Alunos do 5º Ano Turma B

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Alunos do 5º Ano Turma B"

Transcrição

1 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Alunos do 5º Ano Turma B Boa tarde e Bem Vindos! 1

2 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Estamos aqui hoje para apresentar os resultados do trabalho efectuado até agora para o Projecto Concurso Escola Alerta! 2

3 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Lembram-se em que consiste o Concurso Escola Alerta! e quais são os seus objectivos? Sensibilizar os alunos para a igualdade de oportunidades e para os direitos humanos, em particular os direitos das pessoas com características diferentes das normais, principalmente com incapacidades Promover a participação das escolas na construção de uma sociedade que inclua todos e proporcione oportunidades de vida iguais a todos, 3

4 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Na sessão anterior falámos em Autonomia, lembram-se? Concluímos que é importante uma pessoa ser autónoma Uma pessoa, para existir verdadeiramente, deve poder escolher o seu modo de vida, independentemente das suas características físicas ou necessidades especiais 4

5 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Assim, para tornar a Vossa Escola mais acessível a todos, mesmo a quem tenha dificuldade em transpor desníveis e escadas, decidimos fazer o projecto: 'Escola sem Barreiras' 5

6 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Qual era o primeiro objectivo a atingir com o Projecto 'Escola sem Barreiras'? 1. Definir o Percurso Acessível desde o passeio que circunda a escola até às instalações que poderão ser utilizadas por pessoas com mobilidade condicionada, mantendo sempre a sua Autonomia 6

7 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta O que é que fizemos? (1 de 3) 1. Criámos 4 grupos dentro da turma: - Professores - Arquitectos - Alunos - Engenheiros 2. O Grupo dos 'Professores' listou os pontos importantes do Percurso Acessível numa Escola 3. O Grupo dos 'Arquitectos' arranjou uma planta da Escola e marcou lá os pontos do Percurso Acessível 7

8 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Realização do projecto: (2 de 3) 4. O Grupo dos 'Alunos' não fez a marcação dos pontos importantes do Percurso Acessível 5. Parte do Grupo dos 'Engenheiros' identificou alguns obstáculos que existem no Percurso Acessível através de fotografias e realizou um Power Point 6. Na Vida sem Barreiras, analisámos o Percurso Acessível na planta e preparámos uma verificação real do Percurso Acessível 8

9 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Realização do projecto: (3 de 3) 7. A turma percorreu o Percurso Acessível na Escola e fotografou todos os obstáculos existentes Vamos a seguir ver o resultado do levantamento fotográfico. Ao mesmo tempo, vamos identificar soluções e decidir quem é que vamos contactar para ajudar a vossa Escola a resolver essa questão 9

10 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Escola EB 2/3 de Valadares Projecto "Concurso Escola Alerta!" 'Escola sem Barreiras' "O Percurso Acessível na nossa Escola" 10

11 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Lista de locais que devem ser acessíveis a todos: Entrada da Escola Pavilhão A Piso 1: Sala de aulas Bufete Sala dos alunos Instalações Sanitárias Piso 2: Sala das Tecnologias Biblioteca 11

12 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Lista de locais que devem ser acessíveis a todos: Pavilhão B Piso 1: Sala de aulas Instalações Sanitárias Piso 2: Laboratório de Matemática Museu de Ciências Pavilhão C Piso 1: Sala de aulas Atelier Salas de Música Instalações Sanitárias Piso 2: Clube de Francês 12

13 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Lista de locais que devem ser acessíveis a todos: Cantina + Palco Acesso a mesa Acesso como espectador Pavillhão Gimnodesportivo Acesso ao pavilhão Vestiário Instalações Sanitárias Recreio Estádio Percurso de recreio Acesso às instalações como praticante Acesso às instalações como espectador 13

14 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Conclusão: Para uma verdadeira integração e participação dos alunos com mobilidade condicionada, estes deverão ter acesso a todas as instalações e pisos da Escola Assim, o Percurso Acessível deverá ligar todas as instalações e pisos da Escola!!! Vemos uma possibilidade nos diapositivos a seguir 14

15 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Vista aérea da Vossa Escola 15

16 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Planta da escola 16

17 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Planta com o Percurso Acessível assinalado 17

18 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta A seguir, vamos analisar as fotos que tirámos no Percurso Acessível que foi proposto e vamos identificar soluções para os obstáculos Vamos também pensar em quem é que vamos contactar para ajudar a vossa Escola a resolver cada questão só ou agrupadas! 18

19 Local: Paragem do Autocarro Obstáculo: O autocarro não chega ao passeio e este é baixo Solução: Refazer a paragem e adaptá-la 19 Quem contactar: Junta ou Câmara

20 Local: Trajecto da paragem para a passadeira Obstáculo: Pavimento e canteiro! Solução: Criar passeio com pavimento adequado Quem contactar: Junta ou Câmara 20

21 Local: Passadeira Obstáculo: Degrau do passeio Solução: Introduzir um passeio com rampa de acesso Quem contactar: Junta ou Câmara 21

22 Local: Rampa da entrada Obstáculo: Superfície irregular do piso Solução: Regularizar uma faixa de circulação e assinalar Quem contactar: DREN 22

23 Local: Acesso à entrada principal dos pavilhões Obstáculo: Carros estacionados e degrau com caleira Solução: Criar lugar específico para entrada/saída e rampa 23 Quem contactar: Conselho Executivo da Escola

24 Local: Entrada principal Obstáculo: Degraus e ressaltos na entrada principal Solução: Instalar rampas e eliminar ressaltos Quem contactar: DREN 24

25 Local: Inst. sanitárias no corredor principal Obstáculo: Instalações sanitárias não adaptadas Solução: Adaptar as instalações sanitárias Quem contactar: Cerâmica de Valadares 25

26 Local: Corredor de ligação do Pav. A ao Pav. B Obstáculo: Não existe o piso é adequado Solução: Parabéns!!! 26

27 Local: Escadas de acesso ao Piso 1 do Pav. A Obstáculo: Escadas!!! Solução: Instalação de um elevador no átrio interior Quem contactar: Empresas via Associação de Pais 27

28 Local: Utilização das portas da Escola Obstáculo: O puxador da porta é redondo não adequado Solução: Alterar para puxadores de muletas 28 Quem contactar: Empresas ou fábricas de ferragens

29 Local: Telefone público no átrio do Pav. A Obstáculo: Está muito alto e não adaptado Solução: Baixar o telefone e alterá-lo para um adaptado Quem contactar: A Portugal Telecom 29

30 Local: Máquina de registo das refeições Obstáculo: É alta e não adaptada Solução: Projectar outra mesa adaptada e instalá-la Quem contactar: Coordenador das TIC 30

31 Local: Acesso ao bar dos alunos Obstáculo: Curva e largura do acesso Solução: Alargar e introduzir uma curva mais larga Quem contactar: Empresas via Associaçao de Pais 31

32 Local: Entrada para o átrio dos alunos no Pav. A Obstáculo: Degrau e grade metálica para limpeza dos pés Solução: Rampa na entrada com integração da grade 32 Quem contactar: DREN

33 Local: Pavimento no Percurso Acessível (Pav. C) Obstáculo: Quebras e afundamentos Solução: Reparação com regularização do piso Quem contactar: DREN 33

34 Local: Acesso Pav. C a partir da entrada dos alunos Obstáculo: Escadas: não fazem parte do Percurso Acessível Solução: Nada sinalizar o Percurso Acessível 34

35 Local: Acesso Pav. C a partir do Pav. A Obstáculo: Escadas no Percurso Acessível Solução: Substituir por uma rampa integral ou parcial Quem contactar: Empresa de projectos e de construção 35

36 Local: Jardim de recreio Obstáculo: Acesso e percurso no recreio Solução: Projectar um recreio adaptado incluindo acessos 36 Quem contactar:

37 Local: Entrada para o átrio dos alunos no Pav. C Obstáculo: Degrau e grade metálica para limpeza dos pés Solução: Idêntica à adoptada para o Pav. A 37 Quem contactar:

38 Local: Escadas no Pav. C Obstáculo: Escadas Solução: Igual à do Pav. A elevador no átrio interior Quem contactar: Empresas via Associação de Pais 38

39 Local: Instalações sanitárias no Pav. C Obstáculo: Instalações não adaptadas Solução: Adaptar as instalações de forma idêntica às outras 39 Quem contactar: Cerâmica de Valadares

40 Local: Acesso ao Pav. Gimno a partir do Pav. C Obstáculo: Escadas com degraus desiguais Solução: Introduzir rampas (laterais, mantendo os degraus) Quem contactar: Empresas de projecto e de construção 40

41 Local: Acesso ao Pav. Gimnodesportivo Obstáculo: Grade metálica e ressalto pequeno Solução: Regularizar o piso Já está aceitável!!! 41

42 Local: Vestiários do Pav. Gimnodesportivo Obstáculo: Não estão adaptados Solução: Projectar a adaptação Quem contactar: Empresas de sanitários??? 42

43 Local: Acesso ao estádio a partir do Pav. Gimno Faltou uma foto!!!! Obstáculo: Escadas Solução: Introduzir uma rampa parcial ou integral Quem contactar: Empresas de projecto ou construção 43

44 Local: Estádio ao ar livre Obstáculo: Algumas irregularidades no pavimento Solução: Reparar está aceitável!!! 44

45 Local: Trajecto do Pav. C para a Cantina Obstáculo: Ressalto com caleira Solução: Introduzir rampas no Percurso Acessível e sinalizar 45 Quem contactar: DREN

46 Local: Trajecto entrada principal para a cantina Obstáculo: Nada a assinalar o piso está muito aceitável Solução: Parabéns!!!! Quem contactar: 46

47 Local: Entrada da cantina Obstáculo: Ressalto e tapete Solução: Rampa no acesso com o tapete igual às outras 47 Quem contactar:

48 Local: Interior da cantina Faltou uma foto!!!! Obstáculo: Nada a assinalar movimentação e mesas Solução: Parabéns!!! 48

49 E chegámos ao fim da volta pela Vossa Escola! Têm algumas questões? Temos a planta com o Percurso Acessível novamente: 49

50 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Planta com o Percurso Acessível assinalado 50

51 Agora deverão aproveitar a informação que recolhemos e tentar arranjar empresas e ou Instituições que vos permitam concretizar o vosso projecto 'Escola sem Barreiras' Desejo-vos um bom trabalho! 51

52 Para terminar, quero dizer-vos que tive muito gosto em fazer este trabalho convosco e que constituiu uma agradável surpresa a vossa sensibilidade e o vosso conhecimento das questões das acessibilidades Num próximo trabalho deverão organizar-se e trabalhar mais em grupo e concentrarem-se nas soluções que é o que interessa - e não nos problemas!!! Desejo-vos muitas felicidades e espero que o vosso interesse nas questões da igualdade de oportunidades e condições para todos, com autonomia, permaneça e evolua positivamente ao longo da vossa vida 52

53 Obrigado pela colaboração e Até uma próxima oportunidade! 53

Alunos do 5º Ano Turma B

Alunos do 5º Ano Turma B Alunos do 5º Ano Turma B Boa tarde e Bem Vindos! 1 Todos conhecem a Prof.ª Isabel O meu nome é Alexandre e trabalho na empresa 2 Estamos aqui para vos apresentar o Projecto Concurso Escola Alerta! 3 O

Leia mais

O programa previsto para o Centro Escolar é o seguinte: Área útil unitária

O programa previsto para o Centro Escolar é o seguinte: Área útil unitária MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ CÂMARA MUNICIPAL Freguesia de Tavarede CENTRO ESCOLAR DE S.JULIÃO / TAVAREDE Projecto de Arquitectura _ Projecto Base Memória Descritiva e Justificativa Refere-se a presente

Leia mais

Relatório. Avaliação das Acessibilidades. Prédio da Rua de Gondarém, 708-712. Nevogilde - Porto

Relatório. Avaliação das Acessibilidades. Prédio da Rua de Gondarém, 708-712. Nevogilde - Porto Relatório Avaliação das Acessibilidades Prédio da Rua de Gondarém, 708-712 Nevogilde - Porto 4100-128 Porto Página 1 de 6 Fax 22 609 3198 Relatório da Avaliação das Acessibilidades Prédio da Rua de Gondarém,

Leia mais

PROJETO MÚSICA SEM BARREIRAS. Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga

PROJETO MÚSICA SEM BARREIRAS. Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga PROJETO MÚSICA SEM BARREIRAS Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga julho 2015 Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos ( ) in Declaração dos Direitos Humanos,

Leia mais

INQUÉRITO ACESSIBILIDADE NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO

INQUÉRITO ACESSIBILIDADE NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE APOIO TÉCNICO E ESPECIALIZADO DIVISÃO DE ACESSIBILIDADES E AJUDAS TÉCNICAS INQUÉRITO ACESSIBILIDADE NOS ESTABELECIMENTOS

Leia mais

Lista de Verificação das Acessibilidades - Condomínio da Rua de Gondarém, 708

Lista de Verificação das Acessibilidades - Condomínio da Rua de Gondarém, 708 Percurso 1 - Habitação -> Garagem Avaliação: Não viável Custo global de adaptação: 30.900 Item a verificar Avaliação Descrição Solução apontada 1.1 - Percurso Verificado Verificação da concordância da

Leia mais

5.3.26 IDENTIFICAÇÃO: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM. Designação: Localização: Largo Cândido dos Reis. Empresa que presta serviços de comunicações

5.3.26 IDENTIFICAÇÃO: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM. Designação: Localização: Largo Cândido dos Reis. Empresa que presta serviços de comunicações 5.3.26 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM Largo Cândido dos Reis Empresa que presta serviços de comunicações Acesso exterior ao edifício Estacionamento Não

Leia mais

Sustentabilidade nas Deslocações Casa-Escola

Sustentabilidade nas Deslocações Casa-Escola Divisão de Mobilidade e Transportes Públicos Sustentabilidade nas Deslocações Casa-Escola SEMINÁRIO. 11 e 12 Julho 2011. CASTELO BRANCO Margarida Inês de Oliveira margarida_deoliveira@cm-loures.pt TRANSPORTE

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DE FOZ DO IGUAÇU - PR NA PADRONIZAÇÃO DAS CALÇADAS. Engª Pricila Bevervanço Mantovani

A EXPERIÊNCIA DE FOZ DO IGUAÇU - PR NA PADRONIZAÇÃO DAS CALÇADAS. Engª Pricila Bevervanço Mantovani A EXPERIÊNCIA DE FOZ DO IGUAÇU - PR NA PADRONIZAÇÃO DAS CALÇADAS Engª Pricila Bevervanço Mantovani PROJETO CALÇADAS O PROJETO CALÇADAS do Município de Foz do Iguaçu apresenta um conceito moderno para a

Leia mais

Curso de Acessibilidade

Curso de Acessibilidade O - PROGRAMA E OBJETIVO 1. O QUE É ACESSIBILIDADE Quem são as pessoas com deficiência e as pessoas com mobilidade reduzida. A evolução do homem padrão e a arquitetura inclusiva. Conceito e as práticas

Leia mais

Acessibilidade nos Ambientes Escolares EMEI ( ) EMEF ( )

Acessibilidade nos Ambientes Escolares EMEI ( ) EMEF ( ) Acessibilidade nos Ambientes Escolares EMEI ( ) EMEF ( ) Nome: Endereço: Data: / 2.005 Vistoriado por: Características da Edificação : LEGISLAÇÃO DECRETO Nº 5.296 DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004 NBR 9050/2004;

Leia mais

ACESSIBILIDADE. Bairro CEP Município: UF. I.Largura da faixa pavimentada da calçada - NÃO FOI ENCONTRADA LARGURA MENOR DE 120 CM

ACESSIBILIDADE. Bairro CEP Município: UF. I.Largura da faixa pavimentada da calçada - NÃO FOI ENCONTRADA LARGURA MENOR DE 120 CM Fls: 1 / 9 Dados do Empreendimento Órgão/Empresa: Data: Endereço: NR Complemento Bairro CEP Município: UF Tipo de Utilização: Público Privado Representante Legal: Responsável pelas Informações: [nome/função/matrícula]

Leia mais

Todos Juntos por um Brasil maisacessível

Todos Juntos por um Brasil maisacessível Todos Juntos por um Brasil maisacessível Aspectos Técnicos Edificações Públicas Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) Núcleo de Atuação Especial em Acessibilidade 1 Uma rampa? Um banheiro com

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENADORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENADORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENADORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA QUESTIONÁRIO DE ACESSIBILIDADE PARA AS PROCURADORIAS DA REPÚBLICA Procuradoria: Considerando a implantação

Leia mais

ESCOLA ALERTA. Vamos todos ajudar a vencer esta corrida!

ESCOLA ALERTA. Vamos todos ajudar a vencer esta corrida! ESCOLA ALERTA Vamos todos ajudar a vencer esta corrida! APRESENTAÇÃO Turma CT3 12º ano Disciplina: ÁREA DE PROJECTO CONCURSO ESCOLA ALERTA Acessibilidades para todos! INTRODUÇÃO Por estarmos numa Escola

Leia mais

LEI DA CALÇADA. Vamos fazer de São José um lugar cada vez melhor para se viver!

LEI DA CALÇADA. Vamos fazer de São José um lugar cada vez melhor para se viver! APRESENTAÇÃO Planejar uma cidade também significa cuidar da circulação das pessoas, garantido segurança e igualdade. Muitas pessoas caminham somente a pé, ultrapassando 30% de todos os deslocamentos de

Leia mais

NORMAS DE ACESSIBILIDADE - Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT

NORMAS DE ACESSIBILIDADE - Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT NORMAS DE ACESSIBILIDADE - Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT 4.2 Pessoas em cadeira de rodas (P.C.R.) 4.2.1 Cadeira de rodas A figura 2 apresenta dimensões referenciais para cadeiras de rodas

Leia mais

DESENHO DE ARQUITETURA ESCADAS

DESENHO DE ARQUITETURA ESCADAS DESENHO DE ARQUITETURA ESCADAS A circulação vertical tem função de vencer os desníveis em geral e/ou entre pavimentos consecutivos, possibilitando o livre acesso e circulação entre estes. A circulação

Leia mais

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Uma Cidade para Todos Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Colaboração Nuno Oliveira, coordenador do Serviço de Psicologia do 1º ciclo do Ensino Básico da EMEC - Empresa Municipal

Leia mais

Acessibilidades e Mobilidade Identificação e Seguimentos

Acessibilidades e Mobilidade Identificação e Seguimentos Acessibilidades e Mobilidade Identificação e Seguimentos Direcção da AMNO Baseado no DL nº 163 / 2006 de 8 de Agosto Nota : Entende-se por de a data referente ao início do processo com Nota : Entende se

Leia mais

Hotel 4 estrelas + Moradias em Malanje -Estudo Prévio

Hotel 4 estrelas + Moradias em Malanje -Estudo Prévio Tendo como base o programa fornecido, o presente estudo tem como objectivo dar a conhecer as intenções da nossa proposta para a elaboração do projecto para um Hotel 4 estrelas, mais moradias em Malanje

Leia mais

O Edifício Escolar Inclusivo

O Edifício Escolar Inclusivo O Edifício Escolar Inclusivo Todos os homens nascem iguais em liberdade e direitos Declaração Universal dos Direitos Humanos Importância da acessibilidade a qualquer lugar por parte de todos Implicações

Leia mais

FICHA TÉCNICA Sistemas Elevatórios para Pessoas com Mobilidade Condicionada

FICHA TÉCNICA Sistemas Elevatórios para Pessoas com Mobilidade Condicionada nº 31 FICHA TÉCNICA Sistemas Elevatórios para Pessoas com Mobilidade Condicionada Nº Pág.s: 04 31 17. Julho. 2007 Sistemas Elevatórios para Pessoas com Mobilidade Condicionada 01 Todos os cidadãos têm

Leia mais

Regras de acessibilidade ao meio físico para o deficiente

Regras de acessibilidade ao meio físico para o deficiente Regras de acessibilidade ao meio físico para o deficiente 151 Com a intenção de mostrar ao empresariado opções simples de adaptação do ambiente de trabalho para o deficiente físico, sugerimos em seguida

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA PARTAMENTO OBRAS E GESTÃO FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Casa Museu Miguel Torga 2. LOCALIZAÇÃO Praça Sá de Miranda. Freguesia de Santo António dos Olivais 3. SCRIÇÃO GERAL A Câmara Municipal deliberou em

Leia mais

Laudo de Acessibilidade

Laudo de Acessibilidade Laudo de Acessibilidade Vistoriado por Arq. Eduardo Ronchetti de Castro CREA 5061914195/D Considerações legais elaboradas por Dr. Luis Carlos Cocola Kassab - OAB/SP 197.829 Rua Marechal Deodoro, 1226 Sala

Leia mais

/estudo preliminar análise da norma de acessibilidade ABNT NBR 9050. Gustavo Alves Rocha Zago Izabela Dalla Libera

/estudo preliminar análise da norma de acessibilidade ABNT NBR 9050. Gustavo Alves Rocha Zago Izabela Dalla Libera /estudo preliminar análise da norma de acessibilidade ABNT NBR 9050 Gustavo Alves Rocha Zago Izabela Dalla Libera O objetivo desta norma é estabelecer critérios e parâmetros técnicos a serem observados

Leia mais

Plano de Evacuação Geral. Abril/2010

Plano de Evacuação Geral. Abril/2010 Plano de Evacuação Geral Abril/2010 A segurança na Escola deve ser uma preocupação comum a todos os membros da comunidade educativa pessoal docente e não docente, alunos, pais e encarregados de educação.

Leia mais

ANEXO 1 Informação sobre normas técnicas de acessibilidade em vigor aplicáveis a zonas balneares

ANEXO 1 Informação sobre normas técnicas de acessibilidade em vigor aplicáveis a zonas balneares ANEXO 1 Informação sobre normas técnicas de acessibilidade em vigor aplicáveis a zonas balneares Lista de Verificação Ponto 1.1 Algumas das principais exigências das normas técnicas do Decreto-Lei n.º

Leia mais

Escola Secundária D. Duarte

Escola Secundária D. Duarte 1. CARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO 1.1 Localização geográfica A Escola Secundária D. Duarte fica situada na Rua António Augusto Gonçalves em Santa Clara Coimbra. Vias de acesso para socorros exteriores: Protecção

Leia mais

ROTEIRO DE FISCALIZAÇÃO DA ACESSIBILIDADE EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS - ILPI s NAS COMARCAS DO ESTADO DE MG

ROTEIRO DE FISCALIZAÇÃO DA ACESSIBILIDADE EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS - ILPI s NAS COMARCAS DO ESTADO DE MG ROTEIRO DE FISCALIZAÇÃO DA ACESSIBILIDADE EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS - ILPI s NAS COMARCAS DO ESTADO DE MG Este roteiro tem como objetivo nortear as fiscalizações a serem realizadas

Leia mais

Orientações para a identificação de necessidades de acessibilidade Espaço público

Orientações para a identificação de necessidades de acessibilidade Espaço público OBJECTIVO DO DOCUMENTO Informar acerca dos elementos-chave a ter em consideração na avaliação das barreiras à acessibilidade numa casa e espaços comuns. No caso da intervenção é crítico o envolvimento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MOBILIDADE REDUZIDA NO ITABORAÍ PLAZA SHOPPING

MEMORIAL DESCRITIVO DE ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MOBILIDADE REDUZIDA NO ITABORAÍ PLAZA SHOPPING MEMORIAL DESCRITIVO DE ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MOBILIDADE REDUZIDA NO ITABORAÍ PLAZA SHOPPING MEMORIAL DESCRITIVO O Shopping Itaboraí, localizado na Rodovia BR-101, Km 295,5 Rio Aldeia

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr. JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006 Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.ª Guadalupe Tel. e Fax: 266 781 165 Tel.: 266 747 916 email: jfguadalupe@mail.evora.net

Leia mais

Susana Machado Licenciada em Arquitectura em 97 pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto e pós-graduada em Direito do Ordenamento do

Susana Machado Licenciada em Arquitectura em 97 pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto e pós-graduada em Direito do Ordenamento do Susana Machado Licenciada em Arquitectura em 97 pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto e pós-graduada em Direito do Ordenamento do Território, Urbanismo e ambiente, pelo CEDOUA Faculdade

Leia mais

Aula 04 Normas e Estratégias de Acessibilidade A NBR9050 Setembro, 2013

Aula 04 Normas e Estratégias de Acessibilidade A NBR9050 Setembro, 2013 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Curso de Especialização em Arquitetura da Habitação de Interesse Social ERGONOMIA E ACESSIBILIDADE Aplicada à

Leia mais

Situações de emergência de incêndio na FEUP

Situações de emergência de incêndio na FEUP RELATÓRIO Situações de emergência de incêndio na FEUP MIEEC - ELE305 Hugo Ribeiro (090503141) Jorge Corujas (090503045) Mafalda Machado (090503057) Ricardo Coelho (090503084) Sérgio Moreira (090503125)

Leia mais

ADAPTAÇÃO PARA A ACESSIBILIDADE DO CAMPUS DE UVARANAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

ADAPTAÇÃO PARA A ACESSIBILIDADE DO CAMPUS DE UVARANAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA (X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ADAPTAÇÃO

Leia mais

PROJETO. Banheiros e Vestiário VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR

PROJETO. Banheiros e Vestiário VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR PROJETO Vaso sanitário e lavatório Medidas das áreas de aproximação Banheiros e Vestiário VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR Área para estacionamento da cadeira, para posteior transferência.

Leia mais

Security, Health and Safety

Security, Health and Safety Security, Health and Safety Conselhos para Colaboradores e Parceiros da Securitas Portugal securitas.pt As quedas, escorregadelas e os tropeçamentos são a causa de acidentes e ferimentos entre Trabalhadores.

Leia mais

Relatório Final: Tema: ESTUDO DA CIRCULAÇÃO EM EDIFICAÇÕES-PADRÃO DA UNICAMP: análise da acessibilidade através dos princípios do Desenho Universal

Relatório Final: Tema: ESTUDO DA CIRCULAÇÃO EM EDIFICAÇÕES-PADRÃO DA UNICAMP: análise da acessibilidade através dos princípios do Desenho Universal UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Relatório Final: Tema: ESTUDO DA CIRCULAÇÃO EM EDIFICAÇÕES-PADRÃO DA UNICAMP: análise da acessibilidade através

Leia mais

1ª GERAÇÃO DE PLANOS DE PROMOÇÃO DA ACESSIBILIDADE DE PENICHE

1ª GERAÇÃO DE PLANOS DE PROMOÇÃO DA ACESSIBILIDADE DE PENICHE Pág. 1/6 1ª GERAÇÃO DE PLANOS DE PROMOÇÃO DA ACESSIBILIDADE DE PENICHE Os Planos que resultarão do desenvolvimento dos Programas de Promoção da Acessibilidade terão como objectivo a eliminação de barreiras

Leia mais

Cartilha de Acessibilidade

Cartilha de Acessibilidade Cartilha de Acessibilidade Acessibilidade em Terminais e Pontos de Parada Rodoviários e Estações Ferroviárias do Sistema de Transporte Interestadual e Internacional de Passageiros Realização ANTT - Agência

Leia mais

Guia prático da acessibilidade

Guia prático da acessibilidade S Guia prático da acessibilidade Índice Guia prático da acessibilidade Turismo para Todos - Pág. 2 1. Percurso Acessível - Pág. 6 1.1 Circulações - Pág. 7 1.2 Escadas - Pág. 8 1.3 Rampas - Pág. 9 1.4 Ascensores

Leia mais

Prefeitura da Cidade de São Paulo Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida

Prefeitura da Cidade de São Paulo Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida MANUAL DE INSTRUÇÕES TÉCNICAS DE ACESSIBILIDADE PARA APOIO AO PROJETO ARQUITETÔNICO Manual de instruções técnicas de acessibilidade para apoio ao projeto arquitetônico PRINCÍPIOS BÁSICOS DIRETRIZES CHECK

Leia mais

Instruções para visita da Secretaria Municipal de Educação às escolas

Instruções para visita da Secretaria Municipal de Educação às escolas Instruções para visita da Secretaria Municipal de Educação às escolas Prezado participante, Como já explicado, iniciamos agora a etapa de diagnóstico do processo de desenvolvimento do Plano Municipal de

Leia mais

DESENHO E ARQUITETURA DESENHO ARQUITETÔNICO

DESENHO E ARQUITETURA DESENHO ARQUITETÔNICO CURSO TÉCNICO EM TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS DESENHO E ARQUITETURA DESENHO ARQUITETÔNICO Elisa Furian elisafurian@outlook.com ESCALA É a relação existente entre as dimensões de um desenho e as dimensões reais

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Escadas. Disciplina: ARQUITETURA. Profº.: Fernando Batista

Faculdade Pitágoras. Escadas. Disciplina: ARQUITETURA. Profº.: Fernando Batista Faculdade Pitágoras Disciplina: ARQUITETURA Escadas Profº.: Fernando Batista ESCADAS A circulação vertical tem função de vencer os desníveis em geral e/ou entre pavimentos consecutivos, possibilitando

Leia mais

PROGRAMA AÇÕES FISCAIS PARA ACESSIBILIDADE ESCLARECIMENTOS BÁSICOS PARA O PREENCHIMENTO DO RVH RELATIVOS À ACESSIBLIDADE

PROGRAMA AÇÕES FISCAIS PARA ACESSIBILIDADE ESCLARECIMENTOS BÁSICOS PARA O PREENCHIMENTO DO RVH RELATIVOS À ACESSIBLIDADE GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL AGÊNCIA DE FISCALIZAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL Superintendência de Planejamento, Normas e Procedimentos PROGRAMA AÇÕES FISCAIS PARA ACESSIBILIDADE PROJETO : ACESSIBILIDADE EM PASSEIOS

Leia mais

L A B O R A T Ó R I O A D A P T S E Escola de Arquitetura da UFMG. ROTEIRO DE INSPEÇÃO DA ACESSIBILIDADE Guia Acessível BH / RIZOMA CONSULTING14

L A B O R A T Ó R I O A D A P T S E Escola de Arquitetura da UFMG. ROTEIRO DE INSPEÇÃO DA ACESSIBILIDADE Guia Acessível BH / RIZOMA CONSULTING14 INTRODUÇÃO Este material tem o objetivo de avaliar a acessibilidade mínima de estabelecimentos comerciais e de serviço ao público. Ele avalia basicamente a acessibilidade física do local e as condições

Leia mais

Câmara Municipal de Almeirim

Câmara Municipal de Almeirim Câmara Municipal de Almeirim Programa de Adesão SEMANA EUROPEIA DA MOBILIDADE 16 a 22 de Setembro de 2007 P r o g r a m a 1 - Aderindo à ECOTROCA ganhe viagens nos TUA (durante toda a semana): - Aderindo

Leia mais

PROGRAMA INTEGRADO DE REGENERAÇÃO DA CIDADE DE ÁGUEDA REGENERAÇÃO URBANA DA CIDADE DE ÁGUEDA OS PROJECTOS QUE VÃO MARCAR A TRANSFORMAÇÃO DA CIDADE

PROGRAMA INTEGRADO DE REGENERAÇÃO DA CIDADE DE ÁGUEDA REGENERAÇÃO URBANA DA CIDADE DE ÁGUEDA OS PROJECTOS QUE VÃO MARCAR A TRANSFORMAÇÃO DA CIDADE PROGRAMA INTEGRADO DE REGENERAÇÃO DA CIDADE DE ÁGUEDA REGENERAÇÃO URBANA DA CIDADE DE ÁGUEDA OS PROJECTOS QUE VÃO MARCAR A TRANSFORMAÇÃO DA CIDADE ÁGUEDA: A INDÚSTRIA E A CIDADE AO SERVIÇO DA INOVAÇÃO

Leia mais

BOLETIM MUNICIPAL INFO-MAIL. Junho 2009. www.cm-vilareal.pt

BOLETIM MUNICIPAL INFO-MAIL. Junho 2009. www.cm-vilareal.pt BOLETIM Junho 2009 www.cm-vilareal.pt MUNICIPAL INFO-MAIL Mensagem do Presidente 2009 não será um ano fácil para Portugal. Assistimos ao agravamento dos problemas sociais com o crescimento da pobreza,

Leia mais

RESULTADOS RELATIVOS A GRÂNDOLA INDICADORES DO «CIDADES» (N = 306)

RESULTADOS RELATIVOS A GRÂNDOLA INDICADORES DO «CIDADES» (N = 306) RESULTADOS RELATIVOS A GRÂNDOLA INDICADORES DO «CIDADES» (N = 306) Inquiridos que assinalam (N) % Espaços públicos (Ex.: Jardins, Praças, etc...) 182 61,5% Passeio das ruas 203 68,6% Passadeiras 196 66,2%

Leia mais

Ciências Físico-Químicas Nome nº turma. Classificação Prof. EE

Ciências Físico-Químicas Nome nº turma. Classificação Prof. EE ESCOLA SECUNDÁRIA STUART CARVALHAIS ANO LECTIVO DE 2008/2009 Ciências Físico-Químicas 9º ANO Nome nº turma Classificação Prof. EE 1. Desde há vários anos que a nossa escola se associa a outros eventos

Leia mais

MANUAL DE ACESSIBILIDADE

MANUAL DE ACESSIBILIDADE - LIC 71.3.8 - Índice 1. Elementos de Arquitetura 1.1 Passeio 1.2 Vagas de estacionamento - demarcação 1.3 Vagas de estacionamento - sinalização 1.4 Rampas 1.5 Escadas e seus componentes 1.6 Aproximação

Leia mais

MEIA MARATONA DE ÉVORA

MEIA MARATONA DE ÉVORA MEIA MARATONA DE ÉVORA Medição Efectuada Por João Cândido e Cláudia Viegas 31 de Outubro de 2015 Página 1 de 18 Índice Relatório técnico- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

PROJECTO DE DELIBERAÇÃO N.º 22/IX PROGRAMA ESPECÍFICO DE FAVORECIMENTO DO ACESSO AO PARLAMENTO PELA PARTE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

PROJECTO DE DELIBERAÇÃO N.º 22/IX PROGRAMA ESPECÍFICO DE FAVORECIMENTO DO ACESSO AO PARLAMENTO PELA PARTE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PROJECTO DE DELIBERAÇÃO N.º 22/IX PROGRAMA ESPECÍFICO DE FAVORECIMENTO DO ACESSO AO PARLAMENTO PELA PARTE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Exposição de motivos À Assembleia da República cabem as maiores responsabilidades

Leia mais

MANUAL DE ACESSIBILIDADE

MANUAL DE ACESSIBILIDADE MANUAL DE ACESSIBILIDADE INSTITUTO DE PLANEJAMENTO URBANO DE FLORIANÓPOLIS Equipe Técnica: Engenheira Luiza Regina dos Santos Medeiros Engenheiro Keedson Sousa dos Santos Técnico Baiard Tadeu Frediani

Leia mais

EDIFICADO. Plano Local de Promoção da Acessibilidade do Município de Alvaiázere FASE II - PLANO DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE

EDIFICADO. Plano Local de Promoção da Acessibilidade do Município de Alvaiázere FASE II - PLANO DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE EDIFICADO 5 102 5.1. METODOLOGIA DE ABORDAGEM A promoção da acessibilidade constitui um fator fundamental na qualidade de vida das pessoas, sendo este um meio imprescindível para o exercício dos direitos

Leia mais

Museu Nacional do Azulejo Lisboa

Museu Nacional do Azulejo Lisboa Museu Nacional do Azulejo Lisboa 15 Museu Nacional do Azulejo APRESENTAÇÃO O Museu Nacional do Azulejo está instalado na zona oriental de Lisboa, no antigo convento da Madre de Deus, Casa da Ordem de

Leia mais

Contributos para a melhoria da ciclovia Entrecampos Monsanto

Contributos para a melhoria da ciclovia Entrecampos Monsanto Contributos para a melhoria da ciclovia Entrecampos Monsanto Nota inicial Genericamente, os principais problemas que encontrámos foram a proliferação de obstáculos à normal fluidez da circulação das bicicletas.

Leia mais

9. ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO DA ESCOLA

9. ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO DA ESCOLA 9. ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO DA ESCOLA IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE 1 Data e horário da observação Registre a data e o horário do início da observação Dia Mês Ano Hora Minuto Registre a data e o horário do término

Leia mais

Mobilidade Reduzida: o caso do Seixal Portugal

Mobilidade Reduzida: o caso do Seixal Portugal Cidade Saudável e as Pessoas com Mobilidade Reduzida: o caso do Seixal Portugal Vitor Ribeiro Filho Vitor.f@terra.com.br Prof. Universidade Federal de Uberlândia Instituto de Geografia Pós-Doutor Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA Uma Sequência Didática De Medidas De Comprimento E Superfície No 5º Ano Do Ensino Fundamental:

Leia mais

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE Esta norma aplica-se atodas as edificações de uso público e/ou mobiliário urbano, tanto em condições temporárias como em condições permanentes. É sempre necessário consultar o REGULAMENTO DO CÓDIGO NACIONAL

Leia mais

Assinalar como V (Verdadeiro), F (Falso) ou NSA (Não Se Aplica)

Assinalar como V (Verdadeiro), F (Falso) ou NSA (Não Se Aplica) E-EQI-01 Anexo 1 Checklist de Acessibilidade, baseado em Aragão (2004) PCD: pessoas com deficiência Assinalar como V (Verdadeiro), F (Falso) ou NSA (Não Se Aplica) 1. Vias de Acesso As vias de acesso no

Leia mais

Federação Portuguesa de Atletismo

Federação Portuguesa de Atletismo PRESSUPOSTOS A medição do percurso para o - Entrocamento teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os Atletas podem utilizar toda a largura da estrada. Durante a competição os atletas

Leia mais

Guia Prático para Construção de Calçadas

Guia Prático para Construção de Calçadas Guia Prático para Construção de Calçadas Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano 19 3851.7021/ 3851.7022 E-mail: : spdu-contato@mogiguacu.sp.gov.br Introdução A acessibilidade é um direito

Leia mais

ESCADAS. Escadas são elementos arquitetônicos de circulação vertical, cuja função é vencer os diferentes níveis entre os pavimentos de uma edificação.

ESCADAS. Escadas são elementos arquitetônicos de circulação vertical, cuja função é vencer os diferentes níveis entre os pavimentos de uma edificação. ESCADAS Escadas são elementos arquitetônicos de circulação vertical, cuja função é vencer os diferentes níveis entre os pavimentos de uma edificação. Componentes da escada: Degraus: São os múltiplos níveis

Leia mais

CARTILHA PORTO ALEGRE ACESSÍVEL PARA TODOS. Acessibilidade, responsabilidade de todos. Conquista consciente, com responsabilidade

CARTILHA PORTO ALEGRE ACESSÍVEL PARA TODOS. Acessibilidade, responsabilidade de todos. Conquista consciente, com responsabilidade CARTILHA PORTO ALEGRE ACESSÍVEL PARA TODOS Acessibilidade, responsabilidade de todos Conquista consciente, com responsabilidade O QUE É ACESSIBILIDADE? Acessibilidade, responsabilidade de todos Todos temos

Leia mais

RELATÓRIO DA ATIVIDADE POR UMA MOBILIDADE MAIS SUSTENTÁVEL

RELATÓRIO DA ATIVIDADE POR UMA MOBILIDADE MAIS SUSTENTÁVEL RELATÓRIO DA ATIVIDADE POR UMA MOBILIDADE MAIS SUSTENTÁVEL 1. Dia da atividade 19 de Abril 2. Objetivos / Acções 2.1 Promoção de uma mobilidade mais sustentável, apelando aos alunos que, nesse dia, caso

Leia mais

6 Acessos e circulação

6 Acessos e circulação 6 Acessos e circulação 6.1 Circulação - Condições gerais As determinações contidas neste capítulo deverão ser mantidas através da conservação criteriosa e continua, de forma a garantir a qualidade em seu

Leia mais

UNIDADES DE SAÚDE com SAÚDE INFANTIL

UNIDADES DE SAÚDE com SAÚDE INFANTIL UCF CRIANÇA e ADOLESCENTE UNIDADES DE SAÚDE com SAÚDE INFANTIL Identificação do Estabelecimento Data: / / Designação: Morada: Freguesia: Concelho: Telefone: Fax: Correio Electrónico: Director / Coordenador

Leia mais

ROTEIRO BÁSICO PARA AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE NAS EDIFICAÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO

ROTEIRO BÁSICO PARA AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE NAS EDIFICAÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO ROTEIRO BÁSICO PARA AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE NAS EDIFICAÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DADOS DA EDIFICAÇÃO Órgão: Endereço: Bairro: Município: Data: Uso do imóvel: Institucional: Comercial: Residencial:

Leia mais

Decreto-Lei n.º 123/97 de 22 de Maio

Decreto-Lei n.º 123/97 de 22 de Maio A leitura deste documento, que transcreve o conteúdo do Decreto-Lei n.º 123/97, de 22 de Maio, não substitui a consulta da sua publicação em Diário da República. Decreto-Lei n.º 123/97 de 22 de Maio Normas

Leia mais

PROJECTO DE DELIBERAÇÃO N.º 15/IX ADOPTA MEDIDAS PARA A NÃO DISCRIMINAÇÃO DE CIDADÃOS COM DEFICIÊNCIA OU INCAPACIDADE

PROJECTO DE DELIBERAÇÃO N.º 15/IX ADOPTA MEDIDAS PARA A NÃO DISCRIMINAÇÃO DE CIDADÃOS COM DEFICIÊNCIA OU INCAPACIDADE PROJECTO DE DELIBERAÇÃO N.º 15/IX ADOPTA MEDIDAS PARA A NÃO DISCRIMINAÇÃO DE CIDADÃOS COM DEFICIÊNCIA OU INCAPACIDADE A igualdade dos cidadãos é um direito fundamental que a Constituição da República Portuguesa

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS SOBRE ACESSIBILIDADE: Decreto-Lei nº 123/97. Folhetos SNR nº 18

NORMAS TÉCNICAS SOBRE ACESSIBILIDADE: Decreto-Lei nº 123/97. Folhetos SNR nº 18 NORMAS TÉCNICAS SOBRE ACESSIBILIDADE: Decreto-Lei nº 123/97 Folhetos SNR nº 18 SECRETARIADO NACIONAL PARA A REABILITAÇÃO E INTEGRAÇÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA LISBOA 1997 Nota de Apresentação A principal

Leia mais

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEMA SELECCIONADO A CAMINHO DA ESCOLA IDENTIFICAÇÃO DAS COMPONENTES DA RUA / ESTRADA A Educação Rodoviária é um processo ao longo da vida do cidadão como

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA. Lagoa, 2006. Escola Secundária de Lagoa Plano de Emergência pág. 1

PLANO DE EMERGÊNCIA. Lagoa, 2006. Escola Secundária de Lagoa Plano de Emergência pág. 1 PLANO DE EMERGÊNCIA Lagoa, 2006 Escola Secundária de Lagoa Plano de Emergência pág. 1 Índice Índice... 1 CARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO... 4 1. ASPECTOS FÍSICOS... 4 1.1. Localização Geográfica:... 4 1.2. Enquadramento

Leia mais

FENACERCI, 2008. Checklist de. Acessibilidade dos. Espaços Públicos de Cultura

FENACERCI, 2008. Checklist de. Acessibilidade dos. Espaços Públicos de Cultura FENACERCI, 2008 Checklist de Acessibilidade dos Espaços Públicos de Cultura Introdução A legislação nacional Lei 9/89 de 2 de Maio, o D.L. 123/97 de 22 de Maio e as Resoluções do Conselho de Ministros

Leia mais

CONCURSO DE FOTOGRAFIA

CONCURSO DE FOTOGRAFIA CONCURSO DE FOTOGRAFIA ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE PARA TODOS REGULAMENTO Artigo 1º OBJECTIVO O presente concurso tem como objectivo sensibilizar os alunos do Ensino Básico e a comunidade em geral, para

Leia mais

ACESSIBILIDADE. Lista de Verificação Deficiência Motora. Órgão/Empresa: Fls: 1 / 18. Dados do Empreendimento. Data: Endereço: NR Complemento

ACESSIBILIDADE. Lista de Verificação Deficiência Motora. Órgão/Empresa: Fls: 1 / 18. Dados do Empreendimento. Data: Endereço: NR Complemento Fls: 1 / 18 Dados do Empreendimento Órgão/Empresa: Data: Endereço: NR Complemento Bairro CEP Município: UF Tipo de Utilização: Público Privado Representante Legal: Responsável pelas Informações: [nome/função/matrícula]

Leia mais

REQUALIFICAÇÃO URBANA DO CENTRO HISTÓRICO DE S.MARTINHO DE MOUROS RESENDE

REQUALIFICAÇÃO URBANA DO CENTRO HISTÓRICO DE S.MARTINHO DE MOUROS RESENDE MEMÓRIA DESCRITIVA REQUALIFICAÇÃO URBANA DO CENTRO HISTÓRICO DE S.MARTINHO DE MOUROS RESENDE PROJECTO DE EXECUÇÃO 1. INTRODUÇÃO A presente Memória é parte integrante do Projecto de Requalificação Urbana

Leia mais

TIPOLOGIA / INSTALAÇÕES DAS ESCOLAS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA

TIPOLOGIA / INSTALAÇÕES DAS ESCOLAS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA TIPOLOGIA / INSTALAÇÕES DAS ESCOLAS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 1. JARDIM DE INFÂNCIA PAI DO VENTO Iniciou as suas atividades em Abril de 1999 está integrado no complexo escolar da Escola Básica

Leia mais

Federação Portuguesa de Atletismo

Federação Portuguesa de Atletismo PRESSUPOSTOS A medição do percurso para a teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os Atletas só podem utilizar a faixa do lado direito da estrada. Durante a competição os atletas

Leia mais

Informações sobre os serviços para adeptos com deficiências

Informações sobre os serviços para adeptos com deficiências Informações sobre os serviços para adeptos com deficiências Final da UEFA Europa League 2011 Informações sobre os serviços para adeptos com deficiências 1. Serviços de transporte a. Serviços de táxis Vantastic

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 08/2010

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 08/2010 TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 08/2010 Pelo presente instrumento, com fundamento no artigo 5º, 6º, da Lei nº 7.347/85, de 24 de julho de 1985, de um lado, o MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pela Procuradora

Leia mais

Às sextas na Cidade. Águeda - cidade inclusiva

Às sextas na Cidade. Águeda - cidade inclusiva Às sextas na Cidade Águeda - cidade inclusiva Índice Águeda - cidade inclusiva: Como pode a cidade ser mais inclusiva? idosos, crianças, pessoas com necessidades especiais A cidade é de TODOS! Índice INCLUSÃO

Leia mais

República de Moçambique CONSELHO DE MINISTROS. Decreto n.º 53/2008 30 de Dezembro

República de Moçambique CONSELHO DE MINISTROS. Decreto n.º 53/2008 30 de Dezembro República de Moçambique CONSELHO DE MINISTROS Decreto n.º 53/2008 30 de Dezembro Havendo necessidade de se estabelecer dispositivos técnicos que permitam a acessibilidade, circulação e utilização dos sistemas

Leia mais

PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I

PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I Circulações Verticais São meios não mecânicos e mecânicos que permitem a ligação entre planos de níveis

Leia mais

Plano Anual de atividades 2014/2015 1º Periodo

Plano Anual de atividades 2014/2015 1º Periodo Plano Anual de atividades 2014/2015 1º Periodo Designação Objectivos Grupo alvo Calendarização Responsáveis pela actividade Recursos a afectar J F M A M J J A S O N D Humanos Materiais Logísticos Exercício

Leia mais

ROTEIRO PARA OBTENÇÃO DE IMAGENS RELATIVAS À VERIFICAÇÃO DE ACESSIBILIDADE

ROTEIRO PARA OBTENÇÃO DE IMAGENS RELATIVAS À VERIFICAÇÃO DE ACESSIBILIDADE ROTEIRO PARA OBTENÇÃO DE IMAGENS RELATIVAS À VERIFICAÇÃO DE ACESSIBILIDADE Este roteiro tem por objetivo apresentar ao responsável pela vistoria remota os detalhes e ângulos básicos a serem obtidos por

Leia mais

Emergência de Incêndios na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Emergência de Incêndios na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto I ABA Emergência de Incêndios na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Plano de emergência para evacuação Projecto FEUP ELE301 12-10-2009 90503197 Ana Rita Amaral Mendes 90503159 Diogo Machado

Leia mais

Programa Calçada Segura. Manual de Execução GUIA PRÁTICO

Programa Calçada Segura. Manual de Execução GUIA PRÁTICO Programa Calçada Segura Manual de Execução GUIA PRÁTICO Editorial Manual de Execução de Calçadas O Programa Calçada Segura interessa diretamente a todos. A Assessoria de Políticas para as Pessoas com

Leia mais

ECO-ELIAS. Projeto Ecoescolas 2014/2015 Objetivos

ECO-ELIAS. Projeto Ecoescolas 2014/2015 Objetivos ECO-ELIAS Projeto Ecoescolas 2014/2015 Objetivos Proteger o AMBIENTE e promover a SUSTENTABILIDADE, contribuindo para uma melhoria global do ambiente da escola e da comunidade: Dar continuidade aos projetos

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume II Locais e Postos de trabalho um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

SEPLAN Comitê de uso Racional dos Recursos. Sub-comitê de acessibilidade:

SEPLAN Comitê de uso Racional dos Recursos. Sub-comitê de acessibilidade: SEPLAN Comitê de uso Racional dos Recursos Marta Dischinger Ruth Nogueira Giseli Knak Denise Siqueira Gabriela Custódio Carolina Stolf Sub-comitê de acessibilidade: Bolsistas: Luiz Fernando Gonçalves,

Leia mais