A CRIAÇÃO DO PORTAL CULTURAL DA AMUNOP. Grad. Márcia Regina de Oliveira Panfieti (FACCREI) Profa. Orientadora: Dra. Alice Atsuko Matsuda (FACCREI)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A CRIAÇÃO DO PORTAL CULTURAL DA AMUNOP. Grad. Márcia Regina de Oliveira Panfieti (FACCREI) Profa. Orientadora: Dra. Alice Atsuko Matsuda (FACCREI)"

Transcrição

1 A CRIAÇÃO DO PORTAL CULTURAL DA AMUNOP Grad. Márcia Regina de Oliveira Panfieti (FACCREI) Profa. Orientadora: Dra. Alice Atsuko Matsuda (FACCREI) RESUMO: Esse artigo apresenta um conjunto de considerações teórico-conceituais sobre as condições de produção do jornalismo cultural, tendo como base teórica o livro 7 Propostas para o Jornalismo Cultural 1 (2009), destinado à criação de um Portal de Cultura, abrangendo a região norte do Paraná (AMUNOP 2 ). Pretende-se pesquisar desde a linguagem a ser utilizada, a definição das matérias a serem abordadas até a viabilidade do uso da mídia internet na produção de um jornalismo cultural, que atinja o público consumidor e produtor de cultura dessas 19 cidades que integram a Amunop. A elaboração desse portal irá respeitar a territorialidade e peculiaridades inerentes à origem, colonização e formação histórica de cada município, buscando a identificação e criação desse Portal como um gênero representativo legítimo do jornalismo cultural. PALAVRAS- CHAVE: Jornalismo Cultural. Jornalismo Cultural na internet. Cultura. Amunop. ABSTRACT : This article presents a set of theoretical and conceptual concerns about the conditions of production of cultural journalism, based on theoretical book 7 Proposals for Cultural Journalism (2009), for the creation of a Portal for Culture, covering the northern region of Parana (AMUNOP). It is intended to search from the language being used, defining the issues to be addressed by the feasibility of using internet media in the production of a cultural journalism, which reaches the consumer and producer public of culture of the 19 cities that comprise the Amunop. The development of this portal will respect the territorial and peculiarities inherent to the origin, formation and colonization historical of each city, seeking the identification and development of Portal as a legitimate representative genre of cultural journalism. KEYWORDS: Cultural Journalism. Cultural Journalism on the Internet. Culture. Amunop. 1. INTRODUÇÃO O presente artigo é um recorte da abordagem teórico-argumentativa que será utilizada na realização do meu Trabalho de Conclusão do Curso (TCC), de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, visando à criação de um portal de cultura para a região da Amunop. A necessidade da criação desse Portal foi observada a partir da minha participação na I Conferência Intermunicipal de Cultura em Bandeirantes, em 23 de outubro de A Conferência Intermunicipal de Cultura teve como objetivo 1 AZZOLINO, Adriana Pessate. (Org.). Sete Propostas para o jornalismo cultural: reflexões e experiências. São Paulo: Miró Editorial, Outros autores: Cida Golin, Geane Alzamorra, Isabelle Anchieta, Margareth Assis Marinho, Marina de Magalhães Souza, Nísio Teixeira. 2 AMUNOP (Associação dos Municípios do Norte do Paraná) que abrange 19 cidades : Assaí, Bandeirantes, Congonhinhas, Cornélio Procópio, Itambaracá, Leópolis, Nova América da Colina, Nova Fátima, Nova Santa Bárbara, Rancho Alegre, Santa Amélia, Santa Cecília do Pavão, Santa Mariana, Santo Antonio do Paraíso, São Jerônimo da Serra, São Sebastião da Amoreira, Sapopema, Sertaneja e Uraí.

2 estabelecer parâmetros da cultura regional para a implantação do PNC (Plano Nacional da Cultura) e escolher delegados representativos da Região que prosseguiriam com as discussões na fase estadual, em Campo Mourão e na federal, em Brasília/2010. Na Conferência em Campo Mourão, não conseguimos eleger nenhum representante para a região da Amunop, ficando clara a dificuldade que os municípios menores do Norte do Paraná terão para alcançar uma representatividade no Estado. O Portal facilitaria a união desses municípios, fortalecendo a região para aprovar os projetos culturais desenvolvidos pelo Minc. A região Norte do Paraná é riquíssima em diversidade cultural. Há presença da colonização japonesa e indígena, além da cultura da rota do café que desliza pelos trilhos das antigas estações de trem e ligam as cidades entre si. A cultura presente é muito pouco conhecida pelo restante do estado e país, sendo, portanto, importante sua divulgação. O portal permitirá a união desses 19 municípios, pertencentes a Amunop, em uma única mídia, fazendo uso de todas as ferramentas e recursos que a internet pode proporcionar. Desde o baixo custo de hospedagem, a não utilização de papel para impressão, o espaço infinito para armazenamento de dados e informações, o tempo em que as informações poderão ficar disponíveis, além do uso de links, hiperlinks, para a expansão do conhecimento cultural. As teorias e definições utilizadas para nortear esse estudo para a criação de um portal de cultura permitirão reflexões atuais e ricas, importantíssimas para prática de um jornalismo cultural de qualidade, cumprindo o real papel do jornalismo: a disseminação da cultura regional do norte do Paraná, possibilitando a formação de cidadãos cultos e críticos e contribuindo para o desenvolvimento cultural dessas regiões. 2. CULTURA Para realizarmos um estudo sobre o jornalismo cultural é necessário primeiramente esclarecer o que é Cultura. Segundo Fábio Gomes (2005: 4), A palavra cultura deriva do vocábulo latino culturam, referindo-se ao ato de cultivar o solo ou à técnica empregada nessa atividade. Por analogia, o termo passou a ser utilizado para se referir à produção do espírito humano. Para Cida Golin (2009), a definição de cultura alcançou uma dimensão antropológica ao longo do século XX, sendo trazida para o cotidiano como produção e consumo de obras artísticas, estéticas e culturais com um significado de valores decorrentes de ações sociais e lutas de poder, mas ainda algo para ser consumido no tempo livre, no lazer. Exatamente por isso, os suplementos de cultura circulam na maioria das vezes no fim de semana. Portanto, o conceito atual de cultura aplicado na mídia seria: A cultura engloba tanto aspectos materiais como não materiais e se encarna na realidade empírica da existência cotidiana: tais sentidos, ao invés de meras elucubrações mentais, são partes essenciais das representações com as quais alimentamos e orientamos nossa prática (e vice-versa) e, lançando mão de suportes materiais e não materiais. Procuramos produzir inteligibilidade e reelaboramos simbolicamente as estruturas matérias de organização social, legitimando-as, reforçando-as ou as contestando ou transformando. Vê-se, pois, que antes de um refinamento ou sofisticação, a cultura é uma condição de produção e reprodução da sociedade. (MENEZES, 1996: 89, apud, GOLIN, 2009: 28).

3 Izabelle Anchieta revela que o movimento comunicacional atual, devido à proliferação das mídias, possibilita maior flexibilidade comparativa e uma maior aproximação entre as definições de alta e baixa cultura, agregando valores distintos a cada povo, redefinindo cultura como: Conjunto dos traços distintos sejam matérias, espirituais, intelectuais ou afetivos que caracterizam um determinado grupo social. Além das artes, da literatura, contempla também, os modos de vida, os direitos fundamentais do homem, os sistemas de valores e símbolos, as tradições, as crenças e o imaginário popular. (Conferência Mundial sobre Políticas Culturais, 1982, apud, ANCHIETA, 2009: 57). A definição de cultura é muito ampla, abrange diversos setores e artes. Por conta dessa complexidade é necessário ter em mente qual movimento cultural pretende-se abordar no Portal. Tomando como definição de cultura as características dos diferentes grupos sociais. O menu principal ou índex ( primeira página de um site) do portal será dividido em tópicos: Patrimônio Cultural, Artes Visuais, Cinema, Dança, Música e Teatro e Circo. Por exemplo, o Menu Patrimônio Cultural englobará desde museus, academia de Letras, etc. até eventos como as festas tradicionais de cada cidade, abrangendo informações sobre todas as produções culturais e representativas dessas 19 cidades da Amunop. 3. JORNALISMO CULTURAL Marina de Magalhães Souza (2009: 82) define Jornalismo Cultural como um ramo do jornalismo que domina as questões culturais da sociedade, as suas manifestações, os seus agentes, os seus mecanismos de expressão, a legislação e as políticas públicas e privadas de fomento e que também pode se especializar em mais de um área, como cultura popular, folclore, música, teatro, cinema, literatura, artes plásticas,etc. O jornalismo cultural não deve espelhar a cultura de uma minoria social, mas explorar e dar visibilidade às manifestações populares da cultura brasileira, representada por uma enorme classe de excluídos, contribuindo, assim, para a inclusão social. Cida Golin (2009: 27) cita a importância do Jornalismo Cultural como alicerce e construção da memória simbólica e como mediadora entre instituições museológicas e acadêmicas com um sujeito leitor, servindo de ponte desse sujeito que terá acesso a uma determinada obra de arte ou experiência artística. Portanto, justifica-se a criação de um portal de cultura da Amunop, pois a cultura é vista como produção e reprodução da sociedade, como uma prática transformadora e contestadora dentro da organização social. O papel do jornalismo cultural é exatamente a divulgação desses saberes sociais também proporcionando entretenimento aos internautas. A reunião dessas informações possibilita a criação de um banco de dados, gerando informações das produções culturais, da localização dos artistas da região, bem como a criação de um acervo cultural. Dessa forma, espera-se que o Portal auxilie na formação de cidadãos cultos e críticos, contribuindo para o desenvolvimento cultural dessas regiões Histórico do Jornalismo Cultural

4 Isabelle Anchieta em sua abordagem histórica afirma que o jornalismo cultural surge no fim do século XVII, crescendo juntamente com o jornalismo, ganhando ampla difusão, periodicidade e mercado. As primeiras coberturas de obras culturais em impressos datam de 1665 e 1684 e são representados pelos jornais The Transactions of the Royal Society of London e News of Republic of Letters, fazendo a cobertura das obras literárias e artísticas e das novidades sociais. Na Inglaterra, em 1711, foi criado o periódico The Spectador, com o objetivo de trazer a filosofia para fora das academias para ser discutida também em clubes e assembléias, em mesas de chá e café. No Brasil, o jornalismo cultural chega somente no século XVIII, bem representado por Machado de Assis e José Veríssimo e ainda outros grandes nomes da literatura, da política e da filosofia, como Oswald de Andrade e Mário de Andrade. O auge do jornalismo cultural brasileiro foi alcançado em 1928, com a criação da revista O Cruzeiro, que teve como colaboradores, entre outros, José Lins do Rego, Vinícius de Morais, Manuel Bandeira, Rachel de Queiroz e Mário de Andrade. A ilustração coube a Di Cavalcanti e Anita Malfatti. As crônicas, desde essa época, foram revelando uma íntima relação entre Jornalismo e Literatura: O gosto nacional pelas crônicas, até certo ponto, sempre foi uma forma de atrair a literatura para o jornalismo, praticada por jornalistas, escritores e, sobretudo, por híbridos de jornalista e escritor. De Machado de Assis a Carlos Heitor Cony, passando por João do Rio, Carlos Drummond de Andrade, Rubem Braga, Paulo Mendes Campos, Otto Lara Resende, Ivan Lessa, entre outros. (PIZA, 2004: 33 apud ANCHIETA, 2009: 54). Os cadernos de cultura foram criados nos anos 50, como seção obrigatória nos jornais impressos, com o precursor Jornal do Brasil, em 1956, com o Caderno B. Reunindo em suas páginas, nada menos que Ferreira Gullar, Clarice Lispector, Bárbara Heliodora e Décio Pignatari, entre outros, o caderno tornou-se uma referência para a crítica cultural de sua época e até hoje é lembrado como ponto alto da prática do bom jornalismo cultural. Essa tendência foi seguida pelo Suplemento Literário de O Estado de S. Paulo, proporcionando o aparecimento de nomes importantes da crítica cultural, como Paulo Francis, que inicia sua carreira como crítico de teatro no Diário Carioca, em 1957, passando depois pelo Jornal Última Hora, Pasquim, chegando a Rede Globo e GNT. Geane Alzamora, em seu estudo, relata o surgimento das revistas de variedades compostas por ensaios, resenhas, críticas, reportagens, perfis e entrevistas e a publicação de poemas que mais tarde serviriam de inspiração para a criação das revistas eletrônicas ou programas televisivos de variedades. Observa-se que o jornalismo cultural, mais uma vez, recebeu a idéia de entretenimento, perdendo o seu papel de debatedor de idéias. A partir dos anos 80 e 90, com a tendência à especialização do jornalismo, a editoria de cultura ampliou seu leque de assuntos: Especialmente a partir dos anos 1990, alguns assuntos que pertencem obviamente ao universo cultural, embora não sejam exatamente linguagens artísticas ou intelectuais, ganharam mais e mais espaço nos cadernos culturais. [...] Tudo isso é, de certo modo, um ganho para o jornalismo cultural, pois abre suas fronteiras. Seu papel nunca foi apenas o de anunciar e comentar as obras lançadas nas sete artes, mas também o de refletir (sobre) o comportamento, os novos hábitos sociais, os contatos com a realidade político-econômica da qual a cultura é parte ao mesmo tempo integrante e autônoma (PIZA, 2003: 57, apud, ALZAMORA, 2009: 41).

5 Segundo Nísio, o jornalismo cultural brasileiro passou por, pelo menos, três momentos significativos. Nos anos 60 e 70, movidos por uma forte ideologia popularnacional houve um combate contra os materiais produzidos pela indústria cultural. Nos anos 80, em oposição às décadas anteriores, aconteceu a inserção de produtos da cultura internacional de massas, como o rock, por exemplo, movido pela contracultura daqueles tempos e, finalmente, nos anos 90, foi a era da globalização. Houve uma preocupação em dar visibilidade à cultura de países periféricos. Observa-se que hoje o foco de atuação do jornalismo cultural ficou simplificada e restrita à cobertura das agendas culturais, guetos culturais, perdendo o objetivo de um jornalismo cultural crítico, informativo e comparativo. Mais do que apenas divulgar a cultura e a arte, o jornalismo cultural precisa fazer o papel de mediador, despertando o interesse do leitor, educando-o sobre determinada manifestação cultural noticiada Jornalismo cultural e a internet Segundo Geane Alzamora, o advento da Internet foi um marco para o jornalismo cultural, principalmente, com as diferentes formas como cada publicação lidou com o impacto sociocultural da internet. As primeiras experiências jornalísticas na internet foram marcadas pela indefinição acerca de como se produzir informações jornalísticas para a internet. As primeiras experiências jornalísticas limitavam-se a transpor os conteúdos de seus jornais impressos para a internet. Algumas dessas experiências pioneiras iniciaram um novo jeito de produzir e difundir informações jornalísticas, dando início a um processo irreversível de mudança no campo da cobertura jornalística. Em seu estudo sobre a internet, Suzana Barbosa relata que, após essa primeira euforia, as empresas jornalísticas investiram na implementação de notícias em tempo real e na criação de portais, centralizando as informações especializadas com serviços. Buscou-se, então, o aumento do acesso, agregando serviços, como acesso a canais de busca, shopping virtuais, facilitando e orientando o navegador usuário da WWW. Os portais online, empregando características singulares do jornalismo online (interatividade, hipertextualidade, multimidialidade, customização de conteúdo, atualização constante), associados à mídia digital na produção da informação, criaram um vínculo de fidelidade do usuário com o Portal. O portal constitui-se numa poderosa variante de publicização de conteúdo na Internet, no sentido de ao mesmo tempo procurar uma maior permanência do usuário dentro de determinado site, e agregar a essa possível navegação do usuário, uma miríade de serviços que antes, senão impensada, era improvável de ser executada com eficiência técnica. (SILVA JR., 2000: 80 apud BARBOSA, 2001: 5). O sucesso alcançado por esses mega-portais possibilitou a criação de um outro filtro de conteúdos, outra forma de navegação, concentrando a oferta de informações, conteúdo e serviços e direcionando-a para um localidade específica: os Portais Locais O Jornalismo Cultural e os Portais Locais Os portais locais utilizam-se das ferramentas online, facilitando ao usuário o acesso a serviços, programação cultural, notícias, turismo, lazer, entre outros assuntos de sua cidade ou região. Esse conteúdo exclusivo possibilita a proximidade da informação com o público consumidor, gerando um vínculo e ampliando as relações entre produtores do site, usuários/moradores, empresários e comerciantes, sem custo

6 nenhum ao usuário. Essa familiaridade com o conteúdo seduz o leitor, pois ele sabe exatamente quem está informando e sobre quem é a informação. O leitor sai do mundo virtual para o mundo real, trazendo as informações obtidas para o seu cotidiano. O produtor desse portal precisa ter uma relação próxima com os usuários e com as cidades em que ele pretende atuar. No caso do portal cultural da Amunop, esta relação próxima já existe, visto que sou colaboradora direta da atual Secretaria da Cultura da Amunop, Sandra Regina Lunardelli Barichello, da cidade de Uraí, onde venho participando de diversas conferências da cultura promovidas pela SEEC (Secretaria de Estado da Cultura). Inclusive, estive presente no VIII Encontro de Secretários e Dirigentes Municipais de Cultura, em 10/05/10, na cidade de Faxinal do Céu, de onde voltei com a certeza da necessidade da criação desse Portal. O investimento em cultura nas esferas municipais, estaduais e federais mal chega a 1% e os investimentos empresariais pelas leis de incentivo fiscal é muito pouco divulgado. A Amunop é composta em grande parte por pequenas cidades, que não possuem uma Secretaria da Cultura. Ela geralmente funciona à margem ou paralelamente ligada à Secretaria da Educação. Assim, proporcionalmente, esse valor de 1% de investimento é menor, porque menor é a renda dessas cidades. O custo do portal cultural seria relativamente baixo, se reunirmos os esforços financeiros desses 19 municípios e se pudermos somar a isso apoios culturais, que podem ser obtidos de empresas e comércios locais. 4. PORTAL CULTURAL DA AMUNOP A região da Amunop (Associação dos Municípios do Norte do Paraná) abrange 19 municípios (Assaí, Bandeirantes, Congonhinhas, Cornélio Procópio, Itambaracá, Leópolis, Nova América da Colina, Nova Fátima, Nova Santa Bárbara, Rancho Alegre, Santa Amélia, Santa Cecília do Pavão, Santa Mariana, Santo Antônio Do Paraíso, São Jerônimo da Serra, São Sebastião da Amoreira, Sapopema, Sertaneja e Uraí). Todas as cidades são produtoras de ações culturais, respeitando sua territorialidade e peculiaridades inerentes a sua origem, colonização e formação histórica. A criação de um Portal de Cultura, mais do que proporcionar entretenimento aos internautas, permitirá a criação de um banco de dados, gerando informações das produções culturais, da localização dos artistas da região, bem como um registro das atividades culturais. Além disso, a criação de um acervo cultural, em um só local e facilitado pelo uso de uma mídia comum a todos e de baixo custo: a internet. A web permite o uso de diversas ferramentas e recursos, um baixo custo de hospedagem, a não utilização de papel para impressão, um espaço infinito para armazenamento de dados e informações que poderão ficar disponíveis por um maior tempo. Além do mais, possibilita o uso de links, hiperlinks para a expansão do conhecimento cultural, cumprindo com isso o real papel do jornalismo, a disseminação da cultura regional do norte do Paraná. Dessa forma, espera-se formar cidadãos cultos e críticos e contribuir para o desenvolvimento cultural dessas regiões. Não há na região um espaço destinado à divulgação das produções culturais da região da Amunop, gerado pelo grau de dificuldade de definição de cultura, pela distância territorial entre os municípios, pelo custo que o jornalista teria para deslocar-se e atuar nesses 19 municípios, que mesmo próximos, não tem uma rota de trânsito constante e fluente. Muito pouco se sabe do que é produzido culturalmente em cada um dos municípios, apesar de todos serem reunidos em uma Regional da Cultura, vinculado

7 à Secretaria da Cultura do Estado do Paraná. Portanto, não há uma divulgação regional nem em nível estadual. O que é produzido tem apenas divulgação local, sendo publicado apenas em pequenos jornais de circulação restrita. Os artistas locais não possuem também acesso a uma mídia de maior circulação, restringindo a área de divulgação de seus trabalhos, quer sejam eles literários, artesanais, visuais, etc, dificultando o acesso ao público consumidor a essas informações. Nota-se que se perde muito em valor cultural e de mercado em todos os tipos de arte e cultura produzidos na região. Entre os séculos XIX e XX muita coisa aconteceu, e a sociedade se redesenhou sob o vetor da tecnologia. A velocidade e a qualidade de informação quadriplicaram, o tempo é outro, o espaço também. Vivenciamos um período de des-locamento ou de des-territorialização. Expressões como compartilhamento, flexibilidade, autonomia, eficácia, instantaneidade são os eixos condutores dessa maneira de viver, de conhecer. De olhar e de ver.[...] O binômio arte/tecnologia pode servir para a formação/educação dos indivíduos, contribuindo para a expansão e, talvez, para a construção de novos saberes, para um número cada vez maior de indivíduos que estão à margem desse benefício. Dessa forma, teremos arte como conteúdo e tecnologia como suporte. (AZZOLINO et al., 2009: 12). O objetivo de criar um portal de cultura para a região da Amunop é divulgar os artistas, a história da cultura literária, as artes visuais, a dança, a música, o teatro e a cultura popular. Enfim, promover uma ampla expressividade das produções culturais dessas regiões do Norte paranaense, possibilitado pela ferramenta proporcionada pela mídia internet, ao maior número de pessoas. Por meio desse portal cultural de acesso democrático, pretende-se alcançar diversos públicos: produtores culturais da Amunop, público consumidor de espetáculos, de música, de arte, de objetos artesanais, além de estudiosos e pesquisadores. Esse aumento de público possibilitaria um maior desenvolvimento cultural, social, financeiro e econômico. Oportunizaria também agregar valores de identidade cultural, reconhecimento dos trabalhos dos artistas, apresentados pelo portal, em outras regiões, estados e em todo território brasileiro. O portal possibilitaria uma interação melhor entre os municípios da Amunop e viabilizaria o conhecimento da agenda cultural de todos. Assim, espetáculos culturais que estiverem sendo apresentados em uma determinada cidade poderão vir a ser apresentados em uma outra cidade da região, criando uma agenda e um circuito cultural entre elas. Após a realização de pesquisas sobre o melhor formato de design do site, pretendo seguir como modelo o site da Fundação Cultural de Curitiba. Pretende-se criar um Portal atendendo os padrões da Cartilha de Redação da Web - Padrões Brasil e- Gov, de Abril de Segundo essa Cartilha, no item sobre Arquitetura da Informação, verifica-se que a web é visual, tornando essencial a criação de uma imagem representativa do site, ou seja, um logo muito bem produzido para a página home. Essa imagem deve representar as diversas culturas e artes que serão apresentadas no Portal. A imagem de abertura do site é um elemento essencial de persuasão, em que a empatia com o usuário precisa ser estabelecida de imediato. O menu de um site precisa ter até nove itens. De acordo com o fluxograma seriam os seguintes: 3 Cartilha de Redação Web - Padrões Brasil e-gov é desenvolvida pelo Departamento de Governo Eletronônico- DGE como um guia de elaboração de informação clara, estruturada e eficaz para o meio digital.

8 Portal Cultural da AMUNOP Artes Visuais Cinema Dança Teatro e Circo Música Patrimônio Cultural O menu ficaria disposto do lado esquerdo do site, visto que a leitura em telas de computador é feita da esquerda para a direita, facilitando o acesso do usuário. Cada item do menu seria definido com informações teóricas sobre a arte que representa. Além disso, irão constar os movimentos artísticos e culturais desenvolvidos por cada cidade, o que está sendo desenvolvido, onde, por quem e também cursos e oficinas disponíveis a cada setor da cultura. Por exemplo, no menu Música, teria primeiro a sua definição : A palavra grega mousikós - "musical", "relativo às musas" - referia-se ao vínculo do espírito humano com qualquer forma de inspiração artística. A evolução do termo, porém, limitou-o às formas de criação estética relacionadas à combinação dos sons e que abrangem. No Ocidente, o amplo desenvolvimento de uma arte que, em seus aspectos mais característicos, teve início no fim da Idade Média. (Portal emdiv, 07 out.10). Após a definição da tipologia artística, seriam apresentados os cantores e as músicas produzidas e interpretadas em cada município, com nome, endereço e histórico de obras e atividades dos músicos. No menu do Patrimônio Cultural seriam apresentadas todo o Patrimônio Cultural dos 19 municípios integrantes da Amunop. Por Patrimônio Cultural entende-se desde os acervos museológicos, bens materiais até os bens imateriais, que representam valores afetivos dos cidadãos, como comida, festas tradicionais, etc. Do lado esquerdo, seria publicada a agenda cultural dos municípios e um outro menu com editais e portarias disponíveis no MINC ( Ministério da Cultura) e SEEC (Secretaria Estadual da Cultura). O centro da página home seria usado para a publicação das coberturas jornalísticas dos eventos culturais desenvolvidos nas cidades, com fotos, vídeos, etc. Segundo ainda a Cartilha de Redação da Web, o texto para a mídia digital segue princípios diversos das outras mídias. Ele deve ir além do produzido para a mídia impressa, devido à multimídia, ou seja, a junção de várias mídias (vídeo, áudio, imagens, infográficos, links de acesso). Na internet, o texto é uma das formas de possibilitar acesso à informação, mas um texto bem escrito é reconhecido pelo leitor em qualquer veículo, portanto deve ser escrito com clareza, abrangência e credibilidade, tendo sempre em vista o público que se pretende atingir. No portal, deve ainda conter uma seção de comunicação e relacionamento, como o Fale Conosco, possibilitando o retorno do cidadão, sua opinião, fortalecendo o conteúdo do portal. Além disso, oportunizar o usuário a se cadastrar para receber por e- mail o conteúdo disponibilizado no site. Quanto à parte gráfica, o designer do portal na web é antes de tudo visual, portanto deve haver um amplo estudo e muita cautela quanto à criação da arte gráfica do Portal. É preciso tomar cuidado com a escolha de imagens, de cores, principalmente, pelo conteúdo amplamente estético que será abordado: arte e cultura.

9 Como foi exposto na introdução desse artigo, o que foi apresentado é apenas um recorte da abordagem teórico-argumentativa que será utilizada na realização do meu Trabalho de Conclusão de Curso. Portanto, há muito ainda a ser pesquisado para o término dessa pesquisa. O primeiro passo foi dado, já entrei em contato com as Secretarias de Educação e Cultura da Amunop sobre a viabilidade do projeto e todos se mostraram favoráveis a sua realização. 5. CONCLUSÃO O avanço das novas tecnologias e o acesso a elas já faz parte da nossa rotina, do nosso cotidiano, portanto o profissional jornalista precisa estar apto a utilizar todas as ferramentas disponíveis para informar, comunicar-se. O ambiente online com suas qualidades inerentes é um facilitador do jornalismo cultural regional. Os portais locais é uma tendência crescente na Internet. Comunidades pequenas, como a maioria das cidades representativas da Amunop, podem ser aproximadas com a criação do portal cultural, com conteúdo direcionado. Esse conteúdo ofertado precisa ser original, produzidos por jornalistas familiarizados com o cotidiano dos usuários, consumidores e produtores de cultura desses municípios, agregando um importante valor de credibilidade nas informações. Respeitando todas as peculiaridades e territorialidade das cidades integrantes do portal, o indivíduo leitor poderá se enxergar como produtor e consumidor da cultura local, interagindo com o mesmo através das facilidades das redes sociais, participando ativamente com opiniões e críticas, facilitando o desenvolvimento da qualidade do serviço oferecido. O portal cultural da Amunop possibilitará uma troca de experiências riquíssimas entre as 19 cidades. Oportunizará ampliação e divulgação das manifestações de cidadania em que o veículo atua, formando e informando os cidadãos locais, produtores e consumidores de cultura, contribuindo com essa divulgação, para o desenvolvimento cultural dessas regiões do norte paranaense. 6. REFERÊNCIAS ALZAMORA, Geane. Para além do jornalismo de massa: a diversidade da informação cultural na internet. Disponível em <.http://www.fca.pucminas.br/coreu/producao/jncultural/alzamora%20jn%20cultural.doc.> Acesso em 24 set BARBOSA, Suzana. Jornalismo online: dos sites noticiosos aos portais locais. Artigo apresentado no XXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação- Intercom, Campo Grande (MS), setembro de Disponível em Acesso em 18 set GOLIN, Cida. Jornalismo cultura: reflexão e prática. In: AZZOLINO, Adriana Pessatte. (Org.). Sete propostas para o jornalismo cultural: reflexões e experiências. São Paulo: Miró Editorial, 2009.

10 Portal emdiv. A Música - Definição, Elementos e História. Disponível em <http://www.emdiv.com.br/pt/arte/enciclopediadaarte/2489-a-musica-elementos-definicaoe-historia.html> Acesso em 7 out RODRIGUES, Bruno. Padrões Brasil e-gov: Cartilha de Redação Web. Disponível em <www.governoeletronico.gov.br/.../padroes-brasil-e-gov-cartilha-de-redacao-web> Acesso em 7 out

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Letícia BARROSO 2 Thaís PEIXOTO 3 Centro Universitário Fluminense Campus II- Campos/RJ RESUMO: A falta de espaço nos veículos convencionais

Leia mais

Cultura Oficina Litoral Sustentável

Cultura Oficina Litoral Sustentável Cultura Oficina Litoral Sustentável 1 ESTRUTURA DA AGENDA REGIONAL E MUNICIPAIS 1. Princípios 2. Eixos 3. Diretrizes 4. Ações 4.1 Natureza das ações (planos, projetos, avaliação) 4.2 Mapeamento de Atores

Leia mais

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário SOUZA, Kauana Mendes 1 ; XAVIER, Cintia 2 Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná, PR RESUMO O projeto Portal

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE LiteraRádio. Rádio. Literatura. Introdução

PALAVRAS-CHAVE LiteraRádio. Rádio. Literatura. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Jornalismo Interativo

Jornalismo Interativo Jornalismo Interativo Antes da invenção da WWW, a rede era utilizada para divulgação de informações direcionados a públicos muito específicos e funcionavam através da distribuição de e-mails e boletins.

Leia mais

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA JORNALISMO

Leia mais

SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES ARTÍSTICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS NO PROCESSO DA 3ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE JUVENTUDE

SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES ARTÍSTICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS NO PROCESSO DA 3ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE JUVENTUDE RESOLUÇÃO 08/2015, DA COMISSÃO ORGANIZADORA NACIONAL A Comissão Organizadora da 3ª Conferência Nacional de Juventude, no uso de suas atribuições regimentais, em conformidade com o artigo 6º, objetivo específico

Leia mais

Regimento Interno CAPÍTULO PRIMEIRO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Regimento Interno CAPÍTULO PRIMEIRO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Regimento Interno CAPÍTULO PRIMEIRO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º As atividades culturais e artísticas desenvolvidas pela POIESIS reger-se-ão pelas normas deste Regimento Interno e pelas demais disposições

Leia mais

TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS

TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS TVVILAEMBRATEL.WEBS.COM 1 Uma experiência com sistemas de CMS Anissa CAVALCANTE 2 Jessica WERNZ 3 Márcio CARNEIRO 4, São Luís, MA PALAVRAS-CHAVE: CMS, webjornalismo, TV Vila Embratel, comunicação 1 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA O PAPEL DA

Leia mais

CULTURA POPULAR E IDENTIDADE REGIONAL: A CONTRIBUIÇÃO DO SITE JORNALÍSTICO CULTURA PLURAL NOS CAMPOS GERAIS

CULTURA POPULAR E IDENTIDADE REGIONAL: A CONTRIBUIÇÃO DO SITE JORNALÍSTICO CULTURA PLURAL NOS CAMPOS GERAIS 110. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) (X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA CULTURA POPULAR E IDENTIDADE

Leia mais

Sheet1. Criação de uma rede formada por tvs e rádios comunitárias, para acesso aos conteúdos

Sheet1. Criação de uma rede formada por tvs e rádios comunitárias, para acesso aos conteúdos Criação de um canal de atendimento específico ao público dedicado ao suporte de tecnologias livres. Formação de comitês indicados por representantes da sociedade civil para fomentar para a ocupação dos

Leia mais

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido.

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Criar novos mecanismos de intercâmbio e fortalecer os programas de intercâmbio já existentes,

Leia mais

Secretaria de Estado da Cultura

Secretaria de Estado da Cultura Secretaria de Estado da Cultura UPPM Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico GTC SISEM-SP Grupo Técnico de Coordenação do Sistema Estadual de Museus de São Paulo MUSEUS E PATRIMÔNIO Os museus

Leia mais

UNESCO Brasilia Office Representação da UNESCO no Brasil Entrevista: Portal Domínio Público

UNESCO Brasilia Office Representação da UNESCO no Brasil Entrevista: Portal Domínio Público UNESCO Brasilia Office Representação da UNESCO no Brasil Entrevista: Portal Domínio Público UNESCO Ministério da Educação Brasília 2006 Artigo publicado, em 06 de dezembro de 2006, no Observatório da Sociedade

Leia mais

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança PLANO SETORIAL DE DANÇA DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança MARÇO DE 2009 CAPÍTULO I DO ESTADO FORTALECER A FUNÇÃO DO ESTADO

Leia mais

A INFORMAÇÃO E A COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA NA FIOCRUZ

A INFORMAÇÃO E A COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA NA FIOCRUZ A INFORMAÇÃO E A COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA NA FIOCRUZ Paulo Gadelha Vice-presidente de Desenvolvimento Institucional e Gestão do Trabalho Fundação Oswaldo Cruz 1900: Instituto Soroterápico Federal Objetivo

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

Mais Cultura nas Escolas

Mais Cultura nas Escolas Mais Cultura nas Escolas O que é o Programa Mais Cultura nas Escolas? Projeto Andarilha das Letras, Circulação Literária/ FUNARTE É o encontro de projetos pedagógicos de escolas da rede pública com experiências

Leia mais

Blog NoRascunho 1. Andrew Philip Saldanha de FRANÇA 2 Melissa Cirne de Lucena 3 Universidade Potiguar, Natal, RN

Blog NoRascunho 1. Andrew Philip Saldanha de FRANÇA 2 Melissa Cirne de Lucena 3 Universidade Potiguar, Natal, RN Blog NoRascunho 1 Andrew Philip Saldanha de FRANÇA 2 Melissa Cirne de Lucena 3 Universidade Potiguar, Natal, RN RESUMO Como forma de registrar acontecimentos ligados a área da comunicação com um foco em

Leia mais

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS?

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? Apresentação Histórico Estratégia de comunicação e políticas para promoção do municipalismo forte e atuante A atuação da Confederação Nacional de Municípios na comunicação pública

Leia mais

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Serena Veloso GOMES² Thamara Rocha Ribeiro FAGURY³ Kalyne Menezes SOUZA4 Silvana Coleta Santos PEREIRA5 Universidade Federal

Leia mais

Pronac Nº 1111032 Você em Cenna é um concurso cultural que irá eleger atores e atrizes amadores de todo o país, que enviarão vídeos de suas performances para votação popular e de júri especializado. Os

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

COLEÇÃO IMAGÉTICA: FOTOGRAFIA, EXTENSÃO, ENSINO E PESQUISA NO PROJETO FOCA FOTO. PALAVRAS-CHAVE Fotografia. Coleção fotográfica. Lapa. Extensão.

COLEÇÃO IMAGÉTICA: FOTOGRAFIA, EXTENSÃO, ENSINO E PESQUISA NO PROJETO FOCA FOTO. PALAVRAS-CHAVE Fotografia. Coleção fotográfica. Lapa. Extensão. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Portal de conteúdos Linha Direta

Portal de conteúdos Linha Direta Portal de conteúdos Linha Direta Tecnologias Educacionais PROMOVEM SÃO Ferramentas Recursos USADAS EM SALA DE AULA PARA APRENDIZADO SÃO: Facilitadoras Incentivadoras SERVEM Necessárias Pesquisa Facilitar

Leia mais

ROTINAS DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO

ROTINAS DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) (X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Jornal Marco Zero 1. Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5

Jornal Marco Zero 1. Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5 1 Jornal Marco Zero 1 Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5 Faculdade internacional de Curitiba (Facinter) RESUMO O jornal-laboratório Marco Zero 6 é

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DANÇA

PLANO NACIONAL DE DANÇA PLANO NACIONAL DE DANÇA I APRESENTAÇÃO II - DIRETRIZES E AÇÕES II HISTÓRICO DO SETOR NO PAÍS III DIAGNOSE DE POTENCIAL E PONTOS CRÍTICOS DO SETOR IV DADOS DO SETOR PARA O SISTEMA DE INFORMAÇÕES E INDICADORES

Leia mais

Música e políticas culturais em Goiânia: algumas reflexões

Música e políticas culturais em Goiânia: algumas reflexões Música e políticas culturais em Goiânia: algumas reflexões Márcia Terezinha Brunatto Bittencourt Mestranda em Música da Universidade Federal de Goiás e-mail: marciatbbittencourt@yahoo.com.br Sumário: A

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional Política de Comunicação Institucional POLÍTICA PÚBLICA P DE COMUNICAÇÃO O homem é um ser social. O intercâmbio de suas experiências e de seus conhecimentos possibilitou que as pessoas se apropriassem dos

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB Gestão do Conhecimento hoje tem se materializado muitas vezes na memória organizacional da empresa. O conteúdo

Leia mais

As publicações da Confederação Nacional de Municípios CNM podem ser acessadas, na íntegra, na biblioteca online do Portal CNM: www.cnm.org.br.

As publicações da Confederação Nacional de Municípios CNM podem ser acessadas, na íntegra, na biblioteca online do Portal CNM: www.cnm.org.br. 2015 Confederação Nacional de Municípios CNM. Esta obra é disponibilizada nos termos da Licença Creative Commons: Atribuição Uso não comercial Compartilhamento pela mesma licença 4.0 Internacional. É permitida

Leia mais

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional A união faz a força O dito popular encaixa-se como uma luva quando o assunto é associativismo o assunto em pauta no meio sindical. As principais confederações patronais do País estão investindo nessa bandeira

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Estado da Cultura Instituto Estadual de Cinema Iecine

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Estado da Cultura Instituto Estadual de Cinema Iecine Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Estado da Cultura Instituto Estadual de Cinema Iecine Mapeamento dos Produtores Audiovisuais do Rio Grande do Sul Audiovisual 2013 Porto Alegre 2013

Leia mais

1. II Conferência Nacional de Cultura II CNC e Pré-conferências setoriais

1. II Conferência Nacional de Cultura II CNC e Pré-conferências setoriais 1. II Conferência Nacional de Cultura II CNC e Pré-conferências setoriais Nos dias 11 a 14 de março, o Ministério da Cultura e seus órgãos vinculados realizarão II Conferência Nacional de Cultura (II CNC).

Leia mais

Relato da Iniciativa

Relato da Iniciativa 1 Relato da Iniciativa 5.1 Nome da iniciativa ou projeto Novo portal institucional da Prefeitura de Vitória (www.vitoria.es.gov.br) 5.2 Caracterização da situação anterior A Prefeitura de Vitória está

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí

Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí A produção literária referente à arquitetura e urbanismo sempre foi caracterizada pela publicação de poucos títulos, baixa diversidade

Leia mais

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP Resumo O 2ª Opinião - Espaço cultural é um jornal-laboratório que vem sendo

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

cerca de 200 crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social do Centro Histórico e da periferia de Salvador.

cerca de 200 crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social do Centro Histórico e da periferia de Salvador. I ENCONTRO, CAPOEIRA e PATRIMÔNIO IMATERIAL no BRASIL: perspectivas para a implementação de políticas públicas de salvaguarda da Capoeira. Local: UFF Niterói RJ Data: 3 de setembro de 2006 às 16:00 h Tema:

Leia mais

ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO

ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO Tutorial de Pesquisa do Portal de Periódicos da CAPES Manaus 2014 ACESSO AO PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES APRESENTAÇÃO A Biblioteca Aderson Dutra da Universidade Nilton Lins disponibiliza um moderno conjunto

Leia mais

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura INTRODUÇÃO A Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro (SEC) está coordenando a elaboração do Plano Estadual de Cultura, a partir do diálogo

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Guia de Estudos Metodologias Jovem de Futuro Precisamos reinventar a forma de ensinar e aprender, presencial e virtualmente, diante de tantas mudanças na sociedade e no mundo do trabalho. Os modelos tradicionais

Leia mais

MÍDIA KIT 2016. A revista especializada em gestão de pessoas com a maior taxa de credibilidade junto a seus leitores.

MÍDIA KIT 2016. A revista especializada em gestão de pessoas com a maior taxa de credibilidade junto a seus leitores. MÍDIA KIT 2016 A revista especializada em gestão de pessoas com a maior taxa de credibilidade junto a seus leitores. PÚBLICO-ALVO Profissionais de RH, presidentes, vice-presidentes e executivos com papel

Leia mais

REVISTA NACIONAL DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - RNTI

REVISTA NACIONAL DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - RNTI - RNTI (publicação oficial do Setor de TIC) Atualização desde documento: 12.08.2015 Todos sabem e principalmente nós que a tecnologia da informação e comunicação está presente no dia a dia de praticamente

Leia mais

Ministério da Cultura Estrutura Organizacional e Competências. Professor Francisco Carlos M. da Conceição

Ministério da Cultura Estrutura Organizacional e Competências. Professor Francisco Carlos M. da Conceição Ministério da Cultura Estrutura Organizacional e Competências Professor Francisco Carlos M. da Conceição DECRETO Nº 6.835, DE 30 DE ABRIL DE2009. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo

Leia mais

Em 2012, a Abril Mídia lançou a 1ª edição do HOTEL PRO, uma publicação focada nas necessidades da indústria hoteleira.

Em 2012, a Abril Mídia lançou a 1ª edição do HOTEL PRO, uma publicação focada nas necessidades da indústria hoteleira. Em 2012, a Abril Mídia lançou a 1ª edição do HOTEL PRO, uma publicação focada nas necessidades da indústria hoteleira. Um grande sucesso editorial, ela vai agora para a segunda edição (com lançamento em

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA NÚCLEO DE TECNOLOGIA E DIFUSÃO EDUCACIONAL RELATO DE EXPERIENCIA DE PROJETO COLABORATIVO VIA INTERNET ENTRE ESCOLAS MUNICIPAIS

Leia mais

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ BIREME - OPAS - OMS CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA CICT PROJETO BVS DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS BRASIL

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ BIREME - OPAS - OMS CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA CICT PROJETO BVS DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS BRASIL FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ - OPAS - OMS CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA CICT PROJETO BVS DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS BRASIL Rio de Janeiro 2002 Doenças Infecciosas e Parasitárias na BVS

Leia mais

Projeto de Digitalização de Discos do Acervo da Fundação Cásper Líbero PRONAC: 102599

Projeto de Digitalização de Discos do Acervo da Fundação Cásper Líbero PRONAC: 102599 Projeto de Digitalização de Discos do Acervo da Fundação Cásper Líbero PRONAC: 102599 Valor total do Projeto: R$ 981.420,00 Apresentação: A Rádio Gazeta, fundada em 1943, com sua programação voltada exclusivamente

Leia mais

Participação política na internet: o caso do website Vote na web

Participação política na internet: o caso do website Vote na web Participação política na internet: o caso do website Vote na web Lívia Cadete da Silva 1 Lucas Arantes Zanetti 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP RESUMO

Leia mais

MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023

MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023 MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023 Nota Técnica nº /2009/SID/MinC Em, de abril de 2009 Ao Sr. Chefe de Gabinete CG/SE/MinC

Leia mais

LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL PARA O ENSINO DE MÚSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REGIÃO SUL DO BRASIL 1

LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL PARA O ENSINO DE MÚSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REGIÃO SUL DO BRASIL 1 LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL PARA O ENSINO DE MÚSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REGIÃO SUL DO BRASIL 1 Gabriel Ferrão Moreira 2 Prof. Dr. Sérgio Luiz Ferreira de Figueiredo 3 Palavras-chave:

Leia mais

Propriedade intelectual e políticas de comunicação

Propriedade intelectual e políticas de comunicação 1 Fórum Para entender os eixos focais Propriedade intelectual e políticas de comunicação Graça Caldas O texto do prof. Rebouças oferece uma importante revisão histórica sobre os conceitos que permeiam

Leia mais

WEBJORNALISMO. Aula 04: Características do Webjornalismo. Características do webjornalismo

WEBJORNALISMO. Aula 04: Características do Webjornalismo. Características do webjornalismo WEBJORNALISMO Aula 04: Características do Webjornalismo Prof. Breno Brito Características do webjornalismo O webjornalismo apresenta algumas características específicas em relação a aspectos que quase

Leia mais

Guia para Boas Práticas

Guia para Boas Práticas Responsabilidade Social Guia para Boas Práticas O destino certo para seu imposto Leis de Incentivo Fiscal As Leis de Incentivo Fiscal são fruto da renúncia fiscal das autoridades públicas federais, estaduais

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

PLANO SETORIAL DAS ARTES VISUAIS

PLANO SETORIAL DAS ARTES VISUAIS PLANO SETORIAL DAS ARTES VISUAIS DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Artes Visuais MARÇO DE 2009 CAPÍTULO I DO ESTADO FORTALECER

Leia mais

A AGÊNCIA DE JORNALISMO COMO SUPORTE E APOIO AOS PROJETOS E AÇÕES DO CURSO DE JORNALISMO UEPG

A AGÊNCIA DE JORNALISMO COMO SUPORTE E APOIO AOS PROJETOS E AÇÕES DO CURSO DE JORNALISMO UEPG ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A AGÊNCIA DE JORNALISMO COMO SUPORTE

Leia mais

MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA.

MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA. 1 MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA. Profa. Arlete Embacher MiniWeb Educação S/C Ltda webmaster@miniweb.com.br Resumo Este relato descreve como surgiu

Leia mais

Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação

Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação Política da IFC sobre Divulgação de Informações Análise e Atualização Visão Geral do Processo de Consulta e Participação Corporação Financeira Internacional 26 de agosto de 2009 SUMÁRIO PÁGINA Resumo executivo...

Leia mais

PROJETO SEMANA CULTURA VIVA 10 ANOS DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL

PROJETO SEMANA CULTURA VIVA 10 ANOS DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL MINISTÉRIO DA CULTURA SECRETARIA DA CIDADANIA E DA DIVERSIDADE CULTURAL PROJETO SEMANA CULTURA VIVA 10 ANOS DE CIDADANIA E DIVERSIDADE CULTURAL Brasília, Novembro de 2014. APRESENTAÇÃO A primeira Semana

Leia mais

Com relação aos Compromissos Nacionais

Com relação aos Compromissos Nacionais Plano de Ação México Com relação aos Compromissos Nacionais 1. Nos último anos, o Ministério da Cultura do Brasil (MinC) vem debatendo com especial ênfase o impacto econômico propiciado pela música na

Leia mais

Roteiro de Aplicação da Economia Criativa e Inovação como critérios na FETEPS

Roteiro de Aplicação da Economia Criativa e Inovação como critérios na FETEPS Roteiro de Aplicação da Economia Criativa e Inovação como critérios na FETEPS Com objetivo de auxiliar na elaboração dos trabalhos, apresentamos critérios relacionados a Economia Criativa e Inovação, conceitos

Leia mais

A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1. Thais CASELLI 2. Iluska COUTINHO 3

A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1. Thais CASELLI 2. Iluska COUTINHO 3 A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1 RESUMO Thais CASELLI 2 Iluska COUTINHO 3 Universidade Federal de Juiz De Fora, Juiz de Fora, MG Este trabalho verifica como é a

Leia mais

Redes sociais no Terceiro Setor

Redes sociais no Terceiro Setor Redes sociais no Terceiro Setor Prof. Reginaldo Braga Lucas 2º semestre de 2010 Constituição de redes organizacionais Transformações organizacionais Desenvolvimento das organizações articuladas em redes

Leia mais

ANEXO V À RESOLUÇÃO Nº XX/2015, DE XX DE XXXX DE 2015.

ANEXO V À RESOLUÇÃO Nº XX/2015, DE XX DE XXXX DE 2015. ANEXO V À RESOLUÇÃO Nº XX/2015, DE XX DE XXXX DE 2015. 1 OBJETIVO O objetivo deste documento é estipular um plano de ação para criar e gerenciar perfis do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

Características do jornalismo on-line

Características do jornalismo on-line Fragmentos do artigo de José Antonio Meira da Rocha professor de Jornalismo Gráfico no CESNORS/Universidade Federal de Santa Maria. Instantaneidade O grau de instantaneidade a capacidade de transmitir

Leia mais

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br PROPOSTA DE PROPAGANDA - ANUNCIE NO JDC Apresentação de Plano de Publicidade Online no Site O JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ atende com o nome de JDC, porque é uma empresa que tem como sua atividade

Leia mais

Hotsite: Carta de Serviços ao Cidadão do MDS

Hotsite: Carta de Serviços ao Cidadão do MDS PRÁTICA 1) TÍTULO Hotsite: Carta de Serviços ao Cidadão do MDS 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: O Hotsite da Carta de Serviços ao Cidadão do MDS foi um projeto realizado pela Ouvidoria

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA. Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec MINISTÉRIO DA CULTURA

ECONOMIA DA CULTURA. Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec MINISTÉRIO DA CULTURA MINISTÉRIO DA CULTURA ECONOMIA DA CULTURA UM SETOR ESTRATÉGICO PARA O PAÍS Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec A produção, a circulação e o consumo de bens e

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação)

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação) DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação) OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a inclusão digital, instalando computadores nas escolas públicas de ensino fundamental

Leia mais

EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA

EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA EDITAL PRÊMIO GUNGA IDENTIDADE E CULTURA 1. APRESENTAÇÃO Com base nos valores da economia solidária e da cultura livre, o Estúdio Gunga empresa de comunicação focada na criação de sites, editoração gráfica,

Leia mais

Relatório de Gestão Setorial 2010

Relatório de Gestão Setorial 2010 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial 2010 Cruz das Almas BA 2010 ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES Período: Janeiro

Leia mais

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 Modelo 2: resumo expandido de relato de experiência Resumo expandido O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São

Leia mais

Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz

Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz Autores: Ana Paula Bernardo Mendonça Ana Cristina da Matta Furniel Rosane Mendes da Silva Máximo Introdução

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

SEC Que Cultura é essa? Balanço de Gestão 2007/2010

SEC Que Cultura é essa? Balanço de Gestão 2007/2010 SEC Que Cultura é essa? Balanço de Gestão 2007/2010 1 ATRAÇÃO DE RECURSOS ATRAÇÃO DE RECURSOS TRANSFORMAR DESPESA EM INVESTIMENTO A LEI DO ICMS ESTRUTURAÇÃO Superintendência específica Parceria SEFAZ

Leia mais

ETAPAS. 1ª Inscrições. 2ª Seleção. 3ª Palestra Inaugural.

ETAPAS. 1ª Inscrições. 2ª Seleção. 3ª Palestra Inaugural. O PROJETO O curso de Residência em Jornalismo da Rede Gazeta atinge a maioridade e chega a sua 18º edição, cada vez mais se consolidando como uma importante porta de entrada de novos profissionais no mercado

Leia mais

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO 1. DIMENSÃO PEDAGÓGICA 1.a) ACESSIBILIDADE SEMPRE ÀS VEZES NUNCA Computadores, laptops e/ou tablets são recursos que estão inseridos na rotina de aprendizagem dos alunos, sendo possível

Leia mais

Jornalismo Cidadão: o voluntariado no aprendizado com a AIDS 1

Jornalismo Cidadão: o voluntariado no aprendizado com a AIDS 1 Jornalismo Cidadão: o voluntariado no aprendizado com a AIDS 1 Juliana Paul MOSTARDEIRO 2 Rondon Martim Souza de CASTRO 3 Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS. RESUMO O Projeto Jornalismo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Manual com normas para solicitação de produção e publicação de material informativo jornalístico no site, lista de

Leia mais

O ZONA SUL ONLINE. Portal. Zona Sul Online. Newsletter

O ZONA SUL ONLINE. Portal. Zona Sul Online. Newsletter zonasulonline. c o m. br O ZONA SUL ONLINE Portal Zona Sul Online O ZonaSul Online é um veículo de comunicação baseado na Internet. É composto de um Portal de Busca na Internet, o Zona Sul Online, focado

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL PORTAL UTILITÀ ONLINE

PROPOSTA COMERCIAL PORTAL UTILITÀ ONLINE end: av. das américas 16.579, sala 201 recreio, 22790-701, rio de janeiro - rj tel: 21 2437 4222 21 2437 2669 www.utilitaonline.com.br PROPOSTA COMERCIAL PORTAL UTILITÀ ONLINE QUEM SOMOS Tudo começou com

Leia mais

A informação que você precisa!

A informação que você precisa! A informação que você precisa! Relatório atualizado em: Junho/13. Mídiakit O que é o PiraNOT.com O Portal de notícias de Piracicaba, PiraNOT, surgiu em Novembro de 2011 com o objetivo de ser o primeiro

Leia mais

Título do trabalho: O Setor de Acessibilidade das Fábricas de Cultura das Regiões Norte e Sul da Cidade de São Paulo.

Título do trabalho: O Setor de Acessibilidade das Fábricas de Cultura das Regiões Norte e Sul da Cidade de São Paulo. Temática(s): Acessibilidade em Bibliotecas Tipo de Trabalho: Relato de Experiência Título do trabalho: O Setor de Acessibilidade das Fábricas de Cultura das Regiões Norte e Sul da Cidade de São Paulo.

Leia mais

Ministério da Educação. Primavera 2014. Atualização do Redesenho do Currículo

Ministério da Educação. Primavera 2014. Atualização do Redesenho do Currículo Ministério da Educação Primavera 2014 Atualização do Redesenho do Currículo Em 2010, o Ministério da Educação começou a transformar o sistema educacional de British Columbia, Canadá, Ensino Infantil Médio

Leia mais

as cores locais formando um mosaico de sucesso

as cores locais formando um mosaico de sucesso 3º PRÊMIO DE COMUNICAÇÃO DO SISTEMA UNIMED Regulamento O presente regulamento tem a finalidade de estabelecer as normas aplicáveis ao Prêmio de Comunicação do Sistema Unimed, relativas aos participantes,

Leia mais

SocialDB Social Digital Library

SocialDB Social Digital Library Social Digital Library Laboratório L3P NARRATIVA DO PROJETO SOCIALDB 06/2015 Gestor de uma coleção "Sou produtor cultural (ou fotógrafo) e quero criar um lugar na internet com uma seleção de obras artísticas

Leia mais

Blog da House Comunicação entre a Agência Experimental e acadêmicos de Publicidade e Propaganda da FURB 1

Blog da House Comunicação entre a Agência Experimental e acadêmicos de Publicidade e Propaganda da FURB 1 Blog da House Comunicação entre a Agência Experimental e acadêmicos de Publicidade e Propaganda da FURB 1 Fernanda Bento ZEN 2 Joaquim Cardeal Junior 3 Fabricia Durieux ZUCCO 4 Venilton REINERT 5 FURB

Leia mais

Guia do apoiador cultural

Guia do apoiador cultural junho/2013 Guia do apoiador cultural Anúncios com Banners Âmbito Jurídico Comércio e Serviço de Informação, Ltda. www.ambito-juridico.com.br e-mail: diretoria@ambito-juridico.com.br Âmbito Jurídico O seu

Leia mais

Filme: O Lobisomem e o Coronel

Filme: O Lobisomem e o Coronel Filme: O Lobisomem e o Coronel Gênero: Animação Diretor: Elvis K. Figueiredo, Ítalo Cajueiro Ano: 2002 Duração: 10 min Cor: Colorido Bitola: 35mm País: Brasil Disponível no Porta Curtas: www.portacurtas.com.br/curtanaescola/filme.asp?cod=1518

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 1 CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 04/2007 Mílada Tonarelli Gonçalves CENPEC - Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária

Leia mais

Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico. Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2

Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico. Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2 Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2 Maicon Ferreira de SOUZA 3 Faculdade Assis Gurgacz, Cascavel, PR. RESUMO O presente

Leia mais

FÓRUM DO AUDIOVISUAL PARANAENSE Curitiba/PR 13 e 14 de junho de 2015

FÓRUM DO AUDIOVISUAL PARANAENSE Curitiba/PR 13 e 14 de junho de 2015 FÓRUM DO AUDIOVISUAL PARANAENSE Curitiba/PR 13 e 14 de junho de 2015 ÁREA: PRESERVAÇÃO AUDIOVISUAL Os representantes de preservação audiovisual, presentes ao Fórum do Audiovisual Paranaense, reconhecendo

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Miranda Aparecida de Camargo luckcamargo@hotmail.com Acadêmico do Curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Luana Sokoloski sokoloski@outlook.com

Leia mais