IDENTIFICAÇÃO: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM. Designação: Localização: Largo Cândido dos Reis. Empresa que presta serviços de comunicações

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "5.3.26 IDENTIFICAÇÃO: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM. Designação: Localização: Largo Cândido dos Reis. Empresa que presta serviços de comunicações"

Transcrição

1 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM Largo Cândido dos Reis Empresa que presta serviços de comunicações Acesso exterior ao edifício Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. (Fig. 1) Fig. 3 Escada/Degrau A escada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à ausência de corrimãos. Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua inclinação. Fig. 2 A rampa tem 14% de inclinação. (Fig 3) Fig

2 Acesso ao edifício Porta As portas cumprem a legislação quanto à sua largura. A porta tem 0,93m de largura. (Fig. 1) Soleira A soleira da porta de entrada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. (Fig. 1) Fig. 1 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 2) Escada A escada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto ao dimensionamento dos corrimãos. O corrimão tem 0,98m de altura. (Fig. 1) Plataforma elevatória A plataforma elevatória cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto a algumas das suas dimensões. (Fig. 1) 188

3 Dependências Balcões de atendimento Os balcões possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. ( A zona rebaixada tem 0,79m de altura). Instalação Sanitária Não existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Fig. 1 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. 189

4 Instalação de Equipamentos de Auto-Atendimento Outras máquinas Não cumpre a legislação devido à sua localização, ausência de zona livre de aproximação, altura e caraterísticas dos comandos e controlos. O telefone está a 1,40m de altura. (Fig. 1) Fig

5 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: CENTRO REGIONAL DE SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL Rua Nuno Velho Pereira Incorpora o sistema público de segurança social, o sistema da ação social e o sistema complementar Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal não cumpre o disposto no DL 163/2006. Não tem rebaixamento. (Fig. 1) Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Passeio O passeio que envolve o edifício não cumpre o DL 163/2006 quanto ao revestimento. O pavimento está irregular. (Fig. 2 e 3) Fig

6 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. Soleira A soleira da porta de entrada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. A porta tem 0,59m de largura. (Fig. 1) A soleira tem 0,18m de altura (Fig. 2) Distribuição no edifício Corredor Nem todos os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. Fig. 2 e 3 Escada A escada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, corrimãos e dimensionamento dos degraus. (Fig. 1) Fig

7 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. As portas têm 0,67m e 0,68m e 0,69m de largura. Os puxadores são em forma de maçaneta. (Fig.1, 2, 3, 4 e 5) Fig. 2 Soleira As soleiras cumprem a legislação na altura. Fig. 1 Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Dependências Balcões de atendimento Os balcões possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. (Fig. 1) Instalação Sanitária Não existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Fig. 2 e 3 Fig

8 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. Fig. 1 e 2 194

9 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: REPARTIÇÃO DE FINANÇAS E TESOURARIA DA FAZENDA PÚBLICA Rua Vasco da Gama Tem por missão administrar os impostos, direitos aduaneiros e demais tributos que lhe sejam atribuídos, exercer o controlo da fronteira externa da União Europeia e do território aduaneiro nacional. Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal não cumpre o disposto no DL 163/2006. A passadeira mais próxima não está rampeada e não apresenta pavimento táctil. (fig. 1 e 3) Estacionamento Existem dois lugares de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida mas não cumprem o DL 163/2006. Os lugares não possuem sinalização horizontal, baia lateral e acesso rebaixado para o passeio. (fig. 2 e 3) Fig. 3 Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso e dimensões. (fig. 4 e 5) Fig. 4 Fig

10 Acesso ao edifício Porta A porta da tesouraria cumpre as dimensões dispostas na lei. Todos os puxadores possuem uma forma que permite um fácil manuseamento. (fig. 1) Soleira As soleiras cumprem o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. (fig. 1) Fig. 1 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. Corredor Todos os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (fig. 1 e 2) 196

11 Acesso a dependências A visita consta apenas da análise aos locais de acesso ao público, portanto não foram analisadas dependências. Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas rebaixadas A altura dos balcões varia entre 1,12m e 1,15m. (fig.1) Instalação Sanitária Não existe Instalação Sanitária para pessoas com mobilidade reduzida. Fig. 1 Organização do mobiliário O mobiliário encontra-se bem organizado, permitindo zonas de manobra e de circulação para pessoas com mobilidade reduzida. 197

12 Equipamentos de Auto Atendimento Outras máquinas Cumpre a legislação quanto à sua localização, zona livre de aproximação e altura (fig.1). Apenas não cumpre nas caraterísticas dos comandos e controlos. A dimensão reduzida dos carateres e a utilização apenas de letras maiúsculas não proporciona um bom entendimento da mensagem. (fig.2) 198

13 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: REPARTIÇÃO DE FINANÇAS Rua Vasco da Gama, 21A Tem por missão administrar os impostos, direitos aduaneiros e demais tributos que lhe sejam atribuídos, exercer o controlo da fronteira externa da União Europeia e do território aduaneiro nacional. Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal não cumpre o disposto no DL 163/2006. A passadeira mais próxima não está rampeada e não apresenta pavimento táctil. (fig. 1 e 3) Estacionamento Existem dois lugares de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida mas não cumprem o DL 163/2006. Os lugares não possuem sinalização horizontal, baia lateral e acesso rebaixado para o passeio. (fig. 2 e 3) Fig. 3 Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso e dimensões. (fig. 4 e 5) Fig. 4 Fig

14 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura. Todos os puxadores possuem uma forma que permite um fácil manuseamento. As duas portas de entrada no atendimento das finanças possuem 0,80m e 0,77m (antecâmara) de largura (fig. 1 a 3) Fig. 2 Soleira As soleiras cumprem o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. (fig. 1) Fig. 1 Fig. 3 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. Aquando da visita não foi possível fotografar os espaços de distribuição por se encontrarem com demasiadas pessoas, de forma a não devassar a privacidade. Corredor Todos os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. 200

15 A visita consta apenas da análise aos locais de acesso ao público, portanto não foram analisadas dependências. Acesso a dependências Dependências Balcões de atendimento Os balcões nem sempre possuem zonas rebaixadas. Apenas na zona de atendimento geral é que se cumpre o disposto no DL 163/2006, o atendimento é realizado através de secretárias, com medidas regulamentares (fig.2). A altura dos balcões varia entre 1,12m e 1,15m. (fig.1) Instalação Sanitária Não existe Instalação Sanitária para pessoas com mobilidade reduzida. Fig. 1 Fig. 2 Organização do mobiliário O mobiliário encontra-se bem organizado, permitindo zonas de manobra e de circulação para pessoas com mobilidade reduzida. 201

16 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação quanto à localização (fig.1). No entanto possui informação visual e sonora (fig.3). A identificação dos balcões situa-se a uma altura demasiado elevada, o que não proporciona um bom entendimento da mensagem. (fig.1) Fig. 3 Equipamentos de Auto Atendimento Outras máquinas Cumpre a legislação quanto à sua localização, zona livre de aproximação e altura (fig.1). Apenas não cumpre nas caraterísticas dos comandos e controlos. A dimensão reduzida dos carateres e a utilização apenas de letras maiúsculas não proporciona um bom entendimento da mensagem. (fig.2) 202

17 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: ESCOLA DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO DOS LEÕES, N.º 8 Rua do Colégio Militar Função: Estabelecimento de ensino de várias matérias onde são ministrados os quatro primeiros anos de escolaridade, correspondente ao ensino básico e a educação pré-primária no Jardim de Infância. Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal não cumpre o disposto no DL 163/2006. Fig. 1 Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. (Fig. 3 e 5) Rampa A rampa cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, ausência de corrimãos e inclinação. A rampa tem 8,5% de inclinação. (Fig. 4) Fig. 4 Fig. 3 Fig

18 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura. Os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. (Fig. 2) As portas principais têm 0,81m de largura. (Fig. 1) Soleira A soleira da porta de entrada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 1) Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 3) Fig. 3 Escada A escada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, altura de corrimãos e dimensionamento dos degraus. A guarda devia ser em corrimão e não em murete. (Fig. 3) Fig

19 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. Algumas portas têm 0,57m e 0,75m de largura. alguns puxadores apresentam-se em forma de maçaneta. (Fig. 2) Fig. 2 Soleira As soleiras cumprem a legislação na altura. Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Fig. 1 Fig. 6 Dependências Balcões de atendimento Os balcões possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. (Fig. 1) Instalação Sanitária Não existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Fig

20 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. Fig. 1 e 2 206

21 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL - CENTRO DE EMPREGO DE SANTARÉM Praceta Alves Redol Função: Disponibiliza um conjunto de medidas, no âmbito do emprego e da formação profissional, direcionados para os diversos tipos de público. Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal não cumpre o disposto no DL 163/2006. A largura da passadeira não cumpre. (Fig. 1) Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. (Fig. 2) 207

22 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. Soleira A soleira da porta de entrada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. A porta principal tem 0,78m de largura. (Fig. 1) A porta da antecâmara tem 0,86m de largura. A soleira da porta principal tem 0,03m de altura. (Fig. 1) Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 2) Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua inclinação. A rampa tem 10% de inclinação. (Fig. 1) 208

23 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. As portas têm 0,75m de largura. (Fig. 1 e 3) Os puxadores apresentam-se em forma de maçaneta. ( Fig. 2) Fig. 3 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. O balcão de apoio ao utente tem 1,07m de largura. Instalação Sanitária Existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida devidamente equipada. (Fig. 3 e 4) Fig. 3 Fig

24 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. (Fig. 1) Fig. 1 Instalação de Equipamentos de Auto-Atendimento Outras máquinas Cumpre a legislação devido à sua localização, ausência de zona livre de aproximação, altura e caraterísticas dos comandos e controlos. (A máquina de senhas tem 0,89m de altura na parte mais baixa. O computador de apoio tem 0,86m de altura.) Fig. 1 e 2 210

25 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: DIREÇÃO GERAL DE VIAÇÃO Praceta Alves Redol Função: Tem por missão regular, fiscalizar e exercer funções de coordenação e planeamento do sector dos transportes terrestres. Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal não cumpre o disposto no DL 163/2006. A largura da passadeira não cumpre. (Fig. 1) Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Fig. 3 Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. (Fig. 2) Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, ausência de corrimãos e inclinação. A inclinação da rampa é de 18% de inclinação. (Fig. 4) Fig

26 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura. As portas têm 0,70m de largura. (Fig. 1 e 2) Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 1) Fig

27 Dependências Balcões de atendimento Os balcões possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. (Fig. 1 e 2) Instalação Sanitária Não existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. (Fig. 1) Fig

28 Instalação de Equipamentos de Auto-Atendimento Outras máquinas Cumpre a legislação devido à sua localização, ausência de zona livre de aproximação, altura e caraterísticas dos comandos e controlos. (A máquina de senhas tem 0,89m a 1,03m de altura.) Fig. 1 Fig

29 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: INSTITUTO DE SEGURANÇA SOCIAL - CENTRO DE ATENDIMENTO Avenida Grupo de Forcados Amadores de Santarém Incorpora o sistema público de segurança social, o sistema da ação social e o sistema complementar Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal não cumpre o disposto no DL 163/2006. A largura da passadeira não cumpre. (Fig. 1) Estacionamento Existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Não existe sinalização horizontal. Fig. 3 Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. (Fig. 3) 215

30 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. Soleira A soleira da porta de entrada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. A porta principal tem 0,76m de largura.(fig. 1). A porta lateral tem 0,86m de largura. (Fig. 4) A soleira da porta lateral tem 0,04m de altura. (Fig. 4) Fig. 3 Fig. 4 Distribuição no edifício Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 1) Fig

31 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura. Os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. (Fig. 2) As portas têm 0,85m de largura. (Fig. 1) Fig. 2 Fig. 1 Fig. 3 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. O balcão da tesouraria tem 0,85m de altura. (Fig. 2) Instalação Sanitária Existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Não existe botoneira de alarme. (Fig. 4 e 5) Fig. 3 Fig. 4 Fig

32 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto ao dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. Fig. 1 e 2 218

33 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: INSTITUTO PORTUGÊS DA JUVENTUDE DELEGAÇÃO REGIONAL POUSADA DA JUVENTUDE DE SANTARÉM FUNDAÇÃO PARA A DIVULGAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Avenida Grupo de Forcados Amadores de Santarém Função: Promoção de passeios equestres, o balonismo, os percursos BTT e os passeios pedestres entre outras visitas pelas proximidades da região. Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal não cumpre o disposto no DL 163/2006. Não tem rebaixamentos. (Fig. 1) Estacionamento Existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Não está devidamente dimensionado e não existe sinalização horizontal. (Fig. 3) Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 4 e 5) O pavimento está por vezes degradado. Fig. 3 Fig. 4 Fig

34 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura. A porta principal tem 0,77m de largura. (Fig. 1) Soleira A soleira da porta de entrada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. (A soleira tem 0,02m de altura) Fig. 2 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 1) Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 5 e 6) Fig. 3 Escada A escada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto ao dimensionamento dos corrimãos. Elevador As dimensões do elevador assim como as caraterísticas dos botões, cumprem o disposto no DL 163/2006. O corrimão tem 1,04m de altura. (Fig. 7) O elevador encontra-se avariado por falta de precisão de paragem. (Fig. 3) Fig. 4 Fig. 5 Fig. 6 Fig

35 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. Algumas portas têm 0,60m (auditório), 0,75m (em todas os compartimentos do Piso 1) de largura. Alguns puxadores apresentamse em forma de maçaneta. (Fig. 7) Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Fig. 6 Fig. 7 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. Os balcões de atendimento têm 1,11m (bar), 1,11m (loja, internet) e 1,18m (receção) de altura. Instalação Sanitária Existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Não existem barras de apoio nem botoneira de alarme. (Fig. 3 e 4) Fig. 3 Fig

36 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. Fig. 1 Instalação de Equipamentos de Auto-Atendimento Outras máquinas Cumpre a legislação devido à sua localização, ausência de zona livre de aproximação, altura e caraterísticas dos comandos e controlos. (O computador de informação está 1,11m de altura.) Fig.1 Fig

37 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO Praceta Bento Jesus Caraça A função deste espaço está direcionada para o ensino secundário de escolaridade. Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal cumpre o disposto no DL 163/2006. (Fig.1) Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. (Fig. 2) Fig. 3 Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. O portão cumpre com o decreto quanto à sua largura. Escada/Degrau A escada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto ao dimensionamento dos corrimãos. (Fig. 4) Rampa A rampa cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura e inclinação. A rampa tem 6,8% de inclinação. (Fig.5) Fig. 4 Fig

38 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. Soleira A soleira da porta de entrada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. A porta para a secretaria tem 0,80m de largura. A soleira da porta da secretaria tem 0,08m de altura. Fig. 3 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig.1) Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig.3) Fig. 3 Escada A escada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, corrimãos e dimensionamento dos degraus. (Fig. 2 e 5) Elevador As dimensões do elevador assim como as caraterísticas dos botões, cumprem o disposto no DL 163/2006. (Fig.4) Fig. 4 Fig

39 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. As portas dos gabinetes dos professores têm 0,74m e 0,75m de largura. A porta da biblioteca tem 0,75m de largura. Os puxadores são por vezes em forma de maçaneta. Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Soleira Nem todas as soleiras cumprem a legislação na altura, e não existe um meio complementar de acesso facilitado a pessoas com mobilidade reduzida. A soleira da porta dos Primeiros Socorros tem 0,12m de altura. Fig. 6 Fig. 7 Fig. 8 Fig. 9 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. O balcão do bar tem 1,09m de altura. (Fig. 1) Instalação Sanitária Existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Não tem botoneira de alarme. Fig

40 Sinalética e Informação Sinalética de Pisos A sinalética não cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, cores e materiais utilizados. Fig. 2 Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. Fig. 1 e 3 Fig

41 IDENTIFICAÇÃO: Designação: PISCINA MUNICIPAL DE SANTARÉM Localização: Função: Equipamento direccionado para a prática de Actividades Aquáticas com carácter pedagógico, social, recreativo e desportivo. Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada princip al não cumpre o disposto no DL 163/2006. A passadeira mais próxima não está rampeada e não apresenta pavimento táctil. (fig. 1) Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Existe estacionamento geral, mas não respeita as dimensões estipuladas nem as respetivas marcações e sinalética. (fig. 2 e 3) Fig. 3 Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso e dimensões. (fig. 4 e 5) Escada/Degrau A escada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à ausência de corrimãos. Na escada que dá acesso a uma das zonas de estacionamento não existe corrimãos. (fig. 6) Fig. 4 Fig. 5 Fig

42 Fig. 3 Acesso ao edifício Porta A porta cumpre a legislação quanto à sua largura e o puxador possui uma forma que permite um fácil manuseamento. (fig. 2 e 3) Soleira A soleira da porta de entrada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. A altura da soleira é de 0,06m. (fig. 4) Fig. 1 Fig. 2 Fig. 4 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. Corredor Todos os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (fig. 1, 2, 3 e 5) Escada A escada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto aos corrimãos. Não existe corrimão de um dos lados. (fig. 4) Fig. 3 Elevador Não existe elevador Acesso piscina Não se cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto ao acesso à piscina. Não existe meio de acesso à água por rampa ou por meios mecânicos. (fig. 2, 3 e 5) Fig. 4 Fig

43 Acesso a dependências Porta Todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura (fig. 1 a 4) e todos os puxadores possuem uma forma que permite um fácil manuseamento. (fig. 5 a 8). A porta da fig. 4 não cumpre quanto ao espaço de manobra. A porta da fig. 4 possui um degrau num dos lados que impede a existência de zonas de manobra desobstruídas e de nível com pelo menos 1,20mx1,40m, tal como disposto na secção do DL 163/2006. Fig. 1 Fig. 2 Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Fig. 6 Fig. 7 Fig. 8 Dependências Balcões de atendimento O balcão não possui zona rebaixada, por isso não cumpre a legislação no que respeita à altura. A altura do balcão é de 1,07m. (fig.1) Fig. 3 Instalação Sanitária Existem Instalações Sanitárias para pessoas com mobilidade reduzida, incluindo nos balneários, contudo não cumprem o disposto no DL 163/2006. (fig. 4). A instalação sanitária não apresenta as dimensões recomendadas na lei, possui 1,70mx1,82m. Não cumpre também no tipo de barras fixas, na ausência de espelho e botoneira de alarme. (fig. 4) Fig. 4 Fig. 5 Fig. 6 Organização do mobiliário O mobiliário encontra-se bem organizado, permitindo zonas de manobra e de circulação para pessoas com mobilidade reduzida. (fig.2, 3, 5 e 6) 229

44 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética cumpre a legislação, quanto ao dimensionamento dos símbolos e cores utilizadas. (fig.1) Fig

45 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: ESCOLA DO 2.º E 3.º CICLOS DO ENSINO BÁSICO DE MEM RAMIRES Rua Dr. Virgílio Arruda A função deste espaço está direcionada para o ensino básico do segundo e terceiro ciclo de escolaridade. Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal não cumpre o disposto no DL 163/2006. Não tem rebaixamentos. (Fig. 1) Estacionamento Existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. O lugar de estacionamento não está devidamente dimensionado. (Fig.2) Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto à sua largura. O portão tem 0,90m de largura. (Fig., 4) O pavimento dos passeios apresenta-se um pouco degradado. (Fig. 3) Fig. 3 Escada/Degrau A escada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, corrimãos e dimensionamento dos degraus. (Fig. 6) Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à ausência de corrimãos e inclinação. Fig. 5 Fig. 8 O controlo de cartões não cumpre o DL 163/2006 quanto ao seu dimensionamento. A largura do controlo de cartões tem 0,60m. Existe uma soleira de 0,06m de altura. Fig. 4 Fig. 5 Fig. 6 Fig

46 Acesso ao edifício Fig. 2 Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. Soleira A soleira da porta de entrada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. As portas de entrada principais têm 0,75m e 0,76m de largura. Os puxadores são em forma de maçaneta. A soleira do pavilhão desportivo tem 0,03m de altura. Fig. 1 Fig. 3 Fig. 4 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 4) Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 1 e 3) Fig. 3 Fig. 4 Escada A escada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto ao dimensionamento dos corrimãos. O corrimão das escadas de acesso à biblioteca tem 1,07m de altura. Elevador Nem todas as dimensões do elevador assim como as caraterísticas dos botões, cumprem o disposto no DL 163/2006. A cabine do elevador tem 1,34mx1,02m. A altura do corrimão tem 1,00m de altura. (Fig. 5) Fig

47 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. A porta da biblioteca tem 0,74m de largura. A porta do auditório tem 0,76m de largura. As portas das salas de aula têm 0,76m de largura. Os puxadores são em forma de maçaneta. (Fig. 7) Soleira As soleiras cumprem a legislação na altura. Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Fig. 7 Fig. 6 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. O balcão da reprografia, da papelaria e do bar têm 1,08m de altura. (Fig. 1 e 2) Instalação Sanitária Existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. (Fig. 3 e 4) A porta tem 0,77m de largura. Fig. 3 Fig

48 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. Fig. 1 Fig

49 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM - ESPAÇOS EXTERIORES COMUNS Complexo Andaluz Função: Acesso exteriores comuns ao edifício Estacionamento Existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. (Fig. 3) O lugar de estacionamento não está devidamente dimensionado. (Fig. 3) Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 2 e 6) O pavimento por vezes encontra-se degradado. Fig. 3 Rampa A rampa cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua inclinação. A rampa tem 8% de inclinação. (Fig. 5) Fig. 4 Fig. 5 Fig

50 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO DE SANTARÉM Complexo Andaluz Função: Tem como missão ministrar formação científica e técnica adequada ao desenvolvimento pessoal e profissional dos cidadãos Acesso exterior ao edifício Estacionamento Existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Não existe sinalização vertical. (Fig. 2) Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 1) Rampa A rampa cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua inclinação. (Fig. 3) Fig

51 Acesso ao edifício Porta As portas cumprem a legislação quanto à sua largura. As portas têm 0,89m de largura. (Fig. 1, 2 e 3). Os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. Rampa As rampas cumprem o disposto no DL 163/2006 quanto à sua inclinação. Os puxadores são em forma de maçaneta. (Fig. 1, 2 e 3) Fig. 3 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 2) Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 1) Fig. 3 Fig. 4 Escada A escada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, corrimãos e dimensionamento dos degraus. (Fig. 3 e 4) Elevador Nem todas as dimensões do elevador cumprem o disposto no DL 163/2006. O corrimão do elevador tem 1,09m de altura. Fig

52 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. A porta dos serviços académicos tem 0,74m de largura. A porta do auditório tem 0,71m de largura. Alguns puxadores apresentam-se em forma de maçaneta. (Fig. 5 e 7) Soleira As soleiras cumprem a legislação na altura. Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Fig. 6 Fig. 7 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. O balcão da papelaria tem 1,08m de altura. O balcão do bar tem 1,09m de altura. Instalação Sanitária Existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Não existe botoneira de alarme. Fig. 4 Fig. 5 Fig

53 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto à sua altura. Fig. 1 e 2 239

54 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: EDIFICIO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Complexo Andaluz Função: Acesso exterior ao edifício Estacionamento Existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. (Fig. 3) Fig. 1 Fig. 2 Fig

55 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. A porta da Entrada para a administração tem 0,72m de largura. Soleira A soleira da porta de entrada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. Distribuição no edifício Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 3) Escada A escada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, corrimãos e dimensionamento dos degraus. (Fig. 1) Fig. 3 Elevador As dimensões do elevador assim como as caraterísticas dos botões, cumprem o disposto no DL 163/2006. (Fig. 2) 241

56 Acesso a dependências Porta As portas cumprem a legislação quanto à sua largura. Os puxadores não possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. Os puxadores apresentam-se em forma de maçaneta. (Fig. 2) Fig. 2 Soleira As soleiras cumprem a legislação na altura. Fig. 1 Fig. 3 Fig. 4 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. Instalação Sanitária Não existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. (Fig. 1 e 2) 242

57 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. (Fig. 1 e 2) 243

58 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM E PAVILHÃO Complexo Andaluz Função: Estabelecimento de formação de nível Superior, vocacionada para o ensino, a investigação, a prestação de serviços à comunidade e para a colaboração com entidades nacionais e estrangeiras em atividades de interesse comum. Acesso exterior ao edifício Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 1) Fig

59 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura. A porta do pavilhão cumpre com o decreto com 0,90m de largura. (Fig. 3) Soleira A soleira da porta de entrada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. A porta da antecâmara da escola superior de educação tem 0,74m de largura. (Fig. 2) A soleira da porta da antecâmara tem 0,14m de altura. (Fig. 2) A soleira da porta do pavilhão tem 0,18m de altura. (Fig. 3) Fig. 3 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 1) Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 2 e 3) Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua inclinação. As rampas têm 18% de inclinação. (Fig. 4 e 5) Fig. 3 Fig. 4 Elevador As dimensões do elevador assim como as caraterísticas dos botões, cumprem o disposto no DL 163/2006. (Fig. 6) Fig. 5 Fig

60 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. As portas duplas não têm largura de uma só folha que cumpre com o decreto em estudo. (Fig. 1 e 5) Alguns puxadores são em forma de maçaneta. Soleira As soleiras cumprem a legislação na altura. Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Fig. 6 Fig. 7 Fig. 8 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. O balcão da reprografia tem 1,00m de altura. O balcão do bar tem 1,15m de altura. Instalação Sanitária Existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Não existe torneira de alavanca nem botoneira de alarme. (Fig. 3 e 4) Fig. 3 Fig. 4 Fig

61 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto às cores e materiais utilizados. Fig

62 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: BIBLIOTECA DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM Complexo Andaluz Função: Espaço direcionado ao acesso livre do conhecimento através da consulta ou requisição de livros ou outros meios de informação. Acesso exterior ao edifício Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. Rampa A rampa cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura e inclinação. (Fig. 1) 248

63 Acesso ao edifício Porta As portas cumprem a legislação quanto à sua largura. A porta da biblioteca tem 0,88m de largura. (Fig. 1) Soleira A soleira da porta de entrada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. A soleira da porta tem 0,04m de altura. (Fig.1) Fig. 1 Distribuição no edifício Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. Fig

64 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. As portas da biblioteca têm 0,63m e 0,73m de largura. Os puxadores apresentam-se em forma de maçaneta. (Fig. 2) Soleira As soleiras cumprem a legislação na altura. Fig. 2 Fig. 1 Fig. 3 Dependências Balcões de atendimento Os balcões possuem zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. (Fig. 1) Instalação Sanitária Não existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Fig. 1 Fig

65 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. (Fig. 1) Fig

66 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: BIBLIOTECA GERAL Complexo Andaluz Função: Espaço direcionado ao acesso livre do conhecimento através da consulta ou requisição de livros ou outros meios de informação. Acesso exterior ao edifício Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. (fig. 1 e 2) Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua inclinação. A rampa de acesso à biblioteca tem 15% de inclinação. (Fig. 2) 252

67 Acesso ao edifício Porta As portas cumprem a legislação quanto à sua largura. A porta de biblioteca tem 1,05m de largura. (Fig. 1) Soleira A soleira da porta de entrada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. A soleira tem 0,03, de altura. (Fig. 1) Fig. 1 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 1) Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (fig. 4 e 5) Fig. 3 Fig. 4 Escada A escada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto ao dimensionamento do corrimão. O corrimão tem 0,96m de altura. (Fig. 2) Elevador Nem todas as dimensões do elevador cumprem o disposto no DL 163/2006. O corrimão do elevador tem 0,97m de altura. Fig

68 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. A porta da Instalação sanitária tem 0,79m de largura. O seu puxador não apresenta uma forma que cumpra com o decreto. (Fig. 1) Soleira As soleiras cumprem a legislação na altura. Fig. 1 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. O balcão tem 0,98m de altura na parte mais baixa. (Fig. 1) Instalação Sanitária Existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. O espelho não está a uma altura que cumpre com o decreto em estudo e não existe botoneira de alarme. (Fig. 2 e 3) Fig

69 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética não cumpre a legislação, quanto à altura. Fig. 1 Fig

70 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: RESIDÊNCIA UNIVERSITÁRIA Campo Andaluz Espaço destinado a albergar estudantes universitários. Acesso exterior ao edifício Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. (Fig. 1) Rampa A rampas cumprem o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura e inclinação. As rampas têm 8% de inclinação. (Fig. 2) 256

71 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. A porta principal tem 0,73m de largura. (Fig. 1) Fig. 1 Distribuição no edifício Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 1) Fig

72 Acesso a dependências Porta As portas cumprem a legislação quanto à sua largura bem como os puxadores possuem uma forma que permite um fácil manuseamento. (Fig. 1, 2 e 3) Soleira As soleiras cumprem a legislação na altura. Fig. 3 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. O balcão tem 1,09m de altura. (Fig. 1) Instalação Sanitária Não existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. Fig

73 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. (Fig. 1 e 2) 259

74 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: ESCOLA DE HOTELARIA E TURISMO DE LISBOA - NÚCLEO DE SANTARÉM Campo Emílio Infante Câmara Função: Aposta cada vez mais na inovação nas áreas técnicas de formação, procurando, assim responder às exigências do setor e à sua capacidade de intervenção direta na atividade da região. Acesso exterior ao edifício Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. (Fig. 1) Passeio O passeio que envolve o edifício não cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. Não existe passeio. (Fig. 1) Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua inclinação. A rampa tem 13% de inclinação. (Fig. 3) Fig

75 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. A porta principal tem 0,69m de largura. (Fig. 1) Soleira A soleira da porta de entrada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. (Fig. 1) Fig. 3 Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 1) Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 3) Fig. 3 Escada A escada não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto ao dimensionamento de corrimãos. O corrimão tem 0,92m de altura. (Fig. 2) 261

76 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura. Os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. (Fig. 2 e 4) As portas das salas têm 0,75m de largura. Fig. 2 Fig. 4 Soleira As soleiras cumprem a legislação na altura. Fig. 1 Fig. 3 Dependências Balcões de atendimento Os balcões não possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. O balcão do bar tem 1,22m de altura. (Fig. 1) O balcão de atendimento geral tem 1,05m de altura. Instalação Sanitária Não existe Instalação sanitária dirigida a pessoas com mobilidade reduzida. 262

77 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. (Fig. 1) Fig

78 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SANTARÉM - Centro de Dia, Lar de Idosos - Núcleo de Apoio Comunitário Largo Cândido dos Reis Função: Possibilita agir concertada e integradamente na comunidade que a envolve, melhorando as condições de vida da sua população Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal cumpre o disposto no DL 163/2006. (Fig. 1) Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Fig. 3 Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. Rampa A rampa cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura e inclinação. A rampa tem 6% de inclinação. (Fig. 4) Fig. 4 Fig. 5 Fig

79 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. A porta de acesso á tesouraria tem 0,74m de largura. Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 Soleira A soleira da porta de entrada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. Distribuição no edifício Átrio O átrio cumpre o especificado no DL 163/2006 quanto às suas dimensões e respetivas zonas de manobra. (Fig. 1) Corredor Os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. (Fig. 2, 3, 7, 8, 9, 10 e 11) Fig. 3 Escada A escada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, ausência de corrimãos e dimensionamento dos degraus. (Fig. 5) Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, ausência de corrimãos e inclinação. Fig. 4 Elevador As dimensões do elevador assim como as caraterísticas dos botões, cumprem o disposto no DL 163/2006. (Fig. 6) Fig. 4 Fig. 5 Fig. 6 Fig. 7 Fig. 8 Fig. 9 Fig. 10 Fig

80 Acesso a dependências Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. As portas de acesso às dependências dos vários pisos e alas que vão desde os 0,55m de largura e os 0,76m de largura não cumprem com o decreto em estudo. Soleira Nem todas as soleiras cumprem a legislação na altura, e não existe um meio complementar de acesso facilitado a pessoas com mobilidade reduzida. Fig. 1 Fig. 3 Fig. 4 Dependências Balcões de atendimento Os balcões possuem zonas livres de aproximação e zonas rebaixadas para facilitar a utilização por pessoas com limitações físicas. (Fig. 1 e 4) Instalação Sanitária Existem Instalações sanitárias dirigidas a pessoas com mobilidade reduzida mas não estão devidamente equipadas. Não existem torneiras de alavanca nem botoneiras de alarme. Por vezes não existem também barras de apoio. (Fig. 2, 3 e 5) Fig. 3 Fig. 4 Fig

81 Sinalética e Informação Sinalética de dependências A sinalética cumpre a legislação, quanto à altura, dimensionamento dos carateres, símbolos, cores e materiais utilizados. (Fig. 1 e 2) 267

82 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO - Centro de Rastreio Francisco Gentil Martins Largo Cândido dos Reis Função: Promove a prevenção primária e secundária do cancro, o apoio social e a humanização da assistência ao doente oncológico e a formação e investigação em oncologia. Acesso exterior ao edifício Passadeira A passadeira mais próxima da entrada principal cumpre o disposto no DL 163/2006. (Fig. 1) Estacionamento Não existe lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida. Fig. 3 Passeio O passeio que envolve o edifício cumpre o DL 163/2006 quanto ao tipo de piso, revestimento e quanto à sua largura. Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua largura, ausência de corrimãos e inclinação. A rampa tem 11, 5% de inclinação, não tem corrimãos de apoio e tem 1,10m de largura. (Fig. 4) Fig. 3 Fig

83 Acesso ao edifício Porta Nem todas as portas cumprem a legislação quanto à sua largura e nem todos os puxadores possuem uma forma que permita um fácil manuseamento. A porta principal tem 0,57m de largura. (Fig. 1) O puxador apresenta-se em forma de maçaneta. (Fig. 2) Soleira A soleira da porta de entrada cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à sua altura. (Fig. 1) Fig. 1 Fig. 2 Distribuição no edifício Corredor Nem todos os corredores cumprem o especificado no DL 163/2006 quanto à sua largura. O corredor da sala dos inquéritos tem 1,00m de largura. (Fig. 2) Rampa A rampa não cumpre o disposto no DL 163/2006 quanto à ausência de corrimãos e inclinação. A rampa tem 20% de inclinação. (Fig. 3) Fig

Índice de Aferição de Acessibilidade Física

Índice de Aferição de Acessibilidade Física Área de Aproximação à porta Interfere na faixa livre mínima? (faixa livre mín=0,90m) Há área de manobra para cadeira de rodas? (raio mínimo=de 1,20m a 1,50m) Dimensões da área frontal à porta Dimensões

Leia mais

Índice de Aferição de Acessibilidade Física Edificação (Interior)

Índice de Aferição de Acessibilidade Física Edificação (Interior) Interfere na faixa livre mínima? (faixa livre mín=0,90m) Há interferência das portas na faixa livre apenas nas áreas privativas da edificação Área de Aproximação à porta Há área de manobra para cadeira

Leia mais

L A B O R A T Ó R I O A D A P T S E Escola de Arquitetura da UFMG. ROTEIRO DE INSPEÇÃO DA ACESSIBILIDADE Guia Acessível BH / RIZOMA CONSULTING14

L A B O R A T Ó R I O A D A P T S E Escola de Arquitetura da UFMG. ROTEIRO DE INSPEÇÃO DA ACESSIBILIDADE Guia Acessível BH / RIZOMA CONSULTING14 INTRODUÇÃO Este material tem o objetivo de avaliar a acessibilidade mínima de estabelecimentos comerciais e de serviço ao público. Ele avalia basicamente a acessibilidade física do local e as condições

Leia mais

ACESSIBILIDADE EM ARENAS MULTIUSO

ACESSIBILIDADE EM ARENAS MULTIUSO ACESSIBILIDADE EM ARENAS MULTIUSO Um Check-list! Uma arena multiuso, na maioria das vezes utilizada para jogos de futebol (daí sua importância capital na sociedade brasileira), deve partir de premissa

Leia mais

3. Alguns itens imprescindíveis na elaboração do projeto:

3. Alguns itens imprescindíveis na elaboração do projeto: 1. Introdução A acessibilidade é um direito de todos. Promover espaços, onde todas as pessoas possam usufruir com igualdade, liberdade e autonomia, é um compromisso de cada cidadão. Esta cartilha tem o

Leia mais

NORMA BRASILEIRA. Accessibility in highway transportation

NORMA BRASILEIRA. Accessibility in highway transportation NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15320 Primeira edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Acessibilidade à pessoa com deficiência no transporte rodoviário Accessibility in highway transportation Palavras-chave:

Leia mais

FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo. CIRCULAÇÕES VERTICAIS - escadas. Prof. Manuel Vitor Curso - Edifícios

FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo. CIRCULAÇÕES VERTICAIS - escadas. Prof. Manuel Vitor Curso - Edifícios FATEC - SP Faculdade de Tecnologia de São Paulo CIRCULAÇÕES VERTICAIS - escadas Prof. Manuel Vitor Curso - Edifícios Circulações Verticais São meios mecânicos e não mecânicos que permitem a ligação entre

Leia mais

ANEXO I. 2. Projeto O projeto do sistema de deposição de resíduos urbanos deve incluir obrigatoriamente as seguintes peça escritas e desenhadas:

ANEXO I. 2. Projeto O projeto do sistema de deposição de resíduos urbanos deve incluir obrigatoriamente as seguintes peça escritas e desenhadas: ANEXO I NORMAS TÉCNICAS DOS SISTEMAS DE DEPOSIÇÃO DE RESÍDUOS URBANOS EM EDIFICAÇÕES (NTRU) 1. Disposições gerais As presentes normas técnicas dizem respeito ao projeto dos sistemas de deposição de resíduos

Leia mais

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Estabelece normas para facilitar o acesso dos portadores de deficiência física aos edifícios de uso público, de acordo com o estabelecido no art. 227 da Constituição

Leia mais

ROTEIRO DE FISCALIZAÇÃO DA ACESSIBILIDADE EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS - ILPI s NAS COMARCAS DO ESTADO DE MG

ROTEIRO DE FISCALIZAÇÃO DA ACESSIBILIDADE EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS - ILPI s NAS COMARCAS DO ESTADO DE MG ROTEIRO DE FISCALIZAÇÃO DA ACESSIBILIDADE EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS - ILPI s NAS COMARCAS DO ESTADO DE MG Este roteiro tem como objetivo nortear as fiscalizações a serem realizadas

Leia mais

PROJETO MÚSICA SEM BARREIRAS. Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga

PROJETO MÚSICA SEM BARREIRAS. Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga PROJETO MÚSICA SEM BARREIRAS Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga julho 2015 Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos ( ) in Declaração dos Direitos Humanos,

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA N.º 1.893 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA N.º 1.893 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N.º 1.893 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág. 149) Altera a Norma Regulamentadora n.º 12. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO

Leia mais

Fonte: Universidade Federal do Paraná. Sistema de Bibliotecas. Biblioteca Central. Departamento de Bibliotecas e Documentação

Fonte: Universidade Federal do Paraná. Sistema de Bibliotecas. Biblioteca Central. Departamento de Bibliotecas e Documentação Sigla Código Nome da Biblioteca Banheiros adaptados Bebedouros e lavabos adaptados Entrada/Saída com dimensionamento Banheiros com leiautes adaptados (lavatórios, espelhos, barras de apoio, vasos, papeleiras,

Leia mais

Orientações para a identificação de necessidades de acessibilidade Espaço público

Orientações para a identificação de necessidades de acessibilidade Espaço público OBJECTIVO DO DOCUMENTO Informar acerca dos elementos-chave a ter em consideração na avaliação das barreiras à acessibilidade numa casa e espaços comuns. No caso da intervenção é crítico o envolvimento

Leia mais

ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade

ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade 1. Conceito/objetivo do produto: O relatório destina-se a informar e orientar as condições de acesso e utilização de equipamentos e instalações

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 08/2010

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 08/2010 TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 08/2010 Pelo presente instrumento, com fundamento no artigo 5º, 6º, da Lei nº 7.347/85, de 24 de julho de 1985, de um lado, o MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pela Procuradora

Leia mais

RESULTADOS RELATIVOS A GRÂNDOLA INDICADORES DO «CIDADES» (N = 306)

RESULTADOS RELATIVOS A GRÂNDOLA INDICADORES DO «CIDADES» (N = 306) RESULTADOS RELATIVOS A GRÂNDOLA INDICADORES DO «CIDADES» (N = 306) Inquiridos que assinalam (N) % Espaços públicos (Ex.: Jardins, Praças, etc...) 182 61,5% Passeio das ruas 203 68,6% Passadeiras 196 66,2%

Leia mais

ROTEIRO BÁSICO PARA AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE NAS EDIFICAÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO

ROTEIRO BÁSICO PARA AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE NAS EDIFICAÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO ROTEIRO BÁSICO PARA AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE NAS EDIFICAÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DADOS DA EDIFICAÇÃO Órgão: Endereço: Bairro: Município: Data: Uso do imóvel: Institucional: Comercial: Residencial:

Leia mais

CARTILHA DE BOLSO ACESSIBILIDADE: PROJETANDO E CONSTRUINDO CIDADANIA. Apoio:

CARTILHA DE BOLSO ACESSIBILIDADE: PROJETANDO E CONSTRUINDO CIDADANIA. Apoio: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE APOIO OPERACIONAL ÀS PROMOTORIAS DE DEFESA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, DO IDOSO, DAS COMUNIDADES INDÍGENAS E DAS MINORIAS ÉTNICAS ACESSIBILIDADE:

Leia mais

ANEXO 1 Informação sobre normas técnicas de acessibilidade em vigor aplicáveis a zonas balneares

ANEXO 1 Informação sobre normas técnicas de acessibilidade em vigor aplicáveis a zonas balneares ANEXO 1 Informação sobre normas técnicas de acessibilidade em vigor aplicáveis a zonas balneares Lista de Verificação Ponto 1.1 Algumas das principais exigências das normas técnicas do Decreto-Lei n.º

Leia mais

PROJETO. Banheiros e Vestiário VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR

PROJETO. Banheiros e Vestiário VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR PROJETO Vaso sanitário e lavatório Medidas das áreas de aproximação Banheiros e Vestiário VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR Área para estacionamento da cadeira, para posteior transferência.

Leia mais

Lista de Verificação das Acessibilidades - Condomínio da Rua de Gondarém, 708

Lista de Verificação das Acessibilidades - Condomínio da Rua de Gondarém, 708 Percurso 1 - Habitação -> Garagem Avaliação: Não viável Custo global de adaptação: 30.900 Item a verificar Avaliação Descrição Solução apontada 1.1 - Percurso Verificado Verificação da concordância da

Leia mais

Centro Nacional de Apoio ao Imigrante

Centro Nacional de Apoio ao Imigrante Introdução Centro Nacional de Apoio ao Imigrante Portugal, como outros países da União Europeia, assistiu nos últimos anos a um crescimento acentuado do número de imigrantes. De um país de emigração tornou-se,

Leia mais

Relatório. Avaliação das Acessibilidades. Prédio da Rua de Gondarém, 708-712. Nevogilde - Porto

Relatório. Avaliação das Acessibilidades. Prédio da Rua de Gondarém, 708-712. Nevogilde - Porto Relatório Avaliação das Acessibilidades Prédio da Rua de Gondarém, 708-712 Nevogilde - Porto 4100-128 Porto Página 1 de 6 Fax 22 609 3198 Relatório da Avaliação das Acessibilidades Prédio da Rua de Gondarém,

Leia mais

Gestão de Ginásios e Centros de Lazer

Gestão de Ginásios e Centros de Lazer Gestão de Ginásios e Centros de Lazer Módulo_6_sessão_8 Company LOGO Conteúdos 1.4. Sinalética 1.5. Terminologia em português e inglês 2. Tipos de atividades e técnicas de apoio à gestão de ginásios e

Leia mais

Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção

Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito e aplicação Para efeitos de uso do solo e de licenciamento de quaisquer obras de

Leia mais

O programa previsto para o Centro Escolar é o seguinte: Área útil unitária

O programa previsto para o Centro Escolar é o seguinte: Área útil unitária MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ CÂMARA MUNICIPAL Freguesia de Tavarede CENTRO ESCOLAR DE S.JULIÃO / TAVAREDE Projecto de Arquitectura _ Projecto Base Memória Descritiva e Justificativa Refere-se a presente

Leia mais

INQUÉRITO ACESSIBILIDADE NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO

INQUÉRITO ACESSIBILIDADE NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE APOIO TÉCNICO E ESPECIALIZADO DIVISÃO DE ACESSIBILIDADES E AJUDAS TÉCNICAS INQUÉRITO ACESSIBILIDADE NOS ESTABELECIMENTOS

Leia mais

Ano. p. 69-80 ACESSIBILIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL E NBR 9050 P. 1. Patrícia Ceroni SCARABELLI. Instituto de Engenharia Arquitetura e Design INSEAD

Ano. p. 69-80 ACESSIBILIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL E NBR 9050 P. 1. Patrícia Ceroni SCARABELLI. Instituto de Engenharia Arquitetura e Design INSEAD Ano 01 Patrícia Ceroni SCARABELLI n. 01 ACESSIBILIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL E NBR 9050 p. 69-80 Instituto de Engenharia Arquitetura e Design INSEAD Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio CEUNSP

Leia mais

ROTEIRO PARA OBTENÇÃO DE IMAGENS RELATIVAS À VERIFICAÇÃO DE ACESSIBILIDADE

ROTEIRO PARA OBTENÇÃO DE IMAGENS RELATIVAS À VERIFICAÇÃO DE ACESSIBILIDADE ROTEIRO PARA OBTENÇÃO DE IMAGENS RELATIVAS À VERIFICAÇÃO DE ACESSIBILIDADE Este roteiro tem por objetivo apresentar ao responsável pela vistoria remota os detalhes e ângulos básicos a serem obtidos por

Leia mais

Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio

Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio Apresentação do módulo Os sistemas de proteção contra incêndio e pânico são classificados em duas categorias distintas: proteção passiva

Leia mais

Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991

Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991 Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991 Regulamenta o Art. 16 da Lei Orgânica, que diz respeito à garantia de acesso adequado aos portadores de deficiência física ou mental aos bens e serviços coletivos,

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1.º Esta lei complementar estabelece as exigências quanto a:

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1.º Esta lei complementar estabelece as exigências quanto a: Atualizada até LC 610/2007. LEI COMPLEMENTAR N.º 528 DE 18 DE ABRIL DE 2005 ESTABELECE A OBRIGATORIEDADE DE VAGAS PARA ESTACIONAMENTO PARA EDIFICAÇÕES EM GERAL E A ADOÇÃO DE MEDIDAS MITIGADORAS ÀS ATIVIDADES

Leia mais

9. ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO DA ESCOLA

9. ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO DA ESCOLA 9. ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO DA ESCOLA IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE 1 Data e horário da observação Registre a data e o horário do início da observação Dia Mês Ano Hora Minuto Registre a data e o horário do término

Leia mais

REVISÃO DO DECRETO-LEI N.º163/2006, DE 8 DE AGOSTO

REVISÃO DO DECRETO-LEI N.º163/2006, DE 8 DE AGOSTO REVISÃO DO DECRETO-LEI N.º163/2006, DE 8 DE AGOSTO Nos termos do Decreto-Lei n.º 163/2006, de 8 de agosto, foram definidas as condições de acessibilidade a satisfazer no projeto e na construção de espaços

Leia mais

Normas e Leis para Ocupação de Auditórios e Locais de Reunião. LEI Nº 11.228, DE 25 DE JUNHO DE 1992 (São Paulo/SP)

Normas e Leis para Ocupação de Auditórios e Locais de Reunião. LEI Nº 11.228, DE 25 DE JUNHO DE 1992 (São Paulo/SP) CÓDIGO: DC 1.3/14 REVISÃO: 01 PÁGINA: 1 de 9 Normas e Leis para Ocupação de Auditórios e Locais de Reunião LEI Nº 11.228, DE 25 DE JUNHO DE 1992 (São Paulo/SP) (LUIZA ERUNDINA DE SOUZA, Prefeita do Município

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO, EXPLORAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO, EXPLORAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO, EXPLORAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM A Câmara Municipal de Óbidos, sob proposta do seu Presidente, no uso das competências que lhe são conferidas por

Leia mais

Alterações na nova NBR 9050, de 11/10/2015 (Material para estudo)

Alterações na nova NBR 9050, de 11/10/2015 (Material para estudo) Alterações na nova NBR 9050, de 11/10/2015 (Material para estudo) Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos Paulo Cesar dos Santos Figueiredo Engenheiro Civil CREA 354/D

Leia mais

Reboques para comboios logísticos. Soluções completas para utilização no interior e no exterior.

Reboques para comboios logísticos. Soluções completas para utilização no interior e no exterior. Reboques para comboios logísticos Soluções completas para utilização no interior e no exterior. Soluções de transporte desde a recepção dos produtos até à área de distribuição/produção. Com capacidades

Leia mais

NORMA TÉCNICA LICENCIAMENTO

NORMA TÉCNICA LICENCIAMENTO ELEMENTOS ANEXOS PARA A INSTRUÇÃO DE PEDIDO DE 1. PEDIDO DE DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO 2. PEDIDO DE ALTERAÇÃO À LICENÇA DE LOTEAMENTO 3. PEDIDO DE DE OBRAS DE URBANIZAÇÃO 4. PEDIDO DE DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO

Leia mais

ESCOLA PROFISSIONAL DE ALVITO PROJETO EDUCATIVO

ESCOLA PROFISSIONAL DE ALVITO PROJETO EDUCATIVO ESCOLA PROFISSIONAL DE ALVITO PROJETO EDUCATIVO Setembro 2013 ...A condição humana devia ser o objecto essencial de todo o ensino. (M.O. Mourin 2000) Índice 1-Introdução... 3 2 Caracterização do Meio...

Leia mais

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO provisória definitiva 1. Prédio urbano / fracção autónoma Morada Código Postal - Inscrito na matriz predial da freguesia de art.º n.º Registado na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA

AVALIAÇÃO INTERNA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA AVALIAÇÃO INTERNA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA JULHO 2015 1 Abreviaturas AEAG Agrupamento de Escolas Dr. António Granjo CAF Common Assessment Framework (Estrutura Comum de Avaliação) AM - Ação de Melhoria

Leia mais

Gestão de Complexos Desportivos

Gestão de Complexos Desportivos Gestão de Instalações Desportivas Gestão de Complexos Desportivos Módulo 5 Curso profissional de técnico(a) de L/O/G/O apoio à gestão desportiva ÍNDICE 1. Complexos desportivos 1.1. Definição 1.2. Tipologias

Leia mais

Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS IAD176 - Desenho Técnico Prof. Dennis Coelho Cruz

Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS IAD176 - Desenho Técnico Prof. Dennis Coelho Cruz Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS IAD176 - Desenho Técnico Prof. Dennis Coelho Cruz Aula 12 : Desenho Arquitetônico Escadas e Rampas Escadas Escada

Leia mais

PISCINA MUNICIPAL AO AR LIVRE DE BOQUES PROJETO DE REGULAMENTO

PISCINA MUNICIPAL AO AR LIVRE DE BOQUES PROJETO DE REGULAMENTO PISCINA MUNICIPAL AO AR LIVRE DE BOQUES PROJETO DE REGULAMENTO 2 ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 4 Artigo 1.º Destino e funcionamento... 4 Artigo 2.º Época de funcionamento... 5 Artigo 3.º Interrupção

Leia mais

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 APROVADO EM SESSÃO PLENÁRIA DO CLAS 21 DE MAIO DE 2013 1 NOTA INTRODUTÓRIA O Diagnóstico Social constituiu a base de trabalho da ação dos Parceiros Locais.

Leia mais

Grupos Especiais de Peões. Peões de mobilidade reduzida (velocidade de marcha inferior, falta de visão e audição

Grupos Especiais de Peões. Peões de mobilidade reduzida (velocidade de marcha inferior, falta de visão e audição Tráfego Pedonal Caracterização do Tráfego Pedonal Grupos Especiais de Peões Espaço o Vital para o Peão Velocidade de Circulação dos Peões Extensão das Deslocações Pedonais Flexibilidade Grandezas Base

Leia mais

INFORMAÇÃO Nº 010/2012 ASSUNTO: MAPA COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO ESTRUTURA RESIDENCIAL PARA PESSOAS IDOSAS

INFORMAÇÃO Nº 010/2012 ASSUNTO: MAPA COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO ESTRUTURA RESIDENCIAL PARA PESSOAS IDOSAS INFORMAÇÃO Nº 010/2012 ASSUNTO: MAPA COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO ESTRUTURA RESIDENCIAL PARA PESSOAS IDOSAS Exmas. Associadas, Na sequência da comunicação efetuada por esta União, no passado dia 21 de março,

Leia mais

Ambientes acessíveis

Ambientes acessíveis Fotos: Sônia Belizário Ambientes acessíveis É FUNDAMENTAL A ATENÇÃO AO DESENHO E A CONCEPÇÃO DOS PROJETOS, PRINCIPALMENTE NOS ESPAÇOS PÚBLICOS,PARA ATENDER ÀS NECESSIDADES E LIMITAÇÕES DO MAIOR NÚMERO

Leia mais

CATÁLOGO de elevadores

CATÁLOGO de elevadores CATÁLOGO de elevadores A Ortobras é reconhecida no Brasil e no mundo pela qualidade de seus produtos, investindo constantemente em atualizações tecnológicas e projetos sustentáveis. Localizada em Barão

Leia mais

REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL

REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL 1. OBJETIVO...3 2. APRESENTAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS...3 3. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS...4 3.1 Características Gerais...4 3.2 Carroceria...4 4. ACESSIBILIDADE...8 4.1

Leia mais

RELATÓRIO. Comissão Permanente Intersetorial de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência. Avaliação de mobilidade e Acessibilidade Unidades de Saúde

RELATÓRIO. Comissão Permanente Intersetorial de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência. Avaliação de mobilidade e Acessibilidade Unidades de Saúde RELATÓRIO Comissão Permanente Intersetorial de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência Avaliação de mobilidade e Acessibilidade Unidades de Saúde Local: ARE Ambulatório Regional de Especialidades Data:

Leia mais

Caderno de Diretrizes Técnicas de Acessibilidade Rio 2016. Versão 5. Janeiro 2016 Rio de Janeiro

Caderno de Diretrizes Técnicas de Acessibilidade Rio 2016. Versão 5. Janeiro 2016 Rio de Janeiro Caderno de Diretrizes Técnicas de Acessibilidade Rio 2016 Versão 5 Janeiro 2016 Rio de Janeiro Caderno de Diretrizes Técnicas de Acessibilidade Rio 2016 Versão 5 Janeiro 2016 Rio de Janeiro Esta versão

Leia mais

ANEXO II Matriz de Responsabilidades. Descentralizar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal

ANEXO II Matriz de Responsabilidades. Descentralizar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal A3. Relação escola/comunidade A - Políticas Educativas A2. Políticas de avaliação institucional A1. Planeamento Estratégico 1 Definição geral de políticas educativas nacionais 2 Definição do Plano Estratégico

Leia mais

Ministério das Obras Públicas

Ministério das Obras Públicas Ministério das Obras Públicas ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS CAPÍTULO I Natureza e Atribuições Artigo 1.º (Natureza) O Ministério das Obras Públicas é o órgão da administração pública

Leia mais

Planeamento Regional e Urbano RUA DO SÉCULO VIA DISTRIBUIDORA LOCAL CARACTERISTICAS

Planeamento Regional e Urbano RUA DO SÉCULO VIA DISTRIBUIDORA LOCAL CARACTERISTICAS RUA DO SÉCULO VIA DISTRIBUIDORA LOCAL PERFIL: sentido de trânsito apenas via nesse sentido; É permitido o estacionamento longitudinal de um dos lados em alguns troços da rua; O acesso e os cruzamentos

Leia mais

Mapa de Pessoal Ano de 2016 ( Art.º 29º do anexo à Lei nº 35/2014, de 20 de junho )

Mapa de Pessoal Ano de 2016 ( Art.º 29º do anexo à Lei nº 35/2014, de 20 de junho ) Mapa de Pessoal Ano de 2016 ( Art.º 29º do anexo à Lei nº 35/2014, de 20 de junho ) Atribuições/Competências/Actividades Chefe de Divisão Superior Especialista de Informática de Informática Coordenador

Leia mais

SÍNTESE DA REUNIÃO Nº11

SÍNTESE DA REUNIÃO Nº11 SÍNTESE DA REUNIÃO Nº11 Ao décimo segundo dia do mês de Fevereiro de dois mil e nove, pelas dezoito horas, realizou-se na Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova uma reunião com a presença de Susana Loureiro

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

Projeto de Lei n.º 1.291/2009 pág. 1 PROJETO DE LEI Nº 1.291/2009 SÚMULA: ESTABELECE NORMAS E CRITÉRIOS DE ADEQUAÇÃO PARA ACESSIBILIDADE ÀS PESSOAS

Projeto de Lei n.º 1.291/2009 pág. 1 PROJETO DE LEI Nº 1.291/2009 SÚMULA: ESTABELECE NORMAS E CRITÉRIOS DE ADEQUAÇÃO PARA ACESSIBILIDADE ÀS PESSOAS Projeto de Lei n.º 1.291/2009 pág. 1 PROJETO DE LEI Nº 1.291/2009 SÚMULA: ESTABELECE NORMAS E CRITÉRIOS DE ADEQUAÇÃO PARA ACESSIBILIDADE ÀS PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA OU MOBILIDADE REDUZIDA NOS

Leia mais

Como garantir uma cidade mais acessível

Como garantir uma cidade mais acessível Como garantir uma cidade mais acessível Arq. Adriana Romeiro de Almeida Prado mestre em gerontologia e especialista em acessibilidade técnica da Coordenadoria de Gestão de Políticas Públicas Cogepp 25

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL

COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA Nº 1592/GM5, DE 07 DE NOVEMBRO DE 1984. Alterada pela Portaria n.º 484/GM5, de 20 JUL 88 (*). Alterada pela Portaria n.º 677 /GM2, de 10 SET

Leia mais

RELATÓRIO VISTORIA N.º 001/2011

RELATÓRIO VISTORIA N.º 001/2011 RELATÓRIO DE VISTORIA N.º 001/2011 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL AGÊNCIA BOCA DO RIO Salvador, 14 de dezembro de 2011 1 RELATÓRIO DE VISTORIA 1 SOLICITANTE: Ministério Público Federal Procuradoria Regional dos

Leia mais

A C E S S I B I L I D A D E S O L U Ç Õ E S D E D O M U S L I F T O Domuslift é o elevador ideal para moradias (novas ou existentes) proporcionando estilo e comodidade de vida, podendo também ser utilizado

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições Gerais

CAPÍTULO I Disposições Gerais BEPA Banco de Empréstimo de Produtos de Apoio CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º Âmbito de Aplicação 1. O BEPA Banco de Empréstimo de Produtos de Apoio (PA) é um serviço da APPACDM de Lisboa. 2.

Leia mais

Lília Nunes Reis. USF Ria Formosa

Lília Nunes Reis. USF Ria Formosa Caminham os utentes da USF Ria Formosa em segurança? Lília Nunes Reis USF Ria Formosa Faro, 22 de Setembro de 2013 1 NOTA INTRODUTO RIA De acordo com os documentos orientadores da Organização Mundial da

Leia mais

Edital n.º 29/2004. Regulamento para a Promoção da Acessibilidade e Mobilidade Pedonal

Edital n.º 29/2004. Regulamento para a Promoção da Acessibilidade e Mobilidade Pedonal Edital n.º 29/2004 Faz-se saber que a Assembleia Municipal de Lisboa, na sua reunião de 2004/04/27, aprovou o Regulamento Municipal sobre Acessibilidade Urbana, que a seguir se publica: Regulamento para

Leia mais

Dados Pessoais. Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - E - mail: Outros contactos:

Dados Pessoais. Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - E - mail: Outros contactos: Errata Dados Pessoais Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - Telefone: Telemóvel: E - mail: Outros contactos: 1 Edição Instituto da Segurança Social, I.P. Coordenação e Supervisão Técnica Departamento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016 PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016 JULHO 2015 1. Enquadramento. O presente Plano Estratégico para o ano 2015-2016, dá cumprimento ao disposto no artigo 15.º do Despacho Normativo n.º6/2014, de 26 de maio. Apresentam-se

Leia mais

Direcção-Geral da Solidariedade e Segurança Social

Direcção-Geral da Solidariedade e Segurança Social Direcção-Geral da Solidariedade e Segurança Social Janeiro/2004 Í N D I C E INTRODUÇÃO Págs. 1. Conceito 2. Objectivos. Destinatários 4. Serviços prestados 5. Capacidade 6. Recursos Humanos 7. Organização

Leia mais

PROJETO DO DESPORTO ESCOLAR

PROJETO DO DESPORTO ESCOLAR COORDENADOR: Vanda Teixeira 1. FUNDAMENTAÇÃO/ CONTEXTUALIZAÇÃO/ JUSTIFICAÇÃO a) O Desporto Escolar constitui uma das vertentes de atuação do Ministério da Educação e Ciência com maior transversalidade

Leia mais

ANEXO TÉCNICO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AQUISIÇÃO DE ELEVADOR CONVENCIONAL

ANEXO TÉCNICO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AQUISIÇÃO DE ELEVADOR CONVENCIONAL ANEXO TÉCNICO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AQUISIÇÃO DE ELEVADOR CONVENCIONAL AQUISIÇÃO DE ELEVADOR CONVENCIONAL PARA SER INSTALADO NO EDÍFICIO DO ESCRITÓRIO REGIONAL DA ANATEL EM FORTALEZA-CE.

Leia mais

Acessibilidade nos Ambientes Escolares EMEI ( ) EMEF ( )

Acessibilidade nos Ambientes Escolares EMEI ( ) EMEF ( ) Acessibilidade nos Ambientes Escolares EMEI ( ) EMEF ( ) Nome: Endereço: Data: / 2.005 Vistoriado por: Características da Edificação : LEGISLAÇÃO DECRETO Nº 5.296 DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004 NBR 9050/2004;

Leia mais

Alunos do 5º Ano Turma B

Alunos do 5º Ano Turma B EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Alunos do 5º Ano Turma B Boa tarde e Bem Vindos! 1 EB 23 de Valadares Projecto Concurso Escola Alerta Estamos aqui hoje para apresentar os resultados

Leia mais

CATEGORIA B6 SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS DE LAZER IDENTIFICAÇÃO

CATEGORIA B6 SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS DE LAZER IDENTIFICAÇÃO Ministério do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico Coordenação Geral de Regionalização Inventário da Oferta Turística uf:

Leia mais

GGO - Grupo Gestor de Obras CPO - Coordenadoria de Projetos e Obras CHECKLIST - ANÁLISE Nº ACESSIBILIDADE (ABNT NBR 9050:2015)

GGO - Grupo Gestor de Obras CPO - Coordenadoria de Projetos e Obras CHECKLIST - ANÁLISE Nº ACESSIBILIDADE (ABNT NBR 9050:2015) GGO - Grupo Gestor de Obras CPO - Coordenadoria de Projetos e Obras Rua Bernardo Sayão, 38 Térreo - Cidade Universitária Zeferino Vaz - CEP 13083-866 - fone/fax: (19) 3521-4105 CHECKLIST - ANÁLISE Nº ACESSIBILIDADE

Leia mais

CATEGORIA B6 SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS DE LAZER IDENTIFICAÇÃO. Subtipos:

CATEGORIA B6 SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS DE LAZER IDENTIFICAÇÃO. Subtipos: Ministério do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico Coordenação Geral de Regionalização Inventário da Oferta Turística uf:

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL

REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS EMPRESARIAIS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL O Município de Chaves tem entendido como de interesse municipal as iniciativas empresariais de natureza económica que contribuem

Leia mais

2.º SUPLEMENTO II SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência PARTE C. Quinta-feira, 12 de abril de 2012 Número 73

2.º SUPLEMENTO II SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência PARTE C. Quinta-feira, 12 de abril de 2012 Número 73 II SÉRIE Quinta-feira, 12 de abril de 2012 Número 73 ÍNDICE 2.º SUPLEMENTO PARTE C Ministério da Educação e Ciência Gabinetes do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar e da Secretária

Leia mais

Délia Falcão. 11 de Janeiro 2012

Délia Falcão. 11 de Janeiro 2012 11 de Janeiro 2012 REGIME JURÍDICO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL CONTINUA NO CÓDIGO DE TRABALHO (Lei 7/2009 de 12 de Fevereiro) DEVERES DO ESTADO EM MATÉRIA DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL: 1. Formação /qualificação

Leia mais

Proteção Civil de Odivelas

Proteção Civil de Odivelas Proteção Civil de Odivelas 1 1 Introdução Tem sido apanágio deste Serviço apostar numa aculturação da população em termos de segurança e de Proteção Civil. Cremos por isso que cada indivíduo, como membro

Leia mais

Externato Académico. Projeto Educativo

Externato Académico. Projeto Educativo Externato Académico Projeto Educativo 2015-2018 Índice 1. Introdução... 3 2. Caracterização... 4 2.1. Recursos materiais e educativos... 5 3. Princípios orientadores... 7 3.1.Missão, Visão, Objetivos e

Leia mais

INCLUSÃO SOCIAL NOS TRANSPORTES PÚBLICOS DA UE

INCLUSÃO SOCIAL NOS TRANSPORTES PÚBLICOS DA UE DIREÇÃO-GERAL DAS POLÍTICAS INTERNAS DEPARTAMENTO TEMÁTICO B: POLÍTICAS ESTRUTURAIS E DE COESÃO TRANSPORTES E TURISMO INCLUSÃO SOCIAL NOS TRANSPORTES PÚBLICOS DA UE SÍNTESE Resumo O presente relatório

Leia mais

Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.)

Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) É atribuição do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) no sector da

Leia mais

SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Maio 2015 Ficha Técnica Autor Direção-Geral da Segurança Social (DGSS) - Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação (DSIA) Edição e propriedade

Leia mais

Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural

Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural Decreto-Lei n.º 1/09 de 28 de Abril Tendo em conta a nova orgânica do Governo que de entre outros órgãos institui a Secretaria de Estado para o Desenvolvimento

Leia mais

Manda o Governo, pelos Ministros de Estado e das Finanças, do Ambiente, do Ordenamento do

Manda o Governo, pelos Ministros de Estado e das Finanças, do Ambiente, do Ordenamento do Diploma: Ministérios das Finanças e da Administração Pública, do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, da Economia e da Inovação, da Agricultura, do Desenvolvimento Rural

Leia mais

Escolas. Segurança nas. Escolas. nas. Segurança. Escolas. Segurança das Escolas ajudar os órgãos de gestão dos estabelecimentos.

Escolas. Segurança nas. Escolas. nas. Segurança. Escolas. Segurança das Escolas ajudar os órgãos de gestão dos estabelecimentos. egurança Segurança Segurança A segurança deve ser uma preocupação comum a todos os membros da comunidade educativa pessoal docente e não docente, alunos, pais, encarregados de educação e representantes

Leia mais

JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 30 de Agosto de 2010

JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 30 de Agosto de 2010 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 30 de Agosto de 2010 I Série Sumário SECRETARIAREGIONAL DO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS Portaria n.º 61/2010 Aprova o Regulamento de Aplicação

Leia mais

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma*

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Glória Macedo, PQND do 4º Grupo do 2º Ciclo do EB e Formadora do CFAE Calvet de Magalhães, Lisboa A Reorganização Curricular do Ensino Básico

Leia mais

CATEGORIA B4 SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS DE TRANSPORTE TURÍSTICO IDENTIFICAÇÃO

CATEGORIA B4 SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS DE TRANSPORTE TURÍSTICO IDENTIFICAÇÃO Ministério do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico Coordenação Geral de Regionalização Inventário da Oferta Turística uf:

Leia mais

DELIBERAÇÃO DO CONSELHO DIRECTIVO DA ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE (VERSÃO NÃO CONFIDENCIAL) I Introdução

DELIBERAÇÃO DO CONSELHO DIRECTIVO DA ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE (VERSÃO NÃO CONFIDENCIAL) I Introdução DELIBERAÇÃO DO CONSELHO DIRECTIVO DA ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE (VERSÃO NÃO CONFIDENCIAL) I Introdução Considerando as atribuições da Entidade Reguladora da Saúde (doravante ERS) conferidas pelo artigo

Leia mais

Responsabilidade Social em Portugal 2013. Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos

Responsabilidade Social em Portugal 2013. Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Responsabilidade Social em Portugal 2013 Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos ÍNDICE Sumário Executivo Introdução Caracterização Social Vínculo laboral dos

Leia mais

MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ DA GRACIOSA Aviso n.º 28/2013 de 20 de Março de 2013

MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ DA GRACIOSA Aviso n.º 28/2013 de 20 de Março de 2013 28 de fevereiro de 2013. - O Secretário Regional dos Recursos Naturais, Luís Nuno da Ponte Neto de Viveiros. - O Secretário Regional do Turismo e Transportes, Vítor Manuel Ângelo de Fraga. MUNICÍPIO DE

Leia mais

Plataforma de Plano Vertical:

Plataforma de Plano Vertical: 38 - CARTILHA SANTOS PARA TODOS CONDEFI Plataforma de Plano Vertical: A Plataforma Vertical é indicada quando não se pode construir uma rampa, mas há um espaço para fazer uma abertura lateral no plano

Leia mais

Ministério da Administração do Território

Ministério da Administração do Território Ministério da Administração do Território Decreto Lei n.º 16/99 de 22 de Outubro Havendo necessidade de se reestruturar o estatuto orgânico do Ministério da Administração do território no quadro da reorganização

Leia mais

ANEXO II REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO ELETRÓNICO DE IDENTIFICAÇÃO

ANEXO II REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO ELETRÓNICO DE IDENTIFICAÇÃO ANEXO II REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO ELETRÓNICO DE IDENTIFICAÇÃO Artigo 1.º Âmbito e função 1. O cartão eletrónico de identificação tem por função identificar todos os utentes (alunos, pessoal

Leia mais

FLC Tel. 11-3911-3829

FLC Tel. 11-3911-3829 REALIZAÇÃO Tel. 11-3275-3561 CO- REALIZAÇÃO UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Tel. 11-3847-3145 SECRETÁRIA EXECUTIVA AD EVENTOS BRASIL LTDA. Tel. 11-5087-3455 MONTADORA OFICIAL FLC Tel. 11-3911-3829 AGÊNCIA

Leia mais

III Congresso Internacional da Montanha. Desporto e Turismo Activo

III Congresso Internacional da Montanha. Desporto e Turismo Activo II Congresso Internacional da Montanha Desporto e Turismo Activo 23 a 25 de Novembro de 2007 Organização: Estoril Auditório do Centro Escolar - ESHTE www.cim-estoril.com Apresentação Na sequência das duas

Leia mais