15 MEDIDAS PRINCIPAIS DA REFORMA DO IRS MEDIDAS DE PROTEÇÃO DA FAMÍLIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "15 MEDIDAS PRINCIPAIS DA REFORMA DO IRS MEDIDAS DE PROTEÇÃO DA FAMÍLIA"

Transcrição

1 15 MEDIDAS PRINCIPAIS DA REFORMA DO IRS MEDIDAS DE PROTEÇÃO DA FAMÍLIA 1. Alargamento do Quociente Familiar no IRS O sistema atualmente em vigor consagra o quociente conjugal. De acordo com esse regime, o rendimento coletável da família é dividido por 2, aplicando-se a taxa de IRS de acordo com esse resultado. Pela 1º vez é criado o quociente familiar no IRS, o que representa uma mudança estrutural da maior relevância para as famílias portuguesas: A partir de 2015, os filhos e os ascendentes a cargo (por exemplo os avós) passarão a ser considerados no IRS de cada família. O quociente familiar começa com o ponderador de 0,3 por filho ou ascendente, como a Comissão de Reforma tinha proposto. Por outro lado o benefício total para as famílias da aplicação do quociente pode ir até 2.000, sendo introduzidos limites crescentes em função da dimensão do agregado familiar: 600 para agregados com um filho/ascendente a cargo para agregados com dois filhos/ascendentes a cargo; para agregados com três ou mais filhos/ascendentes a cargo. Para reforçar os efeitos do quociente familiar, a ponderação por filho deverá crescer para 0,4 em 2016 e para 0,5 em 2017, e o limite máximo do benefício para euros em 2016 e euros em 2017, aproximando-se do regime mais efetivo na Europa (França). Ao estabelecer-se um regime com benefícios progressivos conforme a dimensão do agregado, o Governo tem a preocupação da equidade. Ao estabelecer-se um limite global, o Governo tem a preocupação da não regressividade. Esta alteração da política fiscal portuguesa visa não só proteger as famílias com filhos e ascendentes a cargo, mas também contribuir, juntamente com outras políticas familiares, para criar melhores condições para promover a natalidade e, assim, inverter o défice demográfico que Portugal enfrenta nos dias de hoje. Esta medida é absolutamente vital para: Proteger as famílias com filhos ou as que os querem ter, não penalizando as famílias que não têm filhos Contribuir, juntamente com outras políticas familiares, para criar melhores condições para promover a natalidade e inverter o défice demográfico que Portugal enfrenta nos dias de hoje. Criar melhores condições para que as famílias possam acolher em casa os avós com rendimentos mais frágeis 1

2 2. Novo regime de deduções que abrange todas as despesas familiares A Reforma do IRS proposta pelo Governo prevê uma alteração substancial do atual regime de deduções fixas e variáveis em sede de IRS. pela 1º vez, um novo regime de deduções que abrange todas as despesas familiares Esta alteração de paradigma visa atingir 4 objetivos primordiais: Com esta reforma, todo o tipo de despesas realizado pelas famílias será relevante para efeitos de IRS, com um limite até 600 por casal. São reforçadas as deduções fixas dos filhos e ascendentes, que acrescem aos benefícios do quociente familiar. A dedução por ascendente a cargo é reforçada para 300 euros e a dedução por filho é aumentada para 325 euros. É também reforçada para 15% a percentagem de dedução por despesas de saúde e mantida a dedução à coleta por exigência de fatura (beneficio e-fatura): 15% do IVA incorrido na aquisição em 4 sectores (limite 250 ) Trata-se de um reforço sem precedentes do combate à fraude e evasão fiscais: o reforço do combate à fraude e evasão fiscais levarão a um aumento da receita do IRS, mas também do IVA. Este novo regime de deduções baseia-se no sistema e-fatura o que garante um regime simples e sem burocracia, ao mesmo tempo que permite à administração fiscal prépreencher a declaração de IRS Com esta solução as famílias sem filhos não têm qualquer penalização com o novo regime de deduções. 3. Criação dos vales sociais de educação para filhos até 25 anos Como medida de apoio ao esforço económico que as famílias realizam para a educação dos seus filhos, esta Reforma do IRS permite que as entidades patronais possam pagar parte dos vencimentos aos seus trabalhadores (categoria A) em vales sociais de educação ( ticket escola ), excluídos de tributação em IRS. Estes vales podem ser utilizados para pagamento de serviços escolares para filhos até 25 anos a idade. Desta forma, são abrangidos também os estudantes universitários, facilitando o acesso dos filhos ao ensino superior. Esta medida permite uma maior flexibilidade na forma de remuneração dos trabalhadores e um incentivo fiscal para suportar despesas de educação dos filhos até completarem o seu ciclo de estudos. 2

3 4. Fim da discriminação fiscal do casamento Nesta Reforma é proposto que a tributação separada do casal seja a regra no IRS, salvaguardando-se, no entanto, a possibilidade de opção pela tributação conjunta. Com esta mudança estrutural do IRS, que acompanha os regimes fiscais da esmagadora maioria dos países da União Europeia, pretende-se simplificar e reduzir significativamente as obrigações declarativas dos contribuintes. A manutenção da possibilidade da tributação conjunta justifica-se pelo facto de esta forma de apuramento do imposto proteger os casais em que os contribuintes obtenham rendimentos de valores díspares, nomeadamente em situações de desemprego de um dos sujeitos passivos. 5. Alargamento do conceito de dependente para efeitos de tributação da família A partir de 2015, todos os filhos com idade até 25 anos que ainda residem com os seus pais e que ainda não aufiram rendimentos, passam a ser considerados dependentes para efeitos de IRS. Esta medida visa salvaguardar especialmente as situações de jovens desempregados que hoje afectam as famílias portuguesas. 6. Venda do imóvel para amortizar empréstimos beneficia de exclusão de tributação das mais-valias Nesta Reforma é proposta, de forma transitória (até 2020), a exclusão de tributação dos ganhos (mais valias) obtidos com a alienação de prédios, afetos a habitação própria, quando o valor da alienação seja utilizado no pagamento ou amortização parcial de empréstimos contraídos para a sua aquisição. Esta medida fiscal visa proteger as famílias que enfrentam dificuldades em solver os seus compromissos assumidos para aquisição da sua habitação, excluindo de tributação eventuais ganhos na venda desses imóveis. 3

4 MEDIDAS DE PROMOÇÃO DA MOBILIDADE SOCIAL 7. Apoio à mobilidade geográfica dos trabalhadores no interior do país A Reforma do IRS proposta pelo Governo prevê uma exclusão de tributação para a compensação recebida pelos trabalhadores por conta de outrem que aceitem ir trabalhar para uma localidade situada a mais de 100 quilómetros do seu domicílio. Esta medida visa promover a mobilidade geográfica dos trabalhadores e facilitar a aceitação de empregos, nomeadamente no interior do país, em coerência com o reforço dos incentivos fiscais de apoio aos investimentos no interior do país no âmbito do Código Fiscal do Investimento. Este regime é alargado de modo a abranger não só a compensação recebida, como também as despesas e encargos suportados diretamente pela entidade patronal com a deslocação (despesas de transporte) que assim não são considerados rendimento em espécie do trabalhador. 8. Apoio ao empreendedorismo individual Os trabalhadores por conta de outrem que iniciarem uma atividade económica por conta própria passam a beneficiar de uma redução de IRS de 50% no 1.º ano e de 25% no 2.º ano. Esta medida visa promover fortemente o empreendedorismo individual e apoiar o início da atividade empresarial por parte dos contribuintes, como forma de promoção do investimento privado e criação de emprego. Esta medida também abrange os desempregados que iniciem uma atividade económica por conta própria. 9. Criação de um regime para expatriados De forma a apoiar o esforço de internacionalização das empresas portuguesas, o Governo introduz um regime de tributação para expatriados já a partir de Com este regime, o rendimento pago a título de compensação para quem se desloca para fora do país, passa estar isento de tributação, até ao limite de

5 10. Atos isolados na categoria B A Reforma do IRS, motivada essencialmente pelo desejo de promover a progressiva integração de jovens do mercado de trabalho, nomeadamente estudantes, a qual muitas vezes acontece pela realização de tarefas pontuais remuneradas, propõe que o rendimento obtido pela prática do que a lei designa por atos isolados, quando não exceda anualmente 1.676,88 (o valor correspondente a quatro vezes o montante do Indexante de Apoios Sociais (IAS), fique isento de IRS, sem exigência do cumprimento de quaisquer obrigações declarativas por parte dos beneficiários. 11. Alargamento das despesas dedutíveis no âmbito dos rendimentos prediais Esta reforma propõe a consagração do arrendamento como atividade económica e, consequentemente, a possibilidade de dedução da maioria dos gastos que sejam efetivamente suportados e pagos pelo contribuinte que aufira rendimentos prediais. 12. Alargamento do incentivo fiscal à poupança A presente Reforma do IRS alarga o regime de tratamento fiscal mais favorável aplicável aos seguros de capitalização a outras formas de poupança com prazos de imobilização equivalentes de 5 e 8 anos (nomeadamente a depósitos a prazo), como forma de incentivar a poupança dos contribuintes individuais. MEDIDAS DE SIMPLIFICAÇÃO 13. Alargamento da dispensa de entrega de declarações A Reforma do IRS propõe o alargamento do regime de dispensa de entrega de declaração de rendimentos a todos os contribuintes que se encontram abrangidos pelo mínimo de existência e que apenas aufiram de rendimentos da categoria A e H. Esta medida, de carácter estrutural, visa eliminar as obrigações declarativas de mais de 2 milhões de famílias e reduzir os custos de contexto de uma parte significativa dos contribuintes portugueses. Por fim, a administração fiscal fica obrigada a emitir uma certidão comprovativa dos rendimentos auferidos por estes contribuintes dispensados de entregar declaração (utilizando os dados que já possui), para poder ser utilizada para efeitos de apoios sociais. 5

6 14. Criação da declaração simplificada de IRS Todos os contribuintes que estejam abrangidas pela tributação separada passarão a beneficiar de uma declaração simplificada. Esta declaração estará totalmente prépreenchida pela administração fiscal e os contribuintes apenas terão que a confirmar com um simples ato de aceitação, caso concordarem com o seu conteúdo. Esta medida tem evidentes vantagens ao nível da redução dos atuais custos de cumprimento. Esta medida permitirá reduzir significativamente as obrigações declarativas de um universo potencial de 1,7 milhões de famílias em Portugal. 15. Eliminação de outras obrigações declarativas (simplificação) A Reforma do IRS materializa soluções que permitem dispensar de obrigações declarativas (cerca de 30 obrigações declarativas) um elevado número de contribuintes e, em muitos outros casos, a redução de tais obrigações a um ato de simples confirmação de uma liquidação pré-elaborada pelos serviços. Demonstra-se assim a capacidade de reduzir e facilitar, em muito, os deveres de cooperação que ora recaem sobre os contribuintes e sobre terceiros, sem que seja posta em causa a segurança da liquidação e a cobrança do imposto. A título de exemplo, propõe-se a eliminação da necessidade de obter, até 31 de janeiro de cada ano, uma carta da entidade pagadora de rendimentos de capitais (juros de contas a prazo, por exemplo), que comprove os montantes pagos e retidos no ano anterior, para efeitos de englobamento dos rendimentos. 6

COMISSÃO DE REFORMA DO IRS UMA REFORMA DO IRS ORIENTADA PARA A FAMÍLIA, A SIMPLIFICAÇÃO E A MOBILIDADE SOCIAL

COMISSÃO DE REFORMA DO IRS UMA REFORMA DO IRS ORIENTADA PARA A FAMÍLIA, A SIMPLIFICAÇÃO E A MOBILIDADE SOCIAL COMISSÃO DE REFORMA DO IRS UMA REFORMA DO IRS ORIENTADA PARA A FAMÍLIA, A SIMPLIFICAÇÃO E A MOBILIDADE SOCIAL REFORMA DO IRS O sucesso desta reforma será medido pelo compromisso que tiver com as famílias

Leia mais

Tributação dos advogados , delegação de Viana do Castelo

Tributação dos advogados , delegação de Viana do Castelo Tributação dos advogados 04-03-2015, delegação de Viana do Castelo Introdução Tributação dos advogados: - -advogadode empresa categoriaa - IRS regime simplificado cat. B - IRS Contabilidade organizada

Leia mais

PERSPETIVAS DE REFORMA DO IRS. Miguel Sousa e Silva

PERSPETIVAS DE REFORMA DO IRS. Miguel Sousa e Silva PERSPETIVAS DE REFORMA DO IRS Miguel Sousa e Silva Objetivos da reforma Proteção da família. Fomento da mobilidade social e geográfica. Simplificação do imposto. Proteção da família Quociente familiar:

Leia mais

FISCALIDADE DE EMPRESA II

FISCALIDADE DE EMPRESA II FISCALIDADE DE EMPRESA II Questionário Ano 2006 Carlos Manuel Freitas Lázaro 1 1. É tributado como rendimento da categoria B: A) A indemnização paga pela companhia de seguros a empresário em nome individual,

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 256/XII/4ª

PROPOSTA DE LEI N.º 256/XII/4ª PROPOSTA DE LEI N.º 256/XII/4ª Procede à reforma da tributação das pessoas singulares, orientada para a família, para a simplificação e para a mobilidade social, alterando o Código do Imposto sobre o Rendimento

Leia mais

MODELO 3 IRS IMPRESSO 2013 CAMPANHA DE ENTREGA DAS DECLARAÇÕES IRS 2012

MODELO 3 IRS IMPRESSO 2013 CAMPANHA DE ENTREGA DAS DECLARAÇÕES IRS 2012 MODELO 3 IRS IMPRESSO 2013 CAMPANHA DE ENTREGA DAS DECLARAÇÕES IRS 2012 QUEM DEVE APRESENTAR A DECLARAÇÃO Os sujeitos passivos residentes quando estes ou os dependentes que integram o agregado familiar

Leia mais

CEJ - Seminário sobre Arrendamento Urbano

CEJ - Seminário sobre Arrendamento Urbano CEJ - Seminário sobre Arrendamento Urbano Arrendamento e Direito Fiscal Paula Rosado Pereira Professora da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa 15 de abril de 2016 Tributação em IRS dos rendimentos

Leia mais

Lei do Orçamento do Estado para Alterações relevantes em sede de IRS:

Lei do Orçamento do Estado para Alterações relevantes em sede de IRS: Guia Fiscal IRS 2014 Esta informação é um resumo dos benefícios fiscais associados a produtos comercializados pelo NOVO BANCO, constantes da Lei do Orçamento do Estado (OE) para 2014 - Lei nº. 83-C/2013,

Leia mais

LEI 42/2016 DE 28 DE DEZEMBRO O.E Artigo 190.º do OE Alteração ao Código do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares

LEI 42/2016 DE 28 DE DEZEMBRO O.E Artigo 190.º do OE Alteração ao Código do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares IRS Janeiro 2017 LEI 42/2016 DE 28 DE DEZEMBRO O.E. 2017 Artigo 190.º do OE Alteração ao Código do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares Os artigos 3.º, 28.º, 31.º, 33.º, 41.º, 43.º, 56.º-A,

Leia mais

Caderno de Exercícios Práticos. Imposto sobre o Rendimento. das Pessoas Singulares (IRS)

Caderno de Exercícios Práticos. Imposto sobre o Rendimento. das Pessoas Singulares (IRS) INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO Caderno de Exercícios Práticos Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) UC: Fiscalidade Empresarial Curso: Gestão Docentes:

Leia mais

Regras Técnicas

Regras Técnicas Regras Técnicas 2007-2008 2008 Considerando o regime de atribuição de bolsas de estudo a estudantes do Ensino Superior Público, determino os critérios e procedimentos técnicos a adoptar pelos Serviços

Leia mais

Medidas Fiscais: Impostos sobre o Rendimento TITLE. Samuel Fernandes de Almeida

Medidas Fiscais: Impostos sobre o Rendimento TITLE. Samuel Fernandes de Almeida Medidas Fiscais: Impostos sobre o Rendimento TITLE Samuel Fernandes de Almeida 1 ÍNDICE Dados macroeconómicos / Caracterização das receitas fiscais Estrutura das receitas fiscais no Orçamento do Estado

Leia mais

A R E F O R M A D O I R S : F A M Í L I A, M O B I L I D A D E E S I M P L I F I C A Ç Ã O F I S C A L

A R E F O R M A D O I R S : F A M Í L I A, M O B I L I D A D E E S I M P L I F I C A Ç Ã O F I S C A L i N º 2 1 / 1 4 A R E F O R M A D O I R S : F A M Í L I A, M O B I L I D A D E E S I M P L I F I C A Ç Ã O F I S C A L TAX & BUSINESS A presente Informação Fiscal destina-se a ser distribuída entre Clientes

Leia mais

IRS 2013 QUEM ESTÁ DISPENSADO DE APRESENTAÇÃO DE DECLARAÇÃO DE IRS?

IRS 2013 QUEM ESTÁ DISPENSADO DE APRESENTAÇÃO DE DECLARAÇÃO DE IRS? QUEM ESTÁ DISPENSADO DE APRESENTAÇÃO DE DECLARAÇÃO DE IRS? Os contribuintes que apenas tenham obtido rendimentos sujeitos às taxas liberatórias Ou que só tenham obtido rendimentos de pensões pagas por

Leia mais

O IRS no Orçamento do Estado para Audit Tax Advisory Consulting

O IRS no Orçamento do Estado para Audit Tax Advisory Consulting Audit Tax Advisory Consulting Tributação "Subsídio de Refeição" Tributado na parte que exceder em 50% o limite legal ou 70% se for atribuído através de vales de refeição Tributado na parte que exceder

Leia mais

CIRCULAR ORÇAMENTO ESTADO 2015

CIRCULAR ORÇAMENTO ESTADO 2015 EMPRESAS E IRC Descida da taxa de IRC (após 01.01.2015) de 23% para 21% Para PME continuam a aplicar-se os dois escalões: 17% para os primeiro 15.000 de lucro tributável 21% para o excedente a 15.000 de

Leia mais

Orçamento do Estado 2013 Medidas que fazem diferença

Orçamento do Estado 2013 Medidas que fazem diferença Orçamento do Estado 2013 Medidas que fazem diferença Dezembro 2012 Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) 2012 Deloitte & Associados SROC, S.A. Categoria A Rendimentos do trabalho dependente

Leia mais

Como fazer o IRS? 10 MARÇO DE 2012

Como fazer o IRS? 10 MARÇO DE 2012 Como fazer o IRS? 10 MARÇO DE 2012 Incidência do IRS O IRS incide sobre os rendimentos obtidos por pessoas singulares RESIDENTES São tributados pela globalidade dos rendimentos obtidos (em Portugal e

Leia mais

Reforma do IRS Principais medidas do Anteprojeto da Comissão

Reforma do IRS Principais medidas do Anteprojeto da Comissão 22 de julho de 2014 Reforma do IRS Principais medidas do Anteprojeto da Comissão A Comissão para a Reforma do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS), nomeada pelo Secretário de Estado

Leia mais

RESOLUÇÃO CASO PRÁTICO Nº 1 IRS DA FAMÍLIA ANACLETO

RESOLUÇÃO CASO PRÁTICO Nº 1 IRS DA FAMÍLIA ANACLETO RESOLUÇÃO CASO PRÁTICO Nº 1 IRS DA FAMÍLIA ANACLETO 1º PASSO = DETERMINAÇÃO DE QUEM E DE O QUÊ = INCIDÊNCIA Incidência pessoal Sujeitos passivos = Sebastião e Dulce (art. 13º, nº 1 + art. 16º, nº 1, a))

Leia mais

Fisco clarifica alterações a várias declarações fiscais

Fisco clarifica alterações a várias declarações fiscais 03-02-12 - Fisco clarifica alterações a várias declarações fiscais Na sequência das alterações introduzidas ao Código do IRS pela Lei do Orçamento do Estado para 2011, e pela Lei que aprovou a sobretaxa

Leia mais

Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares Leendert Verschoor

Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares Leendert Verschoor www.pwc.pt Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares Leendert Verschoor Grandes Opções do Plano 2012-2015 Alargamento da base tributável e simplificação do sistema fiscal Redução das deduções à

Leia mais

Diploma DRE. Capítulo I. Modelos oficiais. Artigo 1.º. Objeto

Diploma DRE. Capítulo I. Modelos oficiais. Artigo 1.º. Objeto Diploma Aprova a declaração modelo 2, o modelo do recibo eletrónico de quitação de rendas e a declaração modelo 44, previstos no Código do Imposto do Selo e no Código do IRS Portaria n.º 98-A/2015 de 31

Leia mais

Condomínios enquadramento e obrigações fiscais

Condomínios enquadramento e obrigações fiscais Condomínios enquadramento e obrigações fiscais O enquadramento fiscal dos condomínios e respetivas obrigações fiscais é um tema que levanta sempre dúvidas. No presente artigo vamos abordar os principais

Leia mais

IRS: Novas tabelas de retenção na fonte serão aplicadas a partir de

IRS: Novas tabelas de retenção na fonte serão aplicadas a partir de 15/04/2016 IRS: Novas tabelas de retenção na fonte serão aplicadas a partir de Maio IRS: Novas tabelas de retenção na fonte serão aplicadas a partir de Maio Ontem 16:31 Lígia Simões ligia.simoes@economico.pt

Leia mais

O N O V O C Ó D I G O D O I M P O S T O S O B R E O R E N D I M E N T O D A S P E S S O A S S I N G U L A R E S E M C A B O V E R D E ( I V )

O N O V O C Ó D I G O D O I M P O S T O S O B R E O R E N D I M E N T O D A S P E S S O A S S I N G U L A R E S E M C A B O V E R D E ( I V ) i N º 5 2 / 1 5 O N O V O C Ó D I G O D O I M P O S T O S O B R E O R E N D I M E N T O D A S P E S S O A S S I N G U L A R E S E M C A B O V E R D E ( I V ) INTRODUÇÃO Tendo em vista a reformulação do

Leia mais

Flash fiscal Anteprojeto da Reforma do IRS

Flash fiscal Anteprojeto da Reforma do IRS www.pwc.pt/tax Flash fiscal Anteprojeto da Reforma do IRS No passado dia 19 de março foi publicado o Despacho nº 4168-A/2014, de 19 de março, tendo sido nomeada uma Comissão para a Reforma do Imposto sobre

Leia mais

Guia Fiscal IRS Alterações relevantes em sede de IRS:

Guia Fiscal IRS Alterações relevantes em sede de IRS: Guia Fiscal IRS 2015 Esta informação é um resumo dos benefícios fiscais associados a produtos comercializados pelo Novo Banco, constantes da Lei do Orçamento do Estado (OE) para 2015 - Lei nº. 82 - B/2014,

Leia mais

Calendário das Obrigações Fiscais e Parafiscais para o mês de MAIO DE 2015

Calendário das Obrigações Fiscais e Parafiscais para o mês de MAIO DE 2015 Calendário das Obrigações Fiscais e Parafiscais para o mês de MAIO DE 2015 OBRIGAÇÕES RELATIVAS AO IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS SINGULARES (IRS) E IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS COLETIVAS

Leia mais

22 de julho de 2016 Número 128

22 de julho de 2016 Número 128 22 de julho de 2016 3 SECRETARIA REGIONAL DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Despacho n.º 301/2016 Em execução do disposto no Código do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) assim

Leia mais

CONSULTORIA FISCAL IRS

CONSULTORIA FISCAL IRS CONSULTORIA FISCAL IRS ABATIMENTOS E DEDUÇÕES AOS RENDIMENTOS DE 2006 1. ABATIMENTOS 1.1 Dedução específica do trabalho dependente (Art.º 25.º do CIRS): 72% de 12 vezes o salário mínimo mais elevado ou

Leia mais

As medidas do governo para incentivar a natalidade vão ter reduzidos efeitos Pág. 1

As medidas do governo para incentivar a natalidade vão ter reduzidos efeitos Pág. 1 As medidas do governo para incentivar a natalidade vão ter reduzidos efeitos Pág. 1 AS MEDIDAS ANUNCIADAS PELO GOVERNO PARA INCENTIVAR A NATALIDADE VÃO TER EFEITOS REDUZIDOS RESUMO O governo acabou de

Leia mais

NOVO MODELO 3 DE IRS

NOVO MODELO 3 DE IRS NOVO MODELO 3 DE IRS EM VIGOR A Portaria n.º 421/2012de 2 1/12, DRn.º247 SérieI - Aprova os novos modelos de impressos a que se refere o n.º 1 do artigo 57.º do Código do IRS Anexos alterados: -Declaração

Leia mais

IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS SINGULARES (IRS)

IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS SINGULARES (IRS) IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS SINGULARES (IRS) (DEDUÇÃO ESPECÍFICA, PERCENTAGENS E LIMITES DAS DESPESAS E BENEFÍCIOS FISCAIS A DEDUZIR À COLETA) ENCARGOS (artigo 78.º do IRS) 2012 2011 2010 Casados

Leia mais

CONFERÊNCIA OE 2016 ANÁLISE TÉCNICA IRS. Católica TAX PWC SERENA CABRITA NETO LISBOA - 11 FEVEREIRO 2016

CONFERÊNCIA OE 2016 ANÁLISE TÉCNICA IRS. Católica TAX PWC SERENA CABRITA NETO LISBOA - 11 FEVEREIRO 2016 CONFERÊNCIA OE 2016 Católica TAX PWC ANÁLISE TÉCNICA IRS SERENA CABRITA NETO LISBOA - 11 FEVEREIRO 2016 AGENDA OE 2016 IRS ALTERAÇÕES PROPOSTAS: TAXAS QUOCIENTE FAMILIAR DEDUÇÕES À COLETA REPORTE DE PERDAS

Leia mais

Fiscalidade IRS-IRC. Exercícios de Aplicação

Fiscalidade IRS-IRC. Exercícios de Aplicação Fiscalidade IRS-IRC Exercícios de Aplicação EXERCÍCIO DE APLICAÇÃO Nº 1 - IRS Pretende-se o preenchimento da declaração de IRS com os seguintes dados: Agregado familiar: Pai, mãe e três filhos dependentes,

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

Nome. Nome do Pai. Nome da Mãe. Morada N.º Freguesia Código Postal - Telefone . Nome. Nome. Nome

Nome. Nome do Pai. Nome da Mãe. Morada N.º Freguesia Código Postal - Telefone  . Nome. Nome. Nome REQUERIMENTO DE CANDIDATURA JARDIM DE INFÂNCIA CÁLCULO DA COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR PELA UTILIZAÇÃO DE COMPONENTES DE APOIO À FAMÍLIA ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Ano letivo / IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

Exemplos práticos de aplicação da sobretaxa

Exemplos práticos de aplicação da sobretaxa Descrição do Cenário: Exemplos práticos de aplicação da sobretaxa Sobretaxa Exemplo 1 (Categoria A) Rendimentos tributáveis: Rendimentos de trabalho dependente (Categoria A), auferindo cada sujeito passivo

Leia mais

SISTEMA TRIBUTÁRIO PORTUGUÊS. 7ª Edição da Pós-Graduação em Fiscalidade

SISTEMA TRIBUTÁRIO PORTUGUÊS. 7ª Edição da Pós-Graduação em Fiscalidade SISTEMA TRIBUTÁRIO PORTUGUÊS 7ª Edição da Pós-Graduação em Fiscalidade Instituto Politécnico de Leiria (E.S.T.G.) Departamento de Gestão e Economia 4 de Novembro 2016 OE 2017 CENÁRIO MACRO-ECONÓMICO FMI

Leia mais

CIRCULAR N.º 4/2016. Tabelas de retenção. Procedimentos. Decreto Legislativo Regional n.º 2/99/A, de 20/01 Artigo 4º

CIRCULAR N.º 4/2016. Tabelas de retenção. Procedimentos. Decreto Legislativo Regional n.º 2/99/A, de 20/01 Artigo 4º f Classificação: 0 00. 1 0. 9 4 Segurança: P ú blic a Processo: 4/2016 GABINETE DO DIRETOR GERAL GABINETE DO DIRETOR GERAL Direção de Serviços do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (DSIRS)

Leia mais

Envie a declaração de rendimentos pela internet: > Recebe o seu reembolso no prazo de 20 dias

Envie a declaração de rendimentos pela internet: > Recebe o seu reembolso no prazo de 20 dias 2009 Envie a declaração de rendimentos pela internet: www.portaldasfinancas.gov.pt > Recebe o seu reembolso no prazo de 20 dias > É gratuito > Evita filas de espera e deslocações > Acessível 24h por dia

Leia mais

PORTARIA N.º 4 /05. de 17 de Janeiro

PORTARIA N.º 4 /05. de 17 de Janeiro MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E PLANEAMENTO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N.º 4 /05 de 17 de Janeiro As alterações introduzidas no Orçamento do Estado para 2005 para vigorarem a partir de 1 de Janeiro, nomeadamente,

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014 OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. X X X DATA: 2014/ Janeiro / 28 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2014

Leia mais

Lisboa, 26 de Junho de 2012

Lisboa, 26 de Junho de 2012 Lisboa, 26 de Junho de 2012 Estímulo 2012 A medida ativa de emprego Estímulo 2012, aprovada pela Portaria nº 45/2012, tem por objetivo: Apoiar a contratação de desempregados; Promovendo e aumentando a

Leia mais

Repartição dos rendimentos

Repartição dos rendimentos Repartição dos rendimentos Repartição primária do rendimento rendimentos primários Rendimentos primários e rendimentos secundários Os rendimentos do trabalho (salários) e do capital (juros, lucros e rendas)

Leia mais

Despacho n.º 706-A/2014 de 15/01, DR n.º 10 Série II

Despacho n.º 706-A/2014 de 15/01, DR n.º 10 Série II Tabelas de retenção na fonte 2014 Em execução do disposto no Decreto-Lei n.º 42/91, de 22 de janeiro, diploma quadro do regime de retenção na fonte em sede de imposto sobre o rendimento das pessoas singulares

Leia mais

Apresentação Siglas utilizadas Lista de perguntas Questões iniciais Segurança Social Impostos IRS Impostos IVA Faturação/Comunicações Ato Isolado

Apresentação Siglas utilizadas Lista de perguntas Questões iniciais Segurança Social Impostos IRS Impostos IVA Faturação/Comunicações Ato Isolado Índice temático Apresentação 3 Siglas utilizadas 4 Lista de perguntas 6 Questões iniciais 15 Segurança Social 26 Impostos IRS 52 Impostos IVA 75 Faturação/Comunicações 101 Ato Isolado 109 IES 111 Anexos

Leia mais

Orçamento do Estado para 2013

Orçamento do Estado para 2013 Orçamento do Estado para 2013 No contexto de crise, as alterações à legislação fiscal no Orçamento de Estado (OE) para 2013, são disso o seu reflexo. Quer seja pelo aumento de impostos, redução dos benefícios

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Setor de Atividade Produção e comercialização de gases industriais e medicinais

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Setor de Atividade Produção e comercialização de gases industriais e medicinais FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Organização Praxair Portugal Gases S.A. Diretor(a) Eduardo Gil Elejoste Setor de Atividade Produção e comercialização de gases industriais e medicinais Número de Efetivos 60 NIF

Leia mais

O N O V O R E G I M E D O A L O J A M E N T O L O C A L

O N O V O R E G I M E D O A L O J A M E N T O L O C A L i Nº 39 / 14 O N O V O R E G I M E D O A L O J A M E N T O L O C A L I. Aspectos relevantes do novo regime jurídico Entra hoje em vigor o novo regime da exploração dos estabelecimentos de alojamento local,

Leia mais

DISPENSA DE APRESENTAÇÃO DE DECLARAÇÃO

DISPENSA DE APRESENTAÇÃO DE DECLARAÇÃO DISPENSA DE APRESENTAÇÃO DE DECLARAÇÃO Ficam dispensados de apresentar a declaração de IRS os sujeitos passivos que, no ano a que o imposto respeita, apenas tenham auferido, isolada ou cumulativamente:

Leia mais

CALENDÁRIO FISCAL 2016

CALENDÁRIO FISCAL 2016 CALENDÁRIO FISCAL 2016 QUADRITÓPICO & BAKER TILLY Q U A D R I T Ó P I C O P u b l i c a ç õ e s e D i s t r i b u i ç ã o i n f o @ q u a d r i t o p i c o. p t B A K E R T I L L Y i n f o @ b a k e r

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 21 de janeiro de Série. Número 14

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 21 de janeiro de Série. Número 14 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 21 de janeiro de 2014 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DO PLANO E FINANÇAS Despacho n.º 8/2014 Aprova as tabelas de retenção na fonte, em euros,

Leia mais

Preenchimento da Declaração Modelo 3 de IRS de 2016

Preenchimento da Declaração Modelo 3 de IRS de 2016 Preenchimento da Declaração Modelo 3 de IRS de 2016 O NOVO BANCO DOS AÇORES vem prestar alguns esclarecimentos que considera úteis para o preenchimento da declaração Modelo 3 de IRS, tomando por base a

Leia mais

Nota Informativa REFORMA DO IRS E FISCALIDADE VERDE. Outubro de REFORMA DO IRS I. Alterações estruturais ao IRS. Quociente familiar

Nota Informativa REFORMA DO IRS E FISCALIDADE VERDE. Outubro de REFORMA DO IRS I. Alterações estruturais ao IRS. Quociente familiar Outubro de 2014 Nota Informativa REFORMA DO IRS E FISCALIDADE VERDE O Conselho de Ministros aprovou recentemente as Propostas de Lei de Reforma do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS)

Leia mais

SALÁRIO MÍNIMO - UGT EXIGE COMPROMISSO DO GOVERNO A 4 ANOS

SALÁRIO MÍNIMO - UGT EXIGE COMPROMISSO DO GOVERNO A 4 ANOS SALÁRIO MÍNIMO - UGT EXIGE COMPROMISSO DO GOVERNO A 4 ANOS Na Política de Rendimentos 2005/2006 apresentada a 01 de Setembro, a UGT reivindicou que, em sede de Comissão Permanente de Concertação Social,

Leia mais

NOTA. Anexo: Parecer da APFN sobre o anteprojeto da reforma do IRS 1/8

NOTA. Anexo: Parecer da APFN sobre o anteprojeto da reforma do IRS 1/8 NOTA É entendimento da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas que as opções políticas e orçamentais devem contemplar políticas de família, políticas de justiça fiscal e políticas sociais de proteção

Leia mais

Pensar Angola. Aspectos fiscais do investimento português em Angola. PwC. Jaime Esteves. Fevereiro Banco BIC Portugal

Pensar Angola. Aspectos fiscais do investimento português em Angola. PwC. Jaime Esteves. Fevereiro Banco BIC Portugal Aspectos fiscais do investimento português em Angola Jaime Esteves Banco BIC Portugal PwC Agenda 1 Tributação de Rendimentos em Angola 2 Investir em Angola a partir de Portugal 3 Tributação em Portugal

Leia mais

NEWSLETTER. Deduções à coleta de IRS Valores em Euros. i) Contribuinte 427,50 213,75. ii) Famílias monoparentais - 332,50

NEWSLETTER. Deduções à coleta de IRS Valores em Euros. i) Contribuinte 427,50 213,75. ii) Famílias monoparentais - 332,50 novembro de 2014 N.º 136 NEWSLETTER IRS 2014 Deduções à Coleta e Benefícios Fiscais Deduções à de IRS 2014 Valores em Euros Pessoais e familiares 1 Casado Não casado i) Contribuinte 427,50 213,75 ii) Famílias

Leia mais

GUIA PARA SENHORIOS IRS 2015

GUIA PARA SENHORIOS IRS 2015 GUIA PARA SENHORIOS IRS 2015 2ª FASE Ainda não entregou o seu IRS porque tem dúvidas relativamente às novas regras? Nós ajudamos! Visto que este ano há novas regras a ter em conta no momento de preencher

Leia mais

FISCALIDADE DE EMPRESA II

FISCALIDADE DE EMPRESA II FISCALIDADE DE EMPRESA II Módulo 4 Ano 2006 Carlos Manuel Freitas Lázaro 1 Categoria E - Rendimentos de aplicação de capitais Rendimentos sujeitos (artº 5, CIRS) Essencialmente: Juros e Lucros entre outros:

Leia mais

Legislação. Resumo: Despacho que aprova as novas tabelas de retenção na fonte na Região Autónoma dos Açores

Legislação. Resumo: Despacho que aprova as novas tabelas de retenção na fonte na Região Autónoma dos Açores MOD. 4.3 Classificação: 0 6 0. 0 1. 0 1 Segurança: P úbl i c a Processo: Direção de Serviços de Comunicação e Apoio ao Contribuinte Diploma Despacho n.º 6131-A/2015, 4 de junho Estado: vigente Legislação

Leia mais

DESEMPREGO. Estudo / Proposta para Redução do Desemprego

DESEMPREGO. Estudo / Proposta para Redução do Desemprego DESEMPREGO Estudo / Proposta para Redução do Desemprego 1. Introdução A concelhia de Pinhel do CDS-PP, debruçou-se sobre a problemática do desemprego, sobretudo a nível do concelho de Pinhel, para verificar

Leia mais

Workshop IRS Lígia Tarrio

Workshop IRS Lígia Tarrio Workshop IRS 2016 Lígia Tarrio Como obter senha de acesso ao Portal das Finanças? Pedir Senha, como? AsenhadeacessoaoPortaldasFinançaspodeser pedida em: www.portaldasfinancas.gov.pt, Serviços Tributários,

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 8 de setembro de Série. Número 138

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Terça-feira, 8 de setembro de Série. Número 138 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 8 de setembro de 2015 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS Portaria n.º 161/2015 Estabelece a Medida Incentivo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE TÉCNICOS DE CONTABILIDADE

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE TÉCNICOS DE CONTABILIDADE MAPA DE OBRIGAÇÕES FISCAIS E PARAFISCAIS DE JULHO 2016 Dia 11: IVA: Envio da declaração mensal referente ao mês de maio 2016 e anexos. IRS/IRC/SEGURANÇA SOCIAL: Declaração de rendimentos pagos e de retenções,

Leia mais

MANUAL DE APOIO NO DESEMPREGO PROTEÇÃO SOCIAL

MANUAL DE APOIO NO DESEMPREGO PROTEÇÃO SOCIAL A informação contida neste manual de apoio não é exaustiva e, como tal, não dispensa a consulta da legislação aplicável: Decreto-Lei n.º 64/2012, de 15 de março. Altera o Decreto-Lei 220/2006, de 03 de

Leia mais

- Alterações ao Código de Trabalho: Subsídio de Desemprego

- Alterações ao Código de Trabalho: Subsídio de Desemprego 19-01 01-2012 - Alterações ao Código de Trabalho: Subsídio de Desemprego Agora que o acordo de concertação social está concluido, eis algumas das novidades relativas ao subsídio de desemprego, pelo que

Leia mais

Algumas Orientações da Administração Fiscal:

Algumas Orientações da Administração Fiscal: Saudade e Silva - Serviços de Contabilidade, Lda. A G O S T O - 2 0 1 2 Algumas Orientações da Administração Fiscal: O que é a Certidão de Liquidação de IRS? A certidão de IRS é um documento comprovativo

Leia mais

direção municipal de urbanismo e ambiente. divisão de planeamento e reabilitação urbana. janeiro 2017

direção municipal de urbanismo e ambiente. divisão de planeamento e reabilitação urbana. janeiro 2017 estratégia de regeneração urbana vila nova de gaia proposta de retificação do Quadro de Benefícios Fiscais e Incentivos Financeiros das ARU Cidade de Gaia, Encostas do Douro, Zona Central dos Carvalhos,

Leia mais

Fiscal, 36.ª Edição Col. Legislação

Fiscal, 36.ª Edição Col. Legislação COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atualizações Online orquê as atualizações aos livros da COLEÇÃO LEGISLAÇÃO? No panorama legislativo nacional é frequente a publicação de novos diplomas legais que, regularmente, alteram

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 22 de julho de Série. Número 128

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 22 de julho de Série. Número 128 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 22 de julho de 2016 Série Sumário SECRETARIAS REGIONAIS DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA E DE AGRICULTURA E PESCAS Despacho conjunto n.º 85/2016

Leia mais

OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS

OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS - 2010 JANEIRO / 2010 Até ao dia 15 Entrega da Declaração Modelo 11, por transmissão electrónica de dados, pelos Notários e rendimentos. CD-EP-OE-ES Até ao dia 20 - Entrega, pelas

Leia mais

Doing Business with Brazil : Investimentos em Portugal: Aspectos tributários

Doing Business with Brazil : Investimentos em Portugal: Aspectos tributários Doing Business with Brazil : Investimentos em Portugal: Aspectos tributários Sumário 1. Condições favoráveis ao aumento do investimento externo em Portugal 2. Principais Incentivos Fiscais ao Investimento

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 17 de fevereiro de Série. Número 32

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 17 de fevereiro de Série. Número 32 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DO PLANO E FINANÇAS Despacho Aprova as tabelas de retenção na fonte para vigorarem

Leia mais

NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS

NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS ANEXO III NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS No âmbito da estratégia de reabilitação urbana serão concedidos os seguintes apoios: 1. TAXAS MUNICIPAIS

Leia mais

IRS: Afinal onde estão as Despesas do Anexo H?

IRS: Afinal onde estão as Despesas do Anexo H? IRS: Afinal onde estão as Despesas do Anexo H? Date : 2 de Abril de 2016 Estamos na "época alta" da entrega da declaração de rendimentos (IRS) e há sempre muitas dúvidas ao nível do preenchimento mas também

Leia mais

O REGIME SIMPLIFICADO DO IRC

O REGIME SIMPLIFICADO DO IRC Departamento: Fiscalidade, Direito Comum e do Trabalho BOLETIM INFORMATIVO 07 de Fevereiro de 2014 O REGIME SIMPLIFICADO DO IRC Contributos para o exercício de uma correcta opção NOTA: - Opção até 28/02/2014

Leia mais

IES - INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA (ENTIDADES RESIDENTES QUE NÃO EXERCEM, A TÍTULO PRINCIPAL, ACTIVIDADE COMERCIAL, INDUSTRIAL OU AGRÍCOLA)

IES - INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA (ENTIDADES RESIDENTES QUE NÃO EXERCEM, A TÍTULO PRINCIPAL, ACTIVIDADE COMERCIAL, INDUSTRIAL OU AGRÍCOLA) IES DECLARAÇÃO ANUAL (ENTIDADES RESIDENTES QUE NÃO EXERCEM A TÍTULO PRINCIPAL ACTIVIDADE COMERCIAL INDUSTRIAL OU AGRÍCOLA) 01 No DE IDENTIFICAÇÃO FISCAL (NIPC) 02 EXERCÍCIO 1 IES - INFORMAÇÃO EMPRESARIAL

Leia mais

NOTA INFORMATIVA ÁREA DE PRÁTICA DE DIREITO DO TRABALHO

NOTA INFORMATIVA ÁREA DE PRÁTICA DE DIREITO DO TRABALHO 03.02.2009 NOTA INFORMATIVA ÁREA DE PRÁTICA DE DIREITO DO TRABALHO MEDIDAS EXCEPCIONAIS DE APOIO AO EMPREGO E À CONTRATAÇÃO PARA O ANO DE 2009 Como forma de reacção à actual conjuntura económica e financeira

Leia mais

O Adicional ao IMI e o IS sobre Imóveis BBB

O Adicional ao IMI e o IS sobre Imóveis BBB BBB O Adicional ao IMI e o IS sobre Imóveis 2017 A Lei n.º 55-A/2012, de 29 de Outubro foi apresentada através da Proposta de Lei 96/XII, do Governo de 20 de Setembro de 2012, e menciona como motivos justificativos

Leia mais

27 de junho de Domingos Lopes

27 de junho de Domingos Lopes 27 de junho de 2016 Domingos Lopes Objetivos Temáticos OT 8. Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores assumindo como meta nacional, até 2020, o aumento

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011 OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. DATA: 2011/01/07 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2011 Face à Lei nº

Leia mais

ANÁLISE ÀS PRINCIPAIS MEDIDAS FISCAIS

ANÁLISE ÀS PRINCIPAIS MEDIDAS FISCAIS Lisboa, 17 de outubro 2016 PROPOSTA DE ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2017 ANÁLISE ÀS PRINCIPAIS MEDIDAS FISCAIS Pensões até 628 euros sobem 10 euros entre janeiro e julho As pensões até 628 vão sofrer um aumento

Leia mais

IRS Imposto sobre o rendimento (Legislação fiscal)

IRS Imposto sobre o rendimento (Legislação fiscal) IRS Imposto sobre o rendimento (Legislação fiscal) 1 O B J E C T I V O : I N T E R P R E T A R E A P L I C A R A L E G I S L A Ç Ã O N A F U N Ç Ã O P E S S O A L ASSOCIAÇÃO NACIONAL DAS EMPRESÁRIAS CURSO:

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 872/XII/4.ª

PROJETO DE LEI N.º 872/XII/4.ª PROJETO DE LEI N.º 872/XII/4.ª Procede à alteração do Decreto-Lei n.º 176/2003, de 2 de agosto, que aprova o regime jurídico da proteção nos encargos familiares, procedendo ao aumento do montante pago

Leia mais

Orçamento do Estado 2017 Lei Final IRS e Segurança Social

Orçamento do Estado 2017 Lei Final IRS e Segurança Social Orçamento do Estado 2017 Lei Final IRS e Segurança Social IRS e Segurança Social A declaração automática de rendimentos vai simplificar as obrigações declarativas de vários contribuintes. Leendert Verschoor,

Leia mais

IEFP. O Instituto do Emprego e Formação Profissional promove uma série de medidas e programas destinados a fomentar e apoiar o emprego em Portugal.

IEFP. O Instituto do Emprego e Formação Profissional promove uma série de medidas e programas destinados a fomentar e apoiar o emprego em Portugal. IEFP O Instituto do Emprego e Formação Profissional promove uma série de medidas e programas destinados a fomentar e apoiar o emprego em Portugal. Desse conjunto, destacamos: I) Apoios à contratação II)

Leia mais

FUNCIONAMENTO Sistema de apoio à compensação dos custos das empresas da Região Autónoma da Madeira

FUNCIONAMENTO Sistema de apoio à compensação dos custos das empresas da Região Autónoma da Madeira FUNCIONAMENTO 2020 Sistema de apoio à compensação dos custos das empresas da Região Autónoma da Madeira 08-07-2015 PROGRAMA OPERACIONAL MADEIRA 14-20 Eixo Prioritário 1 - Reforçar a investigação, o desenvolvimento

Leia mais

João Valadas Coriel CEO Autorização de Residência para Investimento em Portugal (ARI ou Golden Visa) > Vantagens do programa Golden Visa PORTUGAL OPORTUNIDADES PARA INVESTIMENTO, RESIDÊNCIA E CIDADANIA

Leia mais

Legislação Organização Escolar

Legislação Organização Escolar Legislação Organização Escolar Despacho Conjunto n.º 300/97 (2ª série), de 9 de Setembro MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL Define as normas que regulam a comparticipação

Leia mais

IRS 2012: dedução com habitação limitada a 15% dos juros. pagos. Em 2012, por cada 100 de despesas com juros da habitação

IRS 2012: dedução com habitação limitada a 15% dos juros. pagos. Em 2012, por cada 100 de despesas com juros da habitação IRS 2012: dedução com habitação limitada a 15% dos juros pagos Em 2012, por cada 100 de despesas com juros da habitação própria e permanente será possível deduzir apenas 15. Recorde-se que até 2011 era

Leia mais

MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO

MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO Entidades Promotoras: Entidades privadas, com ou sem fins lucrativos e Autarquias Locais. Destinatários: Jovens à procura de emprego, entre os 18 e os 30 anos, inscritos no IEFP

Leia mais

DECRETO N.º 38/XIII. Regime de apoio à agricultura familiar nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira

DECRETO N.º 38/XIII. Regime de apoio à agricultura familiar nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira DECRETO N.º 38/XIII Regime de apoio à agricultura familiar nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

Leia mais

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA DEFICIENTES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA DEFICIENTES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DA TAXA CONTRIBUTIVA DEFICIENTES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Isenção/Redução da Taxa Contributiva Regiões com Problemas de Interioridade (2007

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: PLANEAR O ORÇAMENTO FAMILIAR IDENTIFICAR RENDIMENTOS E DESPESAS

ÁREA DE FORMAÇÃO: PLANEAR O ORÇAMENTO FAMILIAR IDENTIFICAR RENDIMENTOS E DESPESAS ÁREA DE FORMAÇÃO: PLANEAR O ORÇAMENTO FAMILIAR IDENTIFICAR RENDIMENTOS E DESPESAS Índice Planear o orçamento familiar Tipos de rendimentos Tipos de despesas Estrutura de despesas Saldo do orçamento familiar

Leia mais

Guia do Senhorio Arrendamento Residencial

Guia do Senhorio Arrendamento Residencial Guia do Senhorio Arrendamento Residencial Uniplaces 2017 Introdução Atualmente, todos os contratos de arrendamento, para serem válidos, devem ser realizados de forma escrita. Contudo, a lei confere ao

Leia mais

Projeto de Lei n.º 189/XIII/1.ª. Altera o Código do IRS, com o intuito de repor o Quociente familiar. Exposição de motivos

Projeto de Lei n.º 189/XIII/1.ª. Altera o Código do IRS, com o intuito de repor o Quociente familiar. Exposição de motivos Projeto de Lei n.º 189/XIII/1.ª Altera o Código do IRS, com o intuito de repor o Quociente familiar Exposição de motivos O fenómeno de queda da natalidade não é só nosso, é conhecido e partilhado na Europa

Leia mais

BALANÇA DE PAGAMENTOS Balança de Pagamentos Externos de Portugal Valores Líquidos Base de transacções Balança de Pagamentos Externos

BALANÇA DE PAGAMENTOS Balança de Pagamentos Externos de Portugal Valores Líquidos Base de transacções Balança de Pagamentos Externos ÍNDICE DE QUADROS Parte I ESTATÍSTICAS MONETÁRIAS E FINANCEIRAS Balanço do Banco de Portugal Dez 1947-Dez 1956... 11 Balanço do Banco de Portugal Dez 1957-Dez 1965... 12 Balanço do Banco de Portugal Mar

Leia mais