ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO"

Transcrição

1 ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO OBJETO: Contratação de empresa c/ Tradição no Ramo (trabalha de forma especializada) p/ Locação e Execução (Instalação, Montagem, Manutenção, Operacionalização e Desmontagem) de Obras e Serviços de Engenharia: Geração de Energia, Subestações de Energia, Instalações elétricas c/ fornecimento de materiais, máquinas, equipamentos, acessórios e todos os demais complementos necessários a serem utilizados no evento Carnaval 2013, sob a Coordenação de Manifestações Populares da Secretaria Municipal da Cultura, conforme o projeto (plantas) em anexo e o memorial descritivo abaixo: ITEM DESCRIÇÃO DETALHADA OBJETO 01 GERAÇÃO DE ENERGIA: Locação e instalação de 04(quatro) GRUPOS GERADORES SILENCIADOS (DIESEL) trifásicos 220/127 V 60 Hz 380/220 V 60 Hz e demais complementos, totalizando a potência disponível de 1240 kva, conforme projeto básico em anexo Os geradores deverão ser instalados c/ quadros de chaves seccionadores p/ reversão imediata em caso de necessidades entre os operantes e os reservas Os geradores instalados para suprir a demanda das TORRES DE REFLETORES DA PISTA deverão possuir capacidade de armazenamento de combustível suficiente para operação contínua, possuindo obrigatoriamente tanques internos no mínimo de 400 (quatrocentos) litros de diesel Os tanques de diesel deverão ser posicionados dentro de bacias de contenção dimensionadas p/ tanques de no mínimo 1000 (mil) litros de diesel cada, seguindo as normas em vigor do Corpo de Bombeiros e ABNT A empresa ainda deverá ser responsável pelo fornecimento de todo o combustível para os grupos geradores, de forma contínua, conforme demanda Todos os geradores deverão ser equipados com: Extintores contra incêndio, tipo pó químico (CO 2 ); Serem cobertos com lonas tencionadas tipo KP1000 (anti-fungo, antichama e auto-extínguível), inclusive nos quadros das chaves seccionadoras.

2 Serem protegidos por fechamento metálicos em todo o seu perímetro; Serem sinalizados por placas indicadoras de advertência seguindo as normas em vigor do Corpo de Bombeiros e ABNT A empresa deverá apresentar ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) de revisão preventiva dos geradores. 02 SUBESTAÇÕES DE ENERGIA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA 1: Execução de 1(uma) subestação rebaixadora de energia elétrica, incluindo a locação de 1(um) transformador de 300 kva, 2(dois) postes de medidas 11/300 dan c/cavalete e demais complementos, conforme projeto básico em anexo: 2.1. Instalação de rede elétrica em baixa tensão (BT) aérea e subterrânea e alta tensão (AT) subterrânea Instalação de para-raios; 2.3. Instalação de chave fusível de alta tensão (25 kva); 2.4. Instalação de quadro de distribuição c/ proteção em lona tencionada; 2.5. Toda a instalação deverá seguir as normas da concessionária de energia elétrica local (CEL) e as normas da ABNT; SUBESTAÇÃO DE ENERGIA 2: Execução de 1(uma) subestação rebaixadora de energia elétrica, incluindo a locação de 1(um) transformador de 225 kva, 1(um) poste de medidas 11/600 dan e demais complementos, conforme projeto básico em anexo: 2.6. Instalação de rede elétrica em baixa tensão (BT) aérea e subterrânea e alta tensão (AT) subterrânea Instalação de para-raios; 2.8. Instalação de chave fusível de alta tensão (25 kva); 2.9. Instalação de quadro de distribuição c/ proteção em lona tencionada; Toda a instalação deverá seguir as normas da concessionária de energia elétrica local (CEL) e as normas da ABNT; 2.2. A empresa contratada deverá: Responsabilizar-se pela contratação da demanda de energia elétrica junto à concessionária local (CEL), bem como regulamentar e aprovar os projetos.

3 Responsabilizar-se e efetuar o pagamento de todas as taxas, encargos e consumos de energia das subestações durante o período do evento Apresentar ao contratante a ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) de revisão preventiva dos transformadores. 03 REDE DE DISTRIBUIÇÃO EM BT GERADORES E SUBESTAÇÕES/ QDG: Instalação de circuitos de distribuição, incluindo a locação de condutores c/ isolamento 0,6/1kV executados em cabos PP, SINTENAX e MULTIPLEXADOS, QDG (proteção termo magnético) e demais complementos, conforme projeto básico em anexo: 3.1. A rede de distribuição de energia dos geradores e subestações até os QDG deverá ser executada em baixa tensão, 220/127 V e 380/220 V 60Hz, devendo-se observar em cada circuito a potência e a corrente elétrica entre as fases A instalação deverá ser feita aérea e subterrânea (utilizando-se conduíte flexível especial) Os conectores dos cabos deverão ser do tipo perfuração, PF e TM Os cabos da rede de distribuição de distribuição deverão ser de cores distintas, identificando as fases, neutro e terra Todos os cabos que partirem dos geradores e das subestações deverão ser subterrâneos (acomodados em um espaço de 30x30 cm envelopados em concreto com tampa de proteção e conduíte de alta resistência) e aéreos. 04 REDE DE DISTRIBUIÇÃO EM BT QDG/QDI: Instalação de circuitos de distribuição, incluindo a locação de condutores c/ isolamento 0,6/1kV executados em cabos PP, SINTENAX e MULTIPLEXADOS, QDI (proteção termo magnético) e demais complementos, conforme projeto básico em anexo: 4.1. A rede de distribuição de energia a partir do QDG (quadro de distribuição geral) e do QDI (quadro de distribuição individual) deverá ser executada em baixa tensão, 220/127 V e 380/220 V 60Hz, devendo-se observar em cada circuito a potência e a corrente elétrica entre as fases A instalação deverá ser feita aérea e subterrânea (utilizando-se conduíte flexível especial).

4 4.3. Os conectores dos cabos deverão ser do tipo perfuração, PF e TM Os cabos da rede de distribuição de distribuição deverão ser de cores distintas, identificando as fases, neutro e terra Todos os cabos que partirem do QDG (quadro de distribuição geral) e do QDI (quadro de distribuição individual) deverão ser subterrâneos (acomodados em um espaço de 30x30 cm envelopados em concreto com tampa de proteção e conduíte de alta resistência) e aéreos Deverá ser instalado 1(um) quadro de distribuição contendo um circuito trifásico 110/220 V independente com capacidade total para 33 kva p/ atendar a demanda da RBS TV. 05 TORRES DE ILUMINAÇÃO DA PASSARELA E ÁREAS EXTERNAS: Instalação de 24 (vinte e quatro) torres de iluminação c/ potência total de 240 kva, incluindo a locação de postes, estrutura metálica galvanizada a fogo, refletores, lâmpadas, reatores, condutores c/ isolamento 0,6/1kV executados em cabos PP, SINTENAX e MULTIPLEXADOS, QDI (proteção termo magnético) e demais complementos, conforme projeto básico em anexo Especificação dos postes: Poste de concreto especial tipo 17/600 dan; 5.2. Especificação das Lâmpadas: Lâmpadas HQI (Multivapores Metálico com Tubo de Descarga de Quartzo), potência de 2000 W; 5.3. Especificação dos Refletores: Projetor de alumínio retangular escovado e repuxado; 5.4. Especificação dos Reatores: Reator p/ lâmpada HQI de 2000 W/ 380 V c/ alto fator de potência; 5.5. As torres de iluminação deverão ser instaladas c/ 5(cinco) refletores acondicionados em uma estrutura de aço galvanizado a fogo posicionados a 15(quinze) metros de altura em relação ao nível do chão, sendo 4(quatro) refletores direcionados para a passarela e 1(um) refletor direcionado para as áreas externas; 5.6. As torres de iluminação deverão ser instaladas c/ 5(cinco) reatores acondicionados em uma estrutura de aço galvanizado a fogo independente da estrutura dos refletores posicionados a 12(doze) metros de altura do nível do chão.

5 5.7. Todas as torres deverão ter 1(um) QDI c/ 2(dois) disjuntores bifásicos de 40 A acomodados em sua estrutura, para controle e acionamento dos refletores da passarela e das áreas externas de forma independente Os circuitos de ligação do QDI até os reatores deverão ser conduzidos através de conduítes As torres deverão ter para-raios com seu devido aterramento, passando por tubulação independente da descida dos refletores (deverão ser embutidos separadamente no interior de cada torre). REDE C/ REFLETORES P/ PASSARELA: Instalação de 44 (quarenta e quatro) refletores de iluminação c/ potência total de 17,6 kva incluindo a locação de refletores, lâmpadas, reatores, condutores c/ isolamento 0,6/1kV executados em cabos PP, SINTENAX e MULTIPLEXADOS, QDI (proteção termo magnético) e demais complementos, conforme projeto básico em anexo Especificação das Lâmpadas: Lâmpadas HQI (Multivapores Metálico com Tubo de Descarga de Quartzo), potência de 400 W; Especificação dos Refletores: Projetor de alumínio retangular escovado e repuxado; Especificação dos Reatores: Reator p/ lâmpada HQI de 400 W/ 220 V c/ alto fator de potência; Instalação de 1(um) QDI c/ disjuntor de 50 A acomodado em sua estrutura, para controle e acionamento dos refletores; 06 TORRES DE ILUMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO E DISPERSÃO: Instalação de 5 (cinco) torres de iluminação c/ potência total de 40 kva, incluindo a locação de postes, estrutura metálica galvanizada a fogo, refletores, lâmpadas, reatores, condutores c/ isolamento 0,6/1kV executados em cabos PP, SINTENAX e MULTIPLEXADOS, QDI (proteção termo magnético) e demais complementos, conforme projeto básico em anexo Especificação dos postes: Poste de concreto especial tipo 15/600 dan;

6 6.2. Especificação das Lâmpadas: Lâmpadas HQI (Multivapores Metálico com Tubo de Descarga de Quartzo), potência de 2000 W; 6.3. Especificação dos Refletores: Projetor de alumínio retangular escovado e repuxado; 6.4. Especificação dos Reatores: Reator p/ lâmpada HQI de 2000 W/ 220 V c/ alto fator de potência; 6.5. As torres de iluminação deverão ser instaladas c/ 4(quatro) refletores acondicionados em uma estrutura de aço galvanizado a fogo posicionados a 15(quinze) metros de altura em relação ao nível do chão, sendo 4(quatro) refletores direcionados para a passarela e 1(um) refletor direcionado para as áreas externas; 6.6. As torres de iluminação deverão ser instaladas c/ 4(quatro) reatores acondicionados em uma estrutura de aço galvanizado a fogo independente da estrutura dos refletores posicionados a 12(doze) metros de altura do nível do chão Todas as torres deverão ter 1(um) QDI c/ 1(um) disjuntor bifásico de 40 A acomodados em sua estrutura para controle e acionamento dos refletores Os circuitos de ligação do QDI até os reatores deverão ser conduzidos através de conduítes As torres deverão ter para-raios com seu devido aterramento, passando por tubulação independente da descida dos refletores (deverão ser embutidos separadamente no interior de cada torre). 07 INSTALAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES: CAMAROTES Instalação de 1(um) circuito de distribuição, para atendimento dos camarotes, incluindo a locação de condutores c/ isolamento 0,6/1kV executados em cabos PP, SINTENAX e MULTIPLEXADOS, QDI (proteção termo magnético), luminárias, tomadas e demais complementos, conforme projeto básico em anexo: 7.1. Deverá ser instalado 1(um) quadro de distribuição contendo um circuito trifásico 110/220 V independente com capacidade total para 33 kva Deverão ser instaladas luminárias tipo PLAFON/SPOT contendo lâmpadas incandescentes 100 W, tomadas e demais complementos, conforme indicativo no projeto básico em anexo:

7 7.3. Para a acomodação dos circuitos de força e iluminação dos camarotes deverão ser utilizados perfilados 40 x 40 mm localizados no teto da estrutura. A derivação aos pontos de iluminação deverá ser executada c/ conduíte, tipo eletroduto (leve II) s de PVC rígido Deverão ser utilizadas luminárias especiais de braço de alumínio e PLAFON (tipo SPOT) Deverão ser utilizadas conduíte, tipo eletroduto (leve II) s tipo leve II para os circuitos das tomadas, conforme indicativo no projeto básico em anexo: 7.6. Os conduletes das tomadas de 220 V e 110 V deverão ser identificados nas cores vermelha e amarela, destacando as respectivas voltagens As tomadas deverão ser de 3(três) pinos do tipo universal, sendo todas com fio terra ligado Todos os circuitos destinados à alimentação de tomadas deverão ser protegidos com disjuntor termomagnético e conter dispositivo diferencial-residual com sensibilidade de 30 ma. 08 INSTALAÇÕES DAS EDIFICAÇÕES: UNIDADE DE SAÚDE; BRIGADA MILITAR; BILHETERIAS; DMLU; BOMBEIROS; AECEPARS; SMC; SANITÁRIOS/VESTUÁRIOS, QUIOSQUES, PORTÁRIAS DE ACESSO, HIDRÁULICA, ELÉTRICA E ESTRUTURA. Instalação de 1(um) circuito de distribuição para atendimento de cada edificação individual, incluindo a locação de condutores c/ isolamento 0,6/1kV executados em cabos PP, SINTENAX e MULTIPLEXADOS, QDI (proteção termo magnético), luminárias, tomadas e demais complementos, conforme projeto básico em anexo: 8.1. Instalação de luminárias contendo lâmpadas HQI de 400 W, lâmpadas fluorescentes compactas de 100/150 W ou lâmpadas mistas 150/250/500 W e demais complementos, conforme indicativo no projeto básico em anexo: 8.2. A iluminação deverá ser instalada c/ cabos PP de isolação 0,6/1kV localizados no teto da estrutura. A derivação aos pontos de iluminação deverá ser executada c/ os mesmos cabos instalados nas estruturas dos ambientes c/ a devida proteção termo magnética (disjuntores) Os conduletes das tomadas de 220 V e 110 V deverão ser identificados nas cores vermelha e amarela, destacando as respectivas voltagens Instalação de tomadas de 3(três) pinos do tipo universal e demais complementos, conforme indicativo no projeto básico em anexo:

8 8.5. Todos os circuitos destinados à alimentação de tomadas deverão ser protegidos com disjuntor termomagnético e conter dispositivo diferencial-residual com sensibilidade de 30 ma Deverão ser utilizados conduíte, tipo eletroduto (leve II) s de PVC rígidos, fixados c/ abraçadeiras adequadas para a instalação. 09 INSTALAÇÕES DAS EDIFICAÇÕES: PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO E BOTEQUIM DO SAMBA e RBS Instalação de 5(cinco) circuitos de distribuição para atendimento da Praça de Alimentação e Botequim do Samba, incluindo a locação de condutores c/ isolamento 0,6/1kV executados em cabos PP, SINTENAX e MULTIPLEXADOS, luminárias metálicas HQI, QDI (quadro de distribuição individual), tomadas e demais complementos, conforme projeto básico em anexo: 9.1. Deverá ser instalado 1(um) QDI (quadro de distribuição Individual) contendo um circuito trifásico 220/110 V com capacidade total para 210 kva Deverão ser instalados 4(quatro) circuitos trifásicos individuais para a Praça de Alimentação de 220/110 V c/ capacidade de 22,50 kva cada; 9.3. Deverá ser instalados 1(um) circuito trifásico individual para o Botequim do Samba de 220/110 V c/ capacidade de 20 kva cada; 9.4. Especificação das Lâmpadas: Lâmpadas HQI (Multivapores Metálico com Tubo de Descarga de Quartzo), potência de 400 W; 9.5. Especificação da Luminária: Tipo Prismática, 22 polegadas c/ alojamento para reator; 9.6. Especificação dos Reatores: Reator p/ lâmpada HQI de 400 W/ 220 V c/ alto fator de potência; 9.7. Os conduletes das tomadas de 220 V e 110 V deverão ser identificados nas cores vermelha e amarela, destacando as respectivas voltagens Locação e instalação de tomadas de 3(três) pinos do tipo universal e demais complementos, conforme indicativo no projeto básico em anexo: 9.9. Todos os circuitos destinados à alimentação de tomadas

9 deverão ser protegidos com disjuntor termomagnético e conter diferencial-residual com sensibilidade de 30 ma. dispositivo Deverão ser utilizados conduíte, tipo eletroduto (leve II) s de PVC rígidos, fixados c/ abraçadeiras adequadas para a instalação. 10 REDE ELÉTRICA PARA: ILUMINAÇÃO CÊNICA, CIRENE, RELÓGIO (CRONÔMETRO) E CÂMERAS DE VIGILÂNCIA: Instalação de 11 (onze) circuitos de distribuição, incluindo a locação de condutores c/ isolamento 0,6/1kV executados em cabos PP, SINTENAX e MULTIPLEXADOS, QDI (proteção termo magnético) e demais complementos, conforme projeto básico em anexo: (um) ponto de consumo p/ Iluminação Cênica c/ 1(uma) rede de distribuição a partir do QDI (Quadro de distribuição individual) trifásica em baixa tensão 220/127 V - 60Hz c/ 20 kva (um) Um ponto de consumo p/ Sirene c/ 1(uma) rede de distribuição a partir do QDI (Quadro de distribuição individual) trifásica em baixa tensão 220/127 V - 60Hz c/ 1 kva (dois) ponto de consumo p/ Relógio c/ 1(uma) rede de distribuição a partir do QDI (Quadro de distribuição individual) trifásica em baixa tensão 220/127 V - 60Hz c/ 2 kva (sete) Um ponto de consumo p/ Câmeras de Vigilância c/ 1(uma) rede de distribuição a partir do QDI (Quadro de distribuição individual) monofásico em baixa tensão 220/127 V - 60Hz c/ 1 kva no ponto de consumo. 11 REDE ELÉTRICA P/ VEÍCULO DE REFRIGERAÇÃO: Instalação de 02 (dois) circuitos de distribuição (Veículo de Refrigeração), incluindo a locação de condutores c/ isolamento 0,6/1kV executados em cabos PP, SINTENAX e MULTIPLEXADOS, QDI (proteção termo magnético) e demais complementos, conforme projeto básico em anexo: A rede de distribuição de energia do gerador até o QDI (quadro de distribuição individual) deverá ser trifásica em baixa tensão, 220/127 V 60Hz c/ 1(um) QDI contendo 02(dois) disjuntores de 32 A, um para cada circuito de distribuição (Ponto de Consumo do Veículo de Refrigeração) A instalação deverá ser subterrânea (utilizando-se conduíte flexível especial).

10 11.3. Instalação de 1(um) QDI c/ 1(um) disjuntor trifásico de 32 A (7 kva), ao lado do ponto de consumo (Veículo de Refrigeração) Os cabos da rede de distribuição de distribuição deverão ser de cores distintas, identificando as fases, neutro e terra Deverá ser instalado junto ao QDI 1(um) ponto de malha de aterramento (individual). 12 ATERRAMENTO DAS ESTRUTURAS E INSTALAÇÕES: Aterramento de todas as estruturas e instalações, com locação de materiais, conforme indicação no projeto básico: Deverão ser executadas malhas de aterramento interligando as hastes de aterramento ao longo de todas as estruturas e instalações de forma independente de todas as instalações elétricas. 13 ILUMINAÇÃO E INDICAÇÃO DE EMERGÊNCIA: Instalação de blocos autônomos de iluminação e módulos indicadores de saída nos camarotes, bares, arquibancadas e praça de alimentação, conforme o projeto do PPCI, aprovado pelo Corpo de Bombeiros A localização dos módulos no projeto é apenas orientativo, devendo a empresa considerar o projeto definitivo para a instalação final, que será entregue pela prefeitura Os equipamentos para iluminação de emergência deverão ser alimentados por circuitos destinados exclusivamente para este fim O projeto (plano) do PPCI será realizado e executado sob a responsabilidade da empresa responsável pela montagem das estruturas do carnaval e será entregue a prefeitura, o qual entregará cópia à empresa de iluminação contratada. Serão incluídos no projeto os grupos geradores de energia. 14 EXTINTOR DE INCÊNDIO: Extintores de Incêndio de CO 2: Junto a cada GERADOR e cada SUBESTAÇÃO DE ENERGIA deverá ser instalado um extintor de incêndio CO 2 6 kg.

11 15 EQUIPE TÉNICA E OPERACIONAL (PLANTÃO): A empresa deverá manter durante todo o período do evento 1(uma) equipe devidamente qualificada, com no mínimo 8 (oito) profissionais, incluindo engenheiro elétrico(responsável técnico), técnicos, eletricistas e auxiliares em tempo integral para atender demanda operacional, manutenção corretiva, preventiva e preditiva de todo o objeto do edital Para reparos em qualquer situação emergencial as equipes de plantão deverão ter a disposição equipamentos de iluminação, ferramentas e todo o material sobressalente, para reposição de acordo com as necessidades A empresa também deverá fornecer um sistema integrado de comunicação para toda a equipe de plantão, bem como todos os equipamentos de segurança necessários. OBRIGAÇÕES GERAIS: Para todos os itens previstos no presente Memorial Descritivo e as Plantas, deverão estar previstas reposições imediatas de todos os itens que compõem o objeto, sem qualquer espécie de ônus para o município, sem prejuízo das alíneas B e E da Cláusula Doze Obrigações do Edital. Joaquim Lucena Coordenador das Manifestações Populares Valdinei Nascimento Engenheiro Responsável

ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO OBJETO: Contratação de empresa c/ Tradição no Ramo (trabalha de forma especializada) p/ Locação e Execução (Instalação, Montagem, Manutenção, Operacionalização e Desmontagem)

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ANEXO VII PREÇOS ORIENTATIVOS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 003/2010

ANEXO VII PREÇOS ORIENTATIVOS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 003/2010 EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 003/2010 Valor estimado para licitação. 1. A quantidade estimada para a contratação dos serviços objeto deste projeto, pelo período de 12 (doze) meses, é de US: 1392 ( um mil

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO.

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO. OBRA: COL. EST. RESIDENCIAL SÃO PEDRO - PROJETO PADRÃO SECULO XXI. LOCAL: - Rua Tucunaré com Rua Pacu e Avenida Astolpho Leão Borges APM-05, Residencial São Pedro Goianira - GO ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO MATERIAL CÂMARA TRANSFORMADORA Unid. Quant. V. unit.r$ V. TotalR$ Placa de

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO...AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR

MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO...AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO...AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBJETO...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA REFORMA DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DOS PAVILHÕES 1 E 2 EVENTOS...CENTRO DE

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS No caso das instalações elétricas existentes nos espaços não comportarem a carga elétrica a ser ligada pelo evento, é necessário que a Contratante apresente os documentos e respeite as condições mínimas

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 49

COMUNICADO TÉCNICO Nº 49 Página 1 de 13 COMUNICADO TÉCNICO Nº 49 PADRÃO DE ENTRADA INDIVIDUAL ECONÔMICO COM POSTE DE AÇO E CAIXA DE POLICARBONATO TIPO PP Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição

Leia mais

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA - CAMPUS VITORIA DA CO 1 ALICATE, universal, de 8 polegadas, em aco, cabo com isolacao para 1000 volts e em conformidade com norma ABNT NBR vigente no que diz respeito

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas Trifásicas com Transformadores 6.1. Estrutura M1 com Transformador 6.2.

Leia mais

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO OBRA: SUBESTAÇÃO 500KVA PROPRIETÁRIO: TRT TRIBUNAL REGIONALDO TRABALHO 12ºREGIÃO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. EMERSON CESAR PADOIN PADOIN ENGENHARIA E PROJETOS LTDA MEMORIAL

Leia mais

Proprietário Página 1 de 6

Proprietário Página 1 de 6 MEMORIAL DESCRITIVO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO ACOPIARA PREFEITURA MUNICIPAL DE ACOPIARA(CE) DATA 10/11/2011 MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO DO PROJETO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG.. Instalações Elétricas Gerais 02.1. Geral 02.2. Normas 02.3. Escopo de Fornecimento 02.4. Características Elétricas para Iluminação de Uso Geral 02.4.1. Geral 02.4.2. Tensões de Alimentação

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Elaboração dos projetos elétricos da REFORMA DA SEDE DA CERON PORTO VELHO-RO

MEMORIAL DESCRITIVO. Elaboração dos projetos elétricos da REFORMA DA SEDE DA CERON PORTO VELHO-RO MEMORIAL DESCRITIVO 1 OBJETIVO Elaboração dos projetos elétricos da REFORMA DA SEDE DA CERON PORTO VELHO-RO 2 PROJETO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 3 - COMENTÁRIOS GERAIS O presente memorial visa descrever

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO 1 MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO CLIENTE: OBRA: LOCAL: BNDES RETROFIT DESUL AV. JUSCELINO KUBITSCHEK,

Leia mais

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA PROJETO PREVENTIVO CONTRA INCÊNDIO

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA PROJETO PREVENTIVO CONTRA INCÊNDIO REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PREVENTIVO CONTRA INCÊNDIO Responsabilidade e Compromisso com o Meio Ambiente 2 110766_MEMPCI_REFORMA_SALA_MOTORISTAS_R00 MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

CARTA CONVITE FUnC 02/2014

CARTA CONVITE FUnC 02/2014 CARTA CONVITE FUnC 02/2014 A FUnC encaminha a presente Carta Convite, para se houver interesse, participar do processo de fornecimento do seguinte serviço: ABERTURA DE PROPOSTAS PARA APRESENTAÇÃO DE PREÇOS

Leia mais

ANEXO C MEMORIAL DESCRITIVO DO PRÉDIO

ANEXO C MEMORIAL DESCRITIVO DO PRÉDIO ANEXO A Ao Ilmo Sr. Comandante do Corpo de Bombeiros Militar Cidade: SERTÃO - RS Data: 10/03/2014 Encaminhamos a V. S.ª, para ANÁLISE, o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI). Nome: INSTITUTO

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 7 Simbologia de Projetos Elétricos Porto Alegre - 2012 Tópicos Projeto de instalações elétricas prediais Simbologia para instalações

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC)

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 Página 1 de 1 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL 1.OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1 a 6 1. OBJETIVO Definir as especificações necessárias para instalação de padrão de entrada em baixa tensão para atendimento a núcleos habitacionais. 2. APLICAÇÃO Instalação de padrão de entrada em tensão

Leia mais

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822 LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA N O 21/2015 1. Informações gerais sobre o local da vistoria: Imóvel sito a rua Jornalista Irineu Marinho nº 441 Icaraí Niterói RJ Nome do Condomínio: Edifício Luanda CNPJ/MP:

Leia mais

Município de Itajubá TERMO DE ADJUDICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO

Município de Itajubá TERMO DE ADJUDICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO Página: 1 O(A) Prefeito Municipal, Rodrigo Imar Martinez Riêra, no uso de suas atribuições legais, com base na Lei N. 10.520/2002, homologa o Processo Licitatório Nº na modalidade REGISTRO DE PREÇOS (PREGAO)

Leia mais

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08 MEMORIAL DESCRITIVO 1. INTRODUÇÃO: O presente memorial tem por objetivo possibilitar uma visão global do projeto elétrico e da implantação da rede de distribuição em Baixa Tensão e iluminação pública do

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA

MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA CLIENTE: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS- DR/PE CNPJ 34.028.316/0021-57 LOCAL: AVENIDA GUARARAPES Nº250-SANTO ANTÕNIO RECIFE-PE.

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO FRANCISCO DE PAULA

MUNICÍPIO DE SÃO FRANCISCO DE PAULA Licitação nº 044/2015 Edital de CONCORRÊNCIA n 007/2015 Processo Administrativo nº 110/2015 Tipo Julgamento: Menor preço global Finalidade: Prestação de serviços e locação Forma Execução: Indireta Regime:

Leia mais

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Múltiplas Unidades Consumidoras do Programa Minha Casa Minha Vida com Telemedição Processo Atividade Realizar novas ligações Executa ligação BT Código

Leia mais

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO Contratação de Serviços de Engenharia para Instalação de Novos Pontos de IP e Complementação da Eficientização do Sistema de Iluminação Pública de Porto Alegre ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO www.celesc.com.br PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL

Leia mais

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT

REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA JUNTO A DGST REQUISITOS E CONSIDERAÇÕES GERAIS REF. NBR 10898 DA ABNT ANÁLISE E VISTORIA DOS SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA Objetivo

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE COCOS CNPJ: 14.222.012/0001-75

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE COCOS CNPJ: 14.222.012/0001-75 2º EXTRATO DE PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 196/2014 originado no Processo Licitatório Pregão Presencial 45/2014, Objeto: registro de preços para eventual serviço e aquisição de Material

Leia mais

REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO

REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO CAMPUS CAMPO LARGO 1 IDENTIFICAÇÃO Obra: Reforma de Laboratórios e Salas de Aula. Local: Rua Engenheiro Tourinho, 829 Vila Solenen. Campus: Instituto Fed. de Ciência

Leia mais

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico Padrão de Entrada COELBA Informações do site www.coelba.com.br Padrão de Entrada é o conjunto de instalações composto de caixa de medição, sistema de aterramento, condutores e outros acessórios indispensáveis

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA EXECUÇÃO DE EXTENSÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO PARA ATENDER A ILUMINAÇÃO PÚBLICA EM DIVERSOS LOGRADOUROS DE PORTO ALEGRE 1. GENERALIDADES O

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROVISÓRIAS SEGURAS EM CANTEIROS DE OBRAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROVISÓRIAS SEGURAS EM CANTEIROS DE OBRAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROVISÓRIAS SEGURAS EM CANTEIROS DE OBRAS GONZALEZ CÁCERES, João Rafael Engenheiro Eletricista Centro Universitário de Lins (UNILINS) E-mail: eng_jrafael@yahoo.com.br Resumo: Um dos

Leia mais

Anexo I - Planilha de Proposta de Preço

Anexo I - Planilha de Proposta de Preço 1 ABRACADEIRA COPO DE 1. 1/4 C/ PARAFUSO E BUCHA 2 ABRACADEIRA COPO DE 1/2 C/ PARAFUSO E BUCHA 3 ABRACADEIRA DE COPO 1" C/ PARAFUSO E BUCHA 4 ABRAÇADEIRA EM NYLON 10CM P/ORGANIZAR FIAÇÃO CX CX C/100 5

Leia mais

www.cpsol.com.br LAUDO TÉCNICO ELÉTRICO

www.cpsol.com.br LAUDO TÉCNICO ELÉTRICO LAUDO TÉCNICO ELÉTRICO 1. APRESENTAÇÃO Em cumprimento às Normas Regulamentadora NR10 INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE e NBR5410 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO, apresentamos as verificações

Leia mais

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade)

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade) PROJETO ELÉTRICO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA BAHIA CEFET - BA MEMORIAL DESCRITIVO Este projeto visa a unificação de medição de média tensão, reforma da subestação II e instalação de alimentadores

Leia mais

1 de 19 03/05/2013 09:42

1 de 19 03/05/2013 09:42 1 de 19 03/05/2013 09:42 Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia Catarinense Campus Araquari

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES MEMORIAL DESCRITIVO Memorial Descritivo Elétrico Projeto: Marcelo

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ASPECTOS GERAIS... 1 3. EXCEÇÕES... 1 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

SUBESTAÇÃO 150KVA SEC. DE SAÚDE DO ESTADO DO CE. SESA

SUBESTAÇÃO 150KVA SEC. DE SAÚDE DO ESTADO DO CE. SESA Memorial descritivo e de cálculo SUBESTAÇÃO 150KVA SEC. DE SAÚDE DO ESTADO DO CE. SESA 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2. IDENTIFICAÇÃO 3. CARACTERÍSTICAS DA SUBESTAÇÃO 4. PROJETO ELÉTRICO 4.1. MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

No DATA DISCRIMINAÇÃO DA REVISÃO REVISOR APROVAÇÃO

No DATA DISCRIMINAÇÃO DA REVISÃO REVISOR APROVAÇÃO PADRÃO DE MEDIÇÃO INDIVIDUAL DE CLIENTES EM BAIXA TENSÃO Diretoria Técnica Gerência de Planejamento e Egenharia Processo de Engenharia e Obras 3$'5 2'(0(',d 2,1',9,'8$/'(&/,(17(6 (0%$,;$7(16 2 No DATA

Leia mais

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES

índice 02 CONDIÇÕES BÁSICAS Prezado cliente, REDE DE ACESSO PARA INSTALAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS ACOMODAÇÕES DE EQUIPAMENTOS CABOS E CONEXÕES Prezado cliente, índice Bem-vindo à GVT. Agora sua empresa conta com soluções inovadoras de voz, dados e Internet com o melhor custo-benefício. Para garantir a qualidade dos serviços e aproveitar todos

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇO Nº 051/2015

ATA DE REGISTRO DE PREÇO Nº 051/2015 Página 1 de 7 PREGÃO PRESENCIAL Nº 036/2015 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA EVENTUAL E FUTURA AQUISIÇÃO DE MATERIAIS ELÉTRICOS DE ALTA TENSÃO para recomposição e manutenção do estoque do almoxarifado,

Leia mais

NORMA DE FORNECIMENTO

NORMA DE FORNECIMENTO NORMA DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA REVISÃO: JULHO/2014 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 CAMPO DE APLICAÇÃO 3 DEFINIÇÕES 3.1 - Aterramento 3.2 - Caixa de Barramentos 3.3 - Caixa de Medição 3.4 - Carga Instalada

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NDU-010 VERSÃO 3.1 JUNHO/2013 SUMÁRIO Item Descrição Classe Desenho 1. Haste de Aço-Cobre para Aterramento...

Leia mais

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço

DEFINIÇÕES. Entrada de energia. Entrada de serviço 1 Entrada de energia DEFINIÇÕES Instalação de responsabilidade do consumidor, compreendendo ramal de entrada, poste particular ou pontalete, caixas, dispositivos de proteção, eletrodo de aterramento e

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI. Índice:

MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI. Índice: MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI Índice: 1 - Generalidades 2 - Rede aérea de Alta Tensão 3 - Rede Secundária 4 - Aterramentos 5 - Posto de Transformação

Leia mais

ORÇAMENTO BÁSICO CONCORRÊNCIA N.O. 0-001-13 COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS - POTIGÁS

ORÇAMENTO BÁSICO CONCORRÊNCIA N.O. 0-001-13 COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS - POTIGÁS ORÇAMENTO BÁSICO CONCORRÊNCIA N.O. 0-001-13 COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS - POTIGÁS Item Descrição dos Serviços Unid. Quant. Valor Unitário Máximo aceitável pela Potigás 1.0 Mobilização vb 1 Conforme proposta

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000

DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000 DODF Nº 237 14 de dezembro de 2000 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 49/2000-CBMDF, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2000 Aprova a Norma Técnica nº 004/2000-CBMDF, sobre o Sistema de Proteção

Leia mais

PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI

PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI 1 - NOME DO CURSO: Projetos de RDI / RDP: RDI: Redes de Distribuição Aéreas Isoladas; RDP: Redes de Distribuição Aéreas Protegidas (Compactas). 2 - ÁREA: Eletrotécnica Sub

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO 1. GENERALIDADES 1.1 O projeto refere-se às instalações elétricas do empreendimento comercial localizado

Leia mais

LEIA TODO O CONTEÚDO DESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO

LEIA TODO O CONTEÚDO DESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO ELETRIFICADOR DE CERCA EC- rural MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO LEIA TODO O CONTEÚDO DESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO Esta página foi intencionalmente deixada em branco. CUIDADOS NA INSTALAÇÃO

Leia mais

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES 3$'5 2'((6758785$6 '(/,1+$6(5('(6 PARTE 1 ASPECTOS GERAIS INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras ASPECTOS GERAIS PARTE

Leia mais

No DATA DISCRIMINAÇÃO DA REVISÃO REVISOR APROVAÇÃO

No DATA DISCRIMINAÇÃO DA REVISÃO REVISOR APROVAÇÃO PADRÃO DE MEDIÇÃO AGRUPADA DE CLIENTES EM BAIXA TENSÃO Diretoria Técnica Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras PADRÃO DE M EDIÇÃO AGRUPADA DE CLIENTES EM BAIXA TENSÃO No

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA INSTALADORES SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO MODELO SAFIRA

RECOMENDAÇÕES PARA INSTALADORES SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO MODELO SAFIRA RECOMENDAÇÕES PARA INSTALADORES SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO MODELO SAFIRA 1. INSTALAÇÃO E INFRAESTRUTURA A Central de alarme e detecção de incêndio Safira exige cuidados importantes na hora

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 07/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Quadro de Distribuição Circuitos Terminais Circuitos Terminais Quadro de Distribuição Quadro de Distribuição

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE ENTRADA DO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO SOLAR DAS LARANJEIRAS 1 INDICE 1 OBJETIVO 2 NORMAS APLICÁVEIS 3 GENERALIDADES 4 METODOLOGIA 5 MEDIÇÕES DE GRANDEZAS

Leia mais

NBR5410 SOB O PONTO DE VISTA DA SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO. Ivan Faccinetto Bottger www.firesafetybrasil.com

NBR5410 SOB O PONTO DE VISTA DA SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO. Ivan Faccinetto Bottger www.firesafetybrasil.com NBR5410 SOB O PONTO DE VISTA DA SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO Ivan Faccinetto Bottger www.firesafetybrasil.com PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA NBR5410 As instalações elétricas devem ser concebidas e construídas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO

MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO I - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1. OBRA: Regularização e Ampliação de um Complexo Esportivo. 1.2. ENDEREÇO: Conjunto Manuel Julião, Rio

Leia mais

SUBESTAÇÃO 300KVA SEC. DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO CE. SEDUC

SUBESTAÇÃO 300KVA SEC. DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO CE. SEDUC Memorial descritivo e de cálculo SUBESTAÇÃO 300KVA SEC. DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO CE. SEDUC 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2. IDENTIFICAÇÃO 3. CARACTERÍSTICAS DA SUBESTAÇÃO 4. PROJETO ELÉTRICO 4.1. MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

Introdução ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO.

Introdução ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO. ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO. Introdução A energia elétrica que alimenta as indústrias, comércio e nossos lares é gerada principalmente em usinas hidrelétricas, onde a passagem

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL Resolução nº 002 de 09 de maio de 2011. O Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Maranhão, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS Padronização do tipo e quantidade necessária de instalações e equipamentos dos laboratórios das habilitações profissionais EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICO

Leia mais

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Indústria e Comércio de Bombas D Água Beto Ltda Manual de Instruções MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Parabéns! Nossos produtos são desenvolvidos com a mais alta tecnologia Bombas Beto. Este manual traz

Leia mais

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Tipos de linhas Sumário Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Instalação dos condutores Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Os cabos multipolares só deve conter os condutores de um

Leia mais

CONDUTORES ELÉTRICOS

CONDUTORES ELÉTRICOS CONDUTORES ELÉTRICOS R = ρ l S ( Ω) Produto metálico, geralmente de forma cilíndrica, utilizada para transportar energia elétrica ou transmitir sinais elétricos. ρ cobre = 1,72 10-8 Ωm ρ alum = 2,80 10-8

Leia mais

cesse: Downloads Manuais Tira-dúvidas

cesse: Downloads Manuais Tira-dúvidas para leigos cesse: Downloads gratuitos Manuais Tira-dúvidas E muito mais! O site Shammaluz está mais bonito e mais completo. Lá você encontra informações específicas para cada tipo de negócio que quer

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 9 Divisão da Instalação em Circuitos Porto Alegre - 2012 Tópicos Quadros de distribuição Disjuntores Divisão da instalação elétrica

Leia mais

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição DICAS Instalações elétricas residenciais 8ª Edição DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim

Leia mais

OBRA: INSTALAÇÃO ELÉTRICA DA INCUBADORA INDUSTRIAL MARCENARIA ; MUNICÍPIO: MATO QUEIMADO - RS. MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

OBRA: INSTALAÇÃO ELÉTRICA DA INCUBADORA INDUSTRIAL MARCENARIA ; MUNICÍPIO: MATO QUEIMADO - RS. MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO OBRA: INSTALAÇÃO ELÉTRICA DA INCUBADORA INDUSTRIAL MARCENARIA ; MUNICÍPIO: MATO QUEIMADO - RS. MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO 1) OBJETIVO DO PROJETO: O presente memorial tem por objetivo descrever e detalhar

Leia mais

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS DAT/1 SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO SPDA. Índice

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO SPDA. Índice MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO SPDA Índice 1 Introdução 2 Local da Obra 3 Normas 4 Malha de Aterramento 5 Equipamento e Materiais 6 Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas 7 Cálculo dos Elementos

Leia mais

SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS 4EN 2013/1 SOLIVAN ALTOÉ SISTEMA ELÉTRICO CONCEITOS BÁSICOS SISTEMA ELÉTRICO CONCEITOS BÁSICOS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Transmissão de energia elétrica A tensão elétrica

Leia mais

ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP

ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP Aprova a Norma Técnica nº 010/2005-CBMAP, sobre atividades eventuais no Estado do Amapá,

Leia mais

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA 1. DETERMINAÇÃO DA CARGA INSTALADA a) Para definição do tipo de fornecimento, o consumidor deve determinar a carga instalada, somando-se a potência

Leia mais

Projeto de Instalações Elétricas Residenciais

Projeto de Instalações Elétricas Residenciais Projeto de Instalações Elétricas Residenciais Me. Hader Aguiar Dias Azzini hader_azzini@hotmail.com Campinas - ES 2014 Introdução Em geral, o projeto elétrico compreende quatro partes: Memória (justificativa

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS BALNEÁREO CACHOEIRA GRANDE Goiás GO Revisão Data Emissão Elaboração Aprovação Descrição 0 20/03/13 A RODRIGO Emissão inicial Emissão (A) Para aprovação (D)

Leia mais

APLICAÇÃO DE SISTEMA TELEMEDIÇÃO EM UNIDADES CONSUMIDORAS ALIMENTADAS POR REDES SUBTERRÂNEAS CASO PRAIA DO PAIVA

APLICAÇÃO DE SISTEMA TELEMEDIÇÃO EM UNIDADES CONSUMIDORAS ALIMENTADAS POR REDES SUBTERRÂNEAS CASO PRAIA DO PAIVA APLICAÇÃO DE SISTEMA TELEMEDIÇÃO EM UNIDADES CONSUMIDORAS ALIMENTADAS POR REDES SUBTERRÂNEAS CASO PRAIA DO PAIVA Jose A. Lopes, Marcelo A. X. Lima, CELPE, Brasil, Jose.lopes@celpe.com.br, marcelo.lima@celpe.com.br

Leia mais

DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES

DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES z CNCEITS BÁSICS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim como os planetas ao redor do sol, giram ao redor

Leia mais

(63(&,),&$d (6 %$6( *8,$

(63(&,),&$d (6 %$6( *8,$ 3,67$'($7/(7,602 81,'$'(6(6,±6,0 (6),/+2 0(025,$/'(6&5,7,92(63(&,),&$d (6 ',6326,d (6*(5$,6 O presente projeto refere-se a REFORMA E AMPLIAÇÃO da pista de atletismo do Sesi (serviço social da industria),

Leia mais

Especificação para o projeto elétrico de BT

Especificação para o projeto elétrico de BT Especificação para o projeto elétrico de BT O aluno deve escolher uma planta baixa de uma residência, que apresente carga instalada superior a 15 kw, considerando que a tensão da rede de distribuição seja

Leia mais

1. PROJETO EXECUTIVO ESTRUTURAL/FUNDAÇÕES E MEMORIAL DESCRITIVO ESTRUTURAL/FUNDAÇÕES

1. PROJETO EXECUTIVO ESTRUTURAL/FUNDAÇÕES E MEMORIAL DESCRITIVO ESTRUTURAL/FUNDAÇÕES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS / EXIGÊNCIAS MÍNIMAS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS EXECUTIVOS E MEMORIAIS DESCRITIVOS ESTRUTURAL/FUNDAÇÕES, INSTALAÇÕES ELÉTRICAS/SPDA, PPCI E INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS

Leia mais

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS 1- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Convencional Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 13 2- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Compacta Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 2 de

Leia mais

Torres de Iluminação Móveis. A revolução vertical

Torres de Iluminação Móveis. A revolução vertical Torres de Iluminação Móveis A revolução vertical Uma inovadora revolução vertical... Torres de Iluminação Móveis Série VT Ideais para iluminar Eventos, Canteiros de Obras, Obras em Estradas, Minas, Instalações

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME

ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME ESPECIFICAÇÕES PARA INSTALAÇÕES DE ALARME - ARQUIVO 828 -M-AL1.doc Pagina 1 1. GENERALIDADES - Os serviços obedecerão as presentes especificações, a relação de

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 14/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Dimensionamento dos Condutores FASE Ampacidade Queda de Tensão Seção Mínima Dimensionamento dos Condutores

Leia mais

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Normas CEMIG ND2.1 - Instalações Básicas de Redes de Distribuição Áreas Urbanas ND3.1 - Projetos de Redes de Distribuição Aéreas Urbanas RDU Rede de Distribuição

Leia mais

PADRÃO DE ENTRADA DA UNIDADE CONSUMIDORA COM CAIXA MODULAR DE POLICARBONATO INDIVIDUAL E COLETIVO

PADRÃO DE ENTRADA DA UNIDADE CONSUMIDORA COM CAIXA MODULAR DE POLICARBONATO INDIVIDUAL E COLETIVO CSUMIDORA COM CAIXA MODULAR DE POLICARBATO INDIVIDUAL E COLETIVO 1. OBJETIVO Padronizar entrada da unidade consumidora com a caixa tipo modular, fabricado em policarbonato e tampa transparente, para medição

Leia mais