GESTÃO DO RESÍDUO GERADO PELA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO DO RESÍDUO GERADO PELA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO"

Transcrição

1 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Projeto de Extensão GESTÃO DO RESÍDUO GERADO PELA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Coordenador: Bruno Amarante Couto Rezende 2013

2 2 INFORMAÇÕES GERAIS Nome do projeto: Gestão do Resíduo Gerado pela Tecnologia da Informação Coordenador: Bruno Amarante Couto Rezende Telefone: (35) Endereço no Lattes: Membros: Nome Titulação Instituição Função máxima pertencente Adriana Dalo Rodrigues Barbosa Pós-graduação IFSULDEMINAS Câmpus Oswaldo Francisco Bueno Mestre IFSULDEMINAS Câmpus Beatriz de Albuquerque 6º P. Redes IFSULDEMINAS Câmpus Carlos Augusto da Silva Martins 6º P. Redes IFSULDEMINAS Câmpus Douglas Nascimento Sousa 6º P. Redes IFSULDEMINAS Câmpus Cesar Henrique de Camargo 6º P. Redes IFSULDEMINAS Câmpus Colaborador Colaborador Colaborador Empresa Junior ITECH Colaborador Empresa Junior ITECH Colaborador Empresa Junior ITECH Colaborador Empresa Junior ITECH Local de Execução: IFSULDEMINAS Câmpus e Fundação Rocha Financiamento: R$4.500,00 Bolsas (número e valor): 1/R$400,00 Custeio (valor): R$500,00 Capital (valor): Agente financiador: IFSULDEMINAS Agente financiador: IFSULDEMINAS Agente financiador: IFSULDEMINAS Período de Execução Início: Novembro/2013 Término: Agosto/2014

3 3 CORPO DO PROJETO 1. RESUMO Desde 1950, o mundo se transformou em uma bomba tecnológica, a ponto de explodir a qualquer momento, produzindo variados tipos de produtos eletrônicos, um após o outro, e cada vez mais moderno e sofisticado. E como era de se esperar, eles tomaram o mundo, e estão em todos os lugares, gerando muitos benefícios é claro, levando desenvolvimento, qualidade de vida, agregando valor em processos industriais, entre outros. Mas, até agora, não existe nenhuma política mundial, voltada exclusivamente para cuidar dos resíduos gerados por esses produtos, pois, cada vez que se lança um modelo novo, a febre consumista do mundo trata de abandonar o modelo antigo, descartando no lixo. Então surge o grande problema desse mundo globalizado, e extremamente tecnológico, o que fazer com todo esse lixo gerado? Aterrá-lo junto ao lixo comum? Jogar em rios, lagos e mares? Deixá-lo em algum lugar e esperar que ele se decomponha? Primeiro esse lixo, não é comum, ele é composto de diversos materiais químicos que precisam passar por um processo antes de poder ser descartados na natureza possui diversos polímeros, vidros, metais pesados, silício, entre outros compostos. Sendo que a maioria dos componentes presentes em um produto eletrônico pode e deve ser reciclado, como é o caso do ouro, alumínio, silício, etc. Pois a reserva desses minerais, são finitas, e estão acabando, e, além disso, se descartados na natureza, eles podem degradar o meio ambiente, contaminando o solo e a água. 2. CARACTERIZAÇÃO E JUSTIFICATIVA De acordo com a ONG, Greenpeace, estima-se que são produzidos de 20 a 50 milhões de toneladas de lixo eletrônico no mundo a cada ano, e este tipo de rejeito responde hoje por 5% de todo lixo sólido do mundo, quantia similar à das embalagens plásticas (grande vilã da atualidade), diferenciando-se apenas no índice de nocividade que, nos rejeitos eletrônicos, é bem maior.

4 Isso tudo causado pelo aumento desenfreado no consumo desses produtos eletrônicos pelo ser humano, sem se preocupar com o meio ambiente. Então um trabalho de conscientização ambiental, para alertar a humanidade é extremamente necessário nesse momento, a fim de mostrar os perigos que corremos hoje, e o perigo muito maior que correm as futuras gerações. Se não bastasse tudo isso, tem ainda o problema da composição desse lixo, que é formado por metais pesados, como chumbo, mercúrio e cádmio, encontrados em pilhas, baterias e lâmpadas. Esses produtos, descartados em lixões, podem contaminar o solo e a água. Além disso, ainda tem o consumo de outros produtos, na fabricação dos eletrônicos. Como exemplo tem um estudo da ONG Lixo, que mostra que na fabricação de um monitor de 17 polegadas são usados cerca de quilos de componentes. Somente de combustíveis fósseis são gastos 240 quilos, 22 quilos de produtos químicos e 1500 quilos de água. Buscando atender a necessidade dar um destino correto do resíduo tecnológico, o Projeto de Gestão do resíduo gerado pela tecnologia da informação vem atender essa demanda, de forma a promover uma ação que na realidade vai ser tanto ambiental, como social, pois de um lado, ele estará promovendo a reciclagem e reuso dos produtos que seriam descartados de forma incorreta na natureza, e de outro lado, estará fazendo com que esses produtos que ainda podem ser usados por outras pessoas, atendam a necessidade de ONG s, associações, escolas e famílias, pois todos os produtos que puderem ser reutilizados serão doados. E as peças não utilizadas serão vendidas gerando sustentabilidade ao projeto. Outra proposta do projeto é oferecer cursos e estágios para os alunos do IFSULDEMINAS Câmpus, nas mais diversas áreas da informática como, por exemplo: montagem e manutenção de computadores, cursos de informática básica para escolas e projetos sociais, campanhas de conscientização de resíduos tecnológicos e estágios para os alunos do curso superior em Redes de Computadores e técnico em Informática. O projeto será desenvolvido pelos membros da Empresa Junior ITECH com o apoio da Incubadora de Empresas INCETEC. 4

5 5 3. OBJETIVOS E METAS 3.1. Objetivos Gerais Receber e tratar resíduos eletrônicos para reutilização e doação a ONG s, associações e escolas Objetivos Específicos Realizar cursos e palestras de conscientização quanto aos resíduos da tecnologia da informação. Visitar escolas e empresas para divulgar a proposta. Criar um DIA C DIA DE COOPERAR, (Escolher um dia para coleta de resíduos junto à comunidade). Desenvolver oficinas de manutenção e montagem de computadores. Realizar treinamento/capacitação para jovens e adultos na área de tecnologia da informação. Disponibilizar estágios para os alunos do IFSULDEMINAS Câmpus. Buscar empresas para dar destino correto dos resíduos não reutilizados. Firmar parceria com a Fundação Rocha para criar o espaço para oficina. 4. METAS Criar um espaço para a oficina de recolhimento e manutenção. Qualificação de 50 jovens e adultos. Ministrar cursos e palestras. Visitar 10 empresas e escolas para divulgação. Recolher os resíduos eletrônicos e trocar por uma muda de arvore e caneca personalizada.

6 6 5. PÚBLICO ALVO ONG s, associações e escolas. Instituto federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Câmpus. Empresas públicas e privadas. 6. METODOLOGIA De acordo com Ferreira (2008), os resíduos ou lixos eletrônicos são considerados como aqueles aparelhos/materiais que são dados por inúteis supérfluos, e/ou sem valor, gerado pela atividade humana. O maior perigo do avanço da tecnologia é o seu considerável impacto ambiental. Principalmente a indústria de computadores e seus periféricos eletrônicos que constituem um dos setores industriais que proporcionalmente ao peso dos seus produtos consomem recursos naturais tanto na forma de matériaprima, como em termos de água e energia. Segundo Kazazian (2005) essa corrida em busca das novidades nas prateleiras acabou por diminuir o tempo de uso dos computadores, que em 1997 era de 4 a 6 anos, em 2005 passou a ser apenas 2 anos. Nota-se uma relação entre a duração de vida de um equipamento e as inovações nessa área, culminando com o descarte dos equipamentos obsoletos. Este comportamento imediatista do homem, que consome produtos com tempo de utilização cada vez mais curto aliado à substituição movida pela constante renovação de formas tem contribuído para o sucateamento dos produtos e aumentado do volume de lixo. Embora existam meios de se tratar o lixo comum, no caso do lixo eletrônico existe a problemática dos materiais químicos utilizados na composição de seus componentes. Quando um eletrônico é jogado no lixo comum e vai para um aterro sanitário há grandes possibilidades de os componentes tóxicos contaminarem o solo e chegarem até os lençóis freáticos, afetando também a água que é utilizada pela população (MOREIRA, 2007).

7 No Brasil iniciativas isoladas buscam minimizar o problema do lixo eletrônico. Uma das soluções para mudar essa realidade partiu do Centro de Computação Eletrônica da Universidade de São Paulo (USP). A unidade inaugurou um centro de aproveitamento de lixo eletrônico (Centro de Descarte e Reuso de Resíduos de Informática - CEDIR) na Cidade Universitária. Quanto às políticas públicas, o Governo Federal brasileiro iniciou a implantação de um projeto visando a reciclagem de computadores, chamado Computadores para Inclusão, onde envolve a construção de Centros de Recondicionamento de Computadores - CRC, idealizados para dar escala à captação de componentes e máquinas descartadas, formar e capacitar pessoal de baixa renda para trabalhar com hardware e software, e para servir de fonte fornecedora de equipamentos para programas de inclusão digital. O projeto do CRC foi inaugurado em Quanto a metodologia adotada trata-se de uma pesquisa quantitativa que será desenvolvido nas empresas de /MG para identificar a quantidade de empresas e quantidade de material a ser coletado. O instrumento de coleta de dados da pesquisa compõe-se de questionários com perguntas fechadas. Será criado um dia Criar um DIA C DIA DE COOPERAR, (Escolher um dia para coleta de resíduos junto à comunidade), onde será entregue uma caneca personalizada e uma muda de árvore para quem entregar um lixo eletrônico. Após a coleta será feito uma triagem na oficina de reciclagem (espaço criado na Fundação Rocha) para desenvolvimento do projeto. As peças que podem ser aproveitadas serão montados computadores para as doações para ONG s, associações e escolas. Peças não utilizadas ma montagem pesquisar futuros compradores de sucatas para que o projeto possa ser sustentável. (compra de kits e ferramentas). Para divulgar o projeto será organizado cursos e palestras de conscientização quanto aos resíduos da tecnologia da informação. O projeto conta com o apoio com os membros da empresa Júnior Itech para organizar os cursos de manutenção de computadores e fornecer estágios para os alunos do IFSULDEMINAS Câmpus que serão também os futuros multiplicadores do projeto. 7

8 Pretende-se com este projeto criar um ambiente de parceria entre alunos / empresas (Fundação, escolas e empresas privadas) além de diminuir o impacto gerado pelo lixo eletrônico com descarte indevido e publicações de artigos. Os jovens que receberão a capacitação são os alunos do curso técnico de informática e do curso de superior de Tecnologia em Rede de Computadores. O bolsista é essencialmente importante para atender os objetivos propostos e ações a serem desenvolvidas no decorrer do projeto. O perfil do bolsista para desempenhar as atividades é aluno do IFSULDEMINAS Câmpus e cursando o curso superior de Tecnologia em Rede de Computadores. Outra proposta do projeto é oferecer cursos e estágios para os alunos do IFSULDEMINAS Câmpus, nas mais diversas áreas da informática como, por exemplo: montagem e manutenção de computadores, cursos de informática básica para escolas e projetos sociais, campanhas de conscientização de resíduos tecnológicos e estágios para os alunos do curso superior em Redes de Computadores e técnico em Informática. 7. RESULTADOS ESPERADOS 8 Levantar no município de a quantidade de lixo eletrônico gerado pela rápida deterioração. Diminuição de resíduos tecnológicos. Parcerias com empresas públicas e privadas. Reaproveitamento das peças. Doação de computadores. Capacitação de jovens e adultos. Publicação de artigos. 8. ATIVIDADE E CRONOGRAMA ATIVIDADES 1. Criar um espaço para a oficina de recolhimento e manutenção Meses nov dez jan fev mar abr mai jun jul ag o x

9 9 2. Qualificação de 50 jovens e adultos. x x x X x x X x x 3.. Ministrar cursos e palestras 4. Visitar 10 empresas e escolas para divulgação. 5. Recolher os resíduos eletrônicos e trocar por uma muda de arvore e caneca personalizada. x x x X x x X x x x x x x x x x x x x x 9. ORÇAMENTO E CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO Qtde Und Descrição detalhada Valor Unitário Valor Total Material de consumo 200 und Canecas personalizadas R$2,50 R$500,00 Bolsas 1 und Bolsas (1x400x10) R$400,00 R$4.000,00 TOTAL R$4.500, INFRAESTRUTURA O projeto firmou parceria com a Fundação Rocha e já tem algumas atividades desenvolvidas nas dependências da Fundação Rocha, onde conta com uma infraestrutura: sala, cadeiras, quadro branco, projeto multimídia, banheiro, refeitório e biblioteca. Segue anexo informações a respeito do projeto. Descrição Quantidade Sala para oficina 1 Cadeiras 30 Quadro branco 1 Projeto Multimídia 1 Banheiro 4 Refeitório 1

10 10 Biblioteca REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CALVÃO, A.; ROSE, D.; RIBEIRO, D.; D ALMEIDA, M.; ALMEIDA, R.; LIMA, R. O Lixo Computacional na Sociedade Contemporânea. Cascavel: I ENINED Encontro Nacional de Informática e Educação, Comissão Mundial Sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CMMAD). Relatório Brundtland. Nosso futuro comum. 1. ed. Rio de Janeiro, Editora FGV, FERREIRA, J. ; FERREIRA, A. A sociedade da informação e o desafio da sucata eletrônica. Revista de Ciências Exatas e Tecnologia. Valinhos - SP. v. 3, n. 3, OLIVEIRA, J. Empresas na Sociedade Sustentabilidade e Responsabilidade Social. São Paulo: Campus, STRAUCH, M.; ALBUQUERQUE, P.. Resíduos: como lidar com recursos naturais. São Leopoldo: Oikos, VERGARA, S. Projeto e relatórios de pesquisa em Administração. 10ª edição. São Paulo: Atlas, 2009., 25 de setembro de Coordenador do projeto Parceria do IFSULDEMINAS - Câmpus e entidade possibilita recuperação de computadores Uma recente parceria do IFSULDEMINAS - Câmpus e Fundação Rocha com o Lar Escola Esperança e Vida de Ouro Fino possibilitou à Empresa Júnior ITECH do Instituto Federal recuperar computadores da entidade. Cerca de 100 componentes que estavam com problemas foram encaminhados

11 11 para a Empresa Júnior, entre eles, monitores, CPUs, teclados e fontes. Destes, apenas nove computadores completos foram recuperados e estão em perfeito estado de funcionamento, com jogos educativos. Na manhã do último dia 7, o Coordenador da INCETEC, Oswaldo Francisco Bueno e o presidente da Empresa Júnior, Douglas Nascimento Sousa, entregaram pessoalmente as máquinas consertadas. Segundo Genivaldo Vilas Boas, presidente da instituição, a recuperação destes computadores resolveu vários problemas como liberar espaço físico, que é muito escasso, descartar todos os componentes que foram doados sem utilidade e possibilitar a inclusão digital das crianças e adolescentes. De acordo com o presidente da ITECH, Douglas Nascimento Sousa, "foi muito importante realizar este trabalho beneficente, com a recuperação de diversos computadores que antes estavam parados e se degradando. Após este trabalho, todos poderão usufruir destas máquinas que agora estão em perfeito estado de funcionamento. Este foi o primeiro trabalho beneficente realizado pela ITECH, que pretende visitar as escolas de e realizar um levantamento de todos os computadores destas instituições e, se necessário, recuperar os mesmos para que todos os estudantes se beneficiem dos recursos computacionais destas escolas." A ITECH foi fundada em 2012, desde sua formação tem o objetivo de prestar serviços na área de Informática para a comunidade. Sediada na Incubadora de Empresas INCETEC, é coordenada pelo professor Bruno A. Couto Rezende e formada por estudantes do curso de Redes de Computadores Douglas Nascimento Sousa Presidente; Beatriz de Albuquerque Tesoureiro; Carlos Augusto Conselheiro Fiscal; e estudantes do Técnico em Informática - Bruno Brandão Borges Departamento de Marketing; Mikail Lopes Galote Departamento Financeiro; Alex Rogério Silva Carvalho - Secretário; Marcus Eduardo Pereira Gonçalves Departamento de Projetos; Caique de Sousa Freitas Duarte Departamento de Patrimônio; Isabela Rodrigues de Almeida Departamento de Marketing. TEXTO: Christianne Reiné Bueno INCETEC Anexo I: Anuência dos membros da equipe do projeto de extensão GESTÃO DO RESÍDUO GERADO PELA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

12 12

GESTÃO SUSTENTÁVEL DO LIXO ELETRÔNICO

GESTÃO SUSTENTÁVEL DO LIXO ELETRÔNICO 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X) TECNOLOGIA GESTÃO SUSTENTÁVEL

Leia mais

DIRETORIA TI RIO. Presidente Benito Paret

DIRETORIA TI RIO. Presidente Benito Paret DIRETORIA TI RIO Presidente Benito Paret Diretoria Bruno Salgado Custodio Rodrigues Henrique Faulhaber Barbosa Kauê Silva Ladmir da Penha Carvalho Luiz Bursztyn Pablo Braga Conselheiro Fiscal Titular Giosafatte

Leia mais

Avaliação do Destino do Lixo Eletrônico do Município de Inhumas e Realização de um Programa de Conscientização

Avaliação do Destino do Lixo Eletrônico do Município de Inhumas e Realização de um Programa de Conscientização Avaliação do Destino do Lixo Eletrônico do Município de Inhumas e Realização de um Programa de Conscientização Renata Luiza da Costa 1, Moisés João Vieira 2, Ana Flávia da Silva Barbosa 2, Victor F. A.

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE SÃO MIGUEL DO OESTE

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE SÃO MIGUEL DO OESTE 0 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC DE SÃO MIGUEL DO OESTE EDUARDA LUIZA KLAGENBERG CPF: 085.531.289-03 POLYANA MARIA SCHONS CPF: 081.259.399-54 SELICE TERESINHA ASCHIDAMINI CPF: 053.995.639-24 PROJETO: RECICLAGEM

Leia mais

PROJETO CIÊNCIA VERDE: Unindo Tecnologia, Ambiente e Sociedade

PROJETO CIÊNCIA VERDE: Unindo Tecnologia, Ambiente e Sociedade PROJETO CIÊNCIA VERDE: Unindo Tecnologia, Ambiente e Sociedade 1 IDENTIFICAÇÃO: PROJETO DE EXTENSÃO 1.1 Título da Atividade: Coleta do Lixo Eletrônico 1.1.1 Meios de Divulgação: Mídia local, redes sociais,

Leia mais

Ideal Qualificação Profissional

Ideal Qualificação Profissional 2 0 1 1 Finalista Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Vencedora Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Finalista Nacional Categoria Serviços de Educação Apresentação O desenvolvimento

Leia mais

Alex Luiz Pereira. www.coopermiti.com.br

Alex Luiz Pereira. www.coopermiti.com.br Alex Luiz Pereira www.coopermiti.com.br Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos (REEE) Chumbo provavelmente, o elemento químico mais perigoso; acumulam-se nos ossos, cabelos, unhas, cérebro, fígado

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

A Divisão de Biblioteca e a sustentabilidade ambiental, econômica, de infraestrutura e logística.

A Divisão de Biblioteca e a sustentabilidade ambiental, econômica, de infraestrutura e logística. Layout: Silvio Bacheta A Divisão de Biblioteca e a sustentabilidade ambiental, econômica, de infraestrutura e logística. São Paulo, SP - Março 2012 Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Divisão

Leia mais

RÁDIO AULA DE QUÍMICA PROF. CARLOS ALBERTO 16/04/2014 às 18 HORAS

RÁDIO AULA DE QUÍMICA PROF. CARLOS ALBERTO 16/04/2014 às 18 HORAS COLÉGIO PRO CAMPUS MATERIAL COMPLEMENTAR DE QUÍMICA 3ª SÉRIE ENSINO MÉDIO ALUNO(A): Nº DATA: TURMA: PROF(A): PROF. CARLOS ALBERTO RÁDIO AULA DE QUÍMICA PROF. CARLOS ALBERTO 16/04/2014 às 18 HORAS 01. 01.Um

Leia mais

RESÍDUOS ELETRÔNICOS: PROJETO PILOTO PARA O DESCARTE CORRETO

RESÍDUOS ELETRÔNICOS: PROJETO PILOTO PARA O DESCARTE CORRETO 110. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X) TECNOLOGIA RESÍDUOS ELETRÔNICOS: PROJETO

Leia mais

LIXO TECNOLÓGICO: RESÍDUOS URBANOS QUE DEGRADAM O MEIO AMBIENTE

LIXO TECNOLÓGICO: RESÍDUOS URBANOS QUE DEGRADAM O MEIO AMBIENTE LIXO TECNOLÓGICO: RESÍDUOS URBANOS QUE DEGRADAM O MEIO AMBIENTE Cilmara Aparecida Ribeiro 1, José Paulo Reis Bretas Neto 2, Claudio Etelvino de Lima 3 1FATEC Faculdade de Tecnologia/Tecnólogo em Análise

Leia mais

Mostra de Projetos 2011

Mostra de Projetos 2011 Mostra de Projetos 2011 ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE UM PROJETO DE RECICLAGEM NA ÁREA DA INFORMÁTICA UMA DISCUSSÃO SOBRE O LIXO ELETRÔNICO NO MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON, PR. Mostra

Leia mais

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL MENDONÇA, Ana Maria Gonçalves Duarte. Universidade Federal de Campina Grande. E-mail: Ana.duartemendonca@gmail.com RESUMO

Leia mais

Relatório de Ações 2012-2013. Socioambientais

Relatório de Ações 2012-2013. Socioambientais Relatório de Ações 2012-2013 Socioambientais O compromisso com o investimento em ações sociais foi sempre uma prática do Grupo 7COMm e de seus colaboradores. Com a expansão de suas atividades e a modernização

Leia mais

Computadores, Sustentabilidade e Meio Ambiente. Allan da Silva Pinto, 5967791 Felipe Alves da Louza, 5633774 Jeffersson William Teixeira, 5890312

Computadores, Sustentabilidade e Meio Ambiente. Allan da Silva Pinto, 5967791 Felipe Alves da Louza, 5633774 Jeffersson William Teixeira, 5890312 Computadores, Sustentabilidade e Meio Ambiente Allan da Silva Pinto, 5967791 Felipe Alves da Louza, 5633774 Jeffersson William Teixeira, 5890312 Agenda Sustentabilidade TI Verde Consumismo Tecnológico

Leia mais

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA:

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: 1 ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X ) TECNOLOGIA REAPROVEITAMENTO DE COMPUTADORES DOADOS

Leia mais

CONSCIENTIZAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO: OS DESAFIOS DO 1º MUTIRÃO DO LIXO ELETRÔNICO NOS MUNICÍPIOS DE SOLÂNEA E BANANEIRAS - PB

CONSCIENTIZAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO: OS DESAFIOS DO 1º MUTIRÃO DO LIXO ELETRÔNICO NOS MUNICÍPIOS DE SOLÂNEA E BANANEIRAS - PB CONSCIENTIZAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO: OS DESAFIOS DO 1º MUTIRÃO DO LIXO ELETRÔNICO NOS MUNICÍPIOS DE SOLÂNEA E BANANEIRAS - PB RESUMO SILVA¹, Adelmo Faustino da ; RODRIGUES, Andreza Alves Guimarães; CAMPELO,

Leia mais

PROJETO AMIGOS DO PLANETA. Autor. Rose Mariah de Souza Ferreira. Gestora Ambiental

PROJETO AMIGOS DO PLANETA. Autor. Rose Mariah de Souza Ferreira. Gestora Ambiental PROJETO AMIGOS DO PLANETA Autor Rose Mariah de Souza Ferreira Gestora Ambiental Gravataí, março de 2011. Introdução Pensar em tornar o ambiente em que se vive sustentável, é direcionar ações capazes de

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER Conceito LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER É uma área da logística que atua de forma a gerenciar e operacionalizar o retorno de bens e materiais, após sua venda e consumo, às suas origens, agregando

Leia mais

O IMPACTO AMBIENTAL DA COMPUTAÇÃO

O IMPACTO AMBIENTAL DA COMPUTAÇÃO O IMPACTO AMBIENTAL DA COMPUTAÇÃO Tema 11 Grupo 03 Adriano José Ferreira Gasparini 5890114 Diogo Ferrari Meletto 5890201 Luiz Antonio Bezerra de Andrade 5967745 Tópicos: Impacto Ambiental: Lixo Eletrônico;

Leia mais

LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013

LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013 LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013 INSTITUI O PROJETO "DESTINO CERTO AO LIXO ELETRÔNICO DE FAGUNDES VARELA". JEAN FERNANDO SOTTILI, Prefeito Municipal de Fagundes Varela, no uso das atribuições que me

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

COOPERATIVA MONÇÕES DE COLETA SELETIVA DE PORTO FELIZ Rua: Anita Garibaldi, nº694- Jd. Primavera- Tel: PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA

COOPERATIVA MONÇÕES DE COLETA SELETIVA DE PORTO FELIZ Rua: Anita Garibaldi, nº694- Jd. Primavera- Tel: PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA PROJETO RECICLANDO COM CIDADANIA LOCAL DA INSTALAÇÃO: Razão Social: Cooperativa de Reciclagem Monções Nome Fantasia: Cooperativa Monções CNPJ: 12.522.788/0001-85 Endereço: R: Anita Garibaldi, nº694- Jd.

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere.

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. Março de 2015 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA HISTÓRICO

Leia mais

Os aspectos ambientais dos resíduos eletrônicos E-LIXO

Os aspectos ambientais dos resíduos eletrônicos E-LIXO Os aspectos ambientais dos resíduos eletrônicos E-LIXO Junho de 2009 Realidade Atual População Desenvolvimento Tecnológico Demanda de bens de consumo Aumento da demanda de produtos descartáveis aumento

Leia mais

www.computadoresparainclusao.gov.br

www.computadoresparainclusao.gov.br Fevereiro/2011 Eixos da Política de Inclusão Digital ESCOLAS PÚBLICAS TELECENTROS COMUNITÁRIOS Investimento em Conexão, Equipamentos, Recursos Humanos e Capacitação Processo de Avaliação Sistemática -

Leia mais

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade 1. Introdução O ciclo dos produtos na cadeia comercial não termina quando, após serem usados pelos consumidores, são descartados. Há muito se fala em reciclagem e reaproveitamento dos materiais utilizados.

Leia mais

Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla

Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla Maurício Brito de Sousa¹, Diogo Isamu de Almeida Okuno¹, Estefânia Fernandes Lopes¹, Flavio Rafael Cogo Ramos¹, Mariana de Assunção Rodrigues¹,

Leia mais

Programa Lixo e Cidadania

Programa Lixo e Cidadania Programa Lixo e Cidadania São Bernardo do Campo (SP) Elisabeth Grimberg e Sonia Lima in Segurança Alimentar e Nutricional: a contribuição das empresas para a sustentabilidade das iniciativas locais Fechar

Leia mais

Visão Sustentável sobre o Desenvolvimento de Embalagens

Visão Sustentável sobre o Desenvolvimento de Embalagens Fórum Varejo Sustentável Alternativas de Embalagens no Varejo Visão Sustentável sobre o Desenvolvimento de Embalagens Eloísa E. C. Garcia CETEA / ITAL VISÃO DE SUSTENTABILIDADE Consumo Sustentável é saber

Leia mais

Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A

Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A Programa de Gestão Ambiental Agosto de 2009 Programa de Gestão Ambiental Agosto de 2009 1 1. O Programa de Gestão Ambiental O Programa de Gestão Ambiental da

Leia mais

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS!

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! Cabo de Santo Agostinho, 2010 Descrição do Projeto Segundo a comissão Mundial sobre o Meio Ambiente

Leia mais

www.computadoresparainclusao.gov.br

www.computadoresparainclusao.gov.br Dezembro/2010 Eixos da Política de Inclusão Digital ESCOLAS PÚBLICAS TELECENTROS COMUNITÁRIOS Investimento em Conexão, Equipamentos, Recursos Humanos e Capacitação Processo de Avaliação Sistemática - Indicadores

Leia mais

SELETIVA SOLIDÁRIA E BOAS PRÁTICAS DE GESTÃO E USO DE ENERGIA ELÉTRICA E DE ÁGUA

SELETIVA SOLIDÁRIA E BOAS PRÁTICAS DE GESTÃO E USO DE ENERGIA ELÉTRICA E DE ÁGUA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIADO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PLANO DE AÇÃÕ 1. IDENTIFICAÇÃO 1. Título do Projeto:

Leia mais

Programa Permanente de Coleta Seletiva. Solidária do Arquivo Nacional

Programa Permanente de Coleta Seletiva. Solidária do Arquivo Nacional Solidária do Arquivo Nacional Programa Permanente de Coleta Seletiva Amparado pelo Decreto Federal 5.940/ 2006 - que prevê que todas as instituições federais passem a doar seus materiais recicláveis descartados

Leia mais

Reciclagem do e-lixo (ou lixo eletro-eletrônico)

Reciclagem do e-lixo (ou lixo eletro-eletrônico) Reciclagem do e-lixo (ou lixo eletro-eletrônico) Dérick DA COSTA FERREIRA (1); Josivan BEZERRA DA SILVA (2); Jean CARLOS DA SILVA GALDINO(3) (1) IFRN, T.V TENENTE AUGUSTO PINTO DE SOUSA 22, Centro, e-mail:

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

V FORUM DE GESTÃO AMBIENTAL. Carlos Afonso Instituto de Química. Universidade Federal do Rio de Janeiro

V FORUM DE GESTÃO AMBIENTAL. Carlos Afonso Instituto de Química. Universidade Federal do Rio de Janeiro V FORUM DE GESTÃO AMBIENTAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICAP Impactos SócioS cio-ambientais do LIXO ELETROELETRÔNICO Prof. Júlio J Carlos Afonso Instituto de Química Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasília,

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE 1 A ABRELPE Associação nacional, sem fins lucrativos, que congrega e representa as empresas prestadoras de serviços

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO.

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO. IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO. Tainá Teixeira Furtado*; Pamela Hélia de Oliveira; Ariane Borges de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PRORAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PEA PLANO DE AÇÃO Montanha ES 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 02 2. JUSTIFICATIVA... 03 3. OBJETIVO GERAL...

Leia mais

Site Terra, 05 de Junho de 2013

Site Terra, 05 de Junho de 2013 Site Terra, 05 de Junho de 2013 Mesmo com data para acabar, lixões subsistem no Brasil. Mais da metade dos municípios brasileiros não impõe a destinação adequada ao lixo. Assim, cerca de 75 mil toneladas

Leia mais

Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e. Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011

Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e. Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011 Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e logística reversa Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011 Relatório da Pesquisa Pagamento por Serviços Ambientais

Leia mais

COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E INTEGRAÇÃO CAMPUS EMPRESA IF-SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS MURIAÉ

COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E INTEGRAÇÃO CAMPUS EMPRESA IF-SUDESTE DE MINAS GERAIS CAMPUS MURIAÉ Em Busca dos 3Rs (REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR) 1. EQUIPE Coordenadora: Andrea Procópio Lourenço Técnica em Assuntos Educacionais Mariana Silva de Paiva Engenheira Agrônoma Professora Ana Tereza César

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Cristina R. Wolter Sabino de Freitas Departamento Ambiental O mundo será obrigado a se desenvolver de forma sustentável, ou seja, que preserve

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Práticas de sustentabilidade Ações que tenham como objetivo a construção de um novo modelo de cultura institucional visando a inserção de critérios de sustentabilidade

Leia mais

MELHORIAS IMPLANTADAS NO CENTRO DE RECICLAGEM DA VILA PAULICÉIA - SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP

MELHORIAS IMPLANTADAS NO CENTRO DE RECICLAGEM DA VILA PAULICÉIA - SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP MELHORIAS IMPLANTADAS NO CENTRO DE RECICLAGEM DA VILA PAULICÉIA - SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP Cristiane Ferreira, Fernanda Duran, Julia Lima e Juliana Santos Mercedes-Benz do Brasil Ltda. RESUMO O Centro

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO. EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO. Antonio Augusto Pereira de Sousa - aauepb@gmail.com 1 Djane de Fátima

Leia mais

RESULTADOS E DISCUSSÂO

RESULTADOS E DISCUSSÂO LIXO ELETRÔNICO - WIKI E-LIXO Origens e reaproveitamento Marcos Felipe Friske dos Santos 1 ; Angelo Augusto Frozza 2 RESUMO Este projeto surgiu com o intuito de dar uma nova função às máquinas caça-níqueis

Leia mais

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade Carla Fernanda Mueller, carla@deps.ufsc.br 1. Introdução O ciclo dos produtos na cadeia comercial não termina quando, após serem usados pelos consumidores,

Leia mais

Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos

Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos 147 Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos VIABILIDADE DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA NO IFPB CAMPUS PRINCESA ISABEL: CARACTERIZAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS Queliane Alves da Silva 1 ; Ana Lígia

Leia mais

Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA

Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA Rio de Janeiro (RJ), 31 de Agosto de 2012. Heverthon Jeronimo da Rocha Gerente Técnico de Meio Ambienta - URBANA Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos do Município de Natal Área 170,298

Leia mais

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink 1 Para a, o que é sustentabilidade? É a forma mais eficaz para alcançarmos resultados consistentes, buscando soluções integradas que envolvam aspectos sociais, tecnológicos, econômicos e ambientais, de

Leia mais

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida.

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Plástico é Energia Esta cidade que você está vendo aí de cima tem uma população aproximada de 70.000 mil habitantes e

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS Título do Podcast Área Segmento Duração Consumo, consumismo e impacto humano no meio ambiente Ciências Humanas Ensino Fundamental; Ensino Médio 6min29seg Habilidades:

Leia mais

RECICLAGEM DE LIXO ELETRÔNICO: EXPERIÊNCIA NA UFCG CAMPUS DE CAJAZEIRAS

RECICLAGEM DE LIXO ELETRÔNICO: EXPERIÊNCIA NA UFCG CAMPUS DE CAJAZEIRAS RECICLAGEM DE LIXO ELETRÔNICO: EXPERIÊNCIA NA UFCG CAMPUS DE CAJAZEIRAS Edilson Leite da Silva 1 ; Francisca da Silva 2 ; Otoniel Anacleto Estrela Filho 2 Centro de Formação de Professores (CFP) da Universidade

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

CNPJ: 11.028.088/0001-76

CNPJ: 11.028.088/0001-76 Centro de Vivencia Ecológica e Cultural Entidade da sociedade civil sem fins lucrativos de caráter ecológico, cultural e social. (Fundada em 10 de Julho de 2009) CNPJ: 11.028.088/00-76 1.Nome do projeto

Leia mais

PROJETO. Lixo Eletrônico

PROJETO. Lixo Eletrônico CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Pró-reitora de Graduação e-mail: prograd@unifeb.edu.com PROJETO Lixo Eletrônico JUNHO/2015 Nome do projeto: Lixo Eletrônico (Reciclagem, reaproveitamento

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

20o. Prêmio Expressão de Ecologia

20o. Prêmio Expressão de Ecologia 20o. Prêmio Expressão de Ecologia 2012-2013 Separação dos resíduos recicláveis Coleta seletiva no pátio Separação dos resíduos no laboratório Central de resíduos e estação de tratamento de esgoto Capacitação

Leia mais

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ Autores: Raphaella Rodrigues de Oliveira Gerente de Hotelaria; Rafael Saad Coordenador Administrativo.

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E APLICAÇÃO DA LEI 12.305/2010 PARA O DESCARTE DE COMPUTADORES E NOTEBOOKS.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E APLICAÇÃO DA LEI 12.305/2010 PARA O DESCARTE DE COMPUTADORES E NOTEBOOKS. - 1-1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E APLICAÇÃO DA LEI 12.305/2010 PARA O DESCARTE DE COMPUTADORES E NOTEBOOKS. Carlos Rogério dos Santos Carvalho 1 Karen dos Santos Carvalho 2 Palavras-chave: Lixo tecnológico -

Leia mais

Diretoria de Projetos Socioambientais

Diretoria de Projetos Socioambientais Objetivo Diretoria de Projetos Socioambientais Objetivo do Projeto Ecoeventus Projeto Ecoeventus é o alicerce de um Programa de Educação Ambiental Formal adotado com intuito de mobilizar participantes

Leia mais

ÍNDICE ORIENTAÇÕES AO CONSUMIDOR CADEIA PRODUTIVA MAIS SUSTENTÁVEL NOSSO HISTÓRICO AMBIENTAL. TI Verde

ÍNDICE ORIENTAÇÕES AO CONSUMIDOR CADEIA PRODUTIVA MAIS SUSTENTÁVEL NOSSO HISTÓRICO AMBIENTAL. TI Verde ORIENTAÇÕES AO CONSUMIDOR INTRODUÇÃO... 03 RECICLE SEU COMPUTADOR POSITIVO... 03 CICLO PRODUTIVO - LOGÍSTICA REVERSA... 04 RECICLAR É PRECISO... 04 DICAS DE USO CONSCIENTE... 05 CADEIA PRODUTIVA MAIS SUSTENTÁVEL

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM DOIS BAIRROS DE CLASSES SOCIAIS DISTINTAS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL DA PALHA ES

CARACTERIZAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM DOIS BAIRROS DE CLASSES SOCIAIS DISTINTAS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL DA PALHA ES CARACTERIZAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM DOIS BAIRROS DE CLASSES SOCIAIS DISTINTAS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL DA PALHA ES Leandro Cezar Valbusa Bragato¹ Acadêmico de Engenharia Ambiental

Leia mais

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE CONSELHEIRO LAFAIETE MG 2012 PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE JUSTIFICATIVA O Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete tem como princípio desempenhar seu

Leia mais

E-LIXO COMO DIMINUIR AS CONSEQÜÊNCIAS CAUSADAS PELO LIXO ELETRÔNICO, EM BUSCA DE UMA INFORMÁTICA SUSTENTÁVEL

E-LIXO COMO DIMINUIR AS CONSEQÜÊNCIAS CAUSADAS PELO LIXO ELETRÔNICO, EM BUSCA DE UMA INFORMÁTICA SUSTENTÁVEL E-LIXO COMO DIMINUIR AS CONSEQÜÊNCIAS CAUSADAS PELO LIXO ELETRÔNICO, EM BUSCA DE UMA INFORMÁTICA SUSTENTÁVEL Eduardo Henrique D ARRUIZ 1 Pedro Fernando CATANEO 2 RESUMO: Nesta pesquisa apresentam-se problemas

Leia mais

FRANQUIA O BOTICÁRIO TRÊS RIOS (RJ) RESPEITO AO MEIO AMBIENTE

FRANQUIA O BOTICÁRIO TRÊS RIOS (RJ) RESPEITO AO MEIO AMBIENTE FRANQUIA O BOTICÁRIO TRÊS RIOS (RJ) RESPEITO AO MEIO AMBIENTE RESUMO Numa sociedade cada vez mais consciente, a proteção ao meio ambiente passa a ser objetivo de atenção de franquias com um posicionamento

Leia mais

Projeto SeparAção INTRODUÇÃO OBJETIVO GERAL Objetivos específicos

Projeto SeparAção INTRODUÇÃO OBJETIVO GERAL Objetivos específicos Projeto SeparAção INTRODUÇÃO Há muito tempo o homem vem utilizando os recursos naturais que ele encontra em seu habitat e a cada ano que passa, novas formas de uso são descobertas. O maior problema dessa

Leia mais

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 DISCIPLINA - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Integrantes: Adriano de Oliveira RA: 14759 Karina

Leia mais

RECICLANDO PELA VIDA IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM UM ÓRGÃO DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA

RECICLANDO PELA VIDA IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM UM ÓRGÃO DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA RECICLANDO PELA VIDA IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM UM ÓRGÃO DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA Kelma Maria Nobre Vitorino (Orientadora) Química industrial pela UFC, 1988. Mestrado em Engenharia Sanitária e Ambiental

Leia mais

PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO

PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO Maria do Socorro dos Santos EEEFM José Soares de Carvalho socorrosantosgba@gmail.com Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

Eixo Temático ET-13-003 - Educação Ambiental

Eixo Temático ET-13-003 - Educação Ambiental 482 Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - Vol. 2: Congestas 2014 Eixo Temático ET-13-003 - Educação Ambiental OS DESAFIOS DO LIXO NOS DIVERSOS AMBIENTES Viviane Susy de

Leia mais

A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE. Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625

A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE. Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625 A EMPRESA COMO MODELO DE SUSTENTABILIDADE Barbara Augusta PAULETO¹ RGM 071257 Fabiane Aparecida RODRIGUES¹ RGM 072625 Renato Francisco Saldanha SILVA² Ailton EUGENIO 3 Resumo Muitas empresas mostram ser

Leia mais

: 011 - GESTÃO PÚBLICA DA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE E SANEAMENTO BÁSICO JUSTIFICATIVA: A

: 011 - GESTÃO PÚBLICA DA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE E SANEAMENTO BÁSICO JUSTIFICATIVA: A Indicadores do Programa Unidade de Medida Índice recente LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS - ANEXO III - METAS E PRIORIDADES PROGRAMA: 011 - GESTÃO PÚBLICA DA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE E SANEAMENTO

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

Comissão de Sustentabilidade Campus Verde UNIFAL-MG. Ações realizadas em 2014 SUBCOMISSÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Comissão de Sustentabilidade Campus Verde UNIFAL-MG. Ações realizadas em 2014 SUBCOMISSÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Comissão de Sustentabilidade Campus Verde Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 Alfenas/MG - CEP 37.130-000 Fone (35) 3299-1062 http://www.unifal-mg.edu.br/sustentabilidade

Leia mais

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini O lixo é conhecido como os restos das atividades humanas considerados inúteis, indesejáveis e descartáveis. No entanto, separado nos seus

Leia mais

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL SOUZA,I.C. ;BUFAIÇAL,D.S.S;SANTOS,M.D.;ARANTES,S.S.;XAVIER,L.;FERREIRA,G.K.S; OLIVEIRA,B.A.;PAGOTTO,W.W.B.S.;SILVA,R.P.;SANTOS.L.G.;SANTOS.F.F.S.;FRANCO,R.

Leia mais

I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental I COBESA

I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental I COBESA I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental I COBESA DESCARTE DE BATERIAS DE CELULARES E REGULAMENTAÇÃO CONAMA 257/99 E 263/99: UM ESTUDO COM CONSUMIDORES NUM COMPLEXO DE INDÚSTRIAS NO MUNICÍPIO

Leia mais

CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS

CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS 1 João Lopes da Silva Neto; 2 Juciery Samara Campos Oliveira; 3 Thayana Santiago Mendes; 4 Geovana do Socorro Vasconcelos Martins 1 (AUTOR) Discente

Leia mais

Sistema de Produção e Escoamento de Gás e Condensado no Campo de Mexilhão, Bacia de Santos

Sistema de Produção e Escoamento de Gás e Condensado no Campo de Mexilhão, Bacia de Santos Sistema de Produção e Escoamento de Gás e Condensado no Campo de Mexilhão, Bacia de Santos (Unidade de Tratamento e Processamento de Gás Monteiro Lobato UTGCA) 3º Relatório Semestral Programa de gerenciamento

Leia mais

PLANO DE TRABALHO PARA IMPLANTAÇÃO DA A3P CNPJ/MF 10.565.000/0001-92 CEP 50.030-230 CPF 342.246.884-68 CEP 52.041-170

PLANO DE TRABALHO PARA IMPLANTAÇÃO DA A3P CNPJ/MF 10.565.000/0001-92 CEP 50.030-230 CPF 342.246.884-68 CEP 52.041-170 PLANO DE TRABALHO PARA IMPLANTAÇÃO DA A3P 1. DADOS CADASTRAIS Órgão SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE Endereço CAIS DO APOLO, Nº 925, BAIRRO DO RECIFE Cidade RECIFE UF PE Nome do Responsável MARCELO AUGUSTO

Leia mais

COLETA DE LIXO TECNOLÓGICO

COLETA DE LIXO TECNOLÓGICO COLETA DE LIXO TECNOLÓGICO SANTOS, A. B. RESUMO O uso das novas tecnologias vem alterando significativamente o cenário das nossas empresas, indústrias, prestação de serviços de diversas áreas, como estamos

Leia mais

Magazine Meio Ambiente

Magazine Meio Ambiente Página 1 de 5 Magazine Meio Ambiente MEIO AMBIENTE Dez atitudes domésticas ecologicamente corretas Publicado a 28 Janeiro 2011 por Danielrox01 Substituir sacolas de plástico A sacola de plástico é a atual

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE 12:43 Page 1 INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE Jardins é Page 2 LIXO UM PROBLEMA DE TODOS Reduzir a quantidade de lixo é um compromisso de todos. Uma pessoa é capaz

Leia mais

ACONTECENDO? O QUE ESTÁ O QUE PODEMOS FAZER?

ACONTECENDO? O QUE ESTÁ O QUE PODEMOS FAZER? O QUE ESTÁ ACONTECENDO? O futuro é uma incógnita. As tendências são preocupantes, mas uma coisa é certa: cada um tem de fazer sua parte. Todos somos responsáveis. A atual forma de relacionamento da humanidade

Leia mais

ambiente e para a saúde da comunidade, esta percepção não se tem traduzido em ações efetivas que possibilitem mudanças qualitativas na situação

ambiente e para a saúde da comunidade, esta percepção não se tem traduzido em ações efetivas que possibilitem mudanças qualitativas na situação GERENCIAMENTO DO LIXO NA CIDADE DE ESPERANÇA PB: UMA QUESTÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Joanilma dos Santos SILVA 1, Gabriele de OLIVEIRA 1, Aline Pereira RODRIGUES¹, Hellen Regina Guimarães da SILVA 1, Mário

Leia mais

UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O LIXO INTEGRANDO: UNIVERSIDADE, ESCOLA E COMUNIDADE

UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O LIXO INTEGRANDO: UNIVERSIDADE, ESCOLA E COMUNIDADE UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O LIXO INTEGRANDO: UNIVERSIDADE, ESCOLA E COMUNIDADE Resumo COSTA, Josiane da 1 - UNILA ONOFRIO, Alvaro Barcellos 2 - UNILA Grupo de Trabalho - Educação

Leia mais

PROJETO MOVIMENTE CRONOGRAMAS DE ATIVIDADES

PROJETO MOVIMENTE CRONOGRAMAS DE ATIVIDADES PROJETO MOVIMENTE O projeto MOVIMENTE pretende desenvolver o espírito de liderança, responsabilidade e respeito para com o próximo, fazendo com que os estudantes tornem-se totalmente responsáveis por seus

Leia mais

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 1.223/2013 DE 16 DE ABRIL DE 2013. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA DE COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA ALTA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE CACHOEIRA ALTA, Estado de Goiás, por

Leia mais

CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL DE CATU E OS SEUS DESAFIOS AO ASSOCIATIVISMO

CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL DE CATU E OS SEUS DESAFIOS AO ASSOCIATIVISMO CATADORES DE MATERIAL RECICLÁVEL DE CATU E OS SEUS DESAFIOS AO ASSOCIATIVISMO Joana Fidelis da Paixão (*), Esaú Alisson Sousa Santos, Lizza Adrielle Nascimento Santos * Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Reciclagem de Pilha e Bateria de Celular

Reciclagem de Pilha e Bateria de Celular Reciclagem de Pilha e Bateria de Celular Escola Estadual Mário Casassanta. Rua João Antunes Siqueira, 200 Centro Piranguçu MG CEP 37511-000 Público Alvo: Alunos do ensino fundamental e médio da E.E. Mário

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP SILVA V. L. da 1 ; SOUZA T. R. 1 ; RIBEIRO J. S. G. 1 ; CARDOSO C. F. 1 ; SILVA, C. V. da 2. 1 Discentes do Curso de Ciências Biológicas FAP 2

Leia mais

Projeto de Sustentabilidade Recicla Mundo

Projeto de Sustentabilidade Recicla Mundo Projeto de Sustentabilidade Recicla Mundo Shopping Eldorado A) Dados da Empresa Em um terreno de 74 mil m², o Shopping Eldorado, inaugurado em 10 de setembro de 1981, consumiu investimentos na ordem de

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ PROGRAMA DE GESTÃO SOCIOAMBIENTAL. Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (Modelo Sugestivo)

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ PROGRAMA DE GESTÃO SOCIOAMBIENTAL. Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (Modelo Sugestivo) MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ PROGRAMA DE GESTÃO SOCIOAMBIENTAL Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (Modelo Sugestivo) Comarca de xxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx / 2013 1. IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais