PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP"

Transcrição

1 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP SILVA V. L. da 1 ; SOUZA T. R. 1 ; RIBEIRO J. S. G. 1 ; CARDOSO C. F. 1 ; SILVA, C. V. da 2. 1 Discentes do Curso de Ciências Biológicas FAP 2 Docente da Faculdade de Apucarana RESUMO Este trabalho está sendo realizado como parte do Projeto RECICLAFAP desenvolvido com apoio da FUNPESQ. Ele tem o objetivo de implantar na FAP um sistema de coleta seletiva, onde os alunos, professores e funcionários podem trazer materiais recicláveis como plásticos, papéis, pilhas, óleos e outros. O objetivo deste trabalho é a conscientização da comunidade acadêmica, sobre a importância de separar os resíduos e assim desviá-los do aterro sanitário que já possui um grande acúmulo de materiais. PALAVRAS CHAVE: Coleta seletiva; Sustentabilidade; Meio Ambiente. ABSTRACT This work is being conducted as part of Project RECICLAFAP developed with support from FUNPESQ. It aims to deploy a system in FAP selective collection, where students, faculty and staff can bring recyclable materials such as plastics, paper, batteries, and other oils. The objective of this work is the academic community awareness about the importance of separating the waste and thus divert them from the landfill that already has a large accumulation of materials. KEYWORS: Selective collection; Sustainability, Environment. INTRODUÇÃO A população economicamente ativa tem se tornado cada vez mais consumista e quanto maior o crescimento econômico de uma região, maior a produção de lixo,

2 aumentando com isso, o desperdício de recursos naturais e energéticos para produzir os bens de consumo. O acúmulo de lixo é um fenômeno exclusivo das sociedades humanas. Em um sistema natural não há lixo: o que não serve mais para um ser vivo é absorvido por outros, de maneira contínua. No Município de Apucarana PR, de acordo com dados da Prefeitura Municipal, são produzidas cerca de 80 toneladas por mês de lixo, lançados sem qualquer estudo de preocupação ambiental e social no aterro sanitário da cidade. Com isso, faz-se necessário cada vez mais, o desenvolvimento de projetos que auxiliem no desvio destes materiais para o aterro sanitário, o que pode ser conseguido através do reaproveitamento e reciclagem destes resíduos que compõem grande parte do lixo produzido. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, lixo é qualquer coisa que seu proprietário não quer mais e que não possui valor comercial. Portanto, pode-se concluir que o resíduo sólido, separado na sua origem, ou seja, nas residências e empresas, e destinado à reciclagem, não podem ser considerados como lixo, e sim, matéria prima ou insumo para a indústria ou outros processos de produção, com valor comercial. O objetivo deste trabalho consiste na introdução para a comunidade acadêmica da Faculdade de Apucarana da prática de coleta seletiva e o que ela representa no desvio considerável de resíduos que vão para o aterro sanitário municipal. REFERENCIAIS TEÓRICO METODOLÓGICOS Localizada no noroeste do Paraná, a cidade de Apucarana, sofre como todas as outras cidades no Brasil, do problema envolvendo o gerenciamento de resíduos sólidos domiciliares e as consequências por causa de seu aumento desenfreado. Conforme Rodrigues e Calvinatto (2006), o mundo está na era dos descartáveis, pois os diferentes materiais passaram a ser produzidos em larga escala. Esse comportamento é reflexo do modo de vida moderno e ágil dos grandes centros, onde quanto mais riqueza possui determinada região, maior será a sua produção total de lixo. De acordo com o IBAM, 2001, denomina-se reciclagem a separação e o beneficiamento industrial de materiais presentes nos resíduos sólidos urbanos, tais como papéis, plásticos, vidros, metais. Esses materiais são novamente transformados em produtos comercializáveis no

3 mercado de consumo. A partir de 1999, surge então, por iniciativa da igreja católica, a Cooperativa dos Catadores de Apucarana (COCAP), que em seguida passou a contar com o auxílio da prefeitura para fazer parte do gerenciamento dos resíduos sólidos da cidade. Depois de passar pela cooperativa, o material é comprado por intermediários que, adquirindo em grandes quantidades, vendem para empresas privadas de reciclagem. Desta forma, a reciclagem é uma saída para amenizar a quantidade de lixo produzida por cada pessoa. Ela já é empregada em muitas cidades do mundo desenvolvidas e subdesenvolvidas, e consiste na separação e recuperação dos diferentes tipos de materiais orgânicos e inorgânicos (vidros, papel, plástico, metal, etc.). Com o objetivo de diminuir este problema, a coleta seletiva é considerada um importante instrumento de controle e redução de envio de lixo doméstico para áreas que frequentemente são degradadas pela sua disposição incorreta proporcionada pelo modo de vida alienado da sociedade humana (PENATTI; SILVA; 2008). CONCLUSÃO Os alunos participantes do projeto adquiriram latões para montar estações de coleta seletiva em diferentes pontos da FAP com o intuito de facilitar a deposição de materiais recicláveis por parte dos alunos, funcionários e professores. Este projeto tem sido acompanhado semanalmente através da pesagem dos materiais depositados (Figura 1). A B Figura 1. Alunos preparando os tambores para utilização nas estações de coleta seletiva. Em B estação de coleta seletiva monatada no bloco I do câmpus da FAP.

4 Os materiais recicláveis recolhidos estão sendo pesados separadamente, em cada grupo de reciclável: papel, plástico, vidro e outros. A figura 2 mostra a quantificação total de materiais recicláveis no período de três meses, comparando a coleta, antes da montagem das estações de coleta seletiva (Coleta 1) com a coleta após a implantação dos pontos específicos para coleta dos recicláveis (Coleta 2). No período de três meses em que foi analisada a deposição de materiais antes e após a implantação das estações de coleta seletiva, pode-se perceber um aumento de 751% na deposição de materiais recicláveis nas estações de coleta seletiva montadas em diferentes pontos da FAP Kg º 2º 3º Total Coleta 1 Coleta 2 Coleta 1 1,4 2,3 0,8 4,5 Coleta 2 11,5 6,6 15,7 33,8 Período de levantamento Figura 2. Gráfico mostrando a quantificação em quilograma total dos materiais recicláveis depositadas antes e após a montagem das estações de reciclagem no câmpus da FAP. Também foi observado um maior interesse dos alunos participantes do Projeto RECICLAFAP sobre as questões ambientais, que envolvem a gestão de resíduos sólidos. Deste interesse surgiu a ideia de realizar visitas ao Aterro Sanitário e a Cooperativa de Catadores da cidade de Apucarana. Pode-se perceber uma efetiva participação da comunidade da FAP na deposição de materiais recicláveis após serem colocados os pontos de identificação para coleta seletiva.

5 A B Figura 3. Em A os alunos do projeto RECICLAFAP em visita ao Aterro Sanitário de Apucarana. Em B visita à Cooperativa de Catadores da cidade de Apucarana. É importante ressaltar que no período da coleta 1, a Faculdade já contava com vários pontos contendo lixeiras ecológicas. No entanto, após a montagem das estações de coleta seletiva do projeto e divulgação nas salas de aula, os alunos começaram a se conscientizar da importância deste pequeno gesto de separação dos materiais que estão sendo destinados à Cooperativa de Catadores de Apucarana. REFERENCIAS IBAM. Instituto Brasileiro de Administração Municipal. Manual Integrado de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Rio de Janeiro: IBAM, p. 200, PENATTI, Fabio Eduardo e SILVA, Paulo Marcos. Coleta seletiva como processo de implantação de programas de educação ambiental e empresas: caso da Bioagri laboratórios. I Simpósio de Pós-Graduação em Geografia do Estado de São Paulo. Rio Claro-SP, RODRIGUES, Francisco L. & CALVINATTO, Vilma M. Lixo De onde vem? Para onde vai?, 2ª Ed. Moderna: São Paulo, 2006.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UM AMBIENTE UNIVERSITÁRIO: ESTUDO DE CASO DO CESUMAR, MARINGÁ - PR

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UM AMBIENTE UNIVERSITÁRIO: ESTUDO DE CASO DO CESUMAR, MARINGÁ - PR EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UM AMBIENTE UNIVERSITÁRIO: ESTUDO DE CASO DO CESUMAR, MARINGÁ - PR angélica da silva de oliveira 1 ;Adriana dos Santos Maulais 1 ; Rosilene Luciana Delariva

Leia mais

COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS

COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS ALVES, Jéssica B. 1 NETO, João B. 1 SOBRAL, Jozias M. 1 SILVA, Kelvin L. S. da 1 PETITTO, Sônia 2 PERRI, Ricardo Alves 3 RESUMO A coleta seletiva é uma forma de

Leia mais

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL MENDONÇA, Ana Maria Gonçalves Duarte. Universidade Federal de Campina Grande. E-mail: Ana.duartemendonca@gmail.com RESUMO

Leia mais

PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC RECICLAGEM DE LIXO

PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC RECICLAGEM DE LIXO PROJETO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC RECICLAGEM DE LIXO Anayla dos Santos Sousa Joana D arc de Sousa Rodrigues Floresta 2013 CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA - FIC 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL SOUZA,I.C. ;BUFAIÇAL,D.S.S;SANTOS,M.D.;ARANTES,S.S.;XAVIER,L.;FERREIRA,G.K.S; OLIVEIRA,B.A.;PAGOTTO,W.W.B.S.;SILVA,R.P.;SANTOS.L.G.;SANTOS.F.F.S.;FRANCO,R.

Leia mais

AVALIAÇÃO SOBRE A COLETA SELETIVA EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE APUCARANA PR

AVALIAÇÃO SOBRE A COLETA SELETIVA EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE APUCARANA PR AVALIAÇÃO SOBRE A COLETA SELETIVA EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE APUCARANA PR MONARO, G.V 1 ; SILVA, C.V da 2. 1-Graduando em Ciências Biológicas na FAP- Faculdade de Apucarana 2-Mestre e docente da FAP- Faculdade

Leia mais

V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014

V Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E GERENCIAMENTO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS DOMÉSTICOS EM ÁREA URBANA: ESTUDO DE CASO EM MUNICÍPIO DE PEQUENO PORTE Aline Ferrão Custodio Passini (*), Guilherme Barros,

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com TRATAMENTO Série de procedimentos destinados a reduzir a quantidade ou o potencial poluidor dos

Leia mais

PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL 2012

PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL 2012 PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL 2012 ( X ) ENSINO ( ) PESQUISA ( X ) EXTENSÃO 1. Título: Conscientização Ambiental - Coleta Seletiva no Ambiente Escolar das Faculdades FIP/Magsul e Magsul; Área temática:

Leia mais

APOIO E REAÇÕES AOS EQUIPAMENTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA EM TOLEDO - PR

APOIO E REAÇÕES AOS EQUIPAMENTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA EM TOLEDO - PR APOIO E REAÇÕES AOS EQUIPAMENTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA EM TOLEDO - PR Tainara IankaMaas Acadêmica de Iniciação Científica do curso de Geografia da Unioeste, campus de Mal. C. Rondon-PR, Integrante do Laboratório

Leia mais

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE CONSELHEIRO LAFAIETE MG 2012 PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE JUSTIFICATIVA O Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete tem como princípio desempenhar seu

Leia mais

PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL 2013

PROJETO DAS FACULDADES MAGSUL 2013 Pedagogia: Aut. Dec. nº 93110 de 13/08/86 / Reconhecido Port. Nº 717 de 21/12/89/ Renovação Rec. Port. nº 3.648 de 17/10/2005 Educação Física: Aut. Port. nº 766 de 31/05/00 / Rec. Port. nº 3.755 de 24/10/05

Leia mais

RECICLANDO ATITUDES. Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ;

RECICLANDO ATITUDES. Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ; RECICLANDO ATITUDES Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ; 1 Farmacêutica, Bioquímica e Pós Graduada em Educação Ambiental- Professora

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE RESOLUÇÃO CONEMA Nº 56 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013. ESTABELECE CRITÉRIOS PARA A INEXIGIBILIDADE DE

Leia mais

Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção.

Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção. Reciclagem, Sustentabilidade e Coleta Seletiva a experiência em Viçosa - MG, uma missão do Projeto InterAção. Nádia D. de Souza 1 Kátia G. de Laia 2 Mariana O. Silva 3 Estevão L. M. Gomes 4 Tiago L. A.

Leia mais

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59 PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 4 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 LIXO NO LIXO Dá para

Leia mais

Uma Ação Extensionista em Construção Frente ao Problema do Lixo Produzido num Campus Universitário 1

Uma Ação Extensionista em Construção Frente ao Problema do Lixo Produzido num Campus Universitário 1 Uma Ação Extensionista em Construção Frente ao Problema do Lixo Produzido num Campus Universitário 1 Vinícius Augusto Morais, 9º módulo de Engenharia Florestal/UFLA, vemorais@bol.com.br; Kelly Lopes Silva,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere.

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. Março de 2015 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA HISTÓRICO

Leia mais

Coleta Seletiva : Desafios e Oportunidades

Coleta Seletiva : Desafios e Oportunidades Coleta Seletiva : Desafios e Oportunidades Experiências e estratégias para coleta e reciclagem de embalagens longa vida ABSTRACT O gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos é uma das questões ambientais

Leia mais

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 NRE: Ivaiporã Nome do Professor: Nilson Marques de Oliveira Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 Escola: Escola Estadual Vicente Machado Ensino

Leia mais

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 DISCIPLINA - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Integrantes: Adriano de Oliveira RA: 14759 Karina

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

REVISÃO DE MATEMÁTICA PG 2ª Unidade Letiva / 2015 NOME DO ALUNO: Nº TURMA: 6J

REVISÃO DE MATEMÁTICA PG 2ª Unidade Letiva / 2015 NOME DO ALUNO: Nº TURMA: 6J REVISÃO DE MATEMÁTICA PG 2ª Unidade Letiva / 2015 PROFESSORA: ERICA FERRÃO BORTOLUCCI REVISÃO 08 6ª ANO NOME DO ALUNO: Nº TURMA: 6J Observações gerais Leia com atenção! preencha corretamente o cabeçalho;

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG RESUMO

AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG RESUMO 1 AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG Letícia Alves Pacheco 1 Kênia Ribas de Assis 2 Mariana da Costa J. Miranda 3 Eliane Aparecida de Souza 4 RESUMO A questão do

Leia mais

Programa Permanente de Coleta Seletiva. Solidária do Arquivo Nacional

Programa Permanente de Coleta Seletiva. Solidária do Arquivo Nacional Solidária do Arquivo Nacional Programa Permanente de Coleta Seletiva Amparado pelo Decreto Federal 5.940/ 2006 - que prevê que todas as instituições federais passem a doar seus materiais recicláveis descartados

Leia mais

TÍTULO AUTORES ÁREA TEMÁTICA Objetivo: DEDICATÓRIA

TÍTULO AUTORES ÁREA TEMÁTICA Objetivo: DEDICATÓRIA TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO DOS CATADORES DE PAPEL NO COMÉRCIO DE FEIRA DE SANTANA -BA AUTORES: Celso Luiz P. da Silva, Clairton Batista Vieira, Gilmar Matias P. Júnior, Wilson Dourado Lima, Maria de Fátima

Leia mais

Comissão de Sustentabilidade Campus Verde UNIFAL-MG. Ações realizadas em 2014 SUBCOMISSÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Comissão de Sustentabilidade Campus Verde UNIFAL-MG. Ações realizadas em 2014 SUBCOMISSÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Comissão de Sustentabilidade Campus Verde Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 Alfenas/MG - CEP 37.130-000 Fone (35) 3299-1062 http://www.unifal-mg.edu.br/sustentabilidade

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO SIRLENE DE SOUZA B. DAS VIRGENS PROJETO: AMIGOS DO MEIO AMBIENTE

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO SIRLENE DE SOUZA B. DAS VIRGENS PROJETO: AMIGOS DO MEIO AMBIENTE ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO SIRLENE DE SOUZA B. DAS VIRGENS PROJETO: AMIGOS DO MEIO AMBIENTE IVINHEMA MS AGOSTO/2011 ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO SIRLENE DE SOUZA B. DAS VIRGENS PROJETO:

Leia mais

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida.

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Plástico é Energia Esta cidade que você está vendo aí de cima tem uma população aproximada de 70.000 mil habitantes e

Leia mais

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA 1 QUALIDADE DA COLETA E A NECESSIDADE DE UMA CONSCIÊNCIA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NA CIDADE DE GOIANA Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA RESUMO O consumismo da

Leia mais

Logística Reversa. Guia rápido

Logística Reversa. Guia rápido Logística Reversa Guia rápido 1 Apresentação Em 2010 foi sancionada pelo Governo Federal, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, na qual, dentre outros temas, constam exigências às empresas quanto à

Leia mais

PROJETO. Lixo Eletrônico

PROJETO. Lixo Eletrônico CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Pró-reitora de Graduação e-mail: prograd@unifeb.edu.com PROJETO Lixo Eletrônico JUNHO/2015 Nome do projeto: Lixo Eletrônico (Reciclagem, reaproveitamento

Leia mais

EVOLUÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE BENTO GONÇALVES, R.S.- NO PERÍODO DE 1993 A 2001.

EVOLUÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE BENTO GONÇALVES, R.S.- NO PERÍODO DE 1993 A 2001. EVOLUÇÃO DA GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE BENTO GONÇALVES, R.S.- NO PERÍODO DE 1993 A 2001. Vania Elisabete Schneider (1)(*) : Departamento de Ciências Exatas e da Natureza (DCEN/CARVI).

Leia mais

TÍTULO: A ALFACE E O LIXO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ARQUITETURA E URBANISMO

TÍTULO: A ALFACE E O LIXO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ARQUITETURA E URBANISMO TÍTULO: A ALFACE E O LIXO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: INSTITUIÇÃO: FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS AUTOR(ES): CÁSSIA QUÉREN HAPUQUE AZEVEDO DE ALMEIDA, CARLOS CESAR

Leia mais

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem

Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem Shopping Iguatemi Campinas Reciclagem 1) COMO FUNCIONA? O PROBLEMA OU SITUAÇÃO ANTERIOR Anteriormente, todos os resíduos recicláveis ou não (com exceção do papelão), ou seja, papel, plásticos, vidros,

Leia mais

TÍTULO: A COLETA DO LIXO RECICLÁVEL E O SEU IMPACTO SOCIOAMBIENTAL NA CIDADE DE CATANDUVA

TÍTULO: A COLETA DO LIXO RECICLÁVEL E O SEU IMPACTO SOCIOAMBIENTAL NA CIDADE DE CATANDUVA TÍTULO: A COLETA DO LIXO RECICLÁVEL E O SEU IMPACTO SOCIOAMBIENTAL NA CIDADE DE CATANDUVA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS

Leia mais

Resíduos Sólidos. Diagnóstico Regional Resíduos Sólidos Urbanos

Resíduos Sólidos. Diagnóstico Regional Resíduos Sólidos Urbanos Diagnóstico Regional Resíduos Sólidos Urbanos 1 Diagnóstico regional Geração média resíduos na região: 1,0 kg/hab/dia Média nacional: 1,1 kg/hab/dia Alta temporada: acréscimo estimado em 54% do total gerado

Leia mais

Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI

Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI ABELARDO LUZ - SC Agosto de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE DIRECÇÃO ACADÉMICA PLANIFICAÇÃO SEMESTRAL

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE DIRECÇÃO ACADÉMICA PLANIFICAÇÃO SEMESTRAL I. IDENTIFICAÇÃO UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE DIRECÇÃO ACADÉMICA PLANIFICAÇÃO SEMESTRAL Área(s) de Formação: AFAGE 1 () AFCJU 2 () AFCTE 3 (X) Disciplina: Gestão de Resíduos Sólidos Licenciatura:

Leia mais

FACEMA SUSTENTÁVEL: Incorporação de educação ambiental na IES: Pedro Augusto da Silva Soares

FACEMA SUSTENTÁVEL: Incorporação de educação ambiental na IES: Pedro Augusto da Silva Soares FACEMA SUSTENTÁVEL: Incorporação de educação ambiental na IES: Pedro Augusto da Silva Soares Faculdade de ciências e tecnologia do maranhão-facema Caxias/MA pedroftb@hotmail.com.br/coor.educacaoambiental@facema.edu.br

Leia mais

Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10

Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10 A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA EM LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei 12.305/10

Leia mais

O terceiro passo foi a construção e análise de gráfico Produção de lixo doméstico por residência:

O terceiro passo foi a construção e análise de gráfico Produção de lixo doméstico por residência: Consumo, lixo e Cidadania Alunos do 8º ano aprofundam estudo do tema nas aulas de Geografia O projeto interdisciplinar Consumo, lixo e cidadania, que vem sendo desenvolvido com as turmas de 8º ano, está

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Cenário brasileiro de resíduos sólidos Aumento da: População nas cidades 50% mundial 85% Brasil (IBGE, 2010).

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR

EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR ARNOR, Asneth Êmilly de Oliveira; DA SILVA, Ana Maria Gomes; DA SILVA, Ana Paula; DA SILVA, Tatiana Graduanda em Pedagogia -UFPB-

Leia mais

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos

São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos São José dos Campos e a Política Nacional de Resíduos Sólidos Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Este sistema garante tratamento e destino adequado aos resíduos gerados na cidade, de modo que eles não

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental

Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental Gestão dos resíduos sólidos, reciclagem e sustentabilidade ambiental Grupo: Fabiana Augusta César Irene Benevides Vinícius Tôrres Pires Samira Chantre Gestão de Resíduos Sólidos Gestão/gerir:Administrar,dirigir,

Leia mais

INICIO O morador de rua ainda é percebido como um vagabundo, que utiliza a caridade privada e a assistência governamental "espertamente", mas morador de rua é cidadão. É preciso ajudá-lo a encontrar meios

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE DE POÁ, SP.

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE DE POÁ, SP. TÍTULO: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE DE POÁ, SP. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PROJETO PILOTO DE IMPLANTAÇÃO DE PONTOS DE ENTREGA VOLUNTÁRIA (PVE) NO MUNICÍPIO DE MONTANHA -ES Montanha ES Abril / 2014 1 SUMÁRIO 1.

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO?

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? Eixo Temático -Ser Humano e Saúde. Tema -O que Fazer com Tanto Lixo? Subtema - Qualidade de Vida: A Saúde Individual, Coletiva e Ambiental. Ano/Série

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO.

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO. IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MACHADO. Tainá Teixeira Furtado*; Pamela Hélia de Oliveira; Ariane Borges de

Leia mais

CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS

CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS CONSCIENTIZAÇÃO DO USO E DESCARTE DAS PILHAS E BATERIAS 1 João Lopes da Silva Neto; 2 Juciery Samara Campos Oliveira; 3 Thayana Santiago Mendes; 4 Geovana do Socorro Vasconcelos Martins 1 (AUTOR) Discente

Leia mais

PROGRAMA COLETA SELETIVA DE LIXO

PROGRAMA COLETA SELETIVA DE LIXO PREFEITURA MUNICIPAL DE CORUMBATAÍ PROGRAMA COLETA SELETIVA DE LIXO Lixo tem Endereço, Recicle um Mundo Melhor! LUCILENE DE AQUINO Bióloga, Especialista na área de Coleta Seletiva UNESP/Rio Claro. Mestranda

Leia mais

VAMOS FAZER MENOS LIXO: REDUÇÃO REUTILIZAÇÃO REDUÇÃO, REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM

VAMOS FAZER MENOS LIXO: REDUÇÃO REUTILIZAÇÃO REDUÇÃO, REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM 1 VAMOS FAZER MENOS LIXO: REDUÇÃO, REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM POLÍTICA DOS 3 R S: consiste na aplicação dos seguintes princípios, por ordem de prioridade: REDUÇÃO da quantidade de resíduos produzidos e

Leia mais

Projeto SeparAção INTRODUÇÃO OBJETIVO GERAL Objetivos específicos

Projeto SeparAção INTRODUÇÃO OBJETIVO GERAL Objetivos específicos Projeto SeparAção INTRODUÇÃO Há muito tempo o homem vem utilizando os recursos naturais que ele encontra em seu habitat e a cada ano que passa, novas formas de uso são descobertas. O maior problema dessa

Leia mais

Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos

Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos 147 Eixo Temático ET-03-016 - Gestão de Resíduos Sólidos VIABILIDADE DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA NO IFPB CAMPUS PRINCESA ISABEL: CARACTERIZAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS Queliane Alves da Silva 1 ; Ana Lígia

Leia mais

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA COLETA SELETIVA Conheça algumas medidas importantes para não poluir o meio ambiente na hora de jogar fora o seu lixo Já é inquestionável hoje a importância da reciclagem

Leia mais

PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na escola

PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na escola ESCOLA MUNICIPAL COSTA E SILVA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na escola MARECHAL CÂNDIDO RONDON, JULHO DE 2011. RESUMO: O presente

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RESIDUOS SOLIDOS: PROPOSTAS PARA A SENSIBILIZAÇÃO ESTUDANTIL EM TEODORO SAMPAIO, SP

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RESIDUOS SOLIDOS: PROPOSTAS PARA A SENSIBILIZAÇÃO ESTUDANTIL EM TEODORO SAMPAIO, SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 471 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RESIDUOS SOLIDOS: PROPOSTAS PARA A SENSIBILIZAÇÃO ESTUDANTIL EM TEODORO SAMPAIO, SP Leonice

Leia mais

Sistema de coleta seletiva dos resíduos sólidos domiciliares produzidos na cidade de Aquidauana

Sistema de coleta seletiva dos resíduos sólidos domiciliares produzidos na cidade de Aquidauana Sistema de coleta seletiva dos resíduos sólidos domiciliares produzidos na cidade de Aquidauana Paulo Roberto Joia¹ & Maria do Socorro Ferreira da Silva¹, (¹UFMS/CPAQ) E-mail: rjoia@terra.com.br ¹UFMS/CPAQ,

Leia mais

Programa de Coleta Seletiva da Prefeitura do Campus 15 Anos de Parcerias Sustentáveis

Programa de Coleta Seletiva da Prefeitura do Campus 15 Anos de Parcerias Sustentáveis Programa de Coleta Seletiva da Prefeitura do Campus 15 Anos de Parcerias Sustentáveis Minimização O manejo ambientalmente saudável do resíduo sólido urbano deve ir além do simples depósito ou aproveitamento

Leia mais

A TEMÁTICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A TEMÁTICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A TEMÁTICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Geisieli Rita de Oliveira 1 ge_baronesa@hotmail.com Manuela Tavares Moreira 1 manuelamoreira92@gmail.com Catarina Teixeira 2 - catarinabio@hotmail.com

Leia mais

Base Legal para a Reciclagem no Brasil em comparação com os EUA e a União Européia.

Base Legal para a Reciclagem no Brasil em comparação com os EUA e a União Européia. Base Legal para a Reciclagem no Brasil em comparação com os EUA e a União Européia. Aluna: Thaísa Silveira Nascimento Curso: Engenharia Ambiental Professor: Ricardo Motta Pinto Coelho O que é a Reciclagem?

Leia mais

CONSCIENTIZAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO: OS DESAFIOS DO 1º MUTIRÃO DO LIXO ELETRÔNICO NOS MUNICÍPIOS DE SOLÂNEA E BANANEIRAS - PB

CONSCIENTIZAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO: OS DESAFIOS DO 1º MUTIRÃO DO LIXO ELETRÔNICO NOS MUNICÍPIOS DE SOLÂNEA E BANANEIRAS - PB CONSCIENTIZAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO: OS DESAFIOS DO 1º MUTIRÃO DO LIXO ELETRÔNICO NOS MUNICÍPIOS DE SOLÂNEA E BANANEIRAS - PB RESUMO SILVA¹, Adelmo Faustino da ; RODRIGUES, Andreza Alves Guimarães; CAMPELO,

Leia mais

Lixo, sustentabilidade e educação Mudar o meio ambiente através da sociedade, uma missão do Projeto InterAção

Lixo, sustentabilidade e educação Mudar o meio ambiente através da sociedade, uma missão do Projeto InterAção Lixo, sustentabilidade e educação Mudar o meio ambiente através da sociedade, uma missão do Projeto InterAção Garbage, sustainability and education - Change the environment through society, a mission of

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN

CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DA RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ-RN Romênia Gurgel Vieira romeniavieira@hotmail.com Mestranda do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM DOIS BAIRROS DE CLASSES SOCIAIS DISTINTAS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL DA PALHA ES

CARACTERIZAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM DOIS BAIRROS DE CLASSES SOCIAIS DISTINTAS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL DA PALHA ES CARACTERIZAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM DOIS BAIRROS DE CLASSES SOCIAIS DISTINTAS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL DA PALHA ES Leandro Cezar Valbusa Bragato¹ Acadêmico de Engenharia Ambiental

Leia mais

PROGRAMA Goiânia, 2008

PROGRAMA Goiânia, 2008 PROGRAMA Goiânia, 2008 A Problemática dos Resíduos Sólidos Ambiental A Problemática dos Saúde Social Resíduos Sólidos A Problemática dos Resíduos Sólidos Gestão Geração Aterro Sanitário 1.200 ton./dia

Leia mais

BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP

BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDO (Turma 2010) Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/dep_biologia_animal/be310 O IMPACTO DA TECNOLOGIA DE RECICLAGEM DE EMBALAGENS LONGA VIDA EM BARÃO GERALDO

Leia mais

TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR

TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR TESTE SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO Nº 001/2014 DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS MUNICÍPIO DE MARMELEIRO-PR CADERNO DE PROVA CARGO: ESTAGIÁRIO DO DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE

Leia mais

TÍTULO: IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM FACULDADE PRIVADA NO INTERIOR DE MINAS GERAIS

TÍTULO: IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM FACULDADE PRIVADA NO INTERIOR DE MINAS GERAIS TÍTULO: IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM FACULDADE PRIVADA NO INTERIOR DE MINAS GERAIS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE PITÁGORAS

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE 12:43 Page 1 INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE Jardins é Page 2 LIXO UM PROBLEMA DE TODOS Reduzir a quantidade de lixo é um compromisso de todos. Uma pessoa é capaz

Leia mais

A VARIAÇÃO DOS PREÇOS DO MATERIAL SELETIVO COMERCIALIZADO NO BRASIL

A VARIAÇÃO DOS PREÇOS DO MATERIAL SELETIVO COMERCIALIZADO NO BRASIL A VARIAÇÃO DOS PREÇOS DO MATERIAL SELETIVO COMERCIALIZADO NO BRASIL Darci Barnech Campani Coordenador da Coordenaria de Gestão Ambiental da UFRGS Telefone: 3308 3572 e-mail: campani@ufrgs.br Guilherme

Leia mais

Jardim Escola Aladdin

Jardim Escola Aladdin Jardim Escola Aladdin Os 4 Rs da Sustentabilidade Rio de janeiro 2016 Objetivo geral Esse projeto tem como objetivo promover o envolvimento dos alunos, professores, pais e comunidade em defesa à sustentabilidade

Leia mais

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS!

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! Cabo de Santo Agostinho, 2010 Descrição do Projeto Segundo a comissão Mundial sobre o Meio Ambiente

Leia mais

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental Programa de Gestão Ambiental Cartilha Ambiental Índice Responsabilidade Ambiental 1. Responsabilidade Ambiental 2. Organograma 4. Política Ambiental 6. Coleta Seletiva Interna 12. Dicas Importantes A preocupação

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS

LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Uma Mudança

Leia mais

Município de Dois Irmãos. Maio, 2012

Município de Dois Irmãos. Maio, 2012 Município de Dois Irmãos Maio, 2012 ABRANGÊNCIA RESÍDUOS SÓLIDOS ESGOTAMENTO SANITÁRIO ABASTECIMENTO DE ÁGUA DRENAGEM PLUVIAL Lei N 11.445/2007, que estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento

Leia mais

CATEGORIA: Pôster Eixo Temático - Tecnologias DIAGNÓSTICO E MONITORAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO CAMPUS LUIZ DE QUEIROZ

CATEGORIA: Pôster Eixo Temático - Tecnologias DIAGNÓSTICO E MONITORAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO CAMPUS LUIZ DE QUEIROZ CATEGORIA: Pôster Eixo Temático - Tecnologias DIAGNÓSTICO E MONITORAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO CAMPUS LUIZ DE QUEIROZ Nathália Bernardes Ribeiro 1 Izabela da Silveira Cardoso 2 Guilherme Aleoni 3 Miguel

Leia mais

Ideal Qualificação Profissional

Ideal Qualificação Profissional 2 0 1 1 Finalista Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Vencedora Estadual - SP Categoria Serviços de Educação 2 0 1 2 Finalista Nacional Categoria Serviços de Educação Apresentação O desenvolvimento

Leia mais

RECICLANDO PELA VIDA IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM UM ÓRGÃO DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA

RECICLANDO PELA VIDA IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM UM ÓRGÃO DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA RECICLANDO PELA VIDA IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM UM ÓRGÃO DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA Kelma Maria Nobre Vitorino (Orientadora) Química industrial pela UFC, 1988. Mestrado em Engenharia Sanitária e Ambiental

Leia mais

ESTUDO DA VALORAÇÃO ECONÔMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE RECIFE/PE

ESTUDO DA VALORAÇÃO ECONÔMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE RECIFE/PE ESTUDO DA VALORAÇÃO ECONÔMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES NO MUNICÍPIO DE RECIFE/PE Diogo Henrique Fernandes da Paz (1) Discente de Engenharia Agrícola e Ambiental na Universidade Federal Rural de

Leia mais

Projeto Piloto Gerenciamento de Resíduos Sólidos ( Sairé)

Projeto Piloto Gerenciamento de Resíduos Sólidos ( Sairé) Projeto Piloto Gerenciamento de Resíduos Sólidos ( Sairé) Objetivo do Projeto: Promover o correto gerenciamento integrado dos resíduos sólidos urbanos nas Cidades de pequeno e médio porte. ( população

Leia mais

Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS

Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS 198 Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS Isailma da Silva Araújo; Luanna Nari Freitas de Lima; Juliana Ribeiro dos Reis; Robson

Leia mais

DELIMITAÇÃO DO OBJETO Empresa de embalagem em EPS para alimentos, localizada em Arujá/SP, no período compreendido entre agosto e outubro de 2007.

DELIMITAÇÃO DO OBJETO Empresa de embalagem em EPS para alimentos, localizada em Arujá/SP, no período compreendido entre agosto e outubro de 2007. RECICLAGEM DE ISOPOR - ALTERNATIVA DE SUSTENTABILIDADE Talita Cristina Castellani Orientadora: Prof.ª MSc. Maria Cristina Tagliari Diniz Co-Orientação Esp. Ivan Michaltchuk Coordenação Geral do Prof. MSc.

Leia mais

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB

Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB 203 Eixo Temático ET-03-035 - Gestão de Resíduos Sólidos IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE RESÍDUO SÓLIDO NO MUNICIPIO DE BONITO DE SANTA FÉ-PB Tarcísio Valério da Costa Universidade Federal da Paraíba/Pró

Leia mais

Eixo Temático ET-13-003 - Educação Ambiental

Eixo Temático ET-13-003 - Educação Ambiental 482 Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - Vol. 2: Congestas 2014 Eixo Temático ET-13-003 - Educação Ambiental OS DESAFIOS DO LIXO NOS DIVERSOS AMBIENTES Viviane Susy de

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA PUCRS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA PUCRS PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA PUCRS Outubro de 2007 PUCRS Campus Central 240 mil m 2 de área construída Mais de 30 prédios População: 30 mil pessoas A Comissão de Gerenciamento de Resíduos da

Leia mais

Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla

Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla Avaliação do Desenvolvimento do Projeto PET-Geologia Recicla Maurício Brito de Sousa¹, Diogo Isamu de Almeida Okuno¹, Estefânia Fernandes Lopes¹, Flavio Rafael Cogo Ramos¹, Mariana de Assunção Rodrigues¹,

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

uma responsabilidade de todos nós

uma responsabilidade de todos nós uma responsabilidade de todos nós Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Estado do Meio Ambiente Coordenadoria de Planejamento Ambiental Estratégico e Educação Ambiental Lixo, uma responsabilidade

Leia mais

PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na comunidade

PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na comunidade ESCOLA MUNICIPAL COSTA E SILVA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na comunidade Cursistas: Giana K. Mass, Irdes P. Kuhn, Rosane

Leia mais

A mídia como ferramenta na educação ambiental: um estudo qualitativo sobre a conscientização da segregação de resíduos sólidos urbanos

A mídia como ferramenta na educação ambiental: um estudo qualitativo sobre a conscientização da segregação de resíduos sólidos urbanos A mídia como ferramenta na educação ambiental: um estudo qualitativo sobre a conscientização da segregação de resíduos sólidos urbanos Biol. Lena Maris Mazzotti Ribeiro MSc. Engenharia Ambiental Tecnologias

Leia mais

PROJETO CAVALO DE LATA CICLO PALESTRAS ABRALATAS 2013 BELO HORIZONTE MG

PROJETO CAVALO DE LATA CICLO PALESTRAS ABRALATAS 2013 BELO HORIZONTE MG PROJETO CAVALO DE LATA CICLO PALESTRAS ABRALATAS 2013 BELO HORIZONTE MG O QUE É O CAVALO DE LATA? O Cavalo de Lata é um sonho antigo, que depois de muitas pesquisas e conversas informais, se torna cada

Leia mais

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini

Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini Políticas Públicas Resíduos e Reciclagem. Sérgio Henrique Forini O lixo é conhecido como os restos das atividades humanas considerados inúteis, indesejáveis e descartáveis. No entanto, separado nos seus

Leia mais