A DEMOLIÇÃO DAS OBRAS ILEGAIS INSTRUÇÕES PARA. Março de Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Linha de informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A DEMOLIÇÃO DAS OBRAS ILEGAIS INSTRUÇÕES PARA. Março de 2013. Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Linha de informação"

Transcrição

1 INSTRUÇÕES PARA A DEMOLIÇÃO DAS OBRAS ILEGAIS Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes Março de 2013 Linha de informação Estas instruções serão actualizadas periodicamente e a versão actualizada encontra-se disponível no website da DSSOPT

2 Nota Introdutória O Governo tem sempre a expectativa de resolver gradualmente os problemas das obras ilegais existentes nos edifícios de Macau. A DSSOPT publicou em Maio de 2012 as Instruções para as Instalações de Segurança e Prevenção de Furtos nos Edifícios que têm como objectivo disponibilizar instruções simples, claras e que obedeçam ao que é exigido na legislação aos cidadãos que pretendam instalar equipamentos de segurança e prevenção de furtos nas paredes exteriores das fracções autónomas onde habitam, nos corredores comuns, nos pátios, nos pódios e nas coberturas em terraço dos edifícios, no intuito de lhes facilitar o respectivo cumprimento. Tendo em consideração que os cidadãos depois de compreenderem a disposição sobre os acessórios legais, necessitarão de dar seguimento aos elementos estruturais ilegais nos edifícios ou fracções autónomas onde habitam quando verificarem da sua existência, a DSSOPT publica neste momento as presentes Instruções para Demolição das Obras Ilegais, no intuito de lhes explicar todo o procedimento administrativo sobre a sua demolição, tendo elaborado modelos de requerimento de uso exclusivo e dos documentos necessários para entrega, a fim de dar apoio aos cidadãos para contratarem um construtor inscrito para demolir as obras ilegais por iniciativa própria e para tratarem correctamente os problemas das construções ilegais existentes nos edifícios ou fracções autónomas onde habitam. As presentes instruções estão também em harmonia com o Plano de apoio financeiro para demolição voluntária de construções ilegais promovido pelo Instituto de Habitação, cujos conteúdos e modelos de requerimentos de uso exclusivo contêm as respectivas explicações, a fim de tornar mais fácil aos cidadãos a apresentação do pedido de apoio financeiro no Instituto de Habitação juntamente com os documentos correctos. As presentes instruções serão actualizadas periodicamente em conformidade com o desenvolvimento social e o Governo procederá à divulgação e explicação atempada dos respectivos conteúdos. Os cidadãos podem consultar e descarregar as instruções mais actualizadas na página electrónica da DSSOPT (http://www.dssopt.gov.mo). Março de

3 Formalidades e procedimentos para demolição das obras ilegais (no âmbito da DSSOPT) Rectificado de acordo com as exigências do ofício-resposta Não aprovado Devido à qualidade da obra, há necessidade de proceder a alguns retoques. Obra de demolição Pedido Aprovado Na fase de execução da obra O requerente deve entregar os seguintes documentos: O impresso de Pedido de aprovação para demolição de obra ilegal. Informação escrita do Registo Predial (busca) Memória descritiva e justificativa da obra Apólice de seguro de acidentes de trabalho e doenças profissionais O requerente deve entregar os seguintes documentos conforme a situação: Lista de modalidades de demolição de obras ilegais com fotos (no caso de solicitar apoio financeiro ao Instituto de Habitação) Procuração, contrato de arrendamento, contrato de compromisso de compra e venda (de acordo com a qualidade do requerente) Declaração de consentimento do proprietário para demolição da obra ilegal (caso o pedido não seja feito pelo proprietário) Outros (vide o conteúdo dos impressos e as observações) Após a aprovação, o requerente obterá uma notificação de execução da obra emitida pela DSSOPT para afixar no local da obra, podendo de imediato dar início à mesma. Devido a problemas com os documentos, há necessidade de apresentar documentos suplementares. Incumprimento das exigências Comunicação de conclusão da obra O requerente deve entregar os seguintes documentos: Impresso da Comunicação da conclusão da demolição da obra ilegal O requerente deve entregar os seguintes documentos conforme a situação: Lista de modalidades de demolição de obras ilegais * * No caso de solicitar apoio financeiro ao Instituto de Habitação, deve requerer o documento de confirmação da conclusão da demolição da obra ilegal emitido pela DSSOPT para entregar ao Instituto de Habitação. Cumprimento das exigências Confirmação de conclusão da obra Após a vistoria e confirmação pelo pessoal da DSSOPT, o requerente receberá um ofício da conclusão da demolição da obra ilegal emitido pela DSSOPT. No caso de solicitar apoio financeiro ao Instituto de Habitação, a DSSOPT enviará ao Instituto de Habitação um ofício de confirmação da conclusão da demolição da obra ilegal. Pedido ao IH Apoio financeiro O requerente deve ainda apresentar outro pedido ao Instituto de Habitação. 2

4 Destinatários As presentes instruções aplicam-se às obras ilegais existentes nos edifícios com licença de utilização ou com registo da propriedade horizontal. Relativamente à demolição integral do edifício/à demolição da obra construídas no terreno sem documento comprovativo legal, deve ser apresentado o Pedido de Aprovação do Projecto (de Alteração) da Obra de Demolição (impresso n.º U013C). Os pedidos para o Plano de apoio financeiro para demolição voluntária de construções ilegais a serem apresentados no Instituto de Habitação, aplicam-se às seguintes situações [nota ] : a. Obras ilegais localizadas nas partes comuns exteriores dos edifícios referidos nas presentes instruções, por exemplo, fachadas, coberturas em terraço, pódios, terraços de recuo, pátios, etc. b. Casos que ainda não tenham recebida ordem formal de demolição emitida pela DSSOPT. c. Edifícios registados para fins habitacionais ou comerciais onde existem obras ilegais. d. Obras ilegais existentes antes da publicação e da entrada em vigor do plano de apoio financeiro. <Observação para preenchimento dos impressos> (1) No caso de escolher o apoio financeiro do Instituto de Habitação referido no impresso do pedido, considera-se que o requerente consente que a DSSOPT enviará os respectivos documentos e informações ao Instituto de Habitação. (2) À entrega do pedido antes do início da obra e da declaração após a conclusão da mesma deve juntar a Lista de modalidades de demolição de obras ilegais. [nota] Esta parte é um extracto do conteúdo principal, os pormenores devem ser consultados no respectivo plano de apoio financeiro. O pedido de apoio financeiro para cada fracção autónoma com obras ilegais só pode ser apresentado uma vez, não podendo ser novamente repetido de outra vez. Recomendações Após a conclusão da obra e a entrega do impresso de declaração, através da verificação pelo pessoal da DSSOPT das respectivas exigências, será emitido um ofício de confirmação da conclusão de demolição das obras ilegais que será um dos documentos necessários para o pedido do apoio financeiro ao Instituto de Habitação. 3

5 Características 1. Antes do início da obra, devem preencher-se o impresso de pedido para entregar à DSSOPT. Devem entregar-se os documentos indicados no impresso conforme a qualidade do requerente e a situação concreta. 2. A responsabilidade da obra é assumida pelo construtor/sociedade construtora contratado/a pelo requerente. 3. Isenção das taxas do projecto da respectiva obra e da declaração de responsabilidade. 4. Normalmente, não é necessário entregar as peças desenhadas. 5. No caso de se terem recebido todos os documentos correctos, a apreciação e aprovação será concluída no prazo de 8 dias úteis, mas para os casos de prestação ilegal de alojamento, o prazo é de 8 dias úteis contados a partir de recepção do parecer da Direcção dos Serviços de Turismo. 6. Os requerentes serão notificados por SMS para o levantamento do ofícioresposta e da Notificação de demolição das obras ilegais. 7. As obras podem ser iniciadas com a afixação da Notificação de demolição das obras ilegais emitida pela DSSOPT no local sem necessidade de outro pedido de licença da obra e de licença do início da obra. 8. Após a conclusão da obra no prazo estipulado, deve também preencher-se o respectivo impresso para informar a DSSOPT. O procedimento ficará concluído após verificação por parte do pessoal da DSSOPT. 9. Os impressos de pedidos e as minutas usuais podem ser descarregados na página electrónica da DSSOPT (www.dssopt.gov.mo). PERGUNTAS? E RESPOSTAS 1. A demolição da obra ilegal pelo construtor contratado por iniciativa própria carece de comunicação à Administração ou não? Caso seja necessário, quais são as formalidades? A: Caso os cidadãos procedam à demolição da obra ilegal por iniciativa própria, devem comunicar previamente o facto à DSSOPT. Os cidadãos podem descarregar na página electrónica ou levantar pessoalmente na DSSOPT os impressos do uso exclusivo para preenchimento, bem como entregar os respectivos documentos, cujo procedimento é o seguinte: Antes do início da obra, deve preencher-se o impresso Pedido de aprovação para demolição de obra ilegal que será aprovado no prazo de 4

6 8 dias úteis caso todos os documentos correctos tenham sido entregues. A DSSOPT notificará por SMS o requerente para o levantamento do ofício e da notificação da execução da obra a afixar no local, podendo o requerente comunicar imediatamente ao construtor para dar início à obra. Após a conclusão da obra, deve preencher-se o impresso Comunicação da conclusão da demolição da obra ilegal. Todo o procedimento será concluído após verificação por parte do pessoal da DSSOPT. Os pormenores encontram-se nas formalidades e procedimentos constantes nas instruções para a demolição das obras ilegais. 2. O pedido de demolição da obra ilegal por iniciativa própria à DSSOPT carece ou não do pagamento de taxas? A: Na altura de apresentação à DSSOPT do Pedido de aprovação para demolição de obra ilegal ou da Comunicação da conclusão da demolição da obra ilegal não é necessário o pagamento de qualquer taxa. 3. Caso se pretenda na mesma altura solicitar o apoio financeiro do Instituto de Habitação, quais são os assuntos que se devem apresentar mais atenções nas formalidades com a DSSOPT? A: O Instituto de Habitação vai promover um Plano de apoio financeiro para demolição voluntária de construções ilegais. Os cidadãos podem pedir informações ao Instituto de Habitação sobre os pormenores das formalidades ou as condições de aprovação. No entanto, é de salientar que caso os cidadãos pretendam pedir apoio financeiro para demolição da obra ilegal por iniciativa própria, devem ainda apresentar o respectivo pedido à DSSOPT. Na altura do preenchimento do impresso de pedido, devem escolher a coluna a pedir ao Instituto de Habitação o apoio financeiro para demolição voluntária da obra ilegal e entregar juntamente a Lista de modalidades de demolição de obras ilegais. 4. Como é que os cidadãos esclarecem as suas dúvidas aquando do preenchimento dos impressos? A: A DSSOPT elaborou os impressos do uso exclusivo para a demolição de obras ilegais, mediante a forma de preenchimento de impressos, a fim de evitar a falta de informações ou o preenchimento incorrecto por parte dos requerentes. Além disso, são indicadas observações nos impressos a fim de explicar mais concretamente as partes a ter em atenção na altura de apresentação do pedido. Caso ainda subsistam dúvidas sobre os impressos 5

7 de pedidos, os cidadãos podem pedir informações ao pessoal da DSSOPT através do tel. n.º Por outro lado, na altura da apresentação do pedido, o requerente deve contratar um profissional inscrito para dar apoio à execução e respectivo tratamento. Por isso, o mesmo deve prestar apoio profissional adequado no preenchimento dos impressos e na entrega dos documentos. 5. Como podem os cidadãos obter informações respeitantes aos construtores ou sociedades construtoras inscritos? A: Os cidadãos podem consultar a lista dos técnicos, construtores e sociedades construtoras inscritos através da página electrónica da DSSOPT (www.dsspot.gov.mo), com indicação dos respectivos números de telefone de contacto e modalidades em que estão inscritas. 6. Após a demolição das obras ilegais, como resolver as questões da prevenção de furtos em fracções? A: A DSSOPT elaborou em Maio de 2012 as Instruções para as instalações de segurança e prevenção de furtos nos edifícios. Os cidadãos podem instalar equipamentos de prevenção de furtos de acordo com as exigências e os critérios daquelas instruções. 7. Como podem os cidadãos confirmar se as construções são ilegais? A: De um modo geral, os cidadãos podem consultar as Instruções para as instalações de segurança e prevenção de furtos nos edifícios elaboradas pela DSSOPT, as quais mostram exemplos vulgares de obras ilegais. Os cidadãos O impresso de pedido pode ser descarregado na página electrónica da DSSOPT (www.dssopt.gov.mo). Deve-se anexar o documento comprovativo da titularidade e o documento de compromisso de compra e venda da respectiva fracção, para comprovar que o requerente é ele próprio o interessado. podem também requerer à DSSOPT o projecto aprovado de uma fracção autónoma para efeitos de comparação. Em princípio, os elementos estruturais que não se encontram assinalados no projecto são considerados obras ilegais. 8. Como podem os cidadãos saber se os preços de demolição de qualquer obra ilegal são justos? A: Sugere-se aos cidadãos que auscultem os construtores ou sociedades construtoras inscritos sobre os preços bem como se inteirem do conteúdo dos serviços prestados, a fim de escolher uma empresa adequada de acordo com as necessidades individuais. 6

8 9. Caso a obra não fique concluída no prazo de execução de obra concedido, que formalidade se devem tomar? A: Em princípio, não é aceite o pedido da renovação do prazo. Mesmo que sejam aceites fundamentos e provas muitos completos, só é permitida a renovação do prazo por uma vez. Os requerentes devem preencher novamente o impresso do Pedido de aprovação para demolição de obra ilegal com indicação da revalidação na parte superior do impresso e juntar a fotocópia do ofício de aprovação e o original da apólice de seguro actualizada e válida de acidentes de trabalho e doenças profissionais ou respectiva fotocópia acompanhada do respectivo original para efeitos de autenticação, a fim de serem apreciados e aprovados pela DSSOPT. 10. O impresso de pedido indica que se deve entregar a memória descritiva e justificativa da obra e a lista de modalidades de demolição de obras ilegais. Dever-se-á entregar estes dois documentos? A: Não. Só para os casos relacionados com os pedidos do Plano de apoio financeiro para demolição voluntária de construções ilegais junto do Instituto da Habitação é que se deverá entregar a Lista de modalidades de demolição de obras ilegais. 11. A demolição da obra ilegal inclui o trabalho de reparação da respectiva área afectada pela obra de demolição? A: Sim. Se a respectiva área for danificada, houver problemas de infiltração de água, de obstrução de tubos de água ou de evacuação de fumos e gases ou demais problemas após a demolição da obra ilegal, os requerentes devem ainda assumir a responsabilidade pela respectiva reparação ou reposição do local tal como era originalmente. 12. Relativamente aos pedidos feitos por inquilinos, procuradores, promitentescompradores, ocupantes, utilizadores e administradores, quais são os documentos necessários entregar? A: Case o pedido não seja feito pelo proprietário, o requerente deve entregar os documentos abaixo indicados conforme a sua qualidade ou situação: 7

9 (I) Caso seja identificado o dono da obra ilegal: Documento de consentimento do proprietário (dono da obra ilegal) para a demolição da obra ilegal Declaração de que assume a inteira responsabilidade e que não lhe é atribuído qualquer direito resultante da demolição da obra ilegal Contrato de arrendamento Inquilino Procurador Procuração Contrato-promessa de compra e venda Documento comprovativo de utilização Ocupante Utilizador Documento de mandato de administração Administrador (II) Caso não seja possível identificar o dono da obra ilegal, ou; (III) Não se consegue contactar o proprietário da fracção autónoma onde existe uma obra ilegal que se encontra em situação de risco: Documento de consentimento do proprietário (dono da obra ilegal) para a demolição da obra ilegal Declaração de que assume a inteira responsabilidade e que não lhe é atribuído qualquer direito resultante da demolição da obra ilegal Contrato de arrendamento Inquilino Procurador Promitentecomprador Promitentecomprador Procuração Contrato-promessa de compra e venda Documento comprovativo de utilização Ocupante Utilizador Documento de mandato de administração Administrador Nota: Os documentos acima referidos devem ser os originais ou fotocópias autenticadas. 8

10 LISTA DOS ANEXES ANEXO 1 Pedido de Aprovação pare demolição de obra ilegal ANEXO 2 Lista de modalidades de demolição de obras ilegais* * Este impresso só terá de ser entregue no caso de ser apresentado no Instituto de Habitação o pedido do Plano de apoio financeiro para demolição voluntária de construções ilegais. 13 ANEXO 3 Modelo das Fotos* * Este impresso só terá de ser entregue no caso de ser apresentado no Instituto de Habitação o pedido do Plano de apoio financeiro para demolição voluntária de construções ilegais. 14 ANEXO 4 Declaração de Consentimento do Proprietário para Demolição da Obra Ilegal 15 ANEXO 5 Comunicação da conclusão da demolição da obra ilegal 16 Nota: A versão oficial pode ser descarregada na página electrónica da DSSOPT ou levantada pessoalmente na DSSOPT. 9

11 10 Deve escolher no caso de apresentar no Instituto de Habitação um pedido de apoio financeiro

12 11

13 12

14 Tendo em atenção a finalidade do edifício Deve ser escolhido conforme a situação 13

15 14

16 15

17 16 Deve escolher no caso de apresentar no Instituto de Habitação um pedido de apoio financeiro

INSTRUÇÕES PARA AS INSTALAÇÕES DE SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE FURTOS NOS EDIFÍCIOS

INSTRUÇÕES PARA AS INSTALAÇÕES DE SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE FURTOS NOS EDIFÍCIOS Estes instruções serão actualizados periodicamente e a versão actualizada encontra-se disponível no website da DSSOPT DSSOPT INSTRUÇÕES PARA AS INSTALAÇÕES DE SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE FURTOS NOS EDIFÍCIOS

Leia mais

Nota Introdutória. As presentes instruções encontram-se disponíveis no website da DSSOPT (www.dssopt.gov.mo) para efeitos de consulta ou download.

Nota Introdutória. As presentes instruções encontram-se disponíveis no website da DSSOPT (www.dssopt.gov.mo) para efeitos de consulta ou download. D S www.dssopt.gov.mo Centros de Apoio Pedagógico Complementar Particulares S Salas de explicações Salas de estudo Centros de explicações O P T Obra de Modificação Trâmites para Apresentação do Projecto

Leia mais

Regime de qualificações nos domínios da construção urbana e do urbanismo Perguntas e respostas sobre a inscrição/renovação da inscrição

Regime de qualificações nos domínios da construção urbana e do urbanismo Perguntas e respostas sobre a inscrição/renovação da inscrição Regime de qualificações nos domínios da construção urbana e do urbanismo Perguntas e respostas sobre a inscrição/renovação da inscrição 1. Quais as instruções a seguir pelos técnicos que pretendam exercer

Leia mais

Alvará de Licença. Código Postal: - Freguesia: Telefone: Telemóvel: Fax:

Alvará de Licença. Código Postal: - Freguesia: Telefone: Telemóvel: Fax: Exm. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Grândola Alvará de Licença Mais do que um requerente? Não Sim (em caso afirmativo preencher Anexo A) Identificação do Prédio Prédio descrito na Conservatória

Leia mais

Identificação do Requerente (Preencher com letra maiúscula)

Identificação do Requerente (Preencher com letra maiúscula) Registo nº. Exmº. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Cascais Data: / / O Funcionário EMISSÃO DE LICENÇA ESPECIAL PARA OBRAS INACABADAS COMUNICAÇÃO PRÉVIA PARA OBRAS INACABADAS Identificação do Requerente

Leia mais

Exmo. Sr. Ministro da Administração Interna

Exmo. Sr. Ministro da Administração Interna MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DIRECÇÃO NACIONAL UNIDADE ORGÂNICA DE OPERAÇÕES E SEGURANÇA DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA PRIVADA ACTIVIDADE DE SEGURANÇA PRIVADA REQUERIMENTO

Leia mais

ÁREA DE ENGENHARIA CIVIL

ÁREA DE ENGENHARIA CIVIL É envolvido principalmente o projecto profissional: Projecto de fundações Projecto de escavação provisória e contenção Projecto de estabilização de talude Projecto de estrutura Projecto da rede de água

Leia mais

MUNICÍPIO DE PENAMACOR REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL. Preâmbulo

MUNICÍPIO DE PENAMACOR REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL. Preâmbulo MUNICÍPIO DE PENAMACOR REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL Preâmbulo O novo Regime Jurídico de Instalação, Exploração e Funcionamento dos Empreendimentos Turísticos, aprovado

Leia mais

Estatutos para o Condomínio no Edíficio Caroni

Estatutos para o Condomínio no Edíficio Caroni 1º - OBJECTO DO REGULAMENTO 1- O presente regulamento é aplicável nas relações entre os condóminos do Edifício CARONI sito na Rua da Grécia em Vilamoura, e tem por fim estabelecer os direitos e deveres

Leia mais

DIRECTOR DE OBRA E DIRECTOR DE FISCALIZAÇÃO DE OBRA

DIRECTOR DE OBRA E DIRECTOR DE FISCALIZAÇÃO DE OBRA DIRECTOR DE OBRA E DIRECTOR DE FISCALIZAÇÃO DE OBRA Anexo C A Lei n.º 31/2009, de 3 de Julho, define: No artigo 13.º a qualificação das funções do director de obra e no artigo 14.º os deveres do director

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E CEDÊNCIA DE SALAS E SALÃO DA JUNTA DE FREGUESIA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E CEDÊNCIA DE SALAS E SALÃO DA JUNTA DE FREGUESIA PREÂMBULO As instalações da Junta de Freguesia têm como fim a satisfação das necessidades da Autarquia e das suas populações. As salas não ocupadas permanentemente pelos Serviços da Junta, destinam-se

Leia mais

ARTIGO 1º Âmbito O presente Regulamento define as condições de candidatura, avaliação e distinção dos

ARTIGO 1º Âmbito O presente Regulamento define as condições de candidatura, avaliação e distinção dos REGULAMENTO ENQUADRAMENTO O mais recente diploma legal que estabelece o regime jurídico da instalação, exploração e funcionamento dos empreendimentos turísticos - Decreto-Lei n.º 39/2008, de 7 de Março,

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL PUBLICADO ATRAVÉS DE EDITAL EM 28 DE ABRIL DE 2011

REGULAMENTO MUNICIPAL ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL PUBLICADO ATRAVÉS DE EDITAL EM 28 DE ABRIL DE 2011 REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL APROVADO EM REUNIÃO DE CÂMARA MUNICIPAL DE 06 DE ABRIL DE 2011 APROVADO EM ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE 21 DE ABRIL DE 2011 PUBLICADO ATRAVÉS DE

Leia mais

CIRCUITO DE UM PROCESSO PARA ABASTECIMENTO

CIRCUITO DE UM PROCESSO PARA ABASTECIMENTO CIRCUITO DE UM PROCESSO PARA ABASTECIMENTO O presente documento visa fornecer indicações sobre a elaboração e constituição de um processo para abastecimento, quer este se apresente sob a forma de Processo

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DO ALVARÁ DE LICENÇA DE OBRA DE EDIFICAÇÃO E/OU DEMOLIÇÃO

PEDIDO DE EMISSÃO DO ALVARÁ DE LICENÇA DE OBRA DE EDIFICAÇÃO E/OU DEMOLIÇÃO Registo n.º Data / / O Funcionário PEDIDO DE EMISSÃO DO ALVARÁ DE LICENÇA DE OBRA DE EDIFICAÇÃO E/OU DEMOLIÇÃO Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Cascais IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE (Preencher

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DO ALVARÁ DE LICENÇA DE OBRA DE EDIFICAÇÃO E/OU DEMOLIÇÃO

PEDIDO DE EMISSÃO DO ALVARÁ DE LICENÇA DE OBRA DE EDIFICAÇÃO E/OU DEMOLIÇÃO Registo nº. Data: / / O Funcionário Exmº. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Cascais PEDIDO DE EMISSÃO DO ALVARÁ DE LICENÇA DE OBRA DE EDIFICAÇÃO E/OU DEMOLIÇÃO IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE (Preencher

Leia mais

Índice. Introdução sumária ----------------------------------------------------------------------------- 2

Índice. Introdução sumária ----------------------------------------------------------------------------- 2 Índice Introdução sumária ----------------------------------------------------------------------------- 2 Procedimento geral da obra de construção / ampliação ---------------------------------- 3 Objecto

Leia mais

Lei n. o 7/2013. Regime jurídico da promessa de transmissão. de edifícios em construção. Breve introdução

Lei n. o 7/2013. Regime jurídico da promessa de transmissão. de edifícios em construção. Breve introdução Lei n. o 7/2013 Regime jurídico da promessa de transmissão de edifícios em construção Breve introdução 1. O que regula essencialmente o Regime jurídico da promessa de transmissão de edifícios em construção?

Leia mais

1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008

1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 inferior a 0,8 m 1,2 m, ou, caso se trate de operação urbanística em fracção já existente, confinante com arruamento ou espaço de circulação

Leia mais

APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS (Portaria n.º 1107/2001, de 18 de Setembro) O Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, que aprovou o novo regime

Leia mais

Regulamento do Registo de Nomes de Domínio da Internet na Região Administrativa Especial de Macau

Regulamento do Registo de Nomes de Domínio da Internet na Região Administrativa Especial de Macau Regulamento do Registo de Nomes de Domínio da Internet na Região Administrativa Especial de Macau Artigo 1.º Requisitos gerais 1. Para os efeitos de registo dos nomes de domínio da Internet, adiante designados

Leia mais

Destinatários do financiamento 1. Instituições do ensino superior privadas de Macau, de fins não lucrativos, que já foram oficialmente reconhecidas.

Destinatários do financiamento 1. Instituições do ensino superior privadas de Macau, de fins não lucrativos, que já foram oficialmente reconhecidas. 澳 門 特 別 行 政 區 政 府 高 等 教 育 輔 助 辦 公 室 Governo da Região Administrativa Especial de Macau Gabinete de Apoio ao Ensino Superior Financiamento para as instituições do ensino superior de Macau Instruções para

Leia mais

Lagos. Nome:... Coletiva

Lagos. Nome:... Coletiva REGISTO DE ENTRADA Requerimento n.º de / / Processo n.º / Pago por Guia n.º,. Ao Serviço O Funcionário, Exm.º Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos 1. REQUERENTE Nome:...... NIF Singular Coletiva

Leia mais

NORMAS PARA INSTRUÇÃO DE PROCESSOS

NORMAS PARA INSTRUÇÃO DE PROCESSOS NORMAS PARA INSTRUÇÃO DE PROCESSOS Caro Munícipe, Numa política que visa agilizar procedimentos e diminuir os tempos de resposta em múltiplos processos que, diariamente, dão entrada no Departamento de

Leia mais

PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT

PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT PROCEDIMENTO Ref. Pcd. 3-sGRHF Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT Data: 14 /07/2011 Elaboração Nome: Fátima Serafim e Helena

Leia mais

Índice < 草 稿 -2010.8.12>

Índice < 草 稿 -2010.8.12> D www.dssopt.gov.mo S S Obras de Construção Obras de Ampliação O P T Critérios de Apreciação de Projectos de Obras de Construção e de Ampliação e Instruções de Procedimentos Administrativos Estes critérios

Leia mais

REGULAMENTO Mobilidade Macau

REGULAMENTO Mobilidade Macau Face à parceria estabelecida entre a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE) e o Instituto de Formação Turística em Macau (IFT Macau) no âmbito da qual são facultadas possibilidades de

Leia mais

Licenciamento de Obras Particulares Fase de Arquitetura

Licenciamento de Obras Particulares Fase de Arquitetura Exm. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Grândola Licenciamento de Obras Particulares Fase de Arquitetura Nome: Identificação do Requerente Morada: Código Postal: - Freguesia: Telefone: Telemóvel:

Leia mais

Conselho de Arquitectura, Engenharia e Urbanismo

Conselho de Arquitectura, Engenharia e Urbanismo Acreditação, registo e inscrição nos domínios da construção urbana (Fluxogramas de processamento das situações gerais) Profissionais do sector privado Situação 1) Tomar como referência o fluxograma de

Leia mais

MUNICÍPIO DE OLEIROS. Câmara Municipal

MUNICÍPIO DE OLEIROS. Câmara Municipal REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES Preâmbulo O Decreto-Lei nº. 320/02, de 28 de Dezembro, transfere para as câmaras municipais a competência

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL PREÂMBULO O Decreto-lei nº 39/2008, de 7 de Março, aprovou o regime jurídico da instalação, exploração e funcionamento dos empreendimentos

Leia mais

LICENCIAMENTO / COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO E DEMOLIÇÃO

LICENCIAMENTO / COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO E DEMOLIÇÃO LICENCIAMENTO / COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO E DEMOLIÇÃO Documentos a entregar (consultar instruções em anexo) Para licenciamento e comunicação prévia: 1. Requerimento 2. Cópia do documento

Leia mais

PROCEDIMENTO DE REGISTO DAS ORGANIZAÇÕES NO SISTEMA COMUNITÁRIO DE ECOGESTÃO E AUDITORIA (EMAS) Índice. Alterações Não aplicável 1ª Edição

PROCEDIMENTO DE REGISTO DAS ORGANIZAÇÕES NO SISTEMA COMUNITÁRIO DE ECOGESTÃO E AUDITORIA (EMAS) Índice. Alterações Não aplicável 1ª Edição PROCEDIMENTO DE REGISTO DAS ORGANIZAÇÕES NO SISTEMA COMUNITÁRIO DE ECOGESTÃO E AUDITORIA (EMAS) SQ.E.O.01 - Dezembro 2008 Índice Página 1. Objectivo 2 2. Campo de aplicação 2 3. Documentos de referência

Leia mais

MUNICÍPIO DE VILA DO PORTO

MUNICÍPIO DE VILA DO PORTO REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM Nota justificativa O Decreto Lei nº 167/97, de 4 de Julho, aprovou o regime jurídico de instalação e do funcionamento dos empreendimentos

Leia mais

Ordem de Serviço Nº 03/CA/2011 Presidente do Conselho de Administração

Ordem de Serviço Nº 03/CA/2011 Presidente do Conselho de Administração Ordem de Serviço Nº 03/CA/2011 Presidente do Conselho de Administração ASSUNTO: ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO DE CRÉDITO O Conselho de Administração da Cooperativa de Poupança e Crédito, SCRL, no âmbito das

Leia mais

Proposta de Alteração Normas Municipais de Apoio Social para Melhorias Habitacionais

Proposta de Alteração Normas Municipais de Apoio Social para Melhorias Habitacionais Proposta de Alteração Normas Municipais de Apoio Social para Melhorias Habitacionais Preâmbulo Uma habitação condigna representa um dos vectores fundamentais para a qualidade de vida do ser humano, sendo,

Leia mais

Regulamento Geral. das Zonas de Estacionamento de Duração Limitada

Regulamento Geral. das Zonas de Estacionamento de Duração Limitada Regulamento Geral das Zonas de Estacionamento de Duração Limitada Capitulo I Dos Princípios Gerais Artigo 1º Lei Habilitante O presente Regulamento é elaborado e aprovado ao abrigo das competências conferidas

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM CAPÍTULO 1 AMBITO Artigo 1º. Estabelecimentos de Hospedagem São considerados estabelecimentos de hospedagem, aqueles que não

Leia mais

Regulamento Interno de Funcionamento da Gestão de Reclamações de Tomadores de Seguros, Segurados, Beneficiários ou Terceiros Lesados.

Regulamento Interno de Funcionamento da Gestão de Reclamações de Tomadores de Seguros, Segurados, Beneficiários ou Terceiros Lesados. Regulamento Interno de Funcionamento da Gestão de Reclamações de Tomadores de Seguros, Segurados, Beneficiários ou Terceiros Lesados Artigo 1º Objecto O presente documento tem por objecto estabelecer um

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA- CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA- CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO DE ASCENSORES, MONTA- CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES Preâmbulo O Decreto-Lei n.º 320/2002, de 28 de Dezembro, que entrou em vigor em 28 de Março de 2003,

Leia mais

- Aviso n.º 14/2009-AMCM -

- Aviso n.º 14/2009-AMCM - - Aviso n.º 14/2009-AMCM - ASSUNTO: SUPERVISÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA GUIA PARA AS INSTITUIÇÕES SEGURADORAS AUTORIZADAS REFERENTE AO TRATAMENTO DE QUEIXAS DE TOMADORES DOS SEGUROS/CLIENTES/TERCEIROS

Leia mais

5ª Alteração ao Regulamento de Taxas de Obras Particulares e Loteamentos e tabela de taxas anexa da Câmara Municipal de Santo Tirso

5ª Alteração ao Regulamento de Taxas de Obras Particulares e Loteamentos e tabela de taxas anexa da Câmara Municipal de Santo Tirso 5ª Alteração ao Regulamento de Taxas de Obras Particulares e Loteamentos e tabela de taxas anexa da Câmara Municipal de Santo Tirso Artigo 1.º Alteração ao Regulamento de Taxas de Obras Particulares e

Leia mais

Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro

Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro Portaria n.º 1416-A/2006 de 19 de Dezembro O Decreto-Lei n.º 76-A/2006, de 29 de Março, aprovou um vasto conjunto de medidas de simplificação da vida dos cidadãos e das empresas. Destas, destacam-se a

Leia mais

Estudo sobre o Plano de Reordenamento Urbano do Quadrante Oeste da Rua dos Navegantes da Vila de Coloane. 17 de Junho de 2012

Estudo sobre o Plano de Reordenamento Urbano do Quadrante Oeste da Rua dos Navegantes da Vila de Coloane. 17 de Junho de 2012 Estudo sobre o Plano de Reordenamento Urbano do Quadrante Oeste da Rua dos Navegantes da Vila de Coloane 17 de Junho de 2012 1 Índice 1. Antecedentes do estudo e situação actual 2. Área do estudo e objectivos

Leia mais

TABELA DE TAXAS PARTE B - OPERAÇÕES URBANÍSTICAS QUADRO I. Taxa devida pela apreciação de projectos de loteamento

TABELA DE TAXAS PARTE B - OPERAÇÕES URBANÍSTICAS QUADRO I. Taxa devida pela apreciação de projectos de loteamento TABELA DE TAXAS PARTE B - OPERAÇÕES URBANÍSTICAS Loteamento sem obras de urbanização QUADRO I Taxa devida pela apreciação de projectos de loteamento 1 Informação prévia 95,00 d) 2 Licenciamento 142,00

Leia mais

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9 GUIA DE CONDOMÍNIO Índice Noções gerais sobre a organização de condóminos 3 Assembleia de condomínios / inquilinos 5 O Administrador 7 Regulamento do Condomínio 9 2 Noções gerais sobre a organização de

Leia mais

Se os vários apartamentos que constituem um prédio pertencerem a diferentes proprietários, fala-se então em CONDOMÍNIO.

Se os vários apartamentos que constituem um prédio pertencerem a diferentes proprietários, fala-se então em CONDOMÍNIO. 1 O QUE É A PROPRIEDADE HORIZONTAL? Diz-se que um prédio está constituído em PROPRIEDADE HORIZONTAL, quando está dividido em fracções autónomas, nomeadamente apartamentos ou andares e garagens, desde que

Leia mais

Deliberação n.º 513/2010, de 24 de Fevereiro (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010)

Deliberação n.º 513/2010, de 24 de Fevereiro (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) Define os requisitos de funcionamento dos postos farmacêuticos móveis (Revoga tacitamente o Anexo II, da Deliberação n.º 2473/2010, de 28 de Novembro) O

Leia mais

Processo Nº / / CML. N.º Bilhete Identidade. N.º Bilhete Identidade

Processo Nº / / CML. N.º Bilhete Identidade. N.º Bilhete Identidade Espaço reservado aos serviços do Município EXMO. SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE LAMEGO COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO Processo Nº / / CML REQUERENTE Nome Morada Freguesia N.º Identificação

Leia mais

GUIAS TÉCNICOS. Perguntas frequentes sobre a Legislação do Alojamento Local. Índice

GUIAS TÉCNICOS. Perguntas frequentes sobre a Legislação do Alojamento Local. Índice Índice GUIAS TÉCNICOS Perguntas frequentes sobre a Legislação do Alojamento Local Estabelecimentos de Alojamento Local - Enquadramento - Tenho um imóvel que pretendo explorar como alojamento local, o que

Leia mais

Regime jurídico da qualificação profissional dos técnicos responsáveis por projectos, pela fiscalização de obra e pela direcção de obra

Regime jurídico da qualificação profissional dos técnicos responsáveis por projectos, pela fiscalização de obra e pela direcção de obra Área de Prática - Imobiliário Julho 2009 Regime jurídico da qualificação profissional dos técnicos responsáveis por projectos, pela fiscalização de obra e pela direcção de obra A Lei n.º 31/2009, de 03.07.,

Leia mais

Nº de documento Descrição Observações. (6) Projecto da rede de agua. (Nota 2) (Nota 2) (7) Projecto da rede de drenagem e esgotos.

Nº de documento Descrição Observações. (6) Projecto da rede de agua. (Nota 2) (Nota 2) (7) Projecto da rede de drenagem e esgotos. (1a) Documentos básicos Pedido e índice Documento comprovativo de titularidade da propriedade Procuração Contrato de concessão do terreno Documento comprovativo de liquidação do prémio de concessão Documento

Leia mais

GUIA DE PROJECTO E OBRA

GUIA DE PROJECTO E OBRA GUIA DE PROJECTO E OBRA Processos Prediais Direcção de Engenharia 2010 ÍNDICE 1. Âmbito de Aplicação e Objectivos... 3 2. Competências e Responsabilidades... 3 2.1 Projectista... 3 2.2 ÁGUAS DO SADO...

Leia mais

Parecer N.º 06/P/2009/GPDP. (Extracto)

Parecer N.º 06/P/2009/GPDP. (Extracto) Parecer N.º 06/P/2009/GPDP (Extracto) Assunto: Sobre a publicação, pela Companhia de Telecomunicações de Macau, dos dados do registo dos utilizadores de telefones fixos, na Lista Telefónica Residencial

Leia mais

Regulamento do Programa de Incentivos à Recuperação de fachadas e coberturas de Imóveis degradados situados na Cidadela de Bragança NOTA JUSTIFICATIVA

Regulamento do Programa de Incentivos à Recuperação de fachadas e coberturas de Imóveis degradados situados na Cidadela de Bragança NOTA JUSTIFICATIVA Regulamento do Programa de Incentivos à Recuperação de fachadas e coberturas de Imóveis degradados situados na Cidadela de Bragança NOTA JUSTIFICATIVA Face ao quadro legal em vigor, ao abrigo do qual se

Leia mais

REGULAMENTO DE OPERAÇÕES DO FIEAE

REGULAMENTO DE OPERAÇÕES DO FIEAE REGULAMENTO DE OPERAÇÕES DO FIEAE FIEAE - Fundo Imobiliário Especial de Apoio às Empresas ( FIEAE ) 4 de Junho de 2009 Capítulo I ÂMBITO Artigo 1º 1 - O presente regulamento define a tramitação dos procedimentos

Leia mais

Tabela de Taxas de Edificação e Urbanização no Município de Ponte de Lima para o Ano de 2012

Tabela de Taxas de Edificação e Urbanização no Município de Ponte de Lima para o Ano de 2012 Tabela de Taxas de Edificação e Urbanização no Município de Ponte de Lima para o Ano de 2012 Descrição I. Taxa devida pela apreciação de processos Valor 1. Em operações de loteamento, para emissão de alvará

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MOURA 7860-207 Moura. Taxas e Licenças

CÂMARA MUNICIPAL DE MOURA 7860-207 Moura. Taxas e Licenças Taxas e Licenças Perguntas Frequentes Como posso pedir a carta de caçador? Como posso renovar a carta de caçador? Como posso pedir a 2ª via da carta de caçador? Como devo proceder ao registo de exploração

Leia mais

A QUADRO I - Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou por comunicação prévia de operação de loteamento e ou seus aditamentos

A QUADRO I - Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou por comunicação prévia de operação de loteamento e ou seus aditamentos DESCRIÇÃO T A X Taxas 2011 A QUADRO I - Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou por comunicação prévia de operação de loteamento e ou seus aditamentos 1. Taxa de Apreciação 302,51 2. Emissão do

Leia mais

NOTA JUSTIFICATIVA. a) Revestimento de fachadas

NOTA JUSTIFICATIVA. a) Revestimento de fachadas Proposta de Regulamento do programa de incentivos à recuperação de fachadas, coberturas e vãos de imóveis degradados nos aglomerados urbano nos Concelho de Penamacor NOTA JUSTIFICATIVA Pretende-se com

Leia mais

Tabela de Taxas de Edificação e Urbanização no Município de Ponte de Lima para o Ano de 2015 Descrição I. Taxa devida pela apreciação de processos Valor em euros 1. Em operações de loteamento, para emissão

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 1372-(13)

Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 1372-(13) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 1372-(13) d) Livro de obra, com menção do termo de abertura; e) Plano de segurança e saúde. 2 Quando a emissão do alvará seja antecedida de deferimento

Leia mais

(Regulamentação do D.L. N.º 68/2002, de 25 de Março)

(Regulamentação do D.L. N.º 68/2002, de 25 de Março) PROCEDIMENTOS DE LICENCIAMENTO DE INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE MICROPRODUÇÃO COM AUTOCONSUMO DO GRUPO II Aprovados por Despacho do Director-Geral de Energia, de 29 de Outubro de 2003. (Regulamentação do D.L.

Leia mais

AÇOREANA Companhia de Seguros. Informação de Procedimentos. Gestão de Sinistros Automóvel

AÇOREANA Companhia de Seguros. Informação de Procedimentos. Gestão de Sinistros Automóvel Informação de Procedimentos de Gestão de Sinistros Automóvel 1. PARTICIPAÇÃO DO ACIDENTE Deve ser feita em impresso de Declaração Amigável de Acidente Automóvel (DAAA), ou através de qualquer outro meio

Leia mais

Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos

Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos REGISTO DE ENTRADA Requerimento n.º de / / Processo n.º / Pago por Guia n.º,. Ao Serviço O Funcionário, Exmº. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lagos COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO EM

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS Registo de entrada RESERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS (Art.º 76º do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

Goodyear Primavera 2014. Bases legais

Goodyear Primavera 2014. Bases legais Goodyear Primavera 2014 Bases legais I. DURAÇÃO A campanha: GOODYEAR PRIMAVERA 2014 tem por destinatários os utilizadores finais e uma duração apenas válida para compras efectuadas entre o dia 17 de Março

Leia mais

REGIME JURÍDICO DO TURISMO NO ESPAÇO RURAL

REGIME JURÍDICO DO TURISMO NO ESPAÇO RURAL REGIME JURÍDICO DO TURISMO NO ESPAÇO RURAL O Turismo no Espaço Rural consiste no conjunto de actividades e serviços de alojamento e animação a turistas em empreendimentos de natureza familiar realizados

Leia mais

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares Reg. N.º Em / / Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome: BI/Cartão de Cidadão: Arquivo: Validade: / / N.º de Identificação Fiscal: Morada: Freguesia:

Leia mais

1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico

1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico 1. Contextualização da segurança, higiene e saúde do trabalho no regime jurídico O documento legislativo que estabelece o regime jurídico de enquadramento da segurança, higiene e saúde no trabalho é determinado

Leia mais

Regulamento para Venda de Fracções Municipais Habitacionais Devolutas a Jovens, através de Concurso, por Sorteio

Regulamento para Venda de Fracções Municipais Habitacionais Devolutas a Jovens, através de Concurso, por Sorteio Regulamento para Venda de Fracções Municipais Habitacionais Devolutas a Jovens, através de Concurso, por Sorteio Versão final aprovada pela Câmara Municipal através da Deliberação 537/CM/72011, de 28 de

Leia mais

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA N.º 48 2-12-2009 BOLETIM OFICIAL DA REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU II SÉRIE 14591 社 會 文 化 司 司 長 辦 公 室 批 示 摘 錄 摘 錄 自 行 政 長 官 於 二 零 零 九 年 九 月 八 日 作 出 的 批 示 : 根 據 現 行 澳 門 公 共 行 政 工 作 人 員 通 則 第 二

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Lotes de Terreno para Autoconstrução

Regulamento de Atribuição de Lotes de Terreno para Autoconstrução CAPÍTULO I PROCESSO DE CEDÊNCIA Artigo 1.º Do regime Os lotes de terreno serão vendido em regime de direito de superfície sempre e quando se destinem a agregados familiares para habitação própria. Artigo

Leia mais

5 - Onde posso obter aconselhamento médico, nomeadamente em situações de urgência?

5 - Onde posso obter aconselhamento médico, nomeadamente em situações de urgência? Perguntas Frequentes A leitura das presentes F&A não dispensa a consulta da informação pré-contratual e contratual legalmente exigida disponível em qualquer Mediador ou Delegação Zurich. O presente documento

Leia mais

MÉTODO DE AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DE IMÓVEIS Análise de Dois Anos de Aplicação

MÉTODO DE AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DE IMÓVEIS Análise de Dois Anos de Aplicação MÉTODO DE AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DE IMÓVEIS Análise de Dois Anos de Aplicação João Branco Pedro * jpedro@lnec.pt António Vilhena avilhena@lnec.pt José Vasconcelos de Paiva jvpaiva@lnec.pt Resumo

Leia mais

Portal Web de Apoio às Filiadas

Portal Web de Apoio às Filiadas Portal Web de Apoio às Filiadas Manual de Utilizador Externo Titularidade: FCMP Data: 2014-02-03 Versão: 1 1 1. Introdução 3 2. Descrição das Funcionalidades 4 2.1. Entrada no sistema e credenciação de

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE RECINTOS DE ESPECTÁCULOS E DIVERTIMENTOS PÚBLICOS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE RECINTOS DE ESPECTÁCULOS E DIVERTIMENTOS PÚBLICOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE RECINTOS DE ESPECTÁCULOS E DIVERTIMENTOS PÚBLICOS PREÂMBULO O novo regime jurídico dos espectáculos de natureza artística e não artística, tendo transferido

Leia mais

ANTES DE PREENCHER LEIA ATENTAMENTE TODO O IMPRESSO E CONSULTE AS INSTRUÇÕES

ANTES DE PREENCHER LEIA ATENTAMENTE TODO O IMPRESSO E CONSULTE AS INSTRUÇÕES ANTES DE PREENCHER LEIA ATENTAMENTE TODO O IMPRESSO E CONSULTE AS INSTRUÇÕES MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DOS IMPOSTOS IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS (IMI) DECLARAÇÃO PARA INSCRIÇÃO OU ACTUALIZAÇÃO

Leia mais

Estabelecimentos de Actividade Farmacêutica

Estabelecimentos de Actividade Farmacêutica DSSOPT SS DSAL CB Estabelecimentos de Actividade Farmacêutica Farmácia Firma de importação, exportação e venda por grosso de produtos farmacêuticos Drogaria Farmácia chinesa Trâmites para o Pedido de Emissão

Leia mais

Projeto de alteração ao Regulamento Municipal sobre Toponímia e Numeração de Polícia

Projeto de alteração ao Regulamento Municipal sobre Toponímia e Numeração de Polícia Projeto de alteração ao Regulamento Municipal sobre Toponímia e Numeração de Polícia Considerando os recentes inconvenientes na distribuição postal, nomeadamente, para as habitações onde não existe numeração

Leia mais

Portaria Nº4/92 CAPITULO I. Artigo1º (Âmbito de aplicação) Artigo 2º. (Modelos de impressos)

Portaria Nº4/92 CAPITULO I. Artigo1º (Âmbito de aplicação) Artigo 2º. (Modelos de impressos) Portaria Nº4/92 Tornando-se necessário regulamentar os procedimentos relativos á declaração prévia de projectos industriais e ao Cadastro Industrial, estabelecidos pelo Estatuto Industrial. Em cumprimento

Leia mais

Série SUMÁRIO. Jornal da República PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR - LESTE. Quarta-Feira, 1 de Fevereiro de 2006 $ 0.

Série SUMÁRIO. Jornal da República PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR - LESTE. Quarta-Feira, 1 de Fevereiro de 2006 $ 0. Jornal da República Quarta-Feira, 1 de Fevereiro de 2006 Série1, Série Nº.1 I, N. 1 $ 0.25 PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR

Leia mais

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual de Utilização Direcção dos Serviços de Economia do Governo da RAEM Novembro de 2014 SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual

Leia mais

LAMTec-ID, Laboratório de Ambiente Marinho e Tecnologia. REGULAMENTO DE BOLSAS LAMTec-ID (ATRIBUÍDAS NO ÂMBITO DE PROJECTOS DO LAMTec-ID)

LAMTec-ID, Laboratório de Ambiente Marinho e Tecnologia. REGULAMENTO DE BOLSAS LAMTec-ID (ATRIBUÍDAS NO ÂMBITO DE PROJECTOS DO LAMTec-ID) LAMTec-ID, Laboratório de Ambiente Marinho e Tecnologia REGULAMENTO DE BOLSAS LAMTec-ID (ATRIBUÍDAS NO ÂMBITO DE PROJECTOS DO LAMTec-ID) CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º (Âmbito) 1. O presente Regulamento,

Leia mais

Plano de admissão de membros na Associação para a Leitura das bibliotecas. do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais 2009

Plano de admissão de membros na Associação para a Leitura das bibliotecas. do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais 2009 P222/09 1 Plano de admissão de membros na Associação para a Leitura das bibliotecas do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais 2009 Data de admissão: A partir de 2 de Janeiro de 2009. Objectivo:

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES PERGUNTAS MAIS FREQUENTES REGIME JURÍDICO DA (RJ-SCIE) (Decreto-Lei n.º 220/2008, de 12 de Novembro) REGULAMENTO TÉCNICO DE SCIE (RT-SCIE) (Portaria n.º 1532/2008, de 29 de Dezembro) E LEGISLAÇÃO/DOCUMENTOS

Leia mais

O FNBM Online Banking lhe é fornecido pelo First National Bank Moçambique SA, uma instituição financeira registada.

O FNBM Online Banking lhe é fornecido pelo First National Bank Moçambique SA, uma instituição financeira registada. FNB MOÇAMBIQUE Online Banking Termos e Condições Aceitação O FNBM Online Banking lhe é fornecido pelo First National Bank Moçambique SA, uma instituição financeira registada. Estes termos e condições que

Leia mais

ANEXO XI DECLARAÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL - DISO

ANEXO XI DECLARAÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL - DISO ANEXO XI DECLARAÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL - DISO MINISTÉRIO DA FAZENDA MF - RFB DECLARAÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DISO 1 Folha N Quantidade 2 Órgão Receptor:

Leia mais

INSTRUÇÕES DE APLICAÇÃO

INSTRUÇÕES DE APLICAÇÃO Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações Laboratório Nacional de Engenharia Civil Lisboa, Outubro de 2007 Método de avaliação do estado de conservação de imóveis INSTRUÇÕES DE APLICAÇÃO

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIDÃO DE PLANO DE PORMENOR PARA EFEITOS DE REGISTO PREDIAL

EMISSÃO DE CERTIDÃO DE PLANO DE PORMENOR PARA EFEITOS DE REGISTO PREDIAL Registo n.º Data / / O Funcionário Exmº. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Cascais EMISSÃO DE CERTIDÃO DE PLANO DE IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE (Preencher com letra maiúscula) Nome/Designação/Representantes

Leia mais

uma vasta protecção para quem lhe exige sempre o melhor serviço serviços

uma vasta protecção para quem lhe exige sempre o melhor serviço serviços uma vasta protecção para quem lhe exige sempre o melhor serviço serviços segurtrade serviços Segurtrade - Serviços é uma solução de protecção, desenvolvida para pequenas e médias empresas que exercem

Leia mais

Novo Regime de Licenciamento dos Estabelecimentos de Restauração ou Bebidas

Novo Regime de Licenciamento dos Estabelecimentos de Restauração ou Bebidas dos Estabelecimentos de Restauração ou Bebidas DECRETO-LEI N.º 234/2007, DE 19 DE JUNHO ( ENTROU EM VIGOR EM 19 DE JULHO DE 2007 ) 1 PRINCIPAIS ALTERAÇÕES 1 PRINCIPAIS ALTERAÇÕES a) Ao nível das competências

Leia mais

Proprietário Mandatário Usufrutuário Superficiário Promitente comprador

Proprietário Mandatário Usufrutuário Superficiário Promitente comprador 1/6 REQUERIMENTO PARA: PEDIDO DE OCUPAÇÃO DA VIA PÚBLICA PARA REALIZAÇÃO DE OBRAS Despacho: Espaço reservado aos serviços Nº Reg. DUR Data: / / Nº Guia: Valor: Rubrica: Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

PROPOSTA DE SEGURO TODOS OS RISCOS ACTIVOS

PROPOSTA DE SEGURO TODOS OS RISCOS ACTIVOS PROPOSTA DE SEGURO TODOS OS RISCOS ACTIVOS INTERNATIONAL COMMERCIAL AND ENGINEERING ICE SEGUROS S.A. 141A Rua José Craveirinha Bairro de Polana Cidade de Maputo Moçambique INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO

Leia mais

AUTORIZAÇÕES, COMUNICAÇÕES OU DOCUMENTAÇÃO DE ENVIO OBRIGATÓRIO À INSPECÇÃO-GERAL DO TRABALHO

AUTORIZAÇÕES, COMUNICAÇÕES OU DOCUMENTAÇÃO DE ENVIO OBRIGATÓRIO À INSPECÇÃO-GERAL DO TRABALHO AUTORIZAÇÕES, COMUNICAÇÕES OU DOCUMENTAÇÃO DE ENVIO OBRIGATÓRIO À INSPECÇÃO-GERAL DO TRABALHO Data de emissão Janeiro 2005 Data de revisão Janeiro 2005 Autor GabIGT Acesso Público 1 ÍNDICE Págs. 1. INÍCIO

Leia mais

BENEFÍCIOS FISCAIS PARA A REABILITAÇÃO URBANA ENQUADRAMENTO LEGAL

BENEFÍCIOS FISCAIS PARA A REABILITAÇÃO URBANA ENQUADRAMENTO LEGAL BENEFÍCIOS FISCAIS PARA A REABILITAÇÃO URBANA ENQUADRAMENTO LEGAL Refere o Decreto-Lei nº 307/2009 de 23 de Outubro No artigo 2º Definições i) «Reabilitação de edifícios» a forma de intervenção destinada

Leia mais

TABELA ANEXA DE TAXAS

TABELA ANEXA DE TAXAS TABELA ANEXA DE TAXAS Actualizada de acordo com o artigo 80º (De Fev. 2008 a Fev. 2009) QUADRO I Emissão de alvará de licença ou autorização de loteamento e de obras de urbanização 1. Emissão do alvará

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ

CÂMARA MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ CADERNO DE ENCARGOS ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA NO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Ano Lectivo 2008/2009-1 - ÍNDICE Artº 1º Objecto do concurso Artº 2º Âmbito Artº 3º Concorrentes Artº 4º Professores da Actividade

Leia mais

I-Ispra: Fornecimento de um grupo electrogéneo trifásico 2012/S 187-306516. Anúncio de concurso. Fornecimentos

I-Ispra: Fornecimento de um grupo electrogéneo trifásico 2012/S 187-306516. Anúncio de concurso. Fornecimentos 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:306516-2012:text:pt:html I-Ispra: Fornecimento de um grupo electrogéneo trifásico 2012/S 187-306516 Anúncio de concurso

Leia mais