Minicurso de Introdução ao Latex

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Minicurso de Introdução ao Latex"

Transcrição

1 Minicurso de Introdução ao Latex Airton Monte S. Borin Junior 1, Joaquim Barbosa Júnior 2, Neilon José de Oliveira 3, Osmar Aléssio 4, Victor Fernandode Matos 5 1 UNIFRAN, Franca, SP, Brazil. 2 Profmat/UFTM. 3 UNICERP, Patrocínio, MG, Brazil. 4 UFTM, ICENE, Departamento de Matemática, Uberaba, MG, Brazil. 5 IFMT, Campus Barra do Garças, Barra do Garças, MT, Brasil. Resumo: Este minicurso tem como objetivo dar uma visão introdutória do processador de texto LA- TEX. O LATEX é um processador de texto que interpreta certos comandos e os transformam em textos que podem ser lidos e entendidos. Antes da criação do processador de texto LATEX teve-se a criação do processador de textos TEX. Este processador foi criado no final dos anos 70 por Donaldo Knuth da Stanford University. O objetivo era melhorar a impressão de textos científicos, sobretudo as fórmulas matemáticas. O nome TEX corresponde as primeiras letras da palavra tecnologia em grego (τ ɛχνηλøγια) e o LATEX (que se pronuncia lei-tec ou lah-tech ) é um conjunto de comandos que permite usar o TEX com maior facilidade. Foi criado por Leslie Lamport na década de 80. Hoje muitas universidades (sobretudo americanas e européias) exigem que seus alunos usem TEX ou LATEX para apresentar suas teses, a fim de garantir que as fórmulas sejam representadas com exatidão ou que a qualidade tipográfica seja uniforme. Muitas publicações científicas também o preferem para a submissão de originais. Palavras-chave: LATEX, TEX, TEXnicCenter 1 Histórico Em 1977, Donald Knuth criou o Tex para melhor conservar seus textos em formato digital com ótima qualidade tipográfica. Em 1980, Leslie Lamport criou o LaTex deixando o acesso aos comando TeX mais simples. 2 Instalação do Latex O latex está disponível para a maioria dos Sistemas Operacionais, os principais são: TeXlive: MikTeX: protex: No linux

2 Você pode instalar o texlive. No Windows, Uma boa opção é o Miktex. Para escrever o texto em.tex Aguns editores: WinEdit, TexnicCenter, TexMaker, etc NÃO LIVRE Livre 3 DOCUMENTO BÁSICO 3.1 Cabeçalho (forma de artigo, book, etc) e pacotes (gráficos, matemáticos, etc) Qualquer documento deve conter: 1. Classe do documento e algumas opções: \documentclass[opções]{classe} 2. Pacotes que fornecem coleções de macros para tarefas específicas: \usepackage[opções]{pacote} 3. O comando indicando o começo e o final do texto a ser processado: \begin{doument} \end{document}

3 3.2 Tipo de Documento Precisamos definir as classes (livro, artigo, relatórios, etc) e as opções (tamanho da fonte, tipo de papel, etc) Classes article: Artigos científicos, pequenos relatórios e conogramas. report: Relatórios grandes com vários capítulos, pequenos livros e dissertações. book: Para livros e projetos extensos. beamer: Apresentações de slides. abnt: Monografias, teses e dissertações com as normas ABNT. É necessário incluir a instalação dessa classe, pois ela não vem com o sistema padrão. Alguns modelos de classes no documentclass \documentclass[opções]{report} \documentclass[opções]{article} \documentclass[opções]{book} \documentclass[opções]{abnt} \documentclass[opções]{beamer} abnt 1. Faça o download do abntex em 2. Descompacte o arquivo abntex zip e salve em algum lugar que você possa depois encontrar 3. Vá em Iniciar Programas Miktex 2.9 Maintenance (Adimin) Settings (Adimi). Ver figura (1). 4. Vá a aba roots e clique em add e adicione o texmf que estará na pasta descompactada abntex clique em ok. Figura 1: Instalando o pacote abntex

4 3.2.2 Opções Tamanho da fonte: se nada é declarado o tamanho assumido é 10pt. Podemos declarar 11pt, 12pt. Se quisermos tamanhos maiores teremos que usar comandos que aumentam ou diminuem as letras. Ver Figura 5 tabela 2.1. Formato do papel: se nada for declarado o formato assumido é letterpaper. Podemos declarar a4paper, a3paper,... Texto em colunas: se nada for declarado o texto estará em uma coluna. Podemos declarar o texto em duas colunas usando twocolumn. Podemos escolher a impressão: Frente e verso, a classe book já tem este parâmetro como padrão, para as demais utiliza-se twoside, oneside. Impressão em paisagem: utiliza-se o parâmetro landscape. Capítulos iniciarem nas páginas do lado direito: openright, openany. Não funciona para a classe article. Numeração de páginas: numeração de páginas feita do lado esquerdo, utiliza-se leqno. Numeração do sumário: Existem situações em que você deseja (ou até mesmo é exigido) que o sumário não venha acompanhado com o p. antes da numeração das páginas, como é o que acontece com a figura a seguir no uso do LaTeX (no exemplo usando o pacote abntex). Para solucionar esse problema, recorremos a um comando bastante simples que deve ser feito no seu preâmbulo. Adicionamos, portanto, a opção [normaltoc]. Alguns modelos de opções no documentclass \documentclass[a4paper,12pt]{book} \documentclass[a4paper,10pt]{book} \documentclass[a4paper,11pt]{book} \documentclass[letterpaper,11pt]{book} \documentclass[letterpaper,11pt,twocolumn,leqno]{book} \documentclass[12pt]{beamer} \documentclass[a4paper,12pt,normaltoc]{abnt} Exemplo Figura 2: Exemplo do Início de um documento

5 3.3 Pacotes O latex precisa de pacotes que forneçam coleções de macros para tarefas específicas. Para inserirmos os pacotes utilizamos o comando: \usepackage[opção]{pacote} fontenc: Mudança de codificação das fontes usadas. A codificação padrão do LATEX não prove acentuação, para isso é necessario o uso da codificação T1 na opção. Por exemplo, para usar o OT2 (Cyrillic alfabeto é usado pela Russia, Bulgaria e algumas outras línguas eslavas) e codificações T1, com T1 está definido como padrão. inputenc: Permite a especificação de uma codificação como ASCII, ISO Latin-1, ISO Latin-2. (permite hifenização correta dos caracteres acentudos). babel: para configurar a linguagem do documento, para hifenização, nomes, etc (opção do pacote é a linguagem ou dialeto. Ex.: \usepackage[brazil]{babel}, \usepackage[english]{babel} ). graphics: Utilizado para incluir figuras em postscript (eps) graphicx: Utilizado para incluir figuras em pdf, jpg, png color: para usar texto e caixas coloridos dentro do documento LaTeX. geometry: Definir as dimensões das páginas. hyperref: Transformar comandos que referenciam páginas em links. setspace: Implementa os espaçamentos duplo [doublespacing], um e meio [onehalfspacing] e simples [simplespacing]. latexsym: Alguns símbolos adicionais do LaTeX tais como do subgrupo normal (se usar amssymb, não será necessário). makeidx: Para criar índice remissivo. eso-pic: Para inserir background (imagem do fundo) em todas páginas. xy (xypic): Macro para criar diagramas. a0poster: Para produzir cartazes, usando fontes grandes. classes: amsart, amsbook, amsproc, amsdtx são classes de AMS article, book, proceeding (atas), ltxdoc (documentação). math: amsmath, amscd, amsthm, e amsxtra são pacotes para ambiente matemática sofisticada,diagrama comutativa, newtheorem sofiticada, e suporte para versão antiga do amsmath, respectivamente. fonts: amssymb oferece conjunto de fontes e símbolos do AMS (use amsfonts se requer somente as fontes), eucalou euscript com opção eucal troca a letra caligráfica de mathcal por Euler Script, a opção mathscr em eucal ou euscript cria um comando mathscr para Euler Script, mantendo mathcal inalterado. amsthm: Teoremas e similares.

6 Alguns modelos de pacotes \usepackage[latin1]{inputenc} %\usepackage[english]{babel} \usepackage[brazil]{babel} \usepackage{epsfig} \usepackage{amsmath} \usepackage{times} \usepackage{amsfonts} \usepackage{amssymb} \usepackage{graphicx,graphics} \usepackage{psfrag} \usepackage{xspace} \usepackage{float} \usepackage{dsfont} \usepackage{algorithm} \usepackage{algorithmic} Um exemplo para mostrar a utlização do pacote imputenc. Sem este pacote não teremos a acentuação no aléssio e na matemática. Figura 3: Exemplo para ilustrar a utilidade dos pacotes Figura 4: Exemplo para ilustrar a utilidade dos pacotes

7 4 TIPOS E TAMANHOS DE LETRAS. 4.1 Espaços em branco Espaços em branco consecutivos são considerados como se fossem um único espaço. A maneira de acrescentar espaços em branco é colocando-se no texto uma ou várias barras invertidas, separadas entre si por espaços. Exemplo 1 teste \ \ teste \ \ \ \ \ teste \ \ \ \ \ \ \ \ \ teste teste teste teste teste enquanto que teste teste teste teste teste teste teste teste 4.2 Nova linha Para o LATEX, um final de linha pode ser sinalizado com duas barras invertidas consecutivas, isto é \\, ou com um comando \newline. Uma outra maneira de quebrar uma linha é com o comando \linebrak. Ao contrário do \newline, o \linebrak acrescenta espaços em branco de modo a ajustar a linha quebrada à esquerda e à direita. Testando a quebra de linhas \newline testando a quebra de linha \\ Testando a quebra de linhas \linebreak testando a quebra de linha Testando a quebra de linhas testando a quebra de linha Testando a quebra de linhas testando a quebra de linha 4.3 Formas de escrever (itálico, negrito, sublinhado, etc) Tamanho das Letras (Large, small, etc).

8 Figura 5: Formato das Letras 4.4 Texto Sublinhado Precisamos instalar o pacote \usepackage[normalem]{ulem} e usar os comandos \uline, \uuline, \uwave, \sout ou \xout exemplificados na tabela abaixo. Figura 6: Formato das Letras 4.5 Itemize, description, enumerate O latex fornece três ambientes básicos para a criação de listas: itemize, description e enumerate. itemize Teste 1 Teste 2 enumerate

9 1. Teste 1 2. Teste 2 description i) Teste 1 ii) Teste Ambientes Uma significativa parte do LATEX é formada de ambientes. Em geral, um ambiente é iniciado com um \beginambiente e encerrado com um \endambiente center, flushleft e flushright \begin{center} São Paulo FC \end{center} \begin{flushleft} São Paulo FC \end{flushleft} \begin{flushright} São Paulo FC \end{flushright} São Paulo FC verbatim São Paulo FC São Paulo FC Todo o texto que for digitado em um ambiente verbatim, é impresso na forma como foi digitado, sem levar em conta nenhum tipo de formatação. \ begin{verbatim} $$\bigcup_{i}ˆ{n}a_i$$ \ end{verbatim} quotation O ambiente quotation pode ser usado para citações. Primeiro Simpósio de Formação de Professores do Ensino Médio n i A i

10 4.6.4 minipage Uma minipage é uma espécie de janela sem moldura que pode ser colocada em determinada posição da página. 4.7 Notas de rodapé Primeiro Simpósio de Formação de Professores do Ensino Médio O LATEX é bastante eficiente na construção de notas de rodapé. Para isso, basta colocar um comando \footnotetexto no local em que se deseje criar uma referência à nota, com o texto da nota fornecido com parâmetro do comando. Exemplo 2 A história do Último Teorema de Fermat está ligada profundamente à história da matemática, tocando em todos os temas da teoria dos números 1. 5 O Comando \newtheorem e Referências Cruzadas O Comando \newtheorem Por exemplo: \newtheorem{teo} {Teorema} [section] \newtheorem{lema} [teo] {Lema} \newtheorem{cor} [teo] {Corolário} \newtheorem{prop} [teo] {Proposição} o argumento [teo] faz com que os outros ambientes sigam a numeração do ambiente teo. Exemplo 3 \begin{teo} Seja \textit{d} o máximo divisor comum de \textit{a} e \textit{b}, então existem inteiros \textit{n} e \textit{m} tais que $d = n\cdot a + m\cdot b$.\\ \end{teo} Teorema 1 Seja d o máximo divisor comum de a e b, então existem inteiros n e m tais que d = n a+m b. 5.1 O Comando \newtheorem Demostrações de Teoremas, Proposições, Lemas, etc. Para se escrever um texto matemático com qualidade é necessário criar ambientes para as demonstrações e esses recursos estão no pacote amsthm. Tais recursos funcionam se for colocado no preâmbulo o comando \usepackage {amsthm}. Para as demonstrações existe o ambiente proof. Que é usado na forma: \begin{proof}... \end{proof} 1 A teoria dos números é o ramo da matemática pura que estuda propriedades dos números em geral, e em particular dos números inteiros, bem como a larga classe de problemas que surge no seu estudo.

11 5.2 Referências Cruzadas Os comandos \label{marca} e \ref{marca}: O comando \label{marca} coloca uma marca naquele ponto do texto, onde ele aparece e pode ser usado para se referir a ele em outra parte do texto com o comando \ref{marca}. Se o comando \label{marca} é colocado dentro de um ambiente como equation, eqnarray ou newtheorem, então o comando \ref{marca} correspondente vai imprimir o número do ambiente em que a \label{marca} foi colocado. 5.3 Comandos Definidos pelo usuário O comando \newcommand pode ser usado para definir macros, ou seja, novos comandos. Pode criar apelidos para comandos já existentes ou agrupar vários comandos e chamá-los por um único nome. Seu uso mais simples é: \newcommand{novo_comando}{definição} Exemplo 4 \newcommand{\seq}{ sequência de números reais } Com isso, todo \seq que aparece no texto será substituído... Com isso, todo sequência de números reais que aparece no texto será substituído por sequência de números reais. 6 Ambiente Matemático Fórmulas e símbolos matemáticos só podem ser usados dentro de um ambiente matemático. A criação desse tipo de ambiente é facilmente feita colocando as expressões entre cifrões ($), entre duplos cifrões ($$). O duplo cifrão mostra a fórmula centralizada. Tem outra maneira também de inserir fórmulas matemáticas centralizdas, que é coloca-las entre barra colchete e barra colchete. O comando displaystyle deixa as fórmulas matemáticas mais bonita, parecidas com as que usamos dois $$ e barra colchetes. Nestes casos as fórmulas ficam centralizadas e no quando usamos o displaystyle a fórmula fica no lugar onde se esta digitando o texo. Figura 7: Figura ilustrando o ambiente matemático. 6.1 Letras gregas, Nomes de funções, Potências, frações, etc Todas estas funções podem ser encontradas na barra de ferramentas do TeXnicCenter. Veja a figura abaixo.

12 Funções e Operações Matemáticas na barra de ferramentas que ficam a vista. Figura 8: Letras Gregas, Fraçoes, etc Funções e Operações Matemáticas na barra de ferramentas que ficam escondidas. Deve-se clicar no ícone Math Figura 9: Funções, etc Exemplo 5 Frações, funções, limites, somatórios Quase todos os comandos podem ser obtidos na barra de ferramenta do TeXnicCenter. O comando \displaystyle não se encontra na barra de ferramenta. Este comando é usado para deixar a fórmula mais adequada. Obs: O comando \displaystyle\frac{}{} pode ser abreviado para \dfrac{}{}. $\frac{a}{b} + \cos(\theta)$ a b + cos(θ) $\dfrac{a}{b} + \cos(\theta)$ a b + cos(θ)

13 $$\frac{a}{b} + \cos(\theta)$$ \[ \sum_{k=1}ˆ{n}a_{k} \] a b + cos(θ) n k=1 $$ \lim_{x\rightarrow a}f(x)=f(a) $$ Exemplo 6 Parênteses, colchetes e chaves a k lim f(x) = f(a) x a Quase todos os comandos podem ser obtidos na barra de ferramenta do TeXnicCenter. Mas para indicar alguns comandos temos:. \left(... \right) -> parênteses \left[... \right] -> colchetes \left\{... \right\} -> chaves \left\... \right\ -> norma $$b\left\{5\left\ a\right\ +\left[\frac{1}{a+b}-\sqrt{\left(ab\right)}\right]\right\}$$ Exemplo 7 Vetores e conjugados { [ 1 b 5 a + a + b ]} (ab) Quase todos os comandos podem ser obtidos na barra de ferramenta do TeXnicCenter. Mas para indicar alguns comandos temos: $$\vec{u}+\vec{w}$$ u + w $$z=a+bi \Rightarrow \bar{z}=a-bi $$ z = a + bi z = a bi 6.2 Matrizes Matrizes podem ser construídas com o ambiente array da seguinte forma: \begin{array}{quantas colunas com elementos centralizados (c), a direita (r) ou a esquerda (l)} definição de cada linha com um "\\" no final \end{array} $$\left(a=\left(\begin{array}[h]{cc} abcdfg & hijklm\\ c & d \end{array}\right)$$

14 ( abcdfg hijklm A = c d $$\left(a=\left(\begin{array}[h]{rr} abcdfg & hijklm\\ c & d \end{array}\right)$$ ) ( abcdfg hijklm A = c d $$\left(a=\left(\begin{array}[h]{ll} abcdfg & hijklm\\ c & d \end{array}\right)$$ Três Colunas e duas linhas $$A=\left[\begin{array}[h]{ccc} 1 & 2 & 3 \\ a & b & c \end{array}\right]$$ ( abcdfg hijklm A = c d ) ) Matrizes mxn (m linhas por n colunas) A = [ a b c ] $$A=\left[\begin{array}[h]{cccc} a_{11} & a_{12} & \cdots & a_{1n} \\ a_{21} & a_{22} & \cdots & a_{2n} \\ \vdots & \vdots & \ddots & \vdots \\ a_{m1} & a_{m2} & \cdots & a_{mn} \\ \end{array}\right]$$ Determinantes de Matrizes A = a 11 a 12 a 1n a 21 a 22 a 2n a m1 a m2 a mn $$rot \vec{f}=\left \begin{array}[h]{ccc} \vec{i} & \vec{j} & \vec{k} \\ \dfrac{\partial}{\partial x}&\dfrac{\partial}{\partial y}&\dfrac{\partial}{\partial z}\\ M & N & P\\ \end{array}\right $$ rotf = i j k x y z M N P

15 6.3 Tabelas Basicamente a manipulação das tabelas será feita pelos seguintes comandos: \begin{tabular} \end{tabular} para iniciar e finalizar a Tabela. { c c c c c } A quantidade de c s indica no. de colunas e as barras desenhas as colunas. \hline Cria linha (colocar no final da linha). \multicolumn{m}{ c } Mescla m colunas a partir de onde está o comando. \cline{col_k-col_j} Desenha linha das colunas k-ésima até a j-ésima. O camando hline e os ajustes dos textos para direita(r), esquerda (l) ou centro (c) O comando \hline \hline separa a tabela ou cria duas linhas. As barras entre os c s { c c } cria colunas e sem elas não teremos a coluna que ela está representando. $ $ \begin{tabular}{ c c c } \hline \begin{tabular}{ c r l }\hline a & São Paulo & futebol\\ \hline a & São Paulo & futebol \\ \hline f & g & h \\ \hline f & g & h \\ \hline k & l & m \\ \hline k & l & m \\ \hline \end{tabular} $ \end{tabular} $ a São Paulo futebol f g h k l m a São Paulo futebol f g h k l m $ $ \begin{tabular}{ ccccc } \hline \begin{tabular}{ ccc cc }\hline a & b & c & d & e \\ \hline a & b & c & d & e \\ \hline f & g & h & i & j \\ \hline f & g & h & i & j \\ \hline k & l & m & n & o \\ \hline k & l & m & n & o \\ \hline \end{tabular} $ \end{tabular} $ a b c d e f g h i j k l m n o a b c d e f g h i j k l m n o $ \begin{tabular}{ ccccc } \hline $ \begin{tabular}{ c c c c c } a & b & c & d & e \\ a & b & c & d & e \\ \hline f & g & h & i & j \\ f & g & h & i & j \\ \hline k & l & m & n & o \\ \hline k & l & m & n & o \\ \end{tabular} $ \end{tabular} $ a b c d e f g h i j k l m n o a b c d e f g h i j k l m n o

16 O camando cline $ $ \begin{tabular}{ c c c c c } \hline \begin{tabular}{ c c c c c }\hline a & b & c & d & e \\ \cline{1-2} a & b & c & d & e \\ \cline{1-3} f & g & h & i & j \\ \hline f & g & h & i & j \\ \hline k & l & m & n & o \\ \hline k & l & m & n & o \\ \hline \end{tabular} \end{tabular} $ \ \ \ $ \ \ \ a b c d e f g h i j k l m n o a b c d e f g h i j k l m n o $ $ \begin{tabular}{ c c c c c } \hline \begin{tabular}{ c c c c c }\hline a & b & c & d & e \\ \hline a & b & c & d & e \\ \hline f & g & h & i & j \\ \cline{1-2} f & g & h & i & j \\ \cline{2-3} k & l & m & n & o \\ \hline k & l & m & n & o \\ \hline \end{tabular} \end{tabular} $ \ \ \ $ \ \ \ a b c d e f g h i j k l m n o a b c d e f g h i j k l m n o O comando multicolumn \begin{tabular}{ c c c c c } \hline \multicolumn{5}{ c }{Peso por bimestre em cada colégio} \\ \hline & 1 o B & 2 o B & 3 o B & 4 o B \\ \hline Tales & 1 & 2 & 3 & 4 \\ \hline Platão & 2 & 2 & 3 & 3 \\ \hline \end{tabular} Peso por bimestre em cada colégio 1 o B 2 o B 3 o B 4 o B Tales Platão \begin{tabular}{ c c c c c } \hline \multicolumn{3}{ c }{Peso por bimestre em cada colégio} & & \\ \hline & 1 o B & 2 o B & 3 o B & 4 o B \\ \hline Tales & 1 & 2 & 3 & 4 \\ \hline Platão & 2 & 2 & 3 & 3 \\ \hline \end{tabular} Peso por bimestre em cada colégio 1 o B 2 o B 3 o B 4 o B Tales Platão

17 \begin{tabular}{ c c c c c } \hline & \multicolumn{3}{ c }{Peso por bimestre em cada colégio} & 1 o B & 2 o B & 3 o B & 4 o B \\ \hline Tales & 1 & 2 & 3 & 4 \\ \hline Platão & 2 & 2 & 3 & 3 \\ \hline \end{tabular} & \\ \hline Peso por bimestre em cada colégio 1 o B 2 o B 3 o B 4 o B Tales Platão Colunas com larguras de tamanhos diferentes \begin{tabular}{ c p{2cm} p{3cm} } \hline osmar & O São Paulo será campeão da sulamericana & O São Paulo será campeão da sulamericana \\ \hline Tales & 1 & 2 \\ \hline Platão & 2 & 2 \\ \hline \end{tabular} Osmar O São Paulo será campeão da sulamericana O São Paulo será campeão da sulamericana Uma tabela pode flutuar no texto, isto é, o LATEX pode colocar em outra posição que não seja a correta. Para iso=so, deve-se colocar em um ambiente table. Neste caso, ela pode ter legenda definida com um \capiton{...} e uma marca para futuras referências definida como \label{...}. Ao lado do \begin{table}[...] pode ser colocado um parâmetro opcional, entre colchetes, formado por uma sequência de letras escolhidas no conjunto h,t,b. Elas especificam as preferências do usuário para o local onde a tabela pode ser colocada pelo LATEX. O h (here) significa que a tabela deve ser preferencialmente colocada no topo da página, b (bottom) que ela deve ser colocada no fundo da página, t (top) significa que deve ser colocada no topo da página. \begin{table}[h] \centering \begin{tabular}{ c p{2cm} p{4cm} } \hline Osmar & O São Paulo será campeão da sulamericana & O São Paulo será campeão da sulamericana \\ \hline \end{tabular} \caption{futebol} \label{tab:fut} \end{table}

18 Osmar O São Paulo será campeão da sulamericana O São Paulo será campeão da sulamericana Tabela 1: Futebol 6.4 Fórmulas Numeradas Ambiente Equation O ambiente equation pode ser usado para colocar automaticamente numeração em uma fórmula. Opcionalmentem se for usado também um comando \label{eq:nome}, pode-se fazer referência à numeração com um comando \ref{eq:nome}. Exemplo 8 O último Teoream de Fermat, como é conhecido, declara que \begin{equation} xˆn + yˆn = zˆn \label{eq:fermat} \end{equation} x n + y n = z n (1) não tem solução no campo dos números inteiros para n maior do que 2. O teorema (\ref{eq:fermat}) foi demonstrado... O teorema (1) foi demonstrado recentemente pelo matemático Andrew Wiles Ambiente Eqnarray O ambiente eqnarray pode ser usado para numerar fórmujlas longas, que se espalham por mais linhas. Sua sintaxe é parecida com a do ambinte array. Cada final de linha recebe uma numeração, exceto aquelas assinaladas com um comando \nunumber. Exemplo 9 \begin{eqnarray} aˆ2+bˆ2 & = & zˆ2 \\ aˆ3+bˆ3 & \neq & zˆ3 \\ aˆ4+bˆ4 & \neq & zˆ4 \nonumber \end{eqnarray} a 2 + b 2 = z 2 (2) a 3 + b 3 z 3 (3) a 4 + b 4 z 4

19 6.5 Uso de colchetes com array O ambiente array usado normalmente para definir matrizes, também pode ser usado de outras maneiras. Sistemas de Equações $$ \left\{ \begin{array}{ccc} a_{11}x+a_{12}y+a_{13}z & =&b_1 \\ a_{21}x+a_{22}y+a_{23}z & =&b_2 \\ a_{31}x+a_{32}y+a_{33}z & =&b_3 \\ \end{array} \right. $$ a 11 x + a 12 y + a 13 z = b 1 a 21 x + a 22 y + a 23 z = b 2 a 31 x + a 32 y + a 33 z = b 3 Funções Definida Por Partes $$ f(x)=\left\{ \begin{array}{cc} 1 & se \ \ x \in Q \\ 0 & se \ \ x \in R-Q \end{array} \right. $$ 7 Diagramas com Xy-pic 7.1 Introdução f(x) = { 1 se x Q 0 se x R Q O Xy-pic é um pacote de comandos para TEX que pode ser usado na construção dos mais diversos tipos de diagramas e grafos. Para usar o Xy-pic, deve-se colocar o pacote \usepackage[all]{xy} 7.2 O comando xymatrix O comando \xymatrix é parecido com o comando \array. Uma seta é construída com um comando\ar, cuja sintaxe em sua forma mais simples é: \ar[direção] onde a direção é definida pelas letras D(para baixo), U(para cima), L(para a esquerda), R(para direita) ou por combinações delas como LU, LD, RU, RUU, etc. \xymatrix{ A \ar[d] & B \\ C \ar[ru] & D \ar[l]}

20 Tabela de estilos das setas. A C B D Figura 10: Estilos das Setas Setas Curvas Setas curvas são construídas com pequenos arcos de parábolas usando-se um estilo do onde altura é uma unidade de comprimento que correponde à distância do vértice da parábola ao segmento de reta ligando suas extremidades. A B C

21 8 Figuras Precisamos do pacote graphicx para inserir imagens. 8.1 O camando includegraphics \usepackage{graphicx} O LATEX traz o pacote graphicx para a inserção de imagens. \begin{figure}[h] \centering \includegraphics[scale=0.7]{opcoes_grafico.png} \caption{opções do includegraphics} \label{fig:opcoes_grafico} \end{figure} 8.2 Inciando o documento - Pré-âmbulo Figura 11: PRÉ-ÂMBULO 8.3 Modo Simples de Inserir figuras Utilizando o comando \includegraphics{nomedafigura.jpg} a figura será inserida em seu tamanho original sem título e comentários. A partir da função PrntScr do seu teclado crie uma figura com o nome paginaicial.jpg e em seguida digite a função \includegraphics{paginainicial.jpg} e veja que a figura será inserida no texto. Observações: 1. A figura deverá ser salva na mesma pasta que está o arquivo tex; 2. O nome da figura deverá ser em letra minúscula sem espaços e sem acentos; 3. Neste curso iremos trabalhar somente com figuras.jpg, mas há como inserir figuras de outros tipos; 4. Dependendo das dimensões da figura esta ocupará outro local em outra página. Se necessário você deverá mudar as dimensões da figura para que esta ocupe o lugar desejado.

22 8.4 O Ambiente figure Figura 12: O Ambiente figure 8.5 A Função Insert - Picture Figura 13: Função Inserte Picture

23 8.6 Figuras lado a lado Figura 14: Figura da esquerda Figura 15: Figura da direita Para colocar figuras lado a lado deve-se utilizar o ambiente minipage como segue: Figura 16: Figuras lado a lado

24 8.7 Rotações de Figuras Para inserir figuras com um ângulo de rotação deve-se informar o ângulo de rotação como segue: Figura 17: Rotação de figuras Figura 18: Figura com rotação de 45 o Figura 19: Figura com rotação de 90 o Figura 20: Figura com rotação de 180 o

25 Siga o exemplo a seguir para inserir três figuras lado a lado e com rotações diferentes. Figura 21: Figuras lado a lado com rotações. Figura 22: Figura com Figura 23: Figura com Figura 24: Figura com rotação de 90 o rotação de 45 o rotação de 135 o 9 Referências Bibliográficas 9.1 Diretamente no texto As referências bibliográficas iniciam com \begin{thebibliography}{largura} e terminam com um \end{thebibliography}. O parâmetro largura pode ser pensado como a quantidade máxima de itens que podem ser utilizados na bibliografia. Cada item da bibliografia deve iniciar com um comando \bibitem{nome}. O nome não é impresso no texto final e serve apenas para referências dentro do próprio documento através do comando \cite{nome}. Para maiores referências [1, 3, 2]. 9.2 Em um arquivo auxiliar com extensão.bib O Latex traz um ótimo recurso para criação de referências de um modo prático e rápido, para isso é necessário criar um arquivo.bib onde se encontrarão todas as referências bibliográficas. Para se criar um arquivo.bib, basta criar novo arquivo e criar estes dados para livros, artigos e apostilas e depois salvar em com a title = {Breve Introdução ao $LATEX2_{\epsilon}$}, OPTkey = {}, author = {de ANDRADE, L. N.}, OPTorganization = {},

26 address = {\verb lenimar/textos/index.html }, OPTedition = {}, OPTmonth = {}, year = {2000}, OPTnote = {}, OPTannote = {} author = {LAMPORT, L.}, ALTeditor = {}, title = {A Document Preparation System}, publisher = {Addison-Wesley}, year = {1994}, address = {}, edition = {2nd}, } No final do texto coloque \bibliographystyle{plain} \bibliography{nome do arquivo de referências} Aqui nesta apostila usei os comandos \begin{thebibliography}{99} \bibitem{len00} de Andrade, L. N. {\bf Breve Introdução ao LATEX2_{\epsilon},} lenimar/textos/index.html \bibitem{abntufsc} Valente, G. F. {\bf Escrevendo monogra?as nas normas da ABNT e UFSC através do LATEX.} ebatista/disciplinas_2012_2_arquivos/apostila.pdf \end{thebibliography} Referências [1] de Andrade, Lenimar Nunes. Breve Introdução ao LAT EX2 ɛ, lenimar/textos/index.html [2] Valente, G. F. Escrevendo monografias nas normas da ABNT e UFSC através do LATEX ebatista/disciplinas_2012_2_arquivos/apostila.pdf [3] LAMPORT, L. A Document Preparation System, Addison-Wesley, 1994, 2nd.

Minicurso de Introdução ao Latex

Minicurso de Introdução ao Latex beamer Minicurso de Introdução ao Latex Osmar Aléssio 1, Airton Monte S. Borin Junior 2, Joaquim Barbosa Júnior 3, Neilon José de Oliveira 4, Victor Fernandode Matos 5 1 UFTM, ICENE, Departamento de Matemática,

Leia mais

Tutorial L A TEX. Escola de Verão 2014. Francimário Alves de Lima Inara Françoyse de Souza Pereira

Tutorial L A TEX. Escola de Verão 2014. Francimário Alves de Lima Inara Françoyse de Souza Pereira Tutorial L A TEX Escola de Verão 2014 Francimário Alves de Lima Inara Françoyse de Souza Pereira Centro de Ciências Exatas e da Terra - CCET Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN Departamento

Leia mais

Minicurso de Introdução ao. Ministrantes: Daiane Campara Soares, Débora Dalmolin, Fernanda Somavilla, Rian Lopes de Lima

Minicurso de Introdução ao. Ministrantes: Daiane Campara Soares, Débora Dalmolin, Fernanda Somavilla, Rian Lopes de Lima Minicurso de Introdução ao LATEX Ministrantes: Daiane Campara Soares, Débora Dalmolin, Fernanda Somavilla, Rian Lopes de Lima 1 Sumário 1 Introdução 3 1.1 História.............................. 3 1.2 Como

Leia mais

Minicurso L A TEX PET-ECO. Curitiba, PR - Março 2011. Universidade Teconlógica Federal do Paraná

Minicurso L A TEX PET-ECO. Curitiba, PR - Março 2011. Universidade Teconlógica Federal do Paraná Minicurso L A TEX PET-ECO Universidade Teconlógica Federal do Paraná Curitiba, PR - Março 2011 Parte I Aula 4 Sumário I 1 Aula 4 Modo Matemático Estruturas matemáticas Equações Apresentações (BEAMER) Modo

Leia mais

Tutorial para uso do LaTex Para escrita científica

Tutorial para uso do LaTex Para escrita científica Tutorial para uso do LaTex Para escrita científica Serviço de Biblioteca e Informação Biblioteca Prof. Johannes Rüdiger Lechat Instituto de Química de São Carlos Universidade de São Paulo Universidade

Leia mais

Minicurso de L A TEX

Minicurso de L A TEX Minicurso de L A TEX Grupo de Educação Tutorial da Engenharia Computacional Semana de Minicursos do GET-EngComp 11 de julho, 2012 GET da Engenharia Computacional Minicurso de LATEX 1/37 L A TEX é um sistema

Leia mais

Comandos básicos do L A T E X. Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Educação do Planalto Norte - CEPLAN

Comandos básicos do L A T E X. Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Educação do Planalto Norte - CEPLAN Comandos básicos do L A T E X Luís Felipe Bilecki felipe436@gmail.com Vivian Cremer Kalempa vivian.kalempa@udesc.br Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Educação do Planalto Norte - CEPLAN

Leia mais

Teresa Cristina M. Dias & José Carlos Fogo. 6 de Fevereiro de 2014

Teresa Cristina M. Dias & José Carlos Fogo. 6 de Fevereiro de 2014 Introdução ao L A TEX Teresa Cristina M. Dias & José Carlos Fogo DEs - UFSCar 6 de Fevereiro de 2014 Revisado: Janeiro de 2014 Sumário 1 Introdução Histórico do LATEX Editores LATEX O compilador MikTEX

Leia mais

Oficina: escrevendo artigos no LaTeX. João Paulo Just Peixoto http://just.pro.br

Oficina: escrevendo artigos no LaTeX. João Paulo Just Peixoto http://just.pro.br Oficina: escrevendo artigos no LaTeX João Paulo Just Peixoto http://just.pro.br Roteiro Benefícios O que é exatamente? Instalando o MiKTeX Primeiro exemplo Figuras, Tabelas e Equações Referências e BibTeX

Leia mais

Introdução ao L A TEX e ao pacote de normas para trabalhos acadêmicos da UTFPR

Introdução ao L A TEX e ao pacote de normas para trabalhos acadêmicos da UTFPR Introdução ao L A TEX e ao pacote de normas para trabalhos acadêmicos da UTFPR Kaya Sumire Abe kaya.sumire@gmail.com petcoce-ct@utfpr.edu.br Programa de Educação Tutorial Computando Culturas em Equidade

Leia mais

Introdução ao TEXnicCenter

Introdução ao TEXnicCenter Introdução ao TEXnicCenter Teresa Cristina M. Dias José Carlos Fogo UFSCar - DEs Abril de 2013 Teresa Cristina M. Dias & José Carlos Fogo (UFSCar - DES)Minicurso LATEX Revisado: Abril/2013 1 / 105 Sumário

Leia mais

L A TEX Aula de Exercícios básicos

L A TEX Aula de Exercícios básicos L A TEX Aula de não tão 26 de Novembro de 2013 UFES Sumário Parte 1 - L A TEXa ferramenta editorial que tudo faz não tão Histórica e Filosofia (do TEXe L A TEX). Instalação e os primeiros passos (de vagar

Leia mais

Comandos Básicos de Formatação

Comandos Básicos de Formatação Conteúdo Comandos Básicos de Formatação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Curso de Redação em Ciência e Tecnologia Prof. Rômulo Nunes de Oliveira Primeiro documento em LaTeX (revisão) Caracteres de Controle

Leia mais

APOSTILA DE LATEX. Programa de Educação Tutorial Engenharia de Telecomunicações

APOSTILA DE LATEX. Programa de Educação Tutorial Engenharia de Telecomunicações APOSTILA DE LATEX Programa de Educação Tutorial Engenharia de Telecomunicações Universidade Federal Fluminense Niterói-RJ Maio / 2008 Prefácio Tendo em vista as diretrizes do MEC em Pesquisa, Ensino e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PET - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL. Beamer Maurício Oliveira Haensch

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PET - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL. Beamer Maurício Oliveira Haensch UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PET - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO Apresentações com Beamer Maurício Oliveira Haensch Florianópolis, Junho de 2009 Contents 1 Introdução 2

Leia mais

Aula 3. Minicurso L A T E X PET-ECO. Universidade Teconlógica Federal do Paraná. Curitiba, PR - Março 2011. utfpr.jpg

Aula 3. Minicurso L A T E X PET-ECO. Universidade Teconlógica Federal do Paraná. Curitiba, PR - Março 2011. utfpr.jpg Minicurso L A T E X PET-ECO Universidade Teconlógica Federal do Paraná Curitiba, PR - Março 2011 Divisão de aquivos Divisão de arquivos I Em projetos com grande quantidade de texto pode ser interessante

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - RS GRUPO PET MATEMÁTICA DA UFSM. Minicurso de LATEX

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - RS GRUPO PET MATEMÁTICA DA UFSM. Minicurso de LATEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - RS GRUPO PET MATEMÁTICA DA UFSM Minicurso de LATEX Angela Mallmann Wendt Fabricio Fernando Halberstadt Fernanda Somavilla Francisco Helmuth Soares Dias Helga de Mattos

Leia mais

Latex 24 de novembro de 2006

Latex 24 de novembro de 2006 Latex 24 de novembro de 2006 Sumário I Sobre essa apostila 3 II Informações Básicas 5 III Introdução ao Latex 10 1 Introdução 11 2 Plano de ensino 12 2.1 Objetivo...........................................

Leia mais

Minicurso de LATEX. Débora Pandolfi Alves, Ricardo Nabinger Sanchez, Felipe W. Damasio

Minicurso de LATEX. Débora Pandolfi Alves, Ricardo Nabinger Sanchez, Felipe W. Damasio Minicurso de L A TEX Débora Pandolfi Alves Ricardo Nabinger Sanchez Felipe W. Damasio Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade do Vale do Rio dos Sinos UniINFO 2005 http://mutuca.metropoa.tche.br/

Leia mais

APOSTILA DE LATEX. Programa Especial de Treinamento Telecomunicações PETTELE ))) Universidade Federal Fluminense Niterói-RJ 2004

APOSTILA DE LATEX. Programa Especial de Treinamento Telecomunicações PETTELE ))) Universidade Federal Fluminense Niterói-RJ 2004 APOSTILA DE LATEX Programa Especial de Treinamento Telecomunicações PETTELE ))) Universidade Federal Fluminense Niterói-RJ 2004 Prefácio Tendo em vista as diretrizes do MEC em Pesquisa, Ensino e Extensão,

Leia mais

Bibliografia e outros em L A TEX

Bibliografia e outros em L A TEX Bibliografia e outros em L A TEX Paulo Ferreira paf a dei.isep.ipp.pt 11 de Novembro de 2005 Sessão Hands-On do DEI Bibliografia 2 O Bibtex.....................................................................

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

A minha experiência em LATEX

A minha experiência em LATEX The PracTEX Journal, 2007, No. 3 Article revision 2007/08/18 A minha experiência em LATEX Antero Neves Eletrônico anteroneves.reg@gmail.com Liame http://aprendolatex.wordpress.com/ Resumo Este artigo tem

Leia mais

Microsoft Excel 2010

Microsoft Excel 2010 Microsoft Excel 2010 Feito por Gustavo Stor com base na apostila desenvolvida por Marcos Paulo Furlan para o capacitação promovido pelo PET. 1 2 O Excel é uma das melhores planilhas existentes no mercado.

Leia mais

Pesquisa Aplicada à Computação

Pesquisa Aplicada à Computação Pesquisa Aplicada à Computação Prof. Vivek Nigam Aula 3 L A T E X Avaliação Atividade 1 Algumas Informações Práticas Escrever um artigo científico de 4 a 6 páginas sobre um tópico escolhido pelo grupo.

Leia mais

EDITOR DE TEXTO BROFFICE WRITER

EDITOR DE TEXTO BROFFICE WRITER 1 1 Editor de Texto BrOffice Writer O Writer é o editor de texto do pacote OpenOffice, que corresponde ao Microsoft Word. Um editor de texto é um programa com recursos para formatação de texto que poderá

Leia mais

Curso de L A TEX. Parte 1: LATEX Básico Aula 2. S. C. G. Granja. Departamento de Matemática Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT

Curso de L A TEX. Parte 1: LATEX Básico Aula 2. S. C. G. Granja. Departamento de Matemática Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT Curso de L A TEX Parte 1: LATEX Básico Aula 2 S. C. G. Granja Departamento de Matemática Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT Centro de Informática Aplicada à Educação Matemática Mar./Abr. 2009

Leia mais

Oficina de Pesquisa Científica na Pós-Graduação- PPGIGC

Oficina de Pesquisa Científica na Pós-Graduação- PPGIGC Oficina de Pesquisa Científica na Pós-Graduação- PPGIGC Oficina de Pesquisa Científica na Pós-Graduação- PPGIGC Ferramentas para elaboração de artigos científicos Prof. Dr. Pedro Henrique Triguis Schimit

Leia mais

Seminários I - Introdução ao LATEX

Seminários I - Introdução ao LATEX Seminários I - Introdução ao L A TEX Salvador, Agosto - 2013 Agenda 1 Introdução 2 Requisitos 3 Instalação O que é LATEX? Pacote criado para preparação de textos impressos de alta qualidade Pode ser utilizado

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior 2000 Mozart de Melo Alves Júnior INTRODUÇÃO O Excel 7.0 é um aplicativo de planilha desenvolvido para ser usado dentro do ambiente Windows. As planilhas criadas a partir desta ferramenta poderão ser impressas,

Leia mais

Tutorial de Beamer: apresentações em L A TEX

Tutorial de Beamer: apresentações em L A TEX Tutorial de Beamer: apresentações em L A TEX Carlos A. P. Campani 24 de abril de 2006 1 Introdução Beamer é uma classe L A TEX para produzir apresentações. Outras classes L A TEX com o mesmo propósito

Leia mais

CURSO DE INTRODUÇÃO AO L A TEX

CURSO DE INTRODUÇÃO AO L A TEX CURSO DE INTRODUÇÃO AO L A TEX SILVANO CESAR DA COSTA ADRIANO FERRETI BORGATTO CLARICE GARCIA BORGES DEMÉTRIO P I R A C I C A B A Estado de São Paulo - Brasil Setembro - 2002 PREFÁCIO Estas notas são baseadas

Leia mais

Criando Textos e Apresentações com LaTeX e LaTeX Beamer

Criando Textos e Apresentações com LaTeX e LaTeX Beamer Criando Textos e Apresentações com LaTeX e LaTeX Beamer Carlos Rodrigues Rocha, Roberto Simoni Universidade Federal de Santa Catarina Grupo de Software Livre da UFSC Novembro 2009 Roteiro 1 Introdução

Leia mais

Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007

Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007 IESAP INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007 Prof. MARCOS MENDES Profa. MILENA MENDES MACAPÁ-AP 2008 Sumário O QUE É FORMATACÃO COMO CRIAR E SALVAR UM ARQUIVO

Leia mais

NORMAS PARA EDITORAÇÃO E ENVIO DE TRABALHOS TÉCNICOS AO EVENTOS BRASIL 2014

NORMAS PARA EDITORAÇÃO E ENVIO DE TRABALHOS TÉCNICOS AO EVENTOS BRASIL 2014 NORMAS PARA EDITORAÇÃO E ENVIO DE TRABALHOS TÉCNICOS AO EVENTOS BRASIL 2014 07 a 08 de dezembro de 2014 São Paulo - SP DATAS E CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Os trabalhos técnicos deverão ser enviados eletronicamente,

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia APOSTILA DE L A TEX

Universidade Federal de Uberlândia APOSTILA DE L A TEX Ù Ø Universidade Federal de Uberlândia FAMAT - FACULDADE DE MATEMÁTICA APOSTILA DE L A TEX Daniel Cariello Evaneide Alves Carneiro Germano Abud de Rezende Ú Û 1 o semestre 2011 CONTEÚDO 1 Conhecendo o

Leia mais

Instalando e Configurando o LaTeX no Windows

Instalando e Configurando o LaTeX no Windows Instalando e Configurando o LaTeX no Windows Neste tutorial será abordada a instalação dos programas necessários para o uso do LaTex no ambiente Windows utilizando-se a versão 7, em outras versões deste

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SC. MICROSOFT OFFICE - EXCEL 2007 Pág.: 1

TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SC. MICROSOFT OFFICE - EXCEL 2007 Pág.: 1 EXCEL 2007 O Excel 2007 faz parte do pacote de produtividade Microsoft Office System de 2007, que sucede ao Office 2003. Relativamente à versão anterior (Excel 2003), o novo programa introduz inúmeras

Leia mais

Introdução ao L A TEX

Introdução ao L A TEX Parque Tecnológico Itaipu - PTI Centro de Estudos Avançados em Segurança de Barragens Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste Introdução ao L A TEX Projeto: Simulação de efeitos erosivos no

Leia mais

Noções de Informática

Noções de Informática Noções de Informática 2º Caderno Conteúdo Microsoft Excel 2010 - estrutura básica das planilhas; manipulação de células, linhas e colunas; elaboração de tabelas e gráficos; inserção de objetos; campos

Leia mais

Tutorial Word 2007. Estilos. 1. Estruturação do Documento. 1.1 Mapa do documento. Tutorial Word 2007

Tutorial Word 2007. Estilos. 1. Estruturação do Documento. 1.1 Mapa do documento. Tutorial Word 2007 Tutorial Word 2007 Este tutorial pretende introduzir algumas das ferramentas automáticas do Word para a geração de sumários, índices de figuras ou tabelas, referencias e citações automáticas ao longo do

Leia mais

FKB Biblioteca Padre Lambert Prins Tutorial de formatação MS-Word Agary Veiga Graf CRB/8-3809

FKB Biblioteca Padre Lambert Prins Tutorial de formatação MS-Word Agary Veiga Graf CRB/8-3809 1 INTRODUÇÃO Tutorial é um programa ou texto, contendo ou não imagens, que ensina passo a passo, didaticamente, como um aplicativo funciona. Regra geral a maioria dos educandos já conhece o Microsoft Office

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Introdução Aula 03: Pacote Microsoft Office 2007 O Pacote Microsoft Office é um conjunto de aplicativos composto, principalmente, pelos

Leia mais

Introdução ao BrOffice.org Writer 2.0

Introdução ao BrOffice.org Writer 2.0 Introdução ao BrOffice.org Writer 2.0 Matheus Santana Lima 18 de Julho de 2006 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. INSERIR TEXTO 3. SALVAR UM DOCUMENTO 4. FECHAR UM DOCUMENTO 5. INICIAR UM NOVO DOCUMENTO 6. ABRIR

Leia mais

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal

Word 1 - Introdução 1.1 - Principais recursos do word 1.2 - A janela de documento 1.3 - Tela principal Word 1 - Introdução O Word para Windows ou NT, é um processador de textos cuja finalidade é a de nos ajudar a trabalhar de maneira mais eficiente tanto na elaboração de documentos simples, quanto naqueles

Leia mais

Nestas notas, apresentamos um modesto guia de sobrevivência para o sistema

Nestas notas, apresentamos um modesto guia de sobrevivência para o sistema UMA INTRODUÇÃO AO L A TEX Uma Introdução ao L A TEX Doherty Andrade 2 Prefácio A produção gráfica e eletrônica de textos de matemática foi muito facilitada com a invenção do sistema TEX, de autoria do

Leia mais

Microsoft Word INTRODUÇÃO

Microsoft Word INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O Word é uma ferramenta utilizada para o processamento e editoração eletrônica de textos. O processamento de textos consiste na possibilidade de executar e criar efeitos sobre um texto qualquer,

Leia mais

Aula 04 Word. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 04 Word. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 04 Word Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Editor de Texto - Word Microsoft Office Conjunto de aplicativos para escritório que contém programas

Leia mais

Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos.

Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos. Fórmulas e Funções Neste capítulo veremos como se trabalha com fórmulas e funções que são as ferramentas que mais nos ajudam nos cálculos repetitivos. Operadores matemáticos O Excel usa algumas convenções

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI

Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI Manual do usuário Desenvolvendo páginas em Drupal Faculdade de Ciências Médicas FCM Unicamp Núcleo de Tecnologia de Informação NTI Conteúdo Primeiro Passo... 3 1.1 Login... 3 1.2 Recuperando a Senha...

Leia mais

Criando apresentações com o Beamer

Criando apresentações com o Beamer Criando apresentações com o Beamer Porque formatações são chatas!! Diego Marczal Josiel Neumann Kuk Universidade Estadual do Centro-Oeste 18 de agosto de 2011 1 / 65 Sumário 1 Intro O que é o Beamer História

Leia mais

L A TEX. Um curso de L A TEX em forma de apresentação 1. Prof. Diego Cirilo. Fev. 2013. IFRN - Campus Pau dos Ferros

L A TEX. Um curso de L A TEX em forma de apresentação 1. Prof. Diego Cirilo. Fev. 2013. IFRN - Campus Pau dos Ferros L A TEX Um curso de L A TEX em forma de apresentação 1 Prof. Diego Cirilo IFRN - Campus Pau dos Ferros Fev. 2013 1 Tradução e adaptação do original de Rainer Rupprecht Prof. Diego Cirilo (IFRN - Campus

Leia mais

14º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental

14º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS REGRAS BÁSICAS A submissão de trabalhos ao 14º Congresso Brasileiro de Geologia será totalmente online, não mais sendo necessário o envio de cópias impressas. Porém, para

Leia mais

Word e Excel. Marque Certo ou Errado

Word e Excel. Marque Certo ou Errado A figura acima mostra uma janela do Word 2002, com um texto em processo de edição. Nesse texto, a expressão União Européia é o único trecho formatado como negrito e a palavra continente está selecionada.

Leia mais

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007

Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa dos Santos Schmid WORD 2007 WORD 2007 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE TECNOLOGIA Gerente de Tecnologia: Ricardo Alexandre F. de Oliveira Marta Cristiane Pires M. Medeiros Mônica Bossa

Leia mais

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1 EXCEL BÁSICO Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041 www.melissalima.com.br Página 1 Índice Introdução ao Excel... 3 Conceitos Básicos do Excel... 6

Leia mais

Grupo Colméia-UDESC Apresenta: Apostila de\ : \title{ } Criando Artigos Acadêmicos. \subtitle{ \autor{daniel S. Camargo } 1 st Edition

Grupo Colméia-UDESC Apresenta: Apostila de\ : \title{ } Criando Artigos Acadêmicos. \subtitle{ \autor{daniel S. Camargo } 1 st Edition Grupo Colméia-UDESC Apresenta: Apostila de\ : \title{ } \subtitle{ Criando Artigos Acadêmicos } \autor{daniel S. Camargo } 1 st Edition Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Departamento de Ciência

Leia mais

Apostilas OBJETIVA Escrevente Técnico Judiciário TJ Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Concurso Público 2015. Índice

Apostilas OBJETIVA Escrevente Técnico Judiciário TJ Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Concurso Público 2015. Índice Índice Caderno 2 PG. MS-Excel 2010: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão,

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral MICROSOFT WORD 2007 George Gomes Cabral AMBIENTE DE TRABALHO 1. Barra de título 2. Aba (agrupa as antigas barras de menus e barra de ferramentas) 3. Botão do Office 4. Botão salvar 5. Botão de acesso à

Leia mais

REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS

REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS NORMAS DE ENVIO DE RESUMOS EXPANDIDOS AO IV CONGRESSO INTERNACIONAL DE MEIO AMBIENTE SUBTERRÂNEO São Paulo - SP, 05 e 06 de outubro de 2015 REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS A submissão de resumos expandidos

Leia mais

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de documentar as principais funcionalidades do Gerador de Relatórios WinReport versão 2.0. Conteúdo 1. Tela Principal...

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva Conceitos Fundamentais de Microsoft Word Professor Rafael www.facebook.com/rafampsilva Introdução É um editor de texto ou processador de texto? editores de texto: editam texto (assim como uma máquina de

Leia mais

Apostila Curso Inclusão Digital na Terceira Idade Módulo Avançado Unicruz 2015/1. João David G. Prevedello

Apostila Curso Inclusão Digital na Terceira Idade Módulo Avançado Unicruz 2015/1. João David G. Prevedello Apostila Curso Inclusão Digital na Terceira Idade Módulo Avançado Unicruz 2015/1 João David G. Prevedello Básico Teclado e Mouse Um teclado tem mais de 100 teclas, existem de várias cores, formatos, cabos,

Leia mais

TUTORIAL SCRIBUS 1.4.2

TUTORIAL SCRIBUS 1.4.2 1 TUTORIAL SCRIBUS 1.4.2 Marinez Siveris asiveris@via-rs.net O que é o Scribus? O Scribus é um excelente programa livre para a produção de revistas, propagandas, jornais, enfim, qualquer documento que

Leia mais

BrOffice.org - Impress

BrOffice.org - Impress BrOffice.org Impress 1 BrOffice.org - Impress Programa de apresentação, utilizado para criação e manipulação de slides. Os slides criados para uma eletrônica podem conter texto, gráficos, objetos, formas,

Leia mais

AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de:

AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos Objetivo Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: Conhecer o controle de exibição do documento; Fazer a correção ortográfica do documento

Leia mais

StarOffice Módulo StarWriter

StarOffice Módulo StarWriter Gerência de Transferência Tecnológica - GTTEC StarOffice Módulo StarWriter Autora Daniela Cristina Maestro Fevereiro/2000 Gerência de Transferência Tecnológica - GTTEC Índice Requisitos para Instalação...

Leia mais

INTRODUÇÃO INICIANDO O WORD INSERIR TEXTO

INTRODUÇÃO INICIANDO O WORD INSERIR TEXTO SUMÁRIO 01 - INTRODUÇÃO 02 - INICIANDO O WORD 03 - INSERIR TEXTO 04 - SALVAR UM DOCUMENTO 05 - FECHAR UM DOCUMENTO 06 - INICIAR UM NOVO DOCUMENTO 07 - ABRIR UM DOCUMENTO 08 - SELECIONAR TEXTO 09 - RECORTAR,

Leia mais

Amostra OpenOffice.org 2.0 Writer SUMÁRIO

Amostra OpenOffice.org 2.0 Writer SUMÁRIO Amostra OpenOffice.org 2.0 Writer SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. INSERIR TEXTO 3. SALVAR UM DOCUMENTO 4. FECHAR UM DOCUMENTO 5. INICIAR UM NOVO DOCUMENTO 6. ABRIR UM DOCUMENTO 7. SELECIONAR TEXTO 8. RECORTAR,

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo Manual do Usuário Índice Conheça o Projeto...3 Apresentação...3 Finalidade...3 Objetivo...3 Histórico...4 Usando o Portal...5 Efetuando o cadastro na biblioteca digital...5 Logando na Biblioteca Digital...6

Leia mais

Enviar Para (Destinatário do Email - Para Revisão) > Botão Office Opções do Word Personalizar Todos os Comandos Enviar para Revisão

Enviar Para (Destinatário do Email - Para Revisão) > Botão Office Opções do Word Personalizar Todos os Comandos Enviar para Revisão Word 2003: Arquivo Novo > Botão Office Novo Abrir... > Botão Office Abrir Fechar > Botão Office Fechar Salvar > Barra de Ferramentas de Acesso Rápido Salvar Salvar > Botão Office Salvar Salvar como > Botão

Leia mais

Apresentação Gráfica e Formatação de Texto.

Apresentação Gráfica e Formatação de Texto. Apresentação Gráfica e Formatação de Texto. Gessé Marques Jr. Fac. Filosofia História e Letras Com o objetivo de estabelecer um padrão gráfico a ser utilizado por todos, exporemos as regras de formatação

Leia mais

EXCEL 2003. Excel 2003 SUMÁRIO

EXCEL 2003. Excel 2003 SUMÁRIO EXCEL 2003 SUMÁRIO INICIANDO O EXCEL... 2 CONHECENDO AS BARRAS DO EXCEL... 4 OS COMPONETES DO EXCEL 2003... 7 ENTENDENDO FUNÇÕES... 8 BOLETIM ESCOLAR... 16 QUADRO DE RENDIMENTO DO ALUNO... 17 CHAMADA ESCOLAR...

Leia mais

Nome do Aluno. Modelo para elaboração de monografia

Nome do Aluno. Modelo para elaboração de monografia Nome do Aluno Modelo para elaboração de monografia São José SC fevereio / 2009 Nome do Aluno Modelo para elaboração de monografia Monografia apresentada à Coordenação do Curso Superior de Tecnologia em

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

Curso de L A TEX. Parte IV. Pedro Quaresma. Departamento de Matemática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra

Curso de L A TEX. Parte IV. Pedro Quaresma. Departamento de Matemática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra Curso de L A TEX Parte IV Pedro Quaresma Departamento de Matemática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra 1 e 8 de Outubro de 2014 P. Quaresma (DM/FCTUC) Curso de LATEX- IV (versão

Leia mais

CADERNOS DE INFORMÁTICA Nº 1. Fundamentos de Informática I - Word 2010. Sumário

CADERNOS DE INFORMÁTICA Nº 1. Fundamentos de Informática I - Word 2010. Sumário CADERNO DE INFORMÁTICA FACITA Faculdade de Itápolis Aplicativos Editores de Texto WORD 2007/2010 Sumário Editor de texto... 3 Iniciando Microsoft Word... 4 Fichários:... 4 Atalhos... 5 Área de Trabalho:

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA UTILIZANDO O EDITOR DE EQUAÇÕES MICROSOFT EQUATION, NO MICROSOFT WORD Juliane Sbaraine

Leia mais

NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS

NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS REGRAS BÁSICAS A submissão de trabalhos ao 9º Simpósio Brasileiro de Cartografia Geotécnica e Geoambiental será totalmente online, não mais sendo necessário o envio de cópias

Leia mais

L A T E X para Matemática

L A T E X para Matemática L A T E X para Matemática com o TeXnicCenter Departamento de Matemática - UEL Ulysses Sodré ii Ulysses Sodré Versão compilada no dia 21 de Agosto de 2006. Curso para alunos e docentes de Matemática da

Leia mais

Avaliação Bibliografia Obter R Obter LaTeX Introdução ao R Introdução ao LaTeX Modo matemático. 2das feiras 18:00hs sala 232 IMECC Provas:

Avaliação Bibliografia Obter R Obter LaTeX Introdução ao R Introdução ao LaTeX Modo matemático. 2das feiras 18:00hs sala 232 IMECC Provas: ME524 Endereco: http://www.ime.unicamp.br/ jg/me524/ Atendimento: 2das feiras 18:00hs sala 232 IMECC Provas: 1a prova (P1): 16/4/2012 2a prova (P2): 11/6/2012 Substitutiva: 25/6/2012 Exame:11/7/2012 Aluno

Leia mais

Dúvidas Freqüentes sobre o Editor de Textos do OpenOffice 1 Como fazer a marca de revisão no OpenOffice.org Editor de Texto? 2 Como fazer a primeira

Dúvidas Freqüentes sobre o Editor de Textos do OpenOffice 1 Como fazer a marca de revisão no OpenOffice.org Editor de Texto? 2 Como fazer a primeira Dúvidas Freqüentes sobre o Editor de Textos do OpenOffice 1 Como fazer a marca de revisão no OpenOffice.org Editor de Texto? 2 Como fazer a primeira página ser a capa/página-título e começar a numeração

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

Prática 3 Microsoft Word

Prática 3 Microsoft Word Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado da Paraíba, Campus Sousa Disciplina: Informática Básica Prática 3 Microsoft Word Assunto: Tópicos abordados: Prática Utilização dos recursos

Leia mais

Planilha Eletrônica Excel

Planilha Eletrônica Excel COLÉGIO LA SALLE CANOAS Técnico em Informática Planilha Eletrônica Excel Excel Prof. Valter N. Silva Colégio La Salle Canoas Página 2 1. NOÇÕES BÁSICAS O Microsoft Excel 7.0 é um programa de planilha eletrônica,

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

Passa a passo para construir uma página pessoal - Parte 1

Passa a passo para construir uma página pessoal - Parte 1 Passa a passo para construir uma página pessoal - Parte 1 Quais ferramentas são necessárias? - Editor de texto básico (sem formatações): use o Bloco de Notas (não use o MS Word e WordPad) - Navegador (browser):

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais

1. Como criar uma conta

1. Como criar uma conta Tutorial MediaWiki 1. Como criar uma conta Para criar uma conta clique no botão, disponível canto superior direito, "Entrar". Será então mostrada a página de entrada na conta onde terá de introduzir os

Leia mais

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0 Ajuda ao Usuário A S S I S T E N T E P I M A C O + 2.2.0 Ajuda ao usuário Índice 1. BÁSICO 1 1. INICIANDO O APLICATIVO 2 2. O AMBIENTE DE

Leia mais

3º MÓDULO: MICROSOFT WORD

3º MÓDULO: MICROSOFT WORD CURSO DE SUMÁRIO MICROSOFT WORD... 3 INICIANDO O WORD... 3 COMANDOS BÁSICOS... 4 CONFIGURANDO PÁGINAS... 7 COMANDOS AVANÇADOS... 8 TABELA... 9 CRIANDO TABELAS... 9 RECORTAR, COPIAR E COLAR... 9 PARA IMPRIMIR

Leia mais

Bolsa Instrutor Dinf/PRAE. Universidade Federal do Paraná Deparamento de Informática Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis.

Bolsa Instrutor Dinf/PRAE. Universidade Federal do Paraná Deparamento de Informática Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis. Bolsa Instrutor Dinf/PRAE Universidade Federal do Paraná Deparamento de Informática Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis Curso L A TEX Professor Responsável : Eduardo J. Spinosa. CURITIBA - PR 20 de Setembro

Leia mais

Professor Paulo Najar www.aprenderdigital.com.br

Professor Paulo Najar   www.aprenderdigital.com.br ~ 1 ~ O QUE É O BROFFICE? Broffice.org é o nome de um conjunto de programas de escritório livre (free software), disponível na internet gratuitamente (no site www.broffice.org) que oferece ferramentas

Leia mais

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word 1 Iniciando o Word 2010 O Word é um editor de texto que utilizado para criar, formatar e imprimir texto utilizado para criar, formatar e imprimir textos. Devido a grande quantidade de recursos disponíveis

Leia mais

NTI Núcleo de Tecnologia de Informação / UNIFAL-MG Drupal Manual do Usuário DRUPAL MANUAL DO USUÁRIO

NTI Núcleo de Tecnologia de Informação / UNIFAL-MG Drupal Manual do Usuário DRUPAL MANUAL DO USUÁRIO DRUPAL MANUAL DO USUÁRIO Primeiros passos para inserir conteúdo no site. 1. Logar-se no site através de seu usuário e senha. 2. Criar um novo menu. 3. Ativar o menu criado, colocando-o em alguma região

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais