TEMPLO DE UMBANDA CABOCLO TUPINAMBÁ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TEMPLO DE UMBANDA CABOCLO TUPINAMBÁ"

Transcrição

1 1 TEMPLO DE UMBANDA CABOCLO TUPINAMBÁ E PAI DAMIÃO ORIXÁS JULHO 2013

2 2 ORIXÁS Orixá, esta palavra tem cm significad: a frça da natureza divinizada. De acrd cm as lendas yrubás, s Orixás vieram d Orum para Ayé (espaç sagrad para a terra, tiveram crp físic na terra pr algum temp cm vida semelhante a ds hmens. Depis vltaram em definitiv para rum (espaç sagrad), deixand para s hmens as instruções de cm seriam cultuads futuramente. Darems uma pequena descriçã ds 16 Orixás mais cultuads n Brasil: OXALÁ- GUIAM (OXAGUIAM) OXALÁ- LUFAM (OXALUFAM) XANGÔ OGUM OXÓSSI IEMANJÁ OXUM IANSÃ OBALUAIÊ / OMULÚ NANÃ BURUKU (BURUKÊ) OXUMARÉ LOGUM- EDÉ OSSAIN OBÁ EUÁ EXÚ

3 3 OXUM Oxum é a Orixá da fertilidade e da beleza, a dna d ur e d leite. Ela simbliza amr, a uniã, casament. Seu element é a água dce, ela está ns ris, fntes, cacheiras e regats. Suas mradas sã: as cacheiras e as águas dces. Oxum é Orixá da paz e da uniã; é a mãe benevlente que ns leva pela mã, para que passems pela vida nesta Terra. Muits sã seus ensinaments e tds sã vltads para a cnfraternizaçã. Esse Orixá tem na beleza e elegância sua grande identidade. Oxum nrmalmente é sincretizada cm diferentes Nssas Senhras. N Recife e n Ri de Janeir, pv a identifica cm Nssa Senhra d Carm, já em Sã Paul, cm Nssa Senhra Aparecida. Iss pr que Oxum é Orixá regente das águas dces, ds ris e lags, das cacheiras. E cm a imagem de Nssa Senhra fi encntrada n ri, sincretism fi feit. Oxum é sedutra, elegante, exala beleza e feminilidade. Ela fi uma das três espsas de Xangô na lenda Iruba. É a respnsável pel ciúme exagerad de Oba. Deusa da Beleza, d deng e da faceirice, mulher vaidsa, malicisa, uma das mulheres mais belas d Panteã African. Essa Orixá é amável e faceira, muit vaidsa, ela se veste de amarel ur e usa váris adrns, gsta de dançar se abanand cm leque de latã chamad Abebé. Cm ri, que sempre caminha para mar, a Oxum da Umbanda está diretamente ligada à Rainha d Mar, encabeçand a legiã das sereias de águas dces. O dia cnsagrad a Oxum é sábad e sua cr na Umbanda é azul escur e n Candmblé amarel ur. A cr representa a gema d v, própri fet a que Oxum prtege desde sua fecundaçã. Tud que lhe é fertad está ligad a um nasciment de uma criança u de um nv prjet u mesm de nvs valres. Mas Oxum nã fica smente ns dengs e n lux, quand necessári vai a luta, guerreia muitíssim, principalmente quand se trata de defender seu rebanh. Oxum nã gsta de ser esquecida pr seus filhs, cm a mesma veemência aplica seus castigs merecids, fazend aflrar seu lad mãe madrasta. Oxum aparece muit ligada a Exu, pr que segund a tradiçã ele teria salvad Oxum d dmíni de Xangô. Os Exus trabalham para Oxum, ajudand a atender as pedids materiais e espirituais que s filhs fazem. Assciar Oxum a LUA é fácil, tant a Orixá cm astr representam tradicinalmente a mulher em tdas as suas funções: mãe, espsa, amante, sacerdtisa. Ambas se cultam pr vezes e estã ligadas as órgãs reprdutres.

4 4 Os trabalhs dméstics, a culinárias, a agricultura, s parts, a amamentaçã, a fecundidade da natureza e a geraçã estã sb dmíni de Oxum. Essa Orixá fi espsa de Ogum, Oxssi e Xangô. Para ela é fácil trcar de amr, pis é mestra em cativar e satisfazer s hmens. Embra tenha ligaçã cm a maternidade, Oxum é representada cm uma mça bem jvem, de rara beleza e muit encantadra. As mulheres que querem engravidar e prender seus amres apelam para Oxum que as prtege cm td seu pder. Existem 16 tips de Oxum que embra iguais em sua essência, pdem vir a ter particularidades cmpletamente diferentes. Sã elas: OXUM IJUMÚ OXUM AYALÁ u (AYANLÁ) OXUM OXÒGBÔ OXUM YÈYÉ ODÔ OXUM APARÁ OXUM ABALÚ OXUM YÈYÉ OGÁ OXUM POPOLÒJÚN OXUM YÈYÉ OLOKÔ OXUM YÈYÉ MORIN u (IBERIN) OXUM YÈYÉ KARÈ OXUM AJAGIRÁ OXUM YÈYÉ OKÉ OXUM YÈYÉ ONIRÁ OXUM YÈYÉ IPNDÁ OXUM YÈYÉ IPETÚ Rainhas de tdas as Oxuns que a servem pr seu pder mair, tem estreita ligaçã cm a bruxa Iyámi- Ajé. A avó que fi mulher de Ogum. Essa particularidade permite perceber que ela é uma das mais velhas, tend também grande ligaçã cm as bruxas. Recebe nme de uma imprtante cidade Irubá. É a ela que devem se dirigir tdas as mulheres que queiram dar a luz. Reina nas nascentes ds ris A mais jvem de tdas, cm gêni muit guerreir A mais velha de tdas Velha, sábia e brigna Que reina nas lagas Que vive nas flrestas Feminina e elegante Muit guerreira e ciumenta Muit guerreira, bjetiva Muit guerreira, sensual Muit guerreira, prendada n lar Guerreira e vaidsa Resmungnas e frtes ligações cm as bruxas, feiticeiras Diante de tantas Oxuns, pde- se entender claramente que suas filhas nã andarã tdas sbre a mesma trilha. Embra se dirijam para melhr lugar, serã mais rápidas e afitas as mais jvens; mais sábias e tlerantes as mais idsas, também mais briguentas e resmungnas. Ainda que tdas sejam vaidsas, existirã aquelas que, pr serem acima d nrmal, darã mtiv a uma das luvações de Oxum que diz; Oxum limpa suas jóias antes de limpar seus filhs N tarô, Oxum é cmparada a Arcan XVIII: A Lua, pis ela é feiticeira e encantadra, seduzind s amantes. A saudaçã de Oxum é: ORA YÈYÉ Ô Sua palavra chave é Fertilidade, Vaidade

5 5 IANSÃ É Orixá ds vents e tempestades, espsa de Xangô, prtetra das virgens. Sua mradia é n temp e n bambuzal. Cm Orixá altiva, guerreira, pdersa, Iansã tem a frça que aplica s rais e s trvões. Ela é valente e briguenta, nã aceita rdens nem escuta desafrs. Muit independente, nunca se deixa dminar, só bedece a sim própria. Seu temperament é frte, sensual e autritári. Ela sempre luta pr uma causa nbre e pr justiça. Yansã, Senhra ds Vents, Senhra das Tempestades é rápida cm eles e nã fge as demandas, send sempre muit destemida. Crrespnde a uma versã masculina de Ogum; que cm ele, é rgulhsa, determinada e inabalável em seus prpósits e atitudes, hnesta em suas declarações e vital em tdas as suas manifestações. A alegria é sua marca principal, assim cm a sciabilidade. Yansã tant divide as alegrias e prazer quant sfriment e a cólera, quand fica difícil para cm tds que a cercam. Orixá cm pder para cntrlar a açã ds espírits negativs, também chamada de A Senhra ds Eguns, cm Omulú ela é dna ds cemitéris. Ela casu- se cm Ogum e mais tarde fi seduzida pr Xangô, vind a mrar cm ele. Veste- se de vermelh escur, numa mã traz um sabre curt e na utra segura um pequen chicte feit de rab de caval, que usa para espantar s espírits maligns. Na Umbanda, sua cr é amarel u laranja, que lembra s rais nas tempestades. Seus elements sã fg e ar. Cm dever, Iansã é incumbida de cntrlar as almas que insistem em ficar na terra (EGUNS). Smente ela cnsegue dminar a fúria de um bsessr. Tem pr brigaçã zelar pela estabilidade da atmsfera. Iansã também é ardente e amrsa, é tida cm a deusa que quand ama, sabe amar de crp e alma, sabe ser mãe extremsa. Seu dia vtiv é quarta feira a lad de Xangô, mas pde ser também segunda feira pis cmanda s Eguns. Seu sincretism é Santa Bárbara, festejada dia 4 de dezembr. A crrelaçã se deve a fat de que, para s católics dm de Santa Bárbara é de prteger ds rais e trvões durante a tempestade. Uma lenda cnta que numa festa ds Orixás, ninguém queria dançar cm Omulú, prque além de ser Orixá das denças, ele assustava pr nã mstrar seu crp e seu rst, que trazia sempre cbert de palha. Diziam que ele era hrrível, mas Iansã ficu cm pena dele e cnvidu- a dançar. Mais tarde, curisa, usu seus vents para tirar as palhas que cbriam. Tds viram entã, que ele era um bel hmem, bnit que brilhava cm sl. As palhas serviram nã para escnder, mas para prteger s

6 6 lhs de quem mirava, pis a luz que ele emitia era muit intensa, acntecend a cura a peste, dependend da vibraçã de quem lha. N tarô, pde ser ligada a Arcan III A Imperatriz. Também pde ser ligada a Arcan XI A Frça, este Arcan sugere uma ligaçã espiritual, a mulher que pde gvernar dentr da realidade terrena, ligand espírit cm crp. A palavra chave de Iansã é: Ocult, Perserverança. A saudaçã de Iansã: EPA HEY OIÁ u EPA HEY IANSÃ.

7 7 OBALUAIÊ / OMULU Omulu é Orixá da saúde, prtetr ds médics, enfermeirs, enferms e d pv ligad à saúde. É cnsiderad médic ds pbres; senhr ds cemitéris (calunga pequena). Na Umbanda smente cultua- se Obaluaê ( mç) e Omulu ( velh). Sã sincretizads em Sã Rque e Sã Lázar. Omulu (Obaluaê) é Orixá da passagem entre s vivs e s desencarnads. Orientadr das calungas (cemitéris) crdena as passagens, tem dm da cura e das pestes, utensíli que Grande Pai utiliza quand precisams aprender a ns apegar mais a espiritual, a amr a próxim, a altruísm. Infelizmente aprendems muit puc pel amr, e ainda precisams da dr para ns educar. O cntraste entre pret e branc, a passagem, sã as cres deste Orixá. Obaluaê (Rei dn da terra) e Omulu (Filh d Senhr) sã s nmes pels quais a prudência de nsss guias ns faz denminar grande pder desses Orixás. Na Umbanda, dia de Omulu é hmenagead tant n dia de Sã Lázar dia de Finads (2 de Nvembr), Obaluê n dia de Sã Rque (16 de Agst) Omulu / Obaluaiê existem várias cntrvérsias a respeit da dualidade deste Orixá. Há quem refira serem dis deuses distints. Seria um d leste, Sàmpònna- Obalúayè e utr d este, Omulú- Mlú de tápas. Segund Frbenius (Estudis das Culturas Afrs), através de suas pesquisas, existiram dis OBALUAIÊS, de rigem tápas, que ele distinguiu cm Sànpònaaá Air, e utr que teria id a Oyó, vind de Damé, que ele distinguiu cm Sànpònná- Bku. Este últim daria uma idéia mais próxima ds laçs existentes e familiares cm Nanã Buruku. Cm dis Pierre Fatun Verger em Orixás, u assistims na África a um sincretism entre duas divindades vindas uma d Leste e utra d Oeste e que se juntaram e trnaram um caráter únic em kêt, u entã, tratar- se- ia de uma divindade única, trazida pr migrações Leste- Oeste cm as d GA, que fram de Benin para a regiã de ACCRA, durante rein de Udagbede, n fim d sécul XII e levada depis para seu lugar de rigem, cm um nv nme. Mas alguns adepts da crrente Keturiana alegam ser mesm Deus em fases distintas, send Omlu quand velh e Obaluaê (que é um nme pribid dentr das rças de candmblé) quand nv. Esta bagagem de cnheciments trnu Obaluaê fams na habilidade de curar as pessas, já velh e mrand em utra regiã da qual havia nascid. Ficu send chamad de Omlu u Omulu, pis nme Obaluaê trnu- se pribid, pis a ele fram atribuídas as denças, a peste, a varíla e utras endemias, send cnsiderad O Médic ds Pbres. Omulu, Oxumaré e Ossaim sã descendentes de Nanã Buruku e qual serem irmãs da família real de Damé.

8 8 A lenda cnta que Ossaim gstava de viver só e embrenhad na mata, cm um ermitã e que um bel dia Omulu, em suas andanças prcurand remédi para curar a trib da varíla encntru e este lhe deu pder de sapata, um pders talismã, para que plantasse sb um mntícul de terra defrnte a sua casa. Este talismã era axé que transfrmu Omulu em médic curadr ds males de sua aldeia e Senhr ds Cemitéris. Ele é cnsiderad médic d CORPO e da ALMA. É médic cmpanheir de Exu nas encruzilhadas, tem uma ligaçã muit frte cm a terra. Sua açã na natureza é realizar a eliminaçã, tirand e dand fim a que nã serve mais. Ele ceifa s dentes e s ferids sem esperança, cm também cura tds que tem mereciment, fazend verdadeirs milagres. Sua cr é pret cm branc e também rx. O dia vtiv é segunda feira, tant na Umbanda quant n Candmblé. Seu dever perante a cmunidade é de levar bálsam curadr para aliviar as dres, u mesm preparar hmem em sua vlta a pai criadr. N tarô é representad pel Arcan IX O Eremita. A saudaçã dedicada a Obaluaiê é: ATOTÔ Sua palavra chave é: Saúde (Material e Espiritual).

9 9 NANÃ BURUQUE O term Nanã significa mãe. Nanã é a Orixá mais velha, a que tem mais sabedria, a mais respeitada. Ela é avó, dna d barr cm qual Obatalá fez s hmens. É uma divindade africana tida cm mãe de Obaluaê, a mais antiga das Cindas das águas, sbressaind- se ns lags e pântans. Nanã habita fund d mar, s pântans e s brejs, está também ns pçs prfunds. Seu element principal é barr, as águas da chuva e das lagas, s pântans. Dizem ser a enfermeira que prepara a passagem para vida espiritual, pr essa razã, seu habitat sã s cemitéris. Na Umbanda, ela nã cstuma ser cnsiderada chefe de falange, send sua figura arquétipa muitas vezes assciada a Omulu e utras vezes as dmínis de Iemanjá. Nanã é descrita cm uma velha senhra que teria enjeitad seus filhs Omulu e Oxumaré, mas estes filhs fram adtads pela amrsa Iemanjá. A terra de Nanã recebe s mrts, é uma das criadras de mund e mantém sua psiçã hierárquica semelhante a de Oxalá. É uma figura cntrvertida, pis aparece às vezes vingativa e perigsa e em utrs mments sem pderes, triste e relegada a um segund plan. Nanã casu- se cm Oxalá dessa uniã nasceu Oxumaré (arc Iris) e também Omulu e Orkô. Símbl da Mrte, assciad a ela pr ser a deusa das águas mais velhas, mstrand que velh já é a própria passagem para utr mund. Essa Orixá adra crianças e s animais, é calma e trabalha cm se tivesse pela frente a eternidade. Enquant Oxum assumiu a respnsabilidade pel fet cncebid, gestaçã e nasciment da vida, a Nanã fi atribuíd caminh de vlta à vida intra- uterina, u seja, ela faz vltar a ventre da mãe terra, s crps que já deixaram de viver, e cnduz a alma a plan astral superir. Nanã Buruku é a própria guardiã ds mistéris e senhra absluta d rein a mrte. O sincretism ligu Nanã à Mãe Maria Sant Anna, a mãe de Nssa Senhra, espsa de Sã Jsé, festejada em 26 de julh. O dia de Nanã é terça feira, mas dming também pde ser cnsiderad. Sua cr é rx puxand para lilás. A aparência das filhas de nana (filha de sant) nã é da idade que tem, sempre parecem mais velhas. Nã é bem n físic, é mais pel cmprtament que elas passam essa impressã. Sã reservadas, tímidas e quietas. Usam rupas discretas, de cres neutras, estas mulheres gstam de pucs enfeites. Filha de Olrum tem cm dever manter viva a placenta d mund, para que a prcriaçã nã se extinga, tarefa que ela divide cma deusa da fertilidade Oxum.

10 10 Os clares de cntas de cristal, usads pr aqueles que lhe sã cnsagrads, sã da cr branca cm listas azuis u rxas. N Candmblé, seu dia é a segunda feira, juntamente cm seu filh Obaluaiê. Seus adepts dançam cm dignidade que cnvém a uma senhra idsa e respeitável. Seus mviments lembram um andar lent e pens, apiand num bastã imaginári que s dançarins, curvads para frente parecem puxar para si. Nanã age cm segurança e majestade. Suas reações bem equilibradas e a pertinência de suas decisões mantém- na sempre n caminh da sabedria e da justiça. N tarô é representada pel Arcan XIII A Mrte. Para saudar Nanã Buruku dizems: SALUBA NANÃ que significa Senhra Mãe de tdas as Mães. Sua palavra chave é: Mrte.

11 11 OXUMARÉ Oxumaré é um Orixá que nã é feminin nem masculin, cm sua dualidade ele carrega tds s psts dentr de si. Filh de Nanã e Oxalá, é Arc- iris, mas também é a serpente Dan e Bessem, um bela jvem. Cm ARCO- IRIS, Oxumaré tem dm de regular a chuva, pis enquant ele brilha n céu, nã há chuva na terra. N arc- iris a parte masculina é representada pel vermelh e a feminina pel azul. Quand é a SERPENTE DAN, ele parece cm uma cbra que mrde a própria cauda, frmand um círcul fechad, assim, ele simbliza a cntinuidade, a rtaçã da terra e mviment ds crps celestes. Cm Dan ele passa metade d an, e cm Bessem a utra metade, quand é a jvem de beleza rara. Nesta frma ele simbliza a riqueza e a frtuna. Os cntráris que Oxumaré encarna estã na sua persnalidade dupla. Ele é mach e fêmea, nite e dia, bem e mal, dce e amarg, a verdade e a mentira. Uma das funções de Oxumaré é sustentar a terra e impedi- la de se desintegrar. Sb sua influência tud acntece rapidamente, ele trás cresciment e lnga vida. A atividade agrada, pr iss ele é Orixá d Mviment, das ações e da transfrmaçã cntínua, utra funçã de Oxumaxé é carregar a água da terra para céu e Xangô depis devlve essa água em frma de chuva para a terra. N sincretism Oxumaré fi assciad a Sã Bartlmeu que é festejad n dia 24 de agst. Existem cntrvérsias a respeit desse Orixá, pis na Umbanda ele é assciad a Oxum e n Candmblé sã categórics a afirmarem que sã Orixá distints. Realmente sã Orixás distints, cm funções distintas. Oxumaré fi um grande feiticeir adivinh de sua cmunidade e a ele também é dad carg de guardiã ds segreds das cres (um crmterapeuta de sua épca). O dia vtiv de Oxumaré é terça feira, tant na Umbanda quant n Candmblé. Sua cr é verde e amarel. N tarô, pde ser assciad a Arcan XIV A Temperança. Para saudar Oxumaré: ARRÔ BOBOIO. Sua palavra chave é: Mviment, Cntinuidade

12 12 LOGUM- EDÉ Lgum- Edé é um Orixá bastante singular, vive seis meses na mata cmend caça e utrs seis meses, debaix d água cmend peixe. É rainha n mat e caçads sbre as águas. Filh de Oxssi e Oxum, esse Orixá é andrógin. Essa dualidade herdade de seus pais sintetiza suas características, de Oxum recebeu a elegância, a beleza e charme; de Oxssi herdu a rapidez, a esperteza e genersidade. Lgum- Edé carrega na mã direita um OFÁ, fecha de metal e na mã esquerda traz uma balança que simbliza sua andrgenia. A dualidade masculina e feminina d Orixá indica também cm é sua persnalidade, u seja, cheia de cntradições. Orixá Meta- Meta (seis meses hmem e seis meses mulher) traz sua dualidade acentuada, quand hmem embrenha- se nas matas, trna- se ermitã, caçadr cm pucs; quand mulher, passa s seis meses dentr da mais pura vaidade, vive smente nas águas, cerca- se de lux e nesta fase auxilia sua mãe Oxum a cuidar das mulheres grávidas e também de atender as que nã engravidam. As cres de Lgum- Edé sã curad cm azul turquesa. O sincretism asscia Lgum- Edé a Sã Miguel Arcanj, festejad em 29 de setembr. Seu símbl é caval marinh prque esse animal tem uma parte Oxssi (caval) e uma parte Oxum (sereia). Um filh de Lgum- Edé nã anda, paira sbre tud e sbre tds, esvaçante e leve cm pluma, entram e saem ds ambientes em uma nuvem de snh, fantasia e perfume. Sã vaidss e desembaraçads. O filh de Lgum- Edé é ambicis, tem gst refinad, adra música, teatr e dança. N tar pde ser assciad a Arcan sem númer O Luc. Ambs tem liberdade de agir, ele se encaixa em tds s lugares d jg, mas nã faz parte de nenhum deles, cm se fsse um cringa. Lgum- Edé tem cm brigaçã zelar pela fauna e flra. Seu dia vtiv é quinta feira. Na mitlgia helênica, HERMAFORDITO, filh de Hermes e Afrdite é seu crrespndente. Ambs têm características bissexuais. A palavra chave de Lgum- Edé: Alegria. A saudaçã a Lgum- Edé: LOCI, LOCI LOGUM

13 13 OSSAIN Ossain u Ossãe é prtetr das flhas, ele cnserva segred da cura através das plantas, seja de frma mágica u medicinal. Existem dúvidas sbre sex desse Orixá, dizem ser Andrógin. Nã pde ser vist pel hmem, pr iss, apresenta- se cbert de flhas. Ele prta uma cabaça que cntém s remédis preparads para a cura, ele é chamad de Médic da Natureza. Ossain nã incrpra em seus filhs de sant. Os sacerdtes invcam esse Orixá na hra da clheita das ervas curativas, pis é dele a capacidade de transmitir s pderes às plantas medicinais. É também Ossain que dá bns fluíds, axé às flhas usadas na liturgia. Ossain indica cntat mais íntim que se pde ter cm a natureza, para se bter a flha certa, extrat cert para a cura esperada cm também a clheita certa da planta, para trabalhs litúrgics (espirituais). N terreir de Candmblé, apanhadr de ervas tem nme de Mã de Ofá. Antes dele se embrenhar n mat para trazer a flha, pede primeir licença a Ossain. Arni, um anãzinh que é cmparad a Saci Pererê de uma perna só, grrinh vermelh na cabeça e cachimb engraçad n cant da bca. O dia vtiv de Ossain é a terça feira e sua cr é verde e rsa também. Filh de Nanã e Odùdùá, ser dever é de manter viva as flhas e plantas, para que nã falte remédi para hmem de amanhã. Seu sincretism está assciad a Sã Benedit e n tarô é representad pel Arcan I O Mag, mag da natureza. Para saudar este Orixá, se diz: EWÉ Ô EWÉ Ô OSSAIN. Sua palavra chave é: Alquimia.

14 14 OBÁ Obá é uma Guerreira Brava, frte e leal. Uma Orixá incmpreendida e valrsa, puc cnhecida, na África existe um ri que leva seu nme. Esta ligada a água dce, quand esta se apresenta revlta, ris caudalss, crredeiras. Obá fi a terceira espsa de Xangô, muit austera; mais enérgica que Iansã, tem muita garra em determinadas questões, é mais frte que um hme e a muits declaru guerra. Obá nã é prtótip d perfil feminin, vive as vltas de manter amr de Xangô, sem se precupar cm a vaidade e faceirice de Oxum. É cnsiderada a filha mais amarga de Iemanjá, é insegura, carente e cm pucs atrativs físics. Uma lenda cnta cm Obá perdeu uma relha a seu amr. Um dia Xangô viu Obá ajelhada pedind chuva as deuses, vist que estava muit sec e quente; ele gstu dela e levu- a para viver cm ele. Obá era velha, mas muit amrsa e dedicada a Xangô que era vlúvel e lg se cansu dela, Nã querend mais saber de seus carinhs, deixu- a abandnada entre suas utras mulheres. Uma das espsas de Xangô era Oxum sua favrita. Ela era bnita e vaidsa, despertand desej d Orixá cm nenhuma utra. Obá que ainda tinha esperanças de recnquistar Xangô pediu a Oxum que lhe ensinasse segred que fazia cm que recebesse s favres d rei. Oxum, muit malvada, reslveu enganar Obá, dizend- lhe que ela prendia Xangô pel estômag, servind a ele seu prat favrit, prmeteu mstrar a Obá amalá que é a cmida de Xangô, nde havia cgumel crtad parecend uma relha, Oxum, disse a Obá que era sua relha, que ela havia clcad na panela e mstru que agra usava uma faixa para cbrir a falta da relha. Xangô chegu, cmeu a cmida, elgiu Oxum dizend que estava delicisa e em seguida fi para quart dela. Obá n dia seguinte preparu uma spa para rei, nde clcu uma de suas relhas, que ela crtu sem vacilar, achand que amr de Xangô valia sacrifíci. Quand Xangô vei cmer, achu Obá repugnante, pis sua rupa estava cheia de sangue. A ver a relha de Obá dentr da spa, enju- se e tmad de cólera a repudiu. Obá lhe cntu engd de Oxum, Xangô repudiu Oxum também pela sua maldade. A lenda diz que Obá chru tant que se trnu um ri da Nigéria, assim cm Oxum. Dizem que s dis ris sã cnfluentes e que n seu encntr as águas de chcam vilentamente. Quand Obá e Oxum aparecem juntas n terreir de Candmblé, sempre querem birgar e é necessári separá- las. A cr que representa Obá é vermelh e amarel. O dia dedicad a devçã à Obá é quarta feira.

15 15 N tarô é assciada a Arcan VII Os Enamrads; utr Arcan, de númer XII O Enfrcad pde ter ligaçã cm Obá, pis ele representa castig, a entrega pel sacrifíci pessal, a destin mesm que este seja injust. N sincretism está assciada à Jana D Arc, cuj dia festejad a sua hmenagem é 30 de mai. A saudaçã que se faz a Obá é: OBÁ, XIRÈ A palavra chave de Obá é: Castig, Decisã.

16 16 EUÁ Euá é a Orixá da Beleza e da Vidência, ela raramente aparece pr nã ser muit cultuada n Brasil, está um puc esquecida. Representa equilíbri material e espiritual, gverna casament e td tip de sciedade. Oxumaré é seis meses mach e seis meses é a fêmea Euá Quand está eu seu períd fêmea, trna- se a cbra Euá, pr iss seu símbl é a cbra cral, a preferida de Omulu, seu esps. A serpente enrla em si e mrde a própria cauda, iniciand n planeta a frça vital ds elements, fazend cm que s mviments necessáris d mund e de tud que nele habita se perpetuem e nã percam seu equilíbri e harmnia. a clarividência. Euá recebeu de Ifá Orixá da adivinhaçã, dm de ver sem lhar, Segund uma lenda, cnta que Euá salvu um hmem que estava send perseguid pr Ecu (a mrte) e ficu sabend que hmem que ela acabara de salva era Ifá u Orumilá Orixá que inventu jg de búzis; agradecid Ifá deu a Euá dm da adivinhaçã que era só seu. Cncedeu- lhe também a feritilidade, pis Euá e Omulu nã tinham filhs ainda. Eua veste- se de vermelh e amarel, as cres de Iansã e Oxum n Candmblé. Essa Orixá nã tem hmens cm filhs de sant, apenas filhas n Candmblé. Seu dia é dia de Iansã quarta feira u dia de Oxum sábad. Sã essas Orixás que emprestam suas qualidades para frmar a persnalidade de Euá. Euá é flha de Nanã Buruku (u Buruquê) e Oxalá; seu dever é de fazer permanecer a energia da vida n planeta. N sincretism existe uma ligaçã cm Santa Luzia, e n tarô Euá pde ser assciada a Arcan XVII A Estrela. Levand em cnta a ligaçã cm Oxum e Iansã, Euá pde ser assciada também a Arcan III A Imperatriz e a Arcan XVIII A Lua. Cm imperatriz ela tem pder de rainha, clcand a razã acima d sentiment. Cm lua ela é sensível e instintiva, pressentind futur. A saudaçã que se faz a Euá é: MIRRÓ Sua palavra chave é: Casament, Vidência.

17 17 EXU Exu é primeir Orixá, gêni d BEM e d MAL, cntrvertid, plêmic, plivalente, antagônic, irascível. Traçar perfil de Exu trna- se tarefa árdua e de muita respnsabilidade, devid a ele ser diversas facetas e em cada qual um gêni e aspect distint. Exu sempre é a caixa de surpresas, pis send ele tã mutável, nunca saberems quant está brincand u faland séri. Exu nã tem filhs, pr ist, ninguém é filh de Exu. Este Orixá tã falad e temid aparece na vida de tds pr períds, surgind inesperadamente, de surpresa, trazend sempre uma revluçã. Irmã de Ogum e Oxssi, ele é Orixá que fi castigad pr Obatalá criadr d mund, pr ter feit uma grande cnfusã n temp da criaçã. Quand Obatalá terminu seu trabalh, estava exaust e fi drmir. Exu aprveitu para fazer artes, deixu tud a cntrári: trcu dia pela nite, hmem pela mulher, em cima pel em baix e assim pr diante. A acrdar vend que ele havia feit, Obatalá castigu Exu, afastand- d cnvívi cm s utrs Orixás. Esta lenda explica pr que Exu nã participa das festas ds terreirs de Umbanda e Candmblé e é sempre cnsiderad respnsável pr tud de cnfus e negativ que acntece. Outra lenda justifica mtiv pel qual Exu é sempre primeir a receber uma ferenda nas festas e trabalhs espirituais; depis da mrte de Exu, tdas as fertas nas festas que s hmens faziam as Orixás nã era recebidas, nã prduziam resultads. Exu apareceu numa festa dizend que queria ser lembrad; feita uma ferta a ele e tud que se pediu depis as Orixás fi atendid. Desde entã, trnu- se brigatóri n ritual este prcediment, que é chamad de despachar Exu, send primeir a receber uma ferenda, ele se acalma e deixa tud acntecer em paz. A tarefa principal d Exu dentr ds rituais é de levar s recads ds humans as utrs Orixás. Sua atividade neste aspect é semelhante à de Mercúri Deus greg que regia a Cmunicaçã. A td mment Exu pde ser invcad para levar essas mensagens, basta que receba uma ferta; n entant a tradiçã alerta: CUIDADO. Exu nã tem discerniment, ele leva qualquer recad sem analisá- l; cm é ttalmente amral, esse Orixá leva pedid tant para bem cm para mal. Exu nã discrimina cnteúd da suplica e nã se imprta cm as cnseqüências que resultarã. Fica pr cnta daquele que faz apel lidar cm s

18 18 resultads, é de quem recebe favr a respnsabilidade pr qualquer mal riund. A lei d retrn: Vcê recebe de vlta que distribui é valida aqui. Nã sã prem só as faces negativas desse Orixá que mstram sua presença em nós, ele cntém um pder imens de renvaçã, de acabar cm que está velh e gast para recriar nv e vigrs. Ele é sb este prisma, um Orixá jvem, benéfic, cm pder revigrante sbre hmem. O esterism cnsidera Exu princípi, númer um e asscia a Arcan I O Mag. Exu tem uma cntaçã espiritual pdersa cm este Arcan, ele é capaz de utilizar s elements que tem a mã para transfrmar as situações, mstrand lad cult das cisas. Cm mag, Exu ilude e cnfunde aquele mens preparad, que está espiritualmente frac: essa é sua presa favrita. Os cristãs ligaram Exu a Diag, a Lucifer anj decaíd. Na Umbanda ele mantém essa mesma ligaçã e sua figura, um diab vermelh, está muitas vezes escndida n terreir. N Candmblé ele nã tem esse cnceit, é respeitad cm Orixá. Sua casa fica a entrada d terreir e n seu dia segunda feira, ele é hnrad e recebe suas ferendas preferidas. Na Umbanda seu dia é sexta feira; se Exu fr de calunga (cemitéri), seu dia é segunda feira. Gsta de carne, sangue, pimenta, maraf, charuts, etc... A cr usada pr Exu é pret e vermelh. Sua palavra chave é: Livre Arbítri. Para saudar Exu: LAROIÊ MOGIBÁ

19 19 POMBA- GIRA Pmba- Gira (feminin de Exu), extremamente sedutra, prte vulgar, cruel, vingativa, dna da magia d amr. Seu trabalh preferid é relacinament cm a vida sexual. Srris escancarad e debchad em sua bca pintada de batm Ela nunca trabalha szinha, a seu redr tem Exu u Egum dand- lhe cbertura u executand suas rdens. O habitat da Pmba- gira é a encruzilhada em frma de T, praia deserta, caís d prt e igreja abandnada. Para saudar Pmba- Gira: LAROIÊ BOMBOGIRÁ

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011.

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011. Gabinete d Deputad FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de març de 2011. Quand ingressei cm Requeriment slicitand a presença de Vssas Senhrias na Cmissã, estava assustad, cm, aliás, tda a ppulaçã, cm

Leia mais

1) A faculdade mediúnica é indício de algum estado patológico ou simplesmente anormal?

1) A faculdade mediúnica é indício de algum estado patológico ou simplesmente anormal? 1) A faculdade mediúnica é indíci de algum estad patlógic u simplesmente anrmal? - As vezes anrmal, mas nã patlógic. Há médiuns de saúde vigrsa. Os dentes sã pr utrs mtivs. 2) O exercíci da faculdade mediúnica

Leia mais

Projeto. O Índio e suas influências na cultura brasileira

Projeto. O Índio e suas influências na cultura brasileira Prjet O Índi e suas influências na cultura brasileira 6 a 9 ANO 2014 ESCOLA ESTADUAL TUBAL VILELA DA SILVA PROFESSORA: GEANE F. BALIEIRO ENSINO RELIGIOSO. Escla Estadual Tubal Vilela da Silva Prfessra

Leia mais

Por onde começamos a crescer, a expandir?

Por onde começamos a crescer, a expandir? EXPANSÃO e CRESCIMENTO Parte 1 1 Pr nde cmeçams a crescer, a expandir? O prdut final d nss cresciment deve ser a Expansã d Rein de Deus. Ist significa realizar as bras de Crist, prclamar a salvaçã e libertaçã

Leia mais

Mensageiros da Cura (1 a 34)

Mensageiros da Cura (1 a 34) Mensageiros da Cura (1 a 34) 1 2 1 Mensageiro (Mestre,95) Te levanta, te levanta Levanta quem está sentado Para receber o Mensageiro Dentro do Jardim Dourado. Vai seguindo, vai seguindo Dentro do jardim

Leia mais

A CROMOTERAPIA NA UMBANDA

A CROMOTERAPIA NA UMBANDA A CROMOTERAPIA NA UMBANDA I. INTRODUÇÃO A utilização da cor em qualquer religião, ou melhor, em qualquer processo mágico remonta aos tempos mais antigos. A luz é uma vibração energética, da mesma forma

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

Lições de liderança aprendidas à duras penas Bill Hybels Duração 62:34

Lições de liderança aprendidas à duras penas Bill Hybels Duração 62:34 The Glbal Leadership Summit Ntas d Facilitadr Lições de liderança aprendidas à duras penas Bill Hybels Duraçã 62:34 Resum da Sessã Lições de liderança e estratégias que geram resultads tangíveis em nssas

Leia mais

A Aventura da Consciência Satprem 1. Sri Aurobindo

A Aventura da Consciência Satprem 1. Sri Aurobindo A Aventura da Cnsciência Satprem 1 Sri Aurbind u a Aventura da Cnsciência Satprem 1- Um Ocidental Talents Reintegrar Espírit n Hmem e na Matéria: "Os céus além sã grandes e maravilhss, mas maires e ainda

Leia mais

TEMPLO DE UMBANDA CABOCLO TUPINAMBÁ PAI DAMIÃO AS SETE LINHAS DA UMBANDA JULHO 2013. TUCATUPADA - Templo de Umbanda Caboclo Tupinambá e Pai Damião

TEMPLO DE UMBANDA CABOCLO TUPINAMBÁ PAI DAMIÃO AS SETE LINHAS DA UMBANDA JULHO 2013. TUCATUPADA - Templo de Umbanda Caboclo Tupinambá e Pai Damião 1 TEMPLO DE UMBANDA CABOCLO TUPINAMBÁ E PAI DAMIÃO AS SETE LINHAS DA UMBANDA JULHO 2013 2 AS SETE LINHAS DE UMBANDA Para entender um pouco mais a Umbanda devemos conhecer as linhas ou vibrações. Uma linha

Leia mais

Os antigos gregos acreditavam que quanto maior fosse a massa de um corpo, menos tempo ele gastaria na queda. Será que os gregos estavam certos?

Os antigos gregos acreditavam que quanto maior fosse a massa de um corpo, menos tempo ele gastaria na queda. Será que os gregos estavam certos? Lançament vertical e queda livre Se sltarms a mesm temp e da mesma altura duas esferas de chumb, uma pesand 1 kg e utra kg, qual delas chegará primeir a chã? Os antigs gregs acreditavam que quant mair

Leia mais

Bill Bright 7 Passos Básicos para Jejuar e Orar com Sucesso COMO COMEÇAR 0 SEU JEJUM

Bill Bright 7 Passos Básicos para Jejuar e Orar com Sucesso COMO COMEÇAR 0 SEU JEJUM Bill Bright 7 Passs Básics para Jejuar e Orar cm Sucess COMO COMEÇAR 0 SEU JEJUM Cm iniciar e cnduzir seu jejum determinará em grande parte seu sucess. Seguind estes passs básics para jejum, vcê fará de

Leia mais

ABERTURA. Hino da Umbanda

ABERTURA. Hino da Umbanda ABERTURA Hino da Umbanda Refletiu a Luz Divina Com todo seu esplendor Vem do reino de Oxalá Onde há paz e amor Luz que refletiu na terra Luz que refletiu no mar Luz que veio de Aruanda Para tudo iluminar

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

Guia de Bem-Estar Gestão do peso

Guia de Bem-Estar Gestão do peso Guia de Bem-Estar Gestã d pes Cm este guia pde beneficiar a sua vida Benefícis psitivs: Melhr saúde geral Mais energia Melhria da imagem crpral e da aut-estima Melhria da dispsiçã Melhria d rendiment físic

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno.

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno. Pder e escla: Uma analise acerca das relações entre prfessr e alun. Marcs Paul A. Rdrigues 1 Andersn Silva Nunes 2 Intrduçã: O presente trabalh expõe s tips de pder exercid pels prfessres sbre s aluns,

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

Sociedade Espiritualista Mata Virgem. Curso de Umbanda AS SETE LINHAS

Sociedade Espiritualista Mata Virgem. Curso de Umbanda AS SETE LINHAS Sociedade Espiritualista Mata Virgem Curso de Umbanda AS SETE LINHAS Para entender um pouco mais a Umbanda devemos conhecer as linhas ou vibrações. Uma linha ou vibração, eqüivale a um grande exército

Leia mais

MÓDULO 1. Básico. AULA 2. Higiene e Limpeza Corpo, Mente e Coração. OBJETIVO

MÓDULO 1. Básico. AULA 2. Higiene e Limpeza Corpo, Mente e Coração. OBJETIVO MÓDULO 1 Básic. AULA 2 Higiene e Limpeza Crp, Mente e Craçã. OBJETIVO Cnscientizar para a imprtância da higiene e limpeza d crp, da mente e d craçã, cm alternativas para uma ba qualidade de vida material

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

QUATRO + PARA + DE DEUS Pr. Leandro Caiado 2012

QUATRO + PARA + DE DEUS Pr. Leandro Caiado 2012 QUATRO + PARA + DE DEUS Pr. Leandr Caiad 2012 1- + Priridade Busquem, pis, em primeir lugar Rein de Deus e a sua justiça, e tdas essas cisas lhes serã acrescentadas (Mateus 6.33). - Nã há prmessa mais

Leia mais

IANSÃ PONTOS DE LINHA. 1. Oh, Iansã menina é do cabelo loiro Sua espada é de prata Sua coroa é de ouro

IANSÃ PONTOS DE LINHA. 1. Oh, Iansã menina é do cabelo loiro Sua espada é de prata Sua coroa é de ouro IANSÃ PONTOS DE LINHA 1. Oh, Iansã menina é do cabelo loiro Sua espada é de prata Sua coroa é de ouro 2. Iansã mãe virgem Do cabelo louro Ela desceu do céu Num cordel de ouro 3. Ventou nas matas Ventou

Leia mais

Programa de coaching e inteligência relacional para mulheres Por Thirza Reis, Master Coach

Programa de coaching e inteligência relacional para mulheres Por Thirza Reis, Master Coach Vem Ser Mulher Prgrama de caching e inteligência relacinal para mulheres Pr Thirza Reis, Master Cach Sbre Thirza Reis Thirza Reis é master cach, especialista em Inteligência Relacinal; Cm mestrad em desenvlviment

Leia mais

Aula 11 Bibliotecas de função

Aula 11 Bibliotecas de função Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza Aula 11 Biblitecas de funçã 1. Intrduçã À medida que um prgrama cresce

Leia mais

Pr. Zaquel Medeiros. A um passo do INFERNO Pr. Zaquel Medeiros

Pr. Zaquel Medeiros. A um passo do INFERNO Pr. Zaquel Medeiros A um pass d INFERNO Pr. Zaquel Medeirs Ediçã especial para distribuiçã gratuita pela Internet através d site Letras Santas. O Letras Santas gstaria de receber suas críticas e sugestões. Sua piniã é muit

Leia mais

Oficina de Capacitação em Comunicação

Oficina de Capacitação em Comunicação Oficina de Capacitaçã em Cmunicaçã APRESENTAÇÕES: DICAS E INSTRUMENTOS Marcele Basts de Sá Cnsultra de Cmunicaçã mbasts.sa@gmail.cm Prjet Semeand Águas n Paraguaçu INTERESSE DO PÚBLICO Ouvir uma ba história

Leia mais

Cultura Afro-Indígena Brasileira. Prof. Ms. Celso Ramos Figueiredo Filho

Cultura Afro-Indígena Brasileira. Prof. Ms. Celso Ramos Figueiredo Filho Cultura Afro-Indígena Brasileira Prof. Ms. Celso Ramos Figueiredo Filho Religiões Afro-Brasileiras Introdução - Escravidão miscigenação e sincretismo (Angola, Moçambique, Congo) - 3 a 5 milhões de africanos

Leia mais

OCASIÕES ESPECIAIS. Batismo 1. Composição: Bitty/ Gilda Máximo

OCASIÕES ESPECIAIS. Batismo 1. Composição: Bitty/ Gilda Máximo OCASIÕES ESPECIAIS Amaci Composição: Leonardo Guimarães A todos que olham > A todos que estão aqui > Muita atenção, hoje é noite de Amaci >2x Filhos de fé respeitem o pano branco Babalaô preparou seu banho

Leia mais

GUIA DO USUÁRIO. Termômetros Portáteis. Termômetro Modelo TM20 com sonda padrão Termômetro Modelo TM25 com sonda de penetração

GUIA DO USUÁRIO. Termômetros Portáteis. Termômetro Modelo TM20 com sonda padrão Termômetro Modelo TM25 com sonda de penetração GUIA DO USUÁRIO Termômetrs Prtáteis Termômetr Mdel TM20 cm snda padrã Termômetr Mdel TM25 cm snda de penetraçã 1 TM20-TM25-EU-PT-br V1.6 4/13 Intrduçã Obrigad pr esclher este Termômetr Prtátil Extech para

Leia mais

Aula prática 6 Modelos Conceptuais e cenários de actividade

Aula prática 6 Modelos Conceptuais e cenários de actividade Aula prática 6 Mdels Cnceptuais e cenáris de actividade 1. Objetiv 1. Pretende-se que s aluns prduzam mdel cnceptual d prject e desenhem cenáris de actividade cm base nesse mdel. 2. Pretende-se ainda que

Leia mais

Programa de 4 semanas DIETA DETOX. Live Love Raw

Programa de 4 semanas DIETA DETOX. Live Love Raw Prgrama de 4 semanas DIETA DETOX Live Lve Raw DESINTOXICAR! 4 semanas para limpar rganism das txinas acumuladas Smthies cremss e super sabrss EXPERIMENTAR! Uma frma delicisa de experimentar alguns ds benefícis

Leia mais

OS ORIXÁS. Na aurora de sua civilização, o povo africano mais tarde conhecido pelo nome de iorubá,

OS ORIXÁS. Na aurora de sua civilização, o povo africano mais tarde conhecido pelo nome de iorubá, OS ORIXÁS UM POUCO DE HISTÓRIA: Na aurora de sua civilização, o povo africano mais tarde conhecido pelo nome de iorubá, chamado de nagô no Brasil e lucumi em Cuba, acreditava que forças sobrenaturais impessoais,

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

Neurorradiologia I Professor Luciano Farage

Neurorradiologia I Professor Luciano Farage Dig Arauj Med 92 Neurrradilgia I Prfessr Lucian Farage O RX tem puquíssima aplicaçã em neurrradi. Ela só é interessante quand há lesã óssea vista previamente na TC u RM (ela nunca é feita cm primeira esclha).

Leia mais

HINÁRIO. Madrinha Maria Alice Maria Alice Campos Freire 1. www.hinarios.org O ROSÁRIO 01 O ROSÁRIO

HINÁRIO. Madrinha Maria Alice Maria Alice Campos Freire 1. www.hinarios.org O ROSÁRIO 01 O ROSÁRIO HINÁRIO O ROSÁRIO Tema 2012: Flora Brasileira Três Marias (Bougainvillea spectabilis) Madrinha Maria Alice Maria Alice Campos Freire 1 www.hinarios.org 2 01 O ROSÁRIO Oh! Minha mãe Vós limpai meu pensamento

Leia mais

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa)

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa) Sinpse das entrevistas realizadas as agentes sciais ligads à velhice (Dirigentes, técnics e auxiliares de acçã directa) Dimensã 1 Experiência e trabalh n lar Prblemáticas Entrevistad A3 Análise Temp de

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS ESPIRITUAIS MATA VERDE. Desenvolvimento mediúnico maio/2014 6ªaula

NÚCLEO DE ESTUDOS ESPIRITUAIS MATA VERDE. Desenvolvimento mediúnico maio/2014 6ªaula NÚCLEO DE ESTUDOS ESPIRITUAIS MATA VERDE Desenvolvimento mediúnico maio/2014 6ªaula VENDAS ATÉ DIA 14/05/2014 Doutrina dos Sete Reinos Sagrados A doutrina dos sete reinos é seguida pelo Núcleo Mata Verde

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativ Centr de Saúde 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.. Tds s direits reservads. A ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

Tutorial de criação de um blog no Blogger

Tutorial de criação de um blog no Blogger Tutrial de criaçã de um blg n Blgger Bem-vind a Blgger! Este guia pde ajudar vcê a se familiarizar cm s recurss principais d Blgger e cmeçar a escrever seu própri blg. Para cmeçar a usar Blgger acesse

Leia mais

Questão 46. Questão 47. Questão 48. alternativa D. alternativa B. Dados: calor específico do gelo (água no estado sólido)...

Questão 46. Questão 47. Questão 48. alternativa D. alternativa B. Dados: calor específico do gelo (água no estado sólido)... Questã 46 A partir de um bjet real de altura H, dispst verticalmente diante de um instrument óptic, um artista plástic necessita bter uma imagemcnjugadadealturaigualah.nesse cas, dependend das cndições

Leia mais

15 a. Aula. Pontos riscados. Definição

15 a. Aula. Pontos riscados. Definição 1 o. Curso de Dirigentes da Fraternidade do Grande Coração Proposta: preparar umbandistas para a organização e direção espiritual de casa de umbanda, através de um conhecimento aprofundado da umbanda ancestral

Leia mais

Introdução. Aula 3: Movimento Anual do Sol e Estações do Ano.

Introdução. Aula 3: Movimento Anual do Sol e Estações do Ano. Aula 3: Mviment Anual d Sl e Estações d An. Maria de Fátima Oliveira Saraiva, Kepler de Suza Oliveira Filh &Alexei Machad Müller O espetácul d pr d sl n Guaíba, em Prt Alegre. Intrduçã Prezad alun, Observar

Leia mais

PVC Não dá para imaginar a vida moderna sem ele

PVC Não dá para imaginar a vida moderna sem ele PVC Nã dá para imaginar a vida mderna sem ele Sã Paul, 26 de nvembr de 2012 A GBC Brasil Ref.: Cmentáris sbre item Materiais e Recurss, crédit 4 Cntrle de Materiais Cntaminantes Referencial GBC Brasil

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Segunda Carta aos Pentecostalenses

Segunda Carta aos Pentecostalenses Segunda Carta as Pentecstalenses Sbre Pentecstes, Pentecstalism e s Pentecstalenses Que Espírit de Deus permeie tda a Igreja Pder e Unçã! E que s irmãs e irmãs em Crist recebam cnteúd desta epístla cm

Leia mais

Cinco Passos para Proteger Nossas Crianças. O que é o Abuso Sexual Infantil? Base para Os Cinco Passos

Cinco Passos para Proteger Nossas Crianças. O que é o Abuso Sexual Infantil? Base para Os Cinco Passos Cinc Passs para Prteger Nssas Crianças 1º Pass: Infrme-se sbre s Fats 2º Pass: Reduza Oprtunidades 3º Pass: Cnverse sbre Assunt 4º Pass: Recnheça s Sinais 5º Pass: Reaja de Frma Respnsável Cinc Passs para

Leia mais

3 Fundamentos do Comportamento dos Hidrocarbonetos Fluidos

3 Fundamentos do Comportamento dos Hidrocarbonetos Fluidos 3 Fundaments d Cmprtament ds Hidrcarbnets Fluids 3.1. Reservatóris de Petróle O petróle é uma mistura de hidrcarbnets, que pde ser encntrada ns estads: sólid, líquid, u ass, dependend das cndições de pressã

Leia mais

O QUE É PA-KUA? PA-KUA É UM CONHECIMENTO ORIENTAL, COM APROXIMADAMENTE 5.000 ANOS DE

O QUE É PA-KUA? PA-KUA É UM CONHECIMENTO ORIENTAL, COM APROXIMADAMENTE 5.000 ANOS DE QUE É? É UM CNHECIMENT RIENTAL, CM APRXIMADAMENTE 5.000 ANS EXISTÊNCIA, QUE FI SENVLVID PARA SER APLICAD EM TDS S ASPECTS DA VIDA. SIGNIFICAD DA PALAVRA É : MANUAL BAS VINDAS ESCLA BRASÍLIA/DF LIGA INTERNACINAL

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS ESPIRITUAIS MATA VERDE. Desenvolvimento mediúnico maio/2014 7ªaula

NÚCLEO DE ESTUDOS ESPIRITUAIS MATA VERDE. Desenvolvimento mediúnico maio/2014 7ªaula NÚCLEO DE ESTUDOS ESPIRITUAIS MATA VERDE Desenvolvimento mediúnico maio/2014 7ªaula VENDAS ATÉ DIA 14/05/2014 Doutrina dos Sete Reinos Sagrados A doutrina dos sete reinos, seguida pelo Núcleo Mata Verde,

Leia mais

Boletim da Vila Noca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1

Boletim da Vila Noca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1 Bletim da Vila Nca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1 DIA 9, PALESTRA SOBRE SEGURANÇA Dia 9 de dezembr de 2008 às 20:00 hras, na Creche Barnesa de Limeira, R Antôni de Gebara, 75, Cap

Leia mais

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO Transfrmadres 1.1- INTRODUÇÃO N estud da crrente alternada bservams algumas vantagens da CA em relaçã a CC. A mair vantagem da CA está relacinada cm a facilidade de se elevar u abaixar a tensã em um circuit,

Leia mais

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o Plano de Benefícios JMalucelli.

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o Plano de Benefícios JMalucelli. ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI... 8 PARTICIPANTES... 8 Participante Ativ... 8 Participante Assistid...

Leia mais

Física E Extensivo V. 1

Física E Extensivo V. 1 Física E Extensiv V. 1 Exercícis 01) Verdadeira. Verdadeira. Temperatura mede a agitaçã ds átms. Verdadeira. Temperatura e energia cinética sã diretamente prprcinais. Verdadeira. Falsa. Crp nã tem calr.

Leia mais

Estou com febre? Triiiimmm!! Toca o despertador, é hora de. acordar. Alberta rapidamente levanta e se prepara para sair de casa.

Estou com febre? Triiiimmm!! Toca o despertador, é hora de. acordar. Alberta rapidamente levanta e se prepara para sair de casa. Estu cm febre? Triiiimmm!! Tca despertadr, é hra de acrdar. Alberta rapidamente levanta e se prepara para sair de casa. - Vams, Gaspar, que já está na hra! Vcê vai se atrasar! Gaspar se mve na cama, afundand

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA E DE ÉTICA POLÍTICA SOBRE PRESENTES E ENTRETENIMENTO POLÍTICA SOBRE PRESENTESE ENTRETENIMENTO Oferecer u receber presentes cmerciais e entreteniment é frequentemente uma frma aprpriada

Leia mais

Curso de Umbanda EWÁ

Curso de Umbanda EWÁ Curso de Umbanda EWÁ Também conhecida como Ìyá Wa. Assim como Iemanjá e Oxum, também é uma divindade feminina das águas e, às vezes, associada à fecundidade. É reverenciada como a dona do mundo e dona

Leia mais

BONECAS CIGANAS* Cód. C01 - cigana latina Cód. C03 - cigana espanhola vermelha

BONECAS CIGANAS* Cód. C01 - cigana latina Cód. C03 - cigana espanhola vermelha VL FABRICAÇÃO E COMÉRCIO DE ARTIGOS DE ARTESANATO LTDA. Rua Oscar Guanabarino, 236 - Senador Vasconcelos CEP: 23013-560 - Rio de Janeiro - RJ - Brasil Tel.: 55 21 96476-4367(nextel) / 98109-3304 (tim)

Leia mais

GTERS SERVIÇOS DE MONITORAMENTOS LTDA

GTERS SERVIÇOS DE MONITORAMENTOS LTDA APRESENTAÇÃO Nssa Empresa denmina-se GTER SERVIÇOS DE MONITORAMENTOS LTDA, cm sede e fr n Municípi d Ri de Janeir RJ, que tem pr finalidade prestar Serviçs de Segurança Cntra Incêndi e Pânic. A segurança

Leia mais

Curso de Umbanda OS CABOCLOS

Curso de Umbanda OS CABOCLOS Curso de Umbanda OS CABOCLOS São os nossos amados Caboclos os legítimos representantes da Umbanda, eles se dividem em diversas tribos, de diversos lugares formando aldeias, eles vem de todos os lugares

Leia mais

Jornal dos alunos do Externato Passos Manuel

Jornal dos alunos do Externato Passos Manuel Jrnal ds aluns d Externat Passs Manuel An XXXI * Númer 85 * Julh 2014 3º Trimestre * 1,50 Nesta ediçã: Atividades Dia Mundial d Livr 25 de Abril Dia da Mãe Dia Internacinal das Famílias Festa Uma incrível

Leia mais

XANGO MEU PAI O ORIXA REI PDF

XANGO MEU PAI O ORIXA REI PDF XANGO MEU PAI O ORIXA REI PDF ==> Download: XANGO MEU PAI O ORIXA REI PDF XANGO MEU PAI O ORIXA REI PDF - Are you searching for Xango Meu Pai O Orixa Rei Books? Now, you will be happy that at this time

Leia mais

Catálogos DVD S de Candomblé

Catálogos DVD S de Candomblé APOSTILAS QUE FUNDAMENTAM CASA DE ORIXÁ. Apostila Adoração ao Orixá Orí Cabeça. Cerimônia de Bori. Apostila Comida de Orixá. Como elaborar passo a passo as comidas de Exu a Oxala. Apostila: De Exu a Oxala

Leia mais

Palestra: Cambono CENTRO ESPÍRITA DE UMBANDA CABOCLA JUREMA ARIANA VARELA & RICARDO BERTONI MARÇO DE 2014

Palestra: Cambono CENTRO ESPÍRITA DE UMBANDA CABOCLA JUREMA ARIANA VARELA & RICARDO BERTONI MARÇO DE 2014 Palestra: Cambono CENTRO ESPÍRITA DE UMBANDA CABOCLA JUREMA ARIANA VARELA & RICARDO BERTONI MARÇO DE 2014 Origem e definição A palavra Cambono é originada do termo Kamdondo, Kambono, Kambundu e nada mais

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO C e n t r d e I n f r m á t i c a NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA A FMUP dispõe de salas e labratóris de infrmática gerids pel Centr

Leia mais

Escolha a data de saída de SP e a data de retorno para SP.

Escolha a data de saída de SP e a data de retorno para SP. Esclha a data de saída de SP e a data de retrn para SP. Agra vcê pde prgramar sua excursã sem precisar se precupar cm nada. Reúna mínim de 10 amigs e entre em cntat cmig através d e-mail prtalstl@gmail.cm

Leia mais

3 Bimestre. Neriah I N F A N T I L. Créditos. Educação Infantil o. LINGUAGEM SOCIEDADE MATEMÁTICA NATUREZA Natureza DATAS COMEMORATIVAS

3 Bimestre. Neriah I N F A N T I L. Créditos. Educação Infantil o. LINGUAGEM SOCIEDADE MATEMÁTICA NATUREZA Natureza DATAS COMEMORATIVAS LINGUAGEM SOCIEDADE MATEMÁTICA NATUREZA Natureza DATAS COMEMORATIVAS Crédits I N F A N T I L Educaçã Infantil 3 Bimestre AUTORAS: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Graduada em História e Pedaggia, Dutra em

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 C S R V X CH

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 C S R V X CH IV PALESTRA MOTIVACIONAL Prf. Felipe Lima Data: 23.05.2010 lfg@sugenius.cm.br MATERIAL DE APOIO PROFESSOR MEMORIZAÇÃO NUMÉRICA Tabela de cnversã 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 C S L D T F Z R V X CH G J M N B P K

Leia mais

2. A programação completa e mais informações estarão disponíveis no site www.gar.esp.br.

2. A programação completa e mais informações estarão disponíveis no site www.gar.esp.br. REGULAMENTO 1. Sbre Event 1. A Gramad Adventure Running é uma prva de revezament junt à natureza que será realizada n dia 09/05/2015 (Sábad) em Gramad, n Estad d Ri Grande d Sul, cm participaçã de ambs

Leia mais

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990.

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. O IASAe a Escla Municipal de SantAndré realizaram uma série de ações vltadas para a disseminaçã e efetivaçã ds Direits das Crianças e Adlescentes estabelecids pel

Leia mais

PROGRAMA REGIONAL DE PROVAS PARA BENJAMINS B 2011/2012

PROGRAMA REGIONAL DE PROVAS PARA BENJAMINS B 2011/2012 COMPETIÇÕES PARA O ESCALÃO DE BENJAMINS B (10-11 ANOS) A respnsabilidade de rganizaçã das actividades para este escalã etári pderá caber as clubes, esclas u à AARAM. As prvas aqui designadas devem ser

Leia mais

Mestre Empresário, Seja bem-vindo.

Mestre Empresário, Seja bem-vindo. Mestre Empresári, T ems uma excelente prtunidade para vcê expr prduts e serviçs de sua empresa. Além de fidelizar sua marca, aprveite para abrdar clientes em ptencial através da apresentaçã de seus diferenciais

Leia mais

E.I.E. Caminhos da Tradição - Todos os direitos reservados.

E.I.E. Caminhos da Tradição - Todos os direitos reservados. Análise da Mandala Pessoal Pessoa Exemplo 19/06/2006 Cara XXX, A sua Mandala é uma Mandala Mista, isto quer dizer que ela contém vários itens que são característicos de diversas Mandalas chamadas por nós

Leia mais

01- NA CACHOEIRA. Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis)

01- NA CACHOEIRA. Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis) 01- NA CACHOEIRA Eu vi Mamãe Oxum na Cachoeira, Sentada na beira do rio! (bis) Colhendo lírio, lírio ê... Colhendo lírio, lírio a... Colhendo lírios, P'ra enfeitar nosso congá. (bis) 02- BRADO DE MAMÃE

Leia mais

Zika Vírus. Distribuição Geográfica

Zika Vírus. Distribuição Geográfica Zika Vírus Zika vírus se espalha para as pessas através de picadas de msquit. Os sintmas mais cmuns da dença de vírus de Zika (Zika) sã febre, erupçã cutânea, dr nas articulações e lhs vermelhs. A dença

Leia mais

África do Sul o país mais desenvolvido do continente africano

África do Sul o país mais desenvolvido do continente africano África d Sul país mais desenvlvid d cntinente african Muit se fala, mas puc se sabe sbre a África d Sul, um país chei de cntrastes e muit parecid cm Brasil em diverss aspects. Um país ric, grande, em desenvlviment

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica XVIII Seminári Nacinal de Distribuiçã de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de utubr 7.2 Olinda - Pernambuc - Brasil Autmaçã na Distribuiçã: O Prcess de autmaçã ds equipaments de linha na rede CELPE.

Leia mais

Manual do Rondonista 2006

Manual do Rondonista 2006 Manual d Rndnista 2006 www.defesa.gv.br/prjetrndn 1 1 ÍNDICE MANUAL DO RONDONISTA... 3 I. FINALIDADE... 3 II. O PROJETO RONDON...3 a. Missã...3 b. Objetivs...3 III. DEVERES E DIREITOS DO RONDONISTA...

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

EDITORAL ÍNDICE. o Belém Alimentos Filial 2 Rodovia BR 316 KM 11 Bairro: Uribóca Cidade/UF: Marituba PA CEP: 67.200 000 Fone: (91)3321.

EDITORAL ÍNDICE. o Belém Alimentos Filial 2 Rodovia BR 316 KM 11 Bairro: Uribóca Cidade/UF: Marituba PA CEP: 67.200 000 Fone: (91)3321. s a r p m c! s r a n m e A z i u e m s n s c i a E m a v i v e EDITORAL ÍNDICE Editrial 2 Mês de junh Receitas 3 Maquiagem Decraçã Dicas Agradeciment Junh é mês das festas nas esclas, as vésperas das férias

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

Fraternidade Tabajara- Questionário para Médiuns da Palestra QUESTIONÁRIO

Fraternidade Tabajara- Questionário para Médiuns da Palestra QUESTIONÁRIO Fraternidade Tabajara- Questionário para Médiuns da Palestra QUESTIONÁRIO 1 - Qual o formato do Templo Tabajara? O que o Moxuara tem em relação a este formato? E qual o hino que fala a este respeito? R:

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL

DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL Disciplina Empreendedrism Prfessr(a) Sônia Maria de Barrs Lureir Módul II 2009.1 - Empreendedrism Prfessr(a): Sônia Maria de Barrs Lureir Disciplina: Empreendedrism Carga Hrária:

Leia mais

Terremotos e Ressonância

Terremotos e Ressonância Ntas d Prfessr Terremts e Ressnância Pergunta em fc Cm mviment d sl causad pr um terremt afeta a estabilidade de edifícis de diferentes alturas? Ferramentas e materiais Dis pedaçs quadrads de madeira,

Leia mais

Manual de Instruções para Aparelhos Auditivos

Manual de Instruções para Aparelhos Auditivos Manual de Instruções para Aparelhs Auditivs Índice Aparelhs Auditivs persnalizads Cnhecend seu aparelh auditiv Clcand a bateria Clcand e retirand aparelh intracanal/intra-auricular Clcand e retirand aparelh

Leia mais

- COMO PROCURAR EMPREGO -

- COMO PROCURAR EMPREGO - GUIA PRÁTICO - COMO PROCURAR EMPREGO - e 1 de 7 Técnicas de Prcura de Empreg...3 1. Aut Avaliaçã...3 2. Meis de Divulgaçã de Ofertas de Empreg...3 3. Carta de Apresentaçã...4 4. Curriculum Vitae...4 4.1.1.

Leia mais

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estud de Cas Camila Gmes da Silva 1, Vilma da Silva Sant 2, Paul César Ribeir Quintairs 3, Edsn Aparecida de Araúj Querid Oliveira 4 1 Pós-graduada em

Leia mais

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%.

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%. 1. TEORIA Para prcesss específics de utilizaçã, é necessári manter cndições de temperatura e umidade relativa d ar em cndições específicas para prduçã e u trabalh. Prcesss de desumidificaçã visam manter

Leia mais

COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK

COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK Use as instruções de acrd cm a versã d seu Outlk (2010, 2007 u 2003) Para saber a versã de seu Outlk, clique n menu Ajuda > Sbre Micrsft Office

Leia mais

PRECES DE ABERTURA I) SAUDAÇÃO À UMBANDA E A TODOS OS ORIXÁS. Salve a Umbanda! SALVE! Salve a Força de Exu! LAROYÊ EXU!

PRECES DE ABERTURA I) SAUDAÇÃO À UMBANDA E A TODOS OS ORIXÁS. Salve a Umbanda! SALVE! Salve a Força de Exu! LAROYÊ EXU! PRECES DE ABERTURA I) SAUDAÇÃO À UMBANDA E A TODOS OS ORIXÁS Salve a Umbanda! SALVE! Salve a Força de Exu! LAROYÊ EXU! Salve nosso Pai Oxalá! OXALÁ BABÁ! Salve Tempo! ZARA TEMPO ZARA! Salve nosso Pai Omolu!

Leia mais

A lei Maria Da Penha e a violência contra a mulher. No município de Ilhéus, Bahia.

A lei Maria Da Penha e a violência contra a mulher. No município de Ilhéus, Bahia. XXVII Cngres de la Asciación Latinamericana de Scilgía. VIII Jrnadas de Scilgía. Asciación Latinamericana de Scilgía, Buens Aires, 2009. A lei Maria Da Penha e a vilência cntra a mulher. N municípi de

Leia mais

Objetivo: Desenvolver as condições ideais para a boa formulação de objetivos, transformando-os em metas realizáveis.

Objetivo: Desenvolver as condições ideais para a boa formulação de objetivos, transformando-os em metas realizáveis. 1 Transfrmand Snhs em Metas Objetiv: Desenvlver as cndições ideais para a ba frmulaçã de bjetivs, transfrmand-s em metas realizáveis. Públic-Alv: Pessas interessadas em atingir sucess prfissinal e realizaçã

Leia mais

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP Dissídi Retrativ Cálculs INSS, FGTS e geraçã da SEFIP A rtina de Cálcul de Dissídi Retrativ fi reestruturada para atender a legislaçã da Previdência Scial. A rtina de Aument Salarial (GPER200) deve ser

Leia mais

TEXTO AULA 9: Técnicas de apresentação / Apresentação do Projeto.

TEXTO AULA 9: Técnicas de apresentação / Apresentação do Projeto. TEXTO AULA 9: Técnicas de apresentaçã / Apresentaçã d Prjet. 9.1 Técnicas de apresentaçã Cm apresentar cm sucess? A qualidade d prdut u d u d serviç quase sempre é cnfundida cm a qualidade da apresentaçã.

Leia mais

Questão 48. Questão 46. Questão 47. Questão 49. alternativa A. alternativa B. alternativa C

Questão 48. Questão 46. Questão 47. Questão 49. alternativa A. alternativa B. alternativa C Questã 46 O ceficiente de atrit e índice de refraçã sã grandezas adimensinais, u seja, sã valres numérics sem unidade. Iss acntece prque a) sã definids pela razã entre grandezas de mesma dimensã. b) nã

Leia mais