HISTÓRIA DA ARTE. Missão Artística Francesa: Influências Neo-Clássicas e Acadêmicas. Apoio pedagógico:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HISTÓRIA DA ARTE. Missão Artística Francesa: Influências Neo-Clássicas e Acadêmicas. Apoio pedagógico: www.artevisualensino.com.br"

Transcrição

1 HISTÓRIA DA ARTE Missão Artística Francesa: Influências Neo-Clássicas e Acadêmicas 1 Apoio pedagógico:

2 A queda de Napoleão Bonaparte, em 1815, e a decadência de seu império obrigou a França a reordenar sua política e também suas diretrizes culturais. Vários artistas que ocupavam lugar de destaque na corte ficam sem função

3 O grupo de artistas franceses que constituiu a Missão Francesa, chegou ao Rio de Janeiro a 26 de março de 1816, a bordo do navio Calpe, escoltado por navios ingleses

4 Era composta por: Joachim Lebreton, o líder; Jean-Baptiste Debret, Pintor histórico; Nicolas- Antoine Taunay, pintor de paisagens e cenas históricas; Auguste Henri Victor Granjean de Montigny, Arquiteto e dois de seus discípulos: Charles de Lavasseur e Louis Ueier

5 E também Auguste Marie Taunay, escultor; Charles- Simeon Predier, gravador, François Ovide, mecânico, Jean Baptiste Leve, ferreiro, Nicolas Magliori Enout, serralheiro, Pelite e Fabre, peleteiros, Louis Jean Roy e seu filho Hypolite, carpinteiros

6 François Bonrepos, auxiliar de escultura, e Felix Taunay, filho de Nicolas-Antoine. Muitos deles trouxeram suas famílias, criados e outros auxiliares. Vieram ainda Sigismund Neukomm, músico, e Pierre Dillon, secretário de Lebreton. mais tarde, Mark Ferrez, escultor e Zéphyrin Ferrez,gravador de medalhas.

7 Podemos dizer que a Missão Francesa instaurou o ensino de arte no Brasil, já que foi a primeira escola oficial a ministrar conteúdos da arte segundo uma metodologia estruturada

8 Segundo se sabe, em 12 de junho de 1816, Lebreton elaborou um memorando para o Conde da Barca onde propôs a criação de uma escola de Belas Artes com disciplinas sistematizadas e graduadas

9 O ensino se daria em três fases: 1- Desenho geral e cópia de modelos dos mestres, para todos os alunos;

10 2- Desenho de vultos e da natureza, e elementos de Modelagem para os escultores; 3- Pintura acadêmica com Modelo Vivo para pintores; escultura com modelo vivo para escultores, e estudo no atelier de mestres gravadores e mestres desenhistas para os alunos destas especialidades

11 Para a arquitetura haveria também três etapas divididas em teóricas e práticas: Na teoria: História da arquitetura através de estudo dos antigos; Construção e perspectiva; Estereotomia

12 Na prática: Desenho; Cópia de modelos e estudo de dimensões; Composição.

13 Lebreton sugeria ainda o ensino da música, propunha um cronograma de aulas, sistematizava o processo e critérios de avaliação e aprovação dos alunos e ainda sugeria formas de aproveitamento dos formados

14 Propunha a ampliação de coleções oficiais, discriminava os recursos humanos e materiais necessários para o bom funcionamento da Escola, e previa a necessidade da formação de artífices auxiliares por meio de uma Escola de Desenho para as Artes e Ofícios, cujo ensino seria gratuito mas sistemático

15 Mesmo desconsiderando as manifestações artísticas locais, a presença da escola, para todos os efeitos, atualizou a estética reinante no país

16 Um dos nomes mais significativos da missão foi a vinda de Debret, cujo trabalho é um documentário de nosso passado colonial

17 Jean-Baptiste Debret, mostra o comportamento, hábitos e costumes dos povos que aqui viviam na época em que aqui permanece, foca o trabalho escravo em muitas de suas obras

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38 Nicolas Antoine Taunay, revela a essência do classicismo francês na nossa paisagem

39

40

41

42

43

44

45

46 Auguste Marie Taunay instaura a escultura de base clássica

47

48

49

50

51 Marc Ferrez, sobrinho do escultor Marc Ferrez, cria documentos fotográficos inesquecíveis do Rio de Janeiro, seus tipos e regiões

52

53

54

55

56

57

58

59

60

61

62

63 Zépherino Ferrez

64

65 Grandjean de Montigny, um dos primeiros arquitetos de formação escolar a projetar obras no Brasil imperial, antes eram mestres formados pelo sistema de corporações, à semelhança das Guildas medievais

66

67

68 O Neo-Clássico revisitado é o que impera no contexto da arte brasileira, até o século XX, extensão da visão acadêmica instaurada pela Escola Nacional de Belas Artes

69 Só depois da república, na segunda década do século XX é que o Brasil tentou retomar as rédeas da criação artística, mesmo assim, atrelado à estética européia

A Missão Artística Francesa

A Missão Artística Francesa A Missão Artística Francesa Novos rumos para a arte no Brasil Angela Ancora da Luz Para resolver um problema político com a França de Napoleão, D. João entregou a defesa de Portugal à Inglaterra e resolveu

Leia mais

MISSÃO ARTÍSTICA FRANCESA A COLÔNIA DE ARTISTAS DE LE BRETON FRENCH MISSION ARTS "THE COLONY OF ARTISTS OF LE BRETON"

MISSÃO ARTÍSTICA FRANCESA A COLÔNIA DE ARTISTAS DE LE BRETON FRENCH MISSION ARTS THE COLONY OF ARTISTS OF LE BRETON MISSÃO ARTÍSTICA FRANCESA A COLÔNIA DE ARTISTAS DE LE BRETON FRENCH MISSION ARTS "THE COLONY OF ARTISTS OF LE BRETON" Doutor em Artes pela Universidade Augusburg e Professor Titular da Universidade Metodista

Leia mais

A implantação da Academia de Belas Artes, o Neoclassicismo e os desdobramentos da arquitetura no período.

A implantação da Academia de Belas Artes, o Neoclassicismo e os desdobramentos da arquitetura no período. A Arquitetura Brasileira do século XIX A implantação da Academia de Belas Artes, o Neoclassicismo e os desdobramentos da arquitetura no período. Prof. Dr. Carlos Augusto Mattei Faggin Denis de Souza e

Leia mais

O trabalho escravo no Brasil Algumas imagens

O trabalho escravo no Brasil Algumas imagens O trabalho escravo no Brasil Algumas imagens Jean Baptiste Debret nasceu em Paris, na França, em 18 de abril de 1768. Formado pela Academia de Belas Artes de Paris, Debret foi um dos membros da Missão

Leia mais

Missão Francesa completa 200 anos

Missão Francesa completa 200 anos Missão Francesa completa 200 anos Um dos marcos do desenvolvimento das artes no Brasil, a Missão Artística Francesa que aportou nos trópicos em 25 de março de 1816, completa este ano seu bicentenário.

Leia mais

O Programa PELD no Brasil: Lições e perspectivas

O Programa PELD no Brasil: Lições e perspectivas O Programa PELD no Brasil: Lições e perspectivas Dr. Carlos Frederico Duarte da Rocha Departamento de Ecologia - Instituto de Biologia Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ Membro Titular do

Leia mais

O PROCESSO DE FORMAÇÃO DOS PINTORES SERGIPANOS NO SÉCULO XIX: O CASO DE OSÉAS ALVES DOS SANTOS

O PROCESSO DE FORMAÇÃO DOS PINTORES SERGIPANOS NO SÉCULO XIX: O CASO DE OSÉAS ALVES DOS SANTOS O PROCESSO DE FORMAÇÃO DOS PINTORES SERGIPANOS NO SÉCULO XIX: O CASO DE OSÉAS ALVES DOS SANTOS Danielle Virginie Santos Guimarães Universidade Federal de Sergipe danielle.virginie@yahoo.com.br Palavras

Leia mais

Família Real no Brasil. A Arte nesse período

Família Real no Brasil. A Arte nesse período Família Real no Brasil A Arte nesse período A FORMAÇÃO DO SISTEMA DE ARTE NO BRASIL Fatos e datas Importantes: 1804 França faz o bloqueio continental, que impedia todos os países Europeus a negociar com

Leia mais

Dom João VI - Brasil 1808

Dom João VI - Brasil 1808 Dom João VI - Brasil 1808 Ordem: 28º Monarca de Portugal Codnome: O Clemente Início do Reinado: 20 de Março de 1816 (regente desde 10 de Fevereiro de 1792) Término do Reinado: 10 de Março de 1826 (9 anos)

Leia mais

(Re)visitando a Escola de Belas Artes de Pernambuco *

(Re)visitando a Escola de Belas Artes de Pernambuco * (Re)visitando a Escola de Belas Artes de Pernambuco * Maria Betânia e Silva Mestre em Educação pela UFPE. Doutoranda em Educação pela UFMG e-mail: bet_arte@hotmail.com Resumo O presente texto procura abordar

Leia mais

HISTÓRIA DA ARTE II. Século XIX

HISTÓRIA DA ARTE II. Século XIX HISTÓRIA DA ARTE II Século XIX O Neoclassicismo na Europa Contexto Histórico - Século XVIII: Idade das Luzes - Descoberta de Herculano (1713) e Pompéia (1748) - Na Europa: guerras (esgotamento das riquezas)

Leia mais

ARTE BRASILEIRA NO SÉCULO XIX: O NEOCLASSICISMO

ARTE BRASILEIRA NO SÉCULO XIX: O NEOCLASSICISMO ARTE BRASILEIRA NO SÉCULO XIX: O NEOCLASSICISMO Por Danilo Sá de Moura RESUMO O Brasil no século XIX passa por suas mudanças mais profundas. No império, o estilo neoclássico contribui para divulgar de

Leia mais

ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX

ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX ARTES: A TRANSIÇÃO DO SÉCULO XVIII PARA O SÉCULO XIX Neoclassicismo ou Academicismo: * Últimas décadas do século XVIII e primeiras do XIX; * Retoma os princípios da arte da Antiguidade grecoromana; * A

Leia mais

TH-3. Prof. Ana Paula Zimmermann. Turma C01 2015/1

TH-3. Prof. Ana Paula Zimmermann. Turma C01 2015/1 TH-3 Prof. Ana Paula Zimmermann Turma C01 2015/1 Arquitetura Brasileira Descoberto em 1500 pelo Reino de Portugal, o Brasil manteve-se na qualidade de colônia até o século XIX. Durante este período podemos

Leia mais

ISSN 2236-0719. Organização Ana Maria Tavares Cavalcanti Maria de Fátima Morethy Couto Marize Malta

ISSN 2236-0719. Organização Ana Maria Tavares Cavalcanti Maria de Fátima Morethy Couto Marize Malta ISSN 2236-0719 Organização Ana Maria Tavares Cavalcanti Maria de Fátima Morethy Couto Marize Malta Universidade Estadual de Campinas Outubro 2011 Apresentação de Mesa-Redonda - 5 Carlos Gonçalves Terra

Leia mais

caderno de atividades

caderno de atividades caderno de atividades A sociedade brasileira Índios, nossos primeiros habitantes Página 10 Para atender à causa desses povos, existem leis que garantem o direito à terra, delimitando espaços para reservas

Leia mais

Ricardo Morais SCATENA

Ricardo Morais SCATENA SCHWARCZ, Lilia Moritz. O sol do Brasil: Nicolas-Antoine Taunay e as desventuras dos artistas franceses na corte de D. João. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. Ricardo Morais SCATENA Professora titular

Leia mais

Raimundo Cela um mestre brasileiro

Raimundo Cela um mestre brasileiro CARTA DO SETOR EDUCATIVO MAB/FAAP ÀS ESCOLAS Exposição Raimundo Cela um mestre brasileiro Ação Educativa entre 12 de junho e 24 de julho de 2016 Raimundo Cela, Jangada rolando para o mar, 1950. Óleo sobre

Leia mais

ARTES AVALIAÇÃO. Aula 3.2 - AVALIAÇÃO

ARTES AVALIAÇÃO. Aula 3.2 - AVALIAÇÃO Aula 3.2-2 1. A Anunciação é uma das obras mais conhecidas de Leonardo da Vinci. Feita por volta do ano de 1472, ela retrata uma das cenas bíblicas mais famosas de todos os tempos. Escreva nas linhas abaixo

Leia mais

Neoclassicismo e o Romantismo. Clique para adicionar texto HISTÓRIA DA ARTE

Neoclassicismo e o Romantismo. Clique para adicionar texto HISTÓRIA DA ARTE Neoclassicismo e o Romantismo Clique para adicionar texto HISTÓRIA DA ARTE Nas duas últimas décadas do século XVIII e nas três primeiras do século XIX, uma nova tendência estética predominou nas criações

Leia mais

Palavras-Chave: Geometria Descritiva, Perspectiva, Academia Imperial de Belas Artes.

Palavras-Chave: Geometria Descritiva, Perspectiva, Academia Imperial de Belas Artes. CO 61: A Geometria Descritiva como ciência acessória na Academia Imperial de Belas Artes Thiago Maciel de Oliveira Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira - UERJ thiagomoliveira@gmail.com

Leia mais

AS RELAÇÕES ENTRE O TEATRO E O PODER NAS MINAS OITOCENTISTAS.

AS RELAÇÕES ENTRE O TEATRO E O PODER NAS MINAS OITOCENTISTAS. AS RELAÇÕES ENTRE O TEATRO E O PODER NAS MINAS OITOCENTISTAS. Luciano Borges Muniz 1 Flávio Marcus da Silva 2 Resumo Este artigo é parte dos resultados obtidos por pesquisas desenvolvidas a cerca das relações

Leia mais

ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL

ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL Rua Prof Guilherme Butler, 792 - Barreirinha - CEP 82.700-000 - Curitiba/PR Fone: (41) 3053-8636 - e-mail: ease.acp@adventistas.org.br

Leia mais

MEMÓRIA AMBIENTAL BRASILEIRA: PAISAGENS NO SÉCULO XIX

MEMÓRIA AMBIENTAL BRASILEIRA: PAISAGENS NO SÉCULO XIX MEMÓRIA AMBIENTAL BRASILEIRA: PAISAGENS NO SÉCULO XIX Elisabete Priedols Universidade Presbiteriana Mackenzie Norberto Stori Universidade Presbiteriana Mackenzie Petra Sanchez Sanchez Universidade Presbiteriana

Leia mais

Esse texto é parte integrante da dissertação de mestrado defendida em dezembro de 2001 na UFBA. 1

Esse texto é parte integrante da dissertação de mestrado defendida em dezembro de 2001 na UFBA. 1 1 REPRESENTAÇÕES DA SOCIEDADE ESCRAVISTA BRASILEIRA NA VIAGEM PITORESCA E HISTORICA AO BRASIL, DE JEAN BAPTISTE DEBRET: UMA POSSIBILIDADE DE LEITURA NO LIVRO DIDÁTICO Emilia Maria F. da Silva emiliamfs@terra.com.br

Leia mais

O barroco O caso Francês e o barroco no mundo

O barroco O caso Francês e o barroco no mundo O barroco O caso Francês e o barroco no mundo O caso Francês Em França, as concepções renascentistas permaneceram até mais tarde, pois houve uma grande resistência ao Barroco por parte das academias. Quando

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÃO GRÁFICA CURSO DE DESIGN Apoio pedagógico Virtual: www.artevisualensino.com.br Com o término da Revolução

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DIRETORIA DE PROJETO ESPECIAIS PROJETO A VEZ DO MESTRE ABORDAGENS SOBRE A ARTE NA EDUCAÇÃO ESCOLAR MÔNICA REIS FELIZOLA ORIENTADOR:

Leia mais

Nas aquarelas de Debret: técnicas e linguagens Dra. Sandra C. A. Pelegrini (PPH/UEM). Mariane Pimentel Tutui (PPH/UEM).

Nas aquarelas de Debret: técnicas e linguagens Dra. Sandra C. A. Pelegrini (PPH/UEM). Mariane Pimentel Tutui (PPH/UEM). Nas aquarelas de Debret: técnicas e linguagens Dra. Sandra C. A. Pelegrini (PPH/UEM). Mariane Pimentel Tutui (PPH/UEM). Jean-Baptiste Debret é conhecido hoje como um dos maiores pintores que retrataram

Leia mais

2012 2ª PROVA DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

2012 2ª PROVA DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 2ª PROVA DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Aluno(a): Nº Ano: 8º Turma: Data: / /2012 Nota: Professora: Ivana Cavalcanti Riolino Valor da Prova: 65 pontos Orientações

Leia mais

Ateliê Mathieu Duvignaud

Ateliê Mathieu Duvignaud Ateliê Mathieu Duvignaud Paisagem & Cultura Criações Press Ateliês Paris 39 rue liancourt 75014 Paris Tel: +33(0)1 43 21 48 51 Brasil 202 ayrton senna 59080-100 Natal, RN Tel: +55(84) 8127 2717 mathieuduvignaud.com

Leia mais

O USO DE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DO CINEMA COMO FONTE HISTÓRICA Leandro Batista de Araujo* RESUMO: Atualmente constata-se a importância

O USO DE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DO CINEMA COMO FONTE HISTÓRICA Leandro Batista de Araujo* RESUMO: Atualmente constata-se a importância O USO DE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DO CINEMA COMO FONTE HISTÓRICA Leandro Batista de Araujo* RESUMO: Atualmente constata-se a importância e necessidade do uso de tecnologias no trabalho escolar

Leia mais

A HISTÓRIA DA MATEMÁTICA NO BRASIL O DESENVOLVIMENTO DAS NOÇÕES DO CÁLCULO, DA GEOMETRIA E DA MECÂNICA NO SÉCULO XIX

A HISTÓRIA DA MATEMÁTICA NO BRASIL O DESENVOLVIMENTO DAS NOÇÕES DO CÁLCULO, DA GEOMETRIA E DA MECÂNICA NO SÉCULO XIX A HISTÓRIA DA MATEMÁTICA NO BRASIL O DESENVOLVIMENTO DAS NOÇÕES DO CÁLCULO, DA GEOMETRIA E DA MECÂNICA NO SÉCULO XIX Nelson Lage da Costa Mestre em Ensino de Ciências Professor UCB nelsonlage@ig.com.br

Leia mais

A concisa história de um projeto pedagógico para o design

A concisa história de um projeto pedagógico para o design A concisa história de um projeto pedagógico para o design Na Europa formaram dois eixos artísticos de diferentes orientações e que marcaram atuação nas primeiras décadas do século 20. Grupos, pelo choque

Leia mais

Pintura Brasileira do século XIX João Pedro Ricaldes dos Santos História da Arte

Pintura Brasileira do século XIX João Pedro Ricaldes dos Santos História da Arte Pintura Brasileira do século XIX João Pedro Ricaldes dos Santos História da Arte É possível distinguir quatro fases importantes na pintura do século XIX no Brasil: a primeira se inicia com a Missão Artística

Leia mais

TEATRO NA ESCOLA: LINGUAGENS E PROCESSO CRIATIVO

TEATRO NA ESCOLA: LINGUAGENS E PROCESSO CRIATIVO TEATRO NA ESCOLA: LINGUAGENS E PROCESSO CRIATIVO Pedro Carlos de Aquino OCHÔA (UEM) Regina Lúcia MESTI (UEM) ISBN: 978-85-99680-05-6 REFERÊNCIA: OCHÔA, Pedro Carlos de Aquino; MESTI, Regina Lúcia. Teatro

Leia mais

RÁDIO ESCOLAR: UMA AÇÃO MULTIDISCIPLINAR COM ARTE E ENGENHARIA

RÁDIO ESCOLAR: UMA AÇÃO MULTIDISCIPLINAR COM ARTE E ENGENHARIA RÁDIO ESCOLAR: UMA AÇÃO MULTIDISCIPLINAR COM ARTE E ENGENHARIA Área Temática: Tecnologia e Produção Prof. Reginaldo da Nóbrega Tavares 1 (Coordenador da Ação de Extensão) Prof. Reginaldo da Nóbrega Tavares

Leia mais

A APROPRIAÇÃO DE NARRATIVAS VISUAIS DO BRASIL OITOCENTISTA NO COTIDIANO ESCOLAR: PROPOSIÇÕES DE UM ESTUDO EM CONSTRUÇÃO

A APROPRIAÇÃO DE NARRATIVAS VISUAIS DO BRASIL OITOCENTISTA NO COTIDIANO ESCOLAR: PROPOSIÇÕES DE UM ESTUDO EM CONSTRUÇÃO A APROPRIAÇÃO DE NARRATIVAS VISUAIS DO BRASIL OITOCENTISTA NO COTIDIANO ESCOLAR: PROPOSIÇÕES DE UM ESTUDO EM CONSTRUÇÃO Alessandra Chaves Zen - UCS Resumo: Este artigo resulta de uma investigação que se

Leia mais

Programa Educativo 22 de outubro a 18 de dezembro Local: Horários: Serviço:

Programa Educativo 22 de outubro a 18 de dezembro Local: Horários: Serviço: O OLHAR VIAJANTE Casa Fiat de Cultura apresenta, a partir de 22 de outubro, 184 obras de viajantes europeus que retrataram o Brasil ao longo do século XIX A chegada da corte portuguesa ao Brasil e a conseqüente

Leia mais

RACISMO E PRECONCEITO RELIGIOSO NO BRASIL A PARTIR DA ICONOGRAFIA DE JEAN BAPTISTE DEBRET

RACISMO E PRECONCEITO RELIGIOSO NO BRASIL A PARTIR DA ICONOGRAFIA DE JEAN BAPTISTE DEBRET RACISMO E PRECONCEITO RELIGIOSO NO BRASIL A PARTIR DA ICONOGRAFIA DE JEAN BAPTISTE DEBRET Lauany Pugina Silva 1, Selson Garutti 2 RESUMO: Racismo e Preconceito são hoje temas das principais notícias de

Leia mais

ARTES PLÁSTICAS (BACHARELADO)

ARTES PLÁSTICAS (BACHARELADO) assinatura do(a) candidato(a) Admissão por Transferência Facultativa 2. a Transferência Facultativa/2010 ARTES PLÁSTICAS (BACHARELADO) Segunda Etapa Prova Dissertativa LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Leia mais

A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL. Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL PORTUGAL

A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL. Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL PORTUGAL A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL De um lado, a pressão napoleônica para Portugal aderir ao bloqueio PORTUGAL De outro

Leia mais

JÚLIO GUERRA Lembranças de São Paulo

JÚLIO GUERRA Lembranças de São Paulo JÚLIO GUERRA Lembranças de São Paulo JÚLIO GUERRA Lembranças de São Paulo Universidade Presbiteriana Mackenzie Reitor Prof. Dr.-Ing. Benedito Guimarães Aguiar Neto Vice-Reitor Prof. Dr. Marcel Mendes Chanceler

Leia mais

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL DISCIPLINA: ARTE PROFESSORA: Cristiana de Souza DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 Pontos NOTA: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 6º ANO TURMA: ALUNO (A): RELAÇÃO DOCONTEÚDO PARA A RECUPERAÇÃO FINAL Nº: 01.

Leia mais

Minerva Studio/ Shutterstock. O passado colonial do continente africano: dominação e espoliação

Minerva Studio/ Shutterstock. O passado colonial do continente africano: dominação e espoliação Minerva Studio/ Shutterstock O passado colonial do continente africano: dominação e espoliação Mark Schwettmann/ Shutterstock Elena Niccolai/ Dreamstime.com O processo de exploração e colonização do continente

Leia mais

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA 1 As autoras A vivência como professoras foi a base de trabalho das autoras. Na sala de aula, puderam conviver com a realidade de leitura

Leia mais

UNOCHAPECÓ Artes Visuais 6º período Conteúdo e Métodos II. Profª Me. Márcia Moreno

UNOCHAPECÓ Artes Visuais 6º período Conteúdo e Métodos II. Profª Me. Márcia Moreno UNOCHAPECÓ Artes Visuais 6º período Conteúdo e Métodos II Profª Me. Márcia Moreno 1 Conhecendo o Louvre... Foi no fim do século XII que Filipe Augusto mandou construir um castelo num local já chamado Louvre.

Leia mais

CURSO DE HISTÓRIA ANTIGA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG

CURSO DE HISTÓRIA ANTIGA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG CURSO DE HISTÓRIA ANTIGA Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG POVOS PRÉ-COLOMBIANOS ASTECAS MAIAS INCAS Principais fontes para estudo dos povos americanos: 1º Fontes

Leia mais

Plano de Patrocínio. PROJETO: Celso Coppio 40 Anos. Realização: PRONAC: 09 0722 PATROCINADORES:

Plano de Patrocínio. PROJETO: Celso Coppio 40 Anos. Realização: PRONAC: 09 0722 PATROCINADORES: Plano de Patrocínio PROJETO: Celso Coppio 40 Anos PRONAC: 09 0722 PATROCINADORES: Realização: o projeto Produzir um livro com os 40 anos de Celso Coppio com uma exposição em seu atelier. Celso Coppio,

Leia mais

Palácio de Versailles. Amanda Mantovani Douglas Gallo Gilberto Nino Julia Coleti

Palácio de Versailles. Amanda Mantovani Douglas Gallo Gilberto Nino Julia Coleti Palácio de Versailles Amanda Mantovani Douglas Gallo Gilberto Nino Julia Coleti O Palácio de Versalhes (em francês Château de Versailles) é um château real localizado na cidade de Versalhes, uma aldeia

Leia mais

Neoclassicismo, Romantismo e Realismo

Neoclassicismo, Romantismo e Realismo 2º ano - ENSINO MÉDIO Aula dia 20/02/15 Neoclassicismo, Romantismo e Realismo Professora Alba Fim do século XVIII e início do século XIX. Período complexo e inquietante de profundas mudanças. A Revolução

Leia mais

Tópico 1 Nº 41 A CASA FRANÇA-BRASIL DE GRANDJEAN DE MONTIGNY E SUAS TRANSFORMAÇÕES. Cristina Grafanassi Tranjan

Tópico 1 Nº 41 A CASA FRANÇA-BRASIL DE GRANDJEAN DE MONTIGNY E SUAS TRANSFORMAÇÕES. Cristina Grafanassi Tranjan RESUMO Tópico 1 Nº 41 A CASA FRANÇA-BRASIL DE GRANDJEAN DE MONTIGNY E SUAS TRANSFORMAÇÕES Cristina Grafanassi Tranjan Profa. Dra., Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro crisgtranjan@globo.com

Leia mais

SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por

SUPLEMENTO DIDÁTICO. Elaborado por JEAN BAPTISTE DEBRET De Douglas Tufano (Autor de vários livros didáticos e paradidáticos, ministra cursos de História da Arte e monitora grupos em visitas a museus no Brasil e no exterior.) SUPLEMENTO

Leia mais

Eliana Teixeira Filipa Loff Antónia Loff APRESENTAM-NOS A ARTE COMO INSPIRAÇÃO. Espaço Cultura do Edifício AXA janeiro 2015 AXA.

Eliana Teixeira Filipa Loff Antónia Loff APRESENTAM-NOS A ARTE COMO INSPIRAÇÃO. Espaço Cultura do Edifício AXA janeiro 2015 AXA. Antónia Loff APRESENTAM-NOS A ARTE COMO INSPIRAÇÃO Espaço Cultura do Edifício AXA janeiro 2015 AXA Corações em Acção Exposição coletiva de pintura de 3 artistas: Antónia Loff Eliana Moreira Teixeira nasceu

Leia mais

Patagônia: Torres del Paine e Monte Fitz Roy

Patagônia: Torres del Paine e Monte Fitz Roy Patagônia: Torres del Paine e Monte Fitz Roy Série: Viajando aos Extremos SINOPSE DO PROGRAMA Situada parte no Chile e parte na Argentina, a Patagônia é uma das regiões mais belas do planeta, um terra

Leia mais

Regulação Bimestral do Processo Ensino Aprendizagem 3º bimestre Ano: 2º ano Ensino Médio Data:

Regulação Bimestral do Processo Ensino Aprendizagem 3º bimestre Ano: 2º ano Ensino Médio Data: Regulação Bimestral do Processo Ensino Aprendizagem 3º bimestre Ano: 2º ano Ensino Médio Data: Disciplina: Antropologia Urbana Professor: Luis Fernando Caro estudante; Ao longo do bimestre desenvolvemos

Leia mais

A Terceira Batalha. Angela Ancora da Luz. Em 1503, Leonardo Da Vinci aceitou pintar um grande afresco sobre

A Terceira Batalha. Angela Ancora da Luz. Em 1503, Leonardo Da Vinci aceitou pintar um grande afresco sobre A Terceira Batalha Angela Ancora da Luz Em 1503, Leonardo Da Vinci aceitou pintar um grande afresco sobre a Batalha de Anghiari, travada entre florentinos e milaneses, com a vitória dos primeiros. A convite

Leia mais

Planejamento. Ensino fundamental I 5 o ano. história Unidade 1. Ético Sistema de Ensino Planejamento Ensino fundamental I

Planejamento. Ensino fundamental I 5 o ano. história Unidade 1. Ético Sistema de Ensino Planejamento Ensino fundamental I história Unidade 1 A vinda da família real portuguesa para o Brasil Os desdobramentos sociais, políticos e econômicos da independência do Brasil Os aspectos históricos do início do Império brasileiro O

Leia mais

TESTATA: EL ECONOMISTA Data: 18 Luglio 2008 TESTATA: VALOR ECONOMICO Data: 11 Settembre 2008 FMR produz livros como na época do Renascimento Para a grande maioria das empresas, retomar sistemas de produção

Leia mais

PARANGOLEZINHO - Regina Ricci 2007

PARANGOLEZINHO - Regina Ricci 2007 PARANGOLEZINHO - Regina Ricci 2007 1 1 Proposta elaborada com base na obra de Hélio Oiticica, pintor, escultor, performático e artista multimídia que em suas diversas propostas incluiu o Parangolé para

Leia mais

Neoclássico. França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264

Neoclássico. França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264 Neoclássico França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264 Definição Neoclássico Movimento cultural dado no século

Leia mais

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Curso: Fundamental I Ano: 5º ano Componente Curricular: História Professor (a): Cristiane

Leia mais

UMA POLÍCIA PARA O IMPÉRIO:

UMA POLÍCIA PARA O IMPÉRIO: UMA POLÍCIA PARA O IMPÉRIO: Historiografia e iconografia sobre a polícia no Rio de Janeiro - primeira metade do século XIX Francis Albert Cotta 1. A HISTORIOGRAFIA SOBRE A POLÍCIA NA CAPITAL DO IMPÉRIO

Leia mais

Araújo Porto Alegre e o patrimônio arquitetônico do Rio De Janeiro

Araújo Porto Alegre e o patrimônio arquitetônico do Rio De Janeiro Artigo Araújo Porto Alegre e o patrimônio arquitetônico do Rio De Janeiro Nireu Oliveira Cavalcanti* 1. Introdução Este estudo parte da idéia de que Araújo Porto Alegre foi responsável por um conjunto

Leia mais

Docente: Adriana Severino da Silva Ano: 2013

Docente: Adriana Severino da Silva Ano: 2013 Planejamento Anual de Arte- história da arte ENSINO MÉDIO Docente: Adriana Severino da Silva Ano: 2013 I. INTRODUÇÃO Ensinar história da arte no ensino médio significa fortalecer a experiência sensível

Leia mais

IDADE MÉDIA ARTE GÓTICA

IDADE MÉDIA ARTE GÓTICA IDADE MÉDIA ARTE GÓTICA A partir do século XII, após as cruzadas, tem início na Europa uma economia fundamentada no comércio. Isso faz com que o centro da vida social se desloque do campo para a cidade

Leia mais

UMA EXPERIÊNCIA DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - CURSO DE FORMAÇÃO EM SHIATSU Por Márcia Gregato

UMA EXPERIÊNCIA DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - CURSO DE FORMAÇÃO EM SHIATSU Por Márcia Gregato UMA EXPERIÊNCIA DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - CURSO DE FORMAÇÃO EM SHIATSU Por Márcia Gregato Introdução Visando possibilitar uma visão global do processo de aprendizagem

Leia mais

Newton Bignotto. Maquiavel. Rio de Janeiro

Newton Bignotto. Maquiavel. Rio de Janeiro Newton Bignotto Maquiavel Rio de Janeiro Introdução No ano em que nasceu Maquiavel, 1469, Florença vivia um período agitado. Embora ainda fosse formalmente uma república, a cidade era de fato administrada

Leia mais

Revisão Arte 1 Ano Ensino Médio

Revisão Arte 1 Ano Ensino Médio Revisão Arte 1 Ano Ensino Médio Um olhar sobre a Arte/ Aprendendo a olhar as artes plásticas/ Arte pré-histórica: Paleolítico e Neolítico/ Arte no Brasil da pré-história Assim como o conceito de Arte,

Leia mais

DIVISÃO DE NOTAS 1º TRIMESTRE / 2015

DIVISÃO DE NOTAS 1º TRIMESTRE / 2015 Professor(a): Adriana Vieira Cardoso e Gerusa Jaske Maruyama Componente Curricular: Língua Portuguesa Série: 8º ano -Frase, oração e período; - Tipos de sujeito; - Tipos de predicado (verbal e nominal)

Leia mais

Volume 1. Módulo 1. Helena Cunha de Uzeda. Turismo e Patrimônio

Volume 1. Módulo 1. Helena Cunha de Uzeda. Turismo e Patrimônio Volume 1 Módulo 1 Helena Cunha de Uzeda Turismo e Patrimônio Volume 1 - Módulo 1 Helena Cunha de Uzeda Turismo e Patrimônio Apoio: Fundação Cecierj / Consórcio Cederj Rua Visconde de Niterói, 1364 Mangueira

Leia mais

CORES E OLHARES NO BRASIL OITOCENTISTA: O ENSINO DE HISTÓRIA ATRAVÉS DE IMAGENS.

CORES E OLHARES NO BRASIL OITOCENTISTA: O ENSINO DE HISTÓRIA ATRAVÉS DE IMAGENS. CORES E OLHARES NO BRASIL OITOCENTISTA: O ENSINO DE HISTÓRIA ATRAVÉS DE IMAGENS. Autor (1): Sandeilson Beserra Nunes; (2) Co-autor: Mirelly Maciel da Silva; Co-autor (3): Prof. Dr. João Batista Gonçalves

Leia mais

Pré-História Período Paleolítico ou Idade da Pedra Lascada Período Neolítico ou Idade da Pedra Polida Período da Idade dos Metais Egito

Pré-História Período Paleolítico ou Idade da Pedra Lascada Período Neolítico ou Idade da Pedra Polida Período da Idade dos Metais Egito Pré-História Podemos definir o período da Pré-História como uns períodos mais longos da história do homem em relação às artes. Para ajudar-nos no entendimento deste período da humanidade, vamos dividi-los

Leia mais

Concurso Arte na Capa 2011

Concurso Arte na Capa 2011 Concurso Arte na Capa 2011 Roteiro de participação O Concurso Arte na Capa 2011 terá como atividade principal o exercício de releitura dos grandes movimentos artísticos, tendo como tema paisagens naturais

Leia mais

II MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA: LÉO KOHLER 50 ANOS CONSTRUINDO HISTÓRIA

II MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA: LÉO KOHLER 50 ANOS CONSTRUINDO HISTÓRIA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR LÉO KOHLER ENSINO FUNDAMENTAL II MOSTRA CULTURAL E CIENTÍFICA: LÉO KOHLER 50 ANOS CONSTRUINDO HISTÓRIA PROJETO: Arte Popular Professora Orientadora: Graciele Moreira Turma: 7ª

Leia mais

Karla Schwartz, Mestranda. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC- Rio kgsrio@gmail.com

Karla Schwartz, Mestranda. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC- Rio kgsrio@gmail.com A Missão Francesa no Brasil: criação da Escola de Belas Artes e a primeira exposição pública de pinturas de 1829. Possíveis motivos e reflexos no campo do Design no século XX The French Artistic Mission

Leia mais

Unidade I Produção, Circulação e Trabalho. Aula 3.2 Conteúdo Revolução Francesa II

Unidade I Produção, Circulação e Trabalho. Aula 3.2 Conteúdo Revolução Francesa II A A Unidade I Produção, Circulação e Trabalho. Aula 3.2 Conteúdo Revolução Francesa II 2 A A Habilidade Analisar a Era Napoleônica e a organização social da França no Pós-Revolução. 3 A A Napoleão 4 A

Leia mais

RENASCIMENTO ITALIANO

RENASCIMENTO ITALIANO ARTES / 2º ANO PROF.MÍLTON COELHO RENASCIMENTO ITALIANO Contexto histórico O termo significa reviver os ideais greco-romanos; na verdade o Renascimento foi mais amplo, pois aumentou a herança recebida

Leia mais

NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE

NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE NEJAD EXAME SUPLETIVO 2016 ENSINO FUNDAMENTAL DISCIPLINA DE ARTE ARTE RUPESTRE Arte rupestre é o nome da mais antiga representação artística da história do homem. Os mais antigos indícios dessa arte são

Leia mais

HORÁRIO Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado. Teoria da Percepção Gisele Carvalho. Teoria da Percepção

HORÁRIO Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado. Teoria da Percepção Gisele Carvalho. Teoria da Percepção CURSO: Arquitetura SEMESTRE: 2016.1 PERÍODO:1 PERÍODO Desenho Artistico Teoria da Percepção / Desenho Artistico Desenho Artistico Geometria Geometria Teoria da Percepção Teoria da Percepção / / História

Leia mais

A POLÍTICA NO SEGUNDO REINADO Aula: 33 Pág. 14. PROFª: CLEIDIVAINE / 8º Ano

A POLÍTICA NO SEGUNDO REINADO Aula: 33 Pág. 14. PROFª: CLEIDIVAINE / 8º Ano A POLÍTICA NO SEGUNDO REINADO Aula: 33 Pág. 14 PROFª: CLEIDIVAINE / 8º Ano 1 D. PDRO II, O NOVO IMPERADOR Após agitações D. Pedro II assume o trono de 1840 a 1889: foi deposto 1º momento tranquilidade

Leia mais

NOVOS OLHARES SOBRE A ESCRAVIDÃO

NOVOS OLHARES SOBRE A ESCRAVIDÃO NOVOS OLHARES SOBRE A ESCRAVIDÃO Charles Nascimento de SÁ charles.as@superig.com.br FTC/FACSA A escravidão no Brasil tem nos maus tratos e na violência do sistema sua principal afirmação. Ao longo das

Leia mais

A arte das Missões Jesuíticas: cultura genuinamente brasileira ou imposição Européia?

A arte das Missões Jesuíticas: cultura genuinamente brasileira ou imposição Européia? A arte das Missões Jesuíticas: cultura genuinamente brasileira ou imposição Européia? Israel Tavares Boff Licenciado em História pela UNILASALLE - Prof. substituto do Colégio Maria Auxiliadora de Canoas

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí

Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí A produção literária referente à arquitetura e urbanismo sempre foi caracterizada pela publicação de poucos títulos, baixa diversidade

Leia mais

ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA

ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA ARTE E CULTURA AFRO-BRASILEIRA Cultura afro-brasileira é o resultado do desenvolvimento da cultura africana no Brasil, incluindo as influências recebidas das culturas portuguesa e indígena que se manifestam

Leia mais

Introdução... teor i neoclá neocl ss s i s ca da a dmini mi s ni t s r t ação

Introdução... teor i neoclá neocl ss s i s ca da a dmini mi s ni t s r t ação Teoria neoclássica da administração Prof. Paulo Barreto Introdução... A teoria neoclássica da administração é o nome dado a um conjunto de teorias que surgiram na década de 50 e que propõem uma retomada

Leia mais

Quem Foi Pablo Picasso?

Quem Foi Pablo Picasso? FICHA Nº3 Pablo PICASSO Quem Foi Pablo Picasso? Você está para conhecer como surgiram os desenhos, pinturas e esculturas de Picasso. Quem foi esse homem? Picasso era um homem baixinho, gordo e muito inteligente.

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo PLANO DE ENSINO CÓDIGO DA DISCIPLINA: CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: EAR008 TEÓRICA: 30 H/A 2 PRÁTICA: 30 H/A 2 TOTAL: 60 H/A 4

Arquitetura e Urbanismo PLANO DE ENSINO CÓDIGO DA DISCIPLINA: CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: EAR008 TEÓRICA: 30 H/A 2 PRÁTICA: 30 H/A 2 TOTAL: 60 H/A 4 Arquitetura e Urbanismo PLANO DE ENSINO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA: DESENHO LIVRE E ESPAÇO PÚBLICO CÓDIGO DA DISCIPLINA: CARGA HORÁRIA: CRÉDITOS: EAR008 TEÓRICA: 30 H/A 2 PRÁTICA: 30 H/A

Leia mais

Túnel das Glicínias, Kawachi Fuji, Japão. História do Paisagismo

Túnel das Glicínias, Kawachi Fuji, Japão. História do Paisagismo Túnel das Glicínias, Kawachi Fuji, Japão História do Paisagismo Mesopotâmia Construídos em 800 a.c. Terraços arborizados e Arquitetura em patamares Irrigados artificialmente Fontes e espelhos d água Egito

Leia mais

Ficha de Arte I Trimestre

Ficha de Arte I Trimestre ALUNO: Nº - ANO - TURMA - DATA \ \ 201 Profª Ana Lúcia Leal Ficha de Arte I Trimestre Arte Gótica ou Medieval Estilo artístico desenvolvido na Europa Ocidental, a arte gótica está diretamente ligada ao

Leia mais

FERNANDO AUGUSTO. Desenho, pintura, fotografia, livro de artista... Alguns projetos realizados. UMBIGO MUNDO 2002-20012

FERNANDO AUGUSTO. Desenho, pintura, fotografia, livro de artista... Alguns projetos realizados. UMBIGO MUNDO 2002-20012 FERNANDO AUGUSTO Desenho, pintura, fotografia, livro de artista... Alguns projetos realizados. UMBIGO MUNDO 2002-20012 Conjunto de 100 fotografias de umbigos feitos ao longo de 10 anos em várias partes

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 3 3. OBJETIVOS... 3 4. PÚBLICO-ALVO... 3 5. METODOLOGIA... 4. 5.1 Informações Necessárias...

1. APRESENTAÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 3 3. OBJETIVOS... 3 4. PÚBLICO-ALVO... 3 5. METODOLOGIA... 4. 5.1 Informações Necessárias... SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 3 3. OBJETIVOS... 3 4. PÚBLICO-ALVO... 3 5. METODOLOGIA... 4 5.1 Informações Necessárias... 4 5.1.1 Apresentação e nome do Projeto... 4 5.1.2 Endereço completo...

Leia mais

ARTES 9 ANO PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL

ARTES 9 ANO PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL ARTES 9 ANO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª GABRIELA DACIO CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia - Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL. DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III e IV ARTE

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL. DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III e IV ARTE CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL 2013 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III e IV ARTE OBJETIVOS GERAIS Desenvolver o pensamento artístico, estético e crítico; Estimular a percepção visual

Leia mais

INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT DIVISÃO DE REABILITAÇÃO, PREPARAÇÃO PARA O TRABALHO E ENCAMINHAMENTO PROFISSIONAL

INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT DIVISÃO DE REABILITAÇÃO, PREPARAÇÃO PARA O TRABALHO E ENCAMINHAMENTO PROFISSIONAL INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT DIVISÃO DE REABILITAÇÃO, PREPARAÇÃO PARA O TRABALHO E ENCAMINHAMENTO PROFISSIONAL HABILIDADES BÁSICAS: Preparação para a leitura e escrita Braille A CEGUEIRA A cegueira é uma

Leia mais

Pré-Escola 4 e 5 anos

Pré-Escola 4 e 5 anos PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC DIÁRIO DE CLASSE Educação Infantil Pré-Escola 4 e 5 anos DIÁRIO DE CLASSE ESCOLA: CRE: ATO DE CRIAÇÃO DIÁRIO OFICIAL / /

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PARANAGUA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE CULTURA DE PARANAGUÁ "NELSON DE FREITAS BARBOSA"

PREFEITURA MUNICIPAL DE PARANAGUA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE CULTURA DE PARANAGUÁ NELSON DE FREITAS BARBOSA "" APÊNDICE 1 Requisitos e demandas dos segmentos culturais para a proposição de projetos. Os projetos culturais propostos deverão respeitar e se enquadrar nas seguintes determinações dos seus respectivos

Leia mais

FAMÍLIA REAL PORTUGUESA

FAMÍLIA REAL PORTUGUESA FAMÍLIA REAL PORTUGUESA casada D Maria I a louca Filho D. João casado Príncipe Regente D. Miguel Seus filhos D Pedro I, Casado Proclamou a independência do Brasil D. Leopoldina A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA

Leia mais