de qualidade com o software, já que existem diversas

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I - BCC Aula Prática 04 Exercício 1

PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I - BCC Aula Prática 04 Exercício 1 PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I - BCC701 2014-1 Aula Prática 04 Exercício 1 Tarifa de Energia A conta de energia elétrica de consumidores residenciais de uma cidade é calculada do seguinte modo, onde o consumo

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Risco de Liquidez de Fundos de Investimento da Sparta Administradora de Recursos Ltda.

Manual de Gerenciamento de Risco de Liquidez de Fundos de Investimento da Sparta Administradora de Recursos Ltda. Manual de Gerenciamento de Risco de Liquidez de Fundos de Investimento da Sparta Administradora de Recursos Ltda. Atualizado em 12/02/2015 Capítulo I Finalidade e Abrangência Art. 1º O presente Manual

Leia mais

Sistemas de Gestão De Bases de Dados. Criação de Tabelas na vista estrutura. Módulo 2. A Professora: Vanda Pereira

Sistemas de Gestão De Bases de Dados. Criação de Tabelas na vista estrutura. Módulo 2. A Professora: Vanda Pereira Sistemas de Gestão De Bases de Dados Criação de Tabelas na vista estrutura A Professora: Vanda Pereira Módulo 2 Para criar uma tabela basta clicar no separador Criar grupo Tabela Vai aparecer no lado esquerdo

Leia mais

Manual do Visual Practice

Manual do Visual Practice Manual do Visual Practice Aumento Salarial Esta opção serve para fazer aumento salarial para funcionários ou contribuintes. Lembramos que a alteração salarial irá gerar uma informação de histórico salarial,

Leia mais

Processo Cálculo 13º Salário. Processo Cálculo 13º Salário

Processo Cálculo 13º Salário. Processo Cálculo 13º Salário Processo Cálculo 13º Salário 1 Conteúdo Conteúdo... 2 Adiantamento 13º Salário... 3 1 Cadastros que influenciam no processo Adiantamento 13º Salário... 3 1.1 Manutenção Parâmetro Empresa RH (FP0500)...

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISICPLINAR - Informática ANO: 10º TICP ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/6

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISICPLINAR - Informática ANO: 10º TICP ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/6 ANO: 10º TICP ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/6 Módulo 1 Folha de Cálculo Conceitos básicos o Introdução o O que podemos fazer com o Microsoft Excel o Estrutura geral de uma folha de cálculo o Iniciar o Microsoft

Leia mais

Manual de Versão Sistema Condomínio21

Manual de Versão Sistema Condomínio21 Manual de Versão Sistema Condomínio21 Belo Horizonte, 2015. Group Software. Todos os direitos reservados. Sumário 1. Ajustes no processo de Homologação Carteira 112 Banco Itaú...3 2. Melhoria na alteração

Leia mais

Manual da Aplicação. REVVASE Livros e Material Escolar Bolsa de Manuais Escolares. DGEstE Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares

Manual da Aplicação. REVVASE Livros e Material Escolar Bolsa de Manuais Escolares. DGEstE Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares Data do Manual: 20/05/2015 Atualizado em: 10/08/2016 Verifique a sua versão Manual da Aplicação REVVASE Livros e Material Escolar Bolsa de Manuais Escolares O Registo de Verbas e Valores da Ação Social

Leia mais

Sistema de Informação de Gestão Orçamental. Pagamentos em Atraso DSOD/DEQS

Sistema de Informação de Gestão Orçamental. Pagamentos em Atraso DSOD/DEQS Sistema de Informação de Gestão Orçamental Pagamentos em Atraso DSOD/DEQS Histórico de Alterações Data Descrição Autor 1.0 Inicial Isabel Negrão Data da Aprovação Revisto por: Nome Unidade Orgânica Data

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: FAZER PAGAMENTOS CHEQUES

ÁREA DE FORMAÇÃO: FAZER PAGAMENTOS CHEQUES ÁREA DE FORMAÇÃO: FAZER PAGAMENTOS CHEQUES Índice Características Modalidades de emissão Endosso Encargos Consequências do uso indevido Cuidados a ter na emissão 2 Características Os cheques são um instrumento

Leia mais

Como se trata de Trabalho para os já iniciados no assunto, vamos reduzir o texto e ficar mais nos cálculos para não se ter um trabalho muito longo.

Como se trata de Trabalho para os já iniciados no assunto, vamos reduzir o texto e ficar mais nos cálculos para não se ter um trabalho muito longo. 1 AJUSTE Á VALOR PRESENTE ICMS Autores: Geraldo Barbieri Professor do Departamento de Contabilidade e Atuária da FEA/USP e Pesquisador da FIPECAFI Ariovaldo dos Santos Professor do Departamento de Contabilidade

Leia mais

Processo: Vendas. Acesso. Motivação. Parâmetros. Entradas. Nome do Processo: Pagamento de direitos autorais

Processo: Vendas. Acesso. Motivação. Parâmetros. Entradas. Nome do Processo: Pagamento de direitos autorais Desenvolvimento BM-1423 Direitos autorais - Comissão para autores Versão 5 Release 28 Autor Jaciara Silva Processo: Vendas Nome do Processo: Pagamento de direitos autorais Acesso Vendas\Movimentações Motivação

Leia mais

Livros: indicar qual o Livro que será extraído as informações:

Livros: indicar qual o Livro que será extraído as informações: LF0302 - EXTRATOR SPED CONTÁBIL Executar o programa de Extrator SPED Contábil (LF0302). Esse programa tem objetivo de buscar as informações necessárias para gerar o arquivo do SPED Contábil. O arquivo

Leia mais

Agrupamento de Escolas Templários

Agrupamento de Escolas Templários Agrupamento de Escolas Templários Guião do utilizador Início Na página inicial do GIAE Online poderá aceder à área pessoal (netgiae) e a área geral (netalunos). O GIAE Online é uma aplicação instalada

Leia mais

Liberação de Atualização

Liberação de Atualização Liberação de Atualização Autônomos Efetuadas diversas alterações e novas implementações nas rotinas de Autônomos. Com estas alterações, será possível criar eventos diversos de vencimento e desconto e lançá-los

Leia mais

Trabalhar um ficheiro CSV

Trabalhar um ficheiro CSV Trabalhar um ficheiro CSV Objetivos do utilitário Este utilitário foi desenvolvido com o intuito de facultar aos TOC s uma ferramenta que lhes permita contabilizar um ficheiro CSV obtido a partir do Portal

Leia mais

NOTA EXPLICATIVA PLANO DE LIQUIDAÇÃO DE PAGAMENTOS EM ATRASO

NOTA EXPLICATIVA PLANO DE LIQUIDAÇÃO DE PAGAMENTOS EM ATRASO NOTA EXPLICATIVA PLANO DE LIQUIDAÇÃO DE PAGAMENTOS EM ATRASO 1. ENQUADRAMENTO A Lei n.º 22/2015, de 17 de março, procede à 4.ª alteração à Lei n.º 8/2012, de 21 de fevereiro (LCPA), determina que as entidades

Leia mais

PONTOS/TALÕES DE DESCONTO

PONTOS/TALÕES DE DESCONTO /TALÕES DE DESCONTO www.xdsoftware.pt 1. Configuração de pontos...3 Tipo de Critério...4...4 Cabeçalho...4 Detalhes Artigo...6 Lista...6 Individual...6 Modo de Atribuição...7 Detalhes Família...9 Lista...9

Leia mais

Sistemas de Amortização

Sistemas de Amortização Matemática Financeira Sistemas de Amortização Prof. Me. Marcelo Stefaniak Aveline Séries de Pagamentos Este conteúdo pode ser visto como uma estensão de Juros Compostos. Enquanto em Juros Compostos um

Leia mais

1 de 6 26/08/2016 15:46 A partir desta versão disponibilizamos no sistema novos recursos relacionados ao processo de Retificação e Encerramento da declaração. Módulo Contribuinte >> Declarações >> Serviços

Leia mais

Documentos Informativos Ano Letivo de 2013/14

Documentos Informativos Ano Letivo de 2013/14 2013 Documentos Informativos Ano Letivo de 2013/14 Estes documentos tem como objectivo auxiliar o novo estudante no processo de inscrições nas unidades curriculares e fornecer algumas informações úteis

Leia mais

Configuração de ICMS no Grupo dos Produtos

Configuração de ICMS no Grupo dos Produtos Configuração de ICMS no Grupo dos Produtos Para configurar o ICMS no grupo do produto: Primeiro é necessário verificar com a pessoa responsável pela tributação dos produtos da empresa quais as informações

Leia mais

EMPRÉSTIMO E CARTÃO CONSIGNADO

EMPRÉSTIMO E CARTÃO CONSIGNADO setembro/2016 EMPRÉSTIMO E CARTÃO CONSIGNADO DIRECIONADOS A APOSENTADOS E PENSIONISTAS Todo aquele que recebe benefícios de aposentadoria ou pensão por morte pagos pela Previdência Social pode obter crédito

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando o sistema

Leia mais

S N FI SPED PIS/CO 0

S N FI SPED PIS/CO 0 0SPED PIS/COFINS Versão Observação Data Modificação Responsável 1 Criação do Manual 31/03/2011 Edilson J. Martins 2 Natureza de operação, CST PIS Cofins por empresa 30/05/2011 Edilson J. Martins Página

Leia mais