Carta de Apresentação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Carta de Apresentação"

Transcrição

1

2 Carta de Apresentação Caros Delegados, Em nome da equipe acadêmica do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, gostaria de dar as boas-vindas à todos. Eu sou Marcos Alexandre Santos, estou no 5º semestre do curso de Relações Internacionais, sendo que esse é o meu terceiro Fórum FAAP segundo como Diretor, porque ano passado fiquei na União das Nações Sul Americanas. Junto na mesa temos a Maiara Mayumi, que também está no 5º semestre do curso de Relações Internacionais, e também é o seu terceiro Fórum FAAP. Ano passado ela foi diretora na Organização Mundial da Saúde. E a Victoria Fontes, que é nossa colega no 5º semestre do curso de Relações Internacionais, sendo esse também o seu 3º Fórum FAAP, depois de ter sido diretora na Conselho Europeu. Espero que essa discussão que está tão em pauta na mídia e no fóruns internacionais seja extremamente proveitosa e de grande valia nas perspectiva pessoais de vocês no assunto. Nos vemos em Abril! Marcos, Maiara e Victoria

3 Histórico do Comitê Desde os primórdios da humanidade, conflitos assolam o mundo, mas a partir da criação e definição de Estado como um território nacional soberano, ou seja, um espaço de terra delimitado cuja jurisdição é de um governo soberano reconhecido por seus habitantes, os conflitos trouxeram um novo desdobramento, os refugiados. De acordo com a Convenção do Refugiado de , fica definido como refugiado todo aquele que possui um medo fundamentado de ser perseguido por razões de raça, religião, nacionalidade, pertencimento a um determinado grupo social ou opinião política, está fora de seu país de origem, e esta incapacitado, ou possui qualquer receio, de se valer da proteção desse país. O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) foi criado em dezembro de 1950, a partir da resolução 428(V) da Assembleia Geral 2, para ajudar os Europeus a atender os refugiados resultantes da Segunda Guerra Mundial. Primariamente, de acordo com a resolução, a agência funcionaria durante um período de três anos e depois se dispersaria, pois o problema estaria resolvido. Contudo, logo ficou claro que a agência seria sempre necessária, quando nos anos 1960 teve inicio o processo de descolonização do continente africano. Os trabalhos do ACNUR são regidos pela Convenção de 1951 relacionada ao Estatuto dos Refugiados e o Protocolo de , cujo papel foi remover barreiras regionais e temporais em relação a convenção. Esse conjunto de documentos define o que são os refugiados, quais são seus direitos e as obrigações legais dos Estados em relação a esses refugiados. Assim, desde a sua criação a agência já atuou diversas vezes em todos os continentes, tanto em grandes crises na África, como as na Republica Democrática do Congo e na Somália, quanto diversas vezes na Europa,

4 nos anos 1950 na Hungria quando ocorreu a invasão soviética e novamente nos anos 1990, com as guerras nos Balcãs. As crises de refugiados, de acordo com Hein 4, são uma forma de imigração de cunho politico, de modo que o termo refugiado muitas vezes remete à mudanças políticas no Estado de origem. A estratégia da comunidade internacional para com os refugiados tem sido adaptada ao logo dos anos, o reconhecimento e definição de um refugiado veio com o final da Segunda Guerra Mundial e a criação da ONU. Contudo, a resolução criada para tratar dos refugiados, e que inclusive instituiu o ACNUR, somente se aplicava aos refugiados resultantes do conflito que teve final em Assim até 1967 quando a Convenção sobre Refugiados foi emendada, esta não protegia os refugiados presentes no resto do mundo e durante esse período cresceu tanto o número de refugiados quanto a importância [desses] dentro da política externa dos países em desenvolvimento 5. Este crescimento foi evidente no período entre 1975 e 1990, quando mais de 2,5 milhões de refugiados da Ásia, África e Oriente Médio obtiveram residência no 1o mundo [na época da Guerra Fria o mundo foi dividido entre 1o Mundo, países capitalistas desenvolvidos, 2o Mundo, países comunistas, e 3o Mundo, países em desenvolvimento] 6. Muitas são as causas que contribuíram para essas ondas migratórias, como uma mudança no sistema politico e na constituição do Estado-nação, a exemplo do que aconteceu no Kosovo após a dissolução da Iugoslávia, mas o mais alarmante é que o número de indivíduos que não são protegidos igualmente por seus Estados aumentou de tal forma que exigiu a presença constante de um órgão como o ACNUR Zolberg, A. R., Suhrke, A. A., Aguayo, S Escape From Violence: Conflict and the Refugee Crisis in the Developing World. New York: Oxford Univ. Press. 6 US Committee on Refugees World Refugee Survey. Washington, DC: US Com. Refugees.

5 Histórico do Problema Com o final da Guerra Fria, os conflitos armados entre Estados foram substituídos por conflitos baseados em questões de identidade construídos em torno de religião, etnia, nacionalidade, raça, clã, idioma ou região. Muitos desses conflitos foram sustentados pelos interesses econômicos de um ou mais partes do conflito 7. De modo que agora os conflitos não são mais entre Estados, mas dentro das fronteiras nacionais. Assim muitas das pessoas que eram direcionadas pela violência e perseguição para fugir de suas casas foram marginalizadas pelas potências que não vim como se seus interesses nacionais vitais estivessem em jogo 8, principalmente entre refugiados de países pobres, pois nos países ricos são propagados sentimentos xenófobos e de hostilidade contra aqueles que procuram asilo. Ao focarmos no Oriente Médio, sempre houve um fluxo de refugiados de origem dessa região e isso é um reflexo das constantes mudanças políticas na região, cujos resultados sempre levaram ao êxodo de uma parte da população. Alguns exemplos são o movimento de refugiados resultante do final da União Soviética quando os movimentos de auto-determinação [dos países que foram dissolvidos] resultaram em migrações em massa 9 e a criação do Estado de Israel, que provocou um êxodo de indivíduos que não se identificam como judeus. Contudo, ocorreu uma grande mudança na percepção mundial em relação aos refugiados do Oriente Médio, especialmente aqueles de religião muçulmana, assim os deslocamentos populacionais [com foco nos do Oriente Médio] são mais do que nunca percebidos como uma ameaça às estabilidades econômica, social e do meio ambiente, assim como de segurança política 10. Isso se deu em razão do atentado de 11 de Setembro e da Guerra ao Terror, uma contrainsurgência declarada pelo ex-presidente George W. Bush em resposta aos ataques da Al Qaeda e que acabaram generalizando uma visão preconceituosa para com os indivíduos da região idem UNHCR Strategy Towards 2000 (Geneva, 1997)

6

7 Definição do Problema Para entender o problema algumas perguntas fundamentais são importantes e devem ser devidamente respondidas para total compreensão do tema, sendo algumas destas perguntas: o que esta acontecendo atualmente na Europa, quem são e de onde vêm os refugiados, o que causou esta atual crise, por que esta crise humanitária chegou a ter tamanha dimensão e o que deve ser feito pela Europa. Primeiramente respondendo o que vem acontecendo no continente europeu, é um crescimento acelerado de uma politica, por parte dos países e suas populações, xenofóbica, esta reação veio como consequência do aumento repentino de imigrantes vindo de regiões de conflito, segundo dados no ano de 2014 o numero de imigrantes cresceu 47% comparado com a do ano anterior, este grande fluxo atrapalhou e modificou o ritmo de todos os países que receberam refugiados, causando uma considerável desaceleração do desenvolvimento. Este refugiado vem de uma forma geral do Oriente Médio, mais especificamente de países que se encontram ou em conflito ou próximos a regiões de instabilidade, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas (ACNUR) é aquela pessoa ou grupo de pessoas que: temendo ser perseguida por motivos de raça, religião, nacionalidade, grupo social ou opiniões políticas, se encontra fora do país de sua nacionalidade e que não pode ou, em virtude desse temor, não quer valer-se da proteção desse país, ou que, se não tem nacionalidade e se encontra fora do país no qual tinha sua residência em consequência de tais acontecimentos, não pode ou, devido ao referido temor, não quer voltar a ele (ACNUR, 1951, p. 2). Os principais refugiados vêm respectivamente dos países: Síria, Afeganistão, Iraque, Paquistão, Eritreia, Nigéria e Somália, sendo apenas sírios mais de 4 milhões, o maior número de refugiados. Todas as regiões mencionadas são conhecidas pela instabilidade politica e pela crescente onda de violência, e sua população não tem medo de tomar rotas perigosas para ter uma vida melhor, fazendo a travessia a pé ou em pequenos botes de baixa capacidade, mas superlotados.

8 Os motivos para a atual crise são vários, começando com a falta de comprometimento dos países europeus com os refugiados, a falta de vontade em ajuda-los e a falta de eficiência fazem com que mais e mais imigrantes ilegais tentem entrar no continente causando ainda mais problema e mais segregação por parte europeia, podemos ver este comportamento quando no ano de 2015 diversos países decidiram fechar suas portas e não receber mais refugiados. Outro grande problema são os países em crise como a Grécia, por exemplo, recebendo a maior quantidade de refugiados, o país que já tinha dificuldade de se cuidar agora precisar cuidar dos outros, o que vem mostrando resultados ruins e ineficientes. Agora provavelmente a pergunta mais importante, o por que a crise chegar no nível em que se encontra. A resposta é um pouco parecida com a anterior, mas neste caso a falta de união nos países europeus faz com que os refugiados acabam lutando ainda mais para chegar a algum lugar seguro e com as estruturas necessárias para abrigar tamanha quantidade de pessoas. Como se não fosse o bastante os lideres destes estados culpa os imigrantes pelos problemas na região, sendo que não necessariamente é culpa deles. E o que deve ser feito pela Europa é uma reestruturação política e social, devido a recentes problemas o continente tem se tornado mais conservador e excluído várias minorias de seus planos, e a população concorda, afinal capacidade em absorver tamanho fluxo de pessoas não é um real problema, tendo em vista que a Europa passa por uma crise populacional e que a quantidade de refugiados que entra no continente não superou no ano de ,06% da população total do continente. Como não é segredo a guerra civil síria, vem chocando o mundo, o conflito que já dura a 5 anos, se torna cada vez mais mortal e afeta cada vez mais pessoas na região, e o excesso de violência em todos os lados do conflito fazem com que quem mais se prejudique seja a população local, outro importante fator dentro do conflito é a pressão internacional, que apoiam todos os lados do conflito, de um lado temos os EUA e a Europa querendo o fim do conflito e a queda do atual presidente, do outro temos a Rússia fazendo pressão para que os outros países não se envolvam no conflito, causando ainda mais instabilidade.

9

10 Panoramas Américas Nas Américas a questão da crise de refugiados sírios aparece como um dos pontos principais nas políticas dos ofícios de relações exteriores. No caso dos Estados Unidos, o Secretário de Estado, John Kerry, declarou, na página oficial do Departamento de Estado, apoiar a reinserção dos refugiados na sociedade do país que os acolhe, de modo a garantir condições de vida dignas para que possam se reerguer. Em números, essa ajuda elucidada pelo secretário se aproxima dos U$5,1 bilhões desde que a crise se iniciou, em No país, a agência responsável pelo acolhimento dos refugiados e pela disponibilização de recurso financeiro para os programas humanitários é a United States Agency for International Aid (USAID). De acordo com a agência, aproximadamente 3 milhões de refugiados sírios foram admitidos no país 11. Em relação à América Latina, o país que mais recebe refugiados sírios é o Brasil, abrigando 1600 refugiados sírios. A agência que cuida da legalização desses refugiados no país é o Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), uma parceria do governo federal com o AC- NUR para cuidar dos mais de 7 mil refugiados de mais de 80 países que vivem no Brasil. Quanto aos refugiados sírios, a principal crítica feita ao governo brasileiro é em relação à falta de planejamento no modo de lidar com a acolhida desses no país 12. União Europeia Como principal destino escolhido pelos refugiados sírios, a União Europeia coloca a questão como prioridade de discussão. Na principal porta de entrada, a Grécia, apenas nos meses de janeiro e fevereiro de 2016, mais de 100 mil refugiados atravessaram as fronteiras gregas. O país que ainda luta com uma crise financeira e já teve sua posição na União Europeia questionada pelas outras lideranças, agora busca auxílio de seus vizinhos para que possa, tanto logística quan

11 to financeiramente, lidar com a entrada e a acolhida dos refugiados 13. Servindo apenas de passagem para países mais ao norte como a Alemanha e a Áustria, a Grécia também pede para que a Macedônia e a Turquia controlem suas fronteiras e ofereçam melhores condições de acolhimento para diminuir o fluxo de refugiados tentando atravessar as fronteiras gregas 14. Na crise de refugiados sírios, a Alemanha possui um papel muito importante de player nas discussões, já que é o principal destino escolhido para o refúgio. Ciente desse papel, o país tem sido pioneiro em estabelecer políticas de recebimento e distribuição de refugiados entre os países da União Europeia. A chanceler Angela Merkel, propôs um acordo de distribuição por cotas entre os países que assinaram o Tratado de Schengen 15, com o objetivo de desafogar as fronteiras do sul da Itália que estavam recebendo uma grande quantidade de imigrantes vindos por mar 16. No começo do mês de fevereiro de 2016, Alemanha e Turquia assinaram um acordo de gerenciamento de refugiados que previa o controle das fronteiras tanto pela Turquia quanto pela Alemanha de modo a conter as tensões fronteiriças nos países próximos, como a Grécia, além de oficializar um pedido de auxílio para que as tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) possam oferecer recursos nesse gerenciamento acordado html 15 Assinado no ano de 1985 em Luxemburgo, o Tratado de Schengen pressupões a liberdade de circulação de pessoas entre os países que decidiram abrir suas fronteiras. Outra cláusula do tratado é a livre circulação de informação entre os órgãos policiais, tendo as fichas criminais e pedidos de prisão circulados imediatamente entre os países que assinaram e ratificaram o documento html

12 Fonte: Comissão Europeia/BBC Como parte dos esforços de se tornar membro da União Europeia, a Turquia vem também se mostrando como pioneira na resolução da crise de refugiados. Abrigando a população Curda, principais atores no combate às forças do Estado Islâmico na Síria, a Turquia se apresenta como país de trânsito para os refugiados, ou seja, serve apenas como passagem para chegar a destinos como a Alemanha. Por esse motivo, a assinatura do tratado com a Alemanha foi essencial para amenizar o fluxo de refugiados na Turquia. Com um total de 2,5 bilhões de refugiados, a Turquia protagoniza um dos maiores investimentos da União Europeia na crise, aproximadamente U$3,64 bilhões. Esse capital é destinado à melhoria dos centros de acolhimento, a uma maior proteção das fronteiras e ao desenvolvimento de infraestrutura para lidar com a criminalização do

13 tráfico de pessoas entre as fronteiras, principalmente na cidade fronteiriça de Kilis 18. Quanto ao uso das forças da OTAN, a presença da Turquia torna a ocorrência desse fato mais difícil devido às tensões com a Rússia no combate ao Estado Islâmico 19. Síria Tendo os problemas políticos ocasionados pela ascensão de um grupo extremista, o Estado Islâmico, gerado o grande fluxo de emigrantes refugiados, a Síria se encontra no centro do problema. De acordo com a Comissão Europeia para Ajuda Humanitária e Proteção Civil, este foi o maior fluxo identificado desde a Segunda Guerra Mundial. A Comissão estima que 13,5 milhões de civis sírios necessitem ajuda humanitária dentro do país. Os ataques a civis tornam a chegada de suprimentos e de ajuda humanitária logisticamente difícil no norte do país. No último inverno, em meados de dezembro de 2015, aproximadamente 5 milhões de civis encontravam-se em áreas de difícil acesso. As condições sanitárias estão precárias, elevando a possibilidade de doenças contagiosas entre os civis. Por esses motivos, a população que tem a possibilidade ou que é ludibriada por traficantes, emigra para outros países 20. O gráfico a seguir mostra os principais países que estão provendo ajuda humanitária à Síria, estando no topo a União Europeia com um total de U$3,19 bilhões 21 : html

14 Fonte: Eurostat Considerações Os senhores devem levar as seguintes perguntas retóricas para elaboração das suas estratégias de discussão: Qual papel os refugiados estão assumindo nos países-anfitriões? Qual a carga que isso gera para o Estado? Em que medida já existem legislações no assunto? Qual papel que os países fora da rota dos refugiados pode ter nessa discussão? O que a ONU já faz para ajudar?

15 Documento de Posição Oficial Respondam as seguintes perguntas no seu Documento de Posição Oficial: 1. O país já adotou alguma política para refugiados? 2. O país já recebeu refugiados? 3. O país está na rota de refugiados do Oriente Médio? 4. O país sofre com xenofobia? 5. O país tem medidas para prevenção da xenofobia e discriminação? 6. O que o país já se propôs a fazer sobre a atual crise refugiados?

16 Bibliografia

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 21 A 27 DE ABRIL SEMANA 21 A 27 DE ABRIL. Material: Raquel Basilone

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 21 A 27 DE ABRIL SEMANA 21 A 27 DE ABRIL. Material: Raquel Basilone Europa decide agir após tragédias no mar Redução de tropas da ONU no Haiti pré-eleições preocupa brasileiros ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Material: Raquel Basilone Dilma sanciona Orçamento com R$

Leia mais

Considerações sobre a proteção de pessoas que fogem da Líbia recomendações do ACNUR (29 de março de 2011) Atualização n 1

Considerações sobre a proteção de pessoas que fogem da Líbia recomendações do ACNUR (29 de março de 2011) Atualização n 1 Considerações sobre a proteção de pessoas que fogem da Líbia recomendações do ACNUR (29 de março de 2011) 1 Introdução Atualização n 1 Milhares de pessoas estão deixando a Líbia devido ao aumento dos conflitos

Leia mais

Refugiados na Europa: a crise em mapas e gráficos

Refugiados na Europa: a crise em mapas e gráficos Refugiados na Europa: a crise em mapas e gráficos 6 setembro 2015 Image caption Alemanha continua a ser destino mais popular para refugiados Fotos: AP/Reuters/EPA As solicitações de asilo para a Europa

Leia mais

Kelly Neres da Silva 1

Kelly Neres da Silva 1 A DEFINIÇÃO DO DIREITO INTERNACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS E O PAPEL DO DIREITO HUMANITÁRIO INTERNACIONAL PERANTE O DIREITO DE ASILO E A PROTEÇÃO AO REFUGIADO Kelly Neres da Silva 1 RESUMO: A proposta deste

Leia mais

A estrutura das migrações tem mudado muito desde o final do século XX. Vejamos algumas dessas mudanças.

A estrutura das migrações tem mudado muito desde o final do século XX. Vejamos algumas dessas mudanças. POPULAÇÃO Migrações A estrutura das migrações tem mudado muito desde o final do século XX. Vejamos algumas dessas mudanças. A população estrangeira em países mais desenvolvidos aumentou em 23 milhões na

Leia mais

Especial: Os desafios legais para acolher e proteger os migrantes afetados pelas mudanças climáticas

Especial: Os desafios legais para acolher e proteger os migrantes afetados pelas mudanças climáticas 16/07/2014 Especial: Os desafios legais para acolher e proteger os migrantes afetados pelas mudanças climáticas Crianças na vila de Tebikenikora, localizada em um dos principais atóis de Kiribati. Será

Leia mais

As dinâmicas demográficas

As dinâmicas demográficas As dinâmicas demográficas ALAN HINDLE/CORBIS/ LATINSTOCK Crescimento vegetativo O crescimento vegetativo é a diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade de uma população. Esses números

Leia mais

Sessão de Encerramento do Seminário Diplomático

Sessão de Encerramento do Seminário Diplomático Sessão de Encerramento do Seminário Diplomático Intervenção da Secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Margarida Marques (texto de base) Lisboa, 6 de janeiro de 2016 1. Por uma postura nacional mais

Leia mais

8.0 A situação actual dos refugiados no Mundo

8.0 A situação actual dos refugiados no Mundo 8.0 A situação actual dos refugiados no Mundo O Relatório Anual divulgado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), "Tendências Globais", que se refere à situação em 31 de Dezembro

Leia mais

Estados Unidos apóiam ataque em território somali

Estados Unidos apóiam ataque em território somali Estados Unidos apóiam ataque em território somali Resenha Segurança Lígia Franco Prados Mello 06 de março de 2007 Estados Unidos apóiam ataque em território somali Resenha Segurança Lígia Franco Prados

Leia mais

As Novas Migrações Internacionais

As Novas Migrações Internacionais As Novas Migrações Internacionais As novas migrações ganharam novas direções, as realizações partem de países subdesenvolvidos para países desenvolvidos, e o novo modelo de migração internacional surge

Leia mais

Sumário executivo. ActionAid Brasil Rua Morais e Vale, 111 5º andar 20021-260 Rio de Janeiro - RJ Brasil

Sumário executivo. ActionAid Brasil Rua Morais e Vale, 111 5º andar 20021-260 Rio de Janeiro - RJ Brasil Sumário executivo Mais de um bilhão de pessoas sofre com as consequências da inanição é mais que a população dos Estados Unidos, Canadá e União Européia juntas. Em julho desse ano, a reunião de cúpula

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO PERÍODO JANEIRO-MAIO DE 2007. ESTUDO DE CASO DE SÃO PAULO

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO PERÍODO JANEIRO-MAIO DE 2007. ESTUDO DE CASO DE SÃO PAULO RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO PERÍODO JANEIRO-MAIO DE 2007. ESTUDO DE CASO DE SÃO PAULO Renato Cymbalista Iara Rolnik Xavier Julho 2007 1. Avanços e retrocessos no projeto Urbal-10 da Prefeitura

Leia mais

Kosovo declara independência da Sérvia

Kosovo declara independência da Sérvia Kosovo declara independência da Sérvia Resenha Segurança Ana Caroline Medeiros Maia 24 de fevereiro de 2008 Kosovo declara independência da Sérvia Resenha Segurança Ana Caroline Medeiros Maia 24 de fevereiro

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Imigração: problema ou solução?

Imigração: problema ou solução? Imigração: problema ou solução? Análise Segurança / Integração Regional Letícia Carvalho de Mesquita Ferreira 29 de abril de 2004 1 Imigração: problema ou solução? Análise Segurança / Integração Regional

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FÉLIX ARAÚJO Disciplina: GEOGRAFIA Professor: TIBÉRIO MENDONÇA Série: Turma: Turno: Aluno(a): Nº

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FÉLIX ARAÚJO Disciplina: GEOGRAFIA Professor: TIBÉRIO MENDONÇA Série: Turma: Turno: Aluno(a): Nº ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FÉLIX ARAÚJO Disciplina: GEOGRAFIA Professor: TIBÉRIO MENDONÇA Série: Turma: Turno: Aluno(a): Nº OS REFUGIADOS A prática de conceder asilo em terras estrangeiras

Leia mais

Estado Islâmico e o Ataque ao Charlie Hebdo. Prof. Osvaldo

Estado Islâmico e o Ataque ao Charlie Hebdo. Prof. Osvaldo Estado Islâmico e o Ataque ao Charlie Hebdo Prof. Osvaldo O Estado Islâmico tem sua origem na Al Qaeda do Iraque que atuava contra tropas norte-americanas no país Em março de 2003, sem apoio da comunidade

Leia mais

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 2 TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI* *Artigo 5º da Constituição Brasileira

Leia mais

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam.

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam. Conjuntura Econômica Brasileira Palestrante: José Márcio Camargo Professor e Doutor em Economia Presidente de Mesa: José Antonio Teixeira presidente da FENEP Tentarei dividir minha palestra em duas partes:

Leia mais

UNIDADE LETIVA 2 ANEXO 1

UNIDADE LETIVA 2 ANEXO 1 UNIDADE LETIVA 2 ANEXO 1 HISTÓRIAS COM GENTE DENTRO REFUGIADOS À procura da paz Testemunho de Ibraim (nome fictício) O meu nome é Ibraim, sou natural de um país africano, tenho 25 anos, e estou alojado

Leia mais

Seminário debate medidas para migrantes e refugiados

Seminário debate medidas para migrantes e refugiados Seminário debate medidas para migrantes e refugiados Buscando construir orientações e diretrizes nas ações de acolhida a migrantes e refugiados, a Cáritas Brasileira realizou nos dias 19 e 20 de outubro

Leia mais

Define mecanismos para a implementação do Estatuto dos Refugiados de 1951, e determina outras providências.

Define mecanismos para a implementação do Estatuto dos Refugiados de 1951, e determina outras providências. LEI Nº 9.474, DE 22 DE JULHO DE 1997. Define mecanismos para a implementação do Estatuto dos Refugiados de 1951, e determina outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

Exercícios Migrações Internacionais

Exercícios Migrações Internacionais Exercícios Migrações Internacionais Material de apoio do Extensivo 1. Nas últimas décadas do século XX, o número de migrantes internacionais aumentou de forma significativa [ ] por causa das disparidades

Leia mais

INSTRUÇÃO: Responder à questão 18 com base no mapa que representa a localização de cidades hipotéticas e nas afirmações a seguir. D E OCEANO PACÍFICO

INSTRUÇÃO: Responder à questão 18 com base no mapa que representa a localização de cidades hipotéticas e nas afirmações a seguir. D E OCEANO PACÍFICO GEOGRAFIA 17) A interpretação do termo um só país, dois sistemas, característico da China, refere-se à 16) Quanto à incidência do Sol sobre a Terra, é correto afirmar que A) no Ártico, no solstício de

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Aula 9 PROCESSOS MIGRATÓRIOS

Aula 9 PROCESSOS MIGRATÓRIOS PROCESSOS MIGRATÓRIOS Aula 9 METAS Inserir o aluno em um dos temas centrais da análise da Geografia da População: a questão migratória; analisar as causas, motivações e conseqüências do deslocamento populacional

Leia mais

Refugiados em Israel: organizações denunciam descaso com crianças africanas no país

Refugiados em Israel: organizações denunciam descaso com crianças africanas no país Refugiados em Israel: organizações denunciam descaso com crianças africanas no país por Por Dentro da África - sábado, junho 20, 2015 http://www.pordentrodaafrica.com/noticias/refugiados-em-israel-organizacoes-denunciam-descaso-comcriancas-africanas-no-pais

Leia mais

Thais Lara Marcozo Severo Set. 2012

Thais Lara Marcozo Severo Set. 2012 Thais Lara Marcozo Severo Set. 2012 MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS MIGRAÇÃO IMIGRANTES EMIGRANTES VOLUNTÁRIOS FORÇADOS CONFLITOS ARMADOS MOTIVAÇÃO ECONÔMICA PERSEGUIÇÃO CATÁSTROFES AMBIENTAIS REFUGIADO MOLDES

Leia mais

Em resumo: Geopolítica é o estudo das relações entre os Estados na disputa pelo controle do poder e a capacidade de exercê-lo sobre os demais países.

Em resumo: Geopolítica é o estudo das relações entre os Estados na disputa pelo controle do poder e a capacidade de exercê-lo sobre os demais países. 21/10/2014 Em resumo: Geopolítica é o estudo das relações entre os Estados na disputa pelo controle do poder e a capacidade de exercê-lo sobre os demais países. O NASCIMENTO DA DISCIPLINA: Ratzel, no contexto

Leia mais

DICAinformativa. Quem pode considerar-se REFUGIADO?

DICAinformativa. Quem pode considerar-se REFUGIADO? DICAinformativa Quem pode considerar-se REFUGIADO? De acordo com a Convenção de Genebra (1951) e com a lei portuguesa, um refugiado é uma pessoa que é testemunhalmente ou comprovadamente perseguida em

Leia mais

Conferência. Os Estados Unidos e a Ordem Internacional. 30 Setembro a 01 Outubro 2004. Auditório da FLAD, Lisboa

Conferência. Os Estados Unidos e a Ordem Internacional. 30 Setembro a 01 Outubro 2004. Auditório da FLAD, Lisboa Conferência Os Estados Unidos e a Ordem Internacional 30 Setembro a 01 Outubro 2004 Auditório da FLAD, Lisboa Os Limites da Esperança: Kerry e a Política Externa dos Estados Unidos João Marques de Almeida

Leia mais

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 52 A EXPANSÃO DO BLOCO EUROPEU

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 52 A EXPANSÃO DO BLOCO EUROPEU GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 52 A EXPANSÃO DO BLOCO EUROPEU Como pode cair no enem Sarkozy e Berlusconi encaminharam pedido à UE, solicitando a revisão do: a) Tratado de Maastricht, o qual concede anistia

Leia mais

"Brasil é um tipo de país menos centrado nos EUA"

Brasil é um tipo de país menos centrado nos EUA "Brasil é um tipo de país menos centrado nos EUA" Neill Lochery, pesquisador britânico, no seu livro Brasil: os Frutos da Guerra mostrou os resultados da sua investigação histórica de um dos períodos mais

Leia mais

Seminário internacional Herança, identidade, educação e cultura: gestão dos sítios e lugares de memória ligados ao tráfico negreiro e à escravidão.

Seminário internacional Herança, identidade, educação e cultura: gestão dos sítios e lugares de memória ligados ao tráfico negreiro e à escravidão. Seminário internacional Herança, identidade, educação e cultura: gestão dos sítios e lugares de memória ligados ao tráfico negreiro e à escravidão. Nome da Palestra: Patrimônio Mundial: modalidades para

Leia mais

CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS

CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS Um assunto que volta e meia ocupa as manchetes de jornais do mundo inteiro há décadas é a questão sobre o conflito entre israelenses e palestinos

Leia mais

Europeus querem contribuição maior de países emergentes

Europeus querem contribuição maior de países emergentes Europeus querem contribuição maior de países emergentes Por Daniela Chiaretti De São Paulo A fala recorrente do espanhol Miguel Arias Cañete, 65, abre a caixa de Pandora das negociações climáticas. O principal

Leia mais

1. Eu tenho problema em ter minhas necessidades satisfeitas. 1 2 3 4 5 6

1. Eu tenho problema em ter minhas necessidades satisfeitas. 1 2 3 4 5 6 FIAT Q Questionário de Relacionamento Interpessoal Glenn M. Callaghan Department of Psychology; One Washington Square, San Jose University, San Jose CA 95192-0120 Phone 08) 924-5610 e fax (408) 924 5605.

Leia mais

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERNACIONAIS 1. RAZÕES DAS MIGRAÇÕES FATORES ATRATIVOS X FATORES REPULSIVOS - CONDIÇÕES DE VIDA - OFERTAS DE EMPREGO - SEGURANÇA -

Leia mais

MENSAGEM N.º 164, DE 2015 (Do Poder Executivo)

MENSAGEM N.º 164, DE 2015 (Do Poder Executivo) CÂMARA DOS DEPUTADOS MENSAGEM N.º 164, DE 2015 (Do Poder Executivo) Aviso nº 209/2015 - C. Civil Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos

Leia mais

número 3 maio de 2005 A Valorização do Real e as Negociações Coletivas

número 3 maio de 2005 A Valorização do Real e as Negociações Coletivas número 3 maio de 2005 A Valorização do Real e as Negociações Coletivas A valorização do real e as negociações coletivas As negociações coletivas em empresas ou setores fortemente vinculados ao mercado

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EXTERNO DIRETO (IED) NO BRASIL: 1995-2013 1 RESUMO

A EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EXTERNO DIRETO (IED) NO BRASIL: 1995-2013 1 RESUMO 1 A EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EXTERNO DIRETO (IED) NO BRASIL: 1995-2013 1 Cleidi Dinara Gregori 2 RESUMO Este artigo tem como objetivo analisar a evolução do investimento externo direto, também conhecido

Leia mais

POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU

POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU Introdução Portugal está começando a emergir da crise financeira. Nos últimos anos, o governo reestabeleceu suas estruturas organizacionais e,

Leia mais

ONUDI. Simulações Anglo

ONUDI. Simulações Anglo ONUDI Simulações Anglo Guia de estudos Carta do Secretariado aos Delegados Saudações, ilustríssimos delegados. Organizada pelo corpo discente do colégio, a SiAn é um evento que tem por objetivo a simulação

Leia mais

EGIPTO. DA PRIMAVERA ÁRABE PARA A PRIMAVERA ISLÂMICA

EGIPTO. DA PRIMAVERA ÁRABE PARA A PRIMAVERA ISLÂMICA 2012/08/26 EGIPTO. DA PRIMAVERA ÁRABE PARA A PRIMAVERA ISLÂMICA O processo de transição egípcio para uma democracia, tal como preparado pelo Conselho Supremo das Forças Armadas (CSFA), nunca seguiu o trajeto

Leia mais

PANORAMA SOCIAL. Relatório Final para Certificação Internacional. Rosana Soares Aranega Nigriello. Brasil

PANORAMA SOCIAL. Relatório Final para Certificação Internacional. Rosana Soares Aranega Nigriello. Brasil PANORAMA SOCIAL Relatório Final para Certificação Internacional Rosana Soares Aranega Nigriello Brasil 2009 Relatório Final Panorama Familiar 2 Coach: Rosana Soares Aranega Nigriello Cliente: JC; 45 anos;

Leia mais

www.proflucas.com Prof. Esp. Lucas Cruz

www.proflucas.com Prof. Esp. Lucas Cruz www.proflucas.com Prof. Esp. Lucas Cruz www.proflucas.com www.proflucas.com www.proflucas.com Com base no senso de 2000, na China, 159 cidades podiam gabar-se de população superior a 1 milhão; São o produto

Leia mais

Portadores de Deficiência: pauta de discussão Marta Rovery de Souza Alguns dados são significativos para expressar a magnitude da situação das pessoas com deficiência. Segundo a Organização Mundial de

Leia mais

Mulheres refugiadas e requerentes de asilo na UE

Mulheres refugiadas e requerentes de asilo na UE Mulheres refugiadas e requerentes de asilo na UE Ana Sofia Fernandes, Secretária Geral da PpDM, Membro do Conselho de Administração do Lobby Europeu das Mulheres Lisboa, 04.03.2016 Bom dia, Caras e caros

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

Geografia. Exercícios de Revisão I

Geografia. Exercícios de Revisão I Nome: n o : E nsino: Médio S érie: T urma: Data: Profa: 1 a Geografia Exercícios de Revisão I 1 Analisando o mapa a seguir, correlacione a incidência de malária e da doença do sono com as condições naturais

Leia mais

Disciplina: Geografia 9º ano Turma: Professora: Renata Sampaio Ficha: 02 Bimestre: 3º

Disciplina: Geografia 9º ano Turma: Professora: Renata Sampaio Ficha: 02 Bimestre: 3º Disciplina: Geografia 9º ano Turma: Professora: Renata Sampaio Ficha: 02 Bimestre: 3º Apresentação: Esta ficha atende a dois objetivos principais: 1. Oferecer os conteúdos básicos a respeito dos objetivos

Leia mais

GEOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS.

GEOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. 2 a Etapa GEOGRAFIA SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Leia atentamente o CARTAZ sobre ELIMINAÇÃO AUTOMÁTICA, afixado na parede da sala, à sua frente, e as instruções que se

Leia mais

RESE HA I FORMATIVA. A Recepção dos Refugiados Colombianos nos Países Fronteiriços com Exceção do Brasil

RESE HA I FORMATIVA. A Recepção dos Refugiados Colombianos nos Países Fronteiriços com Exceção do Brasil RESE HA I FORMATIVA A Recepção dos Refugiados Colombianos nos Países Fronteiriços com Exceção do Brasil Professor-orientador: Marcos Aurélio B. dos Reis Aluno: Ismael Voigt Leandro SUMÁRIO: Resumo. 1.

Leia mais

BLOCO DE ATIVIDADES / EXERCÍCIOS PROPOSTOS

BLOCO DE ATIVIDADES / EXERCÍCIOS PROPOSTOS Rede de Educação Missionárias Servas do Espírito Santo Colégio Nossa Senhora da Piedade Av. Amaro Cavalcanti, 2591 Encantado Rio de Janeiro / RJ CEP: 20735042 Tel: 2594-5043 Fax: 2269-3409 E-mail: cnsp@terra.com.br

Leia mais

O destino dos migrantes na Europa 18 de Agosto

O destino dos migrantes na Europa 18 de Agosto O destino dos migrantes na Europa 18 de Agosto Análise, Crise dos migrantes Perceba como o dinheiro, a cor da pele e a religião determinam a sorte dos migrantes na Europa. Os requerentes de asilo na Europa

Leia mais

CONVENÇAO EUROPEIA SOBRE O EXERCÍCIO DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS

CONVENÇAO EUROPEIA SOBRE O EXERCÍCIO DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS CONVENÇAO EUROPEIA SOBRE O EXERCÍCIO DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS Preâmbulo Os Estados-membros do Conselho da Europa, bem como os outros Estados signatários da presente Convenção, Considerando que o objetivo

Leia mais

uma agenda universal para o desenvolvimento sustentável

uma agenda universal para o desenvolvimento sustentável uma agenda universal para o desenvolvimento sustentável Raphael Azeredo Vinícius Fox Drummond Cançado Trindade Só nos sustentamos em pé porque estamos ligados uns aos outros. A inspiradora frase de Candido

Leia mais

A Tríplice Fronteira e a Guerra ao Terror

A Tríplice Fronteira e a Guerra ao Terror AMARAL, Arthur Bernardes do. A Tríplice Fronteira e a Guerra ao Terror. Rio de Janeiro: Apicuri, 2010. 312 p. A Tríplice Fronteira e a Guerra ao Terror The Triple Frontier and the Terror War Carlos Alexandre

Leia mais

A comida entrou na roda financeira

A comida entrou na roda financeira A comida entrou na roda financeira Brasil de Fato - seg, 2011-05-02 15:06 admin Para Walter Belik, especulação e irresponsabilidade dos governos neoliberais levou a crise que ainda deve durar vários anos

Leia mais

Uma Primavera dos Povos Árabes?

Uma Primavera dos Povos Árabes? Uma Primavera dos Povos Árabes? Documento de Trabalho Oriente Médio e Magreb Danny Zahreddine 18 de Junho de 2011 Uma Primavera dos Povos Árabes? Documento de Trabalho Oriente Médio e Magreb Danny Zahreddine

Leia mais

DataSenado. Secretaria de Transparência DataSenado. Março de 2013

DataSenado. Secretaria de Transparência DataSenado. Março de 2013 Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher DataSenado Março de 2013 Mulheres conhecem a Lei Maria da Penha, mas 700 mil ainda sofrem agressões no Brasil Passados quase 7 desde sua sanção, a Lei 11.340

Leia mais

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS PROJETO DE LEI N o 844, DE 2011 Dá nova redação aos art. 33, 34 e 35 da Lei nº 9.474, de 1997, que Define mecanismos para a implementação do Estatuto dos Refugiados

Leia mais

Questões Específicas. Geografia Professor: Cláudio Hansen 03/12/2014. #VaiTerEspecífica

Questões Específicas. Geografia Professor: Cláudio Hansen 03/12/2014. #VaiTerEspecífica Questões Específicas 1. Considerando os Blocos Econômicos, a União Europeia (27 países em 2011) permanece como relevante importador de mercadorias brasileiras. Considerando os países individualmente, a

Leia mais

O BRASIL NO MUNDO PÓS-CRISE #

O BRASIL NO MUNDO PÓS-CRISE # O BRASIL NO MUNDO PÓS-CRISE # José Augusto Guilhon Albuquerque * O título desta apresentação deveria ser: missão impossível. Falar sobre o Brasil no mundo pós-crise em 12 minutos implicaria falar sobre

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO E POLÍTICA INTERNACIONAL. Professora Luísa Pieniz

GLOBALIZAÇÃO E POLÍTICA INTERNACIONAL. Professora Luísa Pieniz GLOBALIZAÇÃO E POLÍTICA INTERNACIONAL Professora Luísa Pieniz Leornardo Boff Globalização: processo mundial de homogeneização do modo de produção capitalista, de globalização dos mercados e das transações

Leia mais

Promulga o Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao envolvimento de crianças em conflitos armados.

Promulga o Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao envolvimento de crianças em conflitos armados. DECRETO Nº 5.006, DE 8 DE MARÇO DE 2004. Promulga o Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao envolvimento de crianças em conflitos armados. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05 Lula faz um balanço da política externa O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um balanço de sua política externa na cerimônia

Leia mais

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S.

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Nos últimos anos, tem crescido a expectativa em torno de uma possível

Leia mais

Gestão da TI. Os custos escondidos da. Conheça os custos escondidos na gestão amadora da TI e pare de perder dinheiro.

Gestão da TI. Os custos escondidos da. Conheça os custos escondidos na gestão amadora da TI e pare de perder dinheiro. da Gestão da TI Conheça os custos escondidos na gestão amadora da TI e pare de perder dinheiro. Conteúdo Introdução Os custos escondidos - parte 1 Os custos escondidos - parte 2 Os custos escondidos -

Leia mais

Otimizada para Crescimento:

Otimizada para Crescimento: Quinta Pesquisa Anual de Mudança na Cadeia de Suprimentos RESUMO REGIONAL: AMÉRICA LATINA Otimizada para Crescimento: Executivos de alta tecnologia se adaptam para se adequar às demandas mundiais INTRODUÇÃO

Leia mais

o alargamento da união europeia em tempos de novos desafios

o alargamento da união europeia em tempos de novos desafios o alargamento da união europeia em tempos de novos desafios Ana Paula Zacarias O ano de 2014 é muito importante para a União Europeia pelo seu simbolismo, uma vez que nele se celebra o 10º aniversário

Leia mais

Seu pé direito nas melhores Faculdades FUVEST 23/11/2008

Seu pé direito nas melhores Faculdades FUVEST 23/11/2008 Seu pé direito nas melhores Faculdades FUVEST 23/11/2008 FUVEST 06/01/2009 47 GEOGRAFIA 01. O conflito envolvendo Geórgia e Rússia, aprofundado em 2008, foi marcado por ampla repercussão internacional.

Leia mais

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística Área Temática: Emprego e Mercado de Trabalho, Demografia Econômica. 1 - Introdução Este texto

Leia mais

PROTEÇÃO E ASSISTÊNCIA EM SÃO PAULO

PROTEÇÃO E ASSISTÊNCIA EM SÃO PAULO PROTEÇÃO E ASSISTÊNCIA EM SÃO PAULO UNHCR ACNUR QUEM SOMOS ACNUR O ACNUR foi criado para proteger e assistir às vítimas de perseguição, da violência e da intolerância. Desde então, já ajudou mais de 50

Leia mais

Divulgado relatório do Pentágono sobre as capacidades militares da China

Divulgado relatório do Pentágono sobre as capacidades militares da China Divulgado relatório do Pentágono sobre as capacidades militares da China Análise Segurança Cândida Cavanelas Mares 22 de junho de 2006 Divulgado relatório do Pentágono sobre as capacidades militares da

Leia mais

Prevenção ao uso de drogas na escola: o que você pode fazer?

Prevenção ao uso de drogas na escola: o que você pode fazer? Prevenção ao uso de drogas na escola: o que você pode fazer? O educador pode contribuir para prevenir o abuso de drogas entre adolescentes de duas formas básicas: incentivando a reflexão e a adoção de

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIAFEDERALDOSDIRÊITOSDOCIDADÃO. INFORMAÇÃO TÉCNICA PFDC/CAMI.JBSS n 289/2008.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIAFEDERALDOSDIRÊITOSDOCIDADÃO. INFORMAÇÃO TÉCNICA PFDC/CAMI.JBSS n 289/2008. r PFDC PROCURADORIAFEDERALDOSDIRÊITOSDOCIDADÃO INFORMAÇÃO TÉCNICA PFDC/CAMI.JBSS n 289/2008. Tema: Ementa: Direito de Ir e Vir. Migrantes. Atuação da PFDC em relação às migrações internacionais. Seminário

Leia mais

M A N U A L _ D O _ R E F U G I A D O

M A N U A L _ D O _ R E F U G I A D O MANUAL_ DO_ R E F U G I A D O MANUAL_ DO_ R E F U G I A D O _SUMÁRIO _Quem é o (a) solicitante de refúgio?...4 _Dificuldades enfrentadas pelo refugiado ao chegar ao Brasil...5 _Direito dos solicitantes

Leia mais

Encontro ANDHEP Direitos Humanos, Sustentabilidade, Circulação Global e Povos Indígenas. Grupo de Trabalho: Migrações e Direitos Humanos

Encontro ANDHEP Direitos Humanos, Sustentabilidade, Circulação Global e Povos Indígenas. Grupo de Trabalho: Migrações e Direitos Humanos Encontro ANDHEP Direitos Humanos, Sustentabilidade, Circulação Global e Povos Indígenas Grupo de Trabalho: Migrações e Direitos Humanos Luana Carolina Domingues Barbedo Os Refugiados Sírios no Brasil Universidade

Leia mais

Trabalho realizado por: Hélio nº 10 Jorge nº 13 Pedro F nº21 Ricardo P nº24 Miguel F nº27

Trabalho realizado por: Hélio nº 10 Jorge nº 13 Pedro F nº21 Ricardo P nº24 Miguel F nº27 Trabalho realizado por: Hélio nº 10 Jorge nº 13 Pedro F nº21 Ricardo P nº24 Miguel F nº27 Disciplina de: Área de Projecto Nome do Professor: Hélder Baião 1 Este trabalho foi proposto pelo professor de

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO ONG registra aumento no desmatamento Guatemala pede saída de presidente às vésperas de pleito ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Tropeço da China eleva apostas de que EUA adiarão aumento nos juros ONG registra

Leia mais

Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados

Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados POR ENTRETEMPOS, JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO, 04.10.2015 Tião, como é chamado pelos amigos, não toma café. Ainda assim, motivado

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS. UMA ANÁLISE SOBRE OS REFUGIADOS NO BRASIL. Social service and human rights. An analisis of refugees in Brazil

SERVIÇO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS. UMA ANÁLISE SOBRE OS REFUGIADOS NO BRASIL. Social service and human rights. An analisis of refugees in Brazil SERVIÇO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS. UMA ANÁLISE SOBRE OS REFUGIADOS NO BRASIL Social service and human rights. An analisis of refugees in Brazil 1 Cyntia de Albuquerque Sampaio* Palavras-chave: Direitos

Leia mais

AGRÍCOLA NO BRASIL. Prefácio. resultados do biotecnologia: Benefícios econômicos da. Considerações finais... 7 L: 1996/97 2011/12 2021/22...

AGRÍCOLA NO BRASIL. Prefácio. resultados do biotecnologia: Benefícios econômicos da. Considerações finais... 7 L: 1996/97 2011/12 2021/22... O OS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS DA BIOTECNOLOGIA AGRÍCOLA NO BRASIL L: 1996/97 2011/12 O caso do algodão geneticamente modificado O caso do milho geneticamente modificado O caso da soja tolerante a herbicida

Leia mais

Não há colonização chinesa na África, diz especialista sobre a relação entre a China e o continente africano

Não há colonização chinesa na África, diz especialista sobre a relação entre a China e o continente africano Não há colonização chinesa na África, diz especialista sobre a relação entre a China e o continente africano por Por Dentro da África - quinta-feira, abril 18, 2013 http://www.pordentrodaafrica.com/negocios/nao-ha-colonizacao-da-china-na-africa-diz-especialista-sobrea-relacao-entre-a-china-e-o-seu-maior-parceiro-comercial

Leia mais

Tendências Globais 2009. Refugiados, Solicitantes de Refúgio, Repatriados, Pessoas Deslocadas Internamente e Apátridas

Tendências Globais 2009. Refugiados, Solicitantes de Refúgio, Repatriados, Pessoas Deslocadas Internamente e Apátridas Tendências Globais 2009 Refugiados, Solicitantes de Refúgio, Repatriados, Pessoas Deslocadas Internamente e Apátridas Divisão de Gerência e Apoio a Programas 15 de Junho de 2010 2010 Alto Comissariado

Leia mais

Século XXI. Sobre a cultura islâmica após os atentados de 11 de setembro. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito.

Século XXI. Sobre a cultura islâmica após os atentados de 11 de setembro. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Século XXI Oficialmente, o século XXI, inicia-se cronologicamente no final do ano 2000. Historicamente podemos destacar que os eventos que aconteceram um ano após a entrada do novo milênio marcam a chegada

Leia mais

Trabalho Infantil Migrações Exploração de Crianças

Trabalho Infantil Migrações Exploração de Crianças Trabalho Infantil Migrações Exploração de Crianças Seminário 6 de Junho de 2016 Auditório da Fraterna Centro de Comunicação e Solidariedade Social Guimarães CONCLUSÕES I Painel II Painel III Painel Infância

Leia mais

A CIRCULAÇÃO FINANCEIRA NO MUNDO ATUAL

A CIRCULAÇÃO FINANCEIRA NO MUNDO ATUAL A CIRCULAÇÃO FINANCEIRA NO MUNDO ATUAL 1 -- SISTEMA FINANCEIRO E SEUS COMPONENTES BÁSICOS: >> Sistema financeiro = é formado pelo conjunto de mercados e instituições que servem para relacionar poupadores

Leia mais

APOSTILA DE GEOGRAFIA (3º ano ensino médio -EJA) Seremos quase 9 bilhões na metade do século. Professor Sidney Júnior

APOSTILA DE GEOGRAFIA (3º ano ensino médio -EJA) Seremos quase 9 bilhões na metade do século. Professor Sidney Júnior Seremos quase 9 bilhões na metade do século A diferença entre ricos e pobres torna-se assustadora, embora o crescimento da população mundial seja menor do que o previsto População Mundial A população mundial

Leia mais

Estratégia de escuta psicanalítica aos imigrantes e refugiados: uma oficina de português

Estratégia de escuta psicanalítica aos imigrantes e refugiados: uma oficina de português Estratégia de escuta psicanalítica aos imigrantes e refugiados: uma oficina de português Christian Haritçalde Miriam Debieux Rosa Sandra Letícia Berta Cristiane Izumi Bruno Maya Lindilene Shimabukuro O

Leia mais

A unificação monetária européia

A unificação monetária européia A unificação monetária européia Especial Panorama Celeste Cristina Machado Badaró 06 de julho de 2007 A unificação monetária européia Especial Panorama Celeste Cristina Machado Badaró 06 de julho de 2007

Leia mais

ESTRATÉGIAS CORPORATIVAS COMPARADAS CMI-CEIC

ESTRATÉGIAS CORPORATIVAS COMPARADAS CMI-CEIC ESTRATÉGIAS CORPORATIVAS COMPARADAS CMI-CEIC 1 Sumário Executivo 1 - A China em África 1.1 - Comércio China África 2 - A China em Angola 2.1 - Financiamentos 2.2 - Relações Comerciais 3 - Características

Leia mais

As Novas Migrações Internacionais

As Novas Migrações Internacionais As Novas Migrações Internacionais As novas migrações ganharam novas direções, as realizações partem de países subdesenvolvidos para países desenvolvidos, e o novo modelo de migração internacional surge

Leia mais