SEGURANÇA EM LABORATÓRIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEGURANÇA EM LABORATÓRIO"

Transcrição

1 SEGURANÇA EM LABORATÓRIO 1

2 Portaria nº 3.214, de 08 de Junho de 1978 O Ministro de Estado, no uso de suas atribuições legais, considerando o disposto no Artigo 200, da Consolidação das Leis do Trabalho, com redação dada pela Lei nº 6.514, de 22 de dezembro de RESOLVE: Artigo 1º- Aprovar as Normas Regulamentadoras-NR- do Capítulo V, Título II, da Consolidação das Leis do Trabalho, relativas à Segurança e Medicina do TrabaIho: 2

3 INTRODUÇÃO Local com alto potencial de acidentes. Natureza dos materiais manuseados, equipamentos usados e à extensa escala de atividades praticadas. Para garantir que os acidentes sejam prevenidos é essencial que se estabeleçam instruções e procedimentos de segurança capaz de prever perigos e potenciais de riscos que podem surgir no laboratório. 3

4 Por que devemos nos preocupar com a Por que devemos nos preocupar com a segurança nos Laboratórios? segurança nos Laboratórios? Segundo a Declaração dos Direitos Humanos todo homem tem direito à vida e precisamos nos preocupar em preservá-la. Uma forma de preservá-la é preocupar-se com a sua segurança no ambiente de trabalho e, se você trabalha em um laboratório, precisa conhecer os riscos a que está exposto e como melhorar suas condições de segurança.. 4

5 Conceitos gerais de segurança do trabalho Conjunto de recursos e técnicas aplicadas, preventiva ou corretivamente, que visam a integridade do homem ao trabalho. 5

6 Conceito legal de acidente (Lei 6.367, de 19/10/76) Acidente de trabalho é aquele que ocorre no exercício do trabalho, a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional, causando a morte, perda, redução permanente ou temporária da capacidade de trabalho. 6

7 Conceito prevencionista usado pela Engenharia de Segurança Acidente de trabalho é toda a ocorrência, inesperada ou não, que venha a resultar em lesão ao trabalhador, perda de tempo e prejuízos materiais, isolados ou simultaneamente. A diferença entre os dois conceitos é que no segundo caso são previstos também a perda de tempo e prejuízos materiais. 7

8 Casos considerados acidentes de trabalho Doença profissional inerente e peculiar a determinado ramos de atividade; O acidente que, ligado ao trabalho, embora não tenha sido a causa única, tenha contribuído diretamente para a morte, perda ou redução da capacidade para o trabalho; Doença proveniente de contaminação acidental de pessoal no exercício do trabalho. Atos de terrorismo ou sabotagem de qualquer natureza. 8

9 Casos considerados acidentes de trabalho Fora do local e horário de trabalho Execução de serviço externo; Prestação espontânea de qualquer serviço à empresa, Viagens a serviço, inclusive em veículo próprio, No percurso da residência ao trabalho e viceversa, No percurso de ida e volta para o local das refeições em intervalo de trabalho. 9

10 Casos considerados acidentes de trabalho Se de sobreaviso em sua residência à disposição da empresa. No local destinado às refeições dentro dos limites da empresa. No local destinado ao descanso, dentro dos limites da empresa; No local destinado à satisfação das necessidades fisiológicas. 10

11 Casos não são considerados acidentes de trabalho a serviço da empresa Quando fora da empresa por motivos pessoais, não do interesse do empregador. Quando em estacionamento proporcionado pela empresa para o seu veículo, não estando exercendo qualquer função de seu trabalho. Quando empenhado em atividades esportivas nos limites da empresa ou patrocinados pela empresa, mas não recebendo nenhuma remuneração direta ou indireta. 11

12 Casos não são considerados acidentes de trabalho a serviço da empresa Quando, residindo em propriedade da empresa, esteja exercendo atividades não relacionadas com seu emprego. Quando envolvido em luta corporal ou outras disputas sobre assuntos não relacionados com o seu emprego. 12

13 Conseqüências do acidente de trabalho Lesão corporal (imediata ou mediata) sem ou com perda de tempo. Perda de tempo afetando a produção Prejuízo e danos materiais. 13

14 Causas dos acidentes de trabalho Atos inseguros; Condições inseguros Fator pessoal de insegurança F.P.I 14

15 Conceito de ato inseguro São atitudes assumidas, voluntárias (conscientes geralmente) ou não, que venham a proporcionar a ocorrência de um acidente. Os atos inseguros são praticados por: Negligência: Desleixo, descuido, desatenção, menoscabo, menosprezo Imprudência: Qualidade de quem age com moderação, comedimento, buscando evitar tudo o que acredita ser fonte de erro ou de dano, Cautela, precaução Imperícia. incompetência, inexperiência, inabilidade. 15

16 Exemplos de atos inseguros Desconhecimento de normas de segurança. Falta de habilidade para o desempenho do trabalho ocasionado por um treinamento insuficiente. Excesso de confiança, julgando-se imune a acidentes. Exibicionismo 16

17 Exemplos de atos inseguros Resistência às normas de segurança e uso de EPI`s. Falta de ritmo de trabalho. Trabalhar em estado de fadiga ou tensão Brincadeiras no local de trabalho 17

18 Atos inseguros frequentemente Falta de uso de EPI S observados Emprego incorreto de ferramentas, por improvisações ou defeituosas; Ajuste, lubrificação e limpeza de máquinas em movimento; Permanência em baixo de cargas suspensas; Permanência em pontos perigosos. Correrias em escadas e corredores 18

19 Atos inseguros frequentemente observados Operação de máquinas e veículos em alta velocidades; Falta de habilitação para operação de determinado equipamento; Uso de vestimentas que aumentem o risco; Hábito de fumar em lugares proibidos; Manipulação de produtos químicos e produtos perigosos sem qualquer precaução; 19

20 Ato Inseguro 20

21 Ato Inseguro 21

22 Ato Inseguro 22

23 Ato Inseguro 23

24 Ato Inseguro 24

25 Ato Inseguro 25

26 Ato Inseguro 26

27 Ato Inseguro 27

28 Ato Inseguro 28

29 Ato Inseguro 29

30 Ato Inseguro 30

31 Ato Inseguro 31

32 Ato Inseguro 32

33 Condição insegura São situações existentes no ambiente de trabalho que podem vir a causar acidentes. Exemplos: Ventilação deficiente Iluminação deficiente; Ruídos e vibrações Instalações Sanitárias Impróprias Falta de ordem e limpeza. 33

34 NR17. Ergonomia Condições ambientais de trabalho As condições ambientais de trabalho DEVEM estar adequadas às características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza do trabalho a ser executado. 34

35 NR17. Ergonomia a) níveis de ruído de acordo com o estabelecido na NBR 10152, b) índice de temperatura efetiva entre 20 o C e 23 o C; c) velocidade do ar não superior a 0,75 m/s; d) umidade relativa do ar não inferior a 40% 35

36 Condição insegura Instalações funcionando precariamente. Falta de proteção em partes móveis e pontos de operação de máquinas e equipamentos. Métodos ou processos de trabalhos errados. Pisos irregulares e escorregadios 36

37 Condições inseguras frequentemente observadas Exemplos: Equipamentos elétricos sem aterramentos Manômetros danificados Vasos sob pressão com testes hidrostáticos vencidos Instalações elétricas improvisadas 37

38 Conceito de Fator Pessoal de Insegurança (FPI) São os problemas pessoais e de comportamento do trabalhador que, agindo sobre o ambiente de trabalho, podem causar acidentes. Exemplos: Conflitos familiares Falta de interesse pela atividade que desempenha. Alcoolismo Problemas de ordem econômica e social. 38

39 FPI frequentemente observados Briga no lar, com esposa e filhos. Falta de dinheiro Alcoolismo e drogas no local de trabalho Desmotivação profissional 39

40 Conceito de Investigação de um acidente 40

41 Conceito de Investigação de um acidente São técnicas que visam levantar as causas e outros dados da ocorrência de um acidente, de forma que no futuro venham a ser sanados e minimizados. 41

42 A investigação deve conter a) Agente do acidente ou fonte da lesão. É aquilo que causou a lesão: Ex.: escada, arame, areia, animal, produtos químicos, radiações e outros. b) Natureza da lesão. Ex.;corte, luxação, queimadura, contusão, etc. c) Localização ou sede da lesão. Ex.: Cabeça, face, membros, etc. d) Tipo de acidente É a forma como ocorreu o acidente Ex. : abrasão, ataque de ser vivo, impacto, queda, etc. 42

43 A investigação deve conter d) Condição insegura e) Ato Inseguro. f) Fator pessoal de insegurança g) Prejuízo ou dano material 43

44 Conceito de Risco Risco é todo perigo ou possibilidade de perigo, existindo a probabilidade de perda ou de causar algum dano. 44

45 Identificação do Risco Identificar a natureza do risco: físico, químico ou biológico, suas características, rotas potenciais de entrar em contato e os efeitos agressivos de exposição ao risco. 45

46 Identificação do Risco a) Agente Químico: Irritante, venenoso, cancerígeno, etc. Físico: Ruído, radiação, temperatura, vibração. Biológico: bactérias, fungos, parasitas 46

47 b) Característica física Identificação do Risco Qual é a forma do risco? Gás, vapor, poeira, sólidos, líquidos, etc. c) Rotas potenciais de entrar em contato? De que forma o risco age sobre o trabalhador? Ex.: inalação, pele, ouvido, olhos, ingestão, etc. 47

48 d) Efeitos do evento Identificação do Risco Qual é o tipo de efeito que a exposição ao risco pode causar? Ex.: lesões físicas, envenenamento, asfixia, câncer, irritação, infecção, perda de audição, queimadura, abrasão, etc. 48

49 Avaliação do Risco a) Natureza e grau de exposição Magnitude da exposição: zona de concentração de contaminantes. Probabilidade de aumentar o nível de exposição. Tempo de exposição: horas, dias, etc. Freqüência da exposição: diária, semanal, etc. 49

50 Avaliação do Risco b) Resultado da exposição Causará efeitos lesionantes? Sintomáticos? Considerar efeitos a curto e longo prazo, reversibilidade. 50

51 Escolha de opções de controle do risco Nenhuma é apropriada para todas as situações! Reduzir a exposição para níveis aceitáveis; Ser aceita pela equipe de trabalho; Não criar novos riscos em outros locais de trabalho; Garantir a continuidade da atividade; Ser confiável; Ser considerada sob o aspecto de custo. 51

52 Limite de tolerância É a concentração ou intensidade máxima ou mínima, relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente, que não causará dano à saúde do trabalhador durante sua vida laboral. Pode ser uma média aritmética de oito horas de trabalho ou um valor teto, que não pode ser ultrapassado. 52

53 Limite de Tolerância(LT) e Valor Teto(VT) AGENTES QUÍMICOS VALOR TETO ABSORÇÃO TAMBÉM P/PELE ATÉ 48 h/semana ppm mg/m 3 GRAU DE INSALUBRI- DADE ÁCIDO CLORÍDRICO + Não 4 5,5 MÁXIMO FENOL Não MÁXIMO 53

54 Nível de ação É o valor acima do qual devem ser iniciadas as ações preventivas de forma a minimizar a probabilidade de que as exposições a agentes ambientais ultrapassem os limites de exposição. Esses níveis são definidos na NR-9 do MTE. 54

55 Segurança no Trabalho é valorizar a vida! 55

Acidentes do Trabalho

Acidentes do Trabalho 01 coletanea de acidentes.mp4 Consequências dos acidentes por mínimas que eles sejam, sempre requerem cuidados especiais no tocante à readaptação do homem ao trabalho e, num sentido mais amplo, dependendo

Leia mais

Higiene e segurança no trabalho

Higiene e segurança no trabalho Higiene e segurança no trabalho Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com / Site: www.veniciopaulo.com O que é higiene no trabalho? Higiene do trabalho é um conjunto de normas e procedimentos que

Leia mais

SEGURANÇA DO TRABALHO

SEGURANÇA DO TRABALHO GESTÃO DE PESSOAS EM UAN / UPR SEGURANÇA DO TRABALHO Profª Celeste Viana TREINAMENTO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Portaria 3.214/78, NR nº9, subítem 9.5.2: Os empregadores deverão informar aos trabalhadores, de

Leia mais

Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho. Paulo Gama Engº de Segurança a do Trabalho

Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho. Paulo Gama Engº de Segurança a do Trabalho Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho Paulo Gama Engº de Segurança a do Trabalho SUPERNORTE - 2011 O que é Higiene, Segurança a e Saúde no Trabalho? Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho pode ser entendida

Leia mais

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS - NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS 9.1 - Do Objeto e Campo de Aplicação Item 9.1 da NR 9 alterado pelo art. 1º da Portaria SSST nº 25 - DOU 30/12/1994 - Republicada

Leia mais

NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Transcrito pela Nutri Safety * O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO no uso de suas atribuições legais, e CONSIDERANDO o disposto nos artigos 155

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO Conjunto de medidas educacionais, técnicas, médicas e psicológicas adotadas com o objetivo de prevenir acidentes. As causas de um acidente: a) condição insegura: Tal condição

Leia mais

MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO

MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO PVP SOCIEDADE ANÔNIMA Fundada em 1962 1 Índice Introdução...... 04 Política de Saúde e Segurança do Trabalho... 06 1. Prevenção e Controle de Riscos...

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO UNESP-2014 DANIELLE VARGAS E-mail:danielle@franca.unesp.br COSTSA Grupo de Segurança e Sustentabilidade Ambiental -7 (sete) TST -1 engenheiro de Segurança -1 engenheiro eletricista

Leia mais

Editora Gráficos Burti Ltda. Unida Itaquaquecetuba ACIDENTE DO TRABALHO GESTÃO 2012/2013

Editora Gráficos Burti Ltda. Unida Itaquaquecetuba ACIDENTE DO TRABALHO GESTÃO 2012/2013 SIPAT ACIDENTE DO TRABALHO MÓDULO II SEGURANÇA DO TRABALHO DEFINIÇÃO O que é Segurança do Trabalho? Segurança do trabalho é o conjunto de medidas que são adotadas visando minimizar os acidentes de trabalho,

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO PREVINA-SE

ACIDENTES DE TRABALHO PREVINA-SE ACIDENTES DE TRABALHO PREVINA-SE NÚMEROS ALARMANTES São 160 milhões de trabalhadores no mundo. Não essa não é uma estatística sobre um mega evento comemorativo ou o número de vagas disponíveis no Mercado

Leia mais

1.1 Segurança do trabalho

1.1 Segurança do trabalho 1.1 Segurança do trabalho A Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas adotadas, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO UFMG P C M A T PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO UFMG P C M A T PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO UFMG P C M A T PROGRAMA DE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO O PROGRAMA É UM DOCUMENTO TÉCNICO - LEGAL PODER CONSTITUINTE DE DIREITO; DECIFRADOR DE DÚVIDAS MATERIAIS; DESCOMPASSO

Leia mais

Filmes. Filmes. Gestão de RH. Medicina e segurança no trabalho. Prof. Rafael Marcus Chiuzi

Filmes. Filmes. Gestão de RH. Medicina e segurança no trabalho. Prof. Rafael Marcus Chiuzi Gestão de RH Prof. Rafael Marcus Chiuzi Medicina e segurança no trabalho Filmes Vídeo humorístico sobre segurança no trabalho. Duração: 3 20 Filmes Sequência de vídeos de acidente de trabalho. Duração:

Leia mais

CAUSAS DE ACIDENTES DE TRABALHO

CAUSAS DE ACIDENTES DE TRABALHO CAUSAS DE ACIDENTES DE TRABALHO É POSSÍVEL ACONTECER UM ACIDENTE DE TRABALHO NESTAS CONDIÇÕES? Percepção de Riscos e Prevenção As pessoas são realmente descuidadas? As pessoas realmente percebem os riscos?

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP 2014 1. INTRODUÇÃO Com o decorrer do tempo e os avanços tecnológicos tornando

Leia mais

Higiene e segurança no trabalho

Higiene e segurança no trabalho Higiene e segurança no trabalho Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com / Site: www.veniciopaulo.com ESPAÇOS CONFINADOS LIVRETO DO TRABALHADOR NR 33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE S AMBIENTAIS Importância PPRA O PPRA é parte integrante do conjunto mais amplo das iniciativas da empresa no campo da preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores;

Leia mais

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES C1 OBJETIVOS DA CIPA Prevenção de Doenças e Acidentes de Trabalho, mediante o controle dos Riscos presentes: no ambiente nas condições e na organização do

Leia mais

PROGRAMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

PROGRAMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 1 PROGRAMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 2 PPRA Desde 1994, por exigência legal, as empresas são obrigadas a montar o PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais). Esse programa foi definido pela

Leia mais

Riscos adicionais. Riscos adicionais. Altura COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP - 1

Riscos adicionais. Riscos adicionais. Altura COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP - 1 Riscos adicionais Riscos adicionais De altura; De ambientes confinados; De áreas classificadas; De umidade; Condições atmosféricas; Ataque de animais peçonhentos/domésticos. Altura Trabalho em altura é

Leia mais

Higiene do Trabalho. José Carlos Marques Centro de Química da Madeira Departamento de Química Universidade da Madeira. marques@uma.

Higiene do Trabalho. José Carlos Marques Centro de Química da Madeira Departamento de Química Universidade da Madeira. marques@uma. Higiene do Trabalho José Carlos Marques Centro de Química da Madeira Departamento de Química Universidade da Madeira Uma 2004 marques@uma.pt http://www.uma.pt/jcmarques Plano Princípios Plano / bibliografia

Leia mais

ERGONOMIA E SEGURANÇA DO TRABALHO ENGENHARIA CIVIL

ERGONOMIA E SEGURANÇA DO TRABALHO ENGENHARIA CIVIL ERGONOMIA E SEGURANÇA DO TRABALHO ENGENHARIA CIVIL Adaptado do Trabalho de Emanuel J. C. Castilho Engenharia Civil Noturno Professora: Engª M.Sc. Ana Lúcia de Oliveira Daré ERGONOMIA E SEGURANÇA DO TRABALHO

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA NO TRABALHO DE UMA INDÚSTRIA MADEIREIRA: ESTUDO DE CASO DE UMA SERRARIA NO SUL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO.

AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA NO TRABALHO DE UMA INDÚSTRIA MADEIREIRA: ESTUDO DE CASO DE UMA SERRARIA NO SUL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA NO TRABALHO DE UMA INDÚSTRIA MADEIREIRA: ESTUDO DE CASO DE UMA SERRARIA NO SUL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Ana Carolina Boa, Elizabeth Neire da Silva, Pedro Lício Loiola, Nilton

Leia mais

FUNDAMENTOS DA HIGIENE E SEGURANÇA

FUNDAMENTOS DA HIGIENE E SEGURANÇA FUNDAMENTOS DA HIGIENE E SEGURANÇA INTRODUÇÃO A indústria sempre teve associada a vertente humana, nem sempre tratada como sua componente preponderante. Até meados do século 20, as condições de trabalho

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA E SEGURANÇA PARA USUÁRIOS DOS LABORATÓRIOS E PLANTAS PILOTO DO DCA

NORMAS DE CONDUTA E SEGURANÇA PARA USUÁRIOS DOS LABORATÓRIOS E PLANTAS PILOTO DO DCA Pág. 11/49 Código: NLP- 5.4. Instrução para Elaborar Mapa do Risco (ANEXO IV) 5.4.1 Conhecer o processo de trabalho no local analisado: Os servidores: número, sexo, idade, treinamentos profissionais e

Leia mais

CONCEITO DIVISÃO LABORAIS RISCOS CARACTERÍSTICA COR TIPOLOGIA DE RISCOS 16/03/2012. Riscos Operacionais. Riscos Ambientais

CONCEITO DIVISÃO LABORAIS RISCOS CARACTERÍSTICA COR TIPOLOGIA DE RISCOS 16/03/2012. Riscos Operacionais. Riscos Ambientais RISCOS LABORAIS São agentes presentes nos ambientes de trabalho, decorrentes de precárias condições que, se não forem detectados e eliminados a tempo, provocam os Acidentes de Trabalho e as Doenças Ocupacionais.

Leia mais

TRABALHO NO RS Um acidente a cada 10 minutos. Fonte: Zero Hora Dezembro de 2013 (Sábado 14/12/2013)

TRABALHO NO RS Um acidente a cada 10 minutos. Fonte: Zero Hora Dezembro de 2013 (Sábado 14/12/2013) TRABALHO NO RS Um acidente a cada 10 minutos Fonte: Zero Hora Dezembro de 2013 (Sábado 14/12/2013) ACIDENTES Descaso com a segurança no ambiente profissional provocou 166 mortes de trabalhadores no Rio

Leia mais

PPRA Mitos e Verdades Como Elaborar. Prof. Ricardo Henrique de L Silva

PPRA Mitos e Verdades Como Elaborar. Prof. Ricardo Henrique de L Silva Classificação Conceito de Higiene dos riscos Industrial ambientais PPRA Mitos e Verdades Como Elaborar Prof. Ricardo Henrique de L Silva ricardo.henrique@caruaru.ifpe.edu.br O QUE O PPRA? PARA QUE SERVE

Leia mais

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Constituição de 1934 direito do trabalhador de higiene e segurança Constituição de 1937 - direito do trabalhador de

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Constituição de 1934 direito do trabalhador de higiene e segurança Constituição de 1937 - direito do trabalhador de SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Constituição de 1934 direito do trabalhador de higiene e segurança Constituição de 1937 - direito do trabalhador de higiene e segurança Constituição de 1967 - direito do

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS MODELO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS NOME DA EMPRESA PERÍODO Dia / Mês / Ano a Dia / Mês / Ano 1 SUMÁRIO 3 IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 4 4 OBJETIVO GERAL CONDIÇÕES PRELIMINARES 5 DESENVOLVIMENTO

Leia mais

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA;

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; CONTEÚDO DO TRABALHO Doenças ocupacionais e riscos da construção civil; Quedas; Choque elétrico; Soterramento. A construção é um dos ramos mais antigos do

Leia mais

Manual de Segurança e higiene do trabalho Procedimento para CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

Manual de Segurança e higiene do trabalho Procedimento para CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Revisão: 00 Folha: 1 / 10 1. Definição CIPA Acidente 2. Objetivo A CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

INTRODUÇÃO AO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO INTRODUÇÃO AO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA (Lei 8.213 de 1991 Art. 19) 1º A empresa é responsável pela adoção e uso das medidas coletivas e individuais de proteção e segurança

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA/ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA/ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA/ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS 1. OBJETO 1.1 Prestação de serviços técnicos especializados em Engenharia de segurança do Trabalho, de modo a elaborar o Programa de Prevenção de Riscos

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs Seja bem Vindo! Curso NR 8 Edificações CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 30hs Conteúdo programático: Introdução Circulação Atividades em Edificações com Risco de Queda Cuidados Extras na Circulação

Leia mais

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR 10: Portaria n.º 598, de 07/12/2004 (D.O.U. de 08/12/2004 Seção 1) Ementas: Portaria n.º 126, de 03/06/2005 (D.O.U. de 06/06/2005 Seção 1) NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

Leia mais

17APOSTILA INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES

17APOSTILA INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES 17APOSTILA INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES Caros Colegas, Apresentamos a XVIl apostila da nossa Olimpíadas de Segurança, cujos temas são: Investigação e Análise de Acidentes. A Investigação ou Análise

Leia mais

APLICAÇÃO DE PRINCÍPIOS DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO À MANUTENÇÃO DE AERONAVES REALIZADA NA AVIAÇÃO DO

APLICAÇÃO DE PRINCÍPIOS DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO À MANUTENÇÃO DE AERONAVES REALIZADA NA AVIAÇÃO DO APLICAÇÃO DE PRINCÍPIOS DA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO À MANUTENÇÃO DE AERONAVES REALIZADA NA AVIAÇÃO DO EXÉRCITO por ANDERSON DE SOUSA SILVEIRA E MARCOS LOPES 2 0 0 5 APLICAÇÃO DE PRINCÍPIOS DA

Leia mais

Saúde é um dos direitos fundamentais do ser humano. Muito mais do que a ausência de doenças, ela pode ser definida como qualidade de vida.

Saúde é um dos direitos fundamentais do ser humano. Muito mais do que a ausência de doenças, ela pode ser definida como qualidade de vida. AULA 1 INTRODUÇÃO E O que é SAÚDE? Saúde é o que toda a pessoa tem quando está com todo o organismo saudável e se sentindo completamente bem em relação a doenças ou a qualquer indisposição física. Saúde

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO

IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO RAZÃO SOCIAL: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia. CNPJ: 10.817.343/0001-05. ENDEREÇO: Av. 7 de Setembro, 2090 Nossa Senhora das Graças. CEP: 76.804-124.

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Maio / 2016 Eng. Jose Arnaldo Acidentes envolvendo produtos químicos Em 2014, ocorreram: Mais de 83.000 óbitos e 7,4 milhões de trabalhadores feridos decorrentes

Leia mais

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N.º 1.358, DE 2013 (Do Sr. Domingos Sávio)

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N.º 1.358, DE 2013 (Do Sr. Domingos Sávio) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N.º 1.358, DE 2013 (Do Sr. Domingos Sávio) Susta a aplicação do Anexo 3, da Norma Regulamentadora nº 15 (NR 15), do Ministério do Trabalho e Emprego

Leia mais

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO Conforme NR-10 ACME S.A Ind. Com. 1 de 9 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Identificação do Responsável pela Execução do Serviço. Nome: Empresa: Registro: Local de Execução do Serviço.

Leia mais

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS Alunos: Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR 7 PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Esta Norma Regulamentadora - NR

Leia mais

Perturbação funcional - entende-se que não só um acidente típico, mas também uma doença pode se enquadrar na definição de acidente do trabalho.

Perturbação funcional - entende-se que não só um acidente típico, mas também uma doença pode se enquadrar na definição de acidente do trabalho. ACIDENTE DO TRABALHO Conceito Legal: Lei 8.213/9 Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, ou pelo exercício do trabalho do segurado especial (autônomos, qual

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO NR 01 RISCOS FÍSICOS QUÍMICOS BIOLÓGICOS ERGONOMICOS ACIDENTES. Micro Organismo Patogênicos Doenças Infectocontagiosas

ORDEM DE SERVIÇO NR 01 RISCOS FÍSICOS QUÍMICOS BIOLÓGICOS ERGONOMICOS ACIDENTES. Micro Organismo Patogênicos Doenças Infectocontagiosas Ordem de Serviço Logo da empresa ORDEM DE SERVIÇO NR 01 N de Registro xxx/xx Data de Atualização xx/ xx/ xxxx Função: Técnico em Radiologia Área de Aplicação: Toda área hospitalar RISCOS FÍSICOS QUÍMICOS

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NOTIFICAÇÃO RECOMENDATÓRIA N.º 3638/2014 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO e o MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO na Região de Caxias do Sul, com fundamento nos artigos 6º, inciso XX, da Lei Complementar

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil LUCIANO DINIZ MENDONÇA LIMA Efacec do Brasil Ltda. luciano.diniz@efacecenergy.com.br

Leia mais

ENTRADA EM ESPAÇOS CONFINADOS

ENTRADA EM ESPAÇOS CONFINADOS ENTRADA EM ESPAÇOS CONFINADOS Uma vez concluída a avaliação de um trabalho em espaço confinado é necessário que se avalie também os perigos e se desenvolva um programa para que ele seja realizado com sucesso.

Leia mais

V FORUM - NR 32. São Paulo 09.06.2010. Noeli Martins. auditora fiscal do trabalho médica do trabalho

V FORUM - NR 32. São Paulo 09.06.2010. Noeli Martins. auditora fiscal do trabalho médica do trabalho V FORUM - NR 32 São Paulo 09.06.2010 Noeli Martins auditora fiscal do trabalho médica do trabalho PORTARIA MTE 3214/78-33 Normas Regulamentadoras NR 01 Disposições Gerais NR 02 Inspeção Prévia NR 03 Embargo

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA

ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA 1 ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA NOME DO FUNCIONÁRIO MATRÍCULA CPF DEPARTAMENTO SIGLA ATIVIDADE DESENVOLVIDA MOTORISTA DE VEÍCULOS DESCRIÇÃO SUMÁRIA Dirigir e/ou operar veículos leves e pesados, transportando

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio

A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio Ciclo de Vida do Empreendimento: Todos os empreendimentos tem um ciclo de vida - têm um início, um crescimento

Leia mais

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO AMBIENTAL INEAA MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO José Roberto Teixeira NOVEMBRO/2002 MEIO AMBIENTE, SAÚDE E

Leia mais

Laudo Técnico de condições Ambientais do Trabalho LTCAT MOBRA SERVIÇOS DE VIGILNCIA LTDA

Laudo Técnico de condições Ambientais do Trabalho LTCAT MOBRA SERVIÇOS DE VIGILNCIA LTDA Laudo Técnico de condições Ambientais do Trabalho LTCAT MOBRA SERVIÇOS DE VIGILNCIA LTDA JANEIRO / 2014 DADOS DA EMPRESA Razão Social: MOBRA SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA LTDA. CGC: 87.134.086/0001-23, Endereço:

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 7

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 7 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 7 Competências a serem trabalhadas em HO Analisar as condições de saúde e organização do ambiente de trabalho, avaliando-as

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral)

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral) Curso Técnico Segurança do Trabalho Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral) Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade

Leia mais

1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ Nº. 038/BR REVISÃO: 00 Página 1 de 5 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Código interno de identificação do produto: Nome da empresa: Endereço: HOMOPOLÍMERO DE POLIPROPILENO

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DE HIGIENE OCUPACIONAL E PPRA. Avaliação e Controle dos Riscos Ambientais

MANUAL PRÁTICO DE HIGIENE OCUPACIONAL E PPRA. Avaliação e Controle dos Riscos Ambientais MANUAL PRÁTICO DE HIGIENE OCUPACIONAL E PPRA Avaliação e Controle dos Riscos Ambientais 1ª edição 2006 2ª edição, autor 2006 3ª edição 2011 4ª edição 2013 5ª edição janeiro, 2014 6ª edição outubro, 2014

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

Comentário: OPÇÃO CORRETA. Está de acordo com os precitos da NR 06.

Comentário: OPÇÃO CORRETA. Está de acordo com os precitos da NR 06. Questão 11 - GABARITO OPÇÃO (D) Conforme a Norma Regulamentadora 06, que trata sobre Equipamento de Proteção Individual EPI, marque a alternativa INCORRETA. (A) Constitui-se de exemplo de EPI para proteção

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI 0 FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Concórdia- SC 2014 1 EDICLÉIA KARINE

Leia mais

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA.

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. CLAUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO. 1.1. Estabelecer diretrizes de

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO Cód.: LAS Nº: 78 Versão: 5 Data: 08/09/2014 DEFINIÇÃO Licença concedida, com a remuneração integral, em decorrência de acidente em serviço ocorrido no exercício do cargo,

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DOS DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA INDUSTRIA DE MÁQUINAS ERPS LTDA MÁQUINA DE MONTAR BICOS MODELO: MAP 21 N 9210258

LAUDO TÉCNICO DOS DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA INDUSTRIA DE MÁQUINAS ERPS LTDA MÁQUINA DE MONTAR BICOS MODELO: MAP 21 N 9210258 LAUDO APENAS PARA FINS DE CONSULTA. HAVENDO NECESSIDADE SOLICITAR CÓPIA FÍSICA LAUDO TÉCNICO DOS DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA INDUSTRIA DE MÁQUINAS ERPS LTDA MÁQUINA DE MONTAR BICOS N 9210258 Novo Hamburgo

Leia mais

CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17

CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17 CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17 Comissão: Alynne Obermüller Carolina Amaral Gabriela Silva Mariana Ribeiro Colaboração: Teresa Mate Ergonomia na prática: CARPINTEIRO 4 SUMÁRIO Apresentação...

Leia mais

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10 Empresa: Instrutor: Nome: DATA: Questões: 01- A NR10 Instalação e Serviços de eletricidade fixam as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalha em instalações elétricas,

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT

Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT Secretaria de Estado da Saúde - SES/GO SESMT Juliana A. Nepomuceno Eng. de Seg. do Trabalho Cood. SESMT/SES SESMT O que é? Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho EQUIPES

Leia mais

ESPAÇO CONFINADO CONTROLE DE REVISÃO

ESPAÇO CONFINADO CONTROLE DE REVISÃO Elaborado por Ana Karolina Kalil Visto Aprovado por Márcio Flávio Ribeiro Pereira Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 25/04/2014 - Emissão inicial 1. OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

APIR- Aspectos / Perigos e Impactos / Riscos

APIR- Aspectos / Perigos e Impactos / Riscos Administrativas APIR- Aspectos / Perigos e Impactos / Riscos RG-083 Rev. 1 20/09/2012 CONTRATO / FRENTE DE TRABALHO: GESTÃO ATNAS ESCOPO: APOIO TÉCNICO / ADMINISTRATIVO E TRANSPORTE DE PESSOAS ALTERAÇÃO

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Nº: 059 Data da última revisão: 04/05/2013 Nome do Produto: Betugrout Super 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Betugrout Super Código do Produto:026050100. Nome da Empresa:Betumat

Leia mais

MAPA DE RISCOS DOS LABORATÓRIOS DA ENGENHARIA CIVIL DO IDT/ IPARQUE/ UNESC

MAPA DE RISCOS DOS LABORATÓRIOS DA ENGENHARIA CIVIL DO IDT/ IPARQUE/ UNESC MAPA DE RISCOS DOS LABORATÓRIOS DA ENGENHARIA CIVIL DO IDT/ IPARQUE/ UNESC Nídia Vaneide Monteiro Sebastião (1), Clóvis Norberto Savi (2) RESUMO UNESC Universidade do Etremo Sul Catarinense (1) nidia109@hotmail.com,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA PR.11 Revisão: 00 Página 1 de 4 1. OBJETIVO Estabelecer e manter planos

Leia mais

ELETROBRAS ELETRONUCLEAR S.A. Manual de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional

ELETROBRAS ELETRONUCLEAR S.A. Manual de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional ELETROBRAS ELETRONUCLEAR S.A Manual de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional Diretoria de Operação e Comercialização DO Superintendência de Coordenação da Operação SC.O Gerência de Monitoração GMO.O

Leia mais

PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base

PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base [informe a unidade/complexo] Anexo 1 do PGS-3209-46-63 Data - 07/10/2013 Análise Global: - [informe o número e data da análise] p. 1/27 Sumário

Leia mais

LEIS ORDINÁRIAS RELACIONADAS A ESTES TEMAS XXII REDUÇÃO DOS RISCOS INERENTES AO TRABALHO POR MEIO DE NORMAS DE SAÚDE, HIGIENE E SEGURANÇA;

LEIS ORDINÁRIAS RELACIONADAS A ESTES TEMAS XXII REDUÇÃO DOS RISCOS INERENTES AO TRABALHO POR MEIO DE NORMAS DE SAÚDE, HIGIENE E SEGURANÇA; . SUPERINTENDENTE: DR. JULIO BRIZZI FCO. GILBERTO BELCHIOR - AFT DISPOSITIVOS CONSTITUCIONAIS/88 RELATIVOS À SAÚDE, HIGIENE E SEGURANÇA ART. 7º - SÃO DIREITOS DOS TRABALHADORES URBANOS E RURAIS, ALÉM DE

Leia mais

Condições de Trabalho

Condições de Trabalho NR-17 Ergonomia OBJETIVO Visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto,

Leia mais

Serviços de SEGURANÇA do TRABALHO

Serviços de SEGURANÇA do TRABALHO Serviços de SEGURANÇA do TRABALHO Auditorias Técnicas de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, visam parametrizar Instalações, Equipamentos e materiais Manuseamento de máquinas e produtos químicos Equipamentos

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO. Mesa Hidráulica de Elevação Manual Capacidade 300 kg LT30A

MANUAL DE INSTRUÇÃO. Mesa Hidráulica de Elevação Manual Capacidade 300 kg LT30A MANUAL DE INSTRUÇÃO Mesa Hidráulica de Elevação Manual Capacidade 300 kg LT30A APRESENTAÇÃO PARABÉNS! Você acaba de adquirir um produto Lycos. Desenvolvido e fabricado para atender todos os requisitos

Leia mais

NR- 9 PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

NR- 9 PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi NR- 9 PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira PPRA PADRÃO PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

TLONAN LOGÍSTICA. PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Março de 2016

TLONAN LOGÍSTICA. PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Março de 2016 TLONAN LOGÍSTICA PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Março de 2016 T. Lonan Logística LTDA Est. do Lameirão Pequeno, 136 Campo Grande, Rio de Janeiro, RJ Tel.: +55 21 2411-1317 Fax : + 55

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DE HIGIENE OCUPACIONAL E PPRA. Avaliação e Controle dos Riscos Ambientais

MANUAL PRÁTICO DE HIGIENE OCUPACIONAL E PPRA. Avaliação e Controle dos Riscos Ambientais MANUAL PRÁTICO DE HIGIENE OCUPACIONAL E PPRA Avaliação e Controle dos Riscos Ambientais 1ª edição 2006 2ª edição, autor 2006 3ª edição 2011 4ª edição 2013 5ª edição janeiro, 2014 6ª edição outubro, 2014

Leia mais

ANEXO A PORTARIA Nº 143/2006, de 17 de maio de 2006.

ANEXO A PORTARIA Nº 143/2006, de 17 de maio de 2006. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA - UCB PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRG UADA - COORDENAÇÃO EAPs PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO PRA DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS ANEXO A PORTARIA Nº 143/2006, de 17 de maio de

Leia mais

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa.

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. NR 01 - Disposições Gerais Descrever alguns tópicos do que cabe ao empregador. Verificar

Leia mais

Organismos Vivos; Agentes Biológicos; Funções Vitais, Microbiologia Ambiental.

Organismos Vivos; Agentes Biológicos; Funções Vitais, Microbiologia Ambiental. Tecnólogo em Segurança do Trabalho DISCIPLINA: Biologia Aplicada à Saúde e Segurança no Trabalho Organismos Vivos; Agentes Biológicos; Funções Vitais, Microbiologia Ambiental. DISCIPLINA: Informática Aplicada

Leia mais

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Cozinha Industrial Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Serviços de alimentação Este tipo de trabalho aparenta não ter riscos, mas não é bem assim, veja alguns exemplos: Cortes

Leia mais

O Valor à Vida: Prevenção de Acidentes de Trabalho nas Empresas de Santa Maria

O Valor à Vida: Prevenção de Acidentes de Trabalho nas Empresas de Santa Maria XIII SIMPEP - Bauru, SP, Brasil, 6 a 8 de Novembro de 26 O Valor à Vida: Prevenção de Acidentes de Trabalho nas Empresas de Santa Maria Luziane Rocha de Oliveira (UNIFRA) luzi.oliver@ibest.com.br Elio

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

CAPACITAÇÃO TST PROGRAMA DE PREVENÇÂO DOS RISCOS AMBIENTAIS NR-09 COMENTADA ODEMIRO J B FARIAS

CAPACITAÇÃO TST PROGRAMA DE PREVENÇÂO DOS RISCOS AMBIENTAIS NR-09 COMENTADA ODEMIRO J B FARIAS CAPACITAÇÃO TST PROGRAMA DE PREVENÇÂO DOS RISCOS AMBIENTAIS NR-09 COMENTADA ODEMIRO J B FARIAS 1 CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA PROFISSIONAIS TÉCNICOS EM SEGURANÇA DO TRABALHO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DOS RISCOS

Leia mais

I - PROCESSO DO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA. Os primeiros passos da equipe devem ser dados para a obtenção de informações sobre o que determina a

I - PROCESSO DO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA. Os primeiros passos da equipe devem ser dados para a obtenção de informações sobre o que determina a A aplicação de uma competente estratégia pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento de um programa de proteção contra quedas, bem como justificar o tempo investido em sua elaboração e administração.

Leia mais

REVISTA DIGITAL REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

REVISTA DIGITAL REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO REVISTA DIGITAL Saúde e Segurança do Trabalho - Direito do Trabalho e Previdenciário REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Odemiro J B Farias Esse Texto da Portaria de Regulamentação

Leia mais

PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS COOPERCON COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO E ATIVIDADES AFINS DE MINAS GERAIS

PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS COOPERCON COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO E ATIVIDADES AFINS DE MINAS GERAIS PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS COOPERCON COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO E ATIVIDADES AFINS DE MINAS GERAIS SEDE ANO BASE: MAIO 2016 / MAIO 2017 1- PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

Leia mais

Referência: Reunião Técnica, Memorial Descritivo Rev: 2. Proteções Existentes. Observações (O)/ Recomendações (R) Meio Ambiente.

Referência: Reunião Técnica, Memorial Descritivo Rev: 2. Proteções Existentes. Observações (O)/ Recomendações (R) Meio Ambiente. Ambiente Imagem 1 Vazamento de produto inflamável armazenado em frascos, bombonas ou tambores. - Falha durante o manuseio ou transporte do recipiente provocando tombamento ou queda; - Recipiente em más

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Indústria da Panificação PROGRAMAÇÃO: Palestra Segurança Geral - SESI - Segurança do Trabalho; - Riscos Ambientais e Acidentes do Trabalho; - PPRA/PCMSO; - Normas regulamentadoras;

Leia mais

CIPA GESTÃO 2013/2014

CIPA GESTÃO 2013/2014 HOSPITAL SÃO PAULO-SPDM Mapa de Risco da Empresa: Questionário auxiliar para elaboração do Mapa de Riscos Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho,

Leia mais

E NOS TRAB E NOS TR ALHOS EM

E NOS TRAB E NOS TR ALHOS EM SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS DEZ/2014 1 ÍNDICE Objetivo Definição... 04 Oque É Espaço Confinado... 05 Onde É Encontrado O Espaço Confinado... 06 Quais São Os Tipos De Trabalhos

Leia mais

LAUDO 015/2013 - SMS LAUDO FISIOTERAPEUTA EM UNIDADES DE SAÚDE LAUDO PERICIAL DE INSALUBRIDADE E/OU PERICULOSIDADE N.º 015/2013 1

LAUDO 015/2013 - SMS LAUDO FISIOTERAPEUTA EM UNIDADES DE SAÚDE LAUDO PERICIAL DE INSALUBRIDADE E/OU PERICULOSIDADE N.º 015/2013 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE - SMS GERÊNCIA DE SAÚDE DO SERVIDOR MUNICIPAL - GSSM EQUIPE DE PERÍCIA TÉCNICA - EPT LAUDO 015/2013 - SMS LAUDO FISIOTERAPEUTA EM UNIDADES

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM) RESOLUÇÃO CFM nº 1488/1988 É responsabilidade do médico estabelecer a relação causal ou o nexo técnico entre a doença e o trabalho História clínica e ocupacional Exame

Leia mais