Fototropismo. Introdução. Materiais Necessários

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fototropismo. Introdução. Materiais Necessários"

Transcrição

1 Intro 01 Introdução As plantas, como todos os seres vivos, respondem a estímulos ambientais, mas essa resposta, na maioria das vezes, é bem lenta e quase imperceptível. A resposta de algumas plantas a estímulos luminosos, no entanto, pode ser percebida por nós. Confira neste experimento! Cadastrada por Raquel Silva Material - onde encontrar em casa Material - quanto custa até 10 reais Tempo de apresentação mais de um dia Dificuldade fácil Segurança seguro Materiais Necessários * Caixa de sapato com tampa; * Pedaço de papelão; * Régua, tesoura, estilete, caneta; * Fita adesiva dupla face; * Sementes de feijão; * Algodão; * Garrafa PET pequena; * Água.

2 Passo 1 Preparar a caixa de sapato Meça a largura da caixa de sapato, marque e corte no papelão três retângulos que sirvam como patamares para a caixa. Em um dos patamares, faça um círculo no meio. No outro, faça um círculo deslocado para a esquerda e no terceiro faça um círculo deslocado para a direita. Com auxílio de um estilete corte os círculos. Divida o espaço da caixa em quatro partes e cole os patamares com auxílio de fita adesiva dupla face.

3 Passo 2 Faça um buraco na caixa do lado oposto ao buraco feito no terceiro papelão.

4 Passo 3 Corte uma garrafa Pet pequena e utilize apenas a base. Coloque dentro dela um pedaço de algodão molhado com água e ponha nele alguns feijões para germinar. Assim que o primeiro feijão germinar retire os outros que não germinaram. Transfira a base de Pet com o feijão germinado para a caixa de sapatos. Molhe o feijão, sem colocar água em excesso, pois isso pode ocasionar o apodrecimento da semente. Feche bem a caixa e deixe num lugar iluminado até que você veja uma folha da planta de feijão saindo da caixa (isso pode demorar mais de uma semana). IMPORTANTE: Se a plantinha de feijão não for molhada corretamente, a planta morrerá desidratada. Então não se esqueça de colocar água antes de fechar a caixa.

5 Passo 4 Acompanhe o crescimento do feijão. Sugiro que faça o experimento em duas caixas. Em uma delas você abrirá para acompanhar cada etapa do crescimento do feijão. A segunda caixa deve permanecer fechada Acompanhe o crescimento do feijão. Feijão com seis dias Feijão com sete dias Feijão com sete dias Feijão com nove dias Feijão com nove dias Feijão com onze dias Feijão com doze dias

6 Passo 4

7 Passo 5 O que acontece O feijão cresce entrando pelos buracos feitos nos patamares até sair pela abertura da caixa. Mas por que isso ocorre? O feijão consegue ver os buracos? A resposta é não. Realmente as plantas não conseguem ver nada. Na verdade, a planta de feijão cresce em direção à luz. Como a luz vem dos buracos, ela cresce em direção a eles. Esse crescimento orientado em direção ao estímulo luminoso é chamado de fototropismo (foto= luz, tropos= girar). Mas, por que as plantas crescem em direção a luz? Esse comportamento está associado a um hormônio vegetal chamado auxina. Esse hormônio é responsável, entre outras coisas, pelo crescimento e alongamento das células vegetais e a ação da auxina nos tecidos vegetais é influenciada pela luz. Esse experimento que fizemos demonstra bem como ocorre essa influência da luz sobre a ação da auxina. Como podemos perceber o caule do feijão cresceu mais nas partes que receberam menos luz. Isso sugere que de alguma forma excesso de luz diminui a ação da auxina, por isso o lado sombreado cresce mais, fazendo com que a planta cresça em direção à luz. Se o lado sombreado cresce mais isso significa então que nesse lado tem mais auxina. (ilustração - caule encurvado). Mas como isso acontece? Podem existir duas explicações para isso. Ou a luz degrada a auxina ou a luz move a auxina para o lado sombreado. Durante a descoberta das funções da auxina foram realizados vários experimentos de como o hormônio influencia no tropismo da planta. Um deles foi com auxina marcada com C 14 (carbono radioativo). Utilizando esse marcador verificou-se a migração da auxina para o lado sombreado e não a sua destruição. Então com o acúmulo de auxina no lado sombreado essa parte cresce mais que o lado que está exposto à luz, o que resulta no crescimento da planta em direção à luz. Para obter a imagem em alto resolução clique aqui. A luz estimula a migração da auxina do lado iluminado para o lado sombreado. Isso provoca um crescimento maior do lado sombreado e como resultado o crescimento da planta se dá em direção à fonte luminosa.

8 Passo 6 Para saber mais Função da luz para os vegetais - uma questão que vai além da fotossíntese Sabemos que a luz é fundamental no processo da fotossíntese. Sem a luz, não seria possível produzir moléculas orgânicas como a glicose a partir de CO 2 e água. Mas o estímulo luminoso também está associado a outros processos que ocorrem nas plantas como: germinação de sementes e determinação dos períodos de floração das plantas (fotoperiodismo). Vejamos cada um desses processos: Germinação de sementes: A incidência de luz pode interferir na germinação das sementes. As sementes que dependem da incidência de luz para germinar são ditas fotoblásticas positivas e as que germinam apenas no escuro são chamadas de fotoblásticas negativas. Fotoperiodismo: As plantas sincronizam o período de floração de acordo com a duração dos dias e das noites. Elas percebem a duração do dia e da noite de acordo com a incidência de luz. Assim, as plantas conseguem medir a sazonalidade e se adequarem às estações do ano.

9 Passo 7 Veja também Vídeo que mostra fototropismo

MOVIMENTOS DAS PLANTAS

MOVIMENTOS DAS PLANTAS MOVIMENTOS VEGETAIS MOVIMENTOS DAS PLANTAS Movimentos de plantas são muitos sutis e quase não perceptíveis São respostas a estímulos externos (ambientais): luz, gravidade, temperatura, abalo mecânico,

Leia mais

Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal:

Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal: Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal: Fatores externos de controle LCE SLC0622- Biologia 3 2016 Tropismo Resposta de crescimento envolvendo a curvatura de uma parte da planta em resposta

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Ciências 7 o ano Unidade 2 5 Unidade 2 Nome: Data: 1. As cores das flores e o período do dia em que elas abrem são duas adaptações importantes das plantas e que facilitam a sua

Leia mais

Plano da Intervenção

Plano da Intervenção INTERVENÇÃO Percebendo nosso Planeta como um ser vivo: construção de terrário com garrafa PET Autora: Ana Maria Rigon Bolzan Plano da Intervenção CONTEXTUALIZAÇÃO Todos os seres vivos dependem de elementos

Leia mais

ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL PARTE II- NUTRIÇÃO ORGÂNICA E HORMÔNIOS VEGETAIS

ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL PARTE II- NUTRIÇÃO ORGÂNICA E HORMÔNIOS VEGETAIS ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL PARTE II- NUTRIÇÃO ORGÂNICA E HORMÔNIOS VEGETAIS Cita e explica os 4 fatores que interferem na fotossíntese. Temperatura Concentração CO2 na atmosfera Intensidade e Comprimento

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MOVIMENTOS E CRESCIMENTO VEGETAL, HORMÔNIOS E FOTOPERÍODO

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MOVIMENTOS E CRESCIMENTO VEGETAL, HORMÔNIOS E FOTOPERÍODO BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MOVIMENTOS E CRESCIMENTO VEGETAL, HORMÔNIOS E FOTOPERÍODO Crescimento Inibição Produção Raízes Gemas Caules Produção de Etileno 10-11 10-9 10-7 10-5 10-3 10-1 Concentração

Leia mais

Horta na Luva. Preparo. Vocabulário. Horta na Luva. Como as sementes se transformam em plantas?

Horta na Luva. Preparo. Vocabulário. Horta na Luva. Como as sementes se transformam em plantas? Como as sementes se transformam em plantas? Plantas são uma parte importante do nosso planeta. Elas fornecem alimentos, fibras, abrigo e oxigênio aos seres humanos e animais. Com, você poderá observar

Leia mais

CÂMARA ESCURA. Cad. Cat. Ens. Fis., Florianópolis, 3(1): 46-50, abr Renato Meineck Santos Diez Arribas Depto de Física ICEG Passo Fundo RS

CÂMARA ESCURA. Cad. Cat. Ens. Fis., Florianópolis, 3(1): 46-50, abr Renato Meineck Santos Diez Arribas Depto de Física ICEG Passo Fundo RS CÂMARA ESCURA Renato Meineck Santos Diez Arribas Depto de Física ICEG Passo Fundo RS Um aparelho muito simples que nos dá a idéia do funcionamento do olho humano e da câmara fotográfica é a caixa escura.

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Recuperação do 3 Bimestre disciplina :Biologia Conteúdo: Evolução Biológica II: teoria sintética ou moderna da evolução, mutação, isolamento geográfico, isolamento

Leia mais

FISIOLOGIA DE ANGIOSPERMAS

FISIOLOGIA DE ANGIOSPERMAS BIOLOGIA FISIOLOGIA DE ANGIOSPERMAS Prof. TOSCANO O que você deve saber sobre FISIOLOGIA DAS PLANTAS ANGIOSPERMAS A capacidade de responder a mudanças ambientais e a adaptação a diferentes situações são

Leia mais

Uma das características básicas da vida é a capacidade de responder a estímulos do meio

Uma das características básicas da vida é a capacidade de responder a estímulos do meio Hormonas vegetais Uma das características básicas da vida é a capacidade de responder a estímulos do meio Em resposta a factores externos, as plantas produzem mensageiros químicos, as hormonas vegetais

Leia mais

Plano de Intervenção

Plano de Intervenção INTERVENÇÃO AULA PRÁTICA GERMINAÇÃO Plano de Intervenção AUTOR: Luiz Felipe Ribeiro CONTEXTUALIZAÇÃO Em biologia chama-se germinação ao processo inicial do crescimento de uma planta a partir de um corpo

Leia mais

CONSTRUA SUA PRÓPRIA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA!

CONSTRUA SUA PRÓPRIA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA! CONSTRUA SUA PRÓPRIA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA! Personagem: Você trabalha na equipe do Instituto de Meteorologia do município, observando os padrões do tempo e desenvolvendo previsões do tempo para a cidade.

Leia mais

Hormônios vegetais Prof.: Eduardo

Hormônios vegetais Prof.: Eduardo Prof.: Eduardo Fitormônios: É um composto orgânico sintetizado em alguma parte do vegetal que pode ser transportado para outra parte e assim em concentrações muito baixas causar uma resposta fisiológica

Leia mais

TABELA 1 - MEDIDAS DO CORPO

TABELA 1 - MEDIDAS DO CORPO TABELA 1 - MEDIDAS DO CORPO Essa Tabela reune as medidas tiradas rente ao corpo e deverá ser utilizada para Tecido Plano ou Malha com Baixa Elasticidade. Tabela 2 - Medidas para Malha de Média Elasticidade

Leia mais

GUIÃO DO PROFESSOR. João e o pé de feijão. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor

GUIÃO DO PROFESSOR. João e o pé de feijão. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor GUIÃO DO PROFESSOR João e o pé de feijão Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor Era uma vez João e o Pé de Feijão Enquadramento Curricular Preparação da visita 1ºCiclo Estudo

Leia mais

O controle do crescimento e do desenvolvimento de um vegetal depende de alguns fatores:

O controle do crescimento e do desenvolvimento de um vegetal depende de alguns fatores: O controle do crescimento e do desenvolvimento de um vegetal depende de alguns fatores: Disponibilidade de luz Disponibilidade de água Nutrientes minerais Temperatura Um outro fator que regula o crescimento

Leia mais

PRINCIPAIS FITORMÔNIOS

PRINCIPAIS FITORMÔNIOS FITORMÔNIOS São substâncias orgânicas químicas que atuam em diferentes partes do vegetal, como raiz, caule, folha, flor e fruto. São sintetizados em pequenas porções. Responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento

Leia mais

HORMÔNIOS VEGETAIS OU FITORMÔNIOS

HORMÔNIOS VEGETAIS OU FITORMÔNIOS HORMÔNIOS VEGETAIS OU FITORMÔNIOS São substâncias ativas, em quantidades mínimas que induzem efeitos especiais crescimento e desenvolvimento vegetal ( estimulando ou inibindo ). Ex. Auxinas, Giberelinas,

Leia mais

Linha expression Divirta-se fazendo um caminho de mesa com círculos passo a passo. Comprimento aproximado de 60 X 220 cm (24 X 85 )

Linha expression Divirta-se fazendo um caminho de mesa com círculos passo a passo. Comprimento aproximado de 60 X 220 cm (24 X 85 ) Linha expression Divirta-se fazendo um caminho de mesa com círculos passo a passo. Comprimento aproximado de 60 X 220 cm (24 X 85 ) Materiais necessários: PFAFF quilt expression 4.2 Sapatilha PFAFF de

Leia mais

Foto: Juçara Bordin Local: Chile, Parque Nacional Torres del Paine. Curso: Água: gotas de conscientização

Foto: Juçara Bordin Local: Chile, Parque Nacional Torres del Paine. Curso: Água: gotas de conscientização Foto: Juçara Bordin Local: Chile, Parque Nacional Torres del Paine Curso: Água: gotas de conscientização Água nos seres vivos SOMOS FEITOS DE ÁGUA! Um recém nascido pesa cerca de 3 quilos. Você poderia

Leia mais

ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL

ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL Macro e Micronutrientes: MACRONUTRIENTES: - CO2, Água e Sais Minerais - Hidrogênio, Carbono, Oxigênio, Nitrogênio, Fósforo, Potássio, Magnésio, Enxofre, Potássio, Silício, Cálcio

Leia mais

ARTE DE CONTAR HISTÓRIA Vânia Morais Cavalcanti

ARTE DE CONTAR HISTÓRIA Vânia Morais Cavalcanti ARTE DE CONTAR HISTÓRIA Vânia Morais Cavalcanti Flanelógrafo 1- Corto um pedaço de papelão, exemplo 100 cm x 33 cm. (Sempre peço caixas grandes nos supermercados, lojas de doces,...) E corto o feltro uns

Leia mais

Pranchas dos Experimentos. Como citar: restinga: uma sequência didática argumentativa. 1ed. São Paulo: Edição dos autores, Janeiro de p.

Pranchas dos Experimentos. Como citar: restinga: uma sequência didática argumentativa. 1ed. São Paulo: Edição dos autores, Janeiro de p. Pranchas dos Experimentos e Atividades práticas Como citar: AZEVEDO, N.H.; MARTINI, A.M.Z.; OLIVEIRA, A.A.; SCARPA, D.L.; PETROBRAS:USP, IB, LabTrop/BioIn (org.). Ecologia na restinga: uma sequência didática

Leia mais

Fibonacci: A Ciência no Ensino Básico e Pré-escolar

Fibonacci: A Ciência no Ensino Básico e Pré-escolar Fibonacci: A Ciência no Ensino Básico e Pré-escolar Professora: Carla Jorge Escola EB1 Sofia de Carvalho Algés 1.º Ciclo 2.º ano 23 alunos É incontestável que a Ciência hoje em dia, devido à sua natureza

Leia mais

Questões de vestibulares - Fotossíntese

Questões de vestibulares - Fotossíntese Questões de vestibulares - Fotossíntese 1. (ESAL-MG) A fotossíntese é um dos mais importantes fenômenos que ocorrem na Natureza, pois todos os seres vivos dependem direta ou indiretamente desse processo.

Leia mais

ROTEIRO DE MONTAGEM DE UMA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA EXPERIMENTAL

ROTEIRO DE MONTAGEM DE UMA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA EXPERIMENTAL ROTEIRO DE MONTAGEM DE UMA ESTAÇÃO METEOROLÓGICA EXPERIMENTAL Instrumento de marcação de tempo Relógio, telefone celular ou outro instrumento que indique o horário com precisão. As coletas de dados devem

Leia mais

CICLO 09. 4jul a 24jul Ajude o Revendedor a transformar oportunidades em vendas.

CICLO 09. 4jul a 24jul Ajude o Revendedor a transformar oportunidades em vendas. CICLO 09 4jul a 24jul 2016 Ajude o Revendedor a transformar oportunidades em vendas. MANUAL DE MONTAGEM KIT DE AMBIENTAÇÃO DO ENCONTRO CICLO 09 OLÁ, SUPERVISORA! TUDO BEM COM VOCÊ? O Ciclo 09 chegou para

Leia mais

FISIOLOGIA VEGETAL FISIOLOGIA VEGETAL 24/05/2017. Prof. Leonardo F. Stahnke

FISIOLOGIA VEGETAL FISIOLOGIA VEGETAL 24/05/2017. Prof. Leonardo F. Stahnke FISIOLOGIA VEGETAL Prof. Leonardo F. Stahnke FISIOLOGIA VEGETAL A fisiologia vegetal é a parte da biologia que estuda o funcionamento do organismo das plantas, que inclui: Nutrição vegetal; Crescimento

Leia mais

Física Experimental III GFB025 Prof. Raul F. Cuevas

Física Experimental III GFB025 Prof. Raul F. Cuevas Curvas Equipotencias e Campo Elétrico Objetivos: Estudar a distribuição das curvas equipotenciais em uma regiao onde existe um campo elétrico definido por uma configuração especifica de eletrodos. Constroir

Leia mais

Olá, aí vão algumas opções e dicas para confeccionar uma toca climatizada. O primeiro passo é providenciar e separar o material que será utilizado.

Olá, aí vão algumas opções e dicas para confeccionar uma toca climatizada. O primeiro passo é providenciar e separar o material que será utilizado. Por Tatiane Coutinho Olá, aí vão algumas opções e dicas para confeccionar uma toca climatizada. O primeiro passo é providenciar e separar o material que será utilizado. - Cano de PVC de 100mm com 50 cm;

Leia mais

Caixa Craquelada e Textura Aplicada

Caixa Craquelada e Textura Aplicada Caixa Craquelada e Textura Aplicada Material: Tinta acrílica linha Nature Colors nas cores: - Sépia ref. 551 - Vermelho queimado ref. 588 - Verde pinheiro ref. 546 - Verde gris ref. 927 - Laranja ref.

Leia mais

Atividade prática - Estudando a água Parte 13

Atividade prática - Estudando a água Parte 13 Atividade prática - Estudando a água Parte 13 9º ano do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio Objetivo Diversos experimentos, usando principalmente água e materiais de fácil obtenção, são possíveis

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA) COORDENADORIA DO CURSO DE AGRONOMIA ANO DA ÚLTIMA REVISÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA) COORDENADORIA DO CURSO DE AGRONOMIA ANO DA ÚLTIMA REVISÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA) COORDENADORIA DO CURSO DE AGRONOMIA DEPARTAMENTO INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS (ICA) CARGA HORÁRIA SEMESTRAL CÓDIGO ANO DA ÚLTIMA REVISÃO

Leia mais

(baseado em 11 avaliações)

(baseado em 11 avaliações) Experimento cadastrado por Xambim Baldez em 30/06/2008 Classificação Total de exibições: 9512 (até 16/11/2011) (baseado em 11 avaliações) Palavras-chave: física,fonte,heron,garrafa,pet,energia,potencial,pressão,atmosf

Leia mais

Hormônios Vegetais Regulação do crescimento

Hormônios Vegetais Regulação do crescimento Hormônios Vegetais Regulação do crescimento Interações de fatores no desenvolvimento vegetal Genoma da planta Codificação de enzimas catalisadoras de reações bioquímicas de desenvolvimento Estímulos ambientais

Leia mais

BIOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2005

BIOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2005 IOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIULAR 2005 QUESTÃO 01 Os hormônios sexuais são substâncias que, no sistema reprodutor feminino, promovem interações que regulam o ciclo menstrual. Analise a possibilidade de ocorrência

Leia mais

O QUE SE PRETENDE. 1. Seleccionar o material que permita extrair e separar os pigmentos fotossintéticos presentes nos cloroplastos a nível das folhas.

O QUE SE PRETENDE. 1. Seleccionar o material que permita extrair e separar os pigmentos fotossintéticos presentes nos cloroplastos a nível das folhas. O QUE SE PRETENDE 1. Seleccionar o material que permita extrair e separar os pigmentos fotossintéticos presentes nos cloroplastos a nível das folhas. 2. Descrever o procedimento efectuado na execução da

Leia mais

Aula 10 Fotossíntese

Aula 10 Fotossíntese Aula 10 Fotossíntese A fotossíntese é um importante processo nutritivo, que ocorre desde os seres vivos mais simples, como as algas unicelulares e cianobactérias, até os organismos complexos. O processo

Leia mais

Lista de exercícios de Biologia - revisão geral - 3º ano Valor 2,0 pontos (NT) Profa Deborah

Lista de exercícios de Biologia - revisão geral - 3º ano Valor 2,0 pontos (NT) Profa Deborah Lista de exercícios de Biologia - revisão geral - 3º ano Valor 2,0 pontos (NT) Profa Deborah 1. (Unesp-SP) Um botânico tomou dois vasos, A e B, de uma determinada planta. O vaso A permaneceu como controle

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências da Natureza Disciplina: Série: 2ª Ensino Médio Professor: Pascoal Belico Cária Atividades para Estudos Autônomos Data: 25 / 4 / 2016 Aluno(a): N o : Turma: TEMAS:

Leia mais

E-book Passo a Passo Bloquinho Personalizado. Por Jane Meire Carvalho

E-book Passo a Passo Bloquinho Personalizado. Por Jane Meire Carvalho E-book Passo a Passo Bloquinho Personalizado Me chamo Jane Meire Carvalho, nasci em Salvador Bahia. Tenho formação em Administração e atuei 11 anos na área de Comércio Exterior. Desde criança pratico alguns

Leia mais

Plano de Aulas - Ciências Andréa Barreto

Plano de Aulas - Ciências Andréa Barreto Plano de Aulas - Ciências Andréa Barreto Introdução Neste livro, estarei colocando um plano de aula de Ciências que utilizei em sala de aula. Os planos de aula estão estruturados segundo uma lógica da

Leia mais

Esta apostila contém 1 passo a passo para peça de e.v.a, folha com dicas e sugestões, folha de molde, lista de materiais, etapas ilustradas em

Esta apostila contém 1 passo a passo para peça de e.v.a, folha com dicas e sugestões, folha de molde, lista de materiais, etapas ilustradas em Apostila de E.V.A Donut 13013 Esta apostila contém 1 passo a passo para peça de e.v.a, folha com dicas e sugestões, folha de molde, lista de materiais, etapas ilustradas em impressão colorida. Dicas e

Leia mais

FISIOLOGIA VEGETAL. Prof. Tiago Vianna

FISIOLOGIA VEGETAL. Prof. Tiago Vianna Prof. Tiago Vianna FOTOSSÍNTESE : PRODUÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA OBTENÇÃO DE ÁGUA E SAIS PELA PLANTA XILEMA(LENHO) : tecido morto de condução e sustentação XILEMA(LENHO) : tecido morto de condução e sustentação

Leia mais

Projeto: Rosa Sirota Bijouteria Azulejo Tinta Mosaico

Projeto: Rosa Sirota Bijouteria Azulejo Tinta Mosaico Projeto: Rosa Sirota Bijouteria Azulejo Tinta Mosaico Tempo de execução: 40 minutos sem contar secagens Grau de dificuldade: difícil Material: 50 g de massa de biscuit (vide receita) Tinta para Tecido

Leia mais

Aula Prática: Confecção da caixinha de vento

Aula Prática: Confecção da caixinha de vento Aula Prática: Confecção da caixinha de vento Docentes Elizabeth Setim de Miranda Ruth Janice Guse Schadeck Márcia Helena Mendonça Editores Bruno Reis Martins Rafael de Oliveira Fratoni Aplicação nos 6

Leia mais

Karen Jennings Wilson. Tecido branco com flocos de neve. Tecido de algodão na cor azul claro

Karen Jennings Wilson. Tecido branco com flocos de neve. Tecido de algodão na cor azul claro projetos Pássaro de Inverno Karen Jennings Wilson Esta bolsinha "Pássaro de Inverno" 13cm x 18cm (5" x 7") com zíper manterá você alegre e organizada durante o inverno! Tem espaço suficiente para celular

Leia mais

Peça: Porta Recados Criação: Professora Dany Alves

Peça: Porta Recados Criação: Professora Dany Alves Peça: Porta Recados Criação: Professora Dany Alves Inspiração: Peça feita para ser usada para decorar qualquer ambiente de sua casa. Com toque de carinho vamos organizar nossos compromissos e recados!

Leia mais

Aula CRESCIMENTO META OBJETIVOS. Entender o crescimento primário e secundário nas plantas.

Aula CRESCIMENTO META OBJETIVOS. Entender o crescimento primário e secundário nas plantas. CRESCIMENTO Aula 8 META Entender o crescimento primário e secundário nas plantas. OBJETIVOS Fisiologia Vegetal INTRODUÇÃO - processo conhecido como de crescimento. ra, peso) e funções em geral de um organismo,

Leia mais

BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2

BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2 BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2 Conceitos Básicos ECOLOGIA Oikos =casa; logos= ciência É a ciência que estuda as relações entre os seres vivos entre si e com o ambiente onde eles vivem Estuda as formas

Leia mais

Fabricando tijolos de adobe

Fabricando tijolos de adobe Fabricando tijolos de adobe Karen D. Cartaxo Sprenger julho de 2009 A preparação para o curso de bioconstrução me apresentou o desafio de fabricar tijolos de adobe. Muito havia ouvido falar mas nunca tinha

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 3º EM Biologia A Marli Av. Trimestral 16/09/15 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta prova

Leia mais

FOTOSSÍNTESE MÓDULO 2 CITOLOGIA

FOTOSSÍNTESE MÓDULO 2 CITOLOGIA MÓDULO 2 CITOLOGIA Jovem, se você ainda não viu a aula de Respiração eu sugiro que você pare e vá dar uma olhada. Isso, pode ir agora mesmo, sem problemas. Eu espero. Isso porque a fotossíntese fica muito

Leia mais

Sumário. Revisão; Capacitor; Associação de Capacitor; Capacitor Caseiro;

Sumário. Revisão; Capacitor; Associação de Capacitor; Capacitor Caseiro; Aula 03 1 Sumário Revisão; Capacitor; Associação de Capacitor; Capacitor Caseiro; 2 3 Revisão Resistores O resistor é responsável por dificultar a passagem de corrente pelo circuito. Já tentaram isso,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Sequência de aulas - Física Autor: Natel Ferreira - Curitiba/PR 1. Nível de ensino:

Leia mais

Construa uma. Celestial Casinha na Árvore de Papel em 3D

Construa uma. Celestial Casinha na Árvore de Papel em 3D Construa uma Celestial Casinha na Árvore de Papel em 3D 2 Modelos de folhagens Obs: Imprima as páginas 2 e 3 em papel branco. Recorte os modelos para usar como molde para criar a folhagem de fundo. Coloque

Leia mais

Semente Caiçara Ltda. A força da qualidade

Semente Caiçara Ltda. A força da qualidade MANUAL DE PLANTIO Semente Caiçara Ltda. A força da qualidade Temos à pronta entrega a quantidade que você necessita. As sementes são inspecionadas, beneficiadas, mantendo-se assim, ao longo dos anos, o

Leia mais

1- Escreva qual é a forma de energia presente em cada caso abaixo. a) Buzina de um carro. b) Funcionamento de uma televisão.

1- Escreva qual é a forma de energia presente em cada caso abaixo. a) Buzina de um carro. b) Funcionamento de uma televisão. Atividade de Estudo - Ciências 5º ano Nome: 1- Escreva qual é a forma de energia presente em cada caso abaixo. a) Buzina de um carro. b) Funcionamento de uma televisão. c) Fotossíntese. _ d) Um atleta

Leia mais

Flocos de neve para enfeitar o natal passo a passo com

Flocos de neve para enfeitar o natal passo a passo com Flocos de neve para enfeitar o natal passo a passo com Moldes Flocos de neve para enfeitar o natal passo a passo com Moldes- CRÉDITOS: PIXABAY Veja o passo a passo com imagens ilustrativas ensinando a

Leia mais

Ondas estacionárias em uma corda. Introdução. Materiais Necessários. Visualize diferentes modos de vibração para ondas estacionárias em uma corda.

Ondas estacionárias em uma corda. Introdução. Materiais Necessários. Visualize diferentes modos de vibração para ondas estacionárias em uma corda. dução Visualize diferentes modos de vibração para ondas estacionárias em uma corda. Cadastrada por Lucas Assis Material - onde encontrar em supermercados e farmácias Material - quanto custa entre e 25

Leia mais

Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal:

Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal: Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal: Fatores internos de controle LCE SLC0622- Biologia 3 2016 Hormônios Vegetais ou Fitormônios: fatores internos de controle Regulam o desenvolvimento e

Leia mais

ABSORÇÃO. - A absorção de água e sais minerais acontece principalmente pela raiz, na região dos pêlos absorventes;

ABSORÇÃO. - A absorção de água e sais minerais acontece principalmente pela raiz, na região dos pêlos absorventes; FISIOLOGIA VEGETAL - É o estudo dos mecanismos responsáveis por manter o equilíbrio das funções da planta. - São a absorção de nutrientes e água, o transporte das seivas, fatores reguladores do crescimento

Leia mais

SLC Aula 10 Profa. Ana Paula O movimento da água e dos solutos nas plantas

SLC Aula 10 Profa. Ana Paula O movimento da água e dos solutos nas plantas SLC 0622 - Aula 10 Profa. Ana Paula O movimento da água e dos solutos nas plantas Para cada grama de matéria orgânica produzida pela planta, cerca de 500g de água são absorvidos pelas raízes, transportados

Leia mais

Tempo de exposição: À partir de 1 minuto. Teste intervalos de 1,2, 3, 5, 10, 15, 20 de acordo com a luz da cena.

Tempo de exposição: À partir de 1 minuto. Teste intervalos de 1,2, 3, 5, 10, 15, 20 de acordo com a luz da cena. PinLux - DIY Como fazer uma estenopeica com uma caixa de fósforo. Por Damiao Santana 01 PinLux materiais Materias necessários para a montagem da pinlux: 1 - guache preto 2 - pincel 3 - fita isolante 4

Leia mais

COMO CULTIVAR ORQUIDEAS

COMO CULTIVAR ORQUIDEAS S.O.S. UTI para orquídeas Se sua orquídea está com poucas raízes verdes, raízes pequenas, e com aparência de debilitada? Existe um jeito de recuperá-las! Na UTI de garrafa PET, as chances de recuperar

Leia mais

Criando com a. Mamae Noel

Criando com a. Mamae Noel Criando com a Mamae Noel - Execução da peça: Vivian Gaeta - Ateliê Las Chicas /apoio Estilotex Diagramação e execução da receita: Vivian Gaeta Material Usado: 12437 Patch Natal Cor 02 Palha; Feltro Sense

Leia mais

peça 14a peça 12a peça 12a peça 14a peça nº 11a emendar na p eça nº 11 peça 6 peça 11 peça 11 peça 6 peça 11 peça nº 12 emendar na peça nº 12a vincar

peça 14a peça 12a peça 12a peça 14a peça nº 11a emendar na p eça nº 11 peça 6 peça 11 peça 11 peça 6 peça 11 peça nº 12 emendar na peça nº 12a vincar esquerdo fio da centro da frente costura a 9 eça nº a nº a emendar na p nº a emendar na nº a a fio da COMO MONTR O SEU MOLDE www.manequim.com.br MOLDE ON LINE MP DE MONTGEM tenção ntes de iniciar a impressão

Leia mais

O movimento da água e dos solutos nas plantas

O movimento da água e dos solutos nas plantas O movimento da água e dos solutos nas plantas A água Princípios do movimento da Água O movimento da água em qualquer sistema é governado por 3 processos: Difusão Osmose Fluxo de massa; Osmose glicose Membrana

Leia mais

Oficina 03 Plantas. Atividade 1: O que tem dentro da semente?

Oficina 03 Plantas. Atividade 1: O que tem dentro da semente? Oficina 03 Plantas Atividade 1: O que tem dentro da semente? 1- Apresentação do problema Para iniciar a atividade, o professor deverá distribuir diferentes sementes e lançar a pergunta: O que tem dentro

Leia mais

BIOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006 (cada questão desta prova vale até cinco pontos)

BIOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006 (cada questão desta prova vale até cinco pontos) BIOLOGIA 2ª ETAPA do VESTIBULAR 2006 (cada questão desta prova vale até cinco pontos) QUESTÃO 01 Leia os itens abaixo, que se referem às glândulas, e responda: a) Os hormônios, produzidos pelas glândulas

Leia mais

Introdução às Ciências Físicas Módulo 1 Aula 1

Introdução às Ciências Físicas Módulo 1 Aula 1 Experimento 2 A emissão da luz por diferentes fontes Objetivo: Construir um modelo para a emissão de luz por uma fonte não puntiforme. Material utilizado! caixa escura! máscaras! fonte de luz 1 com lâmpadas

Leia mais

Engenharia Ambiental Laboratório de Física II. Projeto Engenhocas- Balança ecológiga.

Engenharia Ambiental Laboratório de Física II. Projeto Engenhocas- Balança ecológiga. CAMPUS SOROCABA Engenharia Ambiental Laboratório de Física II Projeto Engenhocas- Balança ecológiga. Grupo Greenpeople: Fabricio Seiti Imamura Giovana Scagnolatto Morgana Broglio Vinícius Otavio Bossi

Leia mais

O que as plantas enxergam?

O que as plantas enxergam? Fotomorfogênese O que as plantas enxergam? Como as plantas enxergam? Luz (λ=nm) Fotomorgênese A luz é um importante fator ambiental para as plantas, não somente para a fotossintese, mas também para a sua

Leia mais

Foto 1: Aluno com a cabeça dentro da câmara escura.

Foto 1: Aluno com a cabeça dentro da câmara escura. Câmara escura Regina Introdução: Podemos fazer das aulas de física um momento de reflexão sobre aquilo que observamos e incentivar os alunos a realizar construções experimentais por suas próprias mãos

Leia mais

MOVIMENTOS VEGETAIS. Katia Christina Zuffellato-Ribas

MOVIMENTOS VEGETAIS. Katia Christina Zuffellato-Ribas MOVIMENTOS VEGETAIS Katia Christina Zuffellato-Ribas MOVIMENTOS VEGETAIS MOVIMENTO DE CRESCIMENTO É IRREVERSÍVEL MOVIMENTO DE TURGOR É REVERSÍVEL MOVIMENTO DE CRESCIMENTO É IRREVERSÍVEL MOVIMENTO DE TURGOR

Leia mais

Respostas dos Problemas 1- Respostas: C-A-B-C-B-C Conceitos relacionados: fotossíntese e respiração celular

Respostas dos Problemas 1- Respostas: C-A-B-C-B-C Conceitos relacionados: fotossíntese e respiração celular Respostas dos Problemas 1- Respostas: C-A-B-C-B-C Conceitos relacionados: fotossíntese e respiração celular 2- No processo de fabricação do pão é utilizado o mesmo fungo (Saccharomyces Cerevisae) que é

Leia mais

Hormônios Vegetais (Fitormônios)

Hormônios Vegetais (Fitormônios) Hormônios Vegetais (Fitormônios) Hormônios Vegetais Os fitormônios, como também são chamados os hormônios vegetais, são substâncias orgânicas atuantes nos diferentes órgãos das plantas: raiz, caule, folhas,

Leia mais

DATA: 03 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE CIÊNCIAS 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 03 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE CIÊNCIAS 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 03 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE CIÊNCIAS 3.º ANO/EF UNIDADE: ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

MOLDE ON LINE MAPA DE MONTAGEM COMO MONTAR O SEU MOLDE INSTRUÇÕES DE MONTAGEM ANOTAÇÕES

MOLDE ON LINE MAPA DE MONTAGEM COMO MONTAR O SEU MOLDE INSTRUÇÕES DE MONTAGEM ANOTAÇÕES COMO MONTAR O SEU MOLDE www.manequim.com.br MAPA DE MONTAGEM MOLDE ON LINE INSTRUÇÕES DE MONTAGEM 1 2 3 4 Antes de tudo, verifique se o quadrado localizado no canto superior esquerdo da Folha 1 mede 5

Leia mais

Projeto: Rosa Sirota Caixa Quadrada Tinta Mosaico

Projeto: Rosa Sirota Caixa Quadrada Tinta Mosaico Projeto: Rosa Sirota Caixa Quadrada Tinta Mosaico Tempo de execução: aproximadamente 1 hora e meia sem contar tempos de secagem Grau de dificuldade: difícil Material: Caixa de MDF quadrada, com tampa medindo

Leia mais

PLANO DE AULA Nutrição das Plantas Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert;

PLANO DE AULA Nutrição das Plantas Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert; PLANO DE AULA Nutrição das Plantas Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert; 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nível de Ensino: Ensino Médio Ano/Série: 1º ano Disciplina: Biologia 2. TEMA

Leia mais

Explorando... a diversidade de sementes

Explorando... a diversidade de sementes cader de registos A A Explorando... a diversidade de sementes ensi? uestão-problema: Como se podem agrupar sementes diversas? 1 Vai preenchendo o quadro, seguindo o exemplo que te damos: Critérios de agrupamento

Leia mais

RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS AULA ESCRITA

RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS AULA ESCRITA RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS AULA ESCRITA 1. Apresentação É hora de revisar as Razões Trigonométricas. Boas aulas! 2 INTRODUÇÃO Vimos que Trigonometria é o ramo da matemática que estuda as medidas do triângulo,

Leia mais

Todos os seres vivos apresentam uma série de respostas a estímulos exteriores, tais como a luz, a temperatura, a gravidade, o fotoperíodo ou o toque

Todos os seres vivos apresentam uma série de respostas a estímulos exteriores, tais como a luz, a temperatura, a gravidade, o fotoperíodo ou o toque HORMONAS VEGETAIS Todos os seres vivos apresentam uma série de respostas a estímulos exteriores, tais como a luz, a temperatura, a gravidade, o fotoperíodo ou o toque mecânico (contacto). Apesar de não

Leia mais

Diverte-te com a tua Nova Capa para Telemóvel! Cortar os quatro cantos com cuidado para não cortar os pontos.

Diverte-te com a tua Nova Capa para Telemóvel! Cortar os quatro cantos com cuidado para não cortar os pontos. Instruções De que precisa: Máquina de costura Totally Me! 2 pedaços de tecido (4,5" x 13") (11,4 cm x 33 cm) 1 pedaço de enchimento adesivo 2,5" (6,4 cm) de elástico fino 1 botão colorido Tesoura Pinos

Leia mais

à obra Construindo nosso próprio globo terrestre

à obra Construindo nosso próprio globo terrestre à obra Construindo nosso próprio globo terrestre Você vai precisar de: Uma base de madeira, fita adesiva, um pedaço de arame com cerca de 30 cm de comprimento e uma bola de isopor, com 15 cm de diâmetro,

Leia mais

Apostila de Jogo Americano. Autora: Lara Rogedo. Outubro/2015

Apostila de Jogo Americano. Autora: Lara Rogedo. Outubro/2015 Apostila de Jogo Americano Autora: Lara Rogedo Outubro/2015 CONFORME A LEI Nº 9.610/98, É PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL E PARCIAL OU DIVULGAÇÃO COMER- CIAL DESTE MATERIAL SEM AUTORIZAÇÃO PRÉVIA E EXPRESSA

Leia mais

Guia básico para acolchoamento Acolchoar

Guia básico para acolchoamento Acolchoar Guia básico para acolchoamento colchoar Preparar materiais e equipamentos Tecido... Recomendamos tecido 00% de algodão, não muito espesso. Enchimento... Normalmente, é usado enchimento 00% de poliéster

Leia mais

Biologia Fascículo 05 Lara Regina Parra de Lazzari

Biologia Fascículo 05 Lara Regina Parra de Lazzari Biologia Fascículo 05 Lara Regina Parra de Lazzari Índice Fisiologia Vegetal... 1 Hormônios Vegetais... 1 Floração... 6 Exercícios... 7 Gabarito... 9 Fisiologia Vegetal Hormônios Vegetais Auxina Giberelina

Leia mais

Obs.: corte as peças obedecendo ao plano de corte. Não esqueça de deixar folgas para as costuras e bainhas.

Obs.: corte as peças obedecendo ao plano de corte. Não esqueça de deixar folgas para as costuras e bainhas. MOLDESROBERTO MARQUES.com.br na sua medida molde: C001 - calça legging tamanhos: PP; P; M e G Algumas maneiras para imprimir: clique na página com o botão direito do mouse, na janela que abrir, procure

Leia mais

Figura 1. Duas partículas de diferentes massas perfeitamente apoiadas pelo bastão = (1)

Figura 1. Duas partículas de diferentes massas perfeitamente apoiadas pelo bastão = (1) PRÁTICA 13: CENTRO DE MASSA Centro de massa (ou centro de gravidade) de um objeto pode ser definido como o ponto em que ele pode ser equilibrado horizontalmente. Seu significado físico tem muita utilidade

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 7º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 7º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 7º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ 2010 01. As fotografias

Leia mais

28/10/2013. HORMÔNIOS VEGETAIS ou FITORMÔNIOS

28/10/2013. HORMÔNIOS VEGETAIS ou FITORMÔNIOS HORMÔNIOS VEGETAIS ou FITORMÔNIOS Vegetais são capazes de controlar seu desenvolvimento e crescimento de acordo com as condições ambientais, e de reagir a estímulos ambientais; Essas atividades são controladas

Leia mais

Fisiologia Vegetal. Natália A. Paludetto

Fisiologia Vegetal. Natália A. Paludetto 0 Fisiologia Vegetal Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Fisiologia da água e dos sais minerais Solo Raízes planta! Água + SMs Absorção de água pela raiz: Zona

Leia mais

Dinâmica da Caixinha SEGUNDA CAMPANHA IGREJA AMIGA DA CRIANÇA 2015

Dinâmica da Caixinha SEGUNDA CAMPANHA IGREJA AMIGA DA CRIANÇA 2015 Dinâmica da Caixinha SEGUNDA CAMPANHA IGREJA AMIGA DA CRIANÇA 2015 Realize a escuta com caixinhas de fósforo transformadas em urnas! 1. Com as caixinhas você pode fazer a escuta num momento de culto ou

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL 1. (Ufrgs 2015) A coluna à esquerda, abaixo, lista dois hormônios vegetais; a coluna à direita, funções que desempenham. Associe adequadamente a coluna direita com a esquerda.

Leia mais

Brincadeira científica - Câmera fotográfica

Brincadeira científica - Câmera fotográfica Brincadeira científica - Câmera fotográfica Você, provavelmente, está acostumado a tirar fotos com uma câmera digital ou um celular. Mas você sabe como a imagem de um grande edifício, ou de uma pessoa,

Leia mais

MEDIDA DA CARGA DO ELÉTRON MILLIKAN

MEDIDA DA CARGA DO ELÉTRON MILLIKAN MEDIDA DA CARGA DO ELÉTRON MILLIKAN OBJETIVO Estudar o movimento de um corpo em queda em um fluido, considerando a força de arraste. Determinar a carga do elétron. MATERIAL NECESSÁRIO Plataforma com o

Leia mais

6 ÓTICA. Cuba de Ondas / Software SAM. 6 - Interferência NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA

6 ÓTICA. Cuba de Ondas / Software SAM. 6 - Interferência NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA FÍSICA 6 ÓTICA Cuba de Ondas / Software SAM 6 - Interferência NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA Objetivos Observar a interferência de ondas planas, variando a distância entre as fontes e a freqüência.

Leia mais