- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05"

Transcrição

1 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05 Lula faz um balanço da política externa O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um balanço de sua política externa na cerimônia de formatura de novos diplomatas no Itamaraty. Lula defendeu os esforços de integração com os países sul-americanos, especialmente os projetos de integração física financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Destacou a atuação do Brasil na manutenção da paz no Haiti, o aprofundamento do relacionamento com os países da África, com os países árabes e a criação do G-20. Ressaltou ainda Lula a importância da cooperação Sul-Sul e negou que o Brasil tenha pretensões hegemônicas na América do Sul. Com relação às medidas de salvaguardas contra importações de produtos chineses, anunciadas pelo ministro Luiz Fernando Furlan, Lula disse que o país não hesitará em adotá-las, caso necessárias. (O Estado de S. Paulo Economia 02/09/05; O Estado de S. Paulo Nacional 02/09/05). Mercosul e UE relançam negociações O Mercosul e a União Européia voltaram a se encontrar para relançar as negociações da criação de uma área de livre comércio. Segundo o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Celso Amorim, as áreas de investimento e de compras governamentais já estão com as discussões bastante avançadas. Os três temas que devem ser discutidos primeiramente são agricultura, serviços e bens industriais. Em relação ao comércio de produtos agrícolas, os blocos ainda precisam desenvolver as negociações, sobretudo em assuntos referentes à harmonização de regras fitossanitárias e à indicação geográfica dos produtos. No setor de serviços, discutirão as possibilidades de se ampliar as ofertas feitas à UE. No que diz respeito a bens, o Mercosul conseguiu fazer com que os europeus considerassem a possibilidade de que a redução das tarifas de produtos industriais seja feita de forma mais flexível e gradual, considerando o nível de desenvolvimento econômico de seus quatro sócios. (Folha de S. Paulo Dinheiro 03/09/05; O Estado de S. Paulo 03/09/05; O Globo Economia 03/09/05). Brasil quer exportar etanol aos EUA O Brasil deverá obter avanços nas negociações para a venda de etanol ao mercado norte-americano após a devastação provocada pelo Katrina. O furacão, que atingiu o sul dos Estados Unidos, afetou a produção de petróleo no país. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, afirmou que já está em negociação a venda do combustível como produto

2 alternativo à gasolina. A exportação do etanol será debatida na viagem que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará aos Estados Unidos, ainda durante esse mês. (Folha de S. Paulo Economia 04/09/05; O Estado de S. Paulo Economia 03/09/05). Itamaraty pede ajuda para resgatar brasileira O Ministério das Relações Exteriores informou em comunicado, dia 03 de setembro, que pediu ajuda às autoridades norte-americanas para resgatar a brasileira Wanda Campos e seu marido, ilhados num apartamento em Nova Orleans depois da passagem do furacão Katrina. Os diplomatas brasileiros presentes na cidade não têm acesso a eles, pois a área onde se encontram está isolada pelo Exército norte-americano. Ainda segundo o Itamaraty, há 22 brasileiros desaparecidos na região atingida pelo furacão. O chanceler Celso Amorim reforçou para a Secretária do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, a oferta de ajuda do Brasil através de telefonema dia 06 de setembro. (Folha de S. Paulo Mundo 07/09/05; O Estado de S. Paulo Internacional 04/09/05). Rússia resistiu às propostas brasileiras A Rússia decidiu não atender aos pedidos feitos pelo governo brasileiro para a abertura de seu mercado em relação ao comércio de frango, açúcar e aviões. Em carta enviada ao Itamaraty, respondendo a uma série de propostas feitas pelo Brasil em julho, os russos se recusaram em flexibilizar alguns pontos-chave. No caso da carne e do frango, a Rússia quer continuar adotando cotas baseadas no que o Brasil lhes exportou entre 1999 e 2001, e não com base entre 2003 e 2005, como havia sido proposto. Na questão do açúcar, os russos não aceitaram dar um desconto de 25% na tarifa de importação do produto brasileiro. Em relação ao comércio de aviões, Moscou atendeu parcialmente o pedido para a facilitação da entrada de jatos brasileiros em seu território. Nas próximas semanas representantes dos governos de ambos países devem realizar outras reuniões na tentativa de se chegar a um consenso. (O Estado de S. Paulo Economia 06/09/05). México poderá exigir visto especial para turistas brasileiros O México está estudando a adoção de um visto de alta segurança para imigrantes provenientes de Honduras, Equador, África do Sul, Guatemala e Brasil, segundo publicações em seus jornais nacionais. A medida faz parte do acordo entre o governo mexicano e o norte-americano para conter a entrada de imigrantes e terroristas pela fronteira do México. O Itamaraty e o Consulado mexicano no Brasil não receberam qualquer informação oficial sobre o assunto e afirmaram que, por

3 enquanto, vale o acordo sobre Isenção de Vistos e Passaportes Comuns, assinado por Brasil e México em fevereiro de 2004, que prevê a entrada sem visto de turistas brasileiros em território mexicano por 180 dias e vice-versa. (O Estado de S. Paulo Metrópole 06/09/05). Pnud divulgou relatório de Desenvolvimento Humano O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) concluiu estudo anual sobre a qualidade de vida nos países do mundo. O Brasil não alterou sua posição no ranking apresentado pelo relatório, mesmo tendo apresentado uma discreta melhora no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). O estudo aponta a desigualdade como o maior obstáculo a ser superado pelo país o Brasil está entre os 10 países do mundo com maior concentração de renda. O relatório sugere o fim dos subsídios agrícolas e a melhoria das condições de comércio internacional como uma forma de estimular a redução da pobreza no mundo e cita o Brasil como um exemplo de país que vem obtendo vitórias importantes nos fóruns comerciais internacionais. Entretanto, o relatório lembra que o incremento das exportações não significa, necessariamente, aumento da renda e da desigualdade no país e mais uma vez cita o Brasil como exemplo. O relatório deste ano será levado à reunião de chefes de Estado das Nações Unidas que acontecerá ainda este mês. Um dos temas a serem tratados será os avanços rumo às Metas do Milênio. (Folha de S. Paulo Brasil 07/09/05; O Estado de S. Paulo Vida& 07/09/05; O Globo Economia 07/09/05). Presidente da Nigéria visitou o Brasil O presidente da Nigéria, Olusegun Obasanjo, em visita ao Brasil, propôs um encontro de cúpula América do Sul-África-Caribe. O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, apoiou a idéia dizendo que o evento aprofundaria as relações entre os países em desenvolvimento. A reunião ainda não tem data nem local definidos. Lula aproveitou a visita de Obasanjo para retomar o apelo a países africanos e ao G-4 (Brasil, Alemanha, Índia e Japão) para que seja apresentada uma proposta comum sobre a reforma do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Além disso, Brasil e Nigéria assinaram um acordo comercial que permitirá um acréscimo de cerca de US$ 500 milhões em exportações brasileiras para o país africano. O Brasil pretende exportar aviões, ônibus, material de transporte, produtos agrícolas e frutas tropicais. Os países não chegaram a um entendimento sobre a criação de uma conta petróleo para dar garantias aos exportadores brasileiros, como a estabelecida com Angola. Obasanjo participou das celebrações de 07 de Setembro como convidado especial do governo brasileiro. (O Estado de S. Paulo Nacional 07/09/05; O Estado de S. Paulo Economia 08/09/05; O Globo Economia 08/09/05).

4 Agência Espacial Brasileira negocia com a Rússia ida de brasileiro ao espaço A Agência Espacial Brasileira (AEB) e a agência espacial russa estão concluindo as negociações de um contrato, a ser fechado nos próximos dias, para o envio do tenente-coronel brasileiro Marcos Pontes à Estação Espacial Internacional. Pontes, que desde 1998 se prepara para uma missão especial na agência espacial americana (Nasa), deverá iniciar ainda este mês o treinamento na Rússia. No espaço, o brasileiro trabalhará com experiências brasileiras e realizará tarefas específicas para a Estação Espacial Internacional. Além da viagem, os ministérios da Defesa e das Comunicações também negociam com o governo russo outros acordos nas áreas militar e de tecnologia de satélites. (O Globo Ciência 07/09/05). Presidente brasileiro visitou o Peru O presidente Luiz Inácio Lula da Silva viajou no dia 08 de setembro para Puerto Maldonado, no Peru, para participar do lançamento da pedra fundamental da futura Rodovia Interoceânica, que irá unir o Peru e o Brasil. O presidente afirmou que a rodovia, que terá recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Comissão Andina de Fomento (CAF), permitirá ao Brasil ter acesso aos portos do Oceano Pacífico. (Folha de S. Paulo Brasil 08/09/05; O Globo O País 08/09/05). Presidente não discursará na ONU O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não fará o tradicional discurso que cabe ao Brasil na abertura do debate geral da Assembléia Geral das Nações Unidas, no próximo dia 17, em Nova York. Em seu lugar, discursará o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim. A Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) de 2005 pretende debater durante todo o evento uma série de reformas importantes, dentre elas a ampliação do número de membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, mudança de maior interesse brasileiro. Lula irá a Nova York para a Assembléia da ONU entre os dias 14 e 15 de setembro e participará de reuniões relativas às áreas de desenvolvimento e de busca de financiamentos para o combate à pobreza. (Folha de S. Paulo Brasil 08/09/05). Ministério da Fazenda quer reduzir tarifas de importação O Ministério da Fazenda decidiu diminuir as tarifas de diversos produtos industriais importados, dentre eles, os referentes ao setor automobilístico. O Ministério argumenta que essa medida poderá elevar o potencial de crescimento da

5 economia brasileira, mas encontra resistência do setor privado. Caso a medida seja adotada como posição oficial do Brasil, será necessário convencer os outros três integrantes do Mercosul, em virtude da redução da Tarifa Externa Comum (TEC) adotada no bloco. A posição do Ministério da Fazenda representa uma mudança radical em relação ao que Brasil vinha defendendo na OMC ao lado da Índia e da Argentina. (Folha de S. Paulo Dinheiro 08/09/05). Seção econômica do Itamaraty tem novo chefe O chanceler Celso Amorim indicou Roberto Azevedo, chefe da Coordenação Geral de Contenciosos do Itamaraty, para a chefia do Departamento Econômico do Ministério das Relações Exteriores, órgão que supervisiona temas econômicos ligados às negociações comerciais. (Folha de S. Paulo Dinheiro 08/09/05; O Globo Economia 08/09/05).

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 70 23/09/05 a 29/09/05

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 70 23/09/05 a 29/09/05 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 70 23/09/05 a 29/09/05 Brasil poderá retaliar comercialmente os Estados Unidos O Brasil solicitará à Organização Mundial do Comércio (OMC) o direito de

Leia mais

América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural. Capítulo 38

América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural. Capítulo 38 América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural Capítulo 38 Expansão marítima européia; Mercantilismo (capitalismo comercial); Tratado de Tordesilhas (limites coloniais entre Portugal e Espanha):

Leia mais

- Informe de Política Externa Brasileira Nº 228 18/09/09 a 24/09/09

- Informe de Política Externa Brasileira Nº 228 18/09/09 a 24/09/09 - Informe de Política Externa Brasileira Nº 228 18/09/09 a 24/09/09 Apresentação: O Observatório de Política Externa Brasileira é um projeto de informação semanal da Graduação em Relações Internacionais,

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 2º Ano Blocos Econômicos. Prof. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 2º Ano Blocos Econômicos. Prof. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 2º Ano Blocos Econômicos Prof. Claudimar Fontinele O mundo sofreu importantes transformações durante o século XX. O pós-segunda Guerra foi

Leia mais

Negociações internacionais para abertura e manutenção de mercados. panorama da situação atual. Rinaldo Junqueira de Barros

Negociações internacionais para abertura e manutenção de mercados. panorama da situação atual. Rinaldo Junqueira de Barros Negociações internacionais para abertura e manutenção de mercados panorama da situação atual Rinaldo Junqueira de Barros Balança comercial do Agronegócio 120 100 100 80 83 60 40 20 17 0 1997 1998 1999

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 84 17/02/06 a 23/02/06

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 84 17/02/06 a 23/02/06 Apresentação: - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 84 17/02/06 a 23/02/06 O Observatório de Política Externa Brasileira é um projeto de informação semanal da Graduação em Relações Internacionais,

Leia mais

CONHECIMENTOS GERAIS, ATUALIDADES E CARTOGRAFIA PROFESSOR: MEDSON LOZAN

CONHECIMENTOS GERAIS, ATUALIDADES E CARTOGRAFIA PROFESSOR: MEDSON LOZAN 1-2- 3-4- 5-6- 7-8- 9-10- 11-12- 13-14- 15-16- 17-18- 19-20- 21-22- 23-24- 25-26- PAÍS CAPITAL PARTE-I AMÉRICA LATINA 1-TREINANDO O CONHECIMENTO CARTOGRÁFICO DA REGIÃO 1-ARGENTINA EM FOCO EXERCÍCIOS SOBRE

Leia mais

O papel do internacionalista frente ao comércio exterior brasileiro

O papel do internacionalista frente ao comércio exterior brasileiro O papel do internacionalista frente ao comércio exterior brasileiro Camila Nogueira 1 Camila Texeira Introdução Com o fim da guerra fria o mundo veio a passar por uma série de mudanças no sistema internacional,

Leia mais

Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais

Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais Temas da Apresentação 1. Exportação de Serviços de Engenharia e Integração Regional

Leia mais

Aumento do consumo mundial de alimentos é destaque nas Nações Unidas

Aumento do consumo mundial de alimentos é destaque nas Nações Unidas Edição 04 - Outubro de 2014 Aumento do consumo mundial de alimentos é destaque nas Nações Unidas Mais de 100 milhões de pessoas deixaram de passar fome na última década. É o que revela o relatório O estado

Leia mais

Brasil: Planos de estímulo à infraestrutura e às exportações

Brasil: Planos de estímulo à infraestrutura e às exportações Brasil: Planos de estímulo à infraestrutura e às exportações Depois de permanecer estancada durante 2014, a economia brasileira se contraiu durante o primeiro semestre de 2015 e se espera que termine o

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 92 14/04/06-20/04/06

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 92 14/04/06-20/04/06 Apresentação: OBSERVATÓRIO DE POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 92 14/04/06-20/04/06 O Observatório de Política Externa Brasileira é um projeto de informação

Leia mais

Novas perspectivas para o Comércio entre Brasil e China. Resenha Economia e Segurança

Novas perspectivas para o Comércio entre Brasil e China. Resenha Economia e Segurança Novas perspectivas para o Comércio entre Brasil e China Resenha Economia e Segurança Daniel Mendes 21 de outubro de 2004 Novas perspectivas para o Comércio entre Brasil e China Resenha Economia e Comércio

Leia mais

DECLARAÇÃO CONJUNTA SOBRE OS RESULTADOS DAS CONVERSAÇÕES OFICIAIS ENTRE O PRESIDENTE DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA, E O PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DA RÚSSIA, VLADIMIR V. PUTIN

Leia mais

Informe das atividades da Presidência Pro Tempore do Brasil PPTB 2015. Brasília- DF 16 de julho de 2015

Informe das atividades da Presidência Pro Tempore do Brasil PPTB 2015. Brasília- DF 16 de julho de 2015 Informe das atividades da Presidência Pro Tempore do Brasil PPTB 2015 Brasília- DF 16 de julho de 2015 Assuntos desenvolvidos na PPTB Agenda pós-2015 e Habitat III; Colóquios Sul-americanos de Cidades

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Março/2015

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Março/2015 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Março/2015 I Resultados do mês (comparativo Mar/2015 Mar/2014)

Leia mais

Acordo com Mercosul não é prioridade para novo presidente da Comissão Europeia

Acordo com Mercosul não é prioridade para novo presidente da Comissão Europeia Acordo com Mercosul não é prioridade para novo presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker, do Partido Popular Europeu (EPP), foi eleito presidente da Comissão Europeia no dia 15 de julho. A aprovação

Leia mais

Uma política econômica de combate às desigualdades sociais

Uma política econômica de combate às desigualdades sociais Uma política econômica de combate às desigualdades sociais Os oito anos do Plano Real mudaram o Brasil. Os desafios do País continuam imensos, mas estamos em condições muito melhores para enfrentálos.

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 54 03/06/05 a 09/06/05

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 54 03/06/05 a 09/06/05 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 54 03/06/05 a 09/06/05 China pode vetar reforma do Conselho de Segurança O governo brasileiro não considerou um problema diplomático a ameaça chinesa

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Relatório com as principais notícias divulgadas pela mídia

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

O Governo da República do Chile (doravante denominados "as Partes"),

O Governo da República do Chile (doravante denominados as Partes), MEMORANDUM DE ENTENDIMENTO PARA A PROMOÇÃO DO COMÉRCIO E DOS INVESTIMENTOS ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DO CHILE O Governo da República Federativa do Brasil

Leia mais

Mercosul: Antecedentes e desenvolvimentos recentes

Mercosul: Antecedentes e desenvolvimentos recentes Mercosul: Antecedentes e desenvolvimentos recentes O Mercosul, processo de integração que reúne Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, surgiu com a assinatura, em 26 de março de 1991, do "Tratado de Assunção

Leia mais

OMC reabre a Rodada de Doha. Análise Economia & Comércio

OMC reabre a Rodada de Doha. Análise Economia & Comércio OMC reabre a Rodada de Doha Análise Economia & Comércio Celeste Cristina Machado Badaró 30 de março de 2007 OMC reabre a Rodada de Doha Análise Economia & Comércio Celeste Cristina Machado Badaró 30 de

Leia mais

CONFERENCIA E LANÇAMENTO DO CCGI COMO WTO CHAIR

CONFERENCIA E LANÇAMENTO DO CCGI COMO WTO CHAIR CONFERENCIA E LANÇAMENTO DO CCGI COMO WTO CHAIR OS RUMOS DA POLÍTICA DE COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL Data: Quinta 11/09/2014 Local: Auditório da FGV Av. 9 de Julho 2029 Das 9h00 as 17h00 O superávit do

Leia mais

Europeus querem contribuição maior de países emergentes

Europeus querem contribuição maior de países emergentes Europeus querem contribuição maior de países emergentes Por Daniela Chiaretti De São Paulo A fala recorrente do espanhol Miguel Arias Cañete, 65, abre a caixa de Pandora das negociações climáticas. O principal

Leia mais

Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago

Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago Segunda Cúpula das Américas Santiago, Chile, 18 e 19 de abril de 1998 Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago O seguinte documento é o texto completo da Declaração de Santiago assinada pelos

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 I - Resultados do mês Em junho de 2012 as exportações

Leia mais

Relações Brasil-África:

Relações Brasil-África: 53 Relações Brasil-África: cooperação técnica e comércio Lia Valls Pereira Em 2008, o governo brasileiro lançou a Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP). No capítulo sobre Destaques Estratégicos temas

Leia mais

O Brasil no século XXI. Desafios Estratégicos para o Brasil em 2022

O Brasil no século XXI. Desafios Estratégicos para o Brasil em 2022 O Brasil no século XXI Desafios Estratégicos para o Brasil em 2022 Construir o Brasil do século XXI Reduzir as Vulnerabilidades Externas; Enfrentar as desigualdades; Realizar as potencialidades; Construir

Leia mais

5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia

5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia 5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia Resenha Desenvolvimento / Integração Franceline Hellen Fukuda 17 de maio de 2008 5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia Resenha Desenvolvimento

Leia mais

Diretoria de Planejamento

Diretoria de Planejamento Diretoria de Planejamento Superintendência de Planejamento Nota Técnica 01/2003 - Janeiro de 2003 ALCA ou NAFTA? Ameaças e Oportunidades Celso A. M. Pudwell 1 1. Introdução: Blocos Regionais A Área de

Leia mais

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO Os Presidentes dos Estados Partes do MERCOSUL e dos Estados Associados, reunidos na

Leia mais

DECRETO Nº 1.211, DE 3 DE AGOSTO DE 1994.

DECRETO Nº 1.211, DE 3 DE AGOSTO DE 1994. DECRETO Nº 1.211, DE 3 DE AGOSTO DE 1994. Promulga o Tratado Geral de Cooperação e Amizade e o Acordo Econômico Integrante do Tratado Geral de Cooperação e Amizade, entre a República Federativa do Brasil

Leia mais

&RPpUFLR,QWHUQDFLRQDO±&RQIOLWRV

&RPpUFLR,QWHUQDFLRQDO±&RQIOLWRV &RPpUFLR,QWHUQDFLRQDO±&RQIOLWRV 3RU 'HQLV &RUWL] GD 6LOYD $QGHUVRQ 1RYDHV 9LHLUD 5RGROIR )DUDK 9DOHQWH )LOKR 'DQLHO5XGUD)HUQDQGHV,QWURGXomR A criação da OMC (Organização Mundial do Comércio) foi um grandioso

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO PERÍODO JANEIRO-MAIO DE 2007. ESTUDO DE CASO DE SÃO PAULO

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO PERÍODO JANEIRO-MAIO DE 2007. ESTUDO DE CASO DE SÃO PAULO RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO PERÍODO JANEIRO-MAIO DE 2007. ESTUDO DE CASO DE SÃO PAULO Renato Cymbalista Iara Rolnik Xavier Julho 2007 1. Avanços e retrocessos no projeto Urbal-10 da Prefeitura

Leia mais

9 a Conferência-Geral e 20 a Celebração de Aniversário da Academia de Ciências do Terceiro Mundo - TWAS

9 a Conferência-Geral e 20 a Celebração de Aniversário da Academia de Ciências do Terceiro Mundo - TWAS 9 a Conferência-Geral e 20 a Celebração de Aniversário da Academia de Ciências do Terceiro Mundo - TWAS Sessão Ministerial, Pequim, 17 de outubro de 2003 Pronunciamento do Ministro da Ciência e Tecnologia

Leia mais

Destaques da IV Reunião da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN)

Destaques da IV Reunião da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN) INFORMATIVO Nº.32. JUNHO DE 2015 Destaques da IV Reunião da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN) A Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação

Leia mais

Questões Específicas. Geografia Professor: Cláudio Hansen 03/12/2014. #VaiTerEspecífica

Questões Específicas. Geografia Professor: Cláudio Hansen 03/12/2014. #VaiTerEspecífica Questões Específicas 1. Considerando os Blocos Econômicos, a União Europeia (27 países em 2011) permanece como relevante importador de mercadorias brasileiras. Considerando os países individualmente, a

Leia mais

Problemas Ambientais e Globalização

Problemas Ambientais e Globalização Problemas Ambientais e Globalização 1. (UFES 2014) O mapa acima ilustra as ameaças ambientais no Brasil decorrentes da ocupação do solo. a) Cite duas finalidades para o desflorestamento na região do "Arco

Leia mais

O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos

O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos Seminário AMCHAM 29 de Agosto de 2013 1 1. Os acordos de comércio 2 Crise não freou celebração de acordos de comércio Soma de Acordos Preferenciais

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 8º 2º TRI. Assinale a única alternativa que não indica uma característica do sistema capitalista.

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 8º 2º TRI. Assinale a única alternativa que não indica uma característica do sistema capitalista. EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 8º 2º TRI Questão 1 Assinale a única alternativa que não indica uma característica do sistema capitalista. a) Os preços das mercadorias variam de acordo com a procura por

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

As relações Rússia e China na primeira década do século XXI 1

As relações Rússia e China na primeira década do século XXI 1 Universidade do Vale do Itajaí Curso de Relações Internacionais LARI Laboratório de Análise de Relações Internacionais Região de Monitoramento: Rússia LARI Fact Sheet Agosto/Setembro de 2010 As relações

Leia mais

Proposta N o 87 Dezembro/Fevereiro de 2000/2001

Proposta N o 87 Dezembro/Fevereiro de 2000/2001 A Alca e a Renúncia ao Desenvolvimento Fátima V. Mello 1 1 Assessora da Área de Relações Internacionais da FASE e mestre em Relações Internacionais (IRI-PUC/RJ). Alguns argumentos contidos neste artigo

Leia mais

João Bosco Senra. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - Brasil Secretaria de Recursos HídricosH

João Bosco Senra. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - Brasil Secretaria de Recursos HídricosH Fevereiro de 2007 Proposta de Estratégia Comum entre os Países da América Latina e Caribe para o Gerenciamento da Água João Bosco Senra MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - Brasil Secretaria de Recursos HídricosH

Leia mais

DIPLOMACIA E CHANCELARIA CONCURSOS DA. 2 a EDIÇÃO COMENTADAS. 1 a FASE 1.200 QUESTÕES NOS. Renan Flumian Coordenador da obra

DIPLOMACIA E CHANCELARIA CONCURSOS DA. 2 a EDIÇÃO COMENTADAS. 1 a FASE 1.200 QUESTÕES NOS. Renan Flumian Coordenador da obra 2 a EDIÇÃO Renan Flumian Coordenador da obra NOS CONCURSOS DA DIPLOMACIA E CHANCELARIA 1 a FASE 1.200 QUESTÕES COMENTADAS Wander Garcia coordenador da coleção SUMÁRIO SUMÁRIO COMO USAR O LIVRO? 15 01.

Leia mais

Análise de Conjuntura

Análise de Conjuntura Câmara dos Deputados Consultoria Legislativa Análise de Conjuntura Boletim periódico da Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados Os textos são da exclusiva responsabilidade de seus autores. O boletim

Leia mais

Nota Técnica. Transferência de Recursos - América Latina e Caribe. Nº 92 Outubro de 2004

Nota Técnica. Transferência de Recursos - América Latina e Caribe. Nº 92 Outubro de 2004 Nota Técnica Nº 92 Transferência de Recursos - América Latina e Caribe 25 anos de história política por um Brasil radicalmente democrático Transferência de Recursos América Latina e Caribe influenciado

Leia mais

PROJECTO DE RELATÓRIO

PROJECTO DE RELATÓRIO ASSEMBLEIA PARLAMENTAR PARITÁRIA ACP-UE Comissão do Desenvolvimento Económico, das Finanças e do Comércio ACP-EU/101.516/B/13 18.08.2013 PROJECTO DE RELATÓRIO sobre a cooperação Sul-Sul e a cooperação

Leia mais

Workshop Cooperação Internacional e rede de cidades

Workshop Cooperação Internacional e rede de cidades Workshop Cooperação Internacional e rede de cidades Vicente Trevas, Vice-Presidente da RIAD e Subchefe de Assuntos Federativos da Presidência da República do Brasil. Inicialmente, gostaria de colocar algumas

Leia mais

BPC Policy Brief. Monitor: O caminho para Nova Déli? A reforma do FMI, a sucessão no Banco Mundial e o banco do BRICS

BPC Policy Brief. Monitor: O caminho para Nova Déli? A reforma do FMI, a sucessão no Banco Mundial e o banco do BRICS Junho, 2012 BPC Policy Brief - V. 2 N. 46 BPC Policy Brief Monitor: O caminho para Nova Déli? A reforma do FMI, a sucessão no Banco Mundial e o banco do BRICS Diego Santos Vieira de Jesus Sobre o BRICS

Leia mais

Aumentar a fonte Diminuir a fonte

Aumentar a fonte Diminuir a fonte 1 de 6 31/01/2014 23:46 Aumentar a fonte Diminuir a fonte SOMOS CINCO - Líderes dos países integrantes dos Brics em reunião na China, em 2011, que marcou a entrada da África do Sul Crédito: Roberto Stuckert

Leia mais

e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012

e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012 Notícias do Comércio Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

14/12/2005 DECLARAÇÃO CONJUNTA DOS PRESIDENTES DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E DA REPÚBLICA DA COLÔMBIA

14/12/2005 DECLARAÇÃO CONJUNTA DOS PRESIDENTES DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E DA REPÚBLICA DA COLÔMBIA 14/12/2005 DECLARAÇÃO CONJUNTA DOS PRESIDENTES DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E DA REPÚBLICA DA COLÔMBIA (Colômbia, 14 de dezembro de 2005) Atendendo ao convite formulado pelo Senhor Presidente da República

Leia mais

Subsídios para produtos agrícolas na União Européia

Subsídios para produtos agrícolas na União Européia Artigo apresentado no I ENCONTRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS ENET promovido pelo Instituto de Direito Tributário de Londrina de 30/08 a 02/09/06 (Selecionado pela Comissão Organizadora). Subsídios para produtos

Leia mais

China: novos rumos, mais oportunidades

China: novos rumos, mais oportunidades China: novos rumos, mais oportunidades Brasil pode investir em diversas áreas, como tecnologia, exploração espacial e infraestrutura 10 KPMG Business Magazine A China continua a ter na Europa o principal

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS Data: 26.06.2015 Veículo: PORTOS E NAVIOS Caderno: Pág.: BLOCO 2 DE ARRENDAMENTOS PODE SER PLANO B PARA O GOVERNO, DIZ MINISTRO DOS PORTOS O governo pode antecipar a realização do bloco 2 de licitações

Leia mais

Geografia 03 Tabata Sato

Geografia 03 Tabata Sato Geografia 03 Tabata Sato IDH Varia de 0 a 1, quanto mais se aproxima de 1 maior o IDH de um país. Blocos Econômicos Economia Globalizada Processo de Regionalização Tendência à formação de blocos econômicos

Leia mais

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM Nº 142, DE 2005

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM Nº 142, DE 2005 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM Nº 142, DE 2005 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo

Leia mais

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai, a República Oriental do Uruguai, a República Bolivariana

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais BLOCOS ECONÔMICOS O Comércio multilateral e os blocos regionais A formação de Blocos Econômicos se tornou essencial para o fortalecimento e expansão econômica no mundo globalizado. Quais os principais

Leia mais

Celso Amorim: 'Precisamos nos preparar para evitar uma guerra cibernética'

Celso Amorim: 'Precisamos nos preparar para evitar uma guerra cibernética' Celso Amorim: 'Precisamos nos preparar para evitar uma guerra cibernética' Ex-ministro de Relações Exteriores e atual titular da Defesa explica por que a América do Sul necessita de uma visão comum sobre

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano 3 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. 25 de janeiro de 1835, ao amanhecer o dia na cidade de Salvador, 600 negros entre libertos e escravos levantaram-se decididos

Leia mais

Declaração de Salvador

Declaração de Salvador Declaração de Salvador Os Chefes de Estado da República Federativa do Brasil, da República de Cabo Verde, da República da Guiné, da República Oriental do Uruguai, o Vice-Presidente da República da Colômbia,

Leia mais

Declaração da Cidade de Quebec

Declaração da Cidade de Quebec Declaração da Cidade de Quebec Nós, os Chefes de Estado e de Governo das Américas, eleitos democraticamente, nos reunimos na Cidade de Quebec, na III Cúpula, para renovar nosso compromisso em favor da

Leia mais

A RONDA DO MILÉNIO DA OMC situação actual das negociações agrícolas Arlindo Cunha ISA, 2005.04.08

A RONDA DO MILÉNIO DA OMC situação actual das negociações agrícolas Arlindo Cunha ISA, 2005.04.08 A RONDA DO MILÉNIO DA OMC situação actual das negociações agrícolas Arlindo Cunha A RONDA DO MILÉNIO DA OMC situação actual das negociações agrícolas 1. CONTEXTO GERAL 2. O ACORDO AGRÍCOLA DA RONDA DO

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO. O tema da redução da jornada de trabalho é, ainda hoje, uma questão envolta em polêmicas.

GLOBALIZAÇÃO. O tema da redução da jornada de trabalho é, ainda hoje, uma questão envolta em polêmicas. LISTA: 01 1ª série Ensino Médio Professor(a): B - Negão Turma: A ( ) / B ( ) Aluno(a): Segmento temático: GLOBALIZAÇÃO DIA: MÊS: 01 2016 QUESTÃO 01 03 (PUC-RIO-2012-1) O tema da redução da jornada de trabalho

Leia mais

Mesmo com um papa argentino, os brasileiros acreditam. Gosto pela diplomacia. humanidades relações exteriores y

Mesmo com um papa argentino, os brasileiros acreditam. Gosto pela diplomacia. humanidades relações exteriores y humanidades relações exteriores y Gosto pela diplomacia Cresce o interesse de brasileiros pelos rumos da política externa Carlos Haag Mesmo com um papa argentino, os brasileiros acreditam que o país está

Leia mais

ALHC. Trajetórias. O reconhecimento espanhol das repúblicas latino-americanas: o fim da «falta de comunicação» entre as partes.

ALHC. Trajetórias. O reconhecimento espanhol das repúblicas latino-americanas: o fim da «falta de comunicação» entre as partes. O reconhecimento espanhol das repúblicas latino-americanas: o fim da «falta de comunicação» entre as partes Carlos Malamud O reconhecimento, por parte da antiga potência colonial, das novas repúblicas

Leia mais

Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro da Economia,

Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro da Economia, ANGOLA NO CONTEXTO DA INTEGRAÇAO ECONÓMICA REGIONAL 29 de Setembro, 2015 Intervenção do Doutor Paolo Balladelli, Representante Residente do PNUD em Angola Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro

Leia mais

A comida entrou na roda financeira

A comida entrou na roda financeira A comida entrou na roda financeira Brasil de Fato - seg, 2011-05-02 15:06 admin Para Walter Belik, especulação e irresponsabilidade dos governos neoliberais levou a crise que ainda deve durar vários anos

Leia mais

Financiamento de Longo Prazo no Brasil e o BNDES: Perspectiva Histórica. Anne Hanley Renato Leite Marcondes Julio Manoel Pires

Financiamento de Longo Prazo no Brasil e o BNDES: Perspectiva Histórica. Anne Hanley Renato Leite Marcondes Julio Manoel Pires Financiamento de Longo Prazo no Brasil e o BNDES: Perspectiva Histórica Anne Hanley Renato Leite Marcondes Julio Manoel Pires 1 -Banco de desenvolvimento no contexto internacional Origens no século XIX

Leia mais

Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidade:

Leia mais

Roteiro de Estudos. 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série

Roteiro de Estudos. 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série Roteiro de Estudos 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série Professor: Eduardo O que devo saber: Globalização, comércio mundial e blocos econômicos. O Comércio Global. O protecionismo. O comércio

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013 AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS ENESUL -2013 FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013 Metodologia de Trabalho Identificação de Mercados Aptidão e Competitividade da Produção Competitividade

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Agosto/2015

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Agosto/2015 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Agosto/2015 I Resultados do mês (comparativo Agosto/2015 Agosto/2014)

Leia mais

Buscando cooperação no mundo pós-crise: DECLARAÇÃO CONJUNTA

Buscando cooperação no mundo pós-crise: DECLARAÇÃO CONJUNTA 3 º Encontro Empresarial Brasil-UE Buscando cooperação no mundo pós-crise: DECLARAÇÃO CONJUNTA Estocolmo, 6 de outubro de 2009 A Confederação de Empresas Suecas (SN), O BUSINESSEUROPE e a Confederação

Leia mais

Estes são os conteúdos e sugestões de atividades para os estudos de recuperação semestral.

Estes são os conteúdos e sugestões de atividades para os estudos de recuperação semestral. Nome: Nº: Ano: 8º ano Ensino Fundamental Disciplina: Geografia Data: / / Prof: Flávio Alexander Ribeiro Nota: Roteiro de Recuperação 2ª etapa Caro aluno, Estes são os conteúdos e sugestões de atividades

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

EXPORTAR. A saída é. Através da CHAMA EMPREENDEDORA, Rede das Associações Comerciais será aliada do Plano Nacional de Exportações

EXPORTAR. A saída é. Através da CHAMA EMPREENDEDORA, Rede das Associações Comerciais será aliada do Plano Nacional de Exportações Comércio Exterior A saída é EXPORTAR Através da CHAMA EMPREENDEDORA, Rede das Associações Comerciais será aliada do Plano Nacional de Exportações Enquanto as reformas não acontecem, é preciso fazer o que

Leia mais

As Mudanças na Política Externa do Governo Dilma e a Multipolaridade Benigna

As Mudanças na Política Externa do Governo Dilma e a Multipolaridade Benigna BRICS Monitor As Mudanças na Política Externa do Governo Dilma e a Multipolaridade Benigna Maio de 2011 Núcleo de Análises de Economia e Política dos Países BRICS BRICS Policy Center / Centro de Estudos

Leia mais

REVISTA CONTEÚDO COMÉRCIO INTERNACIONAL: UM ESTUDO DAS PRINCIPAIS DIFICULDADES ENCONTRADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO COMÉRCIO EXTERIOR 1

REVISTA CONTEÚDO COMÉRCIO INTERNACIONAL: UM ESTUDO DAS PRINCIPAIS DIFICULDADES ENCONTRADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO COMÉRCIO EXTERIOR 1 COMÉRCIO INTERNACIONAL: UM ESTUDO DAS PRINCIPAIS DIFICULDADES ENCONTRADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO COMÉRCIO EXTERIOR 1 Leibi Roque 2 RESUMO O presente artigo tem como propósito identificar os principais

Leia mais

BRIC A EMERGÊNCIA OU INSURGÊNCIA DA PERIFERIA?

BRIC A EMERGÊNCIA OU INSURGÊNCIA DA PERIFERIA? BRIC A EMERGÊNCIA OU INSURGÊNCIA DA PERIFERIA? Ontem, Brasília foi realmente o foco das atenções mundiais. No Brasil, um pouco menos. Não foi o Brasil que inventou isso, mas a gente registrou o fenômeno

Leia mais

RELATÓRIO Nº, DE 2015

RELATÓRIO Nº, DE 2015 1 RELATÓRIO Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL, sobre a Mensagem Nº 18, de 2015, da Senhora Presidenta da República (Mensagem nº108, de 2015, na origem), que submete à apreciação

Leia mais

Capitulo 5: O Comércio Internacional

Capitulo 5: O Comércio Internacional Capitulo 5: O Comércio Internacional O comércio nacional é regido por leis e diretrizes que regulamentam as negociações de bens e serviços entre duas ou mais pessoas, sejam físicas ou jurídicas. Dessa

Leia mais

Policy Brief. Os BRICS e a Segurança Internacional

Policy Brief. Os BRICS e a Segurança Internacional Policy Brief Outubro de 2011 Núcleo de Política Internacional e Agenda Multilateral BRICS Policy Center / Centro de Estudos e Pesquisa BRICS Policy Brief Outubro de 2011 Núcleo de Política Internacional

Leia mais

Inclusão da moeda chinesa no SDR não deverá alterar sua trajetória no curto prazo

Inclusão da moeda chinesa no SDR não deverá alterar sua trajetória no curto prazo INFORMATIVO n.º 44 DEZEMBRO de 2015 Inclusão da moeda chinesa no SDR não deverá alterar sua trajetória no curto prazo Fabiana D Atri* Dentro do esperado, o Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

Sentinela nos portos

Sentinela nos portos Quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012 / Isto é Dinheiro / Economia / Edição n. 750 Sentinela nos portos Sem instrumentos para mexer no câmbio, o governo intensifica a defesa comercial para proteger o mercado

Leia mais

AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO

AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO AS ORIGENS DO SUBDESENVOLVIMENTO 1. A TEORIA LIBERAL Os Países pobres são pobres porque não atingiram ainda a eficiência produtiva e o equilíbrio econômico necessário à manutenção de um ciclo de prosperidade

Leia mais

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA. Henrique Meirelles

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA. Henrique Meirelles PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA Henrique Meirelles 28 de agosto, 2015 AGENDA CURTO PRAZO (2015/2016): AJUSTES MACROECONÔMICOS PROJEÇÕES LONGO PRAZO: OBSTÁCULOS AO CRESCIMENTO PROPOSTAS DE POLÍTICA

Leia mais

Política com ética. É possível?

Política com ética. É possível? Política com ética. É possível? Adelto Gonçalves UNIP Doutor em Literatura Portuguesa USP E-mail: marilizadelto@uol.com.br Fone: (13)3591-8096 Data de recepção: 05/03/2012 Data de aprovação: 29/05/2012

Leia mais

Zonas de Processamento de Exportação - ZPE

Zonas de Processamento de Exportação - ZPE Zonas de Processamento de Exportação - ZPE Histórico no mundo As Zonas Econômicas de Exportação surgiram em 1959 na Irlanda Anos 60: criação na Ásia e América Latina Anos 70: alcançam 79 em 25 países Anos

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO Asamblea Parlamentaria Euro-Latinoamericana Euro-Latin American Parliamentary Assembly Assemblée Parlementaire Euro-Latino Américaine Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana Parlamentarische Versammlung

Leia mais

Brasil como agente global em negociações energéticas

Brasil como agente global em negociações energéticas Brasil como agente global em negociações energéticas Profa. Amalia del Carmen Casas de las Peñas del Corral IBMEC Negociações Internacionais UERJ - Direito do Petróleo MERCADOS INTERNACIONAIS Preços e

Leia mais

Introdução à Geografia Econômica

Introdução à Geografia Econômica Introdução à Geografia Econômica Aula A NOVA GEOGRAFIA ECONÔMICA META Analisar a abordagem da geografia econômica dentro de uma perspectiva contemporânea, tomando como parâmetro analítico os estudos de

Leia mais

CRONOLOGIA DO MERCOSUL (1960-2007) Coordenação: Nil Castro da Silva. Textos: Leandro Tenório Borges de Carvalho/Gustavo de Montalvão Guedes Abath.

CRONOLOGIA DO MERCOSUL (1960-2007) Coordenação: Nil Castro da Silva. Textos: Leandro Tenório Borges de Carvalho/Gustavo de Montalvão Guedes Abath. Itamaraty: Divisão do Mercado Comum do Sul (DMC). CRONOLOGIA DO MERCOSUL (1960-2007) Coordenação: Nil Castro da Silva. Textos: Leandro Tenório Borges de Carvalho/Gustavo de Montalvão Guedes Abath. 1960

Leia mais

A Economia da América Latina

A Economia da América Latina A Economia da América Latina adsense1 Agricultura A agricultura de subsistência era a principal atividade econômica dos povos originais da América Latina, Essa atividade era complementada pela caça, pela

Leia mais