A REVOLUÇÃO DA TECNOLOGIA TOUCH SCREEN NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E NA ESCOLA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A REVOLUÇÃO DA TECNOLOGIA TOUCH SCREEN NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E NA ESCOLA"

Transcrição

1 A REVOLUÇÃO DA TECNOLOGIA TOUCH SCREEN NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL E NA ESCOLA Grazielle Frota Ana Carolina da Silva Pereira Daniele Vitorino Zena Eisenberg Departamento de Educação PUC-Rio O trabalho trata de um tema muito presente na mídia, mas ainda pouco estudado no contexto acadêmico: o uso de aparelhos de tecnologia touch screen pelas crianças pequenas. Nossa hipótese é que a tecnologia touch screen permite o acesso precoce das crianças aos aplicativos. A tecnologia touch é mais fácil de ser manuseada quando comparada ao uso do lápis, pois é a exigência de coordenação motora grossa e fina é menor do que no uso do teclado ou do mouse. Além disso, a relação causa-efeito também é direta - o toque tem um efeito visível, seja ele qual for. Assim, a tecnologia touch permite a interação com aplicativos de jogos, leitura, escrita, filmes/desenhos e redes sociais desde os primeiros anos de vida, o que antes só era possível mais tarde. Uma revisão abrangente de estudos nacionais e internacionais aponta que grande parte das pesquisas são voltadas para a tecnologia touch pela sua qualidade assistiva. Além disso, seu uso nas escolas regulares é limitado se não inexistente. Nosso objetivo é saber o que os aplicativos disponíveis para aparelhos touch screen permitem que a criança faça - ou aprenda a fazer- e como estes poderiam ser usados na docência na Educação Infantil. Isto posto, aplicamos um questionário para os pais em uma escola particular que atende alunos de classe média baixa do município do Rio de Janeiro. Nosso intuito foi conhecer os aplicativos já utilizados por crianças de 2 a 5 anos de idade. Um total de 77 questionários foram respondidos pelos responsáveis. Os aplicativos foram analisados com base nos critérios estabelecidos por Cohen (2011) - habilidades motoras, abordagens para exploração, conceito do jogo entre outros. A partir da análise, apresentamos sugestões de como adotar e incluir a tecnologia touch nas atividades da Educação Infantil como facilitadora do processo de ensino-aprendizagem.

2 2 Palavras-chave: tecnologia touch screen; desenvolvimento infantil; tecnologia na escola. INTRODUÇÃO Nos anos finais do século XX, o mundo presenciou transformações que vão corroborar com uma nova lógica de consumo nas sociedades. Segundo Momesso (2005), a revolução tecnológica faz com que os produtos estejam constantemente submetidos a atualizações, devido à velocidade de inovações em suas características. A integração das áreas econômica, política, social e cultural no mundo, permitiu uma maior circulação de informações, serviços, bens e pessoas, facilitando o acesso de todos às inovações tecnológicas. Nesse sentido, a integração dos mercados econômicos dos países, somada a uma reestruturação do capitalismo vai configurar uma nova forma de comunicação, revolucionando as gerações futuras. Esse contexto dos anos finais da década de 90 é marcado pelo surgimento de uma língua universal digital, conectando a todos de forma universal. Nessa mesma década, surge uma nova geração de crianças são os chamados Homo zappiens, este termo é utilizado por Veen e Vrakking (2009) para identificar as crianças e os jovens que nasceram na era dos múltiplos recursos digitais. Essas crianças administram diversas informações, paralelamente conseguem acessar diversos sites, ouvir música, jogar e fazer um trabalho solicitado pelos professores sem dificuldade. Elas são (...) um processador ativo de informação, resolve problemas de maneira muito hábil, usando estratégias de jogo, e sabe se comunicar muito bem. Veen e Vrakking (2009, p. 12). Partindo do pressuposto de que a escola está imersa na sociedade e que sofre influência das novas tendências, exigências e transformações que ocorrem no decorrer dos anos, os alunos trazem consigo suas vivências, experiências e conhecimentos para a sala de aula. Sendo assim, o contato cada vez maior com as novas tecnologias faz parte do cotidiano de jovens e crianças nas sociedades contemporâneas, não estando desconectados do contexto educacional. Para entender o público que a escola a partir do século XX atende, é de grande relevância separar estes frequentadores em dois grupos: nativos digitais e imigrantes digitais. Segundo Carniello, Rodrigues & Moraes (2010), os nativos digitais são aqueles que falam o idioma digital dos recursos tecnológicos e conseguem exercer diversas tarefas através destes recursos. Já os imigrantes digitais são aqueles que estão inseridos no universo digital, mas não falam o vocabulário dos nativos.

3 3 No contexto escolar, os nativos são os alunos que são estimulados a todo tempo pelos recursos midiáticos. Os imigrantes são, na maioria das vezes, os professores e/ ou os pais que, por não conhecerem tão a fundo o mundo tecnológico, acabam tratando estes alunos com uma certa aversão e, consequentemente, os tolhendo. Esta reação dos pais e professores acaba tornando o ambiente escolar menos prazeroso para estas crianças o que, para Veen e Vrakking (2009), seria um local desconexo do mundo dos nativos digitais. Segundo Buckingham (2007), essa tentativa dos pais e profissionais da educação de privar as crianças do uso das mídias está fadada ao fracasso. Precisaríamos, então, pensar em modos de integrá-las ao cotidiano da criança de forma que corroborem com o seu desenvolvimento, além de estarmos atentos para as experiências que tais aparelhos podem proporcionar. A tecnologia touch screen se configura como uma primeira geração de mídia que permite às crianças uma utilização criativa de acordo com Cohen (2011). Além disso, o autor afirma que várias aprendizagens podem ser desenvolvidas com o uso dessa tecnologia, pois as crianças vão construindo suas habilidades de acordo com motivação. Elas têm a possibilidade de aprender de forma natural com essa plataforma, como o tocar, repetir, errar, entre outras ações que estão presentes no seu cotidiano. Sendo assim, estruturamos nosso artigo, não com a pretensão de delinear maneiras para a utilização dos aparelhos com a tecnologia touch screen, mas para apresentar sua relevância para o desenvolvimento da infantil. Para tanto, o presente trabalho está dividido em seis partes da seguinte maneira: em um primeiro momento, apresentaremos uma breve análise da tecnologia touch screen relacionada à infância; em seguida, levaremos essa análise para o ambiente escolar; depois faremos uma avaliação de alguns aplicativos utilizados por crianças de 2 a 5 anos de idade e, por fim, apresentaremos as conclusões preliminares desta pesquisa. Infância e o touch screen As tecnologias digitais estão a cada dia mais presentes na nossa cultura e demarcando espaço no nosso cotidiano. Estamos cercados de telefones, computadores, televisões e de outros tantos aparelhos midiáticos. Nesse sentido, as crianças que já nascem neste universo, crescem em um ambiente diferenciado, expostos diariamente a estímulos digitais. De acordo com Buckingham (2007), essa experiência que os jovens têm com as mídias corrobora um alargamento do fosso existente entre a sua cultura e a cultura da geração dos seus pais.

4 4 As crianças dessa geração, os nativos digitais, apresentam um novo modelo de infância. Estas têm maior facilidade para exercer diversas tarefas simultaneamente como, por exemplo, assistir televisão, mexer no computador e fazer tarefas de casa. Enquanto os imigrantes digitais têm maior dificuldade para coordenar tarefas distintas e paralelas. (Carniello, Rodrigues & Moraes, 2010). Com base nesta divisão entre nativos e imigrantes digitais, cabe uma discussão relacionada ao conceito de infância de cada grupo. Os pais muitas vezes não compreendem como os jovens ficam tão imersos nos aparelhos midiáticos e criticam este comportamento, pois são de uma geração diferente que não tinha acesso a tantos recursos tecnológicos. Os filhos, por sua vez, encontram nos aparelhos midiáticos uma forma de adquirirem conhecimento e diversão através dos jogos e do acesso à internet. Cabe ressaltar, ainda, que não existe um modelo correto de infância: cada geração possui vivências diferentes e acessos a recursos distintos. Cada vez mais cedo as crianças estão ingressando no universo das mídias. Definida como interfaces que devem ser tocadas para estabelecer uma relação entre o homem e a máquina por Erthal (2008), a tecnologia touch screen é uma facilitadora em potencial, já que reproduz as sensações físicas de interação pessoal em mídia. Ou seja, o que antes era apenas visto, hoje pode ser tocado. Desta forma, utilizando da sensorialidade e permitindo uma relação toque-efeito imediato, a tecnologia touch screen permite o acesso precoce das crianças pequenas ao universo das mídias, facilitando que ela represente graficamente, por meio de desenho ou interação com aplicativos, seu desenvolvimento cognitivo antes do que imaginávamos ser possível. Sendo assim, tal tecnologia pode revolucionar o mundo da infância, posto que um aspecto importante dessa sensorialidade tática no uso das mídias, proporcionada pela tecnologia touch screen, concentra-se nas extremidades do corpo (dedos, mãos, boca...) os mesmos membros que utilizamos na interação com o meio (Erthal, 2008). Se antes a criança precisava compreender que era necessário algum tipo de mediador na sua interação com os aparelhos tecnológicos, como o teclado, o mouse e o controle remoto. Hoje, a partir do surgimento de novas tecnologias, em especial, as de interface tátil, essa relação com as mídias passa a se configurar de uma nova forma. Em que, a criança compreende que através do touch screen, sua ação tem uma repercussão direta no aparelho (ato consequência), não precisando, desta forma, de nenhum tipo de mediação.

5 5 Cohen (2011) afirma que, no geral, as crianças passam do desconhecimento da mídia de tela sensível ao toque para a maestria com certa facilidade, e ficam fascinadas pelo aparelho. Se, de um lado, esse fascínio se dá no decorrer do contato e uso com essas tecnologias, por outro lado, os jogos e aplicativos precisam estar em sintonia com o desenvolvimento da criança. Isto é, estar de acordo com a "zona de desenvolvimento proximal Vygotsky (2009), pois, somente dessa forma continuaria despertando o interesse dos pequenos pelo uso dos aplicativos, não estando muito acima de sua capacidade e nem muito abaixo, para não ser desmotivador. Além disso, o design tem que ser atrativo e deve oferecer acessibilidade significativa para as crianças. O conceito de zona de desenvolvimento proximal de Vygotsky, é de suma importância para o âmbito educacional, posto que consiste em uma relação entre o que a criança já sabe fazer e o que ela realiza com ajuda de um adulto. No âmbito da relação entre a criança e o aparelho de touch screen na escola, o educador se tornaria um mediador do processo de ensino-aprendizagem. Cabe ressaltar que os aplicativos devem ter um nível de dificuldade que evolução gradativamente - do básico para o avançado - condizente com o desenvolvimento intelectual e motor da criança, a fim de mantê-la envolvida com o jogo. Touch screen na escola De acordo com Erthal (2008), o advento das mídias de tecnologia touch screen proporcionou-nos a interação com o mundo digital de forma a utilizarmos as habilidades táteis, começando assim a valorizar a experiência do toque. Essa valorização também se dá no meio educacional, permitindo que a criança explore e desenvolva sua sensorialidade. Dentre os autores dessa revisão, muitos definem aprendizagem como a troca do conhecimento entre professor e aluno, mas julgamos que esta concepção engessa o sistema educacional, no sentido de que o professor cria uma aversão aos recursos tecnológicos, pois está ligado a um modelo de aprendizagem que não utiliza os recursos mediadores da atualidade. É comum o acesso das crianças aos tablets e celulares antes de entrarem na escola e de seu uso frequente fora da mesma. Dessa forma, estas experiências anteriores ao ingresso nas instituições escolares e fora delas, estão a cada dia mais atreladas ao mundo tecnológico, por meio do acesso à internet que, com os smartphones e tablets, ficou mais acessível. Na sala de aula, a utilização desses aparelhos frequentemente não é permitida, mas o novo público escolar, os nativos digitais, estão em um universo repleto de

6 6 informações novas e rápidas e lidam com esses novos conhecimentos, muitas vezes, sem precisarem de mediação de outras pessoas. A reprovação do uso de aparelhos com tecnologia touch acaba mostrando para os alunos que a escola é uma instituição desconectada de seu meio social e que não dialoga com seus interesses, características e vivências pessoais. O distanciamento da escola com a realidade da criança não é novidade que aparece com o desenvolvimento acelerado das tecnologias, mas precede esta globalização. Nos anos 80, Carraher, Carraher e Schliemann (1982) já haviam identificado o prejuízo que traz para as crianças esta falta de reconhecimento do que elas já sabem e trazem para a escola. Os conhecimentos matemáticos adquiridos em seu cotidiano eram simplesmente ignorados pela escola e a linguagem matemática era ensinada de forma isolada de contexto e da realidade. Se com conhecimentos cotidianos a escola já era resistente, o que dirá com as novas tecnologias, nas quais as crianças se beneficiam de ter maior proficiência que suas professoras? Segundo Carniello, Rodrigues & Moraes (2010), o professor e a escola não são mais os detentores do conhecimento e da informação. Este fato justifica a aversão desses agentes com relação ao acesso do conhecimento através da internet. Não levamos em consideração tal aversão, pois temos como pressuposto que o conceito de aprendizagem vai além dessa relação tradicional de professor - aluno. Nesse sentido, (...) A Internet e as tecnologias digitais passam a ter um papel significativo nesta relação, que deixa de ser unidirecional (professor aluno) e passa a ser multidirecional (professor aluno tecnologias digitais professor-mídias/internet aluno...). (Carniello, Rodrigues & Moraes, 2010, p.8). O acesso à informação deve ser visto como um aliado no processo educacional, valorizando o conhecimento do professor, do aluno e o conhecimento que será adquirido através da internet, tornando a sala de aula mais dinâmica e contextualizada com o cotidiano do educando. No que tange os jogos digitais, diversas habilidades podem ser desenvolvidas como, por exemplo, (...) facilidade para trabalhar em grupo; capacidade de aprender de forma rápida; iniciativa, atitude e criatividade; (Carniello, Rodrigues & Moraes, 2010, p.10). Esses jogos possuem níveis que a criança aprende a passar fases do jogo, ou seja, ela aprende a encontrar novas formas de conquistar o objetivo. Com esta movimentação, o indivíduo desenvolve o raciocínio lógico e pode ter uma maior facilidade na resolução de problemas. Esta habilidade pode ser aplicada, por exemplo, na disciplina de matemática.

7 7 Argumentamos aqui que a tecnologia touch screen é uma revolução na infância, pois o que antes os botões realizavam de forma indireta nos computadores, hoje é possível realizar diretamente com o toque na própria plataforma midiática. Isto possibilita o acesso de crianças mais jovens aos aplicativos e jogos que antes podiam ser utilizados apenas por crianças maiores. No contexto educacional, as crianças podem desenvolver diversas habilidades já desde a Educação Infantil.. Acreditamos que a apresentação e uso destes aparelhos em sala de aula desde cedo, como um suporte e mediador de aprendizagem tem não apenas a vantagem de ser lúdico, mas também permite à escola manter-se atualizada no mundo contemporâneo de mudanças rápidas que reconfiguram formas de agir e de pensar.. Desta forma, como já mencionamos acima, acreditamos na eficácia de alguns aplicativos no auxilio das crianças para a demonstração daquilo que já sabem, mas ainda não possuem coordenação motora suficiente para expressar. As características do design do aparelho e dos aplicativos, como as cores e seu formato, são importantes quando o assunto é suscitar o interesse da criança. Além disso, tais aspectos facilitam a aprendizagem no decorrer do manuseio das tecnologias touch screen, tanto no contexto educacional, quanto no seu cotidiano fora da escola. O mundo na palma das mãos: uma revolução no mundo infantil Com base nos estudos relacionados à área das mídias e a introdução dos aparelhos de tecnologia touch screen no processo de ensino aprendizagem, elaboramos nossa pesquisa com a seguinte hipótese: a tecnologia touch permite que a criança tenha acesso aos aplicativos mais cedo, já que depende de coordenação visomotora mais básica para utilizá-los. Isto é, estes aparelhos permitem que a criança explore habilidades e conhecimentos antes de desenvolverem, totalmente, a coordenação motora necessária para o uso de computadores e mouses, que não têm a tecnologia touch screen. De acordo com essa hipótese fomos para o campo com o objetivo de traçarmos um panorama dos aplicativos mais utilizados pelas crianças, dentro da faixa etária estudada (de dois a cinco anos de idade). Nosso objetivo neste trabalho é analisar os aplicativos a partir de Cohen (2011) e das habilidades descritas por Carniello, Rodrigues & Moraes (2010) a fim de observar se o uso da tecnologia touch e dos aplicativos auxilia no desenvolvimento infantil, tendo como foco o contexto educacional. Metodologia

8 8 Para conhecermos o campo e identificarmos os aplicativos mais utilizados pelas crianças, elaboramos e distribuímos um questionário aos responsáveis pelos alunos de uma escola particular localizada na zona oeste do Rio de Janeiro. O questionário foi elaborado com quatorze perguntas de múltipla escolha e/ ou semiabertas. Nosso objetivo foi entender onde, como e quando a criança usa a tecnologia, qual acesso ela tem aos aparelhos e aos aplicativos e se alguém faz a mediação do uso. Contamos com a participação de 79 responsáveis por crianças de 2 a 5 anos de idade. Desses, 76 (96%) declararam que seus filhos têm acesso a aparelhos com tecnologia touch screen. Mais interessante foi ver que quase metade das crianças (45%) têm seus próprios aparelhos. Além disso, a maior parte (68%) dos responsáveis declarou que suas crianças começaram a utilizar a tecnologia touch entre os 2 e 3 anos de idade. Por fim, a transição de usar com ajuda para usar a tecnologia sozinha se dá entre os 3 (quando 47% não usa sozinha) e os 4 anos de idade (quando 41% já usam sozinhos). As respostas obtidas foram tabuladas em Excel e as análises descritivas foram produzidas a partir do software SPSS 18. Análise dos aplicativos Dentre os diversos aplicativos mencionados pelos responsáveis na resposta ao questionário, selecionamos os três aplicativos que apareceram com maior frequência. Cabe ressaltar que os dois primeiros aplicativos expostos a seguir são compostos por uma grande quantidade de jogos e/ou vídeos. Portanto, essa análise diz respeito à última atualização dos aplicativos, referente ao mês de outubro de Além disso, vale ressaltar que as grandes categorias de análise foram feitas com base em Cohen (2011). Os quadros 1, 2 e 3 organizam as categorias definidas por nós, a partir da literatura, para analisar os aplicativos. As grandes categorias de análise adotadas foram: (1) habilidades motoras, (2) generalização de habilidades, (3) abordagem para exploração e (4) preferência para atividades e projetos (Cohen, 2011). A primeira, habilidades motoras, diz respeito ao desenvolvimento da coordenação motora da criança; a segunda, generalização de habilidades, refere-se aos desafios e habilidades necessárias para adaptação dos esquemas cognitivos aos jogos, habilidades essas que são desenvolvidas a partir da interação da criança com o aplicativo; a terceira, abordagem para exploração, são as características que estimulam a exploração dos jogos e, por fim, a quarta, preferência para atividades e projetos, é definida por atividades que são atraentes visualmente e convidam a criança para a interação.

9 9 A seguir analisamos cada um dos aplicativos que foram os de mais frequente uso, de acordo com os responsáveis. PlayKids foi citado por 4 dos responsáveis. Pou teve 18 citações e Subway Surfers obteve 3 citações. Play Kids i : O aplicativo foi criado para crianças de até 5 anos de idade. Permite uma interação entre a criança e o conteúdo exposto com pequenas frases ao carregar cada etapa do aplicativo, além do som atrativo e das cores. Ao tocar no primeiro vagão do trem da página principal do aplicativo a criança ainda pode ouvir sons e fazer o condutor se mover de forma diferente da apresentada. O aplicativo possui detalhes e cores suficientes para se tornar atrativo, além de uma área de jogos e algumas outras direcionadas apenas para vídeos infantis (a maioria precisa ser comprada). Quadro 1. Habilidades presentes no aplicativo PlayKids. Habilidades motoras Generalização de habilidades Abordagem para exploração Preferência para atividades e projetos Força Linguagem Resposta ao toque Personagens conhecidos Mira Memória Indicação convidativa Design convidativo Clicar Raciocínio Lógico Premiação por nível Jogo interativo Ligar Leitura Passagem de nível Agilidade Escrita Lateralidade Ritmo Noção espacial Atenção Arrastar Pou: O aplicativo tem como objetivo principal a interação com a criança através de um bichinho de estimação virtual. Como um ser vivo, precisa receber cuidados médicos, alimentação e higienização diária, além de um período de sono e lazer, para assim ter uma condição saudável virtual. Além disso, a interação é simples devido aos símbolos de fácil compreensão. A página principal é constituída por seis ambientes semelhantes aos cômodos de uma casa, como cozinha, banheiro, quarto e sala de jogos. Conforme a criança vai interagindo com a mascote, suas ações são premiadas com moedas, o que permite que compre diversos objetos em uma loja virtual. Uma das áreas principais é o local de jogos, onde é possível usar o Pou em várias brincadeiras. Vale esclarecer que o nível de dificuldade dos jogos vai aumentando e, quanto mais fases a criança ultrapassa, mais moedas e premiações ela conquista. Segundo Cohen (2011), conquistar um nível sustenta o interesse de quem está jogando e incentiva a continuar explorando o aplicativo. Esse aplicativo é composto por 32 jogos que dentre os quais o Pou Words estimula à leitura por permitir que a criança encontre e monte palavras, o Sudoku desenvolve um raciocínio lógico, o Pou Sounds desenvolve a habilidade referente ao

10 10 ritmo e o Memory colabora com o desenvolvimento da memória. Todos os jogos existentes no aplicativo desenvolvem a atenção, as habilidades motoras descritas na tabela de análise, bem como a abordagem de exploração e os quesitos para estimular a preferência para atividades e projetos. Quadro 2. Habilidades presentes no aplicativo e/ ou que o Pou pode proporcionar às crianças Habilidades motoras Generalização de Abordagem para Preferência para atividades e habilidades exploração projetos Força Linguagem Resposta ao toque Personagens conhecidos Mira Memória Indicação convidativa Design convidativo Clicar Raciocínio Lógico Premiação por nível Jogo interativo Ligar Leitura Passagem de nível Agilidade Escrita Lateralidade Ritmo Noção espacial Atenção Arrastar Subway Surf ii : O aplicativo consiste em uma plataforma na qual o jogador está em uma corrida para não se pego por um policial, tendo assim que superar alguns obstáculos apresentem em uma ferrovia. Ele permite o desenvolvimento da agilidade e do raciocínio lógico, pois o jogador deve ficar atento aos obstáculos e à forma de superá-los. Além disso, o aplicativo possui ainda cores fortes, premiação com sons e moedas para serem utilizadas em uma loja virtual para melhorar as habilidades do avatar (jogador virtual). É possível também escolher o avatar que o jogador quer e o pano de fundo muda de acordo com a época festiva ou estação do ano. Quadro 3. Habilidades presentes no aplicativo e/ ou que o Subway Surf pode proporcionar às crianças Habilidades motoras Generalização de Abordagem para Preferência para atividades e habilidades exploração projetos Força Linguagem Resposta ao toque Personagens conhecidos Mira Memória Indicação convidativa Design convidativo Clicar Raciocínio Lógico Premiação por nível Jogo interativo Ligar Leitura Passagem de nível Agilidade Escrita Lateralidade Ritmo Noção espacial Atenção Arrastar Conclusões preliminares As tecnologias midiáticas estão inseridas cada vez mais no cotidiano, tanto dos adultos, quanto dos jovens e crianças. Desta forma, partindo do princípio de que a escola é uma instituição que está imersa na sociedade e que participa de alguma forma

11 11 das novas tendências e revoluções do século, é de suma importância que os agentes participantes da educação estejam abertos às novas demandas que se apresentam e que se capacitem devidamente para poderem lidar com os novos desafios. Os aparelhos tecnológicos com touch screen estão inseridos no contexto sociocultural, pois estes conquistam espaço e, cada vez mais, marcam a rotina dos indivíduos. Por conseguinte, é importante que a escola saiba promover um ambiente que não só proporcione o contato de todos com as novas mídias digitais, mas que ofereça experiências que corroborem com o desenvolvimento de diversas habilidades, segundo os interesses e motivações dos alunos. Se, antigamente, as configurações e características dos aparelhos tecnológicos não permitiam que as crianças adentrassem profundamente neste universo, em contrapartida, hoje em dia, o modo touch screen dos tablets e smartphones facilita seu acesso e manuseio; mais que isso, as convida. A partir da revisão bibliográfica e do questionário aplicado em campo, propomos que essa tecnologia pode ser alterar qualitativamente a infância contemporânea, uma vez que permite que as crianças demonstrem desde cedo certas habilidades e potenciais, mas também que trabalhem outras, que somente poderiam ter a oportunidade de desenvolver anos mais tarde. Nesse sentido, podemos considerar que o contato com as tecnologias touch screen e seus aplicativos devem ser vistos como aliados no processo educacional. Com base nesta premissa, consideramos que os aplicativos podem ser eficientes no contexto escolar, tendo em vista que ajudam as crianças a demonstrarem o conhecimento que já possuem, mas que não podem mostrar ou interagir por não terem a coordenação motora necessária. Autores como Cohen (2011) e Carniello, Rodrigues & Moraes (2010), mostramnos que a utilização dos aplicativos auxilia no desenvolvimento de áreas como a memória, linguagem, raciocínio lógico, entre outros. Assim, é interessante e proveitoso que educadores, gestores, coordenadores pedagógicos e alunos tenham um olhar mais atento para essas novas tendências tecnológicas e dialoguem sobre seus interesses e possibilidades de utilizá-las no contexto educacional.

12 12 Referências Bibliográficas BUCKINGHAM, David. Crescer na Era das Mídias Eletrônicas. Ed. Loyola, 2007 CARRAHER, T.N., CARRAHER, D.W. &SCHLIEMANN, A.D. Na vida, dez; na escola, zero: os contextos culturais da aprendizagem da matemática. Cadernos de Pesquisa, 42, 1982, COHEN, Michael. Young children Apps e Ipad. Prepared by Michael Cohen Group LLC. Disponível em: <http://mcgrc.com/wpcontent/uploads/2012/06/ipad-studycoverpage-report-mcg-info_new-online.pdf.>. Acesso em: 06 de Ab ERTHAL, Ana Amélia. Touch screen: a reprogramação das sensorialidades numa perspectiva tridimensional.in: segundo seminário interno PPGCOM. Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ, Rio de Janeiro, RJ, 2008 MARINI MOMESSO, Bianca. Comunicação usando o computador e a internet.in Inclusão digital, Cadernos CECEMCA, n.3. Bauru - Faculdade de Ciências, PRENSKY, Marc. Digital Natives, Digital Immigrants. MCB University Press, Disponível em: <http://www.marcprensky.com/writing/prensky%20%20digital%20 Natives,%20Digital%20Immigrants%20 %20Part1.pdf>.Acesso em: 06 de Ab SIMPÓSIO HIPERTEXTOS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO, 3., Pernambuco. Anais Eletrônicos. Pernambuco: UFP. Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologia na Educação. Disponível em: <http://nehte.com.br/simposio/anais/anais- Hipertexto-2010/Luciana-Barbosa-Carniello&Barbara-Alcantara-Gratao&Moema- Gomes-Moraes.pdf>. Acesso em: 06 de Ab VEEN, Win; VRAKKING, Bem; Homo Zappiens, Educando na Era Digital. 1 ed. São Paulo: Artmed, Disponível em: <http://books.google.com.br/books?id=u89lual5rs8c&lpg=pa7&ots=tpkedm_3e4& dq=veen%2c%20wim%3b%20vrakking%2c%20ben%3b%20homo%20zappi ens%2c%20educando%20na%20era%20digital.%20&lr&hl=pt- BR&pg=PA3#v=onepage&q&f=false>. Acesso em: 06 de Ab VIGOTSKI, Lev S. Imaginação e criação na infância: livro para professores/ Lev Seminonovich Vigotski: apresentação e comentários Ana Luiza Smolka ; Tradução Zoia Prestes São Paulo: Ática, i PlayKids Videos e jogos para crianças e bebês. Movile Internet Móvel S.A ii Subway Surfers., Sybo Games, Kiloo, 2012.

TOUCH SCREEN: O DESENVOLVIMENTO INFANTIL NA PONTA DOS DEDINHOS Aluna: Ana Carolina da Silva Pereira Orientadora: Zena Winona Eisenberg

TOUCH SCREEN: O DESENVOLVIMENTO INFANTIL NA PONTA DOS DEDINHOS Aluna: Ana Carolina da Silva Pereira Orientadora: Zena Winona Eisenberg Departamento de Educação/PUC-Rio TOUCH SCREEN: O DESENVOLVIMENTO INFANTIL NA PONTA DOS DEDINHOS Aluna: Ana Carolina da Silva Pereira Orientadora: Zena Winona Eisenberg Introdução Quais são os impactos

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais

A INTERNET COMO RECURSO PEDAGÓGICO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

A INTERNET COMO RECURSO PEDAGÓGICO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A INTERNET COMO RECURSO PEDAGÓGICO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Jacqueline Liedja Araujo Silva Carvalho Universidade Federal de Campina Grande (UFCG CCTA Pombal) jliedja@hotmail.com

Leia mais

BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Suzana Aparecida Portes FC UNESP- Bauru/SP E-mail: suzanaapportes@gmail.com Profa. Dra. Thaís Cristina Rodrigues Tezani FC UNESP- Bauru/SP E-mail:

Leia mais

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS Vitor Cleton Viegas de Lima 1 Cristiane Camargo Aita 2 Daniele Pinto Andres 3 Resumo: este artigo tem por objetivo levantar

Leia mais

A apropriação das Tecnologias Digitais pelos acadêmicos de licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Goiás (UEG-Anápolis)

A apropriação das Tecnologias Digitais pelos acadêmicos de licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Goiás (UEG-Anápolis) A apropriação das Tecnologias Digitais pelos acadêmicos de licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Goiás (UEG-Anápolis) Moema Gomes Moraes Universidade Estadual de Goiás (UEG)/ CEPAE-UFG

Leia mais

Apoio tecnológico para treinamento vocacional. Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online. Artigo

Apoio tecnológico para treinamento vocacional. Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online. Artigo Artigo Apoio tecnológico para treinamento vocacional Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online Rodrigo Laiola Guimarães*, Andrea Britto Mattos**, Victor Martinêz***, Flávio

Leia mais

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Adriana Cristina Lázaro e-mail: adrianaclazaro@gmail.com Milena Aparecida Vendramini Sato e-mail:

Leia mais

PO 19: ENSINO DE ÂNGULOS: O AUXÍLIO DA LOUSA DIGITAL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA

PO 19: ENSINO DE ÂNGULOS: O AUXÍLIO DA LOUSA DIGITAL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA PO 19: ENSINO DE ÂNGULOS: O AUXÍLIO DA LOUSA DIGITAL COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA José Erildo Lopes Júnior 1 juniormat2003@yahoo.com.br RESUMO Neste trabalho, vamos apresentar o conteúdo de ângulos, através

Leia mais

OS JOGOS DIGITAIS EDUCATIVOS NAS AULAS DE CIÊNCIAS

OS JOGOS DIGITAIS EDUCATIVOS NAS AULAS DE CIÊNCIAS OS JOGOS DIGITAIS EDUCATIVOS NAS AULAS DE CIÊNCIAS SAYONARA RAMOS MARCELINO FERREIRA QUIRINO (UEPB) WILAVIA FERREIRA ALVES (UEPB) RAFAELA CORREIA DOS SANTOS (UEPB) PAULA ALMEIDA DE CASTRO (ORIENTADORA

Leia mais

Apresentação das Práticas Tecnológicas do Programa Mais Educação 1. Evanir Siqueira Lopes 2

Apresentação das Práticas Tecnológicas do Programa Mais Educação 1. Evanir Siqueira Lopes 2 Resumo Apresentação das Práticas Tecnológicas do Programa Mais Educação 1 Evanir Siqueira Lopes 2 Franciele Dorneles Filippin 3 Escola Estadual de Ensino Fundamental Osvaldo Aranha Este relato de experiências

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA Q U E S T Õ E S E R E F L E X Õ E S Suraya Cristina Dar ido Mestrado em Educação Física, na Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo, SP, 1987 1991 Doutorado em

Leia mais

MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013

MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013 AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Administração Escolar DISCIPLINA: Educação Inclusiva ALUNO(A):Claudia Maria de Barros Fernandes Domingues MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013 NÚCLEO REGIONAL: Rio

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA Autores : Agata RHENIUS, Melissa MEIER. Identificação autores: Bolsista IFC-Campus Camboriú;

Leia mais

mhtml:file://c:\documents and Settings\Angela Freire\Meus documentos\cenap 2...

mhtml:file://c:\documents and Settings\Angela Freire\Meus documentos\cenap 2... Page 1 of 6 O lúdico na educação infantil Com relação ao jogo, Piaget (1998) acredita que ele é essencial na vida da criança. De início tem-se o jogo de exercício que é aquele em que a criança repete uma

Leia mais

O ENSINO DE FUNÇÕES AFINS E QUADRÁTICAS COM O AUXÍLIO DO COMPUTADOR E DO SOFTWARE GEOGEBRA

O ENSINO DE FUNÇÕES AFINS E QUADRÁTICAS COM O AUXÍLIO DO COMPUTADOR E DO SOFTWARE GEOGEBRA O ENSINO DE FUNÇÕES AFINS E QUADRÁTICAS COM O AUXÍLIO DO COMPUTADOR E DO SOFTWARE GEOGEBRA 1 Samara Araújo Melo; 2 Arthur Gilzeph Farias Almeida; 3 Maria Lúcia Serafim 1 E.E.E.F.M Professor Raul Córdula,

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches A presença de tecnologias digitais no campo educacional já é facilmente percebida, seja pela introdução de equipamentos diversos,

Leia mais

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM O LÚDICO NA APRENDIZAGEM RESUMO Aline Hahn Affeldt Prof. Janaina de Souza Aragão Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI Pedagogia (PED 7051) Metodologia e Conteúdos Básicos de Comunicação e

Leia mais

O que é educação a distância (*)

O que é educação a distância (*) O que é educação a distância (*) José Manuel Moran Professor da Universidade Bandeirante e das Faculdades Sumaré-SP Assessor do Ministério de Educação para avaliação de cursos a distância jmmoran@usp.br

Leia mais

PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE

PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE 1 PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE 1 Rochelle Lopes da Silva- UVA 2 Andrea Abreu Astigarraga- UVA INTRODUÇÃO De acordo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Lúcia Peranzoni 1 Fabiana Lacerda da Silva 2 Resumo: O presente trabalho foi desenvolvido na disciplina Estágio Básico II no segundo semestre de 2011, tendo

Leia mais

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Introdução USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho EEEFM Agenor Clemente dos Santos paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

AS SALAS DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS E A PRATICA DOCENTE.

AS SALAS DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS E A PRATICA DOCENTE. AS SALAS DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS E A PRATICA DOCENTE. Introdução Carlos Roberto das Virgens Sirlene de Souza Benedito das Virgens Antonio Sales Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul Não faz muito

Leia mais

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS Fortaleza Ce Agosto 2009 Liádina Camargo Lima Universidade de Fortaleza liadina@unifor.br Categoria C Métodos

Leia mais

O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA

O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA Fernanda Mara Cruz (SEED/PR-PG-UFF) Introdução Os processos de ensinar e aprender estão a cada dia mais inovadores e com a presença de uma grande variedade

Leia mais

Software Tutorial sobre Sistema Solar

Software Tutorial sobre Sistema Solar Software Tutorial sobre Sistema Solar Alan Correa, Antônio Rocir, Sandro Niederauer Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {sandroniederauer, alan.sms}@hotmail.com,

Leia mais

CONSTRUINDO A CIDADANIA POR MEIO DE TECNOLOGIAS COM ALUNOS DO EJA

CONSTRUINDO A CIDADANIA POR MEIO DE TECNOLOGIAS COM ALUNOS DO EJA CONSTRUINDO A CIDADANIA POR MEIO DE TECNOLOGIAS COM ALUNOS DO EJA Neire Oliveira de Castro Souza 1 Lorrainy Dias Mendes 2 Airson José de Moraes Júnior 3 Neusa Elisa Carignato Sposito (Orientador) 4 RESUMO

Leia mais

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Desenvolvimento motor do deficiente auditivo A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil 1 Introdução: A matemática é uma disciplina de fundamental importância na vida de todo mundo. Desde tempos antigos o ensino dessa matéria vem fazendo cada vez mais parte da vida dos seres humanos. Basta

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores FORMANDO PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PARA O ACESSO A INTERNET: O CURSO DE WEB DESIGN E A

Leia mais

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G)

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) Resumo: Este artigo procurou abordar o ensino da matemática na Educação Infantil através de brincadeiras,

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO.

AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO. AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO. Autor: José Marcos da Silva Instituição: MIDS/Macaé E-mail:mzosilva@yahoo.com.br. RESUMO Na atualidade, é preciso que se crie novos métodos

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

CRIACAO. de aplicativos e jogos. para ANDROID

CRIACAO. de aplicativos e jogos. para ANDROID CRIACAO de aplicativos e jogos para ANDROID Criação de aplicativos e jogos para Android Crianças gostam de brincar e se divertir. Elas são tão curiosas a ponto de desmontar o brinquedo para entender como

Leia mais

TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO

TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO TRANSPARÊNCIA INSTITUCIONAL PROJETO BOA SEMENTE OFICINA SEMEANDO MOVIMENTO O Orfanato Evangélico, através do Projeto Boa Semente, desenvolveu atividades direcionadas as crianças de 1 mês a 1 ano de idade,

Leia mais

O futuro da educação já começou

O futuro da educação já começou O futuro da educação já começou Sua conexão com o futuro A 10 Escola Digital é uma solução inovadora para transformar a sua escola. A LeYa traz para a sua escola o que há de mais moderno em educação, a

Leia mais

SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA

SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA Marília Gerlane Guimarães da Silva graduanda UEPB mariliagerlany@hotmail.com Jocélia Germano

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DO PROJETO EXPRESSÕES NUMÉRICAS E RADICIAÇÃO: UMA ABORDAGEM CONTEXTUALIZADA NA ESCOLA MARIA DO CARMO CARNEIRO.

EXPERIÊNCIAS DO PROJETO EXPRESSÕES NUMÉRICAS E RADICIAÇÃO: UMA ABORDAGEM CONTEXTUALIZADA NA ESCOLA MARIA DO CARMO CARNEIRO. EXPERIÊNCIAS DO PROJETO EXPRESSÕES NUMÉRICAS E RADICIAÇÃO: UMA ABORDAGEM CONTEXTUALIZADA NA ESCOLA MARIA DO CARMO CARNEIRO. Francisca Valdielle Gomes Silva Discente do Curso de Matemática da Universidade

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA REALIDADE AUMENTADA EM ATIVIDADES PRÁTICAS/COMPLEMENTARES COMO MOTIVAÇÃO PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Brasília DF Maio 2010

A UTILIZAÇÃO DA REALIDADE AUMENTADA EM ATIVIDADES PRÁTICAS/COMPLEMENTARES COMO MOTIVAÇÃO PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Brasília DF Maio 2010 1 A UTILIZAÇÃO DA REALIDADE AUMENTADA EM ATIVIDADES PRÁTICAS/COMPLEMENTARES COMO MOTIVAÇÃO PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA Brasília DF Maio 2010 Daniela Zinn S. Gonçalves - NT Educação - daniela.goncalves@grupont.com.br

Leia mais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Cristina Novikoff c_novikoff@yahoo.com.br UNIGRANRIO Natália Xavier Pereira nxpereira@hotmail.com UNIGRANRIO Resumo:O uso da tecnologia

Leia mais

Mídia e Tecnologia: experiência do jornal escolar no Projeto Mais Educação na Escola Marechal Rondon em Santa Maria/RS 1

Mídia e Tecnologia: experiência do jornal escolar no Projeto Mais Educação na Escola Marechal Rondon em Santa Maria/RS 1 Mídia e Tecnologia: experiência do jornal escolar no Projeto Mais Educação na Escola Marechal Rondon em Santa Maria/RS 1 Janilce Silva Praseres 2 Sandra Antonina Barrozo de Oliveira 3 Universidade Federal

Leia mais

Lev Semenovich Vygotsky, nasce em 17 de novembro de 1896, na cidade de Orsha, em Bielarus. Morre em 11 de junho de 1934.

Lev Semenovich Vygotsky, nasce em 17 de novembro de 1896, na cidade de Orsha, em Bielarus. Morre em 11 de junho de 1934. Lev Semenovich Vygotsky, nasce em 17 de novembro de 1896, na cidade de Orsha, em Bielarus. Morre em 11 de junho de 1934. Lev Vygotsky, viveu na mesma época que Piaget (ambos nasceram em 1896 entanto Vygotsky

Leia mais

As 11 dúvidas mais frequentes

As 11 dúvidas mais frequentes As 11 dúvidas mais frequentes Deyse Campos Assessora de Educação Infantil dcampos@positivo.com.br Frequentemente recebemos solicitações de professores de escolas que estão utilizando o Sistema Positivo

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As Histórias do Senhor Urso 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S): O piado da coruja 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio O piado da Coruja

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Agosto 2014

Atividades Pedagógicas. Agosto 2014 Atividades Pedagógicas Agosto 2014 EM DESTAQUE Acompanhe aqui um pouco do dia-a-dia de nossos alunos em busca de novos aprendizados. ATIVIDADES DE SALA DE AULA GRUPO II A GRUPO II B GRUPO II C GRUPO II

Leia mais

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica PORQUE AS CRIANÇAS ESTÃO PERDENDO TODOS OS REFERENCIAIS DE ANTIGAMENTE EM RELAÇÃO ÀS BRINCADEIRAS?

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO.

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. Autor: José Marcos da Silva Instituição: UFF/CMIDS E-mail: mzosilva@yahoo.com.br RESUMO A presente pesquisa tem como proposta investigar a visão

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE Romero Bomfim dos Santos 1 ; Elida Roberta Soares de Santana²; Bruno Fernandes

Leia mais

A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática

A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática Michel da Silva Machado e-mail: michel_nick25@hotmail.com Isaque Rodrigues e-mail: isaque.max@hotmail.com Márcia Marinho do Nascimento Mello e-mail:

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 A LEGO Education tem o prazer de trazer até você a edição para tablet do Software LEGO MINDSTORMS Education EV3 - um jeito divertido

Leia mais

HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL... 1019

HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL... 1019 HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL... 1019 HORA DO CONTO: NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Evelise Raquel de Pontes Mariane Soares Sana Orientadora: Renata Junqueira de Souza. Instituição: Universidade Estadual

Leia mais

CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Acreditamos ser relevante abordar de forma rápida o contexto atual da Educação Física Escolar

Leia mais

Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com

Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com Um ensino forte e bilíngue é o passaporte do seu filho para um mundo de oportunidades. É por isso que propomos uma cultura internacional, com disciplinas ministradas em português e inglês, e uma metodologia

Leia mais

A inserção do Youtube na aula de piano: um relato de experiência

A inserção do Youtube na aula de piano: um relato de experiência XVII ENCONTRO NACIONAL DA ABEM DIVERSIDADE MUSICAL E COMPROMISSO SOCIAL O PAPEL DA EDUCAÇÃO MUSICAL SÃO PAULO, 08 A 11 DE OUTUBRO DE 2008 IMPRIMIR FECHAR A inserção do Youtube na aula de piano: um relato

Leia mais

PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB

PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB Introdução Jacqueline Liedja Araújo Silva Carvalho Universidade Federal

Leia mais

DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA

DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA JURUMENHA, Lindelma Taveira Ribeiro. 1 Universidade Regional do Cariri URCA lindelmafisica@gmail.com FERNANDES, Manuel José Pina 2 Universidade Regional do Cariri

Leia mais

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS Lucas Gabriel Seibert Universidade Luterana do Brasil lucasseibert@hotmail.com Roberto Luis Tavares Bittencourt Universidade Luterana do Brasil rbittencourt@pop.com.br

Leia mais

O PAPEL DA MOTIVAÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZADO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA Bárbara Andrade de Sousa (UFJF) barbaraandrade.letras@gmail.

O PAPEL DA MOTIVAÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZADO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA Bárbara Andrade de Sousa (UFJF) barbaraandrade.letras@gmail. O PAPEL DA MOTIVAÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZADO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA Bárbara Andrade de Sousa (UFJF) barbaraandrade.letras@gmail.com 1. Introdução Podemos considerar inegável que um dos fatores atuantes

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

Uma Biblioteca e a vontade de formar leitores.

Uma Biblioteca e a vontade de formar leitores. Uma Biblioteca e a vontade de formar leitores. Prof. Ms. Deisily de Quadros (FARESC) deisily@uol.com.br Graduando Mark da Silva Floriano (FARESC) markfloriano@hotmail.com Resumo: Este artigo apresenta

Leia mais

GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM

GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM Fernanda Maura M. da Silva Lopes 1 Lorena Luquini de Barros Abreu 2 1 Universidade Salgado de Oliveira/ Juiz

Leia mais

O uso de Objetos de Aprendizagem como recurso de apoio às dificuldades na alfabetização

O uso de Objetos de Aprendizagem como recurso de apoio às dificuldades na alfabetização O uso de Objetos de Aprendizagem como recurso de apoio às dificuldades na alfabetização Juliana Ferreira Universidade Estadual Paulista UNESP- Araraquara E-mail: juliana.ferreiraae@gmail.com Silvio Henrique

Leia mais

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC ALVES,S.S.S 1 A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica

Leia mais

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Prof. Dr. Luis Paulo Leopoldo Mercado Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal de Alagoas Conteúdos

Leia mais

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática.

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática. DESAFIOS DO ENSINO DA INFORMÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES RESUMO Jéssyca Edly Messias Ribeiro (IFRN) jeh_edly@hotmail.com Jefferson Hernane da Silva

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Jardim Helena São Miguel Paulista PROJETO DE REGÊNCIA EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA.

Jardim Helena São Miguel Paulista PROJETO DE REGÊNCIA EM TURMAS DO ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA. De acordo com às determinações constantes do Plano de Estágio Supervisionado, submeto à apreciação de V.Sª o plano de aula que foram desenvolvidas no Estágio de Licenciatura em Matemática no período de

Leia mais

CONSTRUINDO TRIÂNGULOS: UMA ABORDAGEM ENFATIZANDO A CONDIÇÃO DE EXISTÊNCIA E CLASSIFICAÇÕES

CONSTRUINDO TRIÂNGULOS: UMA ABORDAGEM ENFATIZANDO A CONDIÇÃO DE EXISTÊNCIA E CLASSIFICAÇÕES CONSTRUINDO TRIÂNGULOS: UMA ABORDAGEM ENFATIZANDO A CONDIÇÃO DE EXISTÊNCIA E CLASSIFICAÇÕES Poliana de Brito Morais ¹ Francisco de Assis Lucena² Resumo: O presente trabalho visa relatar as experiências

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA FT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA FT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA FT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Projeto Gene: Ambiente de Apoio à Aprendizagem de Genética Baseado em Tamagotchi

Leia mais

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB Luzivone Lopes GOMES - PPGFP UEPB luzivone@gmail.com Kennedy Machado OLIVIERA prof.kennedy@hotmail.com RESUMO: Este artigo trata de um relato de experiência

Leia mais

O USO DE JOGOS ELETRÔNICOS EDUCACIONAIS NAS DISCIPLINAS DOS CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA.

O USO DE JOGOS ELETRÔNICOS EDUCACIONAIS NAS DISCIPLINAS DOS CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA. O USO DE JOGOS ELETRÔNICOS EDUCACIONAIS NAS DISCIPLINAS DOS CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA. Caroline Kavan Bueno (PIBIC/FA), Ronaldo Schiaber, João Coelho Neto (Orientador), e-mail: carolinekavan@hotmail.com.

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO Luciano Bernardo Ramo; Maria Betania Hermenegildo dos Santos Universidade Federal da Paraíba. luciano_bernardo95@hotmail.com

Leia mais

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1 OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1. Introdução: Compreendendo que a Educação Infantil é uma etapa

Leia mais

INTRODUÇÃO. Palavras-chave: Alfabetização, EJA, Inclusão, Facebook.

INTRODUÇÃO. Palavras-chave: Alfabetização, EJA, Inclusão, Facebook. A INCLUSÃO DIGITAL E O FACEBOOK NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS EJA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA POMBAL PB Autor (1) Amélia Maria

Leia mais

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL Introdução Com frequência as tecnologias digitais estão sendo empregadas pelos educadores em

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

Observatórios Virtuais

Observatórios Virtuais UNIVASF: UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE SÃO FRANCISCO TRABALHO DE ASTROFÍSICA ALUNO: PEDRO DAVID PEDROSA PROFESSOR: MILITÃO CURSO: MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA Observatórios Virtuais

Leia mais

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Projeto de formação de professores em Matemática Um projeto exclusivo

Leia mais

Instituto Educacional Santa Catarina. Faculdade Jangada. Atenas Cursos

Instituto Educacional Santa Catarina. Faculdade Jangada. Atenas Cursos Instituto Educacional Santa Catarina Faculdade Jangada Atenas Cursos Curso de Capacitação em AEE Aluna: Ivete D. Poleto De Cezare Vanini, 01 de Maio de 2015. 1 - Tema: Deficiência Intelectual 2 - Problema:

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

A importância da Educação para competitividade da Indústria

A importância da Educação para competitividade da Indústria A importância da Educação para competitividade da Indústria Educação para o trabalho não tem sido tradicionalmente colocado na pauta da sociedade brasileira, mas hoje é essencial; Ênfase no Direito à Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE O USO DA INTERNET NO PROCESSO EDUCACIONAL: O DESAFIO PARA OS PROFESSORES

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

REFLEXÃO SOBRE 10 INOVAÇÕES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A GESTÃO UNIVERSITÁRIA NO BRASIL RYON BRAGA

REFLEXÃO SOBRE 10 INOVAÇÕES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A GESTÃO UNIVERSITÁRIA NO BRASIL RYON BRAGA REFLEXÃO SOBRE 10 INOVAÇÕES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A GESTÃO UNIVERSITÁRIA NO BRASIL RYON BRAGA 2 PREVISÕES ANTERIORES SEMINÁRIO ABMES DE 2005 1 CRESCIMENTO DAS CLASSES C

Leia mais

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL GEANE SANTANA ROCHA QUIXABEIRA CMEI Criança Feliz geanezinha@gmail.com ANADIR FERREIRA DA SILVA Secretaria Municipal de Educação laurapso@hotmail.co.uk

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Natália Aguiar de Menezes 1 RESUMO: Observa-se que com o passar dos anos o ensino superior

Leia mais

Rousseau e educação: fundamentos educacionais infantil.

Rousseau e educação: fundamentos educacionais infantil. Rousseau e educação: fundamentos educacionais infantil. 1 Autora :Rosângela Azevedo- PIBID, UEPB. E-mail: rosangelauepb@gmail.com ²Orientador: Dr. Valmir pereira. UEPB E-mail: provalmir@mail.com Desde

Leia mais

As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento

As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento Nirave Reigota Caram Universidade Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: nirave.caram@usc.br Comunicação Oral Pesquisa em Andamento

Leia mais

O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS

O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS ISSN 2177-9139 O USO DO TANGRAM COMO QUEBRA-CABEÇA PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SOBRE MULTIPLICAÇÃO DE POLINÔMIOS Morgana Fernandes da Silva 1 morganaf60@gmail.com Faculdades Integradas de Taquara,

Leia mais

Estratégias de e-learning no Ensino Superior

Estratégias de e-learning no Ensino Superior Estratégias de e-learning no Ensino Superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias da Anhanguera Educacional (Jacareí) RESUMO Apresentar e refletir

Leia mais

OS JOGOS DIDÁTICOS ONLINE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO FORMAL

OS JOGOS DIDÁTICOS ONLINE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO FORMAL ELIANE ROSA DO ORIÊNTE FABIANA DA SILVA BEZERRA FANÇA JEISEBEL MARQUES COUTINHO JÉSSICA MEIRE DE ALMEIDA GOMES JÚLIA DA SILVA MELIS OS JOGOS DIDÁTICOS ONLINE NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO

Leia mais