MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA"

Transcrição

1 MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA CLIENTE: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS- DR/PE CNPJ / LOCAL: AVENIDA GUARARAPES Nº250-SANTO ANTÕNIO RECIFE-PE. PROJETO: NOVA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA /380/220V DE 1500KVA E GRUPO GERADOR DE ENERGIA ELÉTRICA DE 500kVA OBRA: AMPLIAÇÃO DE CARGA DO EDIFICIO SEDE - RECIFE RECIFE, MAIO DE 2012 Página 1 de 9

2 SUMÁRIO 1. RAMAL DE ENTRAD A 2. POSTO DE TRANSFORMAÇÃO (SUBESTAÇÃO) 3. PROTEÇÃO 4. MEDIÇÃO 5. ADICIONAIS 6. ANEXOS Página 2 de 9

3 MEMORIAL DESCRITIVO DE PROJETO DE NOVA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DE /380/220V 1500kVA E GRUPO GERADOR DE 500 kva PROPRIETÁRIO: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E ELÉGRAFOS FINALIDADE: O presente documento de Memorial Descritivo e Especificações Técnicas visam descrever os procedimentos e equipamentos do projeto de nova subestação, para atender acréscimo de carga, do edifício sede dos Correios DR/PE LOCALIZAÇÃO: Avenida Guararapes nº 250 Santo Antônio Recife - PE 1.0 RAMAL DE ENTRADA A Entrada de Energia será na tensão de 13,8 kv, através de 01 alimentador, a partir do ponto de entrega da Celpe a ser instalado no poste MT-Celpe 2N3-300/12 barramento UO13765, existente na Rua Siqueira Campos - Santo Antônio - Recife - PE. Os cabos de entrada serão unipolar 3 x 35 mm², classe de tensão 12/20 kv, encordoamento classe 2, isolamento EPR ou XLPE/90 e deverão ter reserva de 1 a 2m nas caixas de passagem.. Os condutores do ramal de entrada serão protegidos por um eletroduto de ferro galvanizado pesado de Ø 100 mm na descida do poste, e por dois eletrodutos PVC no trecho subterrâneo de Ø 100 mm, sendo um eletroduto reserva. As tubulações de entrada, no trecho subterrâneo, serão instaladas a uma profundidade mínima de 0,80 m do nível do solo com declividade mínima de 1%. Após a passagem dos cabos, os eletrodutos deverão ser vedados com massa apropriada nas extremidades (caixas de passagem), com exceção das curvas em PVC instaladas junto à base do poste da Concessionária. 2.0 POSTO DE TRANSFORMAÇÃO (SUBESTAÇÃO) O posto de transformação será de tipo abrigado, localizado no subsolo do edifício, com as seguintes características físicas: teto em laje de concreto armado com acabamento e pintado na cor branca; pé direito de 2,70 m; paredes em alvenaria com acabamento e pintadas na cor branca; piso em cimento queimado. A reforma pretendida consiste em: alteração da arquitetura atual, disponibilizando área de 135 m² para o recinto da nova SE; no revestimento das paredes em cerâmica; e na construção do piso do recinto em granilite, elevado 18 cm em relação ao piso do subsolo. Página 3 de 9

4 No recinto da SE serão disponibilizados 03 espaços, com bases em concreto para suportar o peso dos transformadores; 05 espaços para cubículos de MT, e 04 espaços para painéis de BT, sendo previsto 01 espaço de reserva para cada tipo de equipamento (transformador/cubículo/painel). 2.1 TRANSFORMADORES 1 E 2 (CARACTERÍSTICAS) Potência 750 kva Tensão Secundária 380/220 V Freqüência 60 Hz Tensão Primária 13800/12000/11400 V Ligação Delta/Estrela Neutro Solidamente aterrado Refrigeração A seco, isolado em epóxi Impedância 4,5% 2.2 CÁLCULO DE DEMANDA Carga Instalada: a)iluminação e tomadas (uso geral e específico) W b) tomadas de rede estabilizada W c) Aparelhos de climatização W d) Elevadores W e) Outros W Previsão de acréscimo de carga para os próximos cinco anos: Aparelhos de Climatização W Carga total W Conforme a norma Celpe SM (página 39 item 25), orienta, adotamos fator de demanda F d = 0,92 (F d max para atividades: Telegrafia, Telefones e Correios), então temos: Potência total demandada = carga total x fator de demanda= W x 0,92 = ,24W (1.295,77 kw) Demanda = Potência total ( kw)/ fator de potência = 1.295,77 kw/ 0,92 = 1.408,44kVA Página 4 de 9

5 Então optou-se por instalar 02 (dois) transformadores de 750 KVA, garantindo reserva de carga para futuras ampliações. 2.3 CUBÍCULOS DE MÉDIA TENSÃO Serão utilizados cubículos modulares compartimentados de dimensões compactas para as seguintes funções: O 1º cubículo destina-se à entrada dos cabos de MT e dos equipamentos para o conjunto de medição em MT através de 03 transformadores de corrente (TC s) classe de isolamento 15KV, classe de precisão 0,3 - relação 300/5 - uso interno, e 03 transformadores de potencial (TP S), de 13800/115 V, classe de isolamento 15KV, classe de precisão 0,3 - relação 120/1, uso interno, fornecidos e instalados pela Celpe e a seu critério; O 2º cubículo à proteção geral da subestação; o 3º cubículo, à transição de barras; o 4º e 5º cubículos ao seccionamento; com previsão de espaço reserva para mais um cubículo; Os cabos de MT para alimentação dos transformadores, procederão das seccionadoras dos cubículos três e quatro, via leitos metálicos de 200mm x 19mm, fixados à laje, até a descida de cada transformador. 2.4 PAINÉIS DE BAIXA TENSÃO Serão instalados 04 painéis de Baixa Tensão (conjunto tipo armário), para as seguintes funções: o 1º painel; Quadro Transferência Automática do sistema Celpe/gerador (QTA); O 2º e 4º painéis; alimentadores dos quadros de distribuição do prédio (QGBT s); o 3º painel, locação dos bancos de capacitores. Serão relocados para junto destes painéis, o quadro alimentador do 6º andar e o quadro alimentador das salas de máquinas dos elevadores. As principais características técnicas dos cubículos/painéis encontram-se anexas a este memorial (Anexos 6.1 e 6.2). 3.0 PROTEÇÕES 3.1 PROTEÇÃO CONTRA SOBRETENSÃO Serão instalados no poste de derivação 03 pára-raios tipo polimérico, classe de tensão 15kV, Tensão nominal 12KV, corrente de curto mínima 10KA, solidamente aterrados através de cabo de cobre nú de 25mm² e haste de aterramento do tipo copperweld de16mm x 2400mm, (conexão por solda exotérmica). Será instalado relé de sobre tensão (59) com trip no disjuntor geral de MT, e DPS no secundário (rede de BT), na saída do disjuntor geral de BT de cada painel distribuidor. 3.2 PROTEÇÃO CONTRA CURTO-CIRCUITO Serão instalados no poste de derivação (PDE), pela Concessionária, 03 chaves fusíveis de instalação ao tempo, base C, de tensão máxima 15kV, corrente nominal 300A; e porta fusível com corrente nominal de 100A, capacidade de interrupção 10kA. 3.3 PROTEÇÃO GERAL DA SUBESTAÇÃO (SOBRECORRENTE) Será instalado disjuntor tripolar a vácuo, contido em cubículo de MT, com: desligamento automático; intertravamentos; classe de tensão 15kV; corrente nominal mínima 350A; capacidade de interrupção simétrica de 350MVA; freqüência de 60Hz, equipado com TC s e relés de proteção secundários fase e neutro a tempo inverso Página 5 de 9

6 com dispositivos de ação instantânea, com funções 50/50N e 51/51N, desprovido da bobina de mínima; 3.4 PROTEÇÃO NA BAIXA TENSÃO (SOBRECORRENTE) Será instalado, nos painéis de BT, disjuntor geral termomagnético em caixa moldada, de 1250 A ajustável, limitada à capacidade de condução dos cabos, 380 V / 25kA mínimo 3.5 PROTEÇÃO MECÂNICA As partes energizadas serão protegidas por grade emoldurada por cantoneira L de ferro galvanizado de 1.1/4 x 1.1/4 x 3/16, e tela com malha de 13 mm confeccionadas com arame galvanizado 12BWG ferro; As janelas existentes, para ventilação natural do ambiente da subestação, serão protegidas por grades, emolduradas por cantoneira L de ferro galvanizado, de 1 ¼ x 1 ¼ x 3/16 e tela com malha de 13 mm confeccionadas com arame galvanizado 12 BWG, O acesso ao recinto da subestação será possível por 02 portas; a saber: a porta do próprio recinto com 02 folhas de 1,0m x 2,10m e pela porta do recinto do grupo gerador com 02 folhas de 1,2m x 2,10m, construídas em grade de ferro galvanizado com meia bandeira de chapa de zinco galvanizado, altura de 1,0m do piso e o restante do vão em tela de 13 mm de arame galvanizado 12 BWG e moldura de ferro galvanizado em cantoneira L de 1 ¼ x 1 ¼ x 3/16, As portas deverão abrir para fora e ter fixadas placas com a inscrição Perigo de Morte Alta Tensão, assim como, cadeado padrão da Concessionária 4.0 MEDIÇÃO A medição de energia será em MT do tipo horo-sazonal azul, utilizando 01 cubículo para locação de TC s e TP s, com saída para 01 caixa de medição modelo F5 uso interno, padrão CELPE, de dimensões 550mm (largura) x 700mm (altura) x 300mm (profundidade), instalada a uma altura de 1,60m entre o piso acabado e a face frontal (visor) da caixa. Para interligação entre o secundário dos transformadores de medida e a caixa de medição serão instalados 12 fios rígidos, isolação 750 V/70ºC, de 4,0 mm², protegidos por eletroduto de fero galvanizado de Ø 25mm (Instalação aparente junto ao piso). Os equipamentos de medição de energia como transformadores de potencial e corrente, assim como o medidor, serão fornecidos e instalados pela Concessionária. Será disponibilizado um ponto de dados para tele medição 5.0 ADICIONAIS 5.1 GRUPO GERADOR Será instalado gerador próprio, de 500kVA, para suprimento de cargas que não podem sofrer interrupção de energia em eventuais faltas da Concessionária. O equipamento será monitorado por quadro de transferência automático (QTA), o qual é Página 6 de 9

7 provido de intertravamento elétrico e mecânico para excluir a possibilidade de paralelismo com a rede da concessionária, detalhe que será apresentado no projeto da subestação (diagrama uinifilar). O recinto do grupo gerador tem área de 64m² com com 01 janela de 3,47m² para ventilação e iluminação natural, e exaustão forçada. 5.2 ATERRAMENTO Pela inviabilidade do local da subestação (Sub-Solo) Será instalada, na área externa (calçada da Rua Siqueira Campos), uma malha de aterramento acessível por uma caixa de inspeção de 300 mm x 300 mm x 400 mm e constituída de 05 hastes de aterramento do tipo copperweld de 16mm x 2400mm, dispostas em linha reta e interligadas por cabo de cobre nu de 50mm², instalado em vala com profundidade míniima 0,5m, sendo as conexões cabo haste através de solda exotérmica, aplicando nesse ponto massa de calafetar. No interior da subestação será instalado, em todo perímetro, cabo de cobre nu de 50mm², fixado nas paredes (contornando as portas de acesso da SE), ao qual devem ser conectadas, através de cabo de cobre nu de 25mm² e conectores apropriados, todas as estruturas metálicas não destinadas à condução de corrente elétrica, bem como o neutro de cada trafo (esquema de aterramento TN-S) Este anel bem como a malha externa serão interligados por cabo de cobre nu de 50mm², à barra de aterramento principal (BAP), instalada no interior da subestação, para equipotencialização. A resistência da malha não deverá ser superior a 10 ohms. O projeto da malha encontra-se anexo a este memorial (Anexo 6.3). 5.3 CABOS DE BAIXA TENSÃO Na saída de baixa tensão dos transformadores serão utilizados cabos com isolamento 0,6/1kV XLPE/EPR 90º, classe de encordoamento 5, acomodados em leito metálico de 400mm x 19mm, na saída de cada trafo e de 700mm x 19mm na convergência das saídas dos dois trafos, fixadas à laje até os painéis de baixa tensão. Para atender a corrente de saída dos transformadores que é de 1141A, serão utilizados 04 cabos de 120mm² para cada condutor fase e cada condutor neutro, e 02 cabos de 120mm² para o terra. As conexões nos bornes dos trafos e nos pólos do disjuntor geral deverão ser feitas através de terminal maciço de compressão. 5.4 CONEXÕES Todas as conexões dos condutores aos barramentos de neutro e terra em BT deverão ser através de terminal a compressão, e parafusos sextavados com porcas e arruelas de cobre ou latão. A conexão dos cabos de alimentação da subestação em MT será feita através de cubículo de Entrada/medição, utilizando terminais contráteis. 5.5 MUFLAS INTERNAS E EXTERNAS Serão instaladas 4 muflas terminais, contráteis a frio, sem saia para uso interno e com saia para uso externo, para cabo de 35mm², tensão de isolamento 15KV. A fixação dos suportes das muflas será em cruzeta de concreto de 1200 mm. Página 7 de 9

8 5.6 BANCO DE CAPACITORES Serão instalados, no 3º painel de BT, bancos de capacitores com comando automático, para correção do fator de potência da instalação 5.7 CAIXAS E DE PASSAGEM INSPEÇÃO Serão instaladas caixas de passagem e inspeção em alvenaria para média tensão, com dimensões mínimas de 1000 mm x 1000 mm x 1200 mm, padrão Celpe. 5.8 CHAVE DA SUBESTAÇÃO Será instalada próxima à porta de acesso da subestação, a altura de 1,80 m, uma caixa metálica de dimensões 100mm x 100mm x 50mm, com visor, para guarda da chave reserva de abertura da subestação em caso de emergência. 5.9 ILUMINAÇÃO NATURAL E ARTIFICIAL, E DE EMERGÊNCIA Para iluminação artificial, do recinto da SE, serão instaladas 15 luminárias do tipo sobrepor em chapa de aço tratado e acabamento em pintura eletrostática, de 2 x 32W, com lâmpadas fluorescentes e reator eletrônico, sendo 10 na área de transformação e 05 na sala do gerador. O circuito de alimentação das luminárias deve proceder do grupo gerador. A iluminação natural será garantida através de 04 janelas com área total de 13,19m 2, sendo 03 na área de transformação e 01 na sala do gerador. Serão instalados 06 blocos autônomos para iluminação de emergência com autonomia mínima e 02 horas 5.10 VENTILAÇÃO A ventilação natural será garantida através de 04 janelas, sendo 03 na área de transformação com 9,72m² e 01 na sala do gerador com área de 3,47m² 5.11 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO Serão instalados 01 extintor de Pó químico de 12 kg na porta de acesso da subestação, e 01 de CO 2 de 6,0 kg na entrada da sala do gerador PLACAS DE ADVERTÊNCIA Nas portas de acesso a SE serão afixadas placas de advertência com os dizeres Perigo de Morte Alta Tensão, conforme padrão Celpe CAIXA PARA PRONTUÁRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NR 10 Deverá ser instalada junto ao quadro de medição a altura de 1,40m do piso acabado, caixa para contenção da documentação técnica da subestação, com dimensões de 250mm x 35mm x 80mm, visor de vidro ou acrílico transparente, confeccionada em chapa metálica com tratamento e pintura e provida de fechadura tipo cadeado,conforme recomenda a NR O PROJETO EM APRESENTAÇÃO É COMPOSTO DE: Página 8 de 9

9 Memorial Descritivo Planta 01/06 Locação e Situaçãoo. Planta 02/06 Planta baixa da Subestação Planta 03/06 Planta dos cortes AB, CD, EF e Gradil de Proteção Planta 04/06 Planta dos cortes GH, IJ, KL e Gradil de Proteção Planta 05/06 Detalhe do PDE e caixa de inspeção Planta 06/06 Diagrama unifilar ELABORADO CONFORME NORMAS ABNT: NBR 14039, NBR 5410, NBR 14136, NBR NORMA CELPE: SM ANEXOS 6.1 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DOS CUBÍCULOS DE MT 6.2 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DOS PAINÉIS DE BT 6.3 PROJETO DE MALHA DE ATERRAMENTO 6.4 ESTUDO DE COORDENAÇÃO DE PROTEÇÃO Recife, 21 de maio de João Roque Xavier Eng. Civil e Eletricista CREA 4624 D/PE Responsável Técnico Página 9 de 9

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE 750kVA DESTINADA AO PRÉDIO DA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DE PERNAMBUCO, SITUADO NO MUNICÍPIO DE RECIFE NO ESTADO DE PERNAMBUCO. MEMORIAL DESCRITIVO 1. FINALIDADE:

Leia mais

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO OBRA: SUBESTAÇÃO 500KVA PROPRIETÁRIO: TRT TRIBUNAL REGIONALDO TRABALHO 12ºREGIÃO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. EMERSON CESAR PADOIN PADOIN ENGENHARIA E PROJETOS LTDA MEMORIAL

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO MATERIAL CÂMARA TRANSFORMADORA Unid. Quant. V. unit.r$ V. TotalR$ Placa de

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO.

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO. OBRA: COL. EST. RESIDENCIAL SÃO PEDRO - PROJETO PADRÃO SECULO XXI. LOCAL: - Rua Tucunaré com Rua Pacu e Avenida Astolpho Leão Borges APM-05, Residencial São Pedro Goianira - GO ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.009 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado.

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado. NT.005 Requisitos Mínimos para Interligação de Gerador de Consumidor Primário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento e

Leia mais

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de BOMBINHAS Secretaria de Educação CEIT BOMBINHAS PROJETO

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de BOMBINHAS Secretaria de Educação CEIT BOMBINHAS PROJETO Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de BOMBINHAS Secretaria de Educação CEIT CENTRO EDUCAÇÃO INTEGRAL TECNOLÓGICA BOMBINHAS MEMORIAL DESCRITIVO SUBESTAÇÃO DE ENERGIA PROJETO CENTRO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO 1. GENERALIDADES 1.1 O projeto refere-se às instalações elétricas do empreendimento comercial localizado

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-002 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-002 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-002 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA APROVAÇÃO Júlio César Ragone Lopes Diretor Corporativo de Engenharia e Construção DCEC Grupo Energisa Gioreli

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA DO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS 1 INDICE 1 OBJETIVO 2 NORMAS APLICÁVEIS 3 GENERALIDADES 4 METODOLOGIA 5 MEDIÇÕES DE GRANDEZAS

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4 ª 05/12/2011 4.8.7.18 - Placa de identificação de subestação abrigada.

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4 ª 05/12/2011 4.8.7.18 - Placa de identificação de subestação abrigada. Processo Realizar Novas Ligações Atividade Código Edição Data SM04.00-00.03 7ª Folha 1 DE 48 26/08/2014 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior 1ª 06/11/2007 Edição

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CADASTRO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.DT.PDN.03.14.001 03 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA E CADASTRO (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

NORMA DE FORNECIMENTO

NORMA DE FORNECIMENTO NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA REVISÃO: JULHO/2014 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 CAMPO DE APLICAÇÃO 3 DEFINIÇÕES 3.1 - Aterramento 3.2 - Caixa de Barramentos 3.3 - Caixa de Medição 3.4 - Carga Instalada

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.008. Página 1 de 24. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.008. Página 1 de 24. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 4 NOTA TÉCNICA 6.008 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA COM INTERRUPÇÃO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS BALNEÁREO CACHOEIRA GRANDE Goiás GO Revisão Data Emissão Elaboração Aprovação Descrição 0 20/03/13 A RODRIGO Emissão inicial Emissão (A) Para aprovação (D)

Leia mais

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com Projeto Elétrico Padrão de Medição, fornecimento de energia em tensão primária 13.8kV, a partir da rede aérea de distribuição para atender Defensoria Pública do Estado da Paraíba. Responsavel Técnico:

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas Trifásicas com Transformadores 6.1. Estrutura M1 com Transformador 6.2.

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-002 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-002 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-002 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA NDU-002 CENF / CELB / CFLCL / ENERGIPE / SAELPA VERSÃO 1.0 MARÇO/2006 ÍNDICE Item Página 1. INTRODUÇÃO... 1 2.

Leia mais

ENTRADA DE ENERGIA PARA PRÉDIOS DE MÚLTIPLAS UNIDADES AES SUL - CEEE

ENTRADA DE ENERGIA PARA PRÉDIOS DE MÚLTIPLAS UNIDADES AES SUL - CEEE ENTRADA DE ENERGIA PARA PRÉDIOS DE MÚLTIPLAS UNIDADES AES SUL - CEEE 1 LIMITES DE FORNECIMENTO Tensão secundária de distribuição Ligações individuais com carga instalada até 75kW. Edificações de múltiplas

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

TÉCNICA NTE - 014 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

TÉCNICA NTE - 014 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO NORMA TÉCNICA NTE - 014 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Cuiabá Mato Grosso - Brasil APRESENTAÇÃO...3 1-OBJETIVO...4 2-AMPLITUDE...4 3-RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...4

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO - NTE 014 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO. Cuiabá Mato Grosso - Brasil

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO - NTE 014 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO. Cuiabá Mato Grosso - Brasil NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO - NTE 014 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Cuiabá Mato Grosso - Brasil SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...3 1-OBJETIVO...4 2-AMPLITUDE...4 3-RESPONSABILIDADE

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4 ª 05/12/2011 4.8.7.18 - Placa de identificação de subestação abrigada.

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4 ª 05/12/2011 4.8.7.18 - Placa de identificação de subestação abrigada. Processo Realizar Novas Ligações Atividade Código Edição Data SM04.00-00.03 5ª Folha 1 DE 46 30/11/2012 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior 1ª 06/11/2007 Edição

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título PARALELISMO MOMENTÂNEO DE GERADOR COM O SISTEMA PRIMÁRIO DE DISTRIBUIÇÃO ATÉ 25 kv, COM OPERAÇÃO EM RAMPA Código NTD-00.024 Data da emissão 05.11.2009 Data da última

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA E INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA E INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO INSTRUÇÃO DE CÓDIGO TÍTULO VERSÃO IT.DT.PDN.03.14.011 INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO 1 MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO CLIENTE: OBRA: LOCAL: BNDES RETROFIT DESUL AV. JUSCELINO KUBITSCHEK,

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO Instalação Nobreak 60 KVA - 380 V PROPRIETÁRIO: Procuradoria Geral de Justiça. 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO DADOS DO PROPRIETÁRIO

Leia mais

NT 6.010. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Elio Vicentini Ermínio Belvedere João Martins.

NT 6.010. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Elio Vicentini Ermínio Belvedere João Martins. NT 6.010 Requisitos Mínimos Para Interligação de Gerador de Consumidor Secundário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS No caso das instalações elétricas existentes nos espaços não comportarem a carga elétrica a ser ligada pelo evento, é necessário que a Contratante apresente os documentos e respeite as condições mínimas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO SPDA. Índice

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO SPDA. Índice MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO SPDA Índice 1 Introdução 2 Local da Obra 3 Normas 4 Malha de Aterramento 5 Equipamento e Materiais 6 Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas 7 Cálculo dos Elementos

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR Tel.: (021) 2583 6737 Fax.: (021) 2583 6737 Cel.: (021) 9159 4057 dsp@dsp-rj.com.br 1 / 9 Sumário 1 OBJETIVO... 3 2- NORMAS APLICÁVEIS...

Leia mais

SUBESTAÇÃO 150KVA SEC. DE SAÚDE DO ESTADO DO CE. SESA

SUBESTAÇÃO 150KVA SEC. DE SAÚDE DO ESTADO DO CE. SESA Memorial descritivo e de cálculo SUBESTAÇÃO 150KVA SEC. DE SAÚDE DO ESTADO DO CE. SESA 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2. IDENTIFICAÇÃO 3. CARACTERÍSTICAS DA SUBESTAÇÃO 4. PROJETO ELÉTRICO 4.1. MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Workshop Etapa BRASÍLIA CEB CEB 01 UPS 150 kva IGBT/IGBT BASEADO NAS INFORMAÇÕES DO DIAGRAMA UNIFILAR APRESENTADO, DEFINIR: 1 - Corrente nominal

Leia mais

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade)

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade) PROJETO ELÉTRICO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA BAHIA CEFET - BA MEMORIAL DESCRITIVO Este projeto visa a unificação de medição de média tensão, reforma da subestação II e instalação de alimentadores

Leia mais

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT.

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. DIRETORIA TÉCNICA DEPARTAMENTO COMERCIAL DIVISÃO DE MEDIÇÃO ADENDO 02 Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. Florianópolis, agosto de 2005.

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NDU-010 VERSÃO 3.1 JUNHO/2013 SUMÁRIO Item Descrição Classe Desenho 1. Haste de Aço-Cobre para Aterramento...

Leia mais

INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA

INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA 1. OBJETIVO Este tem como objetivo estabelecer parâmetros a serem considerados na inspeção de Subestação de Entrada de Energia, na área de concessão da EDP Bandeirante para novas instalações, bem como

Leia mais

SUBESTAÇÃO 300KVA SEC. DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO CE. SEDUC

SUBESTAÇÃO 300KVA SEC. DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO CE. SEDUC Memorial descritivo e de cálculo SUBESTAÇÃO 300KVA SEC. DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO CE. SEDUC 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2. IDENTIFICAÇÃO 3. CARACTERÍSTICAS DA SUBESTAÇÃO 4. PROJETO ELÉTRICO 4.1. MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS 4EN 2013/1 SOLIVAN ALTOÉ SISTEMA ELÉTRICO CONCEITOS BÁSICOS SISTEMA ELÉTRICO CONCEITOS BÁSICOS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Transmissão de energia elétrica A tensão elétrica

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020 NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU - 020 EXIGÊNCIAS MÍNIMAS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA ENERGISA COM PARALELISMO MOMENTÂNEO SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-104/2010 R-03

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-104/2010 R-03 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA /2010 R- FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO A presente Decisão Técnica R substitui a R02 e visa estabelecer instruções técnicas para

Leia mais

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição NORMA. Junho/2008 NORMA NC.02

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição NORMA. Junho/2008 NORMA NC.02 Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição NORMA NORMA NC.02 NC.02 Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição - CERVAM Cooperativa de Energização e de

Leia mais

2.0 - MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

2.0 - MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Pg 2/59 2.0 - MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO 2.1 - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 2.1.1 INSTALAÇÃO DE REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBILCA DO ACESSO A CIDADE DE CAICÓ, PELA BR 427 E MELHORIA DA QUALIDADE DA REDE DE ILUMINAÇÃO

Leia mais

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO OBJETO: Contratação de empresa c/ Tradição no Ramo (trabalha de forma especializada) p/ Locação e Execução (Instalação, Montagem, Manutenção, Operacionalização e Desmontagem)

Leia mais

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples CONCURSO DE ADMISSÃ ÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 2009 1 a QUESTÃO Valor: 1,0 3m 02 g 3m 3m 4m 3m e 6m 4m 6m 6m d 4m 4m 02 02 02 4m 02 S g f 4m S S f e 4m c S d WS ab

Leia mais

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Múltiplas Unidades Consumidoras do Programa Minha Casa Minha Vida com Telemedição Processo Atividade Realizar novas ligações Executa ligação BT Código

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Elaboração dos projetos elétricos da REFORMA DA SEDE DA CERON PORTO VELHO-RO

MEMORIAL DESCRITIVO. Elaboração dos projetos elétricos da REFORMA DA SEDE DA CERON PORTO VELHO-RO MEMORIAL DESCRITIVO 1 OBJETIVO Elaboração dos projetos elétricos da REFORMA DA SEDE DA CERON PORTO VELHO-RO 2 PROJETO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 3 - COMENTÁRIOS GERAIS O presente memorial visa descrever

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROJETOS ELÉTRICOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROJETOS ELÉTRICOS CAGECE - COMPANHIA DE ÁGUA E ESGOTO DO CEARÁ DPC DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE GPROJ GERENCIA DE PROJETOS TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROJETOS ELÉTRICOS TR 00/R3 REVISÃO JAN/2011 APRESENTAÇÃO O presente

Leia mais

Canoas, 20 de julho de 2010.

Canoas, 20 de julho de 2010. PROJETO DE SUBESTAÇÃO TRANSFORMADORA ABRIGADA DE 112,5 KVA COM RAMAL DE ENTRADA SUBTERRÂNEO E MEDIÇÃO INDIRETA EM FORNECIMENTO DE TENSÃO PRIMÁRIA DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA. LOTEAMENTO CAPRI RUA DR.

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA.

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS DE ISOLAÇÃO COM BLINDAGEM APLICAÇÃO Os transformadores monofásicos de isolação com blindagens, magnética e eletrostática, foram desenvolvidos

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL PRESIDENTE VARGAS ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO ELÉTRICO

ESCOLA MUNICIPAL PRESIDENTE VARGAS ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO ELÉTRICO ESCOLA MUNICIPAL PRESIDENTE VARGAS ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO ELÉTRICO SUMÁRIO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS...3 APRESENTAÇÃO...3 DADOS BÁSICOS E NORMAS TÉCNICAS...3 SUPRIMENTO DE ENERGIA...3 ENTREGA

Leia mais

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº DELIBERAÇÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DE PUBLICAÇÃO 01 29/07/2014 01/08/2014 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI DTESES SUMÁRIO 1. OBJETIVO...

Leia mais

CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA

CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA ROMAGNOLE Produtos Elétricos S.A. 1 2 ROMAGNOLE Produtos Elétricos S.A. A energia é o núcleo dos acontecimentos,

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 CANTEIRO DE OBRAS 1.1.1 Construção provisória em madeira -

Leia mais

01 / 08 / 2005 01 / 08 / 2008 GEPEX

01 / 08 / 2005 01 / 08 / 2008 GEPEX Título: FORNECIMENTO DE E. E. EM MÉDIA TENSÃO 15 KV NT - 05.002.00 1 de 103 ÍNDICE 1 FINALIDADE... 5 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 5 3 REFERÊNCIAS... 5 4 DEFINIÇÕES... 5 4.1 Aterramento... 5 4.2 Cabine de Medição...

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. ASPECTOS GERAIS... 2 3. EXCEÇÕES... 2 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 9 Divisão da Instalação em Circuitos Porto Alegre - 2012 Tópicos Quadros de distribuição Disjuntores Divisão da instalação elétrica

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ASPECTOS GERAIS... 1 3. EXCEÇÕES... 1 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

APLICAÇÃO DE SISTEMA TELEMEDIÇÃO EM UNIDADES CONSUMIDORAS ALIMENTADAS POR REDES SUBTERRÂNEAS CASO PRAIA DO PAIVA

APLICAÇÃO DE SISTEMA TELEMEDIÇÃO EM UNIDADES CONSUMIDORAS ALIMENTADAS POR REDES SUBTERRÂNEAS CASO PRAIA DO PAIVA APLICAÇÃO DE SISTEMA TELEMEDIÇÃO EM UNIDADES CONSUMIDORAS ALIMENTADAS POR REDES SUBTERRÂNEAS CASO PRAIA DO PAIVA Jose A. Lopes, Marcelo A. X. Lima, CELPE, Brasil, Jose.lopes@celpe.com.br, marcelo.lima@celpe.com.br

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-02 CAPÍTULO TÍTULO PÁGINA 1. GERAL ÍNDICE INTRODUÇÃO... 1 1 1 Objetivo... 1 2 2 Terminologia... 1 2 2. CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

FORNECIMENTO DE ENERGIA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO 1 FORNECIMENTO DE ENERGIA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO 2 1. INTRODUÇÃO 1.1. Objetivo A presente Norma Técnica tem por objetivo estabelecer os padrões da entrada de serviço de energia elétrica das

Leia mais

PAINÉIS COMPACTOS DE MÉDIA TENSÃO SÉRIE BEPAC MINISYS

PAINÉIS COMPACTOS DE MÉDIA TENSÃO SÉRIE BEPAC MINISYS PAINÉIS COMPACTOS DE MÉDIA TENSÃO SÉRIE BEPAC MINISYS IND. E COM. S./A MATRIZ Rua Cantagalo, 2187-03319-901 - Tatuapé - São Paulo - SP Fone: (011) 2942-4500 - Fax: (011) 2294-9371 - ligação gratuíta -

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA 1 1.1 ITEM DISCRIMINAÇÃO UNID QUANT P.UNIT.S/ BDI P.UNIT.C/ BDI ITEM S/ BDI ITEM C/BDI 1.1.1 Limpeza do terreno m2 24,99 1,84 2,37 45,98 59,23 1.1.2 Locação da obra m2 24,99 4,56 5,87 113,95 146,69 1.2

Leia mais

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição Norma 05/2014 NORMA ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejamento e Operação

Leia mais

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES Prezado cliente, índice Bem-vindo à GVT. Agora sua empresa conta com soluções inovadoras de voz, dados e Internet com o melhor custo-benefício. Para garantir a qualidade dos serviços e aproveitar todos

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

www.cpsol.com.br LAUDO TÉCNICO ELÉTRICO

www.cpsol.com.br LAUDO TÉCNICO ELÉTRICO LAUDO TÉCNICO ELÉTRICO 1. APRESENTAÇÃO Em cumprimento às Normas Regulamentadora NR10 INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE e NBR5410 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO, apresentamos as verificações

Leia mais

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Solução Integrada para Instalações em Alvenaria O kit de entrada em média tensão VBWK

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA 13,8 kv

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO DE DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA 13,8 kv T Í T U L O NORMA DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO VERSÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DA VIGÊNCIA R1 I - GPC 11/04/2014 16/04/2014 CONTROLE DE REVISÃO Data Responsáveis Descrição 11/04/2014 Elaboração: Eng. Alberto J.

Leia mais

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensões Secundária e Primária 15 kv

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensões Secundária e Primária 15 kv Fornecimento de Energia Elétrica em Tensões Secundária e Primária 15 kv Fornecimento de Energia Elétrica em Tensões Secundária e Primária 15 KV NORTEC01 Capítulo Descrição Página 1 Finalidade 01 2 Âmbito

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-02 CONTROLE DE VERSÕES NTD 02- FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA Nº.: DATA VERSÃO 01 09/2001 Revisão 4 02 05/2010

Leia mais

Realizar Novas Ligações. Executar Ligação AT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar Novas Ligações. Executar Ligação AT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Paralelismo Momentâneo de Gerador com o Sistema de Distribuição com Processo Atividade Realizar Novas Ligações Executar Ligação AT Código Edição Data SM04.08-00.005 2ª Folha 1 DE 10 11/11/2010 HISTÓRICO

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO S istema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº APROVAÇÃO DATA DATA DA VIGÊNCIA 01 18/11/2013 22/11/2013 ENGENHARIA E SISTEMAS TÉCNICOS (DTESES) MARCELO POLTRONIERI DTESES SUMÁRIO 1. RESUMO...

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TRANSITO DE GOIAS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS.

DEPARTAMENTO DE TRANSITO DE GOIAS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS. MEMORIAL DESCRITIVO DEPARTAMENTO DE TRANSITO DE GOIAS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS. 1 I INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE GOIÁS. 1.0 - DADOS BÁSICOS: 1.1 - Edifício: Prédio

Leia mais

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda.

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Confiança e economia na qualidade da energia. Recomendações para a aplicação de capacitores em sistemas de potência Antes de iniciar a instalação,

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019 NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU 019 EXIGÊNCIAS MÍNIMAS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA ENERGISA COM PARALELISMO PERMANENTE SUMÁRIO 1.INTRODUÇÃO...

Leia mais

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES A descrição das atividades tem como propósito facilitar o relacionamento entre a CONTRATANTE e a CONTRATADA, na medida em que visa

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO UNESP CAMPUS DE FRANCA/SP

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO UNESP CAMPUS DE FRANCA/SP LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO UNESP CAMPUS DE FRANCA/SP 1 INDÍCE 1 - OBJETIVO 2 - NORMAS APLICÁVEIS 3 - GENERALIDADES

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 7 Simbologia de Projetos Elétricos Porto Alegre - 2012 Tópicos Projeto de instalações elétricas prediais Simbologia para instalações

Leia mais

SUMÁRIO. N.Documento: Categoria: Versão: Aprovado por: Data Publicação: Página: 119 Procedimento 2.2 Paulo Ricardo Bombassaro 30/09/2008 1 de 147

SUMÁRIO. N.Documento: Categoria: Versão: Aprovado por: Data Publicação: Página: 119 Procedimento 2.2 Paulo Ricardo Bombassaro 30/09/2008 1 de 147 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. CAMPO DE APLICAÇÃO 4. DEFINIÇÕES 4.1- Cabine Mista 4.2- Caixa de Disjuntores das Unidades Consumidoras 4.3- Caixa de 4.4- Caixa de Proteção e Manobra 4.5- Carga Instalada

Leia mais

No DATA DISCRIMINAÇÃO DA REVISÃO REVISOR APROVAÇÃO

No DATA DISCRIMINAÇÃO DA REVISÃO REVISOR APROVAÇÃO PADRÃO DE MEDIÇÃO AGRUPADA DE CLIENTES EM BAIXA TENSÃO Diretoria Técnica Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras PADRÃO DE M EDIÇÃO AGRUPADA DE CLIENTES EM BAIXA TENSÃO No

Leia mais

Projeto Elétrico. Sistema de Abastecimento de Água. Volume III. Rede de Água do Residencial Minha Casa. Minha Vida - Pacatuba/CE

Projeto Elétrico. Sistema de Abastecimento de Água. Volume III. Rede de Água do Residencial Minha Casa. Minha Vida - Pacatuba/CE Projeto Elétrico Volume III Sistema de Abastecimento de Água Rede de Água do Residencial Minha Casa Minha Vida - Pacatuba/CE Outubro / 2012 1 I. Apresentação 4 Dados da Obra 5 Localização da Obra 5 Estrutura

Leia mais

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822 LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA N O 21/2015 1. Informações gerais sobre o local da vistoria: Imóvel sito a rua Jornalista Irineu Marinho nº 441 Icaraí Niterói RJ Nome do Condomínio: Edifício Luanda CNPJ/MP:

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃO NOR TDE 118

MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃO NOR TDE 118 MANUAL TÉCNICO DE DISTRIBUIÇÃO NOR TDE 118 ATENDIMENTO A EDIFÍCIO DE USO COLETIVO ATRAVÉS DE CÂMARAS DE TRANSFORMAÇÃO DIRETORIA OPERACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DE ENGENHARIA DA DISTRIBUIÇÃO GERÊNCIA DE PROJETOS

Leia mais

Á RIO GRANDE ENERGIA S/A DIVISÃO DE SERVIÇOS DA DISTRIBUIÇÃO REGIONAL CENTRO PASSO FUNDO - RS DADOS BÁSICOS:

Á RIO GRANDE ENERGIA S/A DIVISÃO DE SERVIÇOS DA DISTRIBUIÇÃO REGIONAL CENTRO PASSO FUNDO - RS DADOS BÁSICOS: Á RIO GRANDE ENERGIA S/A DIVISÃO DE SERVIÇOS DA DISTRIBUIÇÃO REGIONAL CENTRO PASSO FUNDO - RS DADOS BÁSICOS: Projeto nº. 59 / 2013 Nome: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado da Bahia. Criado e mantido pelos Empresários do Comércio de Bens, Serviços e Turismo

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado da Bahia. Criado e mantido pelos Empresários do Comércio de Bens, Serviços e Turismo CONVITE N. 44/2012 MEMORIAL DESCRITIVO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA REALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE AJUSTES E CORREÇÕES EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DO SESC COMÉRCIO, PARA INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS DE

Leia mais

CELG DISTRIBUIÇÃO S.A. INSTRUÇÃO TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO

CELG DISTRIBUIÇÃO S.A. INSTRUÇÃO TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO CELG DISTRIBUIÇÃO S.A. INSTRUÇÃO TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO Critérios para Análise de Projetos Prediais ITD-14 Revisão 1 CEI.G DISTRIBUiÇÃO CELG DISTRIBUIÇÃO S.A. SETOR DE NORMATIZAÇÃO TÉCNICA ITD-14 Critérios

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Previsão de Alimentação a Sistema de Combate a Incêndio

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Previsão de Alimentação a Sistema de Combate a Incêndio Fornecimento de Energia Elétrica em Média Tensão de Distribuição à Edificação Individual Processo Realizar Novas Ligações Atividade Executar Ligação AT Código Edição Data SM04.08-01.003 7ª Folha 1 DE 50

Leia mais

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço 1 Entrada de energia DEFINIÇÕES Instalação de responsabilidade do consumidor, compreendendo ramal de entrada, poste particular ou pontalete, caixas, dispositivos de proteção, eletrodo de aterramento e

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 60

COMUNICADO TÉCNICO Nº 60 Página 1 de 15 COMUNICADO TÉCNICO Nº 60 ALTERAÇÃO DE TENSÃO SECUNDÁRIA DE NOVOS EMPREENDIMENTOS NO SISTEMA RETICULADO SUBTERRÂNEO (NETWORK) Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da

Leia mais

3.3 Operação em Rampa Transferência de carga de modo gradativo entre a Distribuidora e um gerador de consumidor ou vice-versa.

3.3 Operação em Rampa Transferência de carga de modo gradativo entre a Distribuidora e um gerador de consumidor ou vice-versa. O SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO, COM OPERAÇÃO Processo: PROJETO E CONSTRUÇÃO Subprocesso: INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE CONSUMIDOR PCI.00.05 1/9 Primeira 1. OBJETIVO Estabelecer os critérios e requisitos necessários

Leia mais

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva Com a linha Geafol, obteve-se um transformador com excelentes características elétricas, mecânicas e térmicas que, adicionalmente, ainda é ecológico. São produzidos sob certificação DQS, ISO 9001 e ISO

Leia mais