Conselho de Arquitectura, Engenharia e Urbanismo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conselho de Arquitectura, Engenharia e Urbanismo"

Transcrição

1 Acreditação, registo e inscrição nos domínios da construção urbana (Fluxogramas de processamento das situações gerais) Profissionais do sector privado Situação 1) Tomar como referência o fluxograma de processamento 1 (Para o requerente cuja situação corresponda ao estabelecido nas disposições Possui inscrição válida de 2014, formalizou o pedido de renovação da inscrição através do procedimento legal em 2015 e encontra-se inscrito por período de 1 ano ou mais até 1 de Julho de 2015 (à data da entrada em vigor da Lei nº 1/2015). Preencher o impresso CA01 Seleccionar a coluna A na segunda parte do impresso. Situação 2) Tomar como referência o fluxograma de processamento 2 Possui inscrição válida de 2014, formalizou o pedido de renovação da inscrição através do procedimento legal em 2015 e encontra-se inscrito por período inferior a 1 ano até 1 de Julho de 2015 (à data da entrada em vigor da Lei nº 1/2015). Preencher o impresso CA01 Seleccionar a coluna A na segunda parte do impresso. Situação 3) Tomar como referência o fluxograma de processamento 2 Nos termos do disposto no Decreto-Lei nº 79/85/M (RGCU), encontra-se inscrito na DSSOPT a partir de 6 de Janeiro de 2015 e exercia funções na RAEM à data da publicação da Lei nº 1/2015 (5 de Janeiro de 2015) nos domínios da construção urbana ou do urbanismo. Situação 4) Tomar como referência o fluxograma de processamento 3 (Situação que não corresponda ao estabelecido nas disposições Nos termos do disposto no Decreto-Lei nº 79/85/M (RGCU), encontra-se inscrito na DSSOPT a partir de 6 de Janeiro de 2015, no entanto, não exercia funções na RAEM à data da publicação da Lei nº 1/2015 (5 de Janeiro de 2015) nos domínios da construção urbana ou do urbanismo. Preencher os impressos CA02, CA04, CA05 e CA08. Página 1/8

2 Situação 5) Tomar como referência o fluxograma de processamento 2 Nunca efectuou inscrição na DSSOPT, no entanto, exercia funções na RAEM à data da publicação da Lei nº 1/2015 (5 de Janeiro de 2015) nos domínios da construção urbana ou do urbanismo. Situação 6) Tomar como referência o fluxograma de processamento 3 (Situação que não corresponda ao estabelecido nas disposições Nunca efectuou inscrição na DSSOPT nem exercia funções na RAEM à data da publicação da Lei nº 1/2015 (5 de Janeiro de 2015) nos domínios da construção urbana ou do urbanismo. Preencher os impressos CA02, CA04, CA05 e CA08. Situação 7) Tomar como referência o fluxograma de processamento 2 Anteriormente inscrito na DSSOPT, mas não possui inscrição válida de 2014, e exercia funções na RAEM à data da publicação da Lei nº 1/2015 (5 de Janeiro de 2015) nos domínios da construção urbana ou do urbanismo. Situação 8) Tomar como referência o fluxograma de processamento 3 (Situação que não corresponda ao estabelecido nas disposições Anteriormente inscrito na DSSOPT, mas não possui inscrição válida de 2014, nem exercia funções na RAEM à data da publicação da Lei nº 1/2015 (5 de Janeiro de 2015) nos domínios da construção urbana ou do urbanismo. Preencher os impressos CA02, CA04, CA05 e CA08. Situação 9) Tomar como referência o fluxograma de processamento 2 Possui inscrição válida de 2014, mas não formalizou o pedido de renovação da inscrição através do procedimento legal em 2015, e exercia funções na RAEM à data da publicação da Lei nº 1/2015 (5 de Janeiro de 2015) nos domínios da construção urbana ou do urbanismo. Página 2/8

3 Situação 10) Tomar como referência o fluxograma de processamento 3 (Situação que não corresponda ao estabelecido nas disposições Possui inscrição válida de 2014, mas não formalizou o pedido de renovação da inscrição através do procedimento legal em 2015, nem exercia funções na RAEM à data da publicação da Lei nº 1/2015 (5 de Janeiro de 2015) nos domínios da construção urbana ou do urbanismo. Preencher os impressos CA02, CA04, CA05 e CA08. Trabalhadores da Administração Pública (devem trabalhar nos serviços da Administração Pública aquando da realização do pedido) Situação 11) Tomar como referência o fluxograma de processamento 4 Exercia funções na RAEM à data da publicação da Lei nº 1/2015 (5 de Janeiro de 2015) nos domínios da construção urbana ou do urbanismo. Situação 12) Tomar como referência o fluxograma de processamento 5 (Situação que não corresponda ao estabelecido nas disposições Não exercia funções na RAEM à data da publicação da Lei nº 1/2015 (5 de Janeiro de 2015) nos domínios da construção urbana ou do urbanismo. Preencher os impressos CA03 e CA08. Obs.: As disposições relativas ao regime transitório são aplicadas aos pedidos apresentados no prazo de dois anos a contar da data da entrada em vigor da Lei nº 1/2015 (1 de Julho de 2015 a 30 de Junho de 2017). Página 3/8

4 Acreditação, registo e inscrição nos domínios da construção urbana Fluxograma de processamento 1 Dispensa de estágio Dispensa de exame de admissão Preenchimento do impresso CA01 Aceitação de acreditação e de registo Pedido de renovação da inscrição Preenchimento do impresso I001 Taxas: $6.000 patacas (Elaboração de projectos) $6.000 patacas (Direcção de obras) $6.000 patacas (Fiscalização de obras) O requerente possui qualificação para o exercício de funções Página 4/8

5 Acreditação, registo e inscrição nos domínios da construção urbana Fluxograma de processamento 2 流 程 圖 2 Dispensa de estágio 豁 免 實 習 Dispensa de exame de admissão 豁 免 認 可 考 試 Preenchimento do impresso CA01 申 請 認 可 和 登 記 填 寫 申 請 表 C001 費 用 : 澳 門 幣 $1,000 委 員 會 資 格 審 查 Aceitação de acreditação e de registo 接 受 認 可 和 登 記 發 出 專 業 證 明 Frequência de uma acção de formação especial Pedido de inscrição ou de renovação da inscrição Preenchimento do impresso I001 Taxas: $6.000 patacas (Elaboração de projectos) $6.000 patacas (Direcção de obras) $6.000 patacas (Fiscalização de obras) 申 請 註 冊 或 註 冊 續 期 填 寫 申 請 表 I001 O requerente possui qualificação para o exercício de funções 費 用 : 澳 門 幣 $6,000 ( 計 劃 編 製 ) 澳 門 幣 具 $6,000 備 執 業 ( 資 工 程 格 指 導 ) 澳 門 幣 $6,000 ( 工 程 監 察 ) Página 5/8

6 Acreditação, registo e inscrição nos domínios da construção urbana (Situação que não corresponda ao estabelecido nas disposições Fluxograma de processamento 3 3 程 圖 3 Pedido de admissão ao estágio Preenchimento do impresso CA04 Taxa: $300 patacas 填 寫 申 請 表 C003 費 用 : 澳 門 幣 $300 委 員 會 資 格 審 查 O candidato completou o estágio O candidato declara que completou o estágio Preenchimento do impresso CA05 O Conselho confirma que o estágio foi completado Realização de exame de admissão Preenchimento do impresso CA08 Taxa: $300 patacas 填 寫 申 請 表 C009 費 用 : 澳 門 幣 $300 Aprovação no exame de admissão Preenchimento do impresso CA02 填 寫 申 請 表 C002 費 用 : 澳 門 幣 $1,000 委 員 會 資 格 審 查 發 出 專 業 證 明 Pedido de inscrição Preenchimento do impresso I001 Taxas: $6.000 patacas (Elaboração de projectos) $6.000 patacas (Direcção de obras) $6.000 patacas (Fiscalização de obras) O candidato possui qualificação para o exercício de funções 具 備 執 業 資 格 Página 6/8

7 Acreditação e registo nos domínios da construção urbana Trabalhadores da Administração Pública Fluxograma de processamento 4 Dispensa de estágio Dispensa de exame de admissão Preenchimento do impresso CA01 Aceitação de acreditação e de registo Página 7/8

8 Acreditação e registo nos domínios da construção urbana Trabalhadores da Administração Pública (Situação que não corresponda ao estabelecido nas disposições Fluxograma de processamento 5 O candidato deve exercer as respectivas funções há, pelo menos, três anos consecutivos, na entidade pública Preenchimento do impresso CA03 0 O candidato possui qualificação para participar no exame de admissão Realização de exame de admissão Preenchimento do impresso CA08 Taxa: $300 patacas Aprovação no exame de admissão O Conselho delibera a dispensa de estágio e a aceitação de acreditação e de registo Página 8/8

Formação especial. Pedido de acreditação e registo. O pedido é apresentado ao. CAEU no prazo de 2 anos a contar do dia 1 de Julho de 2015

Formação especial. Pedido de acreditação e registo. O pedido é apresentado ao. CAEU no prazo de 2 anos a contar do dia 1 de Julho de 2015 Fluxograma do processamento de acreditação e registo, inscrição e renovação para a qualificação para o exercício de funções - Regime de qualificações nos domínios da construção urbana Situação Requisitos

Leia mais

Regime de qualificações nos domínios da construção urbana e do urbanismo Perguntas e respostas sobre a inscrição/renovação da inscrição

Regime de qualificações nos domínios da construção urbana e do urbanismo Perguntas e respostas sobre a inscrição/renovação da inscrição Regime de qualificações nos domínios da construção urbana e do urbanismo Perguntas e respostas sobre a inscrição/renovação da inscrição 1. Quais as instruções a seguir pelos técnicos que pretendam exercer

Leia mais

CANDIDATURAS ON-LINE. (http://www.siga.ipca.pt/cssnet)

CANDIDATURAS ON-LINE. (http://www.siga.ipca.pt/cssnet) CANDIDATURAS ON-LINE (http://www.siga.ipca.pt/cssnet) INTRODUÇÃO O presente documento consiste numa breve descrição do processo de candidaturas, online, de acesso aos cursos do IPCA. Encontra-se organizado

Leia mais

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO Aprovado em reunião da Comissão Coordenadora do Conselho Científico em 22/11/2006 Aprovado em reunião de Plenário do Conselho Directivo em 13/12/2006 PREÂMBULO

Leia mais

1. Condições de inscrição

1. Condições de inscrição Comissão de Registo dos Auditores e dos Contabilistas Regulamento das provas para inscrição inicial e revalidação de registo como auditor de contas Nos termos da alínea c) do nº 2 do artigo 4º do Estatuto

Leia mais

Programa de Formação de Talentos de Macau Programa de Apoio Financeiro para Frequência do Programa Líderes Mundiais da Universidade de Cambridge

Programa de Formação de Talentos de Macau Programa de Apoio Financeiro para Frequência do Programa Líderes Mundiais da Universidade de Cambridge Programa de Formação de Talentos de Macau Programa de Apoio Financeiro para Frequência do Programa Líderes Mundiais da Universidade de Cambridge Regulamento 1. Objectivo do Programa: Com o apoio financeiro

Leia mais

DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS CAPACIDADE PROFISSIONAL PARA A ACTIVIDADE DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS

DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS CAPACIDADE PROFISSIONAL PARA A ACTIVIDADE DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS CAPACIDADE PROFISSIONAL PARA A ACTIVIDADE DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA AS ENTIDADES FORMADORAS ÍNDICE OBJECTIVOS

Leia mais

A DEMOLIÇÃO DAS OBRAS ILEGAIS INSTRUÇÕES PARA. Março de 2013. Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Linha de informação

A DEMOLIÇÃO DAS OBRAS ILEGAIS INSTRUÇÕES PARA. Março de 2013. Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Linha de informação INSTRUÇÕES PARA A DEMOLIÇÃO DAS OBRAS ILEGAIS Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes Março de 2013 Linha de informação 8590 3800 Estas instruções serão actualizadas periodicamente

Leia mais

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL Manual de Utilização - Gestão de Utilizador Direcção dos Serviços de Economia do Governo da RAEM SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010 APROVADA POR DELIBERAÇÃO DA COMISSÃO DIRECTIVA DE 19-03-2010 Altera o nº 4 da Orientação de Gestão nº 7/2008 e cria o ANEXO III a preencher pelos Beneficiários para registo

Leia mais

Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais. Procedimentos

Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais. Procedimentos Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais EQUASS Assurance Procedimentos 2008 - European Quality in Social Services (EQUASS) Reservados todos os direitos. É proibida a reprodução total ou parcial

Leia mais

Gestão de Estágios e Projectos de Investigação Manual de Utilizador - Aluno

Gestão de Estágios e Projectos de Investigação Manual de Utilizador - Aluno Gestão de Estágios e Projectos de Investigação Manual de Utilizador - Aluno GESTÃO DE ESTÁGIOS E PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO MANUAL DE UTILIZADOR - ALUNO Passaremos a demonstrar quais os passos a dar para

Leia mais

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual de Utilização Direcção dos Serviços de Economia do Governo da RAEM Novembro de 2014 SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual

Leia mais

Regulamento Geral da Formação

Regulamento Geral da Formação Regulamento Geral da Formação Regulamento n.º 32/2006, de 3 de Maio publicado no Diário da República, II Série, n.º 85, de 3 de Maio de 2006 Artigo 1.º Objecto 1 Este regulamento define as regras relativas

Leia mais

Certidão Permanente. Manual de Procedimentos

Certidão Permanente. Manual de Procedimentos Certidão Permanente Manual de Procedimentos Procedimentos da Certidão Permanente On-line Sim 2. Elaborar Pedido de Subscrição 1. Autenticar apresentante / Login 1.1. Subscrição da Certidão? 4. Efectuar

Leia mais

Regulamento da Creditação

Regulamento da Creditação Regulamento da Creditação Por decisão do Director, ouvido o Conselho Técnico-Científico, é aprovado o presente Regulamento da Creditação, que visa disciplinar o processo de creditação, nos termos definidos

Leia mais

Procedimentos e documentos necessários para a instrução do pedido de Autorização

Procedimentos e documentos necessários para a instrução do pedido de Autorização Autorização para o exercício da actividade de mediação de seguros Entidade competente: Autoridade Monetária de Macau Departamento de Supervisão de Seguros (AMCM DSG) Endereço:Calçada do Gaio, N 24 e 26,

Leia mais

Incentivos à contratação

Incentivos à contratação Incentivos à contratação A empresa poderá beneficiar de incentivos quando pretende contratar novos trabalhadores. Os incentivos de que as empresas podem usufruir quando contratam novos trabalhadores podem

Leia mais

INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE LISBOA. Regulamento de provas de avaliação da capacidade para a frequência dos maiores de 23 anos

INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE LISBOA. Regulamento de provas de avaliação da capacidade para a frequência dos maiores de 23 anos INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE LISBOA Diário da República, 2.ª série N.º 186 26 de Setembro de 2006 Regulamento n.º 184/2006 Regulamento de provas de avaliação da capacidade para

Leia mais

Lei n. o 7/2013. Regime jurídico da promessa de transmissão. de edifícios em construção. Breve introdução

Lei n. o 7/2013. Regime jurídico da promessa de transmissão. de edifícios em construção. Breve introdução Lei n. o 7/2013 Regime jurídico da promessa de transmissão de edifícios em construção Breve introdução 1. O que regula essencialmente o Regime jurídico da promessa de transmissão de edifícios em construção?

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS I A Comissão Directiva do POPH informa que decorre entre os dias 30 de Janeiro e 3 de Março de 2008 o período para apresentação de candidaturas ao Programa Operacional

Leia mais

Colégio de Especialidade de Análises Clínicas. Normas para Atribuição do Título de Especialista em Análises Clínicas

Colégio de Especialidade de Análises Clínicas. Normas para Atribuição do Título de Especialista em Análises Clínicas Colégio de Especialidade de Análises Clínicas Normas para Atribuição do Título de Especialista em Análises Clínicas 30 Novembro 2011 SECÇÃO I Disposições Gerais Artigo 1º É da competência da Ordem dos

Leia mais

Proposta de adesão ao Programa de Comparticipação nos Cuidados de Saúde 2012

Proposta de adesão ao Programa de Comparticipação nos Cuidados de Saúde 2012 澳 門 衛 特 別 生 行 政 局 區 政 府 Governo da Região Administrativa de Macau Serviços de Saúde Proposta de adesão ao Programa de Comparticipação nos Cuidados de Saúde 2012 (1.ª Parte) Unidades Privadas de Saúde que

Leia mais

1.1 Candidaturas on-line

1.1 Candidaturas on-line 1.1 Candidaturas on-line Para efectuar o processo de candidatura o candidato deverá aceder ao portal da ESML (este link está posicionado na área do Concurso local de acesso, mas existirá o mesmo noutro

Leia mais

Instituto Superior Politécnico de Manica Regulamento de Bolsas de Estudos

Instituto Superior Politécnico de Manica Regulamento de Bolsas de Estudos REPUBLICA DE MOÇAMBIQUE Instituto Superior Politécnico de Manica Regulamento de Bolsas de Estudos Deliberação nº /CI/2007 Reunido em sua Sessão Ordinária no dia 6 de Setembro de 2007, a Comissão Instaladora

Leia mais

CANDIDATURAS ON LINE CSS NET FMV-ULISBOA. 1.1 Candidaturas on-line

CANDIDATURAS ON LINE CSS NET FMV-ULISBOA. 1.1 Candidaturas on-line 1.1 Candidaturas on-line css net Para efectuar o processo de candidatura o candidato deverá aceder à pagina de internet da Faculdade http://www.fmv.ulisboa.pt e aceder através de candidatos/condições de

Leia mais

ESCOLA PROFISSIONAL DE FELGUEIRAS ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

ESCOLA PROFISSIONAL DE FELGUEIRAS ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ESCOLA PROFISSIONAL DE FELGUEIRAS ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º Denominação A Escola Profissional adopta a designação de ESCOLA PROFISSIONAL DE FELGUEIRAS e a abreviatura EPF. ARTIGO

Leia mais

1.1 Candidaturas on-line

1.1 Candidaturas on-line 1.1 Candidaturas on-line Este manual é um documento de passo a passo de como efetuar a sua candidatura. As imagens apresentadas são exemplos do processo de candidaturas. De acordo com o regime de candidatura

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Treinadores. Patinagem Artística Grau I

Regulamento dos Cursos de Treinadores. Patinagem Artística Grau I Regulamento dos Cursos de Treinadores Patinagem Artística Grau I 1. Organização A responsabilidade dos Cursos de Treinadores é da Federação de Patinagem de Portugal (FPP), através da Direcção Técnica Nacional

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: 9, nº 28. Assunto:

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: 9, nº 28. Assunto: FICHA DOUTRINÁRIA Diploma: Artigo: Assunto: CIVA 9, nº 28 Seguros enquadramento da actividade de call center na prestação de serviços a empresas seguradoras e correctoras de seguros - despacho do SDG dos

Leia mais

PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014-2015 PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014 / 2015

PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014-2015 PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014 / 2015 PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014 / 2015 30-06-2014 INTRODUÇÃO Este sistema de propinas e emolumentos constitui um mecanismo inovador que permite ao estudante fasear e planear o seu plano de estudos curricular,

Leia mais

A ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

A ACESSO AO ENSINO SUPERIOR A ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 1. Concurso Nacional de Acesso 1.1. Quem pode candidatar-se ao ensino superior? Podem candidatar-se ao ensino superior, os estudantes que satisfaçam cumulativamente, as seguintes

Leia mais

Regulamento do Registo de Nomes de Domínio da Internet na Região Administrativa Especial de Macau

Regulamento do Registo de Nomes de Domínio da Internet na Região Administrativa Especial de Macau Regulamento do Registo de Nomes de Domínio da Internet na Região Administrativa Especial de Macau Artigo 1.º Requisitos gerais 1. Para os efeitos de registo dos nomes de domínio da Internet, adiante designados

Leia mais

PROCEDIMENTO DE REGISTO DAS ORGANIZAÇÕES NO SISTEMA COMUNITÁRIO DE ECOGESTÃO E AUDITORIA (EMAS) Índice. Alterações Não aplicável 1ª Edição

PROCEDIMENTO DE REGISTO DAS ORGANIZAÇÕES NO SISTEMA COMUNITÁRIO DE ECOGESTÃO E AUDITORIA (EMAS) Índice. Alterações Não aplicável 1ª Edição PROCEDIMENTO DE REGISTO DAS ORGANIZAÇÕES NO SISTEMA COMUNITÁRIO DE ECOGESTÃO E AUDITORIA (EMAS) SQ.E.O.01 - Dezembro 2008 Índice Página 1. Objectivo 2 2. Campo de aplicação 2 3. Documentos de referência

Leia mais

Ao abrigo do disposto nos artigos 7.º e 26.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto:

Ao abrigo do disposto nos artigos 7.º e 26.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto: Legislação Portaria n.º 1326/2004, de 19 de Outubro Publicada no D.R. n.º 246, I Série-B, de 19 de Outubro de 2004 SUMÁRIO: Define a avaliação da capacidade profissional, bem como os critérios de adequação

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS REGULAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS N.º 2 do art.º 62.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 224/2008, de 20 de Novembro PREÂMBULO

Leia mais

M a n u a l d o C a n d i d a t o

M a n u a l d o C a n d i d a t o Para efectuar o processo de candidatura deverá aceder ao site abaixo indicado. Link: http://ff.academicos.ul.pt/cssnetff Para iniciar o processo é necessário clicar no tipo de curso que se pretende candidatar,

Leia mais

CONSERVATÓRIO SUPERIOR DE MUSICA DE GAIA REGULAMENTO INTERNO PRELIMINAR. Artigo 1º Âmbito

CONSERVATÓRIO SUPERIOR DE MUSICA DE GAIA REGULAMENTO INTERNO PRELIMINAR. Artigo 1º Âmbito CONSERVATÓRIO SUPERIOR DE MUSICA DE GAIA REGULAMENTO INTERNO PRELIMINAR Artigo 1º Âmbito 1. O presente Regulamento Interno aplica-se indistintamente aos dois cursos ministrados no Conservatório Superior

Leia mais

Assistência Social. Instituto de Acção Social (IAS) Serviço de Apoio a Idosos

Assistência Social. Instituto de Acção Social (IAS) Serviço de Apoio a Idosos Assistência Social A política de acção social do Governo da RAEM consiste principalmente em promover os serviços sociais para que correspondam às necessidades reais da sociedade, através da estreita colaboração

Leia mais

Regulamento do Mestrado em Engenharia Industrial. Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial

Regulamento do Mestrado em Engenharia Industrial. Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS DE MESTRADO EM ENGENHARIA INDUSTRIAL Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento

Leia mais

COMISSÃO DA MARCA DE QUALIDADE LNEC SECÇÃO DE INSCRIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO

COMISSÃO DA MARCA DE QUALIDADE LNEC SECÇÃO DE INSCRIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO COMISSÃO DA MARCA DE QUALIDADE LNEC SECÇÃO DE INSCRIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO QUALIFICAÇÃO COMO GESTOR GERAL DA QUALIDADE DE EMPREENDIMENTOS DA CONSTRUÇÃO INSTRUÇÕES DE CANDIDATURA 1. DESTINATÁRIOS A Marca de

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE. Regulamento Pedagógico Específico

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE. Regulamento Pedagógico Específico INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE Regulamento Pedagógico Específico Índice Regulamento Pedagógico específico... 1 Conceitos chaves:... 1 1. Disposições Gerais... 2 1.1. Regime

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário IV Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS ÁGUAS INTERIORES Aviso nº : CENTRO-VQA-2009-14-PIN-07

Leia mais

DIRECTOR DE OBRA E DIRECTOR DE FISCALIZAÇÃO DE OBRA

DIRECTOR DE OBRA E DIRECTOR DE FISCALIZAÇÃO DE OBRA DIRECTOR DE OBRA E DIRECTOR DE FISCALIZAÇÃO DE OBRA Anexo C A Lei n.º 31/2009, de 3 de Julho, define: No artigo 13.º a qualificação das funções do director de obra e no artigo 14.º os deveres do director

Leia mais

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012 Mestrado Construção Civil Edital 3ª Edição 2011-2012 Barreiro, Maio de 2011 ENQUADRAMENTO O curso de Mestrado em Construção Civil da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro do Instituto Politécnico de

Leia mais

5. Esquema do processo de candidatura

5. Esquema do processo de candidatura Projecto e colecção de perguntas e respostas sobre o Exame Unificado de Acesso (disciplinas de Língua e Matemática) das quatro instituições do ensino superiorde Macau I Contexto Cada instituição do ensino

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 1372-(13)

Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 1372-(13) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 1372-(13) d) Livro de obra, com menção do termo de abertura; e) Plano de segurança e saúde. 2 Quando a emissão do alvará seja antecedida de deferimento

Leia mais

O R D E M D O S A R Q U I T E C T O S REGULAMENTO DE INSCRIÇÃO

O R D E M D O S A R Q U I T E C T O S REGULAMENTO DE INSCRIÇÃO O R D E M D O S A R Q U I T E C T O S REGULAMENTO DE INSCRIÇÃO IAprovado na 25.ª reunião plenária do cdn, de 12 de Setembro de 2006 Publicado no Boletim n.º 165, de Outubro de 2006 Regulamento de INSCRIÇÃO

Leia mais

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA

GABINETE DO SECRETÁRIO PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA N.º 48 2-12-2009 BOLETIM OFICIAL DA REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU II SÉRIE 14591 社 會 文 化 司 司 長 辦 公 室 批 示 摘 錄 摘 錄 自 行 政 長 官 於 二 零 零 九 年 九 月 八 日 作 出 的 批 示 : 根 據 現 行 澳 門 公 共 行 政 工 作 人 員 通 則 第 二

Leia mais

POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA

POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA Largo da Penha de França, 1 1099-010 Lisboa Tel.: 21 814 97 16 Fax : 21 811 10 92 e.mail : deprh@psp.pt CIRCULAR N.º DRH/ 001/2011 P.º Mobilidade 27JULHO2011 ASSUNTO: Aplicação do Despacho Nº 12/GDN/2011

Leia mais

Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação

Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação A Ciência Viva tem como missão a difusão da Cultura Científica e Tecnológica apoiando acções dirigidas à promoção da Educação Científica e Tecnológica

Leia mais

Manual SRCT - v.ps.2 UTILIZADORES. Apoio à gestão das Declarações de Vendas dos Produtos de Saúde. Contacto: taxa.04@infarmed.

Manual SRCT - v.ps.2 UTILIZADORES. Apoio à gestão das Declarações de Vendas dos Produtos de Saúde. Contacto: taxa.04@infarmed. Manual SRCT - v.ps.2 UTILIZADORES Apoio à gestão das Declarações de Vendas dos Produtos de Saúde Contacto: taxa.04@infarmed.pt 2008/Setembro NOTAS EXPLICATIVAS 1. As Declaração de Vendas a que se referem

Leia mais

Regulamento das Condições de Ingresso dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais

Regulamento das Condições de Ingresso dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais Regulamento das Condições de Ingresso dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais Artigo 1.º Objeto e âmbito de aplicação O Presente Regulamento, nos termos dos artigos 11º, Condições de Ingresso, e 24º,

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus. Curso Técnico Superior Profissional

Escola Superior de Educação João de Deus. Curso Técnico Superior Profissional Curso Técnico Superior Profissional Regulamento das Condições de Ingresso (n.º 2 do artigo 11º do DL 43/2014) Artigo 1º Objeto O presente regulamento aplica-se aos ciclos de estudos superiores denominados

Leia mais

Aviso. 1. Tipo, prazo e validade

Aviso. 1. Tipo, prazo e validade Aviso Faz-se público que, por despacho do Ex. mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 22 de Outubro de 2013, se acha aberto o concurso comum, de ingresso externo, de prestação de provas,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º- Âmbito de aplicação O presente Regulamento aplica -se à medida INOV-Art -

Leia mais

(Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05)

(Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05) Instituto Politécnico de Portalegre ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE ELVAS Normas regulamentares dos Cursos de Especialização Tecnológica (Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05) Elvas Julho de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais

TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA NA ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM S. FRANCISCO DAS MISERICÓRDIAS TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO ÚNICA Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto e âmbito)

Leia mais

Registo n.º. Data / / O Funcionário

Registo n.º. Data / / O Funcionário Registo n.º Data / / O Funcionário LICENCIAMENTO SIMPLIFICADO E AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE INSTALAÇÃO DE ARMAZENAGEM DE PRODUTOS DE PETRÓLEO E DE POSTOS DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS com realização

Leia mais

REGULAMENTO DE CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS

REGULAMENTO DE CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS PREÂMBULO Nos termos do artigo 11.º do Decreto -Lei n.º 43/2014 de 18 de março, é aprovado o Regulamento das Condições de Ingresso nos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTSP) do Instituto Politécnico

Leia mais

Autorização para o exercício da actividade de seguros

Autorização para o exercício da actividade de seguros Autorização para o exercício da actividade de seguros Entidade competente: Seguros (AMCM DSG) Autoridade Monetária de Macau Departamento de Supervisão de Endereço :Calçada do Gaio, N 24 e 26, Macau Telefone

Leia mais

REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais

REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais O presente regulamento visa aplicar o regime estabelecido

Leia mais

INSTALAÇÃO DE JOVENS AGRICULTORES. Prémio à Primeira Instalação

INSTALAÇÃO DE JOVENS AGRICULTORES. Prémio à Primeira Instalação Prémio à Primeira Instalação Destina-se a apoiar a primeira instalação do jovem agricultor através da atribuição de um prémio Objectivos. Renovar e rejuvenescer o sector agrícola. Promover a instalação

Leia mais

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU N.º 41 12-10-2009 BOLETIM OFICIAL DA REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU I SÉRIE 1535 澳 門 特 別 行 政 區 REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU 50/2009 Ordem Executiva n.º 50/2009 Usando da faculdade conferida

Leia mais

Equipa Técnica: João Leal Manuel Monge Olga Santiago Anabela Fonseca

Equipa Técnica: João Leal Manuel Monge Olga Santiago Anabela Fonseca Coordenação: Conselho para a Avaliação e Qualidade Gabinete de Qualidade, Avaliação e Procedimentos Instituto Politécnico de Beja Rua Pedro Soares, s/n 7800-295 BEJA Equipa Técnica: João Leal Manuel Monge

Leia mais

INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE MATOSINHOS Diário da República, 2.ª série N.º 186 26 de Setembro de 2006

INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE MATOSINHOS Diário da República, 2.ª série N.º 186 26 de Setembro de 2006 INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE MATOSINHOS Diário da República, 2.ª série N.º 186 26 de Setembro de 2006 Regulamento n.º 185/2006 Regulamento de provas de avaliação da capacidade para

Leia mais

Regulamento de Estágios

Regulamento de Estágios Programa de Inserção Profissional Regulamento de Estágios Faculdade de Ciências Humanas Nos últimos anos, o ensino universitário tem vindo a integrar nos percursos formativos a realização de estágios curriculares

Leia mais

HOPE PORTUGAL. Regulamento do Programa de Intercâmbio

HOPE PORTUGAL. Regulamento do Programa de Intercâmbio HOPE PORTUGAL Regulamento do Programa de Intercâmbio Disposições aplicáveis 1- Os procedimentos e normas que regem o programa acima referido e abaixo denominado Intercâmbio, constam do presente documento,

Leia mais

Curso de Treinadores UEFA Pro 2013. Regulamento. 20 de Maio a 21 de Junho 2013 Quiaios Hotel Figueira da Foz

Curso de Treinadores UEFA Pro 2013. Regulamento. 20 de Maio a 21 de Junho 2013 Quiaios Hotel Figueira da Foz Curso de Treinadores UEFA Pro 2013 Regulamento 20 de Maio a 21 de Junho 2013 Quiaios Hotel Figueira da Foz REGULAMENTO 1.- ORGANIZAÇÃO O Curso de Treinadores UEFA Professional é organizado pela Federação

Leia mais

Q1 - Com a entrada em vigor do DLR 16/2009/A, continuam a ser necessárias as certificações dos projectos de gás (no Açores pelo ITG, por exemplo)?

Q1 - Com a entrada em vigor do DLR 16/2009/A, continuam a ser necessárias as certificações dos projectos de gás (no Açores pelo ITG, por exemplo)? Q Equipamentos e Instalações de Gás Q1 - Com a entrada em vigor do DLR 16/2009/A, continuam a ser necessárias as certificações dos projectos de gás (no Açores pelo ITG, por exemplo)? Um projectista de

Leia mais

Projecto de Formação para os Jovens Voluntários (2014) Orientações para as instituições de formação

Projecto de Formação para os Jovens Voluntários (2014) Orientações para as instituições de formação Projecto de Formação para os Jovens Voluntários (2014) Orientações para as instituições de formação 1. Objectivo Estar em coordenação com o desenvolvimento dos trabalhos do Governo da RAEM para os jovens,

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DE INSCRIÇÃO DE SOCIEDADES PROFISSIONAIS DE TÉCNICOS OFICIAIS DE CONTAS E NOMEAÇÃO PELAS SOCIEDADES DE CONTABILIDADE DO RESPONSÁVEL TÉCNICO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Âmbito O

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu. Guia de preenchimento do Formulário de Candidatura da Entidade Organizadora

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu. Guia de preenchimento do Formulário de Candidatura da Entidade Organizadora UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Guia de preenchimento do Formulário de Candidatura da Entidade Organizadora ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1. Descrição... Erro! Marcador não definido. 2. Entidade Gestora...

Leia mais

Clarificação sobre alguns aspectos do Regime de Previdência dos Trabalhadores dos Serviços Públicos

Clarificação sobre alguns aspectos do Regime de Previdência dos Trabalhadores dos Serviços Públicos Clarificação sobre alguns aspectos do Regime de Previdência dos Trabalhadores dos Serviços Públicos A Direcção dos Serviços de Administração Pública de Macau vem, face às sugestões e preocupações manifestadas

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO (MENORES COM 16 ANOS DE IDADE COMPLETOS) MODELO

CONTRATO DE TRABALHO (MENORES COM 16 ANOS DE IDADE COMPLETOS) MODELO CONTRATO DE TRABALHO (MENORES COM 16 ANOS DE IDADE COMPLETOS) MODELO Observações: 1. O presente modelo de contrato de trabalho destina-se apenas aos contratos de trabalho entre menores com 16 anos de idade

Leia mais

PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA

PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA 1 MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA AO PROGRAMA MODELAR O Programa MODELAR tem como objectivo a atribuição de apoio financeiro pelas

Leia mais

REGULAMENTO CURSOS ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

REGULAMENTO CURSOS ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA REGULAMENTO CURSOS ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA (Com base no Regulamento de Estudos revisto e alterado em Reunião do Conselho Científico de 27 Novembro 2006) Anos Lectivos 2006/2007 e 2007/2008 Artigo 1.º

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA 2014 CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA Direcção Municipal de Habitação e Desenvolvimento Social [DOCUMENTO DE APOIO À CANDIDATURA ON LINE ] Para mais esclarecimentos, ligue para 21 798 86 01/ 86 55 ou através

Leia mais

REQUERIMENTO DE CANDIDATURA. II Programa Regional de Apoio à Comunicação Social Privada PROMEDIA II

REQUERIMENTO DE CANDIDATURA. II Programa Regional de Apoio à Comunicação Social Privada PROMEDIA II REQUERIMENTO DE CANDIDATURA II Programa Regional de Apoio à Comunicação Social Privada PROMEDIA II Exmo. Sr. Secretário Regional da Presidência 1 : ( 2 ) ( 3 ) vem, para efeitos do disposto no Decreto

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO 2014-15

MANUAL DO CANDIDATO 2014-15 MANUAL DO CANDIDATO 2014-15 1.1 Candidaturas Online Para iniciar o processo de candidatura o candidato deverá aceder ao portal do IGOT http://www.igot.ulisboa.pt e clicar no separador «CANDIDATURAS»: Para

Leia mais

Mural de ideias que dará origem ao plano urbano das Zonas C e D do empreendimento designado por Fecho da Baía da Praia Grande.

Mural de ideias que dará origem ao plano urbano das Zonas C e D do empreendimento designado por Fecho da Baía da Praia Grande. Mural de ideias que dará origem ao plano urbano das Zonas C e D do empreendimento designado por Fecho da Baía da Praia Grande Regulamento I Objectivo Espera-se que através da presente recolha pública de

Leia mais

Guia Prático de Registo, Preenchimento e Submissão de Candidaturas à. Bolsa de Estudo 2015/2016

Guia Prático de Registo, Preenchimento e Submissão de Candidaturas à. Bolsa de Estudo 2015/2016 Guia Prático de Registo, Preenchimento e Submissão de Candidaturas à Bolsa de Estudo 2015/2016 O que é? A bolsa de estudo é uma prestação pecuniária anual para comparticipação nos encargos com a frequência

Leia mais

REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE FORMAÇÃO ACADÉMICA, OUTRA FORMAÇÃO E DE EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE FORMAÇÃO ACADÉMICA, OUTRA FORMAÇÃO E DE EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE FORMAÇÃO ACADÉMICA, OUTRA FORMAÇÃO E DE EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Preâmbulo No seguimento da terceira alteração ao Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, introduzida pelo Decreto-Lei

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO INTERNO

PROPOSTA DE REGULAMENTO INTERNO PROPOSTA DE REGULAMENTO INTERNO VOLUNTARIOS SOCIAIS DO CONCELHO DE ALBERGARIA-A-VELHA - PROGRAMA ALBERGARIA SOLIDÁRIA NOTA JUSTIFICATIVA No âmbito de uma política social que se vem orientando para potenciar

Leia mais

NOVA LEI DA IMIGRAÇÃO

NOVA LEI DA IMIGRAÇÃO 19 de Junho de 2007 NOVA LEI DA IMIGRAÇÃO Cláudia do Carmo Santos Advogada OBJECTIVOS Desburocratização de procedimentos Adequação da lei em vigor à realidade social Atracção de mão-de-obra estrangeira

Leia mais

lince Plataforma Desportiva

lince Plataforma Desportiva lince Plataforma Desportiva Definições Genéricas REGISTO Inscrição Electrónica de um Agente Desportivo na lince Plataforma Desportiva Electrónica da Federação Portuguesa de Atletismo. INSCRIÇÃO INICIAL

Leia mais

Manual de Certificação

Manual de Certificação Manual de Certificação PARTE I Certificado de Aptidão Profissional Técnico Instalador de Sistemas Solares Térmicos SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ÍNDICE INTRODUÇÃO PARTE I CERTIFICAÇÃO

Leia mais

EXECUÇÃO DE TRABALHOS DE DEMOLIÇÃO, ESCAVAÇÃO E CONTENÇÃO PERIFÉRICA

EXECUÇÃO DE TRABALHOS DE DEMOLIÇÃO, ESCAVAÇÃO E CONTENÇÃO PERIFÉRICA Registo nº. Exmº. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Cascais Data: / / O Funcionário EXECUÇÃO DE TRABALHOS DE DEMOLIÇÃO, ESCAVAÇÃO E CONTENÇÃO PERIFÉRICA IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE (Preencher com letra

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. 2792 Diário da República, 1.ª série N.º 96 18 de Maio de 2011

MINISTÉRIO DA SAÚDE. 2792 Diário da República, 1.ª série N.º 96 18 de Maio de 2011 2792 Diário da República, 1.ª série N.º 96 18 de Maio de 2011 MINISTÉRIO DA SAÚDE Portaria n.º 198/2011 de 18 de Maio O objectivo essencial definido no programa do XVIII Governo Constitucional em matéria

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS. PERGUNTAS MAIS FREQUENTES (FAQs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS. PERGUNTAS MAIS FREQUENTES (FAQs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS REGIME DE CANDIDATURA DE ATRIBUIÇÃO DOS TÍTULOS DE ESPECIALIDADE DO COLÉGIO DE BIOLOGIA HUMANA E SAÚDE (INSTRUÇÕES PARA O SECRETARIADO) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES (FAQs) Gostaria

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/8 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos operacionais na administração de recursos humanos; 1.2) Garantir maior segurança na admissão e exoneração de pessoal; 1.3) Manter atualizado

Leia mais

Candidatura, atribuição e pagamento de alojamento. Conselho de Gestão do IPPortalegre 2. Artigo 1º

Candidatura, atribuição e pagamento de alojamento. Conselho de Gestão do IPPortalegre 2. Artigo 1º Candidatura, atribuição e pagamento de alojamento Conselho de Gestão do IPPortalegre 21 07 2014 2 Artigo 1º O presente regulamento define as condições de candidatura, atribuição e pagamento de alojamento,

Leia mais

III Programa Regional de Apoio à Comunicação Social Privada - PROMEDIA III. Requerimento de candidatura

III Programa Regional de Apoio à Comunicação Social Privada - PROMEDIA III. Requerimento de candidatura III Programa Regional de Apoio à Comunicação Social Privada - PROMEDIA III Requerimento de candidatura Exmo. Sr. Presidente do Governo Regional (1): (2)... (3)... Vem, para efeitos do disposto no Decreto

Leia mais

EDITAL PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE SAÚDE (Edição 2014-15)

EDITAL PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE SAÚDE (Edição 2014-15) EDITAL PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE SAÚDE (Edição -15) Nos termos do Despacho nº 5/ESTESC/, do Presidente da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra de 8 de maio, ouvido

Leia mais

REGULAMENTO. Elaborado por: Aprovado por: Versão

REGULAMENTO. Elaborado por: Aprovado por: Versão REGULAMENTO Regulamento dos Cursos de Pós-Graduação Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor 1.2 (Professor Doutor Rui Oliveira) Revisto e Confirmado por: Data de Aprovação Inicial (José João Amoreira)

Leia mais

Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes Perguntas Frequentes 1. Qual o diploma que estabelece o regime de constituição, gestão e funcionamento do mercado organizado de resíduos (MOR), nos termos do n.º 2 do artigo 62.º do Decreto-Lei n.º 178/2006,

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados. Ano académico de 2016/2017

Perguntas e respostas sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados. Ano académico de 2016/2017 Perguntas e respostas sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados Ano académico de 2016/2017 1. Pergunta: Quais os documentos que devo de ler antes de apresentar o pedido? Devem ser lidos, pormenorizadamente,

Leia mais

Complemento ao Manual de Utilizador Plataforma de Estágios TIC

Complemento ao Manual de Utilizador Plataforma de Estágios TIC Complemento ao Manual de Utilizador Plataforma de Estágios TIC Direccionado para as escolas www.estagiostic.gov.pt Índice 1. Objectivo da Plataforma... 2 2. Acesso restrito... 2 3. Perfis... 2 3.1. O administrador...

Leia mais