Setembro Variação. Ano. Variação. Ano. Mensal Set2012. Mensal - Ago2012 IGP-M CDI 6,60% 7,09% 0,97% 0,54% IPCA-15 IBOV 4,27% 3,70% 0,48% 3,81%

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Setembro 2012. Variação. Ano. Variação. Ano. Mensal Set2012. Mensal - Ago2012 IGP-M CDI 6,60% 7,09% 0,97% 0,54% IPCA-15 IBOV 4,27% 3,70% 0,48% 3,81%"

Transcrição

1 Setembro 2012 O principal destaque de setembro foi, sem dúvida nenhuma, as novas medidas de estímulos monetários e fiscais ao redor do mundo, como forma dos governos reagirem à fraqueza da economia global. Nos EUA, o FED anunciou o tão antecipado QE3, porém sem data para terminar, e com volume maior que o esperado, o que resultou em forte reação positiva dos mercados de risco ao redor do mundo. Internamente, embora o mercado imobiliário venha mostrando resultados animadores e a inflação se mantido controlada, o desemprego continua persistentemente alto. Paralelamente, do lado fiscal, o déficit público próximo de dois dígitos coloca o governo praticamente sem possibilidade de estímulos fiscais. Juntese a isso o abismo fiscal (Fiscal Cliff) "programado" para o ano que vem (forte corte de gastos aprovado pelo Congresso) e as eleições presidenciais, o cenário econômico certamente fica mais incerto. Neste contexto o S&P valorizou-se em 2,42%, o VIX caiu 9,96%, as treasuries de 10 anos abriram 8,5 bps, ficando em 1,634% a.a., e o petróleo caiu 4,72%, cotado em USD $92,19. Na Europa, o discurso do BCE em manter-se disponível para socorrer países necessitados, sob a condição de um pedido formal de ajuda, tem ajudado na redução dos spreads de créditos soberanos, especialmente da Espanha. O elevado déficit público programado para este ano e 2013, junto com a provável queda do seu PIB, e um volume considerável de dívida a ser rolada em outubro, faz com que as apostas de um pedido de ajuda aumentem de forma considerável. E, na Grécia, permanece a batalha do governo em levar adiante reformas necessárias para a continuidade do acordo com a Troika (FMI, União Europeia e BCE). Neste contexto, as bolsas reagiram de forma diversa: Frankfurt subiu 3,52%, Londres ganhou 0,54% e Paris caiu 1,71%. O EUR apreciou-se 2,23% ante ao USD, cotado a USD/EUR $1,286. Na China, a esperança de que a desaceleração da economia fizesse fundo no segundo trimestre parece que não será concretizada. Embora o governo tenha divulgado um novo programa de investimentos em infraestrutura, as exportações tem mostrado razoável deterioração, combinada com mais sinais de fraqueza do setor imobiliário. E a cautela do governo em dar mais estímulos pode estar sendo prejudicada pelo momento político (troca de comando do Partido Comunista Chinês) e por questionamentos de como atuar no ambiente de fraqueza mundial. Mesmo assim, a bolsa de Xangai subiu 1,89%, depois de 4 meses seguidos de queda, e o índice de commodities CRB subiu 1,35% no mês. E, no Brasil, os incentivos fiscais continuaram (desoneração fiscal na geração e distribuição de energia, o que em tese tirará cerca de 50 bps do IPCA para 2013, e desoneração da folha de salário para uma série de setores). Finalmente, os primeiros sinais de reversão da atividade apareceram, com a produção industrial e vendas do varejo mostrando números claramente positivos. E, do lado da inflação, os efeitos da seca americana já se fizeram por sentir nos índices de preços, com o IPCA de setembro ficando acima de 0,50%. E em seu último relatório de inflação, o BACEN informou a expectativa de 4,9% de IPCA para 2013, já considerando o efeito da queda da energia, porém sem embutir nenhum aumento da gasolina. Neste sentido, parece razoável apostar no fim do ciclo de corte de juros. Neste contexto, a bolsa local iniciou um rally após a divulgação do QE3, que acabou perdendo fôlego, em função das incertezas sobre as renovações de concessões do setor elétrico, e da pressão do governo em baixar juros ao consumidor e alterar forma de parcelamento, afetando negativamente o setor bancário. Mesmo assim, o Ibovespa subiu 3,71% no mês. Quanto ao Real, a moeda continua descolada de seus pares emergentes, tendo pouca oscilação, diante da constante atuação do BACEN em mantê-la estável. Por fim, no mercado de juros nominais, a parte curta da curva fechou em média 7 bps, enquanto a parte longa abriu em média 5 bps. A curva de juros reais fechou em média 40 bps na parte curta e 5 bps na parte longa. Variação Mensal Set2012 Ano Variação Mensal - Ago2012 Ano CDI 0,54% 6,60% IGP-M 0,97% 7,09% IBOV 3,70% 4,27% IPCA-15 0,48% 3,81% IBX-50 3,14% 4,69% IRF-M 0,59% 10,96% IBX-100 2,79% 6,39% IMA-Geral 0,93% 13,26% US$ -0,22% 8,55% IMA-B 1,44% 19,11% Em nossa visão, o Banco Central deve encerrar o ciclo de queda da taxa básica de juros em outubro, diante dos sinais mais animadores da atividade econômica e da inflação, que não parece estar com uma perspectiva clara de convergência para a meta de 4,50% ao ano. Com relação ao mercado acionário, continuamos com viés favorável, especialmente nos setores ligados ao mercado local, e com pouca influência regulatória. Apostamos que a recuperação econômica ganhará força, alavancando o resultado das empresas. E quanto ao Real, a postura do BACEN deverá prevalecer, ou seja, pouca oscilação e descolada dos fundamentos. 1

2 EXCLUSIVE FI REFERENCIADO DI Em setembro, aumentamos a alocação em LTN casada com DI no vencimento abr/14 e reduzimos a posição em LFT, que não obteve retorno positivo no mês. Pretendemos continuar com a posição em LTN casada com DI, uma vez que os prêmios estão mais atrativos comparado com as LFT s. PREMIUM FI RENDA FIXA O fechamento das taxas dos títulos que compõem a carteira do fundo foi bastante positivo, com destaque para o rendimento dos CDB s, debêntures e Letras Financeiras. Durante o mês, aumentamos a posição de crédito em ativos com boa relação risco x retorno. A alocação no final do mês ficou em 13,60% em CDB, 6,68% em DPGE, 21,13% em Letras Financeiras e 7,10% em debêntures. EXCELLENCE FI RF CRÉDITO PRIVADO A rentabilidade do mês de setembro foi uma das melhores do ano. O fundo obteve ótimos retornos nas carteiras de CDB s, debêntures e Letras Financeiras. Destaque também para operações no mercado secundário, onde aproveitamos oportunidades e vendemos alguns ativos com taxas interessantes. A alocação final ficou em 18,25% em CDB, 11,75% em DPGE, 28,30% em Letras Financeiras, 1,80% em Notas Promissórias e 19,09% do PL em debêntures. O fundo encerrou setembro com aumento da carteira de crédito em relação ao mês anterior. TERMO FIC FI RF Após o QE3 anunciado pelo FED, a bolsa local sofreu um overshooting breve, seguida de uma alta na volatilidade, principalmente em empresas de utilities e financials. A retomada do apetite por risco e a queda brusca em algumas ações têm motivado os tomadores de termo a iniciar novas operações. Neste contexto aumentamos a alocação em operações de termo pulverizadas e em condições risco-retorno interessantes. A alta volatilidade da bolsa foi favorável para aumento na frequência de antecipações de operações. O fundo encerrou setembro com alocação de 37,01% em termo de renda variável. FI RENDA FIXA ATIVO Os principais destaques nas estratégias do fundo, no mês de setembro, foram: Compra de inflação implícita, com posição aplicada nas NTN-B s mai/15, ago/16 e ago/20 e tomado na curva prefixada curta. Venda de inclinação longa, tomado em taxa prefixada curta e dado na longa. O mês de setembro foi marcado por forte atuação dos Bancos Centrais com o anúncio dos novos pacotes de estímulo a atividade econômica, o que gerou alívio e euforia aos mercados. Passado esse período, as atenções se voltaram à delicada e interminável situação fiscal dos países da Zona do Euro e à lenta e indefinida recuperação da economia americana, onde a decepcionante geração de novos empregos foi o principal motivo para o lançamento do QE3 pelo FED. A aceleração da atividade econômica brasileira ainda é lenta, com recuperação moderada e gradual da produção industrial e ainda muito dependente das medidas de estímulo do governo e com concentração na indústria automobilística. Do lado da inflação, os números continuam pressionados principalmente pelo grupo alimentação e bebidas, que foram afetados pelo choque de oferta de commodities. No Relatório Trimestral de Inflação, o BC afirma que a recuperação da atividade se intensificará neste 2º semestre, respondendo aos estímulos monetários concedidos e mesmo com as projeções de inflação para 2012 e 2013 acima da meta, o BC deixou a porta aberta para novo corte da taxa SELIC. No mês, a curva de juros prefixada fechou levemente na ponta curta da curva e intermediária e abriu na ponta longa. A curva de juros reais, as NTN-B s de prazo curto e intermediário tiveram um forte fechamento de taxas, em média 40 bps, refletindo a expectativa do mercado de aumento de inflação. Acreditamos que a atividade local reagirá aos estímulos implementados, e na deterioração da inflação. Portanto, temos a posição de venda de inclinação (posição tomada em vencimento curto, e dada em vencimento longo), por acreditarmos que o ciclo de afrouxamento monetário está próximo do fim e a que a curva sofrerá achatamento. Além disso, temos uma posição de arbitragem da curva de juros nos DI jan/15, jan/16 e jan/17 e outra nos DI jan/14, jul/14 e jan/15. Na estratégia de juros reais, mantivemos a aposta de compra de inflação implícita, (comprado nas NTN-B s mai/15 ago/16 e ago/20 e tomado no DI jan/14), apostando na retomada da atividade doméstica neste segundo semestre e nos efeitos dos estímulos dados à economia. As inflações implícitas das NTN-B s curtas e intermediárias subiram e geraram retorno positivo ao fundo. CRÉDITO ATIVO FI RENDA FIXA O fundo obteve excelente rentabilidade em setembro, com rendimento de 0,5987%. No mês, efetuamos compra de debêntures MGI com vencimento em ago/17 e realizamos vendas de Letras Financeiras no mercado secundário com taxas interessantes. Pretendemos aumentar a alocação em crédito no mês de outubro. A carteira encerrou o mês com alocação de 15,64% em CDB, 7,01% em DPGE, 0,86% em CRI, 51,58% em Letras Financeiras e 5,62% do PL em debêntures. 2

3 INFLATIE FI RENDA FIXA LP O fundo rendeu 1,33% contra 1,43% do IMA-B em setembro. Estamos mais alocados nos vencimentos curtos e mais longos, e menos alocados nos intermediários, o que gerou rentabilidade inferior ao benchmark. Adicionalmente, encerramos o mês com posição menos alocada em duration que o benchmark, pois acreditamos que o ciclo de queda dos juros se encerrou. Apesar dos preços dos alimentos terem recuado das máximas, mantemos nossa expectativa de IPCA altos para os próximos meses, favorecendo a rentabilidade do fundo. ABSOLUTO FIC FI MULTIMERCADO Os principais destaques nas estratégias do fundo, no mês de setembro, foram: Compra de inflação implícita e venda de inclinação longa de juros Posição tomada em taxa prefixada curta (DI jan/15). Zeragem das posições de CAD/AUD e EUR Inicio de posição vendida em BRL e comprada em USD. Posição comprada em ouro Manutenção da posição comprada de índice Bovespa Juros Na estratégia de juros temos a posição de venda de inclinação (posição tomada em vencimento curto, e dada em vencimento longo), por acreditarmos que o ciclo de afrouxamento monetário está próximo do fim e a que a curva sofrerá achatamento. Além disso, temos uma posição de arbitragem da curva de juros nos DI jan/15, jan/16 e jan/17 e outra nos DI jan/14, jul/14 e jan/15. Estas estratégias contribuíram de forma levemente negativa para a rentabilidade do fundo. Na estratégia de juros reais, mantivemos a aposta de compra de inflação implícita, (comprado nas NTN-B s mai/15 ago/16 e ago/20 e tomado no DI jan/14), apostando na retomada da atividade doméstica neste segundo semestre e nos efeitos dos estímulos dados à economia. As inflações implícitas das NTN-B s curtas e intermediárias subiram e geraram retorno positivo ao fundo. Moedas Na estratégia de moedas, realizamos com lucro a posição comprada em CAD e vendida em AUD, que apostava na recuperação mais rápida da economia americana em relação à chinesa, uma vez que esta reduziu o ritmo de crescimento, afetando a economia australiana e, por consequência, o AUD. Mantivemos a posição comprada em Ouro, porque prevíamos que a intervenção dos bancos centrais com o lançamento de pacotes de estímulo a atividade econômica, seria o ativo mais beneficiado. Essa posição foi o grande destaque na geração de performance no fundo. Adicionalmente, iniciamos uma posição vendida em BRL e comprada em USD, porque acreditamos na possibilidade de desvalorização do Real. Ações Na estratégia de ações, mantivemos posição comprada de ações em cerca de 4% PL, e posição vendida de cerca de 3% PL. As ações compradas se concentraram notadamente nos setores financeiro (Itaúsa e Cetip), contrução civil (Gafisa e JHSF), mineração (Vale), enquanto que as ações vendidas se concentraram nos setores de siderurgia (Usiminas), papel e celulose (Fibria) e financeiro (Itau, Santander e Banco do Brasil). Vale destacar que as posições vendidas de siderurgia e papel e celulose ocorreram depois da expressiva alta de preço destes ativos. Em setembro, esta estratégia contribuiu favoravelmente para o desempenho do fundo. Valor Relativo Por fim, na estratégia de valor relativo, concentramos as operações na compra de índice Bovespa, na venda de Euro, e posição tomada de juros. Embora a posição de ações tenha contribuído favoravelmente, seus ganhos foram inteiramente consumidos pela queda dos juros, e pela valorização do Euro, fazendo com que esta estratégia tivesse contribuição levemente negativa para o fundo. ALOCAÇÃO FIC FI MULTIMERCADO O fundo Alocação teve performance abaixo do benchmark principalmente pelas posições nos fundos NEO Long Short e NEO Multiestratégia. Pelo lado positivo, podemos destacar a performance dos fundos JGP Max e BRZ Long Short, porém não o suficiente para compensar as perdas nas alocações dos fundos da NEO Investimento. LONG AND SHORT FI MULTIMERCADO O fundo manteve ao longo do mês uma posição de 4% comprada em Bolsa, o que teve efeito positivo sobre a performance. Também contribuíram positivamente as posições compradas em Gafisa e Banco do Brasil, que apresentaram valorização de 10,4% e 8,3%, respectivamente. Entretanto, as posições vendidas em Natura e Petrobrás, somadas à posição comprada em EzTec, consumiram parte destes ganhos. Ao final do mês o fundo permanece com a mesma exposição positiva de 4%, sendo que as maiores apostas são Itausa x Itau, e os longs JHSF e Banco do Brasil. 3

4 DIVIDENDOS FIA O fundo sofreu desvalorização de 1,39% em setembro, devido às fortes quedas sofridas por algumas de nossas posições em Energia Elétrica. Estas quedas foram decorrência de uma proposta de regulação para extensão de concessões de Geração e Transmissão bem mais draconianas do que o esperado pelo mercado e por nossa equipe. Estamos reavaliando nosso portfólio de Energia Elétrica e como deve ser a tramitação desta proposta no Congresso antes de promover alterações na carteira. Obtivemos ganhos nos investimentos em Vale e Serviços Financeiros. No mês o fundo vendeu sua posição de Redecard no leilão promovido pelo controlador da empresa, o Banco Itaú. Também reduzimos adicionalmente a posição de Banco do Brasil. Com estes recursos, fizemos investimentos em Logística, Telecom e Construção Civil. Ao final do mês a carteira contava com 18 empresas, proporcionando um retorno de dividendos esperado de 6,8%. Os principais setores da carteira continuam sendo Energia Elétrica, Mineração e Bancos. PENSION IBRX ATIVO FIA O fundo apresentou no mês resultado bem próximo de seu benchmark, valorizando 3,05%. Contribuíram positivamente as posições dos setores de Petróleo e Mineração. Entretanto, perdas principalmente no setor de Bancos compensaram estes ganhos. Ao longo do mês, aumentamos nossa exposição ao setor de Bancos e Construção Civil, reduzindo em Petróleo e Serviços Financeiros. Ao final do período, os setores mais sobre-alocados eram Propriedades, Construção Civil e Educação. Os setores mais sub-investidos eram Logística, Siderurgia e Consumo. IBOVESPA ATIVO FIA Setembro foi mais um mês positivo para o Ibovespa, de forma que a sobre-alocação do fundo na primeira quinzena teve efeito positivo sobre a performance. Conforme o índice mostrou apreciação, fomos reduzindo a sobre-alocação e encerramos o mês em um nível neutro. A carteira de ações, entretanto, apresentou valorização inferior ao índice. Isto ocorreu principalmente porque alguns investimentos no Setor Elétrico apresentaram forte correção, devido à decepção com o detalhamento da metodologia de renovação das concessões de Geração e Transmissão. Entretanto, compensamos parcialmente estes resultados com ganhos nos investimentos em Mineração e Consumo. Ao final do mês, o fundo estava mais significativamente sobre-alocado em Mineração, Construção Civil e Educação. Os setores mais sub-alocados eram Siderurgia, Logística e Papel e Celulose. TOTAL RETURN FIA O fundo SulAmérica Total Return rendeu 1,22% em setembro, abaixo do IBX-50 e do Ibovespa que valorizaram 3,14% e 3,70% respectivamente. As posições no setor de consumo foram os destaques negativos e tiveram performance inferior ao índice. Já a boa performance das ações do setor de construção e soft commodities contribuíram positivamente para o retorno do fundo, mas não o suficiente para que o fundo tivesse performance acima dos índices IBX-50 e Ibovespa. Expediente Equipe de Gestão: Marcelo Saddi Castro - Diretor de Investimentos Informações: Maria Augusta - Julia Silveira Atendimento a clientes : Site: Clique aqui e conheça os fundos da SulAmérica Investimentos. 4

5 Fundos SulAmérica Investimentos RENTABILIDADE RENTABILIDADE ACUMULADA CARACTERÍSTICAS Setembro Agosto Julho Junho Maio Abril Março Fevereiro Janeiro Dezembro Novembro Outubro M 24 M 36 M Desde Início PL Médio 12 meses* Tx. Adm. Tx. Perf. Dt Início Referenciado DI 80 Exclusive FI Refenciado DI ,992,322 0,15% a.a. não há 06/02/2002 % CDI Renda Fixa # Excellence FI RF Crédito Privado ,137,345,621 0,50% a.a. não há 12/11/2002 % CDI # Inflatie FI RF Longo Prazo ,605,814 0,40% a.a. 20% sobre o que 11/07/2008 IMA-B (Alfa) exceder o IMA-B # Termo FIC FI RF ,657,571 0,20% a.a. 20% sobre o que 15/04/2011 % CDI exceder o CDI # Renda Fixa Ativo FI Longo Prazo ,090,447 0,50% a.a. 20% sobre o que 10/08/2011 % CDI exceder o CDI # Premium FI RF ,959,910 0,30% a.a. não há 04/08/2011 % CDI Multimercado Long&Short 40 Long & Short FI Multimercado ,605,950 1,50% a.a. 20% sobre o que exceder 08/07/2011 o CDI % CDI Multimercados Multigestor 64 Focus Fundo de Fundos FIC FIM ,831,490 0,35% a.a. 20% do que 01/06/2001 % CDI exceder o CDI # Alocação FIC FIM ,248,192 0,30% a.a. não há 13/12/2011 % CDI Multimercado Estratégia Específica # Crédito Ativo FIM Crédito Privado ,490,329 0,60% a.a. 20% do que 26/03/2012 % CDI exceder 108% do CDI Multimercado Multiestratégia # Absoluto FIC FI Multimercado ,935,910 2,00% a.a. 20% do que 19/01/2007 % CDI exceder o CDI Ações Dividendos 25 Dividendos FI Ações ,943,536 1,50% a.a. 20% do que 20/08/2009 Ibr-X 50 (Alfa) exceder o Ibr-X50 Ações Ibr-X Ativo # Pension FIA ,821,427 1,50% a.a. 20% do que 03/07/2007 Ibr-X 50 (Alfa) exceder o Ibr-X50 Ações Livre 85 Total Return FIA ,767,688 1,50% a.a. 20% do que 25/08/ Ibr-X 50 (Alfa) exceder o Ibr-X50 # Expertise FIA ,804,242 1,50% a.a. 20% do que 25/02/2011 IVBX-2 (Alfa) exceder o IVBX-2 Ações Ibovespa Ativo # Ibovespa Ativo ,247,109 2,00% a.a. 20% do que 02/03/ Ibovespa (Alfa) exceder o Ibovespa INDICADORES 6 CDI (Taxa Nominal) Dólar Comercial (Ptax) IBOVESPA *** IBRX IMA-B ** IGP-M + 6% ** Poupança IVBX-2**** * Demonstrado desde a data de início para os fundos que não atendem ao período referenciado. ** Os indicadores IMAB e IGPM+6 tem como base de cálculo para os valores acumulados, a data de início dos fundos Inflatie e Dividendos respectivamente. *** Até 30/04/08 o cálculo é feito utilizando-se a cotação média e, a partir de 02/05/2008 a cotação de fechamento. **** O Indicador IVBX-2 tem como base de cálculo o início do fundo Expertise Em atendimento à Instrução CVM nº 465, desde 02/05/2008, os fundos 10 e 11 deixaram de apurar sua rentabilidade com base na c otação média das ações e passaram a fazê-lo com base na cotação de fechamento, assim comparações de rentabilidade devem utilizar pa ra períodos anteriores a 02/05/2008, a cotação média dos índices de ações e, para períodos posteriores a esta data, a cotação de fechamento. Fonte CDI: ANDIMA Concentração de emissores: Os fundos 9, 10, 11, 12, 16 e 18 podem estar expostos a significativa concentração em ativos de Renda Variável de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes Tratamento Tributário Perseguido: Com exceção dos fundos 3 e 13 não há garantia de que os fundos mencionados acima terão tratamento tributário para fundos de Longo Prazo. Crédito Privado: Os fundos 2 e 17 estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos at ivos integrantes de suas carteiras, inclusive por força de intervenção, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos dos fundos Taxa de administração: é apropriada diariamente e exceto para o fundo 16, que paga mensalmente, por períodos vencidos, até o 3º dia útil do mês subs eqüente, a taxa é paga mensalmente até o 10º dia útil do mês subseqüente ao vencido.. Taxa de Performance: Paga semestralmente no último dia útil dos meses de dezembro e junho ou no resgate total ou parcial das cotas, o que ocorrer primeiro. Taxa de Saída: Caso o cotista do fundo 12 solicite resgate com conversão das cotas em D+1/ Liquidação das cotas D+4, será cobrada a taxa de saída n o montante equivalente a 10% do valor de resgate. Esta taxa será descontada no dia da efetivação do resgate e revertida ao patri mônio líquido do fundo. Auditoria: PRICEWATERHOUSECOOPERS AUDITORES INDEPENDENTES/ Administração e Gestão: Sulamérica DTVM S.A Público Alvo dos fundos citados acima: Todos os fundos mencionados são destinados a investidores em geral, exceto os fundos 9 e 12. OS FUNDOS 1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,12,13,14,15,17 e 18 UTILIZAM ESTRATÉGIAS COM DERIVATIVOS COMO PARTE INTEGRANTE DE SUAS POLÍ TICAS DE INVESTIMENTO. TAIS ESTRATÉGIAS, DA FORMA COMO SÃO ADOTADAS, PODEM RESULTAR EM SIGNIFICATIVAS PERDAS PATRIMONIAIS PARA SEUS COTISTAS. NO CASO DOS FUNDOS 7,8, 10 e 18 PODENDO INCLUSIVE ACARRETAR PERDAS SUPERIORES AO CAPITAL APLICADO E A CONSEQÜENTE OBRIGAÇÃO DO COTISTA DE APORTAR RECURSOS ADICIONAIS, PARA COBRIR O PREJUÍZO DO FUNDO. Para avaliação da performance de um fundo de investimento, é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses Valor da cota, patrimônio e rentabilidade são divulgados diariamente na Anbima. Exceto pelo fundo 1, os fundos possuem data d e conversão de cotas diversa da data de pagamento do resgate A apuração das rentabilidades é feita com base nos últimos dias úteis dos períodos de referência. Rating do fundo 2: bra+f conferido pela Standard & Poor's. desde setembro de 2010, maiores detalhes podem ser obtidos no prospecto do fundo ou entrando em contato com a SulAmérica Investimentos RENTABILIDADE PASSADA NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADE FUTURA. A rentabilidade divulgada já é líquida das taxas de administração, de performance e dos outros custos pertinentes ao fundo. A RENTABILIDADE DIVULGADA NÃO É LÍQUIDA DE IMPOSTOS. FUNDOS DE INVESTIMENTO NÃO CONTAM COM GARANTIA DO ADMINISTRADOR, DO GESTOR, DE QUALQUER MECANISMO DE SEGURO OU DO FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO- FGC. LEIA O PROSPECTO ANTES DE INVESTIR; É recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e regulamen to dos fundos de investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos Para investir acesse: Ouvidoria: (São Paulo) e (demais regiões)

Agosto 2012 1,43% 6,07% 0,69% 6,03% 3,32% 1,72% 0,54% 0,39% 0,12% 0,69% 10,32% 1,50% 3,51% 12,22% 1,13% -0,16% 8,79% 17,43% 1,81% -1,27%

Agosto 2012 1,43% 6,07% 0,69% 6,03% 3,32% 1,72% 0,54% 0,39% 0,12% 0,69% 10,32% 1,50% 3,51% 12,22% 1,13% -0,16% 8,79% 17,43% 1,81% -1,27% Agosto 2012 As recentes declarações das autoridades monetárias dos EUA e da Europa colocaram os investidores em uma longa espera por mais ações de estímulos. Por um lado, isso limitou o risco sistêmico,

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV CENÁRIO ECONÔMICO EM OUTUBRO São Paulo, 04 de novembro de 2010. O mês de outubro foi marcado pela continuidade do processo de lenta recuperação das economias maduras, porém com bons resultados no setor

Leia mais

VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros. GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos

VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros. GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos 1 CENÁRIO ECONÔMICO Economia Internacional RECUPERAÇÃO Produção Industrial (total) 115.00 Revisões

Leia mais

Relatório Mensal Dezembro de 2015

Relatório Mensal Dezembro de 2015 Relatório Mensal Relatório Mensal Carta do Gestor O Ibovespa teve um desfecho melancólico no ultimo mês de 2015, fechando com queda de 3,92% e acumulando uma retração de 13,31% no ano. O cenário econômico

Leia mais

Relatório Mensal - Novembro de 2013

Relatório Mensal - Novembro de 2013 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor Depois de quatro meses consecutivos de alta, o Ibovespa terminou o mês de novembro com queda de 3,27%, aos 52.842 pontos. No cenário externo, os dados

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM Maio/2014 1. Extrato Sintético das Aplicações FUNDOS RENDA FIXA SALDO 30.04.14 APLICAÇÃO

Leia mais

Carta Mensal Iporanga Julho de 2015

Carta Mensal Iporanga Julho de 2015 O fundo Iporanga Macro FIC FIM apresentou rendimento mensal de 3.7% (318% do CDI) em Julho. O mês também marca os primeiros doze meses de atividades do fundo, que durante o período obteve um rendimento

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Setembro de 2015

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Setembro de 2015 RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS Setembro de 2015 1 RESULTADOS DOS INVESTIMENTOS 1.1. Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) DATA CC FI DI/RF PGA FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV São Paulo, 07 de março de 2012. CENÁRIO ECONÔMICO EM FEVEREIRO O mês de fevereiro foi marcado pela continuidade do movimento de alta dos mercados de ações em todo o mundo, ainda que em um ritmo bem menor

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Março de 2016

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Março de 2016 RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS Março de 2016 1 RESULTADOS DOS INVESTIMENTOS 1.1. Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) PGA CC DI/RF IRFM1 IMAB5 SUBTOTAL 31/dez/2013 26.103,99 26.103,99

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS Julho de RESULTADOS DOS INVESTIMENTOS Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) PGA PB TOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM Janeiro/2015 1. Extrato Sintético das Aplicações FUNDOS RENDA FIXA SALDO 31.12.14 APLICAÇÃO

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 15/2015

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 15/2015 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 15/2015 Data: 10/08/2015 Participantes Efetivos: Wagner de Jesus Soares Presidente, Mariana Machado de Azevedo Economista, Rosangela Pereira

Leia mais

Cenário Econômico. Alocação de Recursos

Cenário Econômico. Alocação de Recursos BB Gestão de Recursos DTVM S.A. Cenário Econômico UGP- Unidade de Gestão Previdenciária BB Gestão de Recursos DTVM S. A. Alocação de Recursos setembro/2015 Outubro/2015 Cenário Econômico Economia Internacional

Leia mais

Informe Mensal Mai 12

Informe Mensal Mai 12 Informe Mensal Mai 12 Especial Institucional Tendências do Mercado Palavra do Gestor A Taxa Selic e a Bolsa de Valores Juros Até a última reunião do Banco Central, as expectativas para queda da Selic se

Leia mais

Perfin Long Short 15 FIC FIM

Perfin Long Short 15 FIC FIM Perfin Long Short 15 FIC FIM Relatório Mensal- Junho 2013 O Perfin LongShort 15 FICFIM tem como objetivo gerarretorno superior ao CDIno médio prazo. O fundo utiliza-se de análise fundamentalista eaestratégia

Leia mais

Propel Axis FIM Crédito Privado

Propel Axis FIM Crédito Privado Melhora expressiva na economia dos EUA; Brasil: inflação no teto da meta, atividade econômica e situação fiscal mais frágil; A principal posição do portfólio continua sendo a exposição ao dólar. 1. Cenário

Leia mais

SULAMERICA INVESTIMENTOS Apresentação Institucional. Novembro/2011

SULAMERICA INVESTIMENTOS Apresentação Institucional. Novembro/2011 SULAMERICA INVESTIMENTOS Apresentação Institucional Novembro/2011 3 A SULAMERICA VOCÊ JÁ CONHECE 116 anos no mercado 4.925 funcionários 6,7 milhões de clientes 45 filiais 256 escritórios de venda Maior

Leia mais

Semana com dólar em forte queda, alta da Bolsa e menor pressão nos juros futuros; Programa de intervenção do BCB no câmbio vem surtindo efeito;

Semana com dólar em forte queda, alta da Bolsa e menor pressão nos juros futuros; Programa de intervenção do BCB no câmbio vem surtindo efeito; 06-set-2013 Semana com dólar em forte queda, alta da Bolsa e menor pressão nos juros futuros; Programa de intervenção do BCB no câmbio vem surtindo efeito; Ata do Copom referendou nosso novo cenário para

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM Março de 2014 1. Extrato Sintético das Aplicações FUNDOS RENDA FIXA SALDO 28.02.14 APLICAÇÃO

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL RENDA FIXA TESOURO DIRETO

RELATÓRIO MENSAL RENDA FIXA TESOURO DIRETO RENDA FIXA TESOURO DIRETO CARTEIRA RECOMENDADA A nossa carteira para este mês continua estruturada com base no cenário de queda da taxa de juros no curto prazo. Acreditamos, no entanto, que esse cenário

Leia mais

Carteira Recomendada RENDA FIXA segunda-feira, 4 de maio de 2015

Carteira Recomendada RENDA FIXA segunda-feira, 4 de maio de 2015 1. Alocação recomendada para Maio de 2015 Classe de Ativo Carteira Conservadora* Carteira Moderada* Carteira Agressiva* Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Pós-Fixado

Leia mais

Conjuntura semanal. Itaú Personnalité. Semana de 12 a 16 de Agosto. Fatores externos e internos elevaram o dólar para perto de R$ 2,40;

Conjuntura semanal. Itaú Personnalité. Semana de 12 a 16 de Agosto. Fatores externos e internos elevaram o dólar para perto de R$ 2,40; Semana de 12 a 16 de Agosto Fatores externos e internos elevaram o dólar para perto de R$ 2,40; Curva de juros voltou a precificar mais aumentos de 0,5 p.p. para a taxa Selic; Com a presente semana muito

Leia mais

Opportunity. Resultado. Agosto de 2012

Opportunity. Resultado. Agosto de 2012 Opportunity Equity Hedge FIC FIM Agosto de 2012 Resultado Ao longo do segundo trimestre de 2012, o Opportunity Equity Hedge alcançou uma rentabilidade de 5% depois de taxas, o que representa 239,6% do

Leia mais

CARTA MENSAL SulAmérica Total Return FI Ações Novembro 2014

CARTA MENSAL SulAmérica Total Return FI Ações Novembro 2014 CARTA MENSAL SulAmérica Total Return FI Ações Novembro 2014 Cenário Internacional Crescimento mundial: gradual e desequilibrado A economia mundial fecha 2014 com um desempenho não muito diferente daquele

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 01 de Setembro de 2015 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 03/08/2015 a 31/08/2015 Panorama Mensal Agosto 2015 O mês de agosto novamente foi marcado por grande volatilidade nos mercados

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM Novembro/2014 1. Extrato Sintético das Aplicações FUNDOS RENDA FIXA SALDO 31.10.14 APLICAÇÃO

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2015 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2015 1 No segundo trimestre de 2015, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de 3,61%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 3,03% e o mercado de bolsa valorizou-se

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - ARROJADA MIX 40

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - ARROJADA MIX 40 BENCHMARK RF:60.00% ( 100.00%CDI ) + RV:40.00% ( 100.00%IBRX 100 ) Relatório Gerencial Consolidado - Período de 03/11/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/11/2015 pg. 1 Posição Sintética

Leia mais

Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Junho de 2013

Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Junho de 2013 Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Junho de 2013 Política e Economia Atividade Econômica: Os indicadores de atividade, de forma geral, apresentaram bom desempenho em abril. A produção industrial

Leia mais

Se alavancar até o limite de. Concentrar seus ativos em um só emissor que não seja a União Federal até o limite de

Se alavancar até o limite de. Concentrar seus ativos em um só emissor que não seja a União Federal até o limite de LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO DE LONGO PRAZO FRANKLIN GLOBAL ACCESS CNPJ: 09.216.364/0001-88 Informações referentes a Abril de 2016 Esta lâmina contém um resumo

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI VALOR AÇÕES 15.323.164/0001-27 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI VALOR AÇÕES 15.323.164/0001-27 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI VALOR AÇÕES 15.323.164/0001-27 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER FUNDO

Leia mais

A semana em revista. Relatório Semanal 8/12/2014

A semana em revista. Relatório Semanal 8/12/2014 Relatório Semanal 8/12/2014 A semana em revista No cenário doméstico, os destaques da semana foram a Pesquisa Industrial Mensal (PIM) e a taxa de inflação (IPCA). A produção industrial do mês de outubro

Leia mais

CAIXA RIO BRAVO FUNDO DE FII (CXRI11) Informativo Mensal Janeiro/2015

CAIXA RIO BRAVO FUNDO DE FII (CXRI11) Informativo Mensal Janeiro/2015 Objetivo e Política do Fundo O fundo CAIXA RIO BRAVO FUNDO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII tem como objetivo proporcionar retorno aos seus cotistas por meio de uma carteira diversificada de

Leia mais

Santa Helena. jan/12 Aplicações Financeiro Inicial Aplicação Resgate Rendimento Total

Santa Helena. jan/12 Aplicações Financeiro Inicial Aplicação Resgate Rendimento Total Santa Helena Consultoria de Investimentos TC Consultoria de Investimentos Consultor Responsável: Diego Siqueira Santos Certificado pela CVM, Ato declaratório 11.187, de 23 de Julho de 2010 jan/12 Aplicações

Leia mais

VITER GEICO. Vice-Presidência de Gestão. Gerência Nacional de Investidores Corporativos

VITER GEICO. Vice-Presidência de Gestão. Gerência Nacional de Investidores Corporativos VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos CENÁRIOS ECONÔMICOS JUROS JUROS x INFLAÇÃO x META ATUARIAL Meta Atuarial = 6,00% + IPCA (FOCUS

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FIC DE FI REFERENCIADO DI CNPJ 19.312.112/0001-06 DEZEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FIC DE FI REFERENCIADO DI CNPJ 19.312.112/0001-06 DEZEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli FIC de FI Referenciado DI. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo, disponíveis

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2014 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2014 1 No segundo trimestre de 2014, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de 1,41%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 2,51% e o mercado de bolsa valorizou-se

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Relatório Analítico dos Investimentos no 1º Trimestre de 2014

Relatório Analítico dos Investimentos no 1º Trimestre de 2014 Relatório Analítico dos Investimentos no 1º Trimestre de 2014 : : GLOSSÁRIO Informamos algumas definições técnicas que foram apresentadas a seguir, sobre os instrumentos matemáticos e estatísticos que

Leia mais

CSHG Strategy II FIC FIA Comentário do Gestor

CSHG Strategy II FIC FIA Comentário do Gestor A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CSHG Strategy II FIC FIA Comentário do Gestor Agosto 2010 Em Agosto, o fundo CSHG Strategy

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS MARÇO-2014. Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS MARÇO-2014. Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS MARÇO-2014 Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS INTRODUÇÃO O Relatório de Gestão de Investimentos do Regime Próprio de Previdência do Município

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO- JANEIRO -2012

RELATÓRIO DE GESTÃO- JANEIRO -2012 O pessimismo amplamente precificado em bolsa ao longo de 2011 parece ter sofrido uma mudança de rota em direção a céus mais azuis. Em janeiro de 2012, o Ibovespa subiu 11,13%, de tal forma a recuperar

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Fundo de Investimento é uma comunhão de recursos, constituída sob a forma de condomínio que reúne recursos de vários investidores para aplicar em uma carteira diversificada de ativos financeiros. Ao aplicarem

Leia mais

1. PÚBLICO-ALVO: O fundo é destinado a investidores em geral que pretendam buscar investimentos com rentabilidade positiva no longo prazo.

1. PÚBLICO-ALVO: O fundo é destinado a investidores em geral que pretendam buscar investimentos com rentabilidade positiva no longo prazo. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MACRO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um

Leia mais

Relatório Econômico Mensal DEZEMBRO/14

Relatório Econômico Mensal DEZEMBRO/14 Relatório Econômico Mensal DEZEMBRO/14 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 6 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 8 Indicadores Financeiros BOLSA DE VALORES AMÉRICAS

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO- DEZEMBRO -2011

RELATÓRIO DE GESTÃO- DEZEMBRO -2011 O ano de 11 terminou sem grandes surpresas. Na tentativa de manter aquecido o mercado consumidor brasileiro, a taxa básica de juros, que chegou a 1,5% ao longo do ano, encerrou o período em 11%. O crescimento

Leia mais

Performance da Renda Fixa em 2013

Performance da Renda Fixa em 2013 Performance da Renda Fixa em 2013 Material produzido em junho de 2013 Performance da Renda Fixa em 2013 O que tem acontecido com os investimentos em renda fixa? Nos últimos meses temos visto o mercado

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Informações referentes a novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 04 de Maio de 2015 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 01/04/2015 a 30/04/2015 Panorama Mensal Abril 2015 No cenário internacional, o mês de abril foi marcado por surpresas negativas em

Leia mais

Relatório Econômico Mensal. Abril - 2012

Relatório Econômico Mensal. Abril - 2012 Relatório Econômico Mensal Abril - 2012 Índice Indicadores Financeiros...3 Projeções...4 Cenário Externo...5 Cenário Doméstico...7 Renda Fixa...8 Renda Variável...9 Indicadores - Março 2012 Eduardo Castro

Leia mais

Módulo V Fundos de Investimentos. De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%)

Módulo V Fundos de Investimentos. De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%) Módulo V Fundos de Investimentos De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%) 5 - Fundos de Investimentos Definições legais Tipos de Fundo Administração Documentos dos fundos Dinâmica de Aplicação e resgate

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 01 de Abril de 2015 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 02/03/2015 a 31/03/2015 Panorama Mensal Março 2015 Os mercados financeiros seguiram voláteis ao longo do mês de março, em especial

Leia mais

Relatório Econômico Mensal ABRIL/14

Relatório Econômico Mensal ABRIL/14 Relatório Econômico Mensal ABRIL/14 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 5 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 9 Indicadores Financeiros BOLSA DE VALORES AMÉRICAS mês

Leia mais

CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE DESEMPENHO

CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE DESEMPENHO CAGEPREV FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RELATÓRIO DE DESEMPENHO NOVEMBRO DE 2013 1. Apresentação A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313,

Leia mais

Cenários. Cenário Internacional. Cenário Nacional

Cenários. Cenário Internacional. Cenário Nacional Ano 7 Edição: maio/2015 nº 57 Informações referentes a abril/2015 Cenários Cenário Internacional No mês de abril, o crescimento dos EUA se mostrou enfraquecido, com criação de empregos abaixo do esperado

Leia mais

MUTUOPREV 2014 - RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE BENEFÍCIOS II

MUTUOPREV 2014 - RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE BENEFÍCIOS II MUTUOPREV 2014 - RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE BENEFÍCIOS II A MUTUOPREV Entidade de Previdência Complementar - CNPJ nº 12.905.021/0001-35 e CNPB 2010.0045-74, aprovado pela portaria nº 763 de 27 de setembro

Leia mais

A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CARACTERÍSTICAS HG Verde Fundo de Investimento Multimercado FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS

Leia mais

NUCLEOS Instituto de Seguridade Social. Relatório de acompanhamento da Política de Investimento e resumo do Demonstrativo de Investimentos (DI)

NUCLEOS Instituto de Seguridade Social. Relatório de acompanhamento da Política de Investimento e resumo do Demonstrativo de Investimentos (DI) NUCLEOS Instituto de Seguridade Social Relatório de acompanhamento da Política de Investimento e resumo do Demonstrativo de Investimentos (DI) Maio, 2009 Índice Capítulo Página I Introdução...1 II Alocação

Leia mais

Performance da Renda Fixa em 2013

Performance da Renda Fixa em 2013 Performance da Renda Fixa em 2013 Atualizado em outubro de 2013 Performance da Renda Fixa em 2013 O que tem acontecido com os investimentos em renda fixa? Desde o começo do ano temos visto o mercado de

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20 BENCHMARK RF:80.00% ( 100.00%CDI ) + RV:20.00% ( 100.00%IBRX 100 ) Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética

Leia mais

RELATÓRIO 2º TRIMESTRE

RELATÓRIO 2º TRIMESTRE RELATÓRIO 2º TRIMESTRE FPMSMS FUNDO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO MATEUS DO SUL 2º TRIMESTRE 2014 ÍNDICE CENÁRIO MACROECONÔMICO ------------------------------------------------------------------ 4

Leia mais

DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

DIRETORIA DE INVESTIMENTOS DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal de Investimentos Fundo Financeiro e Previdenciário Fevereiro Rio de Janeiro 2015 1 Diretoria de Investimentos Gustavo de Oliveira Barbosa Diretor Presidente

Leia mais

Espaço para expansão fiscal e PIB um pouco melhor no Brasil. Taxa de câmbio volta a superar 2,30 reais por dólar

Espaço para expansão fiscal e PIB um pouco melhor no Brasil. Taxa de câmbio volta a superar 2,30 reais por dólar Espaço para expansão fiscal e PIB um pouco melhor no Brasil Publicamos nesta semana nossa revisão mensal de cenários (acesse aqui). No Brasil, entendemos que o espaço para expansão adicional da política

Leia mais

Relatório Mensal - Fevereiro de 2015

Relatório Mensal - Fevereiro de 2015 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor O Ibovespa encerrou o mês de fevereiro com alta de 9,97%, recuperando as perdas do início do ano. Mesmo com o cenário macroeconômico bastante nebuloso

Leia mais

Carta ao Cotista Junho 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Junho 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Junho 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional Dados recentes do mercado de trabalho americano (desaceleração dos salários), variável chave para as perspectivas inflacionarias e decisão

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC ACOES DIVIDENDOS 02.138.442/0001-24 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC ACOES DIVIDENDOS 02.138.442/0001-24 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO ACOES. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo, disponíveis

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS LONG AND SHORT FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS LONG AND SHORT FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS LONG AND SHORT FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Relatório Mensal - Setembro de 2013

Relatório Mensal - Setembro de 2013 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor O Ibovespa emplacou o terceiro mês de alta consecutiva e fechou setembro com valorização de 4,65%. Apesar dos indicadores econômicos domésticos ainda

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB HORIZONTE FIC FIA

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB HORIZONTE FIC FIA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Janeiro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem ser

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45 Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS São Paulo, 05 de outubro de 2015. Prezados Cotistas, Segue o nosso Relatório Mensal de Investimentos de Setembro de 2015. Abaixo apresentamos o cenário econômico, o desempenho dos nossos fundos no período

Leia mais

PROPOSTA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - 2010

PROPOSTA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - 2010 Secretaria da Administração do Estado da Bahia Superintendência de Previdência Diretoria de Gestão Financeira Previdenciária e Investimentos PROPOSTA DE POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - 2010 REGIME PRÓPRIO

Leia mais

Carta ao Cotista Outubro 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Outubro 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Outubro 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional O Banco Central europeu sinalizou a adoção de novos estímulos monetários a partir de dezembro. Isto se deve a surpresas baixistas de

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 02 de Janeiro de 2015 Prezado(a) Período de Movimentação FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 01/12/2014 a 31/12/2014 Panorama Mensal Dezembro 2014 A volatilidade

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 Subordinada à Resolução CMN nº 3.792 de 24/09/09 1- INTRODUÇÃO Esta política tem como objetivo estabelecer as diretrizes a serem observadas na aplicação dos recursos

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FORPUS FIC FIA. CNPJ/MF: 21.917.184/0001-29 Informações referentes a Dezembro de 2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FORPUS FIC FIA. CNPJ/MF: 21.917.184/0001-29 Informações referentes a Dezembro de 2015 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o. As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

ABRIL/2015 RELATÓRIO ECONÔMICO

ABRIL/2015 RELATÓRIO ECONÔMICO ABRIL/2015 RELATÓRIO ECONÔMICO ÍNDICE Indicadores Financeiros Pág. 3 Projeções Pág. 4-5 Cenário Externo Pág. 6 Cenário Doméstico Pág. 7 Renda Fixa e Renda Variável Pág. 8 INDICADORES FINANCEIROS BOLSA

Leia mais

A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CARACTERÍSTICAS HG Verde Fundo de Investimento Multimercado FUNDO de Investimento em Cotas

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 Data: 29/04/2014 Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

dt A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CARACTERÍSTICAS HG Verde Fundo de Investimento Multimercado FUNDO DE INVESTIMENTO EM

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA

FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FUNDO FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA CNPJ: 00.828.035/0001-13 Informações referentes a Novembro/2015 Esta lâmina contém um resumo das

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GAP MULTIPORTIFOLIO FI MULTIMERCADO 03.804.917/0001 37 Informações referentes a 05/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o GAP MULTIPORTFOLIO

Leia mais

Carta do gestor Setembro 2013

Carta do gestor Setembro 2013 Carta do gestor Setembro 2013 Em setembro, observamos significativa desvalorização do dólar e alta dos preços dos ativos de risco em geral. Por trás destes movimentos temos, principalmente, a percepção

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 01 de Outubro de 2012 Prezado(a) Período de Movimentação FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 03/09/2012 a 28/09/2012 Panorama Mensal Setembro de 2012 O mês de setembro

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS JANEIRO-2015

RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS JANEIRO-2015 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS JANEIRO- ÍNDICE DEMOSTRATIVO DAS APLICAÇÕES DA

Leia mais

Mercado de Renda Fixa: Regras de Negócios, Liquidez e Transparência

Mercado de Renda Fixa: Regras de Negócios, Liquidez e Transparência Mercado de Renda Fixa: Regras de Negócios, Liquidez e Transparência 1º Seminário Internacional sobre Renda Fixa em Mercado de Balcão 29/9/2006 Agenda Cenário Macroeconômico Transparência e Liquidez Principais

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IMA Geral Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.894/0001-36

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IMA Geral Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.894/0001-36 Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IMA Geral Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

Mauá Participações I e II

Mauá Participações I e II Mauá Participações I e II Tema 1 Posição Racional Resultado Comentários adicionais Comprada em Dólar x Vendida em Euros Acreditamos que com a recuperação da economia americana, aliada à política

Leia mais

Boletim de Risco Ano III. Nº 22. Agosto/2015

Boletim de Risco Ano III. Nº 22. Agosto/2015 Boletim de Risco Ano III. Nº. Agosto/ Cenário O mês de julho foi marcado por uma nova rodada de turbulências políticas e macroeconômicas que resultaram numa expressiva alta do CDS soberano brasileiro (gráfico.),

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa registrou o terceiro pregão em alta na terça-feira, (+1,53%) fechando aos 50.890 pontos, mais uma vez ajudada pelas ações de Petrobras e Vale. O volume financeiro fraco (R$ 4,56

Leia mais

BNY Mellon ARX Extra FIM. Julho, 2013

BNY Mellon ARX Extra FIM. Julho, 2013 BNY Mellon ARX Extra FIM Julho, 2013 Índice I. Filosofia de Investimento II. Modelo de Tomada de Decisão III. Processo de Investimento IV. Características do Fundo 2 I. Filosofia de Investimento Filosofia

Leia mais

2. OBJETIVOS DO FUNDO: OBTER RENTABILIDADE QUE SUPERE A VARIAÇÃO VERIFICADA PELO CERTIFICADO DE DEPÓSITO INTERBANCÁRIO (CDI).

2. OBJETIVOS DO FUNDO: OBTER RENTABILIDADE QUE SUPERE A VARIAÇÃO VERIFICADA PELO CERTIFICADO DE DEPÓSITO INTERBANCÁRIO (CDI). Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento

Leia mais

Mensagem da Administradora

Mensagem da Administradora Mensagem da Administradora Prezados Cotistas: Submetemos à apreciação de V.S.as. a demonstração da composição e diversificação das aplicações da CSN Invest Fundo de Investimento em Ações, em 31 de dezembro

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O. MARATONA PROGRAMADO FIA - BDR NIVEL I 21.363.225/0001-82 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O. MARATONA PROGRAMADO FIA - BDR NIVEL I 21.363.225/0001-82 Informações referentes a Maio de 2016 MARATONA PROGRAMADO FIA BDR NIVEL I 21.363.225/000182 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o MARATONA PROGRAMADO FUNDO DE INVESTIMENTO EM

Leia mais

Carta ao Cotista Abril 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Abril 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Abril 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional O fraco resultado dos indicadores econômicos chineses mostrou que a segunda maior economia mundial continua em desaceleração. Os dados

Leia mais