Sistema de Monitoramento de Atletas de Corrida de Aventura

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema de Monitoramento de Atletas de Corrida de Aventura"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE POSITIVO NÚCLEO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO ANDRÉ LUIZ SELEME MARIANO Sistema de Monitoramento de Atletas de Corrida de Aventura Trabalho de Conclusão de Curso. Prof. Valfredo Pilla Jr. Orientador Curitiba, setembro de 2011.

2 UNIVERSIDADE POSITIVO Reitor: Prof. José Pio Martins Pró-Reitor de Administração: Prof. Arno Antonio Gnoatto Pró-Reitor Acadêmico: Prof.ª Márcia Sebastiani Coordenador do Curso de Engenharia da Computação: Prof. Leandro Henrique de Souza iii

3 iv

4 UNIVERSIDADE POSITIVO NÚCLEO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Sistema de Monitoramento de Atletas de Corrida de Aventura Proposta de Trabalho de Conclusão de Curso apresentada à disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso como requisito parcial a conclusão do Curso de Engenharia da Computação, orientada pelo Prof. Valfredo Pilla Jr. Curitiba, setembro de v

5 vi

6 TERMO DE APROVAÇÃO ANDRÉ LUIZ SELEME MARIANO Sistema de Monitoramento de Atletas de Corrida de Aventura Monografia aprovada como requisito parcial à conclusão do curso de Engenharia da Computação da Universidade Positivo, pela seguinte banca examinadora: Prof. Valfredo Pilla Jr.(Orientador) Prof. José Carlos da Cunha Prof. Mauricio Perretto Curitiba, setembro de 2011 vii

7 viii

8 Sumário Lista de Abreviaturas e Siglas... xi Lista de Figuras... xiii Lista de Equações... xv RESUMO... xvii ABSTRACT... xix 1. Introdução ao Projeto Fundamentação Teórica GPS GSM GPRS Padrões de Arquitetura Padrão MVC Especificação Características do Projeto Requisitos Arquitetura Testes do sistema Projeto Hardware Módulo de Leitura de Batimentos Cardíacos Modulo de Aquisição de Dados GPS e Envio ao Servidor Firmware para controle do Hardware Software Modelo Visão Controle Comunicação Hardware-Software ix

9 4.4 Protocolo de Comunicação Resultados Quanto ao protótipo Frequência Cardíaca Localização Quanto ao Software gerenciador Conclusão Referências x

10 Lista de Abreviaturas e Siglas GPS GPRS PHP MVC DER RIA DoS Global Positioning System General Packet Radio Service PHP: Hypertext Preprocessor Model-view-controller Diagrama Entidade Relacionamento Rich Internet Application Denial of Service xi

11 xii

12 Lista de Figuras 3.1 Representação Gráfica do Sistema Diagrama em blocos do Hardware Diagrama de Colaboração Genérico do Software Esquemático do Hardware Conexão entre o Chip RMCM01 e a Cinta Polar Fluxograma do Firmware Casos de Uso do Software DER Tela de Rotas Tela de Relatório Protótipo finalizado Gráfico de comparação de frequência cardíaca do protótipo com o relógio Polar Gráfico de redundância dos pontos do GPS Comparação entre a rota utilizando GPS (vermelho) e a rota ideal (branco) xiii

13 xiv

14 Lista de Equações 1. Formula utilizada para o calculo dos batimentos cardíacos... 8 xv

15 xvi

16 RESUMO Este trabalho trata-se do projeto do Sistema de Monitoramento de Atletas de Corrida de Aventura, tendo como característica a aquisição dos dados de localização por GPS (Global Positioning System) e frequência cardíaca utilizando a cinta Polar para a sua captação. Estas informações são enviadas em tempo real por rede celular a um servidor remoto podendo ser analisadas a qualquer momento. As corridas de aventura são eventos que acontecem em ambiente natural, onde os atletas devem percorrer rotas em situações climáticas adversas, seguindo apenas as marcações dadas em um mapa que é entregue antes da prova. Muitos técnicos não podem acompanhar a rota e muito menos o rendimento de seus atletas durante a atividade. O único controle possível durante as provas são registros de passagem pelos postos de controle nos quais os atletas têm seu tempo anotado e sua localização identificada. Tendo em vista estes problemas, o sistema auxilia os atletas e os técnicos, uma vez que dispõe de um módulo GPS para aquisição da posição atual e GPRS (General Packet Radio Service) para comunicação com a internet via rede celular. Junto a ele está conectado um receptor de frequência cardíaca que se comunica com uma cinta Polar. A cinta Polar é um equipamento que, colocado em volta do tórax do atleta, detecta e transmite os batimentos cardíacos. Estes parâmetros - posição atual e batimentos cardíacos (média do último minuto) - são enviados a um servidor web pelo método POST, permitindo a visualização dos dados em qualquer lugar. Após o recebimento e validação dos dados, o sistema apresenta as rotas executadas permitindo visualiza-las para uma análise de desempenho e orientação para uma possível melhoria em corridas posteriores, podendo também ser possível comparar rotas e até mesmo o desempenho de atletas. Em complemento a comparação entre rota e entre atletas, o sistema permite o armazenamento dinâmico de um histórico de dados do atleta, onde o usuário cria os atributos que deseja começar a monitorar, podendo visualizá-los em forma de relatório gráfico ou textual. A utilização do sistema tem como principal objetivo um acompanhamento mais preciso e aproximado do atleta a fim do mesmo e seu técnico aprimorarem técnicas de treinamento para uma melhoria em corridas futuras. Palavras-chave: GPS, GPRS, Frequência Cardíaca, Cinta Polar, Corridas de Aventura. xvii

17 xviii

18 ABSTRACT The Adventure Racing Athletes Monitoring System Project is characterized by the acquisition of location data by GPS (Global Positioning System) and heart rate using a chest strap transmitter to capture. This information is sent in real time by cellular network to a remote server. The information sent can be analyzed at any time during or after the sport activity. Adventure races are events that happen in a natural environment where athletes must travel routes in adverse weather conditions, following only the checkpoints given in a map that is delivered before the race. Many coaches can not follow the route neither the performance of their athletes during the activity. The only possible control during the races are records of passage through checkpoints in which athletes have to register time and location. Given these problems, the Adventure Racing Athletes Monitoring System helps athletes and coaches, since it has a GPS module to acquire the current position and GPRS (General Packet Radio Service) to communicate with the Internet via the cellular network. Next to it is connected a heart rate receiver that communicates with a chest strap transmitter. The chest strap transmitter is a device that fitted around the chest of the athlete, detects and transmits the heartbeat. These parameters - current position and heart rate (average for the last minute) - are sent to a web server by POST method, allowing the visualization of data anywhere. Upon receipt and validation, the system show all the routes allowing coach and athlete to work on performance analysis and guidance for a possible improvement in subsequent races, and may also allowing them to compare routes and even athletic performance through data as speed, heart rate and altitude of the athlete in a given moment of time. In addition to the comparison between athletes and route, the system allows the dynamic storage of historical data of the athlete, where the user creates the attributes that want to start monitoring, which can then be viewed one by one, or grouped, in the form of textual or graphical report. The system's main objective is a more accurate and close analysis of races helping athlete and his coach to reach improvement in future races. Key-words: GPS, GPRS, Heart rate, Polar Belt, Adventure Race xix

19 1 1. Introdução ao Projeto As corridas de aventura são eventos que acontecem em ambiente natural, onde muitos técnicos não podem acompanhar o rendimento de seus atletas e o único controle possível nas provas do evento é nos postos de controle pelos quais os atletas são obrigados a passar para marcar seu tempo(siff et al., 2001). Tendo em vista estes problemas, o Sistema de Monitoramento de Atletas de Corrida de Aventura auxilia os atletas e consequentemente os técnicos, uma vez que dispõe de um módulo GPS para aquisição da posição atual e GPRS para comunicação com a internet via celular. Junto a ele está conectado um receptor de frequência cardíaca que se comunica com uma cinta Polar a qual mede os batimentos cardíacos de um atleta. Estes parâmetros - posição atual e batimentos cardíacos - são enviados a um servidor web, permitindo a visualização dos dados em qualquer lugar. O objetivo deste equipamento é disponibilizar aos atletas de corrida de aventura e aos seus técnicos, um maior controle de seu treinamento, podendo assim analisar com precisão quais as maiores falhas e qualidades do atleta para assim poder variar o treino e trabalhar com mais qualidade os pontos fracos e intensificando os pontos fortes.

20 3 2. Fundamentação Teórica Para um maior entendimento do sistema, neste capitulo serão explanados alguns conceitos que abordam o projeto. 2.1 GPS Sistema de Posicionamento Global (Global Positioning System) também conhecido como GPS, é um sistema que informa o tempo e a localização do usuário em qualquer lugar no planeta onde tenha no mínimo quatro satélites desobstruídos, ou que estejam visíveis ao aparelho que está requisitando os dados de localização e tempo. O projeto do GPS foi iniciado em 1960 para fins militares pelo governo dos Estados Unidos em conjunto com o Departamento de Defesa americano, com a NASA e com o Departamento de transportes americanos. O objetivo principal era o desenvolvimento de um sistema de satélites para a determinação de posição tridimensional com as seguintes características: cobertura global, operação em qualquer ambiente, habilidade de trabalhar com plataformas dinâmicas e alta precisão (KAPLAN et al.,2006). O GPS se tornou totalmente operacional em 1995 com vinte e oito satélites, sendo quatro destes sobressalentes. Os satélites estão localizados em seis planos orbitais havendo quatro satélites por plano. Atualmente o GPS dual-use, isto é, disponibiliza serviços separados para militares e para civis. São os chamados PPS (Precise Positioning System) e SPS (Standard Positioning System). O PPS, que apresenta maior precisão e menor tempo de resposta é utilizado a fins militares e a SPS que apresenta menor precisão e maior tempo de resposta é utilizado por civis (KAPLAN et al.,2006). Atualmente o GPS é utilizado de inúmeras formas, sendo as mais comuns o uso em aparelhos de navegação pelas cidades, onde se colocando o destino, com o auxilio do GPS, o aparelho indica ao usuário o caminho mais adequado, na maioria das vezes. Para aquisição dos dados de GPS, é necessária interpretação do NMEA, tipo de protocolo utilizado para comunicação de dispositivos de navegação, entre eles, o GPS. O protocolo disponibiliza informações como latitude, longitude, altitude, hora e antenas conectadas ao aparelho que faz a requisição dos dados (KAPLAN et al.,2006).

21 4 2.2 GSM Global System for Mobile Communications, ou GSM, é o padrão para descrever tecnologias de segunda geração para redes de celular. Desenvolvido pela European Telecommunications Standards Institute ou ETSI, o GSM é o antecessor das tecnologias GPRS e da tecnologia 3G (HALONEN et al.,2003). Seu desenvolvimento foi sugerido graças ao grande número de padrões de telefonia na Europa havendo incompatibilidade de telefonia entre um país e outro sendo necessário em alguns casos um usuário da telefonia celular ter um aparelho para cada país. O desenvolvimento do GSM iniciou em 1982 e teve grande aderência, seja pela padronização da telefonia ou pelo baixo custo dos serviços, uma vez que após 16 anos já possuía mais de 100 milhões de assinantes (HALONEN et al.,2003). A necessidade do desenvolvimento contínuo do GSM já havia sido discutida e programada no inicio do trabalho de especificação e a consequência disso foi a divisão do seu desenvolvimento em duas fases. A fase 1 incluía habilitar os serviços mais comuns o mais rápido possível para o GSM já entrar no mercado. Nesta fase, os serviços habilitados eram telefonia básica, chamadas de emergência, 300 a 9600kbps de transferência de dados, criptografia, autenticação, encaminhamento ou bloqueio de chamadas e SMS (HALONEN et al.,2003). Já na fase 2, as especificações incluíam compatibilidade entre fases e tratamento de erro para habilitar os novos serviços. Entre os novos serviços, foram habilitados, por exemplo: Identificação de chamada, chamada em espera, aviso de carga e recarga e chamadas com mais de um usuário (HALONEN et al.,2003). Com as duas primeiras fases criando uma base solida para a evolução para a terceira geração (3G), foram iniciados os desenvolvimentos dos requisitos e itens, sendo conhecidos como Fase 2+. Dentre as melhorias, foi criado o General Packet Radio System, ou GPRS, que tinha como foco a conectividade com a internet (HALONEN et al.,2003) GPRS A fim de melhorar a transmissão de dados do GSM, foi desenvolvido o GPRS (General Packet Radio Service), tendo como maior objetivo o aumento de dados na

22 5 transmissão. Para isso ele é baseado na transmissão de pacote de dados, utilizando a conexão apenas quando necessário e não a todo instante (SANDERS et al.,2003). Por conta da implementação de transferência orientada a pacote de dados, o custo do GPRS é calculado pelo número de dados trafegados na rede e não pelo tempo de conexão e é neste quesito que ele se sobressai. Uma vez que lida com pacotes de dados ele pode trocar informações diretamente com a internet ou uma intranet de uma empresa. Outra vantagem é poder estar conectado em qualquer lugar a todo instante. (SANDERS, et al.,2003) O único problema inicial encontrado pelo GPRS foram os aparelhos da época que não possuíam extensão para ele, nem suportavam transferência orientada a pacote de dados, sendo a única solução uma troca de aparelho celular por novos celulares que eram compatíveis com essa extensão (SANDERS et al.,2003). Sendo telefonia de segunda geração, o GPRS consegue chegar até a 114kbit/s quando a qualidade do sinal é garantida, podendo variar até 56kbit/s (SANDERS et al.,2003). Como o GPRS é uma extensão do GSM, ele também oferece serviços, dentre eles: Menor custo de SMS. Manipulação de arquivos. Mensagens multimídia Conexão WAP. 2.3 Padrões de Arquitetura Para facilitar o desenvolvimento de software e a padronização dos modelos de desenvolvimento, foram criados os padrões de arquitetura. Os padrões de arquitetura não são regulamentados por nenhum órgão, mas recebem este nome por serem desenvolvidos por muitos especialistas e terem sua eficiência conhecida (MACORATTI et al.,2002). Estes padrões são normalmente utilizados em frameworks para que desenvolvedores com pouca experiência ou tempo consigam começar a desenvolver rapidamente e sem muita dificuldade.

23 6 Também são utilizados para tornar os sistemas mais simples e fáceis de realizar manutenção, como por exemplo, os padrões de arquitetura de camadas onde se separa o software em camadas de aplicação (MACORATTI et al.,2002). Existem três tipos de padrões de camadas: 1. Aplicação monolítica, onde a lógica de aplicação, lógica de negócios, e lógica de acesso ficam na mesma camada, existindo desta forma, apenas uma. É um dos desenvolvimentos menos recomendados uma vez que a alteração em qualquer uma das lógicas pode e vai alterar a outra 2. Aplicação em duas camadas, sendo a lógica de aplicação e a lógica de negócios separadas em uma camada e a lógica de dados separada em outra camada. Este modelo já é mais interessante uma vez que os dados são o mais importante de uma aplicação e desta maneira eles não ficam comprometidos. 3. Aplicação em três camadas, a qual atualmente tem maior utilização, é o modelo mais recomendado uma vez que cada uma das lógicas de aplicação, negócios e dados são separadas em camadas, onde a alteração de uma não vai alterar a outra Padrão MVC Model View Controller, ou MVC, é um padrão de arquitetura, onde a camada de Dados (Model), a camada de apresentação (View) e a camada de regra de negócios (Controller), são separadas, ou seja, a alteração de qualquer uma destas camadas não modifica as outras. Apesar de tomar um maior tempo de desenvolvimento, a utilização do modelo MVC, se bem implementado, pode tornar a aplicação escalável e multiusuário, uma vez que sua manutenção é mais simples, não sendo necessário alterar todas as camadas, e caso haja mais que um cliente, só é necessário alterar a camada de apresentação (MACORATTI et al.,2002).

24 7 3. Especificação Este capítulo tem como objetivo detalhar as características, requisitos, arquitetura, testes e planejamento necessários para desenvolvimento do projeto como um todo. 3.1 Características do Projeto Modulo GPS/GPRS GM862 (TELIT COMUNICATIONS S.p.A,2009): o Precisão do GPS: 2,5m; o Ganho da Antena do GPS: 26dB; o Alimentação: fonte externa, +3.6V; Consumo médio de corrente: 200mA; Taxas de atualização: 1. Posição: 5 segundos; 2. Batimentos cardíacos: 10 segundos; 3. Atualização do servidor: 60 segundos; Linguagens de Programação: 1. Modulo GPS/GPRS: Python e comandos AT; 2. Camada visual do software: Action Script 3.5; 3. Camada de Negócios: PHP; 4. Camada de Modelo: SQL; Servidor (HOSTMONSTER, 2011): 1. Sistema operacional: Linux 2. Versão do Apache: Versão do PHP: Versão do PostgreSQL: Requisitos Fonte de alimentação externa 3.6v; Computador com porta serial; Modulo GPS/GPRS GM862-GPS; Chip de celular com acesso a internet; Cinta Polar;

25 8 Antenas de Captação GPRS e GPS Receptor da cinta polar RMCM01; Ferramenta de Desenvolvimento Eclipse; Plug-in do Software Adobe Flex para o Eclipse; Ferramenta de Desenvolvimento Netbeans; Plug-in do PHP para Netbeans; Banco de Dados PostgreSQL; Servidor Web; 3.3 Arquitetura A representação gráfica do sistema, como apresentado na figura 3.1 recebe os dados de batimento e localização do atleta, enviando ambos os parâmetros para um servidor web, via comunicação celular, permitindo a visualização dos dados em qualquer lugar com conexão com a internet. Figura 3.1 Representação Gráfica do Sistema

26 9 O diagrama de blocos do funcionamento do hardware é bem simples como mostra a figura 3.2. Os batimentos cardíacos são enviados ao leitor RMCM01 pela cinta Polar. Uma vez recebidos, eles são enviados ao modulo GPS/GPRS GM862-GPS. Este módulo de tempos em tempos faz a requisição aos satélites GPS da posição atual do atleta, então pega tanto estes dados como os batimentos cardíacos e envia a um servidor web. Figura 3.2 Diagrama em blocos do Hardware Já para a arquitetura de software é utilizado o padrão MVC onde o mesmo é separado em visão, controle e modelo. Na arquitetura abaixo (Figura 3.3) é apresentado o diagrama de colaboração genérico entre ambos, após a interação de um usuário, sendo a visão o Flex, o controle a classe PHP e o modelo, o Banco de Dados. Figura 3.3 Diagrama de Colaboração Genérico do Software 3.4 Testes do sistema Os testes do sistema são de grande importância para o projeto, uma vez que a partir deles são definidas as corretas aproximações para um desenvolvimento otimizado. Para testes mais eficientes, serão separados em três módulos principais, sendo eles: Hardware, Software e Integração entre Hardware e Software. Hardware o Teste da Cinta Polar e do Receptor RMCM01

27 10 Entrada: Batimentos cardíacos provenientes de um ser humano, transmitidos pela cinta polar; Saída esperada: Vcc quando recebido os batimentos cardíacos e Gnd quando houver ausência do batimento. o Teste do Módulo GPS/GPRS GM862-GPS Teste de Conexão com o servidor Entrada: Comando AT para se conectar ao servidor seguido de requisição GET com passagem de parâmetros de batimento e posição; Saída esperada: Resposta afirmativa do servidor, informando que a conexão foi feita corretamente. Teste de GPS Entrada: Comando AT para aquisição e recebimento dos dados do GPS Saída Esperada: A localização atual nos padrões NMEA. o Teste da Integração entre o Receptor RMCM01 e o Módulo GPS/GPRS GM862-GPS Entrada: Sinal do receptor dos batimentos cardíacos. Saída: Ler o sinal do receptor e enviar os dados dos batimentos cardíacos e a posição atual do GPS para um servidor web. Software o Testes das Classes de Objetos Entrada: Dados a serem tratados pelas classes e suas respectivas funções Saída esperada: Tratamento correto dos dados e resposta em forma de XML.

28 11 o Testes do Banco de Dados Entrada: SQL para consulta, inserção, alteração ou exclusão. Saída esperada: A resposta proveniente do SQL executado. o Teste da Interface do Usuário Os testes da interface de usuário envolvem verificar se o layout da pagina esta de acordo com o perfil do usuário, se o sistema está intuitivo e se a usabilidade dele está comprometida. o Teste de Comunicação entre as camadas Será verificado se a comunicação entre as camadas está se dando de forma correta. Como, por exemplo, os dados do banco de dados, devem ser trazidos por uma requisição feita por uma das classes que foi acionada por uma ação do usuário na tela do software. Integração entre Hardware e Software o Será analisado neste momento, o sistema inteiro, onde as aquisições de dados feitas pelo modulo GM862-GPS tanto dos batimentos, quanto da posição atual do GPS deverão ser enviadas a um servidor web, que por sua vez deverá apresenta-los aos usuários que fizerem requisição destes dados. Será verificado se os dados apresentados são compatíveis com o mundo real.

29 13 4. Projeto Neste capítulo pretende-se detalhar todo o projeto, abrangendo as partes de hardware e software, apresentando características da montagem e do desenvolvimento. 4.1 Hardware Para poder desenvolver o sistema de monitoramento de atletas, é necessário o hardware para a aquisição de dados, tanto de batimentos cardíacos quanto de localização e envio dos dados para o servidor web. Pelo fato do sistema GPS e GPRS estarem integrados no módulo GM862-GPS, a montagem do hardware do sistema é simples, uma vez que o único chip externo é o de leitor de batimentos cardíacos, logo o hardware fica composto pelo receptor de dados da cinta polar e pelo módulo como apresentado na figura 4.1. Figura 4.1 Esquemático do Hardware Para um desenvolvimento mais rápido, foi separado o hardware em três partes: Módulo de Leitura de Batimentos Cardíacos, que consiste na cinta polar e no chip de recepção dos batimentos cardíacos. Módulo de Aquisição de Dados e Envio ao servidor, que consiste no Módulo GPS/GPRS GM862-GPRS. Firmware para Controle do Hardware.

30 Módulo de Leitura de Batimentos Cardíacos partes: Como visto na figura 4.2, o módulo de Batimentos cardíacos é composto por duas A Cinta Polar, que envia os dados do batimento cardíaco; O Chip RMCM01, que faz a leitura dos dados enviados pela cinta Polar via radiofrequência. Figura 4.2 Conexão entre o Chip RMCM01 e a Cinta Polar (Polar Electro Inc, 2008) Modulo de Aquisição de Dados GPS e Envio ao Servidor. Este módulo é composto de: Módulo GPS/GPRS GM862-GPS, que além de receber os dados de GPS, recebe os dados do módulo de leitura de batimentos e envia os dados ao servidor. Cartão SIM para celular, que possibilita o envio de dados via GPRS. Antenas GPS e GPRS, para conseguir captar os dados dos satélites GPS e das antenas GPRS Firmware para controle do Hardware O módulo GPS/GPRS GM862-GPS é programável em Python, contendo até 1,2 Megabytes de memória para funcionamento do script e 1,9 Megabytes de memória interna utilizada para o armazenamento de dados nas áreas onde o sinal GPRS não é captado. O script em Python funciona como um algoritmo normal como demonstra seu fluxograma na figura 4.3.

31 15 Figura 4.3 Fluxograma do Firmware 4.2 Software O software desenvolvido permite ao cliente acesso a inúmeros dados, seja de cadastramento, rotas utilizadas, atributos inerentes a cada atleta, por exemplo, peso, altura, entre outros, assim como relatórios entre comparação de atributos em um determinado período, como apresentado na figura 4.4.

32 16 Figura 4.4 Casos de Uso do Software Para o desenvolvimento software, foi utilizada a arquitetura MVC onde se separa o software em três camadas de desenvolvimento, sendo elas: camada visual ou de Visão, camada de negócios ou Controle e camada de armazenamento de dados ou Modelo (MACORATTI, et al.,2002). Uma das melhores e mais utilizadas arquiteturas em softwares online, uma vez que é possível fazer reparos em qualquer uma das três camadas sem alterar os dados da outra. Tendo isto em vista, a separação utilizada foi: Modelo, que se encaixa o Banco de Dados, no caso, o Banco de Dados PostgreSQL. Visão, que se encaixa a parte visual do sistema utilizada o software Adobe Flex para o desenvolvimento. Controle, que se situa a regra de negócio, ou seja, todo o tratamento correto dos dados para a inserção dos mesmos no banco de dados e seu retorno a Visão, onde foi utilizado o PHP como plataforma padrão Modelo Para o Modelo, ou Banco de Dados, foi selecionado o SGBD PostgreSQL, considerado um dos melhores SGBDs open-source para se trabalhar. O desenvolvimento do modelo para o sistema foi feito da maneira mais dinâmica possível, onde a vinculação de rotas e comparação entre dados de períodos diferentes do atleta podem ser feito facilmente e dinamicamente, como visto no DER na figura 4.5.

33 17 Figura 4.5 DER Visão Para este módulo, foi escolhido o programa Adobe Flex, considerado uma Aplicação Rica para Internet, ou RIA, onde gera aplicações amigáveis para o usuário e extremamente dinâmicas, como visto nas figuras 4.6 e 4.7, quebrando o paradigma que foi gerado no HTML onde é possível gerenciar apenas uma janela por tela. (ADOBE, 2011)

34 18 Figura 4.6 Tela de Rotas. Figura 4.7 Tela de Relatório Controle Foi utilizado como plataforma de regra de negócios, o PHP, tanto por sua facilidade de conexão com o Modelo, quanto a sua integração com a Visão, onde é possível enviar objetos inteiros de um para o outro, sem ter o problema de serialização ou fragmentação de objetos. Outro motivo para utilização do PHP é que seu custo é de graça e praticamente todos os servidores permitem a utilização dele, podendo então ter um servidor com um custo muito baixo, apesar de que o PHP não possui tantas funções e segurança quanto outras linguagens de programação que podem ser utilizadas como Controle, por exemplo: Java Web.

35 Comunicação Hardware-Software Para a Conexão do Hardware com o Software, são utilizadas requisições GET do hardware GM862-GPS para o servidor do Software em questão, acessando diretamente uma classe PHP que valida os dados de localização de batimento, assim como os dados de segurança, para então inserir os dados no banco de dados. 4.4 Protocolo de Comunicação O Protocolo de comunicação utilizado no software é o de cliente-servidor onde vários clientes podem acessar a um servidor simultaneamente fazendo requisições e o servidor processa estas e retorna aos clientes (CAMARGO, 2008). A escolha deste protocolo é pelo fato do sistema poder ser acessado de qualquer lugar e o cliente não necessitar ter o software instalado em seu computador, mas em contrapartida, quando o tráfego de dados no servidor está muito alto ou quando este trava, todos os clientes, sem exceção perdem acesso aos seus dados naquele período de tempo, seja por timeout da conexão, ou por DoS.

36 21 5. Resultados Após várias utilizações do sistema e testes em campo, o equipamento mostrou-se funcional, conseguindo registrar para cada atleta seu tempo de rota, batimento cardíaco, velocidade entre outros atributos. 5.1 Quanto ao protótipo. O Protótipo (Figura 5.1) foi capaz de armazenar dados de batimentos por minuto e localização do atleta sem enviá-los ao servidor por até oito dias. Quando requisitado, enviou todos os dados com os respectivos horários de rota corretos, havendo um erro máximo de três segundos entre o tempo real e o tempo da rota. Figura Protótipo finalizado Frequência Cardíaca A frequência cardíaca, ou batimento cardíaco, é o número de vezes que o coração bate por minuto. Seu cálculo é dado pelo número de vezes que o coração bate dentro de um minuto, ou, neste caso, se dá por meio da somatória dos batimentos dentro dos últimos vinte segundos multiplicados por três, apresentado na equação a seguir: Para conseguirmos os batimentos por minuto, sabendo que Bt[i] representa os batimentos dentro do I-ésimo segundo, é necessário pegar os batimentos nos últimos vinte segundos, somá-los e multiplicá-los por três, tendo assim os batimentos cardíacos por minuto.

37 22 Figura 5.2 Gráfico de comparação de frequência cardíaca do protótipo (azul) com o relógio Polar (vermelha) Após vários testes, a exemplo do gráfico apresentado na figura 5.2, em comparação ao relógio da cinta Polar, foi alcançando uma precisão média de 98,8% do batimento real estabilizado, e em casos que o batimento varia muito rapidamente, a precisão pode chegar a uma média de 92%, sempre chegando aos 98,8% após vinte segundos de estabilização Localização A fim de verificar a precisão do GPS, foi realizado um teste de redundância que consistiu em manter o GPS parado captando dados. Como se pode observar na figura 5.3, dos cento e sessenta pontos capturados, a distância máxima entre um ponto e outro foi de 6,24 metros sendo a distância máxima entre os pontos da extremidade e o ponto central, onde estava localizado o aparelho, de 3,15 metros. A precisão média encontrada, após o calculo de todos os pontos de redundância foi de 2,43 metros.

38 23 Figura 5.3 Gráfico de redundância dos pontos do GPS. Sabendo a precisão média do GPS, é possível fazer uma rota com diferença muito pequena da rota real, uma vez que o erro máximo alcançado pelo teste de redundância foi de 4%. Utilizando o Protótipo em um caso real, pode-se perceber como apresentado na figura 5.4, onde a linha vermelha representa a rota executada pelo atleta e gravada pelo GPS e a linha branca representa a rota ideal, que a rota ideal apresentou uma distância de 491,89 metros enquanto a rota gravada pelo GPS apresentou uma distância de 474,31 metros apresentando um erro de 3,5% de distância total em comparação com o percurso original. Figura 5.4 Comparação entre a rota utilizando GPS (vermelho) e a rota ideal (branco).

7 Utilização do Mobile Social Gateway

7 Utilização do Mobile Social Gateway 7 Utilização do Mobile Social Gateway Existem três atores envolvidos na arquitetura do Mobile Social Gateway: desenvolvedor do framework MoSoGw: é o responsável pelo desenvolvimento de novas features,

Leia mais

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL Solução Tecnologia Monitoramento Instalação SOLUÇÃO A solução de rastreamento Unepxmil foi desenvolvida para atender as principais necessidades

Leia mais

Sistema de Localização, Controle e Monitoramento Veicular. Uma parceria de sucesso!

Sistema de Localização, Controle e Monitoramento Veicular. Uma parceria de sucesso! Sistema de Localização, Controle e Monitoramento Veicular Location Based System Monitoramento 24 Horas www.portpac.com.br +55 (16) 3942 4053 Uma parceria de sucesso! SeG Sistemas de Controle Ltda ME CNPJ:

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS AUTOR(ES):

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR

GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR O GT GPRS é um equipamento wireless que executa a função de recepção e transmissão de dados e voz. Está conectado à rede de telefonia celular GSM/GPRS, para bloqueio

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB)

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) RELATÓRIO DE ENTREGA DO PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) PARA A ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PMGIRS PARA OS MUNICÍPIOS DE NOVO HORIZONTE, JUPIÁ, GALVÃO,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

INTERNET HOST CONNECTOR

INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR IHC: INTEGRAÇÃO TOTAL COM PRESERVAÇÃO DE INVESTIMENTOS Ao longo das últimas décadas, as organizações investiram milhões de reais em sistemas e aplicativos

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) ARQUITETURA DE SISTEMAS Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Definição Documento de arquitetura Modelos de representação da arquitetura Estilos arquiteturais Arquitetura de sistemas web Arquitetura

Leia mais

SpinCom Telecom & Informática

SpinCom Telecom & Informática Rastreador GPS/GSM modelo Com as fortes demandas por segurança e gestão de frota, a SpinCom, acaba de lançar o rastreador GPS/GSM modelo. O rastreador é indicado para aplicações de rastreamento de automóveis,

Leia mais

4 Desenvolvimento da ferramenta

4 Desenvolvimento da ferramenta direcionados por comportamento 38 4 Desenvolvimento da ferramenta Visando facilitar a tarefa de documentar requisitos funcionais e de gerar testes automáticos em uma única ferramenta para proporcionar

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL

GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL Baseados em nossa experiência em aplicações de GPS e Telemetria, e devido às pequenas dimensões (70x40x20 mm) do GT PERSONAL GPS este dispositivo portátil executa o

Leia mais

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert:

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert: BRAlarmExpert Software para Gerenciamento de Alarmes A TriSolutions conta com um produto diferenciado para gerenciamento de alarmes que é totalmente flexível e amigável. O software BRAlarmExpert é uma

Leia mais

V O C Ê N O C O N T R O L E.

V O C Ê N O C O N T R O L E. VOCÊ NO CONTROLE. VOCÊ NO CONTROLE. O que é o Frota Fácil? A Iveco sempre coloca o desejo de seus clientes à frente quando oferece ao mercado novas soluções em transportes. Pensando nisso, foi desenvolvido

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

Manual de Instruções. Rastreador Via Satelite para Automóveis e Caminhões

Manual de Instruções. Rastreador Via Satelite para Automóveis e Caminhões Manual de Instruções Manual de Instruções Esta embalagem contém: Módulo AT1000 1 relé de potência 1 alto falante 1 antena GPS 1 antena GSM 1 soquete p/ relé com cabo 1 conector com cabo Manual de instruções

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas......8 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 é um rastreador desenvolvido com os mais rígidos padrões de qualidade

Leia mais

APLICATIVO MOBILE CATÁLOGO DE PÁSSAROS - PLATAFORMA ANDROID/MYSQL/WEBSERVICE

APLICATIVO MOBILE CATÁLOGO DE PÁSSAROS - PLATAFORMA ANDROID/MYSQL/WEBSERVICE APLICATIVO MOBILE CATÁLOGO DE PÁSSAROS - PLATAFORMA ANDROID/MYSQL/WEBSERVICE MARCOS LEÃO 1, DAVID PRATA 2 1 Aluno do Curso de Ciência da Computação; Campus de Palmas; e-mail: leão@uft.edu.br PIBIC/UFT

Leia mais

Apresentação Free Track

Apresentação Free Track Apresentação Free Track A Free Track é um resultado da união de um grupo de empresários que atua no segmento de rastreamento automotivo, sede própria com laboratório de desenvolvimento localizado na maior

Leia mais

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br DIGIMAN MANDADO JUDICIAL ELETRÔNICO Arquitetura WTB Tecnologia 2009 www.wtb.com.br Arquitetura de Software O sistema DIGIMAN é implementado em três camadas (apresentação, regras de negócio e armazém de

Leia mais

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Desenvolvimento de Sistemas Cliente Servidor Prof. Esp. MBA Heuber G. F. Lima Aula 1 Ciclo de Vida Clássico Aonde estamos? Page 2 Análise O que fizemos

Leia mais

GISWEB - Informação Geográfica ao Alcance de Todos

GISWEB - Informação Geográfica ao Alcance de Todos GISWEB - Informação Geográfica ao Alcance de Todos Bruno Perboni Qualityware Conselheiro Laurindo 825 cj. 412 centro Curitiba PR fone: 3232-1126 bruno@qualityware.com.br Maysa Portugal de Oliveira Furquim

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

Auto Gerenciamento utilizando a Web ou Celular

Auto Gerenciamento utilizando a Web ou Celular Auto Gerenciamento utilizando a Web ou Celular O FreeTrack é um sistema inovador de Rastreamento e Monitoramento de Frotas, carros, caminhões e motocicletas onde sua criação propõem uma solução econômica,

Leia mais

O TRAFip é uma poderosa ferramenta de coleta e caracterização de tráfego de rede IP, que vem resolver esse problema de forma definitiva.

O TRAFip é uma poderosa ferramenta de coleta e caracterização de tráfego de rede IP, que vem resolver esse problema de forma definitiva. Não há dúvida de que o ambiente de rede está cada vez mais complexo e que sua gestão é um grande desafio. Nesse cenário, saber o que está passando por essa importante infraestrutura é um ponto crítico

Leia mais

Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais

Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais Notas da Aula 15 - Fundamentos de Sistemas Operacionais 1. Software de Entrada e Saída: Visão Geral Uma das tarefas do Sistema Operacional é simplificar o acesso aos dispositivos de hardware pelos processos

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores

REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores REWIND e SI.MO.NE. Sistema de monitoramento para grupos geradores SISTEMA SICES Rewind e SI.ces MO.nitoring NE.twork (SI.MO.NE.) Sistema de monitoramento remoto REWIND Rewind é um módulo microprocessado

Leia mais

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile 393 Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile Lucas Zamim 1 Roberto Franciscatto 1 Evandro Preuss 1 1 Colégio Agrícola de Frederico Westphalen (CAFW) Universidade Federal de Santa Maria

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.9 Especificações do Sistema de Monitoramento da Frota PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 OBJETIVOS... 2 2 ESPECIFICAÇÃO BÁSICA... 2 2.1 Aquisição de Dados Monitorados do Veículo...

Leia mais

SEJA BEM VINDO A IWEIC RASTRACK VIA SATÉLITE

SEJA BEM VINDO A IWEIC RASTRACK VIA SATÉLITE Manual do usuário: SEJA BEM VINDO A IWEIC RASTRACK VIA SATÉLITE Atuamos dentro dos mais altos padrões nacionais de qualidade, para cumprir nossa missão de proporcionar a nossos clientes o máximo de dedicação,

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

Todos os Registros no site referem-se aos momentos em que o equipamento estava conectado (decorrente dos dois eventos acima descritos).

Todos os Registros no site referem-se aos momentos em que o equipamento estava conectado (decorrente dos dois eventos acima descritos). 1. Como funcionado Equipamento? O Rastreador instalado é um equipamento Hibrido que utiliza tecnologia de transmissão de dados por Satélite e via Operadora de Telefone. O Satélite informa ao equipamento

Leia mais

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO O controlador CDE4000 é um equipamento para controle de demanda e fator de potência. Este controle é feito em sincronismo com a medição da concessionária, através dos dados

Leia mais

Tecnologia de redes celular GSM X CDMA

Tecnologia de redes celular GSM X CDMA Tecnologia de redes celular GSM X CDMA GSM (Global Standard Mobile) GSM (Global Standard Mobile) Também baseado na divisão de tempo do TDMA, o GSM foi adotado como único sistema europeu em 1992, e se espalhou

Leia mais

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento.

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento. Documento de Requisitos 1 Documento de Requisitos Versão 1.2 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento. Camilo Fernandes

Leia mais

NETALARM GATEWAY Manual Usuário

NETALARM GATEWAY Manual Usuário NETALARM GATEWAY Manual Usuário 1 Índice 1. Introdução... 3 2. Requisitos de Instalação... 3 3. Instalação... 3 4. Iniciando o programa... 5 4.1. Aba Serial... 5 4.2. Aba TCP... 6 4.3. Aba Protocolo...

Leia mais

DQuest. Determinação da posição e velocidade por Satélite (GPS) Localização e disponibilização de informações de veículos por tecnologia wireless

DQuest. Determinação da posição e velocidade por Satélite (GPS) Localização e disponibilização de informações de veículos por tecnologia wireless DQuest Localização Localização, controle e gerenciamento de frotas Determinação da posição e velocidade por Satélite (GPS) Localização e disponibilização de informações de veículos por tecnologia wireless

Leia mais

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Março/2015 Página 1 de 17 Projuris Enterprise Projuris Enterprise é um sistema 100% Web, com foco na gestão de contencioso por empresas ou firmas

Leia mais

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 2 INTRODUÇÃO Esse documento contém as instruções básicas para a utilização do TabFisc Versão Mobile (que permite ao fiscal a realização do seu trabalho

Leia mais

Disciplina de Banco de Dados Introdução

Disciplina de Banco de Dados Introdução Disciplina de Banco de Dados Introdução Prof. Elisa Maria Pivetta CAFW - UFSM Banco de Dados: Conceitos A empresa JJ. Gomes tem uma lista com mais ou menos 4.000 nomes de clientes bem como seus dados pessoais.

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Imagem via Celular (isic) baseado no sistema operacional Symbian

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Imagem via Celular (isic) baseado no sistema operacional Symbian MANUAL DO USUÁRIO Software de Imagem via Celular (isic) baseado no sistema operacional Symbian Software de Imagem via Celular (isic) baseado no sistema operacional Symbian Esse software possui tecnologia

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

Roteiro. Arquitetura. Tipos de Arquitetura. Questionário. Centralizado Descentralizado Hibrido

Roteiro. Arquitetura. Tipos de Arquitetura. Questionário. Centralizado Descentralizado Hibrido Arquitetura Roteiro Arquitetura Tipos de Arquitetura Centralizado Descentralizado Hibrido Questionário 2 Arquitetura Figura 1: Planta baixa de uma casa 3 Arquitetura Engenharia de Software A arquitetura

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO OPERACIONAL DE PEQUENA E MÉDIA PLATAFORMA COM EFICIÊNCIA E BAIXO CUSTO

IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO OPERACIONAL DE PEQUENA E MÉDIA PLATAFORMA COM EFICIÊNCIA E BAIXO CUSTO IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO OPERACIONAL DE PEQUENA E MÉDIA PLATAFORMA COM EFICIÊNCIA E BAIXO CUSTO Flávio Luis de Oliveira (flavio@celepar.pr.gov.br) Helio Hamilton Sartorato (helio@celepar.pr.gov.br) Yuri

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural)

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural) Universidade Federal de Campina Grande Pb Departamento de Sistemas e Computação Disciplina: Projeto em Computação I 2111185 Professora: Francilene Procópio Garcia, P.Sc Alunos: Arnaldo de Sena Santos;

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GTL 16 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO PARA SISTEMAS

Leia mais

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED RBMC-IP Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED 06 de Maio de 2009 Sumário Sistema GPS Técnica de Posicionamento

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA RICH INTERNET APPLICATIONS

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA RICH INTERNET APPLICATIONS PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA RICH INTERNET APPLICATIONS Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o que é uma Aplicação Rica para Internet Contextualizar tais aplicações na Web e os desafios

Leia mais

:: MANUAL DE INSTALAÇÃO versão PRÓ :: RASTREADOR BLOQUEADOR AUTO BRASIL 24H

:: MANUAL DE INSTALAÇÃO versão PRÓ :: RASTREADOR BLOQUEADOR AUTO BRASIL 24H :: MANUAL DE INSTALAÇÃO versão PRÓ :: RASTREADOR BLOQUEADOR AUTO BRASIL 24H FUNÇÕES Obrigado por adquirir o Rastreador e Bloqueador Auto Brasil 24h, um produto de alta tecnologia de fabricação brasileira.

Leia mais

Projeto de controle e Automação de Antena

Projeto de controle e Automação de Antena Projeto de controle e Automação de Antena Wallyson Ferreira Resumo expandido de Iniciação Tecnológica PUC-Campinas RA: 13015375 Lattes: K4894092P0 wallysonbueno@gmail.com Omar C. Branquinho Sistemas de

Leia mais

José Benedito Lopes Junior ¹, Marcello Erick Bonfim 2

José Benedito Lopes Junior ¹, Marcello Erick Bonfim 2 ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 Definição de uma tecnologia de implementação e do repositório de dados para a criação da ferramenta

Leia mais

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Manual do equipamento Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. +55 41 3661-0100 Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis - Pinhais/PR - Brasil CEP: 83322-010 CNPJ: 01.245.055/0001-24 Inscrição

Leia mais

Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos. Development of a File Distribution Network

Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos. Development of a File Distribution Network Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos Development of a File Distribution Network Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos Development of a File Distribution Network Talles

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas...9 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 Moto é um rastreador exclusivo para Motos desenvolvido com os mais rígidos

Leia mais

AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP.

AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP. AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP. Luan de Souza Melo (Fundação Araucária), André Luís Andrade Menolli (Orientador), Ricardo G. Coelho

Leia mais

silviaheld@usp.br Italiano, Isabel Cristina. Profa. Dra. - Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e RESUMO ABSTRACT

silviaheld@usp.br Italiano, Isabel Cristina. Profa. Dra. - Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e RESUMO ABSTRACT MAPEAMENTO DE PROCESSOS DE CONFECÇÃO PARA IDENTIFICAÇÃO DE PONTOS CRÍTICOS DA PRODUÇÃO Espinosa, Caroline Stagi - Bacharel em Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e Humanidades - Universidade de São

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUIDOS

SISTEMAS DISTRIBUIDOS 1 2 Caracterização de Sistemas Distribuídos: Os sistemas distribuídos estão em toda parte. A Internet permite que usuários de todo o mundo acessem seus serviços onde quer que possam estar. Cada organização

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS Emanuel M. Godoy 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil godoymanel@gmail.com,

Leia mais

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro Desenvolvimento em PHP usando Frameworks Elton Luís Minetto Agenda Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro Ambiente Web É o ambiente

Leia mais

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento do trabalho Conclusão Extensões

Leia mais

Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes. Website PRO. Manual do Usuário

Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes. Website PRO. Manual do Usuário Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes Website PRO Manual do Usuário ÍNDICE Login Página Inicial Rastreamento em Tempo Real Configurações Janela Adicionar Veículo Editar Veículo

Leia mais

DÚVIDAS E PERGUNTAS FREQUENTES - RASTREADOR

DÚVIDAS E PERGUNTAS FREQUENTES - RASTREADOR DÚVIDAS E PERGUNTAS FREQUENTES - RASTREADOR 1. COMO É FEITA A COMUNICAÇÃO COM O VEÍCULO QUE FOI INSTALADO O RASTREADOR? Resposta: Através de mensagens SMS (torpedos), estas mensagens são formadas por *

Leia mais

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo OBJETIVO O objetivo deste documento elaborado pela Varella Vídeo é fornecer as informações necessárias para que empresas cuja

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil James Gustavo Black Rebelato Geraldo Cezar Correa Joao Henrique Gross Companhia Paranaense

Leia mais

CONECTO. Tecnologia Java. Rua Henrique Setter, 85 Itoupava Central 89062-440 - Blumenau SC www.cechinel.com.br Página - 1

CONECTO. Tecnologia Java. Rua Henrique Setter, 85 Itoupava Central 89062-440 - Blumenau SC www.cechinel.com.br Página - 1 Apresentação CONECTO Tecnologia Java Página - 1 Sumário 1. Descrição...3 2. Estrutura da comunicação... 4 3. Apresentação...5 4. Funcionamento...6 5. Transmissão das Ocorrências...7 6. Mensagens...8 7.

Leia mais

PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE RASTREAMENTO PARA COMPUTADORES

PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE RASTREAMENTO PARA COMPUTADORES UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROTÓTIPO DE UM SISTEMA DE RASTREAMENTO PARA COMPUTADORES Bárbara Dias Pereira Prof. Miguel Alexandre Wisintainer, Orientador ROTEIRO DA

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1 OBJETIVOS 1. O que é a nova infra-estrutura informação (TI) para empresas? Por que a conectividade é tão importante nessa infra-estrutura

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.1 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011 1.0 Versão

Leia mais

RECEPTOR GPS ME-1513R TUTORIAL PARA PROGRAMAÇÃO DO ARM7LPC2138. 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda

RECEPTOR GPS ME-1513R TUTORIAL PARA PROGRAMAÇÃO DO ARM7LPC2138. 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda RECEPTOR GPS ME-1513R TUTORIAL PARA PROGRAMAÇÃO DO ARM7LPC2138 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda Prefácio Obrigado por escolher o Receptor GPS ME-1513R. Este manual mostra o código fonte

Leia mais

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação.

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação. ANEXO 11 O MATRIZ Para o desenvolvimento de sites, objeto deste edital, a empresa contratada obrigatoriamente utilizará o framework MATRIZ desenvolvido pela PROCERGS e disponibilizado no início do trabalho.

Leia mais

TRBOnet Standard. Manual de Operação

TRBOnet Standard. Manual de Operação TRBOnet Standard Manual de Operação Versão 1.8 NEOCOM Ltd ÍNDICE 1. TELA DE RÁDIO 3 1.1 COMANDOS AVANÇADOS 4 1.2 BARRA DE FERRAMENTAS 5 2. TELA DE LOCALIZAÇÃO GPS 6 2.1 MAPLIB 6 2.2 GOOGLE EARTH 7 2.3

Leia mais

OptiView. Total integração Total controle Total Network SuperVision. Solução de Análise de Rede. Ninguém melhor que os. Engenheiros de Rede e a Fluke

OptiView. Total integração Total controle Total Network SuperVision. Solução de Análise de Rede. Ninguém melhor que os. Engenheiros de Rede e a Fluke Ninguém melhor que os OptiView Solução de Análise de Rede Total integração Total controle Total Network SuperVision Engenheiros de Rede e a Fluke Networks para saber o valor de uma solução integrada. Nossa

Leia mais

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT Juliano Flores Prof. Lucas Plautz Prestes Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de Tecnologia da Informação (GTI034)

Leia mais

RASTREADOR GPS PESSOAL E DE CARGA

RASTREADOR GPS PESSOAL E DE CARGA GR PERSONAL - MXT 100 e 101 RASTREADOR GPS PESSOAL E DE CARGA O MXT 100/101 é um dispositivo portátil de rastreamento utilizado para monitorar e controlar cargas, bagagem, pessoas, animais e outros meios

Leia mais

Rotina de Discovery e Inventário

Rotina de Discovery e Inventário 16/08/2013 Rotina de Discovery e Inventário Fornece orientações necessárias para testar a rotina de Discovery e Inventário. Versão 1.0 01/12/2014 Visão Resumida Data Criação 01/12/2014 Versão Documento

Leia mais

Manual de Instalação. GPRS Universal

Manual de Instalação. GPRS Universal Manual de Instalação GPRS Universal INTRODUÇÃO O módulo GPRS Universal Pináculo é um conversor de comunicação que se conecta a qualquer painel de alarme monitorado que utilize o protocolo de comunicação

Leia mais

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA PROJETO SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO ALUNO RICARDO CARDOSO TERZELLA

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

Modelos de Arquiteturas. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com

Modelos de Arquiteturas. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Modelos de Arquiteturas Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Agenda Introdução Arquitetura de Sistemas Distribuídos Clientes e Servidores Peer-to-Peer Variações Vários Servidores Proxy Código Móvel

Leia mais

Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor?

Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor? Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor? Interagir com sistemas que ainda dependem de agendamentos manuais e de coletas presenciais em vários equipamentos

Leia mais

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro introdução objetivos do trabalho fundamentação teórica desenvolvimento da ferramenta

Leia mais

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração Desenvolvimento em PHP usando Frameworks Elton Luís Minetto Agenda Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração Ambiente Web É o ambiente formado

Leia mais