Propostas inovadoras das exposições de vanguardas e desdobramentos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Propostas inovadoras das exposições de vanguardas e desdobramentos"

Transcrição

1 Propostas inovadoras das exposições de vanguardas e desdobramentos

2 Curso de capacitação para museus:. Papel das exposições ligadas à vanguarda internacional na primeira metade do século XX.. Exposições temporárias que apresentavam protó>pos de design, modelos arquitetônicos e inovações das instalações técnicas ou na maneira de posicionar o homem perante a arte e o objeto ards>co, ou seja, novas formas de organizar as exposições como um todo.

3 O Armory Show Nova York, Chicago, Boston (Estados Unidos). A arte de vanguarda para as massas; Exposição introdutória da arte moderna nos Estados Unidos;. Concepção original da exposição: arte progressiva transformada em uma tribuna de fes>vidades a favor do radicalismo europeu;. Organizada pela Associação Americana de Pintores e Escultores, especialmente por Arthur B. Davies ( ) e Walt Kuhn ( ), ambos ar>stas norte- americanos;. 500 obras estrangeiras e mais de 1000 obras de ar>stas americanos;. Contou com catálogo;. O galpão do arsenal (em Nova York) se transforma em um labirinto de salas; divisórias separam os espaços forrados com tecido de juta e decorados com folhagens; Destaque para Nu descendo a escada, de Marcel Duchamp ( ).

4 Curso de capacitação para museus: O Armory Show, The Interna0onal Exhibithion of Modern Art [Exposição internacional de arte moderna], 69º Regiment Armory, Nova York, de 17 de fevereiro a 15 de março de In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 7.

5 Úl,ma exposição futurista 0,10 Petrogrado Kazimir Malevitch ( ) apresenta Quadrado negro sobre fundo branco;. Realizada em uma galeria comercial. Os ar>stas Ivan Puni ( ) e sua esposa, Ksenia Boguslavskaïa, organizam e patrocinam a exposição;. Par>cipantes: Liubov Popova ( ), Olga Rozanova ( ), Vladimir Tatlin ( ) e Malevitch, entre outros (ao todo 14 par>cipantes, sendo 6 mulheres);. 2ª exposição do grupo futurista russo;. Ocasião em que Malevitch publica o manifesto Do cubismo ao suprema>smo. O novo realismo na pintura ;. Tatlin monta relevos murais. Salas de outros ar>stas separadas de Tatlin pelo colorido. Parte mais importante da exposição é a sala dedicada à produção de Malevitch: 36 quadros totalmente abstratos feitos de quadros, linhas e círculos.

6 Vista da Exposição futurista 0,10 Petrogrado, Sala com trabalhos suprema>stas de Malevitch. In: L ART de l exposi0on, p Curso de capacitação para museus:

7 Primeira Missa [Feira] Dadá Berlim Úl>ma grande manifestação Dadá em Berlim, que se amplia nessa cidade e passa a ter conotações polí>cas;. Intenções internacionais não concre>zadas;. Conseguem o patrocínio de Oso Burchard para alugar uma galeria;. Organizadores: George Grosz ( ), Raoul Haussmann ( ) e John Hearwield ( );. Cobravam entrada [a exposição vivia vazia];. Catálogo em grande formato (reproduções dadaístas e não obras de arte, para os dadaístas), e alguns nomes ficdcios em meio aos expositores reais;. Quase tudo o que foi exposto não existe mais ou está muito deteriorado, ou ainda Dtulos alterados.

8 . Sobre as paredes colocados grandes cartazes: Dadá é contrário a tudo que é estranho na vida Dadá é polí>co Dadá é contra a men>ra ards>ca do impressionismo Dadá está ao lado de cada um Abaixo a arte, abaixo a espiritualidade burguesa. Não há diferença entre o original e o impresso: pôsteres e pinturas colocados lado a lado. A sala maior era dominada por duas grandes pinturas a óleo que denunciam a herança da 1ª Guerra Mundial (ambas destruídas). Do teto pende um boneco que representa um oficial prussiano

9 Curso de capacitação para museus: A Primeira Missa Dadá Internacional Berlim, 1920 Vernissage da Missa Dadá. Da esquerda para a direita: Hannah Höch ( ), Raoul Haussmann, Oso Burchard, Johannes Baader ( ), Wieland ( ) e Margarete Herzfelde, Oso Schmalhausen, George Grosz e John Hearwield. Na parede esquerda: 45% de capacidade de trabalho, Oso Dix ( ); à direita: L Allemagne un conte d hiver [A Alemanha, um conto de inverno]; à extrema direita, a montagem de Grosz e Hearwield, Le philis0n HearSield [O filisteu Hearwield]; pendurado no teto, montagem de Hearwield e Schlichter, Anjo prussiano In: L ART de l exposi0on, p. 137.

10 Curso de capacitação para museus: A primeira Missa Dadá Internacional Berlim, 1920 Sobre os três cartazes, da esquerda para a direita: Raoul Hausmann, John Hearwield e George Grosz. No centro, sobre as bonecas de Hannah Höch, o Dedafez Maximus de Max Ernest e, ao lado direito, sobre a porta, Les avis au public du superdada de Johannes Baader In: L ART de l exposi0on, p. 138.

11 Film und Foto [Cinema e fotografia] SMutgart As exposições dos anos das vanguardas muitas vezes exibiam produção de fotografias experimentais;. Organizada pela Deutscher Werkbund;. Apresenta fotografias e filmes como meio de revolucionar a percepção e a cultura;. Nova visão: fotografia como exposição novas perspec>vas, técnicas e usos da mídia (como as fotos áreas, por exemplo);. Fotógrafos profissionais e amadores da Europa e dos Estados Unidos.

12 Curso de capacitação para museus: László Moholy- Nagy ( ), Room One ou Espaço zero, na exposição Film um Foto, Stusgart, Exibida na primeira sala: fotografias organizadas em conjuntos, em linhas brancas, sem nenhuma informação textual, sem nenhuma hierarquia entre as obras. In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 46.

13 Exposição Internacional do Surrealismo. Importância dos objetos; Paris Local: Galeria de Belas Artes, dirigida por Georges Wildenstein ( );. Catálogo com oito páginas;. Organização: André Breton ( ) e Paulo Eluard ( );. Árbitro: Marcel Duchamp ( );. Conselheiros especiais: Salvador Dalí ( ) e Max Ernest ( );. Exposição dividida em três sessões: entrada (obra de Dalí); Plus belles rues de Paris [As ruas mais bonitas de Paris] (manequins arrumados de maneira surrealista); peça central de Duchamp princípio da colagem sobreposto ao espaço;. Referências do mundo interior e exterior, alusões ao sexo, ao inconsciente;. Rejeição da sala branca de exposição; renúncia da apresentação do neutro;

14 Curso de capacitação para museus: Exposição Internacional do Surrealismo Paris, Detalhe da obra Taxi pluvieux [Táxi chuvoso] de Dalí: an>go automóvel em ruínas, coberto de mato, onde uma ducha violenta cai sobre dois manequins. In: L ART de l exposi0on, p. 177.

15 Curso de capacitação para museus: Exposição Internacional do Surrealismo Paris, 1938: sacos de carvão no teto e braseiro no chão; teto incluído para a colocação de obras. Projeto de Marcel Duchamp. Sala principal, com as obras de Man Ray ( ), Max Ernest, Miró ( ), Dalí, Tanguy ( ). In: L ART de l exposi0on, p. 176.

16 First Papers of Surrealism [Primeiros documentos do Surrealismo] Nova York Local: Whitelaw Reid Maison;. Exposição organizada por André Breton, como uma espécie de retrospec>va;. Para o vernissage, Duchamp coloca 16 milhas de fio entre as obras (1.610 m de fio condnuo), que ele denomina de Milha de fio. Posteriormente, Duchamp e Breton incen>vam algumas crianças a dançar na sala, dificultando ainda mais os convidados de verem as obras;. Fio afasta o espectador da obra de arte, ziguezagueando por toda a sala.

17 Marcel Duchamp, Milha de fio, First Papers of Surrealism, Whitelaw Reid Mansion, In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 24. Curso de capacitação para museus:

18 As exposições de Ludwig Mies van der Rohe. Colaboração a par>r do final da década de 1920; ( ) e Lilly Reich ( ). Arranjos assimétricos espaciais, ar>culando planos, criando sensação de movimento; plano livre e fluido. Visibilidade do conteúdo e da forma;. The Dwelling [A morada], Ssutgart, 1927: modelos de casas e de apartamentos. Reich organiza para a exposição o saguão e outras oito instalações. A exposição incluía produtos industriais para a casa em geral (cozinhas, vidros, têxteis etc.);. Displays marcados pela clareza, enfa>zando os produtos;. The Velvet and Silk Café [O café de veludo e seda], Berlim, 1927: curvatura com tubo de aço cromado com cor>nas de seda (cor de ouro, cor de prata, preto e verde limão) e veludo (preto, laranja e vermelho); no interior, cadeiras modulares patenteadas pelo casal (área de descanso);. German Building Exhibi0on [Exposição da construção alemã], Berlim, 1931: configurações de casas e apartamentos e de materiais, como a sala de exposição da madeira;. German People/ German Work [Povo alemão/ Trabalho alemão]: promovida pelo Par>do Nacional Socialista a respeito de doutrinas sobre raça e trabalho: desenharam exposições para os estandes de vidro, de mineração, de indústrias e ambientes domés>cos

19 Curso de capacitação para museus: Ludwig Mies van der Rohe e Lilly Reich, Living Room: Plate- Glass Hall [Sala: hall em vidro laminado],em The Dwelling [A morada], Stusgart, Placas de vidro patrocinadas pela indústria do vidro; espaços com paredes de vidro transparentes e alguns coloridos. In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 42.

20 Curso de capacitação para museus: Ludwig Mies van der Rohe e Lilly Reich. The Velvet and Silk Café [O café de veludo e seda]. Women s Fashion Exhibi0on [Exposição de moda feminina], Berlim, In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 41.

21 Curso de capacitação para museus: Ludwig Mies van der Rohe e Lilly Reich. Material Show: Wood Exhibi0on [Exposição de materiais: mostra de madeiras], The Dwelling in Our Time [A morada em nosso tempo], Berlim, Madeiras compensadas no chão, em frente à parede. In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 42.

22 Curso de capacitação para museus: Ludwig Mies van der Rohe e Lilly Reich. Mining Exhibit [Exposição de mineração], German People/ German Work [Povo alemão/ Trabalho alemão], Berlim, Paredes pintadas de rosa pálido; marrom e preto betuminoso e uma totalmente preta. In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 43.

23 Instalações de Frederick Kiesler ( ) Arquiteto, ar>sta, professor, designer e cenógrafo Transfere- se para Nova York em 1926 Exposições e elementos concebidos de maneira integral, muitas vezes sugerindo a interação do espectador e experiências dinâmicas

24 1924 Interna,onal Exhibi,on of a New Theater Technique, Viena [Exposição internacional do novo teatro técnico]. Importante eventos que reuniu muitos membros das vanguardas internacionais [El Lissitzky ( ), Alexandra Exter ( ), Natália Goncharova ( ), Fernand Léger ( ) e, Francis Picabia ( ) entre outros];. A mostra foi organizada por Frederick Kiesler, e também inclui trabalhos de sua autoria;. Proposta para a separação da exposição (enquanto conjunto) do ediƒcio e da ornamentação circundante;. Para esta exposição, cria um novo >po de instalação, com suportes que ele denominou L e T [diferentes letras do alfabeto para formar palavras]. O sistema L e T possibilitou diferentes configurações, além de serem desmontáveis [a exposição i>nerou (1924 em Viena e 1926 em Nova York) pois era formada por unidades adaptadas para cada novo espaço]. O T era basculante, possibilitando que as obras se adequassem ao olho do espectador.. A exposição contou com mais de 600 desenhos (sem colocação de molduras), pôsteres, marionetes, fotografias, objetos de design e peças de teatro de vanguarda;. Projeta ainda um sistema de iluminação, destacando algumas obras (individualmente ou em conjuntos); o espaço possuía transparência e sobreposições.

25 Curso de capacitação para museus: Frederick Kiesler, Interna0onal Exhibithion of New Theater Technique [Exposição internacional do novo teatro técnico], Konzerthaus, Viena, In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 5.

26 Curso de capacitação para museus: Frederick Kiesler, Interna0onal Exhibithion of New Theater Technique [Exposição internacional do novo teatro técnico], Konzerthaus, Viena, O display L, 1924, com o display T formavam os elementos do sistema com funções como as letras do alfabeto; diferentes combinações criam diferentes formas. In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 5.

27 Exposi,on Interna,onale des Arts Décora,fs et Industriels Modernes [Exposição Internacional de Artes Decora>vas e Industriais Modernas] Paris Aspectos do sistema L e T no projeto City in Space [Cidade no espaço]: espécie de modelo futurista de cidade em vermelho, branco e preto, formada por pilares e vigas, que serviam também como displays de exposição. A ideia original era a construção de um arranha- céu;. Sistema de horizontais e ver>cais, planos, u>lização de número reduzido de cores e especialmente, o aberto, o senso expansivo de espaço [influências do movimento De S>jl];. Projeto utópico: uma cidade elevada, afastada do solo pensamento de época; realizações visionárias para o futuro.

28 Curso de capacitação para museus: Frederick Kiesler, City in Space [Cidade no Espaço], Austrian Theater Sec>on [Seção austríaca], Exposi0on Interna0onale des Arts Décora0fs et Industriels Modernes [Exposição internacional de artes decora>vas e industriais modernas], Paris, 1925 In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi>ons Installa>ons at the Museum of Modern Art, p. 13.

29 Art of This Century [Arte deste século] Galeria Peggy Guggenheim, Nova York : Exposição semipermanente. Cerca de 170 trabalhos de 68 ar>stas coleção de Peggy Guggenheim ( ) adquirida na Europa especialmente no final da década de 1930;. Frederick Kiesler cria o móveis com 18 funções (influência do sistema L e T ): espécie de cadeira antropomórfica foi criada e u>lizada em diferentes áreas da exposição (biblioteca de pinturas, área de estudo, galeria (sala) surrealista, a galeria (sala abstrata) e a galeria (sala) ciné>ca. Eram u>lizadas de maneiras várias, individualmente ou combinadas (assentos, bases, ): experimento em criar um sistema aberto;. Talvez influências do projeto de Lázló Moholy- Nagy para o ambiente do Museu de Hanover, The Room of Our Time [O espaço/ sala do nosso tempo]: intera>vidade e experiência engajada com a arte;. A instalação apresenta ainda relação direta com as exposições dos Dadaístas e dos Surrealistas, do irracional, do sonho.

30 Curso de capacitação para museus: Frederick Kiesler: dezoito funções para uma cadeira, Kiesler concebeu este múl>plo como um unidade ou combinado com idên>cas unidades onde específicas funções podem ser determinadas pelo uso, contexto ou sintaxe. In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 9.

31 Art of This Century [Arte deste século] Galeria Peggy Guggenheim, Nova York Galeria dos Surrealistas. Amplo apelo sensorial (visão, audição e toque);. Iluminação semicircular em apenas metade das obras em metade do tempo, contando cada trabalho com um spot de luz, que era desligado em intervalos constantes;. A cada 2 minutos, o ruído de um trem na sala;. As pinturas eram montadas em espécies de paredes falsas, semicirculares de madeira, côncavas, uma espécie de túnel, e possuíam dobradiças, possibilitando que os visitantes as movimentassem;. Obras instaladas sem molduras.

32 Frederick Kiesler na Galeria Surrealista, Art of This Century, Nova York, In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi>ons Installa>ons at the Museum of Modern Art, p. 11. Curso de capacitação para museus:

33 Art of This Century [Arte deste século] Galeria Peggy Guggenheim, Nova York Galeria de Arte Abstrata (e Cubismo). Recoberta de tecido azul escuro, não de maneira plana, mas sinuosa e com pontos de a>rantamento;. Muitas das pinturas e esculturas suspensas no ar por delgadas colunas triangulares, em que as pinturas também podiam ser deslocadas pelo espectador.

34 Frederick Kiesler, Galeria Abstrata (e Cubismo), Art of This Century, Nova Iorque, In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 12. Curso de capacitação para museus:

35 Art of This Century [Arte deste século] Galeria Peggy Guggenheim, Nova York Galeria Ciné^ca. Com a movimentação de uma grande roda, no interior era possível ver a série de reproduções da obra de Marcel Duchamp, Boite- en- valise, 1941.

36 Curso de capacitação para museus: Frederick Kiesler, Galeria Ciné>ca, Art of This Century, Nova York, Peggy Guggenheim diante da obra de Marcel Duchamp, Boite- en- Valise, In: L ART de l expositon: une documenta0on sur trente exposi0ons exemplaires du XXe siècle, p. 196.

37 Art of This Century [Arte deste século] Galeria Peggy Guggenheim, Nova York Biblioteca e área de estudo. Obras que não estavam nas outras três salas eram disponíveis ao público sob a forma de sala de consulta, em que as pessoas podiam manipular os trabalhos livremente.

38 Curso de capacitação para museus: Frederick Kiesler, Art of This Century: visitantes olham as obras na biblioteca e área de estudo, Nova York, 1942 In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 10.

39 Alexandre Dorner e a reformulação do Landesmuseum (Museu Estatal) de Hannover

40 . Alinhado com o espírito das vanguardas; Alexandre Dorner ( ). Em 1923 começa a trabalhar no Museu e em 1925 passa a ser diretor da ins>tuição. Começa a reorganizar todo o Museu, a par>r do que ele chamou de Atmosphere Rooms [ambientações], com espaçamento entre as obras e informações para os visitantes;. Amplo programa didá>co para o Museu de Hannover: um museu de caráter enciclopédico com obras de vários períodos: da Idade Média até a arte produzida aquele momento;. Promovia jovens ar>stas, comprando obras e convidando- os para expor no Museu;. A estratégia apresentada era a de evocar o espírito de cada época, colocando o visitante em contato com isso e com cada cultura específica. Por exemplo:. Galerias da Renascença: branco e cinza enfa>zam a perspec>va;. Galerias do Barroco: paredes cobertas de veludo vermelho e pinturas com molduras douradas;. Galerias Rococó: paredes em cor de ouro e branco.

41 Curso de capacitação para museus: Dome Gallery, Museu Estatal de Hannover, 1917, antes da reformulação empreendida por Alexandre Dorner. In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 19.

42 Curso de capacitação para museus: Primeira exposição na Dome Gallery, depois da reorganização do Landesmuseum (Museu Estatal) de Hannover por Alexander Dorner, In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 18.

43 Curso de capacitação para museus: Galeria 43, antes da reorganização do Museu Estatal de Hannover por Alexander Dorner, início dos anos In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 18.

44 Curso de capacitação para museus: Galeria 44, depois da reorganização do Museu Estatal de Hannover, por Alexander Dorner, final dos anos O banco central é projeto de Lázló Moholy- Nagy. In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 18.

45 Espaço dos abstratos para o Museu Estatal de Hannover El Lissitzky ( ). Uma arquitetura de exposição espaço no qual são montadas as obras;. Não são as obras o centro da preocupação, mas o espaço. Os quadros podem ser cobertos e descobertos, num jogo entre espaço e obras;. Comportamento a>vo do visitante;. Espaço Proun (1923): anuncia o programa que aplicará em outras pesquisas em toda a década de 1920;. El Lissitzky incumbido por Dorner para criar um espaço semelhante ao Proun para expor a arte dos abstratos do Museu Provincial de Hanover.

46 Curso de capacitação para museus: El Lissitzky, espaço Proun, da grande exposição berlinense de Remontado posteriormente na Exposição Internacional de Dresden, Recons>tuição do Museu Van- Abbe, Eindhoven, In: L ART de l'exposi0on, p. 152

47 El Lissitzky, sala dos constru>vistas, Exposição Internacional de Dresden, In: L ART de l exposi0on, p Curso de capacitação para museus:

48 Espaço dos abstratos para o Museu Provincial de Hannover El Lissitzky. Considerada a primeira galeria de arte abstrata em um museu;. Área de 20m², recoberta de laminados metálicos pintados de branco de um lado e de preto do outro, produzindo diferentes texturas e padronagens dependendo da posição do espectador. Paredes cinzas. No projeto original, paredes brancas e pretas e moldura das obras cinza;. Colocação dos quadros: ritmos também geométricos, dispostos segundo linhas horizontais e ver>cais em espécies de níveis ;. Painéis cobriam e descor>navam as pinturas, dependendo do movimento feito pelo visitante;. Instalação de vitrines com textos e exemplos de quadros des>nados à explicação das obras apresentadas e documentação de disciplinas afins: arquitetura, design e >pografia;. As esculturas eram colocadas com espelho nas partes do fundo, possibilitando serem vistas de diferentes ângulos.

49 Curso de capacitação para museus: El Lissitzky, Espaço dos abstratos, Museu Estatal de Hannover, In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 17.

50 Curso de capacitação para museus: El Lissitzky, Espaço dos abstratos para o Museu Estatal de Hannover, : vista da parede lateral esquerdam, anos In: L ART de l exposi0on, p. 151

51 El Lissitzky, projeto para o Espaço dos Abstratos, no Museu Estatal de Hannover, In: L ART de l exposi0on, p Curso de capacitação para museus:

52 Espaço dos abstratos para o Museu Provincial de Hannover. Alexandre Dorner modificava constantemente a sala. Eram expostos os constru>vistas russos, os futuristas, os expressionistas, o grupo De S>jl, Kurt Schwisers ( ) e os ar>stas surrealistas;. O Espaço dos abstratos foi desmontado em 1937 pelos nacionais socialistas (III Reich). Toda a coleção de arte daquele momento (contemporânea) foi destruída ou vendida ao exterior. Uma grande parte das obras foi exibida na mostra Arte degenerada de Alexander Dorner, como muitos outros alemães, emigrou para os Estados Unidos;. O Espaço dos abstratos foi reconstruído em 1968 no Museu Regional de Basse- Saxe e depois no Sprengel (como também foi reconstruído o Merzbau de Kurt Schwisers).

53 c Espaço dos contemporâneos (Room of Our Time) para o Museu Estatal de Hannover Lázló Moholy- Nagy. Foi parcialmente instalado;. Moholy- Nagy projeta um ambiente com aparelhos de projeção e máquinas luminosas, apresentando documentários (sobre a natureza e a arte abstrata), reproduções de arquitetura, fotografias e elementos >pográficos. Para ele, não exis>a diferença entre original e cópia;. No centro da sala: Light Machine [máquina de luz] : projeção de padrões abstratos luminosos;. Painéis cobriam e descor>navam as pinturas, dependendo do movimento feito pelo visitante.. Instalação de vitrines com textos e exemplos de quadros des>nados à explicação das obras apresentadas e documentação de disciplinas afins: arquitetura, design e >pografia;. As esculturas eram colocadas com espelho nas partes do fundo, possibilitando serem vistas de diferentes ângulos.

54 Curso de capacitação para museus: László Moholy- Nagy, desenho, The Room of Our Time [A sala ou espaço do nosso tempo], cerca de In: STANISZEWISKI, Mary Anne. The Power of Display: a History of Exhibi0ons Installa0ons at the Museum of Modern Art, p. 21.

Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS

Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS CONTEXTO HISTÓRICO As vanguardas européias foram manifestações artístico-literárias surgidas na Europa,

Leia mais

DADAÍSMO Profa. Cristiane Lourenço

DADAÍSMO Profa. Cristiane Lourenço DADAÍSMO Profa. Cristiane Lourenço DADAÍSMO Formado em 1916 em Zurique por jovens franceses e alemães que, se tivessem permanecido em seus respectivos países, teriam sido convocados para o serviço militar,

Leia mais

Português 3º ano Wilton. Vanguardas na Europa e no Brasil

Português 3º ano Wilton. Vanguardas na Europa e no Brasil Português 3º ano Wilton Vanguardas na Europa e no Brasil Roberson de Oliveira 1 Vanguardas na Europa e no Brasil No dia 20 de dezembro de 1917, o jornal O Estado de S. Paulo publicou o artigo Paranoia

Leia mais

REVISÃO PARA PROVA. Surrealismo; Cinema e Vídeo-Arte; Minimalismo. Professora: Caroline Bonilha Componente Curricular: Artes

REVISÃO PARA PROVA. Surrealismo; Cinema e Vídeo-Arte; Minimalismo. Professora: Caroline Bonilha Componente Curricular: Artes REVISÃO PARA PROVA Surrealismo; Cinema e Vídeo-Arte; Minimalismo Professora: Caroline Bonilha Componente Curricular: Artes O SURREALISMO foi o movimento artístico moderno da representação do irracional

Leia mais

Contexto do Dadaísmo

Contexto do Dadaísmo O Movimento Dadá Contexto do Dadaísmo O Movimento Dadá O movimento Dadá ou Dadaísmo foi uma vanguarda moderna iniciada em Zurique, em 1916, no chamado Cabaret Voltaire, por um grupo de escritores e artistas

Leia mais

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA Em seu sentido literal, vanguarda (vem do francês Avant Garde, guarda avante ) faz referência ao batalhão militar que precede as tropas em ataque durante

Leia mais

Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY

Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY Georges Braque, Homenagem à Bach, 1912 FrankLoyd Wright, Robie House, 1909. Chicago. Frank kloyd dwi Wright, Fallingwater house, 1936. Pensilvânia. i O art nouveau (arte

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES REVISÃO. Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II

CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES REVISÃO. Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II 1 Habilidades: Revisar os Conteúdos da Unidade II para realizar avaliação II. 2 Revisão 1 Barroco: expressão, do português homônimo, tem o sentido pérola imperfeita,

Leia mais

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis. A casa # 8 1

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis. A casa # 8 1 A casa # 8 1 Marta Peixoto 2 1 Este trabalho se insere em uma pesquisa desenvolvida aqui no UniRitter - junto com o professor da FAU Sergio Moacir Marques - intitulada Domesticidade, tecido e o gosto neoplástico:

Leia mais

Bauhaus. EDIFÍCIO DA BAUHAUS Sacadas com cantiléveres do alojamento estudantil, edifício da Bauhaus, Dessau, 1925-26, Walter Gropius.

Bauhaus. EDIFÍCIO DA BAUHAUS Sacadas com cantiléveres do alojamento estudantil, edifício da Bauhaus, Dessau, 1925-26, Walter Gropius. EDIFÍCIO DA BAUHAUS Sacadas com cantiléveres do alojamento estudantil, edifício da Bauhaus, Dessau, 1925-26, Walter Gropius. OFICINA Oficina de marcenaria na Bauhaus de Weimar, 1923. GROPIUS E MOHOLY-NAGY

Leia mais

Vanguardas Históricas I

Vanguardas Históricas I Vanguardas Históricas I As transformações do início do século XX e as vanguardas históricas Os avanços da ciência realizados a partir do século XIX mudaram a percepção da realidade e conduziram, no campo

Leia mais

Ensino em Dessau. Walter Gropius, Bauhaus de Dessau

Ensino em Dessau. Walter Gropius, Bauhaus de Dessau 1. Preliminar 2. Instrução em artesanato e Instrução em problemas da Forma 3. Instrução em arquitetura 4. Pesquisa individual no departamento de pesquisa da Bauhuas Ensino em Weimar Ensino em Dessau Maior

Leia mais

6) - D A D A I S M O VANGUARDAS PROFESSORA CABRIELLA NOVELLO

6) - D A D A I S M O VANGUARDAS PROFESSORA CABRIELLA NOVELLO 6) - D A D A I S M O 1916 VANGUARDAS PROFESSORA CABRIELLA NOVELLO DADAISMO Dadaísmo Movimento de contestação artística que recusa todos os modelos plásticos e a própria ideia de arte. Nascido na Suiça,

Leia mais

soluções ++ Escorrega!

soluções ++ Escorrega! soluções ++ Escorrega! Por: Luciana Porfírio Imagens: Eric Laignel e David Hotson Um tobogã dentro de um luxuoso apartamento? Sim, isso é possível no projeto criado por David Hotson e Ghislane Viñas em

Leia mais

MARCIA XAVIER QUERIDA

MARCIA XAVIER QUERIDA MARCIA XAVIER QUERIDA Abertura: 2 de agosto das 14 às 18 horas Período da exposição: de 5 a 23 de agosto de 2014 Local: Casa Triângulo Rua Pais de Araújo 77 [Itaim Bibi] 04531-090 São Paulo/SP Tel.: 55

Leia mais

Principais movimentos artísticos do século XX

Principais movimentos artísticos do século XX Principais movimentos artísticos do século XX EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO ABSTRACIONISMO SURREALISMO FUTURISMO 2ª parte abstracionismo 1910 ABSTRACIONISMO - 1910 A arte abstrata tende a suprimir toda

Leia mais

Vanguardas. Prof. Adriano Portela

Vanguardas. Prof. Adriano Portela Vanguardas Prof. Adriano Portela O que significa Vanguarda? Do francês avant-garde Termo militar que designa aquele que, durante uma campanha, vai à frente da unidade. No campo das artes e ideias, aqueles

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SANTO ANTÔNIO ESTUDO DIRIGIDO DE ARTE. Ensino Fundamental II - 9º ano MANHÃ. Aluno(a): Turma:

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SANTO ANTÔNIO ESTUDO DIRIGIDO DE ARTE. Ensino Fundamental II - 9º ano MANHÃ. Aluno(a): Turma: INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SANTO ANTÔNIO PROFESSORA ARILENE RODRIGUES ZICHTL ESTUDO DIRIGIDO DE ARTE Ensino Fundamental II - 9º ano MANHÃ Aluno(a): Turma: Caro aluno, Visando aumentar seu conhecimento e em

Leia mais

Fauvismo. Cubismo. Arte Conceptual, a Street Art e muitas outras.

Fauvismo. Cubismo. Arte Conceptual, a Street Art e muitas outras. A arte nasceu na Pré-História, quando o Homem primitivo decidiu fazer uns desenhos com sangue de animais, nas cavernas onde vivia, sendo denominada por Arte Rupestre. Por fim, chegamos á arte da actualidade,

Leia mais

Sobre a arte contemporânea, é correto afirmar que

Sobre a arte contemporânea, é correto afirmar que QUESTÃO 01 A arte contemporânea está consolidada no contexto atual das artes, mesmo sendo diversas vezes apontada como esquisita pelo público geral. Essa reação ocorre porque a arte contemporânea a) passou

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR PARA ESTUDOS HISTÓRIA DA ARTE- 2ª SÉRIE ENSINO MÉDIO

MATERIAL COMPLEMENTAR PARA ESTUDOS HISTÓRIA DA ARTE- 2ª SÉRIE ENSINO MÉDIO Arte Moderna Expressionismo A busca por expressar os problemas da sociedade da época e os sentimentos e emoções do homem no inicio do século xx Foi uma reação ao impressionismo, já que o movimento preocupou-se

Leia mais

Dicas de decoração de residencial de alto padrão

Dicas de decoração de residencial de alto padrão Dicas de decoração de residencial de alto padrão Como decorar apartamentos amplos, de 130 e 157m 2, sem exagerar e aproveitar todos os espaços de maneira funcional? Brookfield Incorporações e Anastassiadis

Leia mais

Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde Emil Nolde O Expressionismo de Die Brücke não se restringiu à pintura e à gravura, tendo tido expressão, igualmente na literatura, na música e arquitectura.

Leia mais

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05 QUESTÃO 01 Arte abstrata é uma arte: a) que tem a intenção de representar figuras geométricas. b) que não pretende representar figuras ou objetos como realmente são. c) sequencial, como, por exemplo, a

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL

LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL LISTA DE EXERCÍCIOS 1º ANO ACADÊMICO PROF. FELIPE KELLER TURMAS: 1C01 a 1C10 Lista para a prova da 1UL 1 (Unirio) Durante a final da Copa do Mundo, um cinegrafista, desejando alguns efeitos especiais,

Leia mais

Banner elétrico de uma face para colocar imagens. É ideal para cartão compacto. Medida: 140 cm (altura) WARTA

Banner elétrico de uma face para colocar imagens. É ideal para cartão compacto. Medida: 140 cm (altura) WARTA O Elistand é uma empresa jovem que iniciou a sua actividade em 1999, na área de congressos, feiras, merchandising, ect. com uma vasta gama de sistemas portáteis de exposição, stand s modulares de pequena

Leia mais

MOVIMENTOS DE VANGUARDA IMPORTANTES:

MOVIMENTOS DE VANGUARDA IMPORTANTES: ARTES PROFESSORA: NATÁLIA Fauvismo: MOVIMENTOS DE VANGUARDA IMPORTANTES: Fauvismo é o nome dado à tendência estética na pintura que buscou explorar ao máximo a expressividade das cores na representação

Leia mais

Movimentos da Arte Moderna. Surrealismo. III Trimestre: turmas 181, 182 e 183

Movimentos da Arte Moderna. Surrealismo. III Trimestre: turmas 181, 182 e 183 Movimentos da Arte Moderna Surrealismo III Trimestre: turmas 181, 182 e 183 Professora: Caroline Bonilha Componente Curricular: Artes O surrealismo foi o movimento da arte moderna que representou o irracional

Leia mais

Residência. Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais. c a s e. Por Claudia Sá

Residência. Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais. c a s e. Por Claudia Sá c a s e Fotos: Rafael Leão Residência Por Claudia Sá Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais ATMOSFERA ACOLHEDORA PARA O DIA-A-DIA E FLEXIBILIDADE para criação de cenários para eventos distintos.

Leia mais

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves História da Arquitetura 2008 O Concurso O Grand Palais começou a ser construído em 1897 para abrigar a Exposição Universal de 1900, envolvendo um complexo processo

Leia mais

Série. MAT Disciplina: Arte Professor: FERNANDA CARDOSO ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO

Série. MAT Disciplina: Arte Professor: FERNANDA CARDOSO ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO Polícia Militar do Estado de Goiás CPMG Hugo de Carvalho Ramos Ano Letivo - 2015 Série ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO - Todas essas atividades, tanto as perguntas como respostas deverão ser COPIADAS E RESPONDIDAS

Leia mais

OUTUBRO 2012 EDIÇÃO 1 ANO 1 R$ 12 CHARME

OUTUBRO 2012 EDIÇÃO 1 ANO 1 R$ 12 CHARME OUTUBRO 2012 EDIÇÃO 1 ANO 1 R$ 12 T E N D Ê N C I A D E S I G N A R Q U I T E T U R A CHARME D O N D O L I & P O C C I PERFil TRicia guild Ela é a maior especialista do mundo na combinação de tons e padrões

Leia mais

Comprovação dos índices de refração

Comprovação dos índices de refração Comprovação dos índices de refração 1 recipiente de vidro; 1 bastão de vidro, e Glicerina. 1. Encha até a metade o recipiente com glicerina, depois basta afundar o bastão de vidro na glicerina e pronto!

Leia mais

Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund

Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Freud, que mostram a importância do inconsciente na

Leia mais

Arquitetura sem fronteiras

Arquitetura sem fronteiras Arquitetura sem fronteiras No centro da cidade de Melbourne, na Austrália, agora mora uma casa inspirada na arte abstrata, no cinema e noutras coisas mais. A Prahran White House é uma celebração da cultura

Leia mais

Surrealismo. Professora: Caroline Bonilha Componente Curricular: Artes

Surrealismo. Professora: Caroline Bonilha Componente Curricular: Artes Surrealismo Professora: Caroline Bonilha Componente Curricular: Artes O surrealismo foi o movimento artístico moderno da representação do irracional e do subconsciente. Suas origens devem ser buscadas

Leia mais

futurismo Filippo Marinetti Oswald de Andrade Anita Malfatti

futurismo Filippo Marinetti Oswald de Andrade Anita Malfatti FUTURISMO O futurismo é um movimento artístico e literário, que surgiu oficialmente em 20 de fevereiro de 1909 com a publicação do Manifesto Futurista, pelo poeta italiano Filippo Marinetti, no jornal

Leia mais

Objetivos Trabalho desenvolvido para disciplina de Ateliê de Ambientes Comerciais, que tem como objetivo principal objetivo abordar produção

Objetivos Trabalho desenvolvido para disciplina de Ateliê de Ambientes Comerciais, que tem como objetivo principal objetivo abordar produção Objetivos Trabalho desenvolvido para a disciplina de Ateliê de Ambientes Comerciais, que tem como objetivo principal objetivo abordar na produção de lojas comerciais (shopping), os aspectos relativos a

Leia mais

Decoração de inverno. Hora de mudar o visual da casa, preparando-a para receber o frio

Decoração de inverno. Hora de mudar o visual da casa, preparando-a para receber o frio Foto Sérgio Israel Com a chegada da estação fria, vem também a oportunidade de tirar do armário os tapetes felpudos, as mantas de tricô e as almofadas de veludo. É o período do ano em que a casa se torna

Leia mais

internacional miami beach. EUA

internacional miami beach. EUA INTERNACIONAL internacional miami beach. EUA Apogeu decorativo em Miami Beach No bairro Apogee, em Miami, nos Estados Unidos, a decoração do apartamento com vista para o mar abusa de colecionáveis e enche

Leia mais

INTERNACIONAL. internacional MIAMI BEACH. EUA APOGEU DECORATIVO

INTERNACIONAL. internacional MIAMI BEACH. EUA APOGEU DECORATIVO INTERNACIONAL internacional MIAMI BEACH. EUA APOGEU DECORATIVO EM MIAMI BEACH NO BAIRRO APOGEE, EM MIAMI, NOS ESTADOS UNIDOS, A DECORAÇÃO DO APARTAMENTO COM VISTA PARA O MAR ABUSA DE COLECIONÁVEIS E ENCHE

Leia mais

minimalismo na arte e na publicidade

minimalismo na arte e na publicidade Minimalismo é o nome que se dá a um conjunto de movimentos artísticos na arte do século XX. Três são os principais: Construtivismo Vanguarda russa Modernismo. Ideologia fundamental: A geometria e as cores

Leia mais

A Suvinil foi buscar nas pessoas, nas casas, na arte e no design os sinais das cores brasileiras para 2012. Inspire-se em nossas cores!

A Suvinil foi buscar nas pessoas, nas casas, na arte e no design os sinais das cores brasileiras para 2012. Inspire-se em nossas cores! tendências 2012 A Suvinil foi buscar nas pessoas, nas casas, na arte e no design os sinais das cores brasileiras para 2012. Inspire-se em nossas cores! Uma tendência anti-egoísta será a protagonista nos

Leia mais

ÁREAS DE PARTICIPAÇÃO

ÁREAS DE PARTICIPAÇÃO ÁREAS DE PARTICIPAÇÃO 26-29 JUNHO Domingo a Quarta ANHEMBI SP ÁREAS DE PARTICIPAÇÃO FRANCAL 2016 Escolha a sua! A FRANCAL criou diversas opções de participação para atender necessidades específicas de

Leia mais

TURMA 801. Aula 07 PERSPECTIVA LINEAR

TURMA 801. Aula 07 PERSPECTIVA LINEAR TURMA 801 Aula 07 PERSPECTIVA LINEAR Nós habitamos um mundo tridimensional. Ou seja, vemos o mundo em três dimensões: a altura, a largura e a profundidade. É por conta da profundidade que dizemos a árvore

Leia mais

ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação

ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação Ponto 8 Ambientes de Trabalho Prof. Mario S. Ferreira, Maio, 2012 Fatores Ambientais Intervenientes na Relação Tarefa-Atividade Elementos ativos: pessoas e equipamentos

Leia mais

fernando vilela catálogo de obras

fernando vilela catálogo de obras fernando vilela catálogo de obras Índice gravuras esculturas cadernos fotos 4 132 166 190 gravuras 1. instalações 2. foto gravuras 3. xilogravuras sobre papel 4. ações em espaços públicos 5. primeiras

Leia mais

Envolver Programa do Serviço Educativo 2014-2015 FÉRIAS DE VERÃO. www.museuberardo.pt/ferias

Envolver Programa do Serviço Educativo 2014-2015 FÉRIAS DE VERÃO. www.museuberardo.pt/ferias Envolver Programa do Serviço Educativo 2014-2015 www.museuberardo.pt/ferias 29 junho 3 julho 2 Verão modernista Pinturas cubistas, pinturas abstratas, pinturas surrealistas, pinturas expressionistas, pinturas

Leia mais

Histórico. Conceituação

Histórico. Conceituação MEMORIAL DESCRITIVO Histórico O Solar, antiga sede da fazenda do Barão de Muriaé, que foi construído por volta de 1844, tem profunda importância histórica, pois foi palco de marcantes acontecimentos em

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / / ENSINO: Fundamental II 8ª série) DISCIPLINA: Artes PROFESSOR (A): Equipe de Artes TURMA: TURNO: Roteiro e Lista de estudo para recuperação

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professora: Yáskara Beiler Dalla Rosa Disciplina: Artes Série: 2ª Tema da aula: Surrealismo Objetivo da aula: Conhecer alguns dos principais artistas do Surrealismo.

Leia mais

Museu do Homem do Nordeste

Museu do Homem do Nordeste c a p a À esquerda: painel recebe luz de sanca no teto, e um gibão de couro, de rasgos laterais. Acima: iluminação proveniente de spots articuláveis e nichos com fibra ótica. Acima: luz homogênea emitida

Leia mais

Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões

Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões As oportunidades de trabalho e as novas profissões ligadas à arte contemporânea têm crescido muito nos últimos anos, impulsionadas

Leia mais

Composição do ambiente.

Composição do ambiente. Cores Linha Modulada: composição 01 Portas: Pintura Touch Wood com toque amadeirado natural nas portas. Linha Touch Wood Caixaria: Fosco Brilho Camurça Textura Pátina Textura Branco Textura Interna Linha

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA CASA VIZINHA

Leia mais

Você sabe o que a Eletromar faz?

Você sabe o que a Eletromar faz? Você sabe o que a Eletromar faz? Linha Bauhaus 2 Faz parte da sua Vida. Um detalhe de originalidade e tecnologia, um mini-quadro de arte contemporânea, inspirado na harmonia da natureza. Um conceito, uma

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo. Aptidão

Arquitetura e Urbanismo. Aptidão Aptidão Arquitetura e Urbanismo 1. INTRODUÇÃO Avaliar o quanto o candidato é capaz de compreender o espaço e se expressar com o uso de linguagem gráficoespacial (não verbal) tem sido preocupação recorrente

Leia mais

O Ceará tem disso sim: Antonio Bandeira

O Ceará tem disso sim: Antonio Bandeira O Ceará tem disso sim: Antonio Bandeira Profa. Ms. Eliene Silva Disponível em: http://www.mauc.ufc.br/expo/1967/index1.htm http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa9205/antoniobandeira Biografia

Leia mais

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de História da Cultura e das Artes 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 724/1.ª Fase 15 Páginas Duração da Prova:

Leia mais

Regulamento para Seleção de Exposições nos Espaços Expositivos Prefeitura Municipal de Santa Maria

Regulamento para Seleção de Exposições nos Espaços Expositivos Prefeitura Municipal de Santa Maria A Prefeitura Municipal de Santa Maria, Secretaria de Município da Cultura e o Museu de Arte de Santa Maria comunicam que estão abertas as inscrições aos produtores culturais, artistas plásticos e Visuais,

Leia mais

CROSS BANNER TORMES. Expositor de dupla face fabricado e alumínio e plástico, com um pé metálico em cruz. Medida: 60 x 170 cm

CROSS BANNER TORMES. Expositor de dupla face fabricado e alumínio e plástico, com um pé metálico em cruz. Medida: 60 x 170 cm O Elistand é uma empresa jovem que iniciou a sua actividade em 1999, na área de congressos, feiras, merchandising, ect. com uma vasta gama de sistemas portáteis de exposição, stand s modulares de pequena

Leia mais

PARANGOLEZINHO - Regina Ricci 2007

PARANGOLEZINHO - Regina Ricci 2007 PARANGOLEZINHO - Regina Ricci 2007 1 1 Proposta elaborada com base na obra de Hélio Oiticica, pintor, escultor, performático e artista multimídia que em suas diversas propostas incluiu o Parangolé para

Leia mais

espaços marcantes Jocymara Nicolau e Andréa Posonski

espaços marcantes Jocymara Nicolau e Andréa Posonski Jocymara Nicolau e Andréa Posonski Rua Buenos Aires, 441 / 111. Batel Curitiba / PR (41) 3324.8592 www.np.arq.br espaços marcantes O projeto de interiores desta casa previu a criação de ambientes especiais

Leia mais

USO E APLICAÇÕES Módulo 8 Vidros Especiais

USO E APLICAÇÕES Módulo 8 Vidros Especiais USO E APLICAÇÕES Módulo 8 Vidros Especiais VIDRO TEMPERADO SERIGRAFADO IMAGEM APLICADA COM TELA DE POLÍESTER ESMALTE CERÂMICO MEDIDAS 2200 x 3600 de 3 a 12mm PARA MEDIDAS DE 15 e 19 mm CONSULTE SEU FORNECEDOR

Leia mais

Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso

Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso Escola: Básica de Custóias (sede) Ano: 9º ano Turma:

Leia mais

Bazar das Nações é uma exposição itinerante que tem como objetivo pesquisar, documentar, exibir e divulgar os tradicionais Mercados Centrais,

Bazar das Nações é uma exposição itinerante que tem como objetivo pesquisar, documentar, exibir e divulgar os tradicionais Mercados Centrais, Bazar das Nações é uma exposição itinerante que tem como objetivo pesquisar, documentar, exibir e divulgar os tradicionais Mercados Centrais, oriundos do Brasil Colônia próximos aos portos e alfândegas,

Leia mais

Art Nouveau/ Secessão de Viena

Art Nouveau/ Secessão de Viena 1760 Revolução Francesa 1789 Revolução Industrial 1819 Rainha Vitória 1840 1901 1874 Arts and Crafts 1880 1890 Primeira Guerra Mundial 1914 1918 1924 Art Déco Impressionismo 1925 Art Nouveau/ Secessão

Leia mais

gestão do design: projeto final professor: rodrigo a. gianello aluno: wellington v. amarante jr. curso técnico de design gráfico: turma 01

gestão do design: projeto final professor: rodrigo a. gianello aluno: wellington v. amarante jr. curso técnico de design gráfico: turma 01 : projeto final professor: rodrigo a. gianello aluno: wellington v. amarante jr. curso técnico de design gráfico: turma 01 Cronograma de desenvolvimento do projeto Fases Período Março Abril Maio Junho

Leia mais

Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através

Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através de formas irreconhecíveis. O formato tradicional (paisagens

Leia mais

Projeto luminotécnico reúne soluções que transformam sóbrio restaurante diurno em colorido bar noturno.

Projeto luminotécnico reúne soluções que transformam sóbrio restaurante diurno em colorido bar noturno. Do sério ao Projeto luminotécnico reúne soluções que transformam sóbrio restaurante diurno em colorido bar noturno. Reportagem: JOÃO CARLOS BALDAN 64 Potência Dez 05 Jan 06 despojado De dia, a luz é branca

Leia mais

Período Industrial Mecânico

Período Industrial Mecânico Período Industrial Mecânico Joseph Niépce Primeira fotografia de Niépce tirada da janela do sótão de sua casa de campo em Le Gras em Chalons-sur- Saône, na França. (1826) Hercules Florence Produção de

Leia mais

Programa do Serviço Educativo. 2.º Semestre 2008

Programa do Serviço Educativo. 2.º Semestre 2008 Programa do Serviço Educativo Museu Municipal i de Óbidos 2.º Semestre 2008 Programa Semestral Mês Dias Título Público-alvo Agosto Quintas, Sextas, Sábado No Ateliê do Pintor um Tesouro Escondido Crianças

Leia mais

HISTÓRIA DO MOBILIÁRIO: BAUHAUS¹. Mazzini JR., E. G.²; Bisognin, E. L.², Côrrea, L.³, Bortoluzzi. C. G.³; Beck, L. A 4. RESUMO

HISTÓRIA DO MOBILIÁRIO: BAUHAUS¹. Mazzini JR., E. G.²; Bisognin, E. L.², Côrrea, L.³, Bortoluzzi. C. G.³; Beck, L. A 4. RESUMO HISTÓRIA DO MOBILIÁRIO: BAUHAUS¹ Mazzini JR., E. G.²; Bisognin, E. L.², Côrrea, L.³, Bortoluzzi. C. G.³; Beck, L. A 4. 1 Trabalho da linha de pesquisa: Design e Gestão do Produto, História, Estética e

Leia mais

BARROCO BRASILEIRO séc. XVIII - XIX

BARROCO BRASILEIRO séc. XVIII - XIX Campus São Cristóvão II Coordenador pedagógico de disciplina: Shannon Botelho 8º ano. TURMA: NOME: nº BARROCO BRASILEIRO séc. XVIII - XIX O barroco brasileiro desenvolve-se principalmente em Minas Gerais,

Leia mais

OMAR SALOMÃO ESTADO DE SÍTIO ARMAZÉM FIDALGO

OMAR SALOMÃO ESTADO DE SÍTIO ARMAZÉM FIDALGO OMAR SALOMÃO ESTADO DE SÍTIO ARMAZÉM FIDALGO Cerca de concertina utilizada como sistema de defesa de propriedade, colocada sobre muros para evitar a entrada de ladrões e presente de forma ostensiva nas

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes Aluno (a): 5º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Este trabalho deverá ser entregue IMPRETERIVELMENTE no dia da prova. Prezado(a)

Leia mais

Deguste. com os olhos

Deguste. com os olhos 2 ARQUITETURA & DECORAÇÃO Especial A&D Projeto MAINA HARBOE Por Por Fernanda Pinho Fotos Marcelo Stammer Deguste com os olhos Quente, sofisticado e atemporal. Características que podem ser atribuídas ao

Leia mais

www.canalcontemporaneo.art.br/arteemcirculacao/, May 2012

www.canalcontemporaneo.art.br/arteemcirculacao/, May 2012 maio 2, 2012 www.canalcontemporaneo.art.br/arteemcirculacao/, May 2012 7SP - Seven Artists from São Paulo" inaugura o CAB Art Center em Bruxelas com 7 artistas brasileiros por Gisele DeFaria 7SP - Seven

Leia mais

EFEITOS DE LUZ em AMBIENTES de INTERIORES

EFEITOS DE LUZ em AMBIENTES de INTERIORES Palestra Simpolux 2006 EFEITOS DE LUZ em AMBIENTES de INTERIORES Arq. Ladislao Pedro Szabo Arq. Vivien Jaglbauer Abeling, Szabo Consultoria 1 Agradecimentos: Philips Lighting Isac Roizenblatt Luis Lancelle

Leia mais

Pedagogia. O olhar sensível. Profa. Ms. Maria Inês Breccio. Ensino de Artes: fundamentos e práticas

Pedagogia. O olhar sensível. Profa. Ms. Maria Inês Breccio. Ensino de Artes: fundamentos e práticas Pedagogia Profa. Ms. Maria Inês Breccio Ensino de Artes: fundamentos e práticas Olá, sintam-se abraçados! O olhar sensível (...) a arte é social nos dois sentidos: depende da ação de fatores do meio, que

Leia mais

CATÁLOGO. Departamento Design + Arquitectura

CATÁLOGO. Departamento Design + Arquitectura CATÁLOGO 2014 Departamento Design + Arquitectura Estimado(a) Cliente, + Proóptica Design + Arquitectura é especializada em remodelação de interiores de ópticas, sendo uma alternativa credível na decoração

Leia mais

Caixilharias exteriores em alumínio cor cinza, com acabamento mate e com vidros duplos.

Caixilharias exteriores em alumínio cor cinza, com acabamento mate e com vidros duplos. MAPA DE ACABAMENTOS ACABAMENTOS GERAIS: Estrutura em betão armado anti-sísmica. Caixilharias exteriores em alumínio cor cinza, com acabamento mate e com vidros duplos. APARTAMENTOS HALL: Pintura sobre

Leia mais

SOLUÇÕES EM ALUMÍNIO 2015 PERFILO Localizada em Veranópolis, na Serra Gaúcha, próximo ao maior pólo moveleiro do país, a Perfilo é a mais nova empresa do Grupo Rometal. A empresa possui 12.000 m 2 de

Leia mais

2.2 FRANK LLOYD WRIGHT: ORIGENS DO DESIGN NA HOTELARIA? No ano de 1915, o arquiteto norte-americano Frank Lloyd Wright foi

2.2 FRANK LLOYD WRIGHT: ORIGENS DO DESIGN NA HOTELARIA? No ano de 1915, o arquiteto norte-americano Frank Lloyd Wright foi 30 2.2 FRANK LLOYD WRIGHT: ORIGENS DO DESIGN NA HOTELARIA? No ano de 1915, o arquiteto norte-americano Frank Lloyd Wright foi convidado para projetar o Hotel Imperial em Tóquio, no Japão. A obra deveria

Leia mais

VANGUARDAS EUROPÉIAS

VANGUARDAS EUROPÉIAS VANGUARDAS EUROPÉIAS CONTEXTO HISTÓRICO AVANÇO CIENTÍFCO E TECNOLÓGICO SUPERVALORIZAÇÃO DO PROGRESSO E O ENALTECIMENTO DA MÁQUINA O Ford Model T foi apresentado no dia 1 de outubro de 1908. Ele tinha O

Leia mais

Referência FAMILIAR. Situada no Estoril, esta moradia, projeto. sob medida projetos

Referência FAMILIAR. Situada no Estoril, esta moradia, projeto. sob medida projetos sob medida projetos Referência FAMILIAR A decoração desta moradia, no Estoril, ficou a cargo das arquitetas de interiores Maria Ana Franco e Teresa Matos Correia, da Fusion. TEXTO: patrícia ROCHA PRODUÇÃO:

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 18/2011 HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO

EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 18/2011 HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO Nº 18/2011 HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO O presente processo objetivou a seleção da melhor proposta para o PREGÃO ELETRÔNICO Nº 18/2011, cujo objeto é a CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos A PKO Há mais de 15 anos no mercado brasileiro de vidros, a PKO do Brasil preza sempre pela qualidade dos seus produtos e atendimento personalizado. Tais fatores são fundamentais para

Leia mais

SURREALISMO. História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012)

SURREALISMO. História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012) SURREALISMO História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012) SURREALISMO Dadaísmo: - fundado durante a 1ª Guerra Mundial. Surgiu na Europa (Zurique) no ano de 1916. Características: - Objetos

Leia mais

Grandes obras, grandes criadores e uma marca de vidro.

Grandes obras, grandes criadores e uma marca de vidro. Grandes obras, grandes criadores e uma marca de vidro. A Cebrace é referência no mercado nacional, além de ser a empresa líder do segmento de vidro plano no Brasil. Com capacidade de produção de 3,6 mil

Leia mais

Standard Range TNE 2022/23/35 A escada rolante para o novo milênio. TK Elevadores

Standard Range TNE 2022/23/35 A escada rolante para o novo milênio. TK Elevadores Standard Range TNE 2022/23/35 A escada rolante para o novo milênio TK Elevadores Um projeto inovador... A escada rolante Avante é única devido a suas formas arredondadas características, que rompem com

Leia mais

Onde: Museu da Cerâmica Udo Knoff, Rua Frei Vicente, nº 03, Pelourinho

Onde: Museu da Cerâmica Udo Knoff, Rua Frei Vicente, nº 03, Pelourinho EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS FEIRA DE CORES E SABORES A mostra, contemplada pelo Fundo de Cultura da Bahia através do IPAC, tem a intenção de valorizar os patrimônios materiais e imateriais da Feira de São Joaquim

Leia mais

História da Arte - Linha do Tempo

História da Arte - Linha do Tempo História da Arte - Linha do Tempo PRÉ- HISTÓRIA (1000000 A 3600 a.c.) Primeiras manifestações artísticas. Pinturas e gravuras encontradas nas paredes das cavernas. Sangue de animais, saliva, fragmentos

Leia mais

DADAÍSMO SURREALISMO OP ART E POP ART SÉC. XX

DADAÍSMO SURREALISMO OP ART E POP ART SÉC. XX DADAÍSMO SURREALISMO OP ART E POP ART SÉC. XX História da Arte Profª Natalia Pieroni IDADE CONTEMPORÂNEA LINHA DO TEMPO - HISTORIOGRAFIA Período PRÉ-HISTÓRIA Origens do homem até 40000 a. C IDADE ANTIGA

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO PAVILHÕES Os edifícios para grandes exposições têm marcado a história da Arquitetura desde 1851, com a construção do Palácio de Cristal, concebido por Joseph Paxton para a primeira Exposição Universal,

Leia mais

Os principais produtos artísticos da África tropical são máscaras e esculturas em madeira. Esses objetos têm forma angulosa, assimétrica e

Os principais produtos artísticos da África tropical são máscaras e esculturas em madeira. Esses objetos têm forma angulosa, assimétrica e Os principais produtos artísticos da África tropical são máscaras e esculturas em madeira. Esses objetos têm forma angulosa, assimétrica e distorcida. Para os membros da sociedade africana, eram objetos

Leia mais

Conceitos de Design Gráfico. Disciplina de Design Gráfico

Conceitos de Design Gráfico. Disciplina de Design Gráfico Conceitos de Design Gráfico Disciplina de Design Gráfico Índice Projeto de Design Gráfico Layouts Efetivos Elementos de Design Princípios de Design Referências Bibliográficas 2 Projeto de Design Gráfico

Leia mais

Morte e ressurreição da aura GUILHERME WISNIK

Morte e ressurreição da aura GUILHERME WISNIK Morte e ressurreição da aura GUILHERME WISNIK Haveria muitos caminhos possíveis para esta fala. Um deles seria comentar casos específicos e eleger exemplos de arquitetura de museus contemporâneos que tratassem

Leia mais

Estruturas de Aço - Dimensionamento Prático - 7ª Ed. Walter Pfeil Ed. LTC

Estruturas de Aço - Dimensionamento Prático - 7ª Ed. Walter Pfeil Ed. LTC Aula 1: Aula 01 Bibliografia Estruturas de Aço - Dimensionamento Prático - 7ª Ed. Walter Pfeil Ed. LTC Estruturas de aço, concreto e madeira : atendimento da expectativa dimensional Rebello, Yopanan Conrado

Leia mais

Cidade das Artes inicia em maio sua programação

Cidade das Artes inicia em maio sua programação Cidade das Artes inicia em maio sua programação Em janeiro, Rock in Rio, o Musical abriu o novo espaço cultural em sistema de soft opening Fotos em alta resolução: www.factoriacomunicacao.com Depois de

Leia mais