Tutorial L A TEX. Escola de Verão Francimário Alves de Lima Inara Françoyse de Souza Pereira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tutorial L A TEX. Escola de Verão 2014. Francimário Alves de Lima Inara Françoyse de Souza Pereira"

Transcrição

1 Tutorial L A TEX Escola de Verão 2014 Francimário Alves de Lima Inara Françoyse de Souza Pereira Centro de Ciências Exatas e da Terra - CCET Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN Departamento de Estatística - DEST 07, 08 e 09 de Janeiro de 2015 Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

2 Sumário 1 Introdução 2 Conceitos Básicos 3 Editando Texto 4 Editando Fórmulas, Matrizes e Tabelas 5 Editando Figuras 6 Recursos Adicionais 7 Referências Bibliográficas Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

3 Sumário 1 Introdução 2 Conceitos Básicos 3 Editando Texto 4 Editando Fórmulas, Matrizes e Tabelas 5 Editando Figuras 6 Recursos Adicionais 7 Referências Bibliográficas Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

4 Introdução O LATEX é um pacote feito para a preparação de textos impressos de alta qualidade, especialmente para textos matemáticos. Ele foi desenvolvido por Leslie Lamport a partir do programa TEX criado por Donald Knuth. O nome do programa corresponde às primeiras letras da palavra tecnologia em grego. Um documento em LATEX é formado pelo texto propriamente dito, mais alguns comandos. O texto em LATEX não é digitado na tela na forma como vai ser impresso. O texto é digitado com vários comandos, como se fosse HTML ou um programa fonte de alguma linguagem de programção. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

5 Introdução Para a criação de um texto em LATEX é necessário apenas um editor de textos (ex.: Texmaker). O padrão é que seja criado um arquivotexto de extensão TEX. Depois, o arquivo-texto deve ser compilado em um arquivo binário de extensão DVI. É possível também a conversão do arquivo DVI em um outro arquivo no formato Post Script (PS) ou Portable Document Format (PDF). Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

6 Francimário 6 e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64 Sumário 1 Introdução 2 Conceitos Básicos Preâmbulo Estrutura de texto Modo matemático Caracteres especiais Comentário, Espaço em branco e Nova linha 3 Editando Texto 4 Editando Fórmulas, Matrizes e Tabelas 5 Editando Figuras

7 Preâmbulo Um texto em LATEX é sempre iniciado com um preâmbulo. Esse preâmbulo contém pelo menos um comando \documentclass, cuja sintaxe é: \documentclass[opções]{classe} Opções é um parâmetro opcional, que pode conter informações sobre tamanho das letras, tipo de papel etc. O parâmetro classe é obrigatório e define o estilo do texto digitado (artigo, tese, livro etc). Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

8 Classes mais comuns article (artigo); report (relatório ou tese); book (livro); slides (transparências); beamer (Apresentação); letter (carta). Opções possíveis a4paper (papel A4); letterpaper (papel tamanho carta); 12pt (tamanho 12 pontos); twocolumn (texto em duas colunas); twoside (impressão nos dois lados do papel). Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

9 Pacotes Um comando muito usado no preâmbulo de um texto em LATEX é o \usepackage. Ele especifica que pacotes usar, aumentando assim significativamente as capacidades de formatação do LATEX. Exemplo \usepackage{graphicx} permite a inserção de figuras ou gráficos no texto; \usepackage[brazil]{babel} permite que o LATEX fale português. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

10 O texto propriamente dito começa após um comando \begin{document} (obrigatório) e termina com um \end{document} (obrigatório). Exemplo \documentclass{article}... Preâmbulo (Pacotes, Informações etc)... \begin{document}... Aqui deve ser digitado o texto... \end{document} Warning!!! Há diferença de letras minúsculas e maiúsculas. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

11 Estrutura de texto Um texto pode ser subdividido em seções, subseções e subsubseções. Isto pode ser feito com os comandos \section{...}, \subsection{...} e \subsubsection{...}, respectivamente. Na classe \article é muito comum ter no início um abstract (resumo) do mesmo. Isto é feito colocando-se o resumo logo depois de um comando \begin{abstract} e encerrando-o com um \end{abstract}. Textos maiores, como livros e teses (classes book e report) podem ter capítulos e apêndices. Os capítulos são iniciados com um comando \chapter{...}. Os apêndices são os capítulos que aparecerem após um comando \appendix. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

12 Exemplo \documentclass[12pt]{article} % Classe artigo \usepackage[latin1]{inputenc} % Pacote utilizado (inputenc) \title{como ganhar dinheiro com...} % Titulo \author{olezinho F. Andrade} % Autor \date {8 de abril de 2000} % Data \begin{document} % Inicio do artigo \maketitle \begin{abstract} % Abstract... blá, blá, blá,... \end{abstract} \section{introduç~ao} % Secao 1... blá, blá, blá,... \section{resultado principal} % Secao 2... blá, blá, blá,... \section{conclus~oes} % Secao 3... bla, bla, bla,... \end{document} % Fim Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

13 Exemplo... \maketitle \chapter{introduç~ao} % Capitulo 1... \section{histórico} % Secao 1.1 \subsection{no passado} % Secao \appendix \chapter{informaç~oes adicionais} % Apendice A... \end{document} % Fim Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

14 Modo matemático Se um texto (ou fórmula) for digitado entre cifrões ( $... $ ou $$... $$ ) então esse texto será considerado como estando no modo matemático. Toda fórmula matemática que contenha potências, raízes, frações etc deve ser digitada no modo matemático. No modo matemático é usado o tipo de letra itálico e espaços em branco desnecessários são eliminados automaticamente. Exemplo \sqrt[3]{8}= 3 8 = 2 \hat{\theta}= ˆθ Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

15 Caracteres especiais Os caracteres $ & % # { } \ são usados pelo LATEX com um significado pré-definido. Por exemplo, o cifrão é usado para denotar o início ou o fim do modo matemático e o & para separar colunas em uma matriz ou tabela. Símbolo Deve ser digitado Símbolo Deve ser digitado $ \$ & \& % \% # \# \ { \{ } \} \ \backslash Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

16 Comentário, Espaço em branco e Nova linha Comentário Todo texto que estiver escrito à direita de um símbolo de porcentagem, será ignorado pelo LATEX na hora da compilação, será considerado um mero comentário. Espaço em branco Espaços em branco consecutivos são considerados como se fossem um único espaço. A maneira de acrescentar espaços em branco é colocando-se no texto uma ou várias barras invertidas, separadas entre si por espaços. Nova linha Para o LATEX, um final de linha pode ser sinalizado com duas barras invertidas consecutivas ou com um comando \newline. Outra maneira de quebrar uma linha é com o comando \linebreak. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

17 Sumário 1 Introdução 2 Conceitos Básicos 3 Editando Texto 4 Editando Fórmulas, Matrizes e Tabelas 5 Editando Figuras 6 Recursos Adicionais 7 Referências Bibliográficas Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

18 Editando Texto O LATEXpermite uma variedade de formas de exibição de texto: pode-se mudar o tamanho e o tipo das letras, pode-se centralizar, criar diferentes tipos de listas etc. Mudando o estilo \textit{.} produz itálico; \textbf{.} produz negrito; \textrm{.} produz romano; \textsf{.} produz sans serif; \texttt{.} produz máquina de escrever; \textsc{.} produz caixa alta. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

19 Mudando o tamanho {\tiny. } produz o menor; {\scriptsize. } produz muito pequenho; {\footnotesize. } produz menor; {\small. } produz pequenho; {\large. } produz grande; {\Large. } produz maior; {\LARGE. } produz maior ainda; {\huge. } produz ainda maior; {\Huge. } produz o maior de todos. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

20 Se o pacote ulem.sty estiver instalado, então é possível sublinhar um texto de vários modos. Para isso, basta colocar no preâmbulo um comando \usepackage[normalem]{ulem} Texto sublinhado \uline{. } Sublinhado; \uuline{. } Duplo Sublinhado; \uwave{. } Sublinhado curvo; \sout{. } Riscado; \xout{. } Muito////////// riscado. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

21 Texto em cores Para escrever em cores é preciso colocar no preâmbulo o comando \usepackage{graphicx,color} Depois podemos usar o comando \textcolor{cor}{texto} para colorir o texto Centralizando e Identando Centralizando; Indentando. \begin{center}... \end{center} \begin{quote}... \end{quote} Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

22 Alinhamento do texto Os ambientes flushleft e flushright geram parágrafos que são alinhados à esquerda e à direita respectivamente. Citação e Verso Existem dois ambientes similares: os ambientes quotation e verse. O ambiente quotation é usado para citações longas que se extendem por vários parágrafos, por que ele indenta os parágrafos. O ambiente verse é usado em poemas onde as quebras de linhas são importantes. Itemizar, Enumerar, e Descrição O ambiente itemize é usado para listas simples, o ambiente enumerate para listas enumeradas e o ambiente description para descrições. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

23 Exemplo \begin{enumerate} \item Voc^e pode misturar os ambientes de lista ao seu gosto: \begin{itemize} \item Mas eles podem ter uma apar^encia melhor. \item[-] Com um hífen. \end{itemize} \item Entretanto lembre-se: \begin{description} \item[coisas inúteis] n~ao se tornar~ao úteis por que est~ao em uma lista. \item[coisas úteis], entretanto, podem ser bem apresentadas em uma lista. \end{description} \end{enumerate} Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

24 Teoremas, Proposições etc O comando \newtheorem{ambiente}{título} define um ambiente para a escrita de teoremas, proposições etc, em que ambiente é um apelido para o ambiente e título é o título que será impresso no início do texto, como Teorema, Lema, Corolário etc. Exemplo \begin{teo}[pitágoras] Em todo tri^angulo ret^angulo o quadrado do comprimento da hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos comprimentos dos catetos. \end{teo} Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

25 exercícios 1 O que é preâmbulo? 2 Para que serve os pacotes? Cite exemplos. 3 Quais são os elementos essenciais? 4 Como cria uma nova seção ou subseção? 5 O que devo fazer para colocar uma fórmula matemática? 6 Por que é necessário colocar \ antes de colocar um caracter especial? 7 Como posso quebrar uma linha além do comando \newline Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

26 Sumário 1 Introdução 2 Conceitos Básicos 3 Editando Texto 4 Editando Fórmulas, Matrizes e Tabelas Fórumlas, Expoentes e Índices Franções e Raízes Somatório, Integrais e Coeficiêntes Binomiais Pontos, Espaços e Texto no Modo Matemático Simbólos Matemáticos e Fórmulas com Til, Barra, Chapéu etc Matrizes Equações ou Inequações Multi-linhas Tabelas Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

27 Fórumlas Fórmulas matemáticas são produzidas digitando no arquivo fonte texto descrevendo-as. As fórmulas podem ocorrer em uma linha de texto como ax 2 + bx + c = 0, ou destacada do texto principal como x = b ± b 2 4ac. 2a Para que uma fórmula que aparece no meio do texto apareça maior usamos o comando \displaystyle no início da fórmula. As fórmulas destacadas podem ser numeradas usando o ambiente \begin{equation} equacao \end{equation}. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

28 Expoentes e Índices O LATEX permite, de maneira simples, a produçãao de qualquer combinação de expoentes e índices com o tamanho correto. O caracter îndica que o próximo caracter é um expoente e indica que o próximo caracter é um índice. Exemplo $$x^2, a_n, x_i^2, x^2_i, x^{2n}, x^{y^2}, x^{y_1}$$ produz x 2, a n, x 2 i, x 2 i, x 2n, x y2, x y 1 Observe que quando índices e expoentes ocorrem juntos a ordem é indiferente. Observe também que quando o índice ou expoente tem mais de um caracter, eles devem estar entre chaves. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

29 Frações Pequenas fraçaões no meio do texto podem ser escritas usando o caracter \, como $(a+b)\2$, que produz (a+b)/2. Para frações mais complexas o comando \frac{numerador}{denominador} é empregado para escrever o numerador em cima e o denominador em baixo com um traço de fração entre eles. Exemplo $\frac{a+b}{2}$ produz a+b 2. Para que uma fórmula que aparece no meio do texto apareça maior podemos usar o comando \dfrac que corresponde a uma abreviação de \displaystyle\frac. Exemplo $\dfrac{a+b}{2}$ produz a + b. 2 Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

30 Raízes As raízes são produzidas com o comando \sqrt[n]{radicando}. Exemplo $\sqrt[3]{8}=2$ produz 3 8 = 2. Se o argumento opcional [n] for omitido, então a raiz quadrada é gerada. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

31 Somatório e Integrais Somatórios e integrais são obtidos com os comandos \sum e \int, respectivamente. Eles podem aparecer em diferentes estilos, dependendo se aparecem no meio do texto ou destacado e se é usado o comando \limits. Exemplo $\sum_{i=1}^n a_i$ e $\int_{a}^b f(x)dx$ produzem n i=1 a i e b a f (x)dx respectivamente. Usando o comando \limits $\sum\limits_{i=1}^n a_i$ e $\int\limits_{a}^b f(x)dx$ produzem n b a i e f (x)dx respectivamente. i=1 a Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

32 Coeficiêntes Binomiais Os coecientes binomiais são obtidos com o comando \choose. Exemplo ( ) n + 1 = k ( ) ( ) n n + k k 1 foi obtido com $$ {n+1\choose k}={n\choose k}+{n\choose k-1} $$. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

33 Pontos, Espaços e Texto no Modo Matemático Os comandos \ldots e \cdots produzem três pontos, como em a 1 + a n, que foi produzida com $a_1+\cdots + a_n$. O comando \vdots produz três pontos na vertical. Um ~ (til) entre os elementos da fórmula faz com que não haja quebra de linha neste local. Os comandos \quad e \qquad produzem espaços no modo matemático, sendo o último maior do que o primeiro. O comando \mbox deve ser usado para produzir texto no modo matemático. Exemplo $$ x_1=\frac{-b-\sqrt{b^2-4ac}}{2a} \quad\mbox{e}\quad x_2=\frac{-b+\sqrt{b^2-4ac}}{2a}. $$ produz x 1 = b b 2 4ac 2a e x 2 = b + b 2 4ac. 2a Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

34 Simbólos Matemáticos Além dos símbolos disponíveis através do teclado existem vários símbolos que podem ser impressos usando o LATEX. Eles são impressos com o nome do símbolo após uma barra invertida. Os seus nomes são semelhantes aos seus signicados matemáticos. Exemplo Letras Grega \alpha= α, \lambda= λ etc. Operadores Binários \pm= ±, \times= etc. Relações \le=, \in= etc. Outros Símbolos \forall=, \partial= etc. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

35 Fórmulas com Til, Barra, Chapéu etc Os comandos \overline{fórmula} e \underline{fórmula} servem para colocar barras em cima e em baixo de uma letra ou uma fórmula. Pode-se colocar também chaves em cima e em baixo de fórmulas com os comandos \overbrace{fórmula} e \underbrace{fórmula}. Setas em cima de letras são conseguidas com o comando \ovec{letra} ou \stackrel{\longrightarrow}{letras}. Chapéu e til em cima de letras são conseguidas com os comandos \hat, \widehat, \tilde e \widetilde. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

36 Tamanho automático de parênteses e similares Os comandos \left( e \right) produzem parênteses com tamanho ajustado na altura para conter a fórmula que é englobada por eles. O mesmo acontece com colchetes e chaves, usando os comandos \left[, \right], \left\{ e \right\}. Os comandos \left e \right devem aparecer sempre aos pares. Exemplo O comando $\cos\left(\frac{\pi}{2}x^2\right)$ produz ( π cos 2 x 2) Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

37 Matrizes As matrizes são produzidas com o uso do ambiente array. Os elementos de uma mesma linha são separados pelo caracter & e as linhas são separadas por \\. É necessário passar para o LATEX como as colunas devem ser alinhadas. Isto é feito em seguida ao comando que inicia o ambiente. Exemplo Por exemplo, \begin{array}{ccrll} diz ao LATEX que a matriz tem 5 colunas e que as duas primeiras devem ser alinhadas ao centro, que a do meio deve ser alinhada à direita e que as duas últimas devem ser alinhadas à esquerda. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

38 Equações ou Inequações Multi-linhas Para a impressão de equações ou inequações em várias linhas pode-se usar os seguintes ambientes: \begin{eqnarray} linha 1 \\... linha n \end{eqnarray} e \begin{eqnarray*} linha 1 \\... linha n \end{eqnarray*} fórmula da esquerda & fórmula do centro & fórmula da direita Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

39 Tabelas Uma tabela pode ser construída com o ambiente tabular, idêntico ao ambiente array. Ela pode ter linhas horizontais ou verticais. O ambiente tabular inicia com \begin{tabular}{especificaç~ao } em que especificação define o formato da tabela. Para cada coluna da tabela, deve-se especificar uma letra l, c ou r, conforme o texto de cada coluna seja ajustado à esquerda, centralizado ou ajustado à direita, respectivamente. Cada linha vertical é especificada com uma barra vertical ( ). Pode-se especificar a largura de uma coluna com um comando p{largura }. Na definição das linhas da tabela, um símbolo & deve ser usado para separar colunas e \\ define o final da linha. Um comando \hline desenha uma linha horizontal na tabela. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

40 Exemplo \begin{tabular}{ c c } \hline $x$ & $f(x) = x^2$ \\ \hline \hline -2 & 4 \\ \hline -1 & 1 \\ \hline 0 & 0 \\ \hline 1 & 1 \\ \hline 2 & 4 \\ \hline \end{tabular} Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

41 Sumário 1 Introdução 2 Conceitos Básicos 3 Editando Texto 4 Editando Fórmulas, Matrizes e Tabelas 5 Editando Figuras 6 Recursos Adicionais 7 Referências Bibliográficas Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

42 Editando Figuras O LATEX 2ε traz o pacote graphicx para a inserção de imagens no formato EPS. Isto pode ser feito com o comando \includegraphics cuja sintaxe é: \includegraphics[opções]{nome do arquivo EPS} Exemplo heigth=20pt (Altura) width=5cm (Largura) scale=0.5 (Porcentual do tamanho) angle=135 (Rotação) O pacote graphicx é requisitado colocando-se um comando \usepackage{graphicx} no preâmbulo do documento. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

43 Exemplo Um dos exemplos mais simples de uso de inserção de uma figura é dado pelo seguinte fragmento: \documentclass{article} \usepackage{graphicx} \begin{document} \includegraphics{exemplo.jpg} \end{document} Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

44 O fragmento anterior permite a inserção em tamanho natural do arquivo exemplo.jpg. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

45 Uma forma mais eficiente de usar o \includegraphics é usá-lo em um ambiente figure. Assim, ele pode ser referenciado mais facilmente, pode ser legendado ou flutuar para um local conveniente no texto. Isto pode ser feito conforme o seguinte modelo: Ambiente figure \begin{figure}[posicionamento]... (comandos relacionados com a figura)... \caption{legenda da figura} \label{marca} \end{figure} Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

46 Em que o posicionamento indica onde a figura deve ser posicionada no texto: Se for um h (here) deve ser colocada no local onde aparece no texto. Se for um t (top) deve aparecer no topo de uma página. Se for b (bottom) deve aparecer no fundo. Se for um p deve aparecer numa página de objetos flutuantes. Se for colocado um! no posicionamento, então LATEX dará prioridade à inserção da figura no local onde ela aparecer no texto. Podem ser fornecidas mais de uma opção de posicionamento da figura. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

47 Exemplo \begin{figure}[!htb] \centering \includegraphics[scale=0.1]{exemplo.jpg} \includegraphics[scale=0.2]{exemplo.jpg} \includegraphics[scale=0.4]{exemplo.jpg} \caption{scale = 0.1, 0.2 e 0.4, respectivamente} \end{figure} Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

48 Figura: scale = 0.1, 0.2 e 0.4, respectivamente A legenda da figura é fornecida como parâmetro do comando \caption. O \centering significa que a figura deve ser centralizada. Se forem colocados vários comandos \includegraphics em um único ambiente figure, o LATEXos considerará como sendo uma única figura. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

49 Figura ao lado de figura Para colocar duas ou mais figuras lado a lado, deve-se usar um único ambiente figure e colocar nele as figuras dentro de ambientes minipage. Cada minipage pode ter suas próprias legendas, rótulos etc. A soma das larguras de todas as minipages não deve ultrapassar o tamanho da linha atual (\linewidth). Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

50 Exemplo \begin{figure}[!htb] \begin{minipage}[b]{0.30\linewidth} \includegraphics[width=\textwidth]{exemplo.jpg} \caption{figura da esquerda} \label{fig:esq} \end{minipage} \hfill \begin{minipage}[b]{0.30\linewidth} \includegraphics[width=\textwidth]{exemplo.jpg} \caption{figura do meio} \label{fig:meio} \end{minipage} \hfill \begin{minipage}[b]{0.30\linewidth} \reflectbox{\includegraphics[width=\textwidth]{exemplo.jpg}} \caption{figura da direita} \label{fig:dir} \end{minipage} \end{figure} Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

51 Figura: Figura da esquerda Figura: Figura do meio Figura: Figura da direita O comando \hfill preenche espaços entre palavras com espaços em branco, de modo que a linha atinja sua largura máxima. A imagem refletida em um espelho é foi feito com o comando \reflectbox do pacote graphicx. Observe que a soma das larguras das minipages é (0,30+0,30+0,30)(\linewidth), ou seja, 90% da largura da linha. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

52 Rotação de figuras Para girar uma figura de θ graus, basta colocar um comando angle = θ como parâmetro opcional do \includegraphics. Exemplo \begin{figure}[!htb] \centering \includegraphics[height=4cm,angle=90]{exemplo.jpg} \hspace{2cm} \includegraphics[angle=90,height=4cm]{exemplo.jpg} \caption{mudança na ordem das opç~oes} \label{fig:ccen} \end{figure} Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

53 Figura: Mudança na ordem das opções Observe que a ordem em que são fornecidos os parâmetros opcionais do \includegraphics é importante. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

54 Figura ao lado de texto Figuras podem ser colocadas ao lado do texto se for colocado no preâmbulo do documento um comando \usepackage{wrapfig} Neste caso, a inserção da figura é feita em um ambiente wrapfigure que admite vários parâmetros: \begin{wrapfigure}[nlinhas]{posicionamento}{largura}... \end{wrapfigure} nlinhas Parâmetro opcional que define o número de linhas do texto. posicionamento Pode ser r, l, i ou o para posicionamento da figura à direita, à esquerda, dentro e fora da página, respectivamente. largura Largura da figura. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

55 Exemplo \begin{wrapfigure}[6]{l}{7cm} \centering \includegraphics[width=4cm]{exemplo.jpg} \caption{figura ao lado de texto ({\sl wrapfigure})} \label{fig:texto} \end{wrapfigure} Uma frase para ser testada\\ Uma frase para ser testada\\ Uma frase para ser testada\\ Uma frase para ser testada\\ Uma frase para ser testada\\ Uma frase para ser testada Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

56 Uma frase para ser testada Uma frase para ser testada Uma frase para ser testada Uma frase para ser testada Uma frase para ser testada Uma frase para ser testada Figura: Figura ao lado de texto (wrapfigure) Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

57 Sumário 1 Introdução 2 Conceitos Básicos 3 Editando Texto 4 Editando Fórmulas, Matrizes e Tabelas 5 Editando Figuras 6 Recursos Adicionais 7 Referências Bibliográficas Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

58 Recursos Adicionais Duas Colunas O comando \twocolumn[título] termina a página atual e inicia uma nova página com duas colunas por página. O argumento opcional título é escrito no início da página em uma coluna com a largura da página. O comando \onecolumn termina o modo de duas colunas. Para se escrever somente dois parágrafos um do lado do outro pode ser usado o ambiente minipage. Exemplo \begin{minipage}{7cm} Parágrafo do lado esquerdo. \end{minipage}\hfill \begin{minipage}{7cm} Parágrafo do lado direito. \end{minipage} Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

59 Referências Cruzadas O comando \label{marca} coloca uma marca naquele ponto do texto, onde ele aparece e pode ser usado para se referir a ele em outra parte do texto com o comando \ref{marca}. O número da página do ponto onde a marca foi colocada pode ser impresso com o comando \pageref{marca}. O identificador da marca marca pode ser qualquer conjunto de caracteres, que não inclua os caracteres especiais, que o faça lembrar a que ela se refere. Se o comando \label{marca} é colocado dentro de um ambiente como equation, eqnarray ou newtheorem, então o comando \ref{marca} correspondente vai imprimir o número do ambiente em que a \label{marca} foi colocado. Para o ambiente enumerate, o comando \ref{marca} imprime o número do \item, onde \label{marca} foi colocado. Para o ambiente figure o comando \label{marca} deve ser colocado dentro do \caption{...}. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

60 Comandos definidos pelo usuário O comando \newcommand pode ser usado para definir novos comandos. Pode criar apelidos para comandos já existentes ou agrupar vários comandos e chamálos por um único nome. Seu uso mais simples é: \newcommand{novo comando}definiç~ao. O newcommand também pode ser usado de uma forma mais sofisticada: Exemplo \newcommand{novo comando}[num]{definiç~ao}. \newcommand{\teste}[2]{ {\bf #1} \newline {\it #2} } Neste exemplo, o comando \teste deverá receber dois parâmetros, colocados separados entre chaves; colocará o primeiro com o tipo de letra negrito e, na linha seguinte, colocará o segundo parâmetro com tipo de letra itálico. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

61 Espaçamento entre linhas Com o pacote setspace podemos controlar o espaçamento entre linhas para as opções, linha simples, 1.5, duplo ou qualquer outra medida definida pelo usuário. Basta colocar no preâmbulo o \setstretch1.5, ou outro qualquer. Bibliografia Você pode produzir uma bibliografia com o ambiente thebibliography. Cada entrada começa com \bibitem{marca } A marca é usada para fazer citações do livro, artigo ou paper no texto do documento. \cite{marca } A numeração das entradas é gerada automaticamente; o parâmetro após o comando \begin{thebibliography} ajusta o valor máximo destes números. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

62 Exemplo Partl~\cite{pa} prop^os que \ldots \begin{thebibliography}{99} \bibitem{pa} H.~Partl: \emph{german \TeX}, TUGboat Volume~9, Issue~1 (1988) \end{thebibliography} Bibtex Para projetos maiores, você pode usar o programa BibTEX. O BibTEX é incluído na maioria das distribuições do TEX. Ele permite a você manter um banco de dados bibliográficos e então extrair deste as referências relevantes para as coisas que você citou em seu paper. Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

63 Sumário 1 Introdução 2 Conceitos Básicos 3 Editando Texto 4 Editando Fórmulas, Matrizes e Tabelas 5 Editando Figuras 6 Recursos Adicionais 7 Referências Bibliográficas Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

64 SANTOS, Reginaldo J. Apostila: Introdução ao L A TEX. Departamento de Matemática-ICEx (UFMG), OETIKER, Tobias et al. Apostila: Introdução ao L A TEX 2ε. Tradução: Démerson Ándre Polli, ANDRADE, Lenimar Nunes de. Apostila: Breve introdução ao L A TEX 2ε. Departamento de Matemática (UFPB), Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

65 Francimário e Inara (DEST-UFRN) EV - LATEX Janeiro / 64

Minicurso de L A TEX

Minicurso de L A TEX Minicurso de L A TEX Grupo de Educação Tutorial da Engenharia Computacional Semana de Minicursos do GET-EngComp 11 de julho, 2012 GET da Engenharia Computacional Minicurso de LATEX 1/37 L A TEX é um sistema

Leia mais

Comandos Básicos de Formatação

Comandos Básicos de Formatação Conteúdo Comandos Básicos de Formatação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Curso de Redação em Ciência e Tecnologia Prof. Rômulo Nunes de Oliveira Primeiro documento em LaTeX (revisão) Caracteres de Controle

Leia mais

Minicurso L A TEX PET-ECO. Curitiba, PR - Março 2011. Universidade Teconlógica Federal do Paraná

Minicurso L A TEX PET-ECO. Curitiba, PR - Março 2011. Universidade Teconlógica Federal do Paraná Minicurso L A TEX PET-ECO Universidade Teconlógica Federal do Paraná Curitiba, PR - Março 2011 Parte I Aula 4 Sumário I 1 Aula 4 Modo Matemático Estruturas matemáticas Equações Apresentações (BEAMER) Modo

Leia mais

Curso de L A TEX. Parte 1: LATEX Básico Aula 2. S. C. G. Granja. Departamento de Matemática Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT

Curso de L A TEX. Parte 1: LATEX Básico Aula 2. S. C. G. Granja. Departamento de Matemática Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT Curso de L A TEX Parte 1: LATEX Básico Aula 2 S. C. G. Granja Departamento de Matemática Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT Centro de Informática Aplicada à Educação Matemática Mar./Abr. 2009

Leia mais

L A TEX. Um curso de L A TEX em forma de apresentação 1. Prof. Diego Cirilo. Fev. 2013. IFRN - Campus Pau dos Ferros

L A TEX. Um curso de L A TEX em forma de apresentação 1. Prof. Diego Cirilo. Fev. 2013. IFRN - Campus Pau dos Ferros L A TEX Um curso de L A TEX em forma de apresentação 1 Prof. Diego Cirilo IFRN - Campus Pau dos Ferros Fev. 2013 1 Tradução e adaptação do original de Rainer Rupprecht Prof. Diego Cirilo (IFRN - Campus

Leia mais

Minicurso de Introdução ao Latex

Minicurso de Introdução ao Latex beamer Minicurso de Introdução ao Latex Osmar Aléssio 1, Airton Monte S. Borin Junior 2, Joaquim Barbosa Júnior 3, Neilon José de Oliveira 4, Victor Fernandode Matos 5 1 UFTM, ICENE, Departamento de Matemática,

Leia mais

Minicurso de Introdução ao. Ministrantes: Daiane Campara Soares, Débora Dalmolin, Fernanda Somavilla, Rian Lopes de Lima

Minicurso de Introdução ao. Ministrantes: Daiane Campara Soares, Débora Dalmolin, Fernanda Somavilla, Rian Lopes de Lima Minicurso de Introdução ao LATEX Ministrantes: Daiane Campara Soares, Débora Dalmolin, Fernanda Somavilla, Rian Lopes de Lima 1 Sumário 1 Introdução 3 1.1 História.............................. 3 1.2 Como

Leia mais

Comandos básicos do L A T E X. Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Educação do Planalto Norte - CEPLAN

Comandos básicos do L A T E X. Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Educação do Planalto Norte - CEPLAN Comandos básicos do L A T E X Luís Felipe Bilecki felipe436@gmail.com Vivian Cremer Kalempa vivian.kalempa@udesc.br Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Educação do Planalto Norte - CEPLAN

Leia mais

CURSO DE INTRODUÇÃO AO L A TEX

CURSO DE INTRODUÇÃO AO L A TEX CURSO DE INTRODUÇÃO AO L A TEX SILVANO CESAR DA COSTA ADRIANO FERRETI BORGATTO CLARICE GARCIA BORGES DEMÉTRIO P I R A C I C A B A Estado de São Paulo - Brasil Setembro - 2002 PREFÁCIO Estas notas são baseadas

Leia mais

Minicurso de Introdução ao Latex

Minicurso de Introdução ao Latex Minicurso de Introdução ao Latex Airton Monte S. Borin Junior 1, Joaquim Barbosa Júnior 2, Neilon José de Oliveira 3, Osmar Aléssio 4, Victor Fernandode Matos 5 1 UNIFRAN, Franca, SP, Brazil. e-mail: airtonborinjr@yahoo.com

Leia mais

A minha experiência em LATEX

A minha experiência em LATEX The PracTEX Journal, 2007, No. 3 Article revision 2007/08/18 A minha experiência em LATEX Antero Neves Eletrônico anteroneves.reg@gmail.com Liame http://aprendolatex.wordpress.com/ Resumo Este artigo tem

Leia mais

L A TEX Aula de Exercícios básicos

L A TEX Aula de Exercícios básicos L A TEX Aula de não tão 26 de Novembro de 2013 UFES Sumário Parte 1 - L A TEXa ferramenta editorial que tudo faz não tão Histórica e Filosofia (do TEXe L A TEX). Instalação e os primeiros passos (de vagar

Leia mais

Teresa Cristina M. Dias & José Carlos Fogo. 6 de Fevereiro de 2014

Teresa Cristina M. Dias & José Carlos Fogo. 6 de Fevereiro de 2014 Introdução ao L A TEX Teresa Cristina M. Dias & José Carlos Fogo DEs - UFSCar 6 de Fevereiro de 2014 Revisado: Janeiro de 2014 Sumário 1 Introdução Histórico do LATEX Editores LATEX O compilador MikTEX

Leia mais

Oficina: escrevendo artigos no LaTeX. João Paulo Just Peixoto http://just.pro.br

Oficina: escrevendo artigos no LaTeX. João Paulo Just Peixoto http://just.pro.br Oficina: escrevendo artigos no LaTeX João Paulo Just Peixoto http://just.pro.br Roteiro Benefícios O que é exatamente? Instalando o MiKTeX Primeiro exemplo Figuras, Tabelas e Equações Referências e BibTeX

Leia mais

Oficina de Pesquisa Científica na Pós-Graduação- PPGIGC

Oficina de Pesquisa Científica na Pós-Graduação- PPGIGC Oficina de Pesquisa Científica na Pós-Graduação- PPGIGC Oficina de Pesquisa Científica na Pós-Graduação- PPGIGC Ferramentas para elaboração de artigos científicos Prof. Dr. Pedro Henrique Triguis Schimit

Leia mais

Tutorial para uso do LaTex Para escrita científica

Tutorial para uso do LaTex Para escrita científica Tutorial para uso do LaTex Para escrita científica Serviço de Biblioteca e Informação Biblioteca Prof. Johannes Rüdiger Lechat Instituto de Química de São Carlos Universidade de São Paulo Universidade

Leia mais

Introdução ao L A TEX e ao pacote de normas para trabalhos acadêmicos da UTFPR

Introdução ao L A TEX e ao pacote de normas para trabalhos acadêmicos da UTFPR Introdução ao L A TEX e ao pacote de normas para trabalhos acadêmicos da UTFPR Kaya Sumire Abe kaya.sumire@gmail.com petcoce-ct@utfpr.edu.br Programa de Educação Tutorial Computando Culturas em Equidade

Leia mais

Reginaldo J. Santos. Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi regi@mat.ufmg.br. 9 de dezembro de 2002

Reginaldo J. Santos. Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi regi@mat.ufmg.br. 9 de dezembro de 2002 INTRODUÇÃO AO L A TEX Reginaldo J. Santos Departamento de Matemática-ICEx Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi regi@mat.ufmg.br 9 de dezembro de 2002 Introdução ao L A TEX

Leia mais

Minicurso de LATEX. Débora Pandolfi Alves, Ricardo Nabinger Sanchez, Felipe W. Damasio

Minicurso de LATEX. Débora Pandolfi Alves, Ricardo Nabinger Sanchez, Felipe W. Damasio Minicurso de L A TEX Débora Pandolfi Alves Ricardo Nabinger Sanchez Felipe W. Damasio Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade do Vale do Rio dos Sinos UniINFO 2005 http://mutuca.metropoa.tche.br/

Leia mais

Introdução ao TEXnicCenter

Introdução ao TEXnicCenter Introdução ao TEXnicCenter Teresa Cristina M. Dias José Carlos Fogo UFSCar - DEs Abril de 2013 Teresa Cristina M. Dias & José Carlos Fogo (UFSCar - DES)Minicurso LATEX Revisado: Abril/2013 1 / 105 Sumário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - RS GRUPO PET MATEMÁTICA DA UFSM. Minicurso de LATEX

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - RS GRUPO PET MATEMÁTICA DA UFSM. Minicurso de LATEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - RS GRUPO PET MATEMÁTICA DA UFSM Minicurso de LATEX Angela Mallmann Wendt Fabricio Fernando Halberstadt Fernanda Somavilla Francisco Helmuth Soares Dias Helga de Mattos

Leia mais

Tutorial de Beamer: apresentações em L A TEX

Tutorial de Beamer: apresentações em L A TEX Tutorial de Beamer: apresentações em L A TEX Carlos A. P. Campani 24 de abril de 2006 1 Introdução Beamer é uma classe L A TEX para produzir apresentações. Outras classes L A TEX com o mesmo propósito

Leia mais

Tutorial Word 2007. Estilos. 1. Estruturação do Documento. 1.1 Mapa do documento. Tutorial Word 2007

Tutorial Word 2007. Estilos. 1. Estruturação do Documento. 1.1 Mapa do documento. Tutorial Word 2007 Tutorial Word 2007 Este tutorial pretende introduzir algumas das ferramentas automáticas do Word para a geração de sumários, índices de figuras ou tabelas, referencias e citações automáticas ao longo do

Leia mais

APOSTILA DE LATEX. Programa de Educação Tutorial Engenharia de Telecomunicações

APOSTILA DE LATEX. Programa de Educação Tutorial Engenharia de Telecomunicações APOSTILA DE LATEX Programa de Educação Tutorial Engenharia de Telecomunicações Universidade Federal Fluminense Niterói-RJ Maio / 2008 Prefácio Tendo em vista as diretrizes do MEC em Pesquisa, Ensino e

Leia mais

Pesquisa Aplicada à Computação

Pesquisa Aplicada à Computação Pesquisa Aplicada à Computação Prof. Vivek Nigam Aula 3 L A T E X Avaliação Atividade 1 Algumas Informações Práticas Escrever um artigo científico de 4 a 6 páginas sobre um tópico escolhido pelo grupo.

Leia mais

Criando apresentações com o Beamer

Criando apresentações com o Beamer Criando apresentações com o Beamer Porque formatações são chatas!! Diego Marczal Josiel Neumann Kuk Universidade Estadual do Centro-Oeste 18 de agosto de 2011 1 / 65 Sumário 1 Intro O que é o Beamer História

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PET - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL. Beamer Maurício Oliveira Haensch

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PET - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL. Beamer Maurício Oliveira Haensch UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PET - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO Apresentações com Beamer Maurício Oliveira Haensch Florianópolis, Junho de 2009 Contents 1 Introdução 2

Leia mais

para [lĩn."g w is.t5s] Marcelo Ferreira ferreira10@usp.br Marcos Lopes marcoslopes@usp.br Francisco Merçon franciscomercon@usp.br

para [lĩn.g w is.t5s] Marcelo Ferreira ferreira10@usp.br Marcos Lopes marcoslopes@usp.br Francisco Merçon franciscomercon@usp.br LATEX para [lĩn."g w is.t5s] Marcelo Ferreira ferreira10@usp.br Marcos Lopes marcoslopes@usp.br Francisco Merçon franciscomercon@usp.br DL-USP Outubro de 2009 Esta obra está licenciada sob uma Licença

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia APOSTILA DE L A TEX

Universidade Federal de Uberlândia APOSTILA DE L A TEX Ù Ø Universidade Federal de Uberlândia FAMAT - FACULDADE DE MATEMÁTICA APOSTILA DE L A TEX Daniel Cariello Evaneide Alves Carneiro Germano Abud de Rezende Ú Û 1 o semestre 2011 CONTEÚDO 1 Conhecendo o

Leia mais

APOSTILA DE LATEX. Programa Especial de Treinamento Telecomunicações PETTELE ))) Universidade Federal Fluminense Niterói-RJ 2004

APOSTILA DE LATEX. Programa Especial de Treinamento Telecomunicações PETTELE ))) Universidade Federal Fluminense Niterói-RJ 2004 APOSTILA DE LATEX Programa Especial de Treinamento Telecomunicações PETTELE ))) Universidade Federal Fluminense Niterói-RJ 2004 Prefácio Tendo em vista as diretrizes do MEC em Pesquisa, Ensino e Extensão,

Leia mais

Aula 3. Minicurso L A T E X PET-ECO. Universidade Teconlógica Federal do Paraná. Curitiba, PR - Março 2011. utfpr.jpg

Aula 3. Minicurso L A T E X PET-ECO. Universidade Teconlógica Federal do Paraná. Curitiba, PR - Março 2011. utfpr.jpg Minicurso L A T E X PET-ECO Universidade Teconlógica Federal do Paraná Curitiba, PR - Março 2011 Divisão de aquivos Divisão de arquivos I Em projetos com grande quantidade de texto pode ser interessante

Leia mais

Bibliografia e outros em L A TEX

Bibliografia e outros em L A TEX Bibliografia e outros em L A TEX Paulo Ferreira paf a dei.isep.ipp.pt 11 de Novembro de 2005 Sessão Hands-On do DEI Bibliografia 2 O Bibtex.....................................................................

Leia mais

Reginaldo J. Santos Departamento de Matemática-ICEx Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi.

Reginaldo J. Santos Departamento de Matemática-ICEx Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi. INTRODUÇÃO AO L A TEX Reginaldo J. Santos Departamento de Matemática-ICEx Universidade Federal de Minas Gerais http://www.mat.ufmg.br/~regi Abril de 2002 última atualização em 6 de outubro de 2012 2 SUMÁRIO

Leia mais

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO Nome Sobrenome 1 Nome Sobrenome 2 RESUMO Este trabalho apresenta os elementos que constituem a estrutura do relato de experiência para o programa de apoio

Leia mais

WORD PARA TRABALHOS ACADÊMICOS

WORD PARA TRABALHOS ACADÊMICOS WORD PARA TRABALHOS ACADÊMICOS Março de 05 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Programa de capacitação. CONFIGURANDO PÁGINAS A5 - Clique na Aba Layout da Página e clique em

Leia mais

Nestas notas, apresentamos um modesto guia de sobrevivência para o sistema

Nestas notas, apresentamos um modesto guia de sobrevivência para o sistema UMA INTRODUÇÃO AO L A TEX Uma Introdução ao L A TEX Doherty Andrade 2 Prefácio A produção gráfica e eletrônica de textos de matemática foi muito facilitada com a invenção do sistema TEX, de autoria do

Leia mais

Professor Paulo Najar www.aprenderdigital.com.br

Professor Paulo Najar   www.aprenderdigital.com.br ~ 1 ~ O QUE É O BROFFICE? Broffice.org é o nome de um conjunto de programas de escritório livre (free software), disponível na internet gratuitamente (no site www.broffice.org) que oferece ferramentas

Leia mais

Latex 24 de novembro de 2006

Latex 24 de novembro de 2006 Latex 24 de novembro de 2006 Sumário I Sobre essa apostila 3 II Informações Básicas 5 III Introdução ao Latex 10 1 Introdução 11 2 Plano de ensino 12 2.1 Objetivo...........................................

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Introdução Aula 03: Pacote Microsoft Office 2007 O Pacote Microsoft Office é um conjunto de aplicativos composto, principalmente, pelos

Leia mais

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1 EXCEL BÁSICO Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041 www.melissalima.com.br Página 1 Índice Introdução ao Excel... 3 Conceitos Básicos do Excel... 6

Leia mais

Grupo Colméia-UDESC Apresenta: Apostila de\ : \title{ } Criando Artigos Acadêmicos. \subtitle{ \autor{daniel S. Camargo } 1 st Edition

Grupo Colméia-UDESC Apresenta: Apostila de\ : \title{ } Criando Artigos Acadêmicos. \subtitle{ \autor{daniel S. Camargo } 1 st Edition Grupo Colméia-UDESC Apresenta: Apostila de\ : \title{ } \subtitle{ Criando Artigos Acadêmicos } \autor{daniel S. Camargo } 1 st Edition Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Departamento de Ciência

Leia mais

Bolsa Instrutor Dinf/PRAE. Universidade Federal do Paraná Deparamento de Informática Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis.

Bolsa Instrutor Dinf/PRAE. Universidade Federal do Paraná Deparamento de Informática Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis. Bolsa Instrutor Dinf/PRAE Universidade Federal do Paraná Deparamento de Informática Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis Curso L A TEX Professor Responsável : Eduardo J. Spinosa. CURITIBA - PR 20 de Setembro

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

Tutorial do Iniciante. Excel Básico 2010

Tutorial do Iniciante. Excel Básico 2010 Tutorial do Iniciante Excel Básico 2010 O QUE HÁ DE NOVO O Microsoft Excel 2010 é um programa de edição de planilhas eletrônicas muito usado no mercado de trabalho para realizar diversas funções como;

Leia mais

NORMAS PARA EDITORAÇÃO E ENVIO DE TRABALHOS TÉCNICOS AO EVENTOS BRASIL 2014

NORMAS PARA EDITORAÇÃO E ENVIO DE TRABALHOS TÉCNICOS AO EVENTOS BRASIL 2014 NORMAS PARA EDITORAÇÃO E ENVIO DE TRABALHOS TÉCNICOS AO EVENTOS BRASIL 2014 07 a 08 de dezembro de 2014 São Paulo - SP DATAS E CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES Os trabalhos técnicos deverão ser enviados eletronicamente,

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva

Conceitos Fundamentais de Microsoft Word. Professor Rafael rafampsilva@yahoo.com.br www.facebook.com/rafampsilva Conceitos Fundamentais de Microsoft Word Professor Rafael www.facebook.com/rafampsilva Introdução É um editor de texto ou processador de texto? editores de texto: editam texto (assim como uma máquina de

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

EDITOR DE TEXTO BROFFICE WRITER

EDITOR DE TEXTO BROFFICE WRITER 1 1 Editor de Texto BrOffice Writer O Writer é o editor de texto do pacote OpenOffice, que corresponde ao Microsoft Word. Um editor de texto é um programa com recursos para formatação de texto que poderá

Leia mais

1. Como criar uma conta

1. Como criar uma conta Tutorial MediaWiki 1. Como criar uma conta Para criar uma conta clique no botão, disponível canto superior direito, "Entrar". Será então mostrada a página de entrada na conta onde terá de introduzir os

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE FÍSICA, ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA UTILIZANDO O EDITOR DE EQUAÇÕES MICROSOFT EQUATION, NO MICROSOFT WORD Juliane Sbaraine

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

DATAS E CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES

DATAS E CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES NORMAS DE ENVIO DE TRABALHOS AO XVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS E XVII ENCONTRO NACIONAL DE PERFURADORES DE POÇOS São Luís - MA, 31 de agosto a 03 de setembro de 2010 DATAS E CONSIDERAÇÕES

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Maria Bernardete Martins Alves Marili I. Lopes Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Módulo 3 Apresentação

Leia mais

Noções de Word versão 2010 para Trabalhos Acadêmicos

Noções de Word versão 2010 para Trabalhos Acadêmicos Noções de Word versão 2010 para Trabalhos Acadêmicos Elaborado pela Biblioteca Universitária Objetivo Dar noções do uso do word de acordo com as orientações do documento Trabalhos acadêmicos na UNISUL(TAU).

Leia mais

ÍNDICE. Microsoft Excel. Informações Gerais. Pasta de Trabalho. Formatando Página. Formatar Células. Gráficos. Criando Operações Básicas

ÍNDICE. Microsoft Excel. Informações Gerais. Pasta de Trabalho. Formatando Página. Formatar Células. Gráficos. Criando Operações Básicas ÍNDICE Microsoft Excel Informações Gerais Pasta de Trabalho Formatando Página Formatar Células Gráficos Criando Operações Básicas Sobre as Funções de Planilha Operadores em Fórmulas do Excel Operadores

Leia mais

FKB Biblioteca Padre Lambert Prins Tutorial de formatação MS-Word Agary Veiga Graf CRB/8-3809

FKB Biblioteca Padre Lambert Prins Tutorial de formatação MS-Word Agary Veiga Graf CRB/8-3809 1 INTRODUÇÃO Tutorial é um programa ou texto, contendo ou não imagens, que ensina passo a passo, didaticamente, como um aplicativo funciona. Regra geral a maioria dos educandos já conhece o Microsoft Office

Leia mais

EXEMPLO. h1 {font-family: arial, verdana, sans-serif;} h2 {font-family: "Times New Roman", serif;}

EXEMPLO. h1 {font-family: arial, verdana, sans-serif;} h2 {font-family: Times New Roman, serif;} Fontes A propriedade font-family é usada para definir uma lista de fontes e sua prioridade para apresentação de um elemento em uma página. Se a primeira fonte da lista não estiver instalada na máquina

Leia mais

BrOffice.org - Impress

BrOffice.org - Impress BrOffice.org Impress 1 BrOffice.org - Impress Programa de apresentação, utilizado para criação e manipulação de slides. Os slides criados para uma eletrônica podem conter texto, gráficos, objetos, formas,

Leia mais

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral

MICROSOFT WORD 2007. George Gomes Cabral MICROSOFT WORD 2007 George Gomes Cabral AMBIENTE DE TRABALHO 1. Barra de título 2. Aba (agrupa as antigas barras de menus e barra de ferramentas) 3. Botão do Office 4. Botão salvar 5. Botão de acesso à

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL AQUIDAUANA MS 2009 1. PAPEL E PROCESSO DE MULTIPLICAÇÃO O papel

Leia mais

INTRODUÇÃO INICIANDO O WORD INSERIR TEXTO

INTRODUÇÃO INICIANDO O WORD INSERIR TEXTO SUMÁRIO 01 - INTRODUÇÃO 02 - INICIANDO O WORD 03 - INSERIR TEXTO 04 - SALVAR UM DOCUMENTO 05 - FECHAR UM DOCUMENTO 06 - INICIAR UM NOVO DOCUMENTO 07 - ABRIR UM DOCUMENTO 08 - SELECIONAR TEXTO 09 - RECORTAR,

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

Gustavo Felisberto Valente. Escrevendo monografias nas normas da ABNT e UFSC através do L A TEX

Gustavo Felisberto Valente. Escrevendo monografias nas normas da ABNT e UFSC através do L A TEX Gustavo Felisberto Valente Escrevendo monografias nas normas da ABNT e UFSC através do L A TEX 2012 Sumário 1 Introdução p. 5 2 Jardim de infância (ou Instalação) p. 6 2.1 Instalando o MiKTEX............................

Leia mais

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word 1 Iniciando o Word 2010 O Word é um editor de texto que utilizado para criar, formatar e imprimir texto utilizado para criar, formatar e imprimir textos. Devido a grande quantidade de recursos disponíveis

Leia mais

MODELO DE INSTRUÇÕES PARA A PREPARAÇÃO E SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA CONGRESSOS BRASILEIROS

MODELO DE INSTRUÇÕES PARA A PREPARAÇÃO E SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA CONGRESSOS BRASILEIROS MODELO DE INSTRUÇÕES PARA A PREPARAÇÃO E SUBMISSÃO DE TRABALHOS PARA CONGRESSOS BRASILEIROS TÍTULO DO TRABALHO Primeiro Autor e-mail Instituição de Ensino Endereço CEP Cidade Estado Segundo Autor e-mail

Leia mais

Nome do Aluno. Modelo para elaboração de monografia

Nome do Aluno. Modelo para elaboração de monografia Nome do Aluno Modelo para elaboração de monografia São José SC fevereio / 2009 Nome do Aluno Modelo para elaboração de monografia Monografia apresentada à Coordenação do Curso Superior de Tecnologia em

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

LATEX Básico com o TeXnicCenter

LATEX Básico com o TeXnicCenter L A TEX Básico com o TeXnicCenter LATEX Básico com o TeXnicCenter Ulysses Sodré Diego Palermo Garcia Sonia Ferreira Lopes Toffoli Márcia Carvalho D Amico Andrielber da Silva Oliveira Semana da Física Visite

Leia mais

Microsoft Excel 2010

Microsoft Excel 2010 Microsoft Excel 2010 Feito por Gustavo Stor com base na apostila desenvolvida por Marcos Paulo Furlan para o capacitação promovido pelo PET. 1 2 O Excel é uma das melhores planilhas existentes no mercado.

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

O Excel é um software de Planilha Eletrônica integrante dos produtos do Microsoft Office.

O Excel é um software de Planilha Eletrônica integrante dos produtos do Microsoft Office. EXCEL O Excel é um software de Planilha Eletrônica integrante dos produtos do Microsoft Office. É composto das seguintes partes: Pasta de Trabalho um arquivo que reúne várias planilhas, gráficos, tabelas,

Leia mais

V CONGRESSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFF/VOLTA REDONDA. Chamada de Trabalhos para as Sessões Temáticas

V CONGRESSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFF/VOLTA REDONDA. Chamada de Trabalhos para as Sessões Temáticas UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PÓLO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA ESCOLA DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DE VOLTA REDONDA V CONGRESSO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFF/VOLTA REDONDA Chamada de Trabalhos para as

Leia mais

5910179 Biofísica I Turma de Biologia FFCLRP USP Prof. Antônio C. Roque Segunda lista de exercícios

5910179 Biofísica I Turma de Biologia FFCLRP USP Prof. Antônio C. Roque Segunda lista de exercícios Lista sobre funções no Excel A ideia desta lista surgiu em sala de aula, para ajudar os alunos a conhecer de modo prático as principais funções matemáticas que aparecem em biologia. Inicialmente, para

Leia mais

SIFEM - CURSO BÁSICO DE EXCEL

SIFEM - CURSO BÁSICO DE EXCEL SIFEM - CURSO BÁSICO DE EXCEL Leonardo Ramos de Oliveira Analista de Sistemas Nesta lição vamos apresentar os conceitos de colunas, linhas,células e célula ativa em uma planilha do Excel. LINHA, COLUNA

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5. Formatação do Texto

TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5. Formatação do Texto TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5 Antes de iniciar a digitação de seu trabalho acadêmico configure seu documento com as especificações a seguir, facilitando a visualização e sua

Leia mais

Apostila Microsoft Word 2000

Apostila Microsoft Word 2000 Apostila Microsoft Word 2000 SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO II. INSERIR TEXTO III. SALVAR UM DOCUMENTO IV. FECHAR UM DOCUMENTO V. INICIAR UM NOVO DOCUMENTO VI. ABRIR UM DOCUMENTO VII. SELECIONAR TEXTO VIII. RECORTAR,

Leia mais

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0 Ajuda ao Usuário A S S I S T E N T E P I M A C O + 2.2.0 Ajuda ao usuário Índice 1. BÁSICO 1 1. INICIANDO O APLICATIVO 2 2. O AMBIENTE DE

Leia mais

REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS

REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS NORMAS DE ENVIO DE RESUMOS EXPANDIDOS AO IV CONGRESSO INTERNACIONAL DE MEIO AMBIENTE SUBTERRÂNEO São Paulo - SP, 05 e 06 de outubro de 2015 REGRAS PARA ENVIO DE RESUMOS A submissão de resumos expandidos

Leia mais

Word 2010 Noções de Informática Henrique Sodré Página 1

Word 2010 Noções de Informática Henrique Sodré Página 1 Word 2010 1. Visão Geral 1.1. Guia/Aba 1.1.1. Guia Contextual (aparece quando se trabalha com contexto específico. Por exemplo, tabela, imagem, cabeçalho e rodapé ou equação) (aparece depois da guia exibição)

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná Sistema Integrado de Bibliotecas SIBI/PUCPR FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS WORD 2007

Pontifícia Universidade Católica do Paraná Sistema Integrado de Bibliotecas SIBI/PUCPR FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS WORD 2007 Pontifícia Universidade Católica do Paraná Sistema Integrado de Bibliotecas SIBI/PUCPR FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS WORD 2007 CONFIGURAR O FORMATO DA PÁGINA E AS MARGENS Escolher na barra de menu

Leia mais

Criando Textos e Apresentações com LaTeX e LaTeX Beamer

Criando Textos e Apresentações com LaTeX e LaTeX Beamer Criando Textos e Apresentações com LaTeX e LaTeX Beamer Carlos Rodrigues Rocha, Roberto Simoni Universidade Federal de Santa Catarina Grupo de Software Livre da UFSC Novembro 2009 Roteiro 1 Introdução

Leia mais

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA 1 DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho, ou seja, o que não consta no texto destas

Leia mais

Curso de introdução ao L A TEX

Curso de introdução ao L A TEX Curso de introdução ao L A TEX 1 1 Departamento de Física Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Pelotas - RS - Brasil Maio de 2012 Figura Múltiplas Figuras (a) Primeira (b) Segunda (c) Terceira Figura:

Leia mais

Microsoft Word INTRODUÇÃO

Microsoft Word INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O Word é uma ferramenta utilizada para o processamento e editoração eletrônica de textos. O processamento de textos consiste na possibilidade de executar e criar efeitos sobre um texto qualquer,

Leia mais

L A T E X para Matemática

L A T E X para Matemática L A T E X para Matemática com o TeXnicCenter Departamento de Matemática - UEL Ulysses Sodré ii Ulysses Sodré Versão compilada no dia 21 de Agosto de 2006. Curso para alunos e docentes de Matemática da

Leia mais

CSS - Background, Color e Fontes. Prof. Bruno Medeiros bruno.medeiros@sc.senai.br http://www.bruno.dump.com.br

CSS - Background, Color e Fontes. Prof. Bruno Medeiros bruno.medeiros@sc.senai.br http://www.bruno.dump.com.br Web Introdução Design CSS - Background, Color e Fontes Prof. Bruno Medeiros bruno.medeiros@sc.senai.br http://www.bruno.dump.com.br O que veremos... CSS Cores e fundos Fontes Cores e fundos Algumas propriedades

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO.

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO. SEMINÁRIO Seminário é um grupo de pessoas que se reúnem com o propósito de estudar um tema sob a direção de um professor ou autoridade na matéria. O nome desta técnica vem da palavra semente, indicando

Leia mais

Cursos Profissionais. Prova de Aptidão Profissional

Cursos Profissionais. Prova de Aptidão Profissional Escola Secundária de S. João do Estoril Cursos Profissionais Normas para a apresentação do relatório Professora Orientadora: Apresentação As normas que se apresentam têm por objectivo uniformizar a apresentação

Leia mais

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/ DE 30 DE MAIO DE 2011/ PRODEMA-UFS DE Estas normas de redação foram definidas como diretrizes básicas pelo Colegiado do Núcleo de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Leia mais

REVISTA DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS / FAeCC / UFMT. NORMAS DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO PARA A RCiC

REVISTA DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS / FAeCC / UFMT. NORMAS DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO PARA A RCiC NORMAS DE APRESENTAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO PARA A 1 ARTIGO É o trabalho acadêmico que apresenta resultado de uma pesquisa, submetido ao exame de um corpo Editorial, que analisa as informações, os métodos

Leia mais

Aula 03: Noções Fundamentais do CSS, Formatação de Fonte e Inserção de Imagens

Aula 03: Noções Fundamentais do CSS, Formatação de Fonte e Inserção de Imagens Aula 03: Noções Fundamentais do CSS, Formatação de Fonte e Inserção de Imagens Tag para inserir imagens e HTML O modelo CSS Noções fundamentais e funcionamento do CSS Incluindo estilos em uma página Sintaxe

Leia mais

MINI CURSO FORMATAÇÃO TRABALHO ACADÊMICO (NOVO FORMATO)

MINI CURSO FORMATAÇÃO TRABALHO ACADÊMICO (NOVO FORMATO) 1 MINI CURSO FORMATAÇÃO TRABALHO ACADÊMICO (NOVO FORMATO) 16 de dezembro de 2010 Thais Garcia Capes Reuni Maria Bernardete Martins Alves; Roberta Moraes de Bem - Serviço de Referência BU/UFSC APRESENTAÇÃO

Leia mais

Apostila Curso Inclusão Digital na Terceira Idade Módulo Avançado Unicruz 2015/1. João David G. Prevedello

Apostila Curso Inclusão Digital na Terceira Idade Módulo Avançado Unicruz 2015/1. João David G. Prevedello Apostila Curso Inclusão Digital na Terceira Idade Módulo Avançado Unicruz 2015/1 João David G. Prevedello Básico Teclado e Mouse Um teclado tem mais de 100 teclas, existem de várias cores, formatos, cabos,

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SC. MICROSOFT OFFICE - EXCEL 2007 Pág.: 1

TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SC. MICROSOFT OFFICE - EXCEL 2007 Pág.: 1 EXCEL 2007 O Excel 2007 faz parte do pacote de produtividade Microsoft Office System de 2007, que sucede ao Office 2003. Relativamente à versão anterior (Excel 2003), o novo programa introduz inúmeras

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 2 Introdução aos aplicativos Java Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 2.1 Introdução Programação de aplicativo Java. Utilize as ferramentas do JDK para compilar

Leia mais